Issuu on Google+

Quinta- feira, 13.03.2014

Foto: Choks

Especial expodireto

1

Expodireto 2014: a feira das boas notícias!

Depois do anúncio da recuperação da filantropia pela Emater feito no segundo dia da Expodireto, na terça-feira, ontem foi dia de comemorar o anúncio da Emater de uma supersafra no Estado, com 27, 4 milhões de toneladas, 1 milhão a mais do índice recorde de 2011. Conforme a Emater, se configura como a maior safra da história do Rio Grande do Sul. Pág 3

Irrigação e armazenagem estimulam alta na comercialização Instituições financeiras apontam crescimento de até 30% no volume de negócios nos três primeiros dias de feira. Pág 9 e10

Grupo Diário da Manhã lança Anuário Publicação,com mais de 120 páginas, trará as perspectivas do agronegócio para 2014. O lançamento ocorre hoje (13), a partir das 11h30min, na Casa Diário Expodireto Cotrijal. Pág 5


2

Especial expodireto

Quinta- feira, 13.03.2014

#Selfie Expo... ...um tipo de fotografia de autorretrato, normalmente associado com redes sociais. A selfie se tornou viral a partir do Oscar 2014, quando a foto do grupo comandado pela apresentadora Ellen DeGeneres, teve mais de 2,7 milhões de partilhas, chegando a colapsar o Twitter por alguns minutos. Entrando na brincadeira, o Grupo Diário propôs ao Secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, Ivar Pavan, o vice-presidente da Cotrijal, Enio Schroeder, e o presidente da Emater, Lino de David, que posassem para uma selfie. Confira o resultado do click protagonizado por Ivar Pavan!

#Visitas na Casa Diário Expodireto Cotrijal

Coordenador técnico do Programa RS Mais Água Mais Renda, André Stolaruck, e o Secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, Ivar Pavan, durante debate na Casa Diário

Debate na manhã de quarta-feira (12), promovido pela Rádio Diário AM, comandado pelos jornalistas Nadja Hartmann e Marcelo Marcos

Claudio Pereira, presidente do IRGA, também participou da entrevista

# Clicks

# Eu Recomendo

Programação de quinta-feira (13)

O casal Helena e Romeu Balconi visitaram o parque da Expodireto pela primeira vez ontem (12). Eles são agricultores da cidade de Dilermando de Aguiar, na região central do Estado, e dizem que valeu a pena os 300 km de viagem, para prestigiar essa festa do agronegócio. Eles fizeram parte de uma excursão que trouxe para Não-Me-Toque mais de 60 visitantes do município.

– 7° FÓRUM FLORESTAL DO RIO GRANDE DO SUL Horario: 8h30min Local: Auditório Central do Parque da Expodireto Cotrijal Painelistas: Fabrício Azolin - Engenheiro Agrônomo Seapa; Dirceu Slongo - Engenheiro Agrônomo Emater e representante da Ageflor/RS; Valdir Zonin - Engenheiro Agrônomo Emater/RS-Ascar – Seapa; Roberto Ferron - Engenheiro Florestal Ibramate; Gilberto Heck - Presidente Sindimate; Elton Weber - Presidente Fetag/RS – ENCONTRO DE PRESIDENTES Horário: 10h Local: Auditório da Produção Promoção: AGERT e SINDIRÁDIOS – AUDIÊNCIA PÚBLICA Horário: 13h Local: Auditório da Produção Normas da ABNT que regularizam a venda de combustíveis de forma fracionada Promoção: Fetag – MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS Horário: 16h Local: Auditório da Produção Promoção: ABRASEM

Vice-presidente da Aprosoja, Irineu Orth, e o presidente nacional, Décio Teixeira

O Hospital de Olhos LD-7 está com a sua Unidade Móvelno Parque da Expodireto Cotrijal. Os clubes membros do Distrito LD-7 estão realizando testes de acuidade visual que acusa se a pessoa é portadora de deficiência visual e medição da pressão ocular, identificando a presença de doenças. Todos os clubes do distrito estarão fazendo esse trabalho, mas na tarde de ontem (12), o serviço ficou sob o comando do Lions Clube Carazinho Centro. Na foto, Almari Decol, Tânia Fetzer, e Neri Hortêncio. O atendimento é das 8:00h às 12:00h e das 13:30h às 17:00h, ao lado do Ambulatório de Saúde

Fundador Jornalista Túlio Fontoura (1935 1979) Presidente-Emérito Dyógenes Auildo Martins Pinto (1972 1998) Vinícius Martins Pinto (1997 2003)

Presidente Janesca Maria Martins Pinto Vice-Presidente Ilânia Pretto Martins Pinto Diretor Executivo Rogel Mello

www.facebook.com/diariodamanha

@jornal_dm

As professoras do Instituto Federal do RS, campus Ibirubá, Renata Porto Alegre Garcia e Dionéia Magda Everling, estavam impressionadas com a beleza do paisagismo no parque. Elas disseram, ainda, que é necessário um dia todo para visitar tudo o que a feira tem para oferecer. Elogiaram também o bom atendimento e sugeriram que a organização providencie mais banheiros femininos.

