Page 1


Artigo

Somos éticos em nossas relações?

M

uito se fala da ética na política. Mas, pouco se reflete sobre a ética nos relacionamentos, principalmente quando se trata dos vínculos que estabelecemos uns com os outros. Essa vinculação se faz percebida nos afetos nutridos em nossas relações. Em outras palavras, são aqueles conhecidos laços de amizade, laços entre familiares, laços profissionais, laços enamorados e conjugais com os quais lidamos no dia a dia. Relacionamentos são espaços propícios para descobrirmos a nossa identidade e, junto dela, a diferença que é o outro. Assim, compreendemos aquilo que somos realmente e, ao mesmo tempo, reconhecemos que o outro não é uma extensão de nós. Pelo contrário, é totalmente distinto, com história de vida diferente, com visões opostas à nossa, com personalidade específica e vontade particular. Relações saudáveis existem para assegurar a nossa identidade e afirmar a diferença do outro. De imediato, pressupõe-se que, ao anularem a identidade própria e ao matarem a diferença alheia, essas relações só podem estar adoecidas. Tal realidade é percebida em relacionamentos nos quais fazemos de tudo para agradar aos outros e desagradar-nos sem dó. Nossas necessidades são esquecidas para que as carestias dos demais sejam sempre lembradas, nos quais acudimos a todos e deixamos de socorrer a nós mesmos. Maior negligência com a gente não há. Nessas situações, chegamos ao ponto de retirar o último centavo do bolso para ajudar quem sofre e, no momento em que mais precisamos, lá estamos nós sem qualquer tipo de ajuda. Nasce daí o terrível sentimento de solidão, acompanhado da dolorosa sensação de

(Gn 3,19) abandono. Pode ser que a responsabilidade desse sofrimento também seja nossa, basicamente por ensinarmos a lembrarem da gente somente quando necessitarem. Outras vezes, é uma questão de pessoas que só se aproximam no intuito de obter vantagem e nada mais que isso. Pressupõe-se que as relações adoecidas também estão presentes em determinados movimentos de massa, por exemplo, quando um pensamento grupal se impõe sobre o pensamento individual. Logo, não há espaço para a crítica reflexiva da realidade, muito menos para o diálogo que faz crescer, mediante o bonito conflito de ideias. Ali, parece que os participantes se furtam do exercício do pensamento próprio, passando a pensar de acordo com a massa. Tudo fica nivelado. A identidade e a diferença de cada um tornam-se miúdas até sumirem no todo. No pior cenário, sem qualquer pessimismo, a massa começa a pensar no lugar das pessoas. Só não convém generalizarmos. O problema aqui está na individualidade que massifica, parecendo um rolo compressor, uniformizando as antigas diferenças. O que nos salva desse triste acontecimento senão a fé? Ela é o esteio que rege a nossa vida. Ela é fundamento que nos mantém em pé diante de tantas dificuldades. Ela é o norte que nos encaminha para o generoso coração do Pai Eterno. É a fé quem nos ensina a reconhecer o outro como outro. Muitos chamam esse reconhecimento de empatia. Uma palavra tão usual ultimamente. Em um nível mais profundo, eu a chamaria de alteridade. Por meio dela, chegamos à bonita conclusão de que só existimos, enquanto pessoas, a partir de outras pessoas. Não há “eu” fora do encontro genuíno com o “outro”.

Faz bem pensar que, não havendo o olhar sobre o outro, tendemos a nos tornar injustos, impondo as nossas vontades, distantes do necessário reconhecimento de que ali existe alguém diferente de nós. Esse olhar, possivelmente egoísta, pode ser o responsável pelo término de alguns relacionamentos, pela rivalidade que nunca cessa, pelo opositor que se torna inimigo, inclusive pelo massacre de variados povos. Aproveitando o período da Quaresma, que possamos refletir sobre a vivência das nossas relações. Será que elas têm sido saudáveis ou estão adoentadas? Elas nos fortificam ou nos enfraquecem impiedosamente? Aqueles que estão conosco são recíprocos ou nos sugam até a alma? Faz bem pensar e, ao mesmo tempo, verificar quem vai e quem fica. Não nos esqueçamos da necessidade de um aprofundamento maior nos vínculos que estabelecemos perante a uma realidade de vínculos cada vez mais superficiais e momentâneos. Que a relação com o Pai Eterno nos ensine a nos relacionarmos melhor com os nossos irmãos.

Pe. Robson de Oliveira, C.Ss.R.

Reitor do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno e Presidente-fundador da Afipe Abril - 2019 |

3


Sumário

Pai Eterno ganha destaque na telinha

[18] A TV Pai Eterno oferece aos telespectadores conteúdo rico em evangelização, entretenimento e informação

Autismo sem tabus

Emocionante história de um portador do Transtorno do Espectro Autista (TEA), conhecido como autismo, prova que o melhor tratamento é o amor [8]

Perigos do açúcar

Consumo exagerado pode ocasionar sérios problemas à saúde. Confira dicas de especialista sobre formas alternativas de adoçantes [12]

Celebração

Reitor do Santuário Basílica de Trindade, Pe. Robson de Oliveira completa mais um ano de vida e devotos enviam mensagens de amor e carinho [24]

Peças sagradas

Os objetos litúrgicos são indispensáveis na Santa Missa. Mas, nem todo mundo conhece o significado de cada um deles. Saiba mais! [30] PUBLICAÇÃO BIMESTRAL DO SANTUÁRIO BASÍLICA DE TRINDADE, PRODUZIDA PELA AFIPE Reitor do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno e Presidente-fundador da Afipe: Pe. Robson de Oliveira, C.Ss.R. Direção de Comunicação: Cláudia Belo | Jornalista Responsável: Simone Borges - JP 2715 - GO Redação: Juliana Nunes, Lucas Barbosa e Vinícius Braga | Coord. de Marketing: Bárbara Simões Projeto Gráfico e Diagramação: Elton Rosa | Capa: Danilo Eduardo | Artes/Anúncios: Diogo Oliveira Ilustrações: Ramón Fonseca | Coord. de Fotografia: Andrei Renato | Fotografia: Danilo Eduardo e Rodolfo Carvalhaes Coord. de Web: Ana Lídia Oliveira | Impressão: Scala Editora | Tiragem: 20.000 exemplares Contatos: imprensa@paieterno.com.br | www.paieterno.com.br | (62) 3506-9800

4

| Abril - 2019

Encontro de Santuários

Evento realizado em Trindade (GO) reuniu reitores e representantes de todo o Brasil para discutir a responsabilidade de gerir igrejas [28]


Artigo

“Convertei-vos e crede no Evangelho”

