Page 1

o

PANTOKRATOR

Informativo da Comunidade Católica Pantokrator

Ano II - Julho/2013 - nº 18

Uma esperança para a Igreja

Caro leitor, Estamos nos aproximando do maior encontro da juventude católica: a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que acontecerá em julho deste ano na cidade do Rio de Janeiro. Atendendo ao convite do Santo Padre, jovens do mundo inteiro partem em peregrinação para juntos celebrarem sua fé em Cristo, fazerem uma profunda experiência da presença do Senhor que sustenta e vivifica a Igreja e, assim, testemunharem ao mundo que Cristo está vivo e é a razão de sua esperança e alegria. A JMJ foi criada pelo Bem-aventurado João Paulo II, um apaixonado pela juventude. Em 1984, por ocasião do Ano Santo, houve o primeiro Encontro Internacional da Juventude com o Papa, que posteriormente deu origem à JMJ, celebrada oficialmente pela primeira vez em 1986, em Roma. Nesse primeiro encontro, o Bem-aventurado João Paulo II

entregou aos jovens a Cruz que até hoje é levada a cada lugar em que é celebrada a JMJ, e confiou-lhes uma bela e importante missão: “Meus queridos jovens, na conclusão do Ano Santo, eu confio a vocês o sinal deste Ano Jubilar: a Cruz de Cristo! Carreguem-na pelo mundo como um símbolo do amor de Cristo pela humanidade, e anunciem a todos que somente na morte e ressurreição de Cristo podemos encontrar a salvação e a redenção”. João Paulo II tinha consciência da grande força que a juventude porta, uma força capaz de renovar a sociedade, de construir a civilização do amor, tendo o amor de Cristo como o grande motor dessa transformação. Ele sabia que a juventude, cheia de esperança, é capaz de transformar o mundo! Por isso, a JMJ é para os jovens católicos um momento único de encontro com Cristo, com aquele a quem Cristo confiou o governo de Sua Igreja, e com

todos aqueles que querem seguir a Cristo e anunciá-lO aos que ainda não O conhecem. Mas não são apenas os jovens que têm sua fé fortalecida pelo que experimentam na JMJ. Toda a Igreja é “rejuvenescida”, tem sua esperança e alegria renovadas! A JMJ é uma prova de que “as portas do inferno jamais prevalecerão contra a Igreja”, de que a Igreja, firmada em Cristo, é jovem e cheia de vida, porque o próprio Cristo a revigora e impulsiona dia a dia. Que todos nós, jovens ou não, deixemos que a JMJ rejuvenesça a nossa fé, nos encha de esperança diante dos desafios que enfrentamos, para que sejamos para o mundo testemunhas do amor e da presença do Cristo Ressuscitado em nosso meio.

Santos da JMJ p. 2 - Conheça quem são os santos e intercessores da JMJ 2013

Eu acredito na Juventude p. 3 - Nilton Jr. conta como surgiu a música que virou símbolo da JMJ

Semana missionária p. 4 - As atividades da Comunidade Católica Pantokrator nesta semana

André Luis Botelho de Andrade Fundador e Moderador Geral da Comunidade Católica Pantokrator


Patronos e intercessores brasileiros da JMJ “Os jovens desejam encontrar-se com a verdade que dê sentido à sua existência”. Buscando a proteção e os exemplos de vida, a JMJ Rio 2013 conta com cinco patronos e 13 intercessores. São “homens e mulheres que mesmo na juventude souberam escolher a melhor parte em suas vidas: Jesus Cristo”. Confira algumas informações sobre suas vidas para que nos inspiremos a cultivar suas virtudes.

Beato Adílio Daronch - AMIGO DE CRISTO - nasceu e viveu no Rio Grande do Sul no início do século XX. Desde pequeno gostava muito de rezar e dos serviços da igreja principalmente de ajudar nas missas. Adílio era um menino alegre, que gostava de futebol e levava muito a serio sua missão, não descuidava do serviço acólito. Auxiliava o padre Manuel Gómez nas missões pelo interior. Foi assassinado aos 16 anos, em ardor de santidade, ao acompanhar o sacerdote em uma visita pastoral a um grupo de colonos que viviam no interior do Rio Grande do Sul. Na época, a região passava por um conflito, e foi um grupo de revolucionários que assassinaram o jovem Adílio e o padre Manuel em maio de 1924.

