Fevereiro de 2021

Page 1

Ano 22 | Nº 254| Fevereiro 2021


2 Expediente Cotrijal Cooperativa Agropecuária e Industrial Rua Júlio Graeff, nº 01 Não-Me-Toque/RS - CEP: 99470-000 Fones: (54) 3332-2500 / 3191-2500 Diretoria Executiva Presidente: Nei César Manica Vice-presidente: Enio Schroeder Conselheiros de Administração Região Sede: Francisco Jorge Eckstein, Inezia Toso Meira, Jair Paulo Kuhns, Luiz Roberto Gobbi, Odair Sandro Nienow e Roveni Lucia Doneda (Representante dos Líderes de Núcleos) Região Um: Jonas Francisco Roesler, Jose Valdir Kappaun (Representante dos Líderes de Núcleos) e Mateus Tonezer Região Dois: Cristiano Ulrich, Delcio Reno Beffart, Fabiana Venzon, Jackson Berticelli Cerini, João Caetano da Rosa Neto, Milton Antônio Marquetti (Representante dos Líderes de Núcleos) e Valdino Morais Conselheiros Fiscais Titulares Heitor José Palharini, Ricardo César Tomazoni, Ismar Schneider Conselheiros Fiscais Suplentes Juliano Costa, Vilmar José Sartori, Mauricio Santini Xavier Jornal da Cotrijal Publicação mensal editada pela Unidade de Marketing da Cotrijal Gerente responsável Benisio Rodrigues Jornalista responsável Mariliane Elisa Cassel Textos e fotos Fernando Teixeira, Mariliane Cassel e Foto Choks Colaboração: Tainara Scalco Projeto Gráfico Plano Comunicação Ltda. Fone: (55) 98127.9339 Impressão Tapejarense Indústria Gráfica Fone: (54) 3344.1214 Comercialização Agromídia - Desenv. de Negócios Publicitários Ltda - Fone: (11) 5092.3305, Guerreiro Agro Marketing Fones: (44) 99180.4450/3026.4457 e Prisma Produções Gráficas - Fones: (54) 3045.3489 /99233.3170

Jornal COTRIJAL | Fevereiro de 2021

Opinião

Uma nova era A todos aqueles que acreditam que o cooperativismo é o melhor caminho para o desenvolvimento, fica o convite: vamos juntos escrever uma nova página de sucesso! De tempos em tempos, é preciso analisar o caminho já percorrido, avaliar desafios e conquistas, para traçar estratégias que nos levem a tornar a jornada seguinte a melhor possível. Na Cotrijal, essa avaliação é permanente e tem revertido em crescimento, ano a ano. O ano de 2020 foi um dos mais desafiadores da história, mas também nos fortaleceu. Acelerou processos, principalmente de inovação, e reforçou a importância das pessoas para que os melhores resultados sejam alcançados. Entramos em 2021 com muitos motivos para comemorar. O faturamento recorde da cooperativa, de mais de R$ 2,4 bilhões, é uma das grandes conquistas. As sobras recordes, de mais de R$ 21 milhões, mostram a eficiência administrativa da cooperativa e vão beneficiar toda a economia regional. A safra de verão, mesmo com algumas dificuldades, está se encaminhando muito bem, com o clima favorável, e deve reverter em bons resultados para o produtor e a cooperativa. E neste mês, é com muita alegria que vivemos o momento de lançamento da nova marca da Cotrijal. Foi um evento especial para todos que têm acompanhado e vivido a história da cooperativa, porque reforça o nosso compromisso com as pessoas, associados e colaboradores. São eles os principais responsáveis pelo avanço da Cotrijal, por torná-la cada vez mais forte. Foi um trabalho intenso de estudo, planejamento e análise, que reuniu vários profissionais de diferentes áreas de comunicação, para criar uma marca que representasse o DNA da Cotrijal. Ao longo dos seus 63 anos, a cooperativa demonstrou pioneirismo em vários aspectos, desde a sua criação, uma decisão ousada, liderada por 11 produtores que acreditaram que era possível, pela união de esforços,

ter suas necessidades atendidas e viver um futuro de prosperidade. A nova marca reflete a história de todos aqueles que ajudaram a construir essa história e projeta um futuro em que o cooperativismo cresce e crescem todos os que a ele estão ligados. Em especial as letras "i" e "j" evidenciam esse compromisso, onde o maior ajuda o menor. Estamos felizes com a repercussão positiva do lançamento da nova marca da Cotrijal e otimistas com o início de uma nova era na cooperativa, focada em inovação, na busca por novas formas de atender e financiar o produtor e novos modelos de negócios, em investimentos em melhorias de estrutura e capacitação das equipes, mas sempre com segurança. A solidez da cooperativa continua sendo a premissa básica de todo o trabalho, para dar tranquilidade ao associado. A todos aqueles que acreditam que o cooperativismo é o melhor caminho para o desenvolvimento, fica o convite: vamos juntos escrever uma nova página de sucesso! Nei César Manica Presidente da Cotrijal

Espaço do Leitor Mais milho Produzir milho é essencial para a manutenção do sistema de plantio direto. Pesquisas comprovam que a soja produz mais em área onde havia milho. A foto foi registrada na propriedade de Matheus Sartori, em Colorado, durante a colheita do milho. A família investe no cereal todos os anos e com isso ganha em produtividade na soja.

A Live Renova Cotrijal, com o lançamento da nova marca da cooperativa, no dia 17 de fevereiro, recebeu mais de 500 comentários no YouTube e no Facebook. Confira alguns: Cotrijal, parabéns pela escolha de pessoas que transmitem luz para nossas vidas. Dorildes Reisdorfer, de Almirante Tamandaré do Sul Parabéns padre Fábio, sempre colocando palavras certas nós momentos certos. Marcos Dal Bello, de Passo Fundo Parabéns Cotrijal, é um orgulho fazer parte desta história. Lindas palavras, Padre Fábio! Décio Kern, de Não-Me-Toque

Para colaborar Você curte o Jornal da Cotrijal? Envie para a nossa equipe a sua sugestão de pauta, dúvida ou foto. A sua colaboração poderá aparecer publicada, aqui, nas próximas edições.

Contatos (54) 99932-1598 imprensa@cotrijal.com.br



4 Nova marca

Jornal COTRIJAL | Fevereiro de 2021

Uma gigante se renova

Família Kümpel recebeu com alegria a notícia da renovação da marca da Cotrijal e a certeza de que a cooperativa continua tendo como foco principal a segurança e a confiança do quadro social. O patriarca Siegefred completa 61 anos como associado da Cotrijal neste ano

Inspirada na força dos seus cooperados, colaboradores e parceiros, a Cotrijal lançou uma nova marca neste mês de fevereiro. A ideia foi fortalecer a imagem institucional da cooperativa para diferentes olhares, preservando a identificação com todos os públicos com que se relaciona.

A

passagem do tempo é uma das únicas certezas da vida. O relógio corre, os anos voam. Provavelmente, você já deve ter refletido como os últimos meses passaram rápido. Ontem, era Natal, logo se comemora a Páscoa. Lá se vão quase 19 anos desde a última conquista brasileira do futebol masculino em Copa do Mundo. A Constituição Federal, que marcou o pontapé do regime democrático de direito no Brasil, completará 33 anos em 2021. Os nascidos no início dos anos 2000 já alcançaram a maioridade. Quantas transformações nas últimas décadas!

