Issuu on Google+

  

             

       

 

   

Foto: Ilustrativa

SUSTENTABILIDADE: ESSA É A MISSĂƒO DE TODOS

MINASCON 2013

Foto: Pallib

 

     

   

 

  

Teodomiro Diniz Camargos, presidente da Câmara da Indústria da Construção da Fiemg abriu a Minascon / Construir Minas 2013

O

O

fundador da SOS Mata Atlântica e exsecretårio do Meio Ambiente de São Paulo, Fabio Feldmann, destacou no 2º Fórum Mundial de Sustentabilidade a necessidade do Brasil estabelecer uma agenda para o sÊculo 21, com temas ambientais por meio de alianças políticas e lideranças fortes. "O Brasil precisa ter uma cabeça de sÊculo 21 e entender

que o mundo estå se transformando rapidamente. Sustentabilidade Ê a preocupação com geraçþes futuras.", afirmou. PrÊ-sal Feldmann manifestou preocupação com o setor agropecuårio brasileiro que, segundo ele,

ARCELORMITTAL

serĂĄ o mais afetado com o aquecimento global e criticou o PrĂŠ-Sal. "Tenho dĂşvidas de um paĂ­s que acredita que o combustĂ­vel fĂłssil ĂŠ seu passaporte para o mundo, quando o mundo estĂĄ buscando alternativas para o uso dos combustĂ­veis fĂłsseis", afirmou.

Minascon/Construir Minas – Feira Internacional da Construção foi idealizada para unir em um mesmo local, durante quatro dias, todos os segmentos da indústria da construção civil do mercado mineiro; com o objetivo de apresentar as novidades do setor, principais tendências, produtos e as mais modernas soluçþes. A cada realização, contabiliza aumento no número de visitantes e expositores, e se renova. Na edição de 2012, o evento se apresentou em um cenårio com 300 marcas expositoras, atraiu cerca de 33 mil visitantes e movimentou R$ 95 milhþes em negócios diretos e indiretos. A expectativa para 2013 Ê grande, tendo confirmada a presença de empresas importantes do setor e programação completa com palestras, demostraçþes de produtos e serviços. Em 2009, aconteceu a primeira edição do evento após a união dos dois maiores encontros do mercado de construção mineiro. Com a nova assinatura passou a integrar a Plataforma Construir, que tambÊm estå presente no Rio, Bahia e Brasília. A mais importante feira do segmento realizada em Minas Gerais, a CONSTRUIR agrega à sua programação a realização do tradicional Minascon, um conjunto de mostras e palestras, que trazem os assuntos mais importantes do momento para a construção civil e a sociedade em geral.

LEIA MAIS NA PĂ GINA ..............................

LEIA MAIS NA PĂ GINA ................................

2

4

PERSONALIDADES NA MINASCON 2013

A Fundação ArcelorMittal Brasil contabilizou em 2012 mais 400 mil beneficiårios. Um número que då a dimensão do trabalho empreendido em 43 municípios nas åreas de cultura, educação, saúde, meio ambiente e promoção social, por meio de 16 projetos próprios. Ao todo, foram investidos R$7,4 milhþes. LEIA NA Pà GINA .......................................................................................

6

O maior evento do setor da construção civil em Minas Gerais começou recentemente. Entre os dias 19 e 22 de junho, o Expominas, em Belo Horizonte, sedia o Minascon / Construir Minas 2013 – Feira Internacional da Construção.

4

LEIA MAIS NA PĂ GINA .................................................................................


 

   

    EDITORIAL:

Foto: Ilustrativa

P

É, o caldeirão estå fervendo. Bastou a abertura da Copa das Confederaçþes para a população entrar em enfervescência e realmente dar o seu grito de insatisfação. E a insatisfação Ê geral. É muito legítimo. O problema Ê que essas manifestaçþes acabam se dispersando como vårias outras manifestaçþes legítimas tais como a das Diretas Jå, como os Caras Pintadas no Impeachment do Collor, as greves dos ônibus, greves dos professores, manifestaçþes contra o mensalão e contra a corrupção. Enfim vårias manifestaçþes, mas o estopim, dessa vez, foi o passe livre que os estudantes sempre reivindicaram e a filosofia dos processos vêm dos metalúrgicos, (CUT, CGT) ou seja, nada de social e sim de econômico. A Folha da Engenharia considera legítimo o direito de protesto, mas jamais apoiarå atos de vandalismo e destruição do patrimônio público e privado. Ao iniciar atos violentos de destruição, esses grupos perdem a razão e a legitimidade de suas reivindicaçþes. Do mesmo modo, a polícia não deve se utilizar de violência para reprimir movimentos pacíficos. Sempre Ê possível chegar ao entendimento atravÊs de diålogo e boa vontade. O Brasil pode sair desse período turbulento como um país mais justo, humano e forte. Depende exclusivamente de todos nós.

