Page 1

Revista Os Lusitanos Tudo sobre o nosso clube ao virar da página

Nesta edição: Entrevistas com Ricardinho e Bruno Santos

Recordar é viver: Equipa de 1993/1994

Conhecer Santa Cruz Bispo Raf Park - Abertura e fecho em apenas 4 meses.

Preço: 5 Bolas 01/03/2013

23042006


Índice: Apresentação da equipa Sub 08 Anos

Pág. 4 / 5

Lusitanos vencem e convencem contra o C.D.Torrão

Pág.6

Crónica da partida, jornada 19

Pág. 7

Lusitanos Vende o Ramaldense

Pág. 8

Crónica da partida, jornada 20

Pág. 9

Classificação e resultados da jornada 20

Pág. 10

Entrevista com Ricardinho

Pág. 11 / 12

Recordar é viver

Pág. 13

Entrevista com Bruno Santos

Pág. 14 / 15

Lusitanos esmagam a equipa do S. Romão

Pág. 16

Crónica da partida, jornada 21

Pág. 17

Fábio explica a sua decisão de sair do Lusitanos

Pág. 18 / 19

Lusitanos perdem com o Arcozelo e acaba com 9 jogadores

Pág. 20

Crónica da partida, jornada 22

Pág. 21

Classificação e resultados da jornada 22

Pág. 22

Conhecer Sta. Cruz do Bispo – Raf Park

Pág. 23

Espaço diversão

Pág. 24

Publicidade

Pág. 25 / 26

3


Escolinha Lusitana Sub 8 Anos

Francisco Oliveira

Diogo Ferreira

Gonรงalo Teixeira

Dinis Abreu

David Silva

Diogo Caldas

Rodrigo Santos

Gabriel Silva

Tiago Santos

4


Escolinha Lusitana Sub 8 Anos

Bruno Gomes

Gonçalo Silva Henrique Cruz

João Pereira

Treinador: Lopes

Adjunto: Tiago

Fotos do III Torneio Aguas Santas 9 de Fev. 13. Patrocinador oficial

5


Lusitanos vence e convence

6


Crónica da partida Na tarde de Domingo do dia 03 de Fevereiro o Lusitanos F.C. venceu a corajosa equipa do Torrão. O Lusitanos entrou em campo praticamente a ganhar, pois logo aos 5 minutos S.Guerra enviou uma bomba de livre directo em direcção da baliza e fez o um a zero. Com a vantagem no marcador a nossa equipa ficou mais tranquila e praticou um bom futebol, fazendo sucessivos passes correctos e cansando a equipa adversária. Com o trocar de bola rápido os jogadores da casa criavam sucessivos espaços e numa jogada bem desenhada conseguiu isolar Sandro que correu praticamente desde o meio campo isolado e em frente ao guarda-redes não vacilou e marcou o segundo golo da equipa de Santa Cruz. Até ao intervalo domínio absoluto dos da casa e resultado justo. Começa a segunda parte e a equipa da casa continua com pressão alta e domínio completo do jogo, troca bem a bola e não deixa a equipa adversário sequer pensar, fazendo-a perder bastantes lances, criando bastantes oportunidades e bastantes pontapés de canto. Através de um canto, com cruzamento de Xuxa, C.Miguel desvia ao primeiro poste para grande defesa do guarda-redes do Torrão. Já a meio da segunda parte chega o terceiro golo do Lusitanos com uma saída rápida de contra ataque com o central Teixeira e ir ao ataque, a fintar o defesa adversário e a centrar a bola para C.Miguel que dominou a bola e escolheu um lado para fazer golo. Com o resultado praticamente feito e com a equipa adversário já desmoralizada, o Lusitanos continuou a atacar com bastante simplicidade e com uma desmarcação que rasgou a defesa, fez aparecer Meneses isolado onde tinha tudo para fazer golo, mas sem ser egoísta passou a bola para o recém entrado Paulo que de cabeça coloca a bola no fundo da baliza e coloca o resultado em quatro zero. Com este resultado a equipa de Santa Cruz colocou-se em piloto automático com serviços mínimos e deixou o Torrão criar algumas oportunidades de golos, sendo que uma delas conseguiu mesmo concretizar, batendo Zé Filipe. Resultado final Lusitanos 4 – 1 Torrão com o final da partida a chegar debaixo de olés da bancada. A nossa equipa jogou da seguinte maneira:

