Page 1

Número 11 - Ano 1 - Janeiro de 2014

PARABÉNS, RENOVA!

13 ANOS DE MUITA ENERGIA Segurança Zero acidente deve ser meta de todos. pág.3

Ela faz história Gina dos Santos: sete anos de amor e dedicação. pág.7

Fechando o Ciclo Avaliação de performance alinhada com metas. pág.8


EDITORIAL Feliz 2014 para todos! Espero que tenham recarregado as baterias durante as férias. Esta primeira edição do Renova News traz uma matéria especial sobre os 13 anos da Renova. Conseguimos uma entrevista com os sócios-fundadores, Renato Amaral e Ricardo Delneri, que nos contaram “causos” emblemáticos dos primórdios da empresa. Vale a pena conferir a conversa nas páginas 4 e 5. Nossa personagem na coluna “Você” também nos remete ao começo de nossa história: Gina Abreu, colaboradora número 2 da Renova. A coluna “Balaio de Gato”, com a área de Medições e Torres Anemométricas, conta como é o dia a dia dos torristas e da importância do trabalho deles para a Renova. Acompanhe também o calendário do Ciclo de Performance, na reportagem da página 8.

FALA, GALERA

1.

Quando recebo o jornal, leio a Coluna do Aborígene antes das outras. Ela traz sempre uma mensagem legal e divertida que retrata fielmente os nossos valores. Ter um jornal que é melhor e mais interessante a cada nova edição, e que retrata o espírito humano da Renova, é tarefa para poucos comunicadores. É bom demais saber que estes poucos se encontram no lugar certo, na Comunicação! Parabéns pela edição de dezembro!

Enviada por Alexandre Machado, diretor de Engenharia, São Paulo

Resposta da redação: Retratar nossa gente e nossos valores é nosso principal alvo, Alexandre. É muito bom saber que estamos conseguindo. Obrigado. E corre aí abaixo para ler o Aborígene que, neste mês, fala ainda mais de nossos valores e de nossos mandamentos.

Boa leitura e feliz 2014! Josy Alves

ABORÍGENE

PARABÉNS A TODOS NÓS! Sempre tive o SONHO de ter uma CARREIRA que fosse resultado do meu TRABALHO e da minha PERFORMANCE. Graças a Deus e com muito FOCO, CORAGEM e RESPONSABILIDADE, tenho conseguido burlar a BUROCRACIA das formalidades com muita CRIATIVIDADE, BOM SENSO e ÉTICA. Meu SENSO DE GRUPO, sempre muito apurado, levou-me a trabalhar bem em equipe e nunca temer HIERARQUIA, mas sim respeitá-la e colher com DISCRIÇÃO (mesmo que pareça não ser este o meu forte) os melhores EXEMPLOS. Aqui na Renova Energia encontrei um AMBIENTE incrível, divertido, alegre, amigo. Mesmo com o passar do tempo e uma SUCESSÃO de novas pessoas minha felicidade por fazer parte desta equipe só multiplicou.

O maior LUCRO da Renova é ganho por MERITOCRACIA, a fidelidade do seu time. Hoje não tenho dúvida de que aqui vivo o sonho de trabalhar e ser feliz ao mesmo tempo. Sei que temos defeitos – nem tudo são flores – e que não existe mundo perfeito – alias, é por meio das imperfeições que aprendo e procuro melhorar –, mas serei eternamente grato pelo convite, por ter conhecido estes 20 mandamentos que levo para minha vida e pelo convívio diário com os melhores profissionais do setor no Brasil. Feliz Aniversário, Renova! Parabéns a todos nós! E agora chega, pois já “deu” meu HORÁRIO... rsrsrs

EXPEDIENTE . Renova+News é uma publicação interna, com periodicidade mensal, dirigida aos colaboradores da Renova Energia. Diretor de Sustentabilidade e de Comunicação: Ney Maron. Comitê Editorial: Aline Becker, Analista de RH; Dilma Lisboa, Assistente Administrativo; Emanuela Cabib, Superintendente Jurídico; Josy Alves, Gerente de Comunicação; Marcio Douglas, Coordenador de Comunicação; Taric Santos de Andrade, Superintendente de Planejamento Estratégico e Patrícia Fátima Pietro, Superintendente de RH. Jornalista responsável: Silvio Monteiro, MTb 18.089. Produção Editorial: Vox Comunicação, Vinícius Carvalho. Fotografias: Arquivo Renova. Editoração: Leela Estúdio. Impressão: Alphagraphics Tiragem: 300 exemplares.

