Page 1

Quinta-feira, 12.07.2018, Carazinho

CARAZINHO, quINTA - Feira 12.07.2018 CARAZINHO, quINTA - Feira 12.07.2018

Diário da Manhã -

1

www.diariodamanha.com

foto: DM/Alessandro Tavares

37 ANOS - Nº 413 - R$ 2,00

Curso ensina a dirigir de

forma econômica

Capacitação gratuita do Sest Senat busca qualificar motoristas que já estão trabalhando e os que ainda procuram seu lugar no mercado de trabalho. Um dos ensinamentos é dirigir economizando combustível. Página 6

Queda de 30% nas doações de sangue

Região tem primeira morte por H1N1

Segundo o Hemopasso, que cobre 139 municípios do norte gaúcho, a presença do frio inibe o interesse dos doadores. Página 4

Idoso de 69 anos morreu em Passo Fundo em decorrência do vírus. Carazinho registrou dois casos confirmados de internação por influenza. Conexão


RADAR

2 - Diário da Manhã

Quinta-feira, 12.07.2018, Carazinho

Mutirão Julino na São Lucas Será promovido na próxima sexta-feira (13), pela Secretaria Municipal de Assistência Social na EMEI São Lucas, o Multirão Julino. O evento, que acontece das 10h às 16h30min, tem como objetivo oportunizar à comunidade do bairro uma série de serviços, tendo entre eles a elaboração de currículos, cadastro para o programa Jovem Aprendiz, cadastro de estágio, atualização do Cadastro Único (CAD), entre outros. Também estão programadas

atividades voltadas às crianças do bairro, contando com cama elástica, algodão-doce, pipoca e muita diversão proporcionada pela equipe do Primeira Infância Melhor (PIM) e lanche da Pastoral La Salle. No período da tarde, a partir das 13h30min, profissionais da Secretaria de Saúde estarão no posto realizando atendimento médico e testes rápidos de HIV, Sífilis, Hepatite B e C e distribuição de preservativos.

Se você tem um smartphone e um aplicativo de QR Code instalado, posicione o leitor desta imagem e tenha acesso direto ao nosso site.

Foto: DM/Nathan Schultz

A gerente da loja Varejão Paulista, Anelise Oliveira, participou na manhã desta quarta-feira (11) da programação da Rádio Diário. Ela falou sobre as promoções de aniversário, válidas para as duas lojas.

Não-Me-Toque O prefeito Armando Carlos Roos de Não-Me-Toque recebeu a confirmação de mais três emendas parlamentares para o município, que juntas totalizam pouco mais de R$ 597 mil. Estes são os últimos recursos parlamentares que a administração receberá até o fim do

período eleitoral. Os recursos são destinados à conclusão da iluminação do Estádio Dr. Waldomiro Graeff (R$ 250 mil), Investimentos no Ginásio do Loteamento Alfredo Alzírio Roos (R$ 250 mil) e investimentos na área da agricultura (R$ 97,5 mil).

ANIVERSÁRIO

Dia Mundial do Rock no Sesc PIS/Pasep Os cotistas que não fizeram o saque do PIS/Pasep até junho receberão o valor com reajuste de 8,97%. Na prática, esse percentual significa um ganho real, já que ele é superior à inflação do período, que ficou em 4,39%. No entanto, o benefício só poderá ser retirado a partir do dia 14 agosto, quando, tradicionalmente, o rendimento anual termina de

ser calculado. Em junho, 1,1 milhão de trabalhadores fizeram a retirada de R$ 1,5 bilhão. Na primeira fase de saques, era permitido a retirada apenas para cotistas com mais de 57 anos e para os que atendiam os critérios habituais. Entre agosto e setembro, os saques estarão liberados para todos os cotistas.

Prêmio Professores do Brasil A 11ª edição do Prêmio registrou a inscrição de 4.040 professores da educação básica da rede pública de todo o país. O concurso pretende reconhecer e premiar o trabalho de docentes que contribuem para a melhoria dos processos de ensino e aprendizagem desenvolvidos nas salas de aula. Do total de professores inscritos, 2.949 são mulheres e 1.091, homens, sendo 2.249 funcionários de escolas municipais, 1.644 de estaduais, 97 de federais e

50 de instituições privadas conveniadas. Para participar do concurso, os professores enviaram um relato da prática pedagógica desenvolvida com seus alunos. Neste ano, a premiação vai distribuir R$ 305 mil aos vencedores, bem como viagens educativas pelo Brasil e pelo exterior e placas para as escolas dos candidatos que tiverem experiências selecionadas. Os vencedores nacionais serão conhecidos em 29 de novembro, no Rio de Janeiro.

Comemorando a data, o Sesc Carazinho homenageia uma das bandas mais importantes do Brasil que surgiu na década de 1990. No sexta-feira (13), os gaúchos da OficialBR apresentarão um show lem-

brando o grupo Charlie Brown Jr. A OficialBR é considerada a melhor banda de tributo ao Charlie Brown Jr. Com ingressos à venda no Sesc, o evento tem faixa etária livre e acontecerá a partir das 20h.

Feira de Saúde No próximo sábado (14), por meio da Secretaria Municipal, a equipe da ESF Vila Rica proporcionará à população do bairro mais uma edição da Feira de Saúde. O evento acontece das 08h30min às 16h. A ação contará com uma diversificada programação, dentre elas: verificação da

Fundador Jornalista Túlio Fontoura (1935 1979) Presidente-Emérito Dyógenes Auildo Martins Pinto (1972 1998) Vinícius Martins Pinto (1997 2003)

pressão arterial; teste de glicemia, hepatite c, hepatite b, sífilis e hiv; cuidados com a pele; palestra com a dentista Naiandra Marchesan; entre outros. Além destes, a feira terá ainda a participação especial do músico Zéu Ferretti e sorteio de brindes após as palestras.

Presidente Janesca Maria Martins Pinto Vice-Presidente Ilânia Pretto Martins Pinto Editora Geral Nadja Hartmann

12/07 Aaron Scheidmantel Muller Anislei B. da Silva Antonio Jorge da Silva Carmélia Campos Borges Clavinha Maria Schneider Clarice Baum Denisia Scheidemantel Doroti Chagas Edson Luiz G. Lirio Elisabete Adam Fábio Luiz Zanatti Franciele Nascimento Jairo Bocasanta José Luis de Oliveira José Roberto Rech Leonardo Britzke Lilian Giacomelli Lúcio Flávio Favarin Luisa Dalila de Almeida Marcelo Vieira Marco Antônio Ficher Maria Regina Lopes Neusa Moraes Patrícia Wetter Rafael Eggres de Oliveira Rejane Xavier da Cruz Rodrigo Miranda Romano Ademir Wiebrantz Sandra Silvana Viott Sérgio Ataides Lauxen Sônia Maria Frieks Vilmar Maria Boeni Zonilce Pimentel

Diretora Comercial: Jussara Alberton Sirena Editor Interino: Rodolfo Sgorla da Silva (MTE 18546/RS)

www.diariodamanha.com www.facebook.com/diarioam

@diariodamanhaRS


ECONOMIA

Quinta-feira, 12.07.2018, Carazinho

Diário da Manhã -

3

Inadimplência em Carazinho gera perdas de R$ 16 milhões ao comércio No primeiro semestre de 2018, a inadimplência na cidade caiu 7,07% na comparação com 2017. A cidade tem cerca de 10 mil CPF's e CNPJ's negativados Alessandro Tavares alessandro@diariodamanha.com

Levantamento da CDL/ SPC de Carazinho indica que no primeiro semestre deste ano o número de inadimplentes foi inferior ao que havia se verificado nos seis primeiros meses de 2017. Mesmo que nos meses de abril e maio de 2018 o número de inadimplentes tenha aumentado em comparação com 2017, no mês de junho houve uma redução de 1,27% de registros no SPC comparado com o mesmo período do ano passado. De acordo com o diretor executivo da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Carazinho, Wanderlei Conte, no mês de junho um dos fatores que pode ajudar a explicar a queda no índice de inadimplência é o pagamento, por parte de algumas empresas, da primeira parcela do 13°

salário. Na comparação com 2017, os indicadores mostram que no primeiro semestre de 2018 existe um recuo de 7,07%, ou seja, ainda que em dois meses o número de inadimplentes tenha aumentado, o percentual do acumulado nos seis meses do ano ainda é inferior a 2017. Segundo o diretor, atualmente existem cerca de 19,3 mil registros no SPC de Carazinho e que correspondem, entre CPF's e CNPJ's, a cerca de 10 mil negativados. Mensalmente, os registros com mais de 5 anos são excluídos automaticamente do sistema. De acordo com Conte, somados os valores devidos pelos negativados, o comércio tem por receber mais de R$ 16 milhões. Das empresas que enfrentam dificuldades para cumprir com seus compromissos, Conte revela que

Wanderlei Conte, diretor executivo da CDL, aponta que atualmente existem 19,3 mil registros no SPC de Carazinho, sendo cerca de 10 mil negativados

Fotos: Arquivo/DM

11,01% dos carazinhenses inadimplentes têm dívidas superiores a R$ 500,00 embora mês a mês tenha se notado um aumento de 2% a 3% na quantidade de inserções de CNPJ's nos registros do SPC, os seis primeiros meses ainda apontam redução se comparados aos seis primeiros meses de 2017. Segundo o diretor, para os próximos três meses, a tendência é de que os indicadores de inadimplência permaneçam em queda, pois também muitos negativados se esforçam para quitar suas contas de modo a estarem aptos a novas compras ao final do ano.