A

o chegar o Tempo Quaresmal, nossa consciência se move profundamente para analisar nosso interior e nosso modo de viver, tendo como referências os apelos de Cristo e o Seu modo de agir. Esse movimento é muito saudável e merece ser levado a sério para que possamos ser coerentes com os planos de Deus e com a perfeita realização do nosso ser. Assim, é importante resgatar alguns elementos presentes no belo exemplo de vida de nosso grande santo e pai fundador: Afonso Maria de Ligório. Além de considerar seu espírito de constante austeridade e ascética, devemos nos lembrar do valor da penitência e mortificação na vivência da espiritualidade cristã para que possamos aprimorar nosso desejo de conversão. Nosso Pai, Santo Afonso, escreveu longamente sobre como podemos viver unidos a Jesus, afastando-nos do espírito danoso do mundo. Esclareceu-nos que, para isso, é preciso impor uma disciplina para que nossos desejos e vontade própria sempre se curvem diante da Vontade suprema de Deus. Ele dizia que, diferentemente dos animais, devemos nos assemelhar aos anjos. Os primeiros seguem seus apetites pelo instinto. Já os anjos procuram em tudo cumprir o que Deus quer. “Disso se conclui que nos tornamos anjos, esforçando-nos por cumprir com a Vontade de Deus,

(Mc 1,15) e irracionais, se procuramos satisfazer os nossos sentidos”, dizia nosso fundador. Segundo a nossa tradição espiritual católica, a penitência e a mortificação se diferem apenas na intenção, porque ambas recorrem aos mesmos recursos. Na penitência, a intenção sempre é purgar os pecados passados para renovar a caridade em nossa alma e tentar reconciliar nosso ser constantemente com Deus. Já a intenção da mortificação é prevenir as recaídas e evitar pecados futuros. Ambas são um remédio contra o pecado e muito úteis para não impedir que se perca a graça de Deus. Neste sentido, durante o período que compreende a Quaresma, sempre que nos propusermos a renunciar a algo que nos dá prazer, devemos ter em mente a intenção com que praticamos esta ou aquela abstinência. Assim, ficará mais ordenada a nossa razão e poderemos exercitar mais virtudes além daquelas que já temos ou precisamos adquirir para melhor servir a Deus neste mundo. Seguindo os sábios conselhos das Sagradas Escrituras, podemos considerar que o nosso processo de conversão nos leva à purificação do coração. Ter um coração puro é garantia de poder ver a Deus, segundo aquela bem-aventurança estabelecida por Jesus em Mateus (5,8). Portanto, é preciso querer essa limpidez de alma e de corpo, pois é salutar e benéfica para nos apresentarmos

diante d’Aquele que deseja revelar Sua face para nós desde sempre. Podemos imaginar como vai ser bom e maravilhoso ver a face de quem nos criou, amou e sustentou até aqui. Por isso, nos lembremos dessa exortação do Apóstolo São Paulo: “Eu vos exorto, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, a oferecerdes vossos corpos em sacrifício vivo, santo, agradável a Deus: é este o vosso culto espiritual”. (Rom 12,1). Não há outro caminho possível, é imperativo abraçar a dor, carregar a própria cruz e seguir Cristo até o Calvário, não apenas para contemplá-Lo, mas para ser crucificado com Ele. Amar cada vez mais o sofrimento deve ser a tônica da vida cristã. Contudo, para isso, é imprescindível vencer a natural repugnância humana à dor, exercitando-se, diariamente, no amor à cruz.

Pe. André Ricardo de Melo, C.Ss.R. Superior Provincial dos Redentoristas de Goiás.

Abril - 2019 |

5


Devoção

Viver a Semana

Santa

Religioso esclarece dúvidas sobre o tempo em que celebramos a Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo Lucas Barbosa

6

| Abril - 2019


Reflexão, oração, recolhimento e meditação quanto ao sofrimento de Cristo por amor à humanidade. Essas são algumas das atitudes que devem ser adotadas pelos católicos durante a Semana Santa. Ao contrário do que muitos pensam, o período não é para descanso ou passeios. É o que afirma o Pe. Cleidimar da Silva Moreira, ao responder algumas perguntas curiosas sobre esse momento tão fundamental para a Igreja Católica. Confira a importância e o significado da data para os cristãos.

Por que a Semana Santa se inicia com o Domingo de Ramos? Ela começa no Domingo de Ramos por relembrar a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, onde Ele mesmo sabia que seria o local da Sua crucificação. Nesse momento, o povo O aclama como Rei, acolhendo-O como o Messias esperado para reinar. Durante a Semana Santa, temos vários dias marcantes, como o Domingo de Ramos e o Tríduo Pascal, que culmina no Domingo de Páscoa. Mas, e a Segunda, Terça e Quarta-feira Santa, qual ensinamento a Liturgia nos traz nesses dias? A Semana Santa também é conhecida como a Semana Maior. Nesses primeiros dias da Semana Maior, fazemos grandes celebrações lembrando a prisão de Jesus, as sete dores de Maria e o Encontro Dele com

Sua Mãe. Na Segunda-feira Santa, em muitas comunidades, é celebrada a Missa Penitencial, antecedida por confissões; na Terça-feira Santa, celebramos as sete dores de Maria, relembrando seu sofrimento como Mãe; e na Quarta-feira Santa, a Procissão do Encontro de Jesus, quando carrega Sua cruz rumo ao Arquivo Pessoal

REVISTA PAI ETERNO: Por que a Semana Santa é chamada de santa? PE. CLEIDIMAR MOREIRA: Por ser um tempo forte de rememorar e viver a Paixão, Morte e Ressurreição Daquele que é Santo. Cada vez que vivenciamos essa história, que também é a história da nossa salvação, temos a oportunidade de escolher continuar sendo ou não discípulos de Cristo. Consequentemente, se decidirmos por continuar sendo, não nos cabe outra postura senão a de sermos “embaixadores de Cristo”, ou seja, santo como Ele é Santo. É uma semana que nos santifica.

calvário, com Sua Mãe amada. Quando começa e quando termina o Tríduo Pascal? O Tríduo Pascal é o conjunto de três dias celebrados, começando na quinta-feira e culminando com a Ressurreição, no domingo, iniciado na Vigília Pascal. Na Quinta-feira Santa, temos a Missa do Lava-Pés, com o encerramento em silêncio levando o Santíssimo a um lugar reservado. Na Sexta-feira Santa, não há missa e sim a celebração da Santa Cruz, às 15h. No Sábado Santo, a celebração das celebrações: a Vigília Pascal, proclamando a Ressurreição do Senhor e, no Domingo, a continu-

ação desta Festa. Por que a Vigília Pascal, celebrada no sábado que antecede o Domingo de Páscoa, é considerada a celebração mais importante do calendário litúrgico cristão? Por ser a primeira celebração oficial da Ressurreição de Jesus. Durante essa celebração, as pessoas são batizadas e os adultos catecúmenos (preparados para o Batismo da Igreja Católica) são recebidos em plena comunhão com a Igreja. É realizada entre o pôr do sol, no Sábado Santo, e o amanhecer da Páscoa. É a celebração mais festiva de todas, com uma riqueza em sua liturgia. Existe alguma diferença entre a Páscoa e o Tempo Pascal? Qual? Páscoa é passagem para sermos melhores baseados na fé em Jesus Cristo. Nela, abandonamos o pecado e assumimos uma vida livre pela redenção nos dada pela morte de Cristo. Ela deve acontecer em cada instante da vida do homem em busca da Terra Prometida. Já o Tempo Pascal acontece do Domingo da Ressurreição até o Pentecostes. Como nós, cristãos, devemos vivenciar este momento da Páscoa? Com muita sinceridade de coração, com sobriedade e simplicidade. Não é tempo de viagens a passeio. Se vai viajar, que seja para viver esse momento. Como cristãos, temos que dar continuidade depois do Tempo Pascal, vivendo uma Páscoa diária, uma nova vida na liberdade e cheia de muitas alegrias, mesmo com os problemas que nos rodeiam. Abril - 2019 |