2


MERCADÃO

Fechamos 2013 com um golaço! LEN 2013: Renova vende 355,5 MW e assume a dianteira na geração eólica no Brasil A TPL (Tensão Pré-Leilão) deu lugar aos abraços, sorrisos, brindes, brincadeiras e piadas na sala Valparaíso, do World Trade Center, após o fim do Leilão de Energia Nova (A-5), realizado no dia 13 de dezembro de 2013. Nem tinha como ser diferente, afinal, a Renova teve uma participação marcante ao comercializar no certame 183,9 MW médios, que correspondem a 355,5 MW de capacidade instalada. A empresa vendeu a energia a um preço médio de R$ 118,75 por MWh que será reajustado pelo IPCA, a partir de 1º de janeiro de 2014. Os contratos terão vigência de 19 anos e 8 meses, e o começo do suprimento de energia será em maio de 2018. Foi o melhor desempenho da história da empresa em leilões. “Agora, além de liderar em capacidade instalada em eólica, a Renova também se tornou a maior companhia em capacidade instalada contratada no setor de renováveis do Brasil”, afirma efusivamente Mathias Becker, diretor-presidente da Renova.

A energia vendida no LEN 2013 será proveniente de 17 parques eólicos que serão construídos na Bahia, na região de Umburanas, que fica a 450 quilômetros de Salvador. Será o primeiro empreendimento da Renova fora da Mina de Ouro, local que concentra hoje os projetos da Renova. Mais um golaço que fechou com chave de ouro o ano de 2013!

SEGURANÇA

Juntos protegemos + Envolvimento e engajamento de todos é fundamental para sucesso da política de segurança “A Renova não medirá esforços, seja de investimento de tempo, de aprimoramento de nossa estrutura organizacional, seja de uso de recursos financeiros na busca de uma maior segurança para todos”, assim Ney Maron, diretor de Sustentabilidade e de Comunicação, explica a importância que a Renova vem dando ao tema. Segundo ele, o crescimento acelerado que a empresa tem registrado nos últimos anos exige a revisão periódica dos processos de segurança, para que estejam sempre alinhados com a realidade de nosso ambiente de trabalho. “Nosso objetivo é buscar uma eficiência que leve a zero acidente de trabalho”, afirma. Para isso, já foi colocado em prática, desde o fim do ano passado, um plano de atuação que foca, sobretudo,

a realização de ações prevencionistas como: •  Aluguel de veículos utilitários exclusivos para viagens, equipados com airbag duplo e freios ABS; •  Contratação de motorista profissional em período integral, para realizar translados das equipes da Renova entre aeroportos e a Unidade Caetité; •  O horário para utilização dos veículos da frota Renova será somente das 05 horas da manhã até às 19 horas para trajetos intermunicipais e interestaduais; •  Elaboração de diagnóstico de segurança de frota, a ser realizado pela CEPA International, empresa especializada em prevenção de acidentes de trânsito e segurança viária, com 25 anos de experiência.

A CEPA é líder de mercado na América Latina e tem como principais clientes no Brasil: DOW, Rede Globo, Shell, Unilever, Bayer, GM, entre outros. Além disso, o plano contempla ações de médio prazo, que trarão um importante e positivo impacto para a segurança, como a substituição de toda a frota por veículos que atendam as recomendações específicas de segurança para a nossa área e a instalação de aparelhos rastreadores para controle e monitoramento de segurança em todos os veículos.

Se você tem qualquer ideia ou sugestão sobre nossa política de segurança, envie um e-mail para moliveira@renovaenergia.com.br

3


ESPECIAL

Na trilha do Janeiro é um mês especial por diversos motivos. Simboliza o começo de uma nova jornada, o início dos planos para os próximos 365 dias e... pelo aniversário da Renova Energia! Sim, nossa empresa completou 13 anos neste mês e, para contar um pouco dessa história, entrevistamos Ricardo Delneri e Renato Amaral, sóciosfundadores da Renova. Os dois caras são feras! Alegres, simples e informais, os RRs, como são apelidados, comemoram neste ano 25 anos de parceria, e um dos principais “tesouros” garimpados no solo dessa amizade, sem dúvida, é a Renova. Essa história começou em 1989, no batalhão do exército de Santana, na zona norte de São Paulo. Lá eles se conheceram e aprenderam lições valiosas como coragem, ética e exemplo. Estas lições viraram mandamentos que permeiam os negócios dos dois empreendedores até hoje.

