Page 1

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

1


2

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74


EXPEDIENTE

Carta ao leitor Coordenador Geral Rafael J Pereira Coordenador de Criação André Maffeis Comercial (15) 3263 - 5028 Jornalista Responsável Juliana Moreno MTB: 0056878/SP Repórteres Bruno Rodrigues Juliana Moreno / Rafael Barbosa Colaboradores Aline Cunha / Gabriela Barreto Dr. Marcelo L. Galvão / Laura Baggio Luana Dourado Revisão Juliana Moreno Diagramação / Projeto Gráfico Bruno Vieira Veiga de Oliveira Departamento Jurídico Oliveira & Paiotti – Advogados Associados

A

edição deste mês está super especial e destaca o talento de Ana Carolina, a cantora que iniciou a carreira cantando em bares aos 18 anos e hoje coleciona sucessos. Ela conversou conosco e falou sobre o retorno de sua parceria com Seu Jorge, 10 anos depois que pela primeira vez estiveram juntos em um trabalho. Nesta nova turnê, eles estão percorrendo algumas das principais capitais do país e encantando o público com a combinação de talentos que funciona tão bem! Em Games trazemos duas indicações para você atualizar sua biblioteca de jogos, sendo The Witness e Fire Watch. O primeiro gira em torno de puzzels similares aos jogos estilo “labirinto”, onde é preciso traçar uma linha por um labirinto até a saída. O outro é totalmente focado em narrativa, e leva o jogador a uma verdadeira jornada de autodescoberta em um mundo encantador. Já em Turismo destacamos Caldas Novas, um destino bastante procurado agora que o período mais frio do ano se aproxima. Isso porque o local, com suas águas quentes, é considerado a maior estância hidrotermal do mundo, com temperaturas que variam entre 30 e 57 graus. Você ainda poderá conferir outros vários assuntos, todos escolhidos a dedo para levar até sua casa o que há de melhor em informação. Boa leitura!

Agradecimento Alex Dayrell – Midiorama Tiragem / Impressão 8.000 exemplares / Graf. Santa Edwiges

Juliana Moreno

Distribuição Boituva/Iperó/Cerquilho Tatuí/Sorocaba

Jornalista Reponsável pela Revista Outdoor Regional

Assinaturas assinaturas@outdoorregional.com.br Edições anteriores edicoes@outdoorregional.com.br Empresa Pereira e Maffeis Editora LTDA CNPJ: 13.970.830/0001-93

A revista não se responsabiliza por conceitos e opiniões emitidos por entrevistados e colaboradores, assim como não se responsabiliza pelo conteúdo de informes e anúncios publicitários

j-moreno@outdoorregional.com.br

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

3


4

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

5


6

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

7


Índice

52 26

10 12 14 16 18 20 22 26 28 30 42 46 48 50 52 56 58 62 64 66

Cinema Literatura Séries Música Web Moda Masculina Moda Feminina Arquitetura e Decoração Pé na Estrada Social Capa Esportes Saúde Games Turismo Autos Direito Política Gourmet Crônica

64 Anúncios e Publicidade: Avenida Pereira Ignácio, 378 2º andar - sala 07 Telefone: (15) 3263-5028 (15) 99114-2136 / ID 113*16815 contato@outdoorregional.com.br

14 8

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

www.outdoorregional.com.br


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

9


j-moreno@outdoorregional.com.br

Cinema

Caçador e a Rainha do Gelo Chegou aos cinemas no dia 21 o prelúdio de “Branca de Neve e o Caçador”, de 2012, e que arrecadou mais de US$ 396 milhões no mundo todo. O longa conta a história do caçador Eric (Chris Hemsworth) e da bruxa má Ravenna (Charlize Theron) antes de conhecerem Branca de Neve. Kristen Stewart, que protagonizou o primeiro filme, dessa vez ficou de fora da sequência. Outra mudança ficou por conta da direção, feita agora por Cedric Nicolas-Tryan ao invés de Rupert Sanders. Emily Blunt dá vida à Rainha de Gelo, Freya, a grande vilã do filme, enquanto que Jessica Chastain vive uma guerreira que possui um affair com o Caçador. Os dois se unem para enfrentar Ravenna e Freya, as irmãs malignas que se preparam para conquistar o reino.

i 10

A mais nova comédia de Garry Marshall, que também foi diretor de “Uma Linda Mulher” e “Idas e Vindas do Amor”, é uma celebração às mães de todos os tipos e a data de estreia não poderia ser mais propícia, já que chega aos nossos cinemas dia 05 de maio, data bem próxima ao Dia das Mães. Tendo a data como pano de fundo, o longa conta o que acontece quando três gerações de mães e filhas se encontram nos dias que antecedem a comemoração. Na linha de frente, o filme conta com um trio de atrizes de peso: Julia Roberts, Jennifer Aniston e Kate Hudson. Promete um misto de risadas, lágrimas e, com certeza, muitas demonstrações do maior amor do mundo.

O filme narra a história do homem que desafiou a União Soviética no Campeonato Mundial de Xadrez em plena Guerra Fria OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

O Dono do Jogo

O Maior Amor do Mundo

i

Estrelado por Tobey Maguire, o filme conta a trajetória do renomado jogador de xadrez norte-americano Bobby Fischer, conhecido tanto por suas partidas geniais, quanto por sua personalidade instável. Ele, que começou a ganhar fama aos 15 anos de idade, teve sua carreira marcada quando desafiou Boris Spassky, um russo tido como invencível. Isso aconteceu no Campeonato Mundial de 1972, em plena Guerra Fria. Nervoso e com grande expectativa pelo desafio, Bobby começa a se tornar altamente paranoico e adota um comportamento imprevisível perante à partida que carrega consigo um valioso simbolismo para as nações por trás dos dois competidores. O elenco também traz Lily Rabe, Michael Stuhlbarg, Liev Schreiber e Peter Sarsgaard.

O elenco de estrelas e o tema apaixonante já têm despertado o interesse no novo filme de Garry Marshall


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

11


j-moreno@outdoorregional.com.br

Literatura

Direto para a Cabeceira Confira algumas dicas de literatura para esse mês por Juliana Moreno

Solteirona O Direito de Escolher a Própria Vida Já no início do livro, a autora provoca afirmando que existem duas questões que definem a existência de toda mulher: com quem se casa e quando. Assim, a jornalista e crítica cultural parte da própria experiência para avaliar os motivos que levam mais de cem milhões de americanas a escolherem ficar solteiras. Com bastante bom humor, a autora consegue fazer rir ao mesmo tempo em que dá toques de autoajuda para a mulherada que ainda não tem um amor para chamar de seu. Para isso, Bolick conta com um elenco de personalidades femininas do último século que são inspirações para quem, assim como ela, decidiu de fato assumir a solteirice. Ao destacar a trajetória dessas mulheres, a autora aborda, entre vários tópicos, o fato de que a mulher tem o direito de escolher a própria vida, independente dos parâmetros impostos. Autora: Kate Bolick | Editora: Intrínseca | 320 páginas

Alucinadamente Feliz Bastante conhecida lá fora, Jenny Lawson é uma blogueira e jornalista famosa pela sua forma irreverente de escrever, bem como por sempre falar abertamente sobre as doenças mentais que possui (depressão, transtorno de ansiedade, TOC e TDAH – Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade). Após a morte de um amigo próximo, ela fez um post em seu blog, “The Bloggess”, dizendo que estava decidida a ser alucinadamente feliz. Disso nasceu o livro, em que ela fala sobre sua vontade de ser feliz apesar de todos os problemas que a cercam. Cada capítulo é uma história individual, onde passamos por consultas com psiquiatra, viagens, discussões com o marido, entre outras várias situações. De forma direta ou não, os transtornos mentais estão presentes em cada capítulo, e cada um deles é explicado de uma forma simples. E tudo é sempre com um toque de muito bom humor. Autora: Kate Bolick | Editora: Intrínseca | 320 páginas 12

