Issuu on Google+

PADDOCK ONLINE BRASIL, 02 DE DEZEMBRO DE 2008, TERÇA-FEIRA - ANO I - EDIÇÃO 17 - www.paddockonline.com.br

Classificados: ———————————————————————- P.19

Abandono!! Qual a razão dos grids de largada ficarem vazios no final da temporada?

Leia também Infelizmente aqui no AV brasileiro os grids estão fadados ao abandono no final das temporada. Saiba o porque. P.04

mais

- Está chegando a hora de sabermos o que Ana Luiza achou da sua aventura no Kart. P.08 - Mais campeões nas ligas parceiras do Paddon P.08-13 - Conheça qual logotipo foi o escolhido pelos leitores no concurso do logotipo oficial do jornal. P.03

Negrão e Mattheis vencem e garantem bicampeonato P.14


www.paddockonline.com.br

TERÇA, 02 DE DEZEMBRO DE 2008

EDIÇÃO 17 |PADDOCK ONLINE|

Editorial

2

EXPEDIENTE

Olá amigo leitor, essa edição é muito especial por dois motivos. Primeiro por estar anunciando o vencedor do primeiro concurso do Paddock Online para a escolha do logotipo oficial do jornal. Segundo porque a próxima edição será a última do Paddon. Calma! Será a última de 2008. Desde agosto de 2008 estamos trabalhando, todas as semanas, para trazer o que de melhor aconteceu nas ligas parceiras do jornal. E achamos que chegou a hora de darmos uma pausa para podermos repensar algumas coisas e reformularmos algumas idéias. Nada como umas boas férias para colocarmos as idéias em ordem. Então fica o aviso: a 18ª edição será a última edição de 2008. Onde provavelmente voltaremos no início do mês de fevereiro de 2009 quando a grande maioria das ligas também voltam com seus campeonatos oficiais. Nessa penúltima edição curta mais um capítulo da história de Ana Luiza que, segundo ela mesma, é totalmente verídica e aconteceu a pouco tempo em um kartódromo . O fim dessa experiência está chegando. O que será que ela achou disso tudo? Isso você saberá pela própria Ana Luiza em sua coluna. Nessa edição conheça também mais alguns campeões nas ligas parceiras do Paddon. É só folhear! A redação

SUPERINTENDÊNCIA DE IMPRENSA E EDITORA Criado em vinte e oito de outubro de 2007 SITE www.paddockonline.com.br

CONTATO redacao@paddockonline.com.br

CLASSIFICADOS classificados@paddockonline.com.br

EDITOR/DIAGRAMADOR João Carlos Nóbrega Teixeira

REPORTERES João Carlos N. Teixeira e Thiago Alves

COLUNISTA Ana Luiza Quirino


www.paddockonline.com.br

TERÇA, 02 DE DEZEMBRO DE 2008

EDIÇÃO 17 |PADDOCK ONLINE|

3


www.paddockonline.com.br

EDIÇÃO 17

REPORTAGEM

4

Grids de largada abandonados O que se passa na cabeça de um piloto para abandonar um campeonato antes mesmo do seu término? Por João Carlos Nóbrega

inal de ano chegando e com ele muitas expectativas sobre a próxima temporada, idéias novas aflorando por todos os cantos das ligas brasileiras. Mas o final de ano trás com ele também uma situação que já é corriqueira nas ligas de Automobilismo Virtual no Brasil: a diminuição de carros nos grids de largada por abandonos de pilotos.

F

Infelizmente todo organizador de liga e pilotos já prevêem isso, o que é uma pena, pois muitas das vezes isso ofusca uma grande temporada de um campeonato. Mas porque isso acontece? O que passa na cabeça desses pilotos que abandonam os campeonatos no final? E o mais importante: como solucionar esse problema? Essas são questões que dificilmente terão respostas concretas. Pelo menos não este ano. Vai chegando o final da temporada e os grids vão ficando mais “minguados”. É nessa hora que recomeça, a cada ano, a discussão sobre esse fenômeno. Muito se discute uma forma de combater isso e muito se tenta ao longo de cada temporada, mas a verdade é que nada muda e vemos grids diminuídos em até 50% do número que se iniciou o campeonato, ou até mais.

Os motivos Várias são as teorias sobre o real motivo que leva um piloto a abandonar o campeonato no seu final, mas o que realmente são vários são os motivos desses abandonos. Uns falam que é por falta de motivação com a não possibilidade de se disputar o título de campeão, outros dizem que é por causa da falta de compromisso do piloto para com a organização do campeonato que ele participa. Alguns creditam esses abandonos ao fator carros/ pistas que, com o passar do tempo, vai enjoando. Cada motivo desses, em ocasiões diferentes ou não, está certo. Tudo isso falado acima realmente pode acontecer. E é ai que mora o X da questão. Se já sabem os possíveis motivos, porque ainda continuam tendo vários abandonos nas ligas? A resposta pode estar na esperança que os organizadores de ligas nutrem em relação à conscientização desses pilotos em não abandonar os campeonatos. Ou simplesmente na descrença desses organizadores de que isso um dia irá mudar.