2008 Entrada em operação do complexo de Serra da Prata.

Na volta – não poderia ser diferente – montaram uma agência de turismo, que não durou muito tempo. O negócio não deu certo, mas a parceria, sim! Depois vieram uma corretora de seguros, uma gestora de recursos e até energético os dois venderam na Argentina. Alguns desses negócios foram bem; outros, nem tanto. Mas, ao longo dessa trajetória, a perseverança, uma visão de futuro bem apurada e uma boa dose de inquietação sempre estiveram presentes. Inquietação que levou os RRs a tentarem algo diferente. Naquele momento, o setor elétrico parecia uma boa oportunidade, por ainda ser formado basicamente por estatais. Foi quando um amigo do amigo do pai de alguém falou que haviam umas PCHs desativadas que poderiam dar um retorno... Daí nasceu a ENERBRÁS, futura Renova, em 15 de janeiro de 2001. Os desafios dessa época foram muitos. Enquanto Ricardo garimpava o Google e os telefones atrás de dinheiro para financiar o negócio, Renato enfrentava muita lama com carros 1.0, ou até mesmo no lombo de cavalos. Depois vieram as primeiras LPs da Espra, a concorrência do projeto básico, o financiamento, e tudo mais, por ser um projeto que era de “vida ou morte”.

2009 Principal ganhadora do LER 2009 com 294,4MW em energia eólica. 2010 Primeira empresa do setor a ter ações listadas na Bovespa. Oferta pública inicial (IPO) capta R$ 160,7 milhões. Vencedora do LER 2010 com mais 167,7MW

2001 Ricardo Delneri e Renato Amaral fundam a Renova.

2004 PROINFA: 42MW Complexo Serra da Prata (PCHs). 4

Logo que saíram do serviço militar, resolveram, antes de decidir de fato o que fariam da vida, se distrair um pouco, fazendo uma rápida viagem de carro até a Bahia. O “passeio” durou 45 dias e, claro, daí surgiu a grande ligação que temos com este Estado até hoje.


sucesso Agora, como eles chegaram a pensar em eólica é mais uma boa história que deixamos que os próprios RRs nos contem. “Em 2006 quando estávamos acabando as obras da Espra e queríamos crescer, achamos, sem nenhuma análise mais elaborada, que eólica um dia seria viável no Brasil. Durante essa discussão ao telefone, Renato e eu falávamos como conseguiríamos alguns projetos eólicos para desenvolver, já que não conhecíamos ninguém no setor. Nesse momento, busquei no Google ‘projetista eólico’ e apareceu o nome Odilon Camargo, hoje a maior referência do setor. Telefonei para ele e marcamos uma reunião em Curitiba. Ao chegar, pegamos um táxi que nos deixou na frente de uma casa em um bairro residencial. Tocamos a campainha e o Odilon nos recebeu… Logo de início, ele nos perguntou: ‘onde vocês querem os projetos eólicos?’ Respondemos que a Bahia seria legal, pois já estávamos lá. Ele respondeu que tinha um lugarzinho lá que poderia ter vento, sim. O resto da historia todos já sabem...”

Essas histórias refletem bem o modelo de gestão dos fundadores da empresa: foco no resultado e nas pessoas, aliado a um jeito simples, sem frescura, direto, franco e objetivo. Acrescente ainda uma postura de igualdade com todos. O resultado é um ambiente onde as pessoas se sentem à vontade para falar o que quiserem: “Aí a sensação do ‘estamos juntos’ fica forte, e as relações ficam leves, agradáveis e ajudam muito no dia a dia”, dizem os empreendedores. Para eles, o maior desafio continua sendo as pessoas. “Precisamos sempre cultivar essa cultura voltada para as pessoas. Se fizermos isso, a Renova só vai continuar a trajetória de sucesso que teve até aqui. Hoje somos referência em um setor bastante competitivo e, por isso, não podemos ter ambições menores do que ser cada vez mais a empresa que os outros querem ser”.

Só depois disso e pela necessidade de se criar uma outra empresa para se tornar a holding do grupo, foi criada a Renova Energia S/A, que passou a ser a empresa mãe. E vocês sabem como eles decidiram pelo nome? Um combinou com o outro de escolher um nome e mandar por e-mail... o Ricardo enviou Renovar, e o Renato enviou Renova.

2011 Leilão A-3: 213MW eólica Light/Cemig investe R$ 360 milhões e assina PPA de 400MW.

2012 Mathias Becker assume como CEO. BNDES investe R$ 315 milhões (via BNDESPar). Entregue primeira fase do Complexo Alto Sertão (ref. 294,4MW do LER 2009). A-5: 22MW eólica.

