Page 1

REVISTA

OSWALDO CRUZ

CULTURAL

Uma publicação do Laboratório Oswaldo Cruz de São José dos Campos o

Ano V - n 22 - Jul/Ago 2011 - Distribuição gratuita e dirigida

LABORATÓRIO

OSWALDO CRUZ

ESPAÇO PARA CRIANÇAS TAMBÉM É CULTURA! humanização do atendimento, têm propiciado a visão do paciente infantil de uma forma diferenciada, fundamentada no conceito de integralidade do ser, o que faz com que o Laboratório Oswaldo Cruz seja pioneiro nesta matéria. Por este motivo, sendo que o Laboratório acha de suma importância o tratamento diferencial destes pacientes, inaugurou uma sede exclusiva para atendimento infantil para crianças de 0 a 12 anos, bem pertinho da nossa matriz, para facilitar a vida das mães e dos colegas que encaminham a nos seus pacientes mirins.

OSWALDINHO OSWALDINHO Há muitos anos que o LABORATÓRIO OSWALDO CRUZ observa as crianças, nossos pequenos pacientes, e desde sempre teve o grande desejo de transformar o ambiente de coleta infantil em um lugar acolhedor, mágico, e saudável, desmistificando o “medo” dos pequeninos aos atendimentos na área da saúde. Mais do que procurar a causa de uma doença, as condutas voltadas à

UNIDADE INFANTIL DO LABORATÓRIO OSWALDO CRUZ Avenida Anchieta, 325 Jardim Esplanada CEP. 12.242-280 São José dos Campos – SP fone: (12) 3308 3770


2 Editoria

por Dr. Héctor Enrique Giana Diretor Presidente do Laboratório Oswaldo Cruz

Editorial Parte da dedicatória que JeanJacques Rousseau escreveu para a República de Genebra em 1753, que manifesta, principalmente, seu amor à liberdade. Exemplos como este nos convidam a continuar lutando por um mundo melhor. Se puder ler o ensaio completo, nunca mais será a mesma pessoa! A direção

DISCURSO SOBRE ESTA QUESTÃO PROPOSTA PELA ACADEMIA DE DIJON: QUAL É A ORIGEM DA DESIGUALDADE ENTRE OS HOMENS, E SE É AUTORIZADA PELA LEI NATURAL Se eu tivesse de escolher o lugar do meu nascimento, teria escolhido uma sociedade de grandeza limitada pela extensão das faculdades humanas, isto é, pela possibilidade de ser bem governada, e onde, bastando-se cada qual ao seu mister, ninguém fosse constrangido a atribuir a outros as funções de que estivesse encarregado; um Estado em que, todos os particulares se conhecendo entre si, nem as manobras obscuras do vício, nem a modéstia da virtude pudessem subtrair-se aos olhares e ao julgamento do público, e em que esse doce hábito de se ver e de se conhecer fizesse do amor da pátria o amor dos cidadãos, em vez do da terra. Eu quisera nascer num país em que o soberano e o povo só pudessem ter um único e mesmo interesse, a fim de que todos os movimentos da máquina tendessem sempre unicamente à felicidade comum; como isso só poderia ser feito se o povo e o soberano fossem a mesma pessoa, resulta que eu quisera nascer sob um governo democrático, sabiamente moderado.

Expediente Editor Geral: Dr. Enrique Giana Produção: Departamento de Comunicação & Marketing Reportagem e Fotos: Claudia M. S. de Lima Editoração Eletrônica: Paulo J. S. de Lima Periodicidade: Bimestral Tiragem: 3.000 exemplares Distribuição gratuita e dirigida

www.oswaldocruz.com web@oswaldocruz.com

(12) 3946 3711

de tal modo submetido às leis que nem eu nem ninguém pudesse sacudir o honroso jugo, esse jugo salutar e doce, que as cabeças mais altivas carregam tanto mais docilmente quanto são feitas para não carregar nenhum outro. Eu quisera, pois, que ninguém, no Estado, pudesse dizer-se acima da lei, e que ninguém, fora dele, pudesse impor alguma que o Estado fosse obrigado a reconhecer; de fato, qualquer que possa ser a constituição de um governo, se neste se encontra um só homem que não esteja submetido à lei, todos os outros ficam necessariamente à discrição deste último: e, havendo um chefe nacional e outro estrangeiro, qualquer que seja a partilha da autoridade que possam fazer, é impossível que ambos sejam bem obedecidos e o Estado bem governado. Eu não quisera habitar uma república de nova instituição, por muito boas que fossem as leis que pudesse ter, de medo de que, constituído o governo de outra maneira, talvez, que não a exigida pelo momento, não convindo aos novos cidadãos, ou os cidadãos ao novo governo, ficasse o Estado sujeito a ser abalado e destruído quase desde o seu nascimento; porque a liberdade é como esses alimentos sólidos e suculentos, ou esses vinhos generosos, próprios para nutrir e fortificar os temperamentos robustos a eles habituados, mas que inutilizam, arruinam, embriagam os fracos e delicados, que a ele não estão afeitos. Os povos, uma vez acostumados a senhores, não podem mais passar sem eles. Se tentam sacudir o jugo, afastam-se tanto mais da liberdade quanto, tomando por ela uma licença desenfreada que lhe é oposta, suas revoluções os entregam quase sempre a sedutores que só fazem agravar as suas cadeias. O próprio povo romano,

que lhe foram impostos, não passava, primeiro, de uma estúpida populaça que foi preciso conduzir e governar com a maior sabedoria, a fim de que, acostumando-se pouco a pouco a respirar o ar salutar da liberdade, as almas enervadas, ou antes, embrutecidas pela tirania, adquirissem gradativamente a severidade de costumes e a altivez de coragem que as tornaram, finalmente, o mais respeitável dos povos. Eu teria, pois, procurado, como pátria, uma feliz e tranqüila república cuja antigüidade se perdesse de certo modo na noite dos tempos, que não tivesse experimentado senão golpes próprios para manifestar e consolidar nos seus habitantes a coragem e o amor da pátria, e onde os cidadãos, acostumados de longa data a uma sábia independência, fossem não somente livres, mas dignos de o ser.

