Page 1


[6] Com o amor do Pai Eterno como norte, os centros sociais oferecem educação, evangelização e qualidade de vida aos que mais precisam. Conheça a diferença que este trabalho social faz na vida de crianças, jovens, adultos e idosos.

A união em prol da vida, essa é a inspiração das ações assistenciais que levam apoio e o amor do Pai Eterno aos irmãos que precisam. [18]

EXPEDIENTE

Saiba mais sobre as instituições que, com boa vontade, dedicação e fé transformam a história de muitas famílias carentes nas mais diversas necessidades. [26]

Confira como funcionam os projetos sociais que modificam a vida de crianças, jovens, adultos e idosos com atividades que envolvem toda a comunidade. [28]

Revista Ação Social - Ano VIII nº 8 | Outubro - 2018 Informe Publicitário da Congregação do Santíssimo Redentor de Goiás Rua 230, 256 - Vila Monticelli - CEP 74.655-325 - Goiânia - GO - Tel.: (62) 4009-1266 E-mail: CESPE1340@gmail.com | Facebook e Instagram: /obrasociaisredentoristas Superior Provincial dos Redentoristas de Goiás: Pe. Robson de Oliveira, C.Ss.R. Diretor das Obras Sociais Redentoristas de Goiás: Pe. Reinaldo Martins, C.Ss.R. Direção de Comunicação: Talitta Di Martino | Jornalista Responsável: Simone Borges - JP 2715 - GO - Edição: Pollyana Reis Redação: Juliana Nunes, Pollyana Reis e Vinícius Braga | Colaboração: Jefferson Carvalhaes e Michele Rodrigues | Capa: Diogo Corrêia e Diogo Oliveira Projeto Gráfico/Diagramação: Elton Rosa | Ilustrações: Ramón Fonseca | Anúncios Afipe/Obras Sociais: Diogo Corrêia e Diogo Oliveira Coordenação de Marketing: Bárbara Simões | Marketing: Celine Ramos e Gabriel Vasconcelos | Fotografia: Danilo Eduardo e Rodolfo Carvalhaes Coordenação de Produção: Jalles Vieira | Coordenação de Edição: Andrei Renato | Apoio: Afipe | Impressão: Scala Editora | Tiragem: 5.000 exemplares


Para que todos sejam um!

A

bondade de Deus nos concede encerrar mais um ano de atividades. Acolhemos este momento como dom e graça por todo esforço realizado em 2018 em nossas Obras Sociais Redentoristas. Nosso objetivo principal foi promover a pessoa humana, através das diversas atividades que realizamos. Dia após dia, anunciamos Jesus Cristo e buscamos segui-lo com maior proximidade e amor. Nosso trabalho social também é evangelização e o reflexo do amor infinito da Santíssima Trindade por nós, Seus filhos e filhas. Por isso, nosso desejo ao final de mais um ano é render graças a Deus! Rendemos graças ao Pai, que desde a criação nos escolheu para vivermos segundo a Sua vontade. O Pai Eterno, em Sua infinita bondade nos cria para vivermos segundo o Seu amor. O Pai quis estabelecer conosco um projeto comum, uma dinâmica de vida segundo seu projeto salvífico. Seguimos fiéis na história da salvação, confiamos nossas vidas em Suas mãos e promovemos a vida nas diversas realidades onde nos encontramos. Rendemos graças ao Filho, que pelo Seu exemplo nos inspira a doar nossas vidas. Jesus Cristo é a plenitude do amor da Santíssima Trindade, em Sua entrega total contemplamos a infinita misericórdia de Deus para com Seus filhos e filhas. Seguir Jesus é entregar-se em prol dos mais abandonados. Rendemos graças ao Espírito Santo, que derrama sobre a Igreja a santidade e que promove a união de todos os povos. É o Espírito que ilumina e guia os nossos projetos. A Igreja, confiada ao Sopro Divino, segue militante no projeto de Jesus que escolheu para si os pobres e abandonados deste mundo. É a partir da vida na Trindade Santa, baseada no amor, que a graça transborda e se torna missão. Esta revista é um instrumento de evangelização, pois ela nos ajuda a propagar o bem que realizamos. Ela é instrumento de paz, de alegria e o resultado da fé de tantas pessoas em nosso trabalho. O nosso sentimento é de gratidão a todos os que confiaram em nosso trabalho e que conosco promoveram vidas. Queremos seguir fiéis aos ensinamentos de Jesus, atualizando para nossa vida o que Ele nos ensinou: “Para que todos sejam um” (Jo 17,21). Continuemos fiéis a esse chamado e que amparados pela graça divina sigamos na promoção da vida e da Boa Nova. Que a Mãe do Perpétuo Socorro esteja sempre ao nosso lado, nos ensinando a acolher o chamado divino. Amém!

Pe. Reinaldo Martins, C.Ss.R. Diretor das Obras Sociais Redentoristas 4 | Revista Ação Social


Quem experimenta a solidariedade de Deus, solidário também se torna

​A

Igreja não é uma organização social nem uma partidária política. Mesmo respeitando ambas as instâncias, ela diverge das duas porque é uma comunidade de pessoas que se uniram exclusivamente pela fé em Cristo. Em consequência dessa fé, no Santíssimo Redentor, experimentamos Deus. Eis uma experiência tão forte e marcante que fica impossível mantê-la somente conosco. Impelidos por ela própria, saímos em missão, levando a quem possa se interessar, a mensagem da solidariedade. “Ouvi, então, a voz do Senhor que dizia: ‘Quem é que vou enviar? Quem irá de nossa parte?’ Eu respondi: ‘Aqui estou. Envia-me’” (Is 6,8). ​A fé em um Deus solidário marca desde a nossa vocação até a nossa missão. Ele nos elege como seus, nos ampara diante das conquistas, nos socorre perante as dificuldades da vida e conosco caminha, sem cessar. Maior solidariedade não há. Só somos solidários porque Deus se solidarizou com cada um de nós. Dessa vivência solidária, mas jamais solitária, nasce a verdade da experiência cristã. Trata-se da vivência radical que concede sentido à nossa existência e jamais se encerra em nós. Isso porque ninguém explica Deus nem possui meios de enclausurar a Sua ação. Só nos é possível testemunhá-lo a partir daquilo que cremos pessoalmente, experienciamos comunitariamente e testemunhamos missionariamente. ​Em si, a solidariedade procede do encontro com Deus e a maneira de habituar-se  a  esse encontro passa sempre pela solidariedade. Justamente por isso, ela não vem de cima para baixo. Bem ao avesso, ela irrompe debaixo para cima (Cf. Fl 2,5-11). Trata-se de uma pedagogia outra, cujo esvaziamento e originalidade faz-nos abraçar as obras sociais, anunciando-as aos endereçados da caridade. Em si a solidariedade é verdadeira virtude moral, em conformidade com a prática do justo, do direito e do devido, para além de todo e qualquer assistencialismo. ​Por ser uma virtude ela nasce de dentro para fora, sempre nos movendo ao encontro com o outro sofredor. Esse ‘sofrente’ a ser encontrado, por primeiro, somos nós mesmos. Em seguida, a solidariedade nos conduz ao encontro com os demais. Esse outro não é um estranho, mas em Cristo, torna-se nosso irmão e companheiro de missão. “E todos vocês são irmãos” (Mt 23,8). ​Há de resgatar a compreensão de que, apesar dos pesares, este mundo é obra do Criador. Por mais que miremos no céu, não podemos abandonar ao mundo. Nossa pátria também é aqui e agora. Qualquer sentimento moralista de desistência ou de distanciamento soa como alienação que nada tem a ver com a fé cristã. O Reino de Deus atualiza-se no presente da nossa história, respondendo às necessidades que nos são mais urgentes, principalmente em situação de vulnerabilidade. Nesse sentido, ganha destaque as Obras Sociais Redentoristas cuja missão maior é ouvir os apelos dos mais pobres, uma vez que neles se encontra Jesus Cristo.  Só há Redenção na companhia dos mais necessitados. Só existe comunidade na vinculação entre os irmãos. Só acontece a missão da Igreja com a presença de pessoas livres, acessíveis, fiéis e disponíveis, conforme a vontade Daquele que nos enviou (Cf. Jo 6,37-40). ​Que cada um permita-se interpelar pelo espírito da solidariedade, mediante a coragem de ver e, dentro do possível, se entregar em função de uma vida mais solidária.  Se quisermos seguir adiante, levando o Evangelho da Redenção, é imprescindível assumir o trabalho social de acordo com as necessidades que nos são apresentadas, de um modo especial, as mais urgentes. No amor do Pai Eterno, permaneçamos dando o devido testemunho de que rompemos o egoísmo com o testemunho da solidariedade.  Pe. Robson de Oliveira, C.Ss.R. Superior Provincial dos Missionários Redentoristas de Goiás  Presidente Fundador da Afipe 


CSRSC

Lugar Seguro

Centro Social Redentorista São Clemente é ideal para os pais que precisam deixar as crianças durante o trabalho

T

odo pai, mãe ou responsável por alguma criança fica com o coração apertado quando precisa deixar seu filho em uma creche. A situação é ainda mais complicada para as famílias de bairros carentes, pois elas têm dificuldades de encontrar vagas disponíveis e qualidade em serviços gratuitos. Tendo em vista essas demandas, o Centro Social Redentorista São Clemente realiza um trabalho sério dedicado à formação e desenvolvimento de crianças entre 1 ano e 8 meses a 6 anos. O São Clemente está situado na periferia da cidade de Trindade (GO) e acolhe

6 | Revista Ação Social

crianças que, muitas vezes, não tinham um lugar para ficar quando os seus responsáveis precisavam ir trabalhar. “Algumas das nossas crianças ficavam o dia sem se alimentar ou sem tomar banho, pois não tinham condições em casa”, explica a coordenadora da instituição, Francisca do Nascimento. A dona Maria da Silva, que é aposentada, tem três netas assistidas pelo São Clemente. “Aqui eles são muito bons, minhas netas não ficam sozinhas, tomam banho, comem e passam o dia seguras”, conta. Para ela, o local é um porto seguro, uma alegria para as netas e toda a família. “Eu acho bo-

nitinho como minhas netas estão felizes e animadas quando venho buscá-las. Elas me contam cada detalhe: o banho, a comida, o que aprenderam, mas o que as deixa mais animadas são as brincadeiras. Por mim, elas ficariam aqui até crescerem!”, conta a aposentada, com gratidão.