A inadimplência em Carazinho

De acordo com a pesquisa, a maior parte dos inadimplentes está na faixa etária

entre os 30 e 39 anos, com 25,01%. Na sequência, vem a faixa etária de 40 a 49 anos, que corresponde a 24,20% do total. Já quanto ao valor da dívida, 11,01% dos consumidores inadimplentes têm dívidas superiores a R$ 500,00; 20,67% dos consumidores têm dívidas de até R$ 50,00; 28,84% possuem dívidas de até R$ 100,00; 26,98% devem até 250,00; e 12,50% têm dívidas de até R$ 500,00.

Situação no país

No país, pesquisa realizada recentemente pelo SPC Brasil revela que mesmo que o número de inadimplentes esteja estável, o quadro de dificuldades é evidente nas finanças pes-

soais, revelando aperto financeiro por cerca de 84% da população. De modo geral, 35% declararam estar “no vermelho”, ou seja, sem condições de pagar todas as suas contas, enquanto 49% se encontram no “zero a zero”, isto é, até conseguem honrar seus compromissos financeiros, mas terminam o mês sem sobras no orçamento. Apenas 11% se declaram em situação confortável. A pesquisa apurou que passou de 49% para 57% o percentual de consumidores que tem intenção de cortar gastos do seu orçamento. Essa decisão tem a ver com o aumento dos preços, grau de endividamento e desemprego.

E mais...

Previdência Social Em maio, o Regime Geral de Previdência Social registrou deficit de R$ 15,1 bilhões, uma queda de 17,7% em relação ao mesmo mês do ano passado. A diferença é resultado de uma arrecadação de R$ 30,4 bilhões e despesa de R$ 45,5 bilhões. Se comparada a maio de 2017, a despesa teve queda de 6% (R$ 2,9 bilhões a menos) e a arrecadação aumento de 1,2% (incremento de R$ 364,4 milhões). No acumulado do ano, o valor chega a R$ 76,7 bilhões, 7,1% maior

Balança comercial que no mesmo período do ano passado. A arrecadação soma R$ 152,3 bilhões e a despesa, R$ 229,1 bilhões, números estes corrigidos pelo INPC, que leva em conta o pagamento de sentenças judiciais, a Compensação Previdenciária (Comprev) entre o INSS e os Regimes Próprios de Previdência Social (RPPS) de estados e municípios, além das renúncias previdenciárias (Simples Nacional, entidades filantrópicas, microempreendedor individual e exportação da produção rural).

Com um volume de exportações maior que as importações, o Brasil registrou um superavit comercial de US$ 1,034 bilhão na primeira semana de julho. As informações foram divulgadas na última segunda-feira (9) pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). No período, as exportações brasileiras somaram US$ 4,352 bilhões, enquanto as importações ficaram em 3,318 bilhões.

O resultado foi obtido a partir de uma redução na venda de produtos manufaturados e semimanufaturados, e diante de um crescimento de 26,5% nos embarques de produtos básicos, como soja em grãos, minério de cobre, minério de ferro, entre outros. Já as importações foram impactadas por maiores gastos com cereais, farmacêuticos, automóveis, produtos químicos, combustíveis e lubrificantes.


SAÚDE

4 - Diário da Manhã

Quinta-feira, 12.07.2018, Carazinho

Hemopasso registra queda de 30% nas doações de sangue O pouco interesse dos doadores, segundo a instituição, tem relação com as baixas temperaturas. Maior carência é pelo sangue do tipo O negativo Fotos: DM/Anderson Favero

Anderson Favero redacao.carazinho@diariodamanha.com

A doação de sangue é um gesto nobre que deve ser praticado todo o ano junto às unidades que fazem a coleta do material. O objetivo é garantir os estoques, principalmente nos períodos festivos e em feriados. Nesta época do ano, entretanto, a forte presença do frio tem dificultado o comparecimento de doadores no Hemocentro Regional de Passo Fundo (Hemopasso). A instituição é responsável por atender 139 municípios da região, inclusive o Hospital de Caridade de Carazinho (HCC). “As doações neste período de frio e chuva caem em média 30%, isso porque dificulta muito a vinda das pessoas até a instituição. É um dos períodos mais críticos, a exemplo das férias escolares de final de ano”, pontua Claudete Mistura Doro, coordenadora geral do Hemopasso. Nesse contexto, a maior carência é pelo sangue do tipo O negativo, que, segundo Claudete, é a maior demanda nas grandes emergências por ser um sangue universal. “To-

Os carazinhenses que desejam contribuir doando sangue devem se dirigir até o Hemopasso de Passo Fundo dos os tipos sanguíneos são extremamente importantes, pois como atendemos 46 hospitais na região a demanda é grande. Contudo, o tipo O negativo sempre é o mais procurado por ser universal. Nesse sentido, precisamos muito de doações”, explica a coordenadora.

Segundo a enfermeira supervisora da agência transfusional do HCC, Mari Luciane Bernhard, a demanda do hospital é de 13 a 15 litros de sangue por dia

Estoques em Carazinho

Em Carazinho, no entanto, não há redução de estoques nesse período, pois o recebimento de sangue ocorre com base na demanda, para que não ocorra a falta e nem a sobra de materiais. No entanto, a enfermeira supervisora da agência transfusional do HCC, Mari Luciane Bernhard, reforça o pedido para que a população faça a doação nessa época em que os estoques tendem a diminuir. - É comum termos essa redução no número de pessoas interessadas em fazer a doação de sangue em virtude do frio. É justamente por isso que estamos reforçando o pedido para que a população compareça ao Hemopasso e faça esse gesto que pode salvar vidas - ressalta. Por dia, a demanda do HCC é de 13 a 15 litros de

sangue. Contudo, existem os dias atípicos, como ontem (11), quando a demanda ultrapassou os 30 litros. “Na rotina do hospital, temos os dias em que a necessidade dos pacientes é maior. Isso tem relação com as cirurgias realizadas, os atendimentos na emergência, entre outros fatores”, explica Mari.

Seja um doador

Tendo em vista que o município não faz a captação de sangue, a população carazinhense interessada em doar deve se dirigir ao Hemopasso, localizado na Avenida Sete de Setembro, 1055, no Centro de Passo Fundo.

O local está aberto de segunda a sexta-feira, das 8h às 13h30min. A exceção são as últimas quartas-feiras de cada mês, nas quais o atendimento acontece das 7h30min às 11h30min e das 13h30min às 17h. Aos sábados, as doações são permitidas somente com pré-agendamento, das 7h às 11h. Nesse caso, o agendamento deve ser feito pelos telefones (54) 3311-1427 ou (54) 3311-5555. Para doar, é necessário estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 60 anos caso seja a primeira vez que vai doar e até 69 anos para quem já é doador. Além disso, é preciso pesar acima de 50 quilos, estar alimentado, ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas e apresentar documento oficial com foto. Menores de idade devem estar acompanhados por um responsável legal para doar.

