Page 1


Tenho observado que nem nossos políticos e nem nosso povo tem dado valor a algumas prioridades que deveriam ser respeitadas; o país está assolado pela volta da inflação no que diz respeito ao pricipal..a alimentação, nosso povo está morrendo a míngua pela questão da dengue, vivemos uma iminente guerra nuclear, nossos jovens estão morrendo e matando, a maioridade penal pouco interessa aos governantes. Tudo isso acontecendo debaixo de nossos olhos e a preocupação maior tem sido uma suposta homofobia...pelo amor

de Deus, existem mil prioridades para o povo fazer passeata e pedir a cabeça de um parlamentar pelo fato de fazer algumas colocações que são apenas opiniões dele. Vamos deixar de ser hipócritas e fazer alguma manifestação que realmente tenha algum valor palpável. Claro que todos, sem distinção merecem ser tratados como seres humanos, mas colocar isso como a grande questão a ser resolvida é demais. Os assaltos e a violência já tomam conta de todas as cidades pequenas, médias e grandes. As drogas estão aí e são ínfimos os programas direcionados aos jovens, onde possam ter cursos

profissionalizantes. O grande problema da nossa sociedade começa com a falta de atenção aos jovens. Eles não tem o que fazer quando saem das escolas, ficam pelas ruas, aprendendo só o que não devem. Onde estão as promessas dos governantes, quando nos afirmavam que estariam para implantar um grande programa de escolas profissionalizantes gratuitas em todo o Brasil? Nada foi feito até agora. Para completar, os municípios estão com o pires na mão, alguns, com uma queda brusca no fundo de participação. A questão da Dengue merece uma atenção redobrada. Não se pode aceitar que em pleno século XXI, das grandes tecnologias e avanços, ainda sermos ameaçados por um mosquito. Vidas estão sendo abreviadas pela doença. Os governos insistem que a culpa é do povo...uma parcela de culpa pode até ser, mas a parte principal deste problema não está sendo atacado de frente. Falta boa vontade . Em Matozinhos, nem hospital tem mais e a violência já supera Ribeirão das Neves.

Em Funilândia, os assaltos aos estabelecimentos comerciais estão se tornando comuns. Proponho uma passeata em frente ao centro administrativo para pedir mais policiais e viaturas para nossa cidade. Queria pedir ao Prefeito Antônio Divino, de Matozinhos, que dê uma olhada com mais carinho para o Distrito de Mocambeiro, que está mais parecendo um queijo suíço de tanto buraco. Pelo amor de Deus, passar por lá está uma vergonha. Aliás, sai prefeito e entra prefeito, Mocambeiro continua sem atenção. A propaganda oficial do estado fala que toda cidade tem seu próprio delegado. Onde está o nosso? A desculpa é a mesma e dizem que nossa comarca é Sete Lagoas, mas levam as pessoas que são presas aqui para Vespasiano.....onde está a falha ai? Ninguem sabe, ninguem viu. Quero agradecer de coração aos amigos e aos novos parceiros do nosso jornal e do nosso site, em especial ao Fernando da ESCOLA MINEIRA DE SEGURANÇA, que está trazendo cursos interessantes e de baixo custo para a população, cursos estes já renomados no mercado e aferidos

pela POLÍCIA FEDERAL. Abraços também para o Paizinho e sua esposa Fabíula, da FLORICULTURA SHALOM, e também a esta turma bacana do AÇOUGUE E BAR DO SOARES, e também do BIÉ e família. Não posso esquecer do ZÉ LUIZ, que com sua contabilidade está trazendo uma nova opção para os Funilandenses. Abraço especial e meu carinho a minha filha Lílian e meu neto Felipe, que já, já estará em casa desfrutando do colo de todos. A Festa do Cavalo está chegando, é no mês que vem!! Neste ano, as comemorações de sete anos do nosso veículo serão intensas, é só aguardar. Para encerrar, peço a todos que comentem essa coluna, que será mensal, mandem sugestões, críticas, opiniões e vamos publicar, doa a quem doer. Jornalismo independente se faz assim, sem “rabo-preso!!” ovaledapedra@ibest.com.br Um beijo Paizinho onde você estiver Um Beijo Pai, onde você estiver Rodrigo Silveira / Ana Carla P. Dias

