Page 1

QUARTA-FEIRA, 16.05.2018

Quarta-feira, 16.05.2018 , Passo Fundo

DIÁRIO DA MANHÃ -

1

www.diariodamanha.com

82 ANOS - Nº 349 - R$ 2,00 Foto Vinicius Coimbra/DM

“Se alguém errou, que pague pelo erro” Presidente do HSVP, Décio Ramos de Lima, respondeu questionamentos sobre as recentes investigações envolvendo o hospital. Na terça-feira, Polícia Federal deflagrou operação que investiga o possível desvio de R$ 1,2 milhão.

Pág 7 Imagem meramente ilustrativa/ Matheus Moraes/ DM

Lei contra o bullying Nesta semana, o governo federal sancionou o projeto que define a prevenção como responsabilidade das escolas. Instituições de ensino de Passo Fundo e região já trabalham com ações que buscam a harmonia entre estudantes para coibir, paralelamente, a prática de violência verbal, psicológica ou física. Págs 4 e 5

Confiança na lista de Tite

Sem paralisação

Convocação dos 23 jogadores brasileiros para a Copa do Mundo rendeu debates. Para muitos desportistas, há correção nos nomes chamados. Conexão

http://diariodamanha.com

Sindicato aceitou proposta da Coleurb e Transpasso para reajuste salarial de 2%.

Pág 5

facebook.com/redediariodamanha

Os efeitos da alta do dólar Se por um lado a cotação elevada da moeda americana frente ao real torna os produtos das indústrias brasileiras mais competitivos em outros países, por outro há o aumento dos custos de produção. Especialistas avaliam, também, o impacto das pesquisas eleitorais na variação cambial. Conexão

99905-7864

3316-4800

@diariodamanhapf


RADAR

2 - DIÁRIO DA MANHÃ

Quarta-feira, 16 .05.2018 , Passo Fundo

Se você tem um smartphone e um aplicativo de QR Code instalado, posicione o leitor desta imagem e tenha acesso direto ao nosso site!

Vestibular de Inverno do IFSul

#EunaDiário Foto: Divulgação

A mamãe do Enzo e do Luiz Dos Santos Gai, Jéssica dos Santos, foi a vencedora da promoção referente ao Dia das Mães, realizada pelo Diário da Manhã e Premiata Restaurante e Pizzaria. Foi sorteada uma pizza tamanho GG. Ela retirou o presente no fim de semana. Outras promoções do Diário você pode conferir em nossa página no facebook/redediariodamanha.

O Instituto Federal Sul-Rio-Grandense oferece 100 vagas para os cursos Técnicos em Edificações (40), Técnico em Mecânica (40) e Técnico em Manutenção e Suporte em Informática (20). Os cursos são noturnos, têm duração de 2 anos e são 100% gratuitos, sendo que o candidato deve ter o Ensino Médio completo para poder se inscrever (subsequente). As pré-inscrições começaram no dia 04 de maio e seguem até o dia 25 de maio no site do Processo Seletivo. Após, os candidatos deverão retornar ao site para realizar a confirmação da inscrição, no período de 26 de maio a 04 de junho. Os interessados deverão ler o edital e acompanhar todas as publicações oficiais relacionadas ao processo. Há reserva de vagas (cotas) para candidatos egressos de escola pública e, dentro destas, cotas para pessoas com deficiência e candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas. As provas estão marcadas para o dia 24 de junho. Outras informações no site processoseletivo.ifsul.edu.br

É NOTÍCIA NA DIÁRIO No programa Estúdio Aberto News de hoje, transmitido em cadeia entre a Diário AM 570 e FM 98.7, você acompanha as principais notícias da cidade, Estado e país. É a partir das 8h. Participe da nossa programação pelo 33117756 ou envie mensagem para 99958-8492. Ouça pelos 570 do seu rádio, 98.7 ou pelo www. diariodamanha.com

Café com Negócios A Acisa Passo Fundo e o Sebrae RS retomam, nesta quartafeira (16), o Café com Negócios. A primeira edição de 2018 vai abordar o tema “Como utilizar o funil de vendas para acelerar negócios”. A atividade inicia às 7h30min e será realizada no auditório da Acisa. A entrada é gratuita.

Foto Divulgação/PMPF

Combate ao câncer O Programa de Residência Multiprofissional em Atenção ao Câncer realizado pela Secretaria de Saúde em parceira com o Hospital da Cidade de Passo Fundo (HCPF) e Universidade de Passo Fundo (UPF) vem desenvolvendo diversas ações de promoção e atenção à saúde multiprofissional junto à equipe de Estratégia de Saúde da Família (ESF) Jerônimo Coelho. Uma das ações realizadas é a sala de espera, desenvolvida pelas profissionais da fisioterapia. O objetivo da atividade é conscientizar os usuários para que possam criar e aderir permanentemente à manutenção de hábitos saudáveis, bem como informar sobre a atuação de agentes carcinogênicos, melhorar a qualidade de vida e incentivar o autocuidado.

A Universidade Federal da Fronteira Sul – UFFS – Campus Passo Fundo promove, nesta quarta-feira (16), uma mesa-redonda com o tema “Violência sexual contra Crianças e Adolescentes – sinais de alerta, a abordagem do médico e a articulação da rede de proteção”. O evento será no auditório do Campus, às 19h. Integrando a campanha nacional de 18 de maio, dia nacional de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes, a mesa-redonda terá como mediador o médico psiquiatra e professor da UFFS, José Ribamar Saraiva Júnior, e contará com os debatedores Ana Roberta Cerattim , médica da rede municipal de Passo Fundo, Meicla Garcia, psicóloga do CREAS de Passo Fundo, Josiane Chapuis, assistente social e Coordenadora do CREAS de Passo Fundo, e representantes do Conselho Tutelar de Passo Fundo. O evento é uma promoção da UFFS – Campus Passo Fundo, da Liga Acadêmica de Saúde da Família – UFFS e da Liga de Saúde mental HCPF-IPP.

DATAS COMEMORATIVAS

16/05 Dia do Gari

Foto Janesca Martins Pinto

Debate sobre violência sexual

diariodamanha.com

O tempo virou O amanhecer de terça-feira, com nebulosidade parcial, já indicava o que estava por vir no clima do Rio Grande do Sul: um dia de chuva e temperaturas mais baixas. Também fez um click bonito? Envie para o portal@ diariodamanha.com.

FUNDADOR Jornalista Túlio Fontoura (1935 1979) PRESIDENTE-EMÉRITO Dyógenes Auildo Martins Pinto (1972 1998) Vinícius Martins Pinto (1997 2003)

Presidente Janesca Maria Martins Pinto Vice-Presidente Ilânia Pretto Martins Pinto Editora Geral Nadja Hartmann

Diretora Comercial: Eliane Maria De Bortoli Editor: Édson Coltz - RP 17.059

www.diariodamanha.com facebook.com/redediariodamanha

@diariodamanhars


POLÍTICA

Quarta-feira, 16.05.2018 , Passo Fundo

DANIEL ROHRIG

DIÁRIO DA MANHÃ -

politica@diariodamanha.com

3

PL de reposição do Legislativo recebeu três alterações até ser aprovado Do projeto original até a aprovação na sessão da última segunda-feira (14), o projeto de reajuste dos servidores e vereadores passou por diversas alterações. Pauta gerou discordância entre os parlamentares Após manter uma certa tradição em repor índices salariais semelhantes tanto para o Executivo quanto para o Legislativo por três anos, a Câmara de Vereadores de Passo Fundo aprovou, nesta semana, o projeto de lei que reajusta em 3,5% o salário dos servidores da Casa e em 2,84% os vencimentos dos parlamentares. Até o texto final ser aprovado, a pauta passou por, pelo menos, três alterações entre vistas, emendas e subemendas ao longo de sua tramitação pelas comissões. Originalmente, o projeto estabelecia um aumento geral de 2,84% aos vereadores e aos servidores, mesmo índice aprovado para o Executivo. No entanto, a matéria recebeu duas emendas do vereador Mateus Wesp (PSDB), em que a primeira congelava o salário dos vereadores por mais um ano e a outra modificava o percentual de revisão oferecido aos servidores para 3,5%. De forma conjunta, as comissões permanentes propuseram, portanto, a subemenda que recolocou a previsão de 2,84% aos vereadores e manteve os 3,5% aos servidores. Neste contexto, os vereadores passam a receber um salário bruto de R$ 11.265,23 – o que representa uma reposição real de R$ 311,09 nos vencimentos dos parlamen-

