Issuu on Google+

Pag. 1

PAPER SCRAPPERS MAGAZINE A tua fonte de inspiração

Julho de 2012

2ª Edicção

inas g á p 7 São 6 eias d I e sd Cheia ias e c í t o N as t s i v e Entr

sar: Como U ot Big Sh

Constrói um Mini-Albu m de Envelope s

Inspira-te com : Ideias de Projectos BAM (Book About Me) Mini Album de Tecido Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©

ing k o o pb Scra ção i n i f de Uma


Pag. 2

Apresentamos a 2ª Edição Magazine do Paper Scrappers, cheia de criatividade e recheada de projectos bonitos. Obrigada pela vossa atenção e divirtam-se!

4

54 Desafios do Design Team

Passo a Passo

10 Entrevista: Lembranças Soltas

56 Projectos de Destaque

14 Scrapbooking &

58 Paper Scrappers: Novidades

Mix Média

20 Novidades: Papeis Papermania

60 Scrap this Scketch

22 Carimbos: KeiserCraft

62 Scrapbooking—Uma Definição

24 Como Usar: Big Shot

66

28

67 Palavras Cruzadas

Entrevista: Membro do PS

Workshops e Crops do PS

32 Tutorial: Alcohol Inks 36 Scrapbooking Alternativo 38 Scrapbook Digital

Direitos reservados de todos os trabalhos e seus desenhos.

40 Colas: Qual a Melhor 46 Entrevista: Wonderpapers

50 Inspira-te: Ideias de Projectos

É proibida a reprodução total ou parcial por qualquer meios, sema expressa autorização escrita do editor. Os trabalhos apresentados nesta edição são da inteira responsabilidade dos artistas que os realizam.

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 3

As Editoras: Marisa Figueiredo

Nidia Ponte

COLABORADORAS EM TEMAS ESPECÍFICOS... Ana Carvalheiro Novidades de Papel www.facebook.com/ana.carvalheiro Isabel Rocha Scrapbooking Alternativo Yanira Rodrigues Scrapbooking c/ Mix Media www.yanirascrap.blogspot.pt

CONHECE AS DESIGNERS... Ana Bela Leal www.coresetexturas.blogspot.pt Dulce Codinha www.artesdadulce.blogspot.pt

Margarida Teixeira www.o-scrap-da-nokas.blogspot.pt Marisa Figueiredo www.maribellscrapsportugal.blogspot.pt

Mónica Moreira www.miudasdoscrap.blogspot.pt Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 4

PASSO A PASSO MINI ALBUM ENVELOPES

Marisa Figueiredo, mostra-nos como fazer um mini álbum, construindo o nosso próprio envelope.

Os Mini álbuns são uma óptima criação para as nossas fotos. Mas por vezes encontramo-nos com o dilema de como colocar todas as nossas fotos num só mini álbum! Existem muitas pessoas que não gostam de recortar as fotos para

poderem caber em molduras pequenas e preferem fazer álbuns para caber uma foto de 10x15cm. Mas assim teríamos que ter muitas paginas e o mini álbum fica muito grosso e massudo. Felizmente existem várias soluções para esta falta de espaço. O mundo do Scrapbooking já descobriu os pockets e os envelopes e são muito bem-vindos em qualquer projecto! Por isso hoje trago-vos um passo-apasso de um mini álbum criado com envelopes.

Eu não fui correr para a papelaria comprar os envelopes. Porquê, não era mais fácil? Template para seguirem as medidas e criarem o vosso próprio envelope

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 5

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 6

Até podia ser, mas tinha vários problemas: não encontrava o tamanho certo; não encontrava com a abertura do lado que queria; os envelopes eram feitos de papel muito fininho e eu gosto de ter consistência nos meus trabalhos; e os envelopes que encontravam com papel grosso eram demasiado caros; e não encontrava a cor que queria. E é por isso que adoro criar os meus próprios envelopes. Há mil e uma vantagens... Posso criar o tamanho que quero, posso fazer com ou sem palas de abertura, posso fazer retangular ou quadrado, posso fazer a abertura ao lado, em cima, etc.

Divirtam-se com este passo-a-passo

Usando o Template

Dobrar nas linhas

que se encontra na

das dobras e colocar

página anterior,

cola na area indica-

recortem-no numa

da para cola. No fim

cartolina a vosso gosto. Aqui

deves ter um envelope com cerca

podes escolher uma cartolina

de 18,5cm por 12cm, mais uma

simples ou texturada, e numa cor

pala de 12cm por 3,5cm. Se que-

que combina bem com os vossos

res aplicar Distress Ink, agora é

papéis.

a altura para isso.

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 7

Cortar o papel decorativo para cobrir os dois lados do envelope. Se queres ficar com uma moldura à volta do papel, ou seja a ver-se a cartolina do envelope, o tamanho a cortar é 18x11,5cm. Se não queres ficar com esta moldura, aconselho a colar o papel decorativo no envelope e depois cortar o excesso com uma tesoura ou x-acto à volta do envelope.

Para a pala, podes

Para encheres os enve-

aproveitar os restos

lopes com photo-matts,

que tens. Para colar

vais usar a mesma car-

papel decorativo na

tolina que usaste para

pala, (sem medir ), basta colar e

fazer os teus envelopes. Cortas photo

recortas o excesso de papel à vol-

-matts com as seguintes medidas

ta da pala. Colocas papel decora-

para os teus envelopes todos:

tivo de um lado ou dos dois lados

17x11,5cm. Podes colocar mais que

da pala.

um photo-matt dentro do teu envelope, tudo depende da quantidade de fotos que tens para o teu álbum. Cobri os teus photo-matts com papel decorativo, cortas à medida para não deixar moldura ou cortas menos 0,5cm para teres uma pequena moldura.

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 8

Alinhar os envelopes, ou seja posicionar os envelopes e prepara-lo para furar. Podes querer colocar os envelopes de maneira que as palas estão todas viradas para o mesmo lado, ou podes querer alternar. Se querem colocar as palas todas co mesmo lado tem que ter em atenção: o Para ter as palas todas viradas para cima, o único envelope que vai ter a sua pala virada para baixo é a o envelope que vai servir de capa. o Para ter as palas todas viradas para baixo, o único envelope que vai ter a sua pala virada para cima é o ultimo envelope.

Depois de teres todas as superfícies com papel decorativo e os envelopes alinhados, estás pronta para o binding. Podes optar por duas argolas ou arames (BIA ou Cinch). Se optares pelas duas argolas, lembrate que tens o photo-matt dentro do teu envelope, por isso não entres muito para dentro para fazer os furos. A medida ideal para as argolas seria a 1cm. Para os arames da BIA ou Cinch a medida é marcada pelas máquinas que não deve ultrapassar esta marca de 1cm também.

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 9

Ăšltimo passo, encher o teu mini album com fotos e memorias lindas! Bom trabalho e diverte!

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—Š


Pag. 10

ENTREVISTA LEMBRANÇAS SOLTAS

A

Loja Lembranças Soltas,

patrocinadora do Design Team do Paper Scrappers, fez no passado dia 30 de Junho 5 anos de existência. Não queríamos por isso deixar passar este acontecimento em branco. Fomos à Lembranças Soltas e entrevistamos a Cláudia Vieira (CV), a dona da Loja PS: Cláudia, primeiro queríamos

comecei a pensar que se calhar era

agradecer pelo tempo que dispuses- “giro” entrar na aventura de abrir te para esta entrevista. A Lembran-

uma loja destas em Portugal uma

ças Solta fez 5 anos, não queres

vez que não conhecia nada do géne-

contar como nasceu este projecto?

ro cá.

