Page 1

Lupercais

Lenda Urbana

A banda Lupercais surgiu no Distrito Federal em meados de 95 como uma opção para todos que amavam a poesia e a subversividade, e como anti-matéria para os adeptos do rock besta e Sidney (Rip) engraçadinho produzido pela maioria das bandas em voga no cenário candango. Na época, a Lupercais era formada por: Wellington (guitarra) o único que sabia tocar; Graziele (Bateria); Rodrigo (Baixo); Sidney e Aline ( v o c a i s ) . ........Para sua sonoridade inspiraram-se em bandas como Echo, Bauhaus e Joy Division, assim como no rock nacional de bandas como Muzak, Finis Africae, Pompas Fúnebres e Zero (entre outras). Antes de Aline deixar a banda, tocavam coisas do gênero étnico, canções indígenas e algo no gênero d o D e a d C a n D a n c e . ........Eram guerreiros do underground batalhando por um pouco mais de cultura num meio (mal) acostumado às banalidades de um rock chocho e sem alma. Era óbvia a ligação entre a literatura e a Lupercais, graças às letras cheias de referências aos grandes malditos da contracultura: "O testamento de Caím" - homenagem ao personagem bíblico tido como primeiro assassino; "Crônica de um morto cafajeste"- honras a Charles Bukowski; "O suplício de Bruno" - Elegia sobre a morte do contraventor Giordano Bruno; "Carne Criada" - Quem assistiu Vidas Secas de Nelson Pereira dos Santos, com certeza entenderá essa homenagem; "Espectros" - a letra aborda a morte e o destino dos espíritos marginais. Já na Segunda demo, lançada no ano de 96, demonstrou o amadurecimento deles como instrumentistas. Além da saída de Wellington pra entrar Robson nas guitarras, a poética de Sidney também havia melhorado bastante e agora nem todos os temas eram tão "malditos". Porém, a masterização do trabalho regrediu a níveis inimagináveis, prejudicando o que seria o apogeu da banda. Canções fantásticas como "Ogro Moderno", "Quando chega o dia da caça", "Sonho da Areia" e "Elegia", ilustram este maravilhoso petardo da música mais que alternativa. ........Entre 97 e 98, Rodrigo é acometido por profunda depressão e deixa a banda, abrindo espaço para Marquinhos (baixo) e Tharsíla (teclados). Eles começaram a compor em outros campos, e já que a banda já havia sofrido várias modificações desde seu início, estamparam-se novas cores em seu quadro. Foi então que surgiu a oportunidade de participarem de duas coletâneas "Atitude - Vol II" e "Violet Carson", e quando os horizontes pareciam se abrir, veio o pior, pois antes mesmo de ver as duas compilações prontas, Sidney Paulino veio a falecer de um aneurisma cerebral, aos 28 anos, deixando uma grande lacuna na cultura marginal de

Brasília, sendo uma ironia que sua participação em uma das coletâneas (Violet) chama-se, por infelicidade do destino, "Funeral"... restando ainda 3 canções prontas, os remanescentes da banda gravaram-nas: "As palavras e os homens", "Império das máquinas" e "O homen das costas pesadas", com Graziele e Robson aos vocais. Assim acabou uma pequena história de rock, assim nasceram mitos e o culto à banda Lupercais, que sempre estará presente nas noites frias de inverno, quando poetas e músicos reuniremse ao redor de uma fogueira, regados a drogas e principalmente muito vinho... Morpheus Affinito

Lupercais Hacktivismo

ESPECTROS A Morte nos abandonou Em nosso momento mais triste A quem iremos recorrer Agora que nossa irmã não mais existe? Somos andarilhos sem doutrina Entregues à orfandade Num mundo onde a luz é (estrela vil????) E a sombra, realidade A quem iremos recorrer? A Morte nos abandonou É que Deus não nos tem como o filho E o Demônio não quer nos adotar A quem iremos recorrer? Viramos espectros, mortos-vivos Não podemos em jazigo algum descansar É que Deus não nos tem como o filho E o Demônio não quer nos adotar".

