Page 1


2


Editorial

Uma loja para todos

DIREÇÃO Paschoal Sabatine paschoal@papelariaenegocios.com.br William Gimenes william@papelariaenegocios.com.br

Ao abrirem os seus pontos de venda, os lojistas têm pela frente uma série de exigências a cumprirem, além disso, devem considerar vários outros aspectos, como a escolha do ponto, o mix a ser comercializado, mobiliário, funcionários, fornecedores etc. Mas, em meio a tantas necessidades e exigências, um ponto acaba sendo bastante negligenciado por muitos empresários: a acessibilidade, para que a loja possa receber, sem restrições, os clientes com deficiência física. Rampas, corredores mais largos, sinalizações, entre outras adaptações necessárias são raras nas lojas! Conversamos com a arquiteta, Thaís Frota, especialista na área de acessibilidade, que apresenta sugestões aos lojistas e traz importantes informações. Estamos no começo do ano e nesta época entre os itens que compõem a lista escolar e têm bastante procura estão os papéis A4. Filiperson, International Paper e Suzano apresentam os seus últimos investimentos. No-

PUBLICIDADE Marco Aurélio Sabatine marco@papelariaenegocios.com.br JORNALISTA RESPONSÁVEL Lia Freire (MtB 30.222) redacao@papelariaenegocios.com.br PROJETO GRÁFICO, DIAGRAMAÇÃO Cristiana Lacutissa/Vitor Lacutissa CL Studio (11) 2749-0738 clstudio@terra.com.br CAPA Patricia Chammas ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Av. Alcântara Machado, 924 cj. 03 – Brás – CEP 03102-001 – São Paulo Fones (11) 3207-3896 / 3271-5867 pn@papelariaenegocios.com.br www.papelariaenegocios.com.br

vidades também são apresentadas na matéria de fragmentadoras. Muitos modelos estão compactos, têm novas tecnologias e maior capacidade. A Revista Papelaria & Negócios inicia 2012 com novidades em seu editorial. Eventualmente publicaremos a seção Memória, onde traremos produtos que têm uma longa trajetória, são tradicionais e por suas características, facilidades e inovações, tornaram-se sinônimo de categoria e ainda hoje estão presentes no mercado. Esperamos que gostem! Boa Leitura!

A Revista Papelaria e Negócios é uma publicação mensal da Top Brasil Editora dirigida a lojistas e fornecedores de artigos para papelaria e informática. Circulação nacional.

O conteúdo dos artigos e as declarações textuais contidas nas reportagens da Revista Papelaria & Negócios são de responsabilidade dos articulistas e entrevistados.


Sumário

6 Marketing & Negócios – As notícias que movimentam o setor.

12

Entrevista - A arquiteta Thaís Frota fala sobre acessibilidade no ponto de venda.

16 Categoria de Produto – Os papéis escolares A4.

20

Raio X dos Negócios – Comercial Papelaria há quase 7 décadas no comércio de Colatina (ES).

26 Memória - A história da caneta esferográfica Bic.

30

Artigo – Ricardo Pinto Silva aborda a questão do atendimento.

32 Tendência – As novas fragmentadoras.

42

Licenciamento – As marcas e personagens que estão em evidência.

45 Informática – As novidades do segmento. 46 Prateleira – Um mix diversificado. 48 Brinquedos – O que está chegando nas lojas.

4


Marketing & Negócios “Uma gota muda tudo” é o novo conceito da Bic Bond.

Bic apresenta novo conceito para a sua cola instantânea

Chamequito está sendo comercializado na Argentina, Paraguai e Peru.

Papel Chamequinho ganha versão para o mercado latino Chamado “Chamequito”, o papel produzido pela International Paper, está sendo comercializado na Argentina, Paraguai e Peru. “Atualmente abastecemos essas regiões com nossa linha de papéis Chamex, disponível em pacotes de 500 folhas. Pelas nossas pesquisas, notamos que o mercado sente a necessidade de um produto de pacote de 100 folhas e, por isso, nada melhor do que uma marca voltada para o público estudantil e educadores, com mais de 30 anos de tradição no Brasil”, comenta o diretor de negócios internacionais, Raul Guaragna. Chamequito é encontrado em pacote de 100 folhas, na versão branca A4, 75 gramas, com embalagem semelhante à brasileira. www.internationalpaper.com.br

A Bic apresenta o conceito “Uma gota muda tudo”, adotado com o objetivo de criar uma identidade de comunicação original para a Bic Bond. “Buscamos transmitir a ideia de que com uma dose pequena do produto, o consumidor consegue reparar, de maneira rápida e eficiente, objetos que podem fazer toda a diferença no seu dia-a-dia”, explica Felipe Favoretto, gerente da categoria de novos negócios da Bic Brasil. A cola apresenta um pino antientupimento de metal, que age como se fosse uma “agulha”, garantindo melhor aproveitamento do produto e mais praticidade durante o seu uso, podendo ser aplicada em plástico, metal, porcelana, borracha, entre outros materiais. www.bic.com.br O executivo da Tilibra, Marcos Mohacsi, faz a

Tilibra faz doação de materiais escolares

entrega do material à Maria Sueli Peres, diretora da instituição beneficiada.

6

A empresa organizou no início de janeiro a doação de materiais escolares à Creche Berçário Municipal Aida Tibiriçá Borro, de Bauru (SP). A ação é parte de um projeto interno que consiste na doação de materiais escolares a instituições da cidade a cada 30 dias sempre que o muro que cerca a Tilibra não for pichado. A creche foi beneficiada com cadernos, colas, tinta guache, réguas, apontadores, apagadores, etc. Os materiais foram entregues à diretora da instituição, Maria Sueli Peres, pelo diretor administrativo/financeiro da Tilibra, Marcos Mohacsi. www.tilibra.com.br


Itens da lista de material escolar podem ter até 47% de tributos Levantamento do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário - IBPT reúne os principais itens que constam na lista de material escolar e os seus respectivos tributos. Uma caneta, por exemplo, pode ter 47,49% do valor  revertido aos cofres públicos nas três esferas de poder: federal, estadual e municipal. Além deste item, outro produto com alta incidência tributária é a régua, com 44,65% do valor revertido em tributos. Em seguida, com carga tributária de 43,19%, estão a agenda e borracha escolar e 42,71% no preço de um tubo de cola. Já a mochila carrega em seu valor 39,62% de tributos.   Para o presidente executivo do IBPT, João Eloi Olenike, “a alta carga tributária sobre itens como a caneta, lápis e caderno, indispensáveis no volta às aulas, é um dos fatores que pode dificultar o acesso do brasileiro à educação”. Para Olenike, é importante que o contribuinte cobre das autoridades providências para a desoneração desses produtos.  Na ferramenta eletrônica Lupa No Imposto, criada pelo IBPT, o contribuinte pode ter uma ideia de quanto o tributo representa no valor final dos itens. Basta fazer o cadastro no site www.lupanoimposto.com.br, buscar o produto e inserir o preço pago. O sistema faz o cálculo do preço real do produto, descontado o valor dos tributos. Confira os principais itens da lista de material escolar e a carga tributária:   Produtos Agenda escolar            Borracha escolar Caderno Universitário Caneta Cola tenaz                 Estojos para lápis Fichário                        Folhas para Fichário   Lancheiras Lápis                            Livro escolar     Livros Mochilas                      Papel Pardo                 Papel Sulfite                Pastas Plásticas          Régua       Tinta Guache              Tinta Plástica             

www.ibpt.com.br

Carga Tributária 43,19% 43,19% 34,99% 47,49% 42,71% 40,33% 39,38% 37,77% 39,74% 34,99% 15,52% 15,52% 39,62% 34,99% 37,77% 40,09% 44,65% 36,13% 36,22%


