Page 1

Desporto

Desporto

PÁG. 14

PÁG. 13

[FOTO: a-gosto

Fernando Oliveira segue líder do Vitória Os vitorianos decidiram pela continuidade. A noite de eleições não foi pacífica. Tomada de posse é amanhã, à tarde, na Câmara.

Sadinos jogam hoje com o Estoril José Couceiro reparte o favoritismo com o adversário, para o jogo desta noite, às 20h00, no Bonfim. Chegar à Liga Europa não é objectivo fundamental.

VER BEM NÃO CUSTA NADA TAN e TAEG do cartão Institutoptico Credit = 0%*

Beneficie de um crédito sem anuidades, sem juros nem custos de adesão

Tel. Grátis 800 305 888

/opticamodelo

*Cartão de crédito Institutoptico Credit, gerido pela Pastor Serfim. Exemplo: para um crédito no valor de 600 € em 12 meses, prestação mensal de 50€. As ópticas Institutoptico actuam como intermediários de crédito a título acessório e sem carácter de exclusividade. Condições válidas até 2016.

A utilização do crédito está condicionada a uma mensalidade mínima de 15 €

Av. 5 de Outubro, 67 / 73 - Tel. 265 229 888 Av. Dr. Rodrigues Manito, 105 B - Tel. 265 547 188

SEGUNDA-FEIRA 24.MARÇO.2014

N.º 12 | Ano I | 4.ª Série

www.osetubalense.com | Preço € 0,50 | Diretor João Abreu

Última Hora PÁG. 16

Empresário morre em acidente O empresário Fernando Manuel Gomes Fidalgo, de 51 anos, responsável por uma oficina na Volta da Pedra, foi a vítima mortal do choque em cadeia que envolveu, dois veículos pesados e duas viaturas ligeiras.

Cultura PÁG. 10

TAS homenageia Carlos César O Teatro Animação de Setúbal homenageia no Dia Mundial do Teatro, o actor e encenador Carlos César, fundador da emblemática companhia teatral setubalense. A homenagem será feita durante uma sessão com literatura e cinema.

LATI aposta em novo serviço para idosos Última Hora PÁG. 16 A implementação do projecto “Queremos saber de si” é uma ambição do LATI, que consiste numa prevenção activa de proximidade dirigida aos idosos na freguesia de São Sebastião. A ideia é saber como se encontra a população sénior através do contacto directo porta a porta. [ DR 

Coleccionismo PÁG. 5

Entrevista PÁGS. CENTRAIS

Melhoria das acessibilidades é prioridade O presidente da Junta de Freguesia de S. Sebastião considera como prioritários os projectos que incentivam a participação popular e as obras de requalificação do espaço público, nomeadamente no que respeita à mobilidade e acessibilidades da população.

Loja:

Vitoriano tem mini-museu dentro de casa

«De Bebé para Bebé»

Compra e venda de artigos de criança dos 0 aos 10 anos

Na nossa loja consegue vestir os seus filhos da cabeça aos pés por preços anti-crise. Aproveite para trazer os artigos que eles já não precisam Horário: Segunda a Sábado das 10h00 às 19h00

Rua António José Batista, 43 D (perto do IEFP) SETÚBAL - &. 965 033 237  e-mail: lojabebe1@gmail.com 

bebe para bebe


02 |

BLOCO CLÍNICO

SEGUNDA-FEIRA 24.MARÇO.2014

Ambientes quentes podem causar insolações [ DR 

U

m dia quente, passado na praia ou no campo, ou a fazer um passeio ou corrida, ou simplesmente estar num local quente, pode acabar mal. Certamente é ainda da memória colectiva a notícia de um bebé que morreu dentro de um carro num dia quente. Os ambientes quentes, quer sejam no exterior ou no interior, podem levar a situações clínicas que, nos casos mais graves, podem levar à morte da pessoa, sendo as classes etárias mais jovens e mais idosas as mais sensíveis e consequentemente de maior risco para estas situações. Os ambientes quentes tendem habitualmente a levar o organismo a uma das seguintes situações: Desregulação da temperatura corporal – Insolação Esgotamento do organismo por perda de líquidos e sais através da transpiração – Esgotamento pelo calor Desde já chama-se a atenção para que estes efeitos causados pelos ambientes quentes podem ser evitados através

da PREVENÇÃO.

refecimento corporal.

O que é a insolação A insolação decorre, habitualmente, em ambientes quentes e secos. Por exemplo na exposição da cabeça ao sol num dia de verão, em que num determinado momento o organismo perde a capacidade de manter a temperatura do corpo no valor normal e começa a manifestar-se um conjunto de alterações, resultando no aumento da temperatura do corpo, situação esta muito perigosa. É observável na vítima uma pele quente, seca e bastante rosada, com queixas de mau estar e dores de cabeça.

O que fazer quando a vítima está consciente? Se é uma situação de insolação, deve-se encaminhar a vítima para um local fresco e arejado, ou na impossibilidade de tal, criar as melhores condições de protecção contra o calor (exemplo: improvisar uma sombra sobre a vítima). Com o auxílio de um pano ou toalha humedecer a pele da pessoa, principalmente a zona da cabeça para arrefecer. Se é uma situação de esgotamento por calor, deve-se deitar a pessoa, com as pernas elevadas. Em ambos os casos deve-se contactar o número nacional de emergência – 112. Pessoas com formação em primeiros socorros podem prestar outros cuidados não mencionados.

O que é o esgotamento pelo calor A actividade física em ambientes quentes ou a permanência em ambientes quentes e húmidos tende a levar a uma perda significativa de água e de nutrientes do organismo. A falta destes leva a alterações de funcionamento do organismo, manifestando-se com fadiga, mal estar, náuseas, pele progressivamente pálida, suada e ar-

Quando ligar 112 deve dar a seguinte informação: Indicar a morada do local; Descrever brevemente o que aconteceu; Identificar o número de vítimas e o seu estado;

Deve-se ajudar uma vítima de insolação colocando uma toalha humedecida na pele

Colaborar e seguir as instruções do operador; Desligar só quando o operador da central de emergência mandar. Como prevenir os efeitos dos ambientes quentes? Como já foi referido a prevenção destas situações é possível através de:

Estar atento às previsões meteorológicas, nomeadamente aos alertas para vagas de calor. Evitar os ambientes quentes, evitar a exposição ao sol. Escolher roupa adequada: Larga, fina e de cores claras. Proteger a cabeça com chapéu, idealmente com abas à volta

Proteger os olhos com óculos de sol Proteger a pele com creme protector solar Beber água regularmente Praticar uma alimentação equilibrada