BH NĂƒO PODE PARAR

reliminarmente gostaria de narrar uma experiĂŞncia minha na maior metrĂłpole do paĂ­s que ĂŠ SĂŁo Paulo, (11 milhĂľes de habitantes) que tem constantemente quilĂ´metros e quilĂ´metros de engarrafamento no congestionado transito local apesar de atender 7 milhĂľes de passageiros pelo METRĂ” e Trens de SubĂşrbio, 6 milhĂľes de veĂ­culos automotores que exalam gĂĄs carbĂ´nico e que torna o ar quase irrespirĂĄvel em SĂŁo Paulo. Meu vĂ´o para a capital paulista estava previsto para 7:00 hs da manhĂŁ , mas atrasou e cheguei em SĂŁo Paulo Ă s 9:30 hs , pegamos um carro e fomos sem problema de transito a vĂĄrios locais onde tivemos inĂşmeras reuniĂľes, sem sofrer do malfadado congestionamento paulista. Almoçamos na periferia e continuamos as nossas visitas tĂŠcnicas atĂŠ Ă s 16:30 horas sem grandes problemas de trafĂŠgo e transito. Voltamos para o Aeroporto de Congonhas Ă s 17 hs, tudo livre, sem problemas de trĂĄfego e levantamos vĂ´o para BH Ă s 18:30 hs, dentro do aviĂŁo pude observar espantado o monumental engarrafamento das avenidas que circundam e dĂŁo acesso ao Aeroporto de Congonhas.Veio, entĂŁo, na minha mente que, se tivermos uma utilização mais racional da metrĂłpole nas 24 horas e nĂŁo somente nas 14:00 horas ( 6:00 horas da manha atĂŠ Ă s 20:00) em que ela ĂŠ realmente usada, encontraremos a solução de “BH-24 HORASâ€? para melhorar o trĂĄfego e o trânsito da capital mineira , enquanto nĂŁo se constroem as linhas 2 e 3 do METRĂ” DE BH (que serĂĄ a mĂŠdio prazo para alĂŠm da a Copa de 2014) .Propomos entĂŁo,horĂĄrios alternativos e diferenciados para industriĂĄrios, operĂĄrios da construção civil, comerciĂĄrios , estudantes, funcionĂĄrios pĂşblicos, profissionais liberais, bancĂĄrios, etc. a fim de melhorar o fluxo viĂĄrio da cidade nos horĂĄrios de pico, que sejam alternados de para entrarem em serviço e

saĂ­rem tambĂŠm alternadamente evitando o famigerado “rushâ€? ou horĂĄrio de pico. Na idĂŠia de incluir esta proposta “BH 24 HORASâ€? a varrição, coleta de lixo, obras de infra-estrutura na ĂĄrea central etc. seriam realizadas somente Ă  noite, das 20hs atĂŠ 06 hs da manhĂŁ (COPASA / CEMIG / SLU / TELES), diminuindo a retenção do transito durante o dia e dando maior movimentação Ă  noite e pela madrugada, o que proporcionaria inclusive maior segurança aos transeuntes. Criação de RUAS 24 HORAS (como Curitiba) nas ĂĄreas centrais de BH, na Savassi, na Floresta e outros centros comerciais alĂŠm dos Shopping com cinemas , teatros, supermercados ,farmĂĄcias , restaurantes, Shopping 24 HORAS, Rua da Bahia 24 HORAS, Praça Sete e QuarteirĂľes Fechados 24 HORAS, MetrĂ´ 24 HORAS etc. Os Ă´nibus, taxi-lotação e metrĂ´ funcionariam tambĂŠm pela madrugada, em horĂĄrios mais espaçados (com isto as estaçþes do MetrĂ´ funcionariam 24 horas e nĂŁo atĂŠ as 23 hs). O atendimento de cargas e descargas no comĂŠrcio em geral seria principalmente de 20 hs Ă s 06 da manhĂŁ, para evitar acesso de grandes caminhĂľes e carretas na ĂĄrea central da Avenida Contorno, terĂ­amos Terminais de Carga na periferia, transportando as cargas para caminhĂľes menores, caminhonetes, Kombi, etc., que atravessariam sem problemas o centro de BH. Deveria ser incentivado o funcionamento das atividades de clubes, escolas, comĂŠrcio, indĂşstria, bares, restaurantes, etc. no perĂ­odo noturno, com isenção dos impostos dando maior movimentação e segurança (BH – 24 HORAS). Argumenta-se contra esta idĂŠia o custo do pagamento das horas extras (adicional noturno) nĂŁo levando em conta a deseconĂ´mia de aglomeração, isto ĂŠ o custo do combustĂ­vel gasto nestes congestionamentos e as horas perdidas deixadas de trabalhar para milhares de motoristas. As diversas atividades da cidade deverĂŁo

A Folha da Engenharia não se responsabiliza pelo material publicitårio e/ou conteúdo dos artigos veiculados nesta edição. Os artigos e matÊrias publicados não refletem necessariamente a opinião dos editores.

