Issuu on Google+

Escola Básica e Secundaria do Carmo Disciplina: Educação Física

Elaborado por: André nº 3 Pedro nº 17


1. Introdução......................................................................................................................pag3 2.Historia do Futebol…………………………………………………………………………………………………..pag5 3.Dimensoes do Campo………………………………………………………………………………………………...pag6 4.Futebol……………………………………………………………………………………………………………………….pag7 4.1.Inicio do jogo……………………………………………………………………………………………………….pag7 4.2.Duraçao e Resultado…………………………………………………………………………………………..pag7 4.3.Faltas e Reinício de jogo……………………………………………………………………………………pag7 4.4.Passe………………………………………………………………………………………………………………………pag8 4.5.Condução da bola…………………………………………………………………………………………………pag9 4.6.Recepção (domínio da bola)……………………………………………………………………………….pag9 4.7.O Remate………………………………………………………………………………………………………………pag10 4.8.Equipamento………………………………………………………………………………………………………….pag11 4.9.Equipa de Arbitragem…………………………………………………………………………………………pag11 4.10.Esquemas Tácticos…………………………………………………………………………………………….pag12 4.11.Acções Técnico-Tácticas………………………………………………………………………………….pag12 5.Conclusão………………………………………………………………………………………………………………………pag15 6.Anexos…………………………………………………………………………………………………………………………..pag16 7.Bibliografia…………………………………………………………………………………………………………………..pag17

2


O futebol é um dos desportos mais populares no mundo, sendo este praticado em centenas de países. Este é um desporto que desperta interesse devido a forma como a bola é disputada. Embora não se tenha muita certeza sobre os antepassados do futebol, alguns historiadores descobriram vestígios dos jogos com bolas em várias culturas antigas. Estes jogos de bola ainda não tinham como nome futebol, pois não havia a definição de regras, porém o homem demonstra um grande interesse por este tipo de desporto desde os tempos antigos. Para jogar este jogo só é necessário uma bola, duas equipas e a baliza, para que, em qualquer lugar, toda a população possa usufruir deste jogo e divertir-se a jogar. Na rua, na escola, ou até mesmo no quintal de casa, desde cedo jovens de vários cantos do mundo começam a praticar futebol, o que vem tornar o futebol muito popular e um desporto que é jogado de uma maneira simples, contudo leva que o futebol venha cada vez mais a tornar-se num desporto popular em vários países, sendo que esses mesmos países nem possuem muita tradição neste desporto.

Especialmente porque para se jogar futebol precisa-se de poucos recursos e equipamentos, uma bola e uma área plana, tanto em países pobres como em países mais desenvolvidos, como Estados Unidos, Coreia do Sul e Japão, vem ocorrendo uma popularização desse desporto.

3


O futebol é um desporto de equipa que é jogado entre duas equipas de 11 jogadores cada uma e um árbitro que se ocupa da correcta aplicação das regras. É considerado o desporto mais popular do mundo, pois cerca de 270 milhões de pessoas participam das suas várias competições. Este é um jogo que é jogado num campo rectangular, com uma baliza em cada lado do campo. O objectivo do jogo é conduzir e deslocar a bola através do campo para colocála dentro da baliza adversária, fazendo assim a marcação de um golo. A equipa que marca mais golos ao até o fim da partida é a vencedora. O jogo moderno foi criado na Inglaterra com a formação da Futebol Association, em que as regras de 1863 são a base do desporto na actualidade, em que o órgão que gere o futebol é a Fédération Internationale de Football Association, mais conhecida pela sigla FIFA. A principal competição internacional de futebol é a Copa do Mundo FIFA, realizada a cada quatro anos. Este evento é o mais famoso e com maior quantidade de espectadores do mundo, o dobro da audiência dos Jogos Olímpicos Em Portugal o futebol, da forma que é jogado hoje foi introduzido em 1884 por Guilherme Pinto Basto, que havia regressado recentemente de Inglaterra. No entanto, foi preciso esperar quatro anos para que se realizasse o primeiro jogo oficial, nos arredores de Lisboa, na pitoresca vila costeira de Cascais. Quanto ao futebol feminino, este tem apresentado um crescimento lento na actualidade principalmente devido a obstáculos sociais e culturais que não permitem que a mulher entre totalmente no desporto. O primeiro jogo feminino sob as regras de futebol do qual se tem registros ocorreu em 1892, na cidade escocesa de Glasgow. No final de 1921 o futebol feminino foi proibido na Inglaterra, acção não seguida por outros países do mundo e em 1969 o futebol feminino voltou a ser realizado na Inglaterra, motivo pelo qual começou a se expandir fora do seu território. A primeira partida internacional de selecções de futebol feminino ocorreu em 1972, casualmente 100 anos depois do primeiro encontro masculino. Os primeiros torneios mundiais começaram a ser disputados nos anos 1990: a Copa do Mundo de Futebol Feminino a partir de 1991 e como desporto olímpico desde 1996.