Jean-Jacques Rousseau Nasceu em 28 de junho de 1712, em Genebra, Suiça. Morreu em 2 de julho de 1778, em Ermenoville, França

Projeto Oswaldo Cruz Cultural

Leve

& Leia Biblioteca Comunitária


3 Dat a 1 2

Dia Dia Dia Dia Dia

COMEMORAÇÕES DE JULHO Da ta

Ev ento do Bancár io da Vacina BCG Na ci onal do Sesi do Hospita l Na ci onal do Bom beiro*

16

Dia d o Co merciante*

17

Dia d o P rotetor de Florestas* Dia d o Tr ova dor* Dia Mun dial dos Vetera nos d e G uer ra Dia d o Fu teb ol* Dia d a Ca ridade Dia Mun dial do Amig o Dia Intern acional da Amizade * Dia P an-A mericano do E ngen heiro

3

Dia do Ministé rio da Ju stiça (182 2)

18

4

Dia da In depen dência do s Estados Unidos (177 6)

19

5

Dia Na ci onal da Colun a P reste s

20

6 7 8 9

10

11

12

13

14

15

Dia Dia Dia Dia Dia Dia Dia Dia Dia Dia

da Criação do IBGE (1 934) Inter naciona l do Coo perativismo* do Volun tá rio Social do Panificad or* do Protético da Ju ve ntu de do Solda do Consti tucion alista do Truco Mu ndial da Le i Inter naciona l da P izza*

Dia Dia Dia Dia Dia Dia Dia Dia Dia Dia Dia Dia Dia Dia Dia

do Rondon ista do Mestre de B anda Na ci onal dos Traba lhado res Tel efônicos do Príncipe de São Tomé do Enge nheir o Flo resta l* Mu ndial do Rock* do Enge nheir o S anitarista dos Ca nto res e Comp osito res S ertanej os do Doente Mu ndial do Hospital* do Prop agan dista de La bora tór io Un ive rsal d a Liber dade de Pe nsamento* Na ci onal dos Clubes Inter naciona l do Home m

7 de Junho DIA DO VOLUNTÁRIO SOCIAL O conceito a seguir é bem parecido com o difundido pela Organização das Nações Unidas (ONU): “voluntário é o jovem ou o adulto que, devido ao seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem estar social ou outros campos.” Neste conceito de voluntário, encontra-se a principal motivação para o exercício do voluntariado: a satisfação. O trabalho voluntário gera uma realização pessoal, um bem estar interior originado do prazer de servir a quem precisa. É um sentimento de solidariedade e amor ao próximo aliado com a importância de sentir-se socialmente útil. É algo que vem de dentro da gente e faz bem aos outros. No voluntariado todos ganham: o voluntário, aquele com quem o voluntário trabalha, a comunidade. O serviço voluntário é uma realidade antiga no Brasil e, desde 1998, há uma Legislação específica para a prática do voluntariado, criando respaldo jurídico para facilitar a profissionalização do serviço voluntário. DICAS

Eve nt o

21

Dia d a Co nquista da Lua (19 69 )

22 23

Dia Nacio nal do Podó logo* Dia d o G uar da Ro doviário *

24

Dia d o Co lono*

25

Dia d o Ta xista Dia d o E scri tor * Dia d o Mo tor ista* Dia d os V iajantes

26

Dia d os A vós*

27

Dia d o Mo tociclista* Dia d o De sp achante Dia Nacio nal de Prev. A cid . de Trab alho*

28

Dia d o A gricultor*

29

Dia d o Ho tele iro

31

Dia d as Con gada s, em A ragu ari, MG Dia d a L ibertação do s Indígena s Bra sileiros

Não é só quem é especialista em alguma coisa que pode ser voluntário, mas todas as pessoas com suas capacidades, habilidades e dons. O que cada um faz bem pode fazer bem a alguém. 2. Voluntariado é uma relação humana, rica e solidária Não é uma atividade fria, racional e impessoal. É relação de pessoa a pessoa, oportunidade de se fazer amigos, viver novas experiências, conhecer outras realidades. 3. Trabalho voluntário é uma via de mão dupla O voluntário doa sua energia e criatividade mas ganha em troca contato humano, convivência com pessoas diferentes, oportunidade de aprender coisas novas, satisfação de se sentir útil. 4. Voluntariado é ação Não é preciso pedir licença a ninguém antes de começar a agir. Quem quer, vai e faz. 5. Voluntariado é escolha Não há hierarquia de prioridades. As formas de ação são tão variadas quanto as necessidades da comunidade e a criatividade do voluntário. 6. Cada um é voluntário a seu modo Não há fórmulas nem modelos a serem seguidos. Alguns voluntários são capazes, por si mesmos, de olhar em volta, arregaçar as mangas e agir. Outros preferem atuar em grupo, juntando os vizinhos,

instituição inteira que se mobiliza, seja ela um clube de serviços, uma igreja, uma entidade beneficente ou uma empresa. 7. Voluntariado é compromisso Cada um contribui na medida de suas possibilidades mas cada compromisso assumido é para ser cumprido. Uns têm mais tempo livre, outros só dispõem de algumas poucas horas por semana. Alguns sabem exatamente onde ou com quem querem trabalhar. Outros estão prontos a ajudar no que for preciso, onde a necessidade é mais urgente. 8. Voluntariado é uma ação duradoura e com qualidade Sua função não é de tapar buracos e compensar carências. A ação voluntária contribui para ajudar pessoas em dificuldade, resolver problemas, melhorar a qualidade de vida da comunidade. 9. Voluntariado é uma ferramenta de inclusão social Todos têm o direito de ser voluntários. As energias, recursos e competências de crianças, jovens, pessoas portadoras de deficiência, idosos e aposentados podem e devem ser mobilizadas. 10. Voluntariado é um hábito do coração e uma virtude cívica

SEJA UM VOLUNTÁRIO!!!