Rua Batalha do Viso, 46 Tel. 265 572 572

Lote 1 – Estrada da Baixa de Palmela Tel. 265 541 840

José Couto Formador de Primeiros Socorros da Cruz Vermelha Portuguesa

Telefones Úteis

Bloco Clínico

Clínica Vascular Dr. José Falcão

Doenças das Artérias e Veias Esclerose Indolor - Pé diabético Ecodoppler Vascular www.centroclinicodesetubal.pt R. Garcia Peres, 32 - Tel.: 265 525 842-265 525 923 C/0057

Farmácia Portugal DIRECTOR TÉCNICO Fernando Gamito Rodrigues Av. Jaime C ortesão , 77-B Tel. 265 539 060 • Set ú ba l Horário: 09h00 - 13h00; 14h00 - 20h00 Sábado: 09h00 - 13h00 C/0054

Dr. Delfim Lopes Neurologia Rua dos Comediantes, 9-A Consultório e Domicilio Telf.: 265 531 400 C/0059

Instituto de Cardiologia de Setúbal Rua dos Comediantes 9A - Setúbal Telf.: 265 531 400 • Fax: 265 531 401

Director Clínico: Dr. Arnaldo Fernandes Dr. Arnaldo Fernandes - Cardiologista Dr. Hugo Pereira - Clínica Geral Dr. Victor Fonseca - Pneumologista Dr. Agostinho Borges - Cardiologista Pediátrico Dra. Leonor Parreira - Cardiologista Arritmologista Dra. Sofia Marcelino - Psicóloga C/0058

MAXICLÍNICA CLÍNICA MÉDICA E DENTÁRIA

Rua dos Pinheirinhos, nº 15 G 2910-121 Setúbal Telf.: 265 234 199 916 632 853 C/0062

Centro de Saúde S. Sebastião Urb. Vale do Cobro, Av. Das Descobertas Tel. 265 708 000 Centro de Saúde Bonfim Praça do Brasil, 14, 1º Tel. 265 525 653 Ext. de Saúde do Sado Rua Manuel Francisco Novo, santo Ovídio Tel. 265 790 460 Ext. de Saúde Bairro Santos Nicolau Rua Prof. Augusto Gomes , 25 Tel. 265 545 200 Ext de Saúde S. Sebastião Urb. Vale do Cobro, Av. Das Descobertas Tel. 265 708 000 Extensão de Saúde Praça da República Praça da República Tel. 265 544 320 Extensão de Saúde Santa Maria Rua Damão, 1 Tel. 265 531 200 Ext. de Saúde Viso

Ext. de Saúde Azeitão Rua Artur Horta, 18 Tel. 212 199 500 Centro Diagnóstico Pneumológico Urb. Vale do Cobro, Av. Das Descobertas Tel. 265 708 000 Serviço de Saúde Pública Urb. Vale do Cobro, Av. Das Descobertas Tel. 265 708 000 Rua Luís Gonzaga Nascimento, 2, R/C Dto Tel. 265 544 129/7 Hospital de São Bernardo R. Camilo Castelo Branco Tel. 265 549 000 Hospital Ortopédico do Outão Tel. 265 543 900 Hospital de Sant’Iago (Hospor) EN 10 Km 37 Tel. 265 509 200 Frenesius Medical Care Clínica de Hemodiálise Quinta de Vanicelos

Intoxicações Tel. 808 250 143 Linha Verde Tel. 800 212 216 Linha de Saúde Pública Tel. 808 211 311

Farmácias HOJE FARMÁCIA COSTA Largo da Misericórdia, 48-50 265 522 760 FAR. CUNHA PINHEIRO Rua da CamarinhaL, 32 265 528 251

AMANHÃ FAR. MONTE BELO Pç. da Independência, Lj. 3-B,C (Monte Belo) 265 539 300 FARMÁCIA SÁLIA Praça do Bocage,98-9 265 547 890


SEGUNDA-FEIRA 24.MARÇO.2014

Evento

Política

Os Impostos que nos são impostos P

ermita-me o Leitor que comece este breve texto com a constatação de um facto – a carga fiscal que incide sobre as famílias é clara e inequivocamente EXCESSIVA. Assim mesmo, em maiúsculas, para que daqui não restem dúvidas. Num país em que 73,2% da população é proprietária da sua habitação (de acordo com os dados dos Censos 2011), a carga imposta pelo IMI ganha particular relevância na gestão financeira das famílias. É da exclusiva competência dos Municípios a definição da taxa a aplicar, estando esta condicionada a um intervalo mínimo de 0,30% e máximo de 0,50%. Se o Leitor espera que uma Câmara Municipal, pela sua proximidade aos cidadãos, tenha uma maior sensibilidade face áquilo que são

as suas reais dificuldades e opte por não aplicar a taxa máxima, está certo em mais de 90% dos casos. Se o Leitor pensa que essa sensibilidade existe em Setúbal, está profundamente enganado. Setúbal é um dos 29 concelhos, de um total de 308, em que a Câmara Municipal insiste na cobrança da taxa máxima de IMI. Olhemos para um simples exemplo: imagine o Leitor que a sua casa tem uma avaliação fiscal, por hipótese, de 100.000 €. Como o Leitor reside no Concelho de Setúbal, pagará 0,50% de IMI, a que correspondem 500 € / ano. Mas, se o Leitor residisse no concelho de Almada, pagaria uma taxa de apenas 0,39%, o que equivale a dizer que o seu IMI seria de 390 € / ano. Ou seja: se o leitor residisse em Almada, como reside a Dr. Maria das Dores Meira, a Câ-

mara poupar-lhe-ia 110 € por ano. Mas, como reside em Setúbal ou em Azeitão, onde a Câmara dirigida pela Dra. Maria das Dores Meira impõe a taxa máxima de IMI, o leitor é castigado ano após ano. O Partido Socialista tem sido um forte opositor da política fiscal municipal. Batemo-nos há vários anos pela redução efectiva da taxa de IMI, e propusemos a sua redução gradual da actual taxa máxima de 0,50% até à taxa mínima de 0,30%, em 2017. Essa proposta consubstanciou-se, aliás, numa recomendação à Câmara Municipal de Setúbal, aprovada pela Assembleia Municipal em Junho de 2013. O Partido Socialista é o rosto do combate à iniquidade fiscal que pune os Setubalenses e Azeitonenses pelo simples facto de quererem viver neste

O Setubalense promove conferência sobre o centro histórico de Setúbal

A

Joel Marques Partido Socialista de Setúbal Concelho. Temos a profunda convicção de que é possível que os cidadãos paguem menos IMI sem que isso acarrete um enviesamento incomportável das receitas do Município. Não se trata, Caro Leitor, de uma promessa, mas sim de um claro e inequívoco COMPROMISSO. Assim mesmo, em maiúsculas, para que daqui não restem dúvidas.