4


A actividade mais antiga que tem como semelhante o futebol moderno da qual se tem conhecimento data dos séculos III e II a. C. Estes dados são baseados em um manual de exercícios correspondentes à dinastia Han da antiga China. O jogo era chamado ts'uh Kúh (cuju), e consistia em lançar uma bola com os pés para uma pequena rede. Uma variante incluía uma modalidade onde o jogador deveria passar pelo ataque dos seus adversários. Também no Extremo Oriente, embora cerca de cinco ou seis séculos depois do cuju, existia uma variante japonesa chamada kemari, que tinha um carácter mais cerimonial, sendo o objectivo do jogo manter uma bola no ar passando-a entre os jogadores. O kemari até hoje é praticado no Japão, em eventos culturais. Nos finais da Idade Média e séculos posteriores desenvolveram-se nas Ilhas Britânicas e em zonas circunvizinhas distintos tipos de jogos de equipa, os quais eram conhecidos como códigos de futebol. Estes códigos foram se unificando com o passar do tempo, mas foi na segunda metade do século XVII que ocorreram as primeiras grandes unificações do futebol, que deram origem ao rúgbi, ao futebol americano, ao futebol australiano etc. e ao desporto que hoje é conhecido em grande parte do mundo como futebol. Os primeiros códigos britânicos caracterizavam se por terem poucas regras e por sua extrema violência. Um dos mais populares foi o futebol escolar. Por esta razão o futebol escolar foi proibido na Inglaterra por um decreto do Rei Eduardo III, que alegou ser um desporto não-cristão, e a proibição perdurou por 500 anos.

5


O futebol joga se num campo com relvado natural ou sintético de forma rectangular. As medidas permitidas do terreno são de 90 a 120 metros de comprimento e de 45 a 90 metros de largura, mas para partidas internacionais recomenda se as seguintes medidas: entre 100 e 110 metros de comprimento, e entre 64 e 75 metros de largura. As duas linhas localizadas ao longo do terreno recebem o nome de linhas laterais, enquanto as outras são chamadas linhas de fundo. Os pontos no meio de cada linha lateral são unidos por outra linha, a linha de meio. As chamadas balizas, são constituídas de dois postes verticais de 2,44 metros de altura localizados a 7,32 metros de distância, um do outro e sobre o centro de cada linha de fundo. As partes superiores dos postes são unidas por outro poste horizontal, conhecido como trave. As grandes áreas são áreas rectangulares que ficam muito próximas da baliza. As linhas que delimitam a grande área são traçadas a 16,5 metros dos postes verticais, e também a 16,5 metros ao interior do campo, e unidas por outra linha maior. O traçado da pequena área é semelhante, mas com uma medida de 5,5 metros.