As possíveis soluções E quando se fala em possíveis soluções para esses

Crianças “batendo uma pelada” ao invés de carros correndo abandonos é que a lista fica grande: - Cobrança de inscrição; - Premiação; - Pontuação progressiva; - Reportagens das etapas; - Variedade de carros e pistas; - Campeonatos mais curtos; - Campeonatos mais longos; - Incentivo aos pilotos intermediários; - Punição para os pilotos que abandonarem; Na verdade o que um organizador deve fazer primeiramente é conhecer os seus pilotos. O que não acontece hoje em dia, ou algum

piloto virtual já recebeu um formulário de pesquisa de opinião sobre a liga que corre? Conhecendo o perfil desses pilotos, o organizador pode definir melhor qual atitude eles devem tomar para evitar (ou tentar) os abandonos no final do campeonato. Outra solução possível, e essa tem a ver também com o crescimento do AV brasileiro, é a criação de um cadastro único de pilotos virtuais, onde conste todo o histórico dos pilotos, desde suas conquistas até suas “más condutas”, incluindo aí os abandonos sem uma explicação plausível. Com isso o


www.paddockonline.com.br

TERÇA, 02 DE DEZEMBRO DE 2008 piloto pensaria duas vezes antes de “sumir” de um campeonato sem dar explicações, uma vez que essa sua conduta ficaria marcada em seu histórico. Convidamos o organizador da liga Brasil SimDrivers para saber o que pensa uma pessoa que dedica muito do seu tempo a organizar a diversão dos outros. Luis Felipe contará qual é o seu ponto de vista sobre o caso.

Luis Felipe - Acredito que seja o maior, mas não o único. Organização e respeito na pista entre os pilotos contam muito também. Paddon - Você acredita que um dia esses abandonos possam acabar ou é algo que já faz parte do AV?

Luis Felipe - Sim, existe sim. A liga é nova, estamos em nossa 2º temporada, mas as duas foram assim. No começo com grid de até 30 pilotos e no final com media de 15 Paddon - E você tem alguma teoria formada em relação a isso?

Paddon - E qual o seu pensamento sobre os pilotos que fazem isso?

Luis Felipe - Tenho três anos que estou no AV, como piloto e administrador de liga, sempre foi assim. Tem piloto que perde a motivação quando não tem chance de disputar o titulo ou as primeiras posições. Não gostaram dos carros também é outra.

Luis Felipe - Penso que poderiam cumprir o compromisso, pois como ‘admin’ de liga é ruim ver depois de tanto trabalho o grid vazio.

Paddon - Falam muito sobre a cobrança de inscrição para se evitar isso. Você concorda que seria uma solução? Luis Felipe - Sim, concordo. A liga começou a cobrar inscrição nessa temporada e o número de abandonos está sendo menor. Pode conferir no sistema, tem piloto que abandonou uma categoria, mas continua em outra da liga, e alguns fazem corridas por outras ligas também. Paddon - Você acha que a

5

perda de motivação é o maior motivo para os abandonos?

Luis Felipe - Eu acho que faz parte. O AV não é profissão, por tanto não é obrigação. Ninguém assina contrato pra correr a temporada toda, tem gente que enche o saco de correr com aquele carro e procura outro, aqui na liga temos quatro categorias, mas muitos pilotos abandonaram uma categoria e correm na outra. Abandonar é normal.

Paddon - Na liga BRSD também existem abandonos no final do campeonato?

EDIÇÃO 17 |PADDOCK ONLINE|

“...Eu acho que o abandono já faz parte do AV....“ Luis Felipe Paddon - A BRSD pretende tomar alguma atitude no futuro para diminuir esses abandonos? Luis Felipe - Como ninguém não assinou contrato não podemos fazer nada, a não ser manter o bom humor e a boa organização pra ta sempre lançando outra tempora-

Não existe motivação para se correr assim. Nem no real da, pelo menos até o meio vamos ter 30 pilotos no grid (risos) Isso que acontece na Brasil SimDrivers também acontece em várias ligas brasileiras. Será que tem a ver com a cultura dos brasileiros? Será que isso acontece também fora do Brasil? Para respondermos essas perguntas convidamos Hugo Nobre, português de 29 anos (cinco de AV) que está montando uma liga internacional que, em primeira mão, será parceira do Paddock Online em 2009: a Online Racing World (www.onlineracingworld.com) Paddon – Hugo, Qual liga você já organizou? Nobre - Bom já organizei várias ligas, nomeadamente o campeonato de GP2 da extinta liga HOWC, o campeonato de Formula 1 também da HOWC, o campeonato SRPPTCC Megane Trophy+Clio Cup, ORW-ChampCar World Series, entre outros. Paddon - Você fez parte da SimRacing Portugal por quanto tempo? Nobre – Lembrando que a SimRacing Portugal não é

propriamente uma liga, mas sim um fórum sobre o SimRacing Nacional em Portugal. No entanto, pessoas, em nome individual ou organizações, podem organizar campeonatos dentro do SRP. Foi o que aconteceu quando, juntamente com mais três pessoas, organizamos o campeonato denominado SRP-PTCC. A minha estadia, digamos assim, dentro do SRP estendeuse durante um ano e meio. Hoje ainda passo esporadicamente pelo fórum para me actualizar. Paddon - Agora você está criando uma liga própria? Nobre – Sim. A ORW, Online Racing World, é uma comunidade de SimRacing. O nosso grande objectivo, é angariar pilotos de todo o mundo. Isto porque queremos marcar a diferença e distinguirmo-nos de todas as outras (boas) comunidades que existem a nível nacional. Assim, estamos a trabalhar diariamente para que tal aconteça, seja em nível de parcerias com diversos sites/empresas no "mundo do simracing" como também em nível de funcionalidades novas para o nosso website/fórum.


