Page 1


2


Editorial

Uma importante “mãozinha” da tecnologia

DIREÇÃO Paschoal Sabatine paschoal@papelariaenegocios.com.br William Gimenes william@papelariaenegocios.com.br PUBLICIDADE Marco Aurélio Sabatine marco@papelariaenegocios.com.br

Muitas vezes os negócios não estão indo muito bem e o empresário tem dificuldades em entender exatamente onde está o problema. No caso dos acertos, a situação é um pouco diferente, parece mais fácil detectar as razões pelas quais algo deu certo, mas ainda assim, há casos em que a impressão que se tem é a de que o empresário acertou “por obra do acaso”. Toda esta situação é bastante delicada e coloca em risco os negócios. Nada mais indicado do que ter à disposição ferramentas que auxiliam a diagnosticar a “saúde” dos negócios e como comandá-los. Na entrevista deste mês, Heloísa Cranchi, executiva da Virtual Gate, fala sobre o sistema desenvolvido pela empresa e que auxilia o varejista a definir estratégias para atrair e gerir melhor os clientes. Utilizando tecnologia de captura por meio de câmeras (vídeo-analytics) as informações são analisadas e repassadas ao varejista, permitindo uma melhor administração das lojas, bem como de suas estratégias de marketing e de planejamento operacional. O concorrido e promissor mercado das licenças também é retratado nesta edição da Revista Papelaria & Negócios. Um setor que movimenta anualmente cerca de R$ 5 bilhões no Brasil e cresce aproximadamente 10% ao ano apresenta as novas apostas de marcas e personagens. Na seção Memória, o Durex que se tornou sinônimo da categoria de fitas autoadesivas é o destaque. E ainda tem muito mais: as opções em rotuladores que os papeleiros podem revender; as pilhas e baterias, que são produtos de compra impulsiva e a versatilidade dos plásticos autoadesivos. Confira e tenham todos ótimos negócios! Boa Leitura!

4

JORNALISTA RESPONSÁVEL Lia Freire (MtB 30.222) redacao@papelariaenegocios.com.br PROJETO GRÁFICO, DIAGRAMAÇÃO Cristiana Lacutissa/Vitor Lacutissa CL Studio (11) 2749-0738 clstudio@terra.com.br CAPA Patricia Chammas IMAGENS Fotolia ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Av. Alcântara Machado, 924 cj. 03 – Brás – CEP 03102-001 – São Paulo Fones (11) 3207-3896 / 3271-5867 pn@papelariaenegocios.com.br www.papelariaenegocios.com.br

A Revista Papelaria e Negócios é uma publicação mensal da Top Brasil Editora dirigida a lojistas e fornecedores de artigos para papelaria e informática. Circulação nacional.

O conteúdo dos artigos e as declarações textuais contidas nas reportagens da Revista Papelaria & Negócios são de responsabilidade dos articulistas e entrevistados.


Sumário

06

Marketing & Negócios – As notícias que movimentam o setor.

10 14 26 28

tecnologia que ajuda o varejista a definir estratégias. Categoria de Produto - Pilhas e baterias. Produtos que estimulam as compras por impulso. Memória - Sinônimo de categoria, o Durex evoluiu e tem forte presença no mercado brasileiro.

Feira - A 29ª Abrin e os brinquedos para a próxima temporada.

42 46 62 66 68

Entrevista – A executiva Heloísa Cranchi fala sobre uma nova

Fornecedores - Autoadesivos plásticos. Imprescindíveis para encapar cadernos e realizar as tarefas artísticas. Mercado - O segmento de licenças apresenta novas marcas e personagens.

Tendência – Os roteadores incrementam o mix das lojas. Informática – As novidades do segmento. Prateleira – Um mix diversificado.


Marketing & Negócios Tilibra vence Prêmio Mérito Lojista Pelo 24º ano, a Tilibra recebeu o Prêmio Mérito Lojista concedido pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Realizado pelo 33º ano, o prêmio evidencia o reconhecimento na qualidade de produtos e serviços por clientes de todo o Brasil. A escolha dos vencedores aconteceu durante a 52ª Convenção Nacional do Comércio Lojista, em Fortaleza, no Ceará, e reuniu lojistas de todo o país. Premiada na categoria papelaria, no segmento caderno, a Tilibra recebeu o troféu “Deusa da Fortuna” durante a cerimônia de premiação no dia 12 de abril, no Centro de Convenções e Eventos 21, em Brasília, Distrito Federal. Representando a equipe Tilibra, o diretor comercial, Wagner Jacob, comentou sobre a premiação: “O prêmio Mérito Lojista Brasil é o reconhecimento do excelente trabalho realizado pela Tilibra no atendimento em todo o Brasil. Queremos agradecer aos clientes pela preferência à marca Tilibra e parabenizar nossa equipe de colaboradores e representantes comerciais por mais essa importante conquista.” www.tilibra.com.br A Tilibra representada por seu diretor comercial, Wagner Jacob, recebeu o troféu “Deusa da Fortuna” na categoria papelaria, segmento caderno.

Maxprint investe em novas embalagens As novidades chegam nas linhas de acessórios de informática, dos cartuchos de tinta e toner, armazenamento de dados, etiquetas e material de escritório. “Hoje, os pontos de vendas são disputados por inúmeras marcas, por isso a embalagem é importante, pois além de ser a principal comunicação entre o consumidor, a marca e o produto, ela também se torna responsável pela decisão de compra”, comenta Adelaide Anzolin, diretora comercial da Maxprint. Elementos como a gérbera, o fundo branco (nas linhas de cartuchos de tinta e toner, etiquetas e material de escritório) e o fundo preto (nas linhas de acessórios de informática e armazenamento de dados) foram preservados devido ao grande residual e conhecimento espontâneo que existe entre os consumidores e ponto de venda. “Não descartamos esta memória, pois não poderíamos abandonar a construção de marca através da embalagem que foi conquistada ao longo dos anos”, acrescenta Anzolin. No novo conceito visual há também uma nova ilustração que reforça a proposta estética trazendo ícones que remetem ao cotidiano dos consumidores. Todas estas inovações buscam transmitir, de forma moderna, a missão da Maxprint em oferecer produtos com tecnologia simples, design, de qualidade e que facilitam o dia a dia do consumidor. www.maxprint.com.br

Posicionamento OKI Sobre a notícia “Empresa fecha contrato de distribuição com a OKI do Brasil”, veiculada na edição de fevereiro de 2012 da Revista “Papelaria & Negócios”, a OKI esclarece que a RT Tecnologia é um de seus distribuidores de suprimentos, não de hardwares. www.okiprintingsolutions.com.br

As novas embalagens dos produtos Maxprint.

6


Marketing & Negócios

Produtos Kipling na Livraria Cultura A livraria foi escolhida pela famosa marca belga de bolsas, mochilas, malas e acessórios do macaquinho, como a revenda oficial para a venda da nova linha de papelaria. Com estampas elaboradas especialmente para a marca, as linhas Monkey Fun, com imagens divertidas do mascote; Tropical Party,com grafismos supercoloridos; e a Brand, com forte alusão ao DNA da marca, remetendo a textura do nylon e com a logo Kipling no centro, foram desenvolvidas para os cadernos nos formatos universitários,¼, ⅛ e cadernetas. Os cadernos universitários de uma e dez matérias, com 96 e 200 páginas respectivamente, vêm com adesivos exclusivos, dois bolsos internos, folhas descartáveis e furos nas folhas internas que permitem o agrupamento com adesivo específico. Para completar a coleção, caderno ¼, caderno ⅛, ambos com 96 páginas e caderneta com 80 páginas. Todos os itens apresentam folhas internas feitas de produto 100% reciclado e cartelas de cores das capas inspiradas nos tons da estação. www.livrariacultura.com.br

A Livraria Cultura foi escolhida pela Kipling como a revenda oficial de sua nova linha de papelaria.

Foto: Divulgação/Inforshop

Inforshop conquista prêmio A distribuidora de material para escritório recebeu recentemente o prêmio “Parceiros Coca-Cola FEMSA Brasil”, uma iniciativa inédita da companhia. Dentre uma base de dados com cerca de 10 mil empresas fornecedoras cadastradas, foram avaliadas 85 de acordo com o desempenho durante o ano de 2011, seguindo os seguintes critérios: qualidade, comercial, atendimento, logística, segurança e planejamento, sendo que apenas 39 foram agraciadas com o título. Da esq. para dir.: Segundo o diretor Administrativo da Inforshop, Thiago Britto, o reconhecimento de uma empresa Jorge Arosa, gerente com padrões internacionais de qualidade, como a Coca-Cola FEMSA do Brasil, aponta que os esforços de MPI Coca-Cola valeram à pena e que o processo de melhoria contínua deve ser cada vez mais perseguido. “Somos FEMSA, Conceição pioneiros no nosso segmento no Brasil a conquistar uma certificação de Qualidade. E, essa meta, deve Pinheiro e João Gabassi, da Inforshop continuar a ser perseguida, com objetivo de mantermos nosso padrão de qualidade e atendimento em níveis internacionais”, declara. Suprimentos. De acordo com o gerente de Marketing da Inforshop, João Luiz Gabassi, o evento representa a consagração de um modelo de gestão adotado pela empresa. “A premiação é uma coroação de um trabalho e reconhecimento do nosso sistema de relacionamento com o cliente”, diz. www.inforshop.com.br

8


Entrevista

O Big Brother do varejo

Tecnologia ajuda varejista a definir estratégias para atrair e gerir melhor clientes

“O lojista que instala um sistema como o Virtual Gate busca conhecer melhor o seu ponto de venda”, Heloísa Cranchi.

A fim de disponibilizar ao lojista uma visão gerencial e gestão aprofundada do desempenho do seu estabelecimento, auxiliando com isso na construção de resultados, a Virtual Gate, empresa do Grupo Plastrom, utilizando tecnologia de captura de informações por meio de câmeras (vídeo-analytics) desenvolveu soluções diferenciadas, entre as quais se destacam a análise especializada das informações apuradas pelos sistemas e da taxa de conversão. De acordo com a diretora geral da empresa, Heloísa Cranchi, as informações capturadas e analisadas pela Virtual Gate, e repassadas ao varejista, permitem uma melhor administração das lojas, bem como de suas estratégias de marketing e de planejamento operacional. Isso sem contar na vantagem da ferramenta para a gestão de pessoas, já que é possível um melhor escalonamento de funcionários em horários e dias com maior fluxo, aumentando dessa forma o faturamento, e gerindo de forma eficaz os custos fixos. “Nossos clientes buscam, com as soluções da Virtual Gate, maximizar o potencial da taxa de conversão, comparando suas lojas e estabelecendo parâmetros de desempenho”, explica Heloísa. Entre os clientes varejistas da Virtual Gate estão: C&A, Pernambucanas, Vivo, Telhanorte, Leroy Merlin, Livraria Cultura,Cybelar, Shoestock, Nokia, Via Uno, Reebok, Cantão, Redley, L’Occitane, Lacoste, Kate Spade, entre outros. Para explicar melhor sobre o funcionamento do sistema, os tipos de informações disponibilizadas e os benefícios gerados, a executiva Heloísa nos concedeu a seguinte entrevista:

10


Revista Papelaria & Negócios - Explique o que é o Sistema da Virtual Gate e como ele funciona? Heloísa Cranchi - O sistema da Virtual Gate é composto de equipamentos para coleta e tratamento do fluxo e de serviços agregados para garantir que o nosso cliente faça o melhor uso da solução possível. Dentro da loja temos toda a tecnologia responsável pela contagem, que são os equipamentos instalados no ponto de venda: câmera para capturar as imagens da entrada e um servidor que converte tais imagens em dados de contagem, que são transmitidos via internet e disponibilizados para consulta de hora em hora. “Por trás da câmera” está todo o trabalho que garante que uma informação confiável seja entregue ao cliente. Em primeiro lugar acontece uma configuração personalizada que é feita remotamente, um processo de aferição para garantir uma acuracidade de 95%, conferências constantes de amostras da contagem, monitoramento diário do recebimento de fluxo, ações proativas de help desk para correção de problemas (90% dos incidentes com fluxo são resolvidos desta forma), equipe de técnicos em campo com cobertura nacional, serviços de suporte ao cliente, treinamento de uso da ferramenta, apoio na análise dos dados e criação de relatórios customizados, chegando até a prestação de consultoria em alguns casos. Revista Papelaria & Negócios - Quando e o que levou a sua criação? Heloísa - O Grupo Plastrom, do qual a Virtual Gate faz parte, tem acionistas extremamente empreendedores que possuem suas empresas focadas em fornecer soluções para o varejo e enxergaram uma grande oportunidade em levar para os lojistas uma informação que não está tradicionalmente no controle dos sistemas de gestão das lojas (como faturamento e número de cupons emitidos), mas promover de forma automatizada informações sobre o potencial de vendas através do indicador do fluxo de clientes que entram na loja. Com essa visão, há 10 anos se juntaram a uma start up de tecnologia e deram escalabilidade para a solução. Revista Papelaria & Negócios - Em linhas gerais, quais os benefícios oferecidos ao lojista?

