Issuu on Google+

Nº 0,80 Palmeiras |

6

Edição nº 6 - Dezembro de 2011

Solidariedade

Voluntariado na nossa escola

No âmbito do Ano Europeu do Voluntariado, a turma do 9ºA está a desenvolver vários projetos na disciplina de Formação Cívica. O objetivo destes trabalhos é promover o voluntariado, dar a conhecer diferentes possibilidades de participar em ações de voluntariado e motivar os jovens para este tipo atividade, tão importante nos dias de hoje...

Ano Europeu do Voluntariado 2011

Apesar de existirem diferentes definições à volta do tema, certo é que, seja onde for, os voluntários trabalham todos em prol da sociedade. Com o voluntariado todos ficam a ganhar!

Nós por cá...

física de partículas do mundo.

Biblioteca...

- Visita de estudo à Suíça, ao CERN, o maior laboratório de

- Tabela Periódica Comestível - Escola participa na iniciativa “CHERUB” - Mês Internacional das Bibliotecas Escolares


Editorial...

A vida é muito mais rica e interessante se todos contribuirmos para a tornar mais fácil e mais feliz. Muitas vezes o Ser Humano torna a vida mais difícil do que efetivamente ela é, pois cria expectativas desapropriadas e corre “como louco” atrás delas, sentindo-se tremendamente infeliz quando não as alcança. A felicidade está, quase sempre, mais perto de nós do que julgamos, porque podemos atingi-la através de pequenos gestos ou apreciando e valorizando pequenas-grandes coisas. É importante que valorizemos o que temos e o que somos e devemos refletir muitas vezes acerca do infelizes que seriamos se não o tivéssemos nem fossemos. Daí a contribuirmos para ajudar os que menos têm, já o passo será mais curto, pois sentir-nos-emos grandes afortunados e abençoados. Quem não se reconhece ditoso perante uma criança com uma doença grave ou perante a dor dos pais dessa mesma criança? É sempre muito pior quando queremos fazer qualquer coisa e não podemos, do que podermos fazê-la e não querermos! Nesse sentido, façamos tudo o que estiver ao nosso alcance para nos sentirmos felizes e para sermos solidários, abrindo o nosso coração aos outros. Como referiu Franz Kafka, “a solidariedade é o sentimento que melhor expressa o respeito pela dignidade humana”. E terminaria ainda com uma frase de Antoine de Saint Exupery que refere que “a verdadeira solidariedade começa onde não se espera nada em troca”. Sejamos felizes agradecendo a graça de o sermos e fazendo os outros felizes! O diretor João Paulo Mineiro

Ser voluntário… porque não? Nos dias de hoje, existe uma “guerra” que se sobrepõe a todas as outras, no panorama internacional. Não se trata, no entanto, de uma guerra que se trava diretamente nos campos de batalha, com frentes ofensivas já estabelecidas, ataques bélicos regulares e com avanços e recuos já sistemáticos. Esta guerra, que assola o contexto global, é menos ofensiva, contudo não deixa de ser mais agressiva e devastadora. A batalha de que vos falamos trava-se diariamente nos escritórios dos pólos económicos e financeiros, nos centros políticos e nas bolsas de valores, cujas oscilações irregulares são favorecidas pela combinação mordaz de querelas políticas e interesses económicos. Os acionistas, agentes do capitalismo que prospera no panorama internacional, propiciam as tumultuosas variações da cotação das ações, alimentando a especulação que proporciona a agitação dos mercados. Na União Europeia, mais concretamente na Zona Euro, vivem-se tempos conturbados. Efetivamente, o colapso das atividades económicas e a estagnação das instituições financeiras da Grécia, de Portugal e da Irlanda proporcionaram a intervenção económica externa nestes países, a fim de diminuir a dívida externa soberana. Esta situação determinou que os holofotes do contexto internacional se direcionassem para a Europa e, por conseguinte, a Zona Euro tornou-se palco de sucessivas pressões internacionais, duvidando as principais potências financeiras e as agências de rating da robustez da nossa moeda única. Para atenuar a recessão económica, os governos nacionais anunciaram fortes medidas de austeridade que favoreceram o empobrecimento das pessoas, com o aumento exponencial do desemprego, a diminuição repentina do consumo interno e a falência endémica de empresas nacionais, que acabaram por não resistir ao frenesim financeiro. Portanto, a crise económica originou uma crise social. As pessoas, desprovidas de um rendimento económico suficiente para colmatar as suas necessidades essenciais, recorreram a centros de ajuda. Aqui surge o conceito de voluntariado. Entende-se por voluntariado, para além do simples ato consciente, uma atitude de entreajuda e solidariedade para com os outros que nos rodeiam e cujas posses financeiras impossibilitam o seu bem-estar pleno, necessitando de ajuda para subsistir. O voluntário, ou seja, o agente do voluntariado, não exige nada em troca, prescindindo do seu tempo útil para ajudar o próximo. Atualmente, persistem as preocupações quanto ao rendimento económico e ao capital financeiro, desvalorizando-se a importância que as relações sociais representam no contexto local. Efetivamente, a entreajuda e a solidariedade, os alicerces essenciais que sustentam a prática do voluntariado, são o expoente máximo da relação humana, tantas vezes fustigada por tricas e querelas ridículas. Não podemos pensar exclusivamente nos países menos desenvolvidos, cujas condições de vida degradantes justificam o voluntariado. Não é necessário viajar para a América Latina, África ou Ásia para encontrar situações que fundamentam a intervenção externa. Por vezes, casos em que a dignidade e a integridade física das pessoas são comprometidas encontram-se junto de nós, contudo, a maioria das pessoas não está sensibilizada para olhar à sua volta e intervir, favorecendo o seu próprio bem-estar em detrimento da qualidade de vida de outrem. Existem diversas organizações não-governamentais que se predispõem a difundir a prática do voluntariado, responsáveis pelas ajudas a regiões remotas, devastadas por conflitos locais e pela pobreza consequente. No nosso país, múltiplas instituições distinguem-se na dianteira da ajuda ao próximo, disponibilizando meios, fundos financeiros e ainda voluntários aptos movidos somente pela vontade de ajudar o próximo. Destacamos, por exemplo, os Médicos Sem Fronteiras, a Cruz Vermelha, o Banco Alimentar Contra a Fome e a UNICEF. Médicos Sem Fronteiras é uma organização não governamental de urgência médica e emergência humanitária, criada a 20 de dezembro de 1971 por médicos franceses que haviam trabalhado com a Cruz Vermelha. Esta organização recebeu o Prémio Nobel da Paz em 1999, galardão que reconhece o seu trabalho junto das vítimas de conflitos armados, epidemias e catástrofes naturais. Cruz Vermelha é uma organização fundada em Jean Henri Dunant em 1863. Recebeu, já por duas vezes, o Prémio Nobel da Paz, reconhecimento pleno da sua atividade no contexto internacional, em múltiplos locais instáveis a que esta histórica organização não recusou ajuda. A Cruz Vermelha reconhece, enquanto objetivos fundamentais, a distribuição de mantimentos, água e roupa pela população, a vacinação das crianças vítimas de conflitos

2


Destaques...

armados ou de catástrofes naturais e a construção de hospitais de campanha com o propósito de tratar os feridos dos conflitos bélicos. No nosso país, dada a crise de carácter económico e social, esta organização não governamental tem incrementado a sua intervenção local a fim de dar resposta aos pedidos de ajuda dos mais desfavorecidos. Banco Alimentar Contra a Fome: organização instituída em Portugal na década de 90 a partir de um programa similar originário dos Estados Unidos que entretanto se propagou a outros países desenvolvidos. Este movimento cívico, que reúne centenas de voluntários em cooperação com outras instituições de caridade portuguesas, predispõe-se a estender o seu campo de ação a superfícies comerciais. Dois fins de semana por ano, os voluntários pedem a colaboração das pessoas que fazem as suas compras, ajudando nesta nobre iniciativa com a compra de alimentos não perecíveis. Estes mantimentos revertem para instituições que os distribuem pelos mais necessitados. Certo dia, Sally Koch disse: “Grandes oportunidades para ajudar os outros raramente aparecem, mas pequenas delas cercam-nos diariamente”. O voluntariado surgiu com naturalidade com o propósito de proporcionar o bem-estar a pessoas desfavorecidas que necessitam de ajuda para subsistir. O voluntário age com naturalidade, por conseguinte não espera qualquer remuneração pelo tempo livre disponibilizado, não age com o propósito de elevar o seu estatuto social com o reconhecimento obtido. Qualquer voluntário eleva a nossa condição humana, destacando a ajuda social, desprezando as querelas facciosas entre os seres humanos. 2011 é o ano europeu do voluntariado, uma iniciativa que difunde o conceito de ser voluntário e o espírito associado a esta condição prestigiante, Luís e Rodrigo Lindeza, 10º A

Ano Europeu do Voluntariado 2011

Apesar de existirem diferentes definições à volta do tema, certo é que, seja onde for, os voluntários trabalham todos em prol da sociedade. Com o voluntariado todos ficam a ganhar! Ser voluntário é: Estimar os Outros Fazer Alguém Feliz Partilhar Capacidades Ajudar o próximo Dar o Coração e Não Esperar Nada em Troca Um Ato de Cidadania Dar aos Outros um Bocado de Nós Receber Sempre Mais do que Aquilo que se Dá

É tempo de todos participarem e fazerem a diferença. O Ano Europeu do Voluntariado pretende ser uma mostra de diversos tipos de voluntariado. Para além da área social, há voluntariado nos serviços públicos, nas prisões, na floresta ou no mar. Espontaneamente já começaram a surgir em Portugal experiências interessantes de mobilização de grupos de pessoas que se juntam por uma causa (limpar praias, matas, reflorestar zonas do país, recuperar painéis de azulejos, etc). É importante que cada um de nós assuma a responsabilidade de prestar ajuda sempre de acordo com as nossas disponibilidades. Vamos ter orgulho de dizer “Sou voluntário, faço a diferença”, não apenas neste ano de 2011 mas em todos os outros que hão-de vir. Prof. Elsa Domingos

“ Seja voluntário, há quem precise de si! ” “ Ser voluntário, faz a diferença! “ “Ser solidário é saber fazer lugar em nós para os outros. É ser capaz de escutar aquilo que o outro quer dizer. É adivinhar a palavra que ainda não foi dita. É antecipar o gesto que o outro tinha a intenção de nos pedir.”

3 Boletim Informativo da Escola Secundária Quinta das Palmeiras - Covilhã


Destaques... Voluntariado na nossa escola No âmbito do Ano Europeu do Voluntariado, a turma do 9ºA está a desenvolver vários projetos na disciplina de Formação Cívica. O objetivo destes trabalhos é promover o voluntariado, dar a conhecer diferentes possibilidades de participar em ações de voluntariado e motivar os jovens para este tipo atividade, tão importante nos dias de hoje. Uma das tarefas desenvolvidas pelos alunos desta turma é a divulgação de iniciativas junto das diferentes turmas da escola, através da distribuição de panfletos e apresentação de PowerPoints. Alguns grupos estão a trabalhar com várias Instituições, nomeadamente com o Banco Alimentar, com a Cruz Vermelha, Caritas, Aldeias SOS, Hospital, Casa do Menino Jesus, A.M.I., Instituição de acolhimento de crianças do Dominguiso, Escola Básica do Rodrigo e Lares de Idosos. Pretende-se, com estas ações, desenvolver o espírito de partilha, contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos, enfim… compreender que ser feliz é fazer os outros felizes. Neste âmbito, Vão ser realizadas as seguintes ações: - Recolha de alimentos, roupa, material escolar e brinquedos, do dia 21 ao dia 25 de Novembro. O local de entrega do material será na portaria da escola. - Recolha de tampinhas a favor do Alexandre (aluno da Escola de Trancoso) - Preparação/composição de um cabaz de Natal em benefício de famílias carenciadas - Convívio com idosos e crianças proporcionando-lhes uma tarde diferente Ana Agostinho, Carolina Laia, Diogo Cruz, João Barreiros, José Correia do 9ºA

Voluntariado / solidariedade - De mãos dadas para um mundo melhor Dadores de medula óssea

Hoje em dia há muitas formas de sermos solidários e ajudarmos aqueles que mais precisam. Num conjunto vastíssimo de projetos e iniciativas de solidariedade, centrámo-nos na doação de medula óssea que, por circunstâncias variadas, tem sido, recentemente, alvo de grande atenção e enfoque, por parte dos media. A doação de medula óssea, como a doação de sangue, é uma forma de salvar vidas, para a qual qualquer cidadão pode colaborar de uma forma muito fácil, basta estar informado! Foi neste sentido que decidimos fazer este artigo, com o objetivo de contribuirmos com alguma informação que o leve, a si, a ser também dador. O QUE É O TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA? A transplantação de medula óssea é uma das formas de tratamento de doenças oncológicas como a leucemia, e outras doenças graves que podem ser mortais. Para estas situações, muitas vezes a única esperança de vida é a transplantação de medula óssea com um dador idêntico. Apesar de genericamente se falar de transplantação de medula óssea, de facto o que se faz é uma transfusão no doente de células progenitoras retiradas da medula do dador. Estas células saudáveis vão substituir as células doentes e são responsáveis pela formação de novas células saudáveis. O QUE É PRECISO PARA SER DADOR DE MEDULA ÓSSEA? Tem que ter entre os 18 e 45 anos para se poder inscrever-se num dos 3 Centros de Histocompatibilidade do país (Norte, Centro e Sul), não ter historial clínico de coração, doença cancerosa ou sida. EM QUE CONSISTE O PROCESSO DE DOAÇÃO DE MEDULA? Comprovada a compatibilidade do dador, existem duas formas de doação, podendo o voluntário decidir. - Inicialmente, o dador faz um tratamento com injecções subcutâneas de uma substância chamada factor de crescimento para aumentar a produção de células progenitoras de medula. Depois, num processo semelhante à doação de sangue, as células são colhidas por uma técnica chamada citaférese, a partir de veias periféricas no braço, num processo rápido e simples. Neste caso, o sangue retirado da veia do dador passa através de um aparelho que remove apenas as células necessárias para o transplante, devolvendo novamente as restantes células e plasma ao dador. - É feita uma colheita das células a partir dos ossos pélvicos, com anestesia geral. Os dadores passam por uma pequena cirurgia de aproximadamente 90 minutos. É retirada uma pequena quantidade de medula (menos de 10%), através de uma punção na região da bacia para aspirar a medula (vulgarmente conhecida como tutano). Em poucas semanas, a medula óssea do dador estará inteiramente recuperada. Os riscos são praticamente inexistentes, porém os dadores costumam descrever um pouco de dor no local da punção, feita através da segunda alternativa. SÓ SE PODE DOAR A MEDULA UMA VEZ? Não, a medula regenera-se totalmente num prazo de duas semanas, por isso pode-se repetir o processo. QUEM PODE SER DADOR E QUE TIPOS DE TRANSPLANTES HÁ? Normalmente, o dador é um familiar do doente, quase sempre um irmão, ou irmã. Este transplante pode também ser feito com um dador voluntário inscrito num registo de dadores voluntários de medula óssea. Existem vários arquivos internacionais de dadores, são pessoas saudáveis que se disponibilizam, de forma anónima e gratuita, para dar medula óssea e assim poder salvar a vida de doentes cuja única esperança de sobreviver é um transplante de medula.

