Page 1

Em foco

Conheça os resultados de 2011 e celebre o crescimento do Grupo Invepar

Instituto Invepar

Responsabilidade Socioambiental é prioridade do nosso negócio

Bate-papo

Damião Moreno conta sua trajetória no Grupo

FEV MAR

2012 EDIÇÃO | 01

FATOS E CASOS

PARECE FILME, MAS É REAL: CONFIRA AS HISTÓRIAS INUSITADAS QUE ACONTECEM NO DIA A DIA DOS NOSSOS FUNCIONÁRIOS


Editorial

SOMOS TODOS

UM SÓ

Começamos o ano alçando novos voos. Literalmente. Abrimos 2012 conquistando mais uma empresa para o nosso Grupo: o Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Fico orgulhoso de termos sonhado alto e tornado isso realidade. Além disso, há outra novidade que chega para decolar com destino certo: você! Apresento, em primeira mão, a revista Mover — um veículo que surge com o objetivo de aproximar todas as empresas do Grupo Invepar. Seja da LAMSA ou da Bahia Norte, do MetrôRio ou da CART, da CLN, CRA ou da CRT, ou ainda do recém-chegado Aeroporto, estamos juntos construindo nossos caminhos na mesma direção. Cada detalhe da revista foi pensado com muito cuidado para trazer os principais acontecimentos da nossa trajetória de uma forma leve e construtiva. Nesta edição, por exemplo, você vai conhecer situações inusitadas vividas por nossos funcionários, saber como funciona a tecnologia em nosso negócio e conferir um bate-papo com Damião Moreno, Vice-presidente de Concessões Rodoviárias do Grupo e Presidente Interino da Bahia Norte. Na matéria principal, entenderá por que esse novo canal de comunicação foi criado e como ele atua para unir todos os funcionários do Grupo. Aproveitamos a oportunidade, também, para apresentar no encarte anexo à revista a história do Grupo Invepar. Afinal, essa é também a sua história. Desejo a todos uma excelente viagem pelas páginas a seguir. Até a próxima edição! Gustavo Rocha Presidente

REVISTA MOVER # 01 | PUBLICAÇÃO BIMESTRAL DO GRUPO INVEPAR CONSELHO EDITORIAL GUSTAVO ROCHA, MARCUS ROGER DA COSTA, RICARDO MORAES, ANA LUIZA HALLA, ANA PAULA BORTOLOZZI, DENILSON BRUM, AMANDA SANTOS, ADRIANE BADAUY, THIAGO ROSSI, NICOLAU MARANINI, LILIANA DE LA TORRE | EDITORA INSTITUCIONAL ANA LUIZA HALLA | ATENDIMENTO CARLA UYARA, ANA CRISTINA BANDEIRA E MARIANA LEAL | DIREÇÃO DE ARTE E DESIGN PABLO CARVALHO | JORNALISTA RESPONSÁVEL ANA CRISTINA BANDEIRA MTB: 30930/RJ |REDAÇÃO CRISTIANE NOBILI E RENATA REIS | PROJETO EDITORIAL COMUNICAÇÃO INVITRO | FOTOGRAFIA FELIPE VARANDA, MARCELO CARNAVAL E ARQUIVO DO GRUPO INVEPAR| ILUSTRAÇÃO PABLO CARVALHO E AMANDA DUARTE | GRÁFICA ARTE E CRIAÇÃO | TIRAGEM 4.000 EXEMPLARES.


Em Foco

O GRUPO INVEPAR

EM 2011 Conheça os números do Grupo e fique por dentro das nossas conquistas!

PASSAGEIROS TRANSPORTADOS PELO METRÔRIO 2011

2010

740

905

EM 2010

EM 2011

MILHÕES

180 MILHÕES

164 MILHÕES

RECEITA LÍQUIDA (R$)*

Só em 2011, o MetrôRio transportou o equivalente a 18 vezes o número total de habitantes de Portugal!

