Page 1

Edição 048

Edição nº 48 Dezembro 2015 | Tiragem 10.000 cópias | Distribuido em mais de 200 pontos

Centro Cultural Português pode nascer numa biblioteca em Londres

pag 3

Advogados Vítimas, falam ao Palop News sobre o dinheiro perdido nos negócios com uma rede de empresas, concentradas num único homem e cujo produto principal é o Direito.

Também somos

portugueses Portugueses no Reino Unido criam movimento mundial de intervenção política. Subscritores de mais de 20 países que inclui 36 personalidades internacionais, dão voz ao voto dos portugueses na Diáspora. pag 3 As eleições Presidênciais, são já em Janeiro.

pag 13

Os novos negócios que falam português em Londres pag 19


2

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Propriedade AFA Associados Alcino G. Francisco London Contacto +44 (0)7475525677

Direcção Geral:

Alcino G. Francisco redacao@palonews.com

Direcção Financeira:

Maria Emília Leite dir.financeiro@palopnews.com Direcção de comunicação: dir.comunicacao@palopnews. com Departamento Comercial: Manuel Gomes dep.comercial@palop news.com Redacção Chefe de Redacção: amgfrancisco@gmail.com Vice Director: joel.gomes@palopnews.com Revisão: Eunice.Pereira@palopnews. com Fotografia: Bruno Ribeiro/ Ludgero Castanho Direcão Criativa: Lidia Pais Edição e Design Gráfico: redhenrydesigns.com Distribuição Power Ltd - Londres Impressão Webprint - Londres Design Publicidade redhenrydesigns.com Website www.palopnews.com http://palopnews.blogspot.com Edição online João Domingos— JadHost Informática Caderno Angola Lengaluca Sampaio Fontes Agência Lusa - Portugal Correspondentes Portugal Liliana Ferreira(Porto) Vítor Martins (Lisboa) Carlos Damásio (Lisboa) Carlos Monteiro (Lisboa) S. Paulo - Brasil Jandirlea Oliveira Maputo - Moçambique Traquinho da Conceição Cidade da Praia - Cabo Verde Óscar Vendaval Luanda - Angola Fernando Barros Londres - UK Maria Clara Resendes Cronistas Cronistas Lukie Gooda, Paulo Pisco, Maria Leonor Bento, Maggie João, João Botas, Manuel Gomes Claudia Oliveira Nguvulo António Justo

LET US KNOW FALE CONNOSCO All email deserves an answer Todo o correio tem resposta

redacao@palopnews.com

EDITORIAL

Ao vencer mais uma quadra de Natal, pensamos no Ano Novo que se aproxima cheio de vontade de ficar um Ano velho. Fazemos balanços, criamos expectativas e esperamos que os ventos oiçam as nossas preces. Em 2015, que parece ter começado há alguns poucos dias atrás, o Palop News cumpriu o seu trabalho. Denunciou o bom e o mau da nossa comunidade, informou, abraçou causas, criou eventos, participou e apoiou outros, publicamos em paz mas nem sempre num clima de paz. No formato digital, crescemos uma vez mais, paulatinamente mas de forma eficiente. Nas edições de papel, cumprimos a nossa própria tradição com trabalhos de investigação. São as pessoas que nos fazem mover. Apesar do esforço, apesar das ameaças de que temos sido alvo, continuamos o nosso trabalho procurando que isso nunca nos pese na consciência. Um novo ano se aproxima e uma vez mais, vamos procurar e publicar o que de melhor nos acontece enquanto comunidade mas vamos também procurar publicar o que de pior nos aparece num esforço continuado para falar a verdade. Aos nossos leitores, aos nossos amigos, desejamos que tenham uma Quadra Feliz e que 2016 venha cheio de felicidades. Tantas, que se possam espalhar por todos os segundos do relógio ao longo dos 365 dias que nos vêm bater na porta de cada vez que acordarmos. Sejamos felizes.


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

3

Movimento “Também somos portugueses” lança petição para alteração das leis eleitorais relativas aos portugueses residentes no estrangeiro O recém-formado movimento “Também somos portugueses” lançou a 14 de Novembro de 2015 uma petição para exigir a mudança das leis eleitorais aplicáveis aos portugueses residentes no estrangeiro. Foi lançado o site com recolha

de assinaturas para alteração das mesmas. Serão também recolhidas assinaturas localmente nos movimentos cívicos portugueses em vários países. Esta petição, a ser entregue na Assembleia da República, visa

promover o recenseamento eleitoral automático aquando da mudança de endereço no Cartão de Cidadão, o recenseamento via postal ou pela internet para quem reside no estrangeiro e a introdução do voto electrónico para os portugueses a residir no estran-

Aviso aos leitores e clientes do Palop News Temos em nosso poder documentação que refere existir um novo projecto que usurpa o nome do Palop News, e que esta mesma informação tem estado a ser enviada a diversas empresas. Assim, avisamos os nossos

leitores, clientes e fornecedores que não assumimos qualquer responsabilidade e que não temos qualquer interferência no citado projecto. O Palop News original, vai continuar o seu trabalho a exemplo do que tem acontecido nos

últimos seis anos, oferecendo a melhor informação aos seus leitores e os melhores leitores aos seus anunciantes. Londres 26 de Novembro de 2015 Alcino G. Francisco

C. Cultural Português pode nascer numa biblioteca pública em Londres Uma biblioteca pública que serve a comunidade portuguesa no sul de Londres e corre o risco de ser transformada num ginásio, poderá ser transformada em Centro Cultural Português caso o novo Governo apoie o projeto. Palop News Londres

A biblioteca Tate South Lambeth é uma das três bibliotecas municipais cujos edifícios a autarquia de Lambeth pondera entregar a uma empresa privada, para que sejam explorados como centros de atividade saudável (health living centres). Está situada em South Lambeth Road, umas das ruas com maior número de comércios e restaurantes portugueses da capital britânica e na zona conhecida por "Little Portugal", devido ao número elevado de residentes portugueses.

Nas últimas semanas surgiu a hipótese de o Camões - Instituto da Cooperação e da Língua assumir a gestão e a proposta está a ser preparada pela embaixada de Portugal no Reino Unido, porém depende da aprovação do governo liderado por António Costa, empossado quinta-feira, dia 26. "Fizemos uma proposta para Lisboa, mas a verdade é que não existe Orçamento de Estado em Portugal. Será preciso um investimento inicial, mas apenas para pinturas e equipamentos, não são precisas obras estruturais", disse à agência Lusa a Coordenadora do Ensino do Português no Reino Unido,

Regina Duarte. A biblioteca continuaria a ser pública e com oferta para o público britânico, mas o acervo de centenas de livros portugueses, a maioria oferecidos por particulares e instituições, incluindo o instituto Camões, seria reforçado, bem como adicionada uma filmoteca portuguesa. "Seria muito interessante ter uma oferta cultural permanente sem estarmos dependentes de outros espaços que nesta cidade são muito caros", justificou a responsável. A ideia seria criar algo semelhante ao Centro Cultural Português de Paris e comparável ao que a China tem na "Chinatown" londrina, permitindo realizar eventos culturais como conferências. "Faz sentido haver estes espaços culturais associados aos sítios onde as pessoas vão de outras partes da cidade para conhecer a cultura portuguesa. Têm ali os restaurantes todos", acrescentou. Todavia, uma decisão de financiar este projeto poderá ser necessária até ao final do ano, quando se espera que termine o concurso de atribuição dos edifícios pelo município de Lambeth. Além de algumas obras de restauro, as despesas resumir-se-iam à manutenção do edifício e ao funcionamento da biblioteca em troca de não ser pago qual-

geiro. O movimento “Também somos portugueses” teve início no Reino Unido, juntando os eleitos para o Conselho das Comunidades Portuguesas, dirigentes de associações, e activistas de movimentos cívicos. Já aderiram a este movimento informal portugueses em inúmeros países, pois trata-se de um sentimento comum aos portugueses emigrados em todo o mundo. A lista de apoios a este movimento está em crescimento constante e está listada no site. Os emigrantes enfrentam vários problemas na área do recenseamento de onde são omissos, e estão obrigados à visita ao Consulado apenas para poderem estar recenseados. O recenseamento automático praticado em Portugal, exclui os emigrantes que assim se sentem diferenciados por viverem noutro país. Para efeitos de recenseamento e mesmo de votação, muitos portugueses emigrados estão obrigados a percorrer longas distâncias, que implicam a perca de dias de trabalho. Mesmo para a emissão ou renovação quer arrendamento. O vereador local, o português Guilherme Rosa, tem sido um dos mais entusiastas nesta "oportunidade genuinamente única e de grande valor" num local bastante central na cidade. "Se considerarmos que um edifício similar em Paris deve ter custado uns milhões, enquanto por este Centro ativo custará muito menos, o que para o nosso bolso meio roto é mesmo um negócio da China", afirmou à Lusa. Porém, admite que uma pro-

da sua identificação, os emigrantes, cidadãos portugueses de pleno Direito, estão obrigados às mesmas deslocações, sendo isto um desincentivo ao dever de cidadania que a classe política tanto defende mas que na prática não aprova. O voto pela via postal, dificultou o exercício de cidadania e os exemplos podem ser encontrados nas ultimas eleições legislativas em diversos países como o Brasil, Timor-Leste, Estados Árabes Unidos, Reino Unido ou Macau. Os votos originários de alguns destes países, foram considerados lixo por terem chegado ao destino (Portugal) fora do prazo exigido por Lei. Só a alteração das leis eleitorais permitirá a participação de todos os portugueses sem excepção na vida cívica de Portugal. Contactos: e-mail: contacto@ tambemsomosportugueses.org Site Web: www.tambemsomosportugueses.org António Cunha: +44-7768693162 / acunhaccp@hotmail. co.uk / Paulo Costa: +44-7778129836 / paulo.m.costa@gmail. com posta portuguesa terá de convencer para ser aprovada pela autarquia e pelos residentes locais, pelo que uma decisão deve ser tomada o mais rapidamente possível. "O mais importante é aproveitarmos as oportunidades e procurar que os livros do cantinho do Português continuem abertos para as crianças que são bilingues em alternativa a mais uma máquina de 'fitness' que não fala e não exercita a mente, apenas mantém o corpo são", defendeu.


4

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

«People come into your life for a reason, season or a lifetime … or lifetimes» - Festas Felizes Por Marta Maria Pires Londres

O melhor de todos os presentes A época de Natal é o período do ano em que a maioria das lojas conseguem ver seus faturamentos crescerem com maior intensidade, impulsionados pelo aumento expressivo na demanda por produtos de todos os tipos. Por: Fábio Rodrigues Londres

De uma forma geral, todas as pessoas esperam dar e receber alguma coisa no Natal. Roupas novas, um bom relógio de pulso, maquilagens, perfumes, celulares, aquele equipamento de som mais moderno ou um computador de último tipo. A lista de desejos é virtualmente ilimitada. Em vista disso, as empresas e as lojas criam todo tipo de promoções e oportunidades de consumo como vouchers, brindes, descontos e sorteios.

Do seu lado, consumidores de toda raça, língua, crença ou nação buscam de todas as formas ganhar mais dinheiro e conseguir melhores condições para realizar os seus sonhos de consumo. Muitos se utilizam de recursos de terceiros como empréstimos, financiamentos e cartões de crédito; outros, se empenham em encontrar mais e mais trabalhos, muitas vezes sem medir as consequências que o excesso de horas trabalhadas pode trazer para o seu físico e para o seu relacionamento com amigos e familiares. Tudo para ter o que o mundo costuma cha-

mar de “um feliz Natal”. Num momento em que todos desejam tanto ganhar seus presentes, o que as pessoas se esquecem é que o Natal em si já é a celebração do maior presente que a humanidade poderia receber de Deus: o Seu filho Jesus. “Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel”. (Is 7:14) “E servirá de sinal e de testemunho ao SENHOR dos Exércitos na terra do Egito, porque ao SENHOR clamarão por causa dos opressores, e ele lhes enviará um salvador e um protetor, que os livrará.” (Is 19:20) Receba esse presente hoje. Deixe o Senhor Jesus Cristo nascer em sua vida e em seu coração. Restaure a sua comunhão com o Filho de Deus. Reconcilie-se com aquele que é o autor e consumador da nossa fé. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. (Jo 3:16) Acredito nessa verdade, e viva melhor. Pastor Fábio Rodrigues