Beata Irmã Dulce - EMBAIXADORA DA CARIDADE - Nasceu em 1914 em Salvador e desde jovem demonstrou um profundo espírito de caridade. Aos 13 anos, ela já havia transformado a casa da família, num centro de atendimento a pessoas carentes. É nessa época que ela manifesta pela primeira vez o desejo de se dedicar à vida religiosa, após visitar áreas onde habitavam pessoas pobres. Destacou-se pela perseverança e o esforço em atenção aos doentes e teve como princípio nunca fechar a porta a uma pessoa necessitada de sua ajuda. Ingressou na Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus. Fundou associações e inaugurou colégios e hospitais. Beata Albertina Berkenbrock - VIRTUOSA NOS VALORES EVANGÉLICOS - Nasceu em Santa Catarina em abril de 1919. Era perseverante nas orações e muito recolhida ao rezar. Confessava-se com frequência, ia regularmente à missa, comungava com fervor. Falava muitas vezes da Eucaristia e dizia que o dia de sua primeira comunhão fora o mais belo de sua vida. Albertina foi também muito devota de Nossa Senhora, recitava o terço e recomendava a Maria sua alma e sua salvação eterna. Aos 12 anos de idade foi assassinada porque quis preservar a sua pureza. O assassino que era conhecido da família degolou a jovem e tentou acusar outra pessoa do assassinato. Durante o velório sempre que o assassino se aproximava do corpo, o pescoço de Albertina vertia sangue, o que levou as pessoas a desconfiarem e em seguida prender o assassino que confessou. O martírio e a consequente fama de santidade se espalharam rapidamente. Albertina cultivou uma grande sensibilidade em sua relação com Deus e com o próximo. Santo Antônio de Santana Galvão - ARAUTO DA PAZ E DA CARIDADE- Nasceu em Guaratinguetá em 1739. Da família com grandes recursos e possibilidades, renunciou a tudo e ingressou na ordem Franciscana. Pregador da paz e da caridade com palavras e obras, tornou-se modelo de entrega. Seus milagres começaram ainda em vida, distribuindo pílulas feitas por suas próprias mãos, que geravam grandes curas. tercedei para que, a vosso exemplo, eu promova a paz e a caridade em todos os momentos de minha vida. Amém. Estas histórias de vida servem para atestar para todos que a santidade na vida concreta é possível. A geração JMJ é convidada a entregar sua vida àquele que concede felicidade e liberdade em abundância.

Vanessa Cícera Ramos Postulante da Comunidade Católica Pantokrator

EXPEDIENTE

O Pantokrator é uma publicação mensal dirigida aos sócios, membros, engajados e amigos da Comunidade Católica Pantokrator Direção Geral: Edgard Gonçalves | Grupo de Comunicação: Eliana Alcântara, Jildevânio Souza, Juliana Campos, Vanessa Cícera, Vanessa Ozelin, Vanusa Silva e Renata Andrade | Jornalista Responsável: Renata Andrade MTB 56 525 | Planejamento, Criação, Edição e Revisão: Comunidade Católica Pantokrator - www.pantokrator.org.br

.

O Pantokrator 2


Eu acredito na Juventude

Composta para a vinda da Cruz da Jornada Mundial da Juventude, a música “Eu acredito na juventude” virou um símbolo do evento, com mais 44 mil visualizações do clipe oficial e 100 mil da coreografia, ambas no site YouTube. “O Pantokrator” entrevisotou Nilton Jr. compositor e intérprete da canção.

O Pantokrator: Nilton, como sugiu a ideia de compor esta música? Nilton Jr.:A música surgiu quando fomos fazer o “Bote Fé Campinas”, por ocasião da chegada da Cruz e do ícone da Virgem Maria, da Jornada Mundial da Juventude, no início de outubro aqui na nossa cidade. O Pe. Jonas Barbosa, assessor de assuntos referentes a juventude da nossa Diocese, me convidou para ficar “a frente”do “Bote Fé Campinas” que foi em um programa do “Louvemos ao Senhor”. O tema seria: “Eu acredito na Juventude”. Essa foi uma das últimas frases de nosso falecido bispo D. Bruno Ganberini. Gostei muito da ideia, então um dia, eu estava indo ao centro de Campinas e passando perto de um colégio vi alguns jovens ouvindo música. Naquele momento senti que tinha que gravar esse refrão: “Eu acredito na juventude, no brilho do seu amor e na força da sua missão”. Então eu voltei para Comunidade e falei: “Senhor, se você me deu o