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

Um de Nós Chegou em abril às livrarias o novo livro da norueguesa Åsne Seierstad, autora de “O Livreiro de Cabul”, que vendeu 335 mil cópias aqui no Brasil, bem como “101 Dias em Bagdá” e “De Costas Para o Mundo”. A autora, que passou anos escrevendo sobre pessoas envolvidas em conflitos violentos ao redor do mundo, dessa vez se dedica a mostrar o terror acontecido dentro do seu próprio país. O resultado é uma reconstrução detalhada do maior atentado da história da Noruega, em 22 de julho de 2011, onde 77 pessoas morreram. O livro fala também sobre a vida de Anders Breivik, o responsável por essas mortes, como também se propõe a tentar responder a questão: como isso pôde acontecer? Autora: Åsne Seierstad Editora: Record | 560 páginas


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

13


j-moreno@outdoorregional.com.br

Séries

Jon Bernthal (o Shane de “The Walking Dead”), que conseguiu dar vida ao anti-herói de uma forma bastante interessante, não se limitando ao lado cartunesco geralmente visto nas aparições do personagem nos cinemas. Ao contrário do Demolidor, o Justiceiro não costuma pensar antes de agir e, quando age, vai pra cima dos criminosos com toda a violência necessária. Vale dizer que as interações entre os dois personagens são memoráveis!

Alto padrão Quem também marca presença nessa nova temporada é Elektra (Elodie Yung). A ninja assassina, que possui um passado com Matt, retorna para combater uma nova ameaça ao universo de Hell’s Kitchen. No mais, a série mantém um alto padrão nas cenas de ação que tanto empolgaram na temporada anterior, bem como a qualidade técnica e visual.

i

Demolidor Segunda temporada já está disponível no Netflix por Juliana Moreno

L

ançada em abril do ano passado, a primeira temporada de “Demolidor” de início já mostrou que a parceria de peso entre Marvel e Netflix foi algo que realmente deu certo. No dia 18 de março aconteceu a estreia da segunda temporada, com 13 episódios de incríveis 60 minutos cada, ou seja, um prato cheio para quem estava na expectativa.

Novos desafios A nova temporada tem início no mesmo ponto onde terminou a anterior. Matthew Murdock, Foggy e Karen estão na luta para tentar manter o escritório de advocacia em pé. Já à noite, quando Matt veste a roupa de Demolidor, seus problemas também estarão um pouco maiores. Agora, ele terá que enfrentar não apenas criminosos e mafiosos, mas o Justiceiro, clássico personagem da Marvel que veio para trazer ainda mais peso à série. O vigilante é interpretado por 14

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

a série mantém um alto padrão nas cenas de ação que tanto empolgaram na temporada anterior

i Muito bem representado por Jon Bernthal, o Justiceiro é sem dúvidas um ponto alto da temporada

Depois da aparente vitória na primeira temporada, Demolidor tenta lidar com as consequências de seus atos, que acabaram trazendo o caos à cidade


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

15


b-rodrigues@outdoorregional.com.br

Música

Atrações regionais Duas opções de sons aqui da região: João Leopoldo e Trio Macaíba trazem sucessos com muita diversidade para um público cada vez mais amplo | por Bruno Rodrigues

i

João Leopoldo possui cinco discos e dois EP’s lançados de forma independente

João Leopoldo

N

ascido em São Paulo, o compositor e pianista João Leopoldo mora atualmente em Sorocaba e atrai atenções por suas apresentações e diversificado trabalho autoral. Desde 2006 em atividade, possui cinco discos e dois EP’s lançados de forma independente. O EP “Ideia Nova Ideia Velha” foi muito bem recebido pela crítica com destaque na mídia nacional pela Tramavirtual. O músico ganhou ao lado do compositor Tom Soares o importante prêmio de melhor composição no Mapa Cultural Paulista de 1998 e em 2000 no mesmo festival, ganhou o prêmio de melhor performance ao lado da cantora Marcia Mah. Anos depois foi contemplado com a primeira colocação no Festival Nacional de Música de Sorocaba, recebendo o prêmio das mãos de Zé Rodrix e premiado no 43º FEMUP – Festival de Paranavaí – PR. Em 2010, foi novamente premiado no Festival Livre de Música de Sorocaba e menção honrosa no Festival de Jundiaí. Em 2011 apresentou-se pela Europa; Portugal, Itália e Inglaterra. Em 2012 estreou em parceria com a cantora e pianista Cida Moreira o espetáculo “Canções Fatais”, relendo a obra passional do tenor trágico Vicente Celestino com direção de Humberto Vieira. Recentemente, João Leopoldo lançou o seu disco chamado “Novo”, que foi gravado ao vivo no Teatro Municipal de Sorocaba. 16

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

i

O grupo formado em 2000 apresenta o tradicional ritmo chamado “forró pé-de-serra

Trio Macaíba Composta por Beto Corrêa, Cléber Almeida e Ramon Vieira, a banda Trio Macaíba apresenta o tradicional ritmo chamado “forró pé-de-serra”, oriundo das áreas onde se desenvolveu este gênero musical. As apresentações contam com composições próprias e interpretações de músicas de Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Gilberto Gil e Djavan. Formado em 2000, o grupo tem um tratamento muito específico com a sonoridade, por isso a formação tradicional com sanfona, triângulo e zabumba. A autenticidade e a fidelidade às características

agrestes são marcas registradas da música do Trio Macaíba. Além disso, a pesquisa cultural a que se dedicam os integrantes do trio, somada à experiência como músicos, é percebida nas composições e no repertório do grupo. O primeiro CD do grupo, “Na trilha do pé-de-serra”, conta com as participações especiais de Hermeto Pascoal, Proveta e Dominguinhos. Em mais de uma década de estrada, o grupo dedica-se a produzir uma linguagem musical que mistura ritmos tradicionais brasileiros ao jazz contemporâneo.


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

17


b-rodrigues@outdoorregional.com.br

Web

Trivela

Cinco jovens jornalistas construíram um portal que trata futebol de forma diferenciada, aplicando muito conhecimento histórico e não deixando escapar nenhuma curiosidade da atualidade | por Bruno Rodrigues

Conteúdo recheado Muita gente acha que futebol é apenas um jogo em com 11 jogadores de cada lado, uma bola, um juiz e torcedores que só querem saber de ver seu time vencer. Nós não caímos nessa. Futebol é mais que isso. Futebol é manifestação cultural, futebol é arte, futebol é história, futebol é negócio e, acima de tudo, futebol é diversão”. Este é o lema do portal Trivela. Composto por cinco jovens jornalistas, o site trata o esporte mais popular do mundo de forma bem eficiente. Ubiratan Leal, Felipe Lobo, Leandro Stein, Bruno Bonsanti e Leonardo Escudeiro não são apenas comunicadores esportivos, mas sim, efusivamente apaixonados por futebol. Além de deixar seus seguidores informados com curiosidades e fatos atuais dos campeonatos ao redor do mundo, o Trivela traz com muita propriedade um conteúdo recheado de história. Para os mais velhos, é uma sensação muito especial relembrar os tempos em que futebol exigia mais capacidade técnica que física e, para os mais novos, a oportunidade de aprender e se deliciar com os fatos que construíram este emocionante esporte.

18

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

no Facebook conta com mais de 33 mil seguidores, além da conta no Twitter com 91 mil

atenção de seus seguidores. Os jornalistas se reúnem e listam curiosidades que ocorreram e ainda interferem no futebol de forma bem descontraída e bastante informativa. Para quem gosta de futebol, vale muito a pena conferir.