CV: A ideia de criar a loja surge de

Aí começou realmente a aventura.

uma combinação de fatores. Na altura estava a viver em Londres onde me apaixonei por Card Making e pelo Scrapbooking, e a minha mãe estava à procura de algo novo para fazer. Um dia, estávamos em Outubro de 2006, enquanto fazia os postais de Natal para enviar à família e amigos, Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 11

de um ramo de artes decorativas, PS: Qual a arte que te motivou mais

não conhecia ninguém no meio, nunca tinha tido um negócio próprio,

para abrires a loja? CV: Embora estivesse inicialmente mais ligada ao Card Making sempre achei que a loja deveria ser mais vocacionada para o Scrapbooking. O Scrapbooking para mim é a ligação ao nosso passado, à nossa história.

nunca tinha trabalhado com importações. A nossa loja abriu num lugar escondido e demorou muito tempo a publicitar e a torna-la mais conhecida. Hoje, temos clientes que são verdadeiras amigas,

Sempre que

já lidámos

criámos uma

melhor den-

página de

tro do merca-

Scrapbooking,

do e quere-

um mini-album

mos continuar

estamos a

a crescer.

imortalizar

O balanço é

parte da nos-

muito positivo,

sa vida. O por-

a loja nasce de

tuguês é de uma natureza saudosista, nostálgica, gosta de recordar. Já somos “scrapbookers” antes mesmo de saber o que scrapbooking é.

uma paixão pela arte, mas cresce pelo amor de fazer um bom trabalho. Todos os dias na Lembranças Soltas, eu, a mãe Iria, a Marlene e o Dário trabalhamos para vos trazer as últimas novidades, ao melhor preço

PS: Qual o balanço que fazes destes e com a melhor formação. 5 anos.

Formação é aliás a palavra-chave na

CV: Quando começamos este per-

Lembranças Soltas.

curso tudo era novo. Eu não vinha Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 12

CV: Acreditamos que é importante

CV: No início, a pergunta que mais

ensinar como se trabalham os mate- ouvia das pessoas que entravam na riais, as diferentes técnicas, os prin- loja era “Scrap-quê?” Hoje em dia, cípios da construção de um trabalho. muito mais gente conhece o ScrapÉ nesta área que apostamos e inves- booking. As pessoas procuram-nos timos mais e que, por exemplo, este cada vez melhor informadas. ano eu fiz a formação de formadora da Ranger. Foi uma experiência fantástica mas que só faz sentido se agora passarmos todo esse conhecimento para os clientes. Daí apostarmos muitas

O número de lojas, blogs, fóruns, sites e páginas de Facebook dedicadas ao tema ou com referências a Scrapbooking em Portugal cresce todos os dias.

vezes em

A qualidade dos

Demons-

trabalhos das nos-

trações,

sas “scrapbookers”

Dias Aber-

é cada vez melhor.

tos, Scrap-

Todos os materiais

nights e

já se encontram

Workshops.

cá. As lojas já têm sempre as últimas

Acredito que

novidades. Os

a diferença

preços já são

da nossa loja passa

por esta experiên-

cia que transmitimos às nossa clien-

muito mais competitivos.

tes. Não tenho dúvidas que, para

Por isso, já podemos ter orgulho do

mim, a melhor recompensa é o sor-

Scrapbooking em Portugal. O que

riso de uma cliente feliz, e enquanto mais me deixa triste é ouvir o tipo de frase “Lá fora é que é”. Tenham assim for, contem connosco para continuar a apoiar o Scrapbooking

orgulho em quem são e no que

em Portugal.

fazem. O Scrapbooking em Portugal já é uma realidade e veio para ficar. Parabéns a todos vocês que tornam

PS: Na tua experiencia durante este esta realidade possível. tempo, como achas que evoluiu o Scrapbooking em Portugal?

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 13

Contactos da Lembranças Soltas: Site: http://www.lembrancassoltas.pt/ Facebook: https://www.facebook.com/LembrancasSoltas Telefone: 22 050 00 84 Email: info@lembrancassoltas.pt Morada: Rua Arquitecto Cassiano Barbosa, Loja 72C - 4100-009 Porto Horários: Segunda: 15h - 19h; Terça a Sexta: 10h - 13,30h e 15h - 19h Sábado: 10h - 13,30h—15h - 18h

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 14

SCRAPBOOKING C/ MIX MÉDIA

Yanira Rodrigues, membro do Paper Scrappers desde do inicio, traz-nos ideias de como fazer um BAM (Book About Me) em Mix Média.

MIXED MEDIA -

O Que E?

e da criatividade. Assim, deixamos fluir tudo que

É o uso de diversos materiais no trabalho. É uma arte terapêutica, que nos deixa livres para criar o que quisermos, fazendo uso de qualquer mistura de materiais. Faz -nos um bem enorme emocionalmente. Neste trabalho exercitamos especialmente o lado direito do cérebro, que é o lado das emoções

temos em nosso interior. O

mais

comum

dos

MIXED

MEDIA são as colagens, livros alterados, objectos alterados, cartões de arte (ATC), art journals, arte em tags, cartões manuais, livros feitos a mão usando uma grande variedade de meios e suprimentos não usuais no scrapbooking. Dependendo material pode de

do

usado, ser

tipo

de

também

chamado

Assemblage

Art

(montagem), que é uma colagem tridimensional. Podemos usar todo o tipo de materiais, desde lápis de cor, marcadores, tintas oa de Barcelona Álbum de Mix-Méd

acrílicas, aquarelas,

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 15

carimbos,

recortes

de

revistas,

que tive a oportunidade de conhe-

tecido, fitas. Nã há limites à imagi-

cer em um workshop de Mixed

nação perante a matéria prima que

Média e Stella W (Scraptella), a

temos para criar os nossos traba-

qual sigo as suas técnicas e manei-

lho de Mixed Media.

ra bem disposta de como leva a sua

vida

a

um

livro

artístico. O primeiro passo é procurar um livro para realizar o nosso BAM. Reciclamos algum livro de capa grossa que já não tenha utilidade, ou uma agenda velha. Colamos com cola branca de 3 em

3

páginas

para

A partir de desta publicação vou

reforçar, já que ela vá levar muita

explicar uma variedade de técnicas

tinta e não queremos que as pagi-

e aplicar-lhas num livro, a que cha-

nas fiquem moles. Despois de colar

maremos BAM que em Inglês signi-

todas as páginas, vamos prepara a

fica “Book About Me” Um livro

nossa capa. Pintamo-la com um

sobre

“primário” ou seja, pode ser uma

mim,

sobre

minha

vida,

“art journal”

tinta

branca,

o

gesso,

acrílico,

“diário

artístico”

pasta de mode-

inspirada

lar. Eu usei ges-

em

so, pois a minha

numa

talentosa

capa

a r t i s t a

em pele sintéti-

Colombiana

ca. Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©

era

feita


Pag. 16

Pintei com tinta em spray em cores de verde, rosa e lilas. Deixei secar. Cortei uma janela em cartão do tamanho de uma foto minha, impressa no computador em tonos branco e preto. O LIVRO É UMA JANELA DA MINHA VIDA.