O mês de Dezembro traz consigo celebrações familiares e religiosas. Este é um mês de convívio com os mais próximos, e sobretudo com a família. Muitos jantares e reuniões de amigos e trocas de prendas marcam a celebração de mais uma época festiva. Sendo esta época a da celebração das pessoas significativas na nossa vida, faz me pensar no ditado inglês, «People come into your life for a reason, season or a lifetime» , que as pessoas entram na nossa vida por uma razão, uma estação ou por uma vida inteira. Durante a nossa vida há determinadas pessoas nos marcam, que nos apoiam, que nos dão a oportunidade de ver a vida numa outra perspectiva, que nos dão amor . Nesta crónica gostaria de reflectir o porquê de certas pessoas na nossa vida. Já pensou porque motivo tem uma ligação especial e imediata com determinadas pessoas e com outras não as suporta sem motivo aparente? Como por vezes sente que conhece a pessoas desde sempre, mesmo quando acabaram de se conhecer? Já considerou, que provavelmente já se conheceram em vidas anteriores, e que o sentimento que têm é um sinal das relações que vêm do passado? Por exemplo, já tive caso de uma tia de 3 crianças que adorava, mas que tinha uma relação muito especial com a mais nova, veio a descobrir numa regressão a vidas passadas que a criança tinha sido a sua Mãe noutra vida, daí o sentimento tão especial que as unia. Segundo varias teorias de vidas passadas, nós escolhemos a nossa família, amigos e pessoas significativas na nossa vida por vários motivos. Há contratos e acordos que fazemos antes de cada encarnação, e escolhemos ter determinados papéis na vida das várias pessoas que se cruzam na nossa vida. Por exemplo uma senhora descobriu que o filho nesta vida tinha sido o seu irmão numa vida anterior. Já pensou porque motivo

terá escolhido a sua família? Nas famílias há um contrato espiritual para ambas as partes, entre pais e filhos e familiares. Por incrível que pareça mesmo em famílias onde há sofrimento ou abuso, num outro plano ou dimensão espiritual escolhas conscientes foram tomadas. Por exemplo, uma pessoa pode crescer numa família em que há abuso, seja emocional ou de outras formas, para crescer com a motivação para criar mudanças sociais e poder dar apoio ou ajuda a muitas pessoas na mesma situação. Por exemplo ser um professor capaz de identificar uma criança que tem problemas em casa e se torna a sua base de apoio; ser alguém que trabalha em finanças mas que investe ou cria instituições que promovem apoio e mudança na sociedade; ser um advogado que literalmente vai procurar Justiça ou ser alguém que trabalha com a lei e muda a lei para proteger e apoiar a minorias. Mas o mais importante é que estamos todos interligados de alguma forma, todos temos influencia e um impacto vida das pessoas que nos rodeiam e vice-versa. Eu diria que estamos nas vida uns dos outros, por vezes momentos, estacões, uma vida inteira ou mesmo várias vidas. Já considerou há quantas vidas..conhece o amor desta vida? Ou os seus melhores amigos? Os seus familiares? Que relações terão tido anteriormente? E porque não oferecer uma prenda diferente este ano? Oferecer-se a si ou ao seu amigo uma oportunidade única de explorar uma vida passada e descobrir se já se conheceram noutras vidas. Quais as historias que trazem consigo? Aproveite a promoção de Natal* e ofereça uma regressão a uma vida passada. Vamos celebrar as pessoas significativas e amizades este mês, sobretudo as amizades tão únicas e especiais que criamos quando estamos a viver noutro país, vamos celebrar a nossa família. Festas Felizes. Crónica por: Marta M Pires Psicóloga Clínica


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Palop News Londres

O deputado considerou fundamental que haja uma melhoria no funcionamento das estruturas do PS para as comunidades portuguesas, como forma de reforçar as ligações às nossas comunidades, com um apoio mais expressivo, designadamente, através do envolvimento de dirigentes nacionais, deputados de todos os círculos eleitorais quando se deslocam ao estrangeiro, deputados ao Parlamento Europeu e presidentes de Câmara. Paulo Pisco considerou também fundamental que o Governo faça um esforço de coerência na implementação das políticas e medidas que foram defendidas durante a campanha eleitoral. Neste sentido, chamou particularmente a atenção para, na medida das possibilidades, se resolver o caso dos emigrantes que foram lesados com o colapso do BES, dado o significado que tem resolver situações

que têm contornos humanos dramáticos. O deputado defendeu ainda que o Governo deve adotar muita pedagogia para tranquilizar investidores, países e instituições que receiam que um Governo com base num entendimento à esquerda possa pôr em causa o desempenho da economia ou falhar no respeito dos nossos compromissos internacionais no âmbito da NATO, União Europeia ou de outras instituições. Paulo Pisco felicitou o Secretário-Geral do PS e Primeiro-Ministro António Costa por ter conseguido operar uma mudança de paradigma no panorama político-partidário português ao ter alcançado, pela primeira vez, um entendimento parlamentar para sustentar o Governo com todos os partidos de esquerda e saudou a Secretária-Geral Adjunta, Ana Catarina Mendes, considerando que o novo cargo é fundamental para que o partido não seja submergido na ação da governação.

5

Paulo Pisco defende estrutura de dinamização do PS na Diáspora O deputado do PS Paulo Pisco, eleito pelo Círculo da Europa, defendeu na reunião da Comissão Nacional do PS, que se realizou em Lisboa no passado sábado dia 5, que seja criada uma estrutura para dinamizar as relações com as secções e os militantes do PS no estrangeiro, tanto na Europa como fora da Europa.


6

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Aliança Portugal - UK. A mais antiga do Mundo Palop News Londres

1. Portugal e o Reino Unido estabeleceram uma aliança na Idade Média, quando dois tratados internacionais foram celebrados entre os Reis de Portugal e Inglaterra, em 1373 e 1386, respectivamente. O Tratado de Windsor assinado em Maio de 1386 pelo Rei D. João I e o Rei Ricardo II, confirmou formalmente a aliança que tem

servido de alicerce às relações bilaterais entre ambos os países durante mais de 600 anos. Uma das ocasiões mais importantes da nossa história conjunta foi o casamento em 1662 entre Catarina de Bragança, filha do rei D. João IV, e o Rei Carlos II. A nossa aliança, a mais antiga do mundo, teve um papel relevante quando em 1640, Portugal recuperou a sua independência após 60 anos de ocupação espanhola, e também

durante a Guerra Peninsular, com o apoio que o Duque de Wellington deu ao Exército Português. A aliança foi, também, invocada no âmbito das duas Guerras Mundiais, contribuindo para a captura de navios alemães no litoral português e para o controle do Oceano Atlântico a partir da Base das Lajes, nos Açores. Mais recentemente, durante a Guerra das Malvinas, esta mesma base aérea foi usada para o reabastecimento de aviões britânicos e de porta-aviões. No campo económico, o Tratado de Methuen, em 1703, deu livre acesso aos lanifícios ingleses em Portugal e permitiu a redução das tarifas impostas à importação de vinhos portugueses em Inglaterra. A aliança revelou-se bastante importante para os objectivos políticos de dois países marítimos que tinham de responder aos desafios levantados pelos seus vizinhos continentais. No entanto, divergências surgiram no final do séc XIX quando o Reino Unido decidiu criar um corredor em África entre a Cidade do Cabo e o Cairo, numa altura em que Portugal procurava manter o controlo do território entre Angola e Moçambique. 2. Exceptuando este episódio, o relacionamento bilateral evoluiu de forma muito positiva, especialmente após o golpe de estado em Portugal em Abril de 1974, que levou à descolonização. Tanto anteriormente como depois daquela data, os dois países mantiveram boas relações políticas, tendo a Rainha Isabel II efectuado duas visitas de Estado a Portugal, em Fevereiro de 1957 e Março de 1985. Em ambas as ocasiões, a Rainha, como representante do nosso mais antigo aliado, foi muito bem recebida pelo povo português. Por outro lado, quatro presidentes portugue-

ses efectuaram visitas ao Reino Unido: António Ramalho Eanes, em Novembro de 1978, Mário Soares, em Abril de 1993, Jorge Sampaio, em Fevereiro de 2002, e Aníbal Cavaco Silva, em Junho de 2009. Consideramos que as visitas de alto nível devem ser mantidas, bem como as consultas políticas com carácter regular e os contactos entre parlamentares, agentes económicos e culturais. Em 2008, foi criado um Grupo Parlamentar Conjunto, que inclui elementos de todos os partidos representados nas duas Câmaras e no Parlamento Português. Este grupo já desenvolveu uma série de iniciativas, nomeadamente conferências para comemorar os 200 anos de cooperação bilateral estabelecida durante a Guerra Peninsular. 3. As relações na área económica são sustentadas por um volume relevante de trocas comerciais, pela promoção do investimento estrangeiro e por um intercâmbio importante na área do turismo. No que respeita ao comércio, o Reino Unido é, desde o início do ano, o nosso 4º cliente e mantém-se como o 6º fornecedor, tendo o volume global das trocas - que se caracteriza por ser muito equilibrado no sector dos bens e bastante favorável a Portugal na área dos serviços atingido, em 2009, um valor superior a 7 mil milhões de libras. As nossas exportações de bens assentam em certos produtos, como veículos e outros equipamentos de transporte, vestuário e máquinas, sendo as importações constituídas essencialmente por combustíveis, produtos químicos e maquinaria. No que respeita aos serviços, o sector do turismo e transportes corresponde a cerca de 75% das nossas receitas. De referir

que as exportações mais tradicionais, como o vinho e os produtos alimentares, que são objecto de acções de promoção - muitas das quais realizadas na Embaixada - continuam a manter uma boa aceitação no mercado britânico. O investimento directo britânico em Portugal continua a assumir uma posição de grande relevo, tendo, em 2009, atingido um de cerca de 5 mil milhões de euros. Este investimento, o segundo mais importante no nosso país, incide, essencialmente, na área dos serviços financeiros e no sector do turismo. Apesar do investimento directo português ser bastante mais modesto, as nossas principais empresas, em particular do sector bancário, estão representadas na City e têm vindo a alargar a sua intervenção no mercado britânico. No que respeita ao turismo, o Algarve - responsável por quase 70 por cento de todos os destinos do Reino Unido no ano passado - é um bom exemplo da importância deste sector na criação e aprofundamento dos laços entre os dois países. O Reino Unido está em segundo lugar no número de pessoas que visitam Portugal - cerca de 2 milhões por ano - e em primeiro lugar nas dormidas. O sol e o golfe são os principais atractivos para os turistas britânicos, além de outras actividades como as de carácter cultural, sendo estas as principais razões pelas quais mais de 70 mil cidadãos britânicos têm uma residência principal ou secundária em Portugal. Embora tendo a consciência de que não poderemos alterar a estrutura das relações económicas bilaterais a curto prazo, designadamente num período de recessão internacional, a nossa estratégia tem como ob-


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

jectivo divulgar e promover no Reino Unido algumas actividades onde Portugal se especializou nos últimos anos, como as relacionadas com alguns produtos e serviços de alta e média tecnologia. Assim, e não descurando as exportações e o investimento nas áreas mais tradicionais, a Agência de Investimento e Co-

mércio Externo de Portugal no Reino Unido está a trabalhar, com empresas portuguesas e britânicas, no sentido de promover neste mercado alguns novos projectos. 4. Portugal e o Reino Unido mantêm uma relação cultural dinâmica e neste domínio gostaríamos de destacar as áreas da pintura, música e a literatu-

ra, bem como o ensino do português no Reino Unido. Pintura - No século 20, a arte portuguesa melhorou em termos de quantidade e qualidade, ganhando reconhecimento internacional. Paula Rego foi a primeira artista a expor na Tate Britain e o seu trabalho também pode ser visitado na galeria Saatchi e na National Portrait

Gallery, sendo ainda de referir que este ano foi agraciada pela Rainha Isabel II com o título de Dama do Império Britânico. Música - Os pianistas Maria João Pires e Artur Pizarro participam regularmente em concertos em locais de prestígio, tais como o Wigmore Hall e o Barbican Centre, como solistas ou conjuntamente com algumas das principais orquestras do mundo. Na área da música popular, a fadista Mariza teve grande sucesso nos últimos anos, no Royal Albert Hall, Barbican e Royal Festival Hall. Literatura – Vários escritores portugueses são apreciados nos países anglo-saxónicos, nomeadamente Luís de Camões, Eça de Queiroz, Fernando Pessoa e José Saramago. O Português é falado em quatro continentes por mais de 200 milhões de pessoas. Reconhecendo este facto, o meu Governo, através do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., está a apoiar o ensino do Português no estrangeiro. No Reino Unido, a língua é ensinada em treze grandes universi-

7

dades, com cátedras em quatro delas. O Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. também oferece bolsas a estudantes britânicos nas áreas de língua e cultura. 5. A Comunidade Portuguesa no Reino Unido é amplamente reconhecida pela sua contribuição para a economia local. O fluxo de nacionais para o Reino Unido começou no início da década de 70 e, desde meados dos anos 1990, um número crescente de pessoas optaram por viver neste país, alcançando níveis de integração rápida. Hoje, cerca de 400 mil cidadãos portugueses residem no Reino Unido, desempenhando actividades muito diversas tais como na indústria da construção, em serviços de restauração, nos transportes, e na agricultura. Cada vez mais, os jovens portugueses optam por estudar ou prosseguir mestrados no Reino Unido, bem como por trabalhar em empresas britânicas, tanto em Londres como noutras cidades deste país. Fonte: Embaixada de Portugal em Londres


8

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Reino Unido vai aumentar orçamento contra terrorismo em 30% O ministro das Finanças britânico, George Osborne, que apresenta o seu orçamento retificativo de outono, anunciou que os fundos destinados ao contra-terrorismo serão aumentados em 30%, sem contudo afastar cortes orçamentais na polícia.