7


Autismo

Aprendizado

e amor

Em relato emocionante, mãe conta como a sua vida se transformou ao descobrir o transtorno do filho Lucas Barbosa

“Ele me ensinou sobre a vida, me ensina todos os dias. E me sinto profundamente agraciada por ter recebido um presente tão maravilhoso de Deus.” Essa é uma das lições que a jornalista Carla Lacerda conta ter aprendido com o filho, João Lucas Lacerda, de 6 anos, portador do Transtorno do Espectro Autista (TEA), mais conhecido como autismo. Quando descobriram, veio o susto. Ela e o esposo passaram por muitas inseguranças, com momentos de frustração, tristeza e medo. Contudo, o que parecia ser o fim, era apenas o começo. Hoje, após adquirirem conhecimento sobre o assunto, eles demonstram força e servem de exemplo para aqueles que vivem a mesma realidade. Em busca de informações, Carla identificou que não se trata de uma

8

| Abril - 2019

doença, mas, sim, um transtorno que altera a maneira de o cérebro funcionar. Como resultado, há interferência em várias habilidades, como a interação social, a linguagem e o comportamento. Profissional da comunicação, Carla decidiu divulgar o autismo de forma intensa, levando o assunto para os jornais, televisão e redes sociais. “A primeira fase é de luto total. É um sonho idealizado que foi desmanchado. Chorei quando a primeira professora nos chamou para dizer que o desenvolvimento dele era diferente das crianças da sala. Outro momento triste foi durante a primeira apresentação do Dia das Mães, quando todos os coleguinhas do João Lucas cantaram, menos ele. Apesar das nossas suspeitas, é muito difícil ouvir o que o coração não quer”, relembra.

Porém, o tempo passou e as lutas diárias começaram a dar bons frutos. Para que o tratamento desse transtorno seja feito, há um conjunto de estímulos. Por meio de uma equipe multidisciplinar, são usadas técnicas cientificamente comprovadas que contribuem para a melhoria do comportamento. “Com pouco mais de um ano de terapia, meu filho já acumula conquistas. E isso se estende para minha vida profissional”, comemora Carla.

Conscientização

Abril é considerado o mês para a conscientização sobre o autismo. É uma forma de melhorar as condições de vida das crianças e de adultos que passam por isso. A cor azul é simbólica, fazendo referência aos meninos.


Isso porque, segundo o neuropediatra Hélio Van Der Linder, o transtorno afeta mais meninos do que meninas. As causas ainda são desconhecidas. “Quanto mais cedo descobrir e dar início ao tratamento, melhor. É possível que a criança se desenvolva e saia do espectro grave para um mais leve, ou até mesmo ter uma vida produtiva e independente”, ameniza o especialista. Ele acrescenta que o diagnóstico precoce pode ser feito por meio de sinais de alerta. Isto é, mesmo que o médico não tenha precisão ao fechar a

análise de uma criança, é possível observar os sinais e já encaminhar para a terapia. O pequeno João Lucas não desiste. Segundo a mãe, o garoto tem uma rotina diária intensa e, ainda sim, não reclama de enfrentar as 20 horas semanais na escola, mais 11 horas de terapia ABA (Análise do Comportamento Aplicado), três sessões com fonoaudiólogo, outras de terapia ocupacional, além da natação duas vezes por semana. “Ele segue em frente, muito forte. E eu sempre estarei ao

seu lado. As conquistas dele me escancararam que eu não tenho o direito de desistir daquilo que gosto e acredito”, narra Carla, emocionada. Após três anos do diagnóstico, a jornalista se sente mais forte para compartilhar e ajudar outros pais que vivem a mesma luta. “Agradeço a Deus por ter nos sustentado durante todo esse tempo para enfrentar tudo isso. Depois de muitos momentos difíceis, hoje, somos mais fortes e, com amor, conseguimos dar um novo significado à dor”, finaliza. Abril - 2019 |

9


Ano Devocional

Todos por

Pe. Pelágio

Redentoristas e arquidiocesanos se unem para incentivar a beatificação de Pe. Pelágio Sauter Juliana Nunes

10

| Abril - 2019


O

ano de 2019 está sendo especial para toda a comunidade católica da Arquidiocese de Goiânia. Isso porque foi intitulado como o Ano Devocional ao Venerável Pe. Pelágio Sauter. O objetivo é apresentar ao mundo suas bondades e milagres para reforçar o pedido da sua beatificação que tramita no Vaticano. Para que ele seja canonizado é necessário passar por diversas etapas, uma delas é a beatificação, título pelo qual a Província Redentorista de Goiás está lutando e rezando, junto à Arquidiocese de Goiânia. Agora, mais do que nunca, é o momento de fortalecer a união dos devotos em oração para que o propósito seja alcançado. De acordo com o Missionário Redentorista Pe. Bráulio Maria Pereira, coordenador da Comissão do Ano Devocional ao Pe. Pelágio, o engajamento dos fiéis é essencial nesse processo. “Nós pedimos que as pessoas continuem a venerá-lo, olhando para seu quadro, rezando. Conversem com ele como se fossem amigos espirituais, pedindo graças por intermédio dele, especialmente para alcançar um milagre extraordinário”, reforça. Com o seu legado de santidade, Pe. Pelágio se tornou um modelo a ser seguido e, por isso, seu reconhecimento se faz tão necessário. “É uma referência tanto para nós, Missionários Redentoristas, quanto para o povo, que pode enxergá-lo como um pastor exemplar e também um grande servo de Deus. Assim, temos a honra de fazer com que ele seja conhecido por todo o povo goiano, especialmente onde ele viveu e dedicou sua vida”, diz Pe. Bráulio.

Ano Provincial e Arquidiocesano

Mesmo Pe. Pelágio Sauter sendo membro da Congregação do Santíssimo Redendor, a Arquidiocese de Goiânia está unida aos Missionários Redentoristas neste Ano Devocional. A programação acontece nas paróquias, capelas e comunidades de

Goiânia e região metropolitana, além de todas as unidades redentoristas da Província de Goiás, em Goiás, Tocantins, Mato Grosso e Distrito Federal. Pe. Bráulio acrescenta que, além das celebrações, outras atividades estão acontecendo. “Houve a inclu-

são do logotipo do ano em todos os folhetos litúrgicos da Arquidiocese e a oração pela beatificação é realizada todo terceiro domingo. Algumas paróquias estão no clima do Ano Devocional, incluindo a arte do logotipo em todos seus materiais gráficos e digitais”, comenta.

