Issuu on Google+

30

Concursos de Redação e Literário: atuação socioambiental e educação para comunidades A mais antiga iniciativa do Projeto Educação

tema “Transformar o Presente para um Futuro

Socioambiental – uma das principais ações do

Sustentável”, e os três primeiros lugares de cada

Instituto International Paper (IIP) – é o Concurso

uma das séries participantes foram premiados

de Redação, que neste ano atinge sua 35ª edição.

com uma quantia aplicada em uma poupança

O Concurso Literário, outra atuação do projeto,

bancária. No Concurso Literário, podem se

completa cinco anos também em 2010. Podem

inscrever professores de todas as disciplinas,

participar do Concurso de Redação alunos do 5º

coordenadores e diretores de escolas de

e 9º anos do Ensino Fundamental e da 3ª série do

educação básica. Eles podem participar com

Ensino Médio de escolas públicas ou particulares

contos, poesias, crônicas e fábulas de sua

de Mogi Guaçu, Mogi Mirim e Estiva Gerbi.

autoria para avaliação.

A Importância das Florestas PlaNtadas

Em 2010, os estudantes escreveram sobre o Criança participa do Concurso de Redação

Companhia tem novo gerente-geral de Vendas para o Mercado Doméstico O engenheiro Ângelo Teixeira Junior assumiu a posição de gerente-geral de Vendas para o Mercado Doméstico da International Paper no Brasil. Em sua nova função, ele será responsável pelo controle e gerenciamento das atividades de Vendas, Assistência Técnica e Serviço ao Cliente. Ângelo também participará do desenvolvimento e implementação das estratégias comerciais da IP para o Mercado Doméstico, e vai atuar para o incremento das vendas e o posicionamento adequado da IP no mercado brasileiro. Ele se reportará diretamente ao diretor comercial Nilson Cardoso. Ângelo é formado em Engenharia Eletrotécnica pela Faculdade de Engenharia de Lins, e possui especialização em Papel pela Universidade Federal de Viçosa. Ingressou na IP em 1986, onde atuou nas áreas de Manutenção, Máquina de Papel e Assistência Técnica. Foi responsável pelo grupo de Assistência Técnica entre 2004 e 2006 e, pelo mesmo período, atuou como gerente regional de Vendas. Em 2007, constituiu o grupo gerencial responsável pelo planejamento e início das operações da fábrica de Três Lagoas, que se tornou referência mundial. Ângelo Teixeira Junior, novo gerente-geral de Vendas para o Mercado Doméstico

Alunos do Projeto Formare iniciam Prática Profissional No dia 23 de setembro, teve início mais uma etapa da Escola Formare: a Prática Profissional, que dá aos alunos a oportunidade de conhecer o ambiente de trabalho de áreas industriais e administrativas. Os próprios estudantes podem escolher os locais que desejam conhecer, sempre com a orientação da coordenação do projeto. A prática acontecerá ao longo dos próximos três meses. Os alunos passarão por três diferentes áreas, e vão permanecer um mês em cada uma delas. Alunos da Escola Formare do Instituto International Paper

Chambril reúne clientes para debater tendências econômicas

IP do Brasil é certificada pelo FSC A companhia acaba de receber a certificação FSC (Forest Stewardship Council - Conselho de Manejo Florestal). Reconhecida como um “selo verde”

Economista Ricardo Amorim em palestra ao evento Chambril

a certificação assegura a clientes e

Em evento realizado em São Paulo, membros do mercado gráfico e clientes da linha de papéis offset Chambril assistiram a uma palestra exclusiva do economista Ricardo Amorim, um dos principais nomes do mercado financeiro, e discutiram o tema “Megatendências da economia mundial e impactos nos seus negócios.” Foram apresentadas perspectivas do cenário econômico nacional e internacional e debatidos fatores que podem influenciar os negócios do mercado gráfico.

