Page 1

Boletim Informativo Cooperação Portuguesa na Guiné-Bissau

Programa de Apoio à Intensificação da Produção Alimentar (PAIPA) apoia campanha de arroz

Edição 9 Março-Junho 2012

Ficha Técnica: Edição e Difusão: Embaixada de Portugal em Bissau Redação e Imagem: Cooperação Portuguesa na Guiné-Bissau Telefones: (+245) 320 12 61 (+245) 320 12 79 Fax: (+245) 320 12 69

O Programa de Apoio à Intensificação da Produção Alimentar (PAIPA), mantém as atividades de apoio direto às populações, estando em curso a campanha de arroz. Desenvolvido na Região de Bafatá, Setores de Bafatá e Ganadú, serve as aldeias de Djana e Sucotô, em parceria direta com as associações locais de agricultores.

uma produção esperada de cerca de 4 mil toneladas de arroz (cerca de 1.400 toneladas em Djana e 2.500 toneladas em Sucotô). Esta produção de arroz beneficiará aproximadamente 7.400 pessoas, entre os associados diretos e respetivos agregados familiares.

E-mail: cooportgb@hotmail.com Facebook: Cooperação Portuguesa na Guiné-Bissau O “Boletim Informativo da Cooperação Portuguesa na Guiné-Bissau” é redigido ao abrigo do Acordo Ortográfico.

Nesta edição:

As atividades, que contavam com 2 tratores e respetivas alfaias, 1 em cada aldeia, foram reforçadas com 3 novos tratores, encontrando-se 3 a trabalhar em Sucotô e 2 em Djana. Com este reforço, conseguiu-se aumentar substancialmente a área cultivada, que este ano rondará os 1.000 hectares, para

Produziram-se igualmente 7.600 toneladas de cebola, bem como quiabo, repolho e tomate. O pomar de 487 pés de citrinos plantados em 2011 (laranja, limão, toranja e tangerina) encontra-se em franco crescimento, esperando-se a primeira colheita dentro de 2 anos.

Programa de Apoio à Intensificação da Produção Alimentar (PAIPA) apoia campanha de arroz

1

Rede de Proteção Social recebe nova tranche de apoios da Cooperação Portuguesa

2

Cooperação Portuguesa garante abastecimento de água à prisão de Bafatá

2

Reunião com ONGD portuguesas a trabalhar na Guiné-Bissau

2


Página 2

Boletim Informativo - Cooperação Portuguesa na Guiné-Bissau

Rede de Proteção Social recebe nova tranche de apoios da Cooperação Portuguesa Enquadrado no acordo de Cooperação entre

das

Irmãs Franciscanas Hospitaleiras

ção pré-escolar e escolar, alfabetiza-

Portugal e a Guiné-Bissau ao nível da luta

da Imaculada Conceição - Buba, Fundação

ção de adultos, cuidados de saúde e

contra a pobreza, foi criada em 2008 uma

Educação e Desenvolvimento, Irmãs Mis-

apoio medicamentoso, acesso à agua,

Rede de Proteção Social, que congrega 18

sionários do Espírito Santo, de Caió e Cale-

etc.

associações da sociedade civil guineense,

quisse, Missão Católica de Antula, Missão

No âmbito do desembolso financeiro

coordenadas pela Organização Não Governa-

Católica de Safim e Núcleo Nacional dos

para as atividades da Rede, serão

mental guineense RA-Rede Ajuda.

Técnicos de Intervenção Social.

transferidos para os vários parceiros

Para além da RA a Rede integra a Associação

Esta Rede desenvolve atividades em áreas

cerca de 470 mil Euros, entre junho e

de Muçulmanos de Buba, Associação Gui-

tão diversas como a educação especial

outubro de 2012, por forma a conti-

neense de Reabilitação e Integração dos

(construção e equipamento da Escola

nuar-se o apoio direto que tem sido

Cegos, Ação para o Desenvolvimento Comu-

Nacional de Surdos Mudos e reabilitação

proporcionado às populações mais

nitário das Tabancas do Sul, Congregação

e ampliação da Escola dos Cegos), educa-

carenciadas.

Cooperação Portuguesa garante abastecimento de água à prisão de Bafatá No âmbito da Cooperação entre Portugal e a

e de apoio direto aos cidadãos gui-

Guiné-Bissau na área da Justiça, em 2010 a

neenses que a Cooperação Portuguesa

Cooperação Portuguesa formou, fardou e

mantém na Guiné-Bissau, foi aberto

equipou 78 guardas prisionais (mulheres e

um furo de água na prisão de Bafatá e

homens) e 5 diretores prisionais.

instalada uma eletrobomba, em fun-

Os diretores foram colocados nas recém

cionamento desde 20 de julho. Desta

criadas prisões de Bafatá e Mansoa e os

forma, os 51 detidos e 32 guardas da

guardas prisionais distribuídos por aqueles 2

prisão de Bafatá, que dependiam da

estabelecimentos prisionais e também pelas

boa vontade dos vizinhos para a

instalações da Polícia Judiciária, em Bissau.

obtenção de água, passaram a dispor

Enquadrado no esforço de ajuda humanitária

de fornecimento direto de água.

Reunião com ONGD portuguesas a trabalhar na Guiné-Bissau No passado dia 29 de junho, nas instalações

Fazendeiro, e contou igualmente com a to Africano (VIDA) e TESE - Associação

do Centro Cultural Português em Bissau,

presença do Adido para a Cooperação e para o Desenvolvimento.

realizou-se uma reunião com a participação

da Coordenadora de Projetos da Coope- Participaram igualmente representantes

das Organizações Não Governamentais de

ração Portuguesa.

Desenvolvimento portuguesas, com ativida-

Da parte das ONGD, participaram repre- qualidade de entidade coordenadora de

des em curso na Guiné-Bissau.

sentantes da Assistência Médica Interna- uma Rede de Proteção Social, que con-

A reunião teve como principal objetivo pro-

cional (AMI), Fundação Fé e Cooperação grega 18 associações da sociedade civil

ceder ao balanço das atividades no terreno

(FEC), Instituto Marquês de Valle Flor guineense, integralmente financiada pela

das várias organizações representadas.

(IMVF), Instituto de Solidariedade e Coo- Cooperação

Foi aberta pelo Encarregado de Negócios de

peração Universitária (ISU), Voluntaria- Ministério da Solidariedade e Segurança

Portugal em Bissau, Dr. Fernando Teles

do Internacional para o Desenvolvimen- Social.

da ONG guineense Rede Ajuda - RA, na

Portuguesa,

através

do

Boletim Informativo da Cooperação portuguesa na Guiné-Bissau  

Boletim Informativo da Cooperação portuguesa na Guiné-Bissau nº9, referente às atividades desenvolvidas entre Março e Junho de 2012.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you