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 17

Passei uma camada de pasta para modelar e pintei com um color base em tinta acrĂ­lica.

Com tinta verde e amarela criei um efeitos antigo, deixei secar

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—Š


Pag. 18

Fiz distress com tinta escura para

E enfeitei com flores e outros ade-

dar o efeito de envelhecido. Apli-

reços que tinha à mão. As chaves e

quei a mesma técnica na capa do

a fechadura são feitas em pasta

livro.

Fimo. Decoras o BAM com o teu estilo próprio o BAM. Eu sou mais estilo Tim Holtz. Há quem goste de estilos Sahbic Shic…a originalidade é que é o mais importante nos nossos trabalhos. Nos próximas publicações seguiremos temas por cada paginas. Nos-

Colei a moldura a foto a minha

so próximo tema é a MINHA CASA

capa coloque um pouco de tecido utilizado pelas floristas, umas rendas, líneas de crochets.

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 19

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 20

NOVIDADES: PAPEIS PAPERMANIA

Ana Carvalheiro mostra-nos as tendências dos papeis. Para inicia a minha etapa como

fazer com este

jornalista do PS vou falar de novi-

papel bonito!

dades de uma marca mais acessível e que nos está mais perto— PAPERMANIA.

Para quem gosta de trabalhar com tons verdes, pode optar pela novidade da

A Papermania já lançou o sua pri-

colecção Capsule—o Chelsea

meira colecção de

Green.

Natal!”Christmas Tidings” Em tons de vermelhos, verdes e azuis, já podem ir pensando o que irão

Mas a Papermania não se ficou por aqui e lançou uma nova colecção brilhante, que capta um clima de festa. Estamos a falar da Colecção “Strictly Party”. Tem uns tons suaves que podem dar um toque vintage aos nossos trabalhos. Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 21

Uma outra colecção que merece toda a nossa atenção pois é simplesmente

fantástica,

é

Happy

Days. Com as suas fortes imagens icônicas e fabulosos padrões geométricos a coleção Happy Days capta a vibração da era dos anos 50, tendo um estilo muito retro. Por último, mostro-vos uma colecção já vossa conhecida, mas que também merece destaque. Estou a falar da “Portbello Road”. Um óptimo pack de papeis para quem já viajou ou vai viajar para o Reino Unido, aproveitando para ver o Jogos Olímpicos em Londres.

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 22

NOVIDADES CARIMBOS

A Designer do Paper Scrappers Mónica Moreira, falanos da sua paixão pelos carimbos.

Ora, começo por me confessar.

Vou então mostrar alguns dos

Desde da 1ª edição da Magazine

carimbos lindos que esta marca

comprei

disponibiliza.

mais

e

mais

e

mais

carimbos, porque não posso viver sem eles. Um carimbo confere um detalhe extra a um projecto seja ele um simples cartão de aniversário, ou uma página de álbum elaborada. Desta vez venho falar de uma marca que também está presente no mercado há algum tempo, tanto com papéis, como com embelishments

e

claro

está,

carimbos lindos. Falo pois da marca australiana Kaisercraft.

LE CHATEAU

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 23

Na página anterior podem apreciar um dos sets que mais gosto. Já estou a imaginar um LO com este set lindo, o candelabro suspenso, a fechadura, adoro adoro… Devonshire Collection, é um dos meus sets preferidos desta marca. Estes cantos floreados com arabescos conferem um pormenor lindíssimos a qualquer página, sejam carimbados

simples

ou

com

embossing.

Devonshire Collection

Nesta edição da Magazine fiz m tutorial usando um dos carimbos deste set – a borboleta. Espero que gostem. Este é o link do vídeo:

http://www.youtube.com/watch? v=P_oTuRumI2c BONJOUR Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 24

COMO USAR BIG SHOT

Ana Bela Leal, Designer do PS mostra como usar a Big Shot da Sizzix

A Big Shot fabricada pela

um

desenho

em

relevo,

é uma máquina manual de

transformar um papel liso em tex-

manivela rotativa que permite cor-

turado, pode ainda fazer o relevo e

tar e criar texturas em alto-relevo,

cortar ao mesmo tempo, fazendo

através de uma extensa gama de

fantásticos

moldes (dies cut e embossing fol-

Esta espantosa máquina é uma

trabalhos

em

pode

papel.

ders). Esta pequena

ferramenta útil para os

maravilha pode cortar

amantes

materiais como papel,

Scrapbooking, mas não

cartolina, cartão, teci-

só. Com a Sizzix Big

do, eva, pele, acrílico

Shot poderá fazer inú-

fino, feltro, estanho,

meros trabalhos, como

cortiça, etc.., depen-

cartões, convites, lem-

dendo do tipo de cor-

branças de casamento/

da

arte

do

tante/ die que utilizar. Atenção, há

batizados, aplicações em roupa, e

cortantes que só cortam papel e

inúmeras decorações, é só preciso

derivados como é o caso dos Sizz-

dar asas á imaginação.

lits.

Esta máquina é compatível com

Consoante

o

molde

utilizado

a

máquina pode apenas vincar, fazer

todos os moldes Sizzix com a exceção dos Bigz Pro

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 25

devido às suas grandes dimen-

Acessórios incluídos:

sões. A Big Shot Pro, de cor preta e azul, tem como grande diferencial o seu tamanho, podendo cortar até 12 x 12 inch, ou seja, mais ou menos 30 cm, que é o tamanho mais comum dos papéis scrap.

Portanto com estes dois acessórios Mas a máquina Big Shot da Sizzix

incluídos na compra da Big Shot é

pode ainda ser compatível com

possível

moldes/ dies de outras máquinas

extra) os seguintes moldes:

(QuicKutz, Cuttlebug e Spellbin-

Original Dies

ders). Para isso é necessária a

Bigz Dies

Multipurpose Plataform que está

Bigz Clear Dies

incluída na compra da máquina

On the Edge Dies

juntamente com os Standard Cut-

Embossing Folders

ting Pads. A Multipurpose Plata-

Sizzlits Dies

form torna todos os componentes

Clearlits Dies

Sizzix compatíveis com a Big Shot

Framelits

e permite utilizar outros moldes de

Movers & Shapers

utilizar

outras marcas/ fabricantes como já referido. Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©

(sem

acessório


Pag. 26

Outros artigos possíveis utilizarem

a “sanduiche” inteira através da

na Big Shot, mas que necessitam

plataforma girando a manivela,

de acessórios extras:

prensando tudo, até que o mate-

Bigz XL Dies - acessório: Cutting Pad Extended, 1 Par.

ScoreBoards XL Dies - acessório: Cutting Pad Extended, 1 Par.

rial saia do outro lado. Vou demonstrar para simplificar. Neste caso vou usar um cortador “Bigz Dies”. Em cima da máquina coloca-se

Texturz Texture Plates - aces-

uma das placas acrílica/ cutting

sórios: Impressions Pad, Silicone Rubber. 