Marketing & Negócios

Principal evento nacional, de negócios, dedicado ao segmento de decoração natalina, a Natal Show – Feira Internacional de Artigos e Decoração de Natal acontece de 15 a 18 de junho de 2012, no Expo Center Norte, em São Paulo. Em sua terceira edição, a feira tornou-se o principal evento do setor. Este ano, será realizado numa área de 19 mil m² com cerca de 100 empresas expositoras, que apresentarão as novidades e tendências para as festas de final de ano em artigos de decoração, fitas e tecidos, peças artesanais, árvores, bolas e velas, iluminação, caixas e papéis de presente, guirlandas e presépios, utensílios especiais e bonecos. Na última edição, a feira recebeu a visitação de 20 mil profissionais. Paralelamente à Natal Show, acontece a Expo Parques e Festas 2012 – 6ª Feira Internacional de Produtos e Serviços para Parques Temáticos, Buffets e Festas Infantis. www.feiranatalshow.com.br

Evento acontece em agosto Promovida pela Francal Feiras, a 26ª edição da Office PaperBrasil Escolar – Feira Internacional de Produtos, Suprimentos e Acessórios para Escritórios, Papelarias e Escolas acontece entre os dias 27 e 30 de agosto, no Anhembi, em São Paulo, onde reunirá numa área de 60 mil m² cerca de 350 empresas, agrupadas de acordo com o segmento em que atuam: office e produtos escolares, papelaria em geral, e pastas, mochilas e acessórios. Voltada exclusivamente para papelarias, supermercados, varejo em geral, distribuidores, representantes comerciais e mercado corporativo, sua visitação é qualificada, atendendo as expectativas das empresas expositoras que têm na feira seu foco principal para os lançamentos anuais de produto, além de reforçarem a imagem de suas marcas. www.officepaperescolar.com.br

8


Foroni aposta em stop-motion na sua nova campanha O fabricante de cadernos e agendas inicia o volta às aulas de 2012 com a campanha “Cadernos Foroni – Volte com Tudo”. Foram produzidos três filmes: um para Barbie, que destaca o game de Realidade Aumentada criado especialmente para a boneca, que leva o usuário para dentro do closet da personagem; o outro é para a linha Carros 2, também destacando um código de RA, que coloca o comprador do caderno para correr na pista com o Relâmpago Mac Queen; e o terceiro traz uma visão geral de todos os destaques da coleção Foroni 2012. Para tornar a campanha atraente aos jovens consumidores foi utilizada a tecnologia de stop-motion, que faz efeitos de “reverso” e transformações nos quartos e nos figurinos dos personagens. O projeto, criado pela Colors Publicidade, foi produzido pela Yellow. A campanha será veiculada na forma 360o, englobando diversas mídias, como TV, veículos impressos e virtuais. www.foroni.com.br

O mote da campanha de 2012 é “Cadernos Foroni – Volte com Tudo”.


Marketing & Negócios

Volta às aulas no Extra

As campanhas publicitárias da Bic

A rede varejista reforça seus estoques para garantir um volta às aulas com todas as novidades em cadernos, canetas e mochilas. Este ano, os destaques são os produtos com personagens, como Ben 10, Carros, Princesas e Marie. O aumento na procura dos itens de volta às aulas começou nas lojas logo após o Natal e a expectativa é de um crescimento de 15% em comparação ao mesmo período de 2011. Além das ofertas exclusivas, como o Extra Vantagem, Extra Oferta e produto grátis na compra do item vinculado, a rede oferece condições de pagamento facilitadas. Todo o sortimento de papelaria poderá ser parcelado em até 10X sem juros no Cartão Extra.  www.extra.com.br

A companhia realiza o maior investimento de sua história em campanhas de marketing. São três filmes: um para reforçar a linha Colorir Bic, outro para os marcadores permanentes Bic Marking e o terceiro para todo o portfólio Bic para o período de volta às aulas, criados pela BorghiErh/Lowe. “Começamos o ano com uma estratégia agressiva de marketing e um investimento inédito em campanhas, para mostrar aos consumidores tudo que a Bic tem para oferecer. São três filmes dedicados à categoria de papelaria, que reforçarão nosso amplo portfólio, que contempla produtos para todos os gostos e bolsos”, comenta Emerson Cação, diretor de marketing da Bic Brasil. A campanha de volta às aulas ganhou o slogan “Volte às aulas com tudo. Volte às aulas com BIC”, com o objetivo de divulgar a variedade da linha de produtos que a marca oferece para o público adolescente, em diferentes veículos como TV, revistas focadas no público-alvo e rádio. Durante os meses de janeiro e fevereiro, a campanha também contará com spots em rádios nas cidades de São Paulo, Salvador e Recife e anúncios impressos em revistas direcionadas ao público adolescente. www.bic.com.br

Tilibra lança sua campanha de volta às aulas Intitulada “Todos os Estilos Tilibra” e sob o comando da Talent, a campanha de volta às aulas do fabricante traz um hotsite onde é possível conferir todas as capas de cadernos universitários 2012, além de vídeos exclusivos com Tatá Werneck, garota-propaganda da marca para esta temporada. Os vídeos mostram a humorista em situações inusitadas e engraçadas, destacando as coleções 2012. Também neste ano a marca continua seu trabalho no universo online através do seu Twitter oficial (@tilibra_oficial), de sua Fan Page no Facebook (facebook.com/tilibra) e de seu canal no Youtube. No hotsite, além de conhecer as coleções de capas, é possível participar, através do envio de vídeos, de um concurso cultural. O desafio proposto é sugerir, de modo engraçado, criativo e original, como seria uma capa de caderno com o seu estilo. Serão distribuídos, semanalmente, kits Tilibra e o vencedor ganhará, ao final do concurso, um tablet. Em janeiro, a Tilibra fez o lançamento da Rádio Tilibra, no canal Sonora, do Portal Terra. Mídia impressa, online e spots na Rádio Tilibra divulgam as ações online e o concurso cultural. E, pensando no universo televisivo, a marca registra presença na TV aberta (MTV) e em canais fechados como Cartoon Network, Disney Channel e Boomerang. www.todososestilostilibra.com.br www.tilibra.com.br

10

“Todos os Estilos Tilibra” é a campanha do fabricante de cadernos para a temporada 2012.


Empresa fecha contrato de distribuição com a Oki do Brasil Há três anos distribuindo as marcas HP, Epson, Lexmark, Samsung, Canon, dentre outras, a RT Tecnologia fechou no final de 2011 o contrato de distribuição com a Oki do Brasil. O interesse mútuo foi gerado devido às oportunidades de mercado e pela sinergia de trabalho entre as empresas. “Entendemos que para um bom desempenho dos negócios precisaríamos focar na marca, visto a necessidade de suporte aos subdistribuidores, VARs , além dos negócios pulverizados. Não olhamos o negócio somente pelo volume apresentado, mas sim, pela oportunidade de construção de valor agregado. Contratamos um especialista na marca, treinamos a equipe e já estamos com um programa de marketing para o canal”, explica Rogério Tridapalli, executivo da RT Tecnologia. www.rttecnologia.com.br


Entrevista

De portas abertas para TODOS os clientes “Se o lugar não está pronto para receber todas as pessoas, então ele é deficiente.”

A arquiteta Thaís Frota em seis anos de experiência realizou cerca de 4.500 análises de acessibilidade.

Um importante impeditivo da efetiva inclusão das pessoas com algum tipo de deficiência física ou mobilidade reduzida continua sendo, sem dúvida, o preconceito. Mas, ele não está sozinho! Em todo o Brasil, por exemplo, ainda encontramos uma infinidade de barreiras físicas que impedem a livre circulação destes cidadãos, inclusive em estabelecimentos comerciais. Muitas lojas não dispõem de rampas, sinalização, entre outras adaptações necessárias para permitir o acesso, circulação e permanência de pessoas com deficiência. Segundo senso do IBGE de 2000, 14,5% da população brasileira apresentava algum tipo de deficiência e 8% da população tinha acima de 65 anos. Isso sem contar com as pessoas que estão ligadas àquelas com deficiência, que indiretamente também sofrem com a falta de acessibilidade. E já se passaram 12 anos deste levantamento. Para falarmos sobre a acessibilidade no varejo, conversamos com a arquiteta e especialista no assunto, Thaís Frota, que tem seis anos de experiência na área e neste período

12


realizou cerca de 4.500 análises de acessibilidade. A profissional apresenta dicas e informações de como o lojista pode fazer do seu ponto de venda um local acessível a todos os clientes.