MILHÕES

22,3% CRESCIMENTO DE

NO ANO DE 2011

INVESTIMENTOS SOCIAIS, CULTURAIS E AMBIENTAIS (R$) EM 2010

4.1 MILHÕES EM 2011 5.0 MILHÕES

VEÍCULOS EQUIVALENTES PAGANTES NAS RODOVIAS DO GRUPO EM 2010

92 MILHÕES EM 2011

130 MILHÕES QUANTIDADE DE FUNCIONÁRIOS

24% AUMENTO DE

NO ANO

* Sem ajuste de IFRS

EM 2010

3.458 EM 2011

4.291

OS RESULTADOS PUBLICADOS DO GRUPO INVEPAR EM 2011 DEMONSTRAM CLARAMENTE A TRAJETÓRIA DE CRESCIMENTO SUSTENTADO DE RECEITAS E GERAÇÃO DE CAIXA, EM COMPLETO ALINHAMENTO COM AS EXPECTATIVAS DOS NOSSOS ACIONISTAS E CRIANDO BASES SÓLIDAS PARA A FUTURA EXPANSÃO. Marcos Rocha

Vice-presidente Financeiro Grupo Invepar

FIQUE POR DENTRO DO SEU GRUPO | 3


Bate-papo

ENTRE RIO E

SALVADOR O BAIANO DAMIÃO MORENO, que mora no

Rio de Janeiro há 15 anos, é considerado a memória viva do Grupo Invepar. Não é para menos, ele estava presente em cada passo da trajetória da empresa, desde a fundação da LAMSA, em 1998. Hoje, Damião acumula dois cargos de extrema importância no Grupo: é Vicepresidente de Concessões Rodoviárias da Invepar e Presidente da Bahia Norte. Conheça um pouco mais sobre esse entrevistado que estreia a nossa seção Bate-papo. Como e quando começou a sua trajetória no Grupo Invepar?

Como você busca ajudar o Grupo Invepar a alcançar seus objetivos?

Entrei em 1998 na LAMSA, quando foi inaugurada, como Diretor Administrativo Financeiro. Cheguei a ser Presidente de lá. Quando a Invepar foi criada, em 2000, tornei-me Diretor de Controladoria da empresa e, mais tarde, virei Presidente. A minha experiência no setor de concessões me levou ao cargo de Vice-presidente de Concessões Rodoviárias, em 2008. Acumulo o posto de Presidente da Bahia Norte há cerca de um ano e meio, desde a fase de implantação da empresa.

Estimulando o processo de crescimento, que desde 2008 tem sido consistente. Para 2012, estamos prevendo o ingresso de mais duas concessões rodoviárias. Temos que nos preocupar também em dar aos acionistas o retorno esperado.

E como você faz para conciliar dois cargos de alta responsabilidade? É um grande desafio, até porque são responsabilidades diferentes. Uma coisa é ser Presidente Executivo de uma companhia, que se dedica a ações mais voltadas para gestão empresarial, e outra é ser Vice-presidente de Concessões, cuja preocupação maior é com a aquisição de novos negócios. Moro no Rio, mas toda semana eu passo alguns dias na Bahia. 4 | REVISTA MOVER | FEV/MAR 2012

Quais são as vantagens, para os funcionários e para as empresas, de fazer parte de um grupo? Quando você está em um grupo empresarial e esse grupo cresce, aumentam as oportunidades para todos que trabalham nele. O Grupo Invepar, particularmente, é forte e tem uma filosofia atual, com foco nas pessoas. Outra vantagem é o relacionamento que há entre as empresas do Grupo. Trocamos informações, ideias e isso acrescenta muito ao nosso desenvolvimento. Como você vê o Grupo Invepar daqui a cinco anos? Vejo o Grupo num patamar de empresa de grande porte, reconhecido nacional e

internacionalmente, com atuação mais forte na América Latina, mercado que temos a desenvolver. E como ganhamos a concessão do aeroporto de Guarulhos recentemente, acredito que ele será uma referência de prestação de serviços e um marco na trajetória do Grupo Invepar. E como você se vê no Grupo até lá? Eu tenho 56 anos, me considero jovem e com muita disposição. Vejo-me trabalhando como um profissional que contribui para o crescimento da companhia, buscando agregar novos negócios e fazendo com que os atuais sejam um foco de oportunidades para novos investimentos. Como você concilia a vida profissional com a pessoal? Tenho uma rotina de trabalho puxada, mas tento equilibrar as duas coisas. Durante a semana me dedico à vida profissional, e nos fins de semana, à família, tenho esposa e três filhas. Sou caseiro, gosto de receber pessoas em casa, é assim que eu busco relaxar nas horas vagas.