Decorative Strip Dies - acessórios: Extended Spacer Platform, Decorative Strip Cutting Pad

Movers & Shapers – acessórios: Base Tray dependendo do

pad, depois o cortador com a lâmi-

molde

na virada para cima, o material

Dependendo do dies que usamos ela pode cortar chipboard. Para

que se quer cortar e depois a segunda placa acrílica/ cutting

verificarem isto, têm que ver as instruções que esse dies traz. Vamos ao funcionamento: Então o que devemos fazer é montar uma “sanduiche”. Depois de montar a “sanduiche” com as placas certas, basta passar Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 27

A nossa "sanduiche" está pronta.

Notas: tem que se colocar a fase

Agora é só colocar numa das pon-

do papel decorativo que queres

tas da máquina e dar à manivela.

usar virado para o die. Isto para não se notar os cortes já existentes na placa acrílica (após o seu longo uso). Para saber quais as placas a usar, ou seja, como montar a “sanduiche”, basta consultar o manual ou seguir as instruções na própria Multipurpose Plataform que

Sai pelo outro lado já cortado.

acompanha a máquina. Na internet também encontram imensa informação. Aqui o link com as instruções: http://www.sizzix.co.uk/ images/pdfs/instructions/ bigshot_instr_forweb.pdf Abaixo, podem ver um dos dies

No caso de um Sizzlits, a ordem das placas seria esta: 

1º Multipurpose Plataform

2º Cutting Pad

3º Sizzlits

4º Papel ou derivados

mais conhecidos do Tim Hotlz, chama-se Movers&Shapers L: Tag & Bookplates

5º Cutting Pad

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 28

ENTREVISTA A UM MEMBRO DO PS

Desta vez convidamos a Débora Ribeiro (DR), um dos nosso membros mais participativos, para nos falar um bocadinho da sua vida como Scrapper. PS: A minha primeira questão é

conheci um

para fazer uma pequena introdu-

fórum de

ção sobre ti, dizeres por exemplo,

Decoupage.

como chegas-te ao Scrapbooking,

Nesse

o que te motivou e o que te cativa

fórum de Decoupage experimentei

no Scrapbooking?

várias coisas novas, como por

DR: Olá, antes de mais quero agradecer por me terem escolhido para a vossa entrevista. O meu nome é Débora e tenho 25 anos. Sou de Coimbra e estudo Engenharia Informática no ISEC (Instituto Superior de Engenharia de Coimbra). Ainda sou solteira mas tenho um namorado fantástico que me incentiva bastante a fazer os meus trabalhos de Scrapbook e outras coisas.

exemplo, feltro e tecidos. Até que conheci a Mónica Moreira, uma das Design Team do PS. Foi com ela que conheci o Scrapbook e fiquei fascinada com os trabalhos dela e desejosa de experimentar. Mas só comecei a fazer trabalhos mais elaborados o ano passado por isso ainda sou muito verde nestas andanças. O que me cativa no Scrapbooking é o facto de podermos dar largas à imaginação e podermos usar qualquer tipo de

Eu iniciei-me no mundo das artes através da Decoupage em 2007 e em 2008 através da minha mãe

material. O Scrapbooking tornouse na minha arte favorita e nos meus tempos livres é o que mais

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 29

gosto de fazer.

muito a isso mas tenho vindo a des-

PS: Quais são as tuas técnicas favoritas em Scrapbooking?

cobrir os papéis da graphic45 que são lindíssimos.

DR: Uma das técnicas que me tem vindo a cativar e adoro ver o resulta- PS: Onde vais buscar inspiração do é o distress. Gosto do aspecto

para os teus projectos e o que fazes

envelhecido que dá aos trabalhos.

quando te falta a inspiração e não

Mas também gosto muito de embos- sabes o que fazer, ou seja, olha para sing.

o que tens na frente e ficas sem saber por onde começar ou o que fazer?

O SCRAPROO M

IDEAL DE DÉ BORA RIBIER IO

PS: Tens preferências por marcas ou é indiferente?

DR: Quando quero fazer algum projecto e não sei por onde começar

DR: Não conheço muitas marcas e por isso não posso dizer que tenho

a primeira coisa que faço e pesquisar no Google, ver vídeos no Youtube.

uma favorita até porque não ligo Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 30

DR (continuação): Também vou

de ser também o espaço dos tra-

ver trabalhos de outras meninas

balhos da universidade. Onde

aqui do Paper Scrappers para ver

tivesse todo o tipo de material,

se tenho alguma ideia. Quando

principal papeis (nunca são demais

finalmente sei o que quero fazer e

para mim), onde eu também tives-

como quero fazer é deitar mãos ao

se uma sizzix, algo que ando dese-

trabalho.

josa de

Mas

com-

tam-

prar e

bém

mais

tenho

espa-

aqueles

ço.

dias em

Pois o

que a

espaço

inspira-

que

ção tei-

tenho

ma em

agora

não aparecer e

ébora Ribieiro O Scrapromm de D pequenino.

é

nesses dias não costuma fazer nado a porque se fizer, regra geral, o resultado final não me costuma

PS: Como concilias o Scrapbooking com o teu trabalho e vida pessoal?

agradar.

DR: É bastante fácil conciliar PS: Descreve o teu Scraproom ideal?

tudo. Pois o Scrapbook é um hobby que faço nos tempos livres e é uma excelente forma de rela-

DR: O meu Scraproom ideal seria

xar depois de um longo dia de

um quarto onde eu só tivesse

aulas.

material de Scrap, que não tivesse Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 31

PS: Como conheceste o Paper Scrappers e o que achas desta rede social? DR: Conheci o Paper Scrappers através de um convite da Nidia. Gosto imenso desta rede social, da forma como nos ajudamos umas às outras, das trocas, da maneira

Um Postal, também um dos primeiros tra-

como está organizada e da oportu-

balho de Débora Ribeiro

nidade que dá aos membros de participarem activamente.

012 ães de 2 M a d ia oD Prenda d

Caixa E xplosã

o que fe z no dia dos nam ora

dos de

1ª Te ntativ a de D Ribeir ébora o de r ealiza balho r um trade Sc r apboo Para c k ing. oloca r uma prend para a a Irm ã.

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 32

TUTORIAL COMO USAR Alcohol Ink

A

Nidia Ponte explica o que é Alochol Ink e qual a melhor

técnica aplicar em Tags! Aproveitem a ideia! O que são Acohol Inks? São tintas a base de solvente e que por isso são altamente inflamáveis.

para remover a cor, ou para a clarear a cor, ou para misturar as cores.

Consequentemente devem ter mui-

Para aplicar um carimbo deve-se

to cuidado com o uso destas tintas.

usar uma tinta com uma base dife-

E nunca, mas nunca devem coloca-

rente. Mas o distress ink não irá

las em spray, pois é perigoso.

funcionar pois é uma tinta a base de água e como é base de colorante, logo é translúcida não se ira notar. Então a tinta que se deve escolher para carimbar é as que são a base de óleo que são consequentemente opacas – por exemplo Archival Ink ou StazOn.

O Alcohol Ink deve ser aplicado

Quanto ao tipo de papel ou mate-

com uns feltros bem fininhos. A

rial a usar para este tipo de tintas

espessura do feltro é importante,

deve ser um não poroso, pois só

pois se for muito grosso a tinta é

assim poderemos aproveitar ao

toda absorvida pelo feltro. Depois

máximo o seu efeito. Materiais não

da sua utilização, devem colocar o

porosos são: metais, plástico, Spe-

feltro no lixo e não devem guardar,

cial Stamping Paper e Golssy

pois é incendiar.