refrão, me dê também o resto da música”, e aí eu escrevi o restante dela. A música foi produzida e lançada no site da Arquidiocese de Campinas, na página da JMJ. A repercussão foi nacional e já contamos com mais de 120 mil downloads. OP: Conte-nos como surgiu a iniciativa de realizar o “flash mob” (coreografias coletivas) e do clipe. Qual a repercussão que isso traz para a Comunidade e para a Igreja considerando esse momento tão importante que estamos vivendo que é a JMJ? Nilton Jr.: Eu e o Pe. Rodrigo Flaibam, já conversávamos sobre isso e pensávamos em fazer o “flash mob” na praça de alimentação do Shopping D. Pedro. Ao mesmo tempo, outros jovens da Diocese tiveram a mesma ideia e me procuraram para pedir ajuda. Então decidimos fazer o “flash mob” no centro de Campinas e depois no D. Pedro. Porém, quando lançamos a música, eu também fiz um vídeo ensinado sua coreografia e isso foi “contagiando” todo mundo. Começamos a pensar no clipe, mas queríamos um clipe que mostrasse a unidade da Igreja, por isso chamamos pessoas de várias denominações jovens de Campinas para participar dele. Em julho de 2012, essa música lançada no meu CD “Reina em Mim” pela gra-

vadora Canção Nova. OP: O troféu “Louvemos ao Senhor”, que é uma premiação para músicos católicos, te indicou e premiou como artista revelação do ano. O que isto significa para você Nilton Jr.: Eu vejo essa premiação como algo muito bom que aconteceu para mim, não só pela premiação, mas porque isso foi uma confirmação de Deus em relação ao meu chamado de evangelizar através da música. Mesmo diante dos meus cansaços causados pelas viagens; da minha missão; do meu celibato; da minha vocação; eu sinto que isso foi uma confirmação de Deus dizendo: “Vai, que Eu quero que você vá ainda mais longe com tudo isso”. OP: O que você acha que ainda falta para nossa juventude enquanto Igreja? Nilton Jr.: O que falta para a Juventude da nossa Igreja hoje é a responsabilidade e o comprometimento com a vida e a causa de Cristo. Esse comprometimento só surge a partir de uma experiência pessoal com Jesus. Que o jovem não tenha medo de fazer uma experiência profunda, intensa e forte com Jesus Cristo e que se tornem discípulos e missionários como a Igreja nos chama a ser. Deus abençoe! Eliana Alcântara Discípula da Comunidade Católica Pantokrator

Dica de Filme: UNO SPLENDIDO DISEGNO (Documentário Chiara Luce)

A indicação desse mês é sobre a Beata Chiara Luce Badano! Uma Beata Contemporânea!

Foi uma jovem italiana, amava viver, praticava esportes, seus amigos a considerava extraordinária! Aos seus 17 anos foi diagnosticada com um tumor ósseo, e em todo o tempo da doença sorria e buscava não perder nem um segundo sem dar sentido a tudo que estava vivendo! Morreu aos 19 anos e nos deixou um caminho de confiança no Deus que em tudo sofre conosco! Influenciada por Chiara Lubich, fundadora dos Focolares, nossa beata trilhou um caminho perfeito de santidade, transformando a dor em motivo para louvar ao bom Deus. Tinha uma pedagogia da vida ao dizer que “se para mim foi fácil aprender

o alfabeto, também será colocar o evangelho em prática!” E assim o fez a cada momento, até ir para o céu no dia 07/10/1990. Você vai se emocionar ao conhecer a vida, dessa Jovem que no pouco tempo de vida terrena, fez de tudo o que viveu o céu! Você pode encontrar esse documentário também pela Internet, disponível inclusive pelo YouTube. Desejamos que através da vida da Beata Chiara Luce, encontremos Deus em tudo! Beata Chiara Luce, rogai por nós! Vanusa Silva Postulante da Comunidade Católica Pantokrator

.

