Page 1

ANO 1 AGOSTO / SETEMBRO 2008 - Nº 3

Subsídio Religioso • Jornal O TRANSCENDENTE • Serv. Missão Jovem, 1079 • Florianópolis • SC • 88020-001 • Fone: (48) 3222-9572

A

profissão de professor requer muito mais que uma formação e um conhecimento teórico-prático sobre uma ciência. O professor “professa” uma ciência e, para ser completo, agrega à sua profissão a habilidade e a sensibilidade de um educador. Ser educador, por sua vez, abarca a responsabilidade do educar, o que é muito mais amplo e complexo do que simplesmente informar. Isto significa dizer que educador é aquele que transmite uma informação com o cuidado de levar seu educando à construção do conhecimento que promova à vida. Embora o Ensino Religioso seja reconhecido como disciplina formal da área do conhecimento, ela traz consigo a mística do transcendente e da essência humana que vai além do conhecer, pois integra o sentir, o apropriar, o assumir e o agir. Ser Educador de Ensino Religioso vai ainda mais longe de tudo isso. Ele transcende todos estes conceitos, pois, de um modo geral este professor tem um “olhar” diferenciado sobre os seus alunos. Um olhar que não se cristaliza em conceitos pré-estabelecidos, em teorias e teses testadas e aprovadas. O professor de Ensino Religioso é comprometido com uma linguagem dialética onde as construções se fazem e se refazem a partir de cada sinal, de cada símbolo, de cada gesto e de cada atitude. Muitas pessoas olham, mas não enxergam. Há quem diga que o Educador completo é aquele que percebe, olha, vê e enxerga. Seu olhar perpassa a materialidade do ser,

como que um raio-x, e capta a vibração da alma do seu educando. O olho é o principal órgão da percepção sensitiva. É através do olho que se percebe e se enxerga a luz. A mesma luz que é captada pelo olho é também emanada pelo olhar. O olho é o instrumento de expressão da alma e do espírito. A Mística do olhar perpassa várias religiões. Na Índia, o terceiro olho é o olho de Shiva, o terceiro membro da trindade do Hinduísmo: Brahma, Vishnu, Shiva ou Siva, o olho da proteção. Este olho seria a glândula pineal situada no cérebro. Ela é considerada mística por excelência, pelo mistério que a envolve. A ciência ainda pouco sabe sobre ela. Este “olho” é cultuado por algumas religiões, seitas e muitas filosofias. O Budismo reconhece o terceiro olho como símbolo da visão interior. Ele se situa na testa de Buda e serve para que ele possa ver o sofrimento das pessoas e auxiliá-las em sua agonia. Um amuleto, muito difundido no Egito, era chamado de olho de Udjat, o olho de falcão do deus celeste Horus que repousa sobre um cetro semelhante a um bastão curvado. O olho de Horus tudo vê. O olho grego, também conhecido como olho turco, ainda hoje é um símbolo pagão muito usado pelos povos árabes em pulseiras, colares, chaveiros ou pendurados nas portas. A ele é atribuída a proteção das pessoas e dos seus lares contra o “olho gordo”, que é o olho do mau.

O olho no centro da mão, Hamsa, que quer dizer, em árabe, cinco dedos das mãos e cinco níveis da alma, é encontrado na Índia e na região do Mediterrâneo. Para estas culturas, este olho traz proteção e é usado contra o mau olhado, nas portas das casas e nos berços de bebês. Na Bíblia, o olho aparece como símbolo da onisciência, vigilância e onipresença protetora de Deus. Na arte cristã, um olho circundado de raios solares significa Deus. A versão cristã do Olho da Providência dentro de um triângulo é uma alusão à Santíssima Trindade. Nos últimos tempos, a NASA (agência espacial norte americana) divulgou imagens detalhadas de uma das nebulosas planetárias mais próximas da terra, a nebulosa Helix. Sua forma impressionante se assemelha a um olho. Por esta razão foi batizada de olho de Deus. Caro Educador, diante desta compreensão sobre os olhos, resta-nos concluir que o olhar do professor de Ensino Religioso se assemelha a estes olhares místicos. Ao contrário de uma visão que foca somente a aparência, ele vai além, transcende, dialoga, capta verdades e necessidades e, com este trunfo, promove transformações capazes de mudar o mundo.