Edição: Nadja Hartmann (DRT:6416) Reportagens: Alessandro Tavares, Cristian Puhl, Alessandra Pasinato, Mayara Dalla Libera, Rodolfo Sgorla da Silva Diagramação: Tiago Almeida Moreira Portal: Michelli Beis Supervisão: Jussara Sirena


Quinta- feira, 13.03.2014

Supersafra de 27,4 milhões de toneladas em 2014

Especial expodireto

3

Números otimistas apontam para uma safra que supera em 1 milhão de toneladas o índice recorde de 2011 e, conforme a Emater, se configura como a maior safra da história do Rio Grande do Sul Fotos: DM/ Cristin Puhl

Uma notícia que trouxe animação e otimismo ao setor do agronegócio e que traz perspectivas excelentes para a safra deste ano, que deve ultrapassar a marca de 2011 e se configurar como uma supersafra. O levantamento feito pela Emater e divulgado na manhã desta quarta-feira (12), estima que 2014 terá recorde de 27,4 milhões de toneladas de grãos, 1 milhão de toneladas a mais do que a maior safra da história contabilizada em 2011. A previsão do governo não é confirmada por entidades do setor, que apontam fatores externos como negativos e responsáveis por uma quebra de safra. Somente a colheita da soja mais tardia deve assegurar os números com exatidão.

Dados da Emater Boas perspectivas foram consideradas pela Emater em todos os grãos que compõem a cadeia produtiva. Apresentados pelo diretor técnico, Gervásio Paulus, o arroz teve um pequeno aumento de área de 2,89 % e a expectativa de aumento de produção é de 8% por não ter tido problemas de armazenagem de água. Ainda, avalia que na cultura do feijão, se confirmou uma tendência histórica de redução de área cultivada em relação a safra passada, porém com produtividade maior, ou seja, mesmo com redução de área houve aumento de 15% entre 2013 e 2014.

Milho e Soja Sobre o milho, pela primeira vez nos últimos 15 anos, a área cultivada foi inferior a 1 milhão de hectares e confirmou a tendência de redução de área cultivada em 5,58% e produtividade quase 5% maior do que no último ano. Diferentemente do milho, na soja, se confirmou a tendência de aumento de área, chegando a quase 5 milhões de hectares. “Não estamos com a safra garantida ainda, mas com rendimento levemente superior em relação a safra do ano passado, que foi muito boa. Pelo aumento de área, está projetada uma produção maior em torno de 3,8%”, enfatiza.

Os dados apresentados trazem uma estimativa daquilo que as culturas representam para o Estado, segundo Paulus. “A projeção é de quase 1 milhão de toneladas a mais do que a safra recorde de 2011. Essa estimativa, a Emater está fazendo baseada no levantamento concluído nesta semana, quando se atinge 27 milhões de toneladas. A se confirmar, representa safra recorde para o Estado”, constata.

Dados foram apresentados pela Emater e comemorados pelas entidades do setor

Motivos para comemorar Para o presidente da Emater, Lino De David, a escolha do local para o anúncio de uma safra recorde, não poderia ser melhor do que a Expodireto. “Não teria lugar melhor para fazer um anúncio dessa supersafra. É uma supersafra puxada por duas culturas importantes - soja e arroz. Preocupa o milho com a redução da área, apesar do aumento da produtividade”, avalia ele, enfatizando que, baseado nos dados, em 10 anos praticamente dobrou a produção de grãos no Rio Grande do Sul e isso se deve a evolução tecnológica. O secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, Ivar Pavan, avalia que os dados apresentados e o anúncio da supersafra animam a economia gaúcha e os agricultores. “A expectativa é a melhor da história: são 27 milhões de toneladas de grãos que vão injetar na economia mais de R$ 24 bilhões - somando o trigo – e isso apenas em grãos. Se injetar nas cadeias produtivas do campo, sabendo que será transformado em produtos, temos 50% do PIB gaúcho”, assegura ele.

lavoura está muito bonito, mas tem fatores que prejudicaram como a falta de chuva em vários períodos no crescimento vegetativo e na formação de flores e vagens houve excesso de calor e algumas lavouras a flor chegou a cair”, pontua. Outro problema, enfatiza, se deu em razão da aplicação de um produto fúngico que foi aplicado e ocasionou alguns problemas na lavoura, o que está sendo averiguado. “Temos o clima, a seca, o excesso de calor, a aplicação do fungicida faz com que a produtividade seja prejudicada. Não é que eu conteste, mas não acredito que chegaremos a esses números. Seria interessante para os gaúchos se atingisse até mais, mas no dia a dia, falando com o agricultor, vemos outros resultados pontuais”, frisa Orth. Para o presidente, a soja com ciclo mais tardio vai ter safra normal, mas a quebra de produtividade deve girar em torno de 10% a 13% na soja. Sobre os fatores apontados por Orth, o secretário Ivar Pavan afirma que o levantamento de dados da Emater foi feito em 82% da área plantada e são dados confiáveis. “As estatísticas da Emater levam em conta esses fatores de quebra, todos os elementos foram considerados na estimativa e coincidem com a previsão do final do ano passado”, ressalta.

Contraponto Sobre a previsão de supersafra, o vice-presidente da Aprosoja Brasil, Ireneu Orth, comenta que neste ano houve uma grande troca de áreas de milho por soja, o que causou um aumento na área plantada, no entanto, a produção deve se manter igual a do ano passado. “Não acredito que o número seja esse. Gostaria que se confirmasse, mas acredito que não vai acontecer”, constata ele, examinando os números apresentados pela Emater. “O aspecto físico da

Arroz Universo: 88 municípios, 82% da área cultivada Área no Estado: 1.113.242 ha Produção: 8.772.597 t Produtividade média: 7.880 kg/ha Valor bruto da produção: R$ 6.112.746 Maior rendimento médio: regional de Pelotas com 8.510 kg/ha Milho Universo: 391 municípios, 85% da área cultivada Área no Estado: 977.345 ha Produção: 5.350.200 t Produtividade média: 5.474 kg/ha Valor bruto da produção: R$ 2.117.823 Maior rendimento médio: regional de Passo Fundo com 6.355 kg/ha Soja Universo: 317 municípios, 82% da área cultivada Área no Estado: 4.904.556 ha Produção: 13.246.148 t Produtividade média: 2.701 kg/ha Valor bruto da produção: R$ 14.474.331 Maior rendimento médio: regional de Passo Fundo Feijão Universo: 183 municípios, 70% da área cultivada Área no Estado: 4.904.556 ha Produção: 13.246.148 t Produtividade média: 5.474 kg/ha Valor bruto da produção: R$ 181.460 Maior rendimento médio: regional de Caxias do Sul