Quem não pode doar sangue

Não serão aceitas doações de pessoas que tiveram diagnóstico de hepatite após os 11 anos de idade e pessoas que estão expostas a doenças transmissíveis pelo sangue. Outros critérios são avaliados na triagem clínica e seguem a legislação vigente e protocolos internos, os quais visam a segurança de quem doa e de quem recebe. A próxima campanha para incentivar a doação de sangue em Carazinho está prevista para 11 de agosto, em parceria com o Hemopasso.


SAÚDE

Quinta-feira, 12.07.2018, Carazinho

Diário da Manhã -

5

Comissão que realiza a captação de órgãos do HCC comemora 11 anos de fundação No período, a CIHDOTT tem colaborado efetivamente nas cirurgias de órgãos em todo o estado Foto: Arquivo/DM

Anderson Favero redacao.carazinho@diariodamanha.com

Criada em 2007 com a proposta de realizar o processo de captação de órgãos no município, a CIHDOTT tem recebido doações de coração, fígado, pulmão, pâncreas e rins profissionais de saúde que realizam os protocolos de captação e doação de órgãos”, cita. Contudo, quando há a aceitação da família, uma equipe de médicos é enviada pela Central ao HCC a fim de realizar o procedimento cirúrgico de retirada dos órgãos. Logo após, os órgãos são levados para a instituição de saúde que fará o transplante no

paciente receptor, sempre seguindo a fila de espera estadual. - Nesse contexto, os órgãos captados no município não irão, necessariamente, para pacientes daqui, e sim para aqueles que estiverem na fila, conforme o protocolo”, acrescenta a assistente social Franciele Guimarães, que também integra a equipe da CIHDOTT. foto: Divulgação

A Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT), mantida junto ao Hospital de Caridade de Carazinho (HCC), tem colaborado nos transplantes de órgãos realizados em todo o Rio Grande do Sul. Criada em 2007, com a proposta de realizar o processo de captação quando existe um potencial doador, nesse período, a CIHDOTT recebeu doações de coração, fígado, pulmão, pâncreas e rins, que foram transplantados em pessoas que aguardavam na fila de espera do estado. Estas doações, conforme informações repassadas pela equipe de trabalho da CIHDOTT, ocorrem principalmente quando há um paciente com morte encefálica. A partir daí, a Comissão organiza todo o processo de captação, que consiste em emitir um comunicado à Central de Transplantes, de Porto Alegre e, na sequência, iniciam um diálogo com a família do doador a fim de que ela libere o procedimento. Todo esse processo é conduzido com base em um protocolo válido em todo o estado, conforme aponta a assistente social do HCC Márcia Reisdoerfer, que integra a CIHDOTT. “Com o protocolo aberto junto à Central de Transplantes, os profissionais do HCC realizam todos os testes que confirmam a morte encefálica. Na sequência, é feito o contato com a família do paciente, que pode autorizar ou não a doação. Em todo o país, a negativa da família é a maior dificuldade enfrentada pelos

Márcia Reisdoerfer e Franciele Guimarães, assistentes sociais que integram a CIHDOTT

Transplantes no município

Tendo em vista que o HCC não realiza cirurgias de transplante, os carazinhenses que precisam realizar o procedimento são encaminhados, via Secretaria Municipal de Saúde, a um serviço de referência – hospital que realiza transplante de órgãos no estado – de acordo com a sua necessidade. Antes disso, no entanto, eles

têm o nome incluso na lista de espera da Central de Transplantes do estado. A assessoria de imprensa do HCC não soube informar o número de órgãos captados no município nesses 11 anos de criação da CIHDOTT e nem o número de encaminhamentos para transplantes. No Brasil, o Sistema Único de Saúde (SUS) realiza cerca de 87% dos transplantes de órgãos no país.

Protocolo de morte encefálica O protocolo de morte encefálica consiste em uma série de exames e testes, exigidos por lei, que são realizados com o paciente para que o diagnóstico de morte encefálica seja confirmado. Esses exames devem ser realizados por dois profissionais médicos diferentes, em intervalos de tempo determinados em lei, de acordo com a faixa etária do paciente.

A morte encefálica é requisito fundamental para que um indivíduo seja considerado um potencial doador de órgãos. Ela consiste na parada total e irreversível das funções cerebrais, porque nesta condição, ainda que os demais órgãos continuem em funcionamento, por meio da utilização de aparelhos, o indivíduo não voltará à vida.


TRÂNSITO

6 - Diário da Manhã

Quinta-feira, 12.07.2018, Carazinho

Curso ensina a dirigir economizando Proposta da Escola dos Motoristas do Sest Senat tem aperfeiçoado a prática de profissionais em guiar com segurança e dirigir economizando combustível. As inscrições estão abertas e o curso é gratuito Fotos: DM/Alessandro Tavares

Alessandro Tavares alessandro@diariodamanha.com

Com a construção da unidade própria do Sest Senat em Carazinho, próximo da BR 285, pela primeira vez o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat) está ofertando até o final do ano 60 vagas para o projeto Escola de Motoristas Profissionais. A intenção do curso, que é gratuito, é promover a capacitação e a atualização de condutores habilitados nas categorias D e E. A primeira turma com 13 alunos foi iniciada na semana passada e está aperfeiçoando os conhecimentos práticos dos condutores já habilitados para o transporte de passageiros. De acordo com o instrutor do curso Marcos Minuzzo, a proposta é dividida em aulas teóricas e práticas e a segunda turma para o curso de transporte de passageiros está com inscrições abertas. “O objetivo é qualificar os profissionais que já estão no mercado de trabalho e aqueles que ainda não estão. O mercado tem dado preferência para quem já está qualificado e a Escola do Motorista é uma oportunidade gratuita. Aqui, os motoristas aperfeiçoam sua condução de modo seguro e econômico”, comenta Minuzzo. De acordo com o instrutor, cada vez mais as empresas do setor de transporte se atém aos custos e à diminuição dos riscos de modo que na forma de guiar o condutor pode colaborar com a diminuição do consumo de combustível e no desgaste da máquina. “Tem motoristas que a cada troca de marcha dão uma beliscada desnecessária no acelerador, e isto é consumo. Dependendo da quilometragem que se faz, um veículo chega a trocar

Instrutor Marcos Minuzzo comenta que a forma de guiar interfere na economia de combustível

Capacitação acontece na sede do Sest Senat, próximo à BR 285 de marcha 500 vezes durante o dia. Há empresas que têm frotas grandes, e que somados estes consumos desnecessários, embora pequenos individualmente, ao final do ano há empresas que poderiam comprar um ônibus novo com tais despesas”, revela o instrutor.

Recomendações Ele destaca que, além do combustível, as manobras feitas de forma e em tempo errado também geram desgastes de peças e componentes dos veículos, como a caixa de marchas e freios. Na parte prática das aulas da Escola do Motorista são realizadas instruções mediante a realização de manobras que ocorrem em percursos montados no pátio da unidade do Sest Senat e também com horas/aulas de circulação nas rodovias. “Ao final da parte prática do curso, a postura do motorista é diferente. No início eu deixo eles dirigem do jeito deles. Depois mostramos o jeito econômico de conduzir. O mercado de trabalho quer eficiência. Saber conduzir com segurança não é mais o suficiente. As empresas querem profissionais que guiem com segurança, mas com economia, preservando o veículo”, diz o instrutor. De acordo com Minuzzo, a maioria dos alunos da primeira turma fizeram a carteira profissional recentemente e buscam colocação no mercado de trabalho.

Mulheres no volante Dentre os 13 alunos da primeira turma da Escola dos Motoristas, umas das matrículas é de uma mulher. Segundo o instrutor Marcos Minuzzo, embora existam muitas empresas que ainda não abriram a possibilidade de ter mulheres no volante dos veículos pesados, a tendência é de crescimento da participação feminina no segmento de transporte. “A mulher é geralmente mais sensível e cuida mais. A condução da mulher é sim diferente e precisamos inserir as mulheres cada vez mais neste mercado de trabalho”, diz Minuzzo. Embora no Centro de Formação de Condutores (CFC) em que trabalha Micheli Schuster seja instrutora em veículos de passeio, na Escola de Motoristas Micheli é aluna. Ela afirma que se interessou em se qualificar quando soube da possibi-

lidade. “Era uma oportunidade de qualificação. No veículo de transporte de passageiros não tinha experiência de estrada e a iniciativa do Sest Senat é uma possibilidade para isso. Por hora, minha intenção é de qualificação, mas também não descarto que daqui a pouco seja uma opção profissional”, comenta Micheli.