oUTUBRO 2010

e presente em mais de 75 países,

• Diretoria Jurídica e de Assuntos Corporativos Ricardo C. Zangirolami • Direção do Projeto Alessandra Fonseca Gerente de Comunicação e Marketing Institucional alessandrafonseca@ipaperbr.com • Criação e Produção Agência Ideal • Direção de Arte e Projeto Gráfico Tom Comunicação • Coordenação Editorial Marina Rodriguez • Redação Camila Gonçalves e Marina Rodriguez • Revisão Ricardo Cesar • Impressão Ogra •C  olaboraram nesta edição Alberto Gasparotto, Coordenador de Fomento Florestal; Armando Santiago, Diretor Global Florestal da International Paper do Brasil; Bracelpa (Associação Brasileira de Celulose e Papel); Celso Foelkel, Especialista em Florestas Plantadas; Cesar Augusto dos Reis, Diretor Executivo da ABRAF (Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas); Robson Oliveira Laprovitera, Gerente de Sistema de Gestão Florestal; Valdemir Brunherotto, Gerente de Silvicultura • Jornalista responsável Ricardo Cesar – MTB 33669 • Sugestões e Correspondências Avenida Paulista, nº 37, 14° andar – CEP 01311-000

esta é uma publicação mensal da

consumidores que a matéria-prima e toda a cadeia de produção da IP seguem padrões internacionais ecologicamente adequados, socialmente justos e economicamente viáveis.

Pense nisso

Para a International Paper, sustentabilidade também é estimular um clima saudável e seguro de trabalho para seus profissionais. Por isso, além das medidas de proteção ao meio ambiente que promove em suas florestas plantadas, a IP tem normas rígidas de segurança para os trabalhadores florestais. De acordo com a atividade desempenhada pelo profissional, são oferecidos equipamentos de proteção individual como protetor solar, chapéu, camisas de manga longa, óculos de proteção e luvas. Afinal, fabricar um produto de forma sustentável não envolve apenas o respeito pela natureza, mas também por todos os profissionais que participam da cadeia produtiva.

Na próxima edição: Mídias sociais Esta publicação foi impressa em papel certificado pelo programa brasileiro de certificação florestal

Paper foi impressa em papel Chambril 240G/M² da International Paper, com verniz localizado e aplique.

Nilson Cardoso, diretor comercial em debate sobre macrotendências do consumo de papel offset


Bom para o

Combate ao

A certificação florestal é um selo que garante que a madeira usada em um determinado produto é originária de processos que respeitam os aspectos ambientais, sociais e econômicos, além de cumprir a legislação vigente. Trata-se de uma maneira de orientar o consumidor para que não compre produtos fabricados de forma prejudicial à natureza ou à sociedade. Os sistemas de certificações são atestados por selos emitidos por órgãos certificadores e periodicamente controlados por meio de auditorias. Em 1993, foi criado o primeiro organismo credenciador de certificadores, o FSC – Forest Stewardship Council, que rapidamente ganhou visibilidade mundial. Outros esquemas de certificação surgiram nos anos seguintes,como o Cerflor (Programa Brasileiro de Certificação Florestal), reconhecido pelo PEFC (Programme for the Endorsement of Forest Certification Schemes). O FSC e o Cerflor são, hoje, os esquemas de certificação florestal válidos no Brasil. No mundo, há ainda o SFI (Sustainable Forestry Initiative), modelo norte-americano que inclui normas para o gerenciamento florestal, também avalizado pelo PEFC; e o Ecolabel, selo europeu cujo objetivo é ajudar os consumidores a identificarem produtos e serviços de alta qualidade e corretos do ponto de vista ambiental. Por meio de selos exibidos em embalagens, as certificações dão informações sobre a origem do produto e atestam que o artigo em questão foi fabricado por meio de processos que atendem aos padrões de sustentabilidade. As certificações, portanto, tem a função de ajudar o consumidor a tomar decisões de compra mais conscientes e sustentáveis.

superaquecimento

global

planeta

“As florestas plantadas para fins industriais no Brasil absorvem 1 bilhão de toneladas de CO2 da atmosfera anualmente.” Bracelpa .

Associação Brasileira de Celulose e Papel

A sociedade convive diariamente com produtos feitos a partir da matéria-prima de florestas plantadas. No entanto, pouco se conhece sobre a sustentabilidade e a contribuição das florestas renováveis para o planeta. Hoje, as florestas plantadas se destacam como um dos recursos mais importantes no combate às causas das mudanças climáticas, por conta de sua alta capacidade de absorver dióxido de carbono. Um dos principais agentes causadores do efeito estufa, o CO2 é também imprescindível para a fotossíntese, processo pelo qual as plantas produzem o próprio alimento. Capturado pelas folhas, o elemento é retirado da atmosfera e armazenado nos troncos, galhos e raízes. A fase em que as árvores mais absorvem o CO2 é durante o crescimento. Portanto, em função do seu caráter renovável, as florestas plantadas tendem a capturar uma quantidade maior de dióxido de carbono do que a vegetação nativa. No Brasil, o período entre o plantio da muda de eucalipto e sua colheita dura em média sete anos. De acordo com a ABRAF (Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas), no decorrer desse tempo um hectare de eucalipto absorve 200 toneladas de CO2. Trata-se de um dos ciclos mais curtos do mundo, fato que torna as florestas renováveis brasileiras ainda mais eficientes no combate ao superaquecimento global. Informações da Bracelpa (Associação Brasileira de Celulose e Papel) indicam que as florestas plantadas para fins industriais no Brasil absorvem 1 bilhão de toneladas de CO2 da atmosfera anualmente. Contribuem para a alta captura de dióxido de carbono os investimentos em