4

Fonte: http://www.apcl.pt

Catarina Fiúza e Telma Ferraz 12ºE


Nós por cá... Entrevistas realizadas a dadores de sangue Luis Fiúza, 48 anos

- O que sente ao ser dador de sangue? - Satisfação enorme por ajudar outras pessoas - Por que é que decidiu ser dador de sangue? - Pelo sentimento de realização em ajudar o próximo. - Quando deu sangue pela primeira vez? - Com 19 anos, quando andava na tropa.

Liliana Azevedo, 28 anos

- O que sente ao ser dador de sangue? - Sinto que estou a ajudar pessoas que precisam, ou podem precisar de sangue. Que estou a salvar vidas. - Por que é que decidiu ser dador de sangue? - Pelo simples facto de me sentir bem. - Quando deu sangue pela primeira vez? - Com 23 anos, devido a uma dessas campanhas televisivas que despertou o meu interesse.

Rui, 21 anos

- O que sente ao ser dador de sangue? - Sinto que estou a ajudar alguém que possa precisar. - Por que é que decidiu ser dador de sangue? - O meu avô foi dador a vida inteira e eu segui o exemplo. - Quando deu sangue pela primeira vez? - Aos 19 anos

Catarina Fiúza e Telma Ferraz 12ºE

Curso Profissional Técnico de Turismo - O início de um grande projeto… O turismo tem conquistado uma posição destacada nas sociedades ocidentais como uma necessidade cultural e social, um direito democrático, não apenas uma paragem nos ritmos de trabalho mas um tempo de lazer a usar livremente, fora dos lugares de residência habitual, segundo escolhas pessoais e familiares. As formas de viver os lazeres e o turismo têm vindo a diversificar-se nas práticas e nos destinos: do relaxamento à aventura, passando pela descoberta dos sabores das gastronomias locais, das tradições aos segredos da natureza, hoje o sector turístico é um importante sector de actividade económica. Sendo um sector gerador de riqueza, impõe-se cada vez mais a oferta de mão-de-obra qualificada para fazer face aos novos desafios. A região onde nos inserimos é de grande potencial turístico e precisa de pessoal qualificado para participar nas políticas de desenvolvimento da região que passam, sem dúvida, por uma aposta forte nas actividades relacionadas com a actividade turística. Tendo a noção da importância do turismo para a região, achamos que a nossa escola devia abarcar o desafio e iniciar um novo curso profissional. A equipa de docentes que se propôs leccionar as diferentes disciplinas tem o objetivo de orientar os alunos para os desafios que os esperam num setor tão dinâmico como o turismo. Foi realizado um plano de atividades dinâmico e potenciador de aprendizagens que proporcione aos nossos alunos conhecimentos e experiências que os ajudem a caminhar nesta nova aventura do conhecimento!!!

Prof. Inês Cravino/ Prof. Celina Vieira

Curso Profissional Técnico de Turismo Neste ano lectivo a Escola Secundária Quinta das Palmeiras iniciou o Curso Profissional Técnico de Turismo. Como alunos deste curso, queremos dar-vos a conhecer este percurso formativo. Na nossa perspectiva, trata-se de um curso que pretende projectar-nos para o mundo do turismo e das suas vertentes. O objectivo principal é preparar-nos e formar-nos nesta área. O curso tem bastantes vantagens, pois a nossa região é um pólo de atracção turística e esperamos ter muitas oportunidades de, no futuro, podermos iniciar a nossa vida profissional em qualquer subsistema do turismo. Neste curso há três disciplinas específicas: OTET (operações técnicas a empresas turísticas), TIAT (técnicas de informação e animação turística), e TCAT (Técnicas de comunicação em acolhimento turístico). OTET é a disciplina onde aprendemos a gerir eventos, roteiros turísticos, organizações de turismo, entre outros. TIAT trata de vários entretenimentos de animação para os turistas e também da evolução do turismo. TCAT desenvolve a nossa competência comunicativa. A nível geral, pensamos que este curso vai ser muito importante e enriquecedor para as nossas vidas futuras, porque vamos ter a oportunidade de estagiar em locais muito prestigiados a nível do turismo, podendo desempenhar várias profissões como: guias turísticos, operadores turísticos, hospedeira, recepcionista e organizadores de eventos. Como balanço inicial, a turma do 10ºG considera que este curso está a ser bem-sucedido. Resta-nos desejar o maior sucesso a todos os alunos.

5

Boletim Informativo da Escola Secundária Quinta das Palmeiras - Covilhã


Nós por cá... Eleição da Associação de Estudantes 2011/2012 Durante a campanha eleitoral, levada a cabo para dar a conhecer aos alunos as listas concorrentes à associação de estudantes, foram dinamizadas diversas actividades, pensadas e organizadas pelos candidatos, nomeadamente actuações musicais, números de magia, disponibilização de consolas e jogos para os alunos, entre outras actividades. No âmbito deste ato eleitoral, o grupo de jornalismo da Escola realizou uma entrevista ao Presidente da lista vencedora, lista A, encabeçada pelo Eduardo Coelho, cujo slogan de Campanha era “Ação - Atitude – Ambição”. GJ: A Associação de Estudantes é importante? Porquê? E.C: A meu ver, a Associação de Estudantes é bastante importante e posso explicar porquê: é uma maneira de serem os próprios alunos a participar e a garantir o bom funcionamento deste organismo estudantil e de intervirem, de forma ativa em assuntos que lhes dizem respeito. GJ: Qual é o papel que a Associação de Estudantes pode desempenhar na escola? E.C.: O papel que a Associação de Estudantes pode desempenhar passa por várias áreas, tais como: esclarecer os alunos sobre diferentes aspetos relacionados com a vida escolar, organizar torneios desportivos, eventos culturais, entre outros. Outro grande desafio da A.E. para este ano será, se possível, melhorar estruturas da escola. GJ: Qual o impacto que pode ter este organismo junto dos alunos? E.C.: Tal como já referi, a Associação de Estudantes tem o papel de prestar apoio aos alunos. Este ano, a A.E. vai responsabilizarse pela Sala do Aluno e vai tentar dinamizá-la o máximo possível. Nesta sala serão afixadas várias informações para os alunos, nomeadamente no que concerne a escolha de um curso superior, saídas profissionais, divulgação de informação sobre doenças sexualmente transmissíveis, concursos, atividades diversas… Outro objectivo da A.E. deste ano é garantir organizar diversas atividades e sensibilizar todos os alunos para a importância do espírito de grupo, pois só assim a escola pode promover a participação cívica dos alunos. GJ: Este projecto pode desenvolver o espírito democrático e a cidadania junto dos alunos? Porquê? E.C.: Esse é um ponto muito importante. Toda a campanha que é feita durante a semana eleitoral não é uma mera brincadeira, bem p’lo contrário, toda ela é concebida para que os alunos da escola possam avaliar o que cada lista propõe e qual a sua atitude. Desta forma, já aqui, na escola, os alunos começam a desenvolver o seu espírito crítico, planeando um projeto que se propõem implementar e avaliando os projetos que se apresentam a eleições. Para além disso, os alunos exercem o direito que, ao mesmo tempo, é também um dever: o de votar. Assim, posso dizer que o espírito democrático e a cidadania dos alunos começa na escola, preparando-os para a sua vida futura. GJ: Quais são os principais passos que têm de ser seguidos neste processo de constituição de uma lista para a Associação de Estudantes? E.C.: Acima de tudo, na constituição de uma A.E. é essencial haver muita organização. O espírito de companheirismo também é muito importante, pois só assim se pode formar um grupo coeso e sempre disposto a fazer mais e melhor. É preciso haver pessoas com vontade de trabalhar, de desenvolver um projeto e capazes de envolver outras pessoas nesse projeto. GJ: Quais as principais atividades que propuseram no Programa da vossa Lista? E.C.: Propusemos a dinamização de Torneios desportivos, de Torneios de videojogos; Palestras sobre diferentes temáticas (educativas, culturais, etc.); a dinamização da Semana do Teatro, Música, Cinema, … Concursos, entre os quais: Miss e Mister Palmeiras; a aquisição de uma nova mesa de matraquilhos; Incentivo aos alunos para a preservação das instalações escolares e do ambiente; a organização de Festas, ao longo do ano lectivo, para incentivar o convívio entre os alunos. GJ: E quais os principais Objetivos que se propuseram atingir? E.C.: Conseguir uma sala para a A.E; Colocar cacifos à disposição dos alunos; Conseguir um campo de voleibol, disponível a todos os alunos; Construir um parque para as motas. GJ: Muito obrigada e felicidades para o vosso trabalho.

Beatriz Xavier e Matilde Nunes, 8ºB

Projeto RadiQal Radiofrequências na Qualidade dos Alimentos no Concurso Prémio MonIT

Um grupo de alunos, constituído pela Ana Isabel Paiva, pelo Henrique Almeida, pelo Duarte Macedo e pela Nicole Geraldes, estão a desenvolver um projeto de investigação no âmbito do concurso nacional Prémio MonIT. Este concurso pretende contribuir para a formação de uma consciência coletiva em matéria de campos eletromagnéticos e dos seus potenciais efeitos na saúde, ambiente e impacto na sociedade. O objetivo deste projeto, intitulado RadiQal (Radiofrequências na Qualidade dos Alimentos), consiste na realização de um estudo sobre a influência das radiofrequências nos alimentos. O método desta investigação baseia-se em sujeitar os alimentos a radiofrequências, recorrendo a alguns equipamentos geradores de radiação eletromagnética utilizados no quotidiano. O controlo de variação da qualidade dos alimentos será efetuada através da ánalise ótica e microscopia eletrónica de varrimento. A orientadora deste projeto é a docente Maria da Conceição Alves, em colaboração com a Universidade da Beira Interior. O grupo de trabalho

6


Visita de estudo à Suíça - Comentário Entre os dias 4 e 10 de setembro de 2011, nós fomos dois dos diversos alunos do Ensino Secundário que tiveram a oportunidade de participar numa visita rumo a Suíça, cujo expoente máximo se concentrava indubitavelmente no CERN, o maior laboratório de física de partículas do mundo. Antes da referida viagem, nós tivemos duas aulas de preparação, em que abordámos alguns conceitos associados aos limites da Física. Esta visita proporcionou não só o domínio deste conhecimento da Física como também favoreceu conhecermos o palco da concepção de numerosas teorias sustentadas em provas experimentais e empíricas. Nesse dia excepcional, pudemos conhecer o modo de funcionamento do LHC, o maior acelerador de partículas com 27 km de distância, o modo como favorecem as colisões entre partículas elementares de modo a descortinar múltiplas questões em aberto que a comunidade científica ainda não conseguiu responder. Esta visita foi orientada por engenheiros e físicos portugueses, que estabeleceram enquanto local de trabalho o CERN, onde têm oportunidade de desenvolver experiências em que estão envolvidos. Não se inibiram de responder a todas as questões perante um grupo de jovens interessados por ciência e respetivos professores. Na parte da tarde, nós visitámos duas exposições orientadas não só para o próprio CERN como para a física de partículas, cujas aplicações tecnológica, nomeadamente ao nível da medicina, são de suma importância para o bem estar social. Impressionou-nos bastante uma exposição ao ar livre, em que se encontravam os aceleradores de partículas do CERN que entretanto haviam sido substituídos pela mais recente tecnologia, mas que determinaram o reconhecimento científico associado a esta organização. Para além de visitar o CERN, tivemos ainda a oportunidade de visitar o Centro Solar de Odeillo, um laboratório científico que estuda, a título de exemplo, a fusão de materiais sob temperaturas elevadíssimas para a sua potencial aplicação tecnológica. Visitámos ainda o Futuroscope, em França, um parque temático com diferentes pavilhões com múltiplas atrações como filmes a 3D e vários simuladores e o Museu Guggenheim, um museu de arte contemporânea e moderna em Bilbau. Luís e Rodrigo Lindeza 10ºA

