Issuu on Google+

Número 3 - Ano 1 - Maio de 2013

Parabéns! Programa Catavento completa um ano. pág. 4

NOVAS REGRAS Conheça as principais mudanças nas regras do leilão. pág.6

VOCÊ Simpático e dedicado, “Seu Manu” está sempre pronto a ajudar. pág.7


EDITORIAL

Olá! A edição de maio do Renova + News está em festa pelo aniversário de um ano do Programa Catavento! Uma iniciativa que começou singela e se tornou um dos pilares de nossa atuação em sustentabilidade. Temos muito o que comemorar, mesmo! Apresentamos ainda uma matéria sobre o Leilão de Energia de Reserva (LER 2013) que foi anunciado pelo governo com uma série de mudanças. Quais são elas e qual o impacto para a Renova você confere no “Mercadão”. As colunas do “Aborígene” e “Orgulho de Ser Renova” estão imperdíveis! A seção “Você” traz um perfil de Seu Manu, que trabalha há cinco anos na Renova de Salvador. Justa homenagem a um colaborador que retrata fidedignamente a alma do bom baiano. Estreia nesta edição a tirinha “As Seletas”. A ideia é deixar o Renova + News ainda + divertido! Esperamos que gostem. Josy Alves

FALA GALERA Marcio, queremos parabenizá-lo pela Coluna do Aborígene. Estamos aqui – Zulmira, Simone e Paula – passando mal de tanto rir. Você nos proporcionou boas risadas. Amamos. Parabéns pelo texto e por ter retratado de forma tão cômica e verdadeira os acontecimentos daquela reunião. Valeu, continue escrevendo. Proporcionar o riso é seu dom. Enviada por Paula Virgens Nazaré, analista de Gerenciamento de Projetos; Simone Pessoa, coordenadora de Licenciamento e Zulmira Fontes Lacerda Neta, gerente de Viabilidade Ambiental, de Salvador.

Resposta da redação: Que bom que gostaram, meninas! O Aborígene anda mesmo com a corda toda. Nesta edição, ele “revela” segredos de um misterioso encontro. Confiram aí ao lado, na página 3. Vai render boas risadas. Por falar em bom humor, na página 8 temos a estreia das amigas Rúbia e Ébony, na tirinha As Seletas.

Campanha emociona mamães ESPECIAL

Este ano, celebramos o Dia das Mães em grande estilo, como a data e as mamães – é claro – merecem. Pedimos a todas as mamães colaboradoras que levassem para suas casas uma plaquinha “Juntos Te Amamos +” e produzissem fotos com seus filhotes. Foram montadas imagens dos filhos ao lado da mesa de trabalho das respectivas mamães. Durante a semana que antecedeu a data festiva, a Renova+TV exibiu, em todas as unidades, cenas explícitas de muito amor e carinho, com as fotos dos filhos ao lado do “crachá da mamãe”. Na sexta-feira, véspera do Dia das Mães, todas receberam um portaretrato com as fotos. Saldo da ação: dezenas de mamães chorosas e cheias de orgulho, elogiando o carinho da Renova… e muitos papais “enciumados”, já pensando na supresa que será preparada para o dia deles.

“Queria agradecer e dizer que adorei...muito legal mesmo! Parabéns pela ideia e iniciativa!” Fábia Kapran de Araújo

“A campanha ficou ótima, bem dentro do espírito das outras ações com o público interno e bastante emocionante para as sempre derretidas mães. Parabéns! Adorei ver meu bebê na Renova+TV e também em cima da minha mesa! Beijos.” Isabela Britto

“A homenagem às mamães foi uma doce e agradável surpresa! Um sentimento inigualável. Um misto de amor e emoção, renovando o meu espírito materno! Foi muito especial.” Jamile Maia

EXPEDIENTE . Renova+News é uma publicação interna, com periodicidade mensal, dirigida aos colaboradores da Renova Energia. Diretor de Comunicação: Ney Maron. Comitê Editorial: Dilma Lisboa, Assistente Administrativo; Emanuela Cabib, Gerente Jurídica; Josy Alves, Gerente de Comunicação; Marcio Douglas, Coordenador de Comunicação; Taric Santos de Andrade, Gerente de Planejamento Estratégico e Wilson Albertoni de Oliveira, Gerente de RH. Jornalista responsável: Silvio Monteiro, MTb 18.089. Produção Editorial: Vox Comunicação, Vinícius Carvalho. Fotografias: Arquivo Renova. Editoração: Leela Estúdio. Impressão: Alphagraphics Tiragem: 250 exemplares.