tecnologia de manejo florestal e as condições naturais

locais para o plantio é favorecida em função de

brasileiras, que proporcionam o rápido crescimento das

características como a vegetação rala, a topografia,

florestas plantadas. Outro importante benefício ambiental

o baixo preço dos terrenos e a facilidade de preparação

das plantações de árvores é a preservação da biodiver-

das terras. “O setor brasileiro de florestas plantadas

sidade. Atualmente, segundo dados da Bracelpa, há

não derruba de forma alguma matas naturais ou

agricultura,

2,8 milhões de hectares de mata nativa preservados

ecossistemas frágeis para plantar florestas”, afirma o

a pecuária ou a

pela indústria de papel e celulose. O cultivo em forma

estudioso. Além disso, as florestas plantadas abrigam

própria natureza local.

de mosaico, que intercala florestas renováveis com a

sua própria biodiversidade, na qual convivem variadas

Tal integração permite que o

vegetação natural, forma corredores ecológicos que

espécies já adaptadas a esse ambiente. Celso Foelkel

solo dos terrenos cultivados se

servem tanto para a manutenção e recomposição dos

explica ainda que o planejamento dos mosaicos eco-

mantenha saudável e produtivo. Foelkel

ecossistemas, quanto para a conservação dos meios

florestais também permite que as áreas de proteção

explica que a pesquisa e o monitoramento florestal

de sobrevivência e reprodução de animais silvestres.

aos recursos hídricos sejam preservadas, de forma a

geraram conhecimento capaz de minimizar ou reverter

Em seu artigo “As florestas plantadas de eucaliptos e a

contrabalançar os efeitos das plantações sobre as

impactos sobre as áreas plantadas: “a sustentabilidade

biodiversidade”, Celso Foelkel, especialista e estudioso

microbacias. “A ciência florestal evoluiu muito no Brasil

é uma das prioridades do setor. A saúde dos solos

das florestas renováveis, diz que outra grande vantagem

nas últimas décadas. Transformou-se em implantação

está ligada à capacidade de desenvolvimento e à

desse tipo de cultivo é a recuperação de porções de terra:

de sistemas bem equilibrados e integrados para a

produtividade das florestas plantadas.”

“as áreas plantadas com eucaliptos são, em sua maioria,

produção de madeira e outros bens”, diz. Segundo o

locais degradados por pastagens ou anteriormente

especialista, as florestas plantadas são feitas de forma

usados para a agricultura intensiva.” A escolha desses

a se integrar, e não para substituir a paisagem, a

IP RESPONSÁVEL A International Paper utiliza como matéria-prima apenas florestas plantadas. Dos 102 mil hectares que são propriedade da empresa no Brasil, 72.490 são destinados ao plantio de eucaliptos e 24.100 são de matas nativas preservadas. Além disso, no Brasil, a IP possui cerca de 25 mil hectares usados para programas de parceria e fomento. As áreas de reserva ambiental que a International Paper mantém no Brasil, além de incluírem árvores nativas como o cedro, jequitibá e ipês, abrigam cerca de 150 espécies da fauna, entre aves e mamíferos, como a onça-parda, a jaguatirica e o lobo-guará. No País, duas certificações asseguram que as atividades de manejo florestal da IP são social e ambientalmente responsáveis. Trata-se do Cerflor, que pertence ao Programa Brasileiro de Certificação Florestal, gerenciado pelo Inmetro e reconhecido internacionalmente pelo PEFC (Programme for the Endorsement of Forest Certification Schemes), e do FSC - Forest Stewardship Council (Conselho de Manejo Florestal), assegurando que a empresa estabelece e segue diretrizes globais nas áreas de saúde e segurança. “A terra, seus recursos naturais e sua respectiva biodiversidade são nossas ferramentas de trabalho. Para continuarmos produzindo florestas, temos que conservá-las com todo cuidado e carinho para que nunca se esgotem. Para tanto, o nosso compromisso com a sustentabilidade está acima de tudo. Uma prova disso são as certificações que as florestas da IP possuem no Brasil, provavelmente uma das florestas mais certificadas do mundo”, diz Armando Santiago, diretor Global Florestal da International Paper do Brasil. Floresta plantada