Centre National de la Recherche Scientifique

Foi no dia 4 de Setembro, por volta das 17 horas, que um grupo de alunos e professores da nossa escola entrou num autocarro com a esperança de conhecer um novo mundo. A viagem ia começar. Depois de algumas horas (muitas, para sermos mais precisos) e já em território francês, visitámos o CNRS (Centre National de la Recherche Scientifique). Esta visita centrou-se principalmente na demonstração dos efeitos da energia que nos chega do Sol. Passadas mais umas quantas horas no autocarro, chegámos finalmente a Genebra, Suiça. Era noite cerrada e tinhamos de nos preparar para o próximo dia. Foi bem cedinho que acordámos, entusiasmados, para visitarmos então o CERN, a reconhecida organização europeia para a pesquisa nuclear. Fomos acolhidos por um senhor bastante simpático, que falava português (para nossa salvação) e nos encaminhou para um grande auditório, pelo qual passam grandes físicos de todos os cantos do mundo. Depois de percebermos o funcionamento geral do CERN, caminhámos pelos corredores e sentimo-nos realmente importantes, pois estávamos a passar pelas portas das salas de alguns cientistas célebres do mundo da Física. Era altura de vermos maquetes dos componentes dos aceleradores. Tornámo-nos mais conhecedores da matéria e visitámos o local onde se realizam várias experiências. A visita não podia terminar sem a passagem por duas exposições: a primeira situava-se num enorme globo de madeira que simboliza o globo da Ciência e da Inovação; a segunda estava patente dentro do edifício da recepção do CERN. Já de noite, foi altura de visitarmos a cidade de Genebra e de comprar uns chocolatinhos. No dia seguinte seguimos viagem com destino a Poitiers, França. Ficámos instalados no Hotel do Futuroscope. O dia seguinte foi passado no Futuroscope, um parque temático centrado nas novas tecnologias multimédia. Todos nos divertimos, mas, ao mesmo tempo, estávamos tristes, pois a viagem estava quase a chegar ao fim! De regresso a Portugal, visitámos ainda o museu Guggenheim, em Bilbao, com “direito” a assistir à passagem da “Vuelta a España”! Que feliz coincidência! Chegámos à Covilhã, bem cedinho, no dia 10 de Setembro, contentes com tudo o que vimos, tudo o que conhecemos, aprendemos e vivemos. Mariana Antunes e Mariana Fazendeiro, 12º A

7

Boletim Informativo da Escola Secundária Quinta das Palmeiras - Covilhã


Nós por cá... CERN ’’Esmagando’’ partículas. Fundando em 1956, o CERN (Organisation Européen por la Recherche Nucléair), que não é mais do que um laboratório de Física de Partículas, resulta de uma colaboração internacional, da qual Portugal faz parte, contribuindo para o seu orçamento o que permite o acesso dos cientistas portugueses à incrível sucessão de máquinas que têm como função ’’esmagar’’ partículas! Situa-se em Genebra, junto à fronteira entre a França e a Suiça, no entanto, as suas ’’entranhas’’ abaixo do solo, distribuem-se pelos dois países. Ao longo da história da humanidade, o derradeiro desígnio na busca pelo conhecimento é dar resposta às questões: De onde viemos? Quem somos? Para onde vamos? Esta trilogia está magnificamente representada no quadro de Paul Gaugin, com o mesmo título, patente no Museu de Belas Artes de Boston, EUA. No entanto, não é esta a linguagem da ciência nos dias de hoje, e estas questões devem ser entendidas como uma busca na compreensão do nosso Universo, na sua imensa vastidão, desde o infinitamente pequeno até ao infinitamente grande, onde, por coincidência, o Homem se situa mais ao menos a meio caminho, em termos de dimensões. No CERN é esta a busca pelo conhecimento que se trava, na tentativa de obter respostas. O que constitui a matéria? Porque é que as coisas têm massa? O que é a matéria escura que preenche o Universo? Como é que o Universo evolui? Qual é a origem da matéria? Existem dimensões extra? As respostas a estas questões são o objetivo da ciência, nomeadamente da Física de Partículas e da Astrofísica. E o que é necessário fazer para responder a estas questões? É necessário construir a maior máquina do mundo. E essa máquina está no CERN, enterrada a uma profundidade média de 100 metros, bem dentro do rocha-mãe, estendendo-se ao longo dos quase 27 km de perímetro de uma circunferência, o LHC (Large Hadron Colider, Grande Colisionador de Hadrões). Porquê LHC? Grande, pela razão óbvia das suas dimensões. Colisionador, pelo fato de ser uma máquina de colisões. Hadrões, por serem partículas compostas, constituídas por outras partículas elementares, os quarks, que em conjunto com os eletrões, também eles elementares, constituem toda a matéria visível e conhecida no nosso universo. Assim, o LHC, durante o seu funcionamento, realiza experiências separadas onde fará colidir protões com protões e núcleos de chumbo com núcleos de chumbo. A escolha destas duas partículas deve-se à sua estabilidade, o que dá garantias de se saber o que exatamente anda a circular dentro do tubo, pois se se escolhesse por exemplo, núcleos de urânio, que já não é estável (sofre decaimentos, originando núcleos mais leves), não seria possível saber exatamente que espécies iriam intervir nas colisões. O LHC acelera protões a velocidades incrivelmente altas, próximas da velocidade da luz, ou seja, a 99,9999991 % da velocidade da luz, com a finalidade de os fazer chocar. Para se ter uma ideia da rapidez com que os protões se movem no interior do LHC, refira-se que em cada segundo cada protão descreve 11 245 voltas à circunferência de 27 km, o equivale praticamente à distância entre a Terra e a Lua, e que, em cada segundo, ocorrem 600 milhões de colisões entre protões. Tudo isto gera uma quantidade enorme de dados, que devem ser analisados e armazenados. Se os dados produzidos durante o ano fossem armazenados em CD, ter-se-ia uma pilha com cerca de 20 km de altitude, penetrando na camada de ozono. Numa das quatro experiências principais, com o detetor ALICE, os dados gerados nas colisões entre núcleos de chumbo, são da ordem dos 1,25 GB em cada segundo. Mas porquê fazer colidir partículas? Albert Einstein, é a resposta, ou melhor, E=mc2. A mais famosa fórmula de física indica uma relação entre massa e energia, mostra que massa e energia são duas faces da mesma moeda e que é possível, a partir de grandes quantidades de energia, ’’criar’’ massa. É esta a função da LHC, acelerar protões a velocidades muito próximas da velocidade da luz, de forma que a sua energia seja extremamente elevada e que, no resultado das colisões entre eles, a energia posta em jogo origine uma miríade de partículas que ajudem a compreender e dar resposta às perguntas atrás referidas. Faça-se uma analogia, imaginese que em vez de protões se aceleram maçãs a velocidades elevadíssimas e o resultado das colisões entre as maçãs, em virtude da conversão massa/energia da relação de Einstein, pode perfeitamente ser… mangas, abacates, melões ou melancias! Para detetar todas estas partículas resultantes das colisões, que na maioria dos casos têm tempos de vida médios ridiculamente pequenos, foram construídos quatro detetores que têm tanto de enorme como de complexos. Só num deles, o CMS, existe mais ferro do que na torre Eiffel! E outro, o ATLAS, tem 46 metros de comprimento, e 25 metros quer de largura quer de altura. A tecnologia necessária para que os detetores funcionem foi desenvolvida de raiz, de tal forma que se pode dizer que esta máquina é o seu próprio protótipo. Os amantes da coleção ficcional do autor Dan Brown, em particular dos Anjos e Demónios, têm conhecimentio que o herói da história <<Robert Langdon, ajudado por Victoria Vectra, cientista do CERN, procura desesperadamente a antimatéria.>> Isto remete para uma quantidade de inverdades propaladas no referido best-seller, nomeadamente o tratamento exótico que é dado à antimatéria e à possibilidade de o Vaticano ser varrido do mapa. Sem se entrar em pormenores matemáticos entediantes, pode referir-se que as quantidades de matéria referidas no livro, e que seriam necessárias para varrer a praça de S. Pedro e arredores, cerca de ¼ de grama, que parece uma quantidade mínima, como se irá verificar, não é assim tão pequena. A produção anula de antimatéria no CERN é de cerca de 1 nanograma (1 milésima de milésima de milésima de grama!). Assim, seriam necessários 250 mil anos para produzir ¼ de

8


Nós por cá...

grama. Nem se referem, neste contexto, os problemas inerentes ao armazenamento da antimatéria. Ainda, assim, quer o Vaticano, e em particular o papa Bento XVI, poderão dormir descansados em relação a qualquer ameaça vinda de bombas de antimatéria. Só mais um pormenor digno de registo: a quantidade de antimatéria produzida no CDERN desde sempre, cerca de 10 nanogramas, seria suficiente para manter um LED de 5 W acesso durante … 50 horas. Não é só o Vaticano que está a salvo, a própria humanidade não necessita de se preocupar com qualquer ameaça vinda da antimatéria. Aliás, pelo contrário, a antimatéria assume um papel fundamental nos meios complementares de diagnóstico, como é o caso das Tomografias por emissão de Positrões (anti-eletrões), em inglês PET scan, para os seguidores das séries hospitalares, tipo Dr. House. Portanto, a antimatéria não é nada de exótico e faz parte do nosso dia. Cada banana ingerida, rica em potássio, é uma fonte de positrões, mas não são só as bananas, couve-flor, pêssegos… a própria água que ingerimos. Ninguém se alarme com tal situação, um indivíduo normal emite por hora cerca de 180 positrões por hora, que dentro do organismo, mal encontrem um eletrão se aniquilam mutuamente, libertando luz com energia que corresponde exatamente à soma das suas massas, A. Einstein, de novo, as duas faces da mesma moeda, E=mc2. O retorno do dinheiro investido vai muito mais além do conhecimento científico e da nossa compreensão do universo. Os avanços tecnológicos, o desenvolvimento de novos materiais, a melhoria da qualidade de aparelhos de imagiologia e mesmo a descoberta de novas vias e técnicas nesta área, a world wide web, são alguns exemplos da ’’exportação’’, que o CERN tem feito ao longo dos anos da sua existência, para todo o mundo, permitindo o acesso a esses desenvolvimentos e invenções em prol de um mundo melhor. Descortinar os mistérios da matéria é simultaneamente compreender os instantes iniciais do nosso universo. Neste sentido, pode afirmar-se que o LHC além de ser um poderoso microscópio capaz de sondar os mais ínfimos pormenores da matéria, é também um telescópio apontado ao início dos tempos, aos primeiros instantes após o Big Bang. Prof. Jesuíno Simões | jsimoes@quintadaspalmeiras.pt

NEUTRINOS RÁPIDOS

O dia 23 de setembro de 2011 poderá ficar associado à história da ciência, como o dia em que um postulado fundamental da ciência dos últimos 100 anos abanou. A Teoria da Relatividade Especial de Einstein postula que existe um limite de velocidade no universo e esse limite é precisamente a velocidade da luz no vazio. Uma das experiências que decorrem no CERN, denominada OPERA, tem como objetivo medir a oscilação de umas partículas elementares denominadas neutrinos. Esta família de partículas banha por completo o Universo desde a sua origem, apesar de serem extremamente difíceis de detetar, uma vez que a sua massa é muito pequena e não têm carga elétrica. Quando se refere que os neutrinos banham por completo o universo, a frase deve ser entendida no sentido literal, o número de neutrinos que, em cada segundo, atravessa uma área de 1 cm2 (aproximadamente a área de uma unha) é da ordem de milhares de milhões. Quase como dano colateral dessa experiência, os cientistas nela envolvidos mediram um avanço de 60 nanosegundos (60 milésimas de milésimas de milésimas de segundo) dos neutrinos em relação à luz, o que implica que os neutrinos terão percorrido os cerca de 730 km entre o CERN e a montanha de Gran Sasso, na Itália, a uma velocidade mais rápida que a própria luz. O resultado desta experiência foi de tal forma assombroso que a equipa da OPERA solicitou a intervenção de diferentes entidades independentes, suíças e alemãs, para confirmaram a precisão dos aparelhos utilizados nas medições de tempo e distância, respetivamente. Refirase, a título de exemplo, que a distância de 730 km foi medida com uma margem de erro inferior a 20 cm, e que o tempo de viagem é de cerca de 3 milisegundos! Na posse destes resultados e percebendo as suas implicações, a equipa da OPERA submeteu-os para divulgação imediata nos arXiv. org, tornando-os acessíveis a toda a comunidade científica, o que permitiu, e continua a permitir, um escrutínio desses resultados. Algumas sugestões já foram acolhidas e a experiência reformulada. No entanto, no passado dia 18 de novembro, foi anunciado que os resultados se voltaram a confirmar, o que conduziu à submissão de um artigo numa publicação científica, no caso a Journal of High Energy Physics. Esta anomalia no tempo de viagem dos neutrinos entre o CERN e o laboratório em Gran Sasso necessita de um maior escrutínio pela comunidade científica e de medições independentes, efetuadas em outros laboratórios, por exemplo, na experiência MINUS do Fermilab, nos Estados Unidos, e que entrará em testes, previsivelmente, no início do próximo ano, ou em Kamioka, Japão, onde se encontra o detetor Super Kamiokande. Só depois de medidas independentes se poderá pensar em confirmar ou refutar estes resultados. E se os resultados forem confirmados? Será necessário rasgar as páginas da Física Moderna dos manuais de 12º ano? Obviamente que a resposta é NÃO! A confirmação deste resultado irá conduzir à necessidade de se ir mais além. De se obter uma nova teoria que englobe a relatividade de Einstein, tal como esta englobou a mecânica clássica (relatividade de Galileu e leis de Newton). Em jeito de brincadeira, pode afirmar-se que a evolução da ciência tem semelhanças com os ogres, pois como refere o famoso ogre Shrek <<os ogres são como as cebolas, são às camadas.>> Esta analogia remete para uma evolução da ciência em que os paradigmas vigentes vão sendo englobados. Estaremos a viver tempos interessantes, em que é necessário acrescentar mais uma camada à estrutura da Física? Se sim, será uma camada que tenha como limite a relatividade de Einstein para velocidades abaixo da velocidade da luz, tal como, a relatividade tem na mecânica clássica um limite inferior para velocidades muito abaixo da velocidade da luz. Deverá servir de motivação e fascínio aos alunos da Quinta das Palmeiras fazer parte desta aventura. Prof. Jesuíno Simões