Revista P&N - Que tipo de varejo mostrase mais evoluído nesta questão? Thaís Frota – Os supermercados têm essa preocupação, pois alimentação é algo que todas as pessoas necessitam. Porém, este tipo

Revista Papelaria & Negócios - Qual a sua análise so-

de acessibilidade é voltada para pessoas de

bre o varejo brasileiro em termos de acessibilidade, seja

cadeira de rodas, deixando de lado o cego

para o funcionário e/ou consumidor, que tenham algum

ou quem tem baixa visão, além de surdos e

tipo de deficiência?

anões.

Thaís Frota – Infelizmente, hoje a maioria do varejo não

Revista P&N - Existem leis, algum tipo

é acessível, especialmente as lojas de rua. Encontramos o

de obrigatoriedade, que o varejo deva cum-

mínimo de acessibilidade nos pontos de venda localizados

prir em termos de acessibilidade?

nos shoppings centers devido à facilidade de chegar, circular e usar o sanitário. Para as pessoas que trabalham no

Thaís Frota – Temos a Lei Federal

varejo esse cenário piora, pois se existe acessibilidade é

10.098/2000 que diz que todos os lugares de-

sempre pensando no consumidor final.

vem promover acessibilidade para todas as pessoas. O Decreto 5296/2004 regulamenta

Revista P&N - Quais os principais avanços obtidos

essa Lei e é muito completo no que diz res-

neste cenário? E onde ainda pecamos? Poderia citar

peito à obrigatoriedade. Se o estabelecimento

exemplos?

não for acessível estará descumprindo uma Lei Federal e poderá responder juridicamente

Thaís Frota – Avançamos muito com relação à legis-

por isso.

lação, que impõe aos projetos o mínimo de acessibilidade

para serem aprovados pelas prefeituras e que os estabele-

Revista P&N - Quais seriam as suas di-

cimentos se adequem à Norma de Acessibilidade. Pecamos

cas em relação à questão da acessibilidade,

por achar que as pessoas com deficiência não são consu-

para o papeleiro que esteja montando ou

midores. Cito duas situações que exemplificam bem esta

pensando em reformar o seu estabeleci-

questão: uma loja que vende roupas de festas. Se chegar

mento? Quais seriam os aspectos primor-

uma mulher obesa, uma moça de cadeira de rodas e uma

diais?

anã, com certeza (99% de probabilidade) não haverá como atender essas clientes. Ou por não ter numeração ou por

Thaís Frota – Devemos primeiramente

não se preocupar com a acessibilidade. Outra situação que

pensar na diversidade humana, por isso, reco-

posso elucidar é a de um grupo de amigos que deseja ir a

mendo a disposição nas prateleiras de forma

um happy hour e entre eles há uma pessoa que usa cadeira

vertical. Hoje os produtos estão expostos hori-

de rodas. Esta pessoa com seus amigos, também consumi-

zontalmente, há os mesmos itens na prateleira

dores, precisam ir a um lugar acessível, então, o que acon-

mais alta, na do meio e na inferior. Se os pro-

tece é quepor não haver muitos estabelecimentos onde o

dutos fossem dispostos verticalmente todas as

cadeirante possa ir, eles vão sempre ao mesmo lugar.

pessoas teriam acesso. Os corredores devem


Entrevista

ser proporcionais ao seu comprimento, isto é,

ficações antigas não foram projetadas para todas as pesso-

quanto maior ele for, mais largo deve ser. E a

as. Parte daí a primeira resistência em se adaptar.

tecnologia deve ser usada para facilitar a loco-

Depois, quando um espaço é alugado para comércio,

moção e autonomia de pessoas cegas. Algo

tudo é analisado: ponto, público, preço... e acessibilidade

que permita a fácil leitura do preço e a carac-

nunca é prioridade. E mais uma vez fica em segundo plano.

terística básica do produto.

Os proprietários das lojas não veem nenhuma vantagem em

Os departamentos precisam estar bem si-

adequar seu espaço, isso por uma questão de conscienti-

nalizados, com placas informativas em cores

zação mesmo. As pessoas não fazem denúncias. Não tem

contrastantes e legíveis para fácil entendimen-

um órgão que fiscaliza e aplique multas, mesmo sendo Lei

to de qualquer pessoa, estando ela em qual-

Federal.

quer ponto da loja. Revista P&N – O custo para fazer essas adaptações em um estabelecimento é alto? Teria uma média de valor

Revista P&N – Quais seriam as regras

para nos passar?

primordiais que o varejo deveria seguir para oferecer o mínimo de acessibilidade a essas

Thaís Frota – Se acessibilidade for prevista ainda em

pessoas?

projeto, o custo no total sai 1% do valor da obra. Se adapThaís Frota – O mínimo é ter acesso físico:

tarmos um espaço existente, esse valor pode ficar bem alto,

rampa com inclinação e corrimãos adequados

dependendo de como está a edificação. Cada caso é um

sempre associados à vaga reservada para

caso.

pessoas com deficiência. Se possível, é impor-

tante que essa rampa de acesso seja coberta.

Revista P&N - Como está hoje em dia a contratação

Os funcionários devem ser treinados para lidar

no mercado de trabalho de pessoas com deficiência? Te-

com todas as pessoas, oferecendo ajuda sem

ria algo a dizer, particularmente no varejo?

chegar empurrando ou arrastando a pessoa; deve-se dirigir ao deficiente e não a quem está

Thaís Frota – Deficiente não fica sem trabalho. As gran-

ao lado; agir com naturalidade e se colocar à

des empresas precisam atender a Lei de Cotas e contratar!

disposição caso precise; saber levar a pessoa

Logo, são consumidores e precisam consumir como qual-

até o sanitário, acesso, balcão, produto etc;

quer cidadão. Existem diversas empresas especializadas

não usar o sanitário acessível como depósito

em intermediar a empresa e profissionais com deficiência.

de material de limpeza etc.

Esse mercado está bastante aquecido. Revista P&N - Como você analisa o futuro da acessi-

Revista P&N – Na sua opinião, por que

bilidade no varejo?

temos poucas lojas adaptadas? Thaís Frota – Em primeiro lugar, as facul-

Thaís Frota – Sou otimista. As pessoas com deficiência

dades de arquitetura agora é que começaram

querem os seus direitos de consumidores respeitados e as-

a ensinar a projetar pensando na diversidade

segurados e começam a procurar a justiça. Os lojistas estão

e não apenas em um “homem padrão”. As edi-

começando a prestar atenção neste público.

14


Categoria de Produto

Os papéis escolares e a Papéis fluorescentes, novas embalagens e destaque para o conceito de sustentabilidade Agora com o volta às aulas, os papéis A4 estão entre os produtos escolares de maior procura e o que eles apresentam de novo nesta temporada? Fomos conversar com três importantes players para mostrarmos estas novidades. No mercado há 33 anos, a linha Chamequinho, da International Paper, é direcionada ao público infantil, produzida a partir de florestas 100% plantadas e renováveis, certificadas pelo Cerflor, Sistema Brasileiro de Certificação Florestal, gerenciado pelo Inmetro e reconhecido internacionalmente pelo PEFC (Program for Endorsement on Forestry Certification). O produto traz o conceito “É mais divertido com ele”, a fim de torná-lo o grande companheiro de todas as ações que as crianças possam fazer, ou seja, ler, estudar, brincar e crescer.

Nova embalagem para a linha Chamequinho. O mascote foi redesenhado e a abertura tem um prático sistema abre e fecha.