Produção total dos principais grãos de verão

Vice-presidente da Aprosoja Brasil, Ireneu Orth, e presidente da Aprosoja RS Décio Teixeira


4

Especial expodireto

Quinta- feira, 13.03.2014

Missão leite: apurar custos para manter-se competitivo Já tradicional na Expodireto, na manhã desta quarta-feira (12), Cotrijal e CCGL promoveram o 10° Fórum Estadual do Leite que reuniu produtores, técnicos, representantes de empresas, pesquisadores e estudantes para discutir as tendências da cadeia produtiva do setor leiteiro. Na abertura do evento o superintendente de produção agropecuária da Cotrijal, Gelson Lima, destacou que atividade é extremamente importante quando o recurso terra disponível é um fator limitador. O presidente da CCGL ponderou a pecuária leiteira evolui muito tecnicamente nos últimos anos bem como os níveis de produtividades, sendo que a atividade tem contribuído para com a estabilidade sócia econômica das áreas rurais e se apresentando como mais um produto de exportação, ponderou, no entanto que a atividade é de cadeia, e não é possível trabalhar sozinho. A palestra inicial ficou a cargo do pesquisador da Embrapa Gado de Leite Lorindo Stock, que falou sobre os desempenhos e as perspectivas da cadeia do leite no sul do país para os próximos anos. O pesquisador da Embrapa classificou o ciclo do leite no Brasil em pelo menos três períodos. Segundo o pesquisador da Embrapa, até o ano de 2004 a concepção era de vacas sujas e leite no balde e mesmo com baixa demanda do período o Brasil importava leite, pois o preço do produto em outros países era menor do que o custo brasileiro de produção. Entre 2004 e 2008 o cenário inverteu e o Brasil passou a ser autossuficiente e a exportar o excedente. Após o ano de 2009 o mercado começou a ser remunerado com preços que antes não haviam sido verificados, fato que é atribuído ao aumento do consumo associado ao crescimento populacional no mundo, bem como o aumento de renda das famílias o que aumentou o consumo per capita de leite.

Importação O especialista da Embrapa destaca que em 2013 o Brasil importou 1 bilhão de litros de leite o que corresponde a 3% do consumo do produto no país, mas a importação do produto não deve ser

Foto: DM/ Alessandro Tavares

Em um mercado com perspectivas de crescimento a curto prazo, é importante que o produtor de leite mantenha seus custos sempre apurados.

Abertura do 10º Fórum Estadual do Leite fator de preocupação ao produtor, pois o movimento tem colaborado para a estabilização dos preços sem significativos de picos de altos e baixos mês a mês no preço pago pelo produto. Conforme os dados apresentados na palestra 84% da produção nacional provêm de 135 mil produtores com produção diária cada um, mais de 100 litros leite dia, no entanto outros 900 mil produtores correspondem a 10 % da produção nacional com produtividades menores do que 50 litros dia, estes produtores conforme Stock, precisam de atenção técnica. O segundo palestrante do Fórum foi o pesquisador e consultor Wagner Beskow, que abordou o tema “O que precisa acontecer no campo para que o leite seja competitivo frente a alternativas produtivas”. O pesquisador destacou que os preços pagos ao produtor por litro de leite no Estado têm variado entre R$ 0,40 a R$ 1,20, mas que a maior parte dos produtores desconhece os seus custos produtivos sendo que a maioria ainda carece de assistência técnica especializada na área. O profissional indica que somente 3% dos produtores de leite conhecem seus custos reais de produção. Conforme o consultor, o ideal é que os produtores mantenham seus custos produtivos em no máximo R$ 0,62 por litro. Para isso o manejo mais interessante é o pasto com complementação alimentar de silagem ou ração. O trabalho apresentado pelo consultor focou-se no comparativo de rentabilidade econômica

entre uma mesma área cultivada com soja frente à produção de leite. Outro ponto ponderado pelo pesquisador é de que a atividade quase não sofre influências de sazonalidade ou sanitárias, ao contrário da produção de soja que tem quebras de safras por questões climáticas a cada 5 anos. “O leite pode ser muito mais rentável que a soja, mas para isso alguns fatores devem ser observados, como lotação de vacas em lactação por hectare, produtividade animal dia, manejo de pastagens, suplementação da lamentação, além de um conjunto de fatores, dentre eles a maneira que a família percebe o que faz”, destaca Beskow.

Em busca de conhecimento O técnico da Emater Gustavo Basso, que atende ao escritório da entidade no município de Pejuçara foi um dos que acompanhou as palestras do Fórum e esteve em busca de conhecimento.“ Hoje a produção de leite é um dos focos do trabalho da Emater. Vim ouvir o que os palestrantes dizem para também repassar as informações ao grupo de produtores que acompanho” comenta Basso. O agricultor Larri Lampert de Barra Funda, também acompanhou o encontro na pretensão de se aprimorar .“ Tenho 18 vacas em lactação e acredito que venho conseguindo um bom rendimento , mas sempre é bom ouvir o que dizem os técnicos porque geralmente se consegui aprimorar alguma coisa”, afirma Lampert.