Pelas redes sociais O Trivela é muito ativo nas redes sociais, sendo que no Facebook conta com mais de 33 mil seguidores, além da conta no Twitter com 91 mil. A novidade fica por conta no canal no Youtube, com um programa semanal que contém todos os ingredientes futebolísticos para atrair a

i No Youtube você pode conferir um programa semanal onde assunto sobre futebol é o que não falta

www.facebook.com/sitetrivela


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

19


g-barreto@outdoorregional.com.br

Moda Masculina

A vez do blazer!

Uma peça que todos os homens necessitam ter nos armários por Gabriela Barreto

A

temporada inverno está chegando e outro destaque para 2016 são os blazers! Por isso resolvi separar algumas dicas para inspirar vocês em como usar blazer no visual para o dia a dia. Seja no trabalho, para uma reunião, entrevista de emprego, para um evento mais formal, uma festa ao ar livre, um jantar ou simplesmente para alinhar um pouco mais a produção.

Versatilidade O blazer pode realmente mudar a cara do visual e ser uma opção versátil, para vários tipos de ocasiões. Além dos diversos tipos de tecidos que o blazer apresenta, as cores são inúmeras, você pode usar os claros, escuros, coloridos, manchados, porém a cor não importa muito, o interessante é explorar a autoridade dessa peça. Para uma composição mais adequada para dia a dia, o blazer com um ou dois botões é mais legal de usar, mais atual, pode combinar melhor com um belo jeans e uma camiseta e o blazer na modelagem slim fit, mais estreita.

Como usar O blazer é uma peça que pode mudar seu visual se usada de forma correta, mas se muito larga ou muito apertada, ela pode acabar com a sua produção. Cores claras são muito legais, podem compor contrastes às demais peças, mas não opte por elas em dias chuvosos ou muito nublados. Prefira usar cores claras em dias mais quentes, com sol, em noites não tão frias e eventualmente em eventos ao ar livre. 20

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

Dicas 01 Em ocasiões formais, combine o blazer a uma bela camisa e sapato social

i

O blazer é uma opção versátil, pois se adequa a vários tipos de estilos e ocasiões

Muitas dúvidas surgem quando se pensa em usar o blazer aberto ou fechado. Se a ocasião está bem tranquila, bem casual, despojada, com uma camiseta por baixo, por exemplo, use o blazer aberto, já se o evento promete mais formalidade, use uma camisa bacana, e o blazer pode usá -lo fechado, mais alinhado. Vale lembrar sempre de quando sentar, abrir o botão.

02 Invista no blazer com camisetas e camisa polo para uma ocasião casual 03 Ocasião formal = blazer fechado e ocasião informal = blazer aberto


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

21


Moda Feminina

22

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

g-barreto@outdoorregional.com.br


A bela gola alta Também como gola rulê, já deu o ar da sua graça no inverno passado e segue firme para essa temporada ainda mais em evidência por Gabriela Barreto Chega uma nova estação e sempre estamos atentas ao que irá ser tendência pelas ruas. Os desfiles já aconteceram e sabemos sempre com antecedência o que iremos usar com grande intensidade na próxima estação.

O vai e vem da moda Reparem que sempre temos novas tendências a cada estação, algumas permanecem por algumas temporadas e anos, mas outras ressurgem do passado. O bom da moda é isso: uma peça que você pensava que não iria usar nunca mais, vai acabar usando porque a moda é assim, tudo o que vai, volta. É ótimo, sempre reutilizamos peças do nosso guarda-roupas já encostadas ou até mesmo de nossas mães e avós.

A tendência A gola rulê ajuda a alongar a silhueta, garantindo elegância à estação mais chique do ano. Durante os grandes desfiles de moda e particularmente no SPFW, ela

apareceu em vestidos, casacos de couro, vestidos de renda, tricôs e até em top croppeds, um arraso. As modelagens variam e os tecidos também, sendo que a gola alta apareceu no algodão, tricot, linho, entre outras. Esse modelo, além de esquentar e ser confortável, é clássico e deixa o look mais elegante em diversas ocasiões. Cores neutras, como off-white e cinza, são fáceis de combinar e caem bem com saias e calças. Use a abuse da peça nessa estação que esse ano promete ser a mais rigorosa dos últimos tempos.

Estilos A gola rulê pode aparecer tanto alta ou até o início do pescoço, inclusive através de camisas de botão totalmente fechadas. Assim, algumas peças ganharam recortes estratégicos, transparência ou elementos como a gola peter pan por cima de um decote V para simular a ideia dessa nova proposta, deixando a pele um pouco à mostra de um jeito diferente.

Dicas 01 Invista na gola alta com saia midi 02 Aposte na gola alta (peter pan) por cima de um decote V, dando aparência da gola como de um colar 03 Use e abuse de blusas cavadas e justas ao corpo com a gola rulê

Uma grande mudança da gola alta, porém superinteressante e mega elegante.

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

23


Informe Publicitário

I

Você sabe o que é Periodontia?

magine que você irá construir sua casa. Antes, é necessário examinar cuidadosamente o terreno onde será feita! A Periodontia lida justamente com o “terreno” que sustenta seus dentes, um futuro implante, prótese ou o uso do aparelho, pois é devido à saúde do osso, dos ligamentos e da gengiva, que seus dentes permanecem em posição e com saúde.

A especialidade Infelizmente é a especialidade menos conhecida pelos pacientes, e muito negligenciada por grande parte dos dentistas, sendo a periodontia a base para poder realizar procedimentos das outras áreas. Dados da Sociedade Brasileira de Periodontologia – SOBRAPE, comprovam que doenças periodontais atingem em torno de 75% da população. Aliada a isso, a falta de sintomas perceptíveis ou visíveis, faz com que seus portadores nem desconfiem que há algo acontecendo.

Doença periodontal Dependendo do estágio em que a doença se encontra, podem ser observados sinais como: sangramento, inflamações na gengiva, presença de cálculo dental (tártaro), halitose, presença de pus (piorreias), dentes amolecidos, mudança de posição dos dentes, exposição da raiz de alguns dentes, sensibilidade, dentre outros sinais. Se não tratada, pode se tornar algo perigoso! Os micro-organismos presentes na doença periodontal possuem estreita relação com uma série de problemas sistêmicos: doenças cardiovasculares (infarto), osteoporose, diabetes, AVC (derrames), risco de partos prematuros, bebês com baixo peso ao nascimento ou abortos espontâneos. nhamento ao cliente nos momentos antes e depois da viagem.

24

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

Agende sua avaliação com a Drª Tatiana Kassardjian (CRO-SP 102.906), que terá grande satisfação em tirar todas suas dúvidas

i

Estética A periodontia também tem seu lado estético, com cirurgias preventivas, curativas ou auxiliando procedimentos que serão reali-

zados por outros profissionais da odontologia. Vale ressaltar que, para isso, o paciente deve estar sob rigoroso controle da doença.


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

25


Arquiterura & Decoração

26

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

arq-dec@outdoorregional.com.br


Madeira ou laminado? Em busca de um ambiente com maior sensação de conforto e aconchego, muitas pessoas acabam optando pelo piso de madeira ao invés do piso frio e com isso acabam em dúvida entre madeira e laminado | por Luana Dourado

Apesar de muito parecidos, estes dois tipos de piso são diferentes em vários aspectos como durabilidade ou manutenção.

Diferenças O laminado é sintético e imita a madeira com uma imagem impressa na camada superior. O piso de madeira é feito em camadas da madeira propriamente dita ou compensado. Ou seja, o piso de madeira é feito a partir da própria madeira e na maioria das vezes preserva seu aspecto natural, enquanto o laminado é apenas uma imitação. Em questões de aparência, quando o piso é de madeira não é possível encontrar duas peças iguais, já o piso laminado segue um padrão que é impresso na superfície.