4

Especial I

por Dr. Héctor Enrique Giana Diretor Presidente do Laboratório Oswaldo Cruz

O MODERNISMO NA LITERATURA BRASILEIRA Manuel Bandeira

Mario de Andrade

Biografia, obras e estilo literário Este notável poeta do modernismo brasileiro nasceu em Recife, Pernambuco, no ano de 1886. Teve seu talento evidenciado desde cedo quando já se destacava nos estudos. Durante o período em que cursava a Faculdade Politécnica em São Paulo, Bandeira precisou deixar os estudos para ir à Suíça na busca de tratamento para sua tuberculose. Após sua recuperação, ele retornou ao Brasil e publicou seu primeiro livro de versos, Cinza das Horas, no ano de 1917; porém, devido à influência simbolista, esta obra não teve grande destaque. Dois anos mais tarde este talentoso escritor agradou muito ao escrever Carnaval, onde já mostrava suas tendências modernistas. Posteriormente, participou da Semana de Arte Moderna de 1922, descartando de vez o lirismo bem comportado. Passou a abordar temas com mais encanto, sendo que muitos deles tinham foco nas recordações de infância. Além de poeta, Manuel Bandeira exerceu também outras atividades: jornalista, redator de crônicas, tradutor, integrante da Academia Brasileira de Letras e também professor de História da Literatura no Colégio Pedro II e de Literatura Hispano-Americana na faculdade do Brasil, Rio de Janeiro. Este, que foi um dos nomes mais importantes do modernismo no Brasil, faleceu no ano 1968.

Biografia, obras e estilo literário Mario de Andrade nasceu em São Paulo, no ano de 1893. Professor, crítico, poeta, contista, romancista e músico, formou-se pelo Conservatório Dramático e Musical de São Paulo, passando a lecionar neste mesmo local posteriormente. Participou da Semana de Arte Moderna de 1922, no Teatro Municipal de São Paulo. Durante sua trajetória, Mario de Andrade fundou a Sociedade de Etnografia e Folclore e também passou por vários cargos públicos, entre estes, foi diretor do Departamento Municipal de Cultura de São Paulo. Apesar de ter sido uma pessoa com inúmeras ocupações, este artista modernista sempre tinha tempo para ajudar os escritores que ainda não eram conhecidos. Enquanto viveu, ele lutou pela arte com seu estilo de escrita puro e verdadeiro. Certo de que a inteligência brasileira necessitava de atualização, este escritor modernista nunca abandonou suas maiores virtudes: a consciência artística e a dignidade intelectual. Foram de sua autoria os versos de Paulicéia Desvairada, considerada o marco inicial da poesia modernista no Brasil. Uma outra obra deste artista que se destacou por sua contribuição ao movimento modernista foi o livro Macunaíma, romance onde é mostrado um herói que tem as qualidades e defeitos de um brasileiro comum.

Oswald de Andrade Biografia, obras e estilo literário Um dos principais literatos do modernismo no Brasil, José Oswald de Sousa Andrade nasceu em São Paulo no ano de 1890 e viveu até 1954, ano de seu falecimento. Em 1916 deu inicio ao livro Memórias Sentimentais de João de Miramar. Em 1917 conheceu Mario de Andrade e a partir de então, passaram a trabalhar juntos iniciando movimentos que visavam a Semana de Arte Moderna de 1922, que ocorreu em 1922. Ainda no ano de 1922, o escritor modernista Oswald de Andrade escreveu o romance Trilogia do Exílio. A partir de então, escreveu outras obras: Estrela de Absinto, A Escada Vermelha, Primeiro Caderno do Aluno de Poesia, etc. No ano de 1924, Oswald lançou na Europa o movimento nativista PauBrasil. Para dar continuidade a este movimento, ele fundou, em 1927, a Revista de Antropologia com seu Manifesto Antropofágico. Com A Crise da Filosofia Messiânica, ele passou a ser livre Docente de Literatura Brasileira na Universidade de São Paulo. Além dos livros escritos por ele, Oswald de Andrade foi o precursor de


Especial II

por Dr. Héctor Enrique Giana Diretor Presidente do Laboratório Oswaldo Cruz

5

12 de agosto - Dia das Artes Expressão de um povo. Tradução do pensamento de uma época. Exteriorização dos anseios humanos. A arte, por sua função pura e simples, tem seu quê de poesia e divagação. Uma forma criativa e peculiar que o homem desenvolveu para se fazer entender, utilizando a beleza dos eufemismos e da subjetividade. O teatro, a literatura, as artes plásticas, o cinema. Cada qual com sua importância, cada qual com suas idiossincrasias. A partir de meados da década de 90, o Brasil vem conhecendo uma extraordinária retomada de suas atividades culturais. O cinema foi a primeira área a beneficiar-se disso.

O sucesso com que foram recebidos pelo público filmes como O Quatrilho, O Que é Isso Companheiro? e Central do Brasil indica que o cinema brasileiro poderá reconquistar, a curto prazo, o lugar de destaque que havia alcançado no panorama cultural, no início dos anos 60. É um sinal de que a indústria cinematográfica tem futuro no país.

Mas o cinema não é o único. A retomada cultural no Brasil pode ser percebida também na música, na literatura e, mais importante ainda, em um extraordinário fenômeno de mídia, que reflete o interesse dos brasileiros pela produção cultural do País.

Certamente, a revalorização das atividades dos museus e das artes plásticas com exposições de pintura e escultura de artistas como Rodin, Miró, Monet e Maillol, sem esquecer a própria Bienal de Artes de São Paulo - são reflexos desse interesse. O Brasil é um país de cultura extremamente rica e diversificada. A origem dessa característica está no peculiar processo de formação da sociedade brasileira, que, desde o seu nascimento, recolheu a generosa contribuição de povos e etnias tão diferentes quanto os índios autóctones, os portugueses descobridores, os africanos feitos escravos e, depois, franceses, espanhóis, holandeses, italianos, japoneses, árabes e tantos outros. A arte nasceu com o homem. Com a arte o homem conseguiu transformar o movimento em dança, o grito em canto, e reproduzir pela imagem e pelo gesto as coisas que sente e a emoção que contempla. A presença da arte numa obra se nota quando através dela o artista nos comunica os seus temores, anseios e esperanças e quando ela estabelece uma relação profunda entre o homem e o mundo, exprimindo uma realidade interior mais intensa e não menos significativa do que a exterior que captamos através dos sentidos. Criar arte e amá-la foi privilegio de todos os povos, raças, crenças, épocas, meridianos e culturas. Por tudo isso, e muito mais, as artes têm