Flor do eucalipto

Benefícios

sociais

Além de ter a sustentabilidade como premissa para suas operações, as indústrias que fazem o cultivo de florestas plantadas incentivam outros agentes da sua cadeia produtiva a agirem de maneira semelhante. Isso ocorre por meio de parcerias florestais estabelecidas entre as empresas do setor e os pequenos e médios proprietários de terras. Tais acordos, além de complementarem as necessidades de suprimento de madeira de muitas companhias, ensinam e estimulam pequenos proprietários a produzirem de forma sustentável, já que uma das condições das parcerias é o respeito pela legislação ambiental. Uma consequência bastante positiva dos programas de parceria — e também do próprio setor de florestas plantadas — é a distribuição de renda, que contribui para a fixação do homem no campo e para o desenvolvimento regional. Isso porque surgem mais empregos e são injetados recursos nas economias dos municípios envolvidos. De acordo com a ABRAF, apenas em 2009 as empresas que compõem a entidade firmaram cerca de mil novos contratos de parceria florestal, que beneficiaram mais de 900 pessoas e envolveram 26,4 mil hectares. No acumulado até o ano passado, o número de contratos de programas de parceria chega a 27.453, com mais de 25 mil pessoas beneficiadas, segundo a ABRAF. Ainda com base em dados da entidade, o total de empregos gerados pelo setor florestal no mesmo ano foi de 3,9 milhões, incluindo os diretos, indiretos e resultantes da geração de renda. Os investimentos sociais realizados pelas empresas — outra grande contribuição do setor para a sociedade — totalizaram, no ano que passou, a soma de R$ 61,6 milhões. Esses investimentos são destinados à criação e manutenção de iniciativas para as comunidades próximas das regiões onde estão localizadas as florestas plantadas, tais como programas de capacitação profissional, educação socioambiental e incentivo à cultura e ao esporte.

“Em 2009, as empresas que compõem a entidade firmaram cerca de mil novos contratos de fomento florestal, que beneficiaram mais de 900 pessoas e envolveram 26,4 mil hectares.” Abraf . Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas Segundo Cesar dos Reis, diretor executivo da ABRAF, o IFDM (��ndice Firjan de Desenvolvimento Municipal) — que avalia o desenvolvimento econômico, social e humano sob a ótica de indicadores como renda, emprego, educação e saúde — aumentou em todos os seus componentes nas capitais e nos municípios com atividades de florestas plantadas, entre o período de 2001 a 2006. Em termos relativos, os municípios apresentaram crescimento superior ao das respectivas capitais, fato que mostra o impacto positivo do setor para o desenvolvimento econômico e social das localidades em que atua. Tudo indica que com o crescente investimento em pesquisa e desenvolvimento de técnicas cada vez mais sustentáveis, a contribuição da indústria de florestas plantadas para a sociedade — sob os pontos

de vista ambiental, social e econômico — deve tornar-se ainda mais significativa nos próximos anos. “Não devemos nos esquecer de que acabamos de atravessar um período de crise econômica que, embora sentido em menor grau pelo Brasil, abalou todo o mundo”, diz Cesar dos Reis. “Com a superação da recessão, a previsão é de que o setor cresça mais, gere mais empregos e possa investir ainda mais nas comunidades em que está presente.”

Além de dar origem a produtos essenciais para as atividades

humanas — como o papel —, as florestas plantadas geram importantes benefícios sociais, ambientais e econômicos para as comunidades em que estão presentes. As florestas plantadas brasileiras são referência mundial — não só pela alta produtividade e pela atuação ambientalmente responsável, mas principalmente pela sustentabilidade, já que suas atividades são pautadas pela busca do equilíbrio entre os aspectos social, ambiental e econômico. Do ponto de vista ambiental, há duas contribuições muito importantes do setor florestal: a absorção de dióxido de carbono da atmosfera e a manutenção de áreas destinadas à conservação ambiental. Chamadas de áreas de preservação permanente e também de Reserva Legal, essas porções de terra abrangem ecossistemas frágeis, com fauna e flora que precisam ser protegidas, como mananciais e matas ciliares.