O lugar também é ponto dos amigos curtirem uma cerveja gelada Quem vive em Funilândia sabe da importância de se cultivar amigos. Não tem exemplo melhor que o Soares, que mantém em seu estabelecimento comercial aquela tranquilidade típica de interior. Além de adquirir carnes de excelente qualidade, os amigos reúnem-se para ótimas conversas saboreando uma cerveja gelada. O casal Soares e Eudiane sabem como ninguém tratar bem as pessoas que lá chegam. Nós, de O Vale da Pedra, nos orgulhamos de fazer parte do rol de amigos desta família. Rodrigo Silveira

Obrigada, meu

SANTO EXPEDITO R&C Editora Jornalística Ltda Filiada ABRACOM CNPJ: 09.036.869/0001-60 Mocambeiro | Funilândia - MG Cel: (31) 8412-8778 Diretor Executivo: Rodrigo Silveira Design e Arte: Rodrigo Silveira, Rodrigo Junior, Carla Dias Diretora Comercial: Ana Carla P. Dias Dptº Jurídico: Dr. Antônio Carlos Carvalho

Colunista: Thábata Silveira Jornalista: Rodrigo Silveira www.ovaledapedra.com.br www.twitter.com/ ovaledapedra FILIADA

Matérias assinadas não são de responsabilidade da editoria do Jornal e não expressam a opinião do editor da publicação

GRAÇA ALCANÇADA POR A.C.P.D.


Cientistas acreditam que fragmento faça parte de evangelho desconhecido Foto: Karen L. King/Harvard University / Divulgação

Um papiro é a primeira evidência de que os cristãos já acreditaram que Jesus foi casado, segundo um estudo da Harvard Divinity School. A descoberta foi anunciada em um congresso no Institutum Patristicum Augustinianum (do Vaticano) em Roma. “A tradição cristã afirma que Jesus não foi casado, apesar de não haver nenhuma evidência histórica confiável para suportar essa afirmação”, diz Karen King, de Harvard. “Este novo texto não prova que Jesus foi casado, mas nos conta que a questão como um todo apenas veio de um vociferador debate sobre sexualidade e casamento. Os cristãos discordavam sobre se era melhor ou não casar, mas isso foi um século depois da morte de Jesus, depois eles apelaram para o estado conjugal de Jesus para suportar suas posições.” Roger Bagnall, diretor do Instituto de Estudo do Mundo Antigo, em Nova York, acredita que o fragmento seja autêntico, baseado em exames do papiro e da caligrafia. Outros especialistas também acreditam na autenticidade baseados em outros dados, como linguagem e gramática, segundo nota de Harvard desta terça-feira. O objeto ainda vai passar por mais testes, especialmente da composição química da tinta.

Um dos lados do fragmento tem oito linhas incompletas de texto, enquanto o outro está muito danificado e apenas três palavras e algumas letras podem ser vistas - inclusive com infravermelho e processamento da imagem em computador. Karen afirma que o pequeno texto fala sobre assuntos como família, disciplina e casamento dos antigos cristãos. A pesquisadora e a colega Anne Marie Luijendijk, professora de religião em Princeton, acreditam que o fragmento faça parte de um evangelho desconhecido. Um artigo com resultados do estudo do objeto foi publicado em janeiro de 2013 no jornal Harvard Theological Review. O fragmento faz parte de uma coleção particular cujo dono procurou a pesquisadora para que ela traduzisse o texto. Ele deu a Karen uma carta dos anos 80 do professor Gerhard Fecht, da Universidade Livre de Berlim, na qual ele afirmava acreditar que era uma evidência de um possível casamento de Jesus. A professora de Harvard disse não acreditar em um primeiro momento (em 2010) que fosse autêntico e disse ao dono que não tinha interesse na análise. Contudo, ele persistiu no contato e, em dezembro de 2011, ela o con-