Escola de Motoristas Profissionais deve ser mais frequente De acordo com a coordenadora de desenvolvimento profissional do Senat, Graciele Kemmerich, por mês, em média, cerca de 300 pessoas têm realizado cursos e capacitações junto à unidade e a carga horária de aulas aplicadas no mês chega a 12 mil horas. Ao todo, no portfólio local constam 76 cursos ofertados, porém, na unidade de Carazi-

Micheli Schuster é aluna da Escola de Motoristas

De acordo com a coordenadora de desenvolvimento profissional do Senat, Graciele Kemmerich, por mês, em média, cerca de 300 pessoas têm realizado cursos nho, segundo a coordenadora, os mais demandados são os cursos de Movimentação e Operação de Produtos Perigosos (MOPP); transporte de cargas indivisíveis; transporte coletivo; transporte escolar, e transporte de emergências. De acordo com a coordenadora, a turma que está em formação teve 15 inscritos, porém destes, dois não compareceram às aulas. A segunda turma para transporte de passageiros deve iniciar na segunda quinzena deste mês e em seguida as turmas de carreta serão iniciadas. Segundo a coordenadora, para este ano são 60 vagas, mas a tendência é de que a Escola dos Motoristas passe a ser inserida de forma contínua nas programações do Sest Senat na cidade.


cultura

Quinta-feira, 12.07.2018, Carazinho

Diário da Manhã -

7

Mundo de fantasia que apaixona Obras literárias como a saga Harry Potter aliam conhecimento, crescimento intelectual e entretenimento, não é à toa que são best-seller e referência no mundo. Tanto que virou debate em Carazinho também, reunindo mais de 120 pessoas pensando e refletindo sobre literatura

Juventude que lê

Atentas ao debate e compartilhando de pensamentos e opiniões que o escritor expôs durante o debate, as estudantes Beatriz Tedesco da Rosa, 14, e Jéssica Berlando, 17, também começaram a amar a leitura através de Harry Potter. Ambas conheceram a história pelas telas do cinema, afinal os livros originaram oito filmes da saga, porém, o amor pela escrita de J.K falou mais alto. “Foi o que me abriu para o resto da literatura, que me deu gosto pela leitura. Quando a gente lê Harry Potter não quer parar, porque é tudo muito fascinante”, contou Beatriz, que também já leu todos os livros mais de uma vez. Para Jéssica, o amor também aconteceu assim. Segundo a estudante do 3º ano, antes de Harry, ela não gostava de ler, porém, depois que leu toda a saga, não parou mais sua relação com a literatura. “Li Senhor dos Anéis, uma edição de mil páginas e eu gosto. Muito da pessoa que eu me tornei, o que eu penso, não ter preconceito, eu aprendi lendo Harry Potter”, ressaltou Jéssica, que valoriza o poder da leitura, salientando a importância da formação do senso crítico. “A leitura te dá muito conhecimento, então, além de demonstrar tuas opiniões, tu vai ser uma pessoa crítica, isso é muito importante”, acrescentou a estudante.

Cruz conseguiu conquistar a plateia de jovens e o debate durou duas horas

Tem muita gente que não lê e por isso 70% da população, ou mais, não tem pensamento crítico, então, se a gente conseguir explorar todas essas formas de acesso à cultura, vai ser melhor. O que pode ser feito, a gente faz Anderson Santos

Tornando a literatura acessível

O mês de julho é considerado o mês do escritor e buscando valorizar isso a equipe responsável pelo setor cultural do SESC propõe uma série de atividades relacionadas ao tema, inclusive levando o acesso à leitura às escolas municipais,

FOTOS: DM/Isabella Westphalen e Anderson Santos/SESC

A saga Harry Potter vendeu mais que a Bíblia. Conhecida no mundo inteiro, a autora, J.K Rowling, conseguiu fidelizar um público que, mesmo com o ciclo de aventuras Harry, Hermione e Rony já fechado, segue acompanhando o universo Potter e seus remanescentes. O escritor Roberto Cruz é um desses fãs – que inclusive já leu seis vezes todos os sete livros – e relatou ontem (11), no Teatro do SESC, para os alunos da Escola Estadual de Ensino Médio Cônego João Batista Sorg, seus conhecimentos sobre a saga e de que forma a literatura serve como um refúgio em sua vida. Cruz começou a ler Harry Potter quando tinha 21 anos, fazia faculdade de geografia e enfrentava um momento emocional delicado, uma depressão, e conta que ter conhecido a história de Harry Potter fazia com que criasse um mundo novo em seus pensamentos. “Os livros do Harry me auxiliaram no sentido de que, quando eu estava lendo, o mundo real não existia. Então, quando eu 'voltava' da leitura, os problemas pareciam menores”, compartilhou o escritor, que conta que o contato com essa história fez com que se apaixonasse, de fato, pela literatura e o universo da ficção que J.K Rowling propunha. “Harry Potter é um livro que não ensina só moralmente, sobre amor, amizade, perdas e preconceito, mas também difunde a fantasia e isso é essencial para trazer o jovem para o mundo literário”, refletiu Cruz. De forma que os alunos presentes no evento para debater as obras literárias e Cruz compartilham da paixão pela saga, a interação aconteceu naturalmente, por vezes indo para o lado emocional dos ensinamentos que

FOTO: DM/Isabella Westphalen

fazem parte do encantamento pela história. “A receptividade da galera foi muito boa, acho que foi incrível. É um assunto que eu amo, então, poder levar esse conhecimento e esse amor para frente é essencial”, complementou Cruz, que lançou recentemente o livro “Missão Fênix – A Outra Guerra”, que também mistura realidade com ficção.

FOTO: DM/Isabella Westphalen

Isabella Westphalen isabella@diariodamanha.com

Beatriz e Jéssica trocaram ideias com Cruz e afirmaram ter saído do debate ainda mais apaixonadas pelo universo de Harry Potter

compartilhando conhecimento e cultura com os estudantes. “Como o Roberto leu todos os livros do Harry Potter, a saga foi um norteador na vida dele, inclusive, então, a gente pensou em conjunto fazer esse debate”, contou o auxiliar de cultura, Anderson Santos. Engajado na proposta de tornar a cultura mais acessível, Santos – que também é escritor – conta que o projeto “Cultura nas Escolas” tem o objetivo de atingir os estudantes deixando, quem sabe, uma “pulga atrás da orelha”, gerando essa movimentação e curiosidade para diversas questões. “Nada melhor do que poder levar isso para as pessoas e incentivar também que elas venham para esse espaço cultural que temos. A literatura, em particular, faz bem de todas as formas e acho que se as pessoas não tiverem incentivo, elas nunca vão procurar a leitura”, frisou o escritor, que também acredita que toda manifestação cultural é importante para impulsionar a comunidade.

Uma janela aberta para o mundo “Acho que uma pessoa que lê, não é uma pessoa 'enganável'”, respondeu Cruz quando lhe questiono sobre a importância de trazer os jovens para a literatura, pois acredita no poder da informação. “Acho que uma pessoa que gosta de literatura tem a janela aberta para o mundo, ela viaja para onde quiser, a hora que quiser. Consegue absorver conhecimento, entretenimento e conhecimento intelectual”, comentou o escritor.

Para a funcionária da biblioteca do SORG Traudi Fulber, a experiência do debate foi surpreendente e acredita que essa é uma forma dinâmica de ensinar. “O Roberto fez uma análise psicológica, mexeu com quem leu os livros, então a gente vê que a literatura é incrível, ela cura, traz crescimento pessoal e cultural”, refletiu Traudi, que também atua como uma grande incentivadora da leitura na escola.