No agronegócio, as mudanças potencializaram o protagonismo de um dos ofícios mais nobres da humanidade: o de produzir alimentos. Máquinas mais potentes aliadas a insumos de alta tecnologia e gestão eficiente colocaram o país na dianteira mundial. Os anos foram generosos com o desenvolvimento da agricultura e da pecuária brasileira. É um sucesso que foi construído com muitas mãos. Mãos trabalhadoras que, em 14 de setembro de 1957, reuniram-se em Não-Me-Toque para dar início a uma das mais belas histórias de cooperativismo do Brasil. Nesses mais de 63 anos de existência, a Cotrijal marcou e viveu muitas renovações, dentro e fora das porteiras. O novo chegou em muitas ocasiões, mas sempre ancorado nos princípios e valores que fizeram

e fazem da cooperativa ser referência em todas as áreas de atuação: confiança, cooperação, fazer bem feito e foco nos resultados. Neste primeiro trimestre de 2021, mais um capítulo foi escrito na trajetória da Cotrijal. Após um intenso trabalho de estudo, planejamento e análise, que reuniu vários profissionais de diferentes áreas da comunicação, a cooperativa lançou uma nova marca. O desafio foi imenso, afinal, uma marca deve transmitir a essência, a qualidade e a tradição do negócio. Trata-se do DNA da entidade. Para chegar a esse resultado, a Cotrijal contou com influências inspiradoras: a força dos cooperados e colaboradores.


Nova marca

Jornal COTRIJAL | Fevereiro de 2021

Um sonho realizado No dia 1º de maio de 1961, além de comemorar o dia do trabalhador, o jovem Siegefred Kümpel, então com 23 anos, deu início a uma história de cooperação. Um dos primeiros associados da Cotrijal, o descendente de alemães relembra com riqueza de detalhes os passos trilhados pela cooperativa nessas mais de seis décadas de parceria. “Eu vi a cooperativa crescer e acompanhei muitas mudanças também. Lembro da época

em que chegávamos a esperar cerca de 2 dias na fila para descarregar os grãos na unidade de recebimento”, conta o produtor, aos 83 anos. Atualmente, a título de comparação, uma unidade de recebimento, em períodos de safra, chega a receber aproximadamente 180 caminhões por dia. O agricultor lembra com muito carinho da ocasião em que a cooperativa o auxiliou na compra de materiais para as obras da sua serraria. Isso lá pelos idos da década de 60. Antes de ingressar defini-

tivamente na agricultura, Siegefred trabalhou com madeiras, ofício herdado da família. Com a ajuda da esposa, Ema Kümpel, Siegefred começou a cultivar grãos na propriedade, que fica no limite dos municípios de Lagoa dos Três Cantos e Não-Me-Toque, por volta de 1970. No início, a principal cultura era o trigo, cereal que fez com que o Norte gaúcho se tornasse modelo agrícola para o restante do país.

A família “Eu vi a cooperativa crescer e acompanhei muitas mudanças também. Lembro da época em que chegávamos a esperar cerca de 2 dias na fila para descarregar os grãos na unidade de recebimento”, Siegefred Kümpel, associado da Cotrijal há 60 anos

Em 1987, a Dirce, filha única de Ema e Siegefred, casou-se com Leonide Tossin, ambos também associados da Cotrijal. A família aumentou com a chegada do Douglas em 1989 e da Letícia em 1991. Nessa época, a soja já ganhava espaço nas lavouras gaúchas, inclusive nas áreas da família Kümpel. Os anos foram passando e a família continuou crescendo. O Douglas, que é técnico agrícola, se casou com a Jéssica, que

trabalha com eventos, e, em 2014, nasceu o Pedro Henrique. A Letícia se casou com o Jeferson em 2017. O jovem casal se conheceu em meados de 2009 na cooperativa. Hoje, a Letícia atua na área de crédito e cobrança da Cotrijal e o Jeferson no setor de compras. As quatro gerações permanecem morando na propriedade, fazendo os olhos do Sr. Siegefred brilhar: “O meu sonho foi realizado, pois toda a família está aqui”.

61 safras com a Cotrijal As decisões na propriedade, que tem cerca de 70 hectares, são tomadas em conjunto e a parceria com a Cotrijal é unanimidade. Das sementes aos insumos, todos os negócios são firmados com a cooperativa. Além disso, a família é bastante engajada com as atividades desenvolvidas pela entidade. A Dirce é integrante do Comitê de Mulheres, programa criado em 2015 com o objetivo de estimular a participação feminina na cooperativa e ampliar os trabalhos voltados a esse público. O Leonide e o Douglas já foram líderes de núcleo, outra iniciativa da Cotrijal que busca debater assuntos de interesses dos cooperados e caminhos para fortalecer os laços e fidelizar o quadro social.

Siegefred, com a primeira carteirinha de sócio da Cotrijal, e o bisneto Pedro Henrique, com o novo calendário da cooperativa, no motor da antiga serraria da família, guardada como relíquia no pátio da casa: valor do cooperativismo passado de geração em geração

A maior cooperativa agropecuária do RS R$ 2,4 bilhões em faturamento 33 municípios de atuação 55 unidades de recebimento de grãos + de 1.900 colaboradores + de 7.900 associados + de 875 mil toneladas em capacidade de armazenamento

5


6 Nova marca

Jornal COTRIJAL | Fevereiro de 2021

Time de confiança

D

e um dos primeiros associados ao colaborador mais antigo, a confiança é uma das marcas da Cotrijal. Luiz Carlos Vargas, operador de balança, ingressou na cooperativa no dia 24 de março de 1977. Na época, com 14 anos, Luiz ajudou a construir a unidade de Vista Alegre. Entre tijolos, cimento e areia, o jovem demonstrou iniciativa e proatividade, o que carimbou a sua permanência como funcionário efetivo. “Comecei no armazém, trabalhei com a parte de coleta de amostras das cargas de grãos, também ajudei a construir a loja de ferragens e permaneci por lá durante algum tempo. Hoje, estou na balança. Fiz um curso de datilografia para aprender a fazer as notas de entrada e de saída de produtos, e já são mais de 30 anos trabalhando com o recebimento de grãos”, conta. A história pessoal e a trajetória profissional de Luiz Carlos convergem dentro da Cotrijal. A esposa, Terezinha, trabalha como serviços gerais e o filho mais velho, Cassiano, no administrativo. O filho mais novo, Endrius, também teve uma passagem pela cooperativa. Durante todo esse período, o colaborador acompanhou muitas mudanças e afirma que, mesmo com as transformações, sempre perdurou a credibilidade da instituição perante os seus cooperados. “Os produtores devem sair daqui sem dúvidas, afinal, a cooperativa é deles. A Cotrijal é muito justa, em todos os aspectos. A gente percebe a confiança que os parceiros têm em trabalhar conosco, e isso é motivador. Eu praticamente construí a minha vida aqui e sou muito grato por tudo”, finaliza.

“A Cotrijal é muito justa, em todos os aspectos. A gente percebe a confiança que os parceiros têm em trabalhar conosco, e isso é motivador”, Luiz Carlos Vargas, operador de balança (colaborador mais antigo da cooperativa)

Preparados para receber a safra A Cotrijal investe forte na modernização, ampliação das estruturas armazenadoras, serviços, equipamentos e novas tecnologias e também no treinamento dos colaboradores.Tudo para que o produtor possa ter agilidade e confiança na entrega da produção e armazenar as suas safras com qualidade e segurança, podendo negociar no momento mais adequado. Muitas melhorias e capacitações foram realizadas para esta safra Ampliação de 30 mil toneladas em capacidade de armazenagem.