Heloísa - Para o cliente que adota uma solução como esta, o maior benefício é o au“A nossa mento do faturamento das lojas, além disso, solução ajuda podemos destacar o suporte a decisões esvarejistas a tratégicas e operacionais, proporcionado peaumentarem o las ferramentas disponibilizadas na solução. A faturamento de otimização do uso dos recursos humanos nas seus negócios lojas oferece redução de custos e a possibilià medida que dade de análise da eficiência de campanhas entendem de marketing. o fluxo de

clientes e o Revista Papelaria & Negócios - Quais potencial de venda latente.” os tipos de informações que o lojista tem acesso? De quanto em quanto tempo estas informações são transmitidas? Heloísa - O sistema sozinho gera a informação de fluxo que é transmitida de hora em hora. O cliente pode acessar via um portal na web ou integrar com o sistema de gestão da empresa. Se alimentar o sistema com informações do faturamento (número de cupons emitidos, ticket médio etc), as análises ficam ainda mais completas.

Revista Papelaria & Negócios - Quem faz as análises dos dados fornecidos pelo sistema? Heloísa - O sistema já possui relatórios prontos para diversas análises feitas pelos próprios clientes, que também contam com apoio da nossa equipe de analistas. Revista Papelaria & Negócios - Expliquenos sobre esta contagem do fluxo de clientes que o sistema realiza? Heloísa - A contagem do fluxo começa com a instalação de equipamentos na loja, ou seja, câmeras para capturar as imagens da entrada e um servidor que converte estas imagens em dados de contagem. Estes dados são transferidos para um Data Center onde são armazenados e disponibilizados para consulta


Entrevista

dos clientes. Com o dado do fluxo e o cruzacio o comportamento do cliente ao entrar no estabelecimento mento deste com outras informações, o clien- “Compreendendo também é diferenciado, o que exige que o sistema tenha pate tem à sua disposição um valioso conteúdo o fluxo de rametrizações únicas. Além destas características, que estão para montar um plano de ação com o objetivo clientes é ligadas à forma de contagem, também é possível personalipossível adequar zar os relatórios que serão utilizados nas análises. de melhorar o desempenho da loja.

a escala de Revista Papelaria & Negócios - O Siste- vendedores na ma da Virtual Gate também é considerado loja, buscando uma ferramenta para a gestão de pessoas. sempre a excelência no Poderia explicar melhor esta questão? atendimento.” Heloísa - Compreendendo o fluxo de clientes é possível adequar a escala de vendedores na loja, buscando a excelência no atendimento, principalmente nos horários de pico. Acompanhar a taxa de conversão é um excelente indicador para identificar os melhores vendedores e equipes, necessidades de treinamento e estabelecimento de metas.

Revista Papelaria & Negócios - O sistema pode ser personalizado? Heloísa - Cada loja é diferente da outra, por isso, o sistema é sempre personalizado. Temos clientes que querem que as crianças que entram na loja sejam contadas, outros que não. O ponto entrada na loja deve ser definido de acordo com cada layout, e em cada comér-

Revista Papelaria & Negócios - Qual é o suporte ao cliente e diferenciais oferecidos aos lojistas? Heloísa - Ao contratar a Virtual Gate para prestar este serviço, o cliente conta com o nosso know-how no varejo de todos os portes; atendimento ágil e eficiente, através de help desk pró-ativo; equipe de técnicos com presença em todos os Estados brasileiros; analistas para apoiar os clientes nas interpretações das informações, flexibilidade e capacidade de customização de aplicações e funcionalidades específicas, de acordo com a necessidade de cada cliente, proporcionadas por desenvolvedores internos; ambiente seguro pela existência de redundância da infraestrutura de TI (Data Center) e pelo tráfego de arquivos de forma criptografada e de um processo constante de controle de qualidade para assegurar a confiabilidade dos dados capturados. Revista Papelaria & Negócios – Qual é o perfil de varejo que pode adquirir o Sistema da Virtual Gate? Heloísa - Todos! A nossa solução auxilia os varejistas, de todos os segmentos, a aumentarem o faturamento de seus negócios à medida que entendem o fluxo de clientes e o potencial de venda latente.

“No varejo brasileiro temos grandes empresas que ainda possuem baixo índice de profissionalização, tomando decisões com base na intuição”, Heloísa.

12

Revista Papelaria & Negócios – Qual é a estrutura que o lojista precisa ter e/ou adquirir para a instalação do sistema? Heloísa - A instalação do sistema é bem simples. Na entrada da loja instalamos uma câmera que precisa de um ponto de energia para ser ligada e um cabeamento que vai até o servidor que processa as imagens, normalmente instalado no CPD, no caixa ou estoque da loja. No local onde o servidor é instalado, precisamos de um ponto de rede inter-


Entrevista

net para que os dados sejam transmitidos. Revista Papelaria & Negócios – Em média, qual é o valor do investimento? E sobre o retorno deste investimento, há como mensurá-lo? Heloísa - O valor do investimento varia conforme o projeto da loja/ rede de lojas. Para calcular o retorno do investimento usamos como premissa um aumento de 10% no faturamento, mas esse percentual também pode variar, de acordo com as ações tomadas pelos empresários. Vide case (ao lado): Revista Papelaria & Negócios – Em quais situações os lojistas buscam implantar um Sistema como o da Virtual Gate? O que eles almejam? Heloísa - O lojista que instala um sistema como o Virtual Gate busca conhecer melhor o seu ponto de venda e tem visibilidade do que está acontecendo na loja, além dos dados de faturamento e percepções de gerentes. Revista Papelaria & Negócios – De modo geral quais os principais equívocos ainda cometidos pelo varejo brasileiro? Heloísa - No varejo brasileiro temos grandes empresas que ainda possuem baixo índice de profissionalização, tomando decisões com base em intuição e que confiam no modelo de gestão que possibilitou a elas chegarem onde estão. Mas, o mercado muda a cada dia, a concorrência está cada vez maior, o cliente mais exigente, buscando coisas novas. O modelo que funcionou até hoje tende a parar de funcionar e o varejista tem que estar atento não só ao que acontece no mercado, mas também

“dentro de casa”. Outro ponto é a base de atendimento, pois são os caixas, vendedores e atendentes os grandes responsáveis pela satisfação do cliente, mas são funções com alta rotatividade, baixa remuneração e pouco investimento em treinamento. Revista Papelaria & Negócios – E quais aspectos você analisaria que obtiveram progressos? Heloísa - O Brasil tem muitos cases de inovação no varejo que estão tendo inclusive destaque internacional. Outro fato é que o Brasil tem atraído investidores e marcas famosas, a concorrência neste caso é positiva e acaba beneficiando o consumidor. Revista Papelaria & Negócios – Quais os próximos projetos e metas da Virtual Gate? Heloísa - Nossa meta consiste na visibilidade das vantagens de gestão de fluxo e com isso criar a cultura no mercado, pois isso acabará alavancando o crescimento do nosso negócio. Neste ano, estamos ampliando nossa equipe analítica e de consultoria, para ajudar os clientes a terem maior aproveitamento dos benefícios da solução e, também investimos bastante em tecnologia, onde os principais projetos são a modernização da interface web do usuário final, com aplicativos para celular e desenvolvimento de novos produtos.


Categoria de Produto

Pilhas

bate Dados divulgados pela AC Nielsen apontam que em 2011 o segmento de pilhas faturou R$ 1,5 bilhões. Os formatos palito (AAA) e pequena (AA) continuam ganhando representatividade e a tendência é para o maior consumo das alcalinas (conhecidas pela alta durabilidade de energia quando comparadas as de zinco), que detém atualmente 62,7% do mercado. Apesar da participação da versão alcalina ser maior em valor, o consumo de pilhas de zinco ainda é alto no Brasil. Quando se observa o volume, as de zinco são líderes com 63,4%, caindo - 0.6pp versus o mesmo período do ano passado. O Brasil é o país com menor penetração de pilhas alcalinas em toda a América Latina. Uma das razões para tal comportamento deve-se à per“A ascensão cepção do consumidor de que o preço unitário por pilha de das alcalinas zinco é menor. Contudo, em relação ao custo-benefício o preimpulsionam o ço das alcalinas é vantajoso já que elas duram mais. A média crescimento do de preço unitário por pilha alcalina é de R$2.27 vs. R$0.75 por faturamento do pilha de zinco, um índex de 303i que compensa a compra. setor, por isso, No país, outras fortes tendências observadas estão na as lojas devem crescente procura pelas pilhas recarregáveis, puxadas neste garantir no caso pela cultura da sustentabilidade já que estes produtos seu portfólio a podem ser reutilizados por várias vezes e reduzem os impacpresença destes tos ambientais; também estão em evidência as pilhas de alta produtos e assim performance, muito comuns em mercados mais maduros e se beneficiarem usadas em produtos como brinquedos, controles, máquinas deste cenário”, fotográficas e demais itens que consomem bastante energia Marina e, por último, energia portátil. “Percebemos uma tendência Mizumoto, da por diversos tipos de aparelhos que facilitem a comunicação Duracell. como também uma necessidade crescente do consumidor

14


se

Produtos que alavancam as compras por impulso

erias O Carregador Portátil é a recente novidade da Duracell e aponta mais uma tendência: a energia portátil.

As qualidades das pilhas Elgin são testadas periodicamente em laboratórios credenciados pelo INMETRO.

em estar ligado com o mundo e as pessoas a sua volta. Consequentemente, ter o celular e outros aparelhos disponíveis, ligados e com bateria suficiente é crucial para possibilitar essa interação com um mundo com tanta informação disponível. Aparelhos que permitam essa conexão, como o Carregador Portátil Duracell, tornam-se produtos de energia portátil fundamentais para garantir energia quando e onde necessário em aparelhos celulares, dentre outros com entrada USB e mini USB, por exemplo”, observa Marina Mizumoto, do marketing da Duracell. Aliás, este é o recente lançamento da marca. Uma solução de energia para carregar aparelhos com entrada mini USB, como iPods, iPhones e BlackBerrys. Outros produtos que se destacam na linha da empresa são a pilha Duracell Ultra Ad-

vanced, bateria alcalina para aparelhos de alta performance (cerca de 50% mais duradoura do que uma pilha alcalina regular). O consumidor pode checar quanto ainda resta de energia na pilha por meio do powercheck, pressionando o indicador da pilha com os dedos; tem a Duracell Lithium, leve e compacta é ideal para câmera fotográfica, pois segundo o fabricante, dura até 7 vezes mais quando usada neste aparelho e comparada à pilha alcalina tradicional da marca e, por fim,


Categoria de Produto

Investindo em

a Duracell Recarregável. “Seu grande diferencial em relação diferenciais. às concorrentes é a composição, que permite a retenção de A Duracell muito mais energia para garantir que a pilha não descarregue Recarregável facilmente. O produto chega ao consumidor, pré-carregado e chega ao mantém até 75% de sua carga por até um ano, se não estiver consumidor, em uso”, explica Marina. pré-carregada e Com suas tradicionais pilhas alcalinas, a Duracell mantém até 75% quando entrou no mercado brasileiro teve um grande dede sua carga safio, frente à alta demanda das versões em zinco. “Cheao longo de um gamos com um produto premium, de maior durabilidade ano, caso não e custo atrativo. Hoje, nos mantemos líderes com 42.1% esteja em uso. de participação em valor em alcalinas, advindos da participação de 33,3% em lojas pequenas e 57,9% nas lojas grandes”, destaca a gerente.

