Page 1

EDIÇÃO PDF Directora Graça Franco

Terça-feira, 24-06-2014 Edição às 08h30

Editor Raul Santos

Ruptura iminente nas urgências do Algarve

FALAR CLARO

Vera Jardim receia que luta no PS abra feridas no partido MUNDIAL 2014

Alemanha não combina resultado com os EUA

Relatório europeu aponta para degradação das condições de trabalho em Portugal

NOTA DE ABERTURA

"Barrigas de aluguer"

Foi-lhe imposto um compromisso Bye-bye Troika, olá educação para não engravidar? Recorra à justiça

Tempo melhora a Portugueses partir de quartacautelosos vão de feira. Até lá, há férias cá dentro trovoada e granizo

CRISTINA SÁ CARVALHO

MUNDIAL 2014

Já há dois jogos para os "oitavos"


2

Terça-feira, 24-06-2014

Ruptura iminente nas urgências do Algarve Ordem dos Médicos deixa o alerta ao ministro Paulo Macedo: é urgente o reforço de profissionais nos hospitais e centros de saúde no Verão, altura em que a população duplica no Algarve. Por Cristina Branco

As urgências médicas nos principais hospitais do Algarve podem entrar em ruptura, se não forem contratados médicos e enfermeiros para os hospitais de Portimão e Faro durante o Verão. “Se o Ministério não toma medidas rápidas, de reforço dos profissionais e de viaturas de urgência préhospitalar, tememos a ruptura das urgências nos hospitais e centros de saúde, nesta altura em que a população duplica no Algarve”, avisa o presidente do Conselho Regional do Sul da Ordem dos Médicos, Jaime Mendes. O responsável sublinha a falta de médicos ortopedistas e anestesistas e dá o exemplo específico dos acidentes na Estrada Nacional 125. “Todos nós sabemos que é uma estrada perigosa, onde há sempre muitos acidentes, e será muito difícil dar assistência com a falta destes profissionais em número suficiente.” A questão não é apenas de saúde, sublinha Jaime Mendes, mas também económica, uma vez que “para um turismo de qualidade são necessários cuidados de saúde de qualidade”. A Ordem dos Médicos tem marcada para o meio-dia desta terça-feira uma conferência de imprensa para alertar o Governo para o problema. PAULO MACEDO

Acordo no hospital de S. João inclui questões de recursos humanos

hospitalar de S. João e para os outros", disse Paulo Macedo aos jornalistas, na Guarda, à margem do novo pavilhão do hospital local. O governante adiantou que o entendimento também envolveu "uma questão em termos de maior flexibilidade nos investimentos" e "uma questão de fundo, que é o dar maior autonomia aos hospitais". "E, esta autonomia, todos concordamos com ela. Ou seja, claramente este Governo concorda, como será natural de perceber, numa maior autonomia para os hospitais. Agora, esta autonomia tem também de ser seguida de responsabilidade", acrescentou. Paulo Macedo disse que "a autonomia será bastante mais fácil de conceder a quem tem as suas contas equilibradas do que a quem ainda tem défices grandes para reduzir". Reconheceu ainda a necessidade de os serviços do Ministério da Saúde serem "mais céleres na satisfação dos recursos humanos que são solicitados". "Temos neste momento concursos abertos para 200 profissionais em medicina geral e familiar, vamos abrir um novo concurso para mais de 300 médicos para a área de especialistas na área hospitalar", esclareceu. Apontou ainda que o Governo vai abrir outro concurso para especialistas na área hospitalar e lembrou que, em Janeiro deste ano, foram recrutados 1700 médicos. "Não há nenhuma outra área" na administração pública "que tenha recrutado este número de profissionais", observou o ministro Paulo Macedo após a inauguração do novo pavilhão do hospital da Guarda, que custou 55 milhões de euros. Os directores clínicos e de departamento do Hospital de S. João aceitaram continuar em funções até 15 de Julho, data em que esperam que sejam postas em prática as medidas apresentadas pelo Governo para resolver as deficiências. Em comunicado lido no sábado pelo presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar de São João, António Ferreira, após uma reunião com os presidentes das Unidades Autónomas de Gestão e Directores de Serviço que, na quinta-feira, apresentaram em bloco a sua demissão, "as lideranças intermédias avaliaram favoravelmente" as soluções propostas pela tutela. "Aguardam a concretização das mesmas por parte do governo nos prazos definidos pela tutela, a maioria dos quais decorre até 15 de Julho. Manifestam total confiança no Conselho de Administração. Durante este período asseguram a continuidade de funções", disse António Ferreira.

Governante confirmou ainda que vai haver uma maior autonomia aos hospitais. O ministro da Saúde diz que a resolução dos problemas no Hospital de S. João inclui aspectos relacionados com recursos humanos, maior flexibilidade nos investimentos e maior autonomia dos estabelecimentos hospitalares. "[O acordo] tem um aspecto de natureza imediata que é as questões de recursos humanos que estão pendentes para diversos hospitais e que nós pedimos junto do Ministério das Finanças que haja uma maior celeridade nestes processos e isso acontecerá para o centro

CONSELHO DE DIRECTORES. A reflexão sobre a actividade política e económica. Com Graça Franco, Pedro Santos Guerreiro e Henrique Monteiro, num debate conduzido por José Pedro Frazão. À quinta-feira, na Edição da Noite, a partir das 23h.


3

Terça-feira, 24-06-2014

Tempo melhora a partir de quartafeira. Até lá, há trovoada e granizo Todos os distritos de Portugal continental estão esta terça-feira sob aviso amarelo, devido à previsão de chuva forte. Mas as nuvens não afastam perigosidade dos raios ultravioleta, pelo que há nove regiões do país com risco muito alto de exposição a essa radiação.

No que diz respeito a temperaturas para esta terça-feira, Lisboa, Évora, Beja, Faro, Leiria, Porto, Vila Real, Bragança, Ponta Delgada e Angra do Heroísmo devem chegar aos 23 graus, Braga aos 25, Castelo Branco, Viana do Castelo, Coimbra, Santa Cruz das Flores e Funchal aos 24 e a Guarda aos 20. Nove regiões do país com risco muito alto de exposição ultravioleta Nove regiões do país apresentam esta terça-feira um risco muito alto de exposição à radiação ultravioleta (UV) e outras tantas estão com níveis altos, informa o IPMA. As regiões de Braga, Évora, Faro, Funchal, Porto, Porto Santo, Sines, Viana do Castelo e Ponta Delgada apresentam níveis muito altos de exposição à radiação UV, enquanto em risco alto estão as regiões de Aveiro, Beja, Castelo Branco, Leiria, Lisboa, Portalegre, Sagres, Santarém e Angra do Heroísmo. O IPMA e as autoridades de saúde aconselham a utilização de óculos de sol com filtro UV, chapéu, tshirt, guarda-sol e protector solar e a evitar a exposição das crianças ao sol. NOTA DE ABERTURA

"Barrigas de aluguer" Problemas, e sérios, já o País tem que chegue. Manda o bom senso que os Senhores Deputados não arranjem mais. Tempo começa a melhorar na quarta-feira. Foto:DR

O estado do tempo vai melhorar a partir de quarta-feira, mas as temperaturas vão manter-se nos 23 ou 24 graus. Os aguaceiros podem manter-se, ainda que fracos, nas regiões do Norte e do Centro. Estão também previstos períodos de céu muito nublado até ao final da manhã e aguaceiros em geral fracos. O vento também desce de intensidade. “Vamos ter uma pequena subida da temperatura mínima e da máxima nas regiões do interior e neblina ou nevoeiro matinal”, indica a meteorologista Cristina Simões, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), em declarações à agência Lusa. “Para hoje [terça-feira], ainda está prevista uma situação instável, associada a uma depressão que está em deslocamento para o território espanhol. Estão previstos períodos de céu muito nublado, ocorrência de aguaceiros, por vezes fortes, de granizo, e acompanhados de trovoada, especialmente à tarde”, afirma. Todos os distritos do continente estão sob aviso amarelo, o segundo menos grave de uma escala de quatro, entre as 9h00 e as 21h00, por causa dos aguaceiros, por vezes fortes, de granizo, acompanhados de trovoadas e rajadas fortes de vento. Para os Açores, o IPMA prevê céu muito nublado com abertas a partir da manhã, neblinas durante a madrugada, períodos de chuva fraca durante a madrugada e início da manhã e vento moderado. Na Madeira, prevêem-se períodos de céu muito nublado, possibilidade de ocorrência de aguaceiros fracos nas vertentes norte até ao final da manhã e vento fraco a moderado.

Nesta fase particularmente difícil da nossa vida colectiva, em que toda a comunidade deveria estar unida perante graves desafios que nos são colocados, custa a perceber a insistência nos famigerados “temas fracturantes”. O último exemplo é o da legalização das chamadas “barrigas de aluguer” ou “maternidade de substituição”. Trata-se da possibilidade de uma mulher ceder o seu útero para nele ser implantado um ovo alheio, sendo a criança devolvida aos seus pais biológicos no fim da gestação. Em Portugal e no estrangeiro, as gravíssimas objecções contra as “barrigas de aluguer” têm sido apontadas por numerosas as vozes - de esquerda e de direita, de conservadores e de progressistas, de crentes e de ateus. Gravíssimas objecções, em primeiro lugar, de natureza ética, porque a mulher que realiza a gestação não é aqui encarada como uma Mãe, antes surge reduzida a um útero, de que outros se aproveitam, tantas vezes a troco de dinheiro. A mercantilização, ainda que encapotada, da função reprodutiva representa apenas mais uma forma de exploração do corpo da Mulher. Não menos graves são as objecções de natureza política, no sentido mais nobre da expressão. A "maternidade de substituição" não é uma questão de moralidade privada, onde devam prevalecer quaisquer escolhas individuais. Um Estado fundado na dignidade da pessoa humana, como proclama a Constituição, não pode tolerar os fenómenos de alienação, mercantilização e exploração que acompanham as "barrigas de aluguer". As objecções estendem-se, por fim, às questões jurídicas. Antes do mais, porque repugna que possam existir contratos sobre uma criança em gestação ou


