Page 1

CURRÍCULO | ANNA CAROLINA FRANCISCO Filmografia Big Jato | Roteirista | Ficção, longa-metragem, estreou em junho de 2016. Produção: Perdidas Ilusões. Adaptação do livro homônino de Xico Sá. Contemplado pelo Edital de Apoio à Produção de Obras Audiovisuais Cinematográficas Inéditas, de ficção, de Baixo Orçamento promovido pela SAv/MinC em 2013 e pelo Funcultura – Edital 2011/2012. Selecionado para o Festival de Brasília – 2015 (Ganhador dos prêmios de Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Trilha Sonora, Melhor Roteiro e Melhor Filme). Fim do Mundo | Roteirista | Ficção, série para televisão, exibida no Canal Brasil em 2016. Produção: REC Produções. Adaptação de cinco contos de autores nordestinos – Mentira de Amor, de Ronaldo Correia de Brito; Mateus, de Hermilo Borba Filho; O Dia em que Céu Casou, de Antônio Carlos Viana; Castilho Hernandez – o cantor e sua solidão, de Sidney Rocha e Fim do Mundo, de Hilton Lacerda - que se mesclam em uma série episódica para o Canal Brasil. Com direção de Hilton Lacerda e Lírio Ferreira. Exibida em 2016, foi eleita uma das melhores séries brasileiras do ano. Piedade | Roteirista | Ficção, longa-metragem, em produção. Produção: Perdidas Ilusões e República Pureza. Co-roteirista no próximo longa-metragem de Claudio Assis intitulado “Piedade” ao lado de Hilton Lacerda. O elenco conta com nomes importantes como Fernanda Montenegro, Irandhir Santos, Cauã Reymond e Matheus Nachtergaele. Contemplado no Edital Funcultura de Pernambuco e Fundo Setorial. Em fase de produção – previsão de lançamento para 2018. Lama dos Dias | Roteirista | Ficção, série para televisão, comercializada para o Canal Brasil. Produção: Loma Filmes e REC Produtores. Série inédita de sete capítulos que acompanha um grupo de jovens amigos que procuram alternativas nos meios da arte gráfica, cinema e música em uma época e um local onde a escassez cultural dominava, a cidade do Recife nos anos 90. Nessa busca, o grupo se depara com um movimento cultural que estava para estourar: o manguebeat. Projeto que compõe o Núcleo Criativo Moedor, roteiro em parceria com Hilton Lacerda e Helder Aragão (Dj Dolores). Em fase de pré-produção. Chão de Estrelas | Roteirista | Ficção, série para televisão, comercializada para o Canal Brasil. Produção: Polo de Imagem e REC Produções. Baseada no universo do longa-metragem de Hilton Lacerda “Tatuagem”, a série acompanha um grupo de teatro que entre ensaios, apresentações, egos e vaidades precisa encontrar uma forma de manter seu espaço em um local visado pela especulação imobiliária. Projeto que compõe o Núcleo Criativo Moedor, roteiro em parceria com Hilton Lacerda. Em fase de pré-produção. Te Sigo | Roteirista | Ficção, longa-metragem, em fase de finalização. Produção: Polo de Imagem e Ouriço Filmes. Adaptação do epílogo homônimo do livro “Memórias do Desenvolvimento”, de Edmundo Desnoes, continuação do livro do mesmo autor que originou o filme “Memórias do Subdesenvolvimento” de Tomás Gutierrez Alea. Contemplado no Funcultura – Edital 2013-2014 para produção e no Funcultura – Edital 2015-2016 para finalização. Juliano Pavollini | Roteirista | Ficção, longa-metragem, em fase de captação de recursos. Produção: Tipos e Tempos Produções. Adaptação do livro homônimo de Cristovão Tezza, em parceria com Hilton Lacerda e Francisco Guarnieri. Produção de Heloísa Resende e direção de Caio Blat. Mesmo que Seja Eu | Roteirista | Ficção, longa-metragem, em fase de captação de recursos. Produção: Gávea Filmes. Roteiro original em parceria com Hilton Lacerda e Francisco Guarnieri, com direção de Evaldo Mocarzel e produção e atuação de Marcelo Serrado. __________ Mídia CINEMA | Filme pernambucano Big Jato, de Cláudio Assis, entra em cartaz no Cinema São Luiz Vencedor do Festival de Brasília, longa-metragem já pode ser visto em sessões diárias Por: Júlio Cavani - Diario de Pernambuco. Publicado em: 30/06/2016 07:43 Atualizado em: 29/06/2016 19:19

=>http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/viver/2016/06/30/internas_viver,651665/filme-pernambucano-big-jatode-claudio-assis-entra-em-cartaz-no-reci.shtml

