Page 1

Inaugurada Escola Formare Em março, teve início uma das mais importantes iniciativas apoiadas pelo Instituto International Paper: a Escola Formare. No primeiro dia de aula, os 20 estudantes selecionados puderam conhecer seus novos professores (todos profissionais voluntários da IP) e se reuniram com executivos da companhia, inclusive com o presidente da IP para a América Latina, Jean-Michel Ribieras. Além de oferecer qualificação profissional a jovens de baixa renda, o projeto os ajuda a ingressar no mercado de trabalho. Durante dez meses, os alunos receberão noções de medição e desenho mecânico, organização industrial e comercial, inglês, meio ambiente e processo industrial de papel e celulose, finanças, ética e noções de cidadania. Presidente da IP para a América Latina, Jean-Michel Ribieras, no centro, ao lado dos alunos da Escola Formare e profissionais voluntários da IP No final do curso, vão receber um certificado de iniciação profissional reconhecido pelo MEC (Ministério da Educação) e poderão atuar formalmente como assistentes de operações industriais. “Estou realmente muito feliz e realizado por ter trazido a Escola Formare para a IP”, disse Ricardo C. Zangirolami, diretor Jurídico e de Assuntos Corporativos da companhia. “Não somente por se tratar de um projeto vencedor, mas, principalmente, porque reflete nossa crença de que a educação - não somente a formal, mas também aquela que engloba reflexões quanto aos valores morais e éticos - é a mola propulsora para a evolução de nosso País.”

IP está no topo da revista Fortune pela 8ª vez A International Paper é a companhia norte-americana mais admirada do setor de papel e produtos florestais, de acordo com pesquisa realizada pela Fortune. É a 8ª vez que a empresa lidera o ranking. O estudo avaliou oito aspectos: inovação, gestão de pessoas, emprego dos ativos corporativos, responsabilidade social, nível da gerência, situação financeira, valor de investimento no longo prazo e qualidade de produtos e serviços.

Chega o 4° episódio dos Guardiões da Biosfera No dia 26 de março, a IP reuniu clientes, colaboradores da companhia, profissionais das áreas de Educação e Cultura, jornalistas e alunos da Escola Estadual Marechal Floriano, de São Paulo, para o lançamento do 4º episódio da série Guardiões da Biosfera. O evento foi realizado no MAM (Museu de Arte Moderna), na capital paulista. O vídeo de animação tem como tema a Caatinga brasileira e, assim como os demais filmes do projeto, foi criado com o objetivo de levar conhecimento sobre a fauna e flora brasileiras a crianças de 1ª a 4ª séries do ensino fundamental. Cerca de 40 mil escolas de todo o País já receberam kits com o novo episódio e os anteriores, acompanhados de um almanaque didático de apoio aos professores. Alunos fazendo ilustração sobre o bioma Caatinga

Convidados durante café da manhã, no MAM

Crianças com o Chamequinho e personagens dos Guardiões

Na próxima edição: Como o torcedor brasileiro se prepara para a Copa

ABRIL 2010 A consultoria francesa Carbone 4 (www.carbone4.com) fez a análise da pegada de carbono do e-book e do livro impresso e concluiu que, a não ser que você leia mais de 80 livros por ano, o livro de papel é mais sustentável. Para chegar a essa conclusão, o estudo levou em consideração todos os materiais utilizados na construção do livro eletrônico (chips, tela, bateria, etc.), o transporte dos equipamentos, a entrega às lojas, a eletricidade consumida para a sua utilização (carregamento das baterias, os servidores onde os livros são armazenados) e para sua reciclagem no final da vida útil do equipamento, estimada em três anos.