Durabilidade O tempo de vida de cada piso depende muito da frequência com que pessoas passam por ele e da manutenção. Piso laminado é mais resistente do que a madeira quando se trata de umidade ou manchas e geralmente tem de dez a quinze anos de garantia. Já a madeira varia o tempo de duração dependendo do acabamento e por ser mais macia, pode ser danificada facilmente.

Manutenção O piso laminado não exige muito esforço na manutenção. Vassoura ou um pano úmido bastam, já a madeira precisa ser limpa com

materiais específicos para preservar e restaurar o acabamento. Produtos comuns podem causar manchas. Quando o antigo piso precisa ser substituído, a madeira entra em vantagem, pois pode ser reciclada sem danos ao meio ambiente. Pisos laminados possuem resinas na sua fabricação e utilizam cola nesse processo e é muito importante saber a procedência deste material, uma vez que estas colas muitas vezes, se não forem de boa qualidade, podem ser tóxicas. Embora muito parecidas, apesar de ser mais cara, optar pela madeira é uma escolha ambiental e mais saudável. OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

27


l-baggio@outdoorregional.com.br

Pé na Estrada

Meu retrovisor

A

Daqui eu vejo | por Laura Baggio

música toca e ele pensa. Quantos caminhos o trouxeram até aqui? Como foi a construção de cada dia para ser hoje? Sua esposa morreu. Não no mundo físico, morreu dentro dos sonhos que não serão nunca mais sonhados. Ele olha a estrada. Um caminho que ainda não percorreu. Há tantas opções. Há o mundo todo. Há medo e ansiedade. Há esperança e vida. Ele olha pelo retrovisor e a vê. Seu jeito simples de levar a vida, sua raiz profunda, toda sua beleza, ao longe, faz cócegas na saudade. Ela sorri. “Entenda, tenho asas”. “Eu sei. Eu sempre soube”. “Não há nada para ser feito”. “Era para ser assim”. Ele procura sua imagem no retrovisor novamente, mas ficou distante. O tempo rouba as memórias, distorce-as sempre. A gente até esquece o que nos machucou. Melhor assim. Passam-se árvores, carros, pássaros, céus, cinzas e azuis. E tudo passa. Ele escuta a música e canta. Ele escuta a música e chora. E sofre sempre do que poderia ter sido e não foi. Mas está a aprender com a estrada, que tudo é caminho. E enxerga, pra fora dos olhos, o mundo. Como ele é bonito. “Daqui eu vejo”, ele reflete, “que estamos todos a viajar. E cada um sempre está no seu próprio carro. Não pode ser diferente”. A companhia é sempre a mesma direção. Ele respira. Entende. Deixa-se ir. Está presente, percebe a alegria rara dos dias. E continua a dirigir. Sabe que é tempo de olhar para frente. Pelo retrovisor se despede: obrigada, adeus.

A companhia é sempre a mesma direção

i Está a aprender com a estrada, que tudo é caminho

Para mais textos acesse www.oombrodaborboleta.blogspot.com.br

28

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

29


Social

R: Ângelo Ribeiro, 274, Centro, Boituva – (15) 98160-1558 /Velharia Bar Fotos: V incenzo Daldoss

30

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

31


Social

Shinkô Sushi

Fotos: Vincenzo Daldoss

32

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

33


Social

Deck Bar & Restaurante Fotos: Raphael Chespkassoff

34

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

35


Social

Absoluto Choop & Food Fotos: Equipe Xpres

36

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

37


Social

Temacon Temakeria & Cia Fotos: Raphael Chespkassoff

38

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

39


Social

Cultura Alternativa Fotos: Cainã Nascimento

40

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

41


Capa

Fotos: Leonardo Aversa Midiorama 42

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74


Ana Carolina Parceria com Seu Jorge está de volta, dez anos depois, para mais uma vez encantar | por Juliana Moreno

Início da carreira Uma garota de 18 anos, um violão e um repertório com canções de Tom Jobim, Chico Buarque, Ary Barroso e outros clássicos. Ana iniciou sua carreira tocando na noite boêmia de sua cidade, Juiz de Fora, em Minas Gerais, o que pra ela foi um grande aprendizado. “Havia uma mistura de sentimento de quem estava alimentando um sonho, ao mesmo tempo em que estava desbravando um caminho. E também havia um esforço braçal, de carregar os equipamentos, de ser muito nova e enfrentar sozinha a batalha por um lugar ao sol, de ter que lidar com contratantes. Descobri como cativar um público nos bares, o que é uma das melhores escolas, mas também uma das mais difíceis. Eu faria tudo de novo se pudesse voltar no tempo”, relembra Ana, remetendo às lembranças vividas no início da carreira.

No início de abril a dupla lançou o single “Mais uma vez (Nós dois)”, canção assinada por Ana Carolina em parceria com Dudu Falcão, Gabriel Moura, Pretinho da Serrinha e Leandro Fab

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

i 43


“Mais uma vez (Nós dois)” foi lançada simultaneamente pelas gravadoras Sony Music e Universal Music, em uma parceria inédita no mercado fonográfico

Primeiros álbuns Não demorou muito até que o estrondoso talento de Ana fosse elevado ao cenário musical da época, sendo que o primeiro álbum, “Ana Carolina”, foi gravado em 1999, um verdadeiro sucesso de público e crítica. O segundo trabalho foi lançado em 2001, com destaque para a música “Quem de nós dois”, que se tornou um hit das rádios na época. Dois anos mais tarde foi a vez de “Estampado”, que também se transformou em DVD e contou com participações especiais de Chico Buarque, João Bosco e Maria Bethânia.

“Ana & Jorge” O ano de 2005 merece um destaque especial, já que marcou um encontro que ainda ecoa em nossa memória musical. Quem é que não cantarolou os versos de “É isso aí”, versão de Ana Carolina para o hit de Damien Rice, “The Blowers Daughter”, escrita para o filme “Closer”? A música fez parte de um show que se tornou o antológico “Ana & Jorge”, um encontro entre dois grandiosos intérpretes que aconteceu de forma despre-

44

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

tensiosa e que ganhou o Brasil. Segundo eles, não foi idealizado, não havia um conceito e nem um roteiro a seguir. As canções foram brotando, sendo lapidadas e o show, gravado em CD e DVD, chegou a todos os lugares no Brasil e no mundo.

O retorno E para a alegria de todos que curtiram o resultado daquela união de 10 anos atrás, eles voltaram! Ana Carolina e Seu Jorge prepararam uma turnê nacional que percorrerá várias capitais do país. No início de abril eles se apresentaram em São Paulo e no Rio Janeiro, seguindo para Belo Horizonte no final do mês. Depois disso, a turnê passará por Salvador, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre, Recife e Fortaleza, em agosto. “Invariavelmente evoluímos e amadurecemos como artistas. Naqueles dias tudo foi feito sem qualquer pretensão, foi uma reunião repentina, ensaiamos sete dias e fizemos somente quatro shows. O sucesso do trabalho tomou uma proporção inimaginável, mas já tínhamos nossos projetos e agendas de compromissos, não dava para continuar. Quando demos conta,

i

já tinham se passado cinco anos, e aos 10 a gente voltou a se falar sobre a viabilidade de parar tudo para atender a grande demanda de fãs e contratantes que queriam ver aquele show do DVD”, conta Ana.