7


Lusitanos vence Ramaldense

8


Crónica da partida Domingo, 10 de Fevereiro, Os Lusitanos deslocaram-se ao campo do Inatel para o jogo contra o Ramaldense. Num jogo que se adivinhava bastante difícil pelo adversário, os de Santa Cruz tiveram um adversário extra, o estado do terreno. Um campo pesado, com bastantes "piscinas" que ao longo do jogo foi piorando. A primeira parte foi bem jogada de parte a parte, com ambas as equipas a criarem situações de golo, mostrando que estavam no terreno com o objectivo dos três pontos, batalhando bastante a meio campo, não dando muito espaço nas defesas. Ao intervalo o resultado mantinha-se inalterável. Na segunda parte, Os Lusitanos a favor do vento, tentaram criar mais perigo, tentando joga mais tempo no meio campo adversário, mas sempre com cautela na sua defesa devido ao rápido contra ataque do Ramaldense e ao forte avançado dos da casa. Mesmo com o terreno cada vez mais pesado os visitantes tentavam circular a bola junto ao chão, o que nem sempre foi possível no lado esquerdo do ataque, mas curiosamente o golo surgiu desse lado, com um centro que parecia inofensivo, o guarda-redes adversário defende a bola para o lado e o que num campo normal a bola sairia para o lado, no Inatel a bola parou em cima de uma grande piscina e Paulo com o seu acreditar conseguiu chegar primeiro a bola e empurrar a mesma para o fundo da baliza. Com o golo, o jogo mudou, ficou mais agressivo, e prova disso foi a expulsão do defesa direito do Ramaldense que pontapeou Meneses, vendo assim o segundo amarelo. Mesmo com um jogador a menos e a faltar pouco mais que dez minutos, os da casa tentaram ir para cima do Lusitanos, no entanto, a nossa equipa aproveitava os espaços defensivos do adversário para criar muito perigo, partindo para o ataque quase sempre em superioridade numérica, e numa dessas vezes, Nuno aparece isolado e tenta o chapéu ao guarda-redes, mas a bola sai ao lado. O jogo chegava ao fim com uma vitória muito suada da equipa de Santa Cruz do Bispo.

A nossa equipa jogou da seguinte maneira:

9


Classificação e resultados Jornada 20

10


Entrevista com Ricardinho

Ricardinho, o 10 do Lusitanos, um jogador que se transforma dentro de campo. Fora das quatro linhas um verdadeiro amigo, reservado, mas sempre pronto para ajudar o seu amigo. Dentro de campo um verdadeiro guerreiro, lutador e joga em qualquer posição porque diz que o que quer é jogar e ajudar o clube. Revista Lusitanos - Quando estavas a jogar regularmente, deparaste-te novamente com uma lesão no joelho, como te sentes quando o teu joelho não te ajuda? Ricardinho - Estava a jogar regularmente e a sentir me bem, coisa que nem sempre tem acontecido depois da operação. Desta lesão não reagi muito bem, foi um bocado difícil, talvez por medo de ser novamente operado e ter que parar de fazer o que mais gosto que é jogar futebol e de representar esta camisola. Mas essa fase já passou e com o apoio de todos que me ajudaram tais como jogadores de equipa, equipa técnica , direcção, adeptos e o nosso massagista S, Jorge Cordeiro que quero desde já agradecer por tudo, estou de volta e pronto para ajudar a cumprir com o nosso objectivo.

R.L. - Sentes que podias estar a jogar regularmente e a titular se não fosse os teus problemas físicos? R. - Essa pergunta devia ser feita a equipa técnica e não a mim (risos). Sinto que podia ser mais um a ajudar a nossa equipa, que é esse o meu principal objectivo.

11


R.L. - És um jogador bastante tecnicista, e adaptas te bem a qualquer posição do meio campo, mas onde te sentes melhor a jogar? R. - Tento sempre cumprir seja qual for a posição , para mim o importante é jogar. Mas não escondo que a médio centro é onde me sinto melhor. Apesar que na época passada comecei a jogar a médio defensivo (trinco) e senti me muito bem.