www.paddockonline.com.br

TERÇA, 02 DE DEZEMBRO DE 2008 Paddon - Como você vê o Automobilismo Virtual Brasileiro? Nobre - Apesar de nunca ter participado em nenhum campeonato brasileiro de SimRacing, exceptuando algumas corridas no CBAV SuperClio, penso que tem muitos pilotos bons e a andar bem rápido. Um desses pilotos, o Renan Cattucci, chegou a correr pela minha equipa, a Evolution Racing. Pelo que sei e leio, existem diversas ligas brasileiras nos diversos simuladores disponíveis no mercado, ligas essas que tenho visto terem a grelha (grid) bem completa! Paddon - Você já correu em algum campeonato fora de Portugal, em outros países que não seja o Brasil? Nobre - Sim. O campeonato que referi à pouco, o HOWC, era um campeonato internacional, em que o administrador do mesmo era Australiano, isto apesar de o campeonato ter as suas corridas em horário europeu. Também fiz uma ou outra corrida no FSR (Formula SimRacing), campeonato bem conhecido de Formula 1, no rFactor, a nível internacional. Paddon - Assim como no Brasil, é comum nos campeonatos internacionais ter abandonos de pilotos no final da temporada? Nobre – Depende. Por vezes é natural que alguns campeonatos quando se aproximam do fim vejam as suas grelhas menores, mais reduzidas. Esta situação tem a ver com diversos factores, como por exemplo: Falta de motivação para as últimas corridas quando a classificação dos campeonatos de pilotos e

equipas estão atribuídos; Os pilotos mais lentos, vendo que não se conseguem chegar à frente vão perdendo motivação; Em campeonatos muito longos e quando o mod usado não é muito apelativo existe mesmo um abandono geral. Depende também da motivação e dinâmica que os administradores de cada campeonato colocam nas equipas e pilotos. Mas no geral, nos campeonatos que eu participei/organizei, infelizmente é uma tendência que se verifica, especialmente devido aos factores acima mencionados. Cabe às organizações dos campeonatos contrariar essa tendência com novas idéias que proporcionem dinâmica aos mesmos. Paddon - Você poderia sugerir algumas idéias para evitar esses abandonos? Nobre - Boa pergunta. Bom, existem algumas formas de

EDIÇÃO 17 |PADDOCK ONLINE| "prender" os pilotos às ligas. Uma delas passa por uma taxa de inscrição no campeonato em questão. Uma equipa/piloto que pague uma taxa de inscrição não abandona facilmente o campeonato. Outra solução pode passar pela atribuição de prêmios aos três primeiros classificados. Interacção com os pilotos ao longo de todo o campeonato, entre outras idéias. Paddon - A ORW terá essa filosofia em sua estrutura? A de motivar os pilotos a cada corrida? Nobre - Sim, porque sem pilotos e equipas, os campeonatos não existem. Para isso trabalhamos diariamente para proporcionar essa motivação aos pilotos e equipas. Apesar desses abandonos parecerem algo tão comum atualmente, vamos torcer para que isso diminua.

6

Temos certeza que quando duas palavras começarem a ecoar na cabeça desses pilotos que abandonam os campeonatos, o Automobilismo Virtual terá dado mais um grande passo para o seu crescimento. Quais são as palavras? Simples: COMPROMISSO E RESPEITO.


www.paddockonline.com.br

TERÇA, 02 DE DEZEMBRO DE 2008

EDIÇÃO 17 |PADDOCK ONLINE|

7


www.paddockonline.com.br

TERÇA, 02 DE DEZEMBRO DE 2008

Ana Luiza Quirino Calma pessoal, já está acabando. Agora falta pouco: Escolhi o carrinho número 3, porque desde pequena gosto desse número. Sentar foi um sacrifício, entrei errado e minha perna enganchou. Foi ridículo ver os meninos todos sentados e eu ainda tentando aprender a arte de sentar num troço que é rente ao piso sem cair de vez no chão, mas depois de muito esforço consegui. Só não alcançava o acelerador e o freio e detalhe, o assento estava o máximo para frente. Lá vai o moço correndo atrás de uma almofada enorme para por nas minhas costas e me deixar com o volante colado ao corpo, mas antes isso do que não alcançar o acelerador. Quando estava devidamente instalada comecei a analisar a máquina e tive a segunda decepção: não tinha marcha! Meu Deus, foi em vão tentar me lembrar de todas as vezes que corri no simulador do meu marido e tinha que ficar apertando as borboletinhas atrás! Bom, segundo trauma superado, vamos à velocidade. Todo mundo disparou e eu lá atrás, e tava “pisando fundo”como dizem por aí. Então imaginei que a velocidade seria desenvolvida aos poucos pois devia ter alguma manha, no entanto depois de muitas voltas percebi que estava acelerando e freando ao mesmo tempo (hahahahaha) pois o freio era bem sensível e só o fato de estar com o pé apoiado já fazia diferença no meu desempenho na pista, resultado: larguei em último. Quando as luzes se acenderam eu escutei minha enteada gritando: vai tia Ana! E eu acelerei tudo que pude, me assustei como chegou rápido na primeira curva, meti o pé no freio e fiz bem direitinho. Lembrava do meu marido falando e pus em prática anos de escuta de conversa de TS: usei a zebra, fiz curva com pé embaixo, rodei (lógico), mas não bati em ninguém, consegui inclusive desviar dos “pilotos” que fizeram barbeiragem na minha frente; fiquei triste ao constatar que o homem estava certo, eu vi a bandeira azul um monte de vezes, só meu marido passou de mim umas 5, mas pelo menos mandava beijinho quando passava. Quem venceu foi meu marido (amém, só faltava perder depois de viver pendurado em corrida no simulador) então como todos estavam na mesma volta pararam e eu me empolguei e achei que tinha direito ainda a tirar todas as voltas que eles me deram de retardatária e passei direto, todo mundo parado e eu dando uma ultima voltinha sozinha, até que me pararam a força (que droga, pelo menos Rubens Barrichello se diverte mais sem ninguém mandar ele parar o carro.. hehehehe) e eu desci aclamada pela torcida (minha família é ótima) afinal tinha sido a primeira colocada feminina!!! Na próxima edição contareia última parte dessa minha experiência automobilística. Até lá!