88- Diário da Manhã - Diário da Manhã

SAÚDE

Quinta-feira, 12’.07.2018, Carazinho Quinta-feira, 12.07.2018, Carazinho


Quinta-feira, 12.07.2018, Carazinho

VARIEDADES

Diรกrio da Manhรฃ -

9


SEGURANÇA

10 - Diário da Manhã

Quinta-feira, 12.07.2018, Carazinho

JARI julga 57 processos em quatro meses Junta se reúne mensalmente para análise de infrações de trânsito questionadas por motoristas Sereno Azevedo redacao.carazinho@diariodamanha.com

Em Carazinho, a Junta Administrativa de Recurso de Infração de Trânsito (JARI) nos últimos quatro meses deste ano analisou 57 processos de penalidade de multas recebidas por motoristas e que nestes casos os condutores questionaram algum trâmite na aplicação da sanção. De acordo com a presidente da Junta, Cleonice Schreiner, na maioria dos casos a penalidade aplicada pelo agente público foi mantida. “É comum o infrator alegar que não recebeu a notificação pelo sistema de Correio. Outros alegam que não cometeram a infração constante na notificação”, explica Cleonice. Segundo ela, também há casos em que o motorista se defende alegando que teve a visualização da sinalização de trânsito atrapalhada por uma árvore. “Quando vamos verificar se naquele ponto realmente existe algo que prejudique a visão do motorista descobrimos que não é verdadeira a justificativa apresentada pelo infrator, mantendo-se no casa a

Foto: DM/Rodolfo Sgorla da Silva

penalidade”, enfatiza a presidente da JARI.

Os casos mais comuns

Conforme Cleonice, os casos mais comuns que chegam à Junta envolvem infrações de motoristas flagrados pelas fiscalizações usando celulares ou então de quem avança sinalizações como faixas de pedestres, colocando em risco a integridade física do cidadão que faz uso da mesma como forma de travessia de uma via pública com maior segurança. Segundo a presidente, os integrantes da JARI analisam apenas as infrações de competência municipal, aplicadas tanto pelos agentes de trânsito da Prefeitura como da própria Brigada Militar (BM). “Todo o fato que estiver fora da nossa competência, em nível de município, deve ser encaminhado para o órgão competente, mas em Porto Alegre. Na notificação tem o endereço para o qual o motorista infrator, ou empresa, deve encaminhar a sua defesa”, explica Cleonice.

Procedimentos

A presidente da Junta lembra que para ingressar com contestação de multa a pes-

Multas por uso de celular ao volante lideram solicitações de revisão da penalidade aplicada pelo agente público soa precisa retirar no Departamento Municipal de Trânsito (DMT) o Formulário de Recursos, onde constarão informações necessárias e exigidas pela JARI. Outro ponto destacado é a apresentação da documentação constante

para o ingresso do recurso na Junta. Para a apresentação do recurso, deve ser observado o prazo, pois se estiver fora do estabelecido por lei não será aceito. A solicitação de análise da infração deve estar

assinada pelo recorrente ou por representante legal. Para ingressar com recurso não há obrigatoriedade de contratação de um advogado. A JARI se reúne uma vez por mês para analisar os casos encaminhados.

Por dia, 4 pessoas são multadas por não usarem cartão no estacionamento rotativo Dados do Departamento Municipal de Trânsito também revelam que todos os dias ao menos uma pessoa desrespeita a vaga para pessoa com deficiência Isadora Stentzler isadora@diariodamanha.com

Um levantamento do Departamento Municipal de Trânsito (DMT) de Carazinho apontou que pelo menos quatro pessoas são multadas por dia no município por não usarem adequadamente o estacionamento rotativo. O número pode ser ainda maior de acordo com o período, já que as ocorrências oscilam entre 120 e 160 ao mês. Segundo o chefe de fiscalização de trânsito, Ivânio Martins, este é o principal problema do município em relação ao trânsito. “A situação mais latente é com respeito ao tempo de permanência nessas vagas. A lei estipula duas horas, mas

a grande maioria estaciona e fica o dia todo ocupando uma vaga que seria rotativa”, destaca Martins. Os dados se repetem durante o primeiro semestre do ano e ainda revelam que entre 28 e 30 multas são aplicadas diariamente por desrespeito às vagas destinadas às pessoas com mobilidade reduzida. Já infrações por estacionar sob a faixa de pedestres são ínfimas, oscilando entre 5 e 7 por mês. Nesta semana, um leitor enviou ao Grupo Diário da Manhã uma foto de um veículo estacionado sob uma faixa de pedestre. Além de impedir a passagem para os pedestres, o carro bloqueava a passagem para cadeirantes. “Um rapaz com filho em ca-

deira de rodas tinha que usar o acesso e não conseguiu”, denunciou o leitor. De acordo com Martins, a situação não é atípica e aponta para uma má cultura do trânsito no município. “Carazinho, infelizmente, peca bastante nesse quesito chamado respeito. Muitos reclamam nas redes sociais, mas poucos cumprem com o devido respeito a essas vagas”, destacou, referindo-se também às pessoas sem deficiência ou que não são idosas e utilizam as vagas destinadas a este público.

A lei

Conforme a Lei Federal nº 10.098/2000, que dispõe sobre normas gerais e critérios básicos para a promoção da

acessibilidade das pessoas com deficiência e com dificuldade de locomoção, 2% das vagas em estacionamento regulamentado devem ser destinadas para veículos que transportam pessoas com deficiência ou dificuldades motoras. No município, essas vagas podem ser usadas pelos 185 veículos autorizados e registrados junto ao DMT. Eles possuem uma indicação geralmente fixada no para-brisa do veículo e são registrados na entidade de trânsito. Outros 5% das vagas são destinadas a idosos – que representam um montante de 222 veículos. Desde 2016, e conforme a Lei n. 13.146/15, não possuir autorização para o uso destas

vagas e ocupá-las é considerada uma infração grave pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), prevendo multa de R$ 127,69 mais 5 pontos na carteira de habilitação.

Ações

A fim de minimizar esses problemas e reduzir as infrações é que o Departamento realiza ações. No mês de maio, a pasta atuou no “maio amarelo”, período destinado à conscientização e educação no trânsito. Mas durante o ano outras ações são realizadas por meio de blitz educativa, distribuição de material informativo em eventos e palestras em escolas, universidades e empresas públicas e privadas.


CIDADE

Quinta-feira, 12.07.2018, Carazinho OFÍCIO DO REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS Rua Venâncio Aires, 279 - Carazinho/RS - Fone: (54) 3329-5588 Sílvia Regina de Assumpção Carbonari, Oficial de Registro, faz saber que pretendem casar-se: RAFAEL FOSSATTI WEILER e DANIELA FIDLER LUCATELLI.

Quem souber de algum impedimento, acuse- na forma da lei. Carazinho, 12 de julho de 2018.

Rayra Mendes Oficial Escrevente Autorizada

Diário da Manhã -

11

Reunião discute programação da Semana da Pátria A abertura oficial da programação de Carazinho acontece no dia 1º de setembro Foto: Divulgação

Presidente do Centro Cívico e secretário de Educação e Cultura, Lucas Lopes destacou objetivamente o cronograma de atividades previstas “Educação e Cidadania, uma cidade em conexão com o futuro” será o tema municipal da Semana da Pátria deste ano. A apresentação foi feita na terça-feira (10), na reunião de planejamento referente às atividades alusivas à Semana da Pátria no auditório da Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SMEC). O encontro, organizado pelo Centro Cívico “Expedicionário Claudino Pinheiro”, reuniu representantes das escolas particulares, universidades, 39ª Coordenadoria Regional de Educação, entidades, entre outras representações que desfilam no dia 7 de setembro. Na abertura, o presidente

do Centro Cívico e secretário de Educação e Cultura Lucas Gabriel Lopes destacou objetivamente o cronograma de atividades previstas para a Semana as Pátria. Após, a coordenadora do Departamento de Cultura da SMEC, Silvana Souza, apresentou os temas: Nacional: “Projeto Rondom” e Estadual: “Os 100 Anos do Tribunal Militar do Rio Grande do Sul”.

Fogo Simbólico

O Fogo Simbólico da Semana da Pátria 2018 chegará na Igreja Matriz Nosso Senhor Bom Jesus de Carazinho às 11h30min do dia 21 de agosto, uma terça-feira. A abertura oficial da Semana da Pátria de Carazinho

OBITUÁRIO Nome Erni Hepp Artur Juraci da Cruz Ivanir Gehlen Thums “Muti” Lenires da Silva Ramos Adriana Calixto de Barros Danilo Siveno Altmann Valter de Souza Saraiva João Roos Valdemar Castilhos Lucia Follmer Borghardt José Claudionor Correa Dias “Seu Dias” Maria Eunice Portela Gois Maria do Nascimento

Idade 84 anos 85 anos 57 anos 75 anos 53 anos 84 anos 64 anos 81 anos 84 anos 90 anos 77 anos

Data de falecimento 8 de julho 8 de julho 7 de julho 7 de julho 7 de julho 6 de julho 5 de julho 10 de julho 10 de julho 10 de julho 9 de julho

55 anos 76 anos

9 de julho 7 de julho

acontece no dia 1º de setembro às 10h, no Altar da Pátria da Praça Albino Hillebrand. Em caso de chuva, o evento acontece na Igreja Matriz Nosso Senhor Bom Jesus. No mesmo dia acontece a Missa da Independência, que será realizada no dia 1º de Setembro, um sábado, às 18h, na Matriz Nosso Senhor Bom Jesus.