2013 Renova assina contrato de US$ 1.35 bilhão com ALSTOM para o fornecimento de 12GW. Iniciadas obras do Alto Sertão II (386MW que abrangem os certames de 2010 e 2011). Venda no LEN 2013: A-5 355,5MW

2014 Devem ser iniciadas as obras do Alto Sertão III para atendimento ao PPA Light (400MW).


BALAIO DE GATO

Eles vão mais alto! Equipe garante o perfeito funcionamento das torres da Renova, assegurando bons ventos para os negócios A Renova possui hoje mais de 100 torres anemométricas em operação pelo Brasil. Com até 100 metros de altura, pesando 3,5 toneladas cada uma e fabricadas em aço, essas torres são o patrimônio mais precioso da empresa.

de Roger, realizam as etapas de fundação e montagem. Na sequência os técnicos assumem a responsabilidade pela instalação dos instrumentos nas torres para início das medições meteorológicas.

Gilson Araújo

Mantê-las permanentemente operando de forma correta e precisa é responsabilidade da área de Medições e Torres Anemométricas. Para isso, a área conta com 12 colaboradores que tratam das torres desde sua compra, implantação e instalação dos equipamentos de medição (instrumentação) até a realização da coleta dos dados registrados e manutenções dos equipamentos. “Nosso trabalho tem início muito antes de os parques entrarem em operação, pois realizamos as medições que possibilitam estudarmos os locais com potencial eólico pelo País. São esses estudos através das medições que possibilitam que a Renova desenvolva projetos internamente e os habilite em novos leilões”, diz Roger Delavi, coordenador de Medições e Torres Anemométricas.

Com a cabeça nas nuvens Valmick Almeida

Antonio Evangelista

Além de realizar as instrumentações das torres anemométricas, eles também são responsáveis pelas manutenções preventivas e corretivas, vistorias, organização dos equipamentos no almoxarifado, coleta dos dados das torres anemométricas e solarimétricas também.

Ancelmo Gomes

De ponta a ponta

Esse trabalho é realizado a partir de São Paulo, onde além de Roger, a equipe conta com os analistas Robson Xavier e Márcia Marques. Robson é o responsável pelos controles, compras, administrativo e logística das torres, seus componentes e outros equipamentos. Márcia trabalha com um equipamento chamado LIDAR, que complementa as medições das torres, estudando detalhadamente o comportamento do vento. As etapas de construção e implantação das torres são realizadas pelos fabricantes contratados. As Ícaro Mendes empresas efetuam o transporte até os locais de instalação e depois, orientadas pela equipe

Ao todo são 8 técnicos, liderados pelo supervisor Gilson Araújo. Eles são conhecidos como torristas, por trabalharem diretamente nas torres: Ancelmo Gomes, Tiago Almeida, Gilmar Mendes, Valmick Almeida, Ícaro Mendes, Zezito Carvalho, Antonio Marcos Evangelista e Reinaldo Rocha.

Gilmar Mendes

Se a expressão com a cabeça nas nuvens fala de pessoas que estão distraídas e alheias aos acontecimentos, certamente, para a equipe de Medições e Torres Anemométricas esta expressão tem outro significado. Afinal, Reinaldo Rocha a responsabilidade deles está a 100 metros de altura! “Temos uma equipe dedicada e que cuida muito bem de nossas torres. Com responsabilidade, consciência e dispostos a levar a Renova cada Zezito Carvalho vez mais alto”, finaliza Roger.

Tiago Almeida

Robson Xavier

6

Roger Delavi

Márcia Marques


VOCÊ

Testemunha ocular Com sete anos de Renova, Gina acompanhou de perto o crescimento da empresa Se há alguém que pode dizer que viu a Renova crescer essa pessoa é a Gina Abreu Batista dos Santos. Afinal, quando entrou na empresa, além dela, só havia mais uma colaboradora e os sócios fundadores. “Éramos poucos e as áreas não estavam plenamente estruturadas. Fazíamos de tudo um pouco. Então, além da contabilidade, eu cuidava do setor pessoal, societário e financeiro”, relembra. Com sete anos de empresa, Gina acompanhou marcos importantes da história da Renova: o primeiro leilão, a “estreia“ na Bolsa e a inauguração do primeiro parque eólico. “Hoje olho para trás e me vem um misto de emoções. Felicidade por ter feito a escolha certa ao vir para a Renova e muito orgulho por tudo que ajudei a construir”, comenta.