4

Terça-feira, 24-06-2014

sobre o corpo de uma mulher. Depois, porque se colocam aqui problemas dramáticos, para os quais o Direito não consegue dar soluções satisfatórias: e se os pais biológicos mudarem de ideias e não quiserem ficar com a criança? E se a mãe portadora mudar de ideias e quiser ficar com a criança? E se a criança tiver uma deficiência e ninguém quiser ficar com ela? Problemas, e sérios, já o País tem que chegue. Manda o bom senso que os Senhores Deputados não arranjem mais. FALAR CLARO

Vera Jardim receia que luta no PS abra feridas no partido Vera Jardim não abre o jogo sobre quem vai apoiar na disputa em curso no PS. Morais Sarmento admite que o PSD pode ganhar as eleições se Seguro continuar líder. José Vera Jardim reconhece que o apelo que subscreveu com Almeida Santos, Manuel Alegre e Jorge Sampaio não teve grande acolhimento no seio do PS. Dias depois do pedido de uma solução rápida num clima de respeito mútuo na corrida à liderança, a reunião da Comissão Nacional do PS ficou marcada por tensão, insultos e pela manutenção das primárias para 28 de Setembro. Na edição desta segunda-feira do "Falar Claro", na Renascença, Vera Jardim lamenta os incidentes de Ermesinde, lembrando que "um debate interno num partido cai muitas vezes em aspectos pessoais que rapidamente descambam para aquilo que não devem ser: o insulto, a insinuação pessoal, etc. Isso deve ser evitado a todo o custo. E uma das formas de o evitar é resolver estas questões com rapidez e rigor". Certo é que a discussão interna vai arrastar-se e para o social-democrata Nuno Morais Sarmento "não há qualquer possibilidade de alguém de bom senso e no seu perfeito juízo argumentar seriamente que o prolongamento desta situação beneficia o PS ou o esclarecimento dos portugueses. Acabará por ser um período em que o PS fica exposto ao tiro ao alvo de todas as outras forças políticas. Cada crítica interna vai ser aproveitada pelos de fora". Feridas e ideologia Com o arrastar da situação, a tensão vai crescer no PS. "É importantíssimo que não fiquem feridas no Partido Socialista e que essa luta se faça num clima de unidade dentro do partido face ao adversário comum", apela Vera Jardim que receia a factura destas " lutas demoradas" que terão impacto na comunicação social e nas redes sociais. O antigo ministro rejeita para já tomar partido entre Costa e Seguro. "Na altura própria, tomarei o partido que entender. Isso neste momento não é importante. Qualquer dos subscritores dessa declaração conjunta não o fizeram nem combinaram quando o farão", diz Vera Jardim que reconhece que não há "grandes

diferenças de ideologia entre os dois candidatos que se perfilam". Contudo, Vera Jardim detecta "diferenças de perfil de liderança. São visíveis". Vera Jardim explica as razões de alguma equidistância que certos militantes mantêm de momento face às candidaturas de Costa e Seguro: "É útil que haja pessoas que possam estar libertas dessas tensões para poderem de alguma forma, em momentos julgados adequados, ter uma intervenção arbitral de conflitos de conflitos que pode vir a ser a ser necessário". O seguro de vida do PSD? Com o PS em disputa interna até final de Setembro, a maioria pode viver descansada? Morais Sarmento corta a direito: "Podia ficar muito contente se fosse pateta. Acho mais importante termos uma oposição forte, que seja alternativa. Precisamos disso. Só isso pode ajudar a recuperar pressão, exigência e até ritmo e qualidade na intervenção do Governo". "Ainda poderemos ter a desagradável surpresa de que, barricado atrás dos estatutos, ninguém consiga desalojar António José Seguro. Podemos chegar à situação esquizofrénica de o país todo já estar 'noutra' e, de repente, sair-nos na rifa António José Seguro outra vez. O que é óptimo, porque aí o PSD tem uma probabilidade maior de ganhar eleições, porque, depois das últimas eleições, deste desafio, de ter estado barricado, não acredito que ganhe mais alguma eleição", rematou o antigo ministro social-democrata.

Quem quiser votar nas primárias do PS tem de aceitar divulgação de dados Proposta de regulamento da direcção de Seguro foi enviada aos membros da comissão política que a discute na quintafeira.

Por Eunice Lourenço

Quem quiser votar nas eleições primárias do PS tem de se recensear previamente e aceitar a divulgação dos seus dados. A proposta de regulamento para as eleições primárias feita pela direcção de António José Seguro foi enviada esta segunda-feira aos membros da


5

Terça-feira, 24-06-2014

comissão política do partido, que a vai discutir e votar na quinta-feira. Nas primárias – que formalmente servem para escolher o candidato do PS a primeiro-ministro, mas no fundo vão decidir a liderança do PS – podem votar os militantes do partido e os simpatizantes que se inscrevam entre 15 de Julho e 21 de Setembro. Ou seja, até uma semana antes das primárias, que estão marcadas para 28 de Setembro. Essa inscrição como simpatizante implica, segundo esta proposta de regulamento, a assinatura de um compromisso de concordância com a declaração de princípios do PS, um compromisso de não filiação noutro partido e ainda a aceitação expressa de que sejam divulgados o respectivo nome, número de identificação, endereço postal e endereço electrónico. Quanto aos candidatos, têm de se apresentar até 14 de Agosto e com, pelo menos, mil assinaturas de militantes a acompanhar a candidatura. O eleito terá de ter mais de metade dos votos expressos. No entanto, apesar desta exigência de maioria absoluta, a proposta de regulamento não fala de segunda volta, como se à partida fosse já certo que esta é uma corrida entre António José Seguro e António Costa, sem mais ninguém pelo meio. Isto apesar de Seguro ter dado ordem à sua direcção para preparar um orçamento para a realização de primárias que contemple três candidaturas. Podem ser enviadas propostas de alteração a esta proposta de regulamento das primárias até às 18 horas de quarta-feira por qualquer membro da comissão política, o órgão do partido que vai discutir e votar o regulamento na quinta-feira. Na reunião da comissão nacional do PS de domingo, António Costa apresentou uma proposta de regulamento das primárias que previa um recenseamento também prévio, mas mais rápido e a realização das primárias a 14 de Setembro.

EM NOME DA LEI. A justiça em debate com Eurico Reis e Luís Fábrica. Ao sábado, a partir das 12h, num debate conduzido por Marina Pimentel.

CRISTINA SÁ CARVALHO

Bye-bye Troika, olá educação Gostaria que fossemos todos para férias refletir sobre a vantagem de deixar de ensinar para o teste e a desinteligência de construir silenciosamente um sistema educativo à única medida de modelos estatísticos de aferição.

Se uma sociedade julga que a democracia é um estado garantido de existir, o próprio processo de democratização contínua não sobreviverá. E o que melhor garante a democratização é, e sempre será, o empenho sério e prioritário na formação dos cidadãos. E não é por nós, os portugueses, sermos periféricos, que não compreendemos a mundialização das trocas económicas e culturais, ou que não nos damos conta da progressiva atomização dos modos de vida que, ainda ontem, dávamos por avalizados. O primado do consumismo, o poder dos mercados, a crise dos modelos financeiros e sociais, o aumento dos fluxos migratórios e a miscigenação das culturas, entraram pela nossa porta a dentro. E fizeram-no reforçados por uma revolução digital que nos perturbou definitivamente a relação com a realidade espáciotemporal. Também as novas finalidades da ciência nos despertaram, como a quaisquer outros ocidentais, desejos arriscados de domínio sobre a vida e a construção de uma nova humanidade, limpa de irregularidades e dos constrangimentos de uma morte ingovernável. Demograficamente escassos, vivemos tão passivamente desligados de qualquer pertença rígida, quão receosos de constrangimentos e pertenças, tal como os mais ricos e mais numerosos. Emergindo, pois, tão fatalmente flutuantes, imprecisos e fragmentados como os mais flexíveis e indecisos, nómadas e isolados dos nossos irmãos europeus, somos talvez, e apenas, um pouco mais dependentes dos químicos, para operar e para desejar, pois, se as fés nos permanecem importantes, já não dão exatamente aquele enraizamento tranquilo que davam. Mas as pessoas precisam de viver em sociedade para resistir e progredir perante a natural erosão da vida e os influxos mais destrambelhados das culturas. A sobrevivência tem parâmetros diversos dos de outrora, é certo, mas só uma cultura pedagógica capaz de


6

Terça-feira, 24-06-2014

capacitar para a reflexão, a crítica, o conhecimento, a criação, a capacidade de elaborar julgamentos morais e de atuar de modo responsável, faz parte do essencial kit de primeiros socorros. Assim, perante a complexidade das condições de existência, a escola é chamada a ultrapassar os condicionalismos do senso comum, a teorizar o interface «eu-outro-sociedade» e a favorecer o desejo de participação social e política. Desta última depende a coesão, o diálogo, a continuidade comum, mas só pode ser alcançada se o desenvolvimento da pessoa for ancorado em valores razoáveis de defesa efetiva da liberdade de todos e no respeito pela dignidade do outro. Uma tal educação, que serve todas as pessoas e a pessoa toda, não é compatível com uma abordagem pedagógica que aspira a ter sucesso com a aquisição mecânica de ideias cirurgicamente especificadas, selecionadas pela sua dotação em objetividade avaliativa e centradas na preparação para o emprego e a aquisição de uma qualquer destreza técnica, supostamente baseada na superioridade de uma racionalidade instrumental que ignora a importância da justiça, dos valores, da ética. A sua virtude intrínseca não é mais do que a propagação do conformismo e a passividade na absorção de informação reproduzível. Que resposta pode, pois, dar, à vida entre a diferença e à complexificação das mais básicas aspirações humanas? Depois dos resultados dos exames terem mostrado que este ano não se aprendeu mais nem melhor matemática, como seria suposto pelas medidas introduzidas, gostaria que fossemos todos para férias refletir sobre a vantagem de deixar de ensinar para o teste e a desinteligência de construir silenciosamente um sistema educativo à única medida de modelos estatísticos de aferição. Também iniciaria o próximo ano mais feliz, e mais conformada ao pagamento astronómico de impostos, se percebesse caucionada a relevância de uma educação que prepara os portugueses para compreender e respeitar uma cultura de nove séculos, garantindo-lhes precocemente que não se trata de fornecer, a custo zero, o esforço industrial alemão. A adoção do tipo de modelo que nos tem sido proposto lembra muito a emergência de políticas educativas neoliberais, em que as pessoas são consideradas apenas na sua condição, ainda assim incómoda, de agentes económicos, e inteiramente dispensáveis como activos políticos. Mitigando o desejo de inquirir e explorar novas possibilidades de existir – embora se afirme procurar o empreendedorismo – fomentam um darwinismo social e económico voraz, em que a única liberdade garantida é a liberdade do mercado e a das regras impostas pelas grandes sociedades anónimas, poderes não eleitos mais poderosos do que os votados. Assim, o próprio sistema de ensino abdica da função de educar, de gerar desejo de aprender, e passa a favorecer a competição, o individualismo e uma racionalidade instrumental viciada pela ausência de considerações éticas. A ideologia neoliberal tem, além do mais, apego a essa coisa funesta que é a separação entre a educação e o seu valor público, o conteúdo crítico das culturas e a responsabilidade social, submetendo o que é um bem essencial de todos ao mandato da eficiência e da flexibilização dos mercados

de trabalho que, entretanto, quase destruiu. Estimaria pensar que as escolhas feitas pelo nosso Ministério da Educação se deveram à imperiosa necessidade de poupar dinheiro, imposta pela perda de soberania a que temos estado confinados. Agora, cabenos ter autoestima, critério e vontade de futuro.