tares. Os valores recebidos referentes a cada parlamentar e a cada servidor da Câmara está disponível no Portal da Transparência e pode ser acessado por qualquer cidadão. Atualmente, a Câmara de Vereadores conta com 85 Cargos de Comissão (CC’s) e outros 31 servidores concursados que serão impactados pela reposição. Sobre o reajuste, a Câmara informou que a correção do índice está abaixo da perda inflacionária de 2017. Ainda em abril, a Procuradoria da Casa solicitou um relatório de impacto orçamentário à Contabilidade da Câmara, referente às emendas propostas por Wesp na ocasião. No primeiro caso, com o índice de 2,84%, o impacto da reposição geral representaria em um gasto estimado anual de R$ 13.830.364,20. No cenário da emenda, o impacto de reposição para servidores de 3,5% e congelamento de vencimentos dos vereadores impactaria em um gasto anual estimado de R$ 13.789.229,64, conforme a Contabilidade da Casa. Na diferença de valores entre um cenário e outro, haveria uma diferença de R$ 41.134,56 a menos na folha do Legislativo em relação ao projeto que apresenta o índice de 2,84%. Entretanto, com a aprovação das reposições, o

gasto anual com o vencimento do Legislativo está fixado em aproximadamente R$ 13,8 milhões. Em meio a disparidades de opiniões, o projeto foi aprovado em plenário com 13 votos favoráveis, 6 votos contrários e 1 ausência. Na tribuna, o presidente da Casa, Pedro Daneli (PPS), reforçou que a Mesa defendia os 2,84% para os vereadores e para os servidores, expondo como justificativa que o índice impactaria em uma maior economia aos cofres públicos, servindo como “uma resposta à população, que espera por um enxugamento de gastos”. “Os 2,84% correspondem ao Índice de Preços do Consumidor (IPCA). Sou o responsável por gerenciar a Casa em 2018 e quero deixar claro que a Mesa tem essa preocupação de economizar um dinheiro que é público”, afirmou. Em seguida, Wesp e Marcio Patussi (PDT) declararam abdicar das suas reposições. Patussi justificou que votou contra o projeto por acreditar que ele deveria passar por uma discussão mais ampla e que avaliasse os impactos financeiros dos índices propostos. Embora tenha votado favoravelmente à subemenda, Wesp declarou não concordar com o índice destinado à reposição salarial dos vereadores.

Aprovação agradou servidores

A presidente da Associação dos Servidores da Câmara de Vereadores, Thaita Zago, disse que a categoria saiu satisfeita com o encaminhamento da pauta no plenário. “Consideramos um bom senso aprovar a reposição salarial de 3,5% aos servidores do Legislativo. Como presidente da ASCAM, agradeço o apoio de cada associado e colaborador na busca de uma reposição salarial condizente com a recomposição das perdas inflacionárias. Agradeço, também, os vereadores que propuseram emendas e subemenda”, comentou.

Como votou cada parlamentar Alex Necker (PC do B) - favorável Aristeu Dalla Lana (PTB) - contrário Claudio Luiz Soldá (PP) - contrário Eloí Costa (MDB) - favorável Evandro Meireles (PTB) - favorável Fernando Rigon (PSDB) - favorável Gleison Consalter (PSB) - contrário Leandro Rosso (PRB) - favorável Luiz Miguel Scheis (PDT) - favorável Márcio Assis Patussi (PDT) - contrário Mateus Wesp (PSDB) - contrário Patric Cavalcanti (DEM) - contrário Paulo Roberto Neckle (MDB) - favorável Pedro Antonio Daneli (PPS) – presidente não vota Rafael Colussi (DEM) - favorável Renato Tiecher (PSB) - favorável Roberto Toson (PSD) - favorável Ronaldo Rosa (SD) - favorável Rudimar dos Santos (PCdoB) - favorável Saul Spinelli (PSB) - favorável Valdecir de Moraes (PSB) – ausente

Creci aguarda definição judicial para construção de delegacia Segundo o conselho de corretores de imóveis, caso não houvesse ocorrido o entrave na justiça, obra já estaria concluída “Já estaria concluída”, garantiu o presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Rio Grande do Sul, Márcio Bins Ely, à reportagem do Grupo Diário da Manhã sobre a obra da nova delegacia regional que seria construída em uma área anteriormente doada pelo município ao órgão, mas que, no momento, está envolta em uma disputa judicial. O terreno de 700 m² localizado no Bairro Petrópolis, às margens da Av. Brasil, havia sido concedido por 10 anos ao Conselho em 2012, para que

construísse a sede de sua delegacia regional. Passados mais de cinco anos, porém, a obra não iniciou. Ainda no ano passado, a Câmara Municipal de Vereadores aprovou um projeto que revogava a lei que concedeu o uso do terreno. No entanto, o Conselho alegou vício de iniciativa da lei e conseguiu liminar favorável na Justiça para permanecer com a posse da área. “O terreno está registrado no nome do Creci em que havia sido feita uma cedência ao conselho pelo período

de dez anos. Mas houve um entendimento da Administração no sentido de retomar o terreno. Nossa ideia era de, inclusive, já ter feito essa obra. Nós aguardamos essa definição para fazer este investimento”, pontuou o presidente do Creci-RS, Márcio Bins Ely. Segundo ele, o interesse de investir no local sempre existiu e permanece na pauta do órgão. O único impedimento seria o entrave na justiça. Por questão de segurança jurídica, o Município ingressou, no mês passado, com uma ação de

rescisão contratual e pedido de liminar para tomar posse do local. De acordo com o Executivo, a intenção é retomar a ampliação do Cais Petrópolis que já conta com projeto arquitetônico em andamento. Enquanto o debate corre na justiça, no último fim de semana, o Conselho Regional de Corretores de Imóveis - 3ª Região (CRECI-RS) realizou o ato solene para inauguração da delegacia sub-regional “Ludwig Rubem Blum” e sala do corretor de imóveis “Waldemar

Marques”, em Passo Fundo, 10ª sub-região do conselho. Os espaços prestam homenagem (in memoriam) aos corretores de imóveis pioneiros, que trabalharam para o fortalecimento da categoria. Além das inaugurações foram nomeados novos representantes da gestão conselho na 10ª sub-região. Luis Filipe Poletto assumiu a função de diretor ajunto de integração de delegacias em Passo Fundo e Auriberto Volpato é o novo delegado adjunto do CRECI-RS em Marau.


GERAL

4 - DIÁRIO DA MANHÃ

Quarta-feira, 16 .05.2018 , Passo Fundo

Combate ao bullying em Instituições de ensino de Passo Fundo e região trabalham com ações que buscam harmonia e paz entre estudantes para coibir, paralelamente, a prática de violência verbal, psicológica ou física. Nesta semana, governo federal sancionou projeto que visa prevenção como responsabilidade dos educandários Matheus Moraes matheus@diariodamanha.com

Sancionado na última segunda-feira (14) pelo presidente Michel Temer, a lei de combate ao bullying nas escolas prevê atualização nas incumbências das instituições no que diz respeito a medidas e ações preventivas no combate de práticas que atacam os direitos de cada cidadão, sobretudo

das crianças. A sanção altera um trecho da Lei Nº 9.394/1996, que visa critérios a serem explorados pelos educandários para a promoção da cultura de paz. O projeto saiu do Senado ainda em 17 de abril para a sanção presidencial. A legislação sancionada nesta semana estende a obrigação de escolas previstas na lei original, que estabeleceu a criação

do Programa de Combate à Intimidação Sistemática (bullying), ainda em 2015. A ideia é que as instituições desenvolvam medidas de conscientização, prevenção e combate ao bullying. É em tom de brincadeira que termos designados como bullying geram descontentamento e frustração a quem é atingido. A ação, que pode ser verbal, física ou psicológica, resulta

em danos pessoais para a criança envolvida. A legislação, por sua vez, visa coibir o problema em sua raiz: desde o momento vago em que abre brecha para brincadeiras inconvenientes que possam se tornar bullying. Em Passo Fundo e região, o tratamento sobre o bullying já é uma realidade. Escolas estaduais trabalham com ações que buscam a harmonia, paz e solidariedade. A iniciativa almeja com que os estudantes, desde os mais novos até os mais velhos, não tenham tempo ocioso durante o período escolar. Ou seja, busca o melhor aproveitamento do processo escolar para que não haja espaço para práticas incorretas. Um dos exemplos é na Escola Estadual Alberto Pasqualini, no bairro Santa Maria. Por meio do Programa Cipave – Comissões Internas de Prevenção de Acidentes e Violência, em parceria com a iniciativa do governo estadual, a instituição embarcou no projeto “Educação pela Paz”, com o slogan de promover a paz, e não a violência. A ideia é fazer com que os estudante estimulem o respeito e a ordem de paz com ações promovidas pela instituições com apoio dos próprios alunos. A orientadora educacional da escola, Viviane Bertoldi, esclarece que o projeto apresenta, de maneira indireta, a prevenção ao bullying com atividades que estimulem a prática do bem e da solidariedade e contribuem para a formação