Bom para o

Combate ao

A certificação florestal é um selo que garante que a madeira usada em um determinado produto é originária de processos que respeitam os aspectos ambientais, sociais e econômicos, além de cumprir a legislação vigente. Trata-se de uma maneira de orientar o consumidor para que não compre produtos fabricados de forma prejudicial à natureza ou à sociedade. Os sistemas de certificações são atestados por selos emitidos por órgãos certificadores e periodicamente controlados por meio de auditorias. Em 1993, foi criado o primeiro organismo credenciador de certificadores, o FSC – Forest Stewardship Council, que rapidamente ganhou visibilidade mundial. Outros esquemas de certificação surgiram nos anos seguintes,como o Cerflor (Programa Brasileiro de Certificação Florestal), reconhecido pelo PEFC (Programme for the Endorsement of Forest Certification Schemes). O FSC e o Cerflor são, hoje, os esquemas de certificação florestal válidos no Brasil. No mundo, há ainda o SFI (Sustainable Forestry Initiative), modelo norte-americano que inclui normas para o gerenciamento florestal, também avalizado pelo PEFC; e o Ecolabel, selo europeu cujo objetivo é ajudar os consumidores a identificarem produtos e serviços de alta qualidade e corretos do ponto de vista ambiental. Por meio de selos exibidos em embalagens, as certificações dão informações sobre a origem do produto e atestam que o artigo em questão foi fabricado por meio de processos que atendem aos padrões de sustentabilidade. As certificações, portanto, tem a função de ajudar o consumidor a tomar decisões de compra mais conscientes e sustentáveis.

superaquecimento

global

planeta

“As florestas plantadas para fins industriais no Brasil absorvem 1 bilhão de toneladas de CO2 da atmosfera anualmente.” Bracelpa .

Associação Brasileira de Celulose e Papel

A sociedade convive diariamente com produtos feitos a partir da matéria-prima de florestas plantadas. No entanto, pouco se conhece sobre a sustentabilidade e a contribuição das florestas renováveis para o planeta. Hoje, as florestas plantadas se destacam como um dos recursos mais importantes no combate às causas das mudanças climáticas, por conta de sua alta capacidade de absorver dióxido de carbono. Um dos principais agentes causadores do efeito estufa, o CO2 é também imprescindível para a fotossíntese, processo pelo qual as plantas produzem o próprio alimento. Capturado pelas folhas, o elemento é retirado da atmosfera e armazenado nos troncos, galhos e raízes. A fase em que as árvores mais absorvem o CO2 é durante o crescimento. Portanto, em função do seu caráter renovável, as florestas plantadas tendem a capturar uma quantidade maior de dióxido de carbono do que a vegetação nativa. No Brasil, o período entre o plantio da muda de eucalipto e sua colheita dura em média sete anos. De acordo com a ABRAF (Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas), no decorrer desse tempo um hectare de eucalipto absorve 200 toneladas de CO2. Trata-se de um dos ciclos mais curtos do mundo, fato que torna as florestas renováveis brasileiras ainda mais eficientes no combate ao superaquecimento global. Informações da Bracelpa (Associação Brasileira de Celulose e Papel) indicam que as florestas plantadas para fins industriais no Brasil absorvem 1 bilhão de toneladas de CO2 da atmosfera anualmente. Contribuem para a alta captura de dióxido de carbono os investimentos em

tecnologia de manejo florestal e as condições naturais

locais para o plantio é favorecida em função de

brasileiras, que proporcionam o rápido crescimento das

características como a vegetação rala, a topografia,

florestas plantadas. Outro importante benefício ambiental

o baixo preço dos terrenos e a facilidade de preparação

das plantações de árvores é a preservação da biodiver-

das terras. “O setor brasileiro de florestas plantadas

sidade. Atualmente, segundo dados da Bracelpa, há

não derruba de forma alguma matas naturais ou

agricultura,

2,8 milhões de hectares de mata nativa preservados

ecossistemas frágeis para plantar florestas”, afirma o

a pecuária ou a

pela indústria de papel e celulose. O cultivo em forma

estudioso. Além disso, as florestas plantadas abrigam

própria natureza local.