R.L. - Ocupas neste momento o 4º lugar na tabela classificativa, pensas que podes subir mais na tabela? R. - Sim, penso que sim. Acho que podemos chegar ao segundo lugar.Esta ultima derrota em Gaia não foi muito boa, até por ser um adversário directo, mas mesmo assim acho que podemos chegar lá se estivermos unidos e pensarmos ganhar domingo a domingo

R.L. - Como te defines como jogador e o qual o sonho que gostavas de realizar como jogador de futebol? R. - Defino me como um jogador que gosta de ter a bola no pé e que gosta de "por" a equipa a jogar. Um dos meus sonhos que gostava de realizar era poder viver do futebol, ser profissional de futebol, onde antigamente era mais fácil de lá cegar. O outro era poder festejar um campeonato.

R.L. - A nível de balneário, com que atletas é que te identificas mais e quem te serve de exemplo a seguir? R. - Identifico me com toda a gente e dou me muito bem com todos.Apesar de ter alguns amigos de longa data e onde convivo para além do futebol. Os mais velhos são sempre um exemplo a seguir até pela experiência de futebol que têm, mas para mim todos da nossa equipa são um exemplo a seguir.

R.L. - Deixa uma palavra aos teus seguidores e adeptos. R. - Quero agradecer pelo apoio que me dão a mim e ao clube, e pedir que continuem a apoiar e a ir com este clube para todo o lado. Juntos somos mais fortes, e conseguiremos cumprir com os nossos objectivos. Obrigado, cumprimentos.

12


Recordar é viver

Equipa de futebol do Lusitanos Futebol de Santa Cruz no ano de 1993-1994. Nesta equipa em cima: Sr América,Sr Francisco, Jorge, Lamarão, Paulo, Pablo, Montenegro, Itália, Manuel, Nandinho, Zé Mário, Vilaça, Salgado, Herculano. Em baixo: Manuel, Mário, Zé, Pinto, Castro, Morais, Zé Tó, Hélder, Quinzinho e Manuel. Dos elementos da foto ainda se mantêm no clube o Presidente Sr Américo que ainda hoje mantem as mesmas funções no clube, Italiano que na foto em cima está como jogador mas actualmente é um dos diretores e Hélder Queirós que também era jogador e agora é o director desportivo e tesoureiro no clube. Estes elementos, a par de Lisboa que mencionamos na edição anterior da nossa revista, são elementos importantes no clube e foram eles que transformaram por completo o Lusitanos. O presidente conseguiu transformar o velhinho campo de terra batida com uns balneários minúsculos num campo sintético e com umas instalações bastante acima da média, conseguindo assim realizar um dos seus grandes objetivos, sendo o outro objetivo, a subida de divisão. O Italiano é também muito importante no clube, trata dos equipamentos dos atletas e faz parecer fácil o trabalho que dá muito trabalho, passando despercebido a muitos o trabalho que o mesmo tem. O Hélder é o chamado faz tudo do Lusitanos, é o homem mais importante do clube, faz de tesoureiro, ajuda nos equipamentos, é o director desportivo da equipa sénior, trata dos balneários, organiza e gere o trabalho semanal das camadas jovens, ajuda quando é preciso nos treinos das camadas jovens, etc etc... em poucas palavras, sem ele o clube não estaria certamente tão organizado.

13


Entrevista com Bruno Santos - Xuxa

Bruno Santos, conhecido no futebol como Xuxa, um Homem responsável, amigo, e um líder dentro do balneário. Defesa esquerdo e esquerdino, prefere o Lusitanos a qualquer outro clube, pois sente o clube como poucos. Bruno Santos é o entrevistado deste mês. Revista Lusitanos - És um dos jogadores que moras mais longe e mesmo assim não falhas um treino ou um jogo, tens clubes mais perto de ti, o que te faz estar no Lusitanos? Bruno Santos - Ola a todos. É verdade que sou um dos jogadores que moro mais longe do clube, mas a minha paixão pelo futebol faz com que eu passe todos os obstáculos para poder estar aqui semana após semana. Tenho grandes amigos aqui no clube e é por eles que aqui continuo, criamos uma grande família juntos, no fundo o futebol é a nossa paixão e eu adoro o clube pois sempre fizeram tudo que estava ao alcance deles. R.L. - Foste um dos jogadores que deixas-te de ser capitão de equipa, sentiste-te triste e injustiçado? B.S. - Estarei a mentir se disser que não, mas foi uma opção do mister eu só tenho que respeitar como sempre o fiz. Todos nós somos capitães a única diferença é que há um líder que usa a braçadeira, mas digo que essa braçadeira está muito bem entregue.