vidou a levar o objeto a Harvard. Em 2012, ela e Luijendijk levaram o papiro a Bagnall que analisou e disse ser possivelmente autêntico. Pouco se sabe de sua origem, mas acredita-se ser do Egito, já que está escrito em copta - usado pelos cristãos egípcios durante o império romano. Como há texto dos dois lados, os pesquisadores acreditam que faça parte de um livro, ou códex. Para motivos de referência, o evangelho do qual supostamente faria parte foi chamado de “Evangelho da Mulher de Jesus”. A pesquisadora acredita que ele seja da segunda metade do século 2, já que outros evangelhos descobertos recentemente são dessa época. A origem, como dos outros, certamente está atribuída a alguém próximo a Jesus, mas o verdadeiro autor deve ser desconhecido. Eles acreditam ainda que foi escrito originalmente em grego e depois traduzido. No texto, os cristãos falam de si como uma família, com Deus como pai, seu filho Jesus e membros como irmãos e irmãs. Duas vezes no fragmento, Jesus fala de sua mãe e de sua mulher - sendo que uma das duas ele chama de Maria. Os discípulos discutem se Maria é digna, e Jesus diz que “ela pode ser minha discípula”. Segundo Karen, somente por volta do ano 200 é que foi afirmado, em texto registrado por Clemente de Alexandria, que Jesus não se casou. Na época havia uma discussão se os cristãos deveriam se casar ou viver no celibato. Segundo Clemente, cristãos da época afirmavam que o casamento fora instituído pelo demônio. A pesquisadora afirma que Tertuliano de Cartago, uma ou duas décadas depois, foi quem declarou que Jesus não havia se casado. Ele, contudo, não condenava o casamento - desde que ocorresse apenas uma vez, mesmo em caso de morte de um dos cônjuges. No final, afirma Karen, a visão dominadora foi a de que o celibato é a mais alta forma de virtude sexual do cristianismo, enquanto permite o casamento, mas apenas para a reprodução. “A descoberta desse novo evangelho oferece uma ocasião para repensar o que achávamos saber ao questionar qual foi o papel que o status conjugal de Jesus teve historicamente nas controvérsias dos cristãos antigos sobre casamento, celibato e família. A tradição preservou apenas aquelas vozes que clamavam que Jesus nunca se casou. O ‘Evangelho da Mulher de Jesus’ agora mostra que alguns cristãos pensavam de outra forma.” Harvard Divinity School

Texto baseado em estudos norte americanos e divulgado no Brasil pelo site Terra, G1 e pelo UOL. Nao representa a opinião de O VALE DA PEDRA


Na busca de aprimoramentos , excelência e melhor qualificação dos integrantes da Banda e do Coral, a ACOSVP num incansável esforço e trabalho vem oferecendo a todos condições para que isto aconteça. Vejam vocês, em 01 (um) ano de existência a ACOSVP reativou nossa Banda, contratou um Maestro que dá aula 02 (duas) vezes por semana e já está formando a primeira turma com 25 novos musicistas que, em breve, estarão tocando junto aos demais músicos. Hoje a ACOSVP já tem em seu Patrimônio 20 instrumentos próprios frutos de doações e aquisições com recursos próprios. Agora contratamos o professor e Regente de Coral, Daniel, que inicia uma nova época e etapa para nosso Coral, com novas téc-

Um dia a loucura convidou todos os sentimentos para brincarem de esconder. Ela mesma quis procurar. Quando terminou de contar, a primeira a aparecer foi a curiosidade; que queria saber quem seria encontrado, depois a dúvida, que ficou em cima do muro sem saber de que lado ficar, e a tristeza não achou lugar. De um a um todos apareceram, menos o amor . Então, todos gritaram por ele, até que ouviram seu choro, ele tinha furado os olhos nos espinhos . A loucura se sentiu culpada,

nicas e buscando o melhor de cada um dos integrantes. Tudo isto está sendo possível graças ao trabalho incessante e incansável da sua Diretoria, colaboradores, a Comunidade que abraçou a causa, aos Associados que com sua contribuição de R$ 5,00 por mês em muito ajuda a manter nossas despesas que é grande e todos aqueles que prestigiam nossos eventos. Todo 1º domingo do mês, é dia da reunião da ACOSVP e ensaio da Banda, à partir das 10:30 horas, após a missa. Convocamos a todos a estarem presentes porque é muito importante a presença de todos. Às 13:30 horas é o ensaio e aulas para o Coral, convidamos vocês para vir conhecer este nosso novo trabalho. José Juliano Martins

jurou para o amor que iria cuidar dele para sempre. E até hoje é assim. O amor é cego, guiado pelos olhos da loucura.


A EMS, Escola Mineira de Segurança, já tradicional em cursos de segurança armada e patrimonial, inaugurou sua unidade em Sete Lagoas, que visa atender não só a cidade, mas também todas os municípios do entorno. Com uma qualidade insuperável e experiência de muitos anos no mercado, ela se tornou a maior escola de segurança de Minas Gerais e uma das maiores do Brasil. No país em que a segurança pública deixa muito a desejar, o campo de trabalho para os formandos na escola é muito amplo e em crescente demanda. A estrutura da EMS é incrível e os profissionais são altamente capacitados. Parabéns a EMS pelos anos de prestação de serviços a comunidade.


JORNAL O VALE DA PEDRA 38  

JORNAL QUE CIRCULA NO CENTRO DE MINAS MÊS DE MAIO 2013

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you