mundo, e são ensinadas em todas as escolas públicas dos países desenvolvidos. No Brasil, as artes (música, teatro, dança, etc.) só foram motivo de preocupação das autoridades ligadas à educação pública no século XX. As leis 4024 de l961, a 5692 de 1971 e a 9.394 de 1996 se preocuparam com o ensino da arte nas escolas e instituíram o ensino das quatro linguagens de artes (artes plásticas ou artes visuais, teatro, música, dança). Com isto, acertaram plenamente, pois a meta principal do ensino da arte é: 1) o desenvolvimento do aluno nas quatro linguagens de artes; 2) o crescimento de sua autonomia e a capacidade inventiva, sempre levando em conta os valores e sentidos do seu universo cultural. No entanto, em todo este espaço de tempo, houve um descompasso entre a realidade das escolas e as inovações pretendidas pelas instâncias regulamentadoras.

O poder público que tem a tarefa de coordenar a política nacional de educação sempre deixou a desejar no que se refere ao investimento em políticas que priorizassem a formação do professor nas quatro linguagens da arte. Não investiu também no fornecimento de material de apoio e espaços de intimidade propícios à relação do aluno com as coisas e consigo mesmo. A arte precisa de um ambiente que impele à curiosidade, que leve o aluno a absorver do particular ao essencial, a descontrair para criar. É preciso valorizar os aspectos educativos contidos no universo da arte, porque ela contém em si muitos componentes pedagógicos. Apesar das escolas públicas procurarem se adaptar à orientação da Lei 9.394 e com os Parâmetros Curriculares Nacionais, há deficiência no ensino da arte em quase todo o Brasil. Com isso, as atividades com as artes nas escolas públicas traduzem-se em técnicas de trabalhos artísticos em fundamentação


6

contextualizada historicamente. Isto é grave porque atualmente muitas mudanças ocorreram na maneira de apreciar a arte. Sua forma de expressão diversificou-se: ela está no filme, no anuncio de jornal, na TV, na publicidade, no desenho industrial. As artes visuais (artes plásticas, artes gráficas, vídeo, cinema, fotografia, arte de computador) indicadas pela Lei 9.394, as mais apreciadas atualmente, e mais úteis do ponto de vista econômico, não poderiam jamais deixar de ser ensinadas corretamente nas escolas públicas.

Mais Arte A Arte é a criação humana com valores estéticos, ou seja, beleza, equilíbrio, harmonia, que expressam as suas emoções, sua história, seus sentimentos e a sua cultura. Ela se apresenta sob variadas formas como: a plástica, a música, a escultura, o cinema, o teatro, a dança, a arquitetura etc. A arte pode ser visualizada, ouvida ou os dois ao mesmo tempo, que são os audiovisuais. Atualmente, alguns tipos de arte permitem que o apreciador participe da obra, interagindo com o artista. O homem cria a arte no intuito de expressar o que pensa, divulgar suas crenças (ou as de outros), estimular e

interpretar objetos e cenas. O que vemos, quando admiramos uma arte, depende da nossa experiência e conhecimentos, da nossa disposição no momento, imaginação e daquilo que o artista pretendeu mostrar. A Humanidade sempre usou as pesquisas em escavações para acompanhar sua evolução histórica. Sabemos que desde os mais remotos primórdios, o ser humano sempre desejou deixar gravado, para as gerações futuras, registros de como e onde viviam. Por isso, faziam desenhos e pinturas nas rochas. Os homens evoluíram, mas a curiosidade sobre seus ancestrais segue até hoje. Notamos que é com as artes dessas culturas que os processos evolutivos e de comunicação são comprovados, causando, por vezes, muitas polêmicas. No início do século XX, começou a se reconhecer os povos nativos como culturas diferentes das civilizações oficiais e suas contribuições sociais e ambientais deixadas pelos guerreiros que tiveram o sonho e as artes como professores. A literatura se enriqueceu com as lendas e tradições indígenas, que mostram como funciona o pensamento do homem nativo. A pintura corporal, é

pinta os corpos dos filhos e do marido, As cores e os desenhos 'falam', dão recados. Enquanto a qualidade é a garantia do sucesso, ou seja, resultam em boa sorte. A arte plumária serve para enfeites: mantos, máscaras, cocares, e passam aos seus portadores elegância e majestade. E é uma arte especial, cuja finalidade é puramente estética.

O traçado, outra atividade artística, que pela variedade de plantas brasileiras apropriadas possibilita ao índio uma inesgotável fonte de matéria prima. É trançando que o índio constrói

Como anda a saúde dos seus ossos? Você sabia que os ossos do corpo humano se desgastam com o tempo e por vezes são bastante frágeis? O exame de DENSITOMETRIA ÓSSEA do Laboratório Oswaldo Cruz é capaz de diagnosticar com precisão a saúde dos seus ossos. Entre em contato conosco para saber mais a respeito.

Novo telefone: 3946 3711


7 adornos pessoais, utensílios domésticos, para caça e pesca, redes para pescar e dormir, instrumentos musicais para uso em rituais religiosos etc. A cerâmica destacou-se, principalmente, pela sua utilidade, buscando a sua forma nas cores e na decoração exterior, e seu ponto alto ocorreu na ilha de Marajó. Também no início do século XX, existia uma diferença de entendimento que dividia artistas e críticos diante das artes. De um lado, os que diziam que a arte deveria ser uma cópia fiel do real, e do outro, os que pleiteavam total liberdade criadora para o artista, de modo que não ficassem cerceados pelos limites da realidade.