dos cidadãos. “A violência se manifesta em todos os lugares. Isso significa que nós, como escola, devemos traçar um plano de ações que leve ao educando analisar a situação atual da nossa sociedade. Ele deve se posicionar com atitudes contrárias das que já predominam atualmente. Buscamos desenvolver uma postura não violenta diante da realidade que passamos, para alcançarmos dias que a paz ganhe o lugar e que as pessoas aprendam a conviver melhor perante os demais”, diz, em relação às práticas de bullying. E para evitar com que a ação aconteça na escola, um dos primeiros projetos do programa iniciou ainda nesta semana. Alunos do Ensino Médio, que se encontram com alunos do Ensino Fundamental – do 1º ao 4º ano – são responsáveis pelo recreio criativo. A metodologia aplicada é que cada um está empossado para dirigir uma atividade recreativa durante o período de intervalo, para

que não haja a tradicional “correria” entre as aulas. “Eles trabalham de monitores. É um desafio para eles. Não havia orientação no recreio. Então eles foram treinados como monitores, para promoverem esses recreios criativos. Já obtemos resultados significativos”, conta. O Educação pela Paz passa, também, por ouvir quem tem a ensinar. A Escola Alberto Pasqualini realiza a inserção de palestras educacionais em âmbito escolar com temas de direitos e deveres do aluno e do cidadão. Outras atividades, como o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) também fazem parte do calendário da escola, como também a inserção de gincanas e campanhas do agasalho e de alimentos. “São ações que buscam com que os alunos estejam envolvidos, para não deixar tempo com pensamento em bobagens em tempo ocioso”, completa a orientadora.

“Não precisamos nominar o bullying para semearmos uma visão mais humana” As Comissões Internas de Prevenção de Acidentes e Violência Escolar (Cipave) da 7ª região da Coordenadoria Estadual de Educação traz atividades para as 121 escolas entre os 33 municípios de abrangência do setor. A assessora pedagógica responsável pela Cipave em Passo Fundo e região, professora Vanusa Rossetto de Assis, esclarece que as comissões buscam estabelecer parcerias com instituições governamentais e não-governamentais. O intuito é trazer para o âmbito educacional temas que possam gerar reflexão nos estudantes, como educação para o trânsito, prevenção em relação ao uso de drogas e também a prática do bullying. “São ações que informam para eles [estudantes] quais são as consequências de quem faz essa opção. Eles conhecem, por exemplo, os efeitos de diferentes drogas, o contexto em que vive o adolescente que faz essa opção”, explica. O Cipave, que busca orientar a comunidade escolar sobre diversas situações que podem ocorrer no ambiente escolar, solicitou um cronograma de atividades para os educandários. Segundo Vanusa Rossetto, definir ações que contemplem harmonia, paz e solidariedade reflete paralelamente em prevenção ao bullying. “Atividade que busca isso nos faz entender que estamos contemplando ações anti bullying. No momento que disseminamos a visão de uma sociedade mais justa, in2d r$ 9,00 clusiva e democrática, trabalhamos ao lado dessas ações contra 3d r$ 11,00 o bullying. Nós não precisamos nominar especificamente essa palavra para semearmos uma visão mais humana na mente Bella Cittá dos nossos alunos”, pontua a Consulte a programação no site: www.arcoplex.com.br professora.


GERAL

Quarta-feira, 16.05.2018 , Passo Fundo

DIÁRIO DA MANHÃ -

escolas é realidade

5

Foto: Matheus Moraes / DM

Sindicato aceita proposta de Coleurb e Transpasso Trabalhadores receberão reajuste salarial de 2% em negociação encerrada nessa terça-feira Matheus Moraes matheus@diariodamanha.com

Exclusão social é uma forma de bullying combatida em Passo Fundo

Proerd já trabalha com bullying cibernético

De acordo com a ouvidoria da 7ª CRE, que abre espaço para reclamações, denúncias e sugestões e realiza os devidos encaminhamentos sobre assuntos acerca da rede estadual, não há nenhum caso de denúncia sobre bullying nas escolas nos meses de abril e maio deste ano. Para a assessora pedagógica do Cipave, o trabalho realizado tem o intuito de minimizar os casos. No entanto, o quadro pode ser ainda superior, de acordo com ela. “Cada dia é um dia na vida do estudante. Estamos em efetivo trabalho para minimizar o máximo esses casos. Nós observamos esse quadro positivo, sabendo que isso nos compromete a sermos cada vez mais responsáveis e trabalhar cada vez mais com o objetivo de continuar numa situação positiva e fazer com que isso ainda evolua”, finaliza.

A votação

Foram 263 trabalhadores que votaram nessa terça-feira no Sindiurb. Desses, 175 foram favoráveis à proposta, enquanto 85 optaram por continuar a greve. Outros dois votos nulos e um branco encerraram a votação.

A atualização

Foto: Matheus Moraes / DM

Desde 2004 instaurado no país, o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) atua como um instrumento social de ligação entre a Brigada Militar e as escolas. Em Passo Fundo, no próximo mês, cerca de 550 alunos, de 11 escolas – 6 estaduais e 5 municipais -, se formam no curso que engloba dez aulas com temas preventivos de álcool, droga e violência. Atualmente, o Proerd trabalha com quatro nortes de combate ao bullying: o verbal, social, físico e cibernético. De acordo com a coordenadora regional do Proerd, capitã Andreza, da Brigada Militar, existe toda uma preparação do instrutor – policial militar responsável pelas aulas – para a realização das atividades. “Acontece conforme a disponibilidade, com uma aula por semana normalmente. São aulas de como lidar com a relação do álcool, das drogas, da violência. Explicamos a definição de bullying, as formas que ele pode surgir. São três conceitos básicos, da ofensa verbal, física e social, com exclusão de grupos. Atualmente tem uma nova forma, com as mídias sociais, do bullying cibernético. Tratamos de uma forma que isso fique na consciência da criança dentro da sala de aula e além da fronteira dela”, explica a capitã. As aulas da Brigada Militar nas escolas são para crianças do quinto ano do ensino fundamental, geralmente com idade entre 10 e 11 anos.

Nenhum caso registrado

Os ônibus não deixaram de circular em Passo Fundo nesta semana, apesar do indicativo gerado pelo estado de greve. Em nova assembleia realizada durante a terça-feira (15), os trabalhadores da Coleurb e da Transpasso aceitaram a segunda proposta das empresas. Com isso, a paralisação prevista para esta quarta-feira (16) foi encerrada. A proposta aceita pelos trabalhadores é de aumento salarial de 1%, retroativo à data base de 1º de março e aumento de mais 1% a partir de 1º de agosto. No entanto, esse percentual extra pode ser acrescentado antes da data em caso de reajuste da tarifa de ônibus. Ou seja, o reajuste salarial oferecido aos trabalhadores é de 2%, abaixo dos 7% solicitados pela categoria. A nova proposta aceita também engloba o valor do tíquete alimentação de R$ 360, retroativo à data base de 1º de março, com acréscimo de R$ 10 a partir de junho e julho e outro aumento pelo mesmo valor a partir de 1º de agosto. Ou seja, o tíquete alimentação passa a valer R$ 380 para as duas empresas. Segundo o presidente do Sindiurb, Miguel Valdir dos Santos, não deve ocorrer uma paralisação ao longo do ano por parte dos trabalhadores das empresas dentro do tema salarial, exceto por outro motivo.

Instituída ainda no governo de Fernando Henrique Cardoso, a lei original direciona a educação nacional por meio da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). O artigo 12, alterado pela lei sancionada agora, trata da incumbência dos estabelecimentos de ensino. Confira os itens do artigo: - Cabe às instituições de ensino “promover medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência, especialmente a intimidação sistemática (bullying), no âmbito das escolas”; - As instituições deverão adotar “ações destinadas a promover a cultura de paz nas escolas”.