As diferentes opções

A Bic reformulou as embalagens de suas pilhas alcalinas. O objetivo é tornar o visual moderno, atrativo e impactante no ponto de venda.

Há pouco mais de dois anos, a Bic vem investindo no mercado de pilhas com o seguinte slogan: “Pilha Bic, como tudo que é Bic, não te deixa na mão”. De acordo com Felipe Favoretto, gerente de novos negócios da companhia, a marca é conhecida e admirada pelos consumidores pela qualidade dos produtos, pela ampla disponibilidade nos diferentes pontos de venda e pela confiabilidade. “Agregamos todas essas competências e as reforçamos em nossas pilhas e baterias.” Hoje, a Bic apresenta um portfólio com as alcalinas (AAA, AA, C, D, 9V e 12V ) e zinco carvão (AAA, AA, C e D). As recentes novidades da marca são a pilha alcalina 12V, para controle de portões e de carros e as novas embalagens para as alcalinas. “A reformulação deixou a linha com um visual moderno, atrativo e impactante no PDV, dando mais visibilidade aos produtos. A mudança de cores tornou as embalagens mais premium, transparecendo a tecnologia, qualidade e durabilidade das pilhas Bic”, afirma Felipe, acrescentando: “em menos de dois anos, a Bic já está entre os cinco principais players de pilhas do mercado, entre mais de 200 marcas. Este rápido crescimento é resultado da força da marca, investimentos publicitários e grande aceitação e compra dos consumidores.” Trabalhando com foco nas classes C e D, enaltecendo o custo-benefício de suas pilhas, a Alfacell há oito anos entrou no mercado e hoje oferece opções em zinco carvão (comum),

16


Categoria de Produto

A pilha alcalina

alcalinas, recarregáveis e de lithium. “Temos produtos com a performance igual ou melhor do que as principais marcas comercializadas no Brasil, com um custo cerca de 15% a 20% menor”, afirma Antônio Stutz, gerente comercial da empresa. Desde 2011, a Alfacell tem diversificado o seu portfólio com produtos que têm sinergia com a categoria de pilhas, tais como, carregadores de pilhas, lanternas a pilha e recarregáveis, entre outras opções. No ano passado, também realizou um importante investimento em mídia. Esteve presente em jornais, revistas e rádio. A marca ainda destaca suas participações e apoio a eventos esporti-

vos, estando presente no futebol e automobilismo. As feiras 12V, ideal regionais e nacionais de negócios são outros investimentos para o uso da Alfacell. “Quem não é visto, não é lembrado!”, afirma Stutz. em controle Agora, o objetivo é alcançar plena distribuição de seus prode portões dutos em todo o mercado nacional, estando entre as cinco e de carros, maiores e melhores marcas do mercado brasileiro. “Gradaestá entre os tivamente as vendas foram e estão acontecendo e isso se lançamentos da deve à excelente qualidade de nossos produtos, atestada Bic. pelos consumidores. Hoje, a marca Alfacell representa quase 50% do nosso faturamento”, enaltece o gerente. Para o ano de 2012, a empresa pretende crescer 20% e para atingir este meta aposta nos lançamentos e na diversificação de categorias do seu portfólio. Operando no Brasil há apenas um ano, a Energizer, pioneira na fabricação de soluções de energia portátil e dona das marcas Eveready e Energizer, possui em seu portfólio, pilhas comuns de carvão zinco, alcalinas, miniaturas, recarregáveis e de lítio. “Lançamos um mix totalmente adaptado para o consumidor brasileiro e em breve teremos mais novidades. O foco de A Energizer está em constante pesquisa e desenvolvimento atuação da Alfacell está nas de novos produtos, com tecnologia cada vez mais avançada. Fomos a primeira empresa do mundo a comercializar a pilha classes C e D. seca em 1896, também lançamos a alcalina para consumo Em seu mix, há pilhas alcalinas, em 1959 e a de maior duração do mundo em câmeras digitais, a pilha de lítio, em 1992. Hoje é preciso continuar peszinco carvão, recarregáveis e quisando e desenvolvendo produtos, existem ainda muitas oportunidades de inovação, e tecnologias a serem explorade lithium.

18


das para fornecermos soluções em energia portátil”, explica Felipe Rudge, gerente de trade marketing da Energizer Brasil. A mais recente novidade apresenta pela marca aos brasileiros é o carregador Energizer, que chega em embalagens sustentáveis, com 40% menos plástico. Neste um ano de atuação, a companhia alcançou 17% do mercado de pilhas alcalinas e tem a expectativa de crescer anualmente 15% durante os próximos cinco anos. “O que precisamos agora é trabalhar melhor com nossos clientes e parceiros para educar e incentivar o consumidor a trocar as pilhas comuns de carvão zinco (mais baratas e com menos duração do mercado) pelas alcalinas e as de alta tecnologia como as de lítio (hoje, tecnologia mais avançada em pilhas) e as recarregáveis que duram muito mais e possuem uma ótima relação custo-benefício”, analisa Rudge.

Know-how que ultrapassa um século

“Existem ainda muitas oportunidades de inovação e tecnologias a serem

São mais de 100 anos neste mercado e a Rayovac tem nas pilhas alcalinas o seu principal negócio, além das famosas pilhas comuns, “As Amarelinhas”. Há também outros tipos de pilhas de alta tecnologia, como as recarregáveis e para os aparelhos auditivos. “A Rayovac não pretende ampliar o mix, mas sim desenvolver o potencial das categorias em que já atua, como pilhas recarregáveis, para aparelhos auditivos e lanternas. Seguimos investindo em qualidade de produto. O objetivo é oferecer a melhor pilha do mercado, com custobenefício”, afirma Antonio R. Neto, gerente de marketing da Spectrum Brands - Rayovac.

exploradas, especialmente em soluções para energia portátil”, Felipe Rudge, da Energizer Brasil.

“Analisamos ótimas oportunidades de crescimento em categorias, como as pilhas para aparelhos auditivos e recarregáveis”, Antonio R. Neto, da Rayovac.

Destacamse as pilhas de valor agregado e alta performance como as de lithium.


Categoria de Produto

A Rayovac apresenta em suas embalagens de pilhas alcalinas, os personagens do filme “Os Vingadores”. A ação consiste em aumentar as vendas e trabalhar o reconhecimento da marca.

As últimas novidades apresentadas pela marca são as pilhas alcalinas com licença de imagem do filme “Os Vingadores”. Toda ação consiste em uma embalagem personalizada com os personagens do filme e entrega de adesivos colecionáveis nas cartelas. Além disso, a Rayovac irá investir forte em material de ponto de venda e ações nas mídias sociais, como Facebook e Twitter. Outra grande novidade está na linha de pilhas auditivas, totalmente sem mercúrio. Seguir investindo em pilhas alcalinas e comuns, que compõem o carro-chefe da empresa, e trabalhar com parcerias para aumentar as vendas e reconhecimento da marca, como no recente exemplo com a licença do filme Os Vingadores”, são os propósitos da empresa. Além disso, a Rayovac pretende investir no mercado de pilhas auditivas, que segue crescendo. O objetivo para 2012 é aumentar sua participação neste setor em quase 50%, assim como na categoria de lanternas.

As recarregáveis

Outra novidade da Rayovac está na linha de pilhas auditivas, totalmente sem mercúrio.

20

Pegando carona na ascensão das pilhas recarregáveis, a DL atualmente comercializa 4 tipos delas: P9-2 (kit com 2 pilhas AAA 900 mAh), P9-4 (kit com 4 pilhas AAA 900 mAh), P25-2 (kit com 2 pilhas AA 2500 mAh) e P25-4 (kit com 4 pilhas AA 2500 mAh). “Devido o aumento na demanda por soluções energéticas, temos notado um crescimento na procura por pilhas recarregáveis, bem como por kits com pilhas e carregadores, também oferecidos por nossa


empresa”, explica Luciano Neto, engenheiro de pesquisa e desenvolvimento da DL. A empresa realiza investimentos na certificação INMETRO dos carregadores e para aferir a qualidade de suas pilhas segue procedimentos internos para cargas e descargas diversas, acompanhando por equipamento específico o passo a passo de cada processo. “Realizamos ainda a utilização das pilhas em diversos equipamentos para atestar a durabilidade no uso comum”, acrescenta Neto. Quando a Elgin decidiu entrar no ramo de pilhas foi para aproveitar o mesmo canal de vendas de mídias (CD-R e DVD-R) e dar um plus em seu portfólio. “Não tínhamos grandes pretensões quanto a este mercado. Nossa expectativa era de ter uma pequena participação, o que já é um grande volume dado o tamanho do mercado. Estamos crescendo a cada dia, mostrando que a marca Elgin é de confiança e qualidade”, observa Mara Cristina Lavia, do departamento de marketing da Elgin. A novidade da empresa, que trabalha a partir do conceito “Novas por muito mais tempo”, é a bateria 9V recarregável. O seu mix conta ainda com as alcalinas e zinco AA / AAA / C / D; recarregáveis AAA 900 mAh / 1000mAh e AA 2500 mAh / 2700 mAh, bateria alcalina 9V; baterias lítio – CR 2016 / CR 2035 / CR 2032 e baterias alcalina – LR 44 / A 23 / A 27. A Elgin planeja ainda aumentar o mix com baterias para aparelhos auditivos. O segmento de pilhas tem permitido excelentes oportunidades de negócio para a Leadership. Atualmente, disponibiliza pilhas recarregáveis, dos tipos AA e AAA, com capaci-

Oferecer kits de pilhas com carregadores que atendam as diversas necessidades de uso, com um bom custo-benefício é a proposta da DL.

dades diferentes (900 mAh, 1000 mAh, 2100 mAh, 2500 mAh e 2700 mAh), além de carregadores e baterias. A filosofia da empresa é a preservação do meio ambiente e a comercialização de produtos que causem o menor impacto possível à natureza. Lançou recentemente o Eco Carregador para pilhas Alcalinas Goldship, que recarrega até 40 vezes, sem perder o desempenho. O produto é compa“Estamos tível com pilhas alcalinas AA/AAA. “A fabriplanejando cação de pilhas oferece riscos e impactos ao aumentar o mix meio ambiente, devido os seus componentes com embalagens tóxicos. Por isso, a Leadership trata todos os promocionais resíduos gerados no processo. Essa é mais e baterias uma prova da seriedade do trabalho que vem para aparelhos sendo realizado e mostra uma preocupação auditivos”, Mara cada vez maior da empresa com questões Cristina Lavia, da referentes à sustentabilidade”, destaca Bruno Elgin. Lima, gerente de produtos da Leadership.

22


Categoria de Produto

“Com o crescimento da cultura da sustentabilidade, a nossa produção de pilhas está voltada para as recarregáveis, reduzindo os impactos ambientais”, Bruno Lima, da Leadership.