EDIÇÃO 17 |PADDOCK ONLINE|

8

AGENDA SEMANAL Confira agora a agenda das ligas parceiras do Paddock Online de 02 à 08 de dezembro:

02/12/08 - Norisring (Júnior) 04/12/08 - Phillip Island (GT3) 08/12/08 - Donington (Championship)

06/12/08 - México (Viagras)

08/12/08 - Putnam Park (Indy)

03/12/08 - Las Vegas (ASA)

07/12/08 - Kyoto Ring GP Long Inversa (FOX)

02/12/08 - Jacarepaguá (SuperClio PRO) 03/12/08 - Jacarepaguá (SuperClio Light) 04/12/08 - Jacarepaguá (Stock Light)

08/02/09 - Montreal (GP2)

04/12/08 - Jacarepaguá (SuperClio)

02/12/08 - Puebla 06 (GT Sports A) 04/12/08 - Puebla 06 (GT Sports B) 07/12/08 - Puebla 06 (GT Sports C)

08/12/08 - Sandown (PRO)


www.paddockonline.com.br

TERÇA, 02 DE DEZEMBRO DE 2008

EDIÇÃO 17 |PADDOCK ONLINE|

9

LIGA BRASILEIRA DE NASCAR

Termina a temporada da Road Series E com dobradinha da equipe SportVirtua na última prova

Francisco Amaral chegou em segundo e Anderson Mota (no destaque) venceu a corrida de ponta-a-ponta A última etapa da categoria Road Series da Liga Brasileira de Nascar foi em clima de muita comemoração com as três primeiras posições do campeonato já definidas. A corrida foi realizada no tradicional circuito de Watkins Glen e contou com a presença de 19 pilotos no grid de largada. O título já era de Francisco Amaral, da equipe SportVirtua, mas foi seu companheiro de equipe, Anderson Mota, que comemorou uma vitória pela última vez na temporada. Amaral chegou em segundo com Carlos Marin, da CTR, chegando na terceira posição.

Mota manteve a liderança e disparou na frente não deixando nenhuma oportunidade para Marin, segundo colocado, ultrapassá-lo. O campeão largou apenas na sexta posição, mas foi só a bandeira verde ser acionada que ele mostrou o porque de ter conquistado o título com uma rodada de antecedência. Amaral saiu ultrapassando seus adversários até chegar no vice campeão, Lino Palladino, da equipe CTR. A briga valia a terceira posição na corrida e Amaral, depois de pressionar Palladino por várias voltas conseguiu uma bela ultrapassagem.

A largada ocorreu de forma tranqüila com todos os pilotos fazendo a primeira curva com bastante cuidado para não causar acidentes.

Daí pra frente foi seguir à caça de Marin, mas Amaral não precisou ultrapassá-lo na pista. Marin foi para os boxes e, na parada do A-

maral, ele voltou à frente de Marin, na segunda posição. Lá na frente Mota fazia uma corrida solitária. O final da corrida foi marcado por vários abandonos. No total 10 pilotos não terminaram a corrida, dentre eles Palladino e Carlos Washington, da equipe Skyline, terceiro colocado na classificação geral. Outro piloto que merece destaque nessa etapa foi Ricardo Vizibelli, da Brazil Motorsports, que logo no início da prova errou sozinho e caiu para as últimas posições fazendo uma corrida de recuperação chegando na quarta posição. Em quinto chegou o sempre constante Gabrielle Grivott, da Soares Corporation, que fez mais outra boa corrida terminando entre os primeiros.

Quando todos já esperavam a vitória fácil de Mota devido a grande vantagem que ele colocou para Amaral, segundo colocado na corrida, eis que o improvável aconteceu. Na penúltima volta da corrida Mota ultrapassou um retardatário e, na freada da curva seguinte, o retardatário não conseguiu frear a tempo e acertou Mota, que rodou e parou fora da pista batendo forte no muro. Com isso Amaral, que estava sendo pressionado por Marin, se se aproximou bastante, mas Mota conseguiu voltar para a pista e, mesmo com o motor avariado, cruzou a linha de chegada em primeiro com Amaral em segundo e Marin na terceira posição fechando o pódio de Watkins Glen. O balanço final da temporada S2/2008 da categoria Road Series feito pelos pilotos e organizadores não poderia ter sido melhor. Boas disputas em todas as etapas, assim como boas médias de carros participantes nas corridas e no final foi premiado o melhor piloto da temporada. A próxima temporada promete ser mais emocionante ainda, devido às mudanças já anunciadas pela diretoria da LBN para o ano de 2009. Novo dia, novo horário e agora a categoria será dividida em duas, com a chegada de outro simulador, o rFactor, e possivelmente novos carros. É aguardar a abertura das inscrições para ter corridas de alto nível e muitas disputas, do início ao fim.


www.paddockonline.com.br

10

GERAL

EDIÇÃO 17

DRIVING FORCE

COT fecha com chave de ouro Lamesa é o campeão da categoria e Gatuno fica com o vice Em uma corrida emocionante, realizada no circuito de Homestead (Miami), pela última etapa da categoria COT da liga Driving Force, Afonso Sousa, da euqipe Jaguar Racing, venceu a sua primeira corrida na categoria. O campeão antecipado, Artur Lamesa (Jaguar), fez uma grande corrida de recuperação depois de estar em último, chegando em segundo ultrapassando Edu Junqueira, da Força Livre Motorsport, na última volta. Essa última etapa demonstrou bem a evolução da categoria ao longo das 19 etapas da temporada. Uma corrida realizada em alto nível e com apenas seis bandeiras amarelas só podia ser muito elogiada pelos pilotos no final. Boa parte da disputa pela liderança da corrida ficou por conta de André Souza (HP Racing) e Afonso Sousa, mas infelizmente André aban-

Momento tenso da corrida. Lamesa (verde) chega para fazer seu pitstop. Sousa (laranja) sai na frente donou a prova no final devido a um acidente que avariou seu carro. E por falar em acidente, o campeão não esteve livre deles não. Lamesa se envolveu em dois acidentes no início da corrida e por várias vezes andou no pelotão de trás da corrida, tendo que fazer uma corrida de estratégia.