Desfile

O Desfile Cívico acontece no dia 7 de setembro, uma sexta-feira, com início às 9h e término previsto para às 12h. Em caso de chuva, a programação acontece no domingo (09/09) também às 9h. Se chover nesta data também, o evento será cancelado.


12 - Diário da Manhã DIÁRIO PASSO FUNDO redacao@diariodamanha.com - (54) 3316.4800 DIÁRIO CARAZINHO redacao.carazinho@diariodamanha.com - 54.3329.9666 DIÁRIO FM 98.7 MHz diariofm@diariodamanha.com - 54.3311.1309 DIÁRIO AM - 570 KHz diarioam570@diariodamanha.com - 54.3311.7756 DIÁRIO AM CARAZINHO - 780KHz diarioam780@diariodamanha.com 54.3331.2422

www.diariodamanha.com

DM

CARAZINHO

PREVISÃO PARA HOJE Quinta-feira, 12.07.2018, Carazinho PASSO FUNDO

03ºC 15ºC

03ºC 15ºC Mínima

PORTO ALEGRE

Quinta-feira, 12.07.2018

07ºC Mínima

Mínima

Máxima

Máxima

LUAS

17ºC Máxima

Minguante 06-07

Nova 12-07

Crescente 19-07

Cheia 27-07

Jundiá pede licença do comando do OMF Ex-jogador Maurinho está trabalhando interinamente Marcelo Fripp redacao.carazinho@diariodamanha.com

foto: Arquivo/DM

Foi confirmado no treino do OMF na noite desta terçafeira (10) o afastamento do técnico Juliano Nemececk, o Jundiá. Desde esta semana,

já está comandando o time, ainda interinamente, o técnico Maurinho. O primeiro treino desta semana, para o time do OMF, foi para confirmação do que já era aguardado desde o sábado passado, quando a

representação carazinhense no Estadual da Série Bronze do Futsal Gaúcho jogou sem seu comandante técnico no banco de reservas. Nesta terça-feira, Jundiá pediu ao time um período de 15 dias de afastamento para tratar de um assunto de família. Na mesma ocasião, foi apresentado, ainda que como interino, o ex-jogador Mauro Tolotti, o Maurinho. Com passagens por times de Carazinho e da região, Maurinho é uma das referências do futsal carazinhense, inclusive, sendo um dos selecionados que fizeram parte do Futsal Solidário, evento esportivo assistencial que tem mobilizado Carazinho desde o ano de 2015.

Estreias

Juliano Nemecek, o Jundiá, pediu 15 dias de afastamento

No jogo da semana passada, em Entre-Ijuís, o OMF teve a estreia do fixo Gustavo Andrade. Já para o jogo desta semana, no sábado (14), é aguardada a estreia do pivô Zé Renato, recentemente integrado ao grupo. Zé Renato já está treinando e depende

Tabela da chave 1 da Série Bronze

apenas da publicação do seu registro junto à Federação Gaúcha de Futebol de Salão (FGFS) para atuar.

Patrocínios

A direção do OMF segue fazendo os cálculos para chegar ao fim da temporada com todas as contas em dia. Para tanto, novos patrocinadores estão sendo buscados para equilibrar as finanças e para que novos reforços também possam ser planejados. Uma campanha para a adesão de patrocinadores

está sendo elaborada e as empresas que desejam dar divulgação às suas marcas, através da OMF, podem contatar a direção do time. Os contatos podem ser feitos com o Rafa Müller através do (54) 9-9991-5189.

Em quadra

O próximo compromisso do OMF em quadra pela Série Bronze será neste sábado (14) diante do SI Cruz Alta. O jogo começa às 20h no ginásio da Fundescar e tem transmissão da Diário AM 780.

Fim de semana de Veloterra em Não-Me-Toque Mais de 120 pilotos do Sul do Brasil são esperados para o 1º Desafio Cidade A empresa Magia Show Eventos, com a organização e narração de Cláudio Silva e o apoio da Secretaria Municipal do Desporto e Turismo de Não-Me-Toque, estará realizando, no próximo fim de semana, o 1º Desafio Cidade de NãoMe-Toque de Veloterra. A disputa que acontece nos dias 14 e 15 de julho, no Centro de Eventos Gehrke, terá contagem de pontuação para a Copa Desafio das Cidades. A pista do Centro de Eventos Gehrke foi totalmente remodelada para o Desafio Cidade de Não-MeToque de Veloterra e está sendo considerada umas das melhores pistas do Brasil. O Evento do fim de semana já tem a presença confirmada dos melhores pilotos do Sul do país. São esperados mais de 120 competidores, sendo que em Carazinho,

em torno de 50 pilotos, na grande maioria trilheiros, estão organizados para irem até Não-Me-Toque. Na programação, para sábado, dia 14, a partir das 14h, prova para trilheiros e logo após a pista será liberada para treinos livres. No domingo, dia 15, pista liberada a partir das 10h para treinos livres e às 13h início das competições por categoria. No domingo, às 12h, antes da abertura das provas, será realizada uma homenagem aos dois trilheiros Alexandre Soder e Henrique Hoppen, que foram assassinados no mês de janeiro no Parque da Cidade em Carazinho. Para acessar o parque, o ingresso será único para sábado e domingo, ao valor de R$ 15,00. O acampamento na área do evento é liberado, no entanto, não será permitida a entrada de bebidas.

/senaccarazinho

#mudandoavida

@senacrs

@senac_rs

Gestão Administrativa - 36h Gestão de Vendas: planejamento e prática - 24h Recursos Humanos - 160h Vendedor de Farmácia - 70h Senac Carazinho

Av. Flores da Cunha, 2821 Fones: (54) 3331.5557 / 3329.5851

senacrs.com.br/carazinho Senac. Educação profissional mudando vidas.


Quinta-feira, 12.07.2018 www.diariodamanha.com

Região tem primeira morte por H1N1 e casos aumentam

PASSO FUNDO - CARAZINHO

Idoso de 69 anos morreu em Passo Fundo em decorrência do vírus no fim de semana. Já Carazinho registrou dois casos confirmados de internação por influenza Foto: Arquivo / DM

Matheus Moraes

matheus@diariodamanha.com

Isadora Stentzler redacao@diariodamanha.com

A vigilância epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde confirmou, na manhã de quarta-feira (11), a primeira morte provocada por gripe em Passo Fundo. A vítima, um idoso de 69 anos, morreu no último fim de semana em decorrência do vírus Influenza A, do subtipo H1N1. Conforme a vigilância, o paciente fazia parte do grupo de risco das comorbidades e não tinha histórico de vacinação. O caso entrará no boletim epidemiológico semanal, que será divulgado nesta quintafeira (12), pela Secretaria Estadual de Saúde. Além disso, a

Secretaria de Saúde recebeu, na última semana, a confirmação de outra amostra positiva para H1N1. Trata-se de uma paciente de 77 anos que vem sendo monitorada e que teve sua amostra encaminhada para o Laboratório Central do Rio Grande do Sul (Lacen/ RS), em Porto Alegre, responsável por confirmar os casos de Influenza A. O resultado deve sair nos próximos dias. De acordo com o último boletim da Secretaria de Saúde do RS, referente à semana 27, que será substituído por um novo a partir de hoje, o estado apresentava 193 casos confirmados de Influenza A – de subtipo H3N2 ou H1N1 -, além de 14 óbitos confirmados.