Pense nisso

esta é uma publicação mensal da • Diretoria Jurídica e de Assuntos Corporativos Ricardo C. ZANGIROLAMI • Direção do projeto Alessandra Fonseca Gerente de Comunicação e Marketing Institucional alessandra.fonseca@ipaperbr.com • Coordenação do Projeto Anderson Passos Comunicação • Criação e produção Agência ideal • Direção de arte e Projeto Gráfico TOM Comunicação • Coordenação Editorial Marina Rodriguez • Revisão Ricardo Cesar e Ana Clara Gaspar • Impressão OGRA • colaboraram nesta edição Fundação Espaço Eco e Irineu Tamaio Coordenador do Programa Educação para Sociedades Sustentáveis da WWF Brasil • Jornalista responsável Ricardo Cesar – MTB 33669 Sugestões e CorrespondênciaS Avenida Paulista, nº 37, 14° andar – CEP 01311-000. Paper foi impressa em papel CHAMBRIL 240G/M² da International Paper, com faca especial e pantone 375 U.

Esta publicação foi impressa em papel certificado pelo programa brasileiro de certificação florestal

24 24

consumo consciente. sua escolha faz a diferença.


Jogo do consumo consciente As notícias divulgadas diariamente pela mídia não deixam dúvida: o homem causa impactos sobre a natureza, e as mudanças em prol de hábitos que não prejudiquem o meio ambiente já não são mais necessárias, mas sim, urgentes. Se continuarmos com os mesmos padrões de consumo, em menos de 50 anos serão necessários dois planetas Terra para atender às necessidades básicas dos seres humanos. Nesse cenário, cada um tem sua parcela de responsabilidade, já que, quando somadas, as ações praticadas individualmente podem ser a chave para uma grande mudança coletiva em favor do planeta Terra.

Água

Hábitos de compra

De acordo com o Instituto Akatu, um banho de ducha de dez minutos consome cerca de 160 litros de água. Se cada indivíduo fechar o chuveiro ao se ensaboar ou lavar os cabelos, esse tempo pode ser diminuído e cerca de 30 mil litros de água podem ser economizados a cada ano. Outra grande fonte de desperdício de água são os vazamentos e torneiras mal reguladas: uma torneira pingando pouco mais de uma gota por segundo pode desperdiçar até 46 litros de água em apenas um dia, o que equivale a 16 mil litros de água em um ano. Uma cidade como São Luís do Maranhão poderia ser abastecida por um dia inteiro caso dez mil famílias evitassem deixar as torneiras de suas casas pingando durante 12 meses.

Para serem transportados e armazenados, os alimentos congelados precisam de mais energia, o que, consequentemente, aumenta o uso de combustíveis fósseis e a emissão de gases causadores do efeito estufa. Também é importante ficar atento aos selos e certificações dos produtos, eles são fundamentais para a decisão de compra e atestam a qualidade e origem dos produtos e serviços. Para tanto, é necessário procurar informações sobre a procedência dos alimentos em seus rótulos ou junto aos fabricantes. “Incentivamos o consumo de produtos fabricados de maneira ecoeficiente, que contemplem a sustentabilidade em seus métodos produtivos”, afirma Irineu Tamaio, coordenador do Programa Educação para Sociedades Sustentáveis da WWF Brasil (órgão brasileiro do World Wide Fund For Nature). Em muitos rótulos, há selos sociais que atestam o contexto em que o produto foi fabricado e comprovam que foram respeitados princípios éticos e direitos humanos, como não usar mão de obra escrava e nem infantil. Um desses selos é o Abrinq, concedido pelo programa Empresa Amiga da Criança, que indica que a companhia obedece a uma lista com regras que beneficiam crianças e adolescentes. Há ainda selos que atestam a sustentabilidade e a qualidade dos produtos, concedidos por entidades formadas pela sociedade civil ou órgãos governamentais, como: Inmetro, que indica que o produto está de acordo com as normas que garantem a sua qualidade, o Cerflor (certificação florestal gerenciada pelo Inmetro) e o FSC (Forest Stewardship Council, ou Conselho de Manejo Florestal), que comprovam que a madeira usada no produto foi obtida de forma ecologicamente adequada e socialmente justa. Outra dica é evitar comprar produtos com muita embalagem.