Moderna realizada nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro de 1922, no Teatro Municipal de São Paulo. No interior do teatro, foram apresentados concertos e conferências, enquanto, no saguão, foram montadas exposições de artistas plásticos. Fonte: pink.dornbeast.com

Curiosidades Dada a diversidade das atividades realizadas por um artista, a Lei 6.533 e o decreto 82.385, ambos de 1978, regulamentaram a profissão como 'Artista e Técnico em Espetáculos de Diversões' e reconhece mais de 100 funções, que foram divididas em Artes Cênicas, Cinema e Fotonovela. De acordo com dados do Ministério do Trabalho e Emprego, no Brasil há 68.757 com registro profissional - popularmente conhecido como DRT. São Paulo é o estado que possui o maior número de artistas com registro profissional, com 26 mil profissionais, seguido de Rio de Janeiro (11 mil) e Paraná (8.282). Mas independente do estado ou da função, é na arte que milhares de artistas encontram espaço para se comunicar, utilizando a beleza dos movimentos, dos eufemismos e da subjetividade para traduzir sentimentos, pensamentos, cultura e história.

A arte se apresenta sob variadas formas, como a plástica, a música, a escultura, o cinema, o teatro, a dança e a arquitetura, entre outras. Cada arte com sua peculiaridade e importância, que pode ser visualizada, ouvida ou os dois ao mesmo tempo e, em alguns casos, que permite ao apreciador interação com o artista. O Cadastro Brasileiro de Ocupações (CBO), do Ministério, registra 16 ocupações para a categoria. A presença de outros povos no processo de formação da sociedade brasileira, entre eles portugueses, africanos, franceses e espanhóis, trouxe ao Brasil características que refletem até hoje na arte produzida no país. O Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões (Sated) congrega os artistas e técnicos brasileiros que trabalham em espetáculos de rádio, televisão, cinema, circo, modelos, dublagem e teatro. Fonte: www.jusbrasil.com.br

A Densitometria analisa seus ossos! A Densitometria Óssea torna-se o método mais moderno, aprimorado e inócuo para se medir a densidade mineral óssea relacionado a padrões estabelecidos para idade e sexo. O Laboratório Oswaldo Cruz é capaz de diagnosticar em poucos minutos como anda a saúde de seus ossos.

Ligue pelo telefone: 3946 3711

CUIDE BEM DE SEUS OSSOS

Essa nova arte apareceu, inicialmente, na atividade crítica e literária de Oswald de Andrade, Menotti Del Picchia, Mário de Andrade, em 1912. A divisão entre os defensores da estética conservadora e os


8

MEDITAÇÃO DO MÊS SANTIAGO BOVISIO Nasceu na cidade de Bérgamo, ao Norte da Itália, no dia 29 de setembro de 1904 e, desde muito pequeno, manifestou extraordinárias faculdades de clarividência e profecia que, com o tempo, a disciplina e o conselho de instrutores físicos e astrais, alcançaram níveis excepcionais. Ainda jovem, ingressou na Ordem dos Cavalheiros do Fogo ramo europeu (C.H.E.F.), em Veneza. A 10 de janeiro de 1926, já com o grau de Cavalheiro Ordenado, fundou a União Savonaroliana em Buenos Aires. Mais tarde fundou, em Rosário, a Universidade Espiritualista Argentina, à qual aderiram grupos de diferentes origens. No dia 3 de março de 1937, junto com três companheiros, fundou Cafh, sigla da Sagrada Ordem dos Cavalheiros Americanos do Fogo de Hes. Preparava-se para empreender uma viagem terrestre às Serras Madre de Dios, a noroeste de Machu Pichu, para descobrir uma terra não pisada por pés humanos - prometida a Cafh pela Divina Mãe para construir uma Comunidade Mística secreta, OM HES, de Sacerdotes Ordenados, para dirigir, desde ali, a obra americana da Nova Era de Aquário (Hidrochosa) - quando a morte o surpreendeu num acidente rodoviário nos arredores de Rio Quarto, na manhã de 3 de julho de 1962.

com remédios, previsões e higiene, mas pela harmonia dos diversos valores do homem com seu Espírito. A pureza e a retidão da alma são, em realidade, a fonte de todo bem mental e físico. E, quando não há pureza na alma, o ser perde toda a espontaneidade e arruína as funções de seu organismo. A alma deve esforçar-se continuamente para recuperar sua pureza originária e natural, fonte do verdadeiro bem-estar. É indispensável que os diversos aspectos mentais atuem sempre conjunta e harmonicamente, sem uma pressão excessiva nem predominante, como ocorre na maioria das vezes, já seja dos valores físicos ou dos valores anímicos. O esporte, bem praticado e com mesura, ajuda a ordenar e a disciplinar o instinto e o desejo. O estudo metódico da ciência submete a razão flexível e ordena os centros nervosos. E a oração é a luz do Espírito que faz possível a sincronização destes diversos valores intrínsecos e extrínsecos: sobrenaturais e naturais. Manter-se sadio de corpo e alma é um requisito indispensável para seguir o Bom Caminho.

(continua) CURSO “O BOM CAMINHO” Ensinança 11: A Saúde do Corpo Durante o transcurso de sua vida, o homem sofre de várias enfermidades em seu organismo, agravadas por complexos mentais de toda índole, que repercutem sobre a face psíquica e quebram os nervos. O manter-se são de corpo é um requisito indispensável para

FRASES DE HIPÓCRATES Hipócrates (460?-377 a.C.), o Médico mais importante da Antigüidade; é considerado o "Pai da Medicina". Seu nome é associado ao juramento hipocrático, embora seja bem possível que ele não tenha sido o autor do documento.

- Tudo acontece conforme a natureza. - A cura está ligada ao tempo e às vezes também às circunstâncias. - A guerra é a melhor escola do cirurgião. - Não darei veneno a ninguém ainda que me o peça, nem lhe sugerirei tal possibilidade. - Há uma circulação comum, uma respiração comum. Todas as coisas estão relacionadas. - Nem a sociedade, nem o homem, nem nenhuma outra coisa deve ultrapassar os limites estabelecidos pela natureza. - Que a comida seja teu alimento e o alimento tua medicina. - A febre da doença provoca o próprio corpo, a do amor o corpo do outro. - A arte é longa, a vida breve, a ocasião fugitiva, a experiência falaz, o juízo dificultoso. Não basta que o médico faça por sua vez quanto deve fazer, se por outro lado não coincidem ao mesmo objeto, os assistentes e as circunstâncias exteriores restantes.