Admiração

A

pesar de ainda não ter sido intitulado como santo, o coração bondoso de Pe. Pelágio fez com que ele fosse admirado por muitas pessoas. Suas ações e sua vida, sempre dedicada a Cristo, fizeram com que ele fosse procurado para rezar por curas e salvação. A aposentada Maria Angélica Pereira, que é carinhosamente conhecida em Trindade como dona Mariquinha, conta que sua família conviveu com o religioso e que ele realizou muitas bênçãos em suas vidas. Hoje, viúva, ela guarda as alianças de seu casamento, que foi realizado por ele. “Foram abençoadas e carrego com muito carinho até hoje. Além disso, alguns dos meus filhos foram batizados por ele. Pe. Pelágio faz parte da minha história e sou muita grata por isso”, testemunha. Ela ainda pontua outras lembranças que carrega do religioso. “Era um homem muito bondoso, dava atenção para todos. Ele cantava lindamente, fazia as desobrigas a cavalo e ia para as roças evangelizar. Seu carinho com as crianças era especial, sempre as incentivava dando pontos para quem participasse da missa, com direito a trocar por brinquedos, após juntar os pontos”, relembra. Diante de tantas memórias bonitas, assim como muitas outras pessoas que conheceram o Missionário Redentorista – tanto pessoalmente como por meio de relatos –, dona Mariquinha também está engajada e torcendo pelo processo de beatificação de Pe. Pelágio. Com fé, ela acredita que será um fato histórico. Abril - 2019 |

11


Saúde

Açúcar: o doce vilão

Consumo excessivo do alimento tornou-se uma preocupação global diante dos males que pode trazer à saúde Vinícius Braga

12

| Abril - 2019


V

ocê já parou para pensar na quantidade de açúcar que consome diariamente? Se a resposta for não, é bom começar a se preocupar, já que o consumo excessivo desse carboidrato “docinho” tornou-se motivo de grande preocupação da Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com as novas diretrizes alimentares, a quantidade ideal de açúcar seria 25 gramas (aproximadamente seis colheres de chá) por dia. Contudo, a realidade é outra, considerando que o consumo chega a ser quatro vezes esse valor recomendado. Diabetes, obesidade, cáries, envelhecimento precoce, aumento do risco de doenças cardiovasculares, entre outras complicações. Tudo isso está associado ao excesso do açúcar e motivou a OMS a fazer o alerta. Não é uma tarefa fácil, pois ele está presente em vários alimentos comuns do dia a dia. Porém, é preciso criar uma mudança de hábito para diminuir a quantidade ou até mesmo substituir por outras formas mais saudáveis de adoçar, é o que orienta a nutricionista Gabriela Amaral. “O açúcar não é totalmente um vilão, ele tem seus benefícios. Por exemplo, disponibiliza a glicose, que é uma fonte energética ótima para atletas, também está relacionado à produção de serotonina, o hormônio responsável pela sensação de bem-estar. O grande problema está no excesso. Tudo aquilo ingerido de forma desregrada é prejudicial. Por isso, é preciso ter responsabilidade ao consumi-lo”, afirma a nutricionista. Segundo ela, uma dica simples é diminuir gradativamente o consumo no dia a dia e substituir os alimentos industrializados e processados pelos naturais. “Refrigerantes e sucos artificiais são exemplos de produtos que fazem muito mal à saúde. Uma latinha de refrigerante tem, em média, 37 gramas de açúcar, uma caixinha de suco de 200 ml tem 25 gramas. Isso extrapola a quantidade diária recomendada”, pontua Gabriela. Ela ainda destaca que o açúcar cristal pode ser substituído por outros tipos mais saudáveis, como o açúcar de coco e o mascavo. Outra excelente opção, de acordo com a nutricionista, são as frutas, nas quais pode ser encontrada a frutose.

“É possível levar uma vida mais doce, sem exagerar na dose de açúcar.”

Mudança de hábito Preocupada com os riscos trazidos pelo consumo exagerado, a advogada Maiara Cavalcante, de 25 anos, resolveu tomar uma decisão que, no começo, não foi nada fácil: cortar integralmente o açúcar da sua alimentação. Ela trocou pelos adoçantes naturais, xilitol e stevia. Como resultado, a jovem aponta que, além da perda de peso, passou a viver com mais saúde e bem-estar. “Crescemos acostumados com a cultura do açúcar e nem sempre nos atentamos aos perigos que isso pode trazer. Aos poucos, resolvi mudar. Foi um processo difícil, pois é algo que interfere até no humor. Porém, já não me faz falta. Pelo contrário, criei uma nova rotina e me sinto mais leve”, diz a advogada. Hoje, Maiara faz questão de incentivar outras pessoas a seguirem o mesmo caminho. Pelas redes sociais, a jovem faz postagens motivacionais mostrando a sua mudança de hábito e os resultados disso em sua vida. “Por mais duro que seja, é preciso dar o passo inicial. Comece diminuindo aos poucos. É possível levar uma vida mais doce, sem exagerar na dose de açúcar”, finaliza.

Saiba a quantidade de açúcar em alimentos bastante consumidos: • Latinha de refrigerante (350 ml): 37 gramas • Caixinha de suco (200 ml): 25 gramas • Achocolatado (duas colheres de sopa): 20 gramas • Leite condensado (três colheres de sopa): 25 gramas • Potinho de iogurte: 10 gramas • Ketchup (quatro colheres de sopa): 20 gramas • Biscoito recheado (cinco unidades): 20 gramas Abril - 2019 |

13


Evangelização

Pequeninos evangelizados Crianças são apresentadas à Palavra de Deus diariamente nos centros sociais Juliana Nunes

14

| Abril - 2019


É muito importante ter um momento de comunhão com Deus. Aqui, eu me sinto bem e falo com Ele todos os dias.” A evangelização faz a diferença para os pequeninos. É a iniciação na vida em Cristo, fazendo com que eles entendam a importância do amor do Pai Eterno em suas vidas. Nayara Carolina da Cruz, de 11 anos, é um exemplo. Ela diz que aprendeu a rezar no Cespe e passou a fazer isso sempre, em diferentes momentos do dia: “Rezo diariamente. Ao acordar, agradeço pela vida. No almoço, agradeço pelo pão de cada dia. À noite, agradeço por

mais um dia que vivi. Faço isso em família e me sinto abençoada”. Ela demonstra toda sua gratidão por conta dos momentos de evangelização dentro dos centros sociais, lugar onde está desde pequena. “Esse momento nos ajuda a caminharmos pelo lado correto. É a hora em que escutamos a Palavra de Deus para seguirmos nosso dia. Às vezes, é o que a gente precisa para ter paz no coração”, acrescenta Nayara.