Lamesa fala com o Paddon Paddon - 19 etapas. Um campeonato longo. A que você atribui esse título? Lamesa - A consistência nessa categoria é fundamental. Consegui manter uma média de pontos por corrida satisfatória (155), ou seja, top5 em media o campeonato todo. É uma categoria justa, onde não necessariamente precise vencer corridas pra vencer o campeonato. Paddon - Quando você achou que poderia ser realmente campeão? Lamesa - Tive alguns problemas no iní-

No final Afonso sobrou na frente vencendo com um pouco mais de três segundos de diferença para Lamesa, que chegou em segundo lugar depois de ultrapassar Junqueira na última volta, devido a um erro do próprio Junqueira que perdeu a frente do carro e tocou no muro. Destaque também para Car-

cio, mas a partir da segunda metade vi que era possível, mas muito difícil, tinha uns 5 ou 6 pilotos que eram fortes candidatos. Felizmente deu tudo certo pra mim.

los Feruti (Ghost Racing) e Márcio Gatuno (SportVirtua), vice campeão da categoria, que largaram nas ultimas posições para terminarem em 4º e 5º, respectivamente. A categoria encerra a temporada com chave de ouro. Promessa de grandes disputas na próxima temporada.

liga do mesmo simulador que usa o calendário real e corrida toda semana. A COT foi um sucesso, esperamos melhorar ainda mais em 2009. Paddon - Quais seus projetos futuros?

Paddon - Como você avalia essa temporada da categoria COT? Lamesa - Teve um inicio um pouco turbulento, chegamos a ter 90 pilotos inscritos no início e tínhamos de limitar o grid. O nível técnico dos pilotos melhoraram muito ao longo de campeonato e no final tivemos grandes corridas. Utilizamos pistas com versão 2008, e alguns upgrades gráficos, sempre atualizando o jogo, trazendo ao máximo ao que acontece a NASCAR atual. Não vejo nenhum

Pretendemos dar continuidade ao projeto e fazer em 2009 um campeonato ainda melhor, mantendo o que foi um sucesso, sempre inovando e atualizando esse simulador que ainda é insuperável no que se refere a NASCAR. A Driving Force é um grupo, não depende só de mim. Não posso deixar de dar os créditos também ao Carlos Dytz, Felipe Pasquali, Carlos Feruti e o Ezequiel Matos, que fizeram parte da gerência do COT nesse campeonato.


www.paddockonline.com.br

TERÇA, 02 DE DEZEMBRO DE 2008

EDIÇÃO 17 |PADDOCK ONLINE|

11

SPEED SERIES

Lucas Jehá é campeão mesmo sem correr João Paulo vence a última etapa da categoria em Indianápolis

Lucas conta como conquistou o título Paddon - Título com menos duas corridas. A que se deve isso? Lucas - Bom, acho que dedicação, força de vontade e talento também né? (risos). Mas falando sério, primeiramente, a humildade de saber reconhecer a capacidade dos concorrentes, e saber que eu precisava evoluir bastante para disputar com eles. Não cometi erros durante a temporada, das 6 etapas que participei todas estive no pódio. A regularidade foi peça chave.

Três vitórias para Jehá e João Paulo (destaque) venceu a 1ª O templo do Automobilismo mundial, Indianápolis, foi o cúmplice da última etapa da categoria Skiva Speed Series, da liga Speed Zone. Mesmo com o baixo número de carros no grid, a corrida na versão mista de Indianápolis foi bastante disputada e emocionante. A ausência mais significativa foi, sem dúvida, a do campeão antecipado da categoria, Lucas Jehá, que não correu por problemas particulares. Mas a sua equipe, a campeã de construtores Rabello GP, teve seu representante na pista. Erick Rabello fez uma grande corrida chegando em segundo depois de largar na oitava posição no grid. João Paulo, da equipe Venom Spyder, foi o grande vencedor da etapa de encerramento da temporada e com isso terminou em terceiro na classificação geral da categoria. Diego Lima, da Forest, terminou em terceiro. Na corrida João Paulo aproveitou-se bem da ausência de Lucas Jehá e, além da pole position e da vitória, João

garantiu a melhor volta da corrida fazendo “barba, cabelo e bigode” como o próprio piloto falou em entrevista no final da corrida. Largaram na primeira fila os dois pilotos da Venom Spyder com João Paulo em primeiro e Cleiton Lauren em segundo. Mas a corrida de Lauren durou apenas quatro voltas quando quebrou o motor do seu carro, acabando com a grande chance de dobradinha da equipe. Depois de trinta voltas no difícil circuito de Indianápolis (circuito misto), João Paulo foi o campeão da etapa com Ambrósio se aproveitando de um erro de Diego Lima no final, chegando em segundo. Lima ainda conseguiu o terceiro lugar na prova e conquistou seu terceiro pódio seguido. Mesmo não correndo a última etapa, Jehá terminou o campeonato com cinco pontos de diferença para Rabello, segundo colocado 13 pontos à frente de João Paulo. Um belo final para uma temporada igualmente grandiosa.