14


R.L. - És o atleta que tenta levar tudo na desportiva e que tentas manter a paz nas situações mais complicadas, no entanto dentro de campo transformas-te e mostras um jogador que não viras a cara à luta e quando tens que ser mais agressivo não tens problemas em fazê-lo, sentes que tens uma personalidade diferente dentro e fora das quatro linhas? B.S. - Eu sou uma pessoa humilde e gosto de me dar bem com todos, tento levar tudo na desportiva, mas dentro das quatro linhas é diferente, dou tudo o que tenho em prol do grupo pois eu adoro o futebol e se fosse para andar a brincar não estaria aqui. R.L. - Sentes que podias ser mais útil à equipa? B.S. - Sim podia, mas muitas das vezes se não sou mais útil não é so por mim, mas eu sou assim respeito as opções tomadas e quem corre por gosto não cansa. R.L. - Sendo tu um defesa esquerdo, com que jogador te defines mais no mundo profissional? B.S. - Sinceramente não me defino com nenhum jogador mas gosto da raça do Coentrão, pois nisso eu sou parecido com ele, porque tecnicamente eu sou muito fraco. R.L. - Com os teus primos a jogar na equipa, Meneses e Esteves, e sendo tu o mais velho dos três, tens um sentimento protector para com eles? O que sentes quando os vês a levar pancada? B.S. - Na verdade o mais velho é o Meneses, mas no clube sou. Eu não sinto que tenha de ser mais protetor para com eles, porque o Meneses tem muito mais experiência do que eu a nível desportivo e o Esteves, apesar de parecer frágil, engana muita gente, há muita raça dentro daquele miúdo. Eu vivo de igual forma por todo o plantel mas quando toca nas entradas duras em que eles correm perigo a nível físico, aí só me apetece entrar dentro do campo e já sabem o resto (risos). R.L. - O clube tem atravessado esta época uma fase controversa com a saída de 3 jogadores, como vês esta situação? B.S. - Só eles é que podem responder a isso, não eu, mas terão as suas razões para o fazer, boas ou más, só temos que respeitar e aceitar e o futebol é assim, só faz falta quem cá está. Mas não se esqueçam que o Rui Carneiro foi o único que deu a sua explicação para o abandono do plantel. R.L. - Deixa umas palavras à tua família e amigos, pois são os que sofrem mais a tua ausência para poderes vir treinar e jogar. B.S. - À minha família obrigado por tudo. Os meus amigos estão aqui no Lusitanos e a eles um grande e sincero obrigado. Quero também agradecer aos verdadeiros adeptos do Lusitanos, um grande abraço para todos. LUSITANOS MAIS QUE UMA EQUIPA UMA GRANDE FAMÍLIA.

15


Lusitanos esmagam a equipa do S.Rom達o

16


Crónica da partida No passado Domingo, dia 17 de Fevereiro, o Lusitanos esmagou o S. Romão e venceu por quatro bolas a zero. Num jogo que se adivinhava difícil devido ao resultado da primeira volta, em que o Lusitanos empatou a dois golos, desta feita, em casa, não sentiu nenhuma dificuldade para golear os visitantes. A equipa da casa que até teve que mexer na equipa devido às lesões de Teixeira e Kiko, fez que Edu jogasse ao lado de S.Guerra, e que Meneses se deslocasse para a direita do terreno, alterando também no lado esquerdo da defesa com a saída de Xuxa para a entrada de Tarrelo. A equipa da casa não deixou praticamente a equipa visitante jogar, pressionando alto e trocando muito rápido a bola. Com naturalidade, Suíço inaugura o marcador de cabeça aos 20 minutos. Aos 35, Paulo com um trabalho notável e digno de um ponta de lança faz os dois a zero na partida, resultado ao intervalo. Nota digna de registo foi a saída de Rui Dias por lesão ainda na primeira parte. Para a segunda parte Mister Guerra deixa Carlos Miguel no balneário e faz entrar Nuno para o seu lugar, dando um extremo puro ao jogo, fazendo Meneses ir para o centro do terreno. Lusitanos sempre com o pé no acelerador e chega ao 3-0 ao minuto 60 por Suíço novamente que bisa na partida com um cabeceamento fantástico, não dando qualquer hipótese ao guarda-redes contrário. Com o resultado seguro os de Santa Cruz ainda dispuseram de mais oportunidades de golo, com Meneses a fintar o guarda-redes e a ver a bola ser tirada em cima da linha pelo defesa, R.Silva com uma perdida incrível, mandando a bola muito por cima quase em cima da linha de golo depois de uma assistência de Filipe e Nuno com uma cabeçada muito forte vê ser feita a defesa da tarde. Quase a terminar a partida Paulo não quis ficar atrás de Suíço nos golos e consegue também bisar na partida com um bonito chapéu ao G.R. fazendo o resultado final, Lusitanos 4, S. Romão 0. A equipa jogou da seguinte maneira.