Foto: Pallib

EXPEDIENTE: Editor: Petrônio Perdigão Godoy Castro Secretåria: Djanira Perdigão Castro Colaboradores: Jornalista JosÊ Godoy Castro, Dênis Kleber Gomide Leite, JosÊ Carlos Laender e Oscar Ferreira, Henrique Campos Vivåcqua, Ênio Vasconcelos. Fotos: Folha da Engenharia, Pedro Libanio, anunciantes e agências. Redação e Administração: Rua Penafiel, 360 - Anchieta - CEP: 30310-420 - Belo Horizonte/MG - Telefax: (31) 3221 1553 - Cel.: (31) 8400 8100 - CPNJ: 09.353.211/0001-82 E-mail: folhadaengenharia@ig.com.br Diagramação e Editoração: Jota Peg Comunicação Total: www.jotapegcomunicacao.com.br Impressão: Fumarc Tiragem: 4000 exemplares

serem iniciadas em horårios diferenciados uma vez que, com isto, teremos viabilidade um melhor distribuição da mobilidade urbana para BH desafogar o jå caótico transito local. Para isto teremos de definir o inicio das saídas dos: 6:00 às 7:00 hs – industriårios, comerciårios, construção civil, domesticas; 7:00 às 8:00 hs – estudantes, escolas, bares, botecos; 8:00 às 9:00 hs – serviços, públicos municipal, estadual, federal; 9:00 às 10:00 hs - comercio, profissionais liberais, bancårios, etc. Como sequência a saída serå intercalada diluindo assim o movimentado transito no final do dia, melhorando sensivelmente o tumultuado e superado trafego de BH. Mesmo com a implantação dos BRT (ônibus trafego råpido) implantado a 30 anos pelo prefeito de Curitiba arquiteto Jayme Lerner e copiado por mais de 200 metrópoles em todo o mundo, só resolverå o problema da Zona norte de BH, nas Avenidas Cristiano Machado e Avenida Antônio Carlos. É essencial que coloque taxi lotação em todos os corredores de transporte de BH como complemento dos ônibus , incentivando a classe media a deixar os automóveis na garagem e usar transportes públicos. Finalmente teríamos de volta os trens de subúrbio, que seriam reativados, melhorando as vias fÊrreas para atender às cidades – dormitório em volta de BH (Contagem, Betim, Nova Lima, Rio Acima, Raposos, Santa Luzia, etc.). Com as explicaçþes acima, propomos este plano BH 24 HORAS como solução imediata a curto prazo para atender à mobilidade urbana do caótico transporte público de BH. Arq.JosÊ Carlos Laender Castro - Presidente IAB-MG (80/81) /Presidente da URBEL (89/91)

MINASCON: SUSTENTABILIDADE

PPGC

O editor da Folha da Engenharia PPGC e o ex-deputado FĂĄbio Feldmann

F

ormado em direito pela USP e em administração de empresas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), Fåbio Feldmann atua na årea de meio ambi-

ente e desenvolvimento sustentĂĄvel desde os anos 70, como militante, parlamentar, secretĂĄrio de estado e consultor. Militante do movimento ambiental-

2

ista, foi fundador de diversas entidades nãogovernamentais. Em 1986, foi o primeiro parlamentar brasileiro eleito a defender o meio ambiente. Foi o articulador da "frente verde parlamentar" e responsåvel pela criação do capítulo dedicado ao meio ambiente da Constituição Federal, considerado uma das legislaçþes ambientais mais avançadas do mundo. Fåbio Feldmann foi o palestrante que encerrou a solenidade de abertura da Minascon 2013 quando destacou as medidas de sustentabilidade que considera mais importantes para o futuro da humanidade para minimizar os impactos das atividades produtivas realizadas pelo homem. O assunto Ê tão atual e importante, que capturou a atenção de todos os convidados para a abertura do evento. Sobre Fåbio Feldmann, destacamos o Prêmio Global 500 das Naçþes Unidas recebido em 1990, em reconhecimento a sua luta em favor do meio ambiente. Foi o criador, junto com outros advogados, da SubComissão do Meio Ambiente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/SP, a primeira do Brasil. Como secretårio do Meio Ambiente do estado de São Paulo, deu prioridade à implantação da Agenda 21.


 

 

3

 

   

O VERDE E SUAS MUITAS POSSIBILIDADES MUROS E PERGOLADOS GANHAM VIDA E TOQUES ORIGINAIS COM A ESPECIFICAĂ‡ĂƒO DE PLANTAS CORRETAS. O VERDE GARANTE AINDA MAIS SUAVIDADE E LINHAS LIVRES A ESSES DOIS ITENS

Projeto de Erly Hooper Ao fundo, o pergolado recebeu trepadeiras de espĂŠcies variadas, o que garantiu mais originalidade ao projeto.