Paddon - Como foi o seu campeonato? Lucas - Comecei muito determinado e ansioso, mas consegui lidar bem com isso, depois de conseguir minha primeira vitória na categoria na etapa do México, tudo passou a ser mais tranqüilo. Foi uma temporada completa e muito feliz. Perdi duas corridas, mas mesmo assim consegui levar o título, e ele ter vindo com uma corrida de antecedência foi mais marcante ainda pra mim, dado o alto nível dos pilotos que correm no campeonato. Paddon - Título também nos construtores. Como se portou a equipe na temporada? Lucas - Foi motivante ter o Rabello como parceiro, ele é um excelente piloto, e nossa rivalidade é antiga, estreamos no automobilismo virtual na mesma competição de GP3 em 2006, e desenvolvemos uma rivalidade muito grande desde então, as vezes resultava em algo sadio, outras vezes não, mas no geral, foi uma relação muito boa durante a temporada.Acredito que de todas as parcerias feitas até hoje no SS a nossa foi a mais forte, a rivalidade entre a gente ajudou e muito e nós alcançamos um nível de pilotagem muito bom. Paddon - O que esperar de Lucas Jehá daqui pra frente? Lucas - Bom, vai ser uma mudança grande daqui pra frente. Eu e Rabello não seguiremos mais juntos, além disso o campeonato terá mudanças importantes e não sei como vou reagir quanto a elas, porém isso é motivador já que é algo novo para se trabalhar, para que eu tente alcançar em ovais o mesmo nível dos mistos, será uma temporada muito interessante. Além disso estarei competindo em outros campeonatos, no rfactor. Espero também conquistar mais títulos, pra ser entrevistado outras vezes (risos).


www.paddockonline.com.br

TERÇA, 02 DE DEZEMBRO DE 2008

EDIÇÃO 17 |PADDOCK ONLINE|

12

LIVE FOR SPEED BRASIL

Hugo Luis é campeão da GTR E mais uma vez venceu as duas baterias de uma etapa Durante as últimas semanas foi discutido entre os participantes da categoria e os organizadores do campeonato sobre colocar ou não pneus ou barreiras nas chincanes do circuito de Fern Bay Green , palco da penúltima etapa da temporada. A organização informou que seria colocado pneus sim na primeira chincane como de costume. E não é que essa barreira praticamente decidiu o título em favor de Hugo Luis logo na primeira bateria? Ainda falta uma etapa para o término do campeonato, mas o título já tem dono: Hugo Luis, da equipe Fachini Racing, que novamente ganhou as duas baterias de uma etapa somando agora onze baterias ganhas de 16 disputadas e as últimas seis vitórias seguidas. Hugo Luis largou na pole position, mas não contava com uma bela largada do seu companheiro de equipe, Marcel Fachini, que largou em terceiro e pulou para primeira posição no início da prova. Mogar Filho (Green Racing) ainda tinha chances de conquistar o título e vinha em terceiro depois de largar na segunda posição com Anderson Paes, da Drunked Racers Team, em quarto. O que Mogar Filho não contava era que, na segunda volta da corrida, Marcel Fachini passaria reto na chincane, batesse nos pneus e voltasse para a pista com o carro desgovernado provocando um grande acidente envolvendo vários carros, entre eles o de Mogar Filho que abandonou a prova

ficou nas mãos de Hugo Luis que ainda teve tempo de fazer uma grande segunda bateria saindo da oitava posição no grid de largada para assumir a liderança da prova faltando cinco voltas para terminar a corrida. Com Arthur de Castro em segundo e Jonatan Goebel, da Atari Racing Team, em terceiro.

Hugo Luis contou com a sorte na 1ª e com o talento na 2ª bateria e a chance de chegar perto de Hugo Luis, que por incrível que pareça passou ileso pelo acidente e depois disso foi só abrir distancia para vencer a bateria. Paes por pouco também não escapou do grande acidente sem maiores conseqüências, mas tocou em Fa-

chini e rodou caindo para a sexta posição. Paes ainda se recuperou na corrida chegando em um belo segundo lugar com Arthur de Castro (Fachini Racing) em terceiro. Com esse resultado da primeira bateria o título já

Ainda falta uma etapa, mas Hugo já pode comemorar o título de campeão da categoria GTR. Outro que pode comemorar antecipadamente é o próprio Mogar Filho que também não pode mais ser alcançado e o título de vice campeão está asegurado. A última etapa será realizada no dia 11 de dezembro, no circuito de Kyoto National.

VIRTUAL PILOTS GROUP

Paulo Roberto vence a segunda na categoria PRO e lidera o campeonato O piloto da equipe Morschbarcher Competições, Paulo Roberto, venceu a sua segunda prova na categoria PRO da liga VPG. A vitória se deu no circuito de Oran Park, penúltimo no calendário da temporada. Com a vitória Paulo Roberto assumiu a liderança na classificação de pilotos superando Adriano Max, da equipe Viracopos Racing Gold, por apenas dois pontos de diferença. Max chegou em terceiro nessa etapa com o segundo lugar para Erick Baravelli.

O circuito de Oran Park é conhecido por não ter muitos pontos de ultrapassagem então largar na frente era importantíssimo e foi o que Paulo Roberto fez largando na pole position. Max largou em segundo e tentou de todas as formas ultrapassar Paulo ainda no início da prova, mas não conseguiu e ainda por cima tocou na grama e perdeu a traseira danificando seu carro. Seu companheiro de equipe, Diego Sebben aproveitou para assumir a segunda posição.