9

Boletim Informativo da Escola Secundária Quinta das Palmeiras - Covilhã


Nós por cá... “Ciência na Universidade e nas Escolas: Pontos de Encontro” No dia 26 de novembro, na Universidade da Beira Interior, realizou-se o 2.º Ciclo de Conferências da Faculdade de Ciências. Diversos professores de Matemática, Física e Química, Biologia e Geologia da Escola Secundária Quinta das Palmeiras participaram nesse evento. As comunicações orais proferidas abrangeram temas muito diversificados, tais como: a metodologia de resolução de problemas em Matemática, a gastronomia molecular e a terapia génica do cancro. Destaco que duas das comunicações foram proferidas por professores da nossa escola, os docentes Jesuíno Simões, de Física e Química, e Jorge Carecho, de Biologia e Geologia. A comunicação do professor Jesuíno, intitulada “Anjos, Partículas e Demónios”, destacou o modo como a nossa escola tem interagido com o CERN, tendo salientado que cerca de 50 alunos e professores, visitaram recentemente essa instituição e tomaram contato com alguma da investigação de ponta que lá se realiza. Esta comunicação teve como fio condutor as discrepâncias entre a ficção literária – livro “Anjos e Demónios” de Dan Brown, e a realidade científica atual. O professor Jorge Carecho proferiu a comunicação “O Dia Mundial da Bolota”e abordou os objetivos e a fase de desenvolvimento em que se encontra o seu projecto. Assim, frisou que o principal objectivo do projeto passa pela união de esforços com vista à recuperação da nossa floresta autóctone. Em relação às fases do projeto referiu que este se encontra em fase de expansão, uma vez que neste momento este também já se desenvolve noutras 10 escolas do país. Salientou que um aspeto muito importante que contribuiu para esta expansão foi a dinamização “blog” - http://bologta.blogspot.com quer por parte dos professores, quer por parte dos alunos. De um modo geral, as comunicações deste encontro foram muito interessantes, tendo sido possível a partilha de ideias sobre metodologias e estratégias a adotar no ensino básico e secundário, assim como compreender o modo como se desenrolaram alguns trabalhos de investigação. Prof. Francisco Pinto

Os mais recentes progressos com o Projeto da BOLOTA

Saída de campo dos alunos do 11ºA para a recolha de bolotas de carvalho-negral

No passado dia 10 de novembro comemorou-se, pelo terceiro ano consecutivo, o “Dia Mundial da Bolota”. Esta iniciativa, que surgiu na nossa escola, foi comemorada em várias escolas um pouco por todo o país, nomeadamente nos concelhos da Covilhã, Fundão, Castelo Branco, Figueira de Castelo Rodrigo, Castelo de Paiva, Oliveira de Azeméis, Oliveira do Bairro, Coimbra e Barreiro. Em cada escola procedeu-se à recolha, selecção e empacotamento de bolotas de espécies de carvalhos autóctones portugueses, que foram distribuídos pelos alunos, funcionários e professores. Em alguns estabelecimentos foram também promovidas palestras e “workshops” sobre os procedimentos a adotar para a germinação das bolotas. O responsável deste projeto, o professor Jorge Carecho, referiu que são três os principais objectivos deste conjunto de atividades: o trabalho de campo com os alunos, a contribuição para a reflorestação do país com as suas principais árvores autóctones, e uma campanha de educação e sensibilização ambiental, envolvendo os alunos e suas famílias, pois as bolotas são distribuídas para que os alunos, com as suas famílias, procedam à sua sementeira no campo ou em vasos para posterior plantação. Para saberes mais ou para pedires mais bolotas vai a http://bologta.blogspot.com, a bolota que tem um blogue

Distribuição de bolotas pelos alunos da escola

Teatro “QUIMICÓMICO”

Prof Jorge Carecho

No âmbito do Ano Internacional da Química e da Semana da Cultura Científica, o núcleo de grupo de Estágio de Física dinamizaram ,no dia 25 de novembro de 2011, no Teatro Municipal da Covilhã, uma ida ao teatro para assistir ao espetáculo interativo intitulado “Quimicómico”, uma produção da companhia de teatro “Encerrado para Obras”. Tratou-se de um espetáculo de teatro cómico em que a Química foi o elemento central de toda a peça. Foi um espetáculo dinâmico, com um discurso acessível a todas as idades e efeitos visuais surpreendentes, o espectáculo divertiu o público e ao mesmo tempo despertou a veia científica de miúdos e graúdos. Durante o espetáculo observaram-se mensagens invisíveis, um relógio que anda a sumo de laranja, uma máquina de aumentar/encolher coisas, um chuveiro de CO2, líquidos que mudam de cor, pipocas e bombocas, couve roxa, cores fluorescentes e fosforescentes, alguma sátira social, muita música e humor. A peça teve início com o Sr. Joaquim, empregado de limpeza por conta própria, mais conhecido por “Quim Mica” (por ter o hábito de observar tudo muito atentamente) que foi contratado para limpar a casa e o laboratório do químico José Estrôncio. Sem o saber, Quim Mica embarcou numa fantástica viagem ao mundo da Química. Assistiram à peça de teatro os alunos do 3º Ciclo do Ensino Básico e Secundário da Escola Secundária Quinta das Palmeira, Agrupamento de Escolas João Franco, Escola Secundária Frei Heitor Pinto e a comunidade local. No final, a organização ficou muito satisfeita com a afluência ao espetáculo e retorno positivo por parte de toda a comunidade escolar e local. Grupo de estágio de Física e Química

10


Nós por cá... Tabela Periódica “Comestível” No dia 17 de Outubro de 2011 os alunos do 9º Ano de Escolaridade, com a ajuda das professoras do Núcleo de Estágio de Física e Química, construíram uma Tabela Periódica Comestível. Esta atividade teve como finalidade celebrar o Dia de Alimentação, que se celebra todos os anos a 16 de Outubro, e ao mesmo tempo assinalar o Ano Internacional da Química. Desde muito cedo os Químicos sentiram necessidade de arranjar uma maneira prática para organizar os diferentes elementos. Em finais do século XIX, quando já eram conhecidos 65 elementos químicos, o químico russo Dimitri Mendeleiev organizou os elementos químicos numa tabela tendo em conta as massas dos átomos e as suas propriedades químicas, deixando espaços em branco para os elementos químicos que viessem a ser descobertos. As suas

previsões foram confirmadas! A tabela proposta por Mendeleiev está na base da atual Tabela Periódica dos Elementos Químicos. Atualmente, conhecem-se 118 elementos, sendo 90 elementos químicos naturais e outros artificiais/sintéticos. Os alunos ao realizarem esta atividade estiveram em contacto com todos os elementos químicos presentes na Tabela Periódica, aprendendo como estes se dispõem ao longo da mesma. Demonstraram interesse, entusiasmo e empenho durante a sua execução, consolidando assim, o seu conhecimento sobre os elementos químicos e como estes se organizam ao longo da Tabela Periódica. O primeiro passo para aprender química é aprender a interpretar a Tabela Periódica, pois é uma das formas de apresentar a diversidade de elementos químicos existentes, devendo por isso ser utilizada e devidamente consultada e nunca memorizada. Grupo de estágio de Física e Química

Três Novos Elementos Químicos na Tabela Periódica

No dia 4 de novembro de 2011, durante uma conferência que decorreu no Instituto de Física em Londres, Reino Unido, foi aprovado pela União Internacional de Física e Aplicada (IUPAP) e pela União Internacional de Química Pura e Aplicada (IUPAC) três novos elementos químicos que passaram a integrar a Tabela Periódica. Pouco se sabe sobre estes novos elementos químicos 110, 111 e 112, designados por Darmstádio (Ds), o Roentgénio (Rg) e Copernício (Cn). São apenas considerados metais pesados, instáveis, e que não se encontram na natureza, são criados apenas em laboratório acabando por, rapidamente, se dividir noutros elementos. Robert Kirby-Harris, secretário-geral da União Internacional de Física Pura e Aplicada explica, em declarações ao “ The Telegraph”, que a designação dos novos elementos “foi acordada entre físicos de todo o mundo”. O darmstádio localiza-se no grupo 10 e período 7 da Tabela Periódica. Trata-se de um elemento químico sólido a 25 ºC, metálico, preparado por síntese, de cor branco-prateada ou acinzentada. Apresenta número atómico 110 e massa atómica 269. Possui esta designação uma vez que foi descoberto na cidade de Darmstadt, na Alemanha, também é conhecido em português por darmstátio. Sintetizado pela primeira vez a 9 de novembro de 1994 por Peter Armbruster e Gottfried Münzenberg e criado a partir da quebra de um isótopo pesado de chumbo com o níquel-62, resultando em quatro átomos de darmstádio. O roentgénio, cujo símbolo químico é Rg, é um elemento químico sólido a 25 ºC, metálico pertencente à classe dos metais de transição, preparado por síntese, de cor branco-prateada ou acinzentada, que se localiza no grupo 11 e período 7 da Tabela Periódica. Este elemento possui número atómico 111 e massa atómica 272. Foi inicialmente, descoberto a 8 de dezembro de 1994, quando uma equipa de cientistas alemães do Centro GSI Helmholtz (Gesellschaft Schwerionenforschung Institut) criou três átomos deste elemento. A designação provém do físico alemão Wilhelm Conrad Roentgenm (1845-1923), vencedor de um Prémio Nobel e pioneiro na produção e deteção de raios-X, em 1895. O elemento que apresenta número atómico 112 e massa atómica 277 é o copernício, vem como referência ao astrónomo prussiano (1473-1543), o primeiro a sugerir que a Terra girava em torno do sol, e não o contrário. Os cientistas criaram um único átomo deste elemento extremamente radioativo a 9 de fevereiro de 1996, por esmagamento em conjunto de zinco e chumbo. Desde então, um total de cerca de 75 átomos de copernício foram criados e detetados. No entanto, Marie Curie foi homenageada na Tabela Periódica com o elemento 96, o Cúrio, cujo símbolo químico é Cm. A sua homenagem deveu-se à descoberta do Rádio e pelas suas pesquisas em radioatividade juntamente com seu marido Pierre Curie. O cúrio foi pela primeira vez sintetizado na Universidade da Califórnia, Berkelev, por Glenn Seaborg, Ralph James e Albert Ghiorso em 1944. É um elemento químico sólido, metálico, preparado por síntese, radioativo, pertencente ao grupo dos actinídeos, de cor prateada, que se localiza no grupo 3 e período 7 da Tabela Periódica. Grupo de estágio de Física e Química

Conferência “Reciclar é Sustentabilizar”

No âmbito do Concurso “Gincana Rock in Rio”, no qual a escola se encontra a participar, concluímos a primeira tarefa (recolha de resíduos de embalagens do ecoponto amarelo) da melhor forma. Assim, no dia 25 de novembro, assinalou-se o dia da reciclagem, com uma palestra subordinada ao tema “Reciclar para Sustentabilizar”. O Professor Doutor João Carlos de Oliveira Matias, docente do Departamento de Engenharia Eletromecânica da UBI, mobilizou toda a plateia para a concretização dos três pilares do desenvolvimento sustentável: economia, ambiente e social, com o objetivo de sensibilizar para a importância de uma participação ativa, em que cada um faz a diferença e todos juntos farão um mundo melhor. No auditório da escola estiveram expostos alguns trabalhos elaborados por alunos com materiais reciclados. Prof. Conceição Alves

11

Boletim Informativo da Escola Secundária Quinta das Palmeiras - Covilhã


Nós por cá... Concurso ROCK in RIO nas Palmeiras Nas Palmeiras, estamos todos a participar no Concurso Gincana Rock in Rio 2012. Esta é uma iniciativa nacional no âmbito do Ano Europeu do Voluntariado e Cidadania Ativa (2011) que visa a promoção da cidadania e participação ativa de todos, a mobilização e o apoio a causas sociais e a adoção de boas práticas de sustentabilidade, envolvendo toda a Escola na dinâmica dos desafios da Gincana. É com muito agrado que a equipa que dinamiza o Concurso na Escola, observa diariamente o incentivo, entusiasmo e dedicação com que muitos alunos aceitaram os vários desafios/ tarefas (Recolha de embalagens (ecoponto amarelo); pulseira Por um Mundo Melhor; Escola energeticamente eficiente; Escola eficiente no uso de Água; Escola Electrão e Gincana online) sensibilizando e mobilizando a comunidade em geral para os benefícios ambientais e sociais que estão na base das tarefas e ações concretizadas. Parabéns a todos os participantes, pois “ cada um faz a diferença e todos juntos farão um mundo Melhor… ”

… e a 1ª tarefa está já cumprida

Está cumprida a “primeira tarefa”do Concurso Rock in Rio 2012, que incidiu sobre a quantidade de resíduos de embalagem, recolhidos e incluídos na tipologia de resíduos aceites no ecoponto amarelo. Este desafio ultrapassou as fronteiras da Escola e chegou a toda a comunidade através dos nossos alunos, que estão portanto, de parabéns. Particularmente, a eles se deve o grande incentivo e dinâmica na sensibilização de todos para a importância de uma correta separação dos resíduos de embalagem, reencaminhamento e reciclagem. A equipa coordenadora deste Concurso, na Escola, agradece a todos quantos deram a sua contribuição para que possamos ser um potencial vencedor deste desafio. Contribuir para as metas de reciclagem do país e poupar energia na produção de embalagens com matérias virgens, serão sempre objetivos da Escola Secundária Quinta das Palmeiras… As professoras coordenadoras Maria da Conceição Alves, Albertina Leitão e Olga Fernandes

Exposição sobre Cartografia Antiga

Na nossa biblioteca escolar realizou-se uma exposição sobre cartografia antiga, promovida pelo grupo disciplinar de geografia. Visitámos esta exposição durante a aula de Atividades de Acompanhamento e Estudo, com a professora Inês Cravino, no dia 21 de Outubro. Nesta exposição, pudemos observar uma grande diversidade de mapas antigos, que representavam a visão que os nossos antepassados tinham da Terra. Como os cartógrafos não conheciam bem a Terra inventavam as formas dos continentes, criavam monstros imaginários que representavam, por exemplo, as correntes marítimas. Gostamos muito da exposição, das explicações dadas e de algumas curiosidades, que nos transportaram para essa época! Daniela Martins, Eduarda Fonseca, Filipa Sousa, 7ºA