Reciclagem e descarte de materiais Devemos ter cuidado não só ao comprar e consumir, mas também ao descartar produtos e embalagens. As pilhas, por exemplo, contêm metais pesados altamente tóxicos para os seres humanos e para o meio ambiente, por isso devem sempre ser descartadas em locais adequados e nunca junto a outros detritos. Em caso de baterias de celulares, os fabricantes são obrigados por lei a coletá-las; já as pilhas com chumbo, cádmio e óxido de mercúrio devem ser recolhidas pelo comércio e encaminhadas aos fabricantes. Quanto ao lixo, a forma mais simples de prepará-lo para reciclagem é separando o lixo úmido, ou orgânico - composto por restos de alimentos e folhas - do seco, que consiste em jornais, papéis e embalagens.

Abaixo, responda sim ou não às perguntas e descubra se seus hábitos de consumo são ambientalmente corretos. Ao final do jogo, some as respostas positivas e veja se você é um consumidor consciente.

Água

Energia Ao economizar energia, além de poupar dinheiro, você ajuda a preservar o meio ambiente: cerca de 20% da energia elétrica brasileira é produzida em termelétricas movidas a combustíveis fósseis, que geram gases causadores do superaquecimento global. Também é importante tirar da tomada aparelhos domésticos que ficam no stand-by e também carregadores de celular que não estão sendo usados. No momento de comprar eletrodomésticos, prefira os produtos com o selo Procel de economia de energia. Conferido pelo Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica, do Ministério de Minas e Energia, o selo indica os produtos que possuem os melhores níveis de eficiência energética dentro de cada categoria.

1. Você toma banho em até dez minutos? 2. Você fecha a torneira do banheiro enquanto escova os dentes ou faz a barba?

Transporte

3. Você dá preferência ao transporte público em vez do automóvel? 4. Quando usa automóvel, abastece com álcool?

Energia

5. Você desliga os aparelhos da tomada quando não estão sendo usados? 6. Você apaga as luzes quando sai de um ambiente?

Hábitos de compra

7. Você evita consumir alimentos congelados? 8. Você lê rótulos e observa a procedência dos produtos antes de comprá-los? 9. Você opta por alimentos ou produtos com menos embalagens?

Reciclagem e descarte de materiais

10. Você descarta as pilhas, baterias e equipamentos eletrônicos em locais apropriados? 11. Você separa o lixo úmido ou orgânico do lixo seco?

Transporte Os automóveis são responsáveis por boa parte da poluição nas cidades, além de contribuírem com a emissão dos gases causadores do superaquecimento global. Usar transporte público é, portanto, uma boa maneira de colaborar para que menos gases nocivos sejam lançados na atmosfera, já que dezenas de pessoas se locomovem por meio do mesmo veículo em vez de usarem cada um o seu próprio automóvel. Para quem não pode deixar o carro em casa, abastecê-lo com álcool é uma das alternativas para torná-lo menos poluente, uma vez que o ciclo de vida do álcool (desde o cultivo da cana-de-açúcar até a geração do gás) é um processo com baixas emissões, pois o plantio da cana compensa a emissão de gás que ocorre na queima dele enquanto combustível. Além desta, outras ações podem ser tomadas: faça sempre a manutenção e regulagem do motor; só use ar-condicionado caso seja realmente necessário; procure não “esticar” as marchas ou acelerar em demasia; mantenha os pneus calibrados; evite arrancadas, que aumentam o consumo de combustível.

Papel Sempre que se fala de produtos reciclados, tem-se a impressão de que estes são as únicas ou melhores alternativas de consumo consciente. No caso do papel, isso nem sempre é verdade: depende do uso que se deseja fazer do produto. A fibra de celulose que dá origem ao papel só pode ser reciclada por um número limitado de vezes, já que vai perdendo as características iniciais. Sendo assim, o papel reciclado é melhor empregado na fabricação de artigos como embalagens ou papéis para enxugar as mãos, por exemplo. Para produtos que exigem alta qualidade - como o papel para imprimir e escrever - a opção mais sustentável é o papel branco fabricado a partir de madeira de florestas renováveis e por meio de métodos produtivos regulamentados por lei e certificados por órgãos competentes. A principal maneira de conhecer a origem do papel é observando a embalagem, que deve conter selos de certificações como o Cerflor - Programa Brasileiro de Certificação Florestal, coordenado pelo Inmetro e reconhecido internacionalmente pelo PEFC (Programme for the Endorsement on Forestry Certification).