Instalação de mais 6 tombadores nasunidadescommaiorcapacidade. 7 máquinas de limpeza de grãos com maior capacidade. 10 unidades receberam melhorias nos fluxos de recebimento, passando para 240 t/h e 360 t/h. 10 unidades receberam melhorias na automação dos equipamentos. Mais de 10 modalidades de treinamentos de segurança do trabalho e boas práticas em procedimentos operacionais realizados com as equipes operacionais. Comunicação ágil e eficiente A Cotrijal possui rede de comunicação própria para trafegar dados, voz e imagem, interligando a sede com as unidades. São mais de 60 torres próprias.Este formato de comunicação teve início nos anos 80 e tem possibilitado a instalação de diversos equipamentos e softwares.Tudo para bem atender os associados e clientes, de forma rápida e eficiente. Em 2020, importantes investimentos foram feitos:

Troca de 3 enlaces de rádios na telecomunicação, aumentando a banda de comunicação (velocidade) de 30MB para 350MB. Troca de 7 módulos de pesagem (balança), melhorando a agilidade na captura de peso. Instalação de novos ramais telefônicos nas balanças para agilizar a comunicação entre unidades/sede e também com clientes externos. Instalação de 1 torre nova, troca de 4 torres e ampliação na altura de 1 torre de comunicação nas filiais. Instalação de fibra em pontos estratégicos, evitando assim paradas da comunicação de dados, voz e imagem. Troca do sistema operacional, dando mais segurança a tentativas de invasões por rackers. Troca de 10% do parque de máquinas, para melhorar a performance dos sistemas. Melhoria no programa de recebimento de grãos nas balanças, com digitalização do código de barras da nota fiscal eletrônica.

Segurança para avançar Uma cooperativa bem capitalizada para dar ao produtor respaldo para concretizar seus negócios e conduzir a propriedade faz toda a diferença. Devido a sua solidez, a Cotrijal consegue pagar pela produção comercializada em prazo muito mais curto do que vende. Além disso, por ter a DAP Jurídica, a Cotrijal consegue pagar aos produtores dapianos R$ 1,00 a mais na venda da soja, inclusive nos lotes. Nas campanhas de vendas de insumos, a Cotrijal tem conseguido ofertar aos produtores ótimas condições através de campanhas durante o ano. Para a safra de verão 2021/21, por exemplo, muitos produtores já travaram os custos de produção. Outro diferencial é que, graças à solidez da cooperativa e também à estreita relação de parceria com os fornecedores de insumos, além de logística eficiente, todos os produtos adquiridos pelos produtores sempre estão na sua unidade no momento adequado.


Nova marca

Jornal COTRIJAL | Fevereiro de 2021

7

Fazer a diferença

S

eja como uma vela: se você acender a do amigo, a sua não vai apagar!” A expressão que marcou a produtora rural Lisiane Maria Weber, de Não-Me-Toque, foi ouvida durante um dos encontros de mulheres promovidos pela Cotrijal. Por trás da mensagem, está a essência do cooperativismo, um modelo que preconiza a colaboração e a associação de grupos em prol de interesses comuns. A agricultora compartilha com o esposo Mauro Alberto Weber as demandas da propriedade de 70 hectares, localizada entre Não-Me-Toque e Lagoa dos Três Cantos. Depois de 24 anos trabalhando com avicultura, o casal decidiu focar na lavoura. Com o chimarrão cevado antes das 6h da manhã, a rotina de Lisiane começa cedo e termina tarde. “Eu ajudo de ponta a ponta. Aprendi sobre sementes, insumos, e, atualmente, sou eu quem faz a lista de compras, organizo as dosagens, carrego a caminhonete”, revela. E não para por aí. A cooperada tem na ponta da caneta todo o histórico das produções. A partir das análises, conse-

“Quando precisamos da Cotrijal, ela nunca nos deixou na mão. É uma relação que faz a diferença”, associada Lisiane Maria Weber

gue mensurar a produtividade de cada safra e estimar as projeções para os próximos anos. Para 2021, a expectativa é de recuperação. “Estamos otimistas em relação a essa safra de soja”.

Mulheres no agro 30% das mulheres que atuam no agronegócio são responsáveis pela gestão, muito acima do registrado na indústria (22%) e na área de tecnologia (20%).

73% das mulheres do agronegócio atuam dentro da porteira. 58% são proprietárias ou sócias das propriedades, representando algo em torno de 4,5 % do PIB. Dados da Associação Brasileira do Agronegócio

Ano para ficar na história O lançamento da nova marca da Cotrijal vai ficar na história da cooperativa e se soma a boa notícia dos resultados recordes em 2020. Apesar das dificuldades enfrentadas em função da quebra da safra de verão e da pandemia, a Cotrijal encerrou o ano com R$ 2,4 bilhões de faturamento, crescimento de 5% em relação ao ano anterior. Já as sobras cresceram 53% na comparação com 2019, chegando a R$ 21,4 milhões. Os números foram antecipados aos líderes de núcleo na manhã de 8 de fevereiro, em reunião no Parque da Expodireto Cotrijal. O encontro marcou o início do processo de apresentação e avaliação do balanço do último ano, que culmina com a assembleia, marcada para o dia 25 de fevereiro. O presidente da Cotrijal, Nei César Manica, ressalta que o excelente resultado se deve à diminuição das despesas administrativas e ao crescimento dos negócios e do número de produtores

trabalhando com a cooperativa. “O profissionalismo da nossa equipe e da confiança do produtor foram essenciais para o bom desempenho”, afirmou. “Para 2021, com a crescente demanda por alimentos e os bons preços, se o clima continuar colaborando com a safra, a expectativa é de ótimos resultados”.

Liderança representativa Durante o encontro do dia 8 de fevereiro, os líderes aprovaram a sugestão da diretoria e do Conselho de Administração de não realizar as reuniões de núcleo deste ano, em função da pandemia. “Como representantes do quadro social, os líderes encaminharam as questões relacionadas às eleições dos mandatos que estão vencendo e também poderão agora levar aos associados as informações sobre o balanço”, explica o vice-presidente da Cotrijal, Enio Schroeder.

Lisiane e Mauro têm dois filhos. A Letícia, filha mais velha, trabalha na Cotrijal como coordenadora do Centro de Distribuição das Lojas Cotrijal. A primogênita tem gêmeas de 12 anos. O filho mais novo é o Henrique, que cursa Direito e trabalha em um escritório de advocacia.

“Da parte agrícola ao mercado, a nossa relação com a cooperativa é integral. Conheço muitas pessoas que trabalham lá, são profissionais que estão sempre disponíveis para auxiliar. Quando precisamos da Cotrijal, ela nunca nos deixou na mão. É uma relação que faz a diferença.”