Dia de la Hispanidad

Día de los Muertos

No dia 12 de Outubro comemorou-se o Dia da Hispanidade em Espanha e nos países de língua espanhola. A 12 de Outubro de 1492, Cristóvão Colombo, apoiado pelos reis espanhóis, chegou a um ilhéu chamado Watling, do grupo das Bahamas, a que foi dado o nome de S. Salvador. Outras viagens se sucederam e, assim, foi “hasteada” a língua espanhola na América Latina. Esta data não foi esquecida pela nossa Escola, nomeadamente pelos grupos de Espanhol e de História, os quais organizaram algumas atividades, envolvendo toda a Comunidade Escolar. Entre elas destacam-se a exposição com produtos e objectos provenientes da América Latina, realizada na BECREMarcaram também presença neste dia tão especial os “Reis de Espanha”, “Cristóvão Colombo” e os “navegantes” que acompanharam o descobridor genovês nas suas viagens pela América. Foi um dia a não esquecer, onde personagens da história de Espanha e do Mundo “navegaram” pela nossa Escola. Grupos de Espanhol e de História

Estas festividades que decorrem a 1 e 2 de novembro são, desde 2003, Património Imaterial da Humanidade. Apesar de se comemorar em toda a América Latina, tem maior expressão no México. Segundo uma crença da civilização latinoamericana antiga, quando um indivíduo morre o seu espírito continua vivo em Mictlán, lugar onde residem as almas que deixaram a terra. De acordo com a crença, Deuses benevolentes criaram este lugar ideal, tranquilo e agradável, onde as almas repousam sossegadamente até ao dia, designado pelos costumes, em que voltam aos seus antigos lares para visitares os seus familiares. Embora não se vejam durante a visita, eles sentem-se, assim diz a crença. Para os receberem as famílias não se poupam a esforços: preparam um banquete, deixam-lhes a sua cama para que possam descansar da sua caminhada. E tudo isto em alegria. Como se trata de uma data importante na cultura hispânica, os professores de espanhol, assinalaram a data com a exposição de uma altar com oferendas, imitando os que se fazem no México e convidaram os professores da escola a partilha El pan de los Muertos. Grupo de Espanhol

12


Nós por cá... Quem é Marie Curie? O que fez? Quando as Nações Unidas declararam que 2011 seria o Ano Internacional da Química, fizeram-no em parte porque o ano de 2011 coincidiu com o 100º aniversário do Prémio Nobel de Química atribuído a Marie Curie. Neste sentido, foi elaborado no Clube de Ciências um trabalho sobre a Marie Curie, cuja finalidade é divulgar à comunidade escolar a sua biografia e o seu contributo para a ciência. De nome original, Maria Sklodowska, mas apenas conhecida por Marie Curie, nasceu em Varsóvia, capital da Polónia, a 7 de Novembro de 1867. Recebeu uma educação completa na Polónia, antes de se formar em Ciências Físicas e Ciências Matemáticas na Sorbonne, em Paris, em 1893 e 1894 respectivamente. Em 1894, Marie conheceu Pierre Curie, professor de Física em Sorbonne, com quem casou a 26 de julho de 1895, tendo tido duas filhas, Irene em 1897 e Eve em 1904. Henri Becquerel, em 1896, incentivou Marie a estudar as radiações emitidas pelos sais de urânio por ele descobertas para terminar a sua tese de doutoramento em física. Juntamente com o seu marido, Marie estudou variados materiais que produziam radiações mais elevadas que o urânio, que emitiam radiações bastante elevadas. Em 1898, descobriram um novo elemento químico designado por Polónio, em homenagem à sua terra natal, e um ano mais tarde o Rádio. Após o falecimento de Pierre Curie, em 1906, Marie viu o seu futuro como cientista em risco. No entanto, a Faculdade de Ciências decidiu atribuir-lhe o cargo de professora que tinha sido deixado vago pela morte do seu marido, tornando-se a primeira mulher a ensinar na Sorbonne. A partir daí desempenhou papéis cada vez mais importantes nas comunidades científicas francesa e internacional. Em 1914, viu concluído o edifício dos laboratórios do Instituto do Rádio, na Universidade de Paris, onde se realizavam pesquisas a nível da química, da física e da medicina. Durante a I Guerra Mundial, Marie com a ajuda de sua filha Irene dedicou-se ao estudo dos raios-X, impulsionando o uso da radiografia móvel com a finalidade de diagnosticar e tratar rapidamente os problemas de soldados de guerra. Este procedimento foi popularmente conhecido por “Curies Little”. Marie Curie é uma figura lendária da ciência e a única mulher a ser agraciada com dois Prémios Nobel em campos científicos diferentes, pelo seu trabalho amplo de reconhecimento científico. Em 1903 partilhou o Prémio Nobel de Física com Henri Becquerel e Pierre Curie. Em 1911, Marie Curie recebeu o Prémio Nobel da Química pela descoberta de elementos químicos como o polónio e rádio, através do isolamento do rádio. Recebeu ainda 15 medalhas de ouro, 19 graus e muitos outros louvores. Marie Curie faleceu em 1934 de leucemia provocada pela elevada exposição à radioatividade. Os seus livros de anotações ainda hoje contêm radioatividade. Irene Curie inspirada no conceito químico do átomo, onde sua mãe foi pioneira, trabalhou com seu marido, Frédéric Joliot, nos campos da estrutura do átomo e da física nuclear, demonstrando a estrutura do neutrão e a radioatividade nuclear artificial. Foram agraciados com o Prémio Nobel em 1935 por esta descoberta, um ano após o falecimento de Marie Curie. Carolina Laia, Diogo Tomás, Francisca Nina, Raquel Gama e Vera Lopes Clube de Ciências Físico-Químicas

SeguraNet

A Escola Secundária Quinta das Palmeiras, como no ano letivo anterior, encontra-se registada nas atividades promovidas pela SeguraNet, que tem como objetivo promover a utilização esclarecida, crítica e segura da internet, junto da comunidade educativa. Nestas atividades estão, neste momento, envolvidos 9 Professores, 35 equipas de alunos, tendo obtido um total de 309 pontos. As atividades desenvolvidas no mês de Outubro e Novembro envolveram, as seguintes temáticas: no primeiro desafio, identificar e definir o phishing, saber usar o telemóvel em segurança, conhecer e praticar as boas maneiras online [netiqueta] e aprender a lidar com o cyberbullying; no segundo desafio, pretendia-se dar a conhecer o que é a reputação online e o sexting, porque é que é tão importante construir e preservar a sua reputação na internet. Para o mês de Dezembro já está a decorrer o terceiro desafio em que nos vamos confrontar com a segurança a nível do PC, do telemóvel/smartphone e consolas de jogos. Não se esqueçam: A segurança começa e acaba no utilizador, ou seja em cada um de nós. Quanto mais informação, quantos mais conhecimentos tivermos, mais esclarecidos e seguros estamos. Na internet como em todas as demais atividades humanas. Cada atividade desenvolvida tem uma pontuação máxima de 50 pontos e numa delas os alunos podiam utilizar o “joker” que lhes dobrava a pontuação dessa actividade. Temos a lista dos grupos concorrentes. Agradecemos a todos os grupos a sua participação. Grupo de Informática

13

Boletim Informativo da Escola Secundária Quinta das Palmeiras - Covilhã


Nós por cá... Novo Acordo Ortográfico Orthographia, s.f. a parte da grammatica que ensina as regras da boa escripta das palavras; arte de escrever com os caracteres e signaes consagradas pelo uso. Aulete, F. e Valente, A. (1881). Dicionario contemporaneo da língua portugueza. Lisboa: Cidade editora. Ortografia, s.f. conjunto de regras estabelecidas pela gramática normativa que ensina a grafia correta das palavras, o uso de sinais gráficos, processos fonológicos e os sinais de pontuação. Houaiss, A. e Villar, M. (2002). Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Lisboa: Círculo de Leitores. Deixas um espacinho e pões agora o título que tinhas em cima:”Breve historial dos acordos ortográficos”, imediatamente antes daquela frase que começa “Em finais do século XIX...” Em finais do séc. XIX, iniciou-se o processo que levaria à aprovação da primeira ortografia oficial (com base na obra Ortografia Nacional, do filólogo Gonçalves Viana), tendo o mesmo sido concretizado em 1911, em Portugal, sem qualquer consulta ou colaboração dos brasileiros. Nele se operou, por exemplo, a eliminação dos fonemas gregos th (theatro), ph (philosofia), ch (com som de k, como em chimica), rh (rheumatismo) e y (lyrio) e se processou a regularização da acentuação gráfica. Entretanto, ao longo do séc. XX, a reunificação ortográfica da língua foi tentada sete vezes: 1931, 1943, 1945,1971/73, 1975, 1986 e 1990. 1931: A Academia das Ciências de Lisboa e a Academia Brasileira de Letras assinam acordo para unir as ortografias dos dois países. 1943: A Convenção Luso-Brasileira retoma, com pequenas modificações, o acordo de 1931. 1945: Divergências na interpretação de regras resultam no Acordo Ortográfico Luso-Brasileiro. Em Portugal, as normas vigoram, mas o Brasil mantém a ortografia de 1943. 1971-73: Procede-se à eliminação, por exemplo, dos acentos circunflexos e graves que marcavam a sílaba subtónica nos vocábulos derivados com o sufixo -mente ou iniciados por -z- : bebêzinho (= bebezinho), vovôzinho (= vovozinho),sòmente (= somente), sòzinho (= sozinho), ùltimamente (= ultimamente). 1986: Reunião de representantes dos sete países de língua portuguesa, no Rio de Janeiro, daí resultando as Bases Analíticas da Ortografia Simplificada da Língua Portuguesa de 1945, que nunca foram, porém, implementadas. 1990: A proposta de Acordo Ortográfico foi aprovada por Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique Portugal, São Tomé e Príncipe e, mais tarde, Timor-Leste, harmonizando as regras de escritas seguidas na CPLP. Este acordo foi assinado por todos estes países, razão por que é conhecido por Acordo Ortográfico de 1990. A resolução do Conselho de Ministros nº 8/2001, de 25 de janeiro, veio determinar a sua aplicação ao sistema educativo no ano letivo de 2011/12 e, a partir de 1 de janeiro, ao Governo e a todos os serviços, organismos e entidades na dependência do Governo, bem como ao Diário da República.

Formação sobre o Novo Acordo Ortográfico

Foi neste contexto que a equipa educativa da Biblioteca, dando cumprimento ao seu Plano Anual de Atividades, dinamizou uma sessão de formação sobre este assunto, destinada a professores e assistentes operacionais desta escola. Esta sessão foi orientada pela Doutora Teresa Gonçalves, docente de Língua Portuguesa na Escola Superior da Educação de Castelo Branco, uma especialista nesta matéria. Após uma exposição, muito clara, de todas as mudanças que ocorrem na ortografia da nossa língua (XXI bases), foram feitos alguns exercícios práticos e esclarecidas algumas dúvidas. De salientar, ainda, que no Portal da Língua Portuguesa, *(cujo link se encontra no blogue da Biblioteca em http://becre-palmeiras.blogs.sapo.pt/), podem ser encontrados recursos auxiliares para a aplicação do acordo ortográfico. Neste portal encontram-se disponíveis, entre outros documentos, o Vocabulário Ortográfico do Português e o Conversor Lince, que foram oficialmente adoptados pelo Governo. *) O Portal da Língua Portuguesa é um repositório organizado de recursos linguísticos. Pretende ser orientado tanto para o público em geral como para a comunidade científica, servindo de apoio a quem trabalha com a língua portuguesa e a todos os que têm interesse ou dúvidas sobre o seu funcionamento. Todo o conteúdo do Portal é de livre acesso e está em constante desenvolvimento.

Prof. Albertina Leitão

Alunos de 9º ano assistiram à representação do Auto da Barca do inferno

No passado dia 21 de novembro, os alunos de nono ano assistiram à representação de Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente, no Auditório São João de Brito, em Lisboa. O espectáculo, correspondeu às enormes expetativas dos alunos, que sabiam, de antemão, tratar-se de uma encenação de António Feio. A componente vídeo que acompanhou a representação tornou o texto vicentino e mais “próximo” dos jovens, cativando-os de uma forma especial. Afinal … ler Gil Vicente tornou-se fácil!

14

www.cteducacao.com


Nós por cá... Escola participa, pela 1ª vez, na iniciativa “CHERUB” Realizou-se no dia 17 de Novembro a prova final no âmbito do Concurso de Leitura “Cherub”, promovido pela Porto Editora, em que participaram catorze alunos da nossa Escola. Durante aproximadamente duas semanas, os alunos leram a obra O Recruta. Todos os participantes consideraram o livro muito interessante e de leitura bastante agradável e hoje tiveram a oportunidade de mostrar que conheciam todos os pormenores da história. Os resultados da prova revelaram que, de facto, os alunos se empenharam na leitura do texto, no entanto só quatro puderam ser vencedores, de acordo com as regras do concurso. Assim, o número de respostas corretas e a ordem de entrega das provas determinou como grandes vencedores os seguintes alunos: João Sousa, Mariana Lucas, Tomás Morais, do 7ºD e Maria Elisa Velez, do 7ºE Todos os alunos receberam já certificados de participação na atividade e vales de desconto para a compra de livros da coleção “Cherub”. Os vencedores receberão ainda t-shirts Cherub e livros da coleção. Parabéns aos vencedores e a todos os alunos participantes! Boas leituras!! Prof. Alice Carrilho

Projeto REALCE – uma forma de ligar as línguas peninsulares

No passado dia 25 de Novembro, o diretor da escola, Dr. João Paulo Mineiro e a coordenadora do grupo disciplinar de espanhol, deslocaram-se a Mérida, na província de Badajoz, para assistir às Jornadas Inaugurais de um projeto transfronteiriço que abrange as regiões do Alentejo e do centro de Portugal e da Extremadura em Espanha. Este projeto, denominado REALCE tem como objetivo favorecer as relações entre os professores de espanhol em Portugal e de português em Espanha e entre os alunos das escolas das zonas abrangidas. A Nossa escola foi selecionada para integrar o projeto este ano letivo e no próximo, tendo ficado de trabalhar em parceria com o Instituto Escolar Francisco Vera de Alconchel. As professoras das duas escolas já iniciaram as atividades, sendo uma delas, um intercâmbio entre 20 alunos de cada uma das escolas. Este projeto é uma mais valia para os alunos e professores que nele participarão pois poderão criar-se laços de amizade e de cooperação, o que é sempre muito bom. Prof. Flora Vieira

15 Boletim Informativo da Escola Secundária Quinta das Palmeiras - Covilhã


Biblioteca... Retalhos da vida da nossa Biblioteca… Dia Europeu das Línguas A Europa é considerada um verdadeiro tesouro linguístico: 23 línguas oficiais e mais de 60 línguas regionais ou minoritárias são faladas no espaço europeu. Para assinalar o Dia Europeu das Línguas, que este ano celebra o seu 10º aniversário, o Departamento de Línguas, em colaboração com a Biblioteca da Escola, desenvolveu variadíssimas atividades que tiveram como objetivo mostrar a crescente importância da diversidade linguística e da aprendizagem de línguas estrangeiras. No período da manhã, os alunos de 7º ano participaram na atividade “vamos lá colorir a Europa”. A Ana Santos, aluna do 7º A, deixou-nos o seu testemunho a propósito desta atividade: “ No Dia Europeu das Línguas fizemos uma atividade muito gira; pintámos os países com as bandeiras. Adorei!” Alguns alunos “vestiram-se a rigor” e chamaram a atenção de toda a comunidade educativa para a importância deste dia. O almoço, na cantina da escola, também teve sabores europeus. Do menu constava: crème de poireau, tortilla, fish and chips e arroz doce. Uma delícia!