Sergio e sua filha Mariana descansam em uma das janelas do Castelo

Pista Cultural

DO CASTELO AO MAR

Era uma vez, no alto de uma colina, com vista para a imensidão do mar, um castelo medieval. No meio de um paraíso tropical da Bahia fica a Casa da Torre de Garcia d’Ávila, patrimônio tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (IPHAN) e única edificação com traços de fortificação feudal das Américas. Apaixonado por História, o supervisor de Atendimento da Concessionária Litoral Norte (CLN) Sergio Maron é quem nos dá a dica. Nos fins de semana, gosta de levar a família lá para relaxar. “O almoxarife real Garcia d’Ávila chegou à Bahia em 1549, com Tomé de Sousa, primeiro governador geral do Brasil. Em 1551 ergueu o Castelo para ser a sede de seus domínios. A colina Tatuapara era estratégica. Podiam-se avistar os navios que partiam e chegavam e proteger a área de invasores. Adoro ir à Casa da Torre! A vista da Praia do Forte é sensacional! Mas o que me encanta mesmo é a História, por isso, esse passeio sempre me toca”, comenta Sergio. “Lá dentro há placas que indicam o que eram os cômodos, já que restou apenas o arcabouço. No local há também uma pequena capela, onde são celebrados casamentos de luxo”, complementa.

Perto do Castelo há a Reserva Ecológica de Sapiranga. Segundo Sergio, este é o local para onde os funcionários da CLN levam os animais resgatados na rodovia. A CLN administra a Rodovia BA-099, que compreende a Estrada do Coco e a Linha Verde. O Castelo localiza-se na altura do Km 54 da Estrada do Coco, na Praia do Forte, em Mata de São João (BA). Quer saber onde comer na Praia do Forte, perto do Castelo de Garcia d´Ávila? Siga as dicas do Sergio: “A moqueca de queijo do Zeca´s é imperdível e o Café com Tango é excelente para se tomar café e comer croissant de chocolate, conclui.

Por dentro do negócio

AMPLIANDO OS HORIZONTES Já imaginou trabalhar em um grupo empresarial onde todas as áreas tivessem sistemas integrados e processos unificados? Essa é a nova empreitada do Grupo Invepar: o Projeto Horizontes, que trabalha em cima do conceito de ERP (Enterprise Resource Planning) – um planejamento integrado de recursos. Com a implantação de três novos softwares (SAP, Mastersaf e Gesplan), o projeto padroniza os sistemas que rodam nas operações internas das companhias, como Finanças, Suprimentos, Planejamento Financeiro, Fiscal e Tesouraria.

padrões vai tornar a mobilidade profissional dentro do Grupo mais fácil. Sem falar no ganho da produtividade, com melhoria nas informações e na questão da confiabilidade.” Para ministrar um projeto tão complexo, o Grupo Invepar reuniu uma equipe formada por 17 funcionários das áreas envolvidas, 35 consultores externos e uma gerência que vai auxiliar em toda a administração do processo.

Segundo Victor Schumer, Gerente de TI do Grupo, a mudança será feita em quatro etapas: planejamento, desenho de processos, preparação da ferramenta e treinamento. “Esse processo leva sete meses para entrar em ação. A ideia é dividir a implantação em duas ondas. A primeira contemplando o MetrôRio e a sede da Invepar, e a segunda, após três meses, as rodovias”, explica. Para o Superintendente da CART, Marcus Abreu, os benefícios são ótimos. “Trabalhar com um único sistema e procedimentos FIQUE POR DENTRO DO SEU GRUPO | 5