Palop News Londres

“É justamente porque tomamos decisões difíceis noutras partes do nosso orçamento que podemos dar mais equipamentos aos nossos militares, que podemos aumentar o nosso orçamento de luta contra o terrorismo em 30%”, declarou o ministro no "The Andrew Marr Show", a emissão política dominical da BBC. Os fundos destinados ao contra-terrorismo serão assim

aumentados para um total de 15 mil milhões de libras (21 mil milhões de euros) nos próximos cinco anos, um aumento de 30% em relação ao que foi gasto nos últimos cinco. Na sequência dos atentados de Paris de 13 de novembro, que causaram 130 mortos, o governo britânico anunciou várias medidas, como um aumento de perto de 15% dos efetivos dos serviços de segurança interna (MI5), externa (MI6) e de vigilância (GCHQ). Estas contratações serão financiadas precisamente

com o aumento de verbas já divulgadas. No entanto, o governo conservador não fez qualquer anúncio relativo à polícia, quando se levantaram algumas vozes de preocupação pelos cortes orçamentais que a poderão afetar. Interrogado sobre o assunto, George Osborne recusou dizer claramente se o seu orçamento prevê cortes orçamentais na polícia. “Cada serviço público deve assegurar-se de que gasta corretamente os seus fundos, mas vamos garantir que o Reino Unido está bem defendido contra a ameaça terrorista”, respondeu. “Aumentar em 30% o nosso orçamento de luta contra o terrorismo significa que o dinheiro irá para a polícia como para os serviços de segurança para podermos lutar contra ataques com armas de fogo e impedirmos, em primeiro lugar, as armas de entrarem no nosso país”, adiantou. O ministro das Finanças britânico apresentará na quarta-feira os cortes previstos na despesa pública para atingir o objetivo final de um excedente orçamental no ano fiscal de 2019-2020.


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Por António Justo Londres

(Continuação de “A GUERRILHA ISLÂMICA DETERMINA A CISÃO DOS POVOS NO SÉCULO XXI”) No Iraque, tal como na Síria, há um enredo de interesses disputados por sunitas, xiitas, curdos, americanos, russos, turcos, Kuwait, Catar, Irão e Arábia Saudita, que se podem resumir como guerra intercultural e económica. “O terror islâmico é executado na linha de distinção entre sunitas e xiitas”, constata Gilles Kepel; esta linha, à maneira das cidades muralhadas medievais, assenta na mundivisão de demarcação mural, entre o nós e os outros e na estratégia de autoafirmação pela contraposição em relação aos de fora. O movimento terrorista IS (Estado Islâmico ou Califado), presente na Síria, é contra os xiitas iranianos que apoiam o presidente alevita Bashar al-Assad, (alevitas são 10% da população síria). A guerra civil já provocou 160.000 vítimas, encontrando-se 9 milhões de sírios em fuga. A milícia IS intervém agora no Iraque com 17.000 combatentes e conta com o apoio activo das tribos sunitas. O movimento IS e os salafistas, em geral comportam-se como os seus antepassados da Idade Média. Pretendem instalar um reino de terror religioso (Estado Islâmico) numa zona de muito petróleo que lhes conferiria grande poder económico e estratégico em relação aos xiitas do Irão e a Israel. Querem voltar aos princípios do Islão não suportando a seu lado crentes doutra fé nem tão-pouco correligionários muçulmanos moderados. Movidos pela energia criminosa dos talibans do Afeganistão pretendem fazer do Iraque e da Síria um novo Afeganistão. No Iraque, antiga mesopotâmia, babilónia, repete-se o drama dos tempos bíblicos. Quando o movimento IS actuava só na Síria o fogo cruzado dos meios de comunicação ocidental apelava ingenuamente à necessidade de apoio destes bárbaros assassinos que serviam os interesses da dupla moral ocidental. Agora, no Iraque junta-se a causa das refinarias e dos poços de petróleo!... A solidariedade muçulmana internacional consegue mobilizar milícias desestabilizadoras de governos e regiões. Provêem especialmente da Arábia Saudi-

ta, da Tunísia e mantêm na Síria 4.000 prisioneiros entre os quais 20 americanos e europeus. Só da Alemanha já se encontram 400 combatentes islâmicos no tereno. A utilização da religião e da mulher para fins patriarcalistas Ultimamente, pregadores jihadistas (defensores da guerra santa) conseguiram mobilizar mulheres tunesinas em serviço da jihad sexual na Síria; isto é, estas jovens/mulheres a partir dos 13 anos disponibilizam o seu corpo aos guerrilheiros na Síria motivando os guerreiros de Alá e ganhando o paraíso com a sua contribuição. A Tunísia tornou público o Jihad sexual na Síria revelando que as voluntárias chegam a ter “relações sexuais com 20, 30… até 100 jihadistas”, como confirma o ministro do Interior da Tunísia, Lofti Ben Jedu, ao reconhecer o retorno de mulheres grávidas. Nas Palavras do Profeta, são prometidas, como prémio a cada mártir do islão, 72 virgens acompanhadas de 70 amas o que corresponde a 5.040 mulheres por mártir. Também por isso não faltam os jhiadistas prontos a sacrificar-se pela religião. Entretanto também há mulheres jhiadistas; qual será o prémio receberão delas?) A "guerra santa do sexo" (jihad al nikah) é considerada legítima por líderes salafistas que pretendem voltar às origens; as interessadas contornam a prostituição na medida em que, ad hoc, se declaram casadas por um dia com quem partilham os serviços sexuais. Golda Meir queixava-se referindo-se ao terrorismo e aos pais que o fomentam: “Só haverá paz nesta região, quando os pais amarem mais os filhos do que odeiam os seus inimigos”. Também os nazis para expansão da raça ariana criaram a instituição “fonte da vida” como programa destinado a promover a higiene da raça onde mulheres gestavam anonimamente um filho para Hitler; contribuíam, deste modo, para criar uma "raça líder racialmente pura”. Esta estratégia pretendia também criar mais combatentes e aproveitar também a mulher para o serviço à guerra e à ideologia. A utilização da religião e da mulher para fins patriarcalistas e imperialistas é comum no fascismo e defendida até por políticos moderados como Recep Tayyip Erdogan, actual presidente da Turquia. Quando ainda primeiro-ministro apelou aos 3 milhões

9

O Caos da Situação e o Paradoxo da “Guerra santa” das Armas e do Sexo O Islão vive de um paradoxo que lhe dá perenidade

de turcos residentes na Alemanha, num discurso em Colónia (24.05.2014): “Vós não deveis assumir nenhum compromisso em questões do vosso idioma, da vossa religião e da vossa cultura”, recomendando também que reivindicassem postos na política e na administração. A 22 de setembro de 2004 o periódico "Die Welt" cita Erdogan que, quer que o seu país entre na EU e numa campanha eleitoral, a 6.10.1997 confessou: "A democracia é apenas o comboio, ao qual subimos até alcançarmos o objectivo. As mesquitas são os nossos quartéis, os minaretes as nossas baionetas, as cúpulas os capacetes e os crentes os nossos soldados”. Se parceiros modernizadores falam assim que se pode esperar dos tribunos do povo? Religião ainda continua a ser para muitos uma palavra mágica que desobriga a razão e paralisa até o cérebro de juristas e de pessoas de boa vontade. A Fronteira da Discórdia Dá que pensar o facto de não ser a UNO nem a Liga Árabe a encarar o problema com responsabilidade; todos esperam pela intervenção dos USA e pelo apoio armado do ocidente. Não é lógico serem os USA a intervir no Iraque, quando a missão da paz deveria ser uma tarefa de todas as nações representadas na ONU. O problema é que os estados islâmicos são incapazes, por si sós de conter o terrorismo e o mundo ocidental livre também não resolve o problema lançando algumas bombas no Iraque ou na Síria. Na guerra civil da Síria e nos

campos de luta dos “guerreiros de Alá”, o argumento moral não tem aplicação, dado os grupos adversários usarem de força extrema e brutal, proveniente tanto dos fundamentalistas como do governo. A Síria era um país muito culto e multicultural e, como tal, um argueiro no olho dos fanáticos sunitas e xiitas. Uma cultura que legitime a violência e a exploração sistemática só poderá manter a ordem social mediante governos

autoritários ou ditadores. Uma estratégia de paz, a longo prazo, deveria passar pelo apoio aos muçulmanos moderados. Torna-se urgente criar uma geração nova que lide de maneira madura com a religião. A fronteira da discórdia encontra-se entre os possuidores da verdade e os da liberdade, entre a energia religiosa e a energia económica, entre uma sociedade islâmica que se encontra na Idade Média e o modernismo ocidental. O mundo muçulmano encontra-se em luta contra duas frontes: o mundo moderno e a luta inter-religiosa entre sunitas e xiitas, como acontecia no século XVI entre protestantes e católicos, entre o norte e o sul. Têm como aliados o petróleo e a apatia cultural e religiosa do Ocidente que vive da ilusão de que o jihadismo se deixa abafar com o dinheiro. O preço que o Ocidente pagará pelo seu oportunismo do momento e pela consequente emigração, em


10

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

consequência da guerra, será a instabilidade social, a longo prazo, na Europa. O problema de muitos estados islâmicos, como no caso da Arábia Saudita, está no facto da sua estabilidade política (também contra as rivalidade correligionárias, entre sociedade árabe e persa) depender da aliança com o grande aliado USA e, por outro lado, não o suportar no âmbito cultural; concretamente por ser uma civilização dividida que não suporta um denominador comum. A táctica da guerrilha tem sido uma constante islâmica no seu processo de expansão e de colonização interna (conflitos internos) numa permanente estratégia de desestabilização. A sua fronte contra o Ocidente e as lutas entre xiitas-sunitas, árabes-Irão, Turquia-Curdos (Curdistão) enfraquece-os, mas, por outro lado, são encorajados pela tradição e tática do profeta Maomé que queria construir um Estado islâmico sobre as ruinas de outro (Meca) numa guerra eterna contra os infiéis (incrédulos). Na colonização interna da Europa a luta dava-se entre adversários pequenos e grandes mais ou menos iguais que, mais tarde, teve como resultado a formação de países estáveis; hoje a colonização interna nos países muçulmanos torna-se impossível e deste modo também se impede a formação de sociedades equilibradas porque os mais fortes não conseguem apaziguar a rebeldia de descontentes, por não terem força interna suficiente e se encontrarem condicionados à acção das potências externas que ora apoiam uns ora apoiam outros. Assim na formação do Ocidente houve guerras que apesar de tudo conduziram à paz e na civilização árabe mantem-se a contínua guerrilha. (Também a existência de Israel é uma permanente afronta à hegemonia muçulmana e a colaboração de governos muçulmanos moderados com o Ocidente legitima a subversão que vive da ambivalência entre o objectivo hegemónico final e as circunstâncias políticas). A guerrilha é financiada pela CIA, Arábia Saudita, Qatar, Kuwait, etc. Os cavaleiros suicidas de Maomé sentem-se obrigados à antropologia e sociologia árabe que se expressa no islão que define o ser humano unicamente

pela pertença ao grupo religioso e não dá lugar à separação entre poder temporal e espiritual. Ao reconhecer apenas o grupo, exclui antropologicamente qualquer desenvolvimento emancipatório preocupado com o bem do indivíduo e exclui o desenvolvimento sociológico pelo facto de apenas aceitar uma sociologia de caracter islâmico que se impõe às outras. Ataturk tentou modernizar o islão da Turquia mediante a construção de uma sociedade civil/ secular defendida pelo poder militar; apesar da secularização da Turquia, na realidade, no século XX, os cristãos passaram de 25% para 0,2% da população turca, continuando ainda a ser discriminados. Se isto acontece hoje na moderna Turquia de Erdogan, que se pode esperar do islamismo doutras regiões muçulmanas que olham de olhos vesgos para a socieda-

de turca por a considerarem demasiado ocidental e como tal já não ortodoxa? Só o acordar para um movimento ecuménico das religiões em que se passe do combate dos direitos culturais para os direitos naturais no convívio de uma ecologia universal poderá evitar um confronto bárbaro das culturas. O Islão vive de um paradoxo que lhe dá perenidade A discussão em torno do islão continua a ser falsa e hipócrita da parte islâmica e da parte ocidental, não lhe dando assim a oportunidade de saírem da Idade Média. Como a consciência individual é absorvida pela de grupo, na sociedade islâmica não se processa a reforma e contra reforma, nem o iluminismo como aconteceu na sociedade cristã; dão-se insurreições religiosas sob a capa do conservadorismo mas apenas motivadas por hegemonia e rivalidades de poderes. A sociedade muçulmana prefere viver no e do paradoxo (afirmação-negação) sem integrar no seu pensamento o crivo da dúvida; a dúvida

foi o motor de desenvolvimento da civilização judaico-cristã (afirmação-negação-dúvida), o que contrasta com outras culturas. O mundo árabe, ao reduzir o discurso à dinâmica verdade-falso, simplifica a vida, tornando-se atractiva para pessoas de pensamento indiferenciado, deixando-a nas mãos do mais forte, como acontece na relação homem-mulher. Como na História a razão fica do lado do mais forte, sentem-se sempre com razão ao empregar a força como meio de atingir objectivos. Este sistema favorece assim o género masculino e as elites que se afirmam através do poder, o que leva uns e outros a sentirem-se reconhecidos perante um islão legitimador da força e como tal com perspectivas de perenidade porque se revigora externamente através de caudilhos emergentes, de mentalidade adolescente. O Ocidente, também ele eivado de poder, mas um pouco inseguro devido à idade e à filosofia cristã, evita uma discussão séria com as sociedades islâmicas porque mais que no desenvolvimento do islão e da paz no mundo, está oportunisticamente interessado no seu petróleo e riquezas. Menospreza porém a presença muçulmana nas grandes empresas através de acções e da imigração de cultura árabe para as suas cidades. Como o interesse do ocidente é meramente económico deixa os imigrados em estado carente, o que os fortalece nas suas tendências de se fecharem em guetos. A falta da plataforma dos direitos humanos leva-o a desinteressar-se por uma relação social de reciprocidade e complementaridade: um exemplo da aceitação da afirmação paradoxal islâmica pelo ocidente revela-se no facto de aceitar o financiamento de mesquitas pela Arábia Saudita nos seus países quando nela não existe liberdade religiosa; o mesmo acontece em relação à Turquia que impede o exercício religioso não islâmico querendo até transformar o templo cristão Agia Sofia numa mesquita. A realidade parece acontecer por trás dos véus da teoria e da prática. Continua em “O Islão, funciona como uma máquina do tempo reaccionário” ©António da Cunha Duarte Justo Jornalista www.antonio-justo.eu