Confiança

Para a professora Márcia de Sousa, o São Clemente é o único local onde ela consegue deixar os filhos sem ficar com o coração pesaroso. Ela tem três filhos, dois já passa-


ram pelos cuidados do local e, atualmente, o mais novo é assistido pela instituição. “Eu sempre olhava a questão do carinho e do amor quando procurava um lugar para deixar meus filhos. O São Clemente não é apenas um depósito de crianças. Lá, elas são acolhidas, bem cuidadas, aprendem e voltam para casa cheias de alegria”, explica. Durante todo o dia, as crianças participam de atividades recreativas de prática esportiva inicial e desenvoltura da coordenação motora e corporal. Além de atividades lúdicas que desenvolvem o raciocínio e a expressão de emoções das crianças. De acordo

com a coordenadora, Francisca do Nascimento, a confiança dos pais e das crianças é o que mais emociona neste trabalho: “Todos os dias recebemos gestos de carinho dos pequenos e dos adultos. É bom saber que conseguimos ser um grande apoio para que essas famílias se desenvolvam”.

Família

Com o objetivo de envolver a família e engajar a comunidade, a equipe do Centro Social Redentorista São Clemente desenvolveu algumas atividades específicas

também para os adultos. Entre elas, está o Grupo de Mulheres que leva, além da Palavra de Deus, uma oficina de bordado. Toda quarta-feira, as mulheres da região são convidadas a participar deste encontro. De acordo com Francisca do Nascimento, o Grupo de Mulheres “Criando Arte, Tecendo a Vida” foi uma iniciativa que ganhou tanta popularidade que foi criado também um grupo voltado aos jovens. “Eles se encontram uma vez por semana, aprendem artesanato e partilham de um momento de fé e oração”, comenta a coordenadora.

Centro Social Redentorista São Clemente - CSRSC

Endereço: Rua Maria Santos Torrano, Qd. 02, s/n, Setor Mariápolis, Trindade-GO - CEP: 75.385-449 Telefone: (62) 9.9451-6161 - E-mail: saoclemente1340@gmail.com Horário de atendimento: 7h às 17h, em período integral (segunda a sexta-feira) Número de assistidos: 60 assistidos, (50 crianças e 10 adultos) Público-alvo: crianças de 1 ano e 8 meses à 6 anos de idade Alimentação: 3 refeições diárias Atividades realizadas: lúdico-pedagógicas, evangelização, recreação, higienização, acompanhamento nutricional, odontológico e psicológico, atividades físicas, grupo de mulheres e bazar social.

Revista Ação Social | 7


CESPE

Retribuição com amor Gratidão de crianças que frequentam o CESPE dá forças para continuar este bonito trabalho

O

Centro Social Pai Eterno (CESPE) proporciona o suporte necessário a dezenas de pais, com baixo poder aquisitivo, que necessitam de um local adequado para deixar os filhos enquanto buscam o sustento do lar. De acordo com o coordenador pedagógico das Obras Sociais Redentoristas, Naclayton Sousa, um planejamento educativo é pensado a fim de ser executado ao longo de todo o ano. Em 2018, segundo ele, foi possível observar o quanto os momentos de aprendizagem integrados são eficazes. “Dentro dessa proposta de trabalho, constatamos que tanto os assistidos, quanto os educadores aprendem e ensinam. Eles trabalham mais motivados e encontram sentido no que é realizado”, ressalta. Para Naclayton, os educadores e assistidos se integram e, juntos, realizam diversas atividades: momentos de espiritualidade, teatros, passeios, celebração de datas especiais e eventos recreativos que são focados no desenvolvimento e pautados em

8 | Revista Ação Social

atividades lúdicos-pedagógicas. Este ano, diversas atividades foram pensadas para atender e incentivar bons hábitos e dons das crianças: leitura, recreação, pintura, música, dança, jogos, evangelização etc. “Os momentos de evangelização dentro dos centros sociais são significativos em nosso trabalho, por meio de músicas, dinâmicas, orações e histórias bíblicas. Aqui, sempre pedimos e agradecemos a Deus de forma carinhosa”, explica o coordenador. Segundo Naclayton, um dos objetivos desse trabalho é fortalecer os vínculos sociais para aproximar as famílias do Centro. “Fazendo isso, nós possibilitamos também o fortalecimento da cidadania e a promoção da dignidade humana. Fizemos isso em diferentes eventos e atividades para integrar as famílias dentro da nossa instituição, entre eles: o Sarau Literário, o Dia da família, a Formação de Pais entre outros”, pontua. Para o coordenador pedagógico, ver

que as crianças e familiares gostam da proposta apresentada é satisfatório. “Olhar para essas crianças e ver as evoluções que refletem as intervenções feitas através do nosso trabalho social, gera uma satisfação muito grande e nos incentiva buscar ainda mais qualidade e objetividade em nossos projetos. Terminar um semestre com o sentimento de dever cumprido é muito enriquecedor”, destaca o coordenador.


Gratidão

Helena Alves só consegue agradecer pelo trabalho que o CESPE faz por sua neta, Ana Júlia. “Ela é tão bem tratada que só Deus para retribuir toda a dedicação dos educadores”, diz. Segundo Helena, sua neta está, há dois anos, no centro e sai de casa para ir para o CESPE muito feliz. “Minha neta não reclama nunca de ter que vir pra cá. Ela se sente muito acolhida e eu, como avó, fico muito grata por isso”, explica. Ana Júlia já está com 11 anos, só poderá frequentar o CESPE até os 13 e sua avó lamenta. “Eu queria ter descoberto aqui antes. Apesar de ficar triste por ela ter que sair logo, fico com o coração calmo por saber que ela poderá ser transferida para o outro centro que acolhe adolescentes e tem a mesma qualidade daqui”, diz Helena se referindo ao Centro Educacional e Capacitação de Apoio ao Menor (CECAM). A pré-adolescente se diz satisfeita com o CESPE. “Gosto muito de ir para lá. A gente aprende bastante e é muito divertido. Tenho muitos amigos e quero continuar lá até quando eu puder”, comenta a menina que se diz transformada. “Quando comecei a ir para o CESPE, minha vida mudou. Eu aprendi muitas coisas que vou levar pra toda minha vida”, afirma com alegria.

Centro Social Pai Eterno – CESPE

Endereço: Rua Teodora Mendes, nº475, Setor Samarah, Trindade-GO - CEP: 75.387-543 Telefone: (62) 3505-1340 - E-mail: CESPE1340@gmail.com Horário de atendimento: 7h às 17h (segunda a sexta-feira) Número de assistidos: 299 crianças Público-alvo: crianças de 3 a 12 anos de idade Alimentação: 4 refeições diárias Atividades realizadas: evangelização, informática, esportes, atividades lúdico-pedagógicas, recreação, bazar social, acompanhamento nutricional, odontológico e psicológico. Revista Ação Social | 9


CSR

Acolhimento que transforma vidas

Mais amplo e equipado, Centro Social Redentorista oferece mais conforto e novas atividades aos assistidos

S

ão 26 anos de história e milhares de vidas modificadas graças ao amor e à caridade dos filhos do Pai Eterno. Assim pode ser definido o trabalho prestado pelo Centro Social Redentorista (CSR) às centenas de pessoas que passam por ali diariamente, sendo a maioria crianças de três a 12 anos. Após a ampla reforma, o centro social foi aprimorado e passou a oferecer aos assistidos ainda mais conforto e novas oportunidades.

10 | Revista Ação Social

Com quase 400 assistidos, a entidade tem como foco a formação humana, cultural, religiosa e profissional, buscando sempre o bem-estar das famílias. Thallys Henrique Ribeiro é uma das pessoas que tiveram suas vidas transformadas após chegarem ao local. Ele começou a frequentar o CSR aos dois anos de idade, teve a oportunidade de participar de várias oficinas, recebeu toda assistência dos educadores e des-

taca o quanto isso foi importante para a sua formação. “Eu cheguei bem novinho na instituição, já que meus pais trabalhavam o dia todo. Aprendi muitas coisas, me diverti e fiz grandes amigos. Sou extremamente grato por tudo o que fizeram por mim. Nunca vou me esquecer dos momentos maravilhosos que vivi aqui. Sem dúvida, cresci bastante como ser humano. Vou sentir saudades”, afirma Thallys.


Novidades

Evellyn Alves, de 10 anos, está no centro social há três anos e não esconde a alegria de ir diariamente para o local. Ela enfatiza que a recente reforma deixou o espaço ainda mais acolhedor e ficou muito feliz com uma das novidades: a piscina. “Estou amando a natação. Sempre quis fazer e, aqui, finalmente tive a oportunidade. Além de aprender a nadar, é um momento de descontração com os colegas”, conta. Outra novidade que deixou todos os assistidos empolgados foi a reestruturação da sala de informática. Por meio do Projeto Luz Solidária da Enel, empresa parceira das Obras Sociais Redentoristas, o CSR passou a contar com 11 computadores completos, sendo dez para alunos e um para o educador social. A oficina atrai muitas pessoas e também está aberta aos adultos que buscam capacitação. A revitalização da horta também deu uma nova cara ao centro social. O lugar foi ampliado e conta com uma maior variedade de hortaliças. Orientadas pelos educadores, as crianças cuidam da plantação e aprendem sobre a importância da alimentação saudável. Tudo que eles colhem é distribuído para o CSR e os demais centros sociais, para ser utilizado na produção das refeições. Após a reforma, as mudanças podem ser percebidas nas salas pedagógicas, oficina de costura, coordenação, cozinha, refeitório e banheiros. Além disso, foram construídos na entidade um miniauditório, um consultório odontológico e dois banheiros na área externa. Tudo isso para proporcionar melhores condições de abrigo aos assistidos. “É um sonho realizado! Essa reforma é uma grande conquista para quem está engajado na obra social, pois deu um novo gás para nós, colaboradores, continuarmos nosso trabalho e para a comunidade, que tem um ambiente mais completo e acolhedor”, finaliza a coordenadora do CSR, Rose Vasconcelos.