Algumas reflexões no rescaldo da Assembleia Eleitoral do Vitória omo é do conhecimento geral, decorreu a Assembleia Eleitoral do Vitória, para a eleição dos respectivos órgãos sociais, triénio 2014–2017. Os resultados indicaram uma vitória da lista Data 1995 -1997 1997 -1998 1998 - 1999 1999 1999 – 2001 2001 – 2003 2003 – 2006 2006 – 2007 2007 – 2008 2008 2009 2009 – 2012 2012 – 2014 2014 - 2017

de Fernando Oliveira. No rescaldo da Assembleia, vamos agora tentar efectuar serenamente algumas reflexões que se impõem desde já. Para isso, tomei a liberdade de elaborar a seguinte tabela:

Nome Justo Tomás Justo Tomás Sousa e Silva Henrique Cruz Jorge Goes Jorge Goes Chumbita Nunes Jorge Santana Carlos Costa Luís Lourenço Fernando Oliveira Fernando Oliveira Fernando Oliveira Fernando Oliveira

propósito da comemoração do Dia Nacional dos Centros Históricos, que se celebra no dia 28 de Março, o jornal O Setubalense vai promover uma conferência sobre o centro histórico de Setúbal: história, actualidade e futuro provável. Para esta conferência foram convidados representantes de organizações públicas locais e pessoas de reconhecido mérito no assunto, com vista a proporcionar uma reflexão sobre o centro histórico, a sua história, o momento actual e a necessidade de iniciativas que permitam um futuro de recuperação económica, cultural, patrimonial e social do centro histórico da cidade. A conferência terá lugar no Club Setubalense, Av. Luisa Todi n.º 99 – 1.º, em Setúbal, na próxima segunda-feira, pelas 21h00. A entrada é livre e não necessita de inscrição prévia.

Programa: Temas e Oradores convidados: 1. “Os centros históricos: evolução histórica e perspectivas futuras e a importância da arqueologia e a necessidade da preservação dos marcos históricos” Dr. Carlos Tavares da Silva – Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal 2. “Vilegiatura marítima em Setúbal. Perspectiva histórica de uma das primeiras tentativas de turismo balnear e o seu impacto na urbe” Arq. Inês Gato Pinto – Investigadora e co-autora de diversas publicações 3. “Sobre as muralhas: uma oportunidade de dinamização do Centro Histórico” Arq. Pedro Matos Alves – Arquitecto e investigador

Pensar Setúbal

C

| 03

Mandato Completo Incompleto Incompleto Comissão de gestão Completo Incompleto Completo Incompleto Comissão de gestão Comissão de gestão Comissão de gestão Completo Incompleto

Através da análise atenta da referida tabela, rapidamente se conclui que uma das principais fragilidades associadas ao Vitória tem sido a sua instabilidade directiva. Senão vejamos: Em praticamente vinte anos tivemos cinco mandatos incompletos, quatro comissões de gestão e somente quatro mandatos completos. Os mandatos incompletos e as comissões de gestão, são respectivamente, factores de preocupação e de angústia. Somente o mandato completo pode ser considerado um factor de estabilidade. Se repararem com atenção, verificam que nunca ocorreram dois mandatos completos consecutivos. Caros amigos vitorianos: parece-me evidente

Giovanni Licciardello que não há qualquer hipótese de sucesso desta forma. As direcções devem ter tempo de planear estrategicamente o Vitória, por um período de vários anos. Veja-se por exemplo, o Braga. Com 3 mandatos consecutivos de António Salvador, o clube teve 9 participações na Taça UEFA/Liga Europa (chegou à final), uma participação na Liga dos Campeões, e venceu a Taça da Liga, no ano transacto. Pelo contrário, veja-se o Sporting. Com 20 anos decorridos, tiveram Pedro Santana Lopes, José Roquette, Dias da Cunha, José Eduardo Bettencourt, Filipe Soares Franco, Godinho Lopes e Bruno de Carvalho, nas sucessivas direcções. Os resultados despor-

4. “O centro histórico e sua importância para a sustentabilidade da actividade comercial” Eng.º Francisco Carriço – Presidente da Associação do Comércio, Serviços e Turismo do Distrito de Setúbal e Director Efectivo na CCP – Confederação do Comércio e Serviços de Portugal e de Vice-Presidente na FEP – Federação Empresarial Portuguesa. 5. “Políticas públicas locais para a preservação e atractividade do centro histórico de Setúbal” André Martins – Vereador da Câmara Municipal de Setúbal com o pelouro do Urbanismo Moderador: Joaquim Gouveia

tivos, tirando uma, ou outra excepção, têm-se situado muito aquém da grandeza, prestígio e tradição do Sporting Clube de Portugal. Nos tempos áureos do Vitória dos anos 60 e 70, muitas direcções foram presididas por Fernando Pedrosa. Podem contra-argumentar: eram outros tempos, outros contextos, outras realidades. É verdade. Mas ainda assim… O que me leva à questão final: as sucessivas

crises directivas, quer sejam através de mandatos incompletos, quer através de comissões de gestão, não contribuem em nada para a desejada estabilidade directiva, o que tem repercussões nas vertentes económica e desportiva. Quanto aos tristes e lamentáveis acontecimentos ocorridos após a divulgação dos resultados, não podem, nem devem ser analisados a quente. Terá de ser feito com calma e ponderação.