Quinta- feira, 13.03.2014

Especial expodireto

5

Grupo Diário da Manhã lança Anuário Publicação,com mais de 120 páginas, trará as perspectivas do agronegócio para 2014. O lançamento ocorre hoje (13), a partir das 11h30min, na Casa Diário Expodireto Cotrijal Hoje (13), ocorre o lançamento de mais um produto editorial do Grupo Diário da Manhã. O anuário “Perspectivas do Agronegócio para 2014” será apresentado para o público na Casa Diário Expodireto Cotrijal, a partir das 11h30min, com coquetel para convidados. O Diretor Executivo do grupo, Rogel Mello explica que o lançamento do produto foi planejado para ocorrer durante a edição da feira, devido à importância e amplitude do evento para o setor. “O lançamento será na Expodireto Cotrijal por se tratar de uma das maiores feiras do agronegócio do RS e do Brasil”, argumenta, especificando que o

Foto: Reprodução DM

Manhã, sob edição de Nadja Hartmann. “Acreditamos que esse será um projeto relevante para o agronegócio. Quando nós começamos a construir o anuário, nosso objetivo primeiro foi que esse produto fosse um mecanismo que trouxesse informações para o produtor, técnico e demais pessoas que se relacionam com a cadeia do agronegócio”, ressalta Mello. Ele conclui dizendo que o público terá em suas mãos temas extremamente importantes para o setor, como cadastramento rural e seguro agrícola.

Convidados serão recepcionados na Casa Diário Expodireto Cotrijal anuário irá circular também durante a Expointer, além de ser distribuído para os patrocinadores e clientes que tenham relação com o agronegócio. O lançamento deve ocorrer de maneira informal, conforme Mello, com a presença do secretário de Comunicação e Inclusão Digital, João Ferrer, prefeito de Não-Me-Toque, Antônio Vicente Piva, entre outros convidados, como o prefeito de Passo Fundo, Luciano Azevedo, e o presidente da feira, Nei César Mânica.

Perspectivas do Agronegócio para 2014

Diretor Executivo do grupo, Rogel Mello

O diretor executivo do Grupo explica que a iniciativa de produzir o anuário Perspectivas do Agronegócio para 2014 surgiu a partir de uma lacuna no mercado. “Foi uma oportunidade, pois todos os anuários sobre o agronegócio falam apenas sobre uma determinada cultura. O objetivo do Grupo Diário da Manhã é trazer uma perspectiva de como será o ano para o setor, quais os temas que serão pautados em 2014, assuntos relevantes para toda a comunidade do agronegócio”, expôs Rogel Mello. O produto tem mais de 120 páginas, produzidos pelos jornalistas do Grupo Diário da

A publicação tem mais de 120 páginas, abordando perspectivas para o agronegócio e temas pautados em 2014


6

Especial expodireto

Quinta- feira, 13.03.2014

A feira das boas notícias

Indignação

Depois do anúncio da renovação da filantropia da Emater feito no final da tarde de terça-feira pelo presidente Lino de David, menos de doze horas depois, o espaço Emater foi sede de outra boa notícia para o setor. Durante o tradicional Café da Manhã com a Imprensa na manhã de ontem, foi confirmada a expectativa de safra recorde no Estado, com 27,4 milhões de toneladas. Os dados foram divulgados em clima de comemoração, principalmente diante do impacto de R$ 22 bilhões previsto na economia do Estado, somente com a comercialização direta da safra de verão. Mais importante do que a expectativa de uma safra recorde, é que diante do preço das commodities, esta safra também deve garantir mais renda para o produtor, que é o que interessa...

Em contraste com as boas notícias, uma notícia divulgada ontem pelo Governo do Estado não foi bem recebida por um dos setores mais fortes da economia do Estado, o da indústria de máquinas. O vice-presidente do Simers – Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos do RS, Gilson Trennepohl, demonstrou indignação com o anúncio do Governo de que poderá apoiar com R$ 40 milhões uma empresa chinesa, montadora de caminhões, para sua instalação no Rio Grande do Sul. Confiram o desabafo do empresário:

Controvérsias Ao comentar o levantamento, o secretário Ivar Pavan fez questão de se adiantar as possíveis controvérsias que podem surgir em comparação aos números da Conab, que também devem ser divulgados esta semana. Segundo ele, os números da Conab podem superar os da Emater, em função de que além das culturas de verão, também é incluído no levantamento a safra de trigo. Neste caso, a produção de grãos no Estado deve alcançar 30 milhões de toneladas. Porém, a controvérsia em relação aos números iniciou logo após a divulgação. Lideranças representativas de entidades de produtores levantaram dúvidas principalmente em relação à safra de soja, que segundo a Aprosoja pode ser até 13% inferior ao ano passado...Se confirmando ou não tal quebra, a verdade é que os produtores se mostram céticos aos anúncios de super safra, é não sem razão, até porque segundo eles, a cada anúncio de safra recorde, os preços de insumos também começam a bater recordes de preço. Por isso, cautela e canja de galinha...

Transtornos E a rede de telefonia no Parque voltou a apresentar problemas. Depois de ter fun cionado relativamente bem nos dois primeiros dias da feira, ontem, com o grande público presente, em muitos momentos foi registrado um verdadeiro apagão das operadoras. Além de irritar os visitantes, o apagão pode trazer sérios transtornos para os expositores, que dependem do sistema on-line para fechar grande parte dos negócios. A organização da feira entrou em contato com as principais operadoras na tarde de ontem e exigiu providências...

Foto: Divulgação

“Fui surpreendido com esta notícia. Eu falo como vice-presidente do Simers e vice-presidente da Abimaq, achei uma grande ideia do governo, mas porque essa condição não foi oferecida para as demais empresas já instaladas no Rio Grande do Sul, que estão aqui há mais de 50 anos? Não foi perguntado para essas empresas se elas queriam esse apoio. Não sou contra o auxílio à empresa chinesa, mas por quê não dar as mesmas condições para as demais empresas? É uma questão de isonomia. Além disso, o governo deve bilhões em ICMS retido. Acredito que primeiro você deva pagar suas dívidas para depois incentivar outras empresas. Vamos fazer um movimento com relação a isso e contatar os deputados”. Protesto feito e registrado!