A companhia investiu, no ano passado, R$ 2 milhões na criação de layout e divulgação das novas embalagens das suas linhas Chamex e Chamequinho. Para este último, o personagem foi redesenhado com um traço arredondado, ficando moderno e ainda mais amigável. O desenho das roupas e as cores ficaram próximos do universo escolar e a embalagem continua transparente e 100% reciclável, trazendo informações sobre sustentabilidade de uma forma didática. Outro destaque está no exclusivo sistema “abre e fecha”, chamado de Microdots, que consiste em micropontos de ar que auxiliam o processo de selagem da embalagem, tornando mais fácil a sua abertura. O Chamequinho é comercializado em pacotes de 100 folhas no formato A4 e em seis cores (branca, amarelo, marfim, azul, rosa e verde), além da versão reciclada. O site do Chamequinho também foi reformulado, ficou mais interativo, colorido e divertido. O grande mote para atrair o público infantil está nos jogos e brincadeiras. As novidades são inúmeras: há um novo jeito de navegar, foram criados jogos e brincadeiras mais atraentes, os educadores ganharam um espaço exclusivo com dicas de atividades para se fazer com o papel, como aulas de origami, histórias em quadrinhos dentre outras atividades. De acordo com a gerente de comunicação corporativa da International Paper, Gisele Gaspar, neste volta às aulas foram criados para o pon-

16


as suas novidades “Neste volta às aulas foram criados para to de venda materiais específicos para reforçar a divulgação o ponto de das novas embalagens destacando as principais alterações que ocorreram no layout, sistema que abre mais fácil e o selo venda materiais específicos de 99,99% de não atolamento. “A nossa meta é mantermos a liderança da marca no mercado, alinhando melhorias contínu- para reforçar a divulgação das as aos nossos processos produtivos sustentáveis.” nossas novas

Qualidade em forma de papel

embalagens”, Gisele

Gaspar, da A Filiperson, fabricante brasileiro de papéis especiais, tem International em sua linha escolar a marca Filipinho. Há os papéis de recorPaper. te e colagem, Filipinho Color e Color Cards; o sulfite em embalagens de 100 folhas, os blocos de papéis para desenho, os blocos e envelopes de papel vegetal, os blocos de anotações Filinote e a linha de papéis coloridos Filicolor. Após pesquisas nos mercados internacionais e desenvolvimento em seus laboratórios, a empresa lançou no ano de 2011 os papéis fluorescentes Filipinho Lumi e os papéis Filicolor Lumi, em cores vibrantes, mantendo todas as características dos seus papéis para uso escolar, tais como, composição atóxica e livre de ácidos, garantindo a segurança dos pequenos consumidores; composição da estrutura e sistema de corte progressivo que asseguram bordas macias, evitando Composição que as crianças se cortem ao manusearem os papéis e atóxica, livre maleabilidade do rasgo do papel que possibilita à criança de ácidos, facilidades em suas tarefas ao utilizar a linha Filipinho.  bordas macias O conceito usado em todos os papéis da empresa é  a e maleabilidade “Qualidade em forma de Papel”. “Somos extremamente exisão as gentes com relação à qualidade. Cremos que só assim foi características possível atingir a liderança no mercado brasileiro de papéis destacadas pela especiais e nesse patamar nos mantermos por tantos anos”, Filiperson em sua afirma Daniel Grassiotto, gerente operacional comercial e de linha de papéis marketing da Filiperson.  escolares.


Categoria de Produto

O fabricante mantém equipes de promotoras que visitam as escolas, demonstrando a qualidade e adequação dos produtos  aos professores, coordenadores educacionais e diretores para que incluam os mesmos nas listas escolares. Da mesma maneira, no período de volta às aulas, de forma cooperativada, mantém promotoras nos pontos de vendas auxiliando no atendimento, esclarecendo os consumidores, organizando a exposição dos produtos e monitorando a velocidade necessária de reposições. Por fim, são ministrados treinamentos aos vendedores, capacitando-os a prestar um atendimento diferenciado, fidelizando os consumidores. “Temos ano a ano crescido nas vendas de produtos escolares, revelando um índice muito acima de qualquer crescimento da economia ou mesmo dos índices de inflação. Este fato comprova o acerto de nossa política de foco nas necessidades dos consumidores e manutenção da qualidade superior de nossos produtos”, conclui Grassiotto.

“Somos extremamente exigentes com relação à qualidade. Cremos que assim foi possível atingir a liderança no mercado brasileiro de papéis especiais e nesse patamar nos mantermos por tantos anos”, Daniel Grassiotto, da Filiperson.

Inovação, tecnologia e sustentabilidade

Para o volta às aulas, o destaque principal da Suzano fica para a linha Suzano Report® Senninha, que está com nova embalagem que reforça os conceitos de sustentabilidade com dicas de preservação ao planeta, a fim de enfatizar a importância da conservação ambiental e do consumo consciente. “Uma das principais mudanças em nossa linha está nas embalagens, que vêm com visual moderno, impactante e contém informações mais objetivas e elementos que traduzem as mais diversas formas de utilização dos nossos produtos e, principalmente, nossa preocupação com o meio ambiente e a sociedade. As caixas de embarque também foram totalmenA linha Suzano te reformuladas, facilitando sua identificação no armazenaReport® mento. Tudo isso é um grande passo para a reconstrução da Senninha está marca Report®, de forma consistente, forte e perene. A partir com nova de 2012 ela vem endossada pela marca Suzano, entregando embalagem ao consumidor, uma comunicação que mostra seus valores que reforça de forma clara e autêntica numa busca constante desta ino conceito de terligação”, explica André De Marco, gerente de produtos da sustentabilidade unidade de Papel da Suzano. com dicas de A mudança nos envoltórios de toda a linha Suzano Represervação ao port® refletiu também nas lojas através da entrada dos noplaneta. vos materiais de pontos de venda: adesivos,  displays para

18


“A partir de 2012, a nossa marca Report® vem endossada pela marca Suzano, entregando ao consumidor uma comunicação que mostra nossos valores de forma clara e autêntica”, André De Marco, da Suzano.

folhetos explicativos (take one), displays de balcão, plásticos de forração, precificadores e totens para reforçar a nova identidade visual da marca e o diferencial dos produtos. Com isso, a Suzano espera reforçar ainda mais o relacionamento com os lojistas no período de volta às aulas, além de enfatizar a marca com o mais completo portfólio do mercado. Com o foco na inovação e sustentabilidade, a Suzano também lançou novas versões da linha Suzano Report® contendo o selo de certificação concedido pela instituição britânica Carbon Trust, como o Suzano Report® Multiuso e o Suzano Report® 360º. O selo atesta e valida o trabalho desenvolvido pela empresa com o inventário da pegada de carbono e vem somar à certificação FSC®, já presente em toda a linha de produtos da empresa. “A submissão das pegadas de carbono dos produtos à auditoria do Carbon Trust demonstra a preocupação da Suzano em possuir mais do que um selo que ateste a precisão dessas pegadas em nosso portfólio. É uma forma de evidenciar o nosso compromisso com a redução das emissões de gases de efeito estufa”, destaca André. Mais do que incentivar o uso dos papéis no ambiente escolar, a Suzano tem a preocupação de conscientizar a garotada sobre questões ligadas à sustentabilidade, à cultura e à educação. Por isso, diversos projetos encabeçados pelo Instituto Ecofuturo (criado e mantido pela Suzano desde 1999) são direcionados não somente aos alunos, mas também aos professores e coordenadores.  Alguns dos principais projetos que serão realizados em 2012 são o 3º Prêmio Ecofuturo de Educação para a Sustentabilidade; O Dia Nacional da Leitura, O Programa de Visitação ao Parque das Neblinas (Reserva Ambiental na Serra do Mar que é mantido pelo Ecofuturo) e também as Bibliotecas Comunitárias existentes dentro e fora de diversas escolas espalhadas pelo Brasil. “Com as atuais e importantes mudanças ocorridas em nossa linha nos últimos tempos realizamos diversas ações de marketing, que vão desde a campanha de comunicação em caráter nacional abrangendo nossa rede de distribuidores, os lojistas e até mesmo os consumidores (de uma maneira indireta) reforçando as novidades da linha, até a atualização de nosso treinamento em todo o Brasil, onde destacamos para os distribuidores e lojistas todos os diferenciais competitivos da linha e especialmente a nossa responsabilidade socioambiental. Ação esta que foi tão elogiada por todos e que nos motivou a continuá-la em 2012”, finaliza o gerente da Suzano.