CONVOCAÇÃO PARA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA O Presidente da COTRIJAL COOPERATIVA AGROPECUÁRIA e INDUSTRIAL, situada a Rua Júlio Graeff, 01, centro, Não-Me-Toque, RS, inscrita no CNPJ sob o nº 91.495.549/ 0001-50 e no NIRE 43400001557, no uso das atribuições que lhe confere o Estatuto Social, convoca os associados aptos a votarem, cujo número nesta data é de 7.909, para ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA, a realizar-se no dia 25 de Fevereiro do corrente ano, no Parque de Exposições da Expodireto Cotrijal, sito a RS 142, Km 24, nesta cidade, em primeira convocação às 7h, com a presença de 2/3 ou mais dos associados; em segunda convocação às 8h, com a presença de associados em número superior a metade dos mesmos e, em terceira e última convocação às 9h, com a presença de no mínimo 10 (dez) associados, para deliberarem sobre a seguinte ORDEM DO DIA: 1 – Prestação de contas dos Órgãos de Administração, acompanhada do Parecer dos Auditores e Conselho Fiscal, compreendendo a) relatório da Gestão; b) balanço; c) demonstrativo da conta sobras e perdas, parecer dos Auditores e do Conselho Fiscal; d) plano de atividades da sociedade para o exercício seguinte; 2 – Destinação das Sobras Líquidas apuradas; 3 – Eleição e Posse conforme Estatuto Social de: 3.1 – Conselheiros de Administração; 3.2 – Conselho Fiscal, Titulares e Suplentes. 4 – Deliberar sobre: Fixação dos honorários, gratificações, remuneração às cédulas de presença e afins dos membros do Conselho de Administração, Conselho Fiscal e Conselho Representante dos Líderes de Núcleos; 5 – Autorização para adquirir,permutar, hipotecar e alienar bens móveis e imóveis; 6 – Ratificação dos atos do Conselho de Administração e Conselheiros Executivos.

Não- Me-Toque/RS, 08 de Fevereiro de 2021


8 Nova marca

Jornal COTRIJAL | Fevereiro de 2021

Celeiro de inovação

É

indiscutível a relevância da tecnologia na busca por melhores índices de produtividade. A agricultura de precisão foi ganhando cada vez mais espaço nos últimos anos, proporcionando ao produtor rural um sistema de gestão inteligente, compatível com as peculiaridades de cada área. A Cotrijal sempre esteve atenta aos avanços tecnológicos, disponibilizando aos cooperados ferramentas modernas e inovadoras. Das máquinas aparelhadas com piloto automático e GPS aos equipamentos de coleta e mensuração de dados, a família Hummes aposta na tecnologia para incrementar as médias nas áreas cultivadas no Norte gaúcho e no Sul do estado. “Nós estamos investindo bastante em sistemas tecnológicos. A partir de um banco de informações, conseguimos pontuar as melhores épocas de aplicação, as variedades mais adequadas para cada área e, consequentemente, discutir melhorias para as próximas safras”, conta o engenheiro agrônomo Henrique Hummes, cooperado da Cotrijal e também ex-colaborador da cooperativa. No total, a família cultiva grãos em cerca de 1200 hectares no Rio Grande do Sul. A ideia para os próximos anos é aproveitar o mercado aquecido da pecuária e ocupar as áreas ociosas com pastagens. “A pecuária vai entrar para somar”, explica Henrique.

Pensando no futuro Além da diversificação nas áreas de atuação, a família também pensa na longevidade do negócio. Atualmente, Henrique e os irmãos Fernando e Alberto estão na linha de frente das demandas. Os

“A cooperativa consegue conjugar qualidade nos produtos e na prestação dos serviços. É uma parceria que soma em todos os aspectos”, associado Henrique Hummes.

pais Roceleni e Lademir contribuem na tomada de decisões. Mas a ideia é profissionalizar ainda mais a gestão da propriedade, por meio da criação de uma holding familiar com foco no planejamento sucessório. Essa organização faz jus à estabilidade buscada pelos agricultores e vem ao encontro de outras decisões que contribuem com a segurança da atividade. Para Henrique, um dos grandes diferenciais da cooperativa

é o seguro agrícola. “Contratamos o seguro em toda a área, o que nos permite ter uma maior garantia”. Reciprocidade, segurança, confiança e inovação fazem com que a família Hummes centralize todas as negociações com a Cotrijal. “A cooperativa consegue conjugar qualidade nos produtos e na prestação dos serviços. É uma parceria que soma em todos os aspectos”.

Sempre ao lado do produtor O produtor Valdomiro Soares Caraça, de Passo Fundo, viu na chegada da Cotrijal à cidade uma nova oportunidade de negócios. Logo que a unidade inaugurou, em meados de 2015, ele se associou à cooperativa. De lá para cá, os laços só se estreitaram, da mesma forma que a satisfação com o método de trabalho da Cotrijal. “A cooperativa proporciona todo o auxílio que o produtor precisa, além de oferecer um variado mix de produtos. A assistência técnica é excelente. Em anos como esse, em que tivemos problemas com a silagem, a assistência foi muito importante para que pudéssemos acertar a dieta dos animais,” conta. Valdomiro cultiva cerca de 150

hectares na região, integrando lavoura e pecuária. Há 25 anos trabalhando com a produção de leite, compartilha com entusiasmo os resultados do rebanho: uma média que chega a quase 36 litros por animal em determinadas épocas. Toda a produção, cerca de 5 mil litros por dia, é entregue à CCGL, por meio da parceria firmada entre a Cooperativa Central Gaúcha Ltda. e a Cotrijal. “A cooperativa me transmite muita confiança e segurança. A gente trabalha sem medo. Além disso, o atendimento de todos os colaboradores da unidade é muito bom. Eles estão sempre dispostos a ajudar, seja na parte dos grãos, seja na parte da pecuária de leite”.

Mais de R$ 800 mil em sobras

“A assistência técnica é excelente. Em anos como esse, em que tivemos problemas com a silagem, a assistência foi muito importante para que pudéssemos acertar a dieta dos animais”. Valdomiro Soares Caraça, associado da Cotrijal, com a médica veterinária Analise Bernardelli

Os 164 produtores da Cotrijal que entregam leite para a CCGL em 2020 receberão R$ 840 mil em sobras de balanço da Central. O retorno é um incremento na renda das famílias e resultado do esforço coletivo. Foram 41.043 milhões de litros para a Cooperativa Central Gaúcha Ltda em 2020 através da Cotrijal. Além do retorno aos produtores, os municípios de origem do leite são beneficiados com o retorno do ICMS incidente da comercialização do produto.



10 Nova marca

Jornal COTRIJAL | F

Live Renova Cotrijal oficializou a nova marca da cooperativa, na noite de 17 de fevereiro

Histórias que mar

A

decisão por renovar a marca da Cotrijal partiu do pressuposto da inovação. A maior cooperativa do Rio Grande do Sul, idealizadora da maior feira agropecuária da América Latina, a Expodireto Cotrijal, sedimentou o seu protagonismo no Brasil e no exterior. Na esteira dos avanços, a forma de se expressar também evolui. Como mencionado no início dessa reportagem, a inspiração para o novo layout da marca veio de dentro de casa, afinal, ricas histórias transbordam no quadro social da Cotrijal. São cooperados, colaboradores e parceiros que vivem na prática dos valores cultivados pela instituição.

