Page 1

2

PROJETO

DIÁRIO POPULAR SEGUNDA-FEIRA, 30 DE SETEMBRO DE 2013 Fotos Paulo Rossi - DP

A corrida é pela revitalização Parceria entre o 9º BIMtz e a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFPel pretende dar um novo rosto ao estádio Marechal Arthur da Costa e Silva, no bairro Fragata, usado pela população para atividades físicas Osiris Reis

Pelotas. Quem passa pelo bairro-cidade, o Fragata, pode nem perceber o patrimônio escondido atrás de um extenso muro pintado nas cores verde e branco, na avenida Duque de Caxias. O estádio Marechal Arthur da Costa e Silva é propriedade do 9° Batalhão de Infantaria Motorizado (BIMtz) - Regimento Tuiuti -, mas é utilizado por toda a comunidade, que o procura para a realização de atividades físicas. Em breve o local deve ingressar em um novo momento: a área deve ser transformada em um parque cultural e poliesportivo. No dia 4, os militares reunirão a comunidade em um evento a céu aberto e apresentarão os detalhes do projeto. A partir de agora, a corrida é para conseguir parceiros que abracem a causa social e viabilizem as obras. O projeto de revitalização da área nasceu da parceria entre o 9º BIMtz e a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Pelotas (Faurb/UFPel). O Laboratório de Conforto e Eficiência Energética (LABCEE) foi contatado pelo batalhão, resolveu assumir a demanda e institucionalizou junto

à universidade um projeto de extensão. Além de revitalizar o já existente o projeto contempla a construção de um Museu Militar, destinado a abrigar peças da década de 60 e da Segunda Guerra Mundial, além de um pequeno monomotor. A intenção do projeto da estrutura é mesclar infuências tradicionais e tecnológicas, que consigam se integrar à natureza do bosque. O 9° BIMtz estima que serão necessários cerca de R$ 10 milhões para viabilizar a execução do projeto. “Nos sensibilizamos com o caráter social da iniciativa. Organizamos uma equipe e resolvemos assumir a demanda”, explica o professor e vice-diretor da Faurb, Eduardo Grala da Cunha. Uma equipe formada por dez pessoas - entre professores, arquitetos, mestres, mestrandos e alunos de graduação - trabalhou por cerca de dois meses para desenvolver uma proposta de estudo preliminar à zona verde do bairro cidade. A obra contempla a construção do museu, vestiários, estacionamento, trilhas e instalação de equipamentos de ginástica ao ar livre. Além disso, serão revitalizados pista de atletismo, quadra poliesportiva, palanque e arquibancadas.

Financiamento. O fato de o 9° BIMtz não

possuir recursos para financiar o projeto fez com que o comandante do Batalhão, tenente-coronel Lauro Ferreira de Melo, iniciasse uma corrida em busca de parceiros da sociedade civil organizada. A intenção é cada um ajudar com o que pode e assumir parcelas pequenas da obra, como iluminação, instalação de equipamentos urbanos e construção do Museu, por exemplo. “A partir de ago-

ra, queremos que os possíveis parceiros tenham simpatia pelo projeto. A ideia é fazer que a obra não pare, seja autossuficiente e todos participem de sua construção”, vislumbra Melo. A partir do momento em que todos os projetos estejam prontos - Melo estima que mais seis meses serão necessários - as entidades interessadas poderão “adotar” a parcela desejada. Os ministérios da Educação

O vice-diretor da Faurb, Eduardo Grala da Cunha, dá detalhes da proposta


DIÁRIO POPULAR

3

Fotos Divulgação - DP

Características do projeto

Palanque

Os muros do estádio devem ser removidos e trocados por grades. A intenção é conferir visibilidade do complexo aos pedestres. Confira abaixo mais detalhes:

As arquibancadas em conjunto com o palanque têm sua concepção remetendo à arquitetura militar. A estrutura da cobertura foi projetada em aço e no palanque faz conjunto com o vidro

PISTA DE ATLETISMO

Espaços abertos Estacionamento Bicicletários Mobiliário urbano (prática de esportes) Arquibancadas cobertas Pista de atletismo Trilhas Quadra poliesportiva

VESTIÁRIOS

ARQUIBANCADAS COBERTAS

ESTACIONAMENTO

MUSEU EQUIPAMENTOS URBANOS

Utilização nos dias de hoje Atualmente o espaço é utilizado por cerca de 300 militares e 500 civis. O horário de funcionamento é das 6h às 18h (no verão, o horário estende-se até as 20h).