Preparação

De acordo com o coordenador pedagógico das Obras Sociais, Naclayton Sousa, tal momento de evangelização foi criado com o objetivo de construir pessoas melhores, com valores cristãos e respeito ao próximo, propondo um futuro mais evangelizado, amparado no amor ao Pai Eterno. “As crianças esperam diariamente por essa atividade, que dura 30 minutos, logo quando elas chegam aos centros sociais. Na ocasião, elas têm acesso a passagens bíblicas, momentos de musicalização e coreografias, tudo voltado para uma acolhida de forma religiosa e fraterna”, pontua Naclayton. Desta forma, a importância de cultivar a fé é levada aos pequenos de forma lúdica e atenciosa. “Eu realizo um projeto pedagógico para executarmos mês a mês. Assim, a cada segunda-feira do mês, refletimos um tema diferente com as crianças. Trabalhamos a paz, o respeito, a importância da Bíblia, entre outros temas. A intenção é sempre a mesma: envolver nossos pequenos para que propaguem a Palavra do Pai espontaneamente”, finaliza o coordenador.

S

entado, com as mãos postas em oração e olhando para a imagem do Divino Pai Eterno, Eduardo Martins, de 10 anos, diz: “É muito importante ter um momento de comunhão com Deus. Aqui, eu me sinto bem e falo com Ele todos os dias”. É esse pensamento semeado na cabecinha de Eduardo que o pessoal do complexo Cespe/Cecam (Centro Social Pai Eterno/Centro Educacional e Capacitação de Apoio ao Menor), centros mantidos pelas Obras Sociais Redentoristas com o apoio da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), quer inserir nos corações de todas as crianças assistidas. Abril - 2019 |

15


PANORAMA Fotos: Reprodução /Internet

Imposto de Renda

O prazo para declarar o Imposto de Renda 2019 se encerra no dia 30 de abril. Quem ainda não declarou, deve enviar a documentação o quanto antes para evitar transtornos e que seja pego pelo temido “Leão”. De acordo com a secretaria da Receita Federal, são esperadas mais de 30 milhões de declarações neste ano, ou seja, 1,23 milhão a mais de contribuintes do que no ano passado. Quanto antes o contribuinte enviar sua declaração, mais cedo ele será restituído, caso tenha direito. Mas, em compensação, quem espera para os últimos dias recebe maior correção da taxa Selic. As restituições do Imposto de Renda serão feitas em sete lotes, a partir de junho de 2019, sendo distribuído entre os meses seguintes, até dia 16 de dezembro.

Enem 2019 As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 já têm data marcada. Elas serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro em todo o Brasil. Algumas novidades também já foram divulgadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A principal delas é em relação ao procedimento de coleta do dado biométrico, item de segurança adotado pelo Enem desde 2016. Neste ano, será usada uma pequena esponja que permite a coleta da digital e pode ser utilizada mais de três mil vezes. Além disso, os cadernos de questões do Enem também mudam a sua diagramação para garantir mais espaço em branco ao aluno. Vale lembrar que as inscrições começam no dia 6 de maio e terminam no dia 17 do mesmo mês.

Empreendedorismo Um levantamento do Instituto Avon, em parceria com a Oxford Economics, mostrou que as mulheres ainda não se sentem encorajadas para empreender, o que limita o potencial de crescimento dessas mulheres em 50%. Segundo os dados, essa limitação pode representar uma perda de R$ 12 trilhões a R$ 18 trilhões por ano no Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos) global. A pesquisa mostrou ainda que 77% das mulheres afirmam que trabalhar aumenta sua confiança, enquanto 65% das mulheres dizem que o trabalho melhorou a forma como são tratadas pelos outros e 74% destacam que o trabalho aumentou sua capacidade de ser um modelo para seus filhos.

Novo bispo O novo bispo da Diocese de Formosa (GO), Dom Adair José Guimarães, tomará posse no dia 1º de junho em cerimônia marcada para ocorrer na catedral da cidade. Ele foi nomeado em fevereiro pelo Papa Francisco. Nascido em Mara Rosa (GO), em 16 de junho de 1960, Dom Adair estava como responsável pela Diocese de Rubiataba-Mozarlândia desde maio de 2008. Ele também já foi juiz presidente do Tribunal Eclesiástico da Arquidiocese de Goiânia, pároco em Uruaçu e Mara Rosa, entre outras cidades. Assim que foi nomeado, ele divulgou nota dizendo que está à disposição dos fiéis como “operário” e que chega para somar e levar almas a Deus. Dom Adair diz que seu ministério segue a Cristo, que é casto, pobre e obediente. Abril - 2019 |

17


Novidade

A TV das bênçãos do Pai Com uma programação variada e comprometida com os valores cristãos, TV Pai Eterno inicia suas atividades Vinícius Braga

18

| Abril - 2019


N

o ano em que a Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe) completa 15 anos, sua missão de propagar a devoção ao Divino Pai Eterno ganha um novo fôlego. Como forma de presentear os milhões de devotos nessa data tão especial, está no ar a TV Pai Eterno. Trata-se de uma emissora nacional e católica, com uma programação voltada para toda família, fruto do grande sonho do reitor do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno e presidente-fundador da Afipe, Pe. Robson de Oliveira. “O processo de evangelizar precisa envolver meios de aproximação com as pessoas, apresentando os verdadeiros valores cristãos. Assim, com a TV Pai Eterno, encontramos uma forma de apresentar caminhos que levem ao Pai. É uma forma de expandir e aprimorar o árduo trabalho que já é realizado para um ambiente único, com 24 horas de programação. O objetivo é unir e evangelizar os brasileiros, por meio do amor e a devoção ao Divino Pai Eterno”, pontua Pe. Robson. Segundo ele, toda a experiência em evangelização da Afipe, ao longo desses anos, foi fundamental para o amadurecimento do projeto, planejado com muita dedicação e carinho pelos profissionais envolvidos. “É hora de alçar novos voos e multiplicar o relacionamento com os devotos. Adquirimos bastante conhecimento até aqui e isso nos deixa seguros para criar um canal de comunicação amplo, eficaz e que chegue a todos os filhos do Pai Eterno”, acrescenta o Missionário Redentorista.

Programação

Atualmente, a TV Pai Eterno apresenta uma programação experimental, com a transmissão da Santa Missa ao vivo (direto de Trindade), reprises de Novenas Internacionais e do Santo Terço. A grade também traz boletins jornalísticos diários, com informações factuais, e a apresentação do Programa Pai Eterno. Uma novidade acontece durante a Semana Santa, com a transmissão das Missas Especiais e a cobertura jornalística completa de todos os eventos desse período. Em breve, a emissora estreará sua programação oficial e inédita, com conteúdo inovador, educativo e comprometido Abril - 2019 |

19


com os valores cristãos. Pe. Robson de Oliveira destaca que a grade será construída de acordo com o gosto dos devotos, havendo o aprimoramento a partir da avaliação recebida. “O que podemos adiantar é que a TV tem um caráter essencialmente religioso e espiritual, já que nasce da devoção ao Divino Pai Eterno. Ele será o centro de tudo e o manancial que vai iluminar todos os nossos programas”, diz. A Igreja terá participação ativa, com a presença de padres, bispos, cardeais e autoridades religiosas. A TV

20

| Abril - 2019

Pai Eterno contará com uma relação aproximada com o Centro Televisivo Vaticano, pelo qual serão exibidas audiências gerais do Papa Francisco, missas, oração do Ângelus, eventos realizados em Roma e todas as notícias relacionadas à Basílica de São Pedro. Além disso, terá uma relação aproximada com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), expressando tudo que ela pensa e faz. O entretenimento também terá destaque, com programas de variedades, culinária, artesanato, conteúdo educa-

tivo, entre outros. “E, claro, é impossível não termos um espaço destinado à música sertaneja, considerando que estamos em uma região que possui esse ritmo como raiz”, enfatiza Pe. Robson. Ainda serão exibidos filmes (nacionais e internacionais), que poderão ser assistidos por toda a família, com uma abordagem leve e descontraída. “Estamos trazendo uma série emocionante e inédita para o Brasil sobre a Virgem Maria. No momento, ela está sendo traduzida, mas logo estará no ar. Sem dúvidas, será um sucesso”, adianta.