Time do Projeto Horizontes


Capa

MOVER A REVISTA QUE VAI

O GRUPO INVEPAR

6 | REVISTA MOVER | FEV/MAR 2012


Na primeira quinzena do mês de março, grandes máquinas começaram a rodar para dar andamento a um novo projeto do Grupo Invepar. Ao contrário do que você pode pensar, não estamos falando de nenhuma motoniveladora para construir novas rodovias, ou perfuratriz para abrir túneis do metrô. As máquinas às quais nos referimos são as impressoras de uma gráfica, que trabalharam sem parar para trazer à realidade os 4 mil exemplares da revista que, neste momento, você tem em mãos. Apesar de só agora vê-la concretizada, trata-se de um projeto que começou a ser desenvolvido no final de 2011, alinhado ao objetivo de fazer com que todos os funcionários, de todas as nossas empresas, sintam-se parte de um só Grupo, do Grupo Invepar. “A revista chega para aproximar as realidades das nossas empresas, que são ricas em experiências e culturas. Poder trocar este universo de informações, evidenciar as diretrizes do Grupo e mostrar o leque de oportunidades que existe é o ponto fundamental deste projeto”, afirma Ana Paula Bortolozzi, Gerente de Comunicação da CART. “Neste momento de fortalecimento da marca do Grupo Invepar, é fundamental termos essa integração entre as empresas. Acredito que a revista seja o primeiro passo de uma série de ações bem-sucedidas nesse sentido”, complementa Nicolau Maranini, Gerente de Comunicação do MetrôRio. Quem olha e lê uma revista, talvez não imagine todo o trabalho necessário para fazê-la sair do papel, ou melhor, tornar-se papel. Então, preparamos um “roteiro” que vai lhe proporcionar uma viagem por esse novo canal de comunicação. Confira!

Como tudo começou Primeiro surgiu a necessidade de aproximar as pessoas que trabalham no Grupo. Mas como fazer isso? Com uma campanha? Por e-mail marketing? Uma intranet? Depois de * Aproximadamente

muito planejar e pesquisar, chegamos à conclusão de que a revista era exatamente o que procurávamos. Afinal, quer canal melhor para nos comunicarmos com funcionários de todo o Brasil, regularmente e com a chance de podermos passar informações em forma de histórias? Depois de batido o martelo em relação à publicação, o trabalho estava só começando. Tivemos ainda que estudar o melhor formato, layout e definir as seções que iriam compor a revista. “As áreas de Comunicação das empresas foram envolvidas nesse processo de criação, o que é essencial, pois ajuda a trazer uma visão ampla do Grupo, fundamental para solidificar o senso de pertencimento que desejamos obter com esse novo veículo”, diz Adriane Badauy, Gerente de Comunicação da LAMSA.

O que você verá por aqui Você encontrará muita informação e matérias de entretenimento, e conhecerá as pessoas que compõem o Grupo Invepar. A história de um funcionário que é do Sudeste, ou outro do Nordeste, do que trabalha ao seu lado, ou daquele que você nem conhece. Quem sabe até mesmo o seu rosto pode aparecer nas páginas da nossa revista. Você vai se divertir com casos inusitados e se surpreender com fatos curiosos sobre o Grupo. Também vai conferir informações voltadas para a sua segurança e o seu bem-estar. Enfim, você entenderá como ninguém o

funcionamento do nosso negócio e de que forma faz parte do sucesso dele. Canal de mão dupla A revista é feita única e exclusivamente para você. Portanto, sempre que quiser, opine, elogie, critique, sugira. Há um canal voltado para isso: é o e-mail revistamover@invitrolab.com.br. Assim você ajuda a nos “guiar” pelas melhores escolhas a cada nova edição. A equipe responsável pela revista vai adorar contar com você no time. A revista em números Para que ela ficasse exatamente como você está vendo agora, foram necessários: - mais de 10 reuniões sobre o projeto editorial, pauta e fechamento; - 25 sugestões de nomes; - 20 sugestões de editorias; - 14 entrevistas; - 36 mil caracteres; * - 6 horas de entrevistas. Quando e como você

receberá as próximas edições A Mover é bimestral, de forma que possamos reunir informações e histórias, transformá-las em um conteúdo de entretenimento e colocar as máquinas (das impressoras, claro) para funcionar outra vez. Assim que esse processo estiver finalizado, cada empresa ficará responsável por distribuir o veículo internamente.

E como fica a comunicação de cada empresa Nada muda. Todas as informações e os canais de comunicação que você tem internamente permanecem. A revista é um adicional, uma forma de comunicação com o Grupo, uma nova via de informação.