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

11


12

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Portugal Now em forma de arte convida artistas Palop News Londres

O Portugal Now seleccionou os cem mais qualificados trabalhos de artistas plásticos entre os mais de 800 que concorreram. Mara Alves, a artista portuguesa a viver em Londres e autora deste concurso, revela que o projecto “foi pensado para os artistas plásticos portugueses” e envolveu a galeria Debut Contemporary que já representa Mara Alves desde 2014.“A galeria tem um sistema de incubação de artistas e eu pensei em usar as sinergias em favor de artistas plásticos portugueses e criar um grupo forte, com qualidade e a incluir artistas emergentes e consagrados” . Vocacionado para descobrir talentos, o concurso pretende abrir oportunidades a artistas “quebrando o mais do mesmo que se passa em Portugal onde os nomes são geralmente sem-

pre os mesmos”.Ao Portugal Now concorreram artistas consagrados que ficaram de fora e novos artistas que têm aqui uma oportunidade que Portugal não tem para oferecer” . “Em Portugal quando digo que sou artista olham para mim com condescendência enquanto que em Londres, tive mais oportunidades num ano do que em toda a minha vida em Portugal. Em Portugal, os quadros ainda têm que casar com os cortinados. Em Londres, quando digo que sou artista sinto-me comprometida com um relacionamento diferente daquele que sinto em Portugal” - critica. O Portugal Now, “é uma forma de nos encontrarmos nas raízes para nos descobrirmos de novo” diz a artista. A partir de Março, os trabalhos estarão expostos na galeria em Londres durante uma semana com dois ou três trabalhos por cada artista. Depois estamos a explorar uma exposição itinerante por

Escola de música lusófona em Londres angaria fundos para combate ao cancro

Portugal e Brasil”. Os concorrentes, vieram de todo o território em Portugal, de França e do Brasil. Apesar de ter um regulamento temático, foi dada aos artistas a liberdade de manterem o seu registo. “Vamos mostrar a capacidade que temos e falar em Portugal das oportunidades que existem em Londres” - diz Mara Alves. A iniciativa pretende-se bienal e aumentar o numero de candidaturas. “A ideia é chamar novos artistas e criar um espaço de promoção onde também cabem os artistas consagrados A iniciativa tem já agendadas exposições em Portugal para 2016 com itinerário a anunciar.

A Luso Academy, escola de música para crianças e jovens lusófonos em Londres, aproveitou o concerto de Natal para angariar fundos para uma organização de solidariedade, disse à Lusa a gestora Tatiana Correia. Em vez de bilhete de entrada, as famílias foram convidadas a fazerem donativos para a Liga Portuguesa Contra o Cancro. “Era nosso objetivo que o concerto de Natal este ano tivesse uma componente social que fosse para além do nosso grupo de jovens. Aproveitando esta altura do ano mais solidária, iremos usar o trabalho musical que temos vindo a desenvolver em prol da causa”, afirmou à agência Lusa. O concerto teve lugar no domingo 13 de dezembro e juntou crianças e jovens dos 5 aos 21 anos, que tocaram um repertório musical variado de piano, violino, guitarra e ukulele. Ao palco subiu também o Luso Ensemble, conjunto constituído

pelos alunos e professores da escola, que tocarão só temas portugueses. A Luso Academy foi criada em 2012 na capital britânica, mas expandiu-se entretanto para o Luxemburgo, tendo, no total, mais de 80 alunos. Além de promover a educação musical, o projeto encoraja a ligação dos jovens lusófonos e luso-descendentes às suas raízes, nomeadamente à língua portuguesa. “Este projeto tem tido muito sucesso em capacitar as crianças luso-descendentes com competências musicais e trabalho de equipa. Tem sido uma forma de continuarem a falar e aprender a língua portuguesa, uma vez que as aulas e ensaios são em português”, disse Tatiana Correia, uma das cofundadoras. A Luso Academy também realizou um evento semelhante no Luxemburgo no passado dia 06 de dezembro, cujas receitas reverterão para a associação ALAN-Maladies Rares.


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

13

Advogados e Advogados & Advogados & Co Ltd ou o Advogado no supermercado O protagonista desta reportagem, conhecido por Alex Maxwell ou Dr. Alex Maxwell, alegadamente exibe cinco nomes, três nacionalidades, duas datas de nascimento e uma malha de empresas que demorou oito meses a desmontar. O Direito, é porém a sua especialidade de montra Palop News Londres

As empresas de advogados anunciadas no Reino Unido como falantes de português, proliferam de uma forma que exige esclarecimentos. Várias dessas empresas, exageraram de tal forma no método como alegadamente enganam as pessoas que o assunto mereceu a atenção do Palop News. Enquanto jornal ao serviço

da Comunidade, compete-nos ser uma forma de esclarecimento para impedir que quem fala português, seja enganado só porque alguém, que se diz advogado (podendo mesmo sê-lo), possa usar um estatuto que nem sempre corresponde à verdade. Este é o primeiro dos casos que tratamos mas outros se seguirão. Em Abril de 2015, deu entrada no Palop News uma denúncia que haveria de despoletar

toda esta reportagem. Se com apenas uma denúncia, não haveria razões para este trabalho, as duas denúncias seguintes alteraram a decisão. Na pesquisa que fizemos, encontrámos várias situações suspeitas mas nenhuma com os contornos das empresas de alguma forma relacionadas com AM. Na frente deste grupo de empresas onde as letras “ICI” dominam, encontramos uma conhecida personalidade na Comunidade de Língua Portuguesa em Londres. Adolphe Massamba, que também é Alex-Mass Maxwell, que também é Alex Maxwell e que ao mesmo tempo é suspeito de também ser Alex Massaba, Alex Massamba, ou Adolfe Massamba. É porém com o nome de Alex Maxwell, ou Dr. Alex Maxwell que se tornou mais conhecido na Comunidade. Além de diferentes nomes, este personagem afirma ter três nacionalidades, duas datas de nascimento, várias ocupações profissionais e uma rede de empresas que faz lembrar os buracos de um queijo suíço, tal a velocidade a que são criadas. Sem sabermos porque nome o tratar, vamos chamar-lhe AM já que estas duas letras são comuns às iniciais de todos os nomes que alegadamente utiliza. O primeiro projeto que o Palop News detectou desta personalidade, foi no ano de 2010 com uma empresa no Brixton Market com o nome de Brazilian Point, onde

estavam alojadas algumas empresas brasileiras. Falaremos deste projecto mais à frente. O cartão de visita e o papel de carta de AM, menciona ainda uma LLB, um MBA, LLM e um PHD. Nada disto foi possível confirmar. Já a sua nacionalidade, acusa três diferentes países: portuguesa, inglesa e francesa mesmo que a generalidade dos nossos entrevistados falem de uma mistura entre França e os EUA. Mero palpite do Palop News, aponta porém para o Congo, dada a pronúncia de AM quando fala português e que lhe deixa escapar o sotaque francês, e o nome Massamba. Já as empresas que tem registadas, são uma autêntica malha numa listagem com mais de uma uma dezena de registos na Companies House (Registo de Pessoas Colectivas). Decorria o ano de 2010 quando a Sul de Londres surgiu um projecto de empres a s bras i lei-

ras que n o

seu conjunto criaram um espaço chamado Brazilian Point. Como intervenientes desta empresa, registaram-se além de AM, Adalgisa Costa, Claudio Tofino e Luis de Souza. Este último, brasileiro, proprietário do restaurante Luiz do Feijão que regressou ao Brasil, acabaria por revelar ao Palop News: “Ele é o maior pilantra que conheci em Londres. Tem que alertar as pessoas pois ele diz ser advogado quando não é porra nenhuma, perdemos o Brazilian Point por causa dele”. Na inauguração deste espaço, a presença entre outros dos brasileiros Francine Mendonça da London Help 4 You e Rodolfo Basílio da empresa Vertice. Quanto a Francine Mendonça, foi impossível o contacto até ao fecho desta edição enquanto Alex Maxwell ou Adolphe Massamba ou…, o mentor do Grupo de empresas descrito neste trabalho.


14

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

que Rodolfo Basílio nos informou não saber o suficiente sobre AM para aceitar ser nosso convidado para uma entrevista. O Palop News apurou porém, que terá sido através deste empresário brasileiro que AM chega à comunidade portuguesa ao ser por este apresentado a Domingos Cabeças da agência de empregos Netos Agency que seria a porta de entrada nesta comunidade. A partir daqui, sobram as histórias e milhares de libras perdidas por pessoas que acreditando umas nas outras, acabariam por entregar a AM valores que nunca mais foram recuperados e sem qualquer retorno. Domingos Cabeças entregou a AM a venda do seu pub em Lambeth mas o negócio correu mal. O empresário revelou ao Palop News que AM lhe afirmou ser “lawyer” (advogado) e foi a este “advogado” que entregou um contrato no valor de 80 mil libras em 2012 para a venda de um estabelecimento a Rogério Bagulho que até ao fecho desta edição permanece fechado. Foi também por intermédio de Domingos Cabeças que AM chega aos jantares do Grupo Amigos de Peixe que mensalmente reúne vários empresários portugueses. As histórias de fraude e engano chegam a seguir. O português Mário Comendas, entregou a AM mais do que um processo. A compra de uma casa, um processo no âmbito do Direito do Trabalho e outro no Direito de Família. No total, revela Mário Comendas, pagou duas mil e quinhentas libras. Até hoje, não tem nenhuma factura, nenhum recibo e

nenhum resultado. “Encontrei-o e perguntei como estavam os meus casos e AM pediu-me mais £950.00 para o Tribunal” – disse. O caso mais gritante, vai aparecer mais à frente nesta investigação do Palop News. Antes, temos outras entrevistas e outras vítimas da voracidade de AM. Um empresário português da indústria da panificação que prefere ficar no anonimato, revelou ao Palop News outras performances deste «não» advogado. “Ele disse que é advogado – revelou – se não fosse a experiência da minha mulher nas questões jurídicas não sei como teria sido. Disse-me que é advogado e foi-me apresentado no Restaurante Portugal. Eu tinha um problema com o transporte de mercadorias e ele disse-me que tratava do assunto. A verdade é que depois de lhe pagar, o problema voltou a mim” diz o empresário que adianta: “Comparado com as multas a pagar era preferível pagar a um advogado. Acabei a responder em Tribunal” – afirma para acrescentar: “Em Tribunal as coisas correram muito mal”. Entretanto, João Luís afirmou ao Palop News que os processos entregues a AM correram bem. A história, envolve a empresa Atlantico que apesar do prejuízo entendeu não responder aos apelos do nosso jornal. A João Luis, fizemos uma única pergunta: - Não lhe faz confusão que tenha contratado um advogado e que o serviço tenha sido pago numa conta de um supermercado?

- Ele disse que é uma empresa – foi a resposta. - Mesmo sendo uma empresa, acha normal? Ficamos sem resposta. É estranho que haja pessoas que contratem um advogado cujo pagamento possa ser feito numa conta bancária que figura em nome de um supermercado. O caso, não é único e há mesmo quem tenha pago o advogado na conta de supermercado…, depois deste estar encerrado. No site da Company Check, aparece ainda outra curiosidade digna de nota. AM, com o nome de de Dr. Alex Maxwell, o nosso visado aparece como Secretário de uma empresa que se chama…, precisamente; Restaurant Portugal Ltd com sede no escritório de AM e entretanto dissolvida. confirmamos ainda que existem contas onde o imposto VAT está incluído depois da empresa ter sido encerrada, ou alterada. De resto, a malha de empresas parece ser uma especialidade a que mesmo AM dificilmente saberá responder, tal a dimensão da rede. Também João Ferreira, empresário português afirmou ter trabalhado com AM com resultados satisfatórios. Já Ivanir Dornelles confessa: “Falamos um pouco e trocamos cartões de visita. Disse-me ser advogado e tratar de todo o tipo de documentação empresarial. Quando pensei em criar a minha empresa recorri a AM” – disse ao Palop News. Tinha começado um calvário. “Para ter os recibos referentes aos pagamentos, tinha que pedir várias vezes e nunca consegui que me desse os

Manoel Clayton Diniz.