Portugueses cautelosos vão de férias cá dentro Algarve continua a ser o destino de eleição, mas este ano perde terreno para o Alentejo e a zona Centro. Dados do Instituto de Turismo mostram ligeira tendência para aumento do consumo.

Algarve continua a ser o destino predilecto, mas Alentejo e zona Centro sobem nas preferências. Foto: DR Por Joana Costa

Metade dos portugueses (49,6%) que responderam a um estudo o Instituto de Turismo (IPDT) vai fazer férias este verão. Quer seja, na praia ou no campo. Desses, 67% pretendem fazê-lo fora da sua área de residência, em oposição aos 33% que optam por ficar em casa. Os números revelam haver pouca variação em relação a 2013, o que, na opinião do presidente do IPDT, António Jorge Costa, “significa que esta conjuntura de crise que temos vindo a passar, pelo menos nos últimos três anos, tem dado sinais positivos no que diz respeito às intenções de férias dos portugueses”. A recuperação ainda está “abaixo de níveis de 2009”, mas nota-se, adianta à Renascença. A diferença em relação ao ano passado estará nas despesas. Apesar de 64% dos inquiridos afirmar que irá gastar o mesmo do que em 2013, 20% admitem gastar mais nestas férias, contra os 16% que pretendem apertar o cinto. “Comparando com o ano passado, irão fazer o mesmo período de férias, com o mesmo número de dias, mas com uma ligeira tendência para o aumento do consumo. É um dos sinais positivos em relação ao estudo de 2013”, sublinha ainda António Jorge Costa. Algarve perde força Há cinco anos que o Instituto de Turismo faz, sempre


7

Terça-feira, 24-06-2014

em Maio, inquéritos junto dos portugueses a viver no Continente para conhecer as suas intenções de férias para o Verão. “No que respeita aos destinos preferidos, Portugal continua a ser o destino de eleição. [74%]. Como tem sido tradição, o Algarve é o grande destino, embora relativamente ao ano passado tenha sofrido um pequeno decréscimo, com o Alentejo e o Centro a subirem em relação a 2013”. A estas escolhas juntam-se o Porto, o Norte e as ilhas. Lá fora, a escolha recai na Europa, “destinos de maior proximidade”, com Espanha a manter a sua “a importância maior”, adianta o presidente do IPDT. O incontornável mês de Agosto No que à escolha de alojamento diz respeito, a casa alugada continua a ser a grande preferência dos portugueses que fazem férias (28%), seguida pelas casas de familiares e amigos (16%). Quanto aos hotéis, os de quatro ou cinco estrelas levam a melhor, tendo crescido em relação a 2013, de 15% para 17%. E porque há coisas que nunca mudam, as férias dos portugueses continuam a ser, como diz a canção, no “querido mês de Agosto”. “Continua a ser o principal mês de férias dos portugueses [48%]. O preferido é relativo, porque como sabemos tem muito a ver com calendário escolar, portanto temos de continuar a fazer férias em Agosto. Embora a preferência vá para entre Julho e Setembro”, remata António Jorge Costa.

Ministro garante que fecho de escolas não tem a ver com poupanças Veja aqui a lista das 311 escolas que vão encerrar. O distrito de Viseu é aquele que vai ter mais escolas fechadas (57), seguem-se Aveiro e Porto.

transporte dos alunos. O governante assegura que o encerramento de escolas não é motivado por questões financeiras, mas sim com o objectivo de dar melhores condições de educação e sociabilização aos alunos. O Ministério da Educação e Ciência anunciou que vai fechar 311 escolas do 1º ciclo do Ensino Básico e integrá-las em centros escolares ou outros estabelecimentos de ensino, no âmbito do processo de reorganização da rede escolar. "O novo ano lectivo terá início em infra-estruturas com recursos que oferecem melhores condições para o sucesso escolar. [Os alunos] estarão integrados em turmas compostas por colegas da mesma idade, terão acesso a recursos mais variados, como bibliotecas e recintos apropriados a actividades físicas e participação em ofertas de escola mais diversificadas", refere a tutela, em comunicado. Veja AQUI a lista de escolas a encerrar. As escolhas foram tornadas públicas depois de as respectivas administrações e autarquias terem sido informadas. O distrito de Viseu é aquele que vai ver mais escolas encerradas (57), seguem-se os distritos de Aveiro e Porto, cada um deles vai perder mais de 40 escolas do primeiro ciclo. O ministério de Nuno Crato assegura, mais uma vez, que este processo foi realizado em articulação com as câmaras tentando sempre que possível encontrar consensos. No comunicado enviado às redacções avisa, no entanto, que o processo de reorganização da rede vai prosseguir no próximo ano lectivo.

Relatório europeu aponta para degradação das condições de trabalho em Portugal Jovens com menos qualificações foram os mais afectados pela crise e o recrutamento de quadros superiores está a baixar em relação à média da população empregada. Por Ana Carrilho

O encerramento de mais de 300 escolas do primeiro ciclo não tem impacto na despesa pública, garante o ministro da Educação. Nuno Crato admite poupanças em alguns casos, mas também há outros em que até poderá haver acréscimo de custos por causa do

Os trabalhadores portugueses com qualificação média (até ao 12º ano) estão a ocupar os postos de trabalho menos qualificados. Esta é uma das conclusões do relatório europeu de 2014 sobre ofertas de emprego e recrutamento, divulgado esta segunda-feira. O relatório divide os 28 países em três grupos e Portugal integra o que está em piores condições no que toca ao mercado laboral, afectado pela crise económica. Ou seja, há uma degradação das condições de trabalho, em que as pessoas contratadas em 2012 ocuparam postos de trabalho, que exigem uma qualificação inferior à média da população empregada.


8

Terça-feira, 24-06-2014

Mais de metade da contratação foi para estes empregos sem necessidade de habilitações especiais, mas que absorveram pessoas com o ensino secundário, deixando os de menores qualificação sem trabalho. O recrutamento de quadros superiores não chegou a 20% do total e está a baixar em relação à média da população empregada. Portugal ocupa o fundo da tabela, com a Espanha, Malta, Itália, Grécia, Holanda e Dinamarca, à frente. Mas no caso destes dois últimos países, o estudo justifica a posição com o facto de muitos alunos do secundário começarem a trabalhar antes de concluírem os estudos. O relatório sobre as ofertas de emprego e o recrutamento refere ainda que em 2012 a União Europeia tinha cerca de 218 milhões de pessoas empregadas, menos 2,6% do que em 2008. A percentagem de ofertas baixou quase 20% em quatro anos e a contratação, 14% embora com diferenças entre países. Os jovens com menores qualificações foram os mais afectados pela crise. Em 2012, quase 60% dos contratos foram a prazo, percentagem que subiu ainda mais para as chamadas “ocupações básicas”. Por outro lado, os lugares que exigiam qualificações mais elevadas foram preenchidos mais rapidamente, sobretudo nas áreas das tecnologias de informação, cuidados pessoais e enfermagem. Os empregos que exigem qualificações médias foram os mais caíram no recrutamento nos últimos dois anos.

Foi-lhe imposto um compromisso para não engravidar? Recorra à justiça Comissão para a Igualdade no Trabalho e Empresas (CITE) diz ter recebido mais pedidos de informação, mas tornou-se mais difícil a detecção de casos ilegais, devido ao receio de perder o emprego. O presidente da Associação Cristã de Empresários e Gestores (ACEGE) deixa um conselho às trabalhadoras a quem esteja a ser pedido que assinem uma declaração, onde se comprometem a não engravidar nos próximos cinco anos. “Devem recorrer a um advogado e ao seu sindicato, se o tiverem”, indica António Pinto Leite à Renascença. O responsável não conhece empresas que condicionem a gravidez das trabalhadoras, mas defende que os empresários devem fazer exactamente o contrário, ou seja, promover a natalidade. “Criando uma cultura de natalidade dentro das empresas”, com “alguns incentivos que não custam muito dinheiro", sugere. Sobre alterações na legislação portuguesa, António Pinto Leite acredita que Portugal se encontra alinhado com a média europeia. A crise não fez aumentar as denúncias de práticas que

nas empresas contrariam a maternidade, mas os pedidos de pareceres prévios subiram, revela a Comissão para a Igualdade no Trabalho e Empresas (CITE). À Renascença, a presidente da CITE tornou-se mais difícil a detecção de casos ilegais, devido ao receio de perder o emprego. Leia na íntegra a entrevista de Sandra Ribeiro.