6


Inicio do jogo Cada uma das duas equipas joga com 11 jogadores. Durante a partida pode-se substituir jogadores por outros. Um dos jogadores titulares deverá ser o guardaredes. Os capitães (jogadores representantes de cada equipa) devem ter alguma marca identificadora para ser chamados pelo árbitro quando for necessário, que geralmente é uma braçadeira. Cada jogo é controlado por um árbitro principal que será a autoridade máxima da partida e o encarregado de fazer cumprir as regras do jogo. Além disso tem a sua disposição dois outros árbitros auxiliares para ajudar. Para iniciar o jogo, um ou dois jogadores de uma equipa movem a bola no meio campo, momento em que começa a correr o tempo regulamentar. Esta situação repetese com a equipa adversária no início do segundo tempo ou depois de cada golo marcado em que a equipa que o sofreu executa a acção.

Duração e resultado O jogo regularmente tem a duração de 90 minutos por jogo, divididos em duas partes de 45 minutos, com 15 minutos de intervalo entre ambos os períodos. Durante cada jogo perde-se tempo de jogo por várias razões, como substituições e faltas, por isso o árbitro principal de cada jogo pode adicionar minutos extras em cada tempo. O golo é única forma de marcar no futebol. Se ambas as equipas marcarem mesmo número de golos, a partida é considerada empatada.

Faltas e reinício do jogo Cada vez que um jogador magoe ou tenta magoar outro jogador, empurre, retenha para obter vantagem, toque a bola com os membros superiores (excepto o guarda redes), o árbitro marcará um livre directo a favor da equipa que recebeu a infracção, que se realizará no local da infracção. Se ocorrer dentro de uma das áreas é marcado um pênalti contra a equipe infractora. Se um jogador joga de forma perigosa ou impede o guarda-redes de pegar a bola com as mãos, é marcado um livre indirecto a favor da equipa adversária, que será realizado no local onde ocorreu a infracção.

7


Um jogador poderá receber um cartão amarelo (advertência) ou vermelho (expulsão). Os cartões são uma forma de fazer o cumprimento das regras do jogo pelos jogadores. Se a bola sai de campo pela linha de fundo logo após ser tocada por um jogador da equipa que está na defensiva, será concedido um pontape de canto a equipa adversária. Se for tocada pela última vez por um jogador da equipa atacante, será concedido um pontape de baliza à equipe adversária. Caso a bola saia de campo por uma das linhas laterais, a equipa adversário ao do jogador que tocou-a pela última vez terá direito a um lançamento lateral.

Passe Para onde passar? -Para a frente do jogador a quem se destina o passe (para o espaço vazio), para que o mesmo possa correr e progredir facilmente no terreno. -Em direcção ao jogador a quem se destina o passe. Quando passar? -Deve ser feito no momento em que o jogador que está de posse da bola é atacado pelo adversário. -No momento em que percebe a intenção do companheiro em desmarca-se, tendo cuidado para não demorar na execução. Características do passe: - Elemento de ligação entre componentes de uma equipa; - O bom passe cobre mais rápido as distâncias, do que os deslocamentos; - É um dos principais elementos do jogo; - Existem várias formas de execução de um passe. Tipos de passes: 1) Passe Longo: é todo aquele em que a bola é lançada a uma distância maior. 2) Passe Curto: é usado para permitir as jogadas mais rápidas entre os jogadores. 3) Passe para trás: feito quando não há possibilidades de progressão no terreno ou quando é preciso impedir a intervenção do adversário. 4) Passe Lateral: Executado com as partes laterais do pé, por denunciar menos a intenção de passar. 8


5) Passe Cruzado ou Diagonal: É o tipo de passe destinado a mudar a direcção de ataque. Quando é curto, deve ser feito com a parte lateral do pé, quando longo, com o peito do pé. 6) Passe em profundidade: É utilizado para lançar um atacante, devendo ser rasteiro e dirigido para o espaço, a fim de propiciar a fuga do mesmo. 7) Passe de Centro ou Cruzamento: são passes para colocar a bola em frente à baliza, efectuados com o peito do pé, pelo alto. Normalmente os centros partem dos médios e dos extremos.

