Issuu on Google+

Black Tie Club TRINTA E CINCO ANOS AO SERVIÇO DA NOITE LISBOETA

Parece que foi ontem, parece, mas já lá vão trinta e cinco anos que o “Black Tie” abriu. Quem entra e não conhece julga que abriu na semana passada. É verdade, a casa mantém intacto o charme de sempre. Já sofreu várias remodelações mas sempre manteve o estilo. Um espaço clássico, acolhedor, discreto e apelativo. Quando falei com o administrador, o conhecido Manuel Teixeira, não foi difícil detetar o orgulho no olhar. Manter três décadas e meia uma casa noturna na crista da onda não é pera doce, mas, acima de tudo, fazê-lo com classe é um trabalho para poucos, muito poucos. O outro dia foi o aniversário da minha esposa. Liguei a marcar um jantar para as vinte e duas horas. Perguntaram-me que tipo de ementa queria. Encomendei um bacalhau no forno para a minha esposa e, para mim, um bife do lombo quase em sangue. Tive o cuidado de avisar que era o aniversário dela e que gostaria de um ambiente romântico se fosse possível. Chegámos à hora marcada. O espaço estava à média luz, tocava uma música suave, e, para meu espanto, o DJ estava de serviço àquela hora. Na mesa acenderam-nos velas. Vieram os aperitivos e escolhemos um vinho alentejano tinto de excelente qualidade. Quando chegaram os pratos principais, e mal começámos a comer, aproximou--se da mesa um saxofonista e a música ambiente foi substituída pelo som do saxofone. Vi nos olhos da minha esposa um brilho infinito de delícia suprema. Ia pedir champanhe quando ouvi ao

meu lado a garrafa a abrir, a perfeição do serviço era tal que arrepiava. Ainda tomávamos o café quando ela me disse que tinha acabado de viver o melhor dia de anos da vida dela. Meu amigo leitor, isto não tem preço. A noite não acabou por aí, ainda dançámos na discoteca, repleta já de caras bonitas e homens bem trajados. Saímos já o dia raiava lá pelas seis da manhã. A música dava para dançar, sem o batuque infernal das discotecas da moda, mas era moderna, atual, bem escolhida e própria para o ambiente. A pedido da aniversariante e embora a casa estivesse cheia, ainda tivemos direito a uma boa mão cheia de músicas dos anos setenta e oitenta, para dançar-mos ao som do velho disco sound dos nossos tempos juvenis. Foi uma noite das mil e uma noites que só acontecem ali no “Black Tie” (Club).

Recomendo que tente, visite e disfrute, em grupo, com amigos, em festa, ou vá sozinho pois companhia sempre se arranja num local tão bonito. Vai ver que não se arrepende. Tenha uma boa noite. Gil Saraiva

Rua Martens Ferrão 12 B | 1050 - 160 Lisboa Tel: 21 354 52 86 | backtie@zonmail.com Segunda a Sábado - 23h - 6h | Encerra: Domingo


4__