QUADRA POLIESPORTIVA

TRILHAS

Quem foi Costa e Silva?

Museu A composição arquitetônica do museu foi inspirada nas formas de um blindado, um veículo militar criado para a guerra. Possui a resistência do concreto (remete à solidez das antigas fortificações) e a leveza de materiais contemporâneos, como o vidro, que ilumina a parte interna e reflete o bosque. A intenção do quartel é utilizar o museu de abrigo a um acervo já existente nas forças armadas. Os itens, como uniformes, capacetes e armas foram utilizados na Guerra do Paraguai (1864 a 1870) e durante as ações de pacificação no Haiti.

Pista de atletismo Será recoberta por tartan, uma substância impermeável, constituída à base de substâncias químicas. Além de aumentar a resistência da pista, proporciona maior desempenho aos atletas

Foi um militar que presidiu o Brasil de 1967 a 1969, nascido em Taquari, no Rio Grande do Sul. Iniciou sua trajetória no Colégio Militar de Porto Alegre e foi comandante do 9° Regimento de Infantaria sediado em Pelotas de 1946 a 1948. Foi Ministro da Guerra durante o governo de Castelo Branco, mas saiu do governo para concorrer nas eleições indiretas pela Arena. Após ser eleito, seus anos iniciais de governo foram de intensa atividade política pois crescia no país o movimento de oposição ao regime militar. Inúmeras manifestações estudantis denunciavam a falta de verbas para a educação e se opunham ao projeto de privatização do ensino público. Nesse período foi promulgado o ato institucional (AI) n° 5, considerado uma das ferramentas mais polêmicas e restritiva da Ditadura Militar. O decreto ampliou os poderes presidenciais, inclusive o fechamento do Legislativo nacional. Morreu em 17/12/1969. Fonte: Biblioteca da Presidência da República

e Defesa também serão contatados; a intenção do batalhão é que o governo federal também participe das obras, planejadas para iniciar no próximo ano. As universidades Católica (UCPel) e Federal de Pelotas (UFPel) se comprometeram com a execução dos projetos de engenharia restantes; isso gera uma economia inicial de R$ 2 milhões. Mais de 300 convites foram encaminhados às diversas parcelas da sociedade, como reitores de universidades, diretores de escolas, empresários e políticos. Há expectativa também pela presença dos deputados federais Fernando Marroni (PT) e Afonso Hamm (PP), que poderão contribuir com verbas através de emendas parlamentares.

Mais qualidade de vida para a comunidade O massagista natural de Piratini, Arino de Oliveira Duarte, 59, reserva algumas horas da semana para se dedicar a uma das paixões de sua vida: a corrida. Nas quase seis décadas de sua vida, acompanhou os diversos momentos enfrentados pelo Estádio Marechal Arthur da Costa e Silva. No início, acompanhava os treinos dos alunos e professores da Escola Superior de Educação Física da Universidade Federal

de Pelotas (Esef/UFPel), que utilizavam a quadra, quando ela ainda era de carvão. “A revitalização é muito importante, pois quem corre aqui trabalha e precisa de estrutura. Com a obra, Pelotas vai conseguir treinar muito mais atletas para os campeonatos”, comemora o corredor. Duarte chama a atenção para o momento vivido pela sociedade, onde cada vez mais as pessoas preocupam-se com exercícios fí-

sicos e cuidados à saúde. Mesmo assim, lamenta que determinadas pessoas utilizem o local com outras finalidades. “Quem vem para correr, está buscando qualidade de vida. Quem vem para fumar não está buscando o certo”, critica. Enquanto a reportagem do jornal Diário Popular visitava o local, Duarte corria em companhia da jovem atleta Luísa de Souza Giampaoli, 18, que também treina na pista.

No entanto, o fato de a região de Pelotas não possuir estrutura que atenda as necessidades de um atleta profissional, faz com que a jovem desloque-se periodicamente a Porto Alegre para realizar os exames. “A reforma seria perfeita, pois nos dias de chuva, não dá para correr. Fica tudo alagado. Uma pista bem firme é melhor, pois diminui o tempo da corrida”, diz a jovem, que nasceu no Balneário dos Prazeres.

Arino de Oliveira Duarte e Luísa de Souza Giampaoli usam a pista para treinamento

A corrida é pela revitalização  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you