2


ABORÍGENE

O gigante e a onça Meus amigos, aborígenes, nossa equipe conta com verdadeiros desbravadores: pessoas que, antes de pensarmos em um projeto, vão a áreas de acesso remoto, seja de barco, quando estudávamos os rios para as PCHs, seja em lombos de burro ou nas atuais Amaroks. Subindo e descendo as mais complicadas serras, esses desbravadores – que recebem uma coordenada de GPS e ultrapassam todas as barreiras para chegarem até o ponto marcado – formam nossa equipe de prospecção. Esses caras vivem diariamente verdadeiras aventuras. Vou contar aqui uma dessas aventuras que batizo de: o gigante e a onça. Um dos nossos principais desbravadores é um grande cara (literalmente). Denis é o nome do nosso gigante. Quando a Renova resolveu expandir seu território, o Denis recebeu do Figueroa a missão de ampliar nosso portfólio fundiário na Bahia, e um novo GPS, mais moderno, cheio de utilidades. Parecia até o cinto do Batman… E lá foi o gigante, que nem um trator e ansioso como um menino quando ganha brinquedo novo. Subindo a serra na busca do bendito ponto, em uma determinada coordenada geográfica, devidamente marcada pelo novo brinquedinho, ele percebeu que o acesso a partir dali teria de ser feito a pé. Pois é, às vezes, não adianta nem tração nas quatro rodas. E como nenhum burrinho aguentaria o

Denis, ele foi a pé, levando apenas o GPS na mão. Depois de alguns quilômetros caminhados, o gigante já cansado, começou a perceber que estava sendo seguido. Cismado, começou a olhar para todos os lados e, ao dar mais dois passos, encontrou quem o seguia: uma bela duma onça. Nessa hora, o nosso gigante deu uma de Davi e atirou na onça a primeira coisa que viu e correu, correu, correu… e só pensava: cadê a minha Amarokkkkkkkk??? Chegando ao bendito carro, sentiu um alívio daqueles e, passado o susto, começou a se organizar para sair dali. Foi pegar o GPS e... cadê? “Joguei o GPS novo na onça. Agora, como eu explico isso pro Figueroa?”, falou Denis, desesperado. Aí, nosso gigante voltou a agir como tal: tomou coragem e voltou ao lugar onde se deparara com a onça para ver se encontrava o GPS e o recuperou. Quanto à onça, há quem diga que ela sempre procura as câmeras de monitoramento de fauna para denunciar o Denis para a turma do meio ambiente.

CARONA SOLIDÁRIA INTEGRA EQUIPE E GERA ECONOMIA GENTE

Os congestionamentos tornam a vida nas grandes cidades um sério problema. Em São Paulo perde-se em média cerca de quatro horas no trânsito todos os dias, emitindo 32,5 milhões de toneladas de Dióxido de Carbono anualmente. Para mudar esse cenário, é preciso que alguns hábitos mudem. A Renova já começou a contribuir para minimizar o trânsito na capital paulista. A empresa incentiva, entre os colaboradores, a carona solidária, ação que visa o uso compartilhado em alternância de um automóvel particular por dois ou mais profissionais no trajeto para o escritório. Tal uso compartilhado de automóveis ocorre de modo voluntário. Entre os adeptos da carona solidária estão Luana Monguilhott Ribeiro (da equipe de Engenharia e Implantação), Bianca Moura (da equipe de Engenharia e Implantação), Cintia Ferrari Chicoli e Mara Edwgens Nascimento dos Santos (ambas do Jurídico). O pessoal da equipe de Comunicação também se solidariza e, pelo menos duas vezes por semana, lota o Golzinho do Marcio Douglas.