P

lantas podem ser excelentes opçþes para fugir da rigidez do concreto de muros, cada vez mais altos, e tambÊm para tornar pergolados mais belos, realçando a iluminação natural do ambiente e deixando-os com ares

de contemporaneidade. A paisagista Erly Hooper då algumas dicas de plantas ideais para essas duas situaçþes e observa os cuidados necessårios. Segundo Erly, plantas e flores trazem leveza aos muros, alÊm de

ter outras vantagens: os gastos com reparos diminuem e, como estĂŁo cobertos, os muros deixam de ser alvo de pichaçþes. Caso haja necessidade de restauraçþes, a profissional aconselha uma poda drĂĄstica, mas tranquiliza: “NĂŁo ĂŠ preciso se preocupar com isso. A poda farĂĄ com que a planta cresça ainda mais saudĂĄvel e bonitaâ€?. As trepadeiras sĂŁo ideais para cobrir muros, no entanto, outras plantas tambĂŠm nĂŁo sĂŁo descartadas. â€œĂ‰ possĂ­vel usar outras espĂŠcies como aspargos, peperĂ´mia, e renda francesa - que ainda permitem a criação de um muro verde, com tons diferentesâ€?, ensina a paisagista. JĂĄ para os pergolados, as trepadeiras tambĂŠm aparecem como primeira opção. “Existem inĂşmeras trepadeiras que florescem em ĂŠpocas diferentes. Sendo assim,

para esse tipo de projeto, ĂŠ ideal, entĂŁo, usar tipos diversos de trepadeiras, assim, o pergolado ficarĂĄ florido durante todo o ano e muito criativoâ€?, aconselha Erly. Com relação Ă  manutenção, as plantas de muro e pergolado devem ser podadas pelo menos duas vezes ao ano. “Para mantĂŞ-las sempre bonitas e verdinhas os cuidados sĂŁo os mesmos de uma planta normal, ou seja, irrigação diĂĄria e adubaçãoâ€?, salienta a paisagista. Ela ainda lembra que “para que a trepadeira suba no pergolado ĂŠ preciso tutorĂĄ-la com um fio de nylonâ€?. Basta seguir as dicas para ter muros bonitos e mais originais, alĂŠm de pergolados mais requintados. Para ter melhores resultados, o ideal ĂŠ sempre contar com ajuda e experiĂŞncia de um profissional da ĂĄrea.


 

 

4

 

   

Fotos: Pallib

PERSONALIDADES PRESENTES NA MINASCON / CONSTRUIR MINAS 2013

O presidente da Fiemg, Olavo Machado

O presidente do Sinduscom-MG, Luiz Fernando Pires

O

maior evento do setor da construção civil em Minas Gerais começou recentemente. Entre os dias 19 e 22 de junho, o Expominas, em Belo Horizonte, sedia o Minascon / Construir Minas 2013 – Feira Internacional da Construção. Números divulgados pela Câmara da Indústria da Construção (CIC) da Fiemg reforçam a relevância deste setor para a economia mineira. De acordo com os últimos dados, a construção civil Ê responsåvel por 17,56% do PIB Industrial no estado. Ainda segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged /

O presidente da Holcim, Otmar HĂźbscher

Presidente do CREA-MG, Jobson Andrade

MTE), na Região Metropolitana de Belo Horizonte, das 19.184 novas vagas de trabalho com carteira assinada geradas nos primeiros quatro meses deste ano, cerca de 10.360 são na construção civil, ou seja, 54% dos novos postos de trabalho. Em Minas Gerais, de acordo com estimativas preliminares divulgadas pela Fundação João Pinheiro, a construção civil continua apresentando expansão mais robusta do que no país. Os dados preliminares do PIB-MG demonstram que a construção civil mineira cresceu 1,2% nos primeiros três meses de 2013 em relação a igual período do ano anterior. Jå o cresci-

DĂŞnis Kleber Gomide, a SecretĂĄria Municipal de Meio Ambiente, Anna Maria Louzada Drumond, Weber Coutinho, gerente Municipal de Meio Ambiente, o editor da Folha da Engenharia PPGC e o ex-presidente do Sinduscom MG , Eng. Paulo Henrique

mento do 1Âş trimestre de 2013 em relação ao 4Âş trimestre de 2012 foi de 0,7%. Estes resultados foram melhores do que os observados pela Construção nacional. Neste contexto, deve-se lembrar que alĂŠm de ter vivenciado recordes de vendas no mercado imobiliĂĄrio nos Ăşltimos anos, obras importantes para a Copa do Mundo - como a reforma do MineirĂŁo - e as obras do BRT na capital do estado, podem ter contribuĂ­do para esse resultado. Outro destaque em termos de dados e nĂşmeros do setor ĂŠ o estudo inĂŠdito “Contribuição EconĂ´mica e Social da Cadeia Produtiva da Construção Civil do Estado de Minas Geraisâ€?, elaborado pela Fundação GetĂşlio Vargas e que serĂĄ lançado no evento, na quinta-feira, pela Câmara da IndĂşstria da Construção da Fiemg. Dados deste estudo mostram que a cadeia produtiva da construção mineira ĂŠ responsĂĄvel por 1,393 milhĂŁo de ocupaçþes, entre empregados, trabalhadores autĂ´nomos e dirigentes, correspondendo a 10,8% do total de empregos da cadeia produtiva da construção do paĂ­s. Em 2011, o valor adicionado pela Cadeia Produtiva da Construção de Minas Gerais, isto ĂŠ, o PIB, foi de R$ 25,5 bilhĂľes, o equivalente a 8,1% do valor adicionado pela cadeia produtiva da construção nacional. O PIB da indĂşstria de materiais e equipamentos foi de R$ 8,2 bilhĂľes, ou 11% do PIB da cadeia produtiva da construção de Minas Gerais em 2011. Mais de 300 marcas confirmadas O Minascon/Construir Minas 2013 jĂĄ tem confirmada a participação de mais de 300 marcas nacionais e internacionais de