4|

SEGUNDA-FEIRA 24.MARÇO.2014

Emigrantes da Crimeia em Setúbal querem evitar represálias O Setubalense foi ao encontro de duas emigrantes da Crimeia que vivem no concelho para tentar perceber como vivem a situação que está instalada na sua terra de origem, com vários confrontos entre pró-russos e pró-europeus. É este clima de conflito que Tetiana Fishuk e Irina Pristoica desejam evitar em solo português, uma vez que “em Setúbal, pode-se contar com os dedos os emigrantes provenientes da Crimeia”, explica Irina Pristoica. POR ROGÉRIO MATOS

Depois destes acontecimentos, tenho recebido algumas ameaças de ucranianos que antes eram muito amigos”, prossegue Irina Pristoica, para quem esta animosidade não reflete bem a personalidade dos emigrantes ucranianos e espera mesmo que tal não passe para confrontos físicos. “Quiseram proibir-me de

têm ocorrido em Lisboa não espelham a vontade do povo da Crimeia”. O resultado do referendo popular na Crimeia que expressou a vontade de anexação à Rússia no passado domingo foi alvo de críticas por parte da União Europeia, Estados Unidos da América e da própria NATO devido a alegadas ilegalidades e inconstitucionalidades. As duas emigrantes revelam ao Setubalense que, através do contato com

povo bem esclarecida nos mais de 90 por cento que desejam uma anexação à Rússia. “O meu sogro foi dos primeiros a votar no referendo”, explica Tetiana Fishuk, natural de Cherkassy, a duzentos quilómetros de Kiev e estudante universitária em Sevastopol, de onde veio para Portugal com 33 anos em 2001. Já Irina Pristoica concorda com o resultado, uma vez que “quando a Crimeia per-

Tetiana e Irina não se revêem nas manifestações de ucranianos em Portugal contra o presidente russo falar russo”, frisa a emigrante proveniente de Sevastopol e natural de Donetsk, acrescentando que “as manifestações que

famílias e amigos que estão na Crimeia, não houve qualquer tentativa de pressão para com os eleitores, sendo a vontade do

Câmara renova protocolo com APPACDM

A

Câmara de Setúbal e a APPACDM renovaram o protocolo de cooperação com vista à integração de utentes da associação em serviços autárquicos. As entidades têm colaborado neste âmbito desde 2004, nomeadamente através do Projeto InComum – Actividades Ocupacionais em Inclusão Comunitária. O objectivo do programa é contribuir para o desenvolvimento de competências pessoais, sociais e profissionais dos utentes, assim como para o reforço da autoestima e progressiva responsabilização dos

mesmos. Na Câmara de Setúbal encontram-se integrados, no âmbito do projecto, dois utentes da APPACDM local, cuja experiência “tem tido uma avaliação positiva”, sublinha a autarquia. Por isso, foi decidido renovar o protocolo de colaboração. A integração destes utentes em actividades de cariz ocupacional na área do apoio administrativo, um na Biblioteca Pública, o outro no Centro Multicultural, implica uma verba com cabimento em rubrica orçamental do Município, de 360,50 e de 364 euros, ambas de carácter anual.

tencia a esfera da União Soviética, a população tinha maior qualidade de vida, com muito trabalho que hoje desapareceu”. As

A península ucraniana da Crimeia está no centro do conflito entre pró-russos e pró-europeus

duas emigrantes condenam quem tomou o poder em Kiev, considerando-os “fascistas e nacionalistas”. Tanto Irina como Tetiana não acreditam na realização de eleições democráticas no país no clima actual, uma vez que “quem está actualmente no poder manipula e usa a força para levar a sua vontade avante”. “No primeiro dia em que tomaram o poder, decretaram imediatamente a retirada de símbolos e estátuas na Crimeia que fizessem alusão à Rússia, quando a história local confunde-

-se obrigatoriamente com a russa”, afirma Tetiana Fishuk. Nesta península que tem acesso ao Mar Negro, a população exprime-se no dia a dia, na cultura e nos teatros, em três idiomas, dos quais o russo e ucraniano, algo que “quem tomou o poder quis mudar, permitindo apenas o ucraniano”. Tetiana Fishuk admite que durante toda a sua vivência na Crimeia, todos os povos interagiam em paz, sempre com respeito pela nacionalidade, cultura, idioma e religião porém, “quem tomou o poder quer mudar isso”.

Irina Pristoica, com família em Donetsk, explica ao Setubalense que esta região também deseja fazer um referendo popular idêntico ao do passado domingo, uma vez que “estão contra o regime de Kiev e pretendem uma anexação à Rússia”. A possibilidade de adesão da Ucrânia à União Europeia não é bem vista pelas emigrantes, uma vez que tal pode destruir grande parte da produção nacional em prol da importação, sendo apenas a possibilidade de livre circulação para os jovens a condição mais favorável.

Setúbal adere à Associação Portuguesa das Rotas dos Vinhos de Portugal

A

Câmara Municipal de Setúbal vai aderir, como sócio-fundador, à ARVP – Associação Portuguesa das Rotas dos Vinhos de Portugal, recentemente criada, e que será um espaço nacional com os diversos responsáveis pelo desenvolvimento do enoturismo. A intenção da ARVP é juntar os órgãos públicos, nomeadamente entidades nacionais e regionais de turismo, grupos de acção local e autarquias, aos agentes empresariais, incluindo adegas, hotéis, restaurantes, bares, empresas de anima-

ção turística, agências de viagem e de rent-a-car e espaços culturais. A decisão da autarquia sadina vem na sequência de outra adesão, efectuada em 2010, à Associação de Municípios Portugueses do Vinho, percursora da ARVP. Aquela associação tem “impulsionado uma actuação concertada e em rede no âmbito das actividades de criação de produtos turísticos e que fomentam a descoberta e a interpretação da cultura do vinho”, refere a autarquia sadina. Esta parceria resulta na promoção e no apoio a “iniciativas tendentes à

Autarquia e ARVP unem esforços para promover enoturismo

sensibilização dos operadores turísticos destinados à preservação e promoção do património

e cultura do vinho dos territórios concelhios da Península de Setúbal”, acrescenta.


COLECCIONISMO

SEGUNDA-FEIRA 24.MARÇO.2014

Mini museu alberga centenas de peças dedicadas ao Vitória

| 05

[ ????????????????????????? 

Mais tarde tornou-se seccionista do andebol do Vitória e dirigente tendo feito parte de vários elencos directivos. Recorda com emoção o primeiro troféu nacional conquistado pelo clube, precisamente com os ju-

POR JOAQUIM GOUVEIA

S

abia que existem mais de oitenta cachecóis diferentes do Vitória de Setúbal. E que o clube já disputou dez finais da Taça de Portugal? E que quando joga fora é uma das equipas, depois dos três grandes, que mais adeptos faz deslocar? E sabia que existe uma brochura raríssima com o descritivo judicial da descida do Vitória, à segunda divisão em 1952? São na verdade muitas curiosidades acerca de uma clube que se diz não ser grande mas sim enorme. E, talvez por isso, fazendo alarido da sua enormidade há vitorianos fervorosos, indomavel-

Uma das maiores raridades é uma pequena brochura raríssima com a descrição judicial da descida do clube em 1952. "Foi um momento complicado para o Vitória, com uma descida de divisão por causa de suborno”.