Paper (que apesar de serem poro-

O Blending Solution deve ser usado

sos tem propriedades suaves).

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 33

TÉCNICA ALCOHOL INK AGATES (Esta é um técnica do Tim Hotlz)

Método: 1.

Coloca-se o feltro no Ink Aplicator.

2.

Verte-se algumas gotas das tintas escolhidas, por exemplo 3 cores: Moutain Rose, Pool e Hazelnut. E junta-se 1 a 2 gotas de mixativo (Copper).

Esta é uma das técnicas eleita pelo Tim Holtz para aplicar nas suas Tags Alcohol Inks. Material Necessário: 

Craft Sheet

Heat Tool

Carimbo

Archival Ink Preto

Glossy Paper

Alcohol Inks

Ink Aplicator

Feltro

Belding Solution

Tags #8 (6 1/4” x 3 1/8”)

3.

Aplicar-se essa mistura com movimento circulatórios no papel glossy (eu usei papel de fotografia).

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 34

4. Repete-se o processo até estarmos satisfeitos com as cores e tonalidades. E na segunda e terceiras ou mais camadas, é aconselhável adicionar o Belnding Solution para que as cores se misturem melhor.

8. Com o carimbo que escolheram 5. Se virmos que está muito escuros e que necessitamos de aclarar para que possamos carimbar.

e usando uma tinta permanente preta—Archival Ink, aplicam o carimbo .

Temos 2 métodos para o fazer.

6. Ou aplicamos o Blending Solution no Blending Tool e o efeito será mais soft.

7. Ou aplicamos o Blending Solution directamente no papel, passando de imediato o Blending tool. Mas cuidado com este método, pois se exagerarem poderão tirar a cor toda que já aplicaram.

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 35

9. Depois é só colar o papel sobre

Podem visitar o nosso canal no

o qual trabalhamos numa tag, e

Youtube para verem o vídeo/

escrever na parte de traz o nome

tutorial que mostra esta técnica.

da técnica e o processo usado. http://www.youtube.com/watch?v=GOZXDNHamR0

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 36

SCRAPBOOKING ALTERNATIVO ALMBUM EM TECIDO Isabel Rocha faz um álbum em tecido! Vejam que bonito e inspirem-se!

Depois de ler «Beijinho...Beijinho» de Selma Mondine achei que estes restinhos de tecido davam para fazer um mimi com os mesmo titulo, foi só procurar as fotos para ilustrar as páginas e ir em frente.

O material como podem observar é muito pouco, umas linhas mais uns bocadinhos de tecido, uns botões e deixar fluir a diversão.

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 37

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 38

SCRAPBOOKING DIGITAL Mónica Moreira, elabora um passo-a-passo de um layout digital. Divirtam-se!

Cá estamos para mais uma edição

que ter um programa

da nossa Magazine e nova rubrica

de edição de ima-

de Scrap Digital.

gem, no meu caso estou a usar o

Vamos construir um LO baseado neste sketch:

Photoshop. Começamos por abrir nova tela de trabalho, com 12” X 12” em fundo transparente. É altura de escolher o vosso background, no meu caso optei por este abaixo.

Que tal? Como mencionei na edição prévia, para trabalhar scrap digital temos

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 39

E tal como adoro distress no scrap artesanal, adoro usar sempre no digital também. Por isso optei por inserir também um overlay de distress a toda a volta da página e ficou assim: Seguindo então a ordem do sketch, vamos agora brincar com os elementos decorativos. Um photo mat, a foto escolhida e começamos a ter o LO composto.

E pronto, alguns elementos mais tarde, umas flores, borboletas e doilies, temos o Lo pronto. Optei por não adicionar titulo, não costumo dar titulo aos meus LO’s. Espero que gostem e experimentem.

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 40

ANALISES DE UM PRODUTO COLAS—QUAL A MELHOR A Marisa Figueiredo foi experimentar colas para nos dizer qual é a melhor! É talvez a coisa

Cola liquida UHU Youg Creativ

mais importante

Arts and Crafts

num trabalho de

Quem disse que esta cola

Scrapbooking, e uma que estamos

era para

sempre à procura de melhores e

papeis definiti-

que dêm melhores resultados.

vamente não

As colas são muitas e nem todas

estava a falar

servem para esta arte. Muitas

dos nossos

vezes aprendemos com a nossa

papeis lindos

experiencia e cada scrapper acaba por ter a sua preferencia. Mas há scrappers a iniciar nesta arte que

de scrap. Como muitas scrappers a iniciar nesta arte, esta foi uma das primeiras colas que comprei para usar, porque diz mesmo na emba-

ainda tem muitas duvidas no tipo

lagem “Arts and Crafts Glue”. Arre-

de cola a usar e onde podem usar.

pendi-me logo, claro, pois logo na

Este artigo é unicamente na minha experiencia com as colas e o conhecimento que tenho sobre

primeira utilização ela engelhou-me o papel e encarquilhou mesmo o papel de boa gramagem! Olhei mais uma vez para a descrição do

elas.

produto e fiquei confusa como

Primeiro vou começar com uma

aquilo dizia: “ideal para papel, car-

cola “NÃO”, ou seja não utilizem esta cola porque vão danificar o vosso trabalho!

tão, materiais naturais, feltro, tecidos, penas, pérolas, madeira e muito mais”. Não sei se era das minhas perolas , mas também não as colava! Portanto, lamento dizer, mas este é um grande NÃO para os

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 41

nossos papeis, embelishments e afins...

Posso dizer que é a cola que

Cola Branca

mais gasto,

Com esta cola, também não tive

compro sempre

uma feliz experiencia. Ouvi num pro-

em tubos de

grama da Praça de Alegria, onde

125ml que são

esteve lá alguém (não me recordo

as maiores. Cola tudo e mais alguma

qual era a loja) a mostrar vários pro- coisa, desde o papel até os meus jectos, etc.

embelishments. Não engelha o papel

Mencionaram

e seca bastante rápido.

que utiliza-

A única senão desta cola, é que ela,

vam cola

por mal dos nossos pecados, não é

branca para

acid free. Se esta cola fosse acid

os projectos.

free, então tínhamos aqui a

E eu com a

“Cola Perfeita”!

minha curiosidade e viagem de encontrar aquela

Tacky Glue

cola perfeita, fui procura a tal “Cola

Esta é a cola branca que achei que

Branca”. Encontrei e até fiquei con-

gosto muito de usar. Esta é bastante

tente, pois o preço era mais barato.

espessa, por isso não engelha o

Mas quando fui experimentar, fiquei

papel. É uma cola que até cola bas-

logo desiludida, pois engelhou-me o

tante bem, por isso não precisam de

papel!

utilizar uma doze exagerada. Um fio

Mais tarde descobri que há varias

de cola é o suficiente para colar bem

espessuras de cola branca, a que eu o papel - eu gosto de fazer um quatinha comprado era bastante liquida

drado com um X no centro, e chega

e suponho que a mais expressa

muito bem para colar o papel. E é

seria mais ideal para o nosso papel. Acid Free! Mais tarde ainda, descobri que a cola UHU que falo em cima é cola branca! Felizmente encontrei uma cola branca que gosto muito de usar, mas vou falar dela mais abaixo. Cola UHU Universal Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 42

Esta cola é vendida em frascos de

com o meu alfinete.