Especial III

por Dr. Héctor Enrique Giana Diretor Presidente do Laboratório Oswaldo Cruz

9

20 de julho - DIA DO AMIGO importante – está relacionada à seguinte dúvida: seria a amizade uma versão adulta e sofisticada do amor, ou um fenômeno inteiramente diferente? Como regra, achamos interessantes aquelas pessoas que desenvolvem maneiras de ser e de racionar sobre todos os assuntos similares às nossas em muitos aspectos. Não só achamos graça como nos sentimos muito próximos delas. Aqui, a sensação de integração não se origina de um processo físico, como acontece no amor – ou mesmo na integração com a pátria ou com o universo. Ela deriva de uma intimidade intelectual, de afinidades na maneira de pensar e de sentir a vida. Foi primeiramente adotado em Buenos Aires, na Argentina, com o Decreto nº 235/79, sendo que foi gradualmente adotado em outras partes do mundo. A data foi criada pelo argentino Enrique Ernesto Febbraro. Com a chegada do homem à lua, em 20 de julho de 1969, ele enviou cerca de quatro mil cartas para diversos países e idiomas com o intuito de instituir o Dia do Amigo. Febbraro considerava a chegada do homem a lua "um feito que demonstra que se o homem se unir com seus semelhantes, não há objetivos impossíveis". Aos poucos a data foi sendo adotada em outros países e hoje, em quase todo o mundo, o dia 20 de julho é o Dia do Amigo, é quando as pessoas trocam presentes, se abraçam e declaram sua amizade umas as outras, na teoria. No Brasil, apesar de não ser regulamentada por lei, o dia do amigo é comemorado popularmente em 18 de abril. No entanto, o país também vem adotando a data internacional, 20 de julho, sendo inclusive instituída oficialmente em alguns estados e municípios.

A Origem do Dia do Amigo Texto de Flávio Gikovate Venho ensaiando escrever sobre a amizade há pelo menos vinte anos, sem coragem de dar seguimento a esse antigo projeto. Percebi que se trata da mais bemsucedida forma de interação entre as pessoas, de uma fonte de prazeres e alegrias enormes e geradora de tensões e elementos negativos mínimos.

mais comuns. Agora, por puro preconceito, mesmo nos tempos atuais, em que o erotismo tende a se expressar de modo mais livre, não pensamos em intimidades sexuais entre amigos. Da mesma forma, é fácil imaginar que as relações que se iniciam como amizade podem evoluir para um namoro ou mesmo para um casamento. A idéia de que o amor é coisa muito mais rica do que a amizade é, a meu ver, antiga. Afinidades intelectuais e semelhanças de gostos e interesses terão de ser parte essencial de todos os relacionamentos mais íntimos.

Nas amizades, a ponte que permite que duas criaturas individuais e solitárias se sintam integradas surge graças à facilidade com que elas se comunicam. É extraordinário o prazer que sentimos quando temos a impressão de que aquilo que o outro está entendendo corresponde exatamente ao que estamos dizendo. Temos a impressão de não estarmos sós neste mundo. O prazer que experimentamos ao conversar com nossos amigos – definidos assim de modo rigoroso, sem nada a ver com os diversos conhecidos que temos – é enorme; não raramente maior do que o que sentimos ao conversar com nossos parentes e com o nosso objeto de amor que, como disse, corresponde a uma escolha mais relacionada com outros processos. Como as amizades referem-se a processos essencialmente adultos, não são contaminadas, a não ser de modo muito superficial, pelas penosas emoções possessivas e ciumentas. Podemos ter mais de um amigo íntimo. Gostar de um não significa deixar de gostar do outro. O respeito pelos direitos individuais e pelo modo de ser do amigo é a tônica. A inveja, quando existe, está sob controle, pois, mais do que tudo, queremos que nossos amigos prosperem; não tememos que isso nos afaste deles, como costuma acontecer nas relações amorosas, em que o progresso do amado é sempre uma enorme ameaça à estabilidade da relação. A amizade é fenômeno essencialmente intelectual. Pode perfeitamente existir entre pessoas que não tenham interesse sexual um pelo outro. Ela é até mesmo mais comum entre

A amizade como remédio "Amizade não precisa ser pegajosa, não é preciso nem estar sempre junto", diz Rosa Ramos. Sua amiga Mara Lúcia Buso concorda nesse caso, porque sempre não dá para concordar, "senão perde a graça". Com personalidades diferentes, elas acham que, para manter uma amizade longa como a delas, que dura cerca de 15 anos, é preciso respeitar o espaço de cada uma e, de vez em quando, dar aquela "chacoalhada" que só uma amiga de verdade pode dar. Pesquisas médicas indicam que amizades são mesmo fundamentais para a saúde mental e física. Gerald Ellison, d i r e t o r d o s e r v i ç o d e


10 América, em Tulsa, Oklahoma (EUA), diz que "sem amizades experimentamos isolamento, solidão, sentimentos associados a doenças. Amigos podem aumentar nossa esperança. E maior esperança está associada a melhor desempenho do sistema imunológico". Foi o que vivenciou a advogada Teresa Casadeval, 45. Em 1978, ela teve um linfoma bastante sério, tratado por Drauzio Varella. Curou-se completamente e acha que sobreviveu não só pelo tratamento mas também pelo apoio que recebeu das amigas de infância, que mantém até hoje. Não é novidade que o apoio emocional de amigos ajuda a lidar com situações de estresse. Agora, uma pesquisa da Universidade da Califórnia (EUA) sugere que, nas mulheres, as substâncias produzidas pelo cérebro em resposta ao estresse levam-nas a procurar suas amigas. Aparentemente, quando é liberado um hormônio chamado oxitocina, os impulsos de lutar ou de fugir, associados ao estresse, são substituídos por uma tendência para unir-se aos amigos e dar carinho, explica Laura Cousin Klein, professora de saúde biocomportamental na Universidade Estadual da Pensilvânia (EUA). Quanto mais a convivência é realizada, mais oxitocina é liberada, o que produz um efeito calmante e reduz o estresse. Amizades sólidas também propiciam uma velhice melhor. "Principalmente se você tem o privilégio de conviver com jovens com quem criou vínculos de afeto sem que eles sejam de sua família", diz o advogado e ex-ministro da Justiça José Gregori, 73. Gregori tem um grupo de jovens amigos e acha que a amizade de velho com jovem é geralmente plural. "Mais ou menos a idéia de Sócrates e seu grupo, mas amigos pensando como discípulos do meu afeto", diz

COMPARADO COM A AMIZADE, O OURO NÃO VALE NADA!