Mais um Bibliopaper

Ao longo de todo o dia, decorreu o Concurso “O seu a seu dono”. Este concurso teve como principal objetivo identificar imagens emblemáticas de Portugal, França, Inglaterra e Espanha. Parabéns a todos os participantes, especialmente ao Diogo Ferreira, do 7º B, vencedor deste passatempo. A exposição “O Principezinho nas várias línguas” teve um lugar de destaque. Todos os “apaixonados” pela obra “Le Petit Prince”, de Saint-Éxupery, puderam folhear livros em línguas como o esloveno, finlandês, norueguês, polaco, esloveno, yiddish… Ao longo do dia, o Departamento de Línguas dinamizou, na sala de aula, atividades comemorativas. Foi um dia recheado de cultura europeia! É esta a opinião da Sofia Gouveia, do 7º B: “Gostei muito deste dia! Quando chegámos à biblioteca estavam alguns colegas vestidos com trajes típicos de diferentes países. De seguida, pintámos países num mapa da Europa. Eu pintei a Holanda com uma amiga e gostei muito. Também gostei de ver as várias traduções do livro O Principezinho. Diverti-me muito e aprendi um pouco mais sobre as diferentes línguas/culturas da Europa.”

Para dar as boas vindas aos novos alunos da escola, a equipa da BE apresentoulhes a biblioteca de uma forma lúdica. Deste modo, todas as turmas do 7ºano participaram num jogo de descoberta e ficaram a conhecer todas as potencialidades deste espaço. A turma vencedora deste passatempo foi o 7º A. Parabéns aos vencedores e a todos os participantes !!

Deixamos aqui o testemunho de alguns alunos. “No dia 22 de Setembro, a minha turma participou numa atividade intitulada “Bibliopaper”que consistia em responder a algumas perguntas relacionadas com a biblioteca da escola. Eu gostei muito deste jogo porque se exigia trabalho de equipa e concentração. Também acho que a minha turma teve um bom desempenho.” José Manuel Amoreira, 7º A “Gostei muito desta atividade. Parecíamos investigadores à procura de respostas… No final tirámos uma foto de turma. Adorei!” Rita Rodrigues, 7º B

16

http://becre-palmeiras.blogs.sapo.pt/


Biblioteca... Mês Internacional das Bibliotecas Escolares No mês Internacional das Bibliotecas Escolares, lançámos um desafio aos nossos alunos: Redigir um texto subordinado ao tema “E se a minha escola não tivesse BE?”A “resposta” não podia ser melhor, já que todos os participantes se “recusam” a imaginar uma escola sem Biblioteca. Deixamos algumas opiniões: “ Como seria uma escola sem Biblioteca? Como é que podem imaginar isso? Talvez, para algumas pessoas (poucas!) fosse possível, mas para a maioria é um pensamento absurdo!” Amanda Canário, 7º B “Não imaginamos uma escola sem Biblioteca… é impensável! Numa escola, a Biblioteca escolar exerce várias funções na educação de cada aluno. Se não existisse Biblioteca escolar, os alunos não teriam acesso a tanta informação… A Biblioteca Escolar permite aos alunos um maior acesso ao conhecimento geral, através de livros, atividades, ligação à Internet… Em suma, as Bibliotecas Escolares são fundamentais numa escola, pois são uma grande ajuda no percurso escolar de cada aluno” Filipa Sousa, Daniela Martins, Ana Carolina Oliveira, e Eduarda Fonseca- 7º A “Para mim, a escola sem Biblioteca seria parecida com o sol sem luz. Não teríamos fontes de informação.” Pedro Simões, 7º B “ A escola sem biblioteca é “um peixe” sem água, não tem interesse.“ Rita Rodrigues, 7º B “ A Biblioteca é um espaço de aprendizagem, abre as portas da imaginação… os grandes escritores só se tornaram grandes escritores porque foram grandes leitores.” Inês Matos, 7º B “Queria fazer um apelo: quando os alunos não tiverem nada para fazer, vão à Biblioteca porque há sempre algo a acontecer.” Joana Marques, 7º B “ A escola sem Biblioteca estaria incompleta.” Miguel Rato, 7º D “Sem Biblioteca, os alunos que não têm computador ou Internet não poderiam aceder à Plataforma da Escola, não poderiam fazer trabalhos de pesquisa…” Ana Lúcia, Ana Miguel, Ana Filipa e Guilherme 7º A “ Se a minha escola não tivesse Biblioteca, ficaríamos sem um sítio sossegado onde pudéssemos ler um livro, ver um filme, pesquisar informação e fazer os trabalhos de casa, se necessário. Seria uma grande perda para todos nós, pois a Biblioteca dá uma ajuda para a nossa vida escolar.” Beatriz Afonso, 8º B “ Não ia ter a habitual alegria de quando saio da Biblioteca poder dizer “já fiz tudo” em silêncio, calma e tranquilidade”. João Fernandes, 8º B “ Uma escola sem biblioteca seria algo impensável, porque é um local onde, para além do conhecimento que encerra, é também um sítio mágico, sem limites, no qual a imaginação flui sem encontar barreiras.” Catarina Costa nº6 12ºE Ainda para assinalar a importância da Biblioteca Escolar, foram distribuídas, de 24 a 28 de outubro, pulseiras para relembrar a importância deste espaço. Toda a escola está “ligada” à Magia da BE!!

Durante este mês, os alunos do 7º ano deslocaram-se à Biblioteca Municipal para comprovarem que há semelhanças e diferenças entre esta instituição e a “sua” Biblioteca Escolar. Ainda houve tempo de visitar o depósito da Biblioteca Municipal e, aí, pudemos comprovar que já houve outros acordos ortográficos… Covilhã escrevia-se “Covilhan”. Que curioso! Foi uma visita muito interessante!

17

Boletim Informativo da Escola Secundária Quinta das Palmeiras - Covilhã


Biblioteca... Halloween na nossa Escola… Segundo uma tradição de origem celta, acredita-se que na noite de 31 de outubro para 1 de novembro, as Bruxas, Vampiros e outros seres fantasmagóricos andam à solta. Foi a este propósito que decorreram, na Biblioteca da Escola, variadíssimos passatempos (palavras cruzadas, quizzes) preparados pelo grupo disciplinar de inglês. Foi ainda feita a divulgação de livros alusivos ao tema… de arrepiar! Tudo isto num ambiente “horrível” preparado para a ocasião! Para se cumprir a tradição, saiu-se à rua, andou-se de casa em casa e pedir “tricks or treats”?

Concurso Nacional de Leitura

A nossa Escola irá participar pela sexta vez no Concurso Nacional de Leitura, 2011/2012, uma atividade promovida pelo Plano Nacional de Leitura (PNL). A 1ª Fase decorre de 24 de Outubro a 13 de Janeiro de 2012 As obras selecionadas são as seguintes:

3º Ciclo do Ensino Básico: A Pérola, John Steinbeck Bichos, Miguel Torga

Ensino Secundário:

Contos Fantásticos, Edgar Alan Põe Ensaio sobre a Cegueira, José Saramago

Inscreve-te na biblioteca ou junto do teu professor de português. A prova decorrerá no dia 11 de Janeiro de 2012, às 10h no Auditório do Bloco A.

A Biblioteca levou-nos a Coimbra

No passado dia 4 de Novembro de dois mil e onze, alunos do décimo ano da Escola Secundária Quinta das Palmeiras deslocaram-se a Coimbra, para visitar a Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, a Biblioteca Joanina e a Casa-Museu Miguel Torga. Na Biblioteca Geral, mereceu a nossa especial atenção a sala de leitura, na qual os estudantes da universidade de Coimbra fazem as suas investigações ou estudam para as frequências. Esta biblioteca é um edifício bastante grande, muito diferente das bibliotecas que frequentamos nas escolas. Julgo que todos conseguimos perceber a importância da biblioteca na vida dos estudantes e investigadores de Coimbra. A Biblioteca Joanina é um edifício bastante ornamentado e com algumas especificidades de construção que contribuem para a conservação dos inúmeros documentos que ali se encontram. Também a temperatura da sala é bastante controlada para se conseguirem preservar livros com milhares de anos. Concluímos a visita com Roteiro Miguel Torga (Adolfo Rocha). Fomos de autocarro até ao local onde se situava o seu consultório médico, dirigidos por uma guia que nos deu informações sobre a vida e a obra de Adolfo Rocha. Pudemos observar o “memorial” construído em sua homenagem, por ocasião das comemorações do centenário do nascimento do escritor e que apreciámos especialmente, devido ao simbolismo que encerra. Deslocámo-nos posteriormente á casa em que viveu Adolfo Rocha, onde podemos ver objectos pessoais do autor e respetiva família. Foi muito interessante movimentar-nos no espaço em que viveu um dos nossos poetas preferidos, na medida em que nos ajudou a conhecer melhor a pessoa e a perceber a sua obra. O balanço da visita é, na nossa perspetiva, bastante positivo. Percebemos alguns rituais dos estudantes da mais antiga universidade do país, visitámos bibliotecas com uma enorme riqueza de conteúdo e uma importância imensa para investigadores e estudantes e entrámos no admirável universo de Miguel Torga pela porta da vida de Adolfo Rocha. Agradecemos a oportunidade que nos foi dada de participar nesta atividade dinamizada pela Biblioteca/ CRE da Escola Secundária Quinta das Palmeiras. Vanda Nogueira, 11º A

18


Cultura... Sugestões de Filmes Ficha Técnica: O GATO DAS BOTAS (3D) Título Original: Puss In Boots Duração: 1h30m Origem: EUA, 2011 Para maiores de 6 anos. Nos cinemas a partir 1 de Dezembro de 2011. Intérpretes: Antonio Banderas, Walt Dohrn, Zeus Mendoza Realização:Chris Miller Sinopse: O Gato das Botas, uma das mais aclamadas personagens do universo Sherk, conta a hilariante e corajosa fábula das primeiras aventuras de Gato quando, em conjunto com o génio Humpty Dumpty (Zach Galiafianakis) e a astuta Kitty Patas Fofas (Salma Hayek), tentam roubar o célebre Ganso que põe Ovos de Ouro.

Ficha Técnica: ARTHUR CHRISTMAS Título Original: Arthur Christmas Duração: 1h37m Origem: EUA/GB, 2011 Intérpretes: Ashley Jensen, Bill Nighy, Hugh Laurie, Imelda Staunton, James McAvoy, Jim Broadbent Realização: Barry Cook,Sarah Smith Sinopse: Arthur é o filho mais novo do Pai Natal. É o que menos participa na operação da noite de Natal, em que são distribuídos os presentes por todas as crianças do Mundo, mas este ano algo vai mudar. Quando uma falha no sistema de computadores que contabiliza as crianças faz com que uma delas não receba o seu presente Arthur resolve agir, ao contrário do resto da família que resolve ignorar o assunto. Apesar da sua falta de experiência resolve partir com o trenó e as renas (método antigo de distribuição) e, com a ajuda do Avô Natal, fazer com que aquele presente chegue ao seu destino antes do nascer do Sol.

Ficha Técnica: SAGA TWILIGHT AMANHECER (PARTE 1) Título Original: The Twilight Saga: Breaking Dawn - Part 1 Duração: 117 minutos Origem: Intérpretes: Kristen Stewart, Robert Pattinson, Taylor Lautner, Ashley Greene, Bryce Dallas Howard, Peter Facinelli, Jodelle Ferland, Elizabeth Reaser, Kellan Lutz, Catalina Sandino Moreno, Nikki Reed, Jackson Rathbone. Realização: Bill Condon Sinopse: A alegria de Bella Swan (Kristen Stewart) e Edward Cullen (Robert Pattinson), recém-casados, é interrompida quando uma série de traições e situações adversas ameaçam destruir o seu mundo. Após o casamento, Bella e Edward viajam até o Rio de Janeiro para a lua-de-mel, onde finalmente se entregam às suas paixões. Bella logo descobre que está grávida, mas a chegada da filha, Renesmee, coloca em movimento uma perigosa cadeia de eventos que colocam os Cullen e seus aliados contra os Volturi, o temível conselho de líderes vampiros, preparando o palco para uma batalha de tudo ou nada.