de mosaico, que intercala florestas renováveis com a

sua própria biodiversidade, na qual convivem variadas

Tal integração permite que o

vegetação natural, forma corredores ecológicos que

espécies já adaptadas a esse ambiente. Celso Foelkel

solo dos terrenos cultivados se

servem tanto para a manutenção e recomposição dos

explica ainda que o planejamento dos mosaicos eco-

mantenha saudável e produtivo. Foelkel

ecossistemas, quanto para a conservação dos meios

florestais também permite que as áreas de proteção

explica que a pesquisa e o monitoramento florestal

de sobrevivência e reprodução de animais silvestres.

aos recursos hídricos sejam preservadas, de forma a

geraram conhecimento capaz de minimizar ou reverter

Em seu artigo “As florestas plantadas de eucaliptos e a

contrabalançar os efeitos das plantações sobre as

impactos sobre as áreas plantadas: “a sustentabilidade

biodiversidade”, Celso Foelkel, especialista e estudioso

microbacias. “A ciência florestal evoluiu muito no Brasil

é uma das prioridades do setor. A saúde dos solos

das florestas renováveis, diz que outra grande vantagem

nas últimas décadas. Transformou-se em implantação

está ligada à capacidade de desenvolvimento e à

desse tipo de cultivo é a recuperação de porções de terra:

de sistemas bem equilibrados e integrados para a

produtividade das florestas plantadas.”

“as áreas plantadas com eucaliptos são, em sua maioria,

produção de madeira e outros bens”, diz. Segundo o

locais degradados por pastagens ou anteriormente

especialista, as florestas plantadas são feitas de forma

usados para a agricultura intensiva.” A escolha desses

a se integrar, e não para substituir a paisagem, a

IP RESPONSÁVEL A International Paper utiliza como matéria-prima apenas florestas plantadas. Dos 102 mil hectares que são propriedade da empresa no Brasil, 72.490 são destinados ao plantio de eucaliptos e 24.100 são de matas nativas preservadas. Além disso, no Brasil, a IP possui cerca de 25 mil hectares usados para programas de parceria e fomento. As áreas de reserva ambiental que a International Paper mantém no Brasil, além de incluírem árvores nativas como o cedro, jequitibá e ipês, abrigam cerca de 150 espécies da fauna, entre aves e mamíferos, como a onça-parda, a jaguatirica e o lobo-guará. No País, duas certificações asseguram que as atividades de manejo florestal da IP são social e ambientalmente responsáveis. Trata-se do Cerflor, que pertence ao Programa Brasileiro de Certificação Florestal, gerenciado pelo Inmetro e reconhecido internacionalmente pelo PEFC (Programme for the Endorsement of Forest Certification Schemes), e do FSC - Forest Stewardship Council (Conselho de Manejo Florestal), assegurando que a empresa estabelece e segue diretrizes globais nas áreas de saúde e segurança. “A terra, seus recursos naturais e sua respectiva biodiversidade são nossas ferramentas de trabalho. Para continuarmos produzindo florestas, temos que conservá-las com todo cuidado e carinho para que nunca se esgotem. Para tanto, o nosso compromisso com a sustentabilidade está acima de tudo. Uma prova disso são as certificações que as florestas da IP possuem no Brasil, provavelmente uma das florestas mais certificadas do mundo”, diz Armando Santiago, diretor Global Florestal da International Paper do Brasil. Floresta plantada

Flor do eucalipto

Benefícios

sociais

Além de ter a sustentabilidade como premissa para suas operações, as indústrias que fazem o cultivo de florestas plantadas incentivam outros agentes da sua cadeia produtiva a agirem de maneira semelhante. Isso ocorre por meio de parcerias florestais estabelecidas entre as empresas do setor e os pequenos e médios proprietários de terras. Tais acordos, além de complementarem as necessidades de suprimento de madeira de muitas companhias, ensinam e estimulam pequenos proprietários a produzirem de forma sustentável, já que uma das condições das parcerias é o respeito pela legislação ambiental. Uma consequência bastante positiva dos programas de parceria — e também do próprio setor de florestas plantadas — é a distribuição de renda, que contribui para a fixação do homem no campo e para o desenvolvimento regional. Isso porque surgem mais empregos e são injetados recursos nas economias dos municípios envolvidos. De acordo com a ABRAF, apenas em 2009 as empresas que compõem a entidade firmaram cerca de mil novos contratos de parceria florestal, que beneficiaram mais de 900 pessoas e envolveram 26,4 mil hectares. No acumulado até o ano passado, o número de contratos de programas de parceria chega a 27.453, com mais de 25 mil pessoas beneficiadas, segundo a ABRAF. Ainda com base em dados da entidade, o total de empregos gerados pelo setor florestal no mesmo ano foi de 3,9 milhões, incluindo os diretos, indiretos e resultantes da geração de renda. Os investimentos sociais realizados pelas empresas — outra grande contribuição do setor para a sociedade — totalizaram, no ano que passou, a soma de R$ 61,6 milhões. Esses investimentos são destinados à criação e manutenção de iniciativas para as comunidades próximas das regiões onde estão localizadas as florestas plantadas, tais como programas de capacitação profissional, educação socioambiental e incentivo à cultura e ao esporte.