Mãe acusada de encenar rapto do filho na Madeira fica em liberdade Lídia Freitas está indiciada pelo crime de tráfico de pessoas. Daniel, agora com dois anos, desapareceu a 19 de Janeiro, durante um convívio em casa de familiares. A mulher detida por suspeita de envolvimento no desaparecimento do filho durante três dias em Janeiro, no concelho da Calheta (Madeira), fica em liberdade, com termo de identidade e residência (TIR), indiciada pelo crime de tráfico de pessoas. A decisão foi anunciada após Lídia Freitas ter sido ouvida durante a tarde pela juíza de instrução criminal, no Tribunal Judicial do Funchal. "A arguida está indiciada pela prática de um crime de tráfico de pessoas", refere o documento entregue à comunicação social pelo tribunal. A mesma nota informa que a mãe de Daniel "foi restituída à liberdade, aguardando os ulteriores termos do processo sujeita às seguintes medidas de coacção: termo de identidade e residência, obrigação de apresentação bissemanal a efectuar às terças e sextasfeiras, na esquadra da PSP da área da sua residência, e proibição de se ausentar da Região Autónoma da Madeira". Lídia Freitas já abandonou as instalações do tribunal, tendo saído pela porta traseira do edifício. A mãe do menino foi detida no sábado pela Polícia Judiciária, no Funchal, seis meses depois do desaparecimento da criança, na sequência de diligências desencadeadas na sexta-feira, despoletadas por desavenças entre os pais do menino e que incluíram interrogatórios ao casal e a outra pessoa não identificada - sobre este caso. A arguida esteve estes últimos dois dias no estabelecimento prisional da Cancela. O Daniel, agora com dois anos, desapareceu a 19 de Janeiro, durante um convívio em casa de familiares, e foi encontrado três dias depois na floresta, naquela localidade da zona oeste da Madeira. Segundo os médicos que observaram na altura a criança, esta "estava clinicamente bem", apenas mostrado sinais de queimaduras devido ao frio, num caso que consideraram "intrigante".


9

Terça-feira, 24-06-2014

Ministério Público pede absolvição de autor de escultura "Portugal na Forca" Jovem foi acusado do crime de ultraje à bandeira. A sentença é lida a 7 de Julho. O Ministério Público pediu esta segunda-feira ao Tribunal Judicial de Faro a absolvição pelo crime público de ultraje contra símbolos nacionais do exaluno da Universidade do Algarve, autor da escultura "Portugal na Forca" exposta em Faro em Julho de 2012. A peça era composta por um poste em forma de forca onde foi pendurada a bandeira portuguesa numa corda e foi produzida como projecto final do curso de Artes Visuais que Élsio Menau, actualmente com 30 anos, frequentava. A leitura da sentença está marcada para 7 de Julho. Conhecido o contexto do trabalho em causa através dos testemunhos de dois colegas de curso, de um amigo e de um professor da Universidade do Algarve, o Ministério Público entendeu pedir a absolvição de Élsio Menau. A defesa tentou demonstrar que o trabalho em causa fez parte de um exercício universitário relacionado com arte e design e que nunca houve intenção de ofender os símbolos nacionais. O advogado de Élsio Menau recordou artistas nacionais como Antero de Quental e Guerra Junqueiro que reflectiram o país em diversos períodos da história portuguesa através de poesia e outras formas de arte, como é o caso do poema do poeta algarvio Bernardo Passos que no período da I República publicou o poema "Portugal na Cruz". Em Julho de 2012, dois dias após a instalação da escultura intitulada "Portugal na Forca", militares da GNR retiraram a peça, tendo posteriormente o seu autor sido chamado para ser identificado na Polícia Judiciária. O trabalho integrou mais tarde uma exposição de trabalhos de final de curso de Artes Visuais da Universidade do Algarve, que esteve patente durante dois meses na galeria de arte Convento de Santo António, em Loulé.

TERÇA A NOITE. O espaço de entrevista da Renascença. Todas as semanas, a partir das 23h, a entrevista conduzida por Raquel Abecasis.

TELECOMUNICAÇÕES

Regulador proíbe ofertas anunciadas como ilimitadas por conterem limites Operadores têm três meses para adequarem os seus suportes de comunicação, procedimentos e documentos contratuais à decisão da Autoridade Nacional de Comunicações. A ANACOM proibiu os operadores de telecomunicações de qualificarem como ilimitadas as ofertas de internet, chamadas de voz e envio de mensagens (SMS) quando na realidade aplicam restrições ou limites, e deu 90 dias às empresas para corrigirem a situação. Em comunicado, a Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM) diz que os operadores "só poderão usar a expressão 'tráfego ilimitado' ou 'chamadas/SMS ilimitadas' quando as ofertas em questão sejam efectivamente sem limites ou sem restrições" durante todo o período do contrato. A proibição do regulador surge após reclamações de consumidores que subscreveram ofertas deste tipo por estarem convictos de que as mesmas envolvem um acesso sem restrições e sem limitações aos serviços, já que são "ilimitados", mas que depois constataram que afinal estavam sujeitas a determinados limites. Por isso, agora, os operadores têm três meses para adequarem os seus suportes de comunicação, procedimentos e documentos contratuais à decisão da ANACOM. Informação clara e transparente O regulador frisa que "esta situação tinha que ser corrigida" e que "não se pode anunciar uma oferta como 'ilimitada'", ou usar outra expressão que leve os consumidores a retirar essa conclusão, criando depois restrições a essa oferta, "induzindo os consumidores em erro e contrariando as exigências legais de transparência e adequação da informação a disponibilizar ao público". Contudo, admite a existência de medidas restritivas ou condicionamentos de tráfego de internet nas ofertas ilimitadas "em circunstâncias excepcionais", por exemplo para evitar que seja esgotada a capacidade num segmento de rede. A ANACOM reforça que os operadores têm que disponibilizar, nas condições da oferta, "informação clara e transparente" sobre eventuais medidas que possam vir a aplicar e suas repercussões na qualidade do serviço.


10

Terça-feira, 24-06-2014

REVISTA DA IMPRENSA

Ruptura familiar

"Médicos a trabalhar em vários locais à mesma hora vão ser investigados", lê-se na manchete do Público. No Jornal de Negócios, a palavra em destaque é "ruptura": "Ruptura total no clã Espirito Santo". O Banco de Portugal inviabilizou que Ricciardi sucedesse a Salgado no BES. Por sua vez, o Diário Económico escreve: "Ricciardi rompe com a família Espirito Santo" e o Correio da Manhã sublinha que "Família veta Ricciardi no BES". No i, o destaque vai para "Metro de Lisboa há quatro anos sem um dos sistemas de extinção de fogos". Na primeira página do JN, vê-se a festa do Porto numa foto: um balão de S. João a ser lançado, na última noite, junto à ponte D. Luis. Menos motivos para celebrar terão 277 contribuintes que "devem, cada um, mais de um milhão ao fisco", ao que conta hoje o Diário de Notícias. Em editorial, o Diário de Noticias lembra que "historicamente, em Portugal, sempre houve um forte incumprimento das responsabilidades fiscais". Lê-se, no texto, que está em curso uma operação para a recuperação de dívidas fiscais de empresas. A receita potencial pode chegar aos 800 milhões de euros, verba mais do que suficiente para tapar o buraco orçamental aberto pelo mais recente acórdão do Tribunal Constitucional. O DN sublinha, contudo, que para se fazer respeitar, o Estado tem de saber respeitar empresas e famílias...e acertar as contas de quem deve e tem a haver do Estado.

Porto Cartoon está a chegar São 650 trabalhos subordinados ao tema “Água Viva, Terra Viva”. Por Joana Costa

Na próxima segunda-feira, dia 23 de Junho, arranca a 16ª edição do Porto Cartoon – World Festival. Mas antes da inauguração, o Museu Nacional da Imprensa sai às ruas do Porto com a Festa da Caricatura. A edição deste ano apresenta mais de 650 trabalhos, subordinados ao tema “Água Viva, Terra Viva”. “O tema aborda a questão da água e da sustentabilidade

da Terra. Convocámos os cartunistas a nível mundial para pensarem sobre o tema e nos ajudarem a reflectir sobre este tema relacionado com o ‘ouro azul’. A água é um bem precioso que está a desaparecer, sobretudo a não ser capaz de responder às necessidades humanas. É um bem fundamental para a cidadania e a própria democracia”, explica à Renascença o director do Museu Nacional da Imprensa, Luís Humberto Marcos. A abertura oficial acontece na segunda-feira, às 17h00, com a respectiva entrega de prémios, cujos vencedores foram anunciados em Abril último. Festa da Caricatura Antes, no sábado e no domingo, a estação de S. Bento, no Porto, acolhe, entre as 15h00 e as 19h00, a Festa da Caricatura. “Qualquer pessoa pode aparecer e ser caricaturada pelos artistas que vão lá estar. A ideia é fazerem o boneco de humor daqueles que quiserem estar na mão do artista que os desenha”, refere o director. A entrada é gratuita. Casa do Cartunista sob o Douro Também na segunda-feira, às 16h00, está agendada a inauguração da Casa do Cartunista. “Um espaço sob o rio Douro, nas imediações do Museu Nacional da Imprensa, que vai permitir que os artistas do humor possam passar uns dias no Porto, fazendo exposições, contactando com as pessoas, tocando com a sua arte a sensibilidade dos portugueses”. Os 16 vencedores das 16 edições do Porto Cartoon serão os primeiros convidados a passar uma temporada nesta casa. Este ano, a iniciativa, considerada um dos principais festivais de desenho humorístico do mundo, conta ainda com a inauguração da Exposição Prémio Especial Caricatura Siza Vieira, na Casa do Gramido, em Gondomar, às 21h30 de domingo. SESIMBRA

Banhos na Lagoa de Albufeira estão proibidos Areias da Costa de Caparica têm vindo a assorear a ligação da lagoa ao mar: as águas ficam paradas e tornam-se prejudiciais para a saúde. Nova intervenção vai custar 15 mil euros. A Lagoa de Albufeira, em Sesimbra, está interdita a banhos. A proibição foi determinada, esta segundafeira, pelo delegado de saúde da Região de Lisboa e Vale do Tejo, depois de a lagoa não estar ligada ao mar há mais de uma semana. "Esta medida foi tomada na sequência do encerramento da comunicação entre a Lagoa de Albufeira e o oceano, facto que impede a renovação da água e torna susceptível a ocorrência de uma eventual deterioração da sua qualidade, que se traduzirá num aumento de risco para a saúde pública", refere um comunicado da Administração Regional de Saúde de


11

Terça-feira, 24-06-2014

Lisboa e Vale do Tejo. O presidente da Câmara de Sesimbra, Augusto Pólvora, considera que a responsabilidade pertence à administração central. “Não há dinheiro para abrir a lagoa, nem tampouco há dinheiro para fazer o desaçoreamento - da ligação da lagoa ao mar. Ao mesmo tempo há milhões de euros, todos os anos, para recarregar as outras praias do país”, disse o autarca à Renascença. Augusto Pólvora indica que a ligação ao mar tem vindo a ser preenchida por areias provenientes da Costa de Caparica e garante que câmara vai assumir, mais uma vez, a abertura da lagoa. “Este ano já gastámos cerca de 20 mil euros e só esta intervenção, que é um bocadinho maior, vai custar cerca de 15 mil euros”, contabiliza o autarca, que vai tentar passar a factura à Agência Portuguesa do Ambiente. A lagoa deve ser aberta no dia 3 ou 4 de Julho, quando está prevista “uma maré adequada para que o mar possa romper o cordão dunar”. Tudo indica que alguns dias depois vai voltar a ser possível tomar banho.