todas as åreas da construção civil (automação; ferramentas; måquinas e equipamentos; iluminação; louças e metais; aquecedores e ar condicionado; revestimentos e acabamentos; portas; janelas e acessórios; e fundaçþes e estruturas). O evento Ê uma realização da Fiemg, em parceria com a Tambasa, com promoção e organização da Fagga|GL events Exhibitions. O patrocínio Ê da Arcelor Mittal e Sebrae, copatrocínio da Gasmig e apoio do Sinduscon-MG, Holcim, Belotur e Prefeitura de Belo Horizonte. Geração de emprego no Brasil e em MG De acordo com o Caged, o número de novos postos de trabalho formal gerados na construção civil nos primeiros quatro meses de 2013 foi de 121.013. Em Minas Gerais, este número Ê superior a 17,4 mil novos postos de trabalho gerados neste período. A participação do setor no total de vagas geradas no país Ê de 22,04%. Em Minas Gerais, este percentual Ê de 25,44%, ou seja, das 68.507 novas oportunidades de trabalho, cerca de 17.429 são para alocação na indústria da construção. O número de trabalhadores com carteira assinada na Construção Civil, atÊ abril deste ano, foi superior a 3,23 milhþes no país. A taxa de desemprego no setor foi de 3,1% para todas as seis regiþes metropolitanas contempladas pela pesquisa: Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre. Para Teodomiro Diniz Camargos, presidente da Câmara da Indústria da Construção e vice-presidente da Fiemg, a previsão para o 2º semestre Ê otimista.


Onde tem aço, tem ArcelorMittal. Construção Civil RINO COM

Soluções em aço para obras de todos os portes, como as Telas Soldadas Nervuradas e a Armadura Pronta, que entrega a estrutura cortada, dobrada e armada, pronta para ser aplicada na fôrma conforme o seu projeto.

Agronegócio Uma completa linha de Arames de Aço e Cercamentos de alta durabilidade, com tecnologia e economia para atender às necessidades do segmento agrícola.

Indústria Barras Trefiladas e Aços Especiais de diversas bitolas, acabamentos, seções e acondicionamentos, em aço-carbono, ligado e corte fácil.

Soluções em aço sob medida para o seu negócio.

Construção Civil Vergalhões, Telas, Treliças, Pregos

Indústria Chapas, Tubos, Perfis, Eletrodos

Agronegócio Arames de Aço e Cercamentos

O Brasil cresce com o aço ArcelorMittal. E sua empresa cresce junto. Mais que uma linha completa de produtos, a ArcelorMittal oferece soluções em aço para construção civil, indústria e agronegócio. Tudo com a qualidade e a sustentabilidade que o mundo todo reconhece.

Central de Relacionamento

0800 015 1221

A primeira siderúrgica do Brasil a receber o Rótulo Ecológico ABNT, que atesta o compromisso da ArcelorMittal com a sustentabilidade. PE 148

www.arcelormittal.com/br


 

 

6

 

   

A

Fundação ArcelorMittal Brasil contabilizou em 2012 mais 400 mil beneficiårios. Um número que då a dimensão do trabalho empreendido em 43 municípios nas åreas de cultura, educação, saúde, meio ambiente e promoção social, por meio de 16 projetos próprios. Ao todo, foram investidos R$7,4 milhþes. Na årea da cultura, a Fundação investiu na formação de artistas, gestores, público e plateias, a fim de ampliar o acesso a bens e serviços culturais. Foram 800h de capacitação que resultaram na formação de 230 novos atores, alÊm da promoção de espetåculos que contemplaram mais de 65 mil pessoas. O programa Diversão em Cena ArcelorMittal, que oferece programação teatral infantil, com qualidade e regularidade, em Belo

Horizonte, Juiz de Fora e Piracicaba, foi fundamental para a conquista desse resultado. Na årea de Esportes, foram 1,4 mil crianças e adolescentes beneficiados em projetos voltados à inclusão por meio de pråticas esportivas. Os projetos educacionais da Fundação – que trabalham questþes como a mobilização dos pais para participação na vida escolar dos filhos, promoção da inclusão digital, incentivo ao protagonismo juvenil, ensino de música erudita, conscientização ambiental, diagnóstico e tratamento de acuidade e visual para melhorar o aprendizado, entre outros – formam a linha de frente da atuação da entidade. Alguns números: Ver e Viver: - Triagem de aproxi-

ES ANDRAAMIM ENTOS ESCO

S CONDUTOREO H L DE ENTU

QUALIDADAE S

BETONEIR S ELEVADORES VIBRADORE

ECONOMIA LIXADEIRA MARTELOS AS FÔRMAS METà LIC

TUDO A LOCGUEL TEM

SĂł a lĂ­der em locação de equipamentos para construção tem tudo o que vocĂŞ precisa para sua obra. Serviços especializados, assistĂŞncia tĂŠcnica ĂĄgil, atendimento personalizado com 34 ďŹ liais pelo Brasil e mais de 60 itens Ă  sua escolha. Na hora de alugar equipamentos, conte com a empresa que tem tudo para sua obra. Conte sempre com a Locguel.