“Em 2009, as empresas que compõem a entidade firmaram cerca de mil novos contratos de fomento florestal, que beneficiaram mais de 900 pessoas e envolveram 26,4 mil hectares.” Abraf . Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas Segundo Cesar dos Reis, diretor executivo da ABRAF, o IFDM (Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal) — que avalia o desenvolvimento econômico, social e humano sob a ótica de indicadores como renda, emprego, educação e saúde — aumentou em todos os seus componentes nas capitais e nos municípios com atividades de florestas plantadas, entre o período de 2001 a 2006. Em termos relativos, os municípios apresentaram crescimento superior ao das respectivas capitais, fato que mostra o impacto positivo do setor para o desenvolvimento econômico e social das localidades em que atua. Tudo indica que com o crescente investimento em pesquisa e desenvolvimento de técnicas cada vez mais sustentáveis, a contribuição da indústria de florestas plantadas para a sociedade — sob os pontos

de vista ambiental, social e econômico — deve tornar-se ainda mais significativa nos próximos anos. “Não devemos nos esquecer de que acabamos de atravessar um período de crise econômica que, embora sentido em menor grau pelo Brasil, abalou todo o mundo”, diz Cesar dos Reis. “Com a superação da recessão, a previsão é de que o setor cresça mais, gere mais empregos e possa investir ainda mais nas comunidades em que está presente.”

Além de dar origem a produtos essenciais para as atividades

humanas — como o papel —, as florestas plantadas geram importantes benefícios sociais, ambientais e econômicos para as comunidades em que estão presentes. As florestas plantadas brasileiras são referência mundial — não só pela alta produtividade e pela atuação ambientalmente responsável, mas principalmente pela sustentabilidade, já que suas atividades são pautadas pela busca do equilíbrio entre os aspectos social, ambiental e econômico. Do ponto de vista ambiental, há duas contribuições muito importantes do setor florestal: a absorção de dióxido de carbono da atmosfera e a manutenção de áreas destinadas à conservação ambiental. Chamadas de áreas de preservação permanente e também de Reserva Legal, essas porções de terra abrangem ecossistemas frágeis, com fauna e flora que precisam ser protegidas, como mananciais e matas ciliares.


30

Concursos de Redação e Literário: atuação socioambiental e educação para comunidades A mais antiga iniciativa do Projeto Educação

tema “Transformar o Presente para um Futuro

Socioambiental – uma das principais ações do

Sustentável”, e os três primeiros lugares de cada

Instituto International Paper (IIP) – é o Concurso

uma das séries participantes foram premiados

de Redação, que neste ano atinge sua 35ª edição.

com uma quantia aplicada em uma poupança

O Concurso Literário, outra atuação do projeto,

bancária. No Concurso Literário, podem se

completa cinco anos também em 2010. Podem

inscrever professores de todas as disciplinas,

participar do Concurso de Redação alunos do 5º

coordenadores e diretores de escolas de

e 9º anos do Ensino Fundamental e da 3ª série do

educação básica. Eles podem participar com

Ensino Médio de escolas públicas ou particulares

contos, poesias, crônicas e fábulas de sua

de Mogi Guaçu, Mogi Mirim e Estiva Gerbi.

autoria para avaliação.

A Importância das Florestas PlaNtadas

Em 2010, os estudantes escreveram sobre o Criança participa do Concurso de Redação