Consumo de carne vermelha De acordo com estudo divulgado pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), em dezembro de 2009, gases do efeito estufa emitidos pela atividade da pecuária nas regiões do Cerrado e Amazônia entre 2003 e 2008 chegaram a 1,090 gigatonelada de CO2. Esse número - que representa praticamente metade das emissões de gases do efeito estufa do Brasil - se deve principalmente ao desmatamento dessas regiões para a formação de pastagens.

Ao completar o jogo do consumo consciente, você pode refletir sobre vários comportamentos do seu dia a dia e perceber que pequenas mudanças podem ser positivas para o meio ambiente. O importante é que cada um faça o que está ao seu alcance. Conte o número de respostas “SIM” e descubra seu perfil:

Papel

12. “No que diz respeito à sustentabilidade, há casos em que o papel branco é a melhor opção, e há casos em que o papel reciclado é a alternativa mais adequada. Depende do uso que se deseja fazer do produto.” Você concorda com essa afirmativa? 13. Você compra apenas papéis certificados?

Consumo de carne vermelha

14. Você consome carne vermelha no máximo uma vez por semana?

12

pontos ou mais: consciente

Se você respondeu SIM em mais de doze perguntas, parabéns! Seus hábitos refletem sua preocupação com o planeta. Você assume sua parcela de responsabilidade e age com sabedoria e reflexão, mesmo nos atos mais corriqueiros do cotidiano. Se todos fossem como você, haveria menos problemas com relação ao meio ambiente. Continue assim.

7 11

De a pontos: quase consciente Se você disse SIM em sete a onze respostas, já está no caminho do consumo consciente. Siga em frente! Analise seus hábitos e veja se é possível incorporar novas atitudes ao seu dia a dia.

Até

7 pontos: pouco consciente

Se você respondeu SIM em menos de sete questões, é importante refletir. Ainda há tempo de mudar: leia as orientações correspondentes a cada pergunta e comece já a ajudar a preservar o meio ambiente. As atitudes exercitadas por um consumidor consciente são simples e podem ser colocadas em prática por qualquer pessoa, a qualquer momento. Aos poucos, você chega lá.

CONTEÚDO ELABORADO COM O APOIO DA FUNDAÇÃO ESPAÇO ECO. www.espacoeco.org


Água

Hábitos de compra

De acordo com o Instituto Akatu, um banho de ducha de dez minutos consome cerca de 160 litros de água. Se cada indivíduo fechar o chuveiro ao se ensaboar ou lavar os cabelos, esse tempo pode ser diminuído e cerca de 30 mil litros de água podem ser economizados a cada ano. Outra grande fonte de desperdício de água são os vazamentos e torneiras mal reguladas: uma torneira pingando pouco mais de uma gota por segundo pode desperdiçar até 46 litros de água em apenas um dia, o que equivale a 16 mil litros de água em um ano. Uma cidade como São Luís do Maranhão poderia ser abastecida por um dia inteiro caso dez mil famílias evitassem deixar as torneiras de suas casas pingando durante 12 meses.

Para serem transportados e armazenados, os alimentos congelados precisam de mais energia, o que, consequentemente, aumenta o uso de combustíveis fósseis e a emissão de gases causadores do efeito estufa. Também é importante ficar atento aos selos e certificações dos produtos, eles são fundamentais para a decisão de compra e atestam a qualidade e origem dos produtos e serviços. Para tanto, é necessário procurar informações sobre a procedência dos alimentos em seus rótulos ou junto aos fabricantes. “Incentivamos o consumo de produtos fabricados de maneira ecoeficiente, que contemplem a sustentabilidade em seus métodos produtivos”, afirma Irineu Tamaio, coordenador do Programa Educação para Sociedades Sustentáveis da WWF Brasil (órgão brasileiro do World Wide Fund For Nature). Em muitos rótulos, há selos sociais que atestam o contexto em que o produto foi fabricado e comprovam que foram respeitados princípios éticos e direitos humanos, como não usar mão de obra escrava e nem infantil. Um desses selos é o Abrinq, concedido pelo programa Empresa Amiga da Criança, que indica que a companhia obedece a uma lista com regras que beneficiam crianças e adolescentes. Há ainda selos que atestam a sustentabilidade e a qualidade dos produtos, concedidos por entidades formadas pela sociedade civil ou órgãos governamentais, como: Inmetro, que indica que o produto está de acordo com as normas que garantem a sua qualidade, o Cerflor (certificação florestal gerenciada pelo Inmetro) e o FSC (Forest Stewardship Council, ou Conselho de Manejo Florestal), que comprovam que a madeira usada no produto foi obtida de forma ecologicamente adequada e socialmente justa. Outra dica é evitar comprar produtos com muita embalagem.