Mais de 73 mil pessoas já se vacinaram em Passo Fundo

Os casos na região Em Passo Fundo, de acordo com a chefe do Núcleo de Vigilância Epidemiológica, Raquel Carneiro, somente neste ano já foram enviadas 60 amostras suspeitas de gripe para o Lacen/RS. Dessas, 33 apresentaram resultados negativos, 16 positivos para o vírus H3N2 e oito ainda aguardam os resultados. No município, o número se manteve em 16 casos, ainda na semana 27. A chefe do Núcleo de Vigilância Epidemiológica de Passo Fundo, Raquel Carneiro, esclarece que o setor da cidade encaminhou 93 amostras de pessoas de vários municípios da região para o Lacen. “Precisamos sempre conhecer o que está circulando, para poder trabalhar na questão vacinal, porque estávamos em campanha e agora está aberto para o público. A gente vem monitorando a influenza desde o início do ano, principalmente agora com as notificações. É preciso ter cuidado”, declara. Na cidade, 73 mil pessoas já haviam tomado a vacina até o último levantamento realizado, sobretudo as dos grupos prioritários. Carazinho chega à metade de julho com dois casos confirmados de internação

por influenza A, do tipo sazonal H3, em crianças, de acordo com a Vigilância Epidemiológica do município. Os registros são do mês passado e um dos pacientes tinha seis meses e o outro três anos. Outros oito casos suspeitos da doença foram descartados pelos exames negativos e um aguarda resultado do laboratório. As duas crianças que tiveram a confirmação da doença não haviam sido vacinadas para gripe, o que reforça a necessidade da busca pela medicação a fim de evitar a doença, uma vez que os menores fazem parte do grupo de risco. O caso ainda em investigação é de uma criança de quatro meses, que também não foi imunizada. Segundo a secretária de Saúde de Carazinho, Anelise Almeida, houve um aumento súbito de doenças do quadro respiratório neste ano em relação ao ano passado, sobretudo devido às condições climáticas. O impacto afetou o estoque de antibióticos, que foi limitado para 45 dias devido à procura. “Estamos com muitas doenças respiratórias. Ficamos com remédios para 90, depois 60 e hoje para 45 dias. Já estamos fazendo uma nova compra para garantir os atendimentos, já que a demanda tem sido grande”, frisa Anelise. Diante desse

quadro, a secretária recomenda que a população se agasalhe de acordo com a temperatura, evitando usar apenas peças leves, lavar as mãos com água e sabão, usar álcool gel 70 (quando possível) e evitar lugares fechados com aglomeração de pessoas e sem ventilação. O Hospital de Não-Me-Toque enviou ontem ao laboratório de Porto Alegre amostras de uma paciente de 85 anos, internada com suspeita de Influenza A. O resultado deve ser divulgado em até 30 dias. A paciente faz parte do grupo de risco da doença e ainda sofre de Alzheimer – doença que debilita a memória e é mais comum em idosos. Segundo a enfermeira Liliane Kraemer, coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Não-Me-Toque, ela havia sido vacinada contra a gripe antes de apresentar os sintomas . O único óbito registrado nos últimos três anos em Não-Me-Toque foi em 2016. A vítima era uma mulher e morreu por Influenza A, do tipo H1N1. Pontão, que não tinha caso confirmado até a última semana, apresentou um caso, segundo o último relatório. Água Santa também tem um caso confirmado.

RAQUEL CARNEIRO

A gente vem monitorando a influenza desde o início do ano, principalmente agora com as notificações. É preciso ter cuidado

Sintomas Febre alta, dor no corpo, falta de ar e secreção respiratória são alguns dos indícios de que a gripe é diferente da comum.

Para a chefe de Epidemiologia, pode haver oscilação dos sintomas ao longo da apresentação do vírus. Segundo Raquel, os próprios dois casos confirmados em Passo Fundo de H1N1 não chamaram atenção inicialmente. “Se já está evoluindo para uma angústia respiratória, já é bom ter cuidado, porque indica que não é algo normal. Os dois casos que chegaram aqui não chamavam atenção, mas o quadro foi evoluindo. Fizemos coleta, protocolamos amostras e isso mudou. Na semana passada, a circulação na cidade era de H3N2, nessa semana já mudou o panorama. É sempre bom estar atento, porque o quadro se altera”, completa a chefe do Núcleo.

Orientações Raquel Carneiro orienta que a comunidade que já está vacinada utilize álcool gel, tenha cuidado ao espirrar, lave as mãos constantemente e busque o medicamento tamiflu, que é gratuito pelo poder público. O remédio, inclusive, está disponível nas farmácias de atenção básica, na Farmácia Central e no Hospital Municipal Dr. César Santos. É necessário o atendimento de um médico para realização da prescrição para obter acesso ao medicamento.

Números são inferiores ao ano passado De acordo com o boletim epidemiológico do Estado, os dados de 2018 seguem inferiores aos da temporada passada: foram 193 casos confirmados contra 388 no ano passado, até a mesma atualização de datas. No caso de óbitos, foram 14 mortes confirmadas até a semana 27 deste ano, enquanto no ano passado foram 40 óbitos até o mesmo período.


2

Quinta-feira, 12.07.2018

Passo Fundo Carazinho

Uma vida em melodias Professora nata e apaixonada por música, Clélia Fontoura Martins Pinto cativou uma legião de alunos por meio da educação e das aulas de piano que ministrava. O legado, agora, é lembrado com carinho pelos aprendizes que viam na educadora, um exemplo de vida a ser seguido Daniel Rohrig redacao@diariodamanha.com

Os movimentos rápidos e sincronizados dos dedos em harmonia parecem desenhar minuciosamente o som doce e delicado, executado no piano por Clélia Fontoura Martins Pinto. As mãos dançam uma espécie de coreografia distinta, regrada por notas e acordes. Pela habilidade aprimorada ao longo de seus

81 anos de vida, os olhos verdes de Clélia nem ao menos precisaram consultar a partitura para concluir a melodia. A cena descrita é de um vídeo gravado durante um dos muitos momentos que a matriarca passava com a família, em sua casa. Professora nata, Clélia dedicou 37 anos de sua vida à missão de ser educadora. Além de ter trabalhado na Escola Estadual Nicolau Araújo Vergueiro (EENAV),

Fotos Reprodução

também foi professora na Universidade de Passo Fundo (UPF) de 01/03/1961 a 01/08/1986, sendo vinculada ao Instituto de Belas Artes, lecionando as disciplinas de música, em geral. Antes e depois de se aposentar do magistério e da academia, sempre dedicou longos períodos às aulas particulares de piano, estabelecendo laços afetivos que perduram até os dias de hoje, com os alunos.

“Ela nasceu com o dom de ensinar música” Um suspiro e uma pausa no outro lado do telefone antes de responder a primeira pergunta sobre Clélia. Fernanda Ramires, 31 anos, relembra com carinho das férias de verão de 1999, época em que conheceu a professora de piano. Quando retornou de Balneário Camboriú (SC) para Passo Fundo, deu início aos encontros. Ocorriam duas vezes por semana, já que ambas eram vizinhas de prédio, o que facilitava o deslocamento. “Comecei a ter aulas no apartamento dela, em um piano preto e reluzente, muito bonito, que ficava posicionado na sala. Logo no início, ela me indicou alguns livros, e pouco tempo depois, me emprestou até um dos pianos que ela tinha para eu praticar em casa. Por vezes, quando eu tinha dificuldade de executar alguma partitura, ela sentava com toda a paciência do mundo e tocava a música para eu aprender a melodia”, relata. Além dos sons típicos de uma orquestra sinfônica – neste caso, comandada por apenas uma musicista – as aulas recebiam um toque especial de risadas, já que segundo Fernanda, a professora possuía um astral fora do comum. “Era uma exímia pianista. Enquanto eu toca-

FERNANDA RAMIRES Era uma exímia pianista. Enquanto eu tocava as partituras ela ficava ao meu lado bordando. Grande parte da aula nós passávamos conversado e eu ouvia com atenção as histórias dela quando jovem

va as partituras ela ficava ao meu lado bordando. Grande parte da aula nós passávamos conversado e eu ouvia com atenção as histórias dela

www.diariodamanha.com Presidente

Vice-Presidente

Janesca Maria Martins Pinto

Ilânia Pretto Martins Pinto

@diariodamanhaRS www.facebook.com/redediariodamanha

Clélia Fontoura Martins Pinto - ME Matriz: Rua Independência, 917, sala 3 - Passo Fundo Contato: (54) 3316-4800

quando jovem. Uma gargalhada atrás da outra”. Os dois anos que frequentou as aulas de Clélia serviram para criar laços além de uma relação aluna-professora. A amizade conquistou toda a família Ramires e perdurou até os últimos dias de vida da mestre. “O que a música representava para ela?”, perguntei. Mais uma pausa, esta um pouco maior, antes de emendar a próxima resposta. “A música era a inspiração da vida dela”, completou Fer-

nanda. “Algo que ela fazia muito bem, com grande prazer e alegria, o que distinguia ela das outras pessoas. Ela não tinha problema nenhum em ensinar, dava para ver nos olhos que ela gostava de estar ali, ensinando piano”, relata. A paciência de Clélia durante o processo de aprendizagem era, sem dúvida, um dos diferenciais mais marcantes. A missão de ser professora era encarada com tanta naturalidade, que Fernanda, mesmo criança, se surpreendia com todo o processo. “Era uma professora muito interessan-

te, divertida e que tornava tudo aquilo um momento gostoso”. Como maior legado, Fernanda aponta o jeito leve com que Clélia levou a vida, sempre com bom humor. “Praticamente toda a minha vida eu fui vizinha dela. Então, desde sempre, eu frequentei a cada dela. Além do piano, como ela adorava bordar, ganhei várias peças. Inclusive, agora estou usando um blusão bordado por ela. São lembranças que ficarão para sempre na memória, com muito carinho”, afirma.