“O nosso foco é em inovação, oportunidades de negócios e soluções para os nossos produtores. Marcamos um momento de renovação, por meio da nossa nova marca”, Nei César Manica, presidente da Cotrijal

Um grande evento para selar o novo O lançamento oficial da nova marca ocorreu no último dia 17 de fevereiro, por meio de uma transmissão ao vivo via redes sociais. A Live Renova Cotrijal (que está disponível no YouTube da coope-rativa) contou com a participação presencial da diretoria, dos superintendentes, dos conselheiros, do músico tradicionalista Jairo Lambari Fernandes e do acordeonista Joaquim Velho. A condução do cerimonial ficou por conta do gerente de Marketing da cooperativa, Benísio Rodrigues. Conforme as orientações do Ministério da Saúde, foram atendidos todos os protocolos de higiene e segurança no local. O Padre Fábio de Melo participou de modo virtual, assim como os colaboradores, os associados, os parceiros e as autoridades. O presidente da Cotrijal, Nei César Manica, reiterou o momento histórico para a cooperativa. “Construímos uma grande família, que chega próximo a 8 mil associados e 2 mil colaboradores. O nosso foco é em inovação, oportunidades de negócios e soluções para os nossos produtores. Marcamos um momento de renovação, por meio da nossa nova marca.” Para o vice-presidente da Cotrijal, Enio Schroeder, o cooperativismo é o sistema mais importante do mundo, que visa desenvolver as pessoas e as respectivas comunidades. “A nossa marca tem 63 anos de história, construídos com muito suor, muita determinação. O cooperativismo, por meio da Cotrijal, tem prestado um relevante serviço para a nossa região, para o nosso estado e também para o Brasil. São frutos da união do quadro

social, dos conselhos, das diretorias e dos colaboradores.” O Padre Fábio de Melo, convidado especial a participar da live, de forma virtual, pontuou a importância da diversidade dos perfis que compõem um modelo de cooperativismo. “A cooperativa faz com que a junção de pessoas se transforme num lugar saudável. Quando estamos numa cooperativa que gera subsídios para o crescimento de todos, fortalecemos os laços de uma grande família.”

“O cooperativismo, por meio da Cotrijal, tem prestado um relevante serviço para a nossa região, para o nosso estado e também para o Brasil. São frutos da união do quadro social, dos conselhos, das diretorias e dos colaboradores”, Enio Schroeder, vicepresidente da Cotrijal


11

Fevereiro de 2021

rcam e motivam Quer ver novamente a live Renova Cotrijal? Escaneie o QR Code e acesse no YouTube. Se preferir, pode vê-la também pelo Facebook, no @cotrijalcooperativa. “Quando estamos numa cooperativa que gera subsídios para o crescimento de todos, fortalecemos os laços de uma grande família”, Padre Fábio de Melo

Lambari Fernandes e Joaquim Velho encantaram o público durante a live

Curiosidades sobre a nova marca A arquitetura de marca proposta para a Cotrijal obedeceu aos objetivos de sinergia e competitividade, e reorganizou as marcas em cinco grupos, de acordo com os públicos de relacionamento da cooperativa. - Negócios, Campo, Comunidade, Colaboradores e Expodireto. Chamam a atenção na nova marca as letras “i” e “j”, que representam duas pessoas de mãos dadas, simbolizando união e o apoio do maior para com o menor.

Saiba tudo sobre a nova marca da Cotrijal escaneando este QR Code para acessar o vídeo explicativo no YouTube.

Jornal de cara nova O Jornal Cotrijal também está com logo nova, seguindo o padrão de renovação e leveza da marca da cooperativa, A logo traz como ícones as iniciais do nome do jornal, nas cores da nova marca da Cotrijal. Criado em 1999, o Jornal Cotrijal completou 21 anos em dezembro de 2020.


12

Milho

Jornal COTRIJAL | Fevereiro de 2021

Colheita revela os primeiros números do verão

A palhada do milho, além de proteger o solo, deixa um significado positivo em diversos fatores.

A

constatação da pesquisa é defendida pelo produtor Matheus Sartori, de Colorado, Com 46 hectares de milho nesta safra, ele revela que está no planejamento de sua propriedade que o milho possa chegar a 30% das áreas de verão. “Assim, teremos uma rotação nas safras, para que o milho rotacione com a soja e vá melhorando as condições do solo”. Hoje o cereal ocupa 16% da área de verão na propriedade. Otimista com a safra de verão, Sartori já concluiu a colheita de suas áreas de milho, com uma produtividade média de 199 sacos/ha. “Foi um período de muitos desafios, já vinhamos de uma safra frustrada (2019/2020), e era preciso dar uma resposta. Foi pensando assim que investimos na cultura, desde a escolha dos híbridos, adubação das áreas e manejos técnicos. Tudo para manter a sanidade e aproveitar os melhores momentos”, destaca o associado. Quem também acredita no milho é o associado Lair Müller, de Saldanha

Sartori acredita que a palhada do milho é uma ótima proteção para o solo

Marinho. Ele investiu 125 hectares com a cultura e entende a importância de manter o milho na propriedade. “Não existe verão sem milho. A ideia é diversificar, assim conseguimos otimizar o maquinário e a mão de obra, sem es-

Detec está de olho na colheita

Lair espera colher mais de 160 sacos de milho/ha

A colheita do milho avança na área de ação da Cotrijal. Conforme o Departamento Técnico da cooperativa, diversas áreas já foram colhidas na região de Não-MeToque. Os trabalhos devem ganhar intensidade até a metade do mês de março, principalmente em áreas localizadas ao norte do Estado. Com relação a produtividade, a projeção de boa safra vem se confirmando, com colheitas que superam a casa dos 150 sacos/hectare. “O ano é bem diferente, tivemos pouca chuva logo na semeadura, porém entre novembro e dezembro (2020), tudo se normalizou, o que garantiu uma recuperação das plantas”, detalha Alexandre Nowicki, coordenador técnico de Difusão da Cotrijal. Até o final da primeira semana de março, a estimativa é que 40% das lavouras com milho na área de ação da Cotrijal já estejam colhidas.

quecer dos manejos, no quesito plantas daninhas, pragas e doenças. Já saímos na frente com o milho em nossa propriedade”, explica o produtor. Ainda com poucas áreas colhidas, o produtor estima uma produção superior

a 160 sacos/ha, o que para ele é um resultado positivo. “Ficamos quase 20 dias sem chuva logo após a semeadura, no restante do desenvolvimento tivemos mais chuvas, mas, mesmo assim, não será uma grande safra”, destaca o produtor.

Safra gaúcha Conforme a CONAB, no milho, a colheita esperada para esta safra é de 5,7 milhões de toneladas, 44,8% maior do que as 3,9 milhões de toneladas do ciclo 2019/2020. A área destinada para a lavoura alcança 808 mil hectares, 2,1% maior do que os 791 mil hectares de 2019/2020.

Comparativo de produtividade de milho MILHO 2015/16 2016/17 2017/18 2018/19 2019/20

COTRIJAL 166,7 scs/ha 179,4 scs/ha 165,8 scs/ha 204,2 scs/ha 131,1 scs/ha

RS 119,3 scs/ha 125,0 scs/ha 110,5 scs/ha 127,5 scs/ha 82,9 scs/ha

BRASIL 69,6 scs/ha 92,7 scs/ha 81,0 scs/ha 95,3 scs/ha 92,2 scs/ha

40% das propriedades alcançaram média superior a 220 sacos/hectare na safra 2018/19 27% das propriedades alcançaram média superior a 160 sacos/hectare na safra 2019/20



14

Seguro

Jornal COTRIJAL | Fevereiro de 2021

Mais de R$ 11,9 milhões em subvenção federal Valor cresceu 117% ano passado comparado a 2019. Em cinco anos, os produtores da Cotrijal deixaram de desembolsar R$ 27 milhões.