Reciclagem e descarte de materiais Devemos ter cuidado não só ao comprar e consumir, mas também ao descartar produtos e embalagens. As pilhas, por exemplo, contêm metais pesados altamente tóxicos para os seres humanos e para o meio ambiente, por isso devem sempre ser descartadas em locais adequados e nunca junto a outros detritos. Em caso de baterias de celulares, os fabricantes são obrigados por lei a coletá-las; já as pilhas com chumbo, cádmio e óxido de mercúrio devem ser recolhidas pelo comércio e encaminhadas aos fabricantes. Quanto ao lixo, a forma mais simples de prepará-lo para reciclagem é separando o lixo úmido, ou orgânico - composto por restos de alimentos e folhas - do seco, que consiste em jornais, papéis e embalagens.

Água

Energia Ao economizar energia, além de poupar dinheiro, você ajuda a preservar o meio ambiente: cerca de 20% da energia elétrica brasileira é produzida em termelétricas movidas a combustíveis fósseis, que geram gases causadores do superaquecimento global. Também é importante tirar da tomada aparelhos domésticos que ficam no stand-by e também carregadores de celular que não estão sendo usados. No momento de comprar eletrodomésticos, prefira os produtos com o selo Procel de economia de energia. Conferido pelo Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica, do Ministério de Minas e Energia, o selo indica os produtos que possuem os melhores níveis de eficiência energética dentro de cada categoria.

1. Você toma banho em até dez minutos? 2. Você fecha a torneira do banheiro enquanto escova os dentes ou faz a barba?

Transporte

3. Você dá preferência ao transporte público em vez do automóvel? 4. Quando usa automóvel, abastece com álcool?

Energia

5. Você desliga os aparelhos da tomada quando não estão sendo usados? 6. Você apaga as luzes quando sai de um ambiente?

Hábitos de compra

7. Você evita consumir alimentos congelados? 8. Você lê rótulos e observa a procedência dos produtos antes de comprá-los? 9. Você opta por alimentos ou produtos com menos embalagens?

Reciclagem e descarte de materiais

10. Você descarta as pilhas, baterias e equipamentos eletrônicos em locais apropriados? 11. Você separa o lixo úmido ou orgânico do lixo seco?

Transporte Os automóveis são responsáveis por boa parte da poluição nas cidades, além de contribuírem com a emissão dos gases causadores do superaquecimento global. Usar transporte público é, portanto, uma boa maneira de colaborar para que menos gases nocivos sejam lançados na atmosfera, já que dezenas de pessoas se locomovem por meio do mesmo veículo em vez de usarem cada um o seu próprio automóvel. Para quem não pode deixar o carro em casa, abastecê-lo com álcool é uma das alternativas para torná-lo menos poluente, uma vez que o ciclo de vida do álcool (desde o cultivo da cana-de-açúcar até a geração do gás) é um processo com baixas emissões, pois o plantio da cana compensa a emissão de gás que ocorre na queima dele enquanto combustível. Além desta, outras ações podem ser tomadas: faça sempre a manutenção e regulagem do motor; só use ar-condicionado caso seja realmente necessário; procure não “esticar” as marchas ou acelerar em demasia; mantenha os pneus calibrados; evite arrancadas, que aumentam o consumo de combustível.