TAP cancela voos para Paris Ligações de Lisboa e do Porto vêem, esta terça-feira, quatro voos cancelados. Greve dos controladores aéreos franceses levou à “redução de 20% da operação programada”. A TAP cancelou dois dos voos previstos para esta terçafeira, com destino a Paris. Os voos de regresso também foram cancelados. A greve dos controladores aéreos franceses é a causa das perturbações nas ligações que unem a capital francesa a Lisboa e ao Porto. "A Direcção-Geral de Aeronáutica Francesa (DGAC, no original) pediu aos operadores aéreos, entre os quais a TAP, a redução de 20% da sua operação programada" para esta terça-feira, disse à Lusa o porta-voz da empresa, André Serpa Lopes. A transportadora garante que as reservas estão protegidas e os passageiros podem embarcar “nos voos seguintes que a TAP realizará”. A companhia está “a proceder à alteração de equipamentos para aumentar a capacidade de lugares de forma a acomodar todos os passageiros que são afectados por estes cancelamentos". André Serpa Lopes garante que a transportadora nacional, para acautelar imprevistos, está a acompanhar a situação francesa e só tomará decisões "de acordo com as instruções da Direcção-Geral de Aeronáutica francesa". Os voos cancelados são o que partiria de Lisboa, às 12h50, e com o regresso previsto para as 16h00 e o que saia do Porto às 5h35 e regressava às 8h30.

Ainda não há data para o regresso dos voos para a GuinéBissau Rui Machete promete um protocolo entre os dois países. Voos estão suspensos por falta de condições de segurança. Portugal e a Guiné-Bissau vão celebrar um protocolo para serem retomados os voos da transportadora aérea portuguesa TAP entre Lisboa e Bissau, anunciou o ministro dos Negócios Estrangeiros português, Rui Machete, na capital guineense. "Haverá um protocolo, com certeza", referiu o governante, sem adiantar detalhes sobre o que será definido no documento, uma vez que "ainda não está escrito", acrescentou. Questionado sobre quanto tempo poderá levar até entrar em vigor, o ministro português limitou-se a referir que o prazo "será breve, depende fundamentalmente do novo Governo da GuinéBissau". "Ainda não há uma proposta, mas quando deixarem de existir as condições de insegurança que levaram à suspensão dos voos, serão reestabelecidos", acrescentou. Rui Machete fez estas declarações ao chegar ao aeroporto internacional de Bissau onde representou Portugal na cerimónia de posse do Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, eleito em Maio.

Forças quenianas matam 80 islamitas na Somália Quénia está integrado numa força da União Africana que combate os terroristas do AlShabaab e procura estabilizar o país. Forças quenianas mataram pelo menos 80 militantes do Al-Shabaab, na Somália. Num ataque levado a cabo por jactos da força aérea queniana, duas bases foram destruídas, fazendo cerca de 30 vítimas mortais num e 50 no outro. Os fundamentalistas islâmicos do Al-Shabaab actuam principalmente na Somália, onde controlam grandes áreas de terreno e algumas vilas e cidades, e de onde têm lançado várias ofensivas dentro do Quénia, que faz fronteira com a Somália. Entre elas inclui-se a ocupação de um centro comercial de Nairobi, que durou vários dias e fez perto de 70 mortos. Os ataques são justificados como punição pela intervenção do Quénia na Somália. O exército queniano juntou-se a uma força da União Africana, composta também pela Etiópia, Uganda e


12

Terça-feira, 24-06-2014

Djibouti, entre outros, que tem tentado estabilizar o Estado falhado que é a Somália. Os ataques levados a cabo contra as bases na Somália fazem parte de um avanço que tem libertado várias vilas do Al-Shabaab. Contudo, o grupo terrorista continua a controlar uma região significativa, sobretudo rural.

Novo atentado faz pelo menos oito mortos na Nigéria

Libertada a cristã que tinha sido condenada à morte no Sudão Meriam Ibrahim foi sentenciada à pena capital por, alegadamente, ter renunciado ao Islão e convertido ao Cristianismo.

Há várias etnias diferentes no país mas religiosamente a população encontra-se dividida praticamente ao meio entre cristãos, maioritários no sul, e muçulmanos que predominam no norte. Um atentado fez pelo menos oito mortos esta segundafeira, na Nigéria. A explosão teve lugar junto à entrada de uma universidade em Kano, a principal cidade do norte do país, a uma hora em que decorriam aulas. Há ainda relato de cerca de 20 feridos. O atentado não foi ainda reivindicado, mas tudo indica tratar-se de mais um ataque do grupo islamita Boko Haram que tem morto milhares de pessoas ao longo dos últimos anos, tendo raptado ainda centenas de raparigas adolescentes este ano. O Boko Haram pretende impor a lei islâmica em todo o país, mas tem especial influência no norte. Para além de ataques contra forças da segurança e cristãos, os islamitas criticam a educação ocidental, pelo que atacam também escolas e universidades. A Nigéria é um dos mais importantes países de África, sendo mesmo o maior em termos demográficos. Há várias etnias diferentes no país mas religiosamente a população encontra-se dividida praticamente ao meio entre cristãos, maioritários no sul, e muçulmanos que predominam no norte.

TERÇA A NOITE. O espaço de entrevista da Renascença. Todas as semanas, a partir das 23h, a entrevista conduzida por Raquel Abecasis.

Um tribunal do Sudão anulou uma sentença anterior e ordenou a libertação de Meriam Ibrahim, de 27 anos. A mulher sudanesa tinha sido condenada à morte por, alegadamente, ter abandonado o Islão e se ter convertido ao Cristianismo. Ibrahim, que recentemente deu à luz uma filha, na clínica da prisão, teria agora dois anos para amamentação antes de ser morta. Segundo o advogado, citado pela "CNN", a mulher cristã já está em liberdade. Meriam Ibrahim é filha de um muçulmano e de uma cristã, mas o pai abandonou a família quando era ainda criança, pelo que foi educada como cristã pela mãe, fiel da Igreja Ortodoxa da Etiópia. Mais tarde veio a casarse com um cristão mas uma vez que o seu pai era muçulmano foi determinado que ela é legalmente muçulmana, tendo incorrido no crime de apostasia, que no Sudão é punível com a morte. Apesar de o juiz lhe ter dado várias possibilidades para renunciar ao Cristianismo, Ibrahim recusou sempre. Grávida, acabou por dar à luz ao seu segundo filho, uma menina, na cadeia. Nestas situações a lei prevê dois anos para amamentação antes de se executar a sentença de morte. O caso causou grande indignação internacional, com campanhas e apelos de líderes mundiais pela sua libertação. Em Maio surgiu a notícia de que tinha sido libertada, mas foi desmentida pelo Governo. Agora, segundo a Reuters, um tribunal sudanês terá mesmo ordenado que ela saia em liberdade. [Notícia actualizada às 16h53]


13

Terça-feira, 24-06-2014

Iraque recupera controlo da fronteira com Síria Rebeldes do ISIS têm levado a cabo uma ofensiva militar. Forças de segurança iraquianas recuperaram o controlo da fronteira de Al-Waleed, entre o Iraque e a Síria, que esteve brevemente na posse de combatentes sunitas, noticiou a agência France Presse, citando fontes militares. Os rebeldes do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIS) tinham tomado a zona no domingo, mas esta tarde a fronteira voltou a ser controlada pelo Governo iraquiano, segundo um coronel da polícia e um major, os quais indicaram que os combatentes se retiraram sem lutar. Os outros dois postos fronteiriços entre o Iraque e a Síria continuam fora do controlo iraquiano, com combatentes na posse de Al-Qaim, enquanto Rabia está nas mãos de forças da região do Curdistão. A ofensiva do ISIS foi lançada a 9 de Junho. O grupo, dissidente da Al-Qaeda, tem ganho várias cidades no Iraque e na Síria. Quem são e o que querem os jihadistas que lançam o caos no Iraque?

Novo Presidente da Guiné apela à reconciliação José Mário Vaz prometeu ainda um combate sério contra a corrupção.

José Mário Vaz (foto: Luís Fonseca/Lusa) Por Luís Nascimento, em serviço especial para a Renascença

Tomou posse esta segunda-feira o novo Presidente da Guiné-Bissau. A cerimónia de tomada de posse José Mário Vaz contou com a presença de 30 chefes de Estado e teve como palco o estádio nacional “24 de Setembro”, em Bissau. José Mário Vaz fez constantes apelos aos consensos e à reconciliação e prometeu diálogo com as forças

militares, as mesmas que lideraram o golpe de Estado há dois anos, que isolou o país e levou a sanções. A realidade económica e financeira também mereceu atenção do novo Presidente. Os problemas só agora começam, disse, prometendo um combate sério contra a corrupção e a impunidade. Sem essas reformas, a Guiné-Bissau não terá o apoio da comunidade internacional. Portugal e Timor-Leste Portugal enviou à cerimónia da tomada de posse o ministro dos Negócios Estrangeiros Rui Machete.