Estado de greve da categoria durou quatro dias, mas sem paralisação de ônibus


6 - DIÁRIO DA MANHÃ

Quarta-feira, 16 .05.2018 , Passo Fundo


SEGURANÇA

Quarta-feira, 16.05.2018 , Passo Fundo

VINICIUS COIMBRA

vinicius@diariodamanha.com

DIÁRIO DA MANHÃ -

7

Operação investiga possível desvio de R$ 1,2 milhão no HSVP Foram cumpridos 10 mandados de busca e apreensão no hospital e nas residências de profissionais A Polícia Federal deflagrou a segunda fase da Operação Efeito Colateral no Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), em Passo Fundo, na manhã de terça-feira (15). A ação investiga o possível desvio de recursos públicos do Sistema Único de Saúde (SUS). Os valores eram repassados ao Hospital São Vicente de Paulo, em Passo Fundo, para serem aplicados no setor de oncologia, segundo a PF. Os valores inicialmente investigados superam R$ 1,2 milhão em verbas do SUS. Durante o dia, 40 policiais federais cumpriram 10 mandados de busca e apreensão em Passo Fundo. Ninguém foi preso durante a ação. A operação, iniciada pela Delegacia de Polícia Federal em Passo Fundo, atualmente prossegue na Delegacia de Repressão a Corrupção e Crimes Financeiros da PF, em Porto Alegre. No dia 20 de março deste ano ocorreu a primeira fase da operção. Cerca de 50 policiais

federais cumpriram oito mandados de busca e apreensão em Passo Fundo, Porto Alegre e Florianópolis. As investigações começaram em 2017 para apurar a legalidade de repasses de recursos do Hospital para uma empresa ramo de consultoria localizada em Florianópolis. Segundo o delegado da PF Guilherme Siqueira, a investigação teve início após a constatação de que o Hospital e empresas que fornecem material hospitalar ao HSVP faziam depósitos e transferências para a empresa sediada na capital de Santa Catarina. “Essa empresa tem características de ser uma empresa de fachada. O motivo [da investigação] é apurar a razão desses repasses, se houve prestação de serviço ou não e qual seria a natureza desse serviço”, disse à época. Diligências realizadas apontam que o titular dessa empresa seria um “laranja”, supostamente vinculado a um funcionário da administração do Hospital.

Confiança abalada Para Terezinha Perissinotto, presidente do Sindisaúde, que representa trabalhadores da área da saúde, essas suspeitas de desvios de recursos devem ser investigadas e os culpados, punidos, para que os funcionários possam trabalhar com tranquilidade. “Vejo com muito pesar e tristeza o hospital ser atingido por investigações, suspeitas, porque é o maior da região. Toda e qualquer questão que atinga um hospital representa prejuízo para os trabalhadores e para a população”, afirma. As recentes operações, segundo ela, abalam o relacionamento entre a instituição e a sociedade.

“Qual a confiança que a gente tem ainda em procurar o hospital? Acho que isso fica na cabeça de cada cidadão que mora em Passo Fundo e região. De fato a cirurgia que o médico falou é necessária? Esse tratamento é o que eu preciso? Qual é a confiança que a gente ainda tem em relação a essa questão?”, indaga. Ela diz não julgar antecipadamente ou levantar suspeita da atuação dos profissionais do HSVP, mas destaca: “A seriedade e a honestidade dentro da área da saúde são fundamentais para que a população possa ter confiança.”

Cito se manifesta sobre investigação O Centro Integrado de Terapia Onco-Hematológica (Cito) emitiu uma nota à imprensa através de seus advogados sobre as investigações da PF. O Cito é uma empresa contratada pelo HSVP para instalar um Instituto do Câncer. Quatro médicos são responsáveis pelo Centro e desenvolvem o trabalho no hospital. Por isso, os advogados esclarecem pontos sobre a atuação das partes. Segundo eles, todas

as relações contratuais mantidas pelo Centro, primeiro com o Hospital da Cidade (HC), e, depois, com o Hospital São Vicente de Paulo, são públicas. Essas relações sempre atenderam aos requisitos legais, e transparentes no que se referem aos benefícios técnicos e financeiros, dizem os representantes. “Ao longo de mais de 15 anos de atuação, junto à comunidade de Passo Fundo e região, o Cito e seus responsáveis técnicos jamais co-

meteram quaisquer irregularidades, razão pela qual têm a mais absoluta confiança e tranquilidade quanto à investigação em curso, na qual, aliás, já haviam se colocado à disposição dos órgãos competentes. Reafirmamos, assim, o nosso compromisso com a causa da saúde e do bem-estar de nossos pacientes, ratificando o nosso interesse em colaborar para o mais rápido esclarecimento dos fatos”, diz a nota.

“Se alguém errou, que pague pelo erro”, diz presidente Décio Ramos de Lima respondeu questionamentos sobre as recentes investigações no Hospital São Vicente de Paulo

DM - Qual o posicionamento do HSVP sobre as operações da Polícia Federal? Nós defendemos plenamente. Achamos que se existe erro, se alguém errou, que pague pelo erro. Temos certeza que isso será esclarecido. O que não podemos é penalizar uma instituição que vai completar 100 anos, uma das instituições mais importantes da saúde do interior do Estado. Há 100 anos vem atendendo a população de mais de 400 municípios, que temos serviço de alto nível perante a saúde do Rio Grande do Sul e que atende mais de 70% SUS. Imagina se acontecesse alguma coisa com o hospital, seria uma calamidade. Quem atenderia esse povo que precisa de atendimentos? Temos um corpo clínico excelente, mais de 3.600 funcionários em todas

Foto: Vinicius Coimbra

O presidente do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), Décio Ramos de Lima, posicionou-se sobre as recentes operações da Polícia Federal na instituição, durante a tarde de terça-feira (15).

Décio Ramos de Lima está no HSVP há 27 anos as áreas. Somos uma das instituições mais importantes do interior, reconhecida por diversos levantamentos. Passo Fundo é um polo de saúde e muito se deve ao HSVP. DM - Como o senhor responde a pessoas que olham com desconfiança o trabalho do Hospital devido às operações da PF? Eu respondo da seguinte forma: em qualquer lugar do mundo, em qualquer parte da sociedade,

existe a grande maioria das pessoas que trabalham corretamente, e poderá ter alguém que não faça isso. Não é por causa de algumas pessoas que nós vamos penalizar e punir uma instituição que há 100 anos vem prestando o melhor serviço. Quero dizer que estamos tão apreensivos quanto a nossa população. Queremos prestar todos os esclarecimentos, damos todo o apoio à Polícia Federal, ao Ministério Público, à Justiça, para que, se, por ventura, alguém está destoando da orientação do nosso hospital, que paguem pelos erros, que seja punido e que o Hospital continue a sua trajetória. DM – Qual é o posicionamento do hospital sobre os profissionais investigados? Estamos aguardando. Nós, tanto quanto a própria população, estamos surpresos com isso que está sendo averiguado pela PF, pelo MPF. Se soubéssemos de qualquer tipo de atitude não compatível com a moral e com a ética, com certeza, teríamos tomado decisões. Aguardomos ansiosamente para que a polícia conclua o seu

trabalho, para que a Justiça se pronuncie, para que possamos tomar as devidas providências. DM – O que mais o senhor diria à sociedade neste momento? Temos a certeza que o corpo clínico, os funcionários, os vicentinos, que o hospital, quando tomar conhe-

cimento do que realmente está acontecendo, vai tomar as atitudes que tem que tomar. Muitas pessoas não têm nem a dimensão do que é o hospital. Se o hospital deixasse de atender pelo SUS, seria uma calamidade na nossa cidade, na nossa região. Acreditamos que isso não vai acontecer porque a verdade tem que prevalecer.


GERAL POLÍCIA EDUCAÇÃO

8 - DIÁRIO DA MANHÃ

Quarta-feira, 16 .05.2018 , Passo Fundo

www.diariodamanha.com

DIÁRIO PASSO FUNDO redacao@diariodamanha.com - (54) 3316.4800 DIÁRIO CARAZINHO redacao.carazinho@diariodamanha.com - 54.3329.9666 DIÁRIO FM - 98.7MHz diariofm@diariodamanha.com - 54.3311.1309 DIÁRIO AM - 570KHz diarioam570@diariodamanha.com - 54.3311.7756 DIÁRIO AM CARAZINHO - 780KHz diarioam780@diariodamanha.com - 54.3331.2422

O ministro Felix Fischer, relator da Lava Jato no Superior Tribunal de Justiça (STJ), julgou prejudicado um habeas corpus que foi impetrado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva um dia antes de sua prisão, no último dia 7 de abril. A decisão foi divulgada ontem (15). Pouco depois de o pedido ter sido protocolado no STJ, no dia 6 de abril, o ministro negou liminar (decisão provisória) para impedir a prisão de Lula. Agora, Fischer suspendeu por completo a tramitação do habeas corpus por entender não existir mais a irregularidade que era apontada pela defesa. No habeas corpus, a defesa de Lula argumentou que o ex-presidente não poderia ter sido preso antes de que a segunda instância tivesse concluído a análise de admissibilidade de um recurso especial contra a condenação, o que até hoje não ocorreu.