Assistiu ao nascimento do emblemático grupo musical “Terno D´Ouros”, que veio a gravar o hino do Vitória mente apaixonados e devotos quase em missão de celibato, salvo seja. Bernardino Primo, figura por demais conhecida nas hostes vitorianas é exemplo de dedicação absoluta ao clube que aprendeu a amar e a servir. Num anexo da sua casa, sita na localidade da Volta da Pedra – Palmela, tem um mini museu onde expõe para familiares, amigos e curiosos centenas de peças com o cunho do Vitória Futebol Clube. Cachecóis, bonés, bandeiras, porta-chaves, aventais... calma, já se fala do resto porque são tantas as peças que quase nem te-

Bernardino Primo dedicou um anexo de sua casa ao Vitória de Setúbal

ríamos espaço para falar em todas. Tudo começou há mais de vinte anos quando este vitoriano, já embrenhado nas actividades do clube, se lembrou de começar a coleccionar tudo o que dizia respeito ao Vitória. Começou peça a peça e idealizou o espaço que, como as fotos documen-

tam está bem dimensionado. “O Vitória é uma paixão. – começa por elucidar Bernardino Primo – Eu, se calhar até devia de ser de um dos grandes. Quando era miúdo fui morar com os meus pais para o Pinhal Novo e, naquela altura, toda a gente por ali era do Benfica, ou do Spor-

Fotografias, bandeiras, cachecóis... cobrem as paredes do anexo de Bernardino Primo

ting. Nem sequer haviam portistas. Só que eu tinha um primo, o Chico Primo, que jogava no Vitória de Setúbal e como eu gostava muito dele e de o ver jogar ía todos os domingos ao antigo campo dos Arcos e depois comecei mesmo a acompanhar os jogos fora. Aí nasceu o meu amor ao clube”.

niores do andebol a arrecadar o campeonato nacional em 1952. “Faltava-nos um troféu de campeões nacionais e os miúdos deram-nos essa alegria”, salienta Bernardino. Depois com viva emoção diz que ser vitoriano é ser diferente e quando se ganha a um grande a alegria é a dobrar. “Ainda agora no Restelo – faz saber – éramos mais de 500 apoiantes o que diz bem da nossa dimensão”. No seu mini museu expõe ainda alguns troféus, muitas fotos, jornais, copos, cassetes, discos e CD´s, livros, galhardetes numa toada verde e branca que se conjuga sem descanso mas com um orgulho enorme. Passam por ali muitos amigos com quem partilha

patuscadas e muitas horas de descontracção e boa companhia. “É sempre sob o lema do Vitória”, afirma. Uma das maiores raridades é uma pequena brochura raríssima com a descrição judicial da descida do clube em 1952. Mas não foi fácil sacar esta informação ao Bernardino Primo, que até recomendou: “Isto é tão raro que se calhar já ninguém o tem, mas eu quis guardar. Foi um momento complicado para o Vitória, com uma descida de divisão por causa de suborno. No fundo o clube não tem culpa dos actos dos seus dirigentes...”. Curiosamente Bernardino Primo assistiu ao nascimento do emblemático grupo musical “Terno D´Ouros”, que veio a gravar o hino do Vitória, ou como nos conta: “O Amílcar, veio trabalhar para os correios do Pinhal Novo. Aqui conheceu o Álvaro Amaro e o Silva e a música unia-os. Fizeram o hino do Vitória que ainda hoje se ouve por todo o lado. Conhecia-os bem, tive sempre muito orgulho nisso”. Por outro lado Bernardino Primo assistiu a nove das dez finais da Taça de Portugal, que o Vitória disputou: “ganhámos três – elucida para continuar – o que já não foi nada mau. Ganhámos também a Taça da Liga. Temos muito historial e é bom não esquecer a formidável campanha europeia que fizemos nos anos setenta”. Tudo isto dá corpo, forma e conteúdo ao mini museu de Bernardino Primo, que pretende aumentar o espólio que “gostava de ver estimado quando um dia partir”, confessa. É caso para dizer: há vitorianos mesmo assim!

A colecção teve início há 20 anos e Bernardo Primo quer aumentar o espólio


06 |

EDUCAÇÃO/ CLASSIFICADOS

SEGUNDA-FEIRA 24.MARÇO.2014

Politécnico Jorge Sampaio de Setúbal abre ciclo lança Portal de conferências na ESE de Emprego Internacional O

O

Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) lança um novo Portal de Emprego em parceria com a rede internacional “Trabalhando”, que disponibiliza cerca de 200 mil oportunidades de emprego e se encontra presente em 11 países ibero-americanos (Argentina, Brasil, Chile, Espanha, Portugal, Peru, Colômbia, Venezuela, Porto Rico, Uruguai e México). O Portal de Emprego consiste em mais uma acção relevante, levada a cabo pelo IPS, no âmbito da sua política de apoio e acompanhamento aos estudantes e diplomados, na entrada no universo profissional. Trata-se de uma plataforma destinada a todos os estudantes e diplomados da instituição, que abrange as diferentes áreas ministradas e faculta informação sobre as vagas de emprego dirigidas exclusivamente ao Politécnico e acerca das ofertas da rede internacional Trabalhando. As empresas poderão também comunicar no Portal as oportunidades

de emprego e o perfil de candidatos que procuram, recebendo directamente as candidaturas dos interessados, o que proporciona o contacto mais fácil e eficaz. Por outro lado, os estudantes e diplomados têm a possibilidade de dar a conhecer o seu currículo, as suas potencialidades, capacidades e competências académicas e profissionais, com autonomia para proceder à respectiva actualização de dados no Portal, sempre que necessário. Para além de se materializar numa ferramenta de extrema utilidade para a instituição, relativamente ao seu serviço de apoio à inserção no mercado de trabalho, esta plataforma permite, ainda, o acesso a informação sobre que empresas estão a contratar, que tipo de ofertas são colocadas, quais as mais solicitadas, bem como aos dados extracurriculares dos estudantes e diplomados, considerados importantes para enriquecer o currículo e percepcionar as competências que são valorizadas pelo mercado de trabalho.

antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, inaugura quinta-feira o ciclo de conferências intitulado "Contornos de um caminho dedicado à educação", promovido pela Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal (ESE/ IPS). O objectivo é prestar homenagem a docentes recentemente aposentados da instituição. A iniciativa pretende dar a conhecer o percurso e o contributo de antigos professores da ESE/ IPS na área da educação, “exaltando o seu trabalho, projectos e diferentes actividades realizadas em prol da Escola, do alargamento das áreas científicas ministradas, da constante melhoria das aprendizagens, bem como da comunidade e entidades regionais”, refere o Politécnico. A primeira sessão decorre na próxima quinta-feira, pelas 17h00, no anfiteatro da ESE/IPS, e