Gilson Trennepohl, vice-presidente do Simers e da Abimaq

Mais boas notícias Enquanto o setor primário comemorava no Parque o anúncio de safra recorde, o governador Tarso Genro comemorava em Porto Alegre a alta do PIB do RS em 2013, se confirmando como o maior do país, com 5,8%. Apesar do índice ter ficado abaixo do previsto pelo governador que projetou taxa três vezes superior à nacional, durante a abertura da Expodireto, na última segunda-feira, o percentual foi considerado positivo, já que de acordo com a Fundação de Economia e Estatística (FEE), é o maior desde 1996, quando começou a ser realizado o comparativo do PIB estadual com a média nacional. No cenário mundial, o PIB do RS, isolado, só perderia para o da China. No último trimestre de 2013, o crescimento do Estado foi de 3,4%. A notícia, aliás, também merecia uma comemoração na Expodireto, já que entre os fatores apontados para o desempenho do Estado foi a safra gaúcha. Somente o setor de agropecuário registrou alta de 39,7% em 2013.


Quinta- feira, 13.03.2014

Especial expodireto

7

Dois anos de RS Mais Água, Mais Renda Inciativa do governo estadual tem 2.480 adesões, porém dificuldades na liberação de licenças e adequações a exigências ambientais impedem uma expansão do programa Nesta quinta-feira (13), o RS Mais Água, Mais Renda completa dois anos de criação. O programa estadual busca incentivar o uso da irrigação nas propriedades rurais gaúchas, como forma de tentar aliviar danos causados por estiagens e aumentar a produção. O programa oferece reembolso do governo estadual de 100% da primeira e da última parcela para agricultor e pecuarista familiar, de 75% da primeira e última parcela para médio produtor e de 50% da primeira e ultima parcela do financiamento para outros produtores. O Mais Água, Mais Renda oferece financiamento para açudes de até 10 hectares e área irrigada de até 100 hectares. Uma ampliação do programa é analisada pelo governo do estado, porém, esbarra em uma adequação às exigências ambientais. O coordenador técnico do programa André Stolaruck avalia os dois anos do RS Mais Água, Mais Renda, citando que entre pedidos em andamento e outros já consolidados, são 2.480 adesões nestes dois anos. “Estamos analisando adequações com relação a exigências ambientais. Eu destaco que o programa atua em três frentes, o subsídio, a outorga do uso da água e a licença de operação”, afirma o coordenador técnico do programa. O assunto irrigação foi abordado no Diário Cidade Especial nesta quarta-feira (12), transmitido ao vivo pela Diário AM em seu estúdio na Expodireto Cotrijal. Um dos pontos discutidos no programa foi a relação custo x benefício para implantar a irrigação na propriedade e a existência de uma rede elétrica capaz de suportar seu funcionamento.

Apesar disso, Décio Teixeira, presidente da Associação dos Produtores de Soja do RS (AprosojaRS), considera positivo o programa. “O programa mostra um direcionamento do governo importante em prol da irrigação. Não podemos competir com o clima, precisamos viabilizar e manter a produção”, opina Teixeira.

Importância da irrigação Este ano, são seis empresas voltadas à irrigação expondo na Expodireto Cotrijal . “A irrigação também

Programa registra 2.480 adesões em dois anos

André Stolaruck, coordenador técnico do RS Mais Água, Mais Renda

foi importante para os experimentos expostos pela cooperativa e empresas durante a feira, onde tivemos o apoio de irrigação rasteira durante o cultivo”, destaca Marlon Lauxen, coordenador do Parque. Durante a 15ª Expodireto Cotrijal, muitas novidades tecnológicas podem ser conferidas pelos produtores rurais. Entre as inovações algumas referem-se a novas alternativas de produtos para irrigação. “Temos a presença de uma empresa nacional apresentando avanços em termos de pivôs”, afirma Gelson Lima, superintendente de produção agropecuária da Cotrijal. Segundo ele, o lançamento assegura uma melhor distribuição de água. “O lançamento desta empresa deve assegurar uma distribuição mais uniforme de água e um menor custo de energia elétrica”, relata Lima. Conforme o fabricante, o equipamento movimenta-se sem fazer paradas e com suas torres alinhadas, o que assegura a aplicação contínua de água. A aplicação de água pode ser regulada e obedecer a 360 programações diferentes.


8

Especial expodireto

Quinta- feira, 13.03.2014

FMC leva conhecimento e traz manejo completo para soja Campos demonstrativos, orientações e palestras técnicas sobre manejo de doenças e pragas com especialistas são ações do stand; fungicida Locker, inseticidas Rocks e Talisman e mais o inseticida biológico Dipel são destaques Os agricultores e interessados da área que passarem pelo stand da FMC Agricultural Solutions na 15ª edição da Expodireto Cotrijal poderão conferir o portfólio completo dos produtos da marca para as culturas de soja, milho e trigo e acompanhar palestras técnicas sobre manejo de doenças e pragas. Os visitantes da FMC ainda podem comprovar a eficiência dos produtos junto aos campos demonstrativos montados exclusivamente para a Feira. “Para soja além dos nossos produtos já conhecidos, destacamos o fungicida Locker para controle da Ferrugem Asiática, Oídio, Antracnose, Mancha Alvo e Doenças de Final de Ciclo, com três modos de ação e formulação exclusiva FMC. Os inseticidas Rocks para o tratamento de sementes: controle de insetos sugadores e mastigadores e o Talisman para lagartas e principalmente de percevejos com dois modos de ação. E o inseticida biológico Dipel de manejo de resistência de pragas, inclusive helicoverpa armigera e é considerado preferencial para