JOANA MANUELA WOLF A primeira lembrança que eu tenho da Clélia é que toda a vez que ela me via, mesmo depois de trinta anos, ela me abraçava e me olhava com um sorriso no rosto e me chamava de ‘minha guriazinha’. Acho que para ela a gente nunca cresceu, né?


Quinta-feira, 12.07.2018

Passo Fundo Carazinho

3

“A prô Clélia fez parte de toda a minha formação” Foto: Arquivo Pessoal

Mesmo morando e trabalhando atualmente do outro lado do globo, Joana Manuela Wolf, 37 anos, não conteve a emoção ao falar de Clélia. Direto da China, a ex-aluna conversou com o Diário da Manhã sobre suas lembranças na época das aulas de piano em Passo Fundo. “A primeira lembrança que eu tenho da Clélia é que toda a vez que ela me via, mesmo depois de trinta anos, ela me abraçava e me olhava com um sorriso no rosto e me chamava de ‘minha guriazinha’. Acho que para ela a gente nunca cresceu, né? E eu concordo que todo aquele carinho era recíproco”, relembra. Uma das muitas lembranças que Joana guarda com carinho diz res-

peito as apresentações realizadas no fim de cada ano. “Não tem como não compartilhar a alegria dela e ansiedade com cada apresentação de piano. Ela cuidava de cada detalhe para que tudo ocorresse perfeitamente. E realmente saía. Era uma apresentação maravilhosa, onde todo mundo ia. Pais e amigos lotavam o auditório do Fórum e o mais lindo era ver a dedicação dela em tratar de tudo. Era ela que pensava e articulava o evento”, conta. Uma vida baseada na música e no prazer em compartilhar conhecimentos. Joana ressalta que o legado deixado pela mestre em sua vida representa uma coletânea de ensinamentos e exemplos. “Con-

“A naturalidade dela nas aulas, sempre com o tricô na mão, deve ter tricotado quilômetros enquanto ensinava”

O legado de uma vida Ao longo da coleta de entrevistas e depoimentos sobre a trajetória de vida de Clélia Fontoura Martins Pinto, um detalhe, talvez o mais importante de todos, chamou a atenção. Cada pessoa, ao falar da professora de piano, destacou a leveza e a simplicidade em enxergar os pequenos prazeres da vida. A paixão pela música representa a alma artística e criativa da eterna mestre, que ao ter contato com o piano, se revelava uma musicista sem igual. Ao mesmo tempo que a agitação das mãos formavam melodias de encantar qualquer um, a delicadeza dos movimentos teciam peças e mais peças de bordados e tricôs. Ao mesmo tempo que ensinava, Clélia articulava o emaranhado de fios, que no fim das contas, se transformavam em belos tecidos. Aqui, a paciência em ensinar colaborava nos detalhes desenhados no pano. Lembranças que agora ficarão eternizadas na memória daqueles que aprenderam, mas que também ensinaram, nessa constante troca de conhecimentos.

“Ela sempre dava conselhos de mãe e me acolhia com um grande abraço” Outra aluna de Clélia que viajou o mundo foi a publicitária Marina Marini de Magalhães, 38 anos. De Lisboa, em Portugal, a ex-aluna relata uma de suas primeiras lembranças em relação à mestre. “A primeira lembrança é eu chegando pequenina para primeira aula, eu deveria ter uns 8 anos - estamos falando de 1988 - e a prô Clélia nos deixava tão a vontade que aprendíamos brincando”. Marina acredita que para Clélia, a música era vida e emoção, transmitidas pela professora por meio do carinho no qual ela ministrava as aulas. “Ela não precisava estar ali dando incontáveis aulas, mas fazia com muito prazer. A naturalidade dela, sempre com o tricô na mão,

deve ter tricotado quilômetros enquanto ensinava.” Provocada a compartilhar a principal lembrança em relação a professora, Marina não exita em voltar a infância ao buscar nas suas memórias uma das muitas apresentações na qual participou. “Um momento inesquecível foi quando tocamos a quatro mãos numa audição. Todo ano tínhamos audições de piano no Fórum e enchíamos o auditório. Tocamos um música que até hoje me emociona, chama Cavalgada do Diabo, é forte, determinada e linda, assim como nossa querida Prô Clélia”. No fim da entrevista, a singela homenagem de Marina a Clélia destaca os quase dez anos de convivência. “Ela

Foto: Arquivo Pessoal

MARINA MARINI DE MAGALHÃES

Joana ao lado de Clélia, em um dos muitos momentos em que as duas passaram juntas, conectadas pela música

vivi com ela desde meus quatro até os 16 anos. Ela me ajudou muito, principalmente na fase da adolescência, essa época em que a gente está crescendo e descobrindo coisas. Os conselhos dela, as conversas, os puxões de orelha, era como se fosse minha avó do coração. Em uma das minhas últimas decisões, de vir morar na China, quando contei para ela disse – Menina, você não para, né? Mas vai, vai em busca dos teus sonhos que a gente vai estar aqui te esperando”. Depois do relato, a emoção tomou conta de Joana, que não conteve as lágrimas ao lembrar com carinho de Clélia.

Marina Magalhães foi aluna de Clélia por quase uma década. Hoje, mora e trabalha em Lisboa, Portugal fez parte da minha formação como pessoa, dos 9 aos 16 anos convivíamos semanalmente e ela me ensinou a não desistir na primeira, confiar em mim e sorrir para vida. Depois que começaram os estudos de cursinho e a faculdade, tive que largar as aulas, mas sempre passava para dar um abraço bem apertado nela”, finaliza emocionada.


4

ESPORTE

Quinta-feira, 12.07.2018

Passo Fundo Carazinho

Mais belas camisas da Copa Misto de identidade e moda, cada vez mais as seleções capricham no visual para entrar em campo. Na Rússia não foi diferente Kleiton Vasconcellos kleiton@diariodamanha.com

A cada Copa do Mundo, as atenções voltam-se para o país-sede. Assim foi em 2018, quando os olhares estiveram na Rússia, onde as 32 seleções jogaram pela conquista do Mundial. Mas tem uma outra disputa que corre em para-

Kleiton Vasconcellos kleiton@diariodamanha.com

Matheus Moraes matheus@diariodamanha.com

1º Suécia reserva 1º Brasil reserva

lelo: qual camisa é a mais bonita? Para deleite dos fãs, torcedores e colecionadores, todas as equipes utilizaram tanto o uniforme titular quanto o reserva, em ao menos uma partida. Pensando nisso, resolvemos escolher quais as camisas mais bonitas da Copa. Ouvimos quatro jornalistas do Grupo Diário da Manhã. Confira os votos de cada um:

Caetano Barreto

Rodolfo Sgorla da Silva

caetano@diariodamanha.com

rodolfo@diariodamanha.com

1º Rússia reserva

1º Uruguai titular

2º Peru eserva 2º França titular

2º Islândia titular

2º México titular

3º Croácia reserva 3º Brasil reserva 3º Inglaterra reserva

3º Brasil reserva

4º Uruguai titular 4º Inglaterra reserva

5º Alemanha reserva

5º Bélgica titular

4º Alemanha reserva

5º Peru titular

4º Portugal titular

5º Croácia reserva

Carazinho  
Carazinho  
Advertisement