“Fiquei a ver navios. Perdi a casa e o meu dinheiro”.

Ivanir Dornelles

”AM exigiu que não lhe pagasse pelo banco mas, sempre em cash”. recibos de todo o dinheiro que lhe paguei, apesar de lhe pagar uma mensalidade. Sempre vinha receber em dinheiro com a promessa de entregar os documentos posteriormente, o que nunca aconteceu” – afirma e acrescenta: “Também o meu processo de documentação foi uma aventura. Tive dificuldades em recuperar o meu passaporte que estava na posse de AM e a minha nacionalidade foi recusada por falta de evidências. AM dizia que as evidências só eram necessárias quando o processo não era tratado por advogados legítimos. Logo ele que não é advogado e me dava todas as garantias”. Nesta altura, mais de mil e quinhentas libras já estavam pagas, apenas para tratar da documentação pessoal. A isto, devemos acrescentar as avenças e a carga fiscal indevidamente pagas. As contas da luz, água, te-

lefone (utility bills em inglês), foram outro maná de AM. “Não era necessário chegar a Tribunal mas AM insistiu comigo” revela Ivanir Dornelles. “No dia do julgamento disse que teria que estar ausente e eu tive que me defender sozinha. Fiz um acordo de uma conta de um inquilino anterior a mim, que nada tinha a ver comigo. Perdi a causa em Tribunal e acabei por a resolver sozinha por acordo com o fornecedor, pagando apenas os meus consumos. AM cobrou-me taxas fiscais que o Council (Município) tem como grátis. Paguei em dinheiro e fui enganada” – afirma para adiantar: “Paguei o que era grátis e nunca tive um recibo. Além disso, recusou-se a devolver o meu passaporte e só depois descobri que AM tinha usado uma identidade que não era a sua para tratar do meu processo de legalização” - afirma.


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Rede de empresas onde constam os nomes pelos quais AM alegadamente se identifica nos registos. Fonte: Companies House e outros sites de pesquisa de empresas. Foram considerados os endereços, os registos das empresas e dos nomes envolvidos.

Ivanir Dornelles, teve ainda a sua empresa registada no endereço do escritório de AM. Situação que se repeteria no Restaurant Portugal. AM, era assim um sócio das empresas dos outros sem que os verdadeiros donos tivessem disso conhecimento. Karina Laidens foi a vítima. AM utilizou uma identificação profissional que não lhe pertencia para tratar um processo que foi chumbado pelo Home Office (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras). “AM enviou a minha documentação com as insígnias de Karina Laidens que não lhe pertenciam” – revelou Ivanir Dornelles. “Fiquei furiosa quando descobri” – disse Karina Laidens ao Palop News. Quanto a Ivanir Dornelles, afirma ter um contrato com direito a devolução das verbas pagas em caso de insucesso; verba que nunca chegou a receber. Ivanir Dornelles, afirma ainda ter pago 500 libras só para ser apresentada ao funcionário do HSBC para a abertura de conta. “Até o seguro do meu estabelecimento que paguei e nunca tive” – revela Ivanir Dornelles. O novelo porém, nem sequer

começou. AM continua a frequentar os restaurantes portugueses e os seus eventos, tentando convencer os portugueses ao investimento. Um edifício em Vitoria, um lar de 3ª idade no Algarve ou um hotel na Madeira, fazem parte de um portfólio de projectos que não conseguimos confirmar. Confirmamos apenas que depois de receber o dinheiro se torna agressivo com os clientes que reclamam resultados ou devolução. Num processo em Tribunal, Bruna Diniz afirma mesmo que AM terá falsificado a sua assinatura. “Desconheço como a minha assinatura aparece no documento” – escreveu Bruna Diniz ao Tribunal de Lambeth. Quando a propriedade foi perdida e voltada a ser colocada no mercado pela agência imobiliária, AM tentou convencer Manoel Diniz a outro negócio no valor de 175 mil libras. “Quando lhe disse que desistia do negócio AM ficou furioso e tornou-se agressivo” – diz. “Quando percebi o golpe, fingi continuar como cliente dele para tentar recuperar o meu dinheiro. Tive que entrar em Tri-

bunal” – revela. A este cliente, AM disse ter o dinheiro depositado numa conta do Bank of Ireland, o banco por seu lado, afirma desconhecer AM ou qualquer das empresas mencionadas a Diniz. Quanto às audiências em Tribunal, AM prefere faltar. Já em Dezembro, pouco antes do fecho desta edição, o Tribunal sentenciou e AM terá perdido a causa. Também Manoel Diniz afirma ter feito o depósito numa conta titulada por Saint Georges Supermarket. “A conta que ele mais utilizava é de uma empresa que está dissolvida desde 2008 mas que continuava a movimentar em 2013” – revela Diniz que começou a investigar AM, depois de ter percebido o logro que lhe levou milhares de libras. “A empresa foi reaberta com outra designação” diz o empresário. AM afirma na sua correspondência que Manoel Diniz não é seu cliente. AM estará esquecido de toda a correspondência que trocou com Manoel Clayton Diniz, do dinheiro (cerca de £15 mil) que recebeu deste nosso entrevistado, do processo que existe em Tribunal, da fatura Nº ICI-03/Diniz/209 de 3 de Maio de 2013 ou do e-mail que o própro AM escreve a este seu cliente em 25 de Fevereiro a solicitar o pagamento de £900.00 a depositar na conta St Georges com o sort code 40-06-21 e nº de conta 82018764. AM teve ainda uma sala alugada no Centro Comunitário Português em Lambeth para «apoiar» p+ró-bono a comunidade portuguesa e ironia das ironias, as nossas suspeitas levam também ao Dia de Portugal 2015, que terá tratado com AM o caso que opôs o evento à empresa Atlantico, devido às 5 mil libras que a empresa se recusou a pagar. No lote das empresas registadas a que o Palop News teve acesso, AM revela-se um profissional multifacetado. Na empresa Brazilian Point, chama-se Alex-Mass Maxwell, tem nacionalidade francesa, é Consultant Lawyer e nasceu em 1960. Já na empresa ICI Legal Ltd, muda de nome, profissão e data de

nascimento passando a chamar-se Adolphe Massamba, International Lawyer com data de nascimento 10 anos antes. Por outro lado, na empresa ICIUK Legal Ltd, assume o nome Alex Maxwell, diz ser Internacional Lawyer nascido em 1960 e assume a nacionalidade britânica. Quanto à sua definição profissional, AM faz depender isso da empresa que regista e as suas ocupações passam por o dar como Businessman, Consultant Lawyer, Lawyer, International Lawyer, Legal Assistant, ou simplesmente como Secretário. Já as empresas têm actividades tão diversas como vinhos e tabacos, solicitors, metais, serviços educacionais, energia, propriedades, contabilidade e mesmo uma empresa de aviação. A maioria das empresas, partilha os endereços da sede e também através deste detalhe é possível encontrar a malha de empresas em que AM participa. Curiosamente, a empresa Saint Georges (Eng) Ltd, AM apresenta como directores dois nomes que se suspeitam serem utilizados por AM. Adolphe Massamba e Alex Massaba. Ambas as personalidades nascidas no mesmo mês e com a

15

mesma nacionalidade mas com diferentes ocupações sendo um Advogado (Lawyer), e outro Comerciante (Businessman). Uma coisa foi confirmada por mais do que um entrevistado. A Bíblia e a religião são um prato forte deste personagem. Outro dos pratos fortes, é a ameaça com Tribunal que algumas vezes é concretizada. AM serve-se de uma imagem sem conteúdo que ameaça as pessoas mas que no resultado final, acaba por ser um vazio. Quando soube que o Palop News estava a compilar informação sobre as empresas, AM decidiu escrever-nos. As nossas suspeitas foram mais longe e investigamos outros nomes incluídos nas empresas. Na sua correspondência, AM afirma que o português Cristiano Saraiva é seu colaborador como freelancer, contudo, o Palop News tem provas de que o português Cristiano Saraiva consta como director de pelo menos duas empresas. A ICI Properties Ltd e na Alpha House Accountants Ltd sendo que nesta ultima AM não participa mas cuja sede é partilhada com outras empresas deste grupo que se diz internacional. O endereço porém, é comum a ou-


16

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

tras empresas do universo AM. No registo que encontramos, a profissão de Cristiano Saraiva aparece como advogado e em haverá mesmo situações em que já resignou. Confrontamos a Ordem dos Advogados em Portugal que nos confirmou que Saraiva não é advogado. Também a advogada Ana Paula Serralha que esteve a dar consultas no Centro Comunitário Português, está impedida de exercer a sua profissão. Contactamos a Ordem dos Advogados em Portugal que nos confirmou que apesar de Ana Paula estar inscrita para estágio, não pode exercer. Outro português que AM refere como sendo seu parceiro de negócios, é o arquitecto Paulo Afonso. Com a ajuda da Ordem dos Arquitetos em Portugal, conseguimos detetar Paulo Afonso em Londres. Afirmou conhecer AM mas não ter qualquer tipo de parceria estabelecida com nenhuma das empresas. Vanessa Silva Nunes, é outro nome português que aparece

nos registos das empresas de AM. Apuramos que nasceu no Reino Unido e é familiar de um ex-conselheiro da Comunidade Portuguesa. Terá concluído o curso de Direito e pela recomendação de Domingos Cabeças, fez um estágio na empresa de AM, ICIUK Legal Limited. É mencionada como Directora da empresa e a profissão é dada como Legal Executive. O seu nome não consta da Law Society e não tendo AM licença para o exercício, isto invalida o estágio. Trabalho a troco de frustração é o que pode esperar qualquer estagiário que passa por um escritório que não está habilitado ao exercício. Apesar de na correspondência, AM falar em investimentos no valor de milhões de euros, a The London Gazete de 24 de Julho de 2009, revela que” Alex Maxwell, também conhecido como Adolphe Massamba”, é dado como falido por ordem do Tribunal. No percurso do nosso trabalho, acabamos por nos cruzar com três personalidades da

comunidade portuguesa que acabaram por revelar terem conhecimento de uma ameaça. Segundo estas testemunhas, AM estaria a ponderar processar o editor do Palop News para posteriormente encomendar um correctivo que poderia levar à eliminação física. Até ao fecho desta edição, recebemos de AM seis diferentes cartas a que respondemos nesta edição. Impotente para travar o nosso trabalho, AM recorre a uma nova estratégia e regista uma empresa (mais uma), desta vez chamada Palop News. Informa que não poderemos continuar a utilizar o nome Palop News que agora pertence (segundo diz na carta), a um Comerciante (Businessman), de nacionalidade francesa, chamado Alex Mass Maxwell e com sede no mesmo endereço da ICI e de outras empresas registadas por AM. Como Media Adviser do novo Palop News, AM aponta Carlos Dias Monteiro, cabo-verdiano e antigo membro do Centro Comunitário Português e da extin-

Nomes com que AM se identifica e as respectivas ocupações. Fonte: Companies House e outros sites de pesquisa de empresas.

ta Abraço imiGrande, além de editor de uma revista que teve apenas uma edição ao longo dos últimos anos, desde que foi anunciada a sua criação. Na generalidade das cartas, identifica-se como Dr. e termina com a ameaça velada “you may seek Legal Advice”. A todas es-

sas cartas, respondemos nesta edição de forma pública, assumindo uma responsabilidade que temos para com todas as pessoas que entrevistamos e os nossos leitores. Depois que as ameaças foram publicadas no portal web do Palop News, AM despertou


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

17

Permanências Consulares 2016

Alex Maxwell, também conhecido por Adolphe Massamba é dado como falido por Tribunal Britânico. a atenção da RDP (Rádio Difusão Portuguesa) do Grupo RTP em Portugal e que entrevistou AM, num trabalho de Samuel Ornelas. Nesta entrevista, AM afirma trabalhar gratuitamente mas Mário Comendas e Manoel Clayton Diniz, na mesma entrevista, acusam-no de ter cobrado milhares de libras sem qualquer resultado. Entrevistamos uma empresária cuja empresa tem acompanhado diferentes endereços do escritório de AM e que conheceu várias vítimas. Esta empresária que prefere manter o anonimato refere que AM tem conhecimentos jurídicos selectivos. “Alex Maxwell mostrou ser conhecedor profundo de algumas matérias mas um perfeito ignorante em relação a muitas outras. Penso mesmo que ele tenha estudado Direito em Holborn ou que possa ter terminado o curso e perdido a licença. Descobri provas de matérias em que AM passava com nota muito alta e outras em que não passava simplesmente.” – Refere ao nosso jornal.