Paixão e dinamismo

Hoje, a contadora formada pela Universidade Federal da Bahia, com MBA em Controladoria, atua como gerente de Controladoria e tem sob sua responsabilidade a publicação de todas as demonstrações contábeis do grupo. Gina destaca a paixão dos colegas por suas atividades e o dinamismo da empresa. “Esta dinâmica cria novas oportunidades de aprendizado e nos motiva a sempre estar pesquisando. Não ficamos presos em rotinas e a cada dia temos um novo desafio. Isso faz com que eu goste muito de trabalhar aqui”, afirma. Nascida em Salvador, casada e mãe, Gina usa seu tempo livre para se dedicar integralmente a sua maior paixão: o filho Heitor, de três aninhos. “Tenho pouco tempo com ele; assim, nas minhas horas livres tenho meu pequeno como centro: assistimos juntos a peças e filmes infantis e gosto muito de tirar fotos. Depois seleciono as que mais gosto, revelo e organizo em álbuns com alguns frases curtas. É como se estivesse escrevendo a história de vida dele”, comenta.

Minha vida! Caseira e muito ligada à família, ao ser indagada sobre sua filosofia de vida, Gina responde de pronto: “as pessoas que amo vêm sempre em primeiro lugar”. Assim como faz nos álbuns de seu pequeno Heitor, Gina pode ter a certeza de que, na Renova, ela também está dia a dia escrevendo a história da empresa.

NA MÍDIA

ACONTECE

ESTAMOS CRESCENDO... *1

*3

No clima de aniversário de 13 anos da Renova, o jornal O Estado de São Paulo publicou matéria da jornalista Renée Pereira, em que conta a história da fundação da empresa pelos sócios Ricardo Delneri e Renato Amaral. Em dezembro, na Rede Globo, a jornalista Sônia Bridi recebeu em sua residência, no Rio de Janeiro, a produção do programa Estrelas. Entre outros “detalhes sustentáveis” de sua nova casa, Sônia mostrou à apresentadora Angélica o sistema de energia solar instalado pela Renova.

*2

BEM-VI *1 - Filho da Clarize *2 - Filho da Ana Paula *3 - Filho da Esoani *4 - Filho do Denis

NDOS

*4

7


RECURSOS HUMANOS

Momento de avaliar Ciclo de Performance visa garantir alinhamento com as metas e apoiar o desenvolvimento profissional dos colaboradores Estamos na reta final para conclusão do Ciclo de Performance 2013. Até o próximo dia 24 de janeiro, todos os colaboradores devem proceder à autoavaliação, e os gestores avaliarão toda sua equipe para a reunião de calibração com o RH. “A ideia nesses encontros com o RH é fazer uma análise crítica das avaliações, trazendo mais consistência ao processo e garantindo a meritocracia”, explica Carolina Pilon, analista de Recursos Humanos. Em seguida, a previsão é que em março aconteçam as reuniões de feedback final. “O feedback é fundamental para garantir alinhamento das responsabilidades de cada um (metas, resultado, atividades), além de ser um momento de diálogo aberto entre gestor e colaborador sobre seu desenvolvimento profissional”, afirma Carolina.

– colaboradores, áreas e a própria empresa –, trabalhando com o estabelecimento de parâmetros de performance para cada uma dessas partes, tanto na perspectiva de negócios quanto de comportamento. Assim, são consideradas na composição do Ciclo a apuração das metas (PA Renova, PA Área e PA Individual) e também a avaliação das competências. Ou seja, o processo visa levar gestor e colaborador a lançarem um olhar para o “quê” (o atingimento ou não das metas) e para o “como”, isto é, de que forma o colaborador conseguiu atingir essas metas, com quais comportamentos e atitudes. Segundo Carolina, o resultado esperado é que a Renova conte com uma equipe alinhada com as metas estabelecidas e engajada na realização dessas metas, além de uma perspectiva de desenvolvimento profissional dentro das possibilidades existentes em cada área e na empresa. Vale lembrar que a avaliação final do Ciclo de Performance de 2013 é parte das informações que serão utilizadas para o cálculo do pagamento da Remuneração Variável (RV), que acontecerá também em março.

Objetivo

O Ciclo de Performance tem como objetivo garantir que o resultado final da Renova seja decorrente do desempenho de cada parte envolvida no processo

CICLO DE PERFORMANCE 2013 Próximas etapas Avaliação por Competências + Fechamento PA Individual preenchimento da autoavaliação e avaliação do gestor

De 06/01 a 24/01

Reuniões de Calibração entre RH e gestores a partir de 27/01 Reuniões de feedback entre gestor e colaborador a partir de março Pagamento da Remuneração Variável Carolina Pilon, analista de Recursos Humanos.

AS SELETAS

8

31/03

Renova + News jan/14  
Advertisement