A

equipe do CONER-SC, Conselho de Ensino Religioso do Estado de SC, reúne-se bimestralmente para tratar de assuntos referentes ao Ensino Religioso no Estado. O Jornal O Transcendente participa do trabalho desenvolvido por este grupo na articulação de ações conjuntas que visam garantir o direito à liberdade religiosa e o direito ao ER implementado em todas as escolas do Brasil. Fazem parte do CONER as seguintes denominações religiosas: Islamismo, Igreja do Evangelho Quadrangular, Fé Bahá’i, Igreja Evangélica Luterana do Brasil, Hinduísmo, Igreja Católica Apostólica Romana, Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil, Igreja Católica Apostólica Brasileira, Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, Igreja Católica Apostólica Missionária de Evangelização, Brahma Kumans - URI United Religions Initative, Igreja Ortodoxa Grega.

PAG E1.indd 1

18/7/2008 15:06:37


II AGOSTO / SETEMBRO - 2008

PLANO DE ATIVIDADE I

Educador! Uma das questões mais preocupantes do mundo é a questão da fome, conforme alerta à página 8. Sabemos que esta problemática envolve ações políticas, ou seja, são fatos que passam pelas mãos humanas: Má distribuição de renda e de alimentos, sistema de saúde precário e educação de má qualidade são fatores que elevam os contrastes sociais. Muitas crianças no mundo passam fome. Também no Brasil esta realidade é muito presente. Diante disso precisamos desenvolver, em nossas

ENCARTE DO JORNAL OT

crianças, um espírito fraterno de solidariedade e compreensão da partilha. Vamos motivar nossos futuros líderes a praticarem as virtudes do amor! Professor (a), a atividade que segue promove competências e habilidades de percepção, pensamento e ação. Após a realização do exercício, estimule suas crianças a justificarem as suas escolhas para que elas próprias reflitam sobre os seus sentimentos.

CRIANÇA NÃO DEVE PASSAR FOME Querida criança, observe os alimentos abaixo. Escolha apenas um lanche para você e escreva ao lado dos demais o nome de um (a) amiguinho (a) para o qual

você gostaria de oferecê-lo. Não precisa ser somente algum amigo de sua turma da escola. Você pode escolher crianças da sua rua ou da sua comunidade.

1. Complete as frases abaixo, escrevendo ou desenhando os 2. Se você fosse um agricultor, quais sementes de alimentos você plantaria? seguintes alimentos: Amiguinhos, a terra nos dá muitos alimentos gostosos. Precisamos plantar para colher.

Escreva o nome do alimento, desenhe o alimento e diga por que você escolheu plantar este alimento.

Para fazermos o pão precisamos plantar o Para fazermos feijoada precisamos plantar o Para fazermos goiabada precisamos plantar Para bebermos laranjada precisamos plantar Para fazermos cocada precisamos plantar Para fazermos salada precisamos plantar Atitude e Ação:

Que tal convidar sua turma para uma Campanha de Arrecadação de Alimentos? Os donativos poderão ser encaminhados para uma instituição de crianças carentes. Vai ser uma festa!

Educador (a), para o dia dos pais, motive seus alunos a realizarem uma bonita festa em família. Através desta atividade perceba nas crianças a competência e a habilidade em identificar os valores que enriquecem a vida familiar e como ela apresenta sua própria família. Após a atividade, converse com seus alunos sobre os valores ou contra-valores que elas encontram em sua família. Em seguida, faça suas considerações sobre a realidade apresentada, lembrando que a criança pode ajudar a família a melhorar seus valores. Querido (a) aluno (o): Vamos festejar o Dia dos Pais com um lindo bolo que revele como é a nossa família. Em seu caderno, desenhe um bolo com dez fatias e em cada fatia cole o nome de um valor ou contra-valor que você encontra em sua família. Recorte dez palavrinhas abaixo para colar nas fatias do seu bolo que complete a frase: “minha família é....”

Meu Pai merece um lindo presente: Ao lado das gravatas abaixo, escreva frases de amor que você vai dizer para o seu pai no dia dele.

UNIDA - FELIZ – ANIMADA – BRIGUENTA – MENTIROSA – CARINHOSA – INCOMPLETA – GENIAL – COMPLICADA – VERDADEIRA – CORAJOSA – RELIGIOSA – VALOROSA – LINDA – GRANDE – PEQUENA – BARULHENTA – QUIETA – AMOROSA – PARTICIPATIVA – EDUCATIVA - SOLIDÁRIA – DESUNIDA.

PAG E2.indd 1

18/7/2008 14:57:33


ENCARTE DO JORNAL OT

PLANO DE ATIVIDADE II

AGOSTO / SETEMBRO - 2008 III

Amigo (a) Educador (a)! Com muita alegria vamos trabalhar atividades relativas aos conteúdos desta edição que dizem respeito à realidade das nossas crianças. Na educação, tão importante quanto construir o conhecimento é a conscientização de que o conhecimento adquirido pode e deve ser transformado em promoção de vida.