Jornalismo de qualidade

Outro ponto forte do novo canal será o jornalismo, que contará com a cobertura de notícias do Brasil e do mundo. Para isso, terá um time de excelentes profissionais, além da assinatura da Reuters, considerada a maior agência internacional de notícias do mundo. De acordo com o gerente de jornalismo da TV Pai Eterno, Eduardo Zaidem, o grande cuidado da emissora será em levar ao telespectador um conteúdo educativo e inovador. “Teremos prestação de serviços, orientações nas áreas de saúde, emprego, educação e, claro, incentivo às boas ações. O telespectador pode ter a certeza de que vamos oferecer notícias com qualidade e credibilidade”, finaliza.

Saiba mais sobre a TV Pai Eterno - A TV Pai Eterno tem cobertura nacional e gratuita?

Sim. Para verificar o sinal da TV na sua região, consulte no Portal Pai Eterno, pelos campos de pesquisa. Se preferir, basta ligar no telefone 62 3506-9800 e se informar.

- Vai ser em tempo integral? Sim. São 24 horas de programação.

- Em quais canais da TV por assinatura posso assistir? Pela SKY, o canal é 18; pela Oi TV, é 33; na Claro TV, é canal 4; Vivo TV, 238; e Algar, canal 720.

- Onde mais posso assistir à TV Pai Eterno?

Se o sinal ainda não chegou à sua região, você tem duas opções: pode assistir pelo Portal Pai Eterno ou pelo Aplicativo Pai Eterno, disponível para iOS e Android.

A Semana Santa terá uma cobertura especial feita pela TV Pai Eterno. Confira as principais celebrações que serão transmitidas direto de Trindade (GO): Domingo de Ramos (14 de abril) 9h - Procissão e Missa de Ramos (da Igreja Matriz ao Santuário Basílica) Quarta-feira Santa (17 de abril) 20h - Procissão do Encontro (da Igreja Matriz, com Senhor dos Passos, e da Igreja de Santa Luzia, com Nossa Senhora das Dores, em direção ao Santuário Basílica) 20h40 - Celebração do Encontro do Senhor dos Passos e de Nossa Senhora das Dores (Santuário Basílica) Quinta-feira Santa (18 de abril) 9h - Missa do Crisma (Santuário Basílica) 19h - Missa da Ceia do Senhor (Santuário Basílica) Sexta-feira Santa (19 de abril) 18h30 - Procissão do Senhor Morto (da Igreja Matriz ao Santuário Basílica) Sábado Santo (20 de abril) 20h - Solene Celebração da Vigília Pascal (Santuário Basílica) Domingo de Páscoa (21 de abril) 5h45, 8h, 12h e 17h30 Missa de Páscoa (Santuário Basílica)

Abril - 2019 |

21


Artigo

Juízos e equívocos

É

desafiadora a arte de conduzir a vida de forma a bem discernir sobre juízos e equívocos. Os juízos precisam, fundamentalmente, da competência humanística e ética que regem, na racionalidade de cada indivíduo, os processos de discernimento a respeito de valores e princípios. Cultivar esta competência deve ser meta e exige irrestrita abertura ao diálogo. Para garantir êxito às decisões, os juízos devem ser orientados por nobre sentido de cidadania e pela compreensão de que a vida é precioso dom. A experiência de quem ocupa um cargo importante conta muito, mas não é garantia de qualificado discernimento, imprescindível na tomada de decisões. A consolidação do juízo a respeito de algo exige considerar diferentes perspectivas para vencer interpretações limitadas, não raramente emolduradas por interesses egoístas, parciais. Isso para qualificar os processos de discernimento e evitar os equívocos que possam validar práticas antidemocráticas, as decisões inadequadas no âmbito judicial ou em outras instâncias que inviabilizam as almejadas viradas civilizatórias. Existem muitos recursos naturais, técnicos e científicos que podem promover o desenvolvimento integral e a construção de uma sociedade mais justa e solidária. Mas os juízos equivocados inviabilizam os avanços possíveis, perpetuam fracassos e aprisionam a civilização em “atoleiros”. Além disso, reproduzem marasmos incompatíveis com o mundo contemporâneo, ansioso por respostas rápidas para seus muitos e graves problemas. Há, pois, um longo caminho a ser trilhado, envolvendo diferentes instân-

cias sociais para, com muito diálogo, qualificar processos de discernimento. Trata-se de um processo fundamental para a formulação de juízos mais assertivos. É vergonhoso e gera espanto o atual cenário de atrasos, a prevalência de interesses pouco nobres, o favorecimento perverso de pequenos grupos, sedentos doentiamente por dinheiro. Situação incompatível com a trajetória cidadã, histórica, religiosa e cultural do povo brasileiro, levando à derrocada até mesmo os que se consideram privilegiados. Sobre todos, paira a ameaça de ver o mundo desabar, não deixando “pedra sobre pedra”, como disse Jesus aos que se maravilhavam, orgulhosamente, a respeito das belas pedras votivas do Templo de Jerusalém. Superar equívocos nos processos de discernimento é uma tarefa existencial a ser assumida por todos. Reconhecer e se dedicar a esse compromisso permitem encontrar duradoura alegria e o verdadeiro sentido da vida. É preciso vencer a idolatria do dinheiro, fonte de ganância sem limites, verdadeiras barragens que impedem a solidariedade e a compaixão diante do sofrimento humano. “Rejeitos” e “lamas” assim se produzem por conta de juízos equivocados, em todos os níveis, varrendo vidas e o meio ambiente. Deve prevalecer sempre a consideração de que a verdadeira joia, a mais genuína riqueza, é a vida humana, dom maior no conjunto da Criação. Os equívocos nas escolhas fazem da sociedade – que deveria ser o lugar da solidariedade e do respeito ao outro, que é irmão – um verdadeiro inferno. O antídoto para mudar esse cenário desolador é cuidar melhor do santuário sagrado que existe no interior de

“Deve prevalecer sempre a consideração de que a verdadeira joia, a mais genuína riqueza, é a vida humana, dom maior no conjunto da Criação.”

cada pessoa, a consciência moral, de onde se escuta uma Lei que precisa ser obedecida, não por imposição, mas a partir da mais genuína liberdade. É a Lei do amor, que indica o caminho do bem e distancia as pessoas do mal. A injustiça, a crise econômica e tantas outras situações que geram sofrimento apontam para a necessidade de radical renovação pessoal e social. É preciso cultivar mais solidariedade, honestidade, transparência, investindo sempre mais nos processos de discernimento. Caminho desafiador, mas capaz de consolidar juízos com força para conduzir a sociedade rumo a qualificadas etapas civilizatórias. Essa tarefa cidadã é de cada um de nós.