MMM$BE9=K;B$9EC$8Hš0 800

200 00 03

madamente 18 mil alunos e distribuição de mais de mil óculos para alunos do ensino fundamental de escolas públicas Prêmio ArcelorMittal de Meio Ambiente: - 761 escolas participantes totalizando mais de 257 mil alunos - Quase 2 mil educadores capacitados e mais de 7 mil envolvidos Cidadania Digital: - Quase mil alunos formados PEAS – Programa de Educação Afetivo-Sexual: - Mais de 6 mil adolescentes beneficiados

Foto: Ilustrativa

FUNDAĂ‡ĂƒO ARCELORMITTAL BRASIL CONTABILIZA MAIS DE 400 MIL BENEFICIĂ RIOS EM 2012

Em 2013, a Fundação ArcelorMittal Brasil completa 25 anos, trabalhando ativamente para contribuir com o desenvolvimento das comunidades onde a empresa possui operaçþes.

TINTAS CORAL FORNECE TINTAS PARA PINTURA DE ESTĂ DIOS DA COPA DO MUNDO

A

Tintas Coral, reconhecida mundialmente por sua excelĂŞncia em inovação e tecnologia, ĂŠ responsĂĄvel pela pintura de trĂŞs arenas que receberĂŁo os jogos da Copa do Mundo, que acontecerĂĄ no Brasil em 2014. A marca estarĂĄ presente nos cenĂĄrios de abertura e encerramento do evento, Arena Corinthians e estĂĄdio do MaracanĂŁ, alĂŠm de garantir presença tambĂŠm na Arena da AmazĂ´nia. Para a pintura dos locais, mais de 150 mil litros de tintas estĂŁo sendo destinados para garantir a qualidade e beleza desses centros esportivos. Os produtos fornecidos pela Tintas Coral para a pintura da alvenaria da Arena Corinthians, que serĂĄ o local de abertura do evento, pertencem Ă  famĂ­lia Decora, linha premium da marca, que conta com tecnologia internacional para o desenvolvimento de mais de duas mil cores. Para a pintura desse estĂĄdio, estĂŁo sendo utilizados aproximadamente 90 mil litros de tinta. JĂĄ o estĂĄdio carioca MaracanĂŁ, conhecido popularmente como “Maracaâ€?, recebeu cerca de 60 mil litros de

tinta dos produtos da linha Rende Muito, que oferecem um grande poder de cobertura, aliado a um acabamento de altĂ­ssima qualidade. Outro local que tambĂŠm contarĂĄ com a qualidade das Tintas Coral para receber os jogos da Copa, ĂŠ a Arena da AmazĂ´nia. As tubulaçþes do estĂĄdio receberĂŁo 2.100 litros de tinta dos produtos da famĂ­lia Coralit Zero Odor, nas cores Coralit Vermelho e Coralit Platina. O produto ĂŠ um esmalte base ĂĄgua, sem cheiro e sua fĂłrmula oferece excelente resistĂŞncia, cobertura e maior brilho na versĂŁo acabamento brilhante. â€œĂ‰ com grande satisfação que anunciamos nossa presença em trĂŞs estĂĄdios da Copa do Mundo. Temos know-how em fornecer soluçþes para diversos tipos de construçþes, entre elas, esportivas. Agora, os brasileiros que jĂĄ pintam suas casas com nossas tintas, poderĂŁo vĂŞ-las decorando as paredes de seus estĂĄdios para um evento esportivo de grande porte e visibilidade mundial como a Copa do Mundoâ€?, exalta Jaap Kuiper, presidente da Tintas Coral.


 

 

7

 

   