PREVISÃO PARA HOJE PASSO FUNDO

11ºC Mínima

CARAZINHO

19ºC Máxima

12ºC Mínima

LUAS Nascente: 6h50min Poente: 18h30min

Quarta-feira, 16/05/2018

Kleiton Vasconcellos kleiton@diariodamanha.net

O Centenário I O último final de semana foi muito especial para toda a torcida do Sport Clube Gaúcho. Em poucas horas, o Alviverde mostrou que está muito vivo e chega com plena saúde ao seu centenário – algo, que vale destacar, poucas entidades conseguem em Passo Fundo. Na sexta-feira, foi realizado um belo jantar no Clube Comercial, marcando a data. No domingo, o time foi a campo e venceu o seu jogo, válido pela Terceirona. Na segunda-feira, recebeu homenagem especial na Câmara de Vereadores. Para um clube que chegou a ser dado como extinto no final da década passada, nada mal.

O Centenário II Vou ater-me agora ao jantar da sexta-feira. Tudo muito bonito, presenças ilustres e fortes emoções em quem viveu as diferentes fases da história centenária. Tive a honra, e quero deixar registrado, de ser chamado para receber, em nome dos colegas da imprensa, um belo certificado de torcedor/ apoiador. Se você, por diferentes motivos não compareceu ao jantar, não se preocupe: o presidente Gilmar Rosso garantiu que haverá outro evento (até com valores mais acessíveis) para ainda marcar os 100 anos do clube.

Dentro de campo No domingo, o Alviverde recebeu a SER Santo Ângelo e venceu o seu terceiro compromisso seguido pela Terceirona. É líder isolado da Chave A da competição, com 9 pontos e 100% de aproveitamento. Não foi uma partida inspirada – pessoalmente achei melhor a atuação diante do São Borja, quando os jogadores bateram mais a gol – mas valeu pelo resultado em si. Notei, ainda, uma solidez defensiva, visto que os visitantes não assustaram. A chance de chegar aos 12 pontos será no domingo (às 11h) contra o vice-líder SER Cruz Alta, de novo na Arena. Aliás, talvez venha a ser definitivo o horário das 11h de domingo para os jogos do Gaúcho em casa.

Fechado É triste e lamentável o estágio atual do Estádio Vermelhão da Serra. Não que o maior casa esportiva passo-fundense esteja abandonada. Ocorre que estamos recém em maio e há a ameaça iminente de que a bola não role mais naquele gramado em 2018. O Esporte Clube Passo Fundo teve inúmeros problemas e embora tenha apresentado uma boa recuperação, sucumbiu ainda na 1ª fase da Divisão de Acesso. A queda prematura, aliada ao fator eleições (terá pleito mês que vem) torna a situação nebulosa no Bairro São Cristóvão.

Recuperação Mesmo que tenha feito uma boa preparação, o início do Passo Fundo Futsal/ Fasutgs/ Valtra Razera parece complicado na Série Prata. A derrota para a AMF em pleno Capingui não poderia ter acontecido. Com um empate fora de casa, diante da ADCH, o time soma apenas 1 ponto em seis disputados. Torna meio que obrigação vencer os jogos em casa, mesmo que a fase classificatória seja longa, pois o discurso é obter as primeiras posições. A recuperação deve começar agora, contra a AFF, no Capingui. O jogo está marcado para o sábado, às 19h.

Vôlei Encerro com o vôlei adulto feminino da BSBios/ UPF. A equipe de 2018 foi apresentada na semana passada e traz consigo a possibilidade de obter bons resultados na temporada. O time perdeu o título estadual em 2017 e tem, entre os grandes desejos, voltar ser o melhor no Rio Grande do Sul. Lamento apenas que a Federação Gaúcha de Voleibol ainda não tenha determinado nem data, fórmula ou participantes do seu principal certame.

Minguante 07/05

PORTO ALEGRE

19ºC Máxima

Nova 15/05

13ºC Mínima

Crescente 22/05

21ºC Máxima

Cheia 29/05

Título de campeão mundial Marcos Cavalheiro Júnior volta da Argentina com mais uma grande conquista para o seu currículo. Meta do atleta, agora, é retomar a vitoriosa carreira Kleiton Vasconcellos kleiton@diariodamanha.com

Conforme o prometido, o último sábado (12) foi de recomeço para Marcos Cavalheiro Júnior. Aos 23 anos, o lutador passofundense tenta retomar a carreira após uma série de dificuldades médicas. De cara, Júnior foi até a Argentina disputar o Campeonato Mundial de Artes Maciais. E o resultado não poderia ser melhor: mais um título. Pouco antes de subir ao ringue, Júnior tinha uma certeza e duas dúvidas. Enquanto estava certa a sua participação na modalidade Kickboxing, havia incerteza quanto à categoria e também quem seria o adversário. “Eu tinha duas opções para lutar. Um era o Oscar Peralta e o outro era o Joaquim Moreno, os dois argentinos. Um com menos de 89kg e outro com mais de 89kg. Eu poderia optar, pois pesei exatamente 89kg. Acabei enfrentando o Moreno e tive muita felicidade” conta o lutador. O embate foi equilibrado. Ao longo de três rounds, os oponentes tiveram imensa troca de golpes. “Acabei tento dificuldade no início, pois ele era mais alto e aplicava golpes de longa distância, como jabs direto e chute frontal. Busquei uma tática mais suicida, no ataque o tempo todo e precisando ser preciso nos golpes. No final do primeiro round, o Moreno cansou. Meu fôlego sobressaiu, embora tenha sofrido alguns golpes. Consegui manter o ritmo da luta e a vitória veio” diz Júnior. Vale ressaltar que a conquista foi obtida por pontos ao final do terceiro round. Em que pese ser um verdadeiro colecionador de títulos, ser campeão mundial é o ponto alto na carreira de Marcos Cavalheiro Júnior. Conforme ele, “Essa vitória é a mais importante da minha vida, não

Foto Arquivo Pessoal

DM

Pedido de liberdade de Lula

Título na volta aos ringues: assim foi o sábado de Marcos Cavalheiro Júnior apenas por ser da União Mundial de Kickboxing, mas também por tudo o que passei antes. Eu tentava dar a volta por cima e já retorno com esse título, que é o principal da minha carreira. A felicidade imensa, no momento nem estava caindo a ficha. Pensava só na volta às competições, deu tudo certo e estou muito feliz”. O título é encarado também como um divisor de águas. “Eu pensei demais, não em per-

Calendário

der, mas em lutar mal. Se em algum momento sofresse golpe. Mas não, tudo deu certo, estou com a cabeça no lugar. Vou fazer de tudo para recuperar a forma” explica o jovem de 23 anos. O título foi possível também pelo apoio do Restaurante da Sete, Way Estúdio Criativo, Clínica Venceforte, Brasóptica, Goulart Barbearia, Porto Maxsul, Associação Olympika e comunidade que doou nas sinaleiras.

Com a conquista, Marcos Cavalheiro Júnior já vislumbra outras competições. O primeiro desafio será o Brasileiro de Kickboxing, mas na categoria mais de 94kg. “Eu sempre lutei até 89kg. Pensei em mudar de categoria pois é a única que ainda não fui campeão. É o meu desafio agora. Já fui campeão brasileiro 11 vezes, nas mais diferentes categorias. Eu creio que se fizer toda a preparação com inteligência, cumprindo algumas metas, conseguirei mais um título e entrando para a história” encerra. Já no mês de setembro, a disputa será na Jamaica, onde é o único brasileiro garantido.