Condução da bola A condução da bola é o acto de deslocar-se pelos espaços possíveis de jogo, tendo consigo a posse de bola. Sempre que na condução da bola tens um adversário ao lado, deves protegê-la, usando o pé mais afastado, de forma a cobrires a bola com o teu corpo: - Se o adversário vem do lado esquerdo, conduz a bola com o pé direito e vice-versa. - Põe sempre o teu corpo entre a bola e o adversário. Passo a passo (condução com a parte interior do pé): 1º Bate a bola suavemente com a parte interior do pé, mantendo-a junto ao solo. 2º Olha a bola de cada vez que a bates, levantando de seguida a cabeça para veres os companheiros e adversários. 3º Controla o deslocamento da bola, evitando que entre cada toque ela se afaste demasiado. 4º Mantém o tronco ligeiramente inclinado para a frente.

Recepção (domínio da bola) A Recepção é a acção de interromper a trajectória da bola, tomando posse de seu domínio. Passo a Passo: 1º Coloca-te de frente para a bola. 2º Volta a parte interior do pé na direcção da bola. 3º Fixa os olhos na bola, durante toda a sua trajectória. 4º Amortece a bola, recuando ligeiramente o pé quando a bola lhe bate.

9


O remate O remate é a acção por excelência do futebol, a que na maioria das vezes, decide o resultado de um jogo. O remate é uma explosão de carácter repentino, que necessita de uma grande perfeição na sua execução. O rematador deve ser rápido em julgar a situação própria para o remate, quer na decisão, quer na execução, a qual deve ser tão explosiva como instantânea. Técnica do remate: O remate deve ser executado com potência e precisão. Ao rematar, o pé descreve um movimento parecido ao do pêndulo e pela lei do pêndulo sabemos que o ponto máximo de velocidade acontece ao passar pela vertical do ponto de sustentação. A máxima potência do remate consegue-se quando o pé activo passa pela vertical do ponto de sustentação – o joelho – momento que coincide com o adiantamento do pé que remata em relação ao pé de apoio. O mais importante para um remate à baliza é uma boa colocação do pé de apoio, o movimento repentino da perna livre e que o pé se encontre à altura da bola. Tipos de remate - O remate com a parte interior do peito do pé: 1º Coloca o pé de apoio ao lado da bola. 2º Vira para fora a ponta do pé que bate a bola. - O remate de cabeça: 1º Fixa os olhos na bola durante toda a sua trajectória. 2º Salta e usa os braços para te equilibrares. 3º Bate a bola com a testa, evitando fechar os olhos. - O drible e a finta: 1º Mantém a bola próxima do pé, enquanto te aproximas do defensor. 2º Inclina o corpo, simulando que te queres dirigir para um lado. 3º Se o defensor se inclina para esse lado, bate rapidamente a bola no sentido contrário, afastando-te dele – mudança de direcção. Formação de barreiras No futebol os jogadores são capazes de colocar a bola com uma força e precisão fora do alcance do guarda-redes, desde a distância entre os 17 e os 25 metros. 10


Por isso, vários jogadores, respeitando a distância de 9,15 metros, colocam-se de modo a dificultarem a marcação da falta, impedindo que a bola entre na baliza.

Equipamento Segurança Os jogadores não devem utilizar nenhum equipamento nem levar nenhum objecto que seja perigoso para eles mesmos ou para os restantes jogadores (incluindo qualquer tipo de jóias). Equipamento O equipamento básico de um jogador é: Uma camisola; Calções - caso usem calções térmicos, estes deverão ter a cor principal dos calções do uniforme; Meias; Caneleiras; Calçado; Caneleira - deverão estar abertas e cobertas completamente pelas meias, deverão ser de um material apropriado (borracha, plástico ou material similar); deverão proporcionar um grau razoável de protecção.