17


Fábio explica a sua decisão de sair do Lusitanos Fábio já tinha sido abordado pela nossa revista para explicar a sua saída do clube, no entanto na edição anterior, o mesmo disse não se sentir preparado para explicar os motivos da sua decisão devido ao pouco tempo passado, não querendo ser precipitado nem dizer algo de cabeça quente para não se vir a arrepender, no entanto sente-se agora capaz de falar da sua decisão pois sente que os seus colegas e o clube que diz que aprendeu a gostar, merecem esta explicação.

Revista Os Lusitanos - Abandonas te à pouco tempo o Lusitanos depois de alguns anos a defender o clube, o que te levou a abandonar o grupo? Fábio - Foi provavelmente a decisão mais complicada que tive que tomar nos últimos anos. Alem de ser o clube que simplesmente me apaixonou, foi o clube onde fiz AMIGOS. Mas a verdade é que assisti a situações incríveis, no qual não me deixou indiferente, tentei ignorar, perceber e ate mesmo as interiorizar, mas a falta de motivação, a falta de crença, o desaprender de tudo o que me ensinaram ao longo dos 13 anos que joguei federado e sobretudo as injustiças que assisti, não só comigo, mas com a família Lusitanos não podem deixar ninguém indiferente, é uma equipa técnica jovem, estão a dar os primeiros passos e deviam aproveitar mais a experiência dos nossos grandes HOMENS do balneário, as pessoas que podem segurar aquele balneário, como o nosso grande capitão Guerra, Carlos Manuel, Sérgio Coelho, Edu e como não pode deixar de ser referido Rui Sérgio. Os adeptos não merecem ver uma equipa a jogar um futebol onde a bola passa mais tempo no ar do que no chão, não foi isto que aprendi. Podem defender como quiserem, mas a verdade é que Os Lusitanos tem equipa para andar a passear nesta divisão, não precisa de dinheiro, não precisa de árbitros, não necessita nada destes extras, esta família pode tirar onze e meter onze e tem qualidade mais que suficiente para golear qualquer um, tudo que não seja uma subida direta pelos dois primeiros lugares é vergonhoso.

18


R.L. - Não achas que te podes ter precipitado a tomar a decisão? F. - Foi uma decisão que ponderei muito no início de época, por duas vezes, a primeira quando circulou uma certa lista que não devia ter saído e a segunda em algumas decisões que foram tomadas no jogo de subida de divisão, na qual me vieram a dar razão mais uma vez, pois ficamos pelo caminho, estragando assim o trabalho realizado na época desportiva de 2011/2012. No início de época tínhamos um balneário composto por 26 elementos, a realidade é que neste momento comparecem aos treinos entre 14 a 15 elementos em média. Talvez esta decisão seja uma decisão que já passou na cabeça de todos, mas apenas alguns tiveram a coragem de seguir com ela para a frente. Culpo assim a direção por não ter a coragem de tomar as decisões corretas no momento certo e por não acreditarem que é possível o primeiro lugar nesta Serie com o valor destes fantásticos jogadores, os melhores desta divisão. R.L. - Voltavas para o grupo se te dessem essa oportunidade? F. - Esta época é quase impossível voltar para lá, pois não acredito na gestão que está a ser efectuada. Espero que todo o clube Os Lusitanos aprendam com os erros para um futuro Lusitanos ainda maior e melhor

R.L. - Não tiveste uma despedida para o grupo nem para os adeptos, o que ficou por dizer? F. - Quero pedir desculpa a todos eles por esta decisão um pouco egoísta, mas acreditem principalmente nos jogadores, pois são eles que dão a cara e remam para um melhor futuro e irão levar Os Lusitanos para o lugar que vocês todos merecem.