Centro Social Redentorista - CSR

Endereço: Rua das Petúnias, Qd.100, nº 76, Lt. 09/12, Setor Pontakayana, Trindade-GO - CEP: 75.384-310 Telefone: (62) 3294-5868 - E-mail: csr.3296@gmail.com Horário de atendimento: 7h às 17h (segunda a sexta-feira); 7h às 11h (aos sábados) Número de assistidos: 391 pessoas, (177 crianças e 214 adultos). Público-alvo: crianças de 3 a 12 anos e oficinas específicas para adultos Alimentação: 4 refeições diárias Atividades realizadas: lúdico-pedagógicas, reforço escolar, recreação, informática, costura, natação, hidroginástica, grupo de mulheres, bazar social, acompanhamento nutricional, odontológico e psicológico. Revista Ação Social | 11


CECAM

A vida em comunidade

Resultado de uma demanda social, o CECAM faz a diferença na vida de muitos jovens da periferia

O

Centro Educacional e Capacitação de Apoio ao Menor (CECAM) foi criado em 2012 como resposta a uma demanda de moradores das regiões mais carentes de Trindade (GO). Eles pediam por um local em que adolescentes e jovens pudessem ter a opção de passar o tempo de forma educativa e saudável. Por isso, uma das principais missões do centro é utilizar as diversas oficinas e a evangelização para educar, motivar e estabelecer laços de amizade. De acordo com a coordenadora do local, Flaviana Irineu, as atividades ofereci-

12 | Revista Ação Social

das no CECAM tiram os jovens das ruas, da televisão, da internet e trazem para o mundo real, despertando o sentimento de partilha e interesse social. “Nós colaboramos diretamente com a formação desses jovens, por isso, a comunidade nos recebe bem e apoia o nosso trabalho”, afirma. A família é um pilar importante no trabalho no CECAM. Essencial para que os ensinamentos aprendidos ali possam ser passados adiante. “Os pais e responsáveis nos procuram elogiando nosso trabalho, falam como os filhos mudaram o comportamento. Acaba que todos nós

nos tornamos parte da família”, explica a coordenadora. João Victor Nemes, de 14 anos, e seu colega Alex Leandro, de 13, são prova de que esse trabalho em conjunto dá certo. “Eu gosto muito da oficina de futsal. Aqui, encontro meus amigos, melhorei na escola e sempre aprendo muito!”, afirma João Victor. Para Alex, o CECAM o ajudou até a melhorar as notas: “Minha mãe diz que eu estou mais comportado, minha irmã e eu fazemos a oficina de futsal e é divertido, muito melhor do que ficar na rua”, conta ele.


Superação

Apesar do foco do CECAM ser os adolescentes e os jovens, a instituição também oferece oficinas que atraem adultos e idosos, como hidroginástica e costura. Para Flaviana, o Centro é uma obra que promove o interesse e o respeito social, independentemente da idade, classe ou história de vida. “Nós testemunhamos muitas histórias de superação que, talvez para muitos, não signifique nada, mas para a pessoa é uma grande conquista”, afirma. Segundo a coordenadora, uma das histórias mais emocionantes que ela já presenciou foi a de um senhor que procurou o CECAM para fazer a oficina de costura: “Ele veio até nós e perguntou se homem poderia participar, pois sempre teve vontade de aprender, mas nunca teve oportunidade nem incentivo, já que é algo tido como ‘coisa de mulher’”. Para ele, foi sua independência, pois agora, quando precisasse, poderia consertar suas roupas sozinho. “Ele ficou orgulhoso, foi uma grande conquista”, destaca Flaviana.

Centro Educacional e Capacitação de Apoio ao Menor – CECAM

Endereço: Rua 9, Praça João Batista de Paula, nº 66, Setor Samarah, Trindade-GO - CEP: 75.387-510 Telefone: (62) 3505-1340 - E-mail: CESPE1340@gmail.com Horário de atendimento: 7h às 17h (segunda a sexta-feira); 7h às 11h (aos sábados). Número de assistidos: 927 entre adolescentes, jovens, adultos e idosos. Público-alvo: pessoas acima de 13 anos de idade Atividades realizadas: evangelização, futsal, judô, natação, hidroginástica, violão, teclado, canto coral, dança, costura, inglês, informática, grupo de mulheres, e atendimentos odontológicos e psicológicos. Revista Ação Social | 13


CECONSPES

Celebrando a melhor idade CECONSPES oferece uma série de atividades que visam a qualidade de vida e o bem-estar dos idosos

P

ara muitos, a chegada da terceira idade é sinônimo de tristeza, ociosidade e solidão. Porém, no Centro de Convivência Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (CECONSPES) essa realidade é bem diferente. Há 13 anos, a entidade oferece aos idosos, a partir de 55 anos, maior qualidade de vida, bem-estar e o resgate da alegria de viver. Para os assistidos, estar ali é uma verdadeira válvula de escape, na qual os problemas são substituídos por momentos de tranquilidade e descontração. “Se eu não estivesse no CECONSPES, não sei o que faria. Sou sozinha no mundo, mas aqui eu sei que tenho uma família. A convivência com as amigas, o carinho dos educadores e as atividades que realizo me trazem uma grande paz e me despertaram a alegria. Eu amo esse lugar”, afirma a aposentada Clara Rodrigues, de 78

14 | Revista Ação Social

anos, que está no centro social desde sua fundação, em 2005. Na instituição, o que não falta são atividades. Pilates, hidroginástica, pintura em tela, crochê, bordado, entre outras opções, são oferecidos aos idosos que desejam ocupar o tempo de forma descontraída e saudável. Dalzisa Batismo também é aposentada e tem 82 anos. Ela passou a frequentar o local e se interessou pelo bordado, já que sempre teve vontade de aprender, mas não tinha oportunidade. “Quando cheguei, eu não sabia fazer nada, nem manusear uma agulha. Graças à paciência dos educadores, logo aprendi e, hoje, sei bordar muito bem, inclusive vendo alguns trabalhos. É uma terapia para mim, uma forma divertida de passar o tempo”, pontua Dalzisa, orgulhosa dos bordados produzidos.


Saúde do corpo e da alma

A saúde também é uma preocupação do CECONSPES e, por isso, são oferecidas aos idosos atividades que trabalham a resistência física e mental, o aumento da flexibilidade, a correção de problemas posturais, entre outros benefícios. Os exercícios são adaptados de acordo com a capacidade de cada um, colocando o bem-estar sempre em primeiro lugar. A aposentada Ana Nunes, de 65 anos, conta que sofria com problemas na coluna e que, segundo o médico, deveria passar por uma cirurgia. Há quatro anos, ela começou a frequentar as aulas de pilates e teve uma melhora significativa, tanto que nem precisará mais da operação. “Desde que iniciei as aulas, as dores foram passando aos poucos e, agora, já não sinto mais nada. Foi um divisor de águas, por isso, sempre recomendo para minhas amigas”, diz. Toda essa gratidão das assistidas deixa os educadores profundamente orgulhosos do trabalho realizado e os incentiva a continuar fazendo tanta gente feliz. “Não tenho palavras para descrever o quanto é gratificante estar aqui. Faço um trabalho voluntário, mas tenho a melhor recompensa: o sorriso no rosto de cada um. Eu já perdi a minha avó, mas aqui eu ganhei várias outras”, finaliza Michel Rodrigues, massoterapeuta que ministra as aulas de pilates no CECONSPES.

Centro de Convivência Nossa Senhora do Perpétuo Socorro - CECONSPES

Endereço: Rua 607, nº 525, Setor São José, Goiânia-GO - CEP: 74.440-530 Contato: (62) 3921-5518 - E-mail: CECONSPES@gmail.com Horário de atendimento: 8h às 17h (segunda a sexta-feira) Número de assistidos: 373 pessoas Público Alvo: homens e mulheres a partir dos 55 anos de idade Atividades realizadas: evangelização, zumba, hidroginástica, pilates solo, massagem terapêutica, treino funcional, pintura em tela, atividades artesanais, corte de cabelo, manicure e pedicure, culinária, bazar social, acompanhamento médico e psicológico. Revista Ação Social | 15


16 | Revista Ação Social


Revista Ação Social | 17

Revista Ação Social | 17


EFAU

Contribuição familiar e educacional Escola Agrícola colabora com a comunidade incentivando a agricultura e a educação dos jovens