Cortesia Miguel Linhares

Foi esta a “vizinha de escritório” a quem AM usurpou o número de licença profissional. “Reparei que chegou uma carta dos Serviços de Imigração de uma cliente que eu não conhecia mas que tinha o meu número de licença. Cheguei a chorar com os nervos da situação” confessa a nossa entrevistada para adiantar que chegou a apresentar queixa na polícia. Também esta entrevistada confirma a versão de Luiz Souza, integrado na empresa Brazilian Point cujas instalações foram encerradas pouco depois de inauguradas. A mesma entrevistada, conta ter suspeitas de que a empresa One Energy Solutions tenha servido mais uma vez, para a capacidade que AM tem em registar empresas ao serviço de pessoas pouco atentas. “Suspeito que essa empresa tenha servido apenas para desviar correspondência de pessoas com dívidas nas empresas de serviços domésticos como água, luz ou gás”. Quando a cobrança chegava ao novo endereço, a pessoa simplesmente não existia e AM limitava-se a alterar o endereço de cobrança a troco de dinheiro, foi a explicação obtida. A sua principal referência é a sigla ICI que é utilizada de diversas formas (ver tabela). Tentamos confirmar qualquer registo que permita o exercício da advocacia nas várias combinações possíveis mas não obtivemos qual-

quer resposta positiva. Visitamos o site da ICI Properties e descobrimos apenas duas propriedades para vender. Uma delas é um restaurante onde Domingos Cabeças é parte interessada. No mais do resto, multiplicam-se as empresas registadas num dos nomes que AM utiliza em endereços comuns. O Palop News suspeita ainda que tenha já havido investigações policiais mas que não deram em nada. A permeabilidade do sistema britânico permite andamentos que custam a entender, para a cultura ocidental europeia. “É possível alguém dizer que é advogado num Tribunal, sem que isso seja confirmado” diz Vitória Nabas do escritório Nabas International Lawyers. “Se a pessoa for apanhada sofre as consequências mas para isso é preciso uma queixa que geralmente as pessoas, muitas vezes por medo, tendem a não querer fazer” – disse. Se até aqui, AM era um fantasma na internet, o Palop News inverteu essa situação. AM tornou-se uma figura pública. Pelas piores razões. Quanto a nós, vamos continuar a trabalhar para impedir que mais portugueses sejam enganados por pessoas espertas que tiram partido da ignorância popular, que podem enganar alguém algum tempo, muita gente durante muito tempo mas nunca poderão enganar toda a gente por todo o tempo. Convidamos AM para nos conceder uma entrevista no sentido de se pronunciar sobre este trabalho mas até ao fecho desta edição não obtivemos qualquer resposta. Exclusivo Palop News. Nota: Este trabalho é sustentado pela análise de mais de 500 documentos e por mais de uma dezena de entrevistas.

As permanências consulares criadas por José Cesário, ex-Secretário de Estado das Comunidades Portugueses é uma ferramenta que consiste em deslocar o Consulado junto das populações que estão mais distantes. O Consulado Geral de Portugal em Londres, emitiu a agenda para 2016 que inclui onze deslocações entre Janeiro e Dezembro. Pa informação dos nossos leitores, deixamos aqui as datas e os locais das deslocações de permanências consulares.

21 e 22 de Janeiro – Peterborough 25 e 26 de Fevereiro – Plymouth 31 de Março e 1 de Abril – Great Yarmouth 28 e 29 de Abril – Thetford 19 e 20 de Maio – Peterborough 16 e 17 de Junho – Bodmin 8 e 9 de Setembro – Great Yamouth 13 e 14 de Outubro – Thetford 10 e 11 de Novembro – Plymouth 8 e 9 de Dezebro Peterborough


18

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Como escolher um advogado No momento de escolher um advogado, há informação que deve ser considerada. Neste artigo, tentamos explicar alguns métodos para conferir que o advogado que é seleccionado, esteja em condições de cumprir com o que pretende dele. Palop News Londres

As diferenças entre os países de Língua Portuguesa e não apenas estas e o Reino Unido são por vezes algo confusas. A palavra «solicitador» em português e a palavra «solicitor» em inglês, tendem a estabelecer algumas confusões já que a palavra portuguesa não refere um advogado enquanto que a palavra inglesa identifica um advogado. A profissão de advogado, pode também ser identificada como «lawyer» cuja pronúncia em português se assemelha a «loier». Na posse do nome do advogado, é conveniente confirmar junto da Ordem dos Advogados se está inscrito. No Reino Unido ou em Portugal, a confirmação pode ser feita online, seja pelo nome do advogado, seja pelo nome da empresa. Na dúvida, uma troca de e-mails pode ser esclarecedora. Algumas ordens pedem ajuda para identificar situações de fraude. No caso do Reino Unido, caso o advogado seja credenciado, é também dada a informação sobre o segmento de actividade. O facto de a publicidade ou a identificação profissional exibir a sigla LLM, signifi-

ca que a pessoa tem um curso de Direito mas não garante que esteja autorizado ao exercício da profissão. Outras siglas podem ser usadas como MBA, LLM ou PHD mas nenhuma destas siglas, mesmo a confirmarem-se verdadeiras, confirmam autorização para o exercício da profissão. So o advogado tiver website, confira os detalhes. Desconfie de páginas sem conteúdo ou de parcerias que não estejam identificadas. Na publicidade, os advogados estão obrigados á utilização do símbolo da ordem a que pertencem. O mesmo se passa com os “advisers” que também têm que incluir na sua comunicação o símbolo da Organização onde estão registados. Por seu turno, os advisers podem apenas trabalhar Imigração desde que tenham feito uma prova e conseguido os mínimos obrigatórios. Desconfie se a publicidade ou qual-

quer outra comunicação usada mencionar os símbolos do “Home Office” ou mesmo da “Companies House”. Este ultimo, significa apenas que a empresa foi registada. No website, pode conferir se a empresa está activa ou extinta. A troco de um pagamento, pode mesmo pedir informação adicional. No Reino Unido, se o advogado informar que executa acções, então é quase obrigatório conferir que assim seja. As situações de litígio são exercidas exclusivamente por advogados o mesmo acontecendo com o item Partilhas. Outra questão de fundamental importância, é que os advogados que o são, mesmo inscritos na Ordem dos Advogados em Portugal, estão impedidos de exercer no Reino Unido. A figura do “Barrister”, desconhecida nos países de Língua Portuguesa, não exerce a sua actividade junto do público, estes em geral trabalham como interlocutores entre o advogado e o Tribunal e poucos podem atuar diretamente junto ao publico em geral. Na presença do advogado,

O que dizem do Palop News

"Vale mais investir em duas páginas de publicidade no Palop News, do que no Dia de Portugal em Londres" Ivo Afonso (Atlantico)

“Participar do Palop News com nossa Coluna Legal é excelente para nosso escritório. Recebemos mais de 7 comentários semanalmente de leitores que querem sanar duvidas e que nos buscam para ajuda-los com seus problemas jurídicos. Isto é maravilhoso pois nos dá a oportunidade de falar com a comunidade diretamente e trazer informações verídicas da legislação atual vigente. Estamos muito contentes em contribuir com o Palop News e esperamos continuar com esta parceria por uma longa data”.Dr Vitoria Nabas - Advogada (Brazil/ England & Wales/ Portugal) Nabas International Lawyers procure colher o máximo de informação possível, sobretudo o nº de licença para o exercício. Isto facilita a sua pesquisa no site da Law Society na janela que diz “find a solicitor” http:// solicitors.lawsociety.org. uk/?Pro=True. Peça referências de outros clientes e desconfie igualmente da utilização de um e:mail grátis (Gmail/ Hotmail/Yahoo ou outros do gé-

nero). Faça notar que a sua pesquisa sobre o advogado, garante a sua confiança no serviço que lhe vai encomendar. Nunca pague em dinheiro, faço-o por cheque nominal, cartao de credito e sempre em nome do escritorio da advocacia e nao de terceiros. Se tiver dúvidas, consulte uma empresa de serviços que o possa ajudar a encontrar esclarecimento. Fonte: Nabas International Lawyers


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

19

Os novos negócios que falam português em Londres Fazemos aqui um percurso sobre os novos estabelecimentos que abriram em Londres em Língua Portuguesa. Estamos certos que outros terão nascido mas que infelizmente não se cruzaram connosco neste levantamento. Fica a promessa de serem incluídos na próxima edição caso os venhamos a descobrir. Deixamos aqui alguma da vitalidade portuguesa na Capital britânica. O Fado

mento, cargas e descargas de mercadorias. Onde: 112 Warner Road, London SE5 9HQ

Benfica Londres Abriu em Londres a Casa do Benfica com o nº 250. Presida por Augusto Neira Nunes, esta estrutura associativa promete dinamizar a família benfiquista no Reino Unido. Na Casa Benfica em Londres, é possível aceder a um serviço de restauração bem como comprar mershindising do Clube. Onde: 343 Wandsworth Rd , London SW8 2SH (Ao lado Restaurante Toca)

O Fumeiro O Fumeiro é o novo espaço da Wilcox Road. Inclui mercea-

ria, congelados, chacutaria e vinhos. O fumeiro tem ainda um espaço de restaurante e esplanada. Onde: 52-54 Wilcox Road— London SW8 2UX

Delícias de Portugal

A Delícias de Portugal inaugurou a extensão da sua loja em Vauxhall com um espaço mais amplo e acolhedor. Os detalhes incluem um piso composto por calçada portuguesa. A loja tem todo o tipo de produtos nacionais. Onde: 280 Wandsworth Road London SW8 2JR

Crown Joinnery

Portugal Bakery patisserie Espaço de café e pastelaria com padaria diversa. Ambiente familiar e onde portugueses se encontram e convivem. Onde: Vitoria House—South Lambeth Road, London SW8 1QX

A Crown Joinery é uma carpintaria especialidade em limpos. Especializada na produção de portas e janelas. Onde: 4C Unit 3 - Tyrrell Road - London SE22 9NA

Tamariz Deli Na parte Norte de Londres o Tamariz abriu a sua segunda unidade chamada Tamariz Deli e especializada em produtos portugueses. A loja está nas antigas instalações da Abraço imiGrande. Onde: 24 Craven Park Road NW10 4AB Londres

Terra e Mar

Viserra A Viserra mudou também as suas instalações para a zona de Camberwell. A empresa que se dedica á importação e distribuição de produtos alimentares tem agora instalações maiores e mais funcionais para atendi-

Terra e Mar é o novo restaurante português especializado em pratos na brasa. Com serviço á lista para o “eat in or take away”. Onde: 266 Wandsworth Road SW8 2JR

Minas Transfer Também na Wilcox Road abriu a empresa Minas Transfer, empresa que se dedica a transferências internacionais de dinheiro. Onde: 26-28 Wilcox Road, London, SW8 2UX

Um novo espaço no coração de Stockwell num espaço que os portugueses conhecem bem e que se renova com um novo estilo, um novo ambiente e uma nova cozinha com os tradicionais paladares portugueses. Onde: 74 Lansdowne Way, London SW8 2DQ

Grelha Douro 2

Um novo espeço onde a qualidade se alia á rapidez no atendimento. Serviço de cafetaria e snack bar com um menu para quem está com pressa mas não dispensa os sabores tradicionais portugueses. Onde: 145 South Lambeth Road SW8 1XN


20

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Editor do Palop News ameaçado de morte Enquanto editor, redator e proprietário do título Palop News, sempre entendi que o jornal é uma ferramenta informativa da extensa comunidade de Língua Portuguesa no Reino Unido. Palop News Londres

Por questões de ética, entendo igualmente que o jornal não pode e não deve ser usado para questões do foro pessoal. Como todas as regras têm uma exceção, desta vez entendi que o jornal deva e possa ser usado em benefício próprio. A ameaça, parte de uma personalidade conhecido pelo nome de Alex Maxwell e sobejamente conhecido em particular nas comunidades Portuguesa e Brasileira em Londres e divide-se em duas partes. Alex Maxwell, segundo uma testemunha, num restaurante a Sul de Londres, pede a um português aqui residente, na frente de outras pessoas, que reuna os meus detalhes pessoais para que me possa processar em Tribunal, no sentido de me ren-

tabilizar financeiramente para posteriormente encomendar a minha morte. A Alex Maxwell, tenho a dizer que toda a informação testemunhada e devidamente classificada está já entregue no departamento jurídico de um escritório de advogados. Tenho ainda a dizer que os meus pais foram para mim um exemplo de coragem na luta por convicções mesmo quando se tratava da polícia política da ditadura do Estado Novo em Portugal. Da mesma forma, toda a informação que está a ser trabalhada pelo Palop News se encontra alojada numa drive digital garantindo que caso eu tenha algum “acidente”, a informação seja publicada mesmo na minha ausência.

Emilíano Zapata, líder da revolução mexicana, disse que “vale mais morrer de pé que viver de joelhos” e eu, Alcino Francisco, subscrevo esta afirmação. É certo que terei a partir de agora, uma maior preocupação em frequentar lugares que tenham CCTV mas é igualmente certo, que em caso de “acidente”, a justiça da Europa saberá quem procurar. Não tenho nada contra Alex Maxwell mas tenho tudo a favor da Comunidade á qual pertenço.