Papel Sempre que se fala de produtos reciclados, tem-se a impressão de que estes são as únicas ou melhores alternativas de consumo consciente. No caso do papel, isso nem sempre é verdade: depende do uso que se deseja fazer do produto. A fibra de celulose que dá origem ao papel só pode ser reciclada por um número limitado de vezes, já que vai perdendo as características iniciais. Sendo assim, o papel reciclado é melhor empregado na fabricação de artigos como embalagens ou papéis para enxugar as mãos, por exemplo. Para produtos que exigem alta qualidade - como o papel para imprimir e escrever - a opção mais sustentável é o papel branco fabricado a partir de madeira de florestas renováveis e por meio de métodos produtivos regulamentados por lei e certificados por órgãos competentes. A principal maneira de conhecer a origem do papel é observando a embalagem, que deve conter selos de certificações como o Cerflor - Programa Brasileiro de Certificação Florestal, coordenado pelo Inmetro e reconhecido internacionalmente pelo PEFC (Programme for the Endorsement on Forestry Certification).

Consumo de carne vermelha De acordo com estudo divulgado pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), em dezembro de 2009, gases do efeito estufa emitidos pela atividade da pecuária nas regiões do Cerrado e Amazônia entre 2003 e 2008 chegaram a 1,090 gigatonelada de CO2. Esse número - que representa praticamente metade das emissões de gases do efeito estufa do Brasil - se deve principalmente ao desmatamento dessas regiões para a formação de pastagens.

Ao completar o jogo do consumo consciente, você pode refletir sobre vários comportamentos do seu dia a dia e perceber que pequenas mudanças podem ser positivas para o meio ambiente. O importante é que cada um faça o que está ao seu alcance. Conte o número de respostas “SIM” e descubra seu perfil:

Papel

12. “No que diz respeito à sustentabilidade, há casos em que o papel branco é a melhor opção, e há casos em que o papel reciclado é a alternativa mais adequada. Depende do uso que se deseja fazer do produto.” Você concorda com essa afirmativa? 13. Você compra apenas papéis certificados?

Consumo de carne vermelha

14. Você consome carne vermelha no máximo uma vez por semana?

12

pontos ou mais: consciente

Se você respondeu SIM em mais de doze perguntas, parabéns! Seus hábitos refletem sua preocupação com o planeta. Você assume sua parcela de responsabilidade e age com sabedoria e reflexão, mesmo nos atos mais corriqueiros do cotidiano. Se todos fossem como você, haveria menos problemas com relação ao meio ambiente. Continue assim.

7 11

De a pontos: quase consciente Se você disse SIM em sete a onze respostas, já está no caminho do consumo consciente. Siga em frente! Analise seus hábitos e veja se é possível incorporar novas atitudes ao seu dia a dia.

Até

7 pontos: pouco consciente

Se você respondeu SIM em menos de sete questões, é importante refletir. Ainda há tempo de mudar: leia as orientações correspondentes a cada pergunta e comece já a ajudar a preservar o meio ambiente. As atitudes exercitadas por um consumidor consciente são simples e podem ser colocadas em prática por qualquer pessoa, a qualquer momento. Aos poucos, você chega lá.

CONTEÚDO ELABORADO COM O APOIO DA FUNDAÇÃO ESPAÇO ECO. www.espacoeco.org

RH00610-paper_abril2010_6.indd 2

3/30/10 2:10:10 PM


Inaugurada Escola Formare Em março, teve início uma das mais importantes iniciativas apoiadas pelo Instituto International Paper: a Escola Formare. No primeiro dia de aula, os 20 estudantes selecionados puderam conhecer seus novos professores (todos profissionais voluntários da IP) e se reuniram com executivos da companhia, inclusive com o presidente da IP para a América Latina, Jean-Michel Ribieras. Além de oferecer qualificação profissional a jovens de baixa renda, o projeto os ajuda a ingressar no mercado de trabalho. Durante dez meses, os alunos receberão noções de medição e desenho mecânico, organização industrial e comercial, inglês, meio ambiente e processo industrial de papel e celulose, finanças, ética e noções de cidadania. Presidente da IP para a América Latina, Jean-Michel Ribieras, no centro, ao lado dos alunos da Escola Formare e profissionais voluntários da IP No final do curso, vão receber um certificado de iniciação profissional reconhecido pelo MEC (Ministério da Educação) e poderão atuar formalmente como assistentes de operações industriais. “Estou realmente muito feliz e realizado por ter trazido a Escola Formare para a IP”, disse Ricardo C. Zangirolami, diretor Jurídico e de Assuntos Corporativos da companhia. “Não somente por se tratar de um projeto vencedor, mas, principalmente, porque reflete nossa crença de que a educação - não somente a formal, mas também aquela que engloba reflexões quanto aos valores morais e éticos - é a mola propulsora para a evolução de nosso País.”