V

isto como uma família, o Projeto Escola Família Agrícola de Uirapuru (EFAU) colabora com o bem-estar e o crescimento de pessoas da zona rural do município de Uirapuru (GO). Com trabalhos que envolvem a educação e a vida no campo, a escola garante o aprendizado e o sustento dos lares. O projeto apresenta uma proposta pedagógica diferente: o trabalho é quinzenal e dividido em duas etapas: sessão escola e sessão família. Na primeira, os alunos têm acesso aos dois cursos: ensino médio e técnico em agropecuária. Durante 15 dias, além das matérias tradicionais, eles aprendem sobre agricultura, irrigação, bovinocultura, entre outras disciplinas ligadas à agropecuária. O segundo momento é a hora de aplicar, em seus lares, tudo aquilo que foi estudado. De acordo com o professor Vinícius Outro ponto de destaque da Efau, neste ano, é o trabalho em conjunto com a Juventude Duarte Camilo, essa didática diferenciada Missionária Redentorista (JUMIRE). Eles incentivam a reflexão dos alunos e realizam uma surte muitos efeitos: “A pedagogia da al- ação evangelizadora dos Missionários Redentoristas. A JUMIRE oferece uma formação huternância é extraordinária. Você consegue mano-cristã que proporciona momentos de fé, de aprofundamento nas coisas de Deus, de fazer o aluno entender a teoria de forma desabafo, de escutar o próximo e desperta sentimentos solidários entre os jovens. Segundo a coordenadora da escola, Maria Nazaré de Jesus, esse trabalho junto a JUMIprática, feita por ele mesmo e seus familiares”. E ele garante que esse modelo de RE faz a diferença. “Eles ajudam os alunos a pensarem enquanto sujeitos dentro de uma ensinar vale a pena. “As atividades extra sociedade injusta e de que forma eles precisam absorver a fé cristã para agirem diante desse sala são importantes, os dias de trabalho mundo”, finaliza. no campo com pessoas capacitadas fazem a diferença. As apresentações dos projetos são surpreendentes, pois conseguimos ver o resultado disso na capacidade dos alunos, ao mostrarem o que conseguiram fazer”, conclui. A grade curricular da escola possui as matérias tradicionais, mas as turmas são orientadas a trabalharem um tema espeEscola Família Agrícola de Uirapuru – EFAU cífico bimestralmente. Isso atrai cada vez Endereço: Fazenda Taquari GO, nº 156, Km 29, Escola Agrícola -  Zona Rural mais pessoas ao projeto e os resultados são Uirapuru-GO - CEP: 76.525-000 ainda mais gratificantes. Telefone: (62) 9.8198-3382 – 9.8207-3133 – 9.8211-1050 A escola participa toda semana de duas E-mail: aefau2002@gmail.com feiras na cidade de Uirapuru, isso mostra o Horário de atendimento: 7h às 12h e 13h às 17h (segunda a sexta-feira) quanto o trabalho desenvolvido lá é eficaz Número de assistidos: diretamente 115, indiretamente 280 e verdadeiramente produtivo. “A escola, Público-alvo: adolescentes, jovens e adultos - Alimentação: 5 refeições diárias apesar de parecer ter terras improdutivas, Atividades realizadas: A EFAU oferece o curso de ensino médio integrado à educação produz diversos tipos de alimentos saudáprofissional técnica de nível médio em agropecuária (duração de três anos), oficinas de váveis, sustentáveis e nos ajuda a apresentar rias modalidades, feira de ciências, semana pedagógica, semana agroecológica, dia de campo, para nossos alunos o quanto esse modelo dia de integração agricultores e estudantes, Festa do Milho, evangelização sustentável é viável”, explica o professor. e formação religiosa em parceria com a Juventude Missionária Redentorista (JUMIRE).

Educar na Fé

18 | Revista Ação Social


Talitha Kum

Um lar com novos rumos Casa Talitha Kum acolhe meninas em situação de vulnerabilidade oferecendo a oportunidade de uma nova vida

F

ocada na valorização da dignidade e no desenvolvimento humano, a Casa Talitha Kum é um abrigo feminino que, há 20 anos, tem a missão de acolher jovens em situação de risco e vulnerabilidade. Muitas garotas chegam ao local com histórias traumáticas e sem perspectivas de uma vida melhor. Contudo, graças ao trabalho desenvolvido pelas Irmãs Passionistas de São Paulo da Cruz, em parceria com as Obras Sociais Redentoristas, elas ganham a chance de mudar o rumo de suas vidas. Amanda Raquel Martins, de 16 anos, é um exemplo. Vinda de Nova Bandeirantes (MT), ela afirma que se tornou outra pessoa desde que chegou à instituição. “Quando entrei aqui, estava totalmente perdida, sem rumo. Era uma garota egoísta e infeliz. Tudo mudou após o acolhimento das Irmãs e a convivência com as outras meninas.

Aprendi a ser uma pessoa melhor, mais humana e altruísta”, destaca. A jovem cursa o 2º ano do ensino médio e, na entidade, participa das diversas oficinas disponíveis, como: artesanato, costura, bordado, entre outros. Porém, o que mais gosta de fazer é cozinhar. Segundo ela, a atividade funciona como uma terapia, tanto que já escolheu a faculdade que deseja cursar: gastronomia. “Quero ser uma chef reconhecida”, almeja. Para a Ir. Miriam de Sousa Vieira, uma das colaboradoras da Casa Talitha Kum, Amanda é mais um exemplo das várias meninas que tiveram suas vidas mudadas. “Histórias como essa provam que estamos no caminho certo. Lidamos com casos que nos emocionam e nos fazem enxergar a vida com outros olhos. Nós também aprendemos muito com elas”, diz.

Conforto e bem-estar

Para melhor acolher as assistidas e proporcionar mais conforto e bem-estar, em 2018, a instituição passou por uma reforma. Inicialmente, seria apenas no telhado, mas muitas coisas foram feitas no local. “Tiramos as goteiras, as rachaduras, reformamos as salas de oficinais e a casa onde as irmãs moram. Está tudo aprovado”, explica o diretor das Obras Sociais Redentoristas, Pe. Reinaldo Martins. O objetivo, segundo ele, é fazer com que as assistidas se sintam verdadeiramente em casa. “A entidade está linda e a nova cor deu mais vida para o ambiente. Escolhemos o verde, que transmite a esperança, algo que nós temos e passamos para as meninas que aqui são acolhidas”, finaliza Pe. Reinaldo.

Casa da Criança e do Adolescente – Talitha Kum

Endereço: Rua 2, Qd. A-21, lote 07, nº846, Jardim Goiás Goiânia-GO - CEP: 74.805-180 Telefone: (62) 3218-2070 - E-mail: ccatalithakum@gmail.com Horário de atendimento: 24 horas - Número de assistidos: 12 meninas Público-alvo: Adolescentes e jovens entre 10 e 18 anos, do sexo feminino, em situação de vulnerabilidade e risco pessoal e social; vítimas de violência de direitos; em situação de desemparo familiar; utilização das ruas como espaço de moradia e/ou sobrevivência e que se encontram com os vínculos familiares e comunitários rompidos. Alimentação: 4 refeições diárias Atividades: Oficina de artesanato, evangelização, acompanhamento escolar, momento de espiritualidade, encontros formativos, atividades culturais, passeios, comemorações festivas, encontros temáticos, espaço para o diálogo, filmes com debates e reflexões e atividades lúdicas com grupos da comunidade. Revista Ação Social | 19


Polivalente São José

Acolhimento e transformação Polivalente São José é referência no atendimento a crianças e adolescentes e dá oportunidades de uma nova história

L

ocalizada em uma região carente de Goiânia, a Associação Polivalente São José busca dar oportunidades a crianças e adolescentes para que o futuro deles seja formado por boas escolhas. Entre as atividades oferecidas estão: esportes, dança, coral, música, informática básica, artesanato e costura industrial. Para a coordenadora pedagógica da instituição, Maria das Graças Pereira, ver a transformação das crianças e adolescentes que frequentam as oficinas é o mais gratificante: “Quando ouço os depoimentos dos pais, das famílias, fico realmente emocionada, pois este é o nosso verdadeiro pagamento: fazer a diferença de forma positiva no mundo”. O objetivo de melhorar o mundo, mas antes começar por si próprio é levado a sério na instituição. Em cada aula, a turma é incentivada a elaborar regras de comportamento, pensar sobre elas e também colocá-las em prática. “Quando eles criam e votam a regra do ‘não jogar lixo no chão’, por exemplo, eles mesmos conseguem praticar e também cobrar do coleguinha que por algum motivo não cumpriu”, afirma Maria das Graças. O aprendizado é sempre coletivo, tanto dos assistidos, quanto dos profissionais que são responsáveis pela instituição. Todo mês as atividades são pautadas por um tema: família, vocação, cultura regional, direitos e deveres etc. Estabelecer essa dinâmica auxilia no desenvolvimento de habilidades cognitivas, artísticas, artesanais, companheirismo, paciência e, é claro, diverte muito. “Nós temos aqui artes plásticas, dobradura, capoeira e são atividades exigentes, mas que envolvem totalmente a atenção das crianças e adolescentes”, comenta a coordenadora.

Resultados

O trabalho do Polivalente São José começou em 1996, fundado pelas Irmãs Missionárias Coração de Maria e, desde então, muitos frutos foram colhidos e famílias carentes tiveram suas vidas transformadas em diversos aspectos. É o caso da dona de casa Lúbia Maria de Sousa, que deixa os filhos no local. “Eu indico o Polivalente para toda mãe que conheço, deixar meus filhos lá para mim é a mesma coisa que deixar com alguém da família”, afirma. Lúbia testemunhou uma bênção na vida de sua família, por meio do trabalho social realizado no Polivalente. “Minha filha [Bruna] tem epilepsia e o médico disse que ela teria que tomar muitos remédios para diminuir as crises. Eu fiquei muito preocupada”, conta ela. Mas, segundo a dona de casa, quando Bruna começou a frequentar as oficinas de música, a situação mudou: “Eu percebi que quando ela começou a praticar violino suas crises diminuíram e ela estava mais forte. Voltei no médico e metade dos remédios foram cortados. Para mim isto foi a mão de Deus na vida dela”. Atualmente, a filha de Lúbia ainda frequenta o Polivalente São José, mas, agora, trabalhando como voluntária. Presta serviços quando necessário e ainda participa da oficina de música, inclusive da orquestra sinfônica da instituição. “Agradeço a Deus pela oportunidade de ter onde deixar meus filhos. Hoje, o mais novo também está aqui e gosta muito de música, como a irmã”, finaliza a mãe orgulhosa.