O show O novo show relembra os melhores momentos da união de 2005, além dos maiores sucessos dos dois artistas e novas parcerias. “Não queríamos nos repetir e achamos que se era pra ser, que fosse uma grande turnê por diversas capitais e com um som menos orgânico, mais pra cima e dançante. Fizemos uma tour de force, são 30 músicas, tocamos juntos e separados no show. Valeu a espera”, garante a cantora. Sobre o repertório, Ana diz que eles levaram em consideração os sucessos de cada um, escolheram alguns momentos do projeto original, de 2005, e incluíram canções com as quais eles se identificam e que não tinham cantado antes. “O público sai bastante feliz. É só sucesso”, garante.

Convivência e planos Pergunto para Ana como é o relacionamen-


to dela com Seu Jorge no dia a dia, na estrada, visto que eles possuem personalidades bastante fortes. “Até aqui foram poucos shows, temos uma boa parceria, nos admiramos como artistas, jogamos ‘nas onze’ e não temos frescuras, nosso negócio é tocar, cantar e fazer a galera ‘tremer’. Com a gente não tem ‘tempo ruim’, na hora estamos ali de maneira integral, nossas vozes se encontram de uma forma bastante genuína. Gosto da praticidade do Jorge, e ele consegue entrar na minha ‘métrica’ e métodos meticulosos na hora de desenhar e ensaiar um show. É bom conviver com as diferenças, às vezes brotam questões conflitantes, mas resolvemos ali na hora e não deixamos para o dia seguinte”, explica ela. Sobre os planos para depois dessa turnê, ela diz que eles já existem agora, durante esse período. “Cada um tem seus projetos paralelos. O Jorge está filmando um longa e eu preparando mais material, pintando meus quadros, não paramos, nenhum de nós consegue parar. Há muito pedido para novos shows e para registrarmos em DVD, então estamos estudando possibilidades”, diz.

Curiosidade Para matar a curiosidade, pergunto para Ana quais músicas fazem companhia a ela quando precisa espairecer. “A dos outros, sempre. Gosto de ouvir de tudo um pouco, de standards americanos a rocks melódicos, clássicos do nosso cancioneiro, um pouco de novidades da nova safra. Também gosto de ouvir rádio no carro e aplicativos que me apresentam e que não conheço. E gosto de vasculhar músicas antigas, sou uma pesquisadora nata e amo todo tipo de música”, conta ela.

Com a gente não tem ‘tempo ruim’, na hora estamos ali de maneira integral, nossas vozes se encontram de uma forma bastante genuína Uma mensagem da Ana Para finalizar a entrevista, Ana Carolina deixou uma mensagem para os fãs e leitores. “Alô, galera, um grande abraço pra todos, espero ter tido ou ainda ter a chance de tê-los em um dos meus shows. É no palco

que consigo passar minhas melhores mensagens. Nos dias atuais eu gostaria de pedir uma maior conscientização, é hora de despertamos a consciência em todos os níveis. Somos fortes juntos! Paz, alegria, saúde e amor”, finaliza.

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

45


b-rodrigues@outdoorregional.com.br

Esportes

i

Vitor Morais conquistou o título depois de disputar um Grande Prêmio de três lutas

Artes marciais na região

Atletas da região vêm conquistando títulos e consagram suas cidades no cenário dos esportes de luta por Bruno Rodrigues

Muay Thai em alta O lutador de muay thai, Vitor Morais, da equipe Pakothai, de Votorantim, conquistou o título de campeão mundial do 12th World Thai Martial Arts Festival, que aconteceu na cidade de Ayutthaya, na Tailândia. Para levar o cinturão pra casa, o jovem teve que disputar um Grande Prêmio de três lutas. Em sua estreia venceu por pontos. Na semifinal, nocauteou o chinês Han Wenlong no início do primeiro round e, na final, faturou o título vencendo o sueco Cristian Jaw Jungerby por pontos. A conquista do campeonato mundial na categoria profissional até 70 quilos tem grande importância, pois esta competição é considerada a mais 46

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

importante do mundo quando o assunto é muay thai. “Me dediquei muito para chegar até aqui. Ganhar esse cinturão me projetará internacionalmente no muay thai”, comemora o lutador. “Preciso agradecer ao meu mestre e minha equipe, ao apoio da minha família e dos meus patrocinadores. Sem eles eu não estaria aqui”. Pako Oliveira, mestre de Vitor e líder da equipe Pakothai, avalia que o boxe de seu pupilo foi o grande diferencial nessa conquista. “O muay thai do Vitor é excelente, mas para se diferenciar em relação aos outros competidores, aprimoramos seu boxe, com o boxeador Juliano Ramos. Lutadores dessa modalidade são bons de joelhada e cotovelada, mas na nobre arte não costumam ser tão técnicos”, revela o consagrado mestre.

i

Anna Júlia conquistou a medalha de ouro na Copa São Paulo de Judô, que a classificou para o Brasileiro

Judô sorocabano A equipe do Judô Na Faixa, que representa a cidade de Sorocaba em competições oficiais, conquistou um importante resultado na cidade de Itapeva, durante a fase regional do Campeonato Paulista. Na oportunidade, mais de 40 atletas sorocabanos subiram ao pódio e garantiram vaga para a segunda fase da competição. Para o técnico da equipe, Vlamir Dias, o resultado expressivo garantiu a continuidade dos judocas na competição. “Foi um grande resultado, onde conseguimos um grande número de classificados para a próxima fase do Paulista”, comemora. Em categoria com menor idade, a judoca sorocabana Anna Júlia da Silva, de apenas 12 anos, venceu as três lutas que fez no Campeonato Brasileiro de Judô da 5ª Região por ippon (pontuação máxima) e ficou com o título da categoria sub-13 pesado. A competição foi realizada em Curitiba. A qualificação para o Brasileiro veio em março, com a medalha de ouro obtida na Copa São Paulo de Judô, realizada no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

47


Saúde

m-galvao@outdoorregional.com.br

O medicamento manipulado pode ser uma alternativa para dosagens que não existam no mercado

48

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

i


Medicamentos personalizados

A Farmácia de Manipulação torna viável produzir a dose ideal para você | por Dr. Marcelo L. Galvão

F

armácia de Manipulação ou Farmácia Magistral é a designação para o local onde as matérias -primas são manipuladas com a finalidade de produzir de medicamentos e outros produtos para a saúde, diferentemente das Drogarias, locais onde ocorre a dispensação de medicamentos já prontos para o uso.

Os medicamentos são diferentes?

Os medicamentos preparados tanto nas farmácias como os vendidos nas drogarias são produzidos de formas diferentes, mas com o mesmo objetivo: tratar o paciente levando à cura ou a um quadro de qualidade de vida. A diferença principal está na personalização desse medicamento. O prescritor pode avaliar uma dosagem mais específica ou associar mais princípios ativos (P.A.s) para cada paciente na mesma fórmula. Outro caso, quando na drogaria só existe a opção em comprimido, sendo que o paciente não consegue deglutir com facilidade. Uma versão em xarope garantiria adesão ao tratamento.

Então o medicamento manipulado é melhor? Depende. Se ambas as dosagens e princípios ativos forem os mesmos, a qualidade e eficá-

cia do tratamento é igual em ambos os medicamentos. Como a indústria fabrica as opções de medicamentos conforme estudos clínicos entre outros critérios próprios, garantindo a produção em grande escala para atender uma grande quantidade de pessoas, o medicamento manipulado pode ser uma alternativa para dosagens que não existam no mercado, respeitando principalmente a sua faixa terapêutica.

Qualquer medicamento pode ser manipulado? Infelizmente não. Além de questões técnicas, nem todas as matérias-primas encontradas na indústria estão disponíveis na manipulação. Além disso, o P.A. de medicamentos inovadores, durante o tempo de suas patentes, não está disponível para nenhuma outra indústria ou farmácia, igualmente acontece com os genéricos. A receita também é importante estar correta. Converse com o seu prescritor e solicite a possibilidade de prescrever a fórmula para ser aviada na farmácia.