As pilhas nas papelarias As papelarias representam um importante canal de distribuição para as pilhas, principalmente pela sinergia que há entre os produtos disponíveis neste tipo de varejo. Trata-se de uma das principais categorias de compra por impulso - pesquisas apontam que as vendas chegam a ser 80% por impulso. Por este motivo é de extrema importância expor as pilhas num local de excelente visibilidade. As O mix da Elgin é composto por pilhas alcalinas, recarregáveis, de zinco, além das baterias alcalina, recarregável, de lítio e alcalina.

áreas mais adequadas são os check outs, balcões de vendas, e exposição com displays em zonas de grande fluxo. As pilhas devem saltar aos olhos do consumidor e num impulso, recordado da necessidade de se comprar uma pilha, a venda acontecerá naturalmente. A fim de auxiliar na boa exposição de seus produtos, a Bic oferece aos lojistas, displays de chão, balcão e check-stand. Além disso, está com uma embalagem exclusiva, que vira um mini display, com espaço para colocar o preço. Para o engenheiro de pesquisa e desenvolvimento da DL, Neto, os lojistas podem exibir kits diferentes de pilhas. A identidade visual dos conjuntos atrai a atenção de clientes e induz ao ato da compra. Já a dica da executiva da Duracell para a exposição das pilhas no PDV, é organizá-las por grupos de performance. “De acordo com as nossas linhas, as pilhas recarregáveis devem abrir a gôndola, seguidas de Ultra Advanced e alcalinas AA e AAA. Na altura dos olhos dos consumidores devem estar localizados os carregadores e as pilhas de Lithium. Logo abaixo, o Instant Charger e as pilhas C, D, 9volts e MN21. A estratégia é maximizar a visibilidade, portanto, estar no espaço natural das pilhas não é o bastante. Além da presença em check-out, pontos múltiplos no interior da loja como, por exemplo, brinquedos e eletrônicos, também conferem incremento às vendas”, comenta Marina. Para que as pilhas da Elgin tenham destaque

24


no PDV e a exposição seja mais atraente, a empresa desenvolveu novas embalagens. Há também displays, coletores para pilhas (papa pilhas), banners, catálogos e promotores. A Rayovac investe na exposição no ponto de venda e desenvolve materiais como stoppers, wooblers, plástico forração, displays, entre outros. “A decisão de compra de uma pilha se dá basicamente por tamanho, tecnologia e marca. Então, a minha sugestão é que o lojista trabalhe a partir destes três aspectos”, reforça Neto, gerente da Rayovac. Uma observação feita pelo executivo da Alfacell para os lojistas que comercializam pilhas está relacionada com a atitude que visa a prevenção aos furtos destes produtos “Algo que é comum, mas de forma nenhuma deve ser incentivado, é a prática do confinamento ou segregação, que é “trancar” as pilhas em locais de difícil acesso ao consumidor. Quando ele é impulsionado, ele quer tocar no produto e pegar, quando tiramos isso do consumidor, normalmente as vendas caem mais de 60%”, alerta o gerente Stutz

O segmento de pilhas tem permitido excelentes oportunidades de negócio para a Leadership, que oferece versões recarregáveis e carregadores.


Memória

Durex, sinônimo de fita adesiva De acordo com o histórico da empresa, o primeiro con-

Foi no ano de 1946 que o consumidor brasileiro teve o seu primeiro contato com a fita adesiva trazida ao país pela companhia 3M

Durex se manteve apenas no Brasil, já que globalmente a companhia trabalha com a marca Scoth.

tato que o brasileiro teve com uma fita adesiva foi através do Durex. Antes disso, eram usadas outras ferramentas para embalar os pacotes, como o barbante. “Como esse nome ficou na mente do consumidor, muitas vezes ele mistura a nomenclatura com o que é o produto. Assim, a nossa missão com o usuário é reforçar a identidade da marca”, declara Márcia Teixeira, gerente da divisão de papelaria e escritório da 3M do Brasil. Ao longo destes 66 anos, a 3M do Brasil conquistou com Durex a referência na mente do consumidor (a marca se manteve presente apenas no mercado brasileiro, já que globalmente a companhia trabalha com a Scoth). A 3M, que constantemente realiza pesquisas para analisar o posicionamento e a “saúde” da marca, pôde constatar que Durex é lembrada por 93% dos consumidores (Brand Health 2011, Instituto Synovate), reconhecida por sua credibilidade e tradição. Também é vista como popular e presente na vida das pessoas desde muito cedo, seja na casa, no trabalho ou na escola. Outro dado identificado na pesquisa foi que o segmento de fitas é uma categoria coadjuvante que tem pouca referência de marca para o consumidor. “Com a nossa expertise em fitas adesivas, temos a oportunidade de desenvolver um elo emocional do consumidor com o produto, criando um envolvimento maior com a nossa marca”, explica Márcia. Reconhecido por sua tradicional cor caramelada, o Durex agora também está disponível em uma versão mais “clean”, na cor transparente, com nova formulação e, segundo a executiva Márcia, adequando-se assim ao que o consumidor busca atualmente. Além disso, a 3M lançou a linha para empacotamento, renovou as embalagens, apresenta novo site (www.durex3M.com.br), terá ações de marketing no ponto de

26


93% dos consumidores brasileiros lembram da marca Durex.

CURIOSIDADES

venda e fará comunicação em mídias especializadas. Com estes investimentos, a 3M oferece um portfólio mais adequado, com uma marca forte e posicionamento de preço competitivo, gerando mais negócios. “Esperamos dobrar nossa presença em volume neste mercado nos próximos cinco anos”, prevê Márcia.

Como a marca Durex dava nome à companhia em 1946, chamava-se Durex, Lixas e Fitas Adesivas, a 3M era conhecida informalmente como “Durequinha”. O nome Durex é um antropônimo criado a partir do nome de Richard G. Drew, cientista da 3M responsável pela invenção da fita adesiva transparente, no início dos anos 40. Antes do Durex, os brasileiros empacotavam seus produtos, principalmente com barbante. Durex é a marca de fita adesiva mais tradicional do mercado e lembrada por 93% dos brasileiros.

A marca Durex agora também está presente em fitas para empacotamento.

Evolução. Recentemente a fita adesiva ganhou uma versão “clean”, na cor transparente.


Feira

A vitrine da indústria

brasileira de brinquedos 175 expositores apresentaram 1.500 lançamentos durante a feira, que movimentou 1,5 bilhão de reais e teve a visitação de 90% dos lojistas de todo o Brasil

Considerado o maior evento de negócios do setor de brinquedos da América Latina e o terceiro maior do mundo, a 29ª Abrin - Feira Brasileira de Brinquedos, realizada em São Paulo de 09 a 12 de abril, no Expo Center Norte, contabilizou um volume de negócios equivalente a 30% do faturamento previsto para todo este ano, segundo a ABRINQ - Associação Brasilei-

28


ra dos Fabricantes de Brinquedos. O presidente da entidade, Synésio Batista da Costa, disse que a maioria dos brinquedos que chegará às lojas este ano (76%), estará custando até R$ 50,00, como forma de enfrentar os produtos chineses. Ele calcula em R$ 1,5 bilhão o montante de negócios realizados nesta edição da Abrin. De acordo com os organizadores, 90% dos lojistas bra-

sileiros estiveram no evento. A feira reuniu 175 expositores e exibiu 1.500 lançamentos em brinquedos em geral e pedagógicos, puericultura leve e pesada, jogos eletrônicos, pelúcias, miniaturas, fantasias e outros artigos. As novidades irão abastecer o mercado ao longo do ano e, especialmente, em importantes períodos como Dia das Crianças e Natal.

Conheça agora alguns destes lançamentos: Adijomar Opções para meninas e meninos não faltam no mix da Adijomar, que levou para a Abrin, 11 lançamentos. Alguns deles são: a boneca Sofi, que tem 65cm de altura, corpo de tecido, mecanismo com 30 frases e vem acompanhada por DVD com 13 tradicionais cantigas de rodas, além de mensagens educacionais. Tem também o Mega Combate, boneco inspirado nos lutadores de MMA, que virou febre no Brasil. Feito 100% em vinil, com 32cm de altura, tem várias articulações. www.adijomar.com.br

Brincadeira de Criança Personagens consagrados entre os pequenos consumidores como Bananas de Pijamas, Galinha Pintadinha, Moranguinho, Turma da Mônica, Noody, Patati Patatá, entre outros, compõem o mix da empresa e estão presentes em itens como jogos de memória, quebra-cabeça tradicional e progressivo, dominó, quadro branco, kit pintura, bingo, alinhavo, Aprender A ao Z, Números 1 ao 10, Aprendendo as Cores, as Vogais, as Sílabas e muito mais, entre itens lúdicos e educativos. www.brincadeiradecrianca.com.br


Feira

Brinquedos Bandeirante São 55 novos produtos, com opções para crianças a partir de 9 meses. Uma das novidades é a réplica do FIAT Uno, um produto para pedalar e passear com conforto e segurança. Nas cores rosa e azul, o adulto utiliza a haste para empurrar o carrinho e os pequenos controlam a direção. Após recolhimento do piso retrátil, a criança pode utilizar os pedais de forma tradicional. Tem a versão Uno Passeio Premium, disponível na cor verde citrus e tem como diferencial a capota articulável e giratória. Todos possuem cinto de segurança de três pontos, volante com buzina eletrônica, porta objetos traseiro e suporta o peso máximo de 28 kg e altura máxima de 109 cm. www.brinquedosbandeirante.com.br

Calesita Em sua linha didática e voltada para as crianças a partir de um ano, a empresa desenvolveu os blocos de encaixe Amiguinho da Selva, nas versões Hipo e Dino, em cores vivas e feitos em polipropileno. Também novidade em 2012, as motos para crianças a partir dos 2 anos, auxiliam no equilíbrio e na coordenação dos movimentos, tem versões para meninas e meninos. Os carrinhos de passeio Super Comfort Car e Super Flower Car estão mais robustos, continuam coloridos e seguros. Retirando a proteção e o apoio para os pés, a criança pode “dirigir” sozinha. www.calesita.com.br

Caloi Novidades também no segmento de bicicletas. A Caloi levou para a Abrin o conceito “Monte você mesmo”. Os modelos aro 12, indicados para crianças entre 2 e 4 anos foram lançados com a intenção de facilitar a montagem, podendo ser feita pelos próprios pais (as instruções estão na embalagem, no manual impresso e no site da Caloi). Os produtos, aprovados pelo INMETRO, vêm em embalagens ilustradas e mais criativas; e não só chamam a atenção das crianças como passaram a ter uma importante função no ponto de venda: a de comunicação. www.caloi.com.br

30


Feira

Dican

Carimbrás Compondo os lançamentos da empresa estão o Mini Artista, o Personal Glamour e o Blocossauros. O primeiro é um kit com 32 peças, sendo 13 feitas em MDF frente e verso, com partes de roupas e expressões de palhaços para que a criança desenvolva sua imaginação através de colas coloridas, gizes de cera e tintas guache, que acompanham o brinquedo. Já o Personal Glamour é composto por 34 peças, sendo 9 feitas de MDF em formato de bonecas com diferentes roupas. Neste caso, também acompanha o brinquedo, todo o material necessário para a personalização destas placas e 5 suportes para exposição dos trabalhos. Por último, o Blocossauros, que auxilia no desenvolvimento da coordenação motora, do raciocínio, das noções de espaço e na busca pelos conhecimentos das cores e formas. www.carimbras.com.br

Uma das principais novidades apresentada foi o licenciamento Galinha Pintadinha. O portfólio da marca conta com a Câmera Divertida e Tablete Fun 3D, que auxiliam a explorar o lado artístico da criança; o livrinho LapTop, que apresenta formas, cores e símbolos; a linha Musical, despertando noções de som e ritmos nos bebês; além dos brinquedos de praia a piscina, como bóias, colchões infláveis e bola. www.dican.com.br