A Renova já pensa em reforçar a iniciativa e colocará um painel na área de convivência do escritório em São Paulo. Os colaboradores que estiverem interessados em oferecer carona devem escrever o roteiro que fazem, horários, nome e telefone, e quem estiver interessado na carona entra em contato. A carona solidária tem muitas vantagens: representa menos carros na rua, diminui o estresse e poluição, além de ser um jeito divertido de aumentar o entrosamento entre os colegas de trabalho. E o melhor é que ainda se economiza com o combustível e com o estacionamento.

3


SUSTENTABILIDADE

O primeiro giro do Catavento

Programa completa um ano colaborando para o desenvolvimento socioambiental das comunidades do semiárido baiano A Sustentabilidade faz parte do DNA da Renova. andamento, distribuídas em quatro dimensões de Desde a sua criação, a busca por boas práticas que impacto: socioeconomia, cultura e patrimônio, colaborem para um desenvolvimento sustentável é meio ambiente e desenvolvimento organizacional. uma constante em cada ação da empresa. Dentro deste contexto, há um ano, no dia 22 FAZENDO A DIFERENÇA de maio de 2012, a Renova criou o Programa Neste primeiro ano, cerca de 10 mil pessoas se Catavento. Esta iniciativa de investimento social envolveram em algumas das ações desenvolvidas privado tem como objetivo estimular projetos pelo Catavento, e os esforços do programa só fopropostos pelas comunidades do entorno do Com- ram possíveis porque contaram com a participaplexo Eólico Alto Sertão I, conhecido internamente ção efetiva dos colaboradores Renova. como LER 2009. O Catavento tem como missão Segundo o presidente Mathias Becker, o contribuir para o desenvolvimento territorial sus- Catavento constitui uma gama de oportunidades tentável de Caetité, Guanambi e Igaporã, cidades por meio da qual a Renova pretende realizar um onde estão localizados os 14 investimento social focado em parques da Renova. resultados e em sinergia com O processo de Para a viabilidade deste proos seus negócios. “O comprodesenvolvimento grama, a Renova obteve, junto misso com a excelência, preproposto pelo Catavento sente em todas as ações da ao Banco Nacional de Desenmobiliza-se pela ação volvimento Econômico e Social Renova, será também marca (BNDES), R$ 9 milhões que esplanejada e sistemática das ações socioambientais. tão sendo investidos em ações A empresa entende que estas de organizações que se gradativas. ações, tanto quanto a implanarticulam, a partir de Além de criar e desenvolver tação de projetos de geração com as comunidades novas pro- suas diferenças, em torno de energia, são essenciais para de objetivos comuns. postas de projetos, o Catavento a consolidação do desenvolvifocou, neste primeiro ano, na mento sustentável”, afirma. continuidade de ações já existentes nessas áreas. Muito mais do que ser um programa corporativo, Com isso, somou esforços e viabilizou projetos o Catavento é um programa da sociedade, da comuque já haviam sido organizados pela própria co- nidade e de todos os colaboradores da Renova. munidade, possibilitando a união das ideias proTodos nós somos responsáveis por este programa! venientes das necessidades dos moradores com a capacidade de execução da Renova. Hoje, o Catavento abriga um conjunto de projetos em 4


Quatro Dimensões A fim de facilitar a viabilização e a estratégia de atuação em cada um desses projetos, a Renova distribuiu as atividades do programa nas seguintes dimensões:

SOCIOECONOMIA • Objetivo: fortalecer as vocações econômicas da região. • Ações realizadas: curso de capacitação em construção civil/ pedreiro, curso de corte e costura industrial, assistência técnica e extensão rural - ATER (ação que compõe o Plano de Desenvolvimento das Cadeias Produtivas), consolidação no beneficiamento da mandioca e curso básico de apicultura.

“A gente produz pouco, mas produz com a qualidade igual do grande. Eles vendem mil sacos de feijão, a gente vende dez, mas a nossa qualidade está igual a deles, se não estiver melhor.” Sr. Areldo – Comunidade Pajeú do Josefino, Guanambi

MEIO AMBIENTE • Objetivo: preservação e recuperação do meio ambiente • Ações realizadas: plano de gerenciamento de resíduos sólidos, recuperação e preservação de mananciais, recuperação de barragens, soluções em compostagem e caleação, realização de atividades de sensibilização e educação ambiental.