De maneira lúdica, vamos abordar seriamente, com os nossos pré-adolescentes, os seguintes temas desta edição: o casamento hinduísta, a realidade da fome no mundo, as celebrações de vida e o compromisso das pessoas frente às exigências do mundo. Antes, porém, localize no jornal os conteúdos a serem trabalhados e apresente-os aos seus alunos. A seguir, trabalhe com eles as atividades propostas:

Comer faz bem e é muito bom para a saúde, principalmente quando comemos os alimentos que mais gostamos. Mas, veja só, embora exista muito alimento no mundo, muita gente ainda morre de fome.

Fome no Mundo, converse com seu (sua) colega, reflitam e escrevam o que vocês compreenderam sobre a realidade da fome pela qual passa a humanidade.

Atividade: Após acompanhar o texto apresentado pelo (a) professor (a) sobre A

Competências e habilidades: Despertar o senso crítico e formar opinião frente à realidade social.

A carne de porco não é comida por judeus e muçulmanos por ser •considerada imprópria para alimentação.

Nas várias culturas religiosas os alimentos podem ter significados diferentes.

Índia a vaca é considerada um animal sagrado e é adorada em • Naalguns festivais religiosos. não matam o peixe pescado; deixam-no morrer na praia para • Osserbudistas comido depois. muitos africanos a galinha e o galo não são animais usados para a • Para alimentação e sim para o sacrifício e oferendas aos deuses.

Casar é opção de duas pessoas que se amam e, por isto, desejam viver juntas, ter filhos e formar uma família. Celebrar o matrimônio é um evento que acontece nas várias culturas religiosas e de maneiras diferentes. Acompanhe o curioso texto que fala sobre o casamento hinduísta. Atividade: Com certeza você já foi convidado (a) para uma celebração de casamento, lembra? Então, desenhe a imagem deste casamento que você registrou

Ouça a canção: É preciso saber viver – Roberto Carlos

Toda pedra no caminho Você deve retirar Numa flor que tem espinhos Você pode se arranhar Se o bem e o mal existem Você pode escolher É preciso saber viver...

Para os cristãos o pão e o vinho consagrados são considerados •corpo e sangue de Jesus Cristo.

Atividade: Além de alimentos, outros símbolos são considerados sagrados em várias religiões. Pense e pesquise sobre alguns símbolos considerados sagrados nas religiões. Competências e habilidades: Perceber e identificar nas diferenças o encontro da unidade do sagrado.

em seu pensamento e responda: Por que você acha que pessoas casam? Competências e habilidades: Reconhecer a união de um casal como sendo um casamento e a diversidade dos seus ritos nas várias culturas religiosas.

Atividade:

Recorte dez tiras de papéis coloridos, escreva em cada tira uma atitude que caracte• riza uma pessoa boa. seguida, una as tiras de papel, em elos, formando uma bonita “corrente do bem”. • Em • deJunteaula.sua corrente com as correntes dos (as) seus (suas) colegas e enfeitem a sala Competências e habilidades: Identificar, discernir e tomar posicionamento frente o bem e o mal.

Cada pessoa nasce livre para optar em ser bom e praticar a bondade ou ser mau e fazer coisas ruins. triste conviver com pessoas que fazem o mal. • ÉÉ muito muito bom conviver com pessoas do bem. • Vamos fazer uma corrente do bem!

PAG E3.indd 1

18/7/2008 14:58:17


IV AGOSTO / SETEMBRO - 2008

ENCARTE DO JORNAL OT

PLANO DE ATIVIDADE III

A

s Camisetas Falam é uma atividade criativa e envolvente para ser trabalhada com adolescentes da 6ª a 9ª séries, pois diz respeito aos costumes e jeito de vestir da garotada, portanto, algo que faz parte da realidade do cotidiano deles. Esta atividade genial pode ser adotada também no Ensino Médio, visto que o uso de camisetas com inscrições faz parte do jeito de ser dos adolescentes e dos jovens. O objetivo da atividade, sugerida pela professora Janice, “é o de promover um olhar crítico e reflexivo sobre as ilustrações e os escritos no vestuário dos adolescentes e dos jovens, principalmente em suas camisetas”. O (A) professor deverá estar muito atento (a) a esta atividade, pois o valor da ética será o ponto alto de sua avaliação e mediação junto à turma. Observação: A foto ilustrativa é dos alunos da professora Janice que realizaram a atividade. TEMA: As camisetas falam EIXO ORGANIZADOR ER: Ethos CONTEÚDOS: Expressões que traduzem modos de ser e pensar TRANSVERSALIDADE: Ética e Pluralidade Cultural INTERDISCIPLINARIEDADE: Educação Artística, Língua Portuguesa e Língua Inglesa. FUNDAMENTO: LIMITES ÉTICOS

• Dizeres de Vida Plena – Exemplo: “Jogo no time da vida.” • Dizeres de Não Vida - Exemplo: “Bebo porque estou bem,

1ª semana: O que eu visto?