No dia 16 de julho de 1969, há exatos 40 anos, decolou do Cabo Canaveral, nos EUA, o Apollo 11, ônibus espacial que deu início à missão que transformou em realidade um dos sonhos mais antigos da humanidade: a chegada do homem à Lua. O feito, realizado pelo astronauta americano Neil Armstrong quatro dias depois, teve como motivação a disputa por poder entre os Estados Unidos e União Soviética. No final da década de 60, o mundo estava polarizado pela chamada Guerra Fria, que teve início ao final da Segunda Guerra Mundial (1939-1945) com a disputa entre soviéticos e americanos sobre o destino dos países da Europa liberados do jugo dos nazista. Os países da Europa Oriental (como Polônia, Tchecoslováquia e Hungria e a parte oriental da Alemanha), que respondiam à governos comunistas, disputavam poder mundial com embates estratégicos e conflitos velados com os Estados Unidos (apoiados pelos países da Europa Ocidental), com governo capitalista e democrático. Os dois blocos iniciaram uma corrida armamentista, com os dois lados construindo bombas nucleares. "Como resultado da corrida pelas armas nucleares, com suas ogivas, americanos e soviéticos começaram a investir, de forma pesada, no desenvolvimento de mísseis que pudessem levar armas nucleares até o território do adversário. Isto permitiu o desenvolvimento de foguetes capazes de chegar ao espaço", lembra Pedro Paulo A. Funari, professor do Departamento de História e Coordenador do Núcleo de Estudos Estratégicos da Unicamp. A União Soviética foi o primeiro país a colocar um satélite em órbita, em 1957, com o lançamento do Sputnik. No mesmo ano, mandou ao espaço a cadela Laika. Seu maior feito veio em 1961, quando o cosmonauta Yuri Gagarin tornou-se o primeiro homem a viajar no espaço. "A União Soviética definiu a conquista do espaço como a medida de poder e de atração de uma sociedade moderna, e o Presidente Kennedy decidiu que deixar uma conquista espacial espetacular apenas para a União Soviética não era do interesse dos Estados Unidos", afirma John Logsdon, atual curador e perito do Museu Nacional do Ar e Espaço dos Estados Unidos em entrevista à agência AFP. Assim iniciava a chamada corrida espacial, um símbolo da batalha da Guerra Fria. Para não ficar atrás, em 1961 o presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, lançou um desafio. "Acredito que esta nação deve comprometer-se a alcançar a meta, antes que esta década acabe, do desembarque do homem na Lua e seu regresso em segurança à Terra", disse o Kennedy. Foi então que os EUA desenvolvem o programa Apollo, que

Namir de Paiva Pires ADVOCACIA Rua Eugênio Bonádio, 89 - Centro CEP. 12245-660 - São José dos Campos - SP Tel. (12) 3921 3989 e-mail: pnamir@terra.com.br

* TRABALHISTA * CÍVEL - Empresarial - Sucessões

soluções na área da saúde Telefone: (012) 3931-9585 / 3933-4177 e-mail: online.informatica@terra.com.br


Especial IV

por Dr. Héctor Enrique Giana Diretor Presidente do Laboratório Oswaldo Cruz

11

Harry Potter, a saga de um bruxo moderno! Harry Potter é uma série de aventuras fantásticas, escrita pela escritora britânica J. K. Rowling. Desde o lançamento do primeiro volume, Harry Potter e a Pedra Filosofal, em 1997, os livros ganharam grande popularidade e sucesso comercial no mundo todo, e deram origem a filmes, videojogos e muitos outros itens.

Somando os sete livros publicados, a série Harry Potter vendeu 400 milhões de exemplares mundialmente (até outubro de 2008), em mais de 67 línguas. O livro da série que mais vendeu foi Harry Potter e a Pedra Filosofal com cerca de 120 milhões de vendas. Graças ao grande sucesso dos livros, Rowling tornou-se a mulher mais rica na história da literatura. Os livros são publicados pela Editora Rocco no Brasil e pela Editorial Presença em Portugal. Grande parte da narrativa se passa na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, e foca os conflitos entre Harry Potter e o bruxo das trevas Lord Voldemort. Ao mesmo tempo, os livros exploram temas como amizade, ambição, escolha, preconceito, coragem, crescimento, responsabilidade moral e as complexidades da vida e da morte, e acontecem num mundo mágico com suas próprias histórias, habitantes, cultura e sociedades. Todos os sete livros planejados foram publicados. O sétimo e último, denominado Harry Potter and the

Os sete livros deram origem a oito filmes de grande bilheteria, com o último, Harry Potter e as Relíquias da Morte, sendo dividido em duas partes, uma com lançamento em Novembro de 2010, e a outra com lançamento em Julho de 2011.

pelos tios antes que ele possa lêlas. No seu décimo primeiro aniversário, Harry é informado por Hagrid, o guarda-caças de Hogwarts, que ele é um bruxo e por isso tem uma vaga na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts.