DTC Tendo como slogan “A marca da diversão”, a DTC está com novidades como, por exemplo, a linha Trash Pack, com conceito colecionável. São mais de 100 opções, inclusive nas versões raras e que brilham no escuro, divididas em 06 “gangues” que vem do lixo: Vencidos, Sucatas, Insetos, Bichentos, Viroses e Monstrengos. Estes seres vêm em saquinhos, latões e caminhão de lixo. Outra linha colecionável da DTC é a Mighty Baenz, que existe desde 2011 e vem com novidades. www.dtctoys.com.br

32


Elka Produtos para a primeira infância e jogos do personagem Spider Man foram alguns dos vários lançamentos apresentados no estande da Elka, durante a Abrin. O BabyPad é o tablet do bebê, com diferentes atividades, design moderno e divertido. Indicado para crianças a partir de 6 meses. Outro produto destinado à primeira infância é o Gilofone, uma girafinha “musical” com teclas no corpinho; orelhas que fazem som de recoreco e chifrinhos que servem como baquetas. Para crianças a partir de 12 meses. Na linha Spider Man, há brinquedos como o Avalanche, com 36 bolinhas empilhadas entre aros plásticos, formando uma torre e do alto dela é preciso equilibrar o Homem Aranha, quem o deixar cair, perde o jogo. Tem também o Lança Argolas Spider Man, quem somar mais pontos, ganha a partida, além de outras duas linhas do personagem. www.elka.com.br


Feira

IFA Dentre as novidades que compõem a linha 2012 da IFA estão a Coleção Pipoquinhas, pequenas bonequinhas (21 cm), confeccionadas em vinil, com 3 opções de cores de roupinha (laranja, rosa e verde-limão). São duas embalagens: uma igual ao saquinho de pipoca e a outra como se fosse um pequeno display. A IFA também desenvolveu uma ampla linha de mordedores para bebês a partir de 3 meses. A linha Vinil Line é confeccionada em vinil, totalmente atóxica, sem conter partes pequenas e que se desprendam. Os produtos estão disponíveis em formatos como ursinho e dinossauros. www.ifa.com.br

Ki-Legal Há 39 anos no setor de brinquedos, a Ki-Legal foi entusiasmada para esta edição da Abrin e fez 10 lançamentos. Devido as atuais exigências do mercado, a empresa vem estendendo sua linha e modernizando com mais tecnologia, desenvolvendo embalagens diferenciadas e qualidade no padrão ISO 9001. A empresa colocará em sua linha maior variedade de brinquedos para meninos, como o Max Fighter Car, um carrinho de plástico injetado que virá acompanhado com os heróis de ação, em plástico soprado. São três modelos. www.ki-legalbrinquedos.com.br

Kreateva O fabricante participou pela primeira vez da Abrin e levou para o evento 30 lançamentos, entre produtos didáticos, da sua marca própria e licenciados. Em termos de propriedades, destacam-se as Princesas, Carros, Ben10, Toy Story, Mickey, Marie, o “The Avengers - Os Vingadores”, entre outros, que ilustram itens como quadros para pincel e giz, tapetes de montar em E.V.A, jogos de ping pong etc. Na marca própria, a novidade foi a coleção Dinossauros, com a finalidade de estimular a criatividade e imaginação das crianças. www.kreateva.com.br

34


Lider Com forte atuação no segmento de brinquedos licenciados, chegam ao portfólio da Lider as marcas: Galinha Pintadinha, em itens como o Tablet Baby que ensina e diverte ao mesmo tempo, Mesa com cadeira infantil para atividades recreativas (com compartimento e divisórias para guardar materiais, livros, canetinhas cadernos etc), Jogo de Boliche, Bolas em E.V.A e vinil, Cadeira para Mesa (assento giratório 360o), Chute a Gol, Pula a Pula, Piscina com 100 bolinhas e Kit Bolinhas de Piscina (100 bolinhas); a dupla australiana Bananas de Pijamas, em Jogo de Boliche e Bolas de E.V.A e vinil; “The Avengers - Os Vingadores”, também com bolas em vinil e E.V.A; além de propriedades já consagradas no mix da Lider, porém com novos produtos como Ben10, com o lança discos; Barbie e Spider Man, em piscinas de bolinhas e muito mais. www.liderbrinquedos.com.br


Feira

Long Jump Desenho do Cartoon Network, o Redakai é uma das grandes apostas da Long Jump. Trata-se de um jogo de cards que conta com a tecnologia Blast 3D, em que os personagens parecem pular das cartas. Para as meninas, tem o Ateliê Fashion. Uma maquininha de costura que faz roupas de verdade e vem acompanhada de um molde em vários tamanhos e um DVD que ensina a criar roupas. Há uma proteção especial para que as meninas não se furem com a agulha e funciona com pilhas. As bananas mais famosas da TV, Bananas de Pijamas, estão de volta na telinha, agora em 3D, e transmitidas diariamente pela Discovery Kids. A Long Jump desenvolveu uma linha de pelúcias hipoalergênicas do B1 e B2, kits e estojos de pintura. www.longjump.com.br

36

Maralex Pegando carona no sucesso dos bonecos mordedores Looney Tunes, a empresa acaba de lançar, com a mesma licença, os cubos educativos para montar. Fabricados em vinil e pintados, totalmente atóxicos, são bem macios e têm a proposta de auxiliar as crianças no desenvolvimento da coordenação motora e ainda ensinam as vogais maiúsculas e minúsculas e os números de 0 a 9. www.maralex.com.br


Feira

Nig Brinquedos Sucesso nos anos 90, a dupla Bananas de Pijamas voltou à TV neste ano em formato 3D, tem outros personagens e novas estórias. A Nig traz os irmãos B1 e B2 em 14 produtos. Em cartonados há, por exemplo, jogo da memória, dominó, alfabeto, três modelos de quebra-cabeças, entre outros. Na linha E.V.A há tapetes como o Montapete EVA 9 placas e Amarelinha EVA, quebra-cabeça gigante com 24 peças, pote alfabeto e pote matemática. Ainda com relação às licenças há novidades na linha Patati Patatá. Na coleção Eu Brinco de Casinha, para as meninas, a Nig criou o fogão de duas bocas Master Cook com barulhinho de panela de pressão, fervura e fritura; tem também os modelos Chef e Cooktop,acompanhados de 2 panelinhas e o Café com Bolinho, um kit com garrafinha que sai água de verdade, forma de bolo, xícaras,pratinhos e colheres. www.nigbrinquedos.com.br

Sid-Nyl Em 2012 a empresa, conhecida por suas bonecas, investe pela primeira vez no licenciamento e apresenta duas novidades: os bonecos Bananas de Pijamas e as bonecas Tubarina, Polvina e Estér, do desenho Princesas do Mar. E, as novidades não param por aí, há vários outros lançamentos de bonecas como a Bebê AutoEscola - que fala 50 frases, muitas delas educativas sobre o trânsito, além de cantar, sorrir e bocejar; Analú Praia, que vem com forminhas para brincar na areia e o seu rostinho se “bronzeia”; Analú Gourmet vestida de roupinha de chef e com vários utensílios de cozinha, dentre outras novidades. www.sidnyl.com.br

38


Feira

Summit A marca TRIS da Summit apresenta novidades em kits para presente, compostos de materiais escolares lúdicos que divertem e educam, permitindo que a criança solte a imaginação de forma criativa e estimule sua inteligência. Foi lançada a linha exclusiva de sets presenteáveis Monster High (marca criada em 2010 pela Mattel, formada por uma turma de adolescentes como a romântica Draculaura, a fashionista Frankie Stein e a simpática Lagoona que são filhas de monstros e personalidades, como Drácula, Frankstein e Lobisomem). Os kits são compostos por hidrocores, lápis preto, lápis de cor, borracha, caneta, apontador, cola branca, tesoura e estilosos acessórios. A TRIS atualmente trabalha com 19 personagens da Disney e Mattel, além de times de futebol. Para as licenças de maior destaque como Marie, Barbie, Carros e Hot Wheels, as novidades contemplam renovação de portfólio e layout, além da incorporação de itens. www.summit.com.br

Xalingo Em seu portfólio 2012 destacam-se dois produtos da linha Princesas Disney. O Fogão Luxo Princesa Disney tem dispositivo eletrônico sonoro e luminoso simulando acionamento elétrico das bocas do fogão e o Refrigerador Luxo Princesa Disney, com acessório eletrônico, dispenser de água, acessórios que imitam gelo, adesivos e freezer a parte. Outra novidade é o carrinho de passeio de boneca Minnie Mouse Bow-tique, em cores vivas, para crianças a partir dos 3 anos. O produto transforma-se em bebê conforto para transportar a boneca. www.xalingo.com.br


A mais completa do Setor

Acesse: www.papelariaenegocios.com.br ou ligue: 11 3207-3896 40


Receba mensalmente sua P&N


Fornecedores

A versatilidade dos plásticos autoadesivos Nas atividades escolares ou artesanais, eles reinam absoluto

Estampas em poá indicam que os papéis autoadesivos acompanham as tendências da moda. Linha Plastcover.

Eles decoram, protegem e personalizam diferentes objetos e superfícies. Tradicionalmente utilizados para revestir livros, cadernos e demais itens escolares, os papéis autoadesivos foram pouco a pouco ganhando outras aplicabilidades, a principal delas diz respeito às atividades artesanais e com isso deixaram de ser itens marcados pelas vendas sazonais. Especialista em desenvolver este tipo de produto, a Plavitec Adesivo fabrica o Plastcover, que além de ser reposicionável, o que permite a sua remoção e recolocação durante a aplicação, é também produzido com matérias-primas ecologicamente corretas. O adesivo é acrílico aquoso, atóxico e isento de metais pesados, segundo a Diretiva ROHS – Restriction of Hazardous Substances Durective – que limita o uso de certas substâncias na composição de manufaturados na União Europeia. “O Plastcover pode ter diversas finalidades, além do revestimento de itens escolares. O nosso produto é aplicado em móveis, prateleiras, vidros e também em trabalhos artesanais. Aliás, dentre as recentes novidades criamos a linha madeira e as estampas mogno, tijolo e pedra Nture, especialmente para atender esta demanda. O lojista também deve ter sempre em seu mix o produto na cor cristal, bastante usado para encapar os materiais escolares. Os nossos autoadesivos estão disponíveis nas medidas 45cm x 25m, 45cm x 10m e 45cm x 02m”, afirma Débora Venditto, supervisora comercial da Plavitec. Com mais de 40 anos de atuação neste segmento, a Vulcan, com a sua marca Con-Tact, oferece uma grande variedade de plásticos autoadesivos. “O nosso êxito neste mercado está associado a nossa qualidade. Oferecemos produtos que têm maior durabilidade, variedade de estampas, não descola, não encolhe, além de ser possível aplicá-los em diferentes objetos e superfícies. O consumidor cada vez mais procura o nosso produto para reformar móveis, decorar e customizar ambientes e peças. Desde abril de 2011 estamos investindo

42


em campanhas veiculadas em TV, outdo- O Plastcover é um adesivo acrílico or, busdoor e mídias impressas, mostrando esta diversidade”, enumera Roberta aquoso, atóxico e isento de metais Marques, do departamento de marketing pesados. da Vulcan. Os produtos chegam ao mercado nas seguintes opções: para as lojas de autosserviço em rolos de 2, 10 e 15 metros e para as papelarias é possível comprar o Con-Tact em metro.

As estampas e as cores da moda Para desenvolverem as cores e estampas dos seus produtos, os fabricantes também levam em consideração as tendências e novidades presentes no universo da moda. “Em termos de estampas, as mais procuradas são a de madeira e com motivos infantis”, explica Débora, executiva da Plavitec. Para que o ponto de venda exponha corretamente os autoadesivos, sem que sejam danificados, a empresa desenvolveu


Fornecedores

um display, que o lojista recebe gratuitamente ao adquirir 72 rolos sortidos da marca. Após acompanhar as tendências no universo fashion e em diferentes setores de negócios, a Vulcan desenvolve os seus autoadesivos e as recentes estampas criadas foram de zebra, onça e poá. A empresa também investe forte nas linhas licenciadas e para este segmento trouxe as coleções do Ben10 Alien Force e Carros. “Se o lojista quer ser bemsucedido neste ramo de negócios ele deve apostar na diversidade do produto, portanto, se tiver em seu mix as versões estampadas, madeiradas e os licenciados não haverá erro: ele estará atendendo bem todas as necessidades dos consumidores”, afirma Roberta.