Antigos docentes da Escola Superior de Educação vão ser homenageados por Jorge Sampaio

será dedicada a Ana Maria Bettencourt, antiga docente e dirigente da Escol. A carreira desta profissional encontra-se fortemente ligada à intervenção cívica e política, nomeadamente

A

s escolas do concelho vão receber um apoio de 5123,30 euros da Câmara de Setúbal para comparticipar a aquisição de livros e material escolar a 142 alunos carenciados do 1.º ciclo do ensino básico. A atribuição do apoio foi aprovada na reunião de câmara de quarta-feira. Trata-se da segunda fase desta componente do programa Acção Social Escolar do ano lectivo de

2013/2014, sendo que a verba atribuída, de acordo com a autarquia, visa “contribuir para a igualdade de oportunidades de acesso e êxito escolar, promovendo, assim, a equidade do sistema educativo”. O subsídio é transferido para os agrupamentos verticais de escolas Barbosa du Bocage, Sebastião da Gama, Azeitão, Lima de Freitas, Luísa Todi e Ordem de Sant'Iago.

enquanto colaboradora, consultora e assessora para os assuntos da educação da Casa Civil do Presidente da República, nos mandatos de Jorge Sampaio. A inscrição no evento é gratuita.

UNISETI-UNIVERSIDADE SÉNIOR DE SETÚBAL

Classificados

COMUNICADO PROFESSOR DIACABY ÊXITOS EM 48 HORAS 962869038 • 917165553 • 265110429 O Prof. Diacaby ajudou milhares de pessoas a recuperar a felicidade, a confiança no amor, negócios, inveja, amarrações e magia negra. Aproximar ou afastar. T/ dias das 9h – 21h. Setúbal

Lena Cabeleireiros

Informa-se que no dia 1 de Março de 2014 realizou-se uma Assembleia Geral Extraordinária, na qual foi deliberado o seguinte:

Peq. Anúncios Aluga-se • Apartamentos T0 a T3 várias zonas da cidade, Moradias, Lojas, Escritórios, Armazens, Garagens Tel: 919 365 150 C/ 0151

OP/ 0052

Autarquia dá mais de cinco mil euros para apoios escolares

no domínio da educação, ensino superior e direitos das mulheres, tendo sido Presidente do Conselho Nacional de Educação entre 2009 e 2013. Ana Maria Bettencourt desempenhou, ainda, funções

• Alugo R/C Central Mobilado, moradia equipada 1º andar central Tel. 968486121 OP/ 0056

Especialista em Penteados de Noiva • Estética • Terapia Reiki Rua Arronches Junqueiro, N.º 66 C/ 0060

Precisa-se

Empregada/o domestica para passar a ferro e arrumar casa de família, que cozinhe bem. Segunda a sábado das 10:30h às 16h das 18h as 21,30h. Ordenado 550€+ alimentação, idade dos 45 aos 65 anos. Contacto: 912 990 998 OP/ 0059

Siga-nos no Facebook...

Empresa Sediada em Setúbal recruta ( M/F) - Auxiliares de Lar - Auxiliares de Limpeza/Lavandaria - Ajudantes de Cozinha - Recepcionista Requisitos: - Mínimo 9º ano - boa apresentação - capacidade de trabalhar em equipa Resposta para o Apartado 323 2900-000 Setúbal OP/ 0061

1 - Para o período de 2012-2016, foram eleitos para os Corpos Sociais da Universidade Sénior de Setúbal, os seguintes Dirigentes: Assembleia Geral: Presidente, Maximino José da Silva Monteiro; Vice-Presidente, José Manuel Venâncio dos Santos; Secretário, Margarida Rosa Pinto Alves Vacas. Direcção: Presidente, Armando Alambre do Sacramento; Vice-Presidente, Arlindo Pato da Mota; Secretário, Alberto Guilherme da Silva Alves; Tesoureiro, Maria Eduarda Abrunhosa da Silva Caridade; Vogal, Maria Eugénia da Conceição Palmela; Suplente, Américo de Jesus Pereira; Suplente, Pedro Acácio dos Santos Soares. Conselho Fiscal: Presidente; José Reis Gameiro; Secretário, Maria Leonor Edwiges Dinis; Vogal, António Luís de Aguiar; Suplente, Joaquim Jorge Gonçalves Ferreira de Oliveira; Suplente Maria Manuela Caballero Y Serodio. 2 - Aprovados votos de pesar pelo falecimento do Professor e Fundador da Uniseti, Rui Caballero Y Serodio e do Livreiro Manuel Medeiros, que esteve na origem criação do CIMM-Centro de iniciativas Manuel Medeiros da Uniseti. 3 – Aprovado voto de louvor à Presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Dra. Maria das Dores Meira, pela cedência das novas instalações e pelo apoio prestado à UNISETI.

A Direcção OP/ 0060


CIDADE

SEGUNDA-FEIRA 24.MARÇO.2014

| 07

Associações de pescadores apoiam ordenamento da Doca [ DR

POR ROGÉRIO MATOS

A

s associações de pescadores SetúbalPesca, Bivalmar e Sesibal, que representam os profissionais da pesca na Doca dos Pescadores, aliam-se à Administração dos Portos de Sesimbra e Setúbal na implementação do “Programa de Melhoria das Condições de Segurança, Ordenamento e Limpeza na Doca dos Pescadores do Porto de Setúbal”. As portas automáticas no acesso à doca entram em funcionamento a partir do próximo dia 31 de Março, altura em que todos os proprietários de embarcações no espaço reorganizado devem possuir um cartão de acesso. Ricardo Santos, presidente da Cooperativa de Pescas de Setúbal, Sesimbra e Sines (Sesibal), entende que os cartões magnéticos não serão bem aceites pelos profissionais da pesca devido “à sua possível perda e ao pagamento obrigató-

SetúbalPesca, Sesibal e Bivalmar agradados com ordenamento da Doca dos Pescadores

rio para sua obtenção”. “Esta situação vai perturbar ainda mais a vida dos pescadores que em Setúbal vivem uma situação dramática de 30 anos para cá”, esclarece o presidente da Sesibal, que conta com sete embarca-

ções de pesca (traineiras) na Doca dos Pescadores, “cada uma com cerca de 15 profissionais”. A alternativa a tal seria uma maior disciplina por parte de todos os pescadores com embarcações no local. Por seu lado, Carlos

Pratas, Secretário-geral da SetúbalPesca e assessor da Bivalmar, esclarece que o programa implementado pela APSS vem resolver uma situação de falta de ordenamento, segurança e limpeza na Doca dos Pescadores.