19


Lusitanos perde e acaba com 9 jogadores

20


Crónica da partida No passado Domingo, 24 de Fevereiro de 2013, o Lusitanos visitou o 4º classificado do campeonato. Um jogo que já se adivinhava complicado pelo bom momento de forma da equipa adversária, tornou-se um pesadelo para a equipa do Lusitanos que não conseguiu impor o seu jogo e viu ficar com menos duas opções para o jogo com o Canelas. A primeira parte teve um Arcozelo com um caudal ofensivo maior que o Lusitanos, criando assim muito trabalho para o guarda-redes Rui Sérgio que foi atrasando ao máximo o golo dos da casa. O Arcozelo jogava melhor e criava mais oportunidades de golo, procurando sempre os ataques rápidos que davam muito trabalho à nossa equipa. Os da casa chegavam ao golo a meio da primeira parte através de livre directo em que o executante do livre engana por completo Rui Sérgio. O Lusitanos praticamente não teve reacção ao golo e apenas criou uma oportunidade de golo. Ao intervalo o resultado era justo. Na segunda parte o Lusitanos consegue equilibrar o jogo, muito por culpa de Meneses que procurou pegar no jogo, no entanto, as linhas de passe eram poucas e quando existiam os adversários paravam os lances com faltas, muito por culpa do trio de arbitragem que tudo permitia à equipa adversária. Ao minuto 60 os da casa chegam ao 2-0 num lance que antecedeu de fora de jogo e que permite ao avançado fazer o golo perante o nosso guarda-redes. Com a equipa a perder dois a zero tudo se complicou e o nervosismo tomou conta de alguns jogadores, o que não foi o caso de R. Sérgio que se dirigiu calmamente, a passo, para falar com o fiscal de linha e que acabava por ver amarelo, no entanto como não se dirigia para a baliza viu o vermelho, o que foi um claro exagero e que mostrava o fraco nível do árbitro depois de expulsar o jogo ainda teve tempo para o ameaçar. Zé Filipe entrava em campo com troca com R.Silva para ocupar o lugar na baliza e pouco tempo depois acabava por sofrer o 3-0. Com a equipa em inferioridade e completamente partida, os de laranja ainda tiveram tempo para expulsar Sandro que sofre falta e que ao passar pelo atleta adversário embateu neste e o teatro foi bem feito, com o senhor do apito a não ter duvidas e expulsando o nosso atleta. O resultado final ficaria por 3-0 e o Arcozelo acabou por ser um justo vencedor, no entanto ficamos com a sensação que num jogo com três equipas, duas eram boas e uma era dispensável.