Quarta-feira, 16.05.2018 , Passo Fundo

GERAL

DIÁRIO DA MANHÃ -

9


10 - DIÁRIO DA MANHÃ

Quarta-feira, 16 .05.2018 , Passo Fundo


Quarta-feira, 16.05.2018 , Passo Fundo

DIÁRIO DA MANHÃ -

11


12 - DIÁRIO DA MANHÃ

Quarta-feira, 16 .05.2018 , Passo Fundo


Conexão

Quarta-feira, 16.05.2018 - www.diariodamanha.com

PASSO FUNDO - CARAZINHO

Mercado e governo reagem à alta do dólar Com a moeda americana em cotação mais alta dos últimos dois anos, empresas e indústrias procuram alternativas para não aumentarem custos. Economistas projetam impacto do cenário político brasileiro na variação Alessandro Tavares alessandro@diariodamanha.com

Caetano Barreto caetano@diariodamanha.com

O preço do dólar tem preocupado o mercado. Mesmo após intervir na venda da moeda americana, o Banco Central não conseguiu segurar uma nova alta no pregão desta segunda-feira (14). O dólar comercial acabou fechando o dia cotado R$ 3,628, uma alta de 0,73%. Trata-se do maior valor desde abril de 2016, quando a moeda chegou a valer R$ 3,693, o valor mais alto registrado nos últimos dois anos segundo o BC. A preocupação se concretizou na terça-feira, quando o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, em uma reunião com o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Raimundo Carreiro, se pronunciou sobre o assunto. Guardia adiantou que o motivo da elevação do câmbio são assuntos externos. “Vejo como uma tendência internacional de fortalecimento do dólar. Se nós olharmos para os países emergentes ou para as principais moedas, elas estão se desvalorizando

vis-à-vis o dólar”, destacou o ministro. Para o economista e professor da Universidade de Passo Fundo, Julcemar Bruno Zilli, a expectativa da alta de juros anunciada pelo governo de Donald Trump está gerando uma grande movimentação

financeira na cotação cambial. “O mercado de uma forma geral, com esta possibilidade dos Estados Unidos aumentar essa taxa de juros, muitos investidores, principalmente os mais especuladores, pegam dinheiro dos países emergentes, com

maior risco de investimento como é o caso do Brasil, e levam para os EUA”, explicou. O titular da pasta da Fazenda afirmou que já tem sua estratégia: “A melhor resposta do governo é persistir trabalhando no processo de consolidação fiscal, aumen-

tar a produtividade, reduzir custos para tornar a economia brasileira mais eficiente. Temos um cenário de contas externas muito favorável, temos reservas internacionais, temos um pequeno déficit em transações correntes, que é amplamente financiável pelos investimentos diretos estrangeiros, a inflação está baixa, um processo de redução da taxa de juros”, disse Guardia. Já para Zilli, a tendência é que os investimentos migrem para o Norte. “Esse comportamento é pelo componente risco, pois aqui é muito mais arriscado deixar dinheiro investido do que lá nos EUA. Eles preferem uma segurança”. Para o economista e cientista político Ginez de Campos, o governo federal terá de se mobilizar para conter a alta do dólar: “Provavelmente na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) no dia 16 de maio, o governo vai anunciar um novo corte da Taxa Selic. Desta vez, a previsão é que o juro básico deve ser reduzido em 0,25 ponto percentual. A taxa de juros básica deverá ficar em 6,25% ao ano”, projetou. Segue pg 2


DIÁRIO DA MANHÃ

2

Quarta-feira, 16.05.2018 Passo Fundo Carazinho

REGIÃO A influência do cenário político nacional Foto Caetano Barreto / DM

Zilli reitera que existem fatores internos que influenciam na cotação da moeda, como aconteceu no passado em períodos de eleições. “Nós temos também um pequeno percentual nesse valor que está relacionado com a insegurança política, as pesquisas eleitorais, mas isso ainda não está bem claro. Essa influência vai aparecer quando nós tivermos os presidenciáveis bem definidos, o que ocorrerá nos próximos meses, e então a partir desse momento, aí pode ser que nós tenhamos efeitos na taxa de câmbio proveniente dos resultados das pesquisas. Nós tivemos isso em 2002 com o Lula, em 2010 com a Dilma,

em 2014 novamente com ela, nesses momentos a cotação cambial subia, mas não eram questões externas, era insegurança interna sobre o que o eleito faria”, relembra o economista, que defende porém que desta vez o cenário brasileiro não seja o principal responsável pela alta no dólar. “Hoje, nós estamos com um comportamento diferente, principalmente pelo setor externo, a política Trump, que está influenciando na cotação do dólar”.

Julcemar Zilli, Economista “Com esta possibilidade dos Estados Unidos aumentar essa taxa de juros, muitos investidores, principalmente os mais especuladores, pegam dinheiro dos países emergentes, com maior risco de investimento como é o caso do Brasil, e levam para os EUA”

Segundo Ginez de Campos, a corrida eleitoral tem importância mesmo com a indefinição dos candidatos, pois o país não tem estrutura política para amenizar a instabilidade do câmbio. “O quadro de turbulência do atual cenário político, consequência do envolvimento de quase todos os partidos políticos em escândalos de corrupção, transforma o futuro do processo eleitoral num quadro de incertezas e especulações. O resultado é que estas incertezas políticas criam um cenário econômico de muita volatilidade o que poderá ter implicações na taxa de câmbio. Tudo isto é agravado em função do péssimo cenário fiscal e da falta de medidas concretas que diminuam a

vulnerabilidade das nossas contas públicas”, explanou Campos. Ginez indica que as possibilidades atuais podem alterar o câmbio e a confiança do investidor. “Uma candidatura mais alinhada ao mercado poderá melhorar a relação com os investidores internacionais, no entanto, qualquer candidatura populista que desconsidere a necessidade urgente de reformas que diminuam o tamanho do Estado e que reduzam a nossa gigantesca dívida pública poderá tornar o cenário mais volátil e afetar a moeda americana”. Julcemar Zilli formula sua opinião baseada nos candidatos apresentados pela CNT (Confederação Nacional do Transporte) em uma pesquisa divulgada essa semana. “Na minha projeção, com a saída do Lula do pleito, me parece que Bolsonaro perde um pouco de força política, pois com a presença do petista, ele receberia muitos votos de protesto, e sem o ex-presidente, ele teria uma queda nas intenções de voto, e isso já começou a se perceber: mesmo ele liderando, o seu percentual começou a diminuir”, opinou. Zilli também acredita que um candi-

dato alinhado ao mercado pode estreitar as políticas com o cenário externo. “O Meirelles (MDB) provavelmente deve aparecer forte, vai depender de como ele vai se colocar, de presidente ou de vice. E o mercado gosta muito dele, por tudo que fez tanto na época do Lula, quanto na época da Dilma. E o mercado está esperando, caso ele assumir a candidatura, o mercado pode reagir de uma maneira boa, no sentido da cotação cambial começar a cair”. Ginez assegura que os fatores internos inevitavelmente terão forte impacto. “A nossa corrupção pluripartidária tem afetado em muito a credibilidade da nossa classe política. Portanto, o cenário político interno, em função do futuro processo eleitoral, de certa forma cria um cenário pulverizado de candidaturas, que por sua vez gera incertezas políticas de quem poderá de fato conduzir a economia do país rumo a um porto mais seguro de estabilidade e crescimento econômico. Sendo assim, o valor da moeda nacional frente ao dólar continuará sendo influenciado muito mais pelo que acontece no Brasil do que no exterior”, apontou. Segue pg 3

E mais... MP investiga suspeita de pedofilia em Planalto

www.diariodamanha.com Presidente

Vice-Presidente

Janesca Maria Martins Pinto

Ilânia Pretto Martins Pinto

@diariodamanhaRS www.facebook.com/redediariodamanha

Clélia Fontoura Martins Pinto - ME Matriz: Rua Independência, 917, sala 3 - Passo Fundo Contato: (54) 3316-4800

A Procuradoria de Prefeitos, com apoio do Grupo de Operações Especiais de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Brigada Militar, cumpriu nesta terça-feira (15) três mandados de busca e apreensão em investigação de estupro de vulnerável no município de Planalto, município próximo a Frederico Westphalen. Os mandados foram cumpridos no gabinete do prefeito municipal e em suas duas residências. Durante a ação, o prefeito foi conduzido em flagrante para Delegacia de Polícia por posse ilegal de arma. Conforme as investigações, conduzidas pela coordenadora da Procuradoria de Prefeitos, Ana Rita Nascimento Schinestsck, e pelo promotor de Justiça assessor da Procuradoria Alexandre Salim, o prefeito da cidade, Antonio Carlos Damin, teria oferecido R$ 1 mil a uma garota de 13 anos para que fizesse sexo com ele. Segundo os responsáveis pela investigação, o fato foi no-

ticiado ao Ministério Público, Conselho Tutelar e Polícia Civil, o que levou o suspeito a marcar encontro em local ermo com os pais da menor, com o objetivo de convencê-los a retirar a representação. As investigações dão conta, também, que o prefeito teria tentado molestar a jovem, o que configura o crime de estupro de vulnerável. Além dos mandados de busca e apreensão, a 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça deferiu os pedidos do MP para proibir o contato do investigado com a vítima e os pais dela, por qualquer meio, seja pessoalmente ou por terceiros, ou mesmo por meios eletrônicos ou telefônicos, além de guardar distância mínima de 200 metros da ofendida e familiares. Ele também está proibido de se ausentar da Comarca de Planalto sem autorização judicial. A reportagem do Diário da Manhã tentou contato com a prefeitura da cidade na tarde de terça-feira, para falar com o administrador, mas não teve sucesso.