Raio X dos Negócios

Comercial Papelaria

Do ramo gráfico à consagrada papelaria de Colatina, no Espírito Santo Habilidade, tino comercial e paixão pelo trabalho não faltam ao comando da Comercial Papelaria, que mantém-se há quase sete décadas no mercado. Mas, há muito mais por trás desta gestão

Tradição e inovação marcam os negócios da Comercial Papelaria.

Tudo começou com a Tipografia Comercial, fundada pelo senhor Brunório Serafini no ano de 1943 em Colatina (ES). O carrochefe do negócio era o ramo gráfico com uma atuação bastante tímida na comercialização do material escolar. No decorrer de quase sete décadas, os negócios se solidificaram e hoje são formados pela Gráfica Comercial e a Comercial Papelaria, com duas unidades, ambos são administrados pelas filhas e netas do fundador. “É com muito orgulho que trabalhamos para acompanhar e modernizar a nossa mar-

ca, que é tão querida em Colatina. É um aprendizado eterno”, afirma Adria Serafini Barcellos, gerente da Comercial.

Presente onde o cliente estiver Adria explica que o negócio da papelaria se caracteriza por ser tradicional e ao mesmo tempo inovador, além disso, todas as ações promovidas são voltadas para a satisfação dos clientes, que no caso da loja, são formados por universitários, estudantes em geral, pais e empresas. “Constantemente estamos atentos às necessidades, desejos e ao cotidiano dos consumidores e nos adaptamos a cada nova demanda.

20


Por exemplo, entramos no facebook Em 2011 a loja onde postamos produtos e promoções, promoveu para apresentamos dica de livros, promo- a sua equipe, ções dos nossos fornecedores etc”, formada por 32 colaboradores, o explica Adria. E as ações para estar próximo dos 1º Seminário de consumidores são se limitam às redes Integração. sociais, a loja promove a Feira do livro e assim chega às escolas, públicas e privadas, onde cria um ambiente lúdico com contadores de história, para que as crianças fiquem mais próximas do mundo dos livros. “Levamos nossa livraria até eles.” A Comercial também conta com um sebo, onde os livros novos têm um preço médio de R$10,00 e os usuários podem comprá-los e posteriormente trocá-los a um valor bem pequeno. Outro ponto a ser destacado no negócio da papelaria é o marketing de relacionamento. Todos os anos, por exemplo, são produzidos calendários e blocos de rascunhos para serem entregues às empresas e para o período de volta às aulas são distribuídos diferentes brindes. Este ano foram réguas.

ção, com uma viagem para a região serrana do Espírito Santo. Na ocasião foram realizadas palestras e alguns momentos de lazer, onde todos puderam compartilhar experiências e perceber algumas questões a partir de uma ótica diferenciada. “Foi gratificante ver a equipe unida e feliz. É sempre bom ter momentos para festejar e vivê-los juntos”, comemora Adria, acrescentando ainda que todos os funcionários são estimulados a participarem de treinamentos do SEBRAE e CDL. “Além disso, semanalmente fazemos um momento de reflexão com toda a equipe para lembrarmos das coisas mais importantes da vida.”

Equipe afinada Em 2011 a Comercial Papelaria promoveu para a sua equipe, formada por 32 colaboradores, o 1º Seminário de Integra-

O volta às aulas e muito mais

Os colaboradores usam uniformes que mudam de cor a cada dia da semana.

Uma das principais vantagens, segundo a gerente Adria, em atuar no mercado papeleiro é que a cada novo ano há um momento auge, representado pelo período do volta às aulas. “É uma sazonalidade que sempre chega com um bom volume de vendas e pode garantir mais tranquilidade ao longo do ano. Outro ponto que consideramos importante destacar é que as papelarias se transformaram em locais de satisfação de design, com milhares de novidades e adereços para fotos, escritório, papelaria em geral, artesanato etc. Opções de presentes nunca faltam numa papelaria, isso garante sempre uma boa procura em nossa loja, em todos os grandes momentos de ven-


Raio X dos Negócios

época do volta às aulas também executam encapamento de livros e cadernos. “É mais uma forma de oferecermos praticidade aos clientes. Além disso, representa uma renda extra para os colaboradores”, destaca a lojista.

Uma loja agradável

das do ano (Dia das Mães, Namorados, Pais e Natal)”, exemplifica Adria. Mas, há também dificuldades a serem enfrentadas e neste caso, a lojista aponta como sendo o principal deles ter que concorrer com atacadistas que vendem no varejo. “Driblamos essa situação trabalhando com produtos diferenciados e com uma grande variedade de itens. Alguns clientes optam por fazer as compras nas lojas onde encontram todos os itens.” O mix da Comercial atualmente é composto por itens de informática (10%), escolar (40%), brinquedos (5%), gifts (10%), livros (15%) e artigos para escritório (20%). A maioria das compras, explica Adria, é feita diretamente com a indústria, por intermédio dos representantes ou pela Brasil Escolar. “Evitamos comprar dos distribuidores/atacadistas, pois são nossos maiores concorrentes. Vendem quantidades pequenas a preços baixos para nossos potenciais clientes”, comenta. Há quase sete décadas no mercado, a papelaria tem a sua marca enraizada entre a população de Colatina. “Nossa marca é querida na cidade e tentamos mantê-la a cada dia, trazendo para o cliente um amplo mix de produtos, bom atendimento, preço e serviços.” Por falar em serviços, na Comercial são oferecidos xerox, encadernação e plastificação. Na

O mix da Comercial

Na papelaria de Colatina as atenções estão voltadas para que o ambiente seja o mais agradável possível, por isso, a organização é sempre motivo de estudos e pesquisas. Ao longo dos anos a mobília foi sendo trocada e adaptada aos espaços das lojas, resultando em conforto e praticidade. A sinalização também é destacada dentro de um espaço com muitos itens. E, para complementar, os colaboradores são uniformizados, com uma cor para cada dia da semana.

atualmente é composto por itens de

Próximos desafios

informática

Ao analisar a trajetória da Comercial, Adria contabiliza muitas vitórias e importantes desafios superados. Ao proje(40%), tar o futuro lembra que ainda há muito a conquistar e elegeu brinquedos (5%), dois pontos a serem trabalhados de maneira mais enfática: gifts (10%), aumentar a atuação no universo online, que auxilia na divullivros (15%) e gação da marca, possibilita a realização de campanhas proartigos para mocionais e potencializa os negócios; e trabalhar com uma escritório (20%). equipe ainda mais engajada. Como destaca Rosabeth Moss Kanter, professora de Gestão de Harvard: “não é o talento individual, mas o coletivo que faz a diferença em equipes e empresas vencedoras”. (10%), escolar

Ao longo dos anos, a mobília foi trocada e adaptada aos espaços das lojas.

22


Publieditorial

24


Memória

A caneta esferográfica Bic: uma revolução no mercado da escrita A partir desta edição apresentamos um novo espaço na Revista Papelaria & Negócios. Eventualmente publicaremos a seção Memória, onde traremos produtos que têm uma longa trajetória, são tradicionais e por suas características, facilidades e inovações, tornaram-se sinônimo de categoria e ainda hoje estão presentes no mercado.

Apesar dos anos, a caneta BIC Cristal permanece atual e moderna.

