Issuu on Google+

Diรกlogos Governo -Sociedade Civil

COPA 2014 O que o Brasil jรก ganhou com a Copa


2

O que o Brasil já ganhou com a Copa

Investimentos

A Copa do Mundo é um grande investimento para todos brasileiros Os únicos investimentos feitos exclusivamente por causa da Copa do Mundo se limitam a R$ 8 bilhões, que são as obras nos estádios. Desse total, o governo federal financiou R$ 4 bilhões, por meio de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O dinheiro volta com juros para os cofres do banco. A Copa se paga e o país sai ganhando. Levantamento da Fundação de Estudos e Pesquisas Econômicas (Fipe), ligada à USP, mostra que a Copa das Confederações acrescentou R$ 9,7 bilhões ao PIB. A expectativa é de que a Copa do Mundo movimente três vezes esse valor, com R$ 30 bilhões. Isso é mais do que todos os gastos com estádios, aeroportos, portos, segurança, telecomunicações e obras de mobilidade urbana relacionados à Copa.

A Copa se pagará com a renda gerada pelos investimentos

Todos os produtos fabricados e os serviços prestados para a realização da Copa do Mundo geram riqueza que se espalha pelo país. Quarenta e nove por cento da renda gerada pela Copa das Confederações ano passado ficaram nas seis cidades-sede dos jogos. Os outros 51% se difundiram pelo Brasil.


3

Governo federal investe muito mais em Saúde e Educação do que na Copa do Mundo Os investimentos do governo federal com educação e saúde aumentaram consideravelmente desde 2010. O gasto da União com a Educação em 2013 ficou em R$ 101,9 bilhões. Na Saúde o gasto da União, no mesmo ano, chegou a R$ 83 bilhões. Desde 2010, quando se intensificaram as ações e obras para sediar a Copa, o governo brasileiro investiu R$ 825,3 bilhões em Educação e Saúde.

100 Investimento em Educação e Saúde

R$ 825,3 bilhões

Desde 2010

vezes maior

Custo total dos Estádios

R$ 8 bilhões


4

O que o Brasil já ganhou com a Copa

Estádios

Os NOVOS estádios IMPULSIONAM A INDÚSTRIA DO FUTEBOL BRASILEIRO As 12 novas arenas custaram R$ 8 bilhões, mas o governo federal é responsável apenas por financiar cerca de metade deste valor. Os R$ 3,9 bilhões desembolsados pelo BNDES retornarão aos cofres do banco em até 180 meses, com juros e correção monetária. E representam 0,5% do que foi desembolsado pelo Banco desde 2010, R$ 650 bilhões. A indústria do futebol brasileiro tem potencial para movimentar mais de R$ 60 bilhões por ano e empregar até 2,1 milhões de pessoas no país, de acordo com a Fundação Getúlio Vargas. Os novos estádios, mais modernos e seguros, são peça fundamental para impulsionar o setor. No Campeonato Brasileiro de 2013, as novas arenas atraíram público médio 88% maior do que o dos estádios antigos em operação na mesma competição.

O efeito das novas arenas Em menos de um ano, o novo Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, recebeu quase o dobro do público que o estádio antigo havia recebido em 36 anos.

antigo

340 mil

Mané Garrincha

655 mil

Novo

Mané Garrincha Fonte: Governo do Distrito Federal


5

Social

A COPA estimula a Inclusão e a sustentabilidade Além de impulsionar o desenvolvimento da economia do país, a Copa do Mundo trouxe a possibilidade da realização de relevantes ações de inclusão social e sustentabilidade ambiental.

50 mil ingressos para distribuição gratuita a

Beneficiários do Programa Bolsa Família Representantes de povos indígenas Haverá também ingressos com descontos para beneficiários do Bolsa Família.

Também estão sendo realizadas ações para promover a inclusão de catadores de materiais recicláveis e reutilizáveis, que envolvem a coleta seletiva nos estádios e nas rotas dos torcedores. Um patrocinador da Copa vai contratar mais de 800 catadores para trabalhar dentro dos estádios. O governo federal, por sua vez, vai contratar cooperativas e associações de catadores que trabalharão no entorno dos estádios e nas fan fests das 12 cidades-sede. Além disso, os catadores estão fazendo curso de capacitação para realizar a coleta seletiva durante a Copa. A Campanha Brasil Orgânico e Sustentável vai promover, durante a Copa, a instalação de espaços para a venda de produtos orgânicos e agroecológicos produzidos por cooperativas e agricultores familiares.


6

O que o Brasil já ganhou com a Copa

A verdade sobre OS Investimentos estratégicos que ficam PARA sempre FORAM FEITOS POR GOVERNO E ENTES PRIVADOS

R$ 17,6 bilhões iNVESTIDOS EM:

Turismo R$ 200 milhões

Portos R$ 600 milhões

Aeroporto R$ 6,3 bilhões

Segurança R$ 1,9 bilhão

Telecomunicação R$ 400 milhões

Mobilidade R$ 8 bilhões


7

as contas da Copa O GOVERNO FEDERAL NÃO PAGOU PELOS ESTÁDIOS. ELE EMPRESTOU O DINHEIRO E VAI RECEBER DE VOLTA

Investidos nos estádios

R$ 8 bi

R$ 4 bi

R$ 4 bi

Recursos de governos estaduais, municipais e entes privados

Financiamento federal

O Brasil ganha com a Copa

R$ 30 bilhões É a projeção de renda adicionada ao PIB pela Copa a partir de estudos de impacto econômico da Copa das Confederações 2013 Fonte: Fipe/USP e MTur