3 tamanhos, 60ml, 120ml, 240ml.

Por isso, cheguei à conclusão que

Eu quando comprei a primeira,

se o pequeno entupia com regulari-

comprei o de 60ml, não queria

dade os outros também iam entu-

comprar a maior para não correr o

pir com a mesma regularidade. E

risco de detestar a cola e depois ter

quanto maior é a bisnaga mais

que a por de lado e não usar mais.

bolinhas de colas íamos ter que

Mas rapidamente percebi que ado-

desentupir. Não sei se é impressão

rei a cola. Ao mesmo tempo, aper-

minha, mas acho que se tivesse a

cebi que nunca iria comprar a bis-

bisnaga de 240ml chegava a meio

naga de 240ml. A bisnaga vem

da embalagem e eram só bolinhas

com uma ponta fininha, optimo

a obstruir o bico! Não me estava a

para colar até aos cantos, para

ver com paciência para aquilo. Com

colar aquele embellishments mais

o meu segundo frasco tentava

pequenos e perfeito para os poc-

repor a tampa o mais rápido possí-

kets (bolsas) que criamos. Mas há

vel para evitar o bico entupido e

um perigo na junção deste bico e a

posso dizer que não entupia tanto.

cola ser bastante espessa, o bico rapidamente ficava entupida. Que me obrigava a desentupir com um alfinete. O que me apercebi, era que quando a cola chegava ao fim, tinha muitas bolinhas de cola seca que entupiam o bico. Estas bolinhas eram aquelas que eu mandava para dentro do frasco

Outra desvantagem com as bisnagas maiores é que, por a cola ser espessa, temos que apertar muito bem a embalagem. Se eu estou a trabalhar mais de uma hora com a pequena os meus dedos e pulsos começam a doer com a força que estou a fazer para tirar cola. Já vi uma pobre aluna com o frasco de 240ml e tinha que apertar com as duas mãos! São estas as colas líquidas, estas são as que tenho mais experiencia.

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 43

Mas há muito mais colas por ai, é

estes trabalhos pesados? Basta fazer

uma questão de encontrar aquela

o seguinte teste: 1) colar a fita cola

que está mais confortável e que te

numa superfície de cartolina ou

dê bons resultados para ti.

papel grosso; 2) espalmar bem a fita

Fita Cola Dupla Face Mas não trabalho só com colas liquidas, uso muito a fita cola dupla face.

cola antes de retirar a pelicula; 3) colar outro papel ou cartolina por cima e espalmar bem novamente; 4) tentar separar os papeis. Se usares muita força vais conseguir separar os papeis, mas os papeis ou separam-se sem se danificar (aqui a cola não presta), ou o papel rasga-se completamente e até fica colada na

Existem muitas marcas no mercados, mas mais uma vez nem todas são acid free. Mas para que serve a fita cola dupla face se já temos as colas liquidas para colar o papel? Será que é mesmo necessário? É uma cola que demora a colocar, precisamos de umas boas horas de pratica para colocar a fita direitinha. Então porque insistimos nela? A fita cola dupla face é óptima para os trabalhos pesados, tipo colar car-

mesma quando olhamos para a fita cola (esta é boa!). Como ela é uma cola que não seca, é óptimo para expormos o nosso trabalho ao calor, como por exemplo uma loja que quer expor algum trabalho numa vitrine e onde o sol vai la bater. (O problema de usarem as colas liquidas num projecto que vai estar exposto ao calor do sol é que a cola vai estalar e ai deixa de colar, seja o papel ou o embellishment).

tolina em chipboard para fazer uma capa; ou colar as dobradiças entre as paginas para aguentarem com o peso das mesmas. Mas como sabemos que é uma fita cola boa para Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 44

Cola em Spray

com devem imaginar, atinge toda a Eu conheço

área do papel, bem como a área à

a cola spray

volta do papel, caindo cola por

da UHU,

tudo que é superfície. Então para

mas confes-

resolver este problema arranjei

so que não a

uma caixa grande para caber as

uso muito. É uma cola optima para cobrir TODA a superfície, eu que detesto ter os cantos levantados, com esta cola não tenho esse problema. Mas tive problemas em acertar com a doze, pois ela não estava a cola nada. 1º pulverizei só

folhas de 30x30cm (tal caixa que

uma superfície, e notei que passa-

não foi nada fácil de encontrar).

do alguns dia ela começava a des-

Mas mesmo dentro da caixa a

colar. 2º pulverizei uma doze exa-

nuvem levanta-se e cai em áreas

gerada, mas mesmo assim, desco-

que não são caixa, não é tanto,

lou-se passado uns dias. 3º pulve-

mas ainda é alguma coisa. E como

rizei nas 2 superfícies e desta vez

o meu scraproom é em parquê não

parece que ainda hoje ainda não se

quero estragar a madeira com cola!

descolou. Então se encontrei a solução para ela, porque é que eu não a uso muito? Para aplicar a cola tens que estar com uma distancia do papel de cerca 30cm. O spray faz uma nuvem por cima do papel e é essa nuvem que é a cola. Esta nuvem,

Glossy Accents Não pude deixar de falar deste maravilhoso produto. Por muito que me custa (e as pessoas que me conhecem, sabem o quanto me custa dizer isto), tenho que admitir que o Glossy Accents é a cola mais

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 45

aconselho utilizarem o Glossy Accents só naqueles projectos onde querem colar algum embellishment e querem ter a certeza que ele nunca vai cair ou descolar-se! Depois numa próxima edição eu falo das outras maravilhas deste produto.

fiável no que respeita a colar um embellisment e saber que dali não sai! Então se cola tão bem porque me custa tanto dizer que este produto é uma cola? Porque pelo preço dela fica-nos muito, muito caro utiliza-la como cola. Até podemos estar habituadas a ver as americanas a usar o Glossy Accents nos seus vídeos no Youtube, e com frequência! Mas a verdade é que enquanto elas conseguem comprar este produto a 2-3$, nós compramos a cerca de 6,50€, mais que o dobro do preço! Por isso

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 46

ENTERVISTA A UMA MARCA WONDERPAPERS

O mundo Scrapbooking em Portugal foi surpreendido por um novidade fantástica! Nasceu o primeiro papel de Scrapbooking Português—Wonderpapers! O Paper Scrappersnão podia deixar de entrevistar um dos sócios da Wonderpapers, a Sofia Gaspar. (SG)

PS: Quando, como e onde nasceu

nos apoia também o fez com o

o WonderPapers?

maior dos entusiasmos.