Manejo Integrado de Pragas – MIP. Na cultura do milho, foco nos inseticidas Rocks, Talisman e Mustang (controle de lagartas e percevejos com alto poder de choque). Para trigo o inseticida Fenix (tratamento de sementes), Mustang e o inseticida biológico Dipel, fungicidas Locker e Rovral (eficiente para programas antiresistência)”, destaca o gerente de Marketing Culturas Sul da FMC, Eduardo Menezes. Além de soluções tecnológicas, a FMC levará aos participantes palestras sobre manejo de pragas, com o especialista Mauro Tadeu Braga e Cesar Boff que abordam o manejo integrado de pragas em soja com inseticidas biológicos. “Levar informações técnicas e tecnologias que contribuem para a produtividade dos agricultores é a nossa missão. Participantes do mundo todo poderão conhecer nossas ações e investimentos em novas soluções tecnológicas para evolução do agronegócio brasileiro”, destaca Menezes.

Foto: Alessandro Tavares

Parte da equipe regional da FMC

Prefeitura de Não-Me-Toque lança selo comemorativo

Foto Alessandra Pasinato

Autoridades descerraram a placa com o selo comemorativo

A Capital Nacional da Agricultura de Precisão, na oportunidade em que sedia a Expodireto – um dos maiores eventos regionais ligados ao setor do agronegócio – lança oficialmente o seu selo comemorativo de 60 anos de desenvolvimento e pujança. A marca será levada a todo o Brasil por meio de uma parceria com os Correios. Para o prefeito municipal, Antônio Vicente Piva, o selo representa o início das comemorações do aniversário do município, que terá eventos ao longo de todo o ano. “O show de João Netto e Frederico no ginásio municipal dá início às comemorações e segue até o dia 18 de dezembro, quando comemoramos a data em que o governador sancionou a emancipação político-administrativa de Não-Me-Toque, que cresceu com todos os municípios do entorno, sempre

buscando qualidade de vida e, principalmente, o bem estar das pessoas”, pontua. Conforme o presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Não-Me-Toque, Gilson dos Santos, é um orgulho estar a frente dos poderes constituídos na oportunidade em que celebram uma data importante para a cidade. “Temos um município crescente e, para nós, além de orgulho é uma responsabilidade enorme fazer com que Não-Me-Toque continue se desenvolvendo. Que quando comemorarmos, daqui há10 anos, as pessoas que estiverem a frente do Executivo e Legislativo, possam ter o mesmo orgulho que sentimos agora”, frisa.

fmcagricola.com.br

Fechado para a mancha foliar do trigo. Rovral é o fungicida da FMC que protege o crescimento da sua plantação. Sua formulação líquida é eficiente para os programas antirresistência e ideal para a rotação de fungicidas. Rovral não permite que a mancha foliar do trigo se reproduza, deixando sua lavoura aberta para a produtividade.

ROVRAL. CRESCIMENTO PROTEGIDO. Conheça também outras soluções FMC para trigo:

350 EC

Dipel: produto registrado Sumitomo Chemical Co. Mustang: produto em fase de cadastro para Helicoverpa armigera nos estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro e Tocantins. Locker: produto em fase de cadastro estadual no Espírito Santo. Rovral: Produto em fase de cadastro estadual no Paraná. (trigo)


Quinta- feira, 13.03.2014

Especial expodireto

9

Irrigação e armazenagem estimulam alta na comercialização Instituições financeiras instaladas no Parque da Expodireto apontam crescimento de até 30% no volume de negócios em relação ao ano passado, principalmente devido aos programas de incentivo a irrigação e a construção de silos e armazéns Fotos: Cristian Puhl/DM

Os negócios registrados nos dois primeiros dias da Expodireto Cotrijal 2014 comprovam o que algumas instituições financeiras já haviam antecipado há pelo menos três anos: o produtor investiria mais em irrigação e armazenagem para garantir a sustentabilidade e a manutenção da propriedade. Em 2011, mesmo as lavouras mais tecnificadas sofreram prejuízos com a estiagem, alterando a prioridade de investimento do agricultor. De acordo com o presidente do Badesul, Marcelo Lopes, esta mudança no perfil consumidor já era aguardada. Ainda que adquirindo máquinas e equipamentos com alta tecnologia embarcada, o produtor precisou reavaliar a necessidade de irrigar a lavoura e estocar, com qualidade, sua produção para comercializá-la em períodos de preços mais rentáveis. Lopes ressaltou que a 15ª edição da feira está gerando uma boa perspectiva de aumento de comercialização. “Apenas no primeiro dia do evento já tivemos um volume recorde de movimentação, chegando a R$ 136 milhões, que é bem maior do que os R$ 41 milhões do

Marcelo Lopes, presidente do Badesul ano passado. Isso nos dá uma projeção muito otimista até o final da Expodireto, na sexta-feira”, reforçou, confirmando que o foco não está mais nos tratores e colheitadeiras, mas nos pivôs e sistemas de armazenagem.