PIB DA CONSTRUĂ‡ĂƒO EM MINAS GERAIS É DE R$25,5 BILHĂ•ES, REVELA ESTUDO DA FGV QUE SERĂ LANÇANDO NO MINASCON 2013

A

Câmara da IndĂşstria da Construção da Federação das IndĂşstrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) lança, nesta quintafeira, dia 20, Ă s 15 horas, durante o Minascon 2013, o estudo “Contribuição EconĂ´mica e Social da Cadeia Produtiva da Construção Civil do Estado de Minas Geraisâ€?. Elaborado pela Fundação GetĂşlio Vargas, o documento reĂşne uma sĂŠrie de dados que reafirmam a importância do setor para a economia mineira e nacional. A Construção Civil ĂŠ responsĂĄvel por 17,56% do PIB Industrial no Estado. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – Caged/MTE, na RegiĂŁo Metropolitana de Belo Horizonte, das 19.184 novas vagas de trabalho com carteira assinada geradas nos primeiros quatro meses deste ano, cerca de 10.360 sĂŁo na Construção Civil, ou seja, 54% dos novos postos de trabalho. Em Minas Gerais, de acordo com estimativas preliminares divulgadas pela Fundação JoĂŁo Pinheiro, a Construção Civil continua apresentando expansĂŁo mais robusta do que no PaĂ­s. Os dados preliminares do PIBMG demonstram que a Construção Civil mineira cresceu 1,2% nos primeiros trĂŞs meses de 2013 em relação a igual perĂ­odo do ano anterior. JĂĄ o crescimento do 1Âş trimestre de 2013 em relação ao 4Âş trimestre de 2012 foi de 0,7%. Estes resultados foram melhores do que os observados pela Construção nacional. Neste contexto, deve-se lembrar que alĂŠm de ter vivenciado recordes de vendas no mercado imobiliĂĄrio nos Ăşltimos anos, obras importantes para a Copa do Mundo (como a reforma do MineirĂŁo)

e as obras do BRT na capital do Estado, podem ter contribuĂ­do para esse resultado. Dados do estudo “Contribuição EconĂ´mica e Social da Cadeia Produtiva da Construção Civil do Estado de Minas Geraisâ€? mostram que a cadeia produtiva da Construção mineira ĂŠ responsĂĄvel por 1,393 milhĂŁo de ocupaçþes, entre empregados, trabalhadores autĂ´nomos e dirigentes, correspondendo a 10,8% do total de empregos da cadeia produtiva da Construção do PaĂ­s. Em 2011, o valor adicionado pela Cadeia Produtiva da Construção de Minas Gerais, isto ĂŠ, o PIB, foi de R$ 25,5 bilhĂľes, o equivalente a 8,1% do valor adicionado pela cadeia produtiva da Construção nacional. O PIB da indĂşstria de materiais e equipamentos foi de R$ 8,2 bilhĂľes, ou 11% do PIB da cadeia produtiva da Construção de Minas Gerais em 2011. De acordo com o Caged, o nĂşmero de novos postos de trabalho formal gerados na Construção Civil nos primeiros quatro meses de 2013 foi de 121.013. Em Minas Gerais, este nĂşmero ĂŠ superior a 17,4 mil novos postos de trabalho gerados neste perĂ­odo. A participação do setor no total de vagas geradas no PaĂ­s ĂŠ de 22,04%. Em Minas Gerais, este percentual ĂŠ de 25,44%, ou seja, das 68.507 novas oportunidades de trabalho, cerca de 17.429 sĂŁo para alocação na indĂşstria da Construção. O nĂşmero de trabalhadores com carteira assinada na Construção Civil, atĂŠ abril deste ano, foi superior a 3,23 milhĂľes no PaĂ­s. A taxa de desemprego no setor foi de 3,1% para todas as seis regiĂľes metropolitanas contempladas

                    

  

      !"#$%&'' ()(* ! )!+ ,,,! ()(! )!+ -.%.

pela pesquisa: Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, SĂŁo Paulo e Porto Alegre. Para Teodomiro Diniz Camargos, presidente da Câmara da IndĂşstria da Construção e vice-presidente da Fiemg, a previsĂŁo para o 2Âş semestre ĂŠ otimista. “O Minascon / Construir Minas 2013 reforça a necessidade de mobilização dos profissionais do setor, a busca constante pela reciclagem e pelo aprimoramento. Durante 4 dias, estarĂŁo reunidos nomes da indĂşstria da Construção em palestras, debates, cursos, sem mencionar a feira com a presença de mais de 300 empresas nacionais e internacionais fechando negĂłcios. No ano passado, o setor cresceu 1,4%, segundo dados do valor adicionado divulgados pelo IBGE. Em Minas Gerais, o setor teve um crescimento mĂŠdio anual, no perĂ­odo de 2004 a 2012, superior a 5,5%, de acordo com dados do valor adicionado divulgados pela Fundação JoĂŁo Pinheiro. No 1Âş trimestre deste ano em relação ao mesmo perĂ­odo do ano de 2012, o crescimento do setor no Estado foi de 1,2%. O financiamento imobiliĂĄrio, segundo dados do Banco Central, aumentou mais de 33% nos Ăşltimos 12 meses. As vendas de cimento no mercado interno, de acordo com dados do Sindicato Nacional da IndĂşstria do Cimento, evidenciam um crescimento de 1,3% de janeiro a maio de 2013, em comparação ao mesmo perĂ­odo de 2012. Outro dado que reforça o potencial deste setor ĂŠ o faturamento das vendas de materiais de construção no mercado interno, de acordo com dados da Associação Brasileira da

Indústria de Materiais de Construção – Abramat, que teve uma variação positiva de quase 5%. Impulsionada por fatores como a maior oferta de crÊdito imobiliårio, a estabilidade macroeconômica, o dinamismo no mercado de trabalho (com geração de emprego formal e baixas taxas de desemprego), a mudanças no marco regulatório, alÊm de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e do Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV), o setor deixou para trås mais de duas dÊcadas de dificuldade. De 2004 a 2012, PIB da Construção, calculado e divulgado pelo IBGE, apresentou expansão de 49,68%. Isso significa um crescimento mÊdio anual de 4,58%.