E a qualidade? Hoje em dia, conforme Resoluções da ANVISA, todas as farmácias de manipulação devem seguir rígidos procedimentos desde a captura da receita no balcão, manipulação no labora-

tório e sua dispensação. Diversas conferências ocorrem durante cada etapa do processo. Antes disso, as matérias-primas adquiridas de

O prescritor pode avaliar uma dosagem mais específica para cada paciente fornecedores, passam por análises para comprovar sua identificação e qualidade.

Quer sugerir alguma matéria para as próximas edições? Envie um email para m-galvao@outdoorregional.com.br Você confere o conteúdo exclusivo dessa e de outras matérias no site: www.chameofarmaceutico.com.br

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

49


Games

i

Quand foi lançado, The Witness vendeu em menos de uma semana mais que Braid conseguiu arrecadar em um ano

i

O game convida o jogador a explorar Wyoming, no verão de 1989, ao lado do protaginista que se encontra frustrado com seu casamento

50

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

r-barbosa@outdoorregional.com.br


Outdoor Indica

Chegou a hora de algumas indicações para você atualizar sua biblioteca de jogos | por Rafael Barbosa

The Witness Desenvolvedora: Thekla Inc Editora: Thekla Inc Plataformas: PS4 (R$ 123) / PC (R$ 73) Lançamento: Janeiro de 2016

Blow se consagrou no mundo dos games em 2008, com o lançamento Jdeonathan Braid. Após nos maravilhar com um dos

jogos independentes mais aclamados dos últimos anos, muitos ficaram curiosos sobre o próximo jogo a sair da mente do desenvolvedor. Uma espera que durou sete longos anos, mas que valeu cada segundo. Poucos jogos têm um conceito tão simples e genial quanto The Witness. O game gira em torno de puzzels similares aqueles jogos estilo “labirinto”, que jogávamos quando crianças, onde temos que traçar uma linha por um labirinto até a saída. Um conceito que é levado a níveis surpreendentemente artísticos e mecânicos no game. Blow pega esta ideia e a apresenta de tantas formas que é impossível não ficar curioso e cativado com a forma como o game consegue se utilizar de conceitos como percepções de profundidade ou elementos do próprio cenário para compor seus desafios. Witness me deixou perplexo em como uma quantidade gigantescas de puzzles baseados em um mesmo conceito podem ser tão diferentes uns dos outros e ainda se manterem desafiadores, ao ponto de você muitas vezes ter que quebrar a cabeça para descobrir o conceito por trás deles, o que aumentava ainda mais a satisfação de finalmente descobrir a resposta. Um jogo que te deixa livre para explorá-lo à sua maneira e ditar o seu próprio ritmo, enquanto o surpreende com uma narrativa muito clara e cheia de reflexões sobre conceitos muito humanos, como a solidão.

FireWatch Desenvolvedora: Campo Santo Editora: Panic Plataformas: PS4 (R$ 62) / PC (R$ 34) Lançamento: Março de 2016

Firewatch conta a história de Henry, um homem de meia idade que, após passar por uma crise familiar, busca “refúgio” em um emprego de verão, como guarda florestal de um parque nos Estados Unidos. Um trabalho que poderia soar deprimente e insuportavelmente solitário, se não fosse pela companhia de sua chefe, Delilah. Embora os dois nunca tenham se visto pessoalmente, se conhecendo através de conversas casuais através de um rádio, conforme os dias passam os personagens passam a se conhecer melhor e estabelecer uma ligação muito íntima e interessante. O jogo é totalmente focado em narrativa e por isso é justamente este o seu ponto mais forte. Uma verdadeira jornada de autodescoberta, em um mundo encantador, que parece ter saído de uma animação da Pixar e que, como nos melhores filmes do estúdio, abordam temas complexos, como relacionamentos e fidelidade, de uma forma leve e às vezes quase despretensiosa, através de diálogos ricos e muito bem explorados. Conforme avançamos no mundo de Henry, também nos damos conta de que algumas coisas estranhas começam a acontecer no parque e mesmo que este mistério passe a ser o fio condutor da história, o maior mérito de Firewatch está na forma como explora dois personagens autenticamente humanos, assim como nós. OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

51


Turismo

i

52

Além das águas termais, o ecoturismo é uma forte vocação no município

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

b-rodrigues@outdoorregional.com.br


Caldas Novas

Com a chegada do mês de maio, que tal aquecer o coração viajando com a mamãe? por Bruno Rodrigues

C

Atrações

erca de um milhão de turistas visitam a pequena Caldas Novas todos os anos. Eles chegam buscando conforto e relaxamento com as águas quentes do balneário, considerado a maior estância hidrotermal do mundo. As temperaturas variam entre 30 e 57 graus. Com o período do ano mais frio chegando, nada melhor que visitar este tipo de opção turística. Além disso, maio é o mês do Dia das Mães, então, que tal aquecer o coração viajando com a mamãe? Caldas Novas traz uma gama de opções muito atraentes, com centenas de piscinas dos hotéis e dos clubes, que recebem especialmente grupos da terceira idade e famílias com crianças. Lá encontram-se diversas atividades recreativas e muita diversão dia e noite. Além das águas termais, o ecoturismo é forte vocação no município. Ele se encontra às margens do lago da Represa de Corumbá e possui o Parque Estadual da Serra de Caldas Novas, com suas trilhas e cachoeiras. Outro ponto alto é o Santuário de Nossa Senhora Salete, localizado no Morro do Capão, proporcionando uma vista contemplativa da cidade. Para quem procura por lembrancinhas de viagem, peças de artesanato, joias, vinhos e roupas, não precisa sair andando pela cidade. Tudo isso pode ser encontra-

espelho d’água com 65 quilômetros quadrados, perfeito para a prática de esportes náuticos e passeios de barco. A área já começa a oferecer hotéis de lazer, com infraestrutura para a pesca esportiva e exploração das cachoeiras da região. Além de tudo, a cidade é muito generosa também no quesito culinária. Caldas Novas fornece os frutos que dão o gosto tão especial aos pratos tradicionais,

do no Serra Verde Shopping. Já para os apaixonados por cachaça, a Cachaçaria Vale das Águas Quentes faz a produção artesanal da bebida.

Parque Estadual da Serra de Caldas Aos apaixonados por trilhas, mirante, cachoeiras, além da flora e a fauna típica do cerrado, o Parque Estadual da Serra de Caldas é a atração perfeita. Fora dos hotéis também há muito que fazer. Como por exemplo, na Lagoa de Pirapitinga, onde estão as nascentes com as mais altas temperaturas de Caldas Novas, o destaque é o Poço do Ovo, com águas que borbulham a 57 graus. Caso o corpo sinta saudades da água fria, a opção fica por conta do Lago de Corumbá, um

Com o período do ano mais frio chegando, nada melhor que visitar este tipo de opção turística como a galinhada com pequi e guariroba. Para a sobremesa, doces de frutas e de leite produzidos artesanalmente e que merecem ser levados para casa. As delícias são encontradas, ao lado de licores e laticínios, em lojinhas no Centro. É ou não é um roteiro perfeito para curtir com sua mãe?

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

53


Informe Publicitário

A Your Travel te ajuda em todos os passos para que sua viagem seja um sucesso

i

Your Travel Consultoria e gerenciamento de viagens corporativas e de lazer

H

á dois anos no mercado de viagens, a agência desde o início apresentou um novo conceito de excelência no que diz respeito à prestação de serviços. Destacamos dois deles que muito facilitam a vida de quem está se programando para uma viagem ao exterior.