Max ainda conseguiu recuperar a segunda posição, mas errou na estratégia dos boxes e não trocou os pneus. Não passou Paulo e de quebra perdeu a posição para Baravelli chegando em terceiro. Na última volta Baravelli conseguiu assumir a ponta, mas, em uma tentativa de retomar a liderança Paulo toca em Baravelli que roda. Paulo venceu a corrida com Baravelli em segundo. A última etapa será em Sandown e o título está em aberto. Muitas emoções até o final.


www.paddockonline.com.br

TERÇA, 02 DE DEZEMBRO DE 2008

EDIÇÃO 17 |PADDOCK ONLINE|

13

SIMRACE BRASIL

O campeonato vai se aproximando do fim O primeiro campeonato de GTR Evolution oficial do Brasil está chegando em seu momento decisivo. Faltando apenas duas etapas para o término do campeonato (com exceção da Série C que teve a etapa de Zandvoort adiada para o final do calendário). Nas séries nada definido ainda, muito pelo contrário. Com a vitória de Bruno Said nessa etapa de Vara e com o terceiro lugar de Gileno Oliveira, o campeonato está empatado entre os dois. Beto Graça foi o segundo.

do a tabela, dois pontos à frente de Alessandro Monteiro. Coincidentemente nenhum dos dois completou a corrida dessa etapa, vencida por Emerson Duda, seguido de Antônio Laprano em segundo e Thiago Cardoso em terceiro.

Na Série B a disputa também está emocionante sagem sobre Beust no “Saca- com Luis Carlos ainda lideranrolha” assumindo a liderançapor apenas duas voltas, quando passou reto na mesma curva terminando a corrida em quarto. Na 11ª volta foi a vez de Ítalo abandonar a corrida por problemas em seu carro, deixando o caminho livre para Beust. Fábio A segunda etapa da Tessarolo (Sul-Brasil) fez uma categoria GP2 da liga Racing corrida consistente e chegou Days, realizada no circuito em segundo com Frederick autraliano de Melbourne, foi Bittar (Comprecar) em tercei- um show de abandonos. Dos ro. quinze carros que largaram

A penúltima etapa (menos para a série C) será no difícil circuito Puebla, México.

Beust vence a 1ª bateria e Silveira (destaque) a segunda

BRASIL SIMDRIVERS

Marcos Silveira vence a 2ª bateria e é líder O piloto Marcos Silveira, da equipe MM Racing, foi sem dúvida o grande destaque dessa quarta etapa da categoria Championship, realizada no famoso circuito de Laguna Seca. Com a vitória na segunda bateria e com o quarto lugar na primeira, onde possivelmente poderia ter vencido também uma vez que seu carro teve problemas quando ele liderava a prova, Marcos Silveira agora assume a liderança do campeonato. O vencedor da primeira bateria foi Cristiano Beust, da equipe Piratas Racing que levou o seu Porsche ao lugar mais alto do pódio depois de uma disputa intensa contra Marcos Silveira no início da prova. Beust assumiu a ponta da corrida logo na largada quando passou a dupla da MM Racing, Ítalo Silveira, pole position, e Marcos Silveira. Na terceira volta Marcos fez uma grande ultrapas-

Já na Série C a situação está muito mais favorável para Antônio Magnus que chegou em terceiro nessa etapa e agora tem 14 pontos de diferença para João Petry, segundo lugar na corrida. Quem venceu na Série C foi Fabrício Tavares.

RACING DAYS

Compra-se suspensão para a categoria GP2!

apenas quatro terminaram a corrida. Carlos Cambará venceu a prova e agora lidera a tabela de classificação de pilotos. O piloto Wilson Neto chegou em segundo na etapa e agora também ocupa a segunda posição na classificação. Rafael José Ferreira terminou a corrida em terceiro, uma A penúltima etapa do volta atrás de Cambará, e Doucampeonato será em Doning- glas Simoneli foi o quarto. ton. Marcos é o líder, cinco pontos à frente de Tessarolo, A etapa teve como pole segundo colocado na tabela position o piloto Aritan Maia, de classificação. com Wilson Neto largando na Na segunda bateria a vitória finalmente chegou para Marcos e de forma emocionante com uma ultrapassagem sobre Wilson Penna (BRSD Team) na última volta. Márcio José (MM Racing) foi o terceiro.

segunda posição. Durante a corrida, quatro pilotos chegaram a liderar a prova, inclusive o próprio Wilson Neto, mas Carlos Cambará, que largou em quinto, assumiu a ponta faltando dez voltas para terminar a prova e venceu colocando mais de dez segundos de vantagem para Neto, segundo colocado na corrida. Cambará lidera o campeonato com 18 pontos, cinco a mais que Wilson Neto. A próxima etapa será realizada no circuito de Mônaco e os pilotos estão apreensíveis por causa da dificuldade que a pista impõe. Terminar a corrida será primordial para um bom resultado.


www.paddockonline.com.br

EDIÇÃO 17

NA REAL

14

GT3 BRASIL

Xandy Negrão e Andréas Mattheis vencem e garantem bicampeonato O Telefônica Speedy GT3 Brasil tem seus primeiros bicampeões. Depois de vencerem o campeonato de estréia da categoria no Brasil, aliando os resultados de um Dodge Viper Competition V10 e um Lamborghini Gallardo V10, Xandy Negrão e Andreas Mattheis faturaram neste sábado, em Interlagos, seu segundo título consecutivo na competição. Os dois começaram a temporada com o mesmo Viper do ano passado, mas optaram por correr com o Ford GT V8 a partir da terceira rodada dupla do campeonato. Uma decisão, aliás, que provou ser a mais correta – já que a dupla encerrou a 15ª e penúltima corrida do ano com sete vitórias, seis delas conquistadas com o Ford GT. O modelo também garantiu o vice-campeonato a Walter Salles e Ricardo Rosset, que venceram outras quatro provas ao longo do ano e, por pouco, não adiaram a decisão do título para domingo com mais um primeiro lugar. "Ganhar a corrida e o campeonato é sempre bom. Demoramos um pouco para entender melhor o carro, e por isso tivemos muitas quebras durante o ano. Mas foi um ótimo campeonato", comemorou Xandy Negrão. Na corrida deste sábado, Salles e Rosset conseguiram ser mais rápidos que os vencedores, mas viram suas chances de vitória se extinguir na 15ª volta – logo após