MEMĂ“RIA: PITUCHA

E

nlutados a famĂ­lia Godoy e os meios artĂ­sticos de Belo Horizonte com o falecimento Rosa Alice Godoy. Pitucha era filha do saudoso Romeu Godoy um dos Ă­cones da famĂ­lia Godoy e para completar era irmĂŁ da soprano Maria LĂşcia Godoy. Vai deixar saudades em todos que a conheceram.

  

       ! "

# $% &'( !' 


 

 

8

 

   

VILA ARCĂ DIA

O presidente do Automóvel Clube, Paulo Henrique Vasconcelos, dono da empresa de engenharia PHV, alÊm do setor de construçþes de prÊdios, onde sua firma atua em grande escala, resolveu tambÊm estender seu campo de ação para a årea de condomínios. Faz sua estrÊia no Vetor Norte da Grande Bh, hoje o doce de coco dos grandes empreendimentos imobiliårios da região. Prepara o lançamento do Vila Arcådia, com cerca de 250 mil metros quadrados de årea.

BRASEG A Braseg - IX Feira Brasileira de Segurança e Saúde no Trabalho e Proteção contra Incêndios jå se consolida como a segunda maior deira do setor da America Latina. A Feira serå realizada no Expominas em Belo Horizonte entre os dias 21 e 23 de agosto de 2013. O setor de segurança vem crescendo em qualidade, variedade, quantidade e distribuição em todo o Brasil e as necessidades tanto dos fornecedores como dos que buscam soluçþes são cada vez maiores, melhores e mais prementes, exigindo respostas råpidas e pontuais.

CONGRESSO BRASILEIRO DE CIMENTO JĂ TEM DATA DEFINIDA

• Manutenção, modernização e ampliação de fåbricas de cimento; • Inovação em processos de fabricação de cimento; • Mudanças climåticas e meio ambiente: metodologia e inventårio de emissþes, logística reversa, legislação, recuperação de åreas; • Normalização e qualidade do cimento portland; • Combustíveis e energia: coprocessamento, blendeiros e outros; • Refratårios: produtos e processos; • Equipamentos de controle de poluição: analisadores on line; • Sistemas de pesagem e transporte; • Sistemas de britagem e moagem: moinhos, corpos moedores, placas classificatórias e outros; • Cimento e a construção sustentåvel. Plataforma de informaçþes – Para facilitar a comunicação e disponibilizar informaçþes sobre o evento, a ABCP desenvolveu o portal do CBC: www.cbcimento.com.br. É nessa plataforma que os interessados encontrarão todos os subsídios para participar do evento e acessar informaçþes sobre o setor como um todo.

ACMINAS Roberto Fagundes, presidente da Associação Comercial de Minas Gerais, resolveu incluir na programação de eventos da entidade um churrascão de confraternização dos associados e empresårios de BH. O local vai ser o Clube Labareda, que pode abrigar mais de mil pessoas. Serão realizados shows de música sertaneja. Serå uma espÊcie de festa julhina da ACMinas.

PRECON Foto: Pallib

NOTAS

O objetivo maior ao reeditar o CBC – que Ê o principal e mais completo evento do setor – Ê apresentar as inovaçþes na fabricação, nos assuntos relacionados à competitividade, emissþes e controles ambientais, alÊm dos aspectos da normalização e qualidade do cimento. Os macro temas que serão discutidos durante o evento tambÊm jå estão definidos e abrangem todas as åreas do segmento, entre eles, inovação, produção com qualidade e sustentabilidade ambiental:

A equipe da Folha da Engenharia visitou o estande da Precon na Minascon 2013 e foi recebida pela Gerente de Marketing da empresa, Olga Ferreira de Pinho (foto). A Precon trouxe diversos lançamentos de produtos inovadores e agora utiliza uma nova identidade visual.

Sobre a ABCP Para atender aos profissionais e grupos cimenteiros que atuam no Brasil, o Congresso Brasileiro de Cimento (CBC), promovido pela Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), jå tem data definida: entre os dias 19 e 21 de maio de 2014, em São Paulo. A expectativa dos organizadores Ê de que o evento atraia aproximadamente 400 participantes ligados a empresas fornecedoras da indústria de cimento, profissionais do setor, pesquisadores universitårios e representantes de grupos cimenteiros latino-americanos e, principalmente, do Brasil. Esta serå a sexta edição do congresso – a quinta e última edição aconteceu em 1999.

 











  

          

     

                            

     !

  

A Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) Ê uma entidade sem fins lucrativos que hå mais de 75 anos promove estudos sobre o cimento e suas aplicaçþes. Reconhecida nacional e internacionalmente como centro tecnológico de referência em pesquisas sobre o cimento, a ABCP tambÊm atua no desenvolvimento de tecnologias sobre o concreto e mantÊm uma equipe de profissionais graduados à disposição do mercado, para consultoria e suporte a grandes obras da engenharia brasileira. Para conhecer o portal da ABCP, visite www.abcp.org.br.

www.precon.com.br


Folha da Engenharia - Edição 111