IP está no topo da revista Fortune pela 8ª vez A International Paper é a companhia norte-americana mais admirada do setor de papel e produtos florestais, de acordo com pesquisa realizada pela Fortune. É a 8ª vez que a empresa lidera o ranking. O estudo avaliou oito aspectos: inovação, gestão de pessoas, emprego dos ativos corporativos, responsabilidade social, nível da gerência, situação financeira, valor de investimento no longo prazo e qualidade de produtos e serviços.

Chega o 4° episódio dos Guardiões da Biosfera No dia 26 de março, a IP reuniu clientes, colaboradores da companhia, profissionais das áreas de Educação e Cultura, jornalistas e alunos da Escola Estadual Marechal Floriano, de São Paulo, para o lançamento do 4º episódio da série Guardiões da Biosfera. O evento foi realizado no MAM (Museu de Arte Moderna), na capital paulista. O vídeo de animação tem como tema a Caatinga brasileira e, assim como os demais filmes do projeto, foi criado com o objetivo de levar conhecimento sobre a fauna e flora brasileiras a crianças de 1ª a 4ª séries do ensino fundamental. Cerca de 40 mil escolas de todo o País já receberam kits com o novo episódio e os anteriores, acompanhados de um almanaque didático de apoio aos professores. Alunos fazendo ilustração sobre o bioma Caatinga

Convidados durante café da manhã, no MAM

Crianças com o Chamequinho e personagens dos Guardiões

Na próxima edição: Como o torcedor brasileiro se prepara para a Copa

ABRIL 2010 A consultoria francesa Carbone 4 (www.carbone4.com) fez a análise da pegada de carbono do e-book e do livro impresso e concluiu que, a não ser que você leia mais de 80 livros por ano, o livro de papel é mais sustentável. Para chegar a essa conclusão, o estudo levou em consideração todos os materiais utilizados na construção do livro eletrônico (chips, tela, bateria, etc.), o transporte dos equipamentos, a entrega às lojas, a eletricidade consumida para a sua utilização (carregamento das baterias, os servidores onde os livros são armazenados) e para sua reciclagem no final da vida útil do equipamento, estimada em três anos.

Pense nisso

esta é uma publicação mensal da • Diretoria Jurídica e de Assuntos Corporativos Ricardo C. ZANGIROLAMI • Direção do projeto Alessandra Fonseca Gerente de Comunicação e Marketing Institucional alessandra.fonseca@ipaperbr.com • Coordenação do Projeto Anderson Passos Comunicação • Criação e produção Agência ideal • Direção de arte e Projeto Gráfico TOM Comunicação • Coordenação Editorial Marina Rodriguez • Revisão Ricardo Cesar e Ana Clara Gaspar • Impressão OGRA • colaboraram nesta edição Fundação Espaço Eco e Irineu Tamaio Coordenador do Programa Educação para Sociedades Sustentáveis da WWF Brasil • Jornalista responsável Ricardo Cesar – MTB 33669 Sugestões e CorrespondênciaS Avenida Paulista, nº 37, 14° andar – CEP 01311-000. Paper foi impressa em papel CHAMBRIL 240G/M² da International Paper, com faca especial e pantone 375 U.

Esta publicação foi impressa em papel certificado pelo programa brasileiro de certificação florestal

24 24

consumo consciente. sua escolha faz a diferença.

Paper 24 :: Consumo consciente: sua escolha faz a diferença  

Paper é uma publicação da International Paper do Brasil. A edição 24, de abril de 2010, traz um teste para saber so você é ou não é um consu...

Advertisement