SG: Nasceu de um hobby meu e da vontade de ter produtos nacionais. E por que não começar pelos papéis? Depois evoluir para outros produtos. O mercado nacional está cheio de produtos estrangeiros e, infelizmente, seguimos as tendências dos outros sem experimentar

PS: Como foi a aderência das Scrappers Portuguesas às vossas primeiras colecções? SG: Gostaram, acharam diferente, mas preferem padrões. Não tivemos adesão da sua parte.

nada de novo. PS: Quando sai as próximas colecPS: Foi fácil criar uma empresa dedicada a papeis para o Scrapboo-

ções? Podem nos dar um sneak peak das novas colecções que vêm ai?

king em Portugal SG: Foi fácil criar, até porque os designers aderiram entusiasticamente à ideia. Acharam muito interessante o projecto. A gráfica que

SG: A próxima colecção já vai para produção. É da Julieta Franco e da Joana Franco do «Era uma vez um sonho». Está fantástica! Tem

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 47

padrões para Layout, mas também tem padrões com riscas, bolinhas e quadrados. É uma explosão de cor.

nal e até mundial. Gostaríamos de lançar a trend portuguesa. Que as scrappers nos ajudassem a fazer isso mesmo: revolu-

PS: O Wonderpapers tenciona seguir os “trends” do mundo do Scrapboo-

cionar e criar algo que ainda não exista.

king ou vai criar o seu proprio estilo? SG: Tenciona seguir o seu próprio estilo, mas está sempre aberta a sugestões. O que seria interessante era criar a trend, não segui-la.

PS: O Wonderpapers pensa em alargar a sua gama de produtos para além dos Papeis (e dos stickers)? SG: Sim tencionamos. Num futuro próximo fazer carimbos, fitas com padrões de designers portugueses, botões e outros produtos.

PS: Para finalizar, gostariam adicionar algum comentário a esta entrevista? SG: Adoraríamos que os portugueses aderissem mais ao Scrapbooking e que a Wonderpapers fosse uma lufada de ar fresco no panorama nacioPaper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 48

E para completar esta entrevista visitamos a Wonderpapers no FIA (Feira Internacional de Artesanato em Lisboa. Deixamos aqui algumas fotos!

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—Š


Pag. 49

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 50

IDEIAS DE PROJECTOS LAYOUT ADVENTURES A Designer Margarida Teixeira fala de como criou o Layout “Adventures” para vos inspirar!

Para qualquer Lo é necessário uma

da My Mind’s Eye da colecção Lost

boa inspiração. No meu caso é

and Found 2. Já o papel em si é lin-

sempre a fotografia em primeiro

díssimo e trabalhado logo a neces-

lugar, tudo o resto vem para a complementar. Neste trabalho é uma miscelânea de tons, embe-

lishments, marcas e técnicas. Usei como base de trabalho papéis

sidade de preencher o fundo foi quase nula.

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 51

Neste fundo foi apenas utilizado

A destacar também neste trabalho

glimmer mist preto e carimbo de

a Tissue Tape do Tim Holtz em

bolinhas (caseiro) em tons de cas-

pequenos apontamentos e o Film

tanho da marca VersaCraft (154

Strip Ribbon também do Tim.

chocolate).

Como podem ver, não devemos nos

Com sobreposição de papéis de

limitar apenas a uma colecção de

vários tamanhos, usei o distresser nas bordas e se seguida cor preta por cima para realçar e unificar o trabalho, como podem ver na figura abaixo em pormenor.

uma marca para um trabalho, pois este fica mais rico quando dispomos de um leque maior de variedade quando se trata de scrap. Espero que gostem e que vos inspire para futuros trabalhos. Para a composição do Lo utilizei vários tipos de materiais, como as

Be Happy*

flores da Prima Flowers – Nature Garden – Essentials Petals com brads da My Mind’s Eyes da colecção Stela and Rose, letras é da pinkpaislee (cushies*lemon) e o clip é da Basicgrey . Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 52

IDEIAS DE PROJECTO POSTAL “CONGRATULATION”

A Designer Dulce Codinha, dá

dicas de como construir

um postal de parabéns!

Cromwell”de 21cm/7cm passe a almofada de tinta e cole na cartolina mais ou menos a meio 4.

Corte outro rectângulo de 13cm/6cm de papel decorativo da colecção “Lucy Cromwell” passe a almofada de tinta em volta e cole como mostra a imagem

5.

Corte uma tira de fita de organza na cor vermelha de forma a dar a volta ao cartão e

1.

Usa o Sketch que encontras nesta páginas como guia de decoração-

2.

3.

poder dar um laço 6.

Corte um quadrado de cartolina dourada com mais 2mm que o

Passe a almofada de tinta em

pré cortado da colecção “Lucy

volta de uma cartolinaA5 e

Cromwell” que escolheu e faça

dobre-a ao meio

o 3D com as almofadas autoco-

Corte um rectângulo de papel

lantes 3D

decorativo da colecção “Lucy

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 53

7. Com pequenos pré cortados fiz o resto da decoração, cortei algumas flores com um furador e a cartolina dourada e apliquei-lhes meias perolas castanhas 8. Apliquei um sentimento que da o nome ao cartão “Congratulations”

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 54

DESAFIOS DO DESIGN TEAM DO PS Inspirem-se nestas páginas com os trabalhos maravilhosos que o Design Team do Paper Scrappers criou exclusivamente para os seus membros! O Design Team decidiu dedicar o mês de Julho à Natureza. E como este mês, a Lembranças Soltas, o nosso patrocinador nos deu materiais do Tim Holtz e Rangers, a natureza ficou com um estilo mais "grunge".

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 55

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 56

OS 5 PROJECTOS DESTACADOS JULHO/2012 O Paper Scrappers , tem neste momento cerca de 2300 fotos de trabalhos lindíssimos que os seus membros partilharam. Como forma de agradecimento por esta partilhar resolvemos destacar todas as quinzenas 5 fotos. Nesta páginas podes ver os projectos maravilhosos que estão em destaques Letra M em madeira by Vânia Guedes

Mini Album em Canvas by Joelma Pizarro

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 57

Postal Tri-Shutter by Marina Ribeiro

Layout “Tesouros” by Dulce Silva

Layout by Mónica Moreira

Para ver mais trabalhos e te inspirares visita o Paper Scrappers!

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 58

NOVIDADES PAPER SCRAPPERS

O Paper Scrappers fez no passado dia 01 de Julho 6 meses de existência! E graças aos seus maravilhosos membros estamos de parabéns! Por isso agradecemos a todos os membros pela sua vontade e disponibilidade com que participam no PS. Queremos por isso destacar os TOP 5 Membros nas seguintes categorias: Projectos, Tópicos e Eventos. Ou seja os membros que mais participaram em cada uma destas categorias. CATEGORIA PROJECTOS:

CATEGORIA EVENTOS:

Marta Touguio c/ 161

Ana Craft c/32

Mónica Moreira c/ 95

Ana Isabel de Olim c/21

Flor de Avilho c/ 88

Débora Ribeiro c/21

Maria Lua c/ 84

Joelma Pizarro c/19

Ana Craft c/84

Marta Soares c/ 19 Margarida Teixeira c/19

CATEGORIA TÓPICOS: Isabel Rocha c/113

Parabéns a todos os membros e

Carina Almeida c/107 Ana Isabel de Olim c/106 Mónica Moreira c/106

especialmente aos nossos TOP5 que pela sua participação tornam o Paper Scrappers um rede social dinâmica e apetecível!