8

O que o Brasil já ganhou com a Copa

Mobilidade urbana

R$8 bilhões de investimentos PARA MELHORAR O TRANSPORTE NAS CIDADES Foram investidos R$ 8 bilhões em 42 projetos de mobilidade urbana, que beneficiarão a população das 12 cidades-sede da Copa. São novas vias urbanas, acessos a aeroportos, transportes públicos, corredores de ônibus, estações de metrô, terminais de integração, além de Bus Rapid Transit (BRTs) e Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs). A Copa representou uma oportunidade para concentrar e acelerar os investimentos. Os novos modelos de transporte são mais eficientes e sustentáveis. Os 13 BRTs e 2 VLTs a serem disponibilizados em breve à população aumentam o uso de novas tecnologias. Além de rápido, o BRT utiliza corredores exclusivos e melhora a circulação de outros meios de transporte. Os novos veículos têm potencial para reduzir emissões de CO2. Já o VLT, por ser leve, propicia menor consumo energético e menos desgaste da via.

Essas obras eram necessárias, com ou sem Copa. E os benefícios ficarão para sempre.

PROJETOS ESSENCIAIS ÀS CIDADES. ELES FICARÃO PARA SEMPRE Os R$ 8,1 bilhões em 42 projetos de mobilidade urbana estão divididos da seguinte forma:

R$ 2,1 bilhões 17 corredores e vias que beneficiarão cinco mil passageiros por hora em Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Natal e Recife;


9

Transporte Aéreo

Aeroportos têm capacidade de sobra para a Copa Os aeroportos brasileiros estão preparados para atender à demanda de passageiros durante a Copa. As obras de ampliação e melhoria programadas para atender os torcedores que virão assitir aos jogos estão concluídas. A modernização completa dos aeroportos prevê investimentos que vão além da Copa do Mundo e dobram a capacidade de passageiros do país.

São R$ 6,3 bilhões para melhorar os aeroportos brasileiros

R$ 1,1 bilhão As cidades de Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo receberão cinco estações, terminais e duas CCT (Central de Controle de Tráfego);

R$ 3 bilhões 13 BRTs irão para Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Recife e Rio de Janeiro. A capacidade será de 16 a 48 mil passageiros/ hora;

R$ 1,9 bilhão Dois VLTs, com capacidade para 20 mil passageiros/ hora, serão construídos em Cuiabá e Fortaleza.


10

O que o Brasil já ganhou com a Copa

Trabalho

BRASIL GANHA MAIS Empregos COM A COPA Estamos a poucos dias do início da Copa do Mundo de Futebol no Brasil. E já é possível saber vários benefícios que nosso país obteve antes mesmo da Copa começar. O direito de sediar a Copa, o maior evento esportivo do mundo, foi uma conquista importante e refletiu a posição de destaque que o Brasil alcançou no cenário internacional na última década. E trouxe muitas oportunidades de desenvolvimento. Nos últimos meses, o Brasil tem apresentado o menor nível de desemprego de sua história. Isso não é coincidência. A Copa das Confederações 2013 gerou 303 mil empregos, de acordo com a FIPE. A Copa do Mundo é um evento três vezes maior. Segundo estudo da Fundação Getúlio Vargas, o campeonato mundial vai injetar mais de R$ 142 bilhões na economia brasileira, de 2010 a 2014. Durante a Copa, só no setor de turismo, serão gerados cerca de 47,9 mil vagas (entre abril e junho de 2014).

Benefícios se ESPALHAM pelo país Veja como se dividiram os impactos econômicos durante a Copa das Confederações

A movimentação financeira relativa à produção do evento gerou uma renda de R$ 9,7 bilhões para o país. A estimativa é que a Copa do Mundo FIFA 2014 movimente três vezes mais.


11

Turismo

mais de 3,6 milhões de turistas vão circular pelas 12 cidades, impulsionando o setor Em 2014, a expectativa é que venham ao Brasil mais de sete milhões de visitantes estrangeiros, com um gasto previsto de US$ 8,73 bilhões. O setor mais beneficiado pelo fluxo de estrangeiros será o de hotelaria, que deverá receber R$ 2,1 bilhões dos visitantes, seguido pelo setor de alimentação, com R$ 902,8 milhões, e pelo comércio com R$ 831,6 milhões. Durante os 30 dias da Copa, a previsão é que tenhamos a movimentação de 600 mil turistas estrangeiros – o dobro da Copa na África do Sul – e três milhões de turistas nacionais. O valor total movimentado pelo turismo na Copa deve chegar a R$ 25 bilhões, segundo a Embratur. A visibilidade no exterior que a Copa deu ao Brasil já trouxe ganhos para o turismo. Mais de seis milhões de turistas visitaram o Brasil em 2013, um recorde histórico nas estatísticas da Embratur. Esses turistas gastaram US$ 6,7 bilhões em nosso país, segundo o Banco Central.

51% 49% Nas Cidades-sede

No Restante do País


Acompanhe as notĂ­cias do governo federal sobre a Copa do Mundo 2014 no Portal da Copa.

www.copa2014.gov.br


Folder copa2014 web