Associação Polivalente São José – APSJ

Endereço: Rua SC-18, Qd.9, nº 514, Parque Santa Cruz Goiânia-GO - CEP: 74.860-530 Telefone: (62) 3282-1346 - E-mail: ongpolivalente@hotmail.com Horário de atendimento: 7h às 17h (segunda a sexta-feira) Número de assistidos: 300 pessoas, entre crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos. Público-alvo: Crianças e adolescentes, de 6 a 17 anos, e seus familiares em geral. Alimentação: 3 refeições diárias Atividades: costura industrial, informática básica, artesanato, orientações e atividades físicas para a terceira idade, EJA (Alfabetização de Jovens e Adultos), música (Orquestra Sinfônica, Violão, Percussão, Violino, Instrumento de sopro, Teclado e Coral infantil), esporte, capoeira, artes, cineclube, atividades lúdico-pedagógicas, orientações sociais aos jovens, palestras e bazar social. 20 | Revista Ação Social


Pastoral de Rua

Alimento para o corpo e para alma

Pastoral de Rua desenvolve ações que visam transformar a vida de pessoas em situação de vulnerabilidade

“Além do alimento para o corpo, levamos a Palavra de Deus, que é o alimento da alma, para as pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade”. Assim é descrita pelo coordenador, Nelson Antônio, a missão da Pastoral de Rua do Santuário Basílica Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, a tradicional Igreja Matriz de Campinas, em Goiânia (GO). Guiados pelo espírito da solidariedade e amor ao próximo, os voluntários se reúnem semanalmente, há 13 anos, para acolher de forma especial aqueles que vivem à margem da sociedade. Todas as segundas-feiras, no período vespertino, um grupo se reúne e prepara, com todo cuidado e dedicação, cerca de 400 lanches que serão servidos às pessoas que vivem nas ruas. Mais tarde, por volta das 22h, outro grupo sai da Igreja Matriz de Campinas e inicia a distribuição dos alimentos em diversos setores de Goiânia. Hoje, aproximadamente 70 voluntários se revezam para realizar esse trabalho. A Pastoral também atua junto à Casa Santo Afonso e oferece, diariamente, cerca de 120 lanches a pessoas em situação de rua. No local, elas ainda têm acesso a atendimentos diversos, como: corte de cabelo, cuidados com a higiene e espaço da beleza destinado às mulheres.

Afeto e atenção

Apesar da ajuda material, vinda por meio de doações, o que muitos realmente desejam, segundo Nelson Antônio, é atenção. “Às vezes, lidamos com pessoas que querem simplesmente um ombro amigo, uma palavra de conforto e motivação. Por isso, sempre procuramos levar a esperança através da Palavra do Pai e mostrar que nada está perdido. Tudo é possível quando se tem fé em Deus”, diz o coordenador. A aposentada Maria Helena Silva é voluntária há nove anos e demonstra muita satisfação por fazer parte do projeto. Ela ajuda na produção dos lanches e destaca que, desde que passou a fazer parte da Pastoral de Rua, enxerga a vida de outra maneira: “Eu me aposentei e fiquei ociosa. Juntei a vontade de fazer o bem ao próximo e a necessidade de alguma ocupação e decidi fazer parte da equipe. É uma sensação maravilhosa levar a Palavra de Deus por meio da caridade. Recomendo a todos”, finaliza ela.

Pastoral de Rua

Endereço: Praça Santo Afonso, s/n, St. Campinas Goiânia-GO - CEP: 74.520-080 Telefone: (62) 3533-5310 – 9.9975-4203 E-mail: basilicapsocorro@gmail.com Horário de atendimento: 7h às 12h (segunda a sexta-feira) Público-alvo: Pessoas em situação de rua Alimentação: 1.200 kits lanches por mês Atividades realizadas: café da manhã, distribuição de alimentos, roupas, sapatos, evangelização, um lugar para higiene pessoal e encaminhamento para unidades terapêuticas. Revista Ação Social | 21


Vila São José Bento Cottolengo

Amor recíproco De forma gratuita, a Vila São Cottolengo acolhe pessoas com deficiências múltiplas e ajuda a superar limites

N

a Bíblia, conforme o Evangelho de João (13,34): É preciso amar uns aos outros como Jesus nos amou. E isso a Vila São José Bento Cottolengo sabe bem como fazer. Com um trabalho filantrópico sem fins lucrativos, a Instituição atua em diversas áreas da saúde e presta assistência a pessoas com necessidades especiais e deficiências múltiplas. Várias atividades são realizadas para os assistidos a fim de colaborar com a recuperação e manutenção da saúde de cada um. Em 2018, durante a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla, a entidade realizou um trabalho voltado para os assistidos em que envolveu toda a equipe de colaboradores da instituição. Com o tema “Desafiando Limites com Amor”, vários momentos foram pensados para celebrar e garantir a reflexão e vivência dessas pessoas na sociedade. “Aproveitamos esse momento em que todo o Brasil está voltado para essa Semana para incentivar a meditação diante dessas deficiências que, nada mais são que uma questão física”, ressalta a coordenadora de equipe multidisciplinar da Vila, Mirian Khum. Segundo ela, a expectativa para essa semana deixa os assistidos ansiosos: “Nós começamos a preparar esse momento muito antes, pelo menos uns dois meses antes e, nossos assistidos se concentram em ensaios e treinamentos para realizar as atividades durante a semana da maneira mais eficiente”. Para Mirian, esse momento faz a diferença na vida dos internos. “É durante as atividades, que eles desafiam seus próprios limites. É um momento em que os colaboradores conseguem perceber a superação da deficiência e podem incentivar e acreditar ainda mais que essas pessoas são muito capazes”, diz emocionada.

Referência

O complexo da Vila São Cottolengo é administrado pelos Missionários Redentoristas e tem o total apoio das Irmãs Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo. A instituição existe há mais de 60 anos e, desde então, sobrevive da filantropia para ajudar pessoas que precisam de apoio e não têm condições financeiras para arcar com um tratamento. 22 | Revista Ação Social

Muitos dos pacientes atendidos não possuem família e foram abandonados justamente por causa de suas deficiências. Eles foram acolhidos na Vila que se tornou para eles, um verdadeiro lar. Por isso, é sempre necessária a ajuda com doações de roupas, chinelos, fraldas para adultos, materiais de higiene e limpeza. O local oferece apoio completo para o

desenvolvimento dos pacientes, respeitando a limitação de cada um. Entre as atividades, estão sessões de fisioterapia, equoterapia, atividades lúdicas, jogos, brincadeiras, pintura e música. Além do atendimento médico diário. Tudo é oferecido de forma gratuita e prezando pela qualidade. Todo esse trabalho, realizado com tanto carinho, fez a instituição se tornar referência em Goiás.

Vila São José Bento Cottolengo

Endereço: Av. Cel. Gabriel Alves de Carvalho, nº163, Bairro Santuário Trindade-GO - CEP: 75.388-596 Telefone: (62) 3506-9000 - E-mail: ascom@cottolengo.org.br Horário de atendimento: hospital, 6h às 18h; visitação das unidades, 8h às 15h. Número de assistidos: 327 pacientes internos e cerca 2.200 atendimentos ambulatoriais e educacionais, diariamente Público-alvo: Pacientes do SUS, convênios médicos e particulares de Trindade e municípios vizinhos. Alimentação: 5 refeições diárias (café da manhã, almoço, lanche, jantar e ceia). Atividades realizadas: São oferecidas 19 especialidades médicas e 15 tipos de exames realizados no ambulatório e nas unidades. Além disso, as atividades desenvolvidas dependem do perfil de cada paciente e unidade, e são preparadas por uma equipe multiprofissional que, dentro de suas áreas de atuação, desenvolvem atividades direcionadas para cada paciente, entre elas: equoterapia, cozinha terapêutica, grupo de dança, salão de beleza, futebol, bocha, corrida e atividades socioeducativas como gincana, festas e passeios.


Rua Itororó, 144, Bairro São Francisco 74455-015 Goiânia-GO


CASC

Oportunidade de uma nova vida

Por meio do apoio psicológico, médico e alimentar, o CASC leva dignidade e cidadania a pessoas de baixa renda

“Eu vivia deprimida, ociosa e sem qualquer perspectiva de vida. Desde que entrei no Centro de Assistência Social de Campinas (CASC), essa realidade mudou. Aprendi uma série de coisas, fiz grandes amigos e, hoje, sou uma pessoa realizada e feliz.” As palavras, da artesã Daisy Rodrigues Duarte, de 67 anos, descrevem bem a missão do centro social, cujo trabalho é voltado às pessoas de baixa renda que necessitam de apoio psicológico, médico e alimentar. Daisy entrou na entidade, há 10 anos, como aluna das oficinas de artesanato, pintura e crochê. Durante esse tempo, graças ao seu empenho e à dedicação dos professores, ela se qualificou e tornou-se uma profissional. Atualmente, trabalha como artesã e continua no CASC, mas agora como professora voluntária no Cantinho do Artesanato. “Faço questão de passar tudo o que aprendi para outras pessoas. É gratificante poder ajudar aqueles que, assim como eu, chegam à instituição desmotivados e sem qualquer ocupação. Aqui, tudo isso muda, já que é dada aos assistidos a chance de prosperar e tomar um novo rumo na vida”, afirma Daisy. 24 | Revista Ação Social

Dedicação e amor

Além dos cursos profissionalizantes, o CASC entrega, mensalmente, cestas básicas para famílias cadastradas de toda a região metropolitana de Goiânia. “Nosso projeto é baseado na ajuda dos fiéis da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, conhecida como Igreja Matriz de Campinas, além do apoio fundamental da Afipe [Associação Filhos do Pai Eterno]. Desta forma, conseguimos atender toda a comunidade e promover a cidadania e a dignidade aos mais carentes”, diz Camylla Sena, coordenadora da entidade. Para o diretor-presidente do CASC, o Missionário Redentorista Pe. João Otávio Martins, todo esse trabalho é realizado com muito amor e pensando no bem-estar de quem necessita: “O centro, já existente há muitos anos, foi criado pelos padres redentoristas que passaram por aqui para ajudar as pessoas que precisavam e procuravam o convento para pedir comida. Então, ele foi crescendo e, hoje, estamos felizes e realizados por oferecer tantos atendimentos a quem precisa”.