Maria da Lua c/90

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 59

Um dos objectivos do Paper Scrappers é para além de vos trazer muita inspiração e dar a conhecer o Scrapbooking em Portugal, ajudar os seus membros em tudo que for necessário para que possam fazer bonitos trabalhos em Scrapbooking. Por isso fizemos um acordo com a DO ART, empresa de representação em Portugal de produtos de Scrapbooking. Este acordo é um desconto a todos os membros do Paper Scrappers em algumas lojas Portuguesas que vendem material de Scrapbooking. As lojas que estão neste momento neste acordo são: 

ARTE 7—Senhora da Hora

ARTINA—Atalaia

Para terem acesso a estes

DUDA DECOR—Aveiro

descontos tem que se

CRIATIVIDADE ILIMITADA—

registar no Paper Scrappers

Marinha Grande 

FLOR DE AVILHÓ—Custóias

100% ALGODÃO— S. João

e imprimir os vouchers que estarão no “Tab LOJAS”

Madeira 

MÃE D’AGUA—Benfica

O MONTE ARTES DECORATIVAS—QUELUZ

O Paper Scrappers tem também um acordo com a Loja Lembranças Soltas, a qual também dá um desconto aos membros do Paper Scrappers.

Esperamos que estes acordos sejam do vosso aguardo e vós incentive a comprar cada vez mais em Portugal!

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 60

A Do ART partilhou com o Paper Scrappers este Sketch! E nas páginas seguintes folhas de Scrapbooking digitais. Usem e Abusem!

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 61

Vista o Paper Scrappers para fazeres o download desta colecção de papel digital Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 62

SCRAPBOOKING UMA DEFINIÇÃO

Nidia Ponte, conta a história do Scrapbooking e faz a sua definição! Antes de fazer uma defi-

poemas e gravuras, contem tam-

nição do que é o Scrapbooking, vou

bém conselhos de como colecionar

fazer uma pequena introdução his-

“scraps” (retalhos) e o que fazer

tórica para que depois possam

com eles.

entender melhor o que é o Scrapbook.

Mas só depois da invenção da máquina fotográfica é que o Scrap-

A primeira referência conhecida

book passou a usar fotografias. Até

que é feita ao Scrapbook data dos

então o Scrapbook era apena um

finais do século XV onde emergem

livro que continham recortes de

os livros chamados “lugares

jornais, ou outros documentos que

comuns” populares em Inglaterra e

contassem a história que o autor

serviam para compilar informação

do Scrapbook queria contar.

que incluía receitas, citações, car-

Vejam esta duas

tas, poemas e muito mais.

imagens de um livro escrito por Elbert

Mas foi em 1823 que o primeiro

Hubbard’s, o qual ele

livro chamado “The Scrapbook” foi publicado. Abrangia ideias de como usar fotografias e recortes de jornais para preencher livros em branco. E em 1826, o conhecido John Poole lança o livro

chama de Scrap Book, mas que não é

“Manuscript Gleaning and Literary

mais do que

Scrap Book” Neste livro cheio de

um livro!

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 63

Foi por volta de 1980 que o Scrap-

ções e tem também como objectivo

booking aparece de uma forma

secundário exercitar a criatividade

diferente, ou seja, o Scrapbook

enquanto dispõe essa memórias

passa não ser apenas um registo

num Scrapbook.

das memórias e histórias como também passa a incluir com muito mais frequência fotografias para contar essas histórias.

Contudo quando falamos em preencher “livros em branco” , o Scrapbooking não fica limitado aos tradicionais livros chamados

Marielen Christens foi a impulsio-

“Diários”. Esses livros podem ser

nadora do ressurgir e da renovação

álbuns, quadros, molduras, etc.

do Scrapbook. Ela na Conferencia

Desde que representem um registo

Mundial de Registro, em Utah

de uma memória, que inclua uma

(EUA) mostrou 50 volumes (livros)

foto ou uma história é Scrapboo-

que continham as memorias da sua

king.

família, criando um grande alarido, tanto que ela abriu a primeira loja de scrapbooking—”Keeping Memories Alive”. Esta loja já não existe com este nome, mas sim com um nome muito mais conhecido—SCRAPBOOK.COM—o site de internet mais conhecido no mundo de Scrapbooking o qual tem uma loja online.

Em Portugal existe uma grande confusão em dizer que o Scrapooking é “Arte com Papel”. Mas ao leres este artigo, a sua história e definição, chegam a conclusão que o Scrapbooking é muito mias do que isso. O Scrapbooking é a arte do registo de memórias, que pode usar ou não papel. Como exemplo de Scrapbooking em que não se usa papel o Digital e Mix Media. Assim o Scrapbooking na forma

O que é então o Scrapbooking? Nos dias de hoje podemos definir o Scrapbooking como a arte de preencher livros em branco com fotos, memorias, registos “journaling” e enfeites. O objectivo principal do Scrapbooking é preser-

como ele é feito temos ele dividese em 4 grandes áreas: 

Scrapbooking Tradicional, ou Scrapooking—no usa papel , cartolina ou chipboard para a construção de álbuns, layousts, molduras, etc.

var memorias para futuras geraPaper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 64 

Scrapbook Digital, no qual se usa um computador e programas de imagem para se criar álbuns e layouts digitais.

Scrapbook Mix Média, utilizam vários materiais, que podem incluir papel, cartolina e chipboard ou não para a construção dos álbuns ou layouts.

Scrapbook Alternativo onde o artista recorrer ao seu meio ambiente para criar e dispor a

idia Ponte N y b n u F l a Post ATC Br o wn b y Nidia Ponte

historia das suas memórias. Em conclusão, fazer um postal, um cartão, uma caixa, embelezar ou alterar um objecto de madeira, etc não é Scrapbooking. Exemplos do que não é Scrapbook:

Nidia Caixa Mala by

feitado Frasco en

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©

by Nidia


Pag. 65

No entanto se eu um livro de receitas ou então uma caixa explosão (onde se colocam fotos), ou uma moldura de parede, os quais contem memorias, seja escritas (receitas) e/ou fotográficas, estou

Diário

a fazer Scrapbooking. Vejam estes exemplos de Scrapbooking:

Porém se fizer um relógio onde coloco dentro um mini-album, estou então a misturar o Home Decor com o Scrapbooking, sendo que o relógio é o Home Decor. Relógio feito por Kathy, dentro do qual tem um Mini-Album

Layout

Livro Receitas

Por último, fazer Tags, flores, e outro tipo de embelishments não é

Mini-Album

fazer Scrapbooking. Espero que este artigo tenha a sua utilidade que é esclarecer o que é o

Scrapbooking—A arte de preMoldura de Parede

servar memórias para futuras gerações!

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 66

Workshops e Crops

Visita as nossas páginas do Ustream ou no Youtube e vê como fazemos miniálbuns, e como usamos várias técnicas! http://www.ustream.tv/channel/paperscrappers http://www.youtube.com/user/ThePaperScrappers?feature=mhee

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 67

Layout

Descobre a solução para estas palavras cruzadas no Paper Scrappers!

Paper Scrappers Magazine - Julho 2012

—©


Pag. 68

http://paperscrappers.ning.com/ http://www.youtube.com/user/ThePaperScrappers http://www.facebook.com/paperscrappers.scrappers http://www.ustream.tv/channel/paperscrappers Paper Scrappers Magazine - Julho 2012 — Š


Scrapbooking - Magazine Paper Scrappers