FIQUE POR DENTRO DO SEU GRUPO | 7


Instituto Invepar

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL:

UMA COMPETÊNCIA ESTRATÉGICA

E

m 2012 ele comemora 10 anos. Por isso, aproveitamos a primeira edição da nossa revista para comemorar essa data especial. Estamos falando do Instituto Invepar. Criado para mobilizar e apoiar iniciativas de Responsabilidade Social Empresarial nos locais onde as empresas atuam, ele é o braço socioambiental do Grupo e quer se tornar referência nacional no assunto.

Com uma estrutura própria, o Instituto realiza consultoria para as empresas do Grupo nos aspectos relativos à responsabilidade socioambiental, contando com, pelo menos, um representante em cada uma delas. Durante muito tempo, se ocupou, principalmente, em auxiliá-las no relacionamento comunitário e com o investimento social privado — que para ser nomeado assim precisa ser contínuo, planejado e monitorado — mas, recentemente, passou por uma reformulação com o intuito de gerenciar as ações desenvolvidas de uma maneira mais sistemática. Segundo Claudia Jeunon, nova Diretora do Instituto e Gerente Executiva de Responsabilidade Social do Grupo Invepar, “a partir de agora, vamos integrar as empresas

Nos próximos anos, o Instituto espera proporcionar ao Grupo uma gestão de Responsabilidade Socioambiental cada vez mais eficiente Claudia Jeunon

Diretora do Instituto e Gerente Executiva de Responsabilidade Social do Grupo Invepar

8 | REVISTA MOVER | FEV/MAR 2012

para a gestão da Responsabilidade Social Corporativa, que nada mais é que o controle dos indicadores de desempenho da companhia no que tange a sete assuntos: ‘público interno’, ‘fornecedor, ‘clientes’, ‘governo e sociedade’, ‘meio ambiente’, ‘comunidade’ e ‘valores e transparência’. A intenção é unificar as ações para comparar dados de maneira mais eficiente”. Ao tornar o método homogêneo, em essência e estratégia, para todas as empresas, o Instituto pretende deixar o Grupo mais integrado, avaliando melhor os impactos e otimizando os recursos. Nessa nova fase, além da padronização das ações, o Instituto Invepar estará focado em três pontos: buscar mais integração, levar conhecimento a toda a organização e conscientizar as áreas sobre a questão da Responsabilidade Socioambiental. O desafio é fazer com que todos os funcionários conheçam e incorporem práticas socioambientais no dia a dia, através de campanhas educativas e metodologias de trabalho. E que possam levar para suas casas e famílias o conceito de comportamento sustentável, divulgando-o para mais pessoas. “Nos próximos anos, o Instituto espera proporcionar ao Grupo uma gestão de Responsabilidade Socioambiental cada vez mais eficiente”, revela Claudia.


Como funciona?

CART INOVA NA RADIOCOMUNICAÇÃO Você sabia que a CART foi a primeira administradora de rodovias a usar tecnologia digital na radiocomunicação no Brasil? Com um trecho de 444 quilômetros e 40% dele sem cobertura de sinal para celular, a CART investiu R$ 4,5 milhões no sistema digital, para oferecer aos usuários um atendimento mais rápido, mais seguro e ainda melhor!

1

4 5

O sistema de comunicação via rádio digital da CART já existe há aproximadamente dois anos e funciona da seguinte forma: dez torres para a transmissão do sinal, de 40 a 60 metros de altura, foram construídas ao longo de todo o Corredor Raposo Tavares, contemplando os municípios de Piratininga, Palmital, Regente Feijó, Presidente Bernardes, Presidente Venceslau, Santa Cruz do Rio Pardo e Assis. Essas torres são repetidoras, ou seja, elas transmitem o sinal do rádio automaticamente de uma para a outra, permitindo a cobertura total da CART.

O sistema permite a comunicação de voz entre equipes e operadores do CCO com a mesma qualidade em qualquer ponto da rodovia, independentemente do relevo e sem necessidade de mudança manual de frequência pelo operador. Também potencializa o uso de GPS na frota da Concessionária e o CCO pode acompanhar em seus monitores as equipes e recursos que estão permanentemente nas rodovias.