Centro de Assistência Social de Campinas – CASC

Endereço: Rua Senador Morais Filho, nº 884, Setor Campinas Goiânia-GO - CEP: 74.515-010 Telefone: (62) 3533-5321 - E-mail: CASCpsocorro@gmail.com Horário de atendimento: 8h às 12h e 13h às 17h (segunda a sexta-feira) Número de assistidos: 300 famílias por mês Público-alvo: crianças acima de 6 anos, adolescentes, jovens, idosos, pessoas em situação de rua e gestantes de famílias de baixa renda. Alimentação: café da manhã para as pessoas carentes e em situação de rua e distribuição de cestas básicas. Atividades realizadas: programa de apoio psicossocial às gestantes, projeto dignificando as pessoas em situação de rua, programa corpo e mente (acupuntura, massoterapia, pilates, yoga), oficina de informática, oficina de costura industrial, oficina “Cantinho do Artesanato”, projeto de assistência às famílias de baixa renda, bazar de roupas novas e usadas e projeto assistência psicológica médica.


Associação Padre Júlio Negrizzolo

Amparo físico e espiritual Associação Pe. Júlio Negrizzolo oferece a dependentes químicos a chance de recomeçar

A

trajetória do Missionário Redentorista Pe. Júlio Negrizzolo foi marcada pelas ações de caridade e amor ao próximo. O maior fruto do seu trabalho ministerial foi ter sido um instrumento de libertação para aqueles que a ele recorreram. É justamente esse o objetivo da Associação que leva o seu nome. Localizada em São Sebastião (DF), foi fundada em 2013, pelo Missionário Redentorista Pe. Vanilson Silva. A Associação Pe. Júlio Negrizzolo tem como missão recuperar pessoas dependentes de drogas e resgatar aquelas que estão à margem do caminho da vida – doentes, oprimidas, desestruturadas, depressivas – e que precisam de ajuda para que vivam de forma plena. “Nosso carisma é a misericórdia e a compaixão, traduzidas na solidariedade frente a essas condições e na ação concreta para aliviar o sofrimento”, explica Nardeci Castro, colaboradora da entidade. O garçom Maxwell Castro Silva é um exemplo, dentre vários, de pessoas que tomaram um novo rumo após passar pela Associação. Ele tem 33 anos e conta que, aos 20, por curiosidade e falta de inteligência emocional, entrou para o mundo das drogas. Durante muitos anos, sua família tentou livrá-lo deste vício tão cruel, mas não tinha êxito. Ele chegou a ser internado em uma clínica, mas logo se viu perdido novamente. Em 2017, aconselhado por um tio, Maxwell entrou para a Associação Pe. Júlio Negrizzolo e, a partir daí, sua história realmente mudou. “No local, percorri os nove meses do processo de reestruturação com alegria e dedicação. Fui bem acolhido por todos e tive a oportunidade de cuidar da minha saúde mental, física e espiritual. Hoje, estou totalmente livre das drogas”, afirma.

Melhorias

Histórias como de Maxwell são inspiradoras e incentivam a instituição a continuar esse trabalho tão importante. Prova disso são as constantes ações e mudanças implementadas para melhor acolher os assistidos. Em 2018, foram feitas várias adaptações no local, o que possibilitará a ampliação do número de atendidos. Além disso, foi construído um espaço para realização de oficinas de laborterapia com os dependentes. “Apesar do pouco tempo decorrido desde a sua criação, já são muitos e efetivos os resultados alcançados, os quais demonstram a relevância e a grandiosidade da missão da Associação Pe. Júlio Negrizzolo”, finaliza a colaboradora Nardeci.

Associação Padre Júlio Negrizzolo Comunidade Católica Filhos de Rosa Mística

Endereço: Núcleo Rural Recanto da Conquista, Chácara 6 São Sebastião-DF - CEP: 71.699-899 Telefone: (61) 3711-7171 – (61) 9.9854-2101 E-mail: apjn@apjn.com.br – radiorosamistica@gmail.com Número de assistidos: 35 pessoas Público-alvo: Dependentes químicos acima de 18 anos, vitimados pelas drogas e pelo alcoolismo. Alimentação: 4 refeições diárias, totalizando 120 refeições mensais (café da manhã, almoço, lanche, janta). Atividades realizadas: tratamento médico e psicológico, atividades artesanais, evangelização, atividades físicas, atividades de alongamento, capoeira, salão de beleza, acompanhamento de assistência social familiar e bazar social. Revista Ação Social | 25


Promovida

Oportunidade que faltava Há 20 anos, a Promovida realiza um trabalho social em prol de crianças e adolescentes

A

Ação Social Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, conhecida como Promovida transforma a vida de muitas famílias. Este importante trabalho social completou 20 anos e recebeu de presente uma ótima notícia: em 2019, a instituição foi uma das escolhidas para receber apoio do Criança Esperança. Para coordenadora-geral da instituição, Selma Freitas, ver este projeto que começou atendendo 30 crianças e hoje atende aproximadamente 220, é ver a mão do Divino Pai Eterno abençoando cada família. O projeto oferece atividades voltadas para artes plásticas, música, teatro, acompanhamento escolar, esporte entre outras. Todas oferecidas para crianças e adolescentes, de 6 a 14 anos. “É nítida a evolução das crianças: o rendimento na escola melhora, as habilidades cognitivas também, a capacidade de concentração. E isso nos motiva a seguir nosso trabalho com muita alegria e amor”, explica Selma. Para a auxiliar de cozinha Elena da Silva, a Promovida se tornou uma nova família e é um lugar onde encontrou oportunidades. “Eu vim até a Promovida, pois estava desempregada e precisava de um lugar para deixar meus filhos em segurança. Ao chegar aqui, não só consegui a vaga para meus filhos, mas também consegui um emprego”, afirma. Elena trabalhava como diarista e, hoje, trabalha na creche. Além de um emprego fixo, os filhos podem ter acesso a atividades que não seriam viáveis, se fosse pagar por elas. “Os meus filhos aproveitam muito, um tem 7 anos e a outra tem 14. Os dois participam de todas as oficinas, minha filha se dedica, principalmente, ao violão!”, conta.

Parcerias

A Promovida conta com diversas fontes de ajuda, que muitas vezes não são financeiras, mas fazem a diferença na vida das crianças e adolescentes da instituição. Por exemplo, eles fazem um trabalho em conjunto com uma faculdade particular da região. “Os estagiários do curso de nutrição nos ajudam a elaborar um cardápio nutritivo e gostoso para as crianças. Além disso, eles oferecem treinamento à equipe da cozinha para aproveitar melhor os alimentos e prepará-los da maneira correta”, explica Selma. O projeto também conta com monitores com formação em Matemática Lúdica, que orienta e auxilia as crianças a desvendar o mundo dos números com criatividade e sem medo. “Hoje, minha família e eu devemos tudo o que somos e temos a Promovida, este projeto muda verdadeiramente a vida de muitas crianças”, finaliza Elena da Silva, emocionada.

Ação Social Nossa Senhora do Perpétuo Socorro - Promovida

Endereço: Rua do Caic, nº 270, Centro – São Sebastião-DF CEP: 71.691-047 - Telefone: (61) 3335-7031 - (61) 9.8273-9639 E-mail: promovida_4@hotmail.com Horário de atendimento: 8h às 17h (segunda a sexta-feira) e 8h às 12h (aos sábados) Número de assistidos: 220 pessoas (entre crianças e adolescentes) Público-alvo: crianças e adolescentes, entre 6 e 14 anos, em situação de vulnerabilidade social e pessoal. Alimentação: 6 refeições diárias, no período matutino café da manhã, lanche e almoço e no período vespertino almoço, lanche e jantar. Atividades realizadas: apoio pedagógico, práticas esportivas, pintura, artesanato, informática, aula de música (instrumento de corda e sopro), violão, dança, oficina de teatro e bazar social. 26 | Revista Ação Social


Revista Ação Social | 27


Ensinando para a Vida

Formação e vocação Jovens são preparados para servirem ao próximo e promover a solidariedade humana

C

om o objetivo de formar homens de bem que pretendem se tornar pessoas capacitadas a abrir mão de suas vidas pelo bem dos mais necessitados, o Projeto Ensinando Para a Vida acolhe jovens e os prepara para os desafios desta missão. O projeto é realizado pela Congregação dos Missionários Redentoristas de Goiás e busca oferecer toda a formação necessária sobre a fraternidade e a solidariedade humana no contexto familiar e social. Para a execução desse trabalho, a Congregação disponibiliza quatro casas de acolhimento, três delas em Goiânia (GO) e uma em Trindade (GO). Os locais possuem todos os recursos para que esses homens concretizem o chamado para se tornarem representantes da Missão Redentorista e propagadores do bem e do amor de Cristo. O Ensinando para a Vida oferece aos jovens o ensino médio e preparação para o vestibular e cursos superiores, como: filosofia e teologia, entre outras atividades necessárias para capacitação intelectual e social. Além disso, os responsáveis pelo projeto também mantêm contato com os familiares com o objetivo de oferecer orientação e apoio. “Algumas das ações são direcionadas também às famílias promovendo o encontro. Por se sentirem bem recebidos, dispensamos a inserção de dias e horários, sendo assim, eles são acolhidos 24 horas por dia”, explica o coordenador André Justino. 28 | Revista Ação Social