Cortesia Miguel Linhares


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Associação Portuguesa de Watford Festejou Aniversário A Portuguese Watford Association festejou mais um aniversário em Watford, a Norte de Londres Palop News Londres

Presentes, mais de 500 pessoas que disseram “presente”, a um evento que contou com a participação do Grupo Musical Minhotos Marotos que se deslocaram ao Reino Unido para esta atuação exclusiva. Marcaram presença no evento o Conselheiro António Cunha, a Cônsul Geral de Portugal em Londres Joana Gaspar e António Galaz, Adido Social da Embaixada de Portugal no Reino Unido. A ementa, tipicamente minhota, contou à mesa com muitas famílias facilmente detetadas pela presença de muitas crianças que animaram o evento. O evento foi aberto com to-

das as pessoas em pé a cantar o Hino Nacional e encerrado com os parabéns, ambos cantados a plenos pulmões por todos os presentes. A Watford Portuguese Association tem mostrado o seu crescimento ano após ano e se nos seus primeiros eventos contava com pouco mais de uma centena de pessoas, hoje, o número de portugueses a comparecer ultrapassa já as cinco centenas. Os portugueses aqui residentes, maioritáriamente originários do Conselho de Barcelos, dispersam as suas atividades profissionais em diversos segmentos onde se contam também pequenos empresários. Em comum, a ligação a Portugal que é visível sempre que os portugueses cantam juntos.

21

Portuguesa premiada por investigação sobre Alzheimer Palop News Londres

A investigadora portuguesa Rita Guerreiro, da britânica University College of London (UCL), foi reconhecida com o prémio Fondazione Gino Galletti Neuroscience Prize 2015 pelo seu trabalho sobre doenças neurodegenerativas. O prémio, segundo a instituição italiana, foi atribuído pelo seu trabalho sobre as mutações

Foto: Miguel Linhares

do gene TREM2 e a relação com o desenvolvimento da Doença de Alzheimer. Este trabalho já tinha sido distinguido em janeiro com o Prémio Europeu do Jovem Investigador, atribuído pela Associação francesa para a Investigação sobre Alzheimer e Rita Guerreiro e, também este ano, venceu o prémio da Sociedade britânica de Investigação de Alzheimer e Demência na catego-

ria de "realização académica". O geneticista John Hardy, o mais importante especialista britânico da doença de Alzheimer e também investigador na UCL, considerou a portuguesa "uma estrela em ascensão" na investigação da neurociência. "Ela encontrou o primeiro gene de Alzheimer em 15 anos e isso é uma descoberta revolucionária no meio", disse. A cientista disse à agência Lusa que estes prémios são importantes em termos de "prestígio" e contribuem para a evolução do estatuto profissional, atualmente em vias de passar de investigadora financiada pela Alzheimer Society ao quadro de pessoal da UCL. O prémio no valor de 10.000 euros atribuído pela fundação italiana é pessoal e não precisa de ser aplicado em investigação, mas Rita Guerreiro confessou que este tipo de financiamento pode ser útil a "projetos pessoais" paralelos ao seu trabalho.


22

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Cantinho português em West Norwood Palop News Londres

Os mais recentes investimentos na modernização de Lambeth na margem do Tamisa, fez disparar o aumento do custo do arrendamento habitacional e comercial. Por via deste fenómeno, a tendência das populações é a

Brixton_mania procuram-se. Vivos. Palop News Londres

Hoje foi dia de sair à rua no Little Portugal a Sul de Londres. O Manuel Fernandes não estava no Cinco Quinas e por duas paragens de autocarro, decidi ir a pé ao Funchal Pelo caminho, encontrei estes dois “postais” que partilho.

deslocação para pontos mais distantes do centro da cidade. Muitos dos portugueses que têm vivido mais próximo do rio, passaram a viver em zonas mais baratas ou, se quisermos, não tão caras como Vauxhall ou Stockwell se estão a tornar. Este movimento, tem vindo a deslocar-se em direção a Croydon numa triangulação

Passei por eles e segui. Depois, voltei atrás. - Vocês bebem cerveja? - Nós bebemos tudo – disse-me um deles. - Se vos oferecer uma cerveja, posso ter uma fotografia? - Claro que sim – responderam os dois. Mais uma vez voltei atrás. Regressei ao Cinco Quinas e encomendei duas cervejas. A partir daqui, foi sempre em frente. Esqueci-me de fazer uma selfie. Manuel Gomes

que envolve Brixton, Stretham e West Norwood. Foi aqui que viemos descobrir uma pequena, simpática e bem recheada mercearia portuguesa que também tem serviço de cafetaria. Várias pessoas que vivem nas redondezas, habituaram-se assim a fazer da mercearia Castelo o seu ponto de encontro onde param para as compras mas também para as horas de descanso e lazer em luso-convívio. São vários os portugueses que visitam este estabelecimento de forma diária e são muitos os milhares de pessoas que cruzam a porta da mercearia por força da estação de comboio que se encontra a escassos metros. Muitos dos cidadãos britânicos que cruzam o corredor onde se situa este estabelecimento português, têm as suas preferências na pastelaria, azeite, vinhos bem como queijos e enchidos a que não escapa o tradicional pastel de nata.


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

23

Visto de Residência no Brasil para Aposentado Estrangeiro Um estrangeiro aposentado, acompanhado de até dois dependentes, pode solicitar Visto Permanente para o Brasil por transferência de rendimentos de aposentadoria. Para isso, é necessário comprovar poder transferir, por ordem bancária, mensalmente, para o Brasil importância igual ou superior a R$ 6.000,00 (seis mil reais). Nabas International Lawyers Londres

No caso do interessado ter mais de dois dependentes, será obrigado a transferir, ainda, quantia, em moeda estrangeira, em montante igual ou superior a R$ 2.000,00 (dois mil reais), para cada dependente que exceder a dois. Seja na primeira ou segunda hipótese, os dependentes deverão estar enquadrados nas disposições da Resolução Normativa que dispõe sobre a concessão de visto temporário ou permanente a título de reunião familiar. O pedido deverá ser feito no Consulado Brasileiro da residência do interessado e dentre os vários documentos exigidos, o requerente deverá apresentar passaporte válido; certidão de antecedentes penais, recente, expedida há menos de 3 meses; declaração do órgão pagador dos proventos, com informação de seu montante mensal, com conversão em reais; declaração de instituição bancária de que os referidos proventos podem ser transferidos mensalmente para o Brasil; comprovante de aposentadoria definitiva; comprovação de aposentadoria e de capacidade para efetuar transferência mensal da quantia exigida para uma conta existente ou a ser aberta no Brasil, destinada a comprovar que a legislação estrangeira permite a transferência de divisas ao exterior. No caso de uma pensão privada, a assinatura da carta / declaração deve ser testemunhada por um notário público. Podem ser pedidos documentos ou esclarecimentos adicionais, sendo que todos os documentos têm que ser legalizados de forma a serem aceitos no Brasil. A concessão do visto dependerá de autorização prévia do Ministério das Relações Exteriores, portanto pode levar mais

Escola bilingue angloportuguesa em Londres aponta abertura para 2017 Palop News Londres

tempo para ser emitido. Depois da concessão do visto, o interessado deve fixar-se no Brasil no prazo de 3 meses. Após sua chegada ao território brasileiro, o titular do visto permanente tem prazo de 30 dias para se registrar no Departamento de Polícia Federal da cidade onde for residir. O estrangeiro registrado é obrigado a comunicar ao Ministério da Justiça a mudança do seu domicílio ou residência, devendo fazê-lo nos 30 (trinta) dias imediatamente seguintes à sua

efetivação. O estrangeiro permanente que se ausentar por prazo superior a 2 anos ininterruptos do território nacional, perde a permanência. Dra Soraia Pereira Advogada Brasil e Portugal Este artigo foi redigido meramente para fins de informação e debate não devendo ser considerado uma opinião legal para qualquer operação de negócio específico. 2015. Direitos Autorais reservados a Nabas International Lawyers

O projeto de criar uma escola bilingue portuguesa e inglesa em Londres continua a avançar, mas a abertura prevista foi novamente adiada, para 2017, enquanto a proposta é melhorada, afirmou uma das promotoras da iniciativa. Depois de as autoridades britânicas terem rejeitado uma primeira submissão há dois anos, a equipa de voluntários foi reforçada com profissionais, como diretores e professores de escola e gestores educativos, e uma consultora profissional. “Não foi uma reprovação definitiva, foi uma reprovação a dizer que (o projeto) não estava pronto e que era preciso trabalhar certos aspetos”, disse à agência Lusa Regina Duarte, atual Coordenadora do Ensino do Português no Reino Unido. Uma das lacunas, admitiu, era uma maior participação inglesa, bem como uma maior solidez organizacional e financeira, que está agora a ser garantida pelo grupo português Talent Group, que gere vários

estabelecimentos de ensino. A nova proposta deverá ser submetida em março de 2016 ao Ministério da Educação britânico, que deverá deliberar no espaço de dois a três meses. “Depois teremos pouco mais de um ano para abrir. Porque a maior parte do tempo é investido no projeto e no planeamento financeiro, será uma fase intensa sobretudo de recrutamento e de aquisição ou construção de edifício”, adiantou. A escola Anglo-Portuguesa de Londres (http://www.angloportugueseschool.org/) será uma escola independente que terá autonomia na gestão, nomeadamente de horários e currículo, mas será financiada pelo Estado britânico. O programa será dado nas duas línguas, inglês e português, e o objetivo é formar crianças bilingues e promover a língua portuguesa como um idioma internacional. Além de melhorar a proposta, está também a ser angariado apoio de famílias que sejam potenciais utilizadores da escola, embora nos primeiros anos só esteja previsto que entrem crianças entre os quatro e seis anos. “A nossa proposta é mais modesta (do que no início), devido à maior exigência do Ministério. Vamos começar com os primeiros anos do ensino primário e crescer a partir daí”, disse Regina Duarte. Quando estiver em pleno funcionamento, a escola terá 420 crianças até aos 11 anos, em idade de completar o ensino primário, sendo o ensino secundário uma ambição para mais tarde. A localização privilegiada é o sul de Londres, onde está concentrada a maior parte da comunidade lusófona na cidade, e onde já funciona com sucesso uma escola bilingue francesa e inglesa.


24

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Emigração portuguesa para o Reino Unido voltou a disparar entre 2014 e 2015 Palop News Londres

A emigração portuguesa para o Reino Unido quebrou a tendência de estabilização ao subir 22% entre setembro de 2014 e setembro de 2015 face ao mesmo período entre 2013 e 2014, segundo estatísticas oficiais publicadas. De acordo com os números do Ministério do Trabalho e Pensões britânico, 34.145 nacionais portugueses pediram naquele período um número de segurança social, obrigatório para qualquer contrato de trabalho. Este valor representa um aumento de 6.099 face aos 28.046 portugueses que se registaram para trabalhar pela primeira vez nos 12 meses anteriores a setembro de 2014. Há um ano, estas mesmas estatísticas tinham apontado para

uma estabilização do número de portugueses que chegam ao Reino Unido para trabalhar, ao revelar um ligeiro decréscimo de 0,77% relativamente aos 28.263 registados entre setembro de 2012 e 2013. O número de segurança social (National Insurance Number) é compulsório para quem queira trabalhar a tempo inteiro ou parcial, como, por exemplo, estudantes, para reclamar apoios sociais ou para aqueles que se registem como trabalhadores independentes. Embora sejam um indicador sobre os fluxos migratórios, estas estatísticas não contabilizam aqueles que não trabalham, como menores, idosos ou outros dependentes. Portugal é, atualmente, o sexto país de onde chegam mais nacionais para trabalhar em território britânico, atrás da Ro-

ménia, Polónia, Itália, Espanha e Índia. Segundo o boletim, a comunidade lusófona em geral continua também a aumentar:

registaram-se na segurança social britânica, entre setembro de 2014 e setembro de 2015, 125 angolanos (+7%), 46 moçambicanos (+92%), 39 cabo-ver-

dianos (+56%) e 36 timorenses (+260%). Pelo contrário, apenas se registaram 41 guineenses (-28%) e 20 são-tomenses (-44%).