A equipa do Lusitanos jogou da seguinte maneira

21


Classificação

Resultados da 22ª Jornada 22


Conhecer Sta. Cruz Bispo Raf Park encerra passado 4 meses Decorreu no passado dia 15 de Junho a Inauguração simbólica do RAF Park, dela participaram todos aqueles que têm contribuído para o crescimento do projecto RAF Park. A Inauguração ficou marcada pela visita do Sr. Presidente da Câmara de Matosinhos Dr. Guilherme Pinto e toda a sua equipa, estiveram ainda presentes os Autarcas das Juntas de Freguesia onde o RAF Park se situa Custóias e Santa Cruz do Bispo. Passado apenas quatro meses as notícias eram as seguintes: O Raf Park, em Matosinhos, fechou as portas inesperadamente, menos de quatro meses após a abertura, alegando estar em "obras de manutenção". A administração do parque radical garante que já estava previsto o encerramento durante o inverno. Os autarcas de Santa Cruz do Bispo e Custóias asseguram, porém, que nada sabiam "Fui apanhada de surpresa. Sei que tinham marcações de festas. A única indicação que tinha é que, no inverno, apenas abririam ao fim de semana. Estou muito preocupada", adianta a presidente da Junta de Santa Cruz do Bispo, Lurdes Queirós, revelando que o Raf Park fechou na semana passada. Na bilheteira, foi colocado um aviso de que o espaço "está encerrado para obras de manutenção". No local, os funcionários dizem aos clientes que não sabem quando o Raf Park irá reabrir e que estão a aguardar "orientações da administração". No site do parque radical informa-se que "o parque se encontrará fechado por tempo indeterminado". Mas fixa-se 13 euros para bilhetes comprados entre 3 de setembro e 31 de dezembro. "Nada indicava que isto iria acontecer. Sempre pensei que o parque estaria aberto no inverno", reforça o presidente da Junta de Custóias, José Tunes, lembrando que o Raf Park foi inaugurado a 15 de junho, tendo aberto as portas no dia 26 daquele mês. O sócio-gerente da Ritmolândia, a empresa do grupo Fielinvest (com sede em Penafiel) que investiu sete milhões de euros na criação do parque, garantiu que já estava previsto o encerramento. "Este tipo de atividades não pode estar aberto no inverno. Vamos reabrir na Páscoa", adianta Manuel Ferreira, assegurando que a Ritmolândia não está a passar por qualquer dificuldade financeira. Lurdes Queirós teme, porém, que o fecho inesperado do Raf Park seja um mau prenúncio. "Já manifestei a minha preocupação à Câmara. Não quero ficar com um elefante branco na freguesia", diz. Por sua vez, a Autarquia garante que o encerramento do Raf Park "é apenas no inverno" e que o parque não está para "fechar" as portas.

23


Espaço diversão Palavras cruzadas 1 - Homem das anedotas 2 - Um atleta que tem um negocio na noite 3 - Trata os bolos como ninguém 4 - País dos chocolates no masculino 5 - Homem pequeno que foi pai a pouco tempo 6 - País europeu com formato de bota 7 - Homem mais baixo do Lusitanos que não perde uma bola 8 - Já fui jogador, agora sou treinador 9 - Sou de Ramalde 10 - Sou conhecido no Lusitanos por um nome de 3 letras mas o meu nome tem 7 11 - Sou um jogador rápido e sou de longe. 12 - O proverbio diz, … e abuse 13 - Tenho 2 primos no plantel 14 - Objecto que pode ser recarregável 15 - Usamos antes de um sujeito masculino plural 16 - Usado antigamente para lavar roupa 17 - Paragem do metro perto de ramalde 18 - Trinco que é Rato 19 - Sou coordenador da Escolinha Lusitana Palavra Central - o nosso clube

Encontra as 7 diferenças

Do You Sudoku?


Publicidade:

Empresa de Moagem de Cereais com mais de 60 anos no mercado, com fortes tradições no Concelho de Vila Nova de Gaia e uma referência no Norte do país. Fundada na década de 1950, em nome individual, vai já na segunda geração. Aliamos inovação e dinamismo ao rigor de sempre. Renovamos as instalações, acrescentamos serviços, mas respeitamos a tradição com Honestidade e Credibilidade.

Travessa do Pisão, 33/43/55 4415-301 V.N Gaia irmsousa.moagem@clix.pt Telef. 227 84 49 77 Telemóvel 91 754 16 54

25


26


Situado em Matosinhos, local privilegiado para os sabores do mar pela grande tradição piscatória da cidade, o Dom Peixe proporciona ao seu cliente uma experiência de paladares num ambiente acolhedor e moderno, com atendimento atencioso, o que o torna no local ideal para um jantar de negócios,um jantar de grupo ou um encontro especial. O Dom Peixe dispõe de uma ementa variada, desde o peixe fresco grelhado no carvão, passando pela cozinha tradicional portuguesa. Os clientes são convidados a escolher a sua refeição de uma montra onde estão os variados peixes frescos à disposição.

Aberto diariamente em horário contínuo das 12h às 23h. Dispõe de estacionamento gratuito na Docapesca (mesmo em frente).


Revista Os Lusitanos Lusitanos F.C.S.C.

Mais que uma equipa, Uma Família Patrocinadores Oficiais: Mach – Comercio de Veículos Auto

Revista Os Lusitanos, mes de Marco II  

Revista de Março

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you