Preparação

Ao todo, em 2018, 22 jovens recebem benefícios através da realização dos estudos do terceiro grau, bem como, outras áreas de formação. “É uma formação voltada para que estes jovens sintam-se fortalecidos, criem, fortaleçam e aprofundem os vínculos humanos com a comunidade, com a família, com a sociedade, tornando-se líderes e agentes fomentadores e mediadores de atividades assistenciais para suas famílias e para as comunidades”, afirma o coordenador. Durante todo o tempo recebem uma orientação necessária para que sejam bons homens promovedores da fraternidade e da solidariedade humana. Quando conhecem a história dos Missionários Redentoristas, despertam a esperança em doar suas vidas em favor dos mais abandonados, dos excluídos socialmente. Foi assim com o jovem Euripedes da Silva Júnior. Ele está se preparando para que sua vocação seja trabalhada e que a solidariedade sempre fale mais alto nas suas ações. “Por ser de Trindade, eu sempre tive contato com a devoção, então minha história vocacional começou desde a infância. Entrei para o seminário com 14 anos. Fiz o ensino médio e estou no Seminário São Clemente fazendo o curso de filosofia. Hoje, vivencio muito mais a minha vocação e tenho aumentado o desejo para que eu possa ir ano que vem para a fase do noviciado. Sou muito feliz, realizado na minha fé e vocação, continuo com o mesmo carinho com a minha devoção ao Pai Eterno”, conta ele. Euripedes diz estar muito contente com sua escolha: “A vida aqui é bastante agitada, feliz e alegre. Vivemos com alguns padres, com pessoas de outros estados, então é algo enriquecedor porque é no contato de uns com os outros que vamos construindo as nossas relações e aprendendo a lidar com nossas dificuldades e isso nos fortalece”, afirma.

Projeto Ensinando para a Vida

Endereço: Rua 230, nº 256, Vila Monticelli – Goiânia-GO CEP: 74.641-970 - Telefone: (62) 4009-1266 Número de assistidos: 22 jovens


CRPD

Família unida contra as drogas

Prevenção e superação do vício são pauta em congresso e incentivam o tratamento para esta doença

O

Congresso Redentorista de Prevenção às Drogas (CRPD), faz parte do calendário das Obras Sociais Redentoristas há sete anos. Em 2018, com tema Prevenção, Superação da Violência e Inclusão Social; e o lema: “Vós sois todos irmãos” (Mt 23,8), o congresso reuniu centenas de pessoas para buscar a conscientização. O objetivo foi debater o tema com profissionais da saúde, estudantes, familiares de pessoas em situação de qualquer vício bioquímico. Além de discutir o problema, a proposta é levar esperança para as famílias que sofrem com esta doença, a partir das informações e experiências de profissionais renomados no Brasil, sobre a possível recuperação dessas pessoas diante desse problema que envolve toda a sociedade. Desta vez, o congresso colocou em pauta o papel das pessoas mais próximas ao dependente, na luta contra as drogas. “Falamos sobre a importância da família para o desenvolvimento psicológico e social do ser humano. A família é uma instituição muito importante”, destacou a psicóloga e palestrante, Aliciana Oliveira de Freitas.

Persistência

A psicóloga especialista em dependência química, Laura Fracasso, também foi uma das palestrantes e falou sobre prevenções e recaídas durante o processo de recuperação do paciente. “Quando falamos da doença, a recuperação é um processo. Não tem cura! Então, precisamos prevenir para que a recaída não aconteça. Se ela acontecer, o que precisamos fazer? Não é desanimar, perder a esperança. Pelo contrário, se conseguirmos lidar adequadamente com o episódio que levou à recaída, muitas vezes descobrimos que aquilo era necessário no processo de recuperação”, pontuou. O lema do congresso faz referência ao Evangelho de Mateus (23,8): “Vos sois todos irmãos”; e mostrou a importância de aproximar o assunto da vida cristã. “Quem é discípulo de Jesus já tem um fator de proteção que é muito maior. Então, nós levamos este amor a outras pessoas”, pontou o diretor das Obras Sociais, Pe. Reinaldo Martins. Segundo ele, as drogas não escolhem classe social e, por isso, exige de nós um esforço, um trabalho conjunto para vencermos este grande mal. “É possível vencer sim, mas precisamos criar essa cultura de paz e amor”, ressaltou o padre.

Congresso Redentorista de Prevenção às Drogas - CRPD

Endereço: Rua 9, Pça. João Batista de Paula, nº66, Setor Samarah Trindade-GO. - CEP: 75.387-510 Telefone: (62)3505-1340 Revista Ação Social | 29


Gesto Concreto

Superação da Violência As atividades do Gesto Concreto estimularam a cultura de paz diante dos conflitos familiares e sociais

T

odo ano, o Gesto Concreto nos Centros Sociais se propõe a colocar em prática o tema da Campanha da Fraternidade. Em 2018, o assunto debatido foi “Fraternidade e Superação da Violência”, um tema recorrente e delicado que envolve todos os contextos sociais. A psicóloga das Obras Sociais Redentoristas, Regina Marta Morais, esteve à frente das atividades que envolveram o Gesto Concreto: “Muitas pessoas que participaram das rodas de conversa, não tinham a dimensão do que pode ser classificado como violência. Existem algumas violências que já estão tão naturalizadas que achamos normal acontecer”. A cada atividade, a comunidade expressou interesse e despertou um compromisso maior na superação das violências que estão presentes no dia a dia. “Muitas delas agradeceram, por exemplo, os canais de atendimento e de denúncia  para relatar uma situação de violência contra idosos, crianças e mulheres”, afirma Regina Marta.  As rodas de conversa foram realizadas em cada Centro Social, além de palestras informativas, os participantes podiam trocar vivências, que ajudavam na superação e

solução dos problemas. “Um dos momentos que mais me marcou foi quando tratamos sobre o tema da violência doméstica. O maior público que atendemos é de mulheres. Portanto, ouvi-las e saber que, em um dado momento da vida, elas foram vítimas dessa violência, é muito triste. É de extrema importância propor atividades que toquem a vida das pessoas para uma mudança que afete  a vida delas, mas que também tenha   repercussão na família, trabalho, no mundo”, conta Regina Marta.

Informação

Além das rodas de conversa, foi realizado um seminário temático sobre segurança pública. O evento contou com a participação de autoridades do município de Trindade (GO) para debater com a sociedade soluções para esse problema. “A proposta é trabalhar a superação da violência. Por isso, propomos conversar sobre a violência doméstica, violência e exploração sexual de  crianças  e adolescentes e a violência contra idosos. Esses temas foram expostos  abrindo espaço para partilha de vivên-

cias e também esclarecimentos. Em todas as rodas, houve orientação sobre como reagir diante dessas situações”, pontua Regina. Para a aposentada Antonieta Bezerra, todas essas atividades proporcionaram uma oportunidade de entender como a violência funciona e buscar caminhos que tire as famílias e toda a sociedade desses acontecimentos: “Uma coisa importante foi saber que não existe um só tipo de violência contra a mulher e que temos que acudir quem vive nessa situação. Achei interessante saber que existe a violência financeira, patrimonial e psicológica também. Até aprendi como posso ajudar”. As rodas de conversa e o seminário cumpriram o objetivo de levar informação e disponibilizar auxílio para as vítimas da violência, mas também para o agressor. “Achei importante escutar o testemunho de algumas colegas que já viveram essa experiência da violência. Eu aprendi que a gente tem que se proteger, mas também temos que tomar cuidado com a gente mesmo, com nossas atitudes e palavras que podem ser violentas com o próximo”, destaca Antonieta. 

Gesto Concreto

Endereço: Rua Teodora Mendes, nº475, Setor Samarah Trindade-GO - CEP: 75.387-543 Telefone: (62) 3505-1340 - E-mail: psicoobrassociais@gmail.com Público-alvo: moradores de bairros periféricos de Trindade e região. 30 | Revista Ação Social


Ação Social Redentorista

Prática do amor

Ação Social Redentorista leva cidadania, orientações e muita evangelização para Abadia de Goiás

T

odo ano, as Obras Sociais Redentoristas promovem a Ação Social Redentorista, com um dia inteiro de atendimentos para uma comunidade carente. Em 2018, a cidade de Abadia de Goiás, que fica na região metropolitana de Goiânia, recebeu o projeto e atraiu centenas de moradores com serviços gratuitos que levam dignidade e cidadania aos moradores. Segundo os coordenadores do projeto, Neide Alves e João Paulo Madruga, o objetivo é garantir o acesso a diversos serviços: atendimentos médicos, odontológicos, psicológico, orientações jurídicas, nutricionais e demais serviços. “Os atendidos também tiveram seu dispor um ‘Cantinho da Beleza’ para cuidar do visual. E ainda atividades esportivas e recreativas para todas as idades”, explica Neide. A Ação Social mobiliza muitos Missionários Redentoristas e voluntários que se dispõem a colocar seus dons a serviço dos filhos do Pai Eterno. Entre eles, está a professora Silvana Aparecida de Queiroz. Ela e o marido coordenam a Pastoral da Família na paróquia que frequentam e decidiram se voluntariar nessa ação. “O desejo de ajudar o próximo falou alto em meu coração e me dispus a realizar este trabalho junto com tantas pessoas”, relata a professora.