Dupla da equipe A.Mattheis Motorsport abriu onze pontos de vantagem sobre Walter Salles e Ricardo Rosset, os vice-líderes, e não pode mais ser alcançada na classificação a parada obrigatória nos boxes para troca de pilotos. Na saída, um erro de cálculo levou a equipe dos vice-líderes a não respeitar o limite mínimo de dois minutos para o pit stop. Com isso, a dupla recebeu um drive-through da direção de prova. Ricardo Rosset disse ter ficado surpreso com a punição, já que acompanhou a contagem regressiva da equipe pelo rádio – e ainda esperou mais alguns segundos depois do "vai" para acelerar. "Quando voltei à pista procurei guiar no limite. Não pensei em poupar nada e terminei com os freios e com os pneus dianteiros bastante desgastados", disse ele, que recebeu a

bandeirada a 1s340 dos vencedores.Definidas as duas primeiras posições na tabela, as atenções da corrida deste domingo se voltam para a disputa pelo terceiro lugar. E os únicos com chance de garantir o lugar vêm de Paraná, e dividem o mesmo box na equipe Full Time Sports. Apesar de ter abandonado a corrida deste fim de semana por quebra da homocinética, Alceu Feldmann se manteve na terceira posição no campeonato com 63 pontos. Os irmãos Wagner e Fabio Ebrahim, no entanto, foram a 58 com o terceiro lugar obtido neste sábado. O resultado acabou sendo um presente antecipado para Fabio, o

mais novo da dupla, que completa 29 anos na próxima segunda-feira. "Quero agradecer ao meu irmão pela boa corrida de recuperação, já que esse resultado nos deixou mais próximos do terceiro lugar", declarou Fabio. Fábio Ebrahim não conseguiu um bom desempenho em seu turno em virtude de uma tendência do carro de escapar de frente – um problema que foi solucionado com o ajuste da calibragem dos pneus durante a parada de box.

Fonte: Site Oficial


www.paddockonline.com.br

NA REAL

EDIÇÃO 17

FÓRMULA TRUCK

Monteiro quer encerrar a temporada como começou

15

Pick Up Racing

Seis dias para a decisão na Pick Up Última semana para encerrar uma fantástica temporada e no domingo tudo se decide. A Copa Webmotors Pick Up Racing já tem Gustavo Sondermann, da Gramacho Stedile como campeão, mas a disputa pelo vicecampeonato entre três pilotos deve apimentar a disputa no Autódromo de Interlagos. Felipe Lapenna, Paulo Salustiano, ambos da equipe Full Time (Chevrolet), e Thiago Riberi, da Gramacho Stedile, prometem travar uma grande briga na pista pela segunda posição no campeonato, já que a diferença entre o quarto coloca e o segundo é de apenas sete pontos.

A primeira temporada de Beto Monteiro como piloto de um Scania no Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck chega ao fim neste domingo (7). O piloto pernambucano vai à pista no Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Brasília, disposto a terminar o ano da mesma forma como o começou – com vitória. Sexto na tabela de classificação, ele vê boas chances de repetir o resultado da primeira etapa, disputada em março na pista gaúcha de Guaporé.“Vamos a Brasília para ganhar. Já não existe mais, para nós, a chance de título, mas queremos terminar o ano com a vitória, inclusive consideramos muito a possibilidade de sair de lá com uma dobradinha”, animase o campeão brasileiro e 2004, apostando em boas atuações dele próprio e do paulista Roberval Andrade, seu parceiro na equipe Roberval Motorsport. “Quero fechar o ano do mesmo jeito que comecei, com uma vitória”, acrescenta o único nordestino da categoria.

Um dos trunfos apontados por Monteiro para disputar a vitória em Brasília é o potencial que a equipe tem conseguido extrair dos motores Scania. “Nossos motores estão muito fortes, isso pode ser uma vantagem para nós principalmente nesta pista”, aposta, analisando as características do circuito – a prova acontecerá no anel externo do autódromo brasiliense. “É uma pista composta basicamente de retas, acho que os Scania vão falar alto nesta etapa”, diz. Monteiro disputa a Fórmula Truck pela Roberval Motorsport, equipe que tem em seus caminhões as logomarcas de Scania, Knorr-Bremse, BorgWarner, Guerra, Frum, Rodafuso, KS, Mann Filter, Tanesfil, Banco PanAmericano, Niju, CCE, Intel e Consórcio Nacional Scania. Os treinos para a etapa brasiliense serão iniciados na sexta-feira (5). Fonte: Site Oficial

Nas outras categorias da família Stock Car, os campeões ainda estão indefinidos. A Copa Nextel é a que tem a briga mais acirrada. Ricardo Maurício e Marcos Gomes disputam o título com apenas um ponto de diferença. Na Copa Vicar a luta é entre Fábio Carreira, da RCM Motorsport (Mitsubishi) e Diogo Pachenki, da ALM Pachenki Motorsport (Mitsubishi). Os pilotos têm apenas vinte e cinco pontos de diferença. Já na Stock Jr. a disputa pelo primeiro lugar está entre Patrick Gonçalves e Lucas Finger. O piloto baiano tem 199 pontos, contra 169 de Finger.

Fonte: Site Oficial


www.paddockonline.com.br

EDIÇÃO 17

CLASSIFICADOS

16

Nesta semana não teremos os Classificados

ANUNCIE NOS CLASSIFICADOS DO PADDON

classificados@paddockonline.com.br


edicao_17-08