O Pantokrator 3


Para vivenciar o Ano da Fé, o informativo ‘O Pantokrator’ está publicando testemunhos de pessoas que tiveram uma experiência profunda de fé. Envie para nós você também a sua história pelo email opantokrator@pantokrator.com.br

“Ide e fazei discípulos entre todas as nações” Meu nome é Marcel de Mesquita , tenho 33 anos e participei da Jornada Mundial da Juventude de 2011 em Madri. Num primeiro momento fui para passear com amigos, eu buscava um outro modo de vida, uma felicidade em Deus e eu nem imaginava o que eu ia viver e presenciar lá. Quando cheguei lá, havia jovens peregrinos na cidade inteira e isso mexeu muito comigo, fui percebendo que Deus é muito maior do que eu imaginava. Foi muito bom, maravilhoso ver jovens da China, Estados Unidos, Alemanha, México unidos e perceber que a Igreja Católica é imensa. Um dos pontos altos nesta jornada foi a chegada do Papa Bento XVI, senti

muito forte a presença de Deus neste momento e ainda consegui tirar uma bela foto. A experiência de Deus que fiz nesta viagem foi tão forte que mudou a minha fé, o modo de eu viver, meu desejo de falar aos outros deste amor de Deus e sei que essa experiência não foi só minha, pois pude ver nos rostos dos jovens que algo havia mudado, dava para ver a alegria e a satisfação de cada um por ter vivido aquele momento. Eu achei tão bom essa vivência que quando eu soube que a Jornada Mundial da Juventude do ano de 2013 seria aqui no Brasil (eu estava lá em Madri no dia do anúncio), já me dispus a ser voluntário. Quero me unir aos jovens católicos do mundo inteiro para louvar

a Deus e levar sua palavra aos quatro cantos do mundo. Já me inscrevi, passei por todas as etapas e agora espero pelos dias que viverei servindo, ajudando e acolhendo cada um dos jovens como eu fui acolhido e ajudado em Madri. Faço um convite especial a você que é jovem, para participar comigo da JMJ RIO 2013, que será para nós brasileiro um dos maiores eventos católicos do mundo e você não pode ficar de fora dessa profunda experiência com Deus. A Igreja nos convida “Ide e fazei discípulos entre todas as nações”(Mt 28,19)

A Jornada Mundial da Juventude está chegando e com ela, antecipadamente, dioceses de todo nosso país acolhem na Semana Missionária peregrinos do mundo inteiro que desejam conhecer e participar de nossa experiência de fé, segundo nossa realidade social e cultural. A Semana Missionária é tempo de transbordar o Cristo que experimentamos através da acolhida e inclusão dos peregrinos em nossas atividades cotidianas, seja na realidade de comunidades novas, paroquiais ou religiosas. É tempo de abrirmos nossos braços e revelar ao mundo nossa Unidade. A partir do lema “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (cf. Mt 28, 19) a Semana Missionária é um tempo de compartilharmos nossos meios de

evangelização, nossas ideias, mas acima de tudo, nosso testemunho enquanto jovens que se decidiram a seguir Cristo, aquele quem cativa nossa juventude, que nos atrai. Na Comunidade Pantokrator realizaremos diversas atividades que habitualmente realizamos em nossa obra de evangelização. Teremos momentos de espiritualidade (Manhã Jovem, Oração da Horas, Louvor, Adoração e Missa), partilha (testemunhos), convivência (visita ao Parque Ecológico com piquenique), Gaudium, Gincana, passeios ao centro histórico de Campinas, visita às famílias assistidas pela Promoção Humana e muito mais. Será um tempo rico de partilharmos daquilo que sustenta nosso sim, daquilo que Cristo nos confia como Missão.

Receberemos peregrinos das Dioceses de Meaux e Avignon (França) de 12 de julho até dia 22 de Julho, quando eles partirão em peregrinação para Aparecida e depois para o Rio de Janeiro. Será um tempo de graça de deixarmos com que a beleza que nos atraiu seja refletida na vida de cada um desses jovens, na doação de nossos lares e disposição de nossa vida para bem acolhê-los. “Cristo nos convida: sejam missionários!”. Que neste tempo de Semana Missionária, possamos assumir este chamado que nos impele a dizer sim a Deus, com a acolhida de muitos outros jovens que precisam do nosso sim e que testemunham ao mundo sua decisão. Clara Pascoal

Discípula da Comunidade Católica Pantokrator

.

O Pantokrator 4

Informativo O Pantokrator nº18  

Informativo da Comunidade Católica Pantokrator - ano 2 - Edição 18

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you