Negócios estimulados Todas as instituições financeiras instaladas no Parque da Expodireto estão comemorando os bons negócios protocolados e concretizados até o momento. Segundo o presidente da Sicredi RS/SC, Orlando Mül-

ler, nos dois primeiros dias de feira já foram protocolados 533 pedidos de crédito de associados visitantes ao evento, representando 30% a mais do que no mesmo período do ano passado. “apesar das adversidades com quebras de produção que o setor agrícola vem registrando desde o final do ano passado em todo o país, o Sicredi continua mantendo seu nível de crescimento na Expodireto”, comentou. Müller disse ainda que as linhas mais procuradas até o momento são do Programa de

Sustentação do Investimento (PSI) Agropecuário, que é focado na agricultura empresarial de extensão e desenvolvido em parceria com o BNDES. “O Pronaf Mais Alimentos, que se destina ao pequeno e médio produtor rural, também tem sido bastante solicitado”, frisou. No Banco do Brasil, o superintendente de Agronegócio, João Paulo Comerlato, disse que nos dois primeiros dias de feira, a instituição registrou um aumento de 30% no volume de negócios, em comparação com o ano passado. “A projeção é de que esse percentual aumente ainda mais”, assegurou, contando que as linhas mais procuradas estão relacionadas ao PSI e aos programas de irrigação e armazenagem. “O Banco dispõe de uma linha de investimento para silos e armazéns que foi expandida para as cooperativas e produtores rurais, o que deve gerar bons resultados na Expodireto Cotrijal deste ano”.

surpreenderam em público e fluidez nos negócios. Conforme ele, a instituição financeira já computou os dois primeiros dias do evento e o resultado é superior ao registrado em 2013. “A Expodireto Cotrijal de 2014 tem possibilitado um volume de financiamentos maior do que a edição passada. Na feira de 2013 nós tivemos negócios em torno de R$ 200 milhões, mas esse ano a projeção do banco é ampliar esse número”, reforçou. Segundo Barbieri, no setor de máquinas e equipamentos, o Banrisul liberou cerca de R$ 30 milhões entre a segunda e a terça-feira.

Fluidez na comercialização O superintendente Estadual de Crédito Agrícola do Banrisul, Carlos Barbieri, avaliou que os três primeiros dias do evento

Superintendente Estadual de Crédito Agrícola do Banrisul, Carlos Barbieri


10

Especial expodireto

Quinta- feira, 13.03.2014

Expectativas de superação Foto: Cristian Puhl/DM

O diretor do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), José Hermeto Hoffmann, disse que a expectativa da instituição é repetir os números positivos da edição passada. “Terminamos o terceiro dia de feira com esta confirmação. Já somamos valores próximos a R$ 100 milhões, que é o mesmo do ano passado, no mesmo período, mas a nossa estimativa é chegarmos a R$ 225 milhões”, afirmou, comentando que o ânimo dos produtores está otimista com o bom momento do agronegócio. “Os preços continuam em patama-

res muito rentáveis, favorecendo e estimulando a adesão aos financiamentos”. Hoffmann destacou que o BRDE deve alavancar os financiamentos em irrigação, pois aumentou a procura por parte dos agricultores. “Além disso, outra linha importante é a de armazenagem. O Estado carece de mais estrutura de silos, especialmente para que os produtores possam segurar a safra para não se sentirem obrigados a comercializar por não terem local para manter estoque”, ponderou, observando que a demanda por linhas de crédito de financiamento para compra de tratores e colheitadeiras ainda é bastante expressiva. “Ano passado, as máquinas foram as vedetes da feira, até porque o PSI estava mais baixo. Mesmo com a elevação na taxa de juros, o produtor continua investindo na melhoria do seu parque de máquinas”.

Setores beneficiados A Expodireto Cotrijal tem deixado os empresários contentes com o volume de negócios realizados até esta quarta-feira (12). Além do setor de máquinas e equipamentos, o de automóveis também se beneficia com o bom momento vivido pelo agronegócio. De acordo com o gerente da Salwipa – concessionária Volkswagen, Thiago Tonello, o movimento de público tem sido satisfatório. Esta é a primeira vez que a empresa participa da feira. “Temos registrado uma boa movimentação de público. Os negócios estão estimulados e tendem a aumentar até o final da semana, especialmente porque dispomos de linhas específicas de financiamento para produtor rural”, afirmou Tonello.

Diretor da Salwipa, Thiago Tonello

Mais um recorde de público na Expodireto 2014 Durante os três primeiros dias de feira, um total de 141.300 pessoas passou pelo Parque da Expodireto Cotrijal Foto: DM/ Mayara Dalla Libera

66.400 pessoas passaram pelo Parque no dia de ontem

No final da tarde desta quarta-feira (12), em entrevista coletiva, o vice-presidente da Cotrijal Enio Schroeder comentou os números expressivos de público registrados nesta edição da Expodireto. Conforme balanço da cooperativa, somente neste terceiro dia de feira, 66.400 pessoas passaram pelo Parque da Expodireto Cotrijal. O número é superior ao público do terceiro dia da Expodireto do ano passado, quando 63 mil visitantes estiveram na feira. Somando os três dias desta edição, um total de 141 mil pessoas visitou o parque. Novamente a feira bate um recorde, já que em 2013, nos três primeiros dias de evento, 134.900 visitantes foram

registrados no parque. Schroeder aponta que a cooperativa espera registrar um bom público nos dois dias que ainda restam de feira. “Na quinta e na sexta-feira esperamos mais uma vez um grande público. Na sexta-feira teremos o Fórum do Jovem Cooperativista, promovido em parceria com o Grupo Diário da Manhã, que terá palestras internacionais e a presença do Paulão, ex-jogador de vôlei. Temos que fazer com que a sucessão rural deixe de ser um tabu”, destaca Schroeder. O Fórum do Jovem Cooperativista ocorre nesta sexta-feira (14). Paulão estará presente no evento com o apoio do Banco do Brasil.