União

Este ano, a Ação Social ocorreu nos dias 22 e 29 de setembro, e atendeu 1.360 pessoas, mas o trabalho começou muito antes. “Antes do grande dia, fazemos muitas reuniões para definir como será feito e onde será realizado o trabalho. Além disso, temos também a pré-missão, quando visitamos a comunidade uma semana antes para fazer o convite para a Ação Social e também para rezar por cada um, deixar uma mensagem de conforto”, afirma a coordenadora Neide Alves. A Ação Social se inicia com uma missa para que todas as atividades desenvolvidas no local sejam colocadas sob a proteção do Divino Pai Eterno. Neide destaca que, ao final do dia, é possível perceber em cada rosto que a dedicação valeu a pena e o amor do Pai Eterno se fez presente na vida dos mais necessitados. “Nosso trabalho é extensivo, buscamos levar a saúde física e espiritual para as famílias carentes da região”, conclui.

Ação Social Redentorista

Endereço: Rua Teodora Mendes, nº475, Setor Samarah Trindade-GO - CEP: 75.387-543 - Telefone: (62)3505-1340 Revista Ação Social | 31


Morar com Dignidade

Reforma abençoada

O sonho da casa pronta se tornou real após a família ser contemplada com o projeto Morar com Dignidade

Q

uando o zelador José Aprígio chegou com a notícia de que as preces de sua esposa, Maria Agueda Paula, tinham sido atendidas, ela já sabia exatamente qual graça haviam recebido. O sonho de reformar sua casa e dar um quarto para sua netinha, enfim, se tornou realidade por meio de uma ação redentorista, com o projeto Morar com Dignidade. Esse trabalho consiste em reformar ou construir casas para famílias carentes que, de alguma forma, são ligadas à missão redentorista, como participantes de atividades ou como prestadores de serviços na Província Redentorista de Goiás. No caso de José, ele colabora no Centro Social Pai Eterno (CESPE) e, há alguns anos, havia feito o pedido para que sua casa fosse reformada. Ele foi contemplado, a reforma aconteceu e superou as expectativas. “Ficou muito melhor do que eu sonhei. Ainda acho que estou sonhando na verdade. Minha neta diz que está morando dentro do sonho dela”, comenta emocionada a aposentada Maria Agueda. A casa ficou muito melhor do que eles poderiam fazer sozinhos. Uma moradia que era simples agora pode acolher toda a família. “Nosso filho mora com a gente, a minha netinha tem seu próprio quarto e podemos receber nossa família e proporcionar a eles certo conforto, o que antes não era possível. Isso, pra gente, não tem preço. Seremos eternamente agradecidos a esse projeto, e, principalmente, ao Divino Pai Eterno e a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, por sua intercessão”, afirma José. Após a reforma, Maria agora tem outro desejo: o de abençoar a casa com uma celebração de Ação de Graças pela concretização de seu sonho, presidida pelo diretor das Obras Sociais Redentoristas, Pe. Reinaldo Martins. “Estamos organizando uma data para fazer a missa aqui e quero que o Pe. Reinaldo celebre”, reforça.

Projeto

O Morar com Dignidade, de acordo com o Pe. Reinaldo, já contemplou mais de 60 famílias desde o início desse projeto. Em 2018, cinco famílias foram beneficiadas com uma refoma ou a construção de uma casa. Segundo o Missionário Redentorista, é um trabalho realizado com muito amor: “Contemplamos essas pessoas e também colaboramos e devolvemos a eles o carinho e amor que eles demonstram por nós e nosso trabalho. É uma satisfação grande, porque estamos sendo presença de Deus na vida dessas pessoas”.

Projeto Ação Morar com Dignidade

Endereço: Rua 230, nº 256, Vila Monticelli Goiânia-GO - CEP: 74.641-970 - Telefone: (62) 4009-1266 Número de beneficiados: mais de 60 famílias. 32 | Revista Ação Social


JUMIRE

Missão interprovincial dos jovens de Deus Primeiro encontro entre províncias com jovens é realizado a fim de anunciar a palavra de Deus

R

eferência no trabalho de evangelização, a Juventude Missionária Redentorista (JUMIRE) realiza diversas atividades voltadas para os jovens na igreja. São momentos que ajudam essas pessoas que estão apenas começando a vida a se aproximarem do Pai Eterno e entenderem o verdadeiro sentido da fé e do amor Dele. Além de compreenderem mais a Palavra de Deus e o significado de uma vida cristã. O projeto proposto pela JUMIRE já está presente em cinco estados brasileiros e o Distrito Federal. Ao todo, são mais de 1300 integrantes engajados com a fé e a evangelização. Várias atividades são programadas com esses jovens, uma que merece destaque este ano é a Missão Interprovincial da JUMIRE. Uma ação bastante sonhada e que se tornou real depois de muitas tentativas. “Após diversas vezes a Comissão Nacional ter cogitado a necessidade de realizar uma missão envolvendo a Juventude Redentorista de nossas Unidades do Brasil, na reunião de 2017, aos pés de Nossa Senhora, foi definido que ela aconteceria em fevereiro de 2018 na cidade de Belém [PA]”, explicou o coordenador da JUMIRE, o Missionário Redentorista Pe. Fábio Pascoal.

Belém, e reuniu cerca de 120 jovens de diferentes regiões do País. “Ficamos espalhados pelas comunidades da Paróquia, anunciando o Redentor em meio a realidades desafiadoras de tráfico de drogas, tráfico humano, questões sociais. A nossa juventude, com muito dinamismo, semeou a esperança e a paz, remédios necessários para os corações feridos”, explicou o padre. Na oportunidade do encontro, o Mis-

sionário Redentorista aproveitou para refletir com os jovens em missão sobre os desafios de viver e ser o sinal do Reino de Deus em um mundo ferido como o nosso. “Feridas que a JUMIRE pôde perceber na convivência com as comunidades e algumas que os jovens trouxeram de suas realidades, mas são possíveis de serem curadas, redimidas pelo amor do Senhor Jesus”, disse o sacerdote.

Ser sinal de Jesus

Com o tema “Juventude em missão, no anúncio da Copiosa Redenção para um mundo ferido”, a 1ª Missão Interprovincial da Juventude Missionária Redentorista (JUMIRE) foi realizada na Paróquia Nossa Senhora Mãe do Perpétuo Socorro, em

Juventude Missionária Redentorista (JUMIRE)

Telefone: (62) 9.8606-0483 E-mail: secretariaJUMIRE@yahoo.com.br Público-alvo: jovens com idade entre 16 e 28 anos, de modo especial, os que estão afastados da vida em comunidade e suas famílias. Revista Ação Social | 33


Natal das Obras Sociais Redentoristas

Na alegria do Salvador O Natal das Obras Sociais Redentoristas celebra o nascimento de Jesus e o dom da caridade que ajuda tantas famílias

A

festa do Natal das Obras Sociais Redentoristas é um dos eventos mais esperados por aqueles que frequentam os centros sociais e demais obras sociais, principalmente as crianças. A confraternização acontece tradicionalmente no domingo que antecede o Natal e, este ano, terá como tema: “Jesus nasce todos os dias para nós”. De acordo com os coordenadores do evento, Naclayton Sousa e Flaviana Irineu, o evento reúne aproximadamente 1500 pessoas entre crianças, jovens e adultos. “Nosso Natal visa, sobretudo, atender os nossos assistidos, seus familiares e pessoas carentes em geral em uma linda festa, celebrando o nascimento de Cristo”, explica. Para atender todas essas pessoas, cerca de 150 voluntários ficam à disposição em diversas atividades que são oferecidas durante a festa. “O Natal contará com diversas apresentações das Obras Sociais, cantinho da beleza, parque, praça de alimentação e distribuição de brinquedos”, conta Naclayton. As crianças se divertem na cama elástica, piscina de bolinhas e outras atividades recreativas. A festa começa às 8h e vai até às 11h, durante todo este tempo, 12 equipes trabalham intensamente para levar alegria e diversão às crianças e também às suas famílias, de forma organizada e segura. Entre os voluntários, está a oficial de justiça, Simone Sarmento, devota do Divino Pai Eterno. Ela se dedica a esta ação há seis anos: “Eu fiz uma promessa ao Pai Eterno e, quando recebi a graça, entrei em contato com as Obras Sociais Redentoristas pedindo para ajudar na festa do Natal. Já cumpri meu voto, mas não deixo de ir, pois me traz muita alegria!”, afirma. Simone conta que já trabalhou em várias funções: na cozinha, na animação, no cantinho da beleza e na distribuição de brinquedo. Além disso, ela também busca doações com amigos e familiares para arrecadar dinheiro e comprar brinquedos para serem distribuídos no dia da confraternização.

Exemplo

Incentivada desde cedo pela família, Simone se habituou ao trabalho voluntário. “Poder ajudar as pessoas é uma grande alegria, aprendi isso com minha mãe e nunca mais parei”, conta. Hoje, ela também traz os filhos para participarem do Natal das Obras Sociais, pois o exemplo ensina mais do que qualquer explicação. Para ela, estar com os filhos neste evento incentiva o sentimento de solidariedade e valorização do que se tem. “Se não incentivarmos isso, tudo fica superficial. A criança ganha um brinquedo e amanhã não quer mais, então, quando eles veem a alegria de tantas crianças, ao receber uma bola ou uma boneca, passam a entender como é importante valorizar e dividir o que se tem”, relata.

Natal das Obras Sociais Redentoristas

Endereço: Rua Teodora Mendes, nº475, Setor Samarah Trindade-GO - CEP: 75.387-543 Telefone: (62) 3505-1340 34 | Revista Ação Social


Revista Ação Social | 35


36 | Revista Ação Social

Profile for Santuário Basílica do Divino Pai Eterno

Revista Ação Social – 2018, nº 8  

Com o amor do Pai Eterno como norte, os centros sociais oferecem educação, evangelização e qualidade de vida aos que mais precisam. Conheça...

Revista Ação Social – 2018, nº 8  

Com o amor do Pai Eterno como norte, os centros sociais oferecem educação, evangelização e qualidade de vida aos que mais precisam. Conheça...

Profile for paieterno