Dom Walmor Oliveira de Azevedo Arcebispo de Belo Horizonte Agosto Abril --2019 2018 |

23


24

| Abril - 2019


Abril - 2019 |

25


Na Casa do Pai Fotos: Arquivo Pessoal

“Estar na Casa do Pai é sempre uma sensação indescritível”

“Meu esposo e eu somos de Mirassol (SP) e conhecemos a devoção ao Divino Pai Eterno em 2008. Com muita fé, passamos a assistir as Novenas pela televisão diariamente. Sempre gostamos bastante de acompanhá-las, pois é algo que nos fortalece espiritualmente. Logo nos tornamos associados à Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe) e, em dezembro do mesmo ano, decidimos passar por Trindade para conhecer o Santuário Basílica do Divino Pai Eterno. Não foi planejado, pois estávamos retornando de uma viagem feita à casa dos meus pais. Acredito que, no momento, fomos tocados pelo Espírito Santo e resolvemos ir à Casa do Pai. Chegando lá, ficamos encanta-

dos. O lugar nos trouxe muita paz e realmente sentimos a presença do Pai Eterno. Uma sensação indescritível! Desde então, passamos a ir todos os anos e participamos das missas no Santuário Basílica e na Igreja Matriz. Em todas as ocasiões, sempre temos mais a agradecer do que pedir. Até levamos outras pessoas para conhecerem esse lugar tão abençoado, como meus pais, Arli e Sérgio, de Carolina (MA), e também minha madrinha Geni e minha tia Sueli, ambas de Curitiba (PR). Uma das graças que mais me arrepia e sempre faço questão de testemunhar aconteceu em 2010. Meu avô, Luiz Duarte, de 94 anos na época, estava internado em Impera-

Sua história pode aparecer aqui na Revista Pai Eterno.

triz (MA) e dizia que queria se despedir de mim antes de morrer. Atendi seu pedido e fui vê-lo. Na volta para casa, como de costume, resolvemos passar por Trindade. Depois de sair da Sala dos Milagres, comprei um broche em uma das lojinhas e o levei para ser abençoado na missa. Chegamos em casa e enviei o broche pelos Correios para o meu avô, que ainda estava hospitalizado. Ele recebeu o presente e, depois de colocá-lo na roupa, teve uma melhora significativa. No dia seguinte, ele já havia recebido alta. Somos eternamente gratos ao Divino Pai Eterno por tantas graças concedidas em nossas vidas. Enquanto tivermos saúde, meu esposo e eu nunca deixaremos de visitar a Capital da Fé de Goiás, procurando levar conosco cada vez mais pessoas. Como somos ministros da Eucaristia em nossa cidade, na Paróquia São Pedro Apóstolo, só pedimos que sejamos humildes para continuar propagando Jesus Eucarístico para mais e mais irmãos.”

Mande fotos e um depoimento, sobre como foi sua experiência ao visitar a Capital da Fé de Goiás, para o e-mail: imprensa@paieterno.com.br ou entre em contato pelo telefone (62) 3506-9800

26

| Abril - 2019

Karen Bavoroski Zangirolami Devota de Mirassol (SP)


Confraternização

Troca de conhecimento,

amor e fé

Encontro de reitores de santuários brasileiros reuniu, em Trindade (GO), religiosos de todo o Brasil Lucas Barbosa

C

ompartilhar experiências e aprendizados acerca da responsabilidade de gerir igrejas que atraem grande número de fiéis. Com esse objetivo, mais de 150 reitores e representantes se reuniram em Trindade (GO) para o 23º Encontro Nacional de Santuários do Brasil. A partir do tema “A missão do Santuário é celebrar com o povo de Deus”, o evento gerou importantes reflexões sobre como realizar missas com mais qualidade, sempre em harmonia com a Igreja, para receber bem aqueles que visitam os diferentes santuários de todo o País. Para o reitor do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, Pe. Robson de Oliveira, foi uma grande satisfação sediar o evento, definido por ele como enriquecedor. Considerado o mais visitado na região Centro-Oeste, o Santuário conta com uma administração que é vista como exemplo a ser seguido no cenário nacional. “Poder receber nossos confrades para dividir ideias e conhecimentos foi uma bênção. Sabemos que administrar um santuário é uma enorme responsabilidade. Por isso, é importante nos reunirmos em

28

| Abril - 2019


ocasiões como esta para estarmos sempre prontos para os desafios”, afirmou o Missionário Redentorista. Foram cinco dias de programação intensa, com palestras, apresentação das atividades pastorais de cada Santuário, mesa redonda e debates. O reitor do Santuário Nacional de Aparecida (SP), Pe. Carlos Eduardo Catalfo, fez um balanço positivo da sua participação no evento. “A inspiração é entender o Santuário como lugar do encontro com Deus. Essa é a vocação específica de todo templo sagrado: fazer com que os peregrinos encontrem uma oportunidade para sentir a presença divina, que é sempre através do encontro da Liturgia e da vivência da fé”, destacou.

Devoção

A força da fé no Divino Pai Eterno, alimentada por milhões de fiéis,

“Poder receber nossos confrades para dividir ideias e conhecimentos foi uma bênção. Sabemos que administrar um santuário é uma enorme responsabilidade.” chamou a atenção dos religiosos que estiveram em Trindade, como Dom Décio Sossai Zandonade, reitor do Santuário Diocesano Nossa Senhora da Saúde, em Ibiraçu (ES). Segundo ele, estar na Capital da Fé de Goiás lhe permitiu vivenciar a grandiosidade da devoção, algo que, até então, era novidade para ele. “Tive o privilégio de conhecer de perto essa devoção tão bonita que se espalha pelo Brasil. Além disso, pude perceber o cuidado que os redentoristas e toda a comunidade têm ao acolher tantos romeiros que chegam e ficam encantados com a presença da Santíssima Trindade coroando Maria Santíssima”, pontuou. Como

forma de representar a gratidão pela participação no evento, cada um deles foi presenteado com uma imagem do Divino Pai Eterno. Na ocasião, também foi escolhida a sede do próximo Encontro, em 2021, que será em Nova Trento (SC). Pe. José Napoleão Lauriano dos Santos, reitor do Santuário Santa Paulina (SC), comemorou ao saber que eles serão os anfitriões do evento. “Ficamos muito felizes com o resultado. Então, desde já, gostaríamos de convidá-los para estarmos juntos em nossa cidade. Todos serão bem-vindos, com as bênçãos de Santa Paulina”, reforçou o convite.