Os papéis autoadesivos são tradicionalmente usados para encapar cadernos, livros e demais artigos escolares.

Os autoadesivos possibilitam reformar móveis, decorar e customizar ambientes e objetos.Linha Con-Tact.

44


Mercado

Novas apostas As marcas e personagens que estarão em alta nesta temporada de negócios “Uma marca ou personagem agrega valor simbólico a um produto, possibilitando associá-lo a status, diversão, feminilidade, alegria, luxo, ternura, entre outros aspectos. Cada uma destas marcas ou personagens muda a percepção que se tem do produto. E a percepção por sua vez é um elemento fundamental no processo de compra”, analisa Arnaldo Rabelo, executivo da Rabelo & Associados, empresa de consultoria e pesquisas nas áreas de marketing infantil e licenciamento de marcas e personagens. Um setor que movimenta anualmente cerca de R$ 5 bilhões no Brasil e cresce aproximadamente 10% ao ano é realmente bastante atraente, levando tantas empresas a investirem no negócio e, por isso, a cada temporada surgem novas “promessas” no setor de licenças. Mas, como fazer a melhor escolha em meio a tantas opções? Para Rabelo é imprescindível a empresa que for investir neste mercado ter a percepção de que deve haver um total alinhamento e adequação entre o produto, a propriedade licenciada (marca ou personagem) e o público. O conceito emprestado pela propriedade deve ser perfeitamente adequado ao produto e valorizado pelo público. “E deve-se buscar ter produtos de qualidade e diferenciados. Não há marca que salve um item ruim. E para a escolha da marca ou personagem é preciso conhecer muito bem o público, recorrendo inclusive às pesquisas”, alerta Rabelo.

O concorrido das licenças Os indicadores para o êxito de uma licença e as atuais tendências De acordo com o consultor, a parte mais importante – e muitas vezes negligenciada – é a relevância e diferenciação dos conceitos associados à propriedade. “A marca e o personagem devem representar ideias valorizadas pelo público específico. A qualidade das artes para licenciamento também deve ser avaliada. Muitas vezes é o que pode fazer a diferença. Outro elemento importante é a visibilidade e reconhecimento. O público deve ou deverá conhecer a propriedade. Assim, apoio em divulgação ajuda, embora haja vários casos de sucesso sem grande mídia em função do primeiro aspecto que citei. Por último, embora com muita cautela, devemos avaliar se já houve sucesso no exterior ou com outros produtos. Este último ponto tem importância menor, porque o sucesso em outro país não garante o sucesso no nosso. Mas não deixa de ser um indicador”, pondera Rabelo. Sobre os tipos de licenças que vêm ganhando espaço, o executivo destaca que algumas áreas até então menos exploradas estão crescendo como a de personagens para os pré-adolescentes (entre 8 e 12 anos de idade) e as marcas corporativas. O mercado brasileiro de licenciamento ainda é dominado por propriedades estrangeiras, mas é crescente o número de marcas e personagens brasileiros que têm sucesso no setor. O segredo é oferecer algo único, voltado a setores menos explorados. “O licenciamento precisa ser encarado como ferramenta de extensão de marca, isto é, uma forma das marcas conhecidas migrarem para setores diferentes onde elas possam ser valorizadas. Isso deve ser feito com cuidado, pois há mercados em que algumas marcas não devem entrar em função da falta de afinidade com seus conceitos.”

46


e promissor mercado Dicas para o lojista As dúvidas que surgem para a indústria no momento de escolher com qual licença trabalhar também estão presentes no dia a dia dos lojistas, que na hora de compor o mix para comercializar em seu estabelecimento, têm que tomar a difícil decisão por esta ou aquela propriedade. “Em primeiro lugar, o dono da loja também deve procurar conhecer bem o seu público, avaliando o que ele valoriza. A escolha dos produtos deve ser pela qualidade e diferenciação, como sempre. A opção pelas marcas e personagens que estarão neles precisa ser feita com base nos conceitos que

eles trazem e na visibilidade que têm (ou que terão). Uma vez na loja, os produtos podem ser agrupados por marca ou personagem. Fazer uma decoração nessa área com o mesmo tema ajuda a destacar e diferenciar. Se forem marcas infantis, os produtos devem estar expostos na altura dos olhos das crianças. Elas podem influenciar muito na compra. Organizando desta forma faz mais sentido para o público, que poderá valorizar mais a marca que o produto em si”, sugere Rabelo.

OS LICENCIADORES APRESENTAM OS SEUS DESTAQUES PARA 2012 ANDREIA BONETI Marcas, personagens e celebridades nacionais são o carro-chefe da agência, que tem em seu portfólio Mila, Rocker Girl, Princess, Lily Flora, Qui Qui Biscuit, o beauty stylist Duda Molinos e, agora as seguintes novidades: o estilista Dudu Bertholini; a modelo e apresentadora Daniella Cicarelli e a personagem Mila Teen. “Já temos contrato fechado para Dudu Bertholini, que divulgaremos em breve; o trabalho de licenciamento com Daniella Cicarelli começará assim que ela retornar à TV e Mila já tornou-se um clássico e agora na versão teen está mais moderna e virá em uma coleção de cadernos da Jandaia. O nosso objetivo é atuar forte com nossas marcas em diferentes categorias de produtos escolares e de papelaria. Não queremos ter 30 marcas, pois não daríamos atenção para todas como deveríamos. Queremos continuar acreditando nas marcas e pessoas que acreditam na gente e continuar crescendo, trazendo novos e grandes licenciados, abrindo nichos com as marcas que temos em mãos, que para nós são as mais importantes”, afirma a proprietária da agência, Andreia Boneti. Sobre trabalhar com a licença de celebridades, Andreia tem a seguinte opinião: “estas licenças vêm crescendo muito novamente. Tivemos um período de “boom” que foi entre 1999 a 2004 e agora esse modismo está voltando com tudo. A demanda se deve ao próprio crescimento do mercado de licenciamento no Brasil. Acrescento também as licenças de marcas, que têm uma excelente aceitação entre os jovens. Não faltam exemplos de sucesso como Coca-Cola, Red Nose e tantas outras.”


Mercado

BR Licensing Com o know-how de quem já trabalhou com clássicos como Garfield, Snoopy, Smurfs e Miffy, a agência segue com novidades e este ano apresenta marcas importantes e de reconhecimento internacional, relacionadas ao esporte e que atingem de pré-adolescentes a adultos, como: No Fear, Slazenger, Dunlop, Karrimor, Voodoo Dolls e Kangol. As outras novidades estão relacionadas às propriedades de filmes como “Hotel Transilvânia” com estreia prevista para outubro, “As Aventuras de Sammy 2” e “Asterix - A Serviço de sua Majestade”, que chegarão às telas no final deste ano. Outro destaque é a licença do estilista brasileiro Arthur Caliman, bastante conhecido por seus vestidos de festa, levando charme e elegância ao universo das propriedades. “Sobre as tendências no mercado de licenciamento, os personagens continuam fortes. Os clássicos são eternos e certamente têm o seu espaço nas prateleiras. Mas há uma tendência forte de marcas, celebridades e também das licenças “art based”, ou seja, que não há uma mídia, filme, desenho, livro ou qualquer coisa para se embasar. Alguns são tradicionais como Bang on The Door que já tem mais de 25 anos no mercado e Withit com mais de 10 anos e outros são recentes como Charuca e Bad Cat. Estas licenças de arte encantam pela beleza dos traços e por atrair um público que rejeita personagens por considerarem “coisa de criancinha” que é o pré-adolescente. O Brasil ainda está compreendendo como funciona este tipo de licenciamento, mas quem aposta nisso como Luxcel, São Domingos, Tilibra e Santino, só para citar algumas do setor de papelaria, se deram muito bem”, analisa Glenn Migliaccio, diretor da BR Licensing.

48

EXIM LICENSING Propriedades de filmes como Gato de Botas, Kung Fu Panda 2, Madagascar 3 (que virá em 2012), Tin Tin e HOP estão entre as mais recentes propriedades apresentadas pela Exim Brasil, que inclui ainda a marca esportiva UFC e a PBR, do mercado country/sertanejo. “Entramos em 2012 com a apresentação do TUF, o reality show da UFC que está na TV Globo e, em breve, teremos uma nova marca, Jelly Jam, que está fazendo o maior sucesso com a criançada nos Estado Unidos e Europa. No segundo semestre haverá mais novidades”, explica Marcus Macedo, diretor geral da Exim Licensing Brasil. Para o executivo, em função do Brasil sediar importantes eventos mundiais esportivos e devido o bom desempenho de atletas brasileiros em vários esportes, as marcas esportivas estão em alta. “O futebol deixou de reinar absoluto e espaços interessantes estão sendo abertos para esportes como o MMA e a montaria em touro. Para se ter uma ideia, em 2011 foram vendidos mais ingressos para eventos de rodeio no Brasil do que para partidas de futebol do Campeonato Brasileiro. No mesmo ritmo, o MMA cresce. Outro aspecto relevante é que estes novos esportes são mais organizados e profissionais no trabalho com programas de licenciamento, algo que nos esportes tradicionais, em especial no futebol, é muito difícil de acontecer”, analisa Macedo.


Mercado

FICO CORE A Israco Ind. e Com. Ltda é a proprietária as marcas: Lansay, para o segmento de malas de viagem e a Fico, que em 2013 comemora 30 anos de atuação na categoria de mochilas. A empresa criou há um ano e meio a Fico Core, um departamento dedicado a acompanhar e desenvolver a marca Fico dentro do licenciamento. “Depois do sucesso com o surfwear, o próximo passo foi licenciar a Fico dentro do segmento escolar, já que a Israco produz, com sucesso, as mochilas masculinas. Direcionamos nossa ação para o segmento feminino de mochilas. A parceria foi iniciada com a Pacific. Ainda no segmento escolar, a Jandaia lançará, este ano, a linha Fico de cadernos masculinos e femininos, com artes que traduzem bem o astral da marca: estilo surf e inovador”, comemora Augusto Cesar Saldanha, gerente de licenciamento da Fico. A marca pretender atuar forte no segmento infantil, para tanto, em conjunto com a TV Pinguim (criadora do Peixonauta), desenvolveu um projeto de desenho animado: “Fico nas Ondas do Surf”. “É um mergulho “radical” nas ondas da imaginação. Fico e seus amigos Sol, Lipe e Zecão vão levar as crianças para descobrirem um mundo de aventuras, onde a natureza é o personagem principal. As histórias se passam durante as férias de verão em uma praia brasileira. Essa é a nossa aposta de licenciamento para o público infantil. Inovadora e inédita, pois tudo o que se vê por aí, no segmento surf, são aplicações de artes para adultos em produtos infantis. Como é um lançamento, todas as categorias estão em aberto para licenças”, explica Saldanha.