Um toque de nostalgia, remetendo a história de cada produto, curiosidades e a evolução deles serão mostradas aqui. O ponta pé inicial é com a tradicionalíssima caneta esferográfica Bic! A esferográfica Bic é fruto da intuição e da tenacidade do Barão Marcel Bich. Nascido em Turim, em 1914, tinha 30 anos quando se uniu com Edouard Buffard, em 1945, para criar a empresa que manufaturava partes de instrumentos de escrita em Clichy, na França (onde atualmente é a matriz da empresa Bic). Quando muitas canetas esferográficas começaram a surgir no mercado, o Barão Bich notou que quanto mais rápido estes instrumentos de escrita pudessem ser produzidos, ele poderia revolucionar o campo da escrita. No entanto, para isso, a sua qualidade precisava ser melhorada e o preço teria que necessariamente ser acessível para todos os bolsos. Marcel Bich, portanto, adquiriu a patente da caneta desenvolvida pelo húngaro Laszlo Biro e prosseguiu com seu projeto para encontrar a fórmula ideal da tinta, bem como o ajuste perfeito entre a esfera e o tubo de tinta, para isso ele utilizou técnicas de confecção dos relógios suíços. Ele desenhou a futura caneta esferográfica que, ao mesmo tempo, fosse atraente e funcional. Após vários anos de trabalho e investir todo seu capital na linha, o produto estava pronto para sair da fábrica de Clichy, em dezembro de 1950. A caneta esferográfica BIC Cristal encontrou rapidamente um público fiel, que foi em grande parte graças à coragem e à modernidade incrível de um homem que não pensou duas vezes dando o seu próprio nome, menos o “h”, para a mar-

26


A caneta BIC Cristal continua sendo o carro-chefe da empresa na categoria de papelaria.

ca, pois isso facilitaria a pronúncia e a internacionalização da marca. Desde o início, o Barão Bich focou em publicidade e cercou-se de designers e artistas renomados, como Raymond Savignac, que criou o popular “Elle court elle court la pointe BIC” (Não para de correr a ponta da BIC), campanha de 1952, e o estudante caracterizado em 1960. O menino, denominado BIC Boy, com uma cabeça feita da esfera de tungstênio, tornou-se emblema da marca para seus diversos produtos.

O conceito do produto* “A caneta esferográfica BIC Cristal é um objeto cilíndrico com cerca de 15 centímetros de comprimento e oito milímetros de diâmetro. Sua seção é hexagonal. Compõe-se de um corpo transparente, que contém um reservatório fino e duas extremidades: uma “tampinha” e uma “tampa” de várias cores. No corpo transparente, há um pequeno orifício. Esse furo é um achado genial: permite manter a mesma pressão no interior e no exterior do tubo. Com efeito, é a pressão atmosférica que empurra a tinta da carga para a superfície da esfera. Esta, girando sobre si mesma, recolhe algumas moléculas de uma tinta viscosa que, depois de meia rotação, são depositadas sobre o papel. A caneta esferográfica pode, deste modo, traçar uma linha de três quilômetros. O outro orifício, aquele da tampa, é mais recente e feito para obedecer a uma norma internacional de segurança. Mas é em torno da esfera que se escondem os maiores dos pequenos segredos da BIC. Se esse lugar da esfera for muito largo ou a ponta ficar com folga, a BIC vaza. As esferas são feitas de carbureto de tungstênio – o mais duro dos aços.” *Fonte: Livro “A maravilhosa aventura do Barão Bich”.

Evoluções e inovações Apesar dos anos, a caneta BIC Cristal permanece atual e moderna, tanto que exemplares dela estão expostos em

dois dos principais museus de arte moderna do mundo: Museu de Arte Moderna de Nova Iorque, nos Estados Unidos, e Centro Georges Pompidou, na França. Os mesmos diferenciais que fizeram com que o produto fosse um sucesso em seu lançamento ainda se mantêm: simples e acessível, porém a qualidade, eficiência e conveniência do produto transformaram-no em uma caneta tradicional de credibilidade. A BIC Cristal é um produto atemporal e que teve melhorias durante os anos, como por exemplo, a tampa ventilada. Do mesmo sistema de escrita, esferográfica, surgiram inúmeros produtos que valorizam diferentes pontos como o conforto, design, cores etc. Para acompanhar o sucesso da BIC Cristal, a empresa constantemente lança outros produtos que complementam a linha.

BIC Cristal é “Top of Mind” A caneta BIC Cristal comemora com resultados muito positivos apontados recentemente no estudo encomendado pelo Grupo BIC Global para identificar o reconhecimento da mar-


Memória

ca – brand awareness – de seus instrumentos de escrita em diversos países em que atua. No Brasil, a marca teve 98% de lembrança por parte dos entrevistados – quase uma unanimidade –, quando questionados se conheciam a marca BIC como instrumentos de escrita (incluindo canetas, lápis e marcadores), e 86% quando abordado para dizer qual a primeira marca que vem à sua cabeça quando se fala de instrumentos de escrita. Ambas as taxas representam cerca de 15% de aumento com relação à última pesquisa conduzida há dez anos, acima da média global. O Brasil foi o país que teve maior lembrança dentre os localizados na América Latina.

BIC Cristal: sexagenária, caneta reconhecida mundialmente faz sucesso até hoje A caneta BIC Cristal continua sendo o carro-chefe da empresa na categoria de papelaria. A empresa reformulou a embalagem dando destaque ao aniversário de 60 anos do produto e ao fato de que, segundo o Inmetro, é a caneta esferográfica que mais escreve do mercado. Atendendo às solicitações de consumidores, a empresa traz também mais intensidade à tinta das quatro cores da linha: azul, vermelha, verde e preta.

O conceito do produto. Campanha de 1952.

A Bic traz mais intensidade à tinta das quatro cores da linha: azul, vermelha, verde e preta.

28


Artigo

ATENDIMENTO é tudo A venda tem o seu início no atendimento e o resultado do negócio a ser gerado será de acordo com o atendimento prestado. O atendimento nada mais é do que a sensibilidade e habilidade de lidar com situações distintas e o poder de transformá-las em algo positivo para a própria pessoa, para a empresa que representa e para o cliente atendido. Uma situação de vendas não será conduzida sempre da mesma maneira, uma vez que dependerá do perfil de cada cliente, ou seja, há formas personalizadas para efetuar as negociações. As situações podem ser parecidas, mas os seres humanos não! Muitas vezes o que satisfaz um cliente, não

Por Ricardo Pinto Silva*

atenderá um outro e vice-versa, por isso, não existe uma regra para o bom atendimento. Lidamos com sentimentos, caráter, personalidade, educação, enfim, com uma série de fatores que não dependem de quem está realizando o atendimento. O que depende de nós é saber identificar cada uma destas diferenças nas pessoas e atendê-las de forma a superar suas expectativas. O atendimento está diretamente ligado a capacidade de entender e atender as pessoas de forma que elas se sintam satisfeitas, de acordo com a capacidade e a necessidade de cada uma delas e também dentro das possibilidades de quem está prestando o atendimento. Nunca prometa algo apenas para ser gentil se você não for capaz de cumprir. Atender bem e com excelência não quer dizer resolver todos os problemas dos clientes, muitas vezes o atendimento será feito para mostrar de uma forma “simpática” que algumas coisas não podem ser atendidas da maneira solicitada, mas que mesmo assim você está ao lado do cliente para colaborar dentro do possível. Quando o atendimento é excelente, fica mais simples e fácil de serem resolvidos todos os possíveis obstáculos. Quem já deixou de comprar alguma coisa que necessitava por ter recebido um mau atendimento? Quem já comprou alguma coisa que não necessitava por ter recebido um excelente atendimento? O dia a dia das pessoas é um eterno atendimento, basta disposição, boa vontade e muita atenção.

*Ricardo Pinto Silva é gerente da Acrimet.

30


Tendência

A evolução das frag A escolha do melhor equipamento tem a ver com o tipo de documentos que se quer fragmentar, a capacidade de processar e o tipo de corte desejado

Elas são responsáveis por manter o ambiente organizado, limpo e fácil de trabalhar. São a solução para evitar o acúmulo de papéis e outros materiais de escritório que não são mais utilizados, além de destruir informações confidenciais. Há uma grande variedade de modelos e preços, que permitem a escolha da fragmentadora ideal para o uso que se lhe quer atribuir. Distribuidora das marcas Aurora e Procalc, a CH Tech oferece opções de fragmentadoras tanto para uso pessoal, quanto para pequenos escritórios ou grandes corporações. São versões que variam de 6 a 15 folhas, algumas fragmentam cartões de crédito e outras CDs e DVDs. No segundo semestre, a empresa apresentará novidades, inclusive de uso para alta confiabilidade. “Em nosso mix priorizamos o design e a qualidade das máquinas, além disso, oferecemos assistência técnica nacional e estoque de peças de reposição para os modelos que trabalhamos. Destacamos também em algumas de nossas fragmentadoras a tecnologia shredsafe, que possui travamento automático de funcionamento caso o bocal do papel não esteja na posição certa, evitando acidentes”, observa Lucas Huang, diretor comercial da CH Tech.