Murder Rape

Para saber mais sobre a banda, visite: http://www.carcasse.com/sepia/lupercais.htm

O TERREMOTO SONORO ESTÁ DE VOLTA “Sindrome do emputecimento Progressivo” assim nasce um clássico do HC Brasileiro. Transgenia, Vou Morrer punk, Fuck the usa, Na mesma moeda, Terremoto, Porquê ?, Mudar, Pátio Brasil, 9 minutos, ARD, Emputecimento Progressivo, Solo Paz Junta ai letras antenadas, acrescenta uma boa dose de brutalidade nas guitarras, uma britadeira e mistura com a mais pura essência Hardcore/Punk. AGORA AMENTA Q ISSO AI É HARDCORE.

Subzine@pop.com.br

(OSUBVERSIVO ZINE)

A nova face do NY/HC


A banda iniciou suas atividades em meio à onda Grunge, Pop, Metal e Crossover que assolou Nova York no inicio dos anos oitenta O ANO ERA 1990. A primeira grava'ao em estúdio foi ``Political Sin` ao grande vazio que a cena punk teve no inicio dos anos 90. O ep de estréia chamou se 40 Once Casualty gravado em 92.Em 94 gravaram duas musicas (For The Punx e 10 Yars T oo Later) para a coletanea Pogo Attack. No mesmo ano gravaram outro Ep com quatro musicas intitulado D rinking is Our Way Life que foi lançado na piraria coletânea da banda em CD Casualties Early Years 19901995 no ano de 1999. Em 1995 The Casualties foi a primeira banda Americana a participar do lendário festival Punk londrino Holidays In The Sun, e em seguida fizeram sua primeira tour com o nao menos lendário Varukers em 1997. O segundo LP Underground Army foi lançado em 1998, e durante a Tour Européia o baixista sai, essa tour foi seguida de uma terceira e vitoriosa tour mundial. Lançaram então Early Years 1990-1995 que logo ficou peca de colecionador. Em agosto de 2000 após a quarta turnê mundial é posto no mercado o Ep “Who's the Control?” e a terceiro álbum “Stay Out Of Order” . Seu quardo vinil vem logo em seguida em 2001 após 11 anos de estrada “Die Hards” sai e neste ano é realizado a o primeiro Holidays In The Sun nos Estados Unidos, o casualties toca ao lado das lendas Exploited, GBH, Cockeney Rejects, Slaughter e The Dogs. THE CASUALTIES é uma banda que merece ser ouvida tamanha é seu comprometimento com o Hardcore se você tiver a oportunidade baixe alguma mp3 para sacar o som destes americanos que fazer Hc nas velhas tradições do estilo. Discography: "Political Sin" e "A Benefit for Beer" compilation 7" Swill Records (Public Nuisance's label) 1991 The four track "40 Ounce Casualty" ep 1992: "For the Punx" and "25 years too late" Stick Records 1994. "A Fuckin' Way of Life" ep Eyeball Records. 1995 "For the Punx" the debut LP/CD i Tribal War Records. 1997 "Underground Army" 2ndo full length LP/CD Tribal War Records. 1998 "Underground Army" relançamento Punk Core Records. 1999 "Who's in Control?" Punk Core Records. 2000 "Die Hards" Side 1 Dummy records. 2001