Quinta- feira, 13.03.2014

Especial expodireto

11

Agroindústria: falta de sistema de inspeção nos municípios entrava crescimento Encontro no Auditório Central do Parque da Expodireto Cotrijal contou com presença de lideranças do setor, que expuseram avanços e gargalos do setor foto: DM/Rodolfo Sgorla da Silva

2014 é o Ano Internacional da Agricultura Familiar, declarado pela Organização Mundial das Nações Unidas (ONU). Buscando discutir avanços e gargalos do setor no Rio Grande do Sul, a Cotrijal, a Emater/Ascar-RS, a Fetag, a Via Campesina e a Fetraf promoveram o 5° Seminário Agroindústria Familiar. O evento foi realizado no Auditório Central do Parque da Expodireto Cotrijal, durante a tarde desta quarta-feira (12), o terceiro dia da 15ª Expodireto Cotrijal. “Estamos apresentando dados econômicos, avanços e também gargalos existentes no que se refere à agroindústrias. Temos uma certa dificuldade de inserir os produtos das agroindústrias em grandes redes de supermercados. Além disso, 200 municípios gaúchos não possuem um sistema de inspeção, algo necessário para o certificado de qualidade do que é produzido”, relata Elton Weber, presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no RS (Fetag-RS). Um dos avanços registrados no setor,

conforme exposto durante o evento, foi uma ampliação no número de agroindústrias existentes no Estado. Quando foi realizado o primeiro fórum, eram 200 em todo o Rio Grande do Sul. Hoje, as agroindústrias totalizam 1.700. Segundo Lino de David, presidente da Emater/Ascar-RS, deve haver uma corresponsabilidade entre município, estado e nação. “Se o município enquadrar seu sistema de inspeção ao sistema estadual, o produto de uma cidade pode ser vendido em todo o Rio Grande do Sul. Se houver uma adequação ao sistema nacional, o produto pode ser comercializado em todo o país”, destaca David. A falta de um sistema de inspeção em muitos municípios é um dos fatores que emperra o desenvolvimento de mais agroindústrias. “O agricultor também precisa de uma mudança cultural, compreendendo a importância de um selo que ateste a qualidade do seu produto, afinal se trata de um alimento. E aí existe a necessidade do sistema de ins-

Falta de serviço de inspeção nos municípios é um dos entraves para aumento das agroindústrias peção municipal”, esclarece Ivar Pavan, secretário estadual de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo. Outro assunto abordado no encontro foi a sucessão rural. “Quem ficará nas propriedades? Já estamos percebendo uma evasão do meio rural. O agricultor fami-

liar precisa de subsídio, ele produz alimentos. E ele precisa ter condições de uma produção com base na sustentabilidade, tanto econômica, social e ambiental”, finaliza o presidente da Emater/Ascar-RS, Lino de David.


12

Especial expodireto

Quinta- feira, 13.03.2014

Carmetal: inovação com Sistema Dual Control System Foto: Divulgação

Além dos distribuidores de sementes e insumos Zeus 10001, Zeus 6001 e Atlas 1500, os quais vieram para complementar a Linha Zeus, a Carmetal lança na Expodireto Cotrijal 2014 o Sistema Dual Control System

O estande da Carmetal na Expodireto Cotrijal Com tradição de participação na Expodireto Cotrijal, a Carmetal busca todos os anos inovar, trazendo lançamentos para os clientes e visitantes. A diretora comercial, Tatiane Cristina do Amarante, lembra que essa é uma das principais exposições, das quais participam. “Trabalhamos o ano todo para trazer os clientes para a feira, por se tratar de um evento muito bem divulgado, organizado e estritamente negocial. Pontua que são nesses cinco dias que o produtor tem a oportunidade de conhecer os lançamentos e fechar ótimos negócios. “Por isso, a cada ano estamos aprimorando nosso portifólio de produtos.” A Carmetal iniciou suas atividades como concessionária Guerra no ano de 1996, com o passar do tempo começou a fabricação própria de caçambas e posteriormente roll on roll off, complementando assim a unidade rodoviária. Em 2008 visando alavancar suas vendas e analisando a demanda de mercado passou a fabricar e comercializar produtos da unidade agrícola com diferenciais ímpares. Nesse ano a Carmetal apresenta os distribuidores de insumos e sementes: Zeus 10001, Zeus 6001 e o Atlas 1500, lembrando que possui a linha completa para tratores e caminhões, todos os equipamentos possuem os diferenciais abaixo mencionados:

Deslocamento do Centro de Gravidade Exclusivo sistema de deslocamento do centro de gravidade da caixa de carga do equipamento que possibilita ao operador posicionar a concentração de peso de acordo com o terreno

equipamento, através de seu deslocamento ajusta a queda dos produtos nas palhetas de distribuição, evitando trocas constantes de palhetas para produtos específicos.

Chapéu Chinês Exclusivo sistema de proteção da esteira através molas articuladas com regulagem, que se movimentam com o deslocamento do equipamento, o chapéu chinês limita a formação de galerias e mantém a esteira com o abastecimento continuo dos pratos de distribuição.

Esteira de borracha

A diretora comercial, Tatiane Cristina do Amarante a ser realizada a aplicação, evitando sobre cargas no engate do trator com o distribuidor.

Aletas direcionais de partículas no conjunto de distribuição Sistema que propicia o melhor perfil de distribuição tanto para produtos granulares quanto a pó, dotado de aletas para sentido horário ou anti-horário (dianteiras e traseiras), com excelente resultado principalmente na aplicação de produtos a pó aumentando cerca de 40% a faixa de aplicação e mantendo o desvio padrão dentro do recomendável.

Conjunto dos pratos de distribuição com regulagem longitudinal. Sistema que facilita a regulagem do perfil de distribuição do

A esteira de borracha acoplada à esteira em aço segue o padrão internacional, possui travamento por pinos, dessa forma, não ocorre desalinhamento, nem patinagem, mesmo que o equipamento venha a sofrer grande torção em face de terrenos irregulares, esta permanecerá alinhada, sendo desnecessária a observação quanto a sua tensão. Esse sistema evita também as falhas nas dosagens na agricultura de precisão, uma vez que o sensor de rotação responde fielmente ao deslocamento da mesma.

Venha nos visitar na Expodireto, conferir as novidades e fechar excelentes negócios! Site: www.carmetal.com.br Telefone: 54 3329 8500


Expodireto