Bela Vista vai ter equipas comunitárias de higiene urbana

A

constituição de equipas comunitárias de higiene urbana para limpeza e manutenção dos pátios do Bairro da Bela Vista, em Setúbal, é o principal objectivo de um protocolo de colaboração que será assinado entre a Câmara Municipal, a Junta de Freguesia de S. Sebastião e a ACM – Associação Cristã da Mocidade. Trata-se de uma iniciativa no âmbito do programa “Nosso Bairro, Nossa Cidade”. O “Bairro Amarelo” inclui 19 pátios e zonas adjacentes, espaços reabilitados recentemente no âmbito do programa RUBE – Regeneração Urbana da Bela Vista e Zona Envolvente, liderado pela autarquia sadina. O objectivo do protocolo é “potenciar e valorizar as capacidades da população, através da prestação de uma colabo-

ração de grande utilidade para a comunidade, ao mesmo tempo que eleva a autoestima e fomenta a cidadania activa na preservação e adequada utilização dos espaços públicos”, sublinha a câmara. O projecto, que representa um investimento global de pouco mais de 17 mil euros, visa a criação de equipas comunitárias de higiene urbana, constituídas, em regime de voluntariado, por seis moradores, para a execução de tarefas de limpeza nos 19 pátios e zonas adjacentes da Bela Vista. No âmbito deste protocolo, a Câmara Municipal compromete-se a promover acções de formação aos voluntários das equipas e a disponibilizar coletes, botas e luvas, assim como carrinhos de varredura, pás e vassouras. A realização de um seguro

3 Reparos

cações de recreio a realizarem um abaixo assinado contra a intenção da APSS em taxar a permanência destes barcos na Doca dos Pescadores, algo que os representantes da pesca profissional não deixam de comentar. “Entendemos que muitas embarcações de recreio pertencem a reformados da pesca que encontram nesta atividade grande parte da sua subsistência, por isso, os novos espaços destinados a estes barcos devem ter em atenção a este factor”, refere Carlos Pratas, em sintonia com Ricardo Santos. Neste ponto, a APSS considera fundamental o ordenamento da Doca dos Pescadores, com a criação de áreas próprias, fora dos passadiços dedicados às embarcações de pesca, para as embarcações existentes marítimo-turísticas e de recreio náutico, tendo em consideração a disponibilidade de espaços, respectivas dimensões e o histórico da sua permanência.

Reparámos que na Travessa do Pasteleiro, perto da Casa do Benfica, por detrás da Casa da Cultura, há uma grande invasão de pombos, à semelhança de outras zonas da cidade. Não será novidade, mas o pior é que os pombos concentram-se naquele local porque alguém os alimenta todos os dias, provocando muito lixo no chão. Os vizinhos sentem-se muito incomodados com a situação, nomeadamente com os resíduos que se vão espalhando no chão, nas janelas e nas roupas estendidas, e que são um chamariz para vários tipos de insectos e até ratos têm surgido nos últimos dias.

Equipas comunitárias vão limpar o Bairro da Bela Vista

de acidentes pessoal para as equipas comunitárias de higiene urbana é outra das competências da autarquia, que comparticipa este projecto com um subsídio anual, a transferir em 12 mensalidades, num valor simbólico de três euros por hora.

A SetúbalPesca tem um total de 190 associados, sendo que grande parte tem a sua embarcação no Doca dos Pescadores, ao passo que a Bivalves conta com 20 barcos no mesmo local. “Desde 2010 que as associações de pescadores profissionais na Doca dos Pescadores enfrentam os problemas de falta de organização e espaço para estacionarem, por isso juntaram-se à APSS para reordenar a doca”, prossegue Carlos Pratas. A situação deve-se principalmente, como Carlos Pratas demonstrou ao Setubalense, ao estacionamento indevido por parte de embarcações de recreio em locais destinados às embarcações de pesca profissional. “Os passadiços foram construídos ao abrigo da União Europeia para servir a pesca profissional mas hoje muitos barcos de recreio impedem os barcos da pesca de atracarem nos seus lugares”. A situação moveu os proprietários de embar-

À Associação Cristã da Mocidade compete disponibilizar todo o apoio às equipas e gerir o subsídio atribuído pela autarquia, enquanto a Junta de Freguesia de S. Sebastião é responsável pela monitorização do trabalho dinamizado.

Reparámos que a estrada dos Cipestres consegue, em certo locais, ser um verdadeiro tormento, quer para a circulação automóvel, quer para os peões que circulam nos passeios. Pedras levantadas nos passeios, buracos no asfalto e as célebres tampas de esgoto desniveladas são alguns exemplos do que por ali podemos encontrar. Reparámos que ainda existem vários estabelecimentos comerciais da Baixa que encerram portas à hora de almoço. Esta opção pode ser um erro, dado que entre as 12h30 e as 14h30 existe uma maior afluência de potenciais consumidores àquela zona da cidade.


08 |

AUTARQUIAS

SEGUNDAFEIRA 24.MARÇO.2014

“No âmbito das nossas competências vamos até ao limite das nossas forças” Nuno Costa encontra-se ligado à Junta de Freguesia de São Sebastião desde Junho de 2003, como membro da Assembleia, e em 2011, assumiu funções como Presidente do Executivo. Para o autarca o incremento da participação popular e as obras que visam a melhoria da mobilidade e acessibilidade dos fregueses são as suas maiores prioridades. POR VERA GOMES Para o autarca um dos atractivos da freguesia são os "excelentes espaços de lazer"