A

busca por soluções que levem o produtor a produzir mais e ter melhor rentabilidade é constante na Cotrijal. Ao lançar sua nova marca, a cooperativa reforça o compromisso de estar atenta a todas as necessidades do associado e anuncia que os produtores que contrataram seguro agrícola em 2020 economizaram mais de R$ 11,9 milhões. O valor refere-se à subvenção federal para as culturas de inverno e verão. Desde a implantação da Cotrijal Seguros, em 2016, a cooperativa tem priorizado a liberação das contratações no primeiro trimestre, para facilitar o acesso ao programa de subvenção do governo federal. Com isso, em cinco anos, possibilitou que os produtores deixassem de desembolsar R$ 27 milhões. Um dos beneficiados com o trabalho da cooperativa é o associado Clóvis Giacomin. Com áreas em Gentil, ele não abre mão do seguro, tanto no inverno quanto no verão. Em 2020, teve que acionar a seguradora para os 23 hectares de cevada, afetados pela geada. “Colhi só 15 sacos por hectare. Não fosse o seguro, teria ficado no prejuízo, já que os custos de produção no inverno estão próximos a 45 sacos por hectare”, aponta o produtor, que já está com as próximas safras planejadas. O superintendente Administrativo-Financeiro da Cotrijal, Marcelo Ivan Schwalbert, adianta que as propostas para o próximo ciclo de inverno e de verão devem estar à disposição já em março. “É essencial que os produtores contratem logo o seguro para aumentar a chance de acesso à subvenção”, recomenda. Nas culturas de inverno, com a subvenção, em 2020, a economia dos produtores ficou em torno de 35%. No verão, em média, 25%.

Dorval Pereira da Silva: seguro é essencial

Clóvis Giacomin: acesso a subvenção leva a economia de cerca de 35%

Seguro salvou os produtores no inverno Geada e excesso de chuva afetaram muitas lavouras na última safra de inverno. Os produtores que fizeram o seguro agrícola através da Cotrijal não acumularam prejuízo. Contando cevada e trigo, o total de indenizações chegou a mais de R$ 3,4 milhões. Em Pinheiro Marcado, interior de Carazinho, a geada também afetou as lavouras de inverno. O produtor Dorval Pereira da Silva teve a área de trigo, de 45 hectares, prejudicada. Graças ao seguro, conseguiu cobrir os custos de produção. Ele trabalha em parceria com os filhos Márcio Lucas e Igor e no verão também assegurou os 20 hectares de milho. “Este ano a safra de milho foi bem, mas não dá pra correr o risco de perder todo investimento por causa do clima”, defende.

Indenizações nas culturas de inverno 2020 Total: R$ 3.460.620,44

Quantidade de Propostas que receberam a Subvenção 2018 – 1.060 2019 – 1.761 2020 – 3.409

Economia gerada pela Subvenção 35%, em média, nas culturas de inverno 25%, em média, nas culturas de verão



16

Jornal COTRIJAL | Fevereiro de 2021

Vida no campo

Agricultura que dá gosto de ver “Esse é o nosso ano”. Com essa afirmação, Artêmio Carlos Casagrande, 60 anos, anuncia a boa safra que deve se confirmar nas próximas semanas. A confiança não está somente nos investimentos já realizados nas culturas de verão, mas vem de uma soma de fatores, em que a parceria com a Cotrijal é destaque.

A

rtêmio Carlos Casagrande tem muitos motivos para estar otimista em relação à safra. Caprichou em todos os processos de produção, investiu em tecnologia e seguiu as orientações do engenheiro da cooperativa. “Na safra passada, mesmo com a seca, chegamos aos 57 sacas de soja por hectare em nossos 160 hectares. Esse resultado nos deixa muito otimistas para o que está por vir, pois as lavouras estão lindas, com plantas de bom porte e sanidade”, explica. Antes de festejar a sequência de boas chuvas, o produtor também explica a construção realizada, para que as suas lavouras possam expressar o máximo em produtividade. “Esse trabalho não é de hoje, mas vem ganhando qualidade a cada ano, principalmente com a parceria com a Cotrijal. Uma assistência técnica presente faz toda a diferença, mas também posso citar a utilização de boas sementes, a correção do solo, adubação, manejos, maquinário de ponta e dedicação nos trabalhos”, comenta o agricultor.

Um pouco de história Conhecidos na região de Erechim, os Casagrande têm uma história de identificação com a agricultura. Conforme Artêmio Carlos, antes da agricultura ele e seus irmãos tiveram a oportunidade de aprender diversas profissões: carpinteiro, pedreiro e pintor. “Nosso pai, Archimedes sempre nos incentivou a trabalhar, a buscar alternativas para fazer a diferença. Posso não ter muito estudo, mas sei trabalhar e gosto do que eu faço”, destaca Artêmio.

Artêmio Casagrande: apaixonado pelo que faz

veem na Cotrijal uma aliada forte no dia a dia da propriedade e não pensam em deixar essa relação. “Entendo que cada um tem que fazer a sua parte e cabe a nós produtores reforçar os laços, aproveitar as oportunidades e fazer nossos negócios com a cooperativa. Assim todos saem ganhando”, destaca Artêmio. Associado da Cotrijal, desde 2015, Artêmio revela que bem antes da cooperativa se instalar em Capo-Erê, ele já realizava alguns negócios com a unidade de Passo Fundo. “Sempre me identifiquei com as cooperativas, vejo segurança e tranquilidade em trabalhar com a Cotrijal”, explica.

Novas gerações Artêmio é casado com Geni Camanski Casagrande, 59. O casal tem duas filhas: Graci Casagrande Cecconello, 35, é advogada e casada com Tiago Alex Cecconello, 34. O casal tem duas filhas, Gabrielli, 10, e Isabelli, 5. Marieli Ronsoni, 33, casada com Lucas Ronsoni, 33. O casal tem uma filha, Valentina, 1.

A propriedade 210 hectares para produção de grãos No verão, 160 hectares para a soja e 50 para o milho No inverno, 100 hectares para o trigo, 50 hectares para a canola e o restante com coberturas 30 vacas leiteiras Atividade gerenciada pelo casal Tiago e Graci. Produção média de 25 litros/vaca/dia Com o sistema de confinamento do rebanho, a família acredita que neste ano de 2021 a produção possa ultrapassar 30 litros/vaca/dia

Tiago, Graci e as filhas moram junto na propriedade da família

Curiosidades Artêmio e Geni estão casados há mais de 30 anos

Outro legado foi o trabalho em parceria. Primeiro os irmãos Casagrande, Artêmio e Armênio, trabalhavam juntos com produção de grãos e diversificação das culturas. “Nesses anos de trabalho conjunto, conseguimos triplicar o nosso patrimônio, formamos nossas famílias e entendemos que era hora de cada um seguir o seu caminho, mas sem perder o vínculo e a identidade familiar”, explica.

Ao lado da sua cooperativa O assunto ‘parceria’ nunca sai da pauta com os Casagrande. Identificados com o cooperativismo, eles

Um bom exemplo “Está na tela do smartfone uma das ferramentas mais importantes do meu dia a dia”, explica Artêmio. “A informação está a nossa disposição e temos que consumir, para fazer a diferença lá na lavoura”, conclui. Acostumado a participar de palestras e eventos técnicos, a pandemia fez o produtor mudar o hábito e buscar essas informações na tela do seu celular. Com um bom sinal de internet em casa, Artêmio conclui os afazeres do dia e enquanto toma seu tradicional chimarrão acompanha o que é destaque nos principais sites especializados. “Até participo de algumas lives e reuniões on line, tudo para ficar por dentro das novidades”, explica.