O tipo de corte O executivo da CH Tech explica que basicamente, as fragmentadoras destroem papéis e objetos em três formatos: tiras, partículas e em confeti.Os usuários que procuram preço A CH mais baixo acaba optando pelos modelos que fazem os corTech é tes em tiras, com um grau de segurança menor no sigilo das distribuidora informações que se desejam destruir. Já para aqueles que das marcas Aurora desejam fazer um investimento maior, os modelos que oferee Procalc. cem cortes em partículas ou confeti são os ideais.

32


gmentadoras Maior capacidade e fragmentação em partículas O foco de vendas da Elgin, seguindo a tendência de fragmentadoras de maior capacidade e que fragmentam em partículas, está na FC 7150C, que apresenta um cesto com capacidade de 28 litros, corta 15 folhas de uma só vez em partículas de 3,9 X 44 mm, além de fragmentar cartões, CDs e DVDs. A empresa tem em seu portfólio outros dois modelos: a FC 7121, que possui cesto com capacidade para 13 litros e corta 12 folhas em tiras de 6 mm, cartão e CD/ DVD e a FR 7061 que tem capacidade menor, cesto de 11 litros e corta 6 folhas em tiras de 6 mm. A Elgin destaca que oferece assistência técnica em todo o território nacional, com a troca ou reparo dos equipamentos. A expectativa de negócios é que haja uma demanda cada vez maior, já que na análise da Elgin, os consumidores estão buscando cada vez mais segurança em relação aos documentos. “O consumo de fragmentadoras manteve-se estável durante 2011, porém em alguns meses houve um consumo maior do que o previsto e, isto ocorreu, devido os nossos melhores preços em relação à concorrência. A expectativa é de aumentar as vendas com os lançamentos que teremos para 2012, principalmente com a linha de fragmentadoras contínuas”, analisa Mara Cristina Lavia, gerente de marketing da Elgin.

Com novas tecnologias Segundo Patrícia Cristina, diretora da empresa Fragcenter, começa haver um maior interesse pelas fragmentadoras de melhor qualidade, que possuem, por exemplo, componentes internos metálicos (mais resistentes) e que funcionam continuamente sem superaquecimento, para não ocasionar perda de tempo ao usuário. Ainda segundo a executiva, os produtos chineses começam a perder terreno na preferência dos consumidores. “Fragmenta-

No portfólio da CH Tech há opções que fragmentam de 6 a 15 folhas, além de cartões de crédito, CDs e DVDs.


Tendência

doras de preço baixo geram desconforto e aborrecimentos. O tempo é produto precioso e fragmentadoras de baixo rendimento acabam ficando mais caras no decorrer dos anos.” A novidade da empresa - que comercializa fragmentadoras com capacidades de 3 até 500 folhas por vez, todas com Certificação de Qualidade testada por laboratório técnico especializado - é a fragmentadora com sistema Destaque da Elgin, a FC 7150C tem cesto com capacidade de 28 litros, corta 15 folhas de uma vez em partículas de 3,9 X 44 mm, além de fragmentar cartões, CDs e DVDs.

de alimentação automática de papéis. Ou seja, uma máquina para escritório, onde o usuário pode armazenar até 170 folhas e um sistema de alimentação fragmenta as folhas uma a uma, automaticamente, sem a necessidade da presença do usuário. “Nossas máquinas se diferenciam devido a maior durabilidade, confiabilidade do corte (as partículas são homogêneas), funcionamento contínuo sem paradas por superaquecimento, maior rendimento, funcionamento silencioso e segurança para o operador. A robustez garante ao usuário uniformidade no tamanho do fragmento. Componentes internos metálicos ao invés de plásticos, também é um outro importante diferencial”, destaca Patrícia. A Fragcenter tem uma ampla rede de assistência técnica, que abrange todas as capitais do Brasil. A empresa tem também um estoque de peças para que o atendimento possa ocorrer no menor tempo possível. A executiva da Fragcenter analisa que o consumo de fragmentadoras tem aumentado moderadamente. “A venda de fragmentadoras de alta qualidade proporciona muitos anos de utilização sem a necessidade de troca. Isto freia um pouco o crescimento no número de unidades vendidas, mas aumenta o lucro gerado, devido o maior valor agregado e à menor incidência de despesas com assistência técnica.O mercado de fragmentadoras cresce a uma taxa anual de 5% a 7% e este índice deverá perdurar em crescimento por cerca de 10 anos.”

Fragmentadora portátil Visando facilidades no manuseio e no transporte, a Multilaser apresenta fragmentadoras portáteis. Uma delas fragmenta até 5 folhas ao mesmo tempo, corta em tiras de 7mm, tem botão reverso que evita entupimentos e oferece tempo máximo de fragmentação de  2 minutos. Conta com braço lateral extensor que se adequa a qualquer cesto e se estende até 35,5 cm. A outra máquina fragmenta até 7 folhas

34


Tendência

As fragmentadoras da Multilaser apresentam o botão “reverse”, que evita entupimentos e retorna a folha caso tenha sido introduzida por engano.

A4 ao mesmo tempo, CD/ DVD e cartão magnético. Os cortes são em tiras transversais de 7mm e o cesto tem capacidade para 11 litros. Também conta com modo reverso que evita entupimentos e oferece tempo máximo de fragmentação de 2 minutos. “Para o segundo trimestre estamos estudando o lançamento de um modelo bivolt, produto que ainda não temos em linha. Uma batalha tecnológica é conseguir fazer com que uma fragmentadora de primeiro preço trabalhe mais de 2 ou 3 minutos sem intervalos”, adianta Denys Brito, coordenador de produtos da Multilaser. A empresa disponibiliza dois serviços diferentes de garantia aos seus produtos. A convencional e a online, esta última, uma inovação onde o cliente final pode acompanhar todo o procedimento, desde o envio do produto à fábrica até a volta dele em sua casa. O consumo de fragmentadoras, segundo o executivo da Multilaser, vem crescendo acentuadamente. No ano de 2011, por exemplo, a empresa vendeu 160% a mais se comparado com o mesmo período em 2010, o ano de lançamento deste item na sua linha de produtos. “A nossa projeção de crescimento para este produto em 2012 vai ficar entre 90% a 92%”, afirma Brito.

Um mercado para as papelarias explorarem De maneira geral, os fornecedores de fragmentadoras afirmam que as papelarias poderiam explorar melhor a comercialização

A Multilaser aposta em modelos portáteis.

36


destas máquinas, que segundo eles, agregam um importante diferencial no faturamento e atraem para a papelaria os clientes corporativos. “Mas, não basta deixar a fragmentadora em um canto da loja. É necessário apontar os diferenciais das máquinas, apresentar o produto, ou seja, ter ao menos um exemplar para demonstração e testes. Oferecemos às revendas todo o suporte necessário para a comercialização, inclusive ajudamos aqueles que desejam entrar em licitações, auxiliandoos com as especificações e análise dos produtos. É um segmento que tem muito potencial para crescer”, opina o executivo da CH Tech, Lucas. A empresa almeja neste ano crescer 20% em vendas. Para a gerente de marketing da Elgin, Mara Cristina, as papelarias grandes são bons par-

ceiros na comercialização das fragmentadoras, mas ainda é preciso melhorar a parceria com as pequenas. Na análise da executiva da Fragcenter, Patrícia, as papelarias lidam com uma quantidade de itens muito extensa e os vendedores não têm tempo para se aprofundarem aos detalhes técnicos das fragmentadoras. “Em razão disso, alguns papeleiros optam por oferecer as opções de fragmentadoras de baixo preço e qualidade duvidosa (normalmente produzidas na China), já que é uma opção mais rápida de efetuar a venda. Porém, o consumidor que adquire a fragmentadora de baixa qualidade certamente irá se aborrecer e ficará com uma má imagem da papelaria”, afirma. Patrícia ainda sugere que o lojista ao expor as fragmentadoras, coloque junto a cada modelo as características técnicas, vantagens e desvantagens. “Assim, o cliente decide por qual máquina levar.”