A tecnologia digital também permite gravar a comunicação entre a Concessionária e o usuário, que tem a sua disposição um telefone de emergência 24 horas: 0800 773 00 90. Em caso de necessidade, o usuário também pode parar em uma das 12 bases do Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU) ao longo de todo Corredor Raposo Tavares e pedir auxílio.

2 3

Os equipamentos e softwares instalados utilizam tecnologia TDMA, que traz mais flexibilidade de recursos; melhor relação custo x benefício dos aparelhos; a bateria dura por mais tempo; a eficiência é maior, já que não sofre congestionamento ou interferência; e a comunicação ocorre de forma mais clara, sem ruídos. Além disso, facilita a solicitação de auxílio pelos usuários da CART em caso de necessidade. Conversas e transmissão de dados entre o Centro de Controle Operacional (CCO) e os veículos de apoio e socorro — viaturas de inspeção, ambulâncias, guinchos, veículos de combate a incêndio e veículos de recolhimento de animais — podem acontecer simultaneamente, agilizando o atendimento ao usuário. Nossos colaboradores ganham mais velocidade nos acionamentos e uma resposta mais rápida do CCO.

AS VANTAGENS DA COMUNICAÇÃO VIA RÁDIO DIGITAL: Cobertura de sinal nos 444 km da via; Sistema sem congestionamento, interferência ou ruídos; Agilidade no atendimento aos usuários da CART em caso de necessidade; CCO acompanha em tempo real equipes e recursos que estão nas rodovias;

GPS em todos os veículos de suporte ao usuário; Tecnologia que permite gravar pelo telefone de emergência a comunicação entre CART e usuário; Mais qualidade de atendimento, mais segurança para os usuários.

FIQUE POR DENTRO DO SEU GRUPO | 9


Sem Fronteiras

DE OLHO NAS OPORTUNIDADES Dizem que tudo tem seu tempo. Para Ronaldo Santos, a máxima se concretizou em 24 de setembro de 2002: seu primeiro dia na LAMSA. Aos 25 anos, assumiu o cargo de Arrecadador, no pedágio. Após uma década, sua ascensão foi notável. Chegou a Supervisor de Arrecadação da CART e, logo depois, a Coordenador de Arrecadação da Bahia Norte. “A LAMSA foi a primeira grande organização na qual trabalhei. Passei por treinamentos com pessoas experientes, que compartilharam o conhecimento e confiaram em minha capacidade”, revela Ronaldo. Em fevereiro de 2010, assumiu nova posição já na CART. A mudança para o interior de São Paulo foi tranquila, apesar do choque cultural, mas teve o apoio de sua esposa.

“Cresci muito com as pessoas de lá, sempre solícitas e educadas. Melhorei minha forma de agir e pude entender o que esperavam de mim”, comenta. No fim de 2010, um novo desafio: a Coordenação de Arrecadação da Bahia Norte. Dessa vez, a transição foi mais fácil. “Os baianos são parecidos com os cariocas, se expressam com facilidade. Estou feliz na Bahia Norte”, afirma. Como líder, faz questão de treinar sua equipe. “Sinto orgulho em ver o crescimento deles. Tenho plena confiança no trabalho que desenvolvem.” Depois de passar por três empresas, Ronaldo percebe uma filosofia de trabalho comum a todas, alinhada aos valores do Grupo Invepar. “Espero que surjam mais concessões e mais apostas em nosso capital humano. Há muita gente boa aqui”, conclui.

ENCARANDO NOVOS DESAFIOS Sabia que no Grupo Invepar você pode encontrar novos caminhos para chegar aonde almeja? Não estamos falando de rodovias, metrô, avião ou navio. Dessa vez o assunto é sua carreira. As oportunidades que você encontraria em uma organização que não faz parte de um grupo aqui são ainda maiores, já que se multiplicam pelas sete empresas do Grupo Invepar. Quem comprova isso é Eduardo Lima, que entrou para o time do MetrôRio em janeiro de 1998 como Advogado Sênior da área trabalhista e legal de Recursos Humanos. “Fui contratado por três meses, mas tínhamos muito que fazer e acabei ficando de vez”, lembra. Onze anos mais tarde, o MetrôRio passou a integrar o Grupo e em 2010 uma nova porta se abriu: um convite para atuar como Advogado Especialista na área de novos 10 | REVISTA MOVER | FEV/MAR 2012