Serviços Além do atendimento totalmente personalizado ao cliente, oferece alguns grandes diferenciais. Como exemplo, podemos citar o fato de ser a única correspondente de câmbio na cidade e, além disso, oferecer tarifas abaixo do mercado aos clientes, que ainda podem optar pela entrega na agência ou diretamente na residência. 54

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

Passaportes e vistos A Your Travel também presta o serviço de assessoria na tiragem de documentos para viagens, como passaportes e vistos. Com isso, o cliente tem a segurança de que o processo feito é eficaz e também recebe todas as orientações acerca da melhor forma de preparar os documentos necessários e garantir o melhor resultado nas entrevistas para conseguir o visto para viagens internacionais.

Atendimento A agência está de portas abertas para te receber e o horário de atendimento é sempre de segunda a sexta, das 8:30h às 18:30h no Setor Lazer, e das 8h às 19h no Setor Corporativo, além de Plantão Emergencial aos finais de semana.


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

55


b-rodrigues@outdoorregional.com.br

Autos

i

Fiat Toro

Com visão focada em clientes de outros segmentos, como SUVs e sedãs, montadora investe forte em novo modelo por Bruno Rodrigues

Características

O

Fiat Toro traz uma mistura de características para convencer clientes a trocarem modelos de outros segmentos por uma picape. O modelo tem boa imagem no acabamento, embora não luxuoso, da versão topo de linha. Apesar de ter diversos atributos, como capacidade de carga de uma tonelada, a Toro não nega que seu objetivo não é ser um autêntico puxador de carga. A Fiat sabe que está entregando um modelo que vai rodar predominantemente na cidade e, eventualmente, se aventurar em rodovias e estradas que levam a fins de semana no sítio. Não à toa ela é classificada no site de imprensa da Fiat entre “veículos de passeio”, junto com Weekend, Idea, e o SUV Freemont, entre outros, enquanto a Strada fica entre “veículos comerciais”. A marca acredita que 65% das vendas serão do diesel. Na busca por sofisticação e 56

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

O modelo possui controle de tração e estabilidade, suspensão independente e direção elétrica como itens de série

tampa da caçamba bipartida, leve e fácil de abrir, e oferece partida à distância: ativando o ar-condicionado para resfriar o carro que ficou no sol.

Preço e Meta

A Fiat tem a meta ambiciosa de vender 50 mil unidades da Toro em um ano conforto, o modelo tem, de série, controle de tração e estabilidade, suspensão independente (do tipo multilink na traseira) e direção elétrica que nem as concorrentes maiores oferecem em todas as versões. O modelo da Fiat também inovou com a

Com boa estabilidade em curvas e sem grandes esforços para manobrar, a Toro agrada também na potência. A combinação do motor 2.0 turbodiesel de 170 cavalos com as relações do câmbio de 9 marchas, lembra a do SUV da Jeep. Há muito vigor, graças ao torque máximo de 35,7 kgfm já entregue a 1.750 rotações por minuto, mas a resposta nas saídas é um pouco demorada. O acabamento imitando couro nas portas, bancos e volantes, a versão de R$ 116,5 mil tem tração 4x4. O ar-condicionado é de duas zonas (controle independente para motorista e passageiro) e há faróis de neblina que acompanham as curvas e rodas de liga leve de 17 polegadas. A Fiat tem a meta ambiciosa de vender 50 mil unidades da Toro em um ano, uma média de 4,1 mil por mês, a metade da performance mensal da Strada em 2015. Para tanto, será exportada também para países da América Latina.


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

57


direito@outdoorregional.com.br

Direito

Guarda compartilhada Se há pouco tempo, apenas um dos pais (na maior parte das vezes, a mãe) ganhava a guarda da criança após um divórcio, enquanto o contato do outro ficava restrito aos finais de semana ou às visitas, agora, ambos dividem as responsabilidades, as decisões e tudo o que estiver for relacionado à rotina dos filhos | por Aline Cunha

Unilateral ou compartilhada Em nossa legislação contamos com dois tipos de guarda, quais sejam, a guarda unilateral e a guarda compartilhada. A guarda unilateral é aquela exercida pelo pai ou pela mãe, restando ao outro o direito de visitas e de acompanhamento da educação e criação do menor. Já a guarda compartilhada é a divisão entre os pais, embora separados, dos direitos e deveres em relação ao filho, garantindo que as principais decisões sejam tomadas em conjunto pelos genitores, estabelecendo, dessa forma, uma situação de convivência satisfatória do filho com seus pais.

58

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

nomina-se “convivência alternada”, e isso acontece quando o filho passa a morar um período com a mãe e outro com o pai, porém, tal situação é prejudicial à criança.

Pagamento dos alimentos É errônea a ideia de que durante a guarda compartilhada não mais subsiste a obrigação de pagamento dos alimentos. Nossa legislação determina que os genitores são responsáveis pelo sustento dos filhos menores, na proporção de seus rendimentos.

Pela guarda compartilhada o que se divide é a responsabilidade sobre a vida do filho e não o local de sua residência O que implica Guarda compartilhada não significa revezamento de casa. A criança pode e é até recomendado que continue a morar em um só lugar. Pela guarda compartilhada o que se divide é a responsabilidade sobre a vida do filho e não o local de sua residência. Em casos em que há revezamento de casa, de-

Dessa forma, além de dividirem os cuidados e principais decisões sobre o filho, os pais também devem dividir as despesas. O que se pretende com a guarda compartilhada é a aplicação do principio do melhor interesse da criança e do adolescente, que se encontra disciplinado no Estatuto da Criança e do Adolescente, bem como em nossa Constituição Federal.


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

59


Boituva

Prazo para alistamento militar termina em 30 de junho

Com Governador, Prefeito assina convênio para construção “Centro Dia Idoso” Em solenidade no Palácio dos Bandeirantes, o prefeito Edson Marcusso e o governador Geraldo Alckmin assinaram o convênio para a construção de um novo serviço do Centro Dia do Idoso (CDI). Dos 3,7 milhões de reais liberados aos municípios pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social, Boituva deve receber 560,3 mil reais, sendo 500 mil reais para a construção do CDI e outros R4 60.390, 00 do Fundo Estadual de Assistência, para o custeio de

projetos sociais. O Centro Dia Idoso oferece um atendimento diferenciado ao idoso, cujas famílias não têm condições de acompanharem durante o dia, em razão do trabalho. No local serão oferecidos serviços de enfermaria, acolhimento, proteção e convivência (atividades de lazer e cultura), alimentação, banheiros adaptados, área de descanso e sala de convivência com TV/ DVD, além de sala de multiatividades.

O alistamento militar é um ato obrigatório a que estão sujeitos todos os brasileiros do sexo masculino, por força de lei, nos primeiros seis meses do ano em que completam dezoito anos de idade. Os cidadãos nascidos em 1998 têm até o dia 30 de junho para comparecerem à Junta de Serviço militar mais próxima de suas residências para se alistarem. Para fazer o alistamento militar é necessário apresentar certidão de nascimento ou casamento (original e cópia); carteira de identidade (RG); CPF (se possuir); uma cópia do comprovante de residência no nome do pai ou mãe; declaração escolar ou cópia do histórico escolar e duas fotos 3x4 recentes. Aqueles que não se apresentarem dentro do prazo pagarão multa. A Junta Militar está localizada no Paço Municipal, na Av. Tancredo Neves n° 1. Informações na Junta de Serviço Militar pelo telefone 3363.8800 – ramal-254.