A Winner III, da Yes, fragmenta clipes, grampos, cartões de crédito, CDs e DVDs, tem compartimento para formulário contínuo, acionamento automático, sensor de segurança luminoso e sonoro quando o cesto está cheio ou com a porta aberta, retorno automático quando há sobrecarga e proteção contra superaquecimento.

38


A mais completa do Setor

Acesse: www.papelariaenegocios.com.br ou ligue: 11 3207-3896 40


Receba mensalmente sua P&N


Licenciamento

Para os fãs de rock Em sua linha que segue o conceito fashion, a Credeal apresenta coleções de cadernos universitários de bandas consagradas e ícones no cenário internacional do heavy metal e rock como Metallica e The Beatles. www.credeal.com.br

Linha Senninha Os produtos escolares da marca Senninha são destaques neste volta às aulas. A linha inclui cadernos, mochilas, colas, pastas, lancheiras, papel sulfite, entre outros. Os royalties dos produtos são 100% destinados ao Instituto Ayrton Senna, que atende anualmente cerca de dois milhões de crianças e jovens de escolas públicas. www.senninha.com.br / www.senna.org.br

Patati Patatá em produtos escolares A duplinha promete fazer da hora do estudo um momento muito mais divertido. A linha é composta por cadernos, giz de cera, kit arte, estojos, mochilas, entre outros itens. Tudo colorido e lúdico, de acordo com o universo de fantasia dos personagens. A propriedade é licenciada pela agência Kasmanas. www.kasmanas.com

42


Teleco e Teco no mercado editorial Luis Angelotti, CEO da Angelotti Licensing anuncia a chegada dos primeiros produtos lançados sob licença para itens de consumo, da dupla de palhaços Teleco e Teco. São duas publicações: uma Revista de História em Quadrinhos e uma Revista de Atividades, produzidas pela Deomar Editora. Segundo Angelotti, estes são os primeiros lançamentos de um programa de licenciamento, que prevê faturamento de cerca de 150 milhões de reais, preço ao consumidor, em 2012. www.luizangelotti.com

Hello Kitty no volta às aulas A famosa gatinha está na versão rock, pop e mad. A Pacific traz as linhas infantis, Buttons e Fun, que incluem mochiletes e mochilas de diferentes tamanhos, estojos e lancheiras e duas linhas juvenis, All in Colors e Free Hand, compostas por mochila, tote bag e estojo. www.pacific.com.br


Licenciamento

Uma turminha especial A Nickelodeon apostou em uma vasta linha de produtos para o volta às aulas 2012. Cadernos, caixa organizadora, mochilas, lancheiras, estojos, canetas, massas de modelar, entre outros itens, tornam-se ainda mais especiais para a garotada ao estarem associados a personagens como Bob Esponja, iCarly, Fanboy & Chum Chum, Backyardigans e Dora. http://mundonick.uol.com.br/

Kits criativos dos principais personagens infantis Produtos que estimulam a criatividade das crianças e ao mesmo tempo divertem estão no portfólio da Long Jump. São kits com canetinhas e gizes de cera, tapetes para colorir, estojos, entre outros itens, que estão associados a personagens como Minnie , Mickey, Princesas, Toy Story, Ben 10, Charlie & Lola, Meu Amigãozão, Carros 2, Peixonauta, Gata Marie e Fadas. www.longjump.com.br

44


Informática Proteção até debaixo d’água Da marca Sumdex, distribuída pela Office Media, a Impulse Full Speed Rain Bumper é uma mochila para notebooks com até 15”. Em tecido impermeável, traz capa de chuva embutida, compartimento revestido em tecido antirrisco, divisões, além de saída para fones de ouvido. www.officemedia.com.br

Caixas acústicas em madeira A Edifier lança as caixas de som, para desktop ou notebook, R600 USB. Com design clássico, em MDF, vêm com controle remoto, ajuste de volume e opção mute, além de proteção magnética. www.edifier.com.br

Garantia de um bom som A Multilaser lança o Speaker 2.1 15W RMS Bivolt Wood Black. Com subwoofer em madeira, acabamento black piano, tem ajuste de treble e bass independentes. Acompanha o produto o cabo P2/RCA para computador. O cabo RCA/RCA para TV pode ser adquirido separadamente. www.multilaser.com.br

Compacto e alta capacidade de memória O pen drive Ultra MINI é o destaque da NewLink. Compacto e pesando 2.75g, destaca-se por oferecer capacidade de memória, de 4 a 32 GB e por ser fabricado no processo “chip on board”, em que a parte eletrônica é encapsulada como acontece com os circuitos integrados. www.newlink.com.br


Prateleira Bolsas para as descoladas A Foroni apresenta as Tote Bags nas versões Femme e Paul Frank, cada uma com 3 estampas. As bolsas têm alças que podem ser usadas como mochila, além de bolsos internos. www.foroni.com.br

Sofisticação em cadernos Em sua linha de cadernos universitários, a Dac oferece versões feminina e masculina, cada uma com 4 capas. A My Way, por exemplo, tem layout em material pardo com verniz. Bolas, flores, espirais e tribais compõem o visual desta linha.  www.dac.com.br

Arte em rabiscos A nova coleção de cadernetas produzida pela Cicero Papelaria, Sketch Collection 2012, tem capas com rabiscos diferenciados, de seis artistas plásticos como Antonio Bokel e Matheus “Mathiole” Lopes. www.ciceropapelaria.com.br

46


Escrita com suavidade e resistência A Pentel do Brasil apresenta a grafite Hi-Polymer Ain, nas especificações 0.3, 0.5, 0.7 e 0.9. A novidade oferece resistência e suavidade e vem em embalagens com sistema de abre-fecha que possibilita a retirada de uma grafite por vez, sem contato com as demais. www.pentel.com.br

Novos marcadores de páginas A 3M tem novidades na marca Post-it Flags. São pacotes de 100 unidades nos tons azul, amarelo, vermelho, verde claro e pink. Tem os Flags Transparentes (pink, laranja, amarelo fluorescente e azul); e os Flags de Papel, com 200 unidades em cores variadas, com 50 itens cada: verde claro, amarelo, laranja e pink. www.3m.com.br


Brinquedos Diversão no banho Para o momento do banho ser ainda mais prazeroso, a Girotondo traz os Amigos Divertidos. O brinquedo vem em 2 opções de bichinhos: gato/peixe e elefante/ jacaré, que podem ter a cabeça e o corpo trocados. www.girotondo.com.br

Um divertido carrinho sonoro Bibi, o Aventureiro, da Brinquedos Estrela, é indicado para os consumidores pequeninos. Macio, vem com 4 melodias, 20 vozes e efeitos sonoros. Quando a criança o move, ele diz a direção do movimento: “para frente” e para trás”, e quando capota faz um barulhão. www.estrela.com.br

Curtindo um som com o Peixonauta

Brinquedo do Pokémon Em sua linha de brinquedos Pokémon, a Long Jump lança o Pokémon Pop N Battle, que vem com uma Pokebola. A criança dispara o personagem, que desliza, e tenta acertar o alvo, que funciona como uma armadilha que prende o personagem.  www.longjump.com.br

Para os fãs do Peixonauta, a Candide traz Companheiros, composto por mini rádio FM com relógio digital. O relógio funciona com bateria LR 41 inclusa apenas para demonstração e o rádio utiliza 2 pilhas tamanho AA. www.candide.com.br

48


Serviço

Entrevista Thaís Frota http://thaisfrota.wordpress.com Raio X dos Negócios Comercial Papelaria www.comercialpapelaria.com.br Categoria de Produto Filiperson www.filiperson.com.br International Paper www.chamequinho.com.br Suzano www.suzano.com.br Artigo www.acrimet.com.br Tendência CH Tech www.chtech.com.br Elgin www.elgin.com.br Fragcenter www.fragcenter.com.br Multilaser www.multilaser.com.br Yes www.yesbrasil.com.br Memória Bic www.bic.com.br

50


52

Profile for Revista Papelaria & Negócios

Revista Papelaria e Negócios edição 93  

Revista Papelaria e Negócios edição 93

Revista Papelaria e Negócios edição 93  

Revista Papelaria e Negócios edição 93

Advertisement