Abril - 2019 |

29


Liturgia

Você conhece os objetos litúrgicos? Indispensáveis na Santa Missa, peças litúrgicas possuem importantes significados e devem ser manuseadas com respeito Lucas Barbosa

E

star em uma Celebração Eucarística é participar de uma profunda conexão com Cristo. É viver o Mistério de Sua Vida, Paixão, Morte e Ressurreição. Para que uma Missa seja completa, é necessária uma série de ações e ritos, entre eles estão presentes os objetos litúrgicos. No altar, os quatro momentos da celebração – Ritos Iniciais, Liturgia da Palavra, Liturgia Eucarística, Bênção e Ritos finais – são marcados por uma verdadeira harmonia dessas peças. Mas, você sabe o significado de cada uma delas? Confira! 30

| Abril - 2019


Abril - 2019 |

31


Bombou no Portal

Fotógrafo: Fábio Faria Fotos: Fábio Faria O Portal Pai Eterno conta com um conteúdo rico e diversificado, oferecendo diariamente notícias relacionadas à fé e à devoção, além de temas como saúde, bem-estar, comportamento, universo familiar, entre outros. As notícias publicadas têm chamado ainda mais a atenção do público e gerado muitos cliques. A partir desta edição, reservaremos este espaço para a publicação de alguma matéria com alta repercussão. A escolhida para estrear traz uma série de curiosidades sobre a Missa Tridentina e foi escrita pela jornalista Lívia Máximo. Confira!

Missa Tridentina:

o tesouro da Igreja Católica

V

ocê já ouviu falar em Missa Tridentina? Pois bem, a igreja mais antiga de Goiânia (GO), a Capela São José, localizada no Setor São José, ainda mantém a tradição da também chamada Missa de Sempre, Missa Tradicional ou Missa na Forma Extraordinária do Rito Romano. De segunda-feira a

32

| Abril - 2019

sábado, às 19h, e aos domingos, às 9h30, cristãos católicos participam da celebração na tradicional paróquia, fundada em 1901, que foi o primeiro seminário dos Missionários Redentoristas em Goiás. Atualmente, a Missa Tridentina é rezada como foi transmitida pelos Apóstolos, com pouquíssimas

diferenças. A posição do padre no contexto da celebração é uma delas. “Hoje em dia, pede-se que o padre, na missa comum, esteja voltado o tempo inteiro para o povo. Na Tridentina, a posição do padre é voltada, na maior parte do tempo, para o altar”, explica o Missionário Redentorista Pe. Bráulio Maria Perei-


ra, que faz a celebração no local há cerca de quatro anos. A segunda diferença, apontada por ele, é relacionada à importância da língua latina. O padre preside a missa em latim e os fiéis também respondem algumas partes em latim. Existem outras línguas presentes, como o português, o hebraico e o grego, mas a língua que predomina é a latina. Outra característica peculiar é a experiência do sacrifício e da profunda veneração vivida nos ritos. “Todos ficam mais tempo ajoelhados e em silêncio. É uma liturgia predominantemente penitencial. Há uma preferência também pela música sacra, canto gregoriano e a polifonia. Outra especificidade é que as mulheres procuram estar mais modestas, usando véu sobre o cabelo. Se casadas, o véu é preto, se solteiras, o véu é branco. Os homens usam sempre calças e camisas de manga. Tudo representa respeito”, ressalta o padre.

Quanto à Eucaristia, o sacerdote afirma que é o momento de maior espírito de adoração. “Boa parte do tempo o padre reza quase em silêncio, praticamente sussurrando, somente o padre e o coroinha ou acólito mais próximo escutam”, diz.

Realização

edificante. Não é fácil, é preciso ter muita disciplina interior até mesmo para me preparar para sermões ligados ao ensinamento de sempre da Igreja. Porém, neste contexto de conhecimento, foi que eu me senti chamado por Deus.”, conclui o Missionário Redentorista.

Feliz em manter viva uma tradição tão antiga da Igreja Católica, Pe. Bráulio, que já tem quase 12 anos de sacerdócio, conta que seu primeiro contato com a Liturgia mais tradicional foi em um mosteiro de frades franciscanos e outro de cônegos regulares. “Nesses locais, pude ver o valor de algumas tradições. Aquilo foi me tocando profundamente para a contemplação do mistério de Deus”, narra. Toda essa experiência, segundo ele, lhe traz profunda realização em sua missão religiosa. “Claro que tive que me submeter a uma mudança do modo de viver, de rezar, mas sempre foi muito benéfico, Abril - 2019 |

33


O Pai Eterno em minha vida

Fotos: Arquivo Pessoal

“Minha filha é a prova de que o Pai Eterno opera milagres” “Olá, meu nome é Jakeline Almeida e gostaria de compartilhar a grande graça que recebi do Divino Pai Eterno. No início de 2017, descobri que estava grávida e foi uma alegria imensa. Meu esposo e eu sempre sonhamos com isso e comemoramos bastante ao receber a notícia. Aos três meses de gestação, depois de realizar um ultrassom, soube que minha filha tinha uma má formação na região cervical. Segundo a médica, poderia ser encefalocele ou meningocele, ambos defeitos no tubo neural. Por causa disso, ela deveria fazer uma cirurgia logo após o nascimento. Como era um caso complicado e extremamente delicado, fomos alertados que o custo seria muito alto, já que nosso plano de saúde não cobriria todos os procedimentos. Meu esposo e eu ficamos desesperados. Mesmo assim, não perdemos a esperança. Já conhecíamos a Novena dos Filhos do Pai Eterno e, então, intensificamos nossas orações. A reflexão do Pe. Robson de Oliveira nos fortalecia e nos fazia acreditar que tudo ficaria bem. Com fé, eu passava a água benta em minha barriga e pedia ao Divino

Pai Eterno que voltasse Seu olhar misericordioso sobre minha filhinha. Foram vários dias de pesquisa sobre o assunto, consultas médicas e exames realizados. Em uma ressonância, descobrimos que a lesão continha apenas líquor, o líquido que banha o sistema nervoso. A cirurgia poderia ser feita tranquilamente em nossa cidade. Minha filha, Maria Sofia, nasceu, fez o procedimento recomendado,

passou 12 dias na UTI, mas venceu. Hoje, ela tem um ano e sete meses. É uma menina linda e saudável, nossa maior alegria. Essa experiência nos mostrou que o Divino Pai Eterno realmente opera milagres. Basta crer. Somos eternamente gratos por tantas bênçãos. Obrigada. Amém!”

Seu testemunho pode aparecer aqui na Revista Pai Eterno. Mande o seu depoimento com fotos para o e-mail: imprensa@paieterno.com.br ou entre em contato pelo telefone (62) 3506-9800.

34

| Abril - 2019

Jakeline Almeida Carneiro Sales, devota de São Luís (MA)


Profile for Santuário Basílica do Divino Pai Eterno

Revista Pai Eterno – nº 12, Abril de 2019  

No ar, TV Pai Eterno Evangelização, entretenimento e informação. Emissora 100% nacional e católica traz programação variada e direcionada pa...

Revista Pai Eterno – nº 12, Abril de 2019  

No ar, TV Pai Eterno Evangelização, entretenimento e informação. Emissora 100% nacional e católica traz programação variada e direcionada pa...

Profile for paieterno