“Junta uma aguinha aí nessa lagoa mas, de repente, acaba. Agora, fazendo um poço, e Deus mandando chuva, aí a água dura mais, né?” Vera Lúcia Teixeira, produtora rural

CULTURAL E PATRIMÔNIO • Objetivo: valorização e preservação da cultura regional • Ações realizadas: criação do plano de construção participativa do Museu do Alto Sertão da Bahia (MASB), realização do II Festival de Artes Cênicas da Casa Anísio Teixeira, exposição museu na escola, oficinas do Conservatório de Música Anísio Teixeira, oficinas da II turma do curso de capacitação em agentes teatrais e criação de laboratório fitoterápico.

“Outras pessoas estão tendo a chance de conhecer e lidar com o teatro.” Fernanda, estudante de teatro da Casa Anísio Teixeira “O balé desenvolve a mente, o corpo e trabalha com a educação.” Daniele, estudante de balé

DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL • Objetivo: garantir que a comunidade e preponentes possam se tornar organizações para dar continuidade aos projetos • Ações realizadas: curso de capacitação em empreendedorismo, curso de metodologia para a construção e análise de indicadores, certificação de 68 alunos em cursos profissionalizantes, treinamento para preponentes no Sistema de Gestão de Projetos (SGP) e realização de oficinas de associativismo nas comunidades.

“Como líder comunitário, quanto mais a gente puder fazer nossa região ficar melhor, a gente fica mais contente ainda.” Sr. Anastácio – Comunidade Aroeiras, Caetité

“O espírito colaborativo, a união e o comprometimento de cada membro vai além do profissional. Eu não posso ter outro sentimento a não ser orgulho de fazer parte deste time. Eles são muito massa” Luciana Gutmann, gerente de Sustentabilidade Equipe de Sustentabilidade, responsáveis pelo Projeto Catavento em Caetité: Diogo Alves, Clarize Campos, Renato Vilasboas, Maria Alice e Paulo Simões.

5


MERCADÃO

LER 2013: CENÁRIO MAIS DESAFIADOR Mudanças nas regras dos leilões de energia desenham novo cenário e apontam para a consolidação do mercado eólico brasileiro O Leilão de Energia de Reserva (LER 2013), anunciado recentemente pelo governo, é uma boa notícia para a Renova. Isso porque o novo cenário desenhado pelas regras vai privilegiar as empresas que não apenas acreditaram na fonte, mas que investiram em seu desenvolvimento tecnológico. Significa ainda que a janela de oportunidades dos “competidores irracionais” está chegando ao fim. Em outras palavras, o setor eólico brasileiro está em processo de real consolidação. Mas o que mudou? O tempo de entrega da energia contratada, para este leilão será de dois anos – são os chamados leilões A-2. Nos últimos leilões de reserva, o prazo de entrega foi de três anos (A-3). Na prática, quer dizer que os projetos precisam ser implantados mais rapidamente, de maneira mais eficiente e obter financiamento com mais agilidade. Além disso, haverá expressiva competitividade entre empreendedores pela disponibilidade dos fabricantes de aerogeradores, uma vez que o cronograma das operações estavam ajustados para atender às demandas de leilões A-3 e A-5, e não A-2. Outra mudança importante: o empreendedor passa a ser responsável pela conexão da energia gerada à rede básica. Para a Renova é a oportunidade de assumir a gestão de seus parques de ponta

a ponta. Assim não teremos a dependência de conexão como ocorre hoje, assegurando que sua geração será efetivamente escoada para a rede elétrica. Com a medida, considerada positiva para a empresa, os outros empreendedores terão de aumentar os investimentos nos projetos, o que acarretará em alta no preço da energia no leilão ou redução de retorno. Mais uma exigência que colocará à prova o desempenho das concorrentes na execução dos projetos, será o cumprimento dos prazos. Pelas novas regras, o empreendedor que atrasar em 120 dias a entrega/conclusão de qualquer um dos marcos do projeto, terá o contrato cancelado, sem direito à segunda chance. Ou seja, o atraso de um marco comprometerá os 20 anos do contrato. Nós já transformamos esta regra em vantagem competitiva, haja vista a execução ser um dos nossos diferenciais, cujo maior e melhor exemplo foi o LER 2009. Uma alteração que também merece ser comentada é que o LER 2013 propõe regras muito mais restritivas para eventuais mudanças de layouts dos projetos.