KASMANAS LICENSING A dupla australiana Bananas de Pijamas volta ao Brasil em uma versão de animação 3D e com forte recall do mercado. A primeira edição do projeto no Brasil (1999) foi um case com 42 licenciados, mais de 400 produtos, com destaque para 1 milhão de pelúcias vendidas. O desenho é musical e educativo, e os personagens continuam a ter um apelo nacional forte por ser uma banana, fruta tão conhecida e consumida pelos brasileiros. Outros destaques da Kasmanas são Top Hat, Pretorian, Recreio e Sou Fã de Criança. “Crescemos mais de 150% em 2011, com investimentos em capital humano e foco em desenvolvimento de fortes parcerias com donos de marcas e licenciados que acreditam no novo, no Brasil e no segmento que atuam. Há projetos em andamento para peças de teatro, eventos temáticos e parcerias entre licenciados para cross promotion”, afirma Mônica Bari, sócia-proprietária da Kasmanas Licensing. A executiva analisa que a visibilidade do Brasil colocou as marcas nacionais em um patamar diferenciado no mercado e empresas que nunca trabalharam com licenciamento começam a procurar por marcas que agreguem valor e qualidade aos seus produtos. “Este movimento fomenta especialmente o crescimento de marcas adultas, que refletem um “lifestyle” e design diferenciados. As marcas com causas sociais também tendem a crescer devido o aumento da preocupação mundial com questões como saúde e sustentabilidade.”

50


Mercado

SANRIO DO BRASIL Hello Kitty é certamente um case de êxito no setor de licenças. A Sanrio, criadora da personagem, é quem também faz todo o trabalho de licenciamento e tem no Brasil um mercado bastante lucrativo e promissor. “Em termos gerais, realizamos várias ações com a marca, em feiras/eventos e nos canais de venda, assim como promovemos ações online (mídias sociais) e oferecemos forte apoio através da assessoria de imprensa (divulgação).Temos um planejamento com atuação focada em desenvolver os canais de venda e estar ainda mais próximo dos licenciados, além de contar com as ações de marketing digital que envolvem toda a rede social de fãs da Hello Kitty”,explica Ponciana Lopes de Carvalho, coordenadora de marketing da Sanrio do Brasil. A empresa tem ainda em seu portfólio personagens como Badzmaru, Chococat, Keroppi, My Melody, entre outros, e projeta um crescimento em seu volume de negócios, para 2012, na ordem de 20%.

OS LICENCIADOS

ART MANUAL Atualmente, 60% do portfólio da Art Manual, que é formado por estojos, necessaires, mochilas, aventais infantis e lancheiras, corresponde a itens licenciados. Os recentes investimentos da empresa, que totalizaram em 400 mil reais, foram destinados as propriedades relacionadas aos times de futebol, Carlotas e Marvel. “A vantagem de trabalhar com licenças é que associamos marcas e personagens conhecidos aos nossos produtos e com isso a comercialização torna-se muito mais fácil. Para 2012 projetamos um aumento nas vendas de 15%”, afirma Edi Carlos Andruchow Simões, gerente de vendas da Art Manual.

“A vantagem de trabalhar com licenças é que associamos marcas e personagens conhecidos aos nossos produtos e com isso a comercialização torna-se muito mais fácil”, Edi Carlos A. Simões.

52


CADERSIL Rocker Girl, Princess e Out Law, todas propriedades nacionais e presentes nos cadernos espiralados, brochuras e de desenho da Cadersil vêm repaginadas. “A nossa escolha por estas licenças foi porque são marcas nacionais, de grande expressividade e que retratam o gosto brasileiro. Procuramos conhecer e entender as necessidade dos clientes, bem como as tendências do mercado de licenças e com isso desenvolver produtos que se tornem objeto de desejo, resultando em alta rotatividade nos PDVs ”, afirma Patrícia Cabral, diretora de marketing da Cadersil. Como parte dos trabalhos direcionados às suas linhas licenciadas, a empresa desenvolve material promocional para o pontos de vendas, investe na interação de seus personagens com o público-alvo e no mix de produtos para que os clientes diretos tenham diferentes possibilidades de negócios.


Mercado

CIABRINK Em sua linha educativa formada por dominós, lousa infantil, memórias, jogos de alfabetização, matemática, desafios e carimbos, a Ciabrink trabalha há dois anos com a marca Smilinguido, da Editora Luz e Vida. Recentemente, investiu mais de 120 mil reais e fechou negócios com a Nickelodeon para usar as propriedades: Bob Esponja, Dora a Aventureira e Backyardigans. Os produtos ainda estão em fase de estudo e desenvolvimento. Serão novas linhas no portfólio da empresa, sempre na linha educativa, e apresentados ao mercado em agosto durante a Office PaperBrasil Escolar. “Os personagens com os quais trabalhamos possuem valores semelhantes aos da Ciabrink. Os desenhos estimulam a imaginação, o aprendizado e a convivência com a natureza. Estas licenças encantam as crianças. As marcas Bob Esponja, Backyardigans e Dora a Aventureira possuem força própria e estão constantemente na mídia, em canais abertos e fechados de televisão. Para incentivar as vendas, a Ciabrink também realizará campanhas e promoções no decorrer do ano”, resume Eliane Von Muhlen, diretora comercial da Ciabrink.

CLASSE Segundo dados da Nielsen Sports, 58% dos brasileiros tem a intenção de assistir com mais frequência aos jogos nos estádios de futebol. Essa realidade somada a realização de grandes partidas do Campeonato Paulista influenciam as vendas de produtos licenciados dos principais clubes. Mediante este cenário, a importadora Classe lança a publicação “É Gol” que fala sobre a história do futebol e vem com três brindes exclusivos: a tinta em bastão não tóxica com as cores do time e em embalagem do tipo “stick” com tampa; um bracelete com escudo dos times e um par de bate-bate inflável – que são bastões confeccionados em plástico. Estes brindes estão disponível para os clubes do Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo. A Classe também traz tatuagens temporárias, com símbolos, escudos e outras ilustrações dos quatro times paulistas. Estas tatuagens podem ser aplicadas à pele, madeira, vidro e metal. “Com este alto percentual de intenção de ir aos estádios com maior freqüência, o torcedor brasileiro está mais disposto a adquirir produtos voltados a este mercado. Por isso, estimamos um crescimento de 15% nas vendas destes produtos”, almeja Eliane De Martini, gerente de comunicação da Classe.

54


CREDEAL O investimento em marcas próprias e a conciliação com licenças de sucesso estão sendo a tônica da atuação da Credeal. A empresa, que tem nas licenças 20% do seu faturamento, está investindo bastante nas marcas próprias (60% do mix) e renovou as licenças nacionais e internacionais (40% do portfólio). “O fator preço também é preponderante para assumirmos essa postura. Com marcas próprias, nossos produtos se tornam mais competitivos pelo preço e pela qualidade. Estamos com quatro agências de criação, destinadas exclusivamente à elaboração dos novos produtos”, explica Ricardo Frederico, diretor de marketing e vendas da Credeal. A empresa está com um plano de merchandising forte nos pontos de venda. Também participará de algumas revistas do segmento, além de fortalecer a comunicação e interação com o consumidor final. “Faremos ainda ações direcionadas aos clientes, investimentos em material promocional, em eventos e participação em feiras”, cita Frederico.


Mercado

FORONI Para o próximo volta às aulas, o fabricante de cadernos e agendas estará com novas propriedades como: Galinha Pintadinha, UFC, Batman e BeyBlade. “Todo ano temos que renovar algumas licenças e substituir pelas linhas que não estão mais vendendo. A área de licenciamento é muito ágil e precisamos estar atentos aos novos “desejos” dos consumidores. No ano passado, fomos a primeira empresa a lançar realidade aumentada nos cadernos licenciados da Barbie e Carros. A maior porcentagem de vendas da Foroni vem de produtos licenciados, por isso, estamos constantemente investindo em campanhas, produtos, PDV, mídia etc”, justifica Marici Foroni, diretora da Foroni.

MOLIN Diferentes tipos de canetas, tesouras, giz de cera, lápis preto e colorido, borrachas, grampeadores, maleta de pintura, entre outros itens, da Hello Kitty, Phineas and Ferb e Coca-Cola foram as recentes novidades apresentadas no mix da Molin, que para este ano ampliará seu portfólio com as seguintes propriedades: Patati Patatá, Minie, The Amazing SpiderMan e The Advengers – Os Vingadores. Para escolher as licenças, a Molin conta com uma equipe de pesquisa que acompanha as tendências mundiais e através destes estudos detecta as oportunidades. Partindo deste princípio, define quais licenças vão compor seu mix. Os produtos licenciados representam algo em torno de 30% dos negócios da Molin, que tem atingido um crescimento de dois dígitos no faturamento dos produtos licenciados.

56


Mercado

NIG BRINQUEDOS Em seus jogos cartonados e nos itens em EVA, a NIG apresentou recentemente a extensão da marca Patati Patatá e a nova coleção Bananas de Pijamas, composta por 14 itens. Para este ano, a empresa investiu cerca de 150 mil reais em licenciamento. “Procuramos trabalhar com marcas que atendam ao target de consumo para meninos e meninas de 0 a 4 anos, que tenham exposição na mídia - Patati Patatá (SBT) e Bananas de Pijamas (Discovery Kids) – e conteúdo aprovado pelos pais. A NIG está retomando o licenciamento de seus produtos e por enquanto este segmento representa 12% dos nossos negócios”, explica Roberto Cardeña, diretor da Nig Brinquedos.

PADO Os licenciamentos mais recentes apresentados pela Pado, que há 3 anos investe neste mercado, foram os cadeados da Seleção Brasileira, do Manchester United e do Barcelona. Esses produtos compõem a linha de cadeados Goool que é composta ainda pelos 21 principais clubes do futebol brasileiro. O portfólio de licenciamentos da empresa é composto também pela linha de cadeados Disney, com seis personagens licenciados e a linha TSA, com dois modelos de cadeados. Segundo o departamento de marketing, a ideia foi agregar valor aos cadeados e os resultados apresentados estão acima dos esperados. Em breve, deverá ter novidades. A Pado investe em expositores diferenciados, materiais de apoio e treinamento de toda a equipe de promotores para assegurar uma venda consciente e direta ao consumidor final. Além disso, promove a marca e os produtos por meio de campanhas publicitárias em revistas segmentadas, voltadas ao público chave e inovou com ação no Campeonato Paulista de Futebol deste ano. Em todos os jogos da competição, há uma placa com a logomarca da empresa atrás de cada gol. Esta ação garante grande visibilidade, pois associa a marca a um esporte tão admirado no país todo.

58


Mercado

SUMMIT Para este ano, o maior lançamento da TRIS – que comercializa hidrocores, lápis pretos, lápis de cor, borrachas, canetas, apontadores, cola branca, tesoura, kits, entre vários outros itens - é a coleção da propriedade Monster High. Criada em 2010 pela Mattel, a marca é formada por uma turma de adolescentes que são filhas de monstros e personalidades famosas, como Drácula, Frankstein e Lobisomem. Toda a linha foi desenvolvida de forma a explorar a particularidade de cada personagem, como a romântica Draculaura, a fashionista Frankie Stein e a simpática Lagoona. Além desta propriedade, a TRIS apresenta 7 licenças Disney, 4 da Mattel, 5 clubes de futebol, além de Judy - personagem criada há um ano pelas empresas Summit, Foroni e Sestini - que está com nova roupagem e design atualizado. “A Summit trabalha com um grupo de licenças que abrange os mais diferenciados perfis de consumidores, tanto no que diz respeito ao gênero e faixa etária quanto à variedade de temas e valores relacionados a cada propriedade, que variam entre esportes, aventura, amizade, fantasia, diversão entre muitos outros. A construção do portfólio de licenças está diretamente relacionada com o perfil do público de nossos produtos. Nosso esforço de marketing se concentra no desenvolvimento de um mix completo, facilitando a exposição no PDV e permitindo que o consumidor tenha a linha de escrita completa de seu personagem favorito. Além disso, temos a área de trade marketing direcionada a atender o lojista com equipamentos de exposição de produto, disponibilização de promotores nas lojas, criação de ações e muito mais!”, comenta Andrea Medeiros, gerente de marketing da Summit.