negócios da Invepar, o que lhe deu uma visão mais ampla das empresas. Em 2011, foi chamado para voltar ao MetrôRio como Gerente da área Jurídica. “Retornei mais preparado do que estaria se não tivesse vivido essa experiência. Cheguei à gerência rápido”, diz. E ele não é o único. Priorizar os recursos internos é uma política do Grupo. “Antes de buscar no mercado, procuramos profissionais das nossas companhias que se encaixem nos postos disponíveis”, afirma Roger Costa, Diretor de RH e Gestão do Grupo Invepar. “O Grupo está crescendo e as oportunidades crescem junto. Só é preciso estar aberto a encarar novos desafios”, complementa Eduardo, que se diz disposto a trabalhar em outra empresa do Grupo Invepar caso seja novamente convidado.


Fatos e Casos

Corra que os bichos vêm aí! Cena 1: um porco de aproximadamente 300 kg corre desembestado por uma via de grande movimento em companhia de três filhotes. Cena 2: Cerca de dez homens, inclusive três artistas circenses, correm atrás do inusitado grupo por quase duas horas e meia até conseguirem finalmente imobilizá-lo. As sequências acima poderiam facilmente fazer parte de um filme de comédia, mas elas são verídicas e quem explica como tudo aconteceu é Mauro Coelho, Coordenador Assistente de Operação Viária da LAMSA. Há 14 anos na empresa, ele diz que já vivenciou muitas situações incomuns, mas a maratona do porco pela Linha Amarela foi realmente a mais marcante. “Tudo começou quando avistamos os animais na via. Conseguimos prender os filhotes logo no início, já o porco maior nos deu muito trabalho. Tivemos que cercá-lo de modo que ele entrasse no estacionamento do

shopping Nova América e, assim, o seu espaço ficasse limitado. O problema é que, dentro do estacionamento, estava o Circo do Beto Carreiro e foi justamente para debaixo da lona que ele correu. A nossa sorte foi que, ao adotar essa nova “rota”, ganhamos o auxílio de três integrantes da trupe para capturar o animal, o que aconteceu apenas duas horas e meia depois”, diverte-se Mauro. Segundo ele, além do cansaço, a apreensão do porco maratonista também causou certo medo. “A gente sabia que o animal provavelmente não era vacinado e a nossa preocupação estava na possibilidade de levar uma mordida e pegar raiva, por exemplo. Pois, cada vez que chegávamos mais perto, o porco reagia com mais agressividade.” Felizmente, essa história teve um desfecho digno de filme: ninguém ficou ferido e o dono do animal

entrou em contato com a LAMSA e o levou de volta para casa. Na verdade, esse caso ocorreu há algum tempo, quando o pessoal do centro de operações ainda não recebia treinamento específico. Atualmente, o curso de apreensão de animais de grande porte é obrigatório para toda a equipe, tornando esse tipo de trabalho muito mais eficiente. Quando algum animal aparece na via, situação que acontece até três vezes por semana, um bloqueio é rapidamente montado para a captura ser efetuada. Os animais de pequeno porte, como cachorro ou gato, são encaminhados para a SUIPA (Sociedade União Internacional Protetora dos Animais) e os maiores, como cavalo, touro ou porco, vão para o Centro de Zoonoses.

CONHEÇA MAIS ALGUMAS HISTÓRIAS DO MAURO Olé! |

Resgate arriscado |

touro levantar era simples, bastava “beliscar” o focinho dele, ou seja, colocar um dedo em cada narina. Tiro e queda! O animal levantou como um gatinho.

foi contatada e, após descerem de rapel oito metros até o rio, conseguiram salvar o animal, que acabou sendo adotado por um funcionário.