Saiba mais… Energia garantida A garantia física também mudou. No LER 2013 ela será calculada com base no P90. Os leilões anteriores utilizaram o P50. O que isso significa? Do ponto de vista do operador, uma certeza maior da energia gerada; para nós, empreendedores, um projeto com geração de energia um pouco melhor. Mas o que é garantia física? É um parâmetro estabelecido pelo órgão regulador (ANEEL) baseado na estimativa de produção de energia e indisponibilidades de cada projeto.

6

Na prática, como funciona? Antes de o leilão acontecer, cada empreendedor cadastra seu projeto, informando a estimativa de produção de energia (certificada por uma consultoria independente) e suas indisponibilidades. Com base nessas informações, são realizados os devidos descontos e determinada a energia com a qual o sistema poderá contar efetivamente ao longo da vida comercial do projeto. Esta é a garantia física.

Probabilidade de produção de energia com 90% de probabilidade de gerar aquela energia ou mais num cenário de 20 anos.

P90

Probabilidade de 50% de produção de energia média calculada num cenário de 20 anos.

P50


VOCÊ

Mestre sala da versatilidade Manoel Santiago dos Reis Filho. Escrito assim, pode ser que a maioria dos colaboradores da Renova, talvez, não associe o nome à pessoa. Mas, se a gente disser Seu Manu, todos da unidade de Salvador, e muitos outros de São Paulo, Caetité e Belo Horizonte, com certeza saberão quem é. Muitos adjetivos poderiam definir este legítimo filho de Lauro de Freitas, localidade da região metropolitana de Salvador. Prestativo, gentil, diligente, simpático, bonito, deus de ébano, educado, dócil, enfim, todas essas palavras descreveriam bem o Seu Manu. No entanto, versátil talvez seja uma que caracterize à perfeição este cativante baiano de 54 anos. Hoje, Seu Manu é considerado o “cuidador” da Renova em Salvador e zela por tudo e por todos. É responsável pelo estacionamento, passa e serve cafezinhos, rega as plantas... tudo com um sorriso colado no rosto o tempo inteiro. Entrega de documentos nos escritórios da Renova, serviços de cartório, bancos, Correios? Deixa que o Seu Manu dá conta. Enfim, mais versátil impossível! Ele também “monitora” o horário da galera e faz uma brincadeira ou outra com os mais chegados. Além de tudo, “mima” todos com sucos refrescantes, frutas deliciosas, e ainda sanduíches especiais que dão água na boca. Agora, quer “abusar”

Seu Manu? Basta um funcionário pegar algumas balinhas da Renova espalhadas pela recepção e salas de reunião. É pegar e ele vem logo dizendo: “Eiiiii, é pras visitas, viu?”. Seu Manu está na Renova há cinco anos. Antes, era garçom no Restaurante Casa Amarela. “Fui contratado pelo doutor Ney que queria um funcionário para dormir e tomar conta do escritório. Disse que não podia dormir, mas que se ele me contratasse, não iria se arrepender”, conta ele. Mal sabia que até o doutor Ney tinha sido fisgado por sua carismática personalidade. A versatilidade é a marca do Seu Manu dentro e fora da Renova. Até hoje ele faz “bico” como garçom nos fins de semana. Torcedor fanático do Vitória tem uma agenda cheia quando o assunto é balada. Apesar de adorar reggae e partido alto, não dispensa uma festa seja qual for o ritmo. Sua agenda é lotada de segunda a segunda e sabe onde são os melhores “points” de Salvador. Muito paquerado pela mulherada confessa que já conheceu garotas de diferentes nacionalidades: argentinas, alemãs, nigerianas, etc. “Elas me chamam de negro lindo”, diz ele com certa timidez. E foi assim que virou um poliglota!

XÔ, SEDENTARISMO. MEXA-SE! ACONTECE

Sobre rodinhas: Naiane (esposa do Pedro Leoni), Louise (RH), Adriana Silva, Felipe (filho da Cyrla), Cyrla, Paula Nazaré e Livia.