Companhia tem novo gerente-geral de Vendas para o Mercado Doméstico O engenheiro Ângelo Teixeira Junior assumiu a posição de gerente-geral de Vendas para o Mercado Doméstico da International Paper no Brasil. Em sua nova função, ele será responsável pelo controle e gerenciamento das atividades de Vendas, Assistência Técnica e Serviço ao Cliente. Ângelo também participará do desenvolvimento e implementação das estratégias comerciais da IP para o Mercado Doméstico, e vai atuar para o incremento das vendas e o posicionamento adequado da IP no mercado brasileiro. Ele se reportará diretamente ao diretor comercial Nilson Cardoso. Ângelo é formado em Engenharia Eletrotécnica pela Faculdade de Engenharia de Lins, e possui especialização em Papel pela Universidade Federal de Viçosa. Ingressou na IP em 1986, onde atuou nas áreas de Manutenção, Máquina de Papel e Assistência Técnica. Foi responsável pelo grupo de Assistência Técnica entre 2004 e 2006 e, pelo mesmo período, atuou como gerente regional de Vendas. Em 2007, constituiu o grupo gerencial responsável pelo planejamento e início das operações da fábrica de Três Lagoas, que se tornou referência mundial. Ângelo Teixeira Junior, novo gerente-geral de Vendas para o Mercado Doméstico

Alunos do Projeto Formare iniciam Prática Profissional No dia 23 de setembro, teve início mais uma etapa da Escola Formare: a Prática Profissional, que dá aos alunos a oportunidade de conhecer o ambiente de trabalho de áreas industriais e administrativas. Os próprios estudantes podem escolher os locais que desejam conhecer, sempre com a orientação da coordenação do projeto. A prática acontecerá ao longo dos próximos três meses. Os alunos passarão por três diferentes áreas, e vão permanecer um mês em cada uma delas. Alunos da Escola Formare do Instituto International Paper

Chambril reúne clientes para debater tendências econômicas

IP do Brasil é certificada pelo FSC A companhia acaba de receber a certificação FSC (Forest Stewardship Council - Conselho de Manejo Florestal). Reconhecida como um “selo verde”

Economista Ricardo Amorim em palestra ao evento Chambril

a certificação assegura a clientes e

Em evento realizado em São Paulo, membros do mercado gráfico e clientes da linha de papéis offset Chambril assistiram a uma palestra exclusiva do economista Ricardo Amorim, um dos principais nomes do mercado financeiro, e discutiram o tema “Megatendências da economia mundial e impactos nos seus negócios.” Foram apresentadas perspectivas do cenário econômico nacional e internacional e debatidos fatores que podem influenciar os negócios do mercado gráfico.

oUTUBRO 2010

e presente em mais de 75 países,

• Diretoria Jurídica e de Assuntos Corporativos Ricardo C. Zangirolami • Direção do Projeto Alessandra Fonseca Gerente de Comunicação e Marketing Institucional alessandrafonseca@ipaperbr.com • Criação e Produção Agência Ideal • Direção de Arte e Projeto Gráfico Tom Comunicação • Coordenação Editorial Marina Rodriguez • Redação Camila Gonçalves e Marina Rodriguez • Revisão Ricardo Cesar • Impressão Ogra •C  olaboraram nesta edição Alberto Gasparotto, Coordenador de Fomento Florestal; Armando Santiago, Diretor Global Florestal da International Paper do Brasil; Bracelpa (Associação Brasileira de Celulose e Papel); Celso Foelkel, Especialista em Florestas Plantadas; Cesar Augusto dos Reis, Diretor Executivo da ABRAF (Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas); Robson Oliveira Laprovitera, Gerente de Sistema de Gestão Florestal; Valdemir Brunherotto, Gerente de Silvicultura • Jornalista responsável Ricardo Cesar – MTB 33669 • Sugestões e Correspondências Avenida Paulista, nº 37, 14° andar – CEP 01311-000

esta é uma publicação mensal da

consumidores que a matéria-prima e toda a cadeia de produção da IP seguem padrões internacionais ecologicamente adequados, socialmente justos e economicamente viáveis.

Pense nisso

Para a International Paper, sustentabilidade também é estimular um clima saudável e seguro de trabalho para seus profissionais. Por isso, além das medidas de proteção ao meio ambiente que promove em suas florestas plantadas, a IP tem normas rígidas de segurança para os trabalhadores florestais. De acordo com a atividade desempenhada pelo profissional, são oferecidos equipamentos de proteção individual como protetor solar, chapéu, camisas de manga longa, óculos de proteção e luvas. Afinal, fabricar um produto de forma sustentável não envolve apenas o respeito pela natureza, mas também por todos os profissionais que participam da cadeia produtiva.

Na próxima edição: Mídias sociais Esta publicação foi impressa em papel certificado pelo programa brasileiro de certificação florestal

Paper foi impressa em papel Chambril 240G/M² da International Paper, com verniz localizado e aplique.

Nilson Cardoso, diretor comercial em debate sobre macrotendências do consumo de papel offset


Paper 30 :: A importância das florestas plantadas