REGIÃO

A estratégia das empresas regionais frente a variação cambial

DIÁRIO DA MANHÃ

3

Quarta-feira, 16.05.2018 Passo Fundo Carazinho

Com a moeda americana valendo mais frente ao Real produtos das indústrias brasileiras ficam mais competitivos em outros países Embora a desvalorização do Real frente ao Dólar possa ser interessante para as indústrias no que tange às exportações, os reflexos positivos da variação cambial só devem ser notados pelas indústrias no país se a valorização tiver duração de médio e longo prazo. A curto prazo, o impacto que se verifica é o aumento dos custos de produção, principalmente quando se utiliza de matéria -prima importada na fabricação dos produtos. O diretor da BBS Industrial, Fernando Biazus, revela que por ora para empresa o aumento na cotação da moeda americana fez com que os custos aumentassem cerca de 15% nos últimos 90 dias. “Hoje importamos matérias -primas dos EUA, Europa e Ásia, estamos sendo impactados no aumento dos custos em virtude da desvalorização cambial principalmente do Dólar”, diz o diretor da empresa, localizada em Carazinho. O empresário explica que a matéria-prima que importa é utilizada na vedação dos cilindros, que é, segundo o empresário, um dos principais fatores que implica na vida útil do equipamento. Biazus destaca que a opção pela importação de tais materiais se dá pela qualidade destes, e mesmo que algumas das marcas adquiridas tenham distribuição no Brasil, dado o volume de compras que a indústria mantém, ainda consegue importar a preços menores do que se os adquirisse da representação brasileira. Mesmo com a condição momentânea, o empresário vê com boas perspectivas a valorização do Dólar frente ao Real pois em seu ponto de vista a médio e longo prazo a moeda americana acima da faixa de R$ 3,60 aumenta a competitividade da indústria brasileira fazendo certo equilíbrio ao que comumente é chamado de custo Brasil. O empresário comenta que, embora por um lado empresa esteja com custos maiores dados aos itens importados, por outro tem a sinalização de empresas para

quem fornece seus produtos de que estas têm ampliado seus contratos de exportação e, por consequência, a indústria em Carazinho também deve aumentar seu volume de produção. Biazus também pondera que outro fator que se percebe é que o aumento da cotação do Dólar pode internamente afetar positivamente o preço da cotação da soja, o que é do interesse das indústrias de máquinas agrícolas das quais parte dos produtos são equipados com cilindros. O empresário revela que do ano de 2016 para 2017 o faturamento da indústria cresceu 40% e que indicadores mês a mês deste ano indicam crescimento igual ou superior a 40% em 2018.

Foto divulgação BBS

BBS Industrial está em prospecções com empresas do México, Itália e França

Por que é difícil aproveitar o momento da alta Dólar?

O empresário revela que há meses tem negociações com clientes em potencial da Argentina e Uruguai, porém, segundo ele, a cada a vez uma nova condição via normaO Diretor da BBS Industrial comenta que hoje tivas e normas técnicas acaba sendo imposta pelos a empresa não está fazendo exportações direpaíses do Mercosul, o que dificulta a efetivação dos tas, porém, os cilindros hidráulicos fabricados negócios, diferente do que acontece com os EUA. pela indústria equipam máquinas que tem sido O produto em desenvolvimento deve ser destinaexportadas por diversos clientes. Biazus confirFernando Biazus, diretor do a pássaros do grupo psitacídeos, que são classifima no entanto que a indústria tem pretensões da BBS Industrial cados como sendo as aves de bico torto como araras de fazer exportação direta e tem prospecções e papagaios, o produto deve ter apelo tropical e a “Hoje importamos matériasde clientes em pelo menos dois continentes. primas dos EUA, Europa ideia é de que esteja pronto para a exportação até “Estamos com esse objetivo, mas exportar cie Ásia, estamos sendo o primeiro semestre do próximo ano. O empresário lindros hidráulicos demanda tempo, por se impactados no aumento explica que após as primeiras sondagens de merdos custos em virtude da tratar de um produto com muitas qualificações cado que levaram ao desenvolvimento do produto, desvalorização cambial técnicas, ou seja, cada cliente tem um projeto e com este pronto, se iniciam então as negociações principalmente do Dólar” necessidades específicas”, diz. diretas com empresas e clientes interessados para O empresário revela que tem prospecções fixação de acordos, transações que levam alguns com empresas do México, Itália e França, pomeses para serem concluídas. rém, explica que as transações primeiro se iniciam com um O empresário explica que dado ao tempo que se leva para projeto de engenharia, depois seguem para os orçamentos, a a efetivação dos negócios internacionais, tanto para quem fabricação de amostras e negociações. Considerando todas as importa quanto a quem exporta, a estabilização da moeda é etapas das transações com grandes empresas para a formainteressante. Löf considera que um preço adequado seria a lização de um acordo comercial, leva-se de dois a três anos. cotação do dólar mantendo-se entre R$ 3,40 e R$ 3,50. Ele exNegociações que são consideradas rápidas acontecem em plica que quando se faz uma venda internacional, o preço do tempo não inferior a um ano, e nestes casos geralmente com produto considera o valor da cotação do Dólar no dia em que países emergentes, também por isso que no caso da indústria o acordo foi firmado, e neste caso a variação cambial é um o reflexo positivo da alta do Dólar deve ser percebido caso a risco de ganho ou de perda para os dois lados. moeda americana se mantenha em tais preços por um período mais longo.

Empresa de Carazinho foca no mercado americano e Ilhas do Caribe

Paulo César Löf, proprietário da BioSuprem, empresa de Carazinho que é especializada na produção de alimentos para pássaros, revela que a empresa está em desenvolvimento de produtos com foco em mercados de estados ao Sul dos Estados Unidos da América (EUA) e Ilhas do Caribe. “A visão de mercado destes locais é diferente da nossa, para eles, desde que observadas as normas de qualidade da fabricação dos produtos, o que importa é que as empresas deles vendam e gerem resultados, diferente do Mercosul, onde ficam se criando entraves e se tem a visão de competição entre as indústrias”, comenta Löf.

O impacto da variação cambial na fabricação a curto prazo

O empresário explica que para a formulação dos alimentos, parte da matéria-prima usada pela fabricação é importada, principalmente da Europa, algo entre 15% e 20% dos componentes. Segundo Löf, até então o impacto da variação cambial tem sido absorvido pelo fornecedor que ainda não alterou os preços, porém mantendo-se a alta do Dólar o repasse deve acontecer. Löf explica, no entanto, que quando o repasse da variação cambial sobre a matéria-prima ocorre, mesmo que mais tarde a moeda venha a desvalorizar, as experiências mostram que é pouco provável que os preços praticados retornem a indicadores iguais ou semelhantes aos que eram praticados antes da variação.


ESPORTE DIÁRIO DA MANHÃ

4

Quarta-feira, 16.05.2018 Passo Fundo Carazinho

Lista de Tite em análise Convocação dos 23 jogadores brasileiros para a Copa do Mundo rendeu debates. Para muitos desportistas, há correção nos nomes chamados

Kleiton Vasconcellos kleiton@diariodamanha.com

Redação DM redacao.carazinho@ diariodamanha.com

A tarde de segunda-feira (14) foi de muita atenção entre os fãs de futebol e torcedores em geral. Na sede da CBF, no Rio de Janeiro, Tite convocava os 23 jogadores que irão formar a Seleção Brasileira na Copa do Mundo da Rússia, que inicia dentro de um mês. Inevitavelmente a lista gera discus-

sões e debates. Por isso, a reportagem do Grupo Diário da Manhã foi ouvir desportistas. Em Passo Fundo opinaram dois treinadores de futebol: Gelson Conte, que atualmente dirige o Sport Clube Gaúcho, além de Ricardo Attolini, que tem importantes passagens pelo Gaúcho, Esporte Clube Passo Fundo, Ypiranga de Erechim e Inter de Santa Maria. “A minha opinião é que o Tite certamente levou os melhores da atua-

lidade, seja fora do país ou daqui. Uma ou outra peça que ele escolheu e as pessoas não concordam, mas os escolhidos estão dentro do projeto e plano de jogo” disse Conte. Para Attolini, “é uma boa lista. Ali estão jogadores com quem ele vem trabalhando desde o princípio. Tite montou uma relação de atletas, alguns que já trabalharam com ele, para dar segurança ao posicionamento e postura da equipe”. Ainda