Pedro Mesquita e Ivan Moreira, 8º B

19 Boletim Informativo da Escola Secundária Quinta das Palmeiras - Covilhã


Cultura... Sugestão de Livros

Diversão... Sugestão de Jogos

Título: Guinness world Records 2012 Jogos que não podes perder este Natal Edição: 2011 Batilefield 3 Género: Acção na 3ªpessoa e tiro neles na 1ª Editor: Livros D´Hoje pessoa. Classificação: Enciclopédias Editora: EA games Mais de 1 000 000 de detentores de PEGI: 18 recordes mundiais! Plataformas: PC, Xbox 360º, PlayStacion 3. O mais prestigiado livro de recordes do Especificações: mundo. Mais de 100 temas! Mais de 900 Battlefield 3™ lidera no tempo com o poder do fantásticas fotos! 4000 novos recordes. motor Frostbite™ 2, a nova inovação da DICE. Esta 65 000 pedidos só neste ano! Tudo neste peça de arte em conjunto com Battlefield 3™ vai oferecer uma qualidade visual nunca vista, uma escala de destruição massiva fantástico livro. e um dinâmico poder áudio como nunca se viu até hoje. Em Battlefield 3™, os jogadores vão acompanhar a elite dos marines Título: O Último Segredo americanos, numa guerra sem tréguas que vai atravessar cidades Autor: José Rodrigues dos Santos como Paris, Teerão e Nova Iorque. Edição: 2011 Editor: Gradiva Call Of Duty Modern Warfare 3 Uma paleógrafa é brutalmente assassinada Genero: FPS na Biblioteca Vaticana quando consultava Editora: ActionVision um dos mais antigos manuscritos da Plataformas: Ps3; Pc; Xbox 360; Nitendo Bíblia, o Codex Vaticanus. A polícia Wii; italiana convoca o célebre historiador e Especificações: Desenvolvido em parceria criptanalista português, Tomás Noronha, pela Infinity Ward e pela Sledgehammer Games, Modern Warfare 3 e mostra-lhe uma estranha mensagem desenrola-se num mundo à beira da aniquilação enquanto Makarov deixada pelo assassino ao lado do cadáver. e a sua organização terrorista lançam a destruição e o caos em todo A inspectora encarregada do caso é Valentina Ferro, uma o mundo. beldade italiana que convence Tomás a ajuda-la no inquérito. Assumindo o papel de membros de diversas unidades de forças Mas a sucessão de homicídios semelhantes noutros pontos especiais e apetrechados com as armas mais avançadas, os do globo leva os dois investigadores a suspeitarem de que as jogadores trabalham com operacionais Delta e reencontram-se com personagens conhecidas para entrarem num perigoso jogo de vítimas estariam envolvidas em algo que as transcendia. Na busca da solução para os crimes, Tomás e Valentina põem- gato e rato enquanto percorrem o mundo para deter um homem se no trilho dos enigmas da Bíblia, uma demanda que os doido antes que seja tarde demais. conduzirá à Terra Santa e os colocará diante do último segredo Pro Evolution Soccer PES 2012 do Novo Testamento. A verdadeira identidade de Cristo. Genero: Desporto Baseando-se em informações históricas genuínas, José Editora: Konami Rodrigues dos Santos confirma-se nesta obra excepcional Plataformas: Ps3;Ps2;Xbox 360;Pc;Nitendo como o grande mestre do mistério. Mais do que um notável Wii; Nitendo Ds romance, O Último Segredo desvenda-nos a chave do mais PES 2012 prolonga a determinação da desconcertante enigma das Escrituras. Konami em ouvir a sua base de fãs e em melhorar os aspetos que o público exige. Assim, o foco para Top Twenty Music, November 2011 PES 2012 é garantir o mais alto nível de jogabilidade, desafio e realismo, melhorando ao mesmo tempo o nível de controlo oferecido aos jogadores. Foram feitas alterações fundamentais em todas as áreas da Inteligência Artificial segundo feedback de utilizadores. Da mesma forma, o trabalho de equipa foi vital para a forma como o jogo se Olly Murs James Morrison Jenifer Lopez movimenta e comporta, permitindo aos fãs replicar tudo o que veem num jogo de futebol real.

20

Pedro Mesquita e Ivan Moreira, 8º B Catarina Costa, 12º E

FIFA12 Género: Desporto Empresa: EA Sports PEGI: 4 Plataformas: PC, Xbox 360º, PlayStacion 3, PSP, Nintendo DS e Nintendo Wii Especificações: Mudanças revolucionárias ao melhor jogo de futebol do mundo. O FIFA 12 leva para o campo uma nova física de colisões entre os jogadores, com um novo motor que destaca a física do mundo real em todas as colisões. As inovações de jogo inspiradas pelo futebol real tornam o FIFA 12 mais profundo e mais desafiante. Funcionalidades Chave Defesa Táctica Saber aplicar as tácticas e saber escolher o momento certo são elementos essenciais. Para atingires a perfeição absoluta, concentra-te no teu posicionamento, na intercepção de passes e no bloqueio dos teus adversários.


Geoeducar... No 1º número do Palmeiras Impress deste ano letivo de 2011-2012, cujo tema central é o Ano Europeu do Voluntariado, o geoeducar focou a sua atenção num organismo internacional que se dedica a ações de solidariedade por todo o mundo, que vivem essencialmente do voluntariado.

Assistência Médica Internacional Os seus principais objetivos são: atenuar as desigualdades e o sofrimento no Mundo, tendo o Ser Humano no centro das preocupações; Criar um mundo mais sustentável, mais harmonioso, mais inclusivo, mais tolerante, menos indiferente, menos violento. A sua principal missão é levar ajuda humanitária a quem precisa e promover o desenvolvimento humano, tendo em conta os Direitos Humanos e os Objectivos do Milénio, nas áreas da saúde, social e ambiental, em qualquer parte do mundo, independentemente de raça, género, idade, nacionalidade, língua, política, religião, filosofia ou posição social, olhando para cada pessoa como um ser único, insubstituível, digno de atenção e cuidado. A Fundação AMI age de acordo com os 4 Princípios da Acção Humanitária: - Humanidade: Aliviar o sofrimento humano esteja ele onde estiver. Proteger a vida e a saúde e garantir o respeito dos seres humanos. - Neutralidade: Não tomar partido em situações de conflito nem participar em polémicas de natureza política, racial, religiosa ou ideológica. - Imparcialidade: Actuar apenas em função das necessidades, dando prioridade às situações mais urgentes sem distinção de nacionalidades, raças, géneros, religiões, crenças, classes sociais ou opiniões políticas. - Independência: Não ter qualquer tipo de objectivo político, económico, militar ou outro nas áreas de actuação.

Valores fundamentais A AMI procura concretizar a sua Missão de acordo com os seguintes Valores: - Fraternidade: Acreditar que “Todos os Seres Humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos; que são dotados de razão e de consciência e que devem agir uns para com os outros em espírito de irmandade”. - Solidariedade: Assumir as preocupações e as necessidades do ser humano como suas causas de acção. - Tolerância: Procurar uma atitude pessoal e comunitária de aceitação face a valores diferentes daqueles adoptados pelo grupo de pertença original. - Equidade: Garantir o tratamento igual sem distinção de ascendência, idade, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica ou condição social. - Verdade: Procurar sempre a adequação entre aquilo que se faz e aquilo que se proclama. - Frontalidade: Dialogar e falar claro, respeitando os valores do outro, fazendo ao mesmo tempo respeitar os seus. - Transparência: Garantir que o processo de actuação e de tomada de decisão é feito de tal modo que disponibiliza toda a informação relevante para ser compreendido. Fonte: http://www.ami.org.pt

Equipas de Rua da AMI

A primeira Equipa de Rua da AMI foi criada há 10 anos. Este projecto pretendeu ir ao encontro da população sem abrigo que permanecia na rua, através de uma intervenção que permitisse responder às suas necessidades e prevenir futuras formas de exclusão social. Actualmente a AMI tem duas Equipas de Rua: uma em Lisboa e outra em Vila Nova de Gaia.

As missões

São fundamentais, maioritariamente, médicos, enfermeiros, nutricionistas e técnicos de desenvolvimento. Se o perfil do voluntário for adequado ao projecto em curso e, em situações de emergência, poderá ser convidado a partir para o terreno num prazo muito curto, pelo que, nessas alturas, uma verdadeira disponibilidade é necessária no momento da chamada. Os clínicos gerais são os mais necessários no terreno, na medida em que, muitas vezes, não existem médicos na zona de intervenção. Dá-se preferência àqueles que tenham formação em medicina tropical e/ou experiência profissional em países tropicais. A duração da missão não deve ser inferior a 3 meses, sendo preferível uma disponibilidade de 6 ou mais meses. No que diz respeito aos enfermeiros, é dada prioridade a quem possua formação ou experiência em medicina tropical e obstetrícia. É também dada prioridade a enfermeiros com experiência de terreno, em particular em países em desenvolvimento. Deverá permanecer, no mínimo, durante 6 meses no terreno (excepto missões de emergência). São também enviados para o terreno profissionais de outras áreas, tais como: técnicos de desenvolvimento, nutricionistas, logísticos. Prof. Estela Serafim

Boletim Informativo da Escola Secundária Quinta das Palmeiras - Covilhã

21


Speaker’s Corner... O novo espaço permanente no Palmeiras Impress, onde serão publicados textos de alunos, notícias e/ou passatempos.

Have you ever been to London? If you have, most certainly you went to Hyde Park, where you can visit the “Serpentine” (the famous lake inside the garden), but I’m sure you didn’t miss Hyde Park Corner, near the Marble Arch! This is the public area you can go and deliver a speech on the topic of your choice (provided that the police assess your words as “lawful”). Where does this idea come from? We’ll have to travel back in time to the 19th Century in the 1860s, when Hyde Park Corner became the favourite place for workers’ protests. So, later in 1872 the parliament passed the “Parks Regulation Act of 1872”, which allowed some areas for public demonstrations of discontent! The idea was so successful that it has been developed to the present day. Furthermore, it

became fashionable in other cities… Here, at the “Speakers’ Corner” you’ll find the right place to freely express yourself in English. Send your texts – any subject (provided it is lawful!) to your teacher of English to be published. Speak up!!!

European Day Of Languages

We, Europeans, have been celebrating European languages for 10 years now. To celebrate the 10th anniversary of the European Day of Languages we carried out some activities at our school. There were contests, paintings, quizzes, … and, of course, a lunch at the school canteen that included food related with the different languages taught at our school, including Portuguese. The teachers of the “Departamento de Línguas” took good care of all the activities. In the classes of the 26th September students were recalled that throughout Europe, 800 million Europeans represented in the Council of Europe’s 47 member states are encouraged to learn more languages, at any age, in and out of school. Being convinced that linguistic diversity is a tool for achieving greater intercultural understanding and a key element in the rich cultural heritage of our continent. So, there were activities specially prepared to draw the students’ attention to the importance of minority languages, and lifelong language learning for a better understanding of the culture in other European countries.

Genetically Modified Organisms

Transgenic or genetically modified foods are those that are produced in labs where genes are transferred from one organism to another. I think that, like many other things, this type of science has advantages and disadvantages. Some advantages include increasing the shelf life (expiry date) of the product, Increasing the amount of nutrients, or many others. With GMOs, it became possible to change, at lower costs, certain foods. For example, milk without lactose which n be good for people who can’t consume lactose. But, as I said before it could have some disadvantages. For example, the gene that is introduced into the food can pass to humans, and consequentially, the organism can get resistant to some antibiotics. Transgenic experiences in food can produce new pests in agriculture, the elimination of beneficial insects and microorganisms in the ecological balance, and consequently endangered species and increase of soil contamination. Therefore, in my opinion we shouldn’t be producing transgenic food because there are many disadvantages involved. However, if we refer to other types of GMOs like the cryopreservation of stem cells and further use to “create” new organs, I think that it could be a good idea! Mariana Diogo, 11ºC

Some facts about Halloween

•On October 31st people celebrate Halloween in both Britain and the United States. The story of Halloween started in ancient times when the Celts lived in Britain and Ireland. New Year began on November 1st so the night before they held a festival to celebrate the change from summer to winter and the end of harvest. The tradition is highly linked to the Celtic festival of Samhain. •They believed that on October 31st the evil spirits were released to roam the Earth. To frighten these spirits away they dressed up as witches and ghosts, lit huge bonfires and they used to put candles in their windows to light their way through the world of the living. The Celts offered food (apples, beets or turnips) to please them. If those spirits had nothing to eat, they would play evil tricks on the people of the house. •Also the Druids (the Celts’ priests) on the night of Halloween danced around bonfires where they offered animals as sacrifice to placate the bad spirits that came from the underworld. They used to wear animal-head masks and gowns made of animals skins. They believed that the fire and the clothes protected them and their homes from danger throughout the year that was beginning. In the 1800s many Irish and Scottish settlers migrated to the United States and Halloween traditions started to spread. Nowadays, on October 31st children wear masks and dress as ghosts, witches, and other characters. They often have a party at school. In the evening they wear their costumes and go to their neighbours houses. They knock at the door and when it opens, they shout “Trick or Treat”. Children usually get candies, cookies and fruits as a “Treat”. When they don’t get these things, they play a trick on their neighbours: they may soap windows, misplace garden tools or put toilet paper around the trees. They also play games like apple bobbing; they carve Jack- o’- lanterns, tell scary stories, visit haunted places or watch horror films. •The traditional colours of Halloween are orange and black. The most typical symbol is the Jack -o’-lantern: a hollowed pumpkin with a carved face and a candle inside. The first Jack -o’- lanterns were made of potatoes, turnips or beets. At school we had some spooky snacks and many treats, together with some contests at the school library!

22


Passatempos Anedota

Reis Magos ou Rainhas Magas?

O que se teria passado, se, em vez de três Reis Magos, tivessem sido três Rainhas Magas? - Teriam perguntado como chegar ao local e teriam chegado a horas. - Teriam ajudado no parto e deixado o estábulo a brilhar. - Teriam preparado uma panela de comida - Teriam trazido ofertas mais práticas. Mas quais teriam sido os seus comentários ao partirem? - Viste as sandálias que a Maria usava com aquela túnica? - O menino não se parece nada com o José! - Virgem! Pois está bem! Já a conheço desde o liceu! - Como é que é possível que tenha todos esses animais imundos a viver dentro de casa? - Disseram-me que o José está desempregado! - Queres apostar em como não te devolvem a panela?