Equipa de Arbitragem Um jogo de futebol é dirigido por uma equipa de arbitragem, constituída por um árbitro principal, dois árbitros assistentes e o designado 4º árbitro. Todos eles usam normalmente um equipamento que apresenta uma cor diferente das cores dos equipamentos das equipas de futebol, com o objectivo de não serem confundidos com as mesmas. O árbitro tem como função controlar o tempo do jogo, assinalando o seu início e o seu fim e é responsável por supervisionar, no decorrer do jogo, a disciplina dos jogadores, impedindo que os mesmos infrinjam as regras estabelecidas. Sempre que um atleta cometer uma falta, o árbitro deve assinalar a respectiva infracção a favor da equipa que foi prejudicada. Consoante a gravidade da falta, tem também a função de mostrar os cartões amarelos e vermelhos aos jogadores. Os árbitros assistentes usam uma pequena bandeira para assinalar os fora de jogo de cada equipa e, ajudam o árbitro a marcar faltas em situações de dúvida. No final de cada encontro, o árbitro deve elaborar um relatório, que deve ser entregue na entidade responsável pela organização do jogo em causa. A partir de 1995, as equipas de arbitragem passaram a contar com um outro elemento, o quarto árbitro. A sua função diz respeito ao auxílio que presta ao árbitro principal na resolução de situações duvidosas e que possam acontecer fora do ângulo de visão do juiz principal.

11


Esquemas tácticos As regras do futebol não determinam especificamente outras posições além do guarda-redes. Porém, com o desenvolvimento do jogo, um certo número de posições especializadas foi criada. As posições principais no futebol são: . O guarda-redes é quem protege a baliza. É o único jogador que pode usar as mãos, e mesmo assim só pode usá-las dentro da área. A sua função é impedir que a bola entre na baliza. . Os centrais têm a função de ajudar o guarda-redes a proteger a baliza tentando travar os adversários. . Os laterais ocupam as laterais do campo. Também ajudam o guarda-redes a proteger o golo e normalmente são os responsáveis de repor a bola em jogo quando esta sai pelas linhas laterais do campo. . Os médios têm basicamente a função de fazer a conexão entre a defesa e o ataque da equipa, actuando tanto na marcação como nas jogadas ofensivas. . O atacante ou avançado tem a função fundamental de fazer o golo. As posições definem a área do campo de actuação de um jogador, mas não o prendem a ela. Jogadores podem trocar de posições, sendo isso bem frequente. Os guarda-redes têm uma mobilidade menos versátil por sua função, mas também podem participar de cobranças de faltas e cantos. O número de jogadores em cada posição define o esquema táctico da equipa, sendo os mais comuns na actualidade o 4-4-2, o 4-3-3 e o 4-5-1.

Acções Técnico-Tácticas Existem duas grandes fases no futebol: Ataque – a equipa tem posse de bola, procura mantê-la e tenta criar situações de progressão e concretização. Defesa – a equipa não tem posse de bola, procura apoderar-se dela e tenta impedir a criação de situações de progresso e finalização por parte da equipa adversária.

12


PRINCÍPIOS ESPECÍFICOS Ataque

Defesa

*penetração

*contenção

*cobertura ofensiva

*cobertura defensiva

*mobilidade

*equilíbrio

*espaço

*concentração

Se te encontras na posse da bola, deverás ter como primeira preocupação a finalização (marcação de golo), ou procurar espaço livre que te permita a progressão em direcção à baliza de equipa adversária – penetração. Em resposta à tua penetração, a equipa adversária deverá colocar um jogador entre o portador da bola (que és tu) e a baliza, de modo a fechar, imediatamente, a linha de remate ou de progressão para a baliza – contenção. Perante esta igualdade numérica (1x1), a equipa que defende corre mais riscos. Assim esta deve-se preocupar em criar uma situação de superioridade numérica, colocando, deste modo, um segundo jogador a defender – cobertura defensiva. Agora a tua equipa está em inferioridade numérica e para que se estabeleça, de novo, o equilíbrio, surge um segundo atacante – cobertura ofensiva. Nesta situação de 2 x 2, o segundo atacante deve afastar-se do portador da bola, isto é, deve afastar-se de ti, de modo a que fiques liberto da cobertura defensiva e assim possas reconstruir o 1 x 1. Se o segundo defesa não acompanha o segundo atacante, está então criada uma linha de passe. Deverás passar a bola de forma a criar uma situação de 1x 0 – mobilidade. A equipa que está a defender pode optar por uma das alternativas, no entanto, o segundo defesa deverá acompanhar o segundo atacante, restabelecendo-se situações de igualdade numérica (1 x 1) – equilíbrio. Quando estás a atacar tens todo o interesse em tornar o jogo mais aberto, com maior amplitude, em largura e profundidade, em criar linhas de passe, obrigando assim a equipa adversária a flutuar e a ter maior dificuldade em criar situações de superioridade numérica – espaço. Se estás a defender deves ter preocupações bem contrárias às anteriores, isto é, restringir o espaço disponível para jogar, diminuir a amplitude do ataque, obrigar o adversário a jogar em espaços reduzidos, de forma a facilitar a cobertura defensiva e a criação permanente de situações de superioridade numérica – concentração. 13