Governos ocidentais criticam condenação de jornalistas no Egipto Sentença é apenas o mais recente episódio num braço de ferro entre o Governo egípcio e a Al-Jazeera, cujos donos, no Qatar, são considerados apoiantes da Irmandade Muçulmana. Os governos da Holanda e do Reino Unido chamaram os embaixadores egípcios para esclarecer a situação no Egipto, onde esta segunda-feira se confirmou a condenação a sete anos de três jornalistas da AlJazeera, dois dos quais estrangeiros. Os jornalistas, que estão detidos há seis meses, foram condenados por alegadamente auxiliar uma “organização terrorista”, nomeadamente a Irmandade Muçulmana. Um dos jornalistas é o australiano Peter Greste, outro, Mohamed Fahmy, é um canadiano de ascendência egípcia. O terceiro arguido, o egípcio, Baher Mohamed, foi condenado a mais três anos por ter sido encontrado na posse de uma munição. A sentença é apenas o mais recente episódio num braço de ferro entre o Governo egípcio e a Al-Jazeera, cujos donos, no Qatar, são considerados apoiantes da Imandade. A Irmandade Muçulmana chegou ao poder no Egipto, depois de ter vencido as primeiras eleições democráticas no país depois da Primavera Árabe, mas acabou por ser destituída por uma intervenção militar após manifestações de rua que juntaram milhões de pessoas, após cerca de um ano de deriva no sentido da islamização do Estado. Para além dos pedidos de esclarecimentos por parte dos governos britânico e holandês, vários outros países ou organizações já manifestaram a sua preocupação com o que consideram ser uma violação da liberdade de expressão no Egipto, chefiado agora pelo general Sisi, que venceu largamente as mais recentes eleições presidenciais.


14

Terça-feira, 24-06-2014

Falha formação de grupo parlamentar de extrema-direita As regras comunitárias obrigam 25 deputados e sete países. O número de eurodeputados não era o problema, mas só cinco países se juntaram.

uma ponte demasiado importante" para colaborar com o KNP, que também quer retirar o direito de voto às mulheres.

Conversas embaraçosas para Governo polaco divulgadas por revista Primeiro-ministro Donald Tusk fala mesmo em tentativa de golpe de estado.

A presidente da Frente Nacional (FN), Marine Le Pen, não conseguiu juntar um número suficiente de partidos eurocépticos para formar um grupo no Parlamento Europeu, disse o seu aliado holandês Geert Wilders. "Não conseguimos infelizmente formar um grupo no Parlamento Europeu com seis outros partidos", declarou Geert Wilders, citado pela agência noticiosa holandesa ANP. Os partidos tinham como prazo limite o dia de segunda-feira para se registarem como grupo parlamentar, depois das eleições europeias, realizadas no final de maio, que viram uma forte progressão dos partidos eurocépticos. Geert Wilders e Marine Le Pen tinham feito um acordo antes das eleições, com o objectivo de "destruir a partir do interior" a União Europeia. A constituição de um grupo parlamentar requer um mínimo de 25 deputados, do total de 751, provenientes de sete países, o que permite maior visibilidade e mais receitas. Ora, se o número de deputados não era problema, os partidos eurocépticos têm dificuldade em conciliar pontos de vista por vezes antagónicos. Faltaram dois países à presidente da FN, cujo partido venceu as eleições europeias em França. Ela esperava convencer outros partidos a juntarem-se à FN, ao PVV, de Geert Wilders, ao Partido da Liberdade austríaco (FPO), à Liga do Norte italiana e ao Vlaams Belang flamengo, da Bélgica. Geert Wilders, conhecido pelas suas posições anti Islão, indicou que a colaboração entre os cinco partidos "será mantida (...) com o objectivo de poder formar um grupo antes do final do ano com novos parceiros". Uma associação com o partido polaco Congresso da Nova Direita (KNP), cujas posições homofóbicas desagradaram a Geert Wilders, tinha sido equacionada, mas veio a ser abandonada. "O PVV deseja fazer um grupo, mas não a qualquer preço", disse Wilders, acrescentando que o seu partido "teria de construir

Poderá ser um caso de “espionagem política à mesa do restaurante” e está a gerar uma acesa discussão na Polónia. A revista polaca “Wprost” divulgou excertos de conversas que altas figuras do Estado tiveram em dois restaurantes de luxo de Varsóvia. Alguns dos diálogos são embaraçosos para o Governo. Donald Tusk, o primeiro-ministro, diz que as gravações secretas e ilegais pretendem retaliar contra o apoio da Polónia às sanções impostas à Rússia por causa da intervenção de Moscovo na Ucrânia. O chefe do Governo polaco, citado pela agência Reuters, considera mesmo que as escutas ilegais quase configuram uma tentativa de golpe de Estado. Numa das conversas publicadas, o governador do Banco Central pergunta ao ministro do Interior o que pode o banco fazer para ajudar o Governo a ganhar as eleições. Noutro dos excertos, o chefe da diplomacia polaca desvaloriza as relações com os Estados Unidos. Peritos em segurança ouvidos pela agência de notícias têm uma opinião mais prosaica: consideram que as gravações secretas em restaurantes visam explorar as elites polacas, que são pouco cuidadosas com a segurança quando vão jantar fora. Os proprietários dos restaurantes onde foram feitas as gravações rejeitam qualquer envolvimento em escutas ilegais.

CONVERSAS CRUZADAS. A economia e as finanças do país em debate. Com Daniel Bessa, Carvalho da Silva, Silva Penda e Álvaro Santos Almeida, num debate conduzido por José Bastos.


15

Terça-feira, 24-06-2014

Honda recolhe em Portugal mais de cinco mil carros com problemas no airbag Clientes vão ser contactados para se dirigirem a um concessionário, que realizará a troca sem custos. A construtora japonesa vai chamar à revisão mais de dois milhões de veículos em todo o mundo. A Honda vai recolher mais de cinco mil veículos em Portugal devido ao airbag do passageiro, que levou a marca japonesa a chamar mais de dois milhões de veículos à revisão em todo o mundo. O problema na peça afecta 5.300 viaturas em Portugal fabricadas entre Agosto de 2000 e Dezembro de 2005, segundo avançou à agência Lusa fonte do gabinete de comunicação e relações públicas da Honda Motor Europe Portugal. Os clientes vão ser contactados para se dirigirem a um concessionário da marca, que realizará a troca sem custos. A construtora automóvel japonesa anunciou hoje a chamada à revisão de mais de dois milhões de veículos em todo o mundo devido a um defeito no airbag que, segundo um documento submetido ao Ministério dos Transportes do Japão, é passível de originar um incêndio. A Honda Portugal disse à Lusa que "não existe qualquer perigo de incêndio", apesar de, na ocorrência de um choque frontal, poder "produzir-se uma pressão interna excessiva, o que poderá provocar uma ruptura do insuflador e causar eventuais ferimentos nos ocupantes do veículo". Também os construtores automóveis Nissan e Mazda ordenaram a retirada de milhares de veículos em todo o mundo devido ao mesmo problema. As anomalias detectados nas peças das três marcas são da mesma natureza daquele que obrigou a Toyota a ordenar, no início do mês, a recolha de um total de 2,27 milhões de viaturas em todo o mundo.

CONVERSAS CRUZADAS. A economia e as finanças do país em debate. Com Daniel Bessa, Carvalho da Silva, Silva Penda e Álvaro Santos Almeida, num debate conduzido por José Bastos.

Os óculos que dão voz Tecnologia desenvolvida por investigadores portugueses pretende melhorar a comunicação de pessoas com doenças incapacitantes.

Foto: LusoVU Por Carolina Rico

Uma equipa portuguesa de investigadores desenvolveu o EyeSpeak: uns óculos especiais que permitem a pessoas com doenças incapacitantes comunicarem com os olhos. Como? Esta tecnologia criada pela LusoVU /LusoSpace projecta um teclado virtual no campo de visão do paciente. Depois, uma microcâmara apontada aos olhos permite monitorizar a sua posição e perceber qual a tecla seleccionada, isto é, aquela para onde o paciente está a olhar. Após escrever uma palavra ou conjunto de palavras, o paciente poderá seleccionar o botão “falar” que irá traduzir em fala o que foi escrito através do altifalante integrado. A análise do movimento ocular, mas também pode ser utilizada como um rato virtual para, por exemplo, aceder à internet. A LusoVU /LusoSpace, empresa ligada à indústria aeroespacial, lançou uma campanha de crowdfunding (financiamento colectivo online) para conseguir colocar no mercado o EyeSpeak. Este é o primeiro sistema móvel e autónomo de comunicação com o olhar, ou seja, ao contrário de outras tecnologias semelhantes, não precisa de estar ligado a um computador para funcionar, nem de ser calibrado. 100 letras por minuto O presidente executivo da LusoVU /LusoSpace conhece bem as dificuldades em lidar com doenças que impedem a comunicação. O pai de Ivo Vieira sofre de esclerose lateral amiotrófica, a mesma condição do físico Stephen Hawking, que afecta a mobilidade, o impede de se mexer, falar, escrever, mantendo a capacidade cognitiva. “Além do conhecimento elevado que temos deste tipo de tecnologia, o facto de eu viver a situação do meu pai ajuda-me perceber a dificuldade que é comunicar com ele”, justifica. “Quando uso uma tabela, a escrita faz-se a quatro letras por minuto, e com este sistema prevejo que possa


16

Terça-feira, 24-06-2014

fazer-se a cem letras por minuto, portanto estou confiante na capacidade deste produto melhorar a qualidade de vida das pessoas que têm estas limitações.” Cerca de dois milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de esclerose lateral amiotrófica, distrofia muscular, tetraplegia, lesão cerebral traumática, e outras doenças que impactam de forma drástica a comunicação. A campanha de crowdfindng já angariou 18.871,14 euros, tem agora 22 dias para atingir o total pedido de 110.269,27 de euros.

Petição em defesa da calçada portuguesa chega à Assembleia Municipal O texto é assinado por mais de 2 500 subscritores. Em defesa da calçada portuguesa e contra a sua retirada das ruas da capital, esta terça-feira é discutida no plenário da Assembleia Municipal de Lisboa uma petição. O texto, assinado por mais de 2.500 subscritores, é promovido pela Associação Internacional das Artes e Cultura. Tiago Abreu, um dos promotores da petição, defende a manutenção do empedrado português e sublinha a necessidade de promover a profissão de calceteiros. “A calçada faz parte da história do país, em particular da nossa cidade, é um traço da personalidade de Lisboa, é um atractivo turístico e depois há outra coisa que queremos que seja feita: a reactivação da escola de calceteiros”, disse. ÉVORA

Obras na Igreja de S. Francisco tratam “patologias graves” na estrutura Especialistas dizem que, em caso de um sismo médio, o edifício podia não resistir. As obras profundas de reabilitação custam quatro milhões de euros. A Capela dos Ossos, ali localizada, mantém-se aberta. Por Rosário Silva

A igreja de S. Francisco, uma das mais importantes e grandiosas de Évora, está em obras de reabilitação até Junho de 2015, numa intervenção que vai custar quatro milhões de euros.