• Cada aluno (a) observará as suas próprias camisetas. • Apresentação e análise dos valores contidos nas ilustra-

porque se estivesse mal eu tomaria remédio.”

ções e nos dizeres.

4ª semana: Posso fazer algo

• Sugestões de ilustrações e dizeres educativos que prio-

2ª semana: Em minha volta eu vejo....

• Pesquisa em revistas, jornais, propagandas, envolvendo

as ilustrações, marcas e os dizeres do vestuário feminino e masculino (em especial das camisetas).

• Confecção de um mural apresentando a pesquisa realizada.

3ª semana: Contemplando a vida Organização de um trabalho comparativo:

A

rizam a vida.

Faça como a professora Janice. Envie para o jornal “O TRANSCENDENTE” atividades especiais que fazem sucesso em suas aulas. Com a sua colaboração os nossos subsídios pedagógicos ficarão cada vez mais interessantes! A criatividade é algo essencial para o êxito das aulas do ER. Parabéns, professora Janice!

Escolha de uma sugestão de camiseta para ser confeccionada pela turma (se possível).

5ª semana: Visualizo assim...

• Exposição de camisetas na sala de aula. (Pode ser visita-

da pelos alunos de toda a escola).

• Avaliação oral e escrita do trabalho desenvolvido.

TEMA: Hinduísmo EIXO ORGANIZADOR: Ritos CONTEÚDOS: A água como símbolo sagrado TRANSVERSALIDADE: Ética, pluralidade cultural INTERDISCIPLINARIEDADE: História, Geografia, Língua Portuguesa e Ciências FUNDAMENTO: Rituais, símbolos e espiritualidades

água é muito importante para a nossa vida. Por esta razão ela é tratada como símbolo da vida em várias religiões. No Hinduísmo, a água é presença importante nos templos, pois a purificação é um ritual vital. Antes de começar o culto, os sacerdotes se banham em água corrente. As águas do Rio Ganges são consideradas as mais sagradas. Nesse rio acontecem vários rituais religiosos, desde batismos, casamentos e banhos de purificação até funerais, quando as cinzas da pessoa morta são lançadas no rio. Vamos fazer uma pesquisa em algumas culturas religiosas e descobrir o significado da água para cada uma delas?

1. Professor (a): recorte os potes abaixo e entregue para seis equipes montadas na turma. Cada equipe deverá pesquisar sobre o simbolismo da água na cultura religiosa escrita no pote que receber e fará apresentação ao grupo em data determinada pelo (a) professor (a). CINCO POTES: Cristianismo – Judaísmo – Religiões afro-brasileiras – Islamismo – Indígena - Hinduísmo. O site O TRANSCENDENTE auxiliará em sua pesquisa sobre a simbologia da água.

2. Professor (a), a canção Planeta Água, de Guilherme Arantes, de maneira devocional nos revela a espiritualidade da água. Trabalhe com seus alunos a letra desta canção e procure fazer com eles uma análise construtiva sobre o sentido da água expressado pelo compositor.

Planeta Água Água que nasce na fonte Serena no mundo E que abre um Profundo grotão Água que faz inocente Riacho e deságua Na corrente do ribeirão... Águas escuras dos rios Que levam

PAG E4.indd 1

A fertilidade ao sertão Águas que banham aldeias E matam a sede da população... Águas que caem das pedras No véu das cascatas Ronco de trovão E depois dormem tranqüilas No leito dos lagos No leito dos lagos...

Água dos igarapés Onde Iara, a mãe d’água É misteriosa canção Água que o sol evapora Pro céu vai embora Virar nuvens de algodão... Gotas de água da chuva Alegre arco-íris Sobre a plantação

Gotas de água da chuva Tão tristes, são lágrimas Na inundação... Águas que movem moinhos São as mesmas águas Que encharcam o chão E sempre voltam humildes Pro fundo da terra Pro fundo da terra...

Terra! Planeta Água Terra! Planeta Água Terra! Planeta Água... (2x) Composição: Guilherme Arantes

18/7/2008 15:03:46

O Transcendente - Encarte Pedagógico 3  

Edição Agosto/Setembro 2008

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you