A propriedade da família Casagrande está localizada no interior de Erechim, na localidade de Capo-Erê. A maior produção de soja foi na safra 2017/18, com 77 sacas/ha. Já no milho o recorde foi na safra 2018/ 19, com 234 sacos/ha. Artêmio e Geni estão casados há 36 anos e começaram os trabalhos na agricultura com 35 hectares de lavoura. A mão de obra da propriedade é totalmente familiar, com Dona Geni desempenhando um papel importante de auxiliar com a alimentação de quem está na lavoura e também manobrar os veículos e equipamentos.


Jornal COTRIJAL | Fevereiro de 2021

Campanha forrageira

17

Invista na fartura de pastos para o inverno

D

epois de uma temporada de escassez de pastagens e silagem (2020), os produtores da região de atuação da Cotrijal estão se preparando para recuperar resultados neste inverno. Para auxiliar na construção de ótimas lavouras, a cooperativa lança a Campanha Forrageira de Inverno 2021. Uma tradicional opção para adquirir insumos para a formação de pastagem e silagem farta e com qualidade para o rebanho. “É no inverno que as nossas vacas expressam o melhor potencial produtivo. Com temperaturas amenas, os animais se alimentam por mais tempo durante o dia e conseguem ficar na pastagem por mais tempo”. Explica Rahman. A condição para uma pastagem de qualidade e rica em proteína também ganha com a chegada do inverno. Rahman explica que as pastagens desse período têm como características um alto teor de proteína e boa digestibilidade, desde que bem implantadas e manejadas. “A nossa recomendação é por um investimento na oferta de alimento, o que ganha em qualidade na estação mais fria do ano”, recomenda. A campanha, que vai até 5 de março, apresenta uma série de opções em forrageiras, com a possibilidade de parcelar o pagamento em até quatro vezes, com juros de 0.9%. “O primeiro pagamento é para agosto de 2021, possibilitando que a própria produção decorrente dos insumos adquiridos agora pague o investimento”, avalia Rahman.

Detalhes da campanha Um boletim técnico traz as informações sobre as cultivares de azevéns, aveias, trigos e triticale testadas na Área Experimental da cooperativa, além de recomendações de adubação, desempenho de cultivares, manejos e gráficos comparativos.

Pastagem em quantidade e qualidade leva ao aumento da produtividade

Esses materiais foram enviados para os produtores e também estão impressos nas unidades da cooperativa. Outra novidade foi o envio de áudios explicativos pelo WhatsApp, com informações adicionais para o melhor aproveitamento dos insumos disponíveis na cam-

panha. Para esta edição da campanha os produtores têm a possibilidade de trabalhar com 10 cultivares de pastagem (azevém, aveias e trigo) e 3 para silagem (aveia branca, triticale e trigo).

Para ser eficiente na produção de alimento no inverno, siga essas dicas: Semeadura em fevereiro e março

Semeadura em abril

Para este período são indicadas as aveias Branca Milton e Branca Suprema, opções de bom arranque, para promover pasto em 45 dias após a semeadura. Cultivar Características Aveia Branca Destaca-se pela sua sanidade, ciclo longo,folhas largas e hábito Milton de crescimento ereto. Apresenta o maior ciclo produtivo do mercado e a melhor Aveia Branca relação de folha/colmo, ou seja, material que produz muita Suprema folha e tem seus pontos de crescimento próximo à raiz, o que permite pastoreio intensivo, sem perdas de plantas.

Para esta época do ano a indicação é a semeadura de azevéns tetraploides. A campanha conta com 5 cultivares, desde o Baqueano, com pico de produção no outono/inverno, até KLM 138, que permite pastejo até dezembro, dependendo das condições ambientais, adubação e manejo. Cultivar Características Materiais de alto potencial produtivo, que além de entregarem Azevéns muita massa digestível, são destaques em proteína e são tetraploides indispensáveis altas produções a pasto com suplementação. Também têm boa produção outono/inverno e produzem na primavera, entregando volume e qualidade.

Semeadura em março Época favorável para a semeadura das aveias Pretas IAPAR 61 e AF 1340. Cultivar Características Aveia Preta Material rústico, ciclo longo e responde muito bem a IAPAR 61 adubação. Também é conhecida como “aveia ucraniana legalizada”, pois apresenta uma seleção de “aveias ucranianas” Aveia Preta encontradas no mercado, selecionadas, classificadas, AF 1340 registradas, certificadas e multiplicadas, ou seja, todo potencial produtivo e capacidade de adaptação da “ucraniana” de forma homogênea e legalizada.

Oportunidade Outra oportunidade para o inverno é produzir volumosos para categorias menos exigentes da propriedade, ou fibra efetiva, para auxiliar as vacas em lactação na ruminação. Para isso, são três opções de silagem: Aveia Branca Corona - Material com alto potencial produtivo. Triticale Saturno - Tem como ponto positivo a bromatologia do grão, permitindo uma maior semelhança com o milho para a silagem. A campanha apresenta três opções para alimentar as novilhas, vacas secas e gado de engorda, assim como para participar da dieta auxiliando na ruminação.

Mais informações Se tiver dúvidas, converse com os profissionais do Departamento Veterinário da Cotrijal.


18

Jornal da COTRIJAL | Janeiro de 2021 Jornal COTRIJAL | Fevereiro de 2021

Construa novos hábitos!

C

onstruir hábitos saudáveis de alimentação é uma questão de decisão! Começa pela definição dos objetivos pretendidos e passa pelo planejamento das mudanças necessárias e prazos para alcançar uma melhor qualidade de vida. O ideal é que esse planejamento seja concretizado de forma gradual, aos poucos, para o corpo e a mente se acostumarem com os novos padrões. Estudiosos defendem que são necessários pelo menos 21 dias para uma mudança de hábito se tornar um novo padrão. Reduzir o consumo de sal é um dos aspectos importantes quando se busca uma alimentação mais saudável. Tempero presente na maioria das refeições, ele deixa a comida mais saborosa, mas o consumo

excessivo pode trazer malefícios à saúde, causando doenças crônicas, como hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, doenças renais e síndrome metabólica. A Organização Mundial da Saúde recomenda o uso de no máximo 5 gramas por dia, ou seja, 1 colher de chá. Isso inclui todos os alimentos que farão parte da alimentação no dia e não somente aquela quantidade utilizada no preparo ou quando a refeição já está pronta. Portanto, para não exagerar no sal, uma medida importante é conferir o rótulo dos alimentos. Compare as informações e opte sempre pelo produto que tenha menos sódio na composição. Uma alternativa é o uso de ervas aromáticas e que podem ser cultivadas em casa ou mesmo adquiridas no supermercado.

Sal de ervas Ingredientes 1 colher (sopa) de alecrim 1 colher (sopa) de salsinha desidratada 1 colher (sopa) de manjericão 1 colher (sopa) de orégano ½ xícara (chá) de sal refinado ou sal light

Modo de preparo Adicione todos os ingredientes no liquidificador ou mixer e bata até que fiquem misturados e mais finos. Conserve em um recipiente de vidro com tampa.

Sem exageros O sal é necessário na alimentação humana, mas a regra é não exagerar. Independente do tipo que você escolher para preparar os alimentos, comece a diminuir a quantidade para adaptar o paladar ao consumo reduzido.

Você sabia? O sal é uma combinação de dois minerais, sendo composto por 40% de sódio e 60% de cloreto. O sódio é encontrado naturalmente em muitos alimentos, como as carnes. Tem a função de regular o volume de fluidos corporais como o sangue, além de atuar no funcionamento normal de músculos e nervos.