Terrorifi c Black Metal! A MURDER R A P E está na e s t ra d a desde o final de 1993 e desde lá v e m cumprin do seu objetivo que é o de espalhar sua arte negra e destrutiva para a "celebração do mal supremo" (Celebration of Supreme Evil). Já no final deste mesmo ano eles lançaram sua cult demo tape "In Liaison with Satan", que hoje em dia é ítem de colecionador. O CD de estréia veio logo após no final de 94 e se chamou exatamente "Celebration of Supreme Evil". Foi lançado pela Cogumelo Rec. Este CD teve uma divulgação restrita e respeitável, e firmou o estilo da banda na cena. O álbum traz temas diretos e aborda o Satanismo sem eufemismos. Ao final de 1997 veio o segundo álbum "...and Evil Returns", desta vez pelo recém criado selo brasileiro Evil Horde Records. Este álbum une um trabalho sobre crenças antigas e os obscuros sentimentos destas almas atormentadas, e preserva os ideais daqueles que estão prontos a se juntarem à Celebração, usufruindo da glória e prazeres pelos quais lutaram, e firmar as bases da única e antiga religião. Após um longo silêncio e um período de introspecção a banda volta reformulada para nos brindar com seu terceiro álbum "Evil Shall Burn Inside Me Forever". A banda retornou aos palcos com o primeiro show de divulgação deste novo material em 11 de novembro/2000 , em Criciúma - SC, e partiu para a Europa no dia 20 de junho para uma mini tour de divulgação do álbum. FOram cerca de 8 shows sendo os mais importantes: Drakkar Hell Fest (Marseille - França 23 de junho) com MUTILATION, UNPURE, WATAIN, BARBATOS e outros, e Under the Black Sun Festival (Berlin - Alemanha 6 e 7 de julho) com HORNA, DESTROYER 666, ORK, NIFELHEIM, MUTILATION, MORRIGAN, NECROPHOBIC e outros, além de shows menores na Bélgica e Holanda. É o Black Metal nacional conquistando o respeito do underground mundial. Contato com a banda para shows, entrevistas e informações pode ser feito pelo e-mail ou pelo endereço: Cx. Postal 4490, Curitiba - PR 82.501-970, Brasil. murderrape@evilhorderec.com

O hacktivismo e a cyber action levam ao extremo as novas formas de se fazer política: querem transformar a sociedade através da internet REVOLUÇÃO ON LINE O site newscotina.com.br, criado pela TRIP, batalha a aprovação de uma lei que restrinja publicidade de cigarro. Durante a discussão do assunto pelo Congresso Nacional, os leitores, a convite da revista, bombardearam com mensagens os e-mails de deputados e senadores. O primeiro resultado foi a aprovação do projeto pela Câmara. O segundo veio, quando o Senado também o aprovou. Até lá, a luta continua. O projeto mais ambicioso do novo ativismo talvez seja a batalha pelo fim da responsabilidade limitada de investidores: quem comprar ações de uma empresa passaria a responder com seus bens pessoais pelos atos dela - o ônus do vazamento de óleo no litoral norte paulista provocado por um cargueiro, por exemplo, ou o tratamento de doenças provocadas pelo cigarro, recairia sobre todos os acionistas da Petrobrás ou da Phillip Morris. TRANSGRESSÃO CYBER Correndo na paralela da política convencional, e até da maioria das ONGs, o engajamento via net - hacktivismo e cyber action assusta o poder estabelecido. Para conter sua expansão, todo "desvio" de comportamento na rede acaba sendo classificado como pirataria. Na prática, porém, nem todo hacker é pirata. Muitos ataques na web trazem algum benefício, apesar de enquadrados como crime. Exemplo disso são os garotos que divulgaram documentos secretos do Pentágono na internet, provando que o ex-presidente Ronald Reagan tentava burlar uma decisão do Congresso de pôr fim ao projeto Guerra nas Estrelas. Na internet, as comunidades de interesse passam por cima das fronteiras, criando bases para a discussão mundial de temas tão diferentes quanto o fim da pena de morte e a liberação de todas as drogas. Um chat sobre a transformação da Antártida em parque internacional conectava simultaneamente, em novembro passado, participantes de 16 países, que trocavam mensagens em cinco línguas. A conexão mundial é um aspecto do novo ativismo que começa localmente. Uma vez por semana, três funcionários da Surf Co., que produz as marcas Hang Loose, Oakley, Rusty e Reef Brazil, rodam pelo centro de São Paulo na madrugada, distribuindo pratos de comida. São voluntários sem ligação com entidade, partido ou religião. Quem leu e gostou estamos convocando a todos pra enviar um e-mail para a camará legislativa para q liberem as verbas pra tão sonhada casa de cultura e para a reforma do galpãozinho o e-mail é deputados@cl.df.gov.br.

Edição e diagramação:

Amarildo

Amarildodfg@yahoo.com.br

OsubversivO zine 01  

1º Ediçao do OsubversivO zine

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you