Prefeito inspeciona nova frota de ônibus escolares de Boituva Acompanhado do secretário Celso Fernando Iversen (Educação e Cultura), o prefeito Edson Marcusso inspecionou a nova frota de ônibus escolares do município. Implantado pela Prefeitura em 2016, o novo sistema atende exclusivamente estudantes da rede pública de Boituva, com veículos novos e adequados conforme as normas de trânsito, residentes nas zonas urbana e rural do município. 60

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

Segundo o secretário, diariamente são transportados aproximadamente 2.800 estudantes de escolas municipais e estaduais. Ao todo, o sistema conta com 28 novos ônibus para atender as 32 rotas estabelecidas pela Secretaria, que juntas perfazem 1.700 quilômetros percorridos diariamente. O novo serviço também conta com veículo adaptado para portadores de necessidades especiais.


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

61


Política

b-rodrigues@outdoorregional.com.br

O resultado da votação na Câmara deixou a presidente a um passo de perder o poder

62

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

i


Presidência por um fio Com o placar elástico de 367 a 137 votos, processo de impeachment será decidido no Senado | por Bruno Rodrigues

Votação na Câmara

O

impeachment foi admitido na Câmara por um placar de 367 favoráveis, 137 votos contra, sete abstenções e apenas duas faltas. O resultado deixou a presidente a um passo de perder o poder. Eram de cerca de 23h de 17 de abril quando aos olhares de todo o Brasil, o deputado tucano Bruno Araújo, do Pernambuco, registrou o voto 342 completando os dois terços necessários para admitir o processo de destituição e enviá-lo ao Senado. A biografia sem máculas de Dilma não conseguiu vencer a ineficiência de sua gestão, no entanto, o que mais se viu nos discursos que antecediam os votos eram deputados escolhendo suas posições em nome da família, de Deus, de seus eleitores. Quase não houve menções à Operação Lava Jato. Talvez porque há dezenas de parlamentares, incluindo o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, implicados no esquema de corrupção da Petrobras. O fato é que jamais os deputados brasileiros, que só trabalham de terça a quinta em Brasília, atuaram tão focados por um objetivo comum. Parlamentares levaram mulheres e filhos para viver o momento histórico que pode dar fim ao ciclo do PT após 14 anos de poder, dois anos antes da presidente Dilma

concluir seu segundo mandato. Segundo a jornalista Monica Bergamo, da Folha de S. Paulo, alguns parlamentares seguiram para Brasília em jatos emprestados por empresários e promoveram diversos discursos contra corrupção e descaso com a população brasileira. Um circo!

Nas ruas Na Avenida Paulista, em São Paulo, tinha diversos manifestantes pró-impeachment. Ali, os anti-partido dos trabalhadores acompanhavam por telões na sede da FIESPFederação das Indústrias do Estado de São Paulo. Mesmo em menor número em relação a outros atos, os manifestantes comemoravam cada voto favorável como se fosse um gol da seleção brasileira em Copa do Mundo. Por outro lado, os movimentos contra a saída da presidente também marcaram presença nas ruas, tendo sua maioria em Brasília e em São Paulo, com bandeiras, roupas vermelhas, e faixas com os dizeres de apoio a Dilma, Lula e ao partido.

Temer No dia 18 de abril, Michel Temer já colocou um pé no Palácio do Planalto, enquanto o processo de impeachment, que passou pela

Quase não houve menções à Operação Lava Jato. Talvez porque há dezenas de parlamentares, incluindo Eduardo Cunha envolvidos Câmara, seguiu para o Senado. O líder do PMDB rompeu com Dilma no dia 29 de março, anunciando seu voto favorável à destituição parlamentar em um ato incendiário ao qual Temer, naturalmente, não compareceu. Embora não tenha o carisma de Lula, é considerado simplesmente um político profissional, articulador e experiente. Michel Temer representa como ninguém o aparato do enorme PMDB, a maior força política do Brasil, sempre faminto por cargos, com mais deputados ocupantes no Congresso.

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

63


j-moreno@outdoorregional.com.br

Gourmet

Penne integral com atum por Juliana Moreno

Ingredientes 500g de penne integral Folhas de manjericão 15 tomates cereja aproximadamente 1 lata de atum Azeite Sal

64

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

Sabe aqueles dias em que a fome bate e você precisa de uma receita bem prática? É esta! Fica pronta em no máximo 15 minutos e com certeza vai te salvar nos momentos de correria em que a fome apertar

Modo de Preparo 01 - Corte os tomates ao meio e salpique sal sobre eles

deixe em fogo baixo até que os tomates comecem a soltar água

02 - Pique as folhas de manjericão e misture aos tomates

05 - Assim que o fundo da panela secar, coloque um pouco de água, espere ferver e depois coloque o atum, mexendo bem para incorporar ele aos outros ingredientes

03 - Antes do próximo passo, leve a massa para ferver com um pouco de água 04 - Em uma panela coloque azeite, despeje os tomates, tampe a panela e

06 - Depois disso é só escorrer bem a massa, misturar ao molho e servir, colocando algum queijo de sua preferência


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

65


r-barbosa@outdoorregional.com.br

Crônica

Debate dos pequenos por Rafael Barbosa Bia: Oi, Nandinho. Tudo bom? Nando: Fala, Biboca, como você está? Bia: Ah, tudo bem. Mas ainda estou chateada com aquele negócio do Teminho e da Didi. Nando: Nem me fala. Mor rolo que deu. Bia: Eles já andavam se estranhando há um tempão, mas agora ficou sério. Nando: Também, né. O Teminho dá muita mancada. Começou a falar mal dela para os outros e agora deu de ficar passando mensagem de voz falando como se ela nem existisse. Bia: Foi sacanagem mesmo. Mas também a Didi não ajuda muito né? A classe tá uma loucura e ela é representante, poxa, devia arrumar a bagunça. Nando: Arrumar como? A classe está dividida. São duas panelinhas falando mal uma da outra. Bia: Verdade, está um clima muito chato. E começou com a Didi, você viu o que ela fez? Nando: O que? Bia: Parece que o Lulu andou “pegando” doce escondido na hora da merenda e em vez da Didi falar para a diretora, está é acobertando ele? Nando: Quem disse isso? Bia: O Eddy me disse que o Sergio falou que o primo dele viu quando ele afanou o doce. Nando: E você acredita? Para de ser Maria vai com as outras, Bia. Bia: Só estou falando o que todo mundo está dizendo. Meu pai sempre diz, “onde há fumaça há fogo”. Nando: O Serginho não gosta do Lulu há muito tempo e o Eddy está no mesmo barco. Bia: Pode até ser, mas a classe está uma zona e a Didi não faz nada. Eu que não vou pagar o pato e repetir de ano. Nando: Melhor pagar de otário do que de trouxa. Bia: Cala a boca. Nando: Cala a boca já morreu. Quem manda na minha boca sou eu. Bia: Não vou discutir com você, Nando. Estou cansada, até porque acabei de brigar com um mané no Facebook. Nando: Por que?

66

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

Só quero ver o que vai dar depois. Já disse que não vou pagar o pato

Bia: Critiquei uma postagem da Didi no Face e o idiota veio defendendo ela, falando que eu era uma mimada e tals. Nando: Que chato. Aconteceu algo parecido comigo, quando xinguei um otário hoje no Twitter. Bia: Esse povo não se toca. Todo mundo tem direito de se expressar. Você vai na reunião de classe hoje?

i

Nando: Nada. Tenho mais o que fazer. Bia: Também não estou a fim. Só quero ver o que vai dar depois. Já disse que não vou pagar o pato. Nando: Para de repetir essa frase besta. Bia: É o que está todo mundo falando. Fizeram até campanha. Nando: E por isso é verdade. Bia: É como o mundo funciona, meu bem.


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

67


68

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 74

Outdoor Regional  

Edição 74 - Ana Carolina

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you