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

“Emigrantes esperam uma palavra de estímulo, de incentivo e de confiança” José Luis Carneiro, é o novo Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas. Tem 44 anos,é ex-autarca de Baião, líder do PS-Porto (a maior federação distrital dos socialistas) e vice-presidente da bancada Socialista no Parlamento Palop News Londres

Nascido a 4 de outubro de 1971, com um mestrado em Estudos Africanos - Elites Politicas e a frequentar o doutoramento em Ciência Política e Administração José Luis Carneiro, é professor universitário, na Universidade Lusíada e no Instituto de Ciências da Informação e Administração de Aveiro. Foi deputado à Assembleia da República na X Legislatura (200503-10 a 2009-10-14) e regressou na XIII Legislatura, iniciada após as eleições de 4 de outubro. No Parlamento é membro das comissões de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação; Assuntos Eu-

ropeus; Agricultura e Mar. Pelo meio, foi durante dez anos presidente da Câmara Municipal de Baião - entre novembro de 2005 e outubro de 2015. Foi membro do Comité das Regiões entre 2006 e 2015. Integrou as Comissões de Educação, Juventude, Ciência e Cultura (EDUC) e a comissão de Coesão Territorial (COTER) e foi ainda eleito presidente da Comissão de Recursos Naturais (NAT), função que desempenhou entre Fevereiro e Outubro deste ano. Entre outros cargos que já assumiu estão o de vereador na Câmara Municipal de Baião, entre 1998 e 2005; assessor do gabinete do Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Administração Interna entre 1999 e

2000; chefe de Gabinete do Grupo Parlamentar do Partido Socialista entre 2000 e 2002. Foi ainda membro do Conselho Económico e Social entre dezembro de 2013 e outubro de 2015 e do Conselho Geral da Associação Nacional dos Municípios Portugueses, entre novembro de 2013 e outubro deste ano. José Luis Carneiro integra agora o XXI Governo Constitucional, que tomou posse a 26 de novembro, como secretário de Estado das Comunidades Porutguesas. Vai depender do Ministério dos Negócios Estrangeiros liderado por Augusto Santos Silva. À entrada para a cerimónia, o novo titular da pasta das Comunidades disse aos jornalistas, que espera “seja possível responder à defesa do interesse público e à sal-

vaguarda do interesse do país”. “No meu caso em concreto estou muito preocupado com a expectativa e com a esperança das comunidades emigrantes porque é para elas que vamos trabalhar, não apenas para aquelas que já estão há muitas décadas na emigração, mas aquelas que são as novas gerações que esperam da nossa parte uma palavra de estímulo, de incentivo e de confiança”, disse aos jornalistas.

25


26

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Orixás que vão reger 2016 Segundo o jogo de búzios e os estudos realizados o ano de 2016 será regido por Oxalá e Iemanjá. Se observarmos na astrologia Sol é o planeta regente do ano novo, que corresponde à Oxalá, primeiro dia de janeiro de 2016 cai numa sexta-feira, dia consagrado ao mesmo Orixá. Pai Nélio d’Oxala Londres

Lemanjá, considerada à esposa de Oxalá e mãe da maioria dos Orixás rege ao seu lado promovendo uma certa paz e harmonia ao longo do ano. O ano de Oxalá consiste em estudo, reflexão e até mesmo uma boa dose de obstinação. Nada será tão fácil e rápido quanto parece, já que as circunstâncias tendem a exigir cada vez mais articulação e repertório de cada um de nós em diversos contextos. O intelecto tende a ser muito mais requisitado do que a força física. Assuntos, interesses e investimentos do passado podem ser abordados com mais frequência do que nunca, já que as descobertas e retomadas tendem a acontecer naturalmente, sob a regência de Oxalá. Os aspectos positivos de 2016 com regência de Oxalá é que as pessoas buscarão mais a criativdade, a intelectualidade, a sabedoria, a fé, a espiritualização, a calma e a harmonia, assim como pode haver mais tomada de consciência. Os aspectos negativos: grandes perigos, grandes responsabilidades. Preguiça, sedentarismo, desânimo e desistência

tendem a ser alguns dos principais empecilhos de 2016. Desculpas e mais desculpas para adiar decisões importantes podem fazer com que as oportunidades grandiosas, muitas vezes sejam perdidas. A forte sensação de falta de tempo vem a ser um agravante cada vez mais frequentes de reclamar não só das pessoas, mas dos desafios que o mundo impõe. Mas a lentidão para realizar algo pode ser mais proveitosa do que aparenta, porque agir de modo cauteloso e estruturar as relações e os projetos com a devida atenção passa a ser a ordem do ano de Oxalá. Esta regência indica o alcance da maestria através da paciência. Desenvolver uma postura tolerante e mais calma em relação à vida e às pessoas pode fazer com que os meses de 2016 sejam serenos e bastante proveitosos. A indignação com a demora do sucesso ou mesmo de algum reconhecimento pode fazer com que os pequenos êxitos sejam menosprezados. Não é um bom ano para querer mais do que já se tem, pois qualquer exagero deve ser questionado pela força ponderada deste Orixá. O necessário pode ser extraordinário.

Assim como a ansiedade pode ser um problema para os mais impacientes, Oxalá pressupõe inteligência e comedimento para administrar a vida com o necessário jogo de cintura, conhecendo e aceitando as limitações que tendem a surgir pelo caminho. Oxalá rege o período em que o silêncio faz toda a diferença. O sucesso pode ser medido pela consciência tranquila e pela ausência de qualquer reação quando uma ofensa ou um problema chega com força. N o ano

d e 2016 será prudente fazer mais e falar menos. Cuidado com o s compromissos e tomar distância do supérfluo é um dos lemas de Oxalá. No ano de 2016 Orixá regente será Pai Oxalá, estando sempre atuante por todo o ano, que virá acompanhado pela vi-

bração intensa de Mãe Iemanjá, a partir do meado do ano. Como Oxalá é o Orixá da criação, novas e maravilhosas oportunidades poderão surgir nesse ano. Muitas nações buscarão a paz, que por intermédio de Oxalá reinará o bom senso em prol da tranquilidade do planeta. Oxalá busca sempre a paz e o equilíbrio da terra, por mais ódio, ganância, rancor que reinam nos cor a -

ções dos seres humanos, nosso amado Pai jogará suas bençãos para recomeçarmos uma nova jornada. Devemos lutar contra o ódio, elevar a fé e o perdão, para que assim possamos refletir sobre nossas más atitudes, e buscar sempre, de todas as formas, o acolhimento e o amor a nossos semelhantes. Para que consigamos caminhar em caminhos melhores, devemos refletir muito, devemos analisar cada passo, cada decisão, cada instante de nossa vida. Não devemos ser levados por palavras sem fundamento, não nos deixarmos induzir por pessoas que trazem a maledicência, ganância, rancor, ódio, mesquinharia, intolerância, desamor ou inveja no coração, pois assim nossa caminhada vai ficar cheia de obstáculos, e nunca sairemos do inicio da jornada rumo a vitória. Resumindo, como estamos iniciando tudo de novo, um primeiro mau passo nos levará para longe de conquistas. Po-

deremos esperar um ano bastante quente, pois como Oxalá é o Orixá do Sol, o mesmo estará muito mais perto de nosso planeta, fazendo, além de aquecer um tanto a mais, poderemos ter alguns desastres naturais de alguma proporção, ligados a intensas chuvas no início e no findar do ano de 2016, e também alguns fenômenos como tufões e ciclones. Munidos de muita fé, buscando sempre fazer a caridade, conquistando todos os objetivos, sempre com muita paz e muita saúde, sem mazelas, sem ódios, sem rancores e com muita luz na caminhada, para que assim Pai Oxalá, acompanhado de Mãe Iemanjá possam reinar de uma forma na qual possamos ter mais esperanças de um ano melhor que 2015. Estamos entrando em um grau de espiritualidade intensa, pois Oxalá sendo o Pai de todos, tem como finalidade nos dar muita proteção, ainda mais que pelo meio do ano seremos cobertos pelo manto sagrado de Mãe Iemanjá. O Orixá do branco é Oxala um grande protetor e guardião de toda Humanidade. A Influência de Iemanjá a Mãe do Mundo, irá trazer um pouco de nostalgia, porém trará um pequeno ciclo de Águas que como em todos os anos de Oxalá terminaremos com muitas chuvas e Águas, Serão as Águas de oxalá fechando o ano de 2016. Oxala é o pai de todos os Orixás, ele oferece ajuda em todos os momentos de dificuldade. Yemanja é considerada a mãe da maioria dos Orixás e, por causa disso, está sempre procurando dar ajuda aqueles que necessitam. Sensível e sensual.

Conselhos para 2016:

A paciência é uma das principais virtudes a serem desenvolvidas em 2016. Dece incetar uma busca de si próprio, mas deve seguir os passos da natureza, saber lidar com o tempo, esperar o melhor momento de


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

agir com absoluta prudência diante do que não pode ser evitado. A voz do sábio é ouvida na serenidade. Em vez de se desesperar o melhor é aprender a esperar. Evitar conflitos, tanto externos quanto internos, faça com que as palavras certas sejam ditas e as atitudes mais promissoras sejam tomadas. A fidelidade a quem se ama e ao que se acredita tende a ser um dos fatores para alcançar o sucesso no ano de Oxalá. O Orixá regente de 2016 convida a constantes balanços sobre própria conduta para com as pessoas, a vida e o mundo. Os caminhos abrem-se na medida em que cada passo é dado, seja ele certo ou não. Os movimentos mais auspiciosos são aqueles que desencadeiam uma série de questionamentos e os que instigam reflexões severas sobre o que se quer e sobre quem se é. Lembre-se que o símbolo de Oxalá é o Sol e este joga luz ao desconhecido. Portanto, em vez de temer as mudanças que invariavelmente ocorrerão nos próximos meses, a orientação é justamente aceitar as rotas que se descortinam. Um ano de sabedoria é aquele em que ninguém permanece igual ao que era antes, mesmo

27

que se movimente pouco em direção ao que se deseja. Devagar se vai longe - mas também se conquista um mundo.

Cores e dicas para 2016:

A cor de Oxala é o branco, de Iemanjá o azul claro. Para receber a sua proteção na virada do ano use uma peça de roupa na cor do Orixá de sua preferência, lembrando que Oxala é Orixá que promove a paz, tranquilidade, saúde e longevidade. Iemanja traz harmonia no amor e todos os assustos ligado a família. O ideal é mesclar as duas cores para se ter uma dupla proteção. Poderão usar também na virada do ano acessórios e bijus que contem prata, níquel, pedras preciosas, cristal, que ampliará a sorte do seu portador. A TEMO irá realizar no final do ano um ritual limpeza e prosperidade: Para melhor receber as bênçãos e proteção espiritual, será necessario estar alinhado com esses dois grandes Orixás. A TEMO irá realizar um ritual no mar de limpeza e proteção no proximo dia 31 de Dezembro de 2015 de modo a entrarmos em 2016 com uma energia muito positiva. Os interessados poderam nos contactar para o numero 910

337 204 de modo a confirmar a hora e local. Que Pai Oxalá e Mãe Iemanjá nos abençoem ao longo de todo o ano de 2016 e que todos os Orixás e todas as Entidades de Luz nos protejam, para que possamos vencer todos os obstáculos, para que consigamos os nossos objetivos, sempre repletos de muito amor, fé, coragem, caridade, saúde, paz, positividade e claro algum dinheiro no bolso. Assim seja. Pai Nelio d`OxalaO Orixá regente de 2016 convida a constantes balanços sobre própria conduta para com as pessoas, a vida e o mundo. Os caminhos abrem-se na medida em que cada passo é dado, seja ele certo ou não. Os movimentos mais auspiciosos são aqueles que desencadeiam uma série de questionamentos e os que instigam reflexões severas sobre o que se quer e sobre quem se é. Lembre-se que o símbolo de Oxalá é o Sol e este joga luz ao desconhecido. Portanto, em

vez de temer as mudanças que invariavelmente ocorrerão nos próximos meses, a orientação é justamente aceitar as rotas que se descortinam. Um ano de sabedoria é aquele em que ninguém permanece igual ao que era antes, mesmo que se movimente pouco em direção ao que se deseja. Devagar se vai longe - mas também se conquista um mundo.

Cores e dicas para 2016:

A cor de Oxala é o branco, de Iemanjá o azul claro. Para receber a sua proteção na virada do ano use uma peça de roupa na cor do Orixá de sua preferência, lembrando que Oxala é Orixá que promove a paz, tranquilidade, saúde e longevidade. Iemanja traz harmonia no amor e todos os assustos ligado a família. O ideal é mesclar as duas cores para se ter uma dupla proteção. Poderão usar também na virada do ano acessórios e bijus que contem prata, níquel, pedras preciosas, cristal, que ampliará a sorte do seu porta-

dor. A TEMO irá realizar no final do ano um ritual limpeza e prosperidade: Para melhor receber as bênçãos e proteção espiritual, será necessario estar alinhado com esses dois grandes Orixás. A TEMO irá realizar um ritual no mar de limpeza e proteção no proximo dia 31 de Dezembro de 2015 de modo a entrarmos em 2016 com uma energia muito positiva. Os interessados poderam nos contactar para o numero 910 337 204 de modo a confirmar a hora e local. Que Pai Oxalá e Mãe Iemanjá nos abençoem ao longo de todo o ano de 2016 e que todos os Orixás e todas as Entidades de Luz nos protejam, para que possamos vencer todos os obstáculos, para que consigamos os nossos objetivos, sempre repletos de muito amor, fé, coragem, caridade, saúde, paz, positividade e claro algum dinheiro no bolso. Assim seja. Pai Nelio d`Oxala


Palop News Edição 48_Dezembro 2015  

Nesta edição de Natal, cumprimos mais uma vez com entrevistas, reportagens e notícias sobre a Comunidade de Língua Portuguesa no Reino Unido...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you