História A história começa com o mundo dos bruxos, que tenta manter-se secreto dos Muggles - termo traduzido para o Brasil como "Trouxas" (aqueles que não são bruxos). Por muitos anos este mundo foi aterrorizado por Lord Voldemort (Tom Riddle). Na noite anterior a sua queda, Voldemort encontrou o esconderijo da família Potter, e matou Lilly e James Potter (Lílian e Tiago Potter, no Brasil). Entretanto, quando voltou sua varinha contra o bebê dos Potter, Harry (Harry James/Tiago Potter), o seu feitiço voltou-se contra ele. Com o corpo destruído, Voldemort tornou-se um espírito sem poder, procurando refúgio em lugares escondidos do mundo; Harry, enquanto isso, foi deixado com uma cicatriz em forma de raio em sua testa, o único sinal físico da maldição de Voldemort. Harry tornou-se conhecido como "O Menino que Sobreviveu" no mundo dos feiticeiros, por ter sobrevivido a maldição da morte e por ter derrotado Lord Voldemort.

Cada livro registra uma ano da vida de Harry em Hogwarts, onde ele aprende a usar magia e a fazer poções. Harry também aprende a ultrapassar muitos obstáculos mágicos, sociais e emocionais que enfrenta em sua adolescência e na segunda tentativa de ascensão de Voldemort ao poder.

Em seguida, o órfão Harry Potter é criado pelos seus tios cruéis e insensíveis, os Trouxas Dursley. Porém, quando o seu aniversário de onze anos se aproxima, Harry tem seu primeiro contato com o mundo mágico quando

Temática e conteúdo Por ser uma série na qual cada livro equivale a cerca de um ano de vida do protagonista, seu conteúdo amadurece conforme Harry cresce. Os leitores que começaram a ler a saga ainda muito jovens também vão amadurecendo enquanto lêem. A estrutura da história, inclusive, tornase mais complexa e sofisticada a cada volumoso


12 videogames. Os problemas no mundo mágico são sólidos e reais como os do nosso mundo - preconceito, depressão, ódio, sacrifício, pobreza, morte. "Harry vai para seu mundo mágico, e este é melhor que o mundo que ele deixou? Só porque ele encontra pessoas melhores", explica Rowling.

Um dos temas mais recorrentes ao longo da série é o amor, retratado como uma poderosa forma de magia. Dumbledore acredita que a capacidade de amar permitiu que Harry resistisse às tentações de poder de Voldemort em seu segundo encontro, não permitiu que o vilão se apossasse do corpo de Harry em seu quinto ano, e será responsável pela derrota final de Voldemort. Em contraste, outro tema importante é a morte. "Os meus livros abordam bastante a morte. Começam com a morte dos pais de Harry. Há a obsessão de Voldemort em derrotar a morte e conquistar a imortalidade a qualquer preço [...]. Eu percebo porque é que Voldemort quer conquistar a morte. Todos nós temos medo dela", disse Rowling.[10] De fato, o nome de Voldemort significa "vôo da morte" em

perseguição de Voldemort para evitar a morte, que inclui episódios como beber sangue de unicórnio e separar a sua alma através do uso de horcruxes, contrasta com o sacrifício de Lilian Potter, o amor por Harry e a magia extraordinária que o seu gesto deixou nele, um sacrifício que Voldemort nunca poderá entender ou apreciar. O preconceito e a discriminação são também amplamente abordados ao longo dos livros. Harry aprende que existem feiticeiros Sangue-Puro (oriundos de famílias onde só há bruxos) que abominam os sangueruim (bruxos de ascendência bruxa e trouxa ou ainda bruxos que vieram de uma família só de muggles) e os consideram inferiores. O meio termo são os bruxos Mestiços, ou seja, que tem um dos pais muggle (ou de família muggle), e o outro pertencente a comunidade bruxa. Os mais preconceituosos dentro da comunidade mágica levam estas designações mais longe, utilizando-as como um sistema de graduação para ilustrar o valor de um feiticeiro, considerando os de Sangue-Puro como sendo superiores e os sangueruim como desprezáveis. Fora os preconceitos em relação aos humanos, existe um afastamento dos não-humanos e até parcialmentehumanos. Outro importante tema decorre sobre as escolhas. Em Harry Potter e a Câmara Secreta, Dumbledore faz, talvez, sua mais importante declaração sobre o assunto: "São as nossas escolhas, Harry, que revelam o que realmente somos, muito mais do que as nossas qualidades".

melhor o diferenciam de Voldemort. Tanto Harry como Voldemort foram órfãos criados em ambientes difíceis, fora o fato de partilharem características que incluem, como Dumbledore afirmou, "um raríssimo dom ofidioglota — sabedoria, determinação" e "um certo desapreço por regras". Contudo, Harry, ao contrário de Voldemort, decidiu conscientemente adotar a amizade, a bondade e o amor, enquanto que Voldemort escolheu propositalmente rejeitá-los. Enquanto que tais idéias sobre amor, preconceito e escolha estão, como afirma J.K. Rowling, "profundamente cravadas em todo o enredo", a autora prefere deixar que os temas "cresçam organicamente", em vez de conscientemente tentar transmitir essas idéias ao leitor. A amizade e a lealdade são talvez os temas mais "orgânicos" de todos, aparecendo principalmente na relação entre Harry, Ron e Hermione, relação essa que permite que estes assuntos se desenvolvam naturalmente à medida que os três personagens crescem, que a sua relação amadurece e que as suas experiências acumuladas em Hogwarts testem a fidelidade dos três amigos. Essas provas tornam-se progressivamente mais difíceis, acompanhando o tom cada vez mais escuro e misterioso dos livros e a natureza geral da adolescência.

Dumbledore aborda esse tema novamente em Harry Potter e o Cálice de Fogo, quando diz a Cornelius Fudge que mais importante do que como se nasce, é o que a pessoa se torna ao crescer. Assim como para muitas personagens ao longo dos livros, o

(Continua)

MOVIMENTO VIDA servindo ao próximo por amor

Seja um voluntário: assistente social enfermeiro médico dentista professor

colabore com recursos físicos e financeiros

Rua Eugenio Bonadio, 89 – Centro – CEP 12245-660 – São José dos Campos – SP tel: (12) 3019-6365 CNPJ: 02.860.152/0001-90 Utilidade Pública: Municipal Nº 6114/02 / Estadual: Nº 12.420 www.movimentovida.com.br movimentovida@hotmail.com

Oswaldo Cruz Cultural - Ed 22  

Revista Oswaldo Cruz Cultural - São José dos Campos - SP

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you