Em Caetité e Salvador, duas iniciativas movimentam a vida dos colegas. Em Salvador, liderado por Livia Tavares, coordenadora de Licenciamento – Meio Ambiente, um grupo decidiu sair do sedentarismo do escritório para patinar todas as quartas-feiras na pista do Shopping Bela Vista. Já em Caetité, o futebol de salão começa a entrar na rotina da galera local e de quem estiver por lá. E quem está pensando que futebol é coisa só de menino, as meninas da unidade de Caetité provam o contrário.

Os craques de Caetité: Tiago Almeida, Edenilson, Gilson, Ancelmo, Daniel Mattos, Valmick, Mathias e Gilmar.

É isso aí, esporte, atividade física e mais qualidade de vida.

7


ORGULHO DE SER RENOVA

PCHs, a semente da Renova Somos uma empresa jovem, mas com uma história de crescimento, lutas e desafios de fazer inveja a qualquer corporação. Temos apenas 12 anos de existência com a maior parte da nossa capacidade de geração em energia eólica na Bahia. No entanto, nossa busca por uma energia competitiva começou no sul de Minas, atrás de PCHs desativadas. Mas, foi na “Boa Terra”, num povoado de Prata que conseguimos fazer o pleno desenvolvimento do primeiro projeto de geração da Renova, na bela Cachoeira da Lixa, num complexo com 3 PCHs, que foi, de fato, o pontapé “oficial” de nossas operações. Chegar nessa Cachoeira não foi fácil, sobretudo numa era sem GPS, Google Earth e Maps (nessa época, este tipo de recurso só estava disponível nas grandes cidades). Nossos desbravadores se enfiaram dias e dias mato adentro, sem poder contar com a Amarok, que hoje usamos na nossa obra em Caetité. Naquele tempo, tínhamos somente carros 1.0 ou cavalos com os quais percorríamos estradas ruins, acessos piores ainda, tudo com muita lama, pneus furados e muitas noites no interior de sacos de dormir. Em meio a todos esses desafios, ainda enfrentamos uma concorrência que quase nos levou a nossa Cachoeira. No entanto, já mostrando a competência que viria a ser um valor da Renova até hoje, fizemos um inventário espetacular, por meio do qual ganhamos tecnicamente o direito da exploração pela ANEEL, fato que só aconteceu 11 vezes na história das PCHs no Brasil. Com tal conquista em mãos apresentamos o projeto no PROINFA e ganhamos os 42MW do complexo Serra da Prata. Mas, para quem achava que estava tudo certo, faltava um detalhe importante: Dinheiro para investir. Naquele momento, o Google foi determinante na busca dos nomes e telefones de banqueiros e investidores que aceitariam investir num sonho de criação de uma empresa de energia renovável. Contra todas as percepções de impossibilidade: Deu certo! Em uma das ligações estava do outro lado da linha Carlos José Teixeira Correa, o famoso Pepê

AS SELETAS

8

(atual conselheiro), que acreditou que o sonho poderia virar realidade. E mais, ainda foi necessário convencer o “epecista” (empreiteira) a financiar parte do projeto que nos fez entregar nossos 42MW no prazo (algo que nos acostumamos a fazer, desde então). Ufa, depois de vencer muitos quilômetros de estradas ruins, muito mato, muitas noites mal dormidas e ainda muita batalha para ter a obra de pé e seu capital necessário nossos desbravadores conseguiram plantar a semente da Renova. Semente que em parte era constituída por três usinas hídricas operacionais. Mas, muito mais do que isso, a semente que eles criaram mediante seu trabalho e exemplo brotou em cada um de nós que estamos hoje na Renova através de nossos valores e mandamentos que mostram que o trabalho feito em equipe com paixão, honestidade e foco no resultado pode sim nos levar a criar obras grandiosas! Gostaria de deixar aqui o agradecimento a todos que participaram desta fase da Renova e de manifestar a minha profunda admiração pelo que vocês, juntos, construíram como empresa. Vocês me fazem ter muito orgulho de ser Renova! Agora, fica para todos nós o grande desafio de continuar replicando este exemplo em eólica, solar e em todos os outros negócios nos quais venhamos a colocar a marca da Renova. Mathias Becker


Renova + News mai/13