A Seleção Brasileira, que lutará pelo hexacampeonato em junho, foi a primeira a se classificar para a competição, possuindo também a primeira colocação nas Eliminatórias Sul-Americanas. A pouco mais de 30 dias para o início da Copa, o time canarinho, que inclusive é o único que jamais ficou fora de um Mundial, conta com jogadores de alto nível, como Neymar, Gabriel Jesus, Alisson, entre outros. Mesmo assim, obviamente nem todos os brasileiros concordam com a lista divulgada por Tite. Outros concordam. Enfim, todo mundo que acompanha futebol gosta de comentar as escolhas dos técnicos. Gilberto Kamphorst, o Gibão, diretor da Fundação Desportiva e Cultural de Carazinho (Fundescar), avalia que, mesmo com algumas ressalvas, a escolha de jogadores lhe agradou, sendo estes de confiança para Tite. “Contamos com o nosso camisa 10, ele faz a diferença no time. Porém, acredito na força da equipe. O conjunto é forte, é o que há de melhor”, observa.

Fotos Arquivo/DM

Carazinhenses comentam lista de Tite

esperamos que o Tite possa pôr em prática aquilo que já foi testado nas competições e amistosos” pontuou Attolini. Segundo Conte, “como tudo no Brasil vira debate, tem muita gente falando que alguns jogadores não deveriam ter ido. Mas precisamos lembrar que Tite pegou o Brasil fora da zona de classificação. Então temos que deixar ele trabalhar, dentro das escolhas feitas”.

Época de convocações Com a data-limite imposta pela Fifa no final, as seleções já foram convocadas. Ao contrário do Brasil, que teve apenas 23 nomes chamados, algumas listas chegam a 35 atletas A semana tem sido agitada das federações de futebol em cada país classificado para a Copa do Mundo da Rússia. Com a data-limite para a entrega das listas de convocados chegando, coube a cada treinador chamar os seus escolhidos. Algumas seleções optaram por chamar 23 atletas, outras incluíram os suplentes, no total de 35 nomes. Confira algumas listas divulgadas:

Alemanha O técnico Joachim Löw chamou 27 nomes na primeira lista. Desses, terá que cortar quatro até a Copa. Foram chamados 14 jogadores campeões da Copa das Confederações de 2017. O período de preparação incluirá treinamentos e um amistoso diante da Áustria. Convocados Goleiros: Bernd Leno, Manuel Neuer, Ter Stegen e Kevin Trapp; Defensores: Jerome Boateng, Matthias Ginter, Jonas Hector, Mats Hummels, Joshua Kimmich, Marvin Plattenhardt, Antonio Rüdger, Niklas Süle e Jonathan Tah. Meio-campistas: Julian Brandt, Julian Draxler, Leon Goretzka, Sebastian Rudy, Sami Khedira, Tony Kross e Mesut Özil. Atacantes: Thomas Müller, Ilkay Gündogan, Nils Petersen, Marco Reus, Leroy Sané, Mario Gomez e Timo Werner.

Gelson Conte, Ricardo Attolini, Gilberto Kamphorst e Juliano Nemeck falaram sobre a lista de Tite para a Copa O professor Juliano Nemeck, técnico do OMF, apesar de compartilhar da mesma opinião sobre o grupo, aponta algumas ressalvas, principalmente sobre a falta de Luan e Arthur, jogadores do Grêmio. “Como bom gaúcho e gremista, acredito que ambos farão falta na equipe principal, porém a experiência do restante não nos deixará em falta”, avalia. O Brasil estreia contra a Suíça no domingo dia 17 de junho, às 15h no horário de Brasília, em Rostov-on-Don.

Perfil dos jogadores brasileiros

Argentina Ao contrário do Brasil, a Federação Argentina de Futebol optou por convocar a lista total de 35 nomes escolhidos pelo treinador Jorge Sampaoli. Mas a listagem durará pouco, pois na segunda-feira (21) será definida a contagem final. Destaque para as ausências de nomes como Tevez e Lavezzi. Na preparação hermana está incluso um amistoso, frente ao Haiti. Convocados Goleiros: Sérgio Romero, Caballero e Nahuel Guzmán; Defensores: Gabriel Mercado, Salvio, Mascherano, Otamendi, Pezzella, Fazio, Marcos Rojo, Funes Mori, Tagliafico, Acuña e Ansaldi; Meio-campistas: Manuel Lanzini, Ricardo Centurión, Maximiliano Meza, Lucas Biglia, Pizarro, Enzo Pérez, Ever Banega, Lo Celso, Leandro Paredes, Rodrigo Battaglia, Ángel Di Maria, Cristian Pavón e Pablo Pérez; Atacantes: Dybala, Diego Perotti, Lionel Messi, Sergio Agüero, Gonzalo Higuaín, Lautaro Martínez e Mauro Icardi.

Portugal Foto Divulgação

A cada dia, o Grupo Diário da Manhã irá apresentar um rápido perfil sobre cada um dos 23 jogadores chamados pelo técnico Tite para representar o Brasil na Copa do Mundo. Começa hoje pelo goleiro Alisson. O camisa 1 tem sido apontado pelo treinador como o titular para a disputa do Mundial. Alisson Becker é natural de Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul. Nascido em 2 de outubro de 1992, iniciou a carreira na base do Internacional, onde profissionalizou-se em 2014 e atuou até maio de 2016, quando sagrou-se campeão estadual e acertou transferência para a Roma, da Itália. Com 1,93m e apontado como “tranquilo”, é observado por clubes gigantes, como Real Madrid (Espanha) e PSG (França). Alisson tem convocações para a Sele-

conforme Attolini, “cada um de nós é um treinador no Brasil. Tite tem as suas escolhas e muitos nomes bons ficaram de fora”. Por fim, Ricardo Attolini disse que teria levado Arthur, “mas não há o que contestar”. Tanto Conte quanto Attolini concordam em outro fator: há que se ter confiança no trabalho de Tite. “Agora é trabalhar, um grupo que apresenta uma boa forma de atuar. São quase dois anos de trabalho e agora

A seleção portuguesa é outra que optou por divulgar uma pré-lista com 35 nomes para a Copa do Mundo. Entre os convocados pelo técnico Fernando Santos está a presença mais do que garantida do atacante Cristiano Ronaldo. Há, também, dois brasileiros naturalizados portugueses: o zagueiro Pepe e o atacante Ronny Lopes. Convocados Goleiros: Anthony Lopes; Beto e Rui Patrício; Defensores: Antunes, Bruno Alves, Cédric Soares, João Cancelo, José Fonte, Luís Neto, Mário Rui, Nélson Semedo, Pepe, Raphael Guerreiro, Ricardo Pereira, Rolando e Rúben Dias; Meio-campistas: Adrien Silva, André Gomes, Bruno Fernandes, João Mário, João Moutinho, Manuel Fernandes, Rúben Neves, Sérgio Oliveira e William Carvalho; Atacantes: André Silva, Bernardo Silva, Cristiano Ronaldo, Éder, Gelson Martins, Gonçalo Guedes, Nani, Paulinho, Ricardo Quaresma e Ronny Lopes.

Costa Rica

Alisson defende atualmente a Roma, da Itália ção desde a base e foi chamado para o time principal em 2015, pelo então técnico Dunga.

Adversária do Brasil na primeira fase, a Costa Rica também já conhece os 23 convocados pertencentes à listagem final para a Copa. O técnico Óscar Ramirez optou por não divulgar o nome dos suplentes, assim como fez Tite. Entre os chamados estão o goleiro Keilor Navas e o meia Bryan Ruíz. Convocados Goleiros: Keylor Navas, Patrick Pemberton e Leonel Moreira; Defensores: Cristian Gamboa, Ian Smith, Ronald Matarita, Bryan Oviedo, Oscar Duarte, Giancarlo González, Francisco Calvo, Kendall Watson e Johnny Acosta; Meio-campistas: David Guzmán, Yeltsin Tejeda, Celso Borges, Randall Azofeifa, Rodney Wallace, Bryan Ruiz, Daniel Colindres e Christian Bolaños; Atacantes: Johan Venegas, Joe Campbell e Marcos Ureña.

Passo Fundo  
Passo Fundo  
Advertisement