Trata-se de obras de recuperação que vão permitir “restituir à cidade, em toda a sua grandeza e beleza, este monumento nacional", explicou à Renascença o pároco de São Pedro, cónego Manuel da Silva Ferreira. A estrutura tem problemas "desde o século XIX, aquando da demolição do convento", sendo "bem visíveis as fissuras longitudinais da igreja”. A avaliação feita pelo pároco de São Pedro são confirmadas pela equipa de projectistas que está a liderar a recuperação. O arquitecto Adalberto Dias indica que “o deslocamento vertical das paredes portantes da nave, que suportam a edificação, conduziu, na sua deslocação, à fissura nos dois planos da abóbada, no sentido longitudinal, o que é grave”. Com o projecto em mãos há dois anos, o especialista sublinha que “está provado cientificamente pelos estudos feitos pelo Instituto Superior Técnico que as condições estruturais do edifício em si, neste momento, podem não responder a um sismo de magnitude 4 a 5 na escala de Richter”. Para cónego Manuel da Silva Ferreira, a recuperação é um sonho agora tornado realidade, pois há muito que se trabalhava nesse sentido, de modo a “consolidar toda a estrutura da igreja e fazer com que ela possa continuar ao longo dos séculos a exercer a sua função”. Depois de concluídas as obras, “vai surgir uma igreja totalmente renovada, na parte estrutural, na parte das coberturas já que estas vão ser reconstruídas e vão nascer dois novos espaços museológicos”, um "nas celas do antigo convento franciscano e outro nas galerias, que estão por cima das capelas laterais”. "No primeiro, vai ficar o espólio da igreja e, no segundo, a colecção de presépios do general Canha da Silva”, detalha o padre Silva Ferreira. A conhecida Capela dos Ossos, localizada na igreja de S. Francisco, não ficará à margem desta intervenção. “Vamos também consolidar as ossadas da Capela dos Ossos. Como aspecto curioso, de arte, vamos ter um painel interpretativo do arquitecto Siza Vieira sobre a Capela dos Ossos. É um painel alusivo à vida e à ressurreição”, revela Manuel da Silva Ferreira. O investimento atinge os quatro milhões de euros, sendo comparticipado por fundos comunitários, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento regional (FEDER), em cerca de 2,2 milhões de euros. A contrapartida nacional é da responsabilidade da paróquia, que vai usar capitais próprios, mas também com recurso ao programa JESSICA. Fechada ao culto mas não aos turistas A Igreja de S. Francisco, onde está sedeada a paróquia de São Pedro, fica encerrada ao culto até Junho de 2015. Neste período, as eucaristias dominicais vão ter lugar na igreja de Nossa Senhora da Graça, cedida pelo Comando de Instrução e Doutrina do Exército. As imagens do Senhor Jesus dos Passos da Capela dos Ossos e de Nossa Senhora das Dores, de grande devoção da cidade, ficam expostas à veneração na capela de São Joãozinho, onde se celebram também as eucaristias diárias. A Capela dos Ossos mantém-se aberta. A própria igreja de S. Francisco, durante o período das obras, pode ser visitada pelos turistas, convidados a assistir aos trabalhos de restauro. Uma das mais belas e históricas igrejas de Évora


17

Terça-feira, 24-06-2014

Classificado como monumento nacional, o edifício data de 1224, com a instalação do Convento de São Francisco, mas do convento inicial quase nada se conhece, devido às modificações praticamente totais que lhe foram introduzidas no final da Idade Média. Mais tarde, as crónicas históricas revelam a reconstrução do edifício no início do século XV, ficando com o nome de Igreja de São Francisco, como é conhecida hoje. No interior da igreja, está localizada a célebre Capela dos Ossos, macabra concepção fradesca completamente forrada por milhares de ossadas humanas recolhidas dos antigos cemitérios da cidade.

'Black Stars'. Apresentaram uma proposta de negócio com interesse em comprar os direitos. Eu percebi a proposta no contexto do que a Kentaro (agência de marketing desportivo) usou para jogos no Brasil. Eu disse, porque é uma novidade, que seria necessário levar ao Comité Executivo. Nunca pensei que tivessem um plano premeditado para venderem jogos dos 'Black Stars' que foram anunciados nos artigos que ouvimos", afirmou Nyantakyi. Este caso, porém, nada terá de relacionado com partidas do campeonato do mundo. O Gana, recordese, é o último adversário de Portugal no Grupo G do Mundial 2014.

Gana envolvido em escândalo de viciação de resultados

MUNDIAL 2014

Televisão e jornal britânicos revelam envolvimento da selecção ganesa num esquema de viciação de partidas de carácter particular.

A selecção do Gana está a ser envolvida num esquema de viciação de resultados de jogos particulares, na sequência de uma investigação conjunta realizada pelo Channel 4 de Inglaterra e o diário britânico Daily Telegraph. Na reportagem, são identificadas duas pessoas, sendo uma delas um agente licenciado da FIFA e a outra uma responsável de um clube ganês. Ambas terão afirmado poder viciar jogos de carácter amigável que envolvessem a selecção nacional daquele país, sendop que o nome do presidente da Federação Ganesa de Futebol foi também envolvido no processo, como parte concordante de todo o esquema. Contudo, o líder federativo, Kwesi Nyantakyi, negou já o envolvimento daquele organismo neste alegado esquema, prometendo até ponderar processar os dois órgãos de comunicação social que revelaram todo o caso. "Esses conteúdos não são de todo verdade", afirmou, em declarações à BBC. "Eles (os dois homens) nunca me disseram que estavam interessados em viciar qualquer jogo dos

Alemanha não combina resultado com os EUA Garantia deixada pelo adjunto de Joachim Low, esta segunda-feira. Jogo com os norteamericanos é na quinta-feira, ao mesmo tempo que o Gana-Portugal. "Não". Foi desta forma que Hans-Dieter Flick, adjunto de Joachim Low, na selecção da Alemanha, respondeu à questão em torno de um possível empate combinado previamente com os Estados Unidos para a terceira e última jornada do Grupo G do Mundial 2014. "Só posso responder com um concreto 'não'. Isso não vai acontecer. Já dissemos que querenmos ganhar o jogo e tenho a certeza de que a equipa dará a resposta certa na quinta-feira", afirmou Flick, em conferência de imprensa. Na última jornada, a realidade pode ser cruel para a Selecção Nacional: é que nem um triunfo sobre os ganeses poderá ser suficiente para apurar Cristiano Ronaldo e companhia. E isto porque, entre si, alemães e americanos podem, por exemplo, registar um empate, passando ambas à próxima fase e eliminando a Selecção Nacional, de forma automática. Esse cenário, porém, já foi negado por responsáveis das equipas germânica e americana.

CONSELHO DE DIRECTORES. A reflexão sobre a actividade política e económica. Com Graça Franco, Pedro Santos Guerreiro e Henrique Monteiro, num debate conduzido por José Pedro Frazão. À quinta-feira, na Edição da Noite, a partir das 23h.


18

Terça-feira, 24-06-2014

MUNDIAL 2014

JOÃO PEREIRA

Mourinho diz que EUA justificavam vitória

"Vamos ser homenzinhos e assumir responsabilidades"

Treinador português do Chelsea elogia postura dos norte-americanos durante o empate frente a Portugal.

José Mourinho considera que os Estados Unidos mereciam ter vencido Portugal, elogiando até a postura dos comandados de Jurgen Klinsmann, que recusaram "queimar" tempo quando estavam em vantagem no marcador. "As equipas com mais experiência e outra cultura fariam algo de forma diferente. Parar o jogo, com a simulação de uma lesão para os médicos entrarem em campo, por exemplo. Há muitas coisas que se podem fazer. São coisas negativas, mas que por vezes são cruciais", começou por analisar o treinador português do Chelsea, na habitual coluna no site "Yahoo". "Os Estados Unidos podiam e deviam ter 6 pontos e estar já qualificados para os 'oitavos', mas ainda há espaço para Portugal se qualificar com resultados loucos nos últimos jogos, ou até para o Gana se qualificar, se baterem Portugal e os Estados Unidos perderem com a Alemanha. Parabéns aos Estados Unidos, que conseguiram controlar uma importante seleção europeia como Portugal e mereciam ter ganho o jogo", completou.

PRINCÍPIO E FIM. Um espaço de informação social e religiosa. Ao domingo, a partir das 23h30, com Ângela Roque.

Lateral-direito não se furta ao contexto delicado da Selecção Nacional. "Tínhamos o dever de vencer os Estados Unidos", assumiu João Pereira, em nome da equipa das quinas. Defesa ainda espera por um "milagre" na última jornada do Grupo G. João Pereira acredita que nenhum dos 23 convocados de Paulo Bento para o Mundial nem o próprio seleccionador nacional de Portugal se irão furtar à assunção de responsabilidades, caso o cenário provável de queda da equipa das quinas na fase de grupos da prova se venha a consumar. Depois do empate com os Estados Unidos (2-2), o lateral-direito foi o jogador escolhido para falar aos jornalistas, no dia em que Paulo Bento decidiu cancelar o treino que estava previamente agendado, abordando desde já as possíveis ondas de choque que o rescaldo da partida com o Gana deverá fazer sentir. "Aconteça o que acontecer na quinta-feira, todos os jogadores e representantes da Selecção vão estar cá para dar a cara. Por enquanto, não está nada decidido e, após o jogo, todos vamos ser homenzinhos para assumir o que quer que seja", atirou o defesa do Valência, em conferência de imprensa realizada em Campinas. Rotulando a prestação da Selecção Nacional como "negativa", após a humilhante derrota com a Alemanha e o inesperado empate com os Estados Unidos, João Pereira não esconde a enorme tristeza que rodeia o balneário da equipa das quinas. "Os culpados somos nós, que entramos em campo e que tomamos as boas e más decisões", prosseguiu, assumindo que a igualdade registada com os norteamericanos não era de todo o resultado exigido aos homens de Paulo Bento. "Pelo que já fizemos anteriormente, tínhamos o dever de vencer os Estados Unidos, sem dúvida alguma", rematou. Um "milagre" frente ao Gana Com contas difíceis de fazer na questão do apuramento para os "oitavos-de-final", João Pereira projectou já o jogo com o Gana, agendado para quintafeira, em Brasília. "Não é fácil. Estamos todos mentalizados para isso. É quase um milagre que tem que acontecer mas temos que nos agarrar à réstia de esperança que temos. Teremos que esperar e ver o que irá acontecer no outro jogo [Alemanha-Estados Unidos]", sustentou. O Portugal-Gana arranca às 17h00 [hora de Portugal Continental] de quinta-feira, em Brasília. O jogo terá relato na antena da Renascença e acompanhamento ao minuto em rr.sapo.pt.