Certo dia, após um touro (isso mesmo, você não leu errado) ser visto próximo ao acesso 2 da Linha Amarela, Mauro e sua equipe entraram em ação. Apesar de conseguirem laçar o animal com certa rapidez, não tinham ideia de como tirá-lo de lá, pois o bicho não se movia de jeito nenhum. Após muito puxa-puxa e nenhum resultado, um reboquista da LAMSA que passou e viu a cena resolveu ajudar. Ele revelou que o segredo para fazer o

Era tarde e uivos cortavam a noite. Não, não se trata de um filme de terror, mas de outro animal em apuros nas proximidades da Linha Amarela. Na verdade, era um cachorro que havia caído no Canal do Cunha, perto da Comunidade do Rato Molhado. O socorro veio após policiais lotados em uma cabine de segurança próxima ao local ouvirem os ganidos do animal. A equipe de resgate da LAMSA logo

FIQUE POR DENTRO DO SEU GRUPO | 11


Giro

PESQUISA DE CLIMA |GRUPO INVEPAR Nossos funcionários foram os personagens da campanha interna da Pesquisa de Clima do Grupo Invepar, que ocorreu de 9 a 21 de janeiro, para todas as empresas controladas. A participação geral alcançou a marca de 75% e, graças aos resultados obtidos, o Grupo poderá investir nas medidas necessárias para melhorar os ambientes de trabalho.

QUANTA HONRA!|METRÔRIO Em 14 de janeiro, o jornal O Globo publicou um artigo de Cacá Diegues, no qual o cineasta elogia o tratamento recebido e a qualidade do atendimento no MetrôRio a partir da Estação Ipanema/General Osório. Mérito da equipe de Atendimento. Outra boa notícia sobre o MetrôRio é que já está a caminho do Rio de Janeiro, vindo da China, o primeiro dos 19 novos trens. A previsão de chegada é para o dia 10 de abril.

PISTA PREFERENCIAL PARA MOTOS |LAMSA Para melhorar a relação entre motoristas e motociclistas na Praça de Pedágio, a LAMSA iniciou a venda de tíquetes papa-fila de moto, onde existem corredores de acesso para motos — cabines preferenciais 5 e 6 (sentido Barra) e 15 e 16 (sentido Fundão). O objetivo é agilizar o atendimento, reduzir o tempo de espera nas cabines e melhorar a fluidez do tráfego.

RÁDIO DIGITAL|LAMSA O sistema de comunicação via rádio na Linha Amarela, assim como o da CART, também foi transferido para a plataforma digital. Ganhou-se em qualidade de conversação, sem ruídos ou interferências. Além da comunicação, o sistema monitora os veículos da LAMSA via GPS. Com isto, os operadores conseguem saber onde cada veículo da frota se encontra, facilitando a logística dos deslocamentos para atendimento ou prestação de socorro.

FOLIA|METRÔRIO Pela primeira vez, o MetrôRio, em parceria com a Universidade Estácio, ofereceu 20 atendentes para auxiliar, em inglês e espanhol, os turistas que passaram durante o carnaval pelas estações Ipanema/General Osório, Botafogo, Cinelândia, Carioca, Uruguaiana, Central e Praça Onze. A equipe tirou dúvidas sobre itinerários, saídas mais próximas aos eventos etc. Guias elaborados pelo MetrôRio e a RioTur, com o roteiro dos blocos, também foram distribuídos e disponibilizados em hotéis e restaurantes. Além disso, crianças receberam pulseiras de identificação nas estações.

BEBÊ A BORDO |CART Em janeiro, a pequena Maria Julia antecipou sua vinda ao mundo e nasceu dentro de uma viatura da Unidade de Resgate da CART. Jenifer Nascimento, a mãe, pediu ajuda na praça de pedágio de Piratininga (Km 251). Imediatamente, a coordenação da praça solicitou apoio ao Centro de Controle de Operações (CCO). Seis minutos depois, a Unidade de Resgate já estava no local. A criança nasceu na SP-225 (Km 238), quase na área urbana de Bauru. Pela primeira vez, uma equipe da CART ajuda a fazer um parto dentro de uma viatura de socorro médico.

TRIPLA CERTIFICAÇÃO|CART A CART acaba de ser recomendada para duas importantes certificações: a ISO 14001:2004, com foco em gestão ambiental, e a OHSAS 18001:2007, que trata da administração da saúde e segurança ocupacional. Com isso, ela se tornou a terceira concessionária no Estado de São Paulo e a sexta no país – a operar com tripla certificação, tendo em vista que já tinha assegurado também a norma ISO 9001:2008, que é voltada para a melhoria contínua de suas formas de gestão.

Revista Mover Ed.01  

Primeira edição da Revista interna do Grupo Invepar

Advertisement