Palavras Cruzadas

Sopa de Letras Sudoku

Descubra as 7 diferenças

Catarina Costa, 12º E e Ivan Moreira, 8º B

Boletim Informativo da Escola Secundária Quinta das Palmeiras - Covilhã

23


Desporto... Clube do Desporto Escolar 2011 / 2012

24


Nota da Edição... Mais um ano letivo começou e mais um desafio se colocou à equipa do Palmeiras Impress: a dinamização do grupo de trabalho, o planeamento das diversas atividades e a definição de estratégias para manter este jornal escolar como uma referência de qualidade a nível da comunicação e informação. Fruto do natural percurso académico, a nossa equipa foi renovada. Um grupo significativo de alunos que nos acompanhou e connosco desenvolveu um excelente trabalho, ao longo de alguns anos, deixou-nos, apesar de por muito boas razões: ingressaram no ensino superior. Deixamos aqui, publicamente, o agradecimento especial aos alunos Nuno Alegria, José Carlos Costa, Maria Sousa, Diana Ranito e Frederico Lanzinha, a quem também desejamos as maiores felicidades. Queremos agora dar as boas vindas a um outro grupo que se juntou a nós e com quem esperamos desenvolver um trabalho profícuo: Daniela Fernandes, Ivan Moreira, Francisco Afonso, Pedro Mesquita, Beatriz Afonso, Matilde Nunes e Miguel Catarino. A todos, votos de bom trabalho. Lídia Dinis Mineiro

25 Boletim Informativo da Escola Secundária Quinta das Palmeiras - Covilhã


Desporto... Torneio de Badminton Realizou-se no passado dia 26 de Outubro de 2011, na nossa escola, o 2º torneio de badmington, que teve uma grande adesão, passando para o triplo do número de participantes em relação ao ano anterior. Nos jogos de singulares, os alunos que ocuparam o pódio foram: 1º lugar: David Gomes, 8ºC 2º lugar: Ruben Antunes, 10ºB 3º lugar: Miguel Jesus, 9ºF Nos jogos de pares, os alunos que ocuparam o pódio foram: 1º lugar: David Gomes/Bernardo Girão, 7ºC 2º lugar: Miguel Mangana/Miguel Jesus, 9ºF 3º lugar: Samuel/João Rodolfo, 8ºC Há ainda a referir que, no final deste torneio, houve um pequeno lanche para os participantes. Daniela Fernandes 8º B

Palmeiras Mais e Melhor Saúde Pelo 3º ano consecutivo vai ser desenvolvido o Projeto Palmeiras Mais e Melhor Saúde/Pró-Lúdico, que consiste na recolha dos dados antropométricos de todos os alunos da escola, em que após essa análise irá proceder-se a uma seriação de alunos mais propensos à obesidade, de forma a que estes (predominantemente) venham a integrar um leque de actividades desportivas regulares, de que se destaca: a natação, o rappel, o btt, o ski, os flash mob’s, os passeios pedestres, o ginásio, entre muitas outras surpresas, para que se consiga alterar a tendência para o sedentarismo, promovendo hábitos e estilos de vida saudáveis. Este ano, mais concretamente no Segundo Período decorrerá ainda uma semana aberta cheia de movimento e saúde! Aproveitamos desde já, para convidar toda a comunidade a participar neste evento, que promete também muita diversão! O Núcleo de estágio de educação Física: Ana Sofia; João Vala; Ricardo Simões e Telma Venâncio

Eventos desportivos e solidários na Covilhã A Universidade da Beira Interior, os seus serviços de ação social, a associação académica e o núcleo de estudantes de desporto, organizaram, nos passados dias 16,17,18 e 19 de Maio de 2011, o 1º Torneio do Reitor, nos pavilhões desportivos da UBI. Os objetivos deste torneio eram angariar bens alimentares para o Banco Alimentar Contra a Fome e um valor monetário a reverter para a Liga Portuguesa Contra o Cancro. Os objetivos foram superados, conseguindo-se 9975,5 Kg de bens alimentares e 1.160,00 €. Todos os anos, a UBI realiza ainda uma caminhada em que o valor da inscrição reverte para a Liga Portuguesa Contra o Cancro. A delegação da Cruz Vermelha Portuguesa da Covilhã realiza uma caminhada anual em que o valor da compra de um Kit reverte para a Cruz Vermelha Portuguesa. A delegação da Liga Portuguesa Contra o Cancro da Covilhã, realizou também, pela 1º vez, uma marcha, em que o valor da compra de um Kit reverteu a favor da Liga Portuguesa Contra o Cancro. No passado dia 19 de Junho de 2011, o Sporting Clube da Covilhã, em parceria com a Universidade da Beira Interior, realizou um jogo de Futsal em que o valor angariado reverteu a favor de um estudante da UBI com problemas graves de saúde. Também a nossa escola tem aderido a algumas destas iniciativas, nomeadamente a já tradicional Corrida Solidária. Daniela Fernandes e Francisco Afonso, 8º A

FLF (Fundação Luís Figo)

26

Desde Março de 2003 que a Fundação Luís Figo tem vindo a apoiar diferentes causas e instituições que trabalham em benefício das crianças doentes ou portadoras de deficiência, quer seja através de apoios financeiros, quer seja através de apoios em equipamentos, ou ainda através de atividades lúdicas ou distribuição de alimentos que permitam aumentar a qualidade de vida e o bem-estar das mesmas. A Fundação Luís Figo, através do “Projeto Esperança”, propõe-se assim, intervir pela melhor de todas as vias, dando mais força e magia aos sonhos e à vontade de sonhar. Francisco Caetano Afonso, 8º A


Notas Soltas... Direitos Humanos? Onde começam afinal, os direitos universais? Em pequenos locais, perto de casa – tão perto e tão pequenos que não podem ser vistos em qualquer mapa do mundo. No entanto, são o mundo da pessoa individual, do bairro onde vive, da escola ou universidade que frequenta, da fábrica, quinta ou escritório onde trabalha. Estes são os locais onde todos os homens, mulheres ou crianças procuram a igualdade, justiça e dignidade sem discriminação. Embora os noticiários se refiram diariamente aos direitos humanos, comemorados no dia 10 de Dezembro, os conhecimentos sobre direitos humanos não são muito divulgados. Quando alguém afirma, “Tenho os meus direitos”, normalmente pensa nos direitos civis e políticos, que incluem, entre outros aspectos, a liberdade de reunião, a liberdade de culto ou o direito a um julgamento justo e imparcial. São poucos aqueles que têm a noção de que os direitos sociais, económicos e culturais, como a assistência médica, o alojamento ou uma remuneração decente, também são direitos garantidos na Declaração Universal dos Direitos Humanos. As pessoas que não conhecem os seus direitos tornam-se mais vulneráveis e, frequentemente, falta-lhes o conhecimento para os defenderem convenientemente. Há, actualmente, um consenso crescente em todo o mundo que reconhece a educação para e sobre direitos humanos como algo essencial que pode contribuir para a construção de sociedades mais livres, justas e pacíficas. Uma aprendizagem integral dos direitos humanos implica aprender sobre as responsabilidades que acompanham todos os direitos. Uma vez que os direitos humanos pertencem tanto aos indivíduos, como à sociedade como um todo, a responsabilidade de respeitar, defender e promover os direitos humanos é igualmente individual e colectiva. O Preâmbulo da Declaração Universal dos Direitos Humanos, a este propósito, indica que devem ser promovidos não apenas pelos governos mas também por todos os indivíduos e todos os órgãos da sociedade. As responsabilidades de todos os cidadãos numa sociedade democrática são inseparáveis da responsabilidade de promover os direitos e liberdades fundamentais. Para que possam florescer, tanto a democracia como os direitos humanos requerem a participação activa das pessoas. Neste âmbito, o Grupo de Filosofia comemorou o Dia Mundial da Filosofia (instituído pela UNESCO), na terceira quinta-feira do mês de Novembro (dia 17). Neste dia os alunos puderam visionar o documentário “Lixo Extraordinário” de Vik Muniz seguido de discussão de ideias sobre a dignidade humana nesta sociedade de consumo. Prof. Abel Silva, Grupo de Filosofia

Pequena História dos Lions Clubes

Os Lions são a maior organização de Clubes de Serviço no Mundo com 1.400.00 sócios, distribuídos por 45.000 Clubes em mais de 200 áreas geográficas. Fundado em 1917 é reconhecido pela luta contra a cegueira. Mas outros projectos fazem parte da história dos Lions, como a preservação do meio ambiente, luta contra a fome e a pobreza e ajudando os idosos e deficientes. Fazendo teste de visão, equiparando hospitais e clínicas, distribuindo medicamentos e promovendo a consciencialização sobre doenças oftalmológica, são também actividades dos Lions. Há também frequentes Projectos apoiando crianças e escolas locais através de bolsas de estudo. A nível Internacional, oferecem vários programas como o Concurso do Cartaz sobre a Paz e o intercâmbio juvenil com acampamentos dispersos pelo Mundo. Temos cerca de 145.000 jovens Leos, e 5.700 Leo Clubes, distribuídos por 140 Paises. Os Lions têm concedido milhões de dólares e euros, em subsídios para Projectos Humanitários em todo o Mundo, apoiando as comunidades após catástrofes naturais e suprindo necessidades imediatas como alimentos, água, roupas e medicamentos, bem como assistindo na reconstrução de casas. Podemos definir deste modo os objectivos do Lions; ORGANIZAR, legalizar e supervisionar Clubes de Serviço, a designados como Lions Clubes. COORDENAR as actividades e uniformizar a administração dos Lions Clubes. CRIAR e fomentar um espírito de compreensão entre os povos da Terra. PROMOVER princípios de bom governo e boa cidadania. INTERESSAR-SE activamente pelo bem-estar cívico, cultural, social e moral da Comunidade. UNIR os Clubes por laços de Amizade, bom Companheirismo e compreensão recíproca. PROMOVER um fórum para a livre discussão de todos os assuntos de interesse público, exceptuando o partidarismo político e o sectarismo religioso, os quais não devem ser objecto de discussão nos Clubes. ENCORAJAR as pessoas com Espírito de Serviço a trabalhar desinteressadamente a favor da comunidade, estimular a eficiência e promover elevados padrões éticos na vida pessoal e nas actividades profissionais.

Lions Clube de Portugal - Voluntariado em Portugal

Condições: 1 - Apoia actividades não realizáveis apenas com os recursos locais. 2 - Atende população carente e envolve Lions e Pessoas da comunidade. 3 - Envolve pelo menos um Lions clube do Distrito Múltiplo 115 4 - Angaria pelo menos 50% dos fundos na localidade a ser beneficiada 5 - Propicia benefícios duradouros e identifica-se com uma actividade Lionística 6 - Contribui para a melhoria da qualidade de vida local. A Fundação dos Lions de Portugal, é uma Fundação de Solidariedade Social pertencente ao Distrito Múltiplo 115 e tem por objectivos causas filantrópicas, educativas, formativas, científicas e culturais. Para realização dos seus objectivos, a Fundação propõe-se manter, entre outras, as seguintes actividades: - Facultar serviços ou satisfazer carências de carácter social, designadamente no apoio a menores até aos dezasseis anos de idade e a pessoas idosas, inválidas e carenciadas; - Desenvolver e fomentar todas as actividades artísticas, formativas ou educativas e culturais, criando, designadamente bolsas de estudo. Pedro Rocha, 10º A

27

Boletim Informativo da Escola Secundária Quinta das Palmeiras - Covilhã


Estivemos lá...

No passado dia 02 de Dezembro de 2011, 22 alunos da disciplina de Arte e Design do 8º ano das turmas A e B, visitaram a Exposição das Obras da Colecção de Arte Contemporânea da Portugal Telecom, no Centro Cultural a Moagem na cidade do Fundão. A Colecção de Arte Contemporânea da Portugal Telecom conta no seu acervo com cerca de 160 obras de autores portugueses cuja produção artística se situa entre os anos 60 do século XX e o momento actual, e através dos quais pretende proporcionar uma perspectiva abrangente e continuada dos movimentos e tendências que têm caracterizado a contemporaneidade plástica portuguesa. A presente exposição, que reúne 28 peças de 20 artistas portugueses, integra-se num projecto de itinerância que a Fundação Portugal Telecom concretizou como forma de promover a partilha daquele património artístico e a sua divulgação junto de públicos diferenciados.

FICHA TÉCNICA

Propriedade: Escola Secundária Quinta das Palmeiras - Covilhã | Rua de Timor 6200-006 | 275320580 | www.quintadaspalmeiras.pt | E-mail: jornal@quintadaspalmeiras.pt Director: João Paulo Mineiro | Coordenação: Lídia Mineiro, Albertina Leitão, Paulo Morais Colaboradores: Mário Rodrigues, Albertina Silva, Celina Vieira e Goreti Martins Revisão de textos: Maria José Mugeiro, Mário Rodrigues, Lídia Mineiro, Celina Vieira, Goreti Martins e Alice Carrilho Responsáveis pelas rubricas: “Nós por cá” Luís Lindeza; Rodrigo Lindeza; Beatriz Afonso; Matilde Nunes “Região e Mundo” Telma Ferraz; Catarina Fiúza; Diana Franco “Desporto” Francisco Afonso; Daniela Fernandes “Cultura” e “Sociedade” Ivan Moreira; Pedro Mesquita; Diana Franco “Passatempos” Catarina Costa; Miguel Catarino E ainda a participação: Geoeducar: Estela Serafim Biblioteca/CRE: Albertina Leitão Pensamento Crítico: Grupo de Filosofia Desporto Escolar: Marta André Design Gráfico e Paginação: Paulo Morais Impressão: Reconquista | Tiragem 500 exemlares

www.quintadaspalmeiras.pt


Jornal nº6