19

Terça-feira, 24-06-2014

PARCERIA RENASCENÇA/VER

A Copa do descontentamento Dizer que Brasil e futebol são quase sinónimos não é um exagero. O desporto-rei e Carnaval são dois eventos que andam sempre de mãos dadas com a identidade do próprio Brasil. Por Helena Oliveira

Quando, em 2010, foi dado o pontapé de saída para os preparativos do Mundial de 2014, o Brasil vivia tempos de promessas e euforias. Quatro anos passados, e depois de quase 12 mil milhões de dólares gastos naquele que ficará na história como o campeonato do mundo de futebol mais caro do planeta, o povo brasileiro mostra um cartão bem vermelho à diferença entre o Brasil da Copa e o Brasil de todos os dias. Dizer que Brasil e futebol são quase sinónimos não é um exagero. O desporto-rei e Carnaval são dois eventos que andam sempre de mãos dadas com a identidade do próprio Brasil. Todavia, e apesar de anfitrião da 20ª edição do campeonato do mundo de futebol, a disposição dos brasileiros não parece ser tão efusiva quanto o costume, antes pelo contrário. Ao longo do último ano, mais de um milhão de pessoas saiu, por diversas vezes, à rua, para demonstrar a sua fúria contra a corrupção, contra o aumento da inflação e, em particular, contra a ausência de investimentos governamentais nos serviços públicos como a saúde, a educação, os transportes, entre outros, já para não falar na desigualdade que grassa em uma das economias emergentes mais promissoras do mundo. De acordo com uma sondagem publicada a passada semana pelo Pew Research Center, o famoso 'think tank' norteamericano, 72% dos brasileiros mostram-se insatisfeitos com o estado do seu país, uma percentagem que, há exactamente um ano, em 2013, não ultrapassava os 55%. Leia mais no portal VER. REVISTA DA IMPRENSA DESPORTIVA

Paulo Bento de saída

"Bento põe lugar à disposição", lê-se na manchete de O Jogo. O diário da Controlinveste detalha que a saíde

acontecerá"se Portugal falhar os oitavos". Algo que se adivinha... No lisboeta A Bola, destaque para o Sporting, com o título: "Rabia quase fechado". Ao lado, o Benfica e a garantia: "Sucessão de Oblak preparada". O jornal avnça quatro hipóteses: Rulli, Júlio César, ochoa e Navas. No Record, é Montero que surge em destaque. O avançado do Sporting declara; "Não vejo a hora de jogar na Champions". RIBEIRO CRISTÓVÃO

A hora de mudar Sabendo-se que muitos dos jogadores que vestiram e prestigiaram “La Roja” durante cerca de uma década chegaram à porta de saída, o passo seguinte não deixará de envolver um debate muito sério sobre como construir uma nova geração de futebolistas vencedores. E por cá?

Por Ribeiro Cristóvão

“Muito obrigado por estes anos de bom futebol, sonhos e títulos” – eis a mensagem do novo Rei de Espanha, em jeito de despedida, dirigida à selecção do seu país que começou a empreender um penoso regresso a casa, após um Mundial em que acumulou fracassos e esbanjou algum do prestígio que granjeou durante anos a fio. Acredito que as palavras de Filipe VI podem igualmente ser repetidas pelos espanhóis que sempre viveram os sucessos da sua selecção, e também, porque não dizêlo, por todos quantos, em todo o mundo, gostam de futebol e souberam sempre aplaudir a magia de um grupo que agora começa a desfazer-se. Sabendo-se que muitos dos jogadores que vestiram “La Roja” durante cerca de uma década e a prestigiaram com as suas conquistas chegaram à porta de saída, o passo seguinte não deixará de envolver um debate muito sério sobre como vai ser possível construir uma nova geração de futebolistas vencedores. David Villa, um dos históricos goleadores do futebol espanhol, saiu em lágrimas do jogo de despedida que significou para ele o abandono, mas há outros, como Xavi Hernandez, Iniesta, Xavi Alonso e até o próprio Casillas, que também podem ter visto chegar a hora de dizer adeus a um símbolo que prestigiaram e defenderam com inusitado empenho. É verdade que estes e outros nomes não são, no


20

Terça-feira, 24-06-2014

imediato, de fácil substituição. Não deixa, porém, de se reconhecer que a Espanha vem trabalhando muito a sério no surgimento de novos valores e, por isso pode reivindicar um lugar de destaque, a nível europeu, entre as selecções mais jovens, apresentando conquistas só relativamente valorizadas porque outras lhes roubavam o palco. Infelizmente, o mesmo não se passa entre nós. Fomos também ao tapete com um grupo de jogadores muitos dos quais a atingir a veterania, e não se vislumbra quem possa receber deles o testemunho. Por isso, também nós vamos ter necessidade de um debate urgente. Só que as bocas que deviam abrir-se vão continuar provavelmente fechadas e as mentes permanecerão abstrusas porque, verdadeiramente, a vontade de mudar não existe. Está na cara!

MUNDIAL 2014

A análise de Nuno Presume ao Croácia 1-3 México Comentador da Renascença destaca apuramento justo dos norte-americanos para os oitavos-de-final do Mundial do Brasil.

MUNDIAL 2014

Já há dois jogos para os "oitavos" Brasil-Chile e Holanda-México. São as primeiras partidas da próxima fase do campeonato do mundo.

Apuramento com "inteira justiça" do México "Foi uma vitória justa do México pelo que fez na segunda parte. A primeira parte foi equilibrada, com Herrera a enviar uma bola ao poste e a fazer mais um grande jogo. Na segunda parte e com a Croácia com necessidade de abrir mais o jogo e atacar mais, o México contrapôs muito bem e conseguiu três golos. Sofreu um é verdade, mas apura-se com inteira justiça para os oitavos-de-final".

Os dois primeiros jogos do quadro dos oitavos-de-final do Mundial 2014 estão definidos, depois de conhecidas as selecções apuradas dos grupos A e B para a fase subsequente da prova. Brasil e México qualificaram-se, na primeira tabela, esta segunda-feira, sabendo-se de antemão que Holanda e Chile já tinham encerrado as contas do Grupo B. Nos "oitavos", o Brasil, primeiro do Grupo A, defrontará o Chile, segundo do Grupo B. Já a Holanda, que liderou o Grupo B, terá pela frente o vice-líder do Grupo A, o México. A primeira partida está marcada para 28 de Junho, em Belo Horizonte. Já o segundo encontro disputar-se-à em Fortaleza, um dia depois.

CONVERSAS CRUZADAS. A economia e as finanças do país em debate. Com Daniel Bessa, Carvalho da Silva, Silva Penda e Álvaro Santos Almeida, num debate conduzido por José Bastos.


21

Terça-feira, 24-06-2014

MUNDIAL 2014

António Fidalgo analisa o Camarões 1-4 Brasil "Canarinhos", anfitriões do campeonato do mundo, apuram-se para os oitavos-de-final.

consegue três vitórias com três boas exibições no plano colectivo". MUNDIAL 2014

António Fidalgo analisa o Austrália 03 Espanha Comentador da Renascença prevê que, após o Mundial, Vicente Del Bosque se mantenha no comando da "roja".

Vitória "fácil" e "natural" "Foi uma vitória fácil, facilitada pelos Camarões, que foram algo ingénuos a defender. A partir do empate e sobretudo na segunda parte, o Brasil dominou completamente os Camarões e chegou com naturalidade aos 4-1".

José Nuno Azevedo analisa o Holanda 20 Chile Estratégia da equipa de Louis Van Gaal sublinhada pelo comentador da Renascença.

Chile caiu na "armadilha" laranja "A Holanda deu a iniciativa de jogo ao Chile, dando posse de bola ao Chile e fazendo com que o Chile se sentisse confortável no jogo. Os contra-ataques foram assertivos da parte da Holanda, nomeadamente no lance que dá origem ao segundo golo. É uma vitória que assenta na estratégia da Holanda, mais do que o domínio ou superioridade da Holanda sobre o Chile. Esta estratégia não é tradicional na Holanda, mas

"Um resultado perfeitamente normal" "O David Villa fez um golo vistoso, aos 36'. Na segunda parte, a Austrália procurou o empate, subiu um pouco os seus sectores, concedeu mais espaços e veio ao de cima a escassez de recursos da Austrália. A Espanha foi dominando claramente. Foi um resultado perfeitamente normal". Despedidas e manutenções "A Espanha despede-se do Mundial, despede-se David Villa, Xabi Alonso e deve despedir-se também Casillas. Quanto a Vicente Del Bosque, tem contrato por mais dois anos e os rumores apontam para que continue. O modelo de jogo da Espanha, consolidado por ele mantém-se, mas com uma grande renovação de jogadores".

Página1 é um jornal registado na ERC, sob o nº 125177. É propriedade/editor Rádio Renascença Lda, com o nº de pessoa colectiva nº 500725373. O Conselho de Gerência é constituído por João Aguiar Campos, José Luís Ramos Pinheiro e Ana Lia Martins Braga. O capital da empresa é detido pelo Patriarcado de Lisboa e Conferência Episcopal Portuguesa. Rádio Renascença. Rua Ivens, 14 - 1249-108 Lisboa.

Página1 24/06/2014  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you