Por tudo quanto se referiu, facilmente podemos concluir que as tarefas de um jogador podem variar e depende se está a atacar ou a defender. Regras para melhorar a acção ofensiva: . Variar o ritmo e a intensidade dos deslocamentos; . Realizar coberturas ofensivas ao portador da bola; . Para receber a bola correr ao encontro dela (especialmente quando se recebe um passe longo); . Movimentar-se afastando-se dos adversários; . Antes de ultrapassar o adversário directo, procurar desequilibrá-lo através de uma simulação; . “atacar” o adversário com mudanças bruscas de direcção e velocidade; . Mascarar a direcção do passe; . Depois do passe, movimentar-se para um espaço livre (desmarcações de apoio e/ruptura); . Ao conduzir a bola mantê-la mais perto de si do que do adversário; . Procurar o caminho para a baliza com objectividade. Regras para melhorar a acção defensiva: . Defender atrás da linha da bola; . Pressionar o portador da bola: . Obrigar o adversário a cometer erros, reduzindo-lhe o espaço de tempo para jogar; . Fechar a linha de progressão do portador da bola para a baliza; . Não tentar desarmar um adversário que tenha a bola controlada; . Demorar (conter) o ataque do adversário a jogar nas zonas para ele menos vantajosas (espaços laterais e espaços recuados); . Anular as linhas de passe mais importantes (profundidade e largura); . Aumentar a pressão defensiva à medida que o adversário se aproxima da baliza a defender.

14


Entre os vários desportos, o futebol é aquele que mais tem contribuído para projectar internacionalmente a imagem do país. O futebol é muito mais complexo do que a comum das pessoas imagina e ao qual temos que ter em conta vários aspectos como as acções técnico-tácticas, equipamento, regras, movimentos, arbitragens e esquemas tácticos entre outros. O futebol é o desporto nacional que tem um papel importante como instrumento educacional, pois gera oportunidades e prepara as novas gerações para o futebol. Além de colocar as crianças de todas as classes sociais lado a lado, ensina valores como cooperação e respeito e diminui as diferenças culturais.

15


Plano de aula

Unidade didáctica: Futebol Ano: 12º Turma: 3 Material didáctico: bolas e cones Instalações: Estádio de Câmara de Lobos Docente: André e Pedro Objectivo específico: domínio do passe e desmarcação Conteúdos: passe/recepção, controle de bola, drible e condução, desmarcação e remate

Objectivos operacionais: 1º Fase – Aquecimento: -Corrida a volta do campo durante um minuto. -Jogo da corrente. 2º Fase – Acção: desmarcação, passe e remate Contexto: grupo de 3 em situação de 2x1 em que é efectuado o passe de um jogador para o outro enquanto há uma defesa que tenta tirar a bola. Linha de êxito: oferecer linha de passe na direcção da baliza. 3º Fase – Acção: domínio e controle da bola Contexto: quatro filas e é utilizado cones para que os alunos os possam contorná-los até chegarem a fila seguinte. Linha de êxito: controlar e passar a bola com a parte interior do pé. 16


http://pt.wikipedia.org/wiki/Futebol http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_do_futebol http://ferraztaticas.blogspot.com/2008/02/esquemas-tticos-de-futebol.html http://sports.specialolympics.org/specialo.org/Special_/English/Coach/Coaching/Port uguese/Football/Teaching_Sport_Skills/Passing.htm

17


Futebol