60


Tendência

Rotuladores Vale a pena incrementar o mix da loja com estes pequenos equipamentos

Em meio a tamanha concorrência, os lojistas que apostarem em um mix que contemple diferentes categorias certamente terão vantagens competitivas. Então, que tal passar a comercializar os rotuladores? Rotuladores são equipamentos que possibilitam a impressão e criação de etiquetas em diversos formatos e cores. A aplicação é diversa: em casa, para a identificação de CDs/DVDs, brinquedos, material escolar, alimentos que vão ao freezer etc. No comércio ou na indústria as aplicações também são inúmeras, como por exemplo, em máquinas, equipamentos, produtos de almoxarifados, identificação de patrimônio, entre outros. Para atender tais demandas, o mercado oferece desde opções mais básicas até modelos profissionais; e a escolha do mix de cada loja dependerá do perfil dos clientes. As papelarias estão entre os principais canais para comercialização destes equipamentos manuais e eletrônicos, assim como as lojas de informática. Além disso, vale lembrar que ao adquirir o rotulador, o consumidor sempre volta ao estabelecimento para comprar os suprimentos (fitas) necessários para o uso dos equipamentos e com isso gera-se novas vendas no estabelecimento. “Os rotuladores são produtos bem interessantes e com baixa concorrência. As papelarias precisam focar na divulgação da solução e não apenas em vender o equipamento”, opina Luiz Pierri, coordenador de marketing da Gomaq, que atua nos canais de soluções, distribuição e governo, oferecendo equipamentos de marcas como Brother, Elgin, Lexmark, Sharp, entre outros parceiros. Segundo Pierri, um dos modelos de roteadores mais procurados pelas papelarias, devido à praticidade e simplicidade de uso, é PT-70. O equipamento imprime automaticamente data e hora, sendo ideal para quem precisa criar etiquetas de validade. Outro importante distribuidor a atuar neste segmento

Gomaq distribui desde a linha básica até modelos profissionais, com software de edição e etiquetas especiais.

62


Tendência

A Dymo foi precursora no mercado, criando o primeiro rotulador manual, usado até os dias atuais.

A Dymo investe na

rotuladores

categorização d

a

linha:

destinados ao usuário eventual ou doméstico é “Home” e destinados ao profissional “Office”.

64

é a Imex do Brasil, que trabalha com os rotuladores e etiquetadores manuais, eletrônicos e impressoras de etiquetas Dymo, marca com mais de cinco décadas de experiência no setor de identificação. “A Dymo foi a precursora no mercado, criando o primeiro rotulador manual. Era preciso girar o disco “margarida” e apertar tecla a tecla até que a etiqueta fosse impressa pelo sistema de relevo. Apesar de atualmente os rotuladores eletrônicos dominarem o mercado de identificação, ainda hoje este rotulador manual por relevo é bastante utilizado, sendo que a papelaria é o canal natural para se encontrar este produto”, lembra Rodrigo Quinzane Juliatto, diretor comercial da Imex do Brasil. Sobre a demanda atual, Juliatto descreve que como a cada dia mais pessoas passam a ter contato com os rotuladores, há um crescimento expressivo pelos mais básicos. Porém, à medida que o consumidor conhece novas possibilidades de utilização, cresce também a procura pelos eletrônicos, com funções mais complexas, como impressão de código de barras e conexão com computador, permitindo imprimir uma gama ainda mais ampla de etiquetas. “A Dymo segue investindo em novos produtos e tecnologias. Em breve, serão apresentados dois novos modelos de rotuladores, sendo que um deles já segue a tendência de conexão com o computador, o que permite criar uma infinidade de etiquetas usando os recursos e fontes do Windows/Mac. A marca está investindo bastante na categorização da linha, classificando os produtos destinados ao usuário eventual ou doméstico como “Home” e aqueles destinados ao usuário profissional como “Office”. Isso inclui comunicação visual que diferencia as categorias tanto nas embalagens quanto no PDV, onde também estão sendo criadas peças como  displays, folhetos, material promocional etc, que irão facilitar e auxiliar o usuário a escolher a melhor solução”, explica Juliatto. A Imex estima atingir neste ano um crescimento nas vendas na ordem de 30% em relação ao ano anterior. “É importante frisar que essa categoria é crescente e tem um potencial enorme, ainda mais com  exigências de padronização e qualidade como a ISO onde o uso de identificação e rótulos são importantes aspectos levados em consideração.”


Tendência

Rotuladores para uso doméstico Segundo Renan Rocha de Moraes, analista de marketing da Brother, os rotuladores para uso doméstico têm apresentado um crescimento significativo nas vendas. “Acreditamos que por conta da melhoria de vida do brasileiro, as pessoas passaram a consumir produtos que antes, devido a situação financeira, eram deixados de lado, como é o caso dos rotuladores. Já na categoria de produtos para aplicação profissional (fitas laminadas) o crescimento se deve por conta da profissionalização do mercado de Telecom. Além disso, a troca de placas de alumínio por fitas laminadas, para o controle de ativo fixo, fez esta categoria crescer bastante.” A Reis Office, maior distribuidora da Brother do Brasil, oferece rotuladores portáteis, mesa, conectável ao PC, dupla função (mesa e conectável ao PC) e industrial. Recentemente, a marca lançou o PT-90, rotulador para uso doméstico/escolar com função “deco mode” (padrões prontos de etiquetas decorativas), que também permite a troca do padrão de cores do próprio rotulador: branco e verde, branco e azul ou branco e preto. “A Brother pretende atingir um crescimento nos negócios na ordem de 40%, ainda neste ano. Há muito mercado a ser explorado, tanto na linha para escritórios, como para uso corporativo e nas indústrias. Estamos com um intenso trabalho de capacitação e treinamento nas revendas, com equipes de promotores e material interativo para explicação do conceito dos produtos (vídeos com aplicações e imagens explicativas)”, afirma Moraes.

Como trabalhar a exposição no PDV Qual deve ser a correta exposição dos rotuladores no PDV. Quais os cuidados que o lojista deve ter? Estas dúvidas podem surgir tanto para quem já comercializa tais produtos, quanto para quem está iniciando nesta categoria. Para o executivo da Brother, Moraes, o principal é demonstrar a aplicação do equipamento. “80% ou mais da demonstração deve se concentrar na aplicação. Quando se explora muito o produto, inicialmente a pessoa demora a entender qual a finalidade do aparelho, mas se as aplicações estão claras para o cliente, o entendimento é bem mais rápido”, observa, acrescentando que a exposição dos roteadores nas lojas pode ser feita próxima às pastas corporativas e cadernos, às vezes com displays na fila do caixa ou até mesmo no próprio caixa. Juliatto, da Imex do Brasil, afirma que um dos principais cuidados é expor os rotuladores por categoria e deixar próximos deles, todos os suprimentos relacionados, como por exemplo, as fitas, pois com isso são estimuladas as “vendas casadas”, o que é bastante interessante para os lojistas.

A marca Brother adota como conceito “Impressão em um toque”.


Informática

Leve e prático O Mouse Slim, da Multilaser, é um acessório fino, leve e prático, com conexão USB e resolução de 800 dpi. Vem em três opções de cores: preto, branco e pink. www.multilaser.com.br

Acessórios ecológicos O headphone Bambo, com conchas auriculares em bambu e o suporte para notebook produzido em garrafa pet, compõem a linha ECO da Integris, produzida a partir de materiais recicláveis e ecológicos. www.integrisbrasil.com.br

Design retrô As caixas de som, Tick Tock, da Edifier mesclam tecnologia e design retrô. Traz MP3 interno, leitor de cartão SD e pendrive, funciona como relógio, despertador e Rádio FM. www.edifier.com.br

66


Acessório para leitura eletrônica AnyBook Reader é a caneta interativa que auxilia na leitura e aprendizagem. Distribuída pela Cweb, é possível gravar, ler e reproduzir o conteúdo de livros. Não necessita de software e tem baixo consumo de bateria. São duas versões: 15 hs ou 60 hs de gravação e reprodução. www.cweb.com.br

Case para iPad Com detalhes em lantejoula, o case Caveira, da Leadership, possui formato que encaixa o gadget com precisão, é produzido em neoprene, tem costura reforçada, zíper exclusivo e é lavável. www.leadership.com.br

Capa com exclusivo limpador de tela A Macally apresenta MSuitP4, a capa protetora para iPhone 4 e 4s. Em silicone preto, tem como principal diferencial o limpador destacável de tela para remover resíduos da tela, sem causar danos ao telefone. www.macally.com


Prateleira

Praticidade em novo modelo de pasta A pasta sanfonada retrátil da Dac tem sistema de abrir e fechar, que pode ser feito apenas com uma das mãos, agilizando a organização. Disponível nas cores fumê, azul e lilás. www.dac.com.br

Bom gosto em linha feminina Mochilas, bolsas, cases para notebook e estojos em modelos arrojados, coloridos e inspirados nas tendências internacionais são as opções para as consumidoras, disponíveis na linha Femme, da Foroni. www.foroni.com.br

Pastas em cores vibrantes A linha Neon da Pasta Apresentação Proposta Grampeável, da Yes, no formato A4, é feita em polipropileno reciclável, tem capa transparente, contracapa colorida e capacidade para 20 folhas www.yesbrasil.com.br

68


Número 1 em marcadores As linhas de marcadores permanentes, de texto e para quadro branco Sharpie chegam ao Brasil em ponta chanfrada, fina, ultrafina e diferentes cores. O diferencial do produto é que realmente ele permite escrever em várias superfícies. www.sharpie.com.br

Grampeadores e perfuradores modernos e eficientes A Acrimet apresenta sua nova linha de grampeadores e perfuradores de papel. Os primeiros são oferecidos em diversos tamanhos, capacidades e tecnologias como “toque fácil”, que necessita de menos esforço para grampear e “flat”, que faz com que o grampo fique reto após o grampear, reduzindo a altura da pilha de papéis. E os perfuradores, em diferentes tamanhos, perfuram de 08 a 30 folhas e possuem guia para a centralização dos papéis. www.acrimet.com.br

QR Code nos cadernos Cadernos com conteúdos digitais é a novidade da Credeal. Uma chave QR Code, em todas as contracapas, disponibiliza na internet informações de entretenimento, moda etc. É um código de barras bidimensional acessado por celulares, tablets ou PCs. Basta apontá-lo para a câmera desses aparelhos e automaticamente é direcionado a uma url com conteúdo exclusivo. www.credeal.com.br


Serviço Entrevista Virtual Gate www.virtualgate.com.br

Categoria de Produto Alfacell www.alfacell.com.br Bic www.bic.com.br DL Tel.: (11) 4063-6980 Duracell www.duracell.com.br Elgin www.elgin.com.br Energizer www.energizerbr.com.br Leadership www.leadership.com.br Rayovac www.rayovac.com.br

Mercado Andreia Boneti www.andreiaboneti.com

Art Manual www.artmanual.com.br BR Licensing www.brlicensing.com.br Cadersil www.cadersil.com.br Ciabrink www.ciabrink.com.br Classe www.classejl.com.br Credeal www.credeal.com.br Exim www.eximlicensing.com Fico Core Tel.:(11) 2842-4242 Foroni www.foroni.com.br Kasmanas www.kasmanas.com Molin www.molin.com.br Nig Brinquedos www.nigbrinquedos.com.br Pado www.pado.com.br

70

Sanrio www.sanrio.com.br Summit www.summit.com.br

Memória Durex / 3M www.durex3m.com.br

Fornecedores Plavitec www.plavitec.com.br Vulcan www.vulcan.com.br

Tendência Gomaq www.gomaq.com.br Imex do Brasil www.imexdobrasil.com.br Reis Office www.reisoffice.com.br www.brother.com.br


72

Profile for Revista Papelaria & Negócios

Revista Papelaria e Negócios edição 96  

Na vanguarda tecnológica: Sistema auxilia varejista a definir estratégias para atrair e gerir melhor os clientes

Revista Papelaria e Negócios edição 96  

Na vanguarda tecnológica: Sistema auxilia varejista a definir estratégias para atrair e gerir melhor os clientes

Advertisement