Personagem principal é um menino que cresce em uma pequena cidade do Sertão. Foto: Asley Ravel/ Divulgação


Depois de retratar personagens à beira da marginalidade em Amarelo manga (2002), Baixio das bestas (2006) e Febre do Rato (2011), o diretor Cláudio Assis direciona o olhar para questões íntimas sobre família, infância e adolescência em Big Jato, vencedor do Festival de Brasília, que já está em cartaz no Recife. O novo filme reafirma o estilo inquieto do cineasta, mas há bem menos provocações críticas de desconforto em comparação à trilogia anterior. O roteiro de Hilton Lacerda e Ana Carolina Francisco é baseado no livro homônimo, escrito por Xico Sá a partir de experiências pessoais vividas no Sertão. Confira os horários dos filmes em cartaz no Divirta-se O protagonista de Big Jato é o adolescente Francisco, que é interpretado por Rafael Nicácio, ator revelado pelo curta-metragem Sem coração, e por Francisco de Assis Moraes (nas cenas da infância do personagem). A história é ambientada na década de 1970 em uma fictícia cidade de interior, chamada de Peixe de Pedra em referência a fósseis encontrados nas redondezas. O menino vive dividido entre as ideias defendidas pelo pai e pelo tio, que são irmãos gêmeos representados por Matheus Nachtergaele. O título do filme (e do livro) é o nome do caminhão-pipa dirigido pelo pai do garoto, que trabalha na limpeza das fossas das casas da região. O tio é um poeta e radialista, fã de rock’n’roll. Eles representam influências opostas sobre a formação do adolescente, que, junto com os irmãos, vive uma fase de descobertas artísticas, amorosas e sexuais. A mãe batalhadora (Marcélia Cartaxo) e um poeta de rua (Jards Macalé) também exercem papéis marcantes na educação de Francisco. Série Fim do Mundo, de Hilton Lacerda, estreia no Canal Brasil | Contos de autores nordestinos são a base para a história da produção, que conta com atores como Hermila Guedes, Jesuíta Barbosa e Marcélia Cartaxo Publicado em 18/11/2016, às 05h34

=>http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cultura/imagem-e-som/noticia/2016/11/18/serie-fim-do-mundo-de-hilton-lacerdaestreia-no-canal-brasil-260718.php

Hermila Guedes e Jesuíta Barbosa interpretam mãe e filho que entram em contato com o passado da família. | João Lucas Melo/Divulgação JC Online

O clima tenso dentro do carro sinaliza que Vitória e Cristiano não estão confortáveis com a ideia de ficar em Desterro. Na história da série Fim do Mundo, mãe e filho, interpretados por Hermila Guedes e Jesuíta Barbosa, se vêem obrigados a ir para aquela pequena cidade no interior do Nordeste por questões particulares, mas acabam tendo contato com mistérios relacionados a outras gerações da família. Os desdobramentos destes reencontros e descobertas começam a ser revelados ao telespectador sábado (19/11), quando a série de Hilton Lacerda estreia no Canal Brasil. Mas o primeiro episódio, exibido na TV às 22h (horário de Brasília), já está disponível para o público no site GloboSat Play. Ao chegar a Desterro, que Vitória define com palavras como “fim do mundo” e inferno, ela e o filho são recepcionados na porta de casa pela ironia de Balbino (Alberto Pires). “Ah, já voltou?”, desafia ele, que ainda se refere ao sobrinho como “esse problema aí”. Sentadas perto de Balbino estão Mazé (Marcélia Cartaxo) e Joaninha (Larissa Leão), que permanecem silenciosamente distantes dos recém-chegados. Aos poucos, entre conversas com a mãe e caminhadas pela cidade, Cristiano começa a ter contato com o passado da família. Em uma lan house, ele conhece Pedro (Artur Maia), que mais tarde o apresenta a Liana (Hermínia Mendes). Os três jovens passam um tempo fumando e conversando em uma casa abandonada, que foi o cenário para episódios trágicos no passado dos familiares de Cristiano. Nessa casa moravam Delmira (Andréa Veruska), Juvêncio (Bruno Goya) e as duas filhas do casal. Cristiano tem contato com a história deles a partir dos relatos de Liana e Pedro e começa a entender melhor certos silêncios de sua família. O silêncio, aliás, é um fator importante no início da série. Ele reina na cidade fictícia e contribui para o ar de mistério da história, em diálogo com a fotografia elaborada por Breno César. Ao menos neste primeiro episódio, há muitas cenas noturnas ou que se passam no interior das casas.

Profile for Pacto Filmes

Curriculo anna  

Curriculo anna  

Advertisement