Nutricionista da Cotrijal, Raquel Jaeger Fenner

Ou seja: consumido dentro das quantidades recomendadas, o sal é importante para o organismo humano. Quando o consumo é excessivo, ele se acumula nos vasos sanguíneos, desencadeando uma série de reações que o próprio corpo inicia na tentativa de voltar ao equilíbrio. Um dos sintomas comuns é o inchaço nos pés, resultado da retenção de líquidos.


19

Jornal Jornal COTRIJAL COTRIJAL || Fevereiro Fevereiro de de 2021 2021

Conheça os diferentes tipos de sal e suas características Sal light: possui teor reduzido de sódio (50% de cloreto de sódio e 50% de cloreto de potássio). Sal do Himalaia: possui mais de 80 tipos de minerais (como cálcio, ferro, potássio, cobre e ferro). É retirado de uma região que, no passado, era banhada pelo mar. Os cristais de sal possuem sabor suave e coloração rosada. Sal de cozinha: também conhecido como sal refinado, é o mais utilizado pelos brasileiros. Ele é obtido a partir da evaporação da água do mar e acrescido de

iodo, por exigência do Ministério da Saúde.

Sal grosso: tem praticamente a mesma quantidade de sódio em relação ao sal comum. Segue o mesmo processo de fabricação do sal de cozinha, mas não passa pelo refinamento. É muito utilizado para temperar carne, porque não resseca o alimento. Sal de Parrilla: também conhecido como sal entrefino, é comum nos churrascos argentinos. Tem granulometria menor do que o sal grosso e salga de maneira uniforme. Além disso, é indicado para peças de carne mais grossas, pois evita que a carne perca muito líquido. Pode ser utilizado na carne antes de ir para a grelha e também depois de pronta.

Também chamado de sal rosa, o sal do Himalaia tem menor teor de sódio em relação ao sal de cozinha

Cúrcuma:

mais sabor e benefícios para a saúde A cúrcuma (açafrão-da-terra) é um dos alimentos que pode ser usado como substituto para o sal - ou pelo menos para reduzir o consumo do sal. Ótimo anti-inflamatório, o ideal é que seja consumido com alguma gordura ou com pimenta. Se for utilizado com alimentos cozidos, de preferência que seja na finalização. Combina com peixes e aves, arroz e massas, mas pode ser usado também em vitaminas e outras receitas.

Filé de frango com cúrcuma Ingredientes: 500g de filé de peito de frango 1 colher (chá) de sal 1 dente de alho amassado 2 colheres (chá) de cúrcuma 1 colher (café) de pimenta-do-reino preta 2 colheres (sopa) de óleo 1 cebola grande cortada em fatias finas 10 tomates cerejas inteiros 4 colheres (sopa) de água

e metade do óleo. Reserve. Aqueça uma frigideira em fogo médio e frite os filés aos poucos, até dourar. Reserve em local aquecido. Na mesma frigideira, aqueça o óleo restante e doure as cebolas. Junte os tomates e refogue até dourar, mexendo de vez em quando. Volte os filés para a frigideira, acrescente a água, tampe e cozinhe até secar o líquido. Sirva em seguida.

Modo de preparo: Em uma tigela, tempere o frango com o sal, o alho, a cúrcuma e a pimenta-do-reino preta

Dica: se não está habituado ao sabor da cúrcuma, comece usando pequenas quantidades, até se adaptar ao sabor.

Se você não consegue comer a salada sem tempero, para evitar o sal, confira essa receita fácil e saborosa que o Clube de Ofertas Supermercados Cotrijal separou para você!

Molho de iogurte com passas e hortelã

Quer receber mais dicas como essa pelo WhatsApp? Basta salvar o número (54) 99711-6063 no seu celular e enviar #ofertas. Ou escaneie o código acima.

Ingredientes: 400 ml de iogurte natural desnatado 2 colheres (sopa) de suco de limão 1 colher (sopa) de hortelã bem picada 3 colheres (sopa) uva passas 2 colheres (sopa) de azeite de oliva Sal a gosto, opcional Modo de preparo: Lave bem as passas. Em uma tigela, misture todos os ingredientes e depois é só servir sobre as saladas.

Você pode sugerir conteúdos para este caderno ou ter publicada aqui a sua receita preferida. Basta entrar em contato pelo WhatsApp (54)99932.1598.


www.cotrijal.com.br

AgroCast Cotrijal

cooperativacotrijal

Contatos Imprensa WhatsApp (54) 99932-1598 (área de Marketing) e-mail: imprensa@cotrijal.com.br

Jornal COTRIJAL | Fevereiro de 2021

Calendário com novidades

E

le acompanha o produtor durante os 365 dias do ano. Alguns penduram na sala, outros na cozinha e até no galpão. E em muitas propriedades ele não serve apenas para acompanhar os dias, mas para fazer anotações importantes relacionadas aos manejos, chuvas, enfim, vira uma espécie de agenda. Trata-se do calendário da Cotrijal. É com ele que Romeu Roque Schons gosta de planejar as ações da lavoura e acompanhar o transcorrer do ano. “Já é tradição, ano novo, calendário novo e sempre da Cotrijal”, explica o associado, de São José do Umbú, Victor Graeff. Sempre com um lugar de destaque na casa, o calendário deste ano, já com a marca nova da cooperativa, recebeu olhares diferentes e elogios. Schons gostou da surpresa. “A nossa cooperativa está renovada e essa novidade já está aqui em casa. Que eu possa acompanhar bons dias e meses fartos nesse calendário”, destaca o produtor.

CONFIRA NESTA EDIÇÃO

Saudades da Expodireto

Hora de renovar O mundo está cada vez mais exigente e dinâmico. E toda vez que o campo se renova, nós evoluímos com ele. Chegou a hora de nos reinventarmos de novo. De cara nova e mostrando que nossos laços estão ainda mais fortes. Escaneie o QR Code abaixo e tenha acesso ao vídeo manifesto da nova marca da Cotrijal. Nas páginas 10 e 11, veja a notícia completa sobre o lançamento da nova marca.

Quem aí está com saudades da Expodireto Cotrijal? Pela primeira vez, depois de 21 anos, a feira não é realizada, devido a pandemia. Mas a certeza é de que em 2022 voltará com força total. E para recordar, trazemos uma foto da primeira edição, realizada de 21 a 24 de março de 2000, realizada em 32 hectares, com 114 expositores e 41 mil visitantes. Em 2020, a feira recebeu 573 expositores nos seus 98 hectares, contabilizando 256 mil visitantes. Quer ver todas as fotos do #TBT? Acesse nossas redes sociais e relembre bons momentos!

Homenagem a Marlon Lauxen

Uma das pessoas que mais viveu a história da Expodireto Cotrijal despediu-se da cooperativa no final de janeiro: Marlon Lauxen. Foram 21 anos de dedicação à Cotrijal, a maior parte na coordenação do parque onde acontece a feira. Ele foi homenageado pela direção pela firmeza e responsabilidade com que conduziu a estrutura da feira ao longo desse tempo e emocionou-se. “Passa um filme na cabeça, lembro quando a Expodireto começou, com área bem menor que a atual. Hoje temos uma marca consolidada e certamente no próximo ano teremos a maior feira de todos os tempos”, declarou.

MILHO

Colheita revela primeiros números Página 12

SEGURO

Mais de R$ 11,9 milhões em subvenção federal Página 14