Quais foram os seus maiores receios ao presidir a Junta em 2011, antes das eleições autárquicas, e substituir, nessas funções, Carlos Almeida que já tinha sido eleito três vezes? A complexidade do trabalho, das tarefas que iria desenvolver, com a exposição mediática que elas envolviam. De qualquer das formas eu já estava no Executivo há algum tempo e já era a pessoa que substituía o presidente nas suas faltas e impedimentos. Portanto, em boa verdade, tirando a exposição mediática, todas as tarefas que vim a desenvolver já tinha desenvolvido. Não havia propriamente uma surpresa no cargo que ia desempenhar. Mas é sempre uma responsabilidade muito grande e há sempre o receio de não estar à altura. Uma avaliação posterior, colectiva, permitiu-me chegar à conclusão que as coisas correram de forma bastante satisfatória. Que projectos destaca após mais de um ano de mandato? Destaco três projectos, pela sua abrangência, desenhados pela Câmara Municipal, e dos quais somos parceiros. “Ouvir a População, Construir o Futuro”, um projecto que se desenvolve em parceria

com as Juntas de Freguesia em que há um apelo fortíssimo à participação popular. Os Executivos, quer do município, quer da freguesia, além de visitarem todas as instituições (associações, escolas, empresas, etc.), percorrem a pé o território da freguesia. O contacto com as pessoas é muito directo e natural, há atendimentos descentralizados e permite uma participação efectiva das pessoas. Além deste aspecto, saliento neste projecto a componente do compromisso, não só pelas palavras, mas também por escrito. O projecto teve várias informações à população, quer em plenário, quer em livros, distribuídos à população, onde está registado o problema, a intervenção, o responsável pela mesma e quando a obra será realizada, ou, assumir que determinadas intervenções não conseguem ser feitas e porquê. Saliento também o projecto “Nosso Bairro Nossa Cidade”, que capacita os moradores da Bela Vista e zona envolvente de determinadas competências que permitem que eles próprios desenvolvam acções que visam melhorar as suas condições de vida. Este é um projecto cujos primeiros sinais são absolutamente animadores. Aquele território tem

muitas associações lá sediadas e isso fez com que as pessoas apresentassem uma disponibilidade fora do normal para a participação no projecto que tem acções materiais (pinturas, arranjos de escadas e portões, etc.) e imateriais (organização de torneios de futebol, actividades de ocupação nas férias). Há outro projecto que

preocupações sociais da Junta? Esta política de austeridade tem provocado o empobrecimento brutal da nossa população e S. Sebastião tem territórios particularmente vulneráveis a estas questões, onde a taxa de desemprego é muito superior à média nacional. Recebemos aqui famílias a pas-

“A nossa vida colectiva é feita com as pessoas e a sua participação tem que ser um bem maior que devemos cultivar e incentivar para vivermos todos melhor.” tem tido um sucesso muito grande que é o “Setúbal Mais Bonita” que traz muita gente durante um fim-de-semana a requalificar o espaço público, mas visa também a participação popular e merece desta freguesia o maior carinho e empenho. Estes são projectos importantes porque a nossa vida colectiva é feita com as pessoas e a sua participação tem que ser um bem maior que devemos cultivar e incentivar para vivermos todos melhor. A freguesia de S. Sebastião continua a ser a mais populosa do concelho. Neste contexto, quais são as principais

sar grandes dificuldades, em desespero, quando praticamente todos os membros da família ficam desempregados e entregues à sua própria sorte quando deixam de haver apoios sociais para essas famílias. A Junta de Freguesia contribui para a coesão do tecido social naquilo que são as suas competências e os seus meios. Não podemos substituir-nos àquilo que são as competências da Segurança Social, mas mesmo que quiséssemos, não temos capacidade para o fazer. Além disso, já não temos assistentes sociais para fazer avaliações, por força das restrições orçamen-

tais com as quais temos sido confrontados nos últimos anos. Temos tido uma diminuição média de 20 mil euros ao ano no fundo de financiamento de freguesias. Assim, decidimos priorizar o apoio às escolas e ao movimento associativo, porque ao fazê-lo contribuímos para a coesão do tecido social. Temos actividades próprias que também contribuem para este objectivo, como por exemplo a colónia de férias que organizamos em que colocamos preços muito acessíveis e de acordo com os rendimentos das pessoas. No âmbito das nossas competências vamos até ao limite das nossas forças. O facto de haver diversos bairros sociais neste território constitui um desafio? É um desafio e uma riqueza. É um desafio grande porque nestes bairros os problemas sociais incidem com particular violência. São pessoas que tendem a desistir de lutar pela melhoria das suas condições de vida, mas, com os projectos pensados à medida, é possível dar passos significativos. É uma riqueza devido à diversidade cultural destes bairros que tem que ser bem aproveitada pelas pessoas para tornar S. Sebastião numa freguesia

inclusiva e solidária. Acho que têm sido dados passos significativos nesse sentido. Esta é também a freguesia de todo o concelho onde existem mais grandes superfícies comerciais. Além disso, está a nascer mais um grande projecto comercial – o Alegro Setúbal. De que forma vê a implantação deste tipo de superfícies na cidade? Sobre o Alegro tenho uma crítica positiva a fazer pela forma como o município conduziu o seu processo de implantação, de forma a contribuir para a requalificação de toda aquela zona da cidade, modernizando as infra-estruturas, criando infra-estruturas apropriadas e aproveitando também para regular o trânsito. Vejo com naturalidade a existência das grandes superfícies aqui na freguesia, no entanto, não há uma ligação muito grande destas empresas às forças vivas da freguesia. É um objectivo da Junta trabalhar no fortalecimento dessas relações. Vamos encetar um conjunto de reuniões nesse sentido porque acho que estas grandes superfícies têm também uma palavra a dizer no apoio às instituições e associações da freguesia.


AUTARQUIAS

SEGUNDAFEIRA 24.MARÇO.2014

| 09

[ RUI MINDERICO 

S. Sebastião completa 461 anos

A

A existência do IPS, da Escola Profissional de Setúbal e do IEFP funcionam como um pólo de atracção de jovens e, no último ano, a Junta tem recebido alguns estágios profissionais. Qual a importância destas iniciativas e qual o seu peso no orçamento? Penso que é importante que os jovens possam ter na Junta de Freguesia um parceiro para poder concluir as suas formações iniciais ou mesmo ganhar experiência em estágios profissionais. Muitos chegam aqui porque já viram frustradas outras tentativas. Às vezes a Junta de Freguesia não é o lo-

cal mais adequado para terminar as funções que eles vêm desempenhar. Também por vezes surpreendem-se com o trabalho que é feito cá, porque a Junta tem um trabalho muito diversificado e acabam por encontrar uma dinâmica interessante e que lhes permite desenvolver a sua actividade. Tem sido uma parceria porque eles também nos ajudam. Trazem ‘know how’ porque têm a formação muito fresca e também a possibilidade de desenvolver determinadas actividades que de outra forma não seria possível. Isto tem algum custo mas o peso no orçamento não é significativo e é superior o benefício que temos em

freguesia de S. Sebastião comemora este ano o seu 461º aniversário que assinalou no passado sábado com o hastear da bandeira Largo Manuel da Luz Graça, com a presença da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Setúbal e uma sessão Solene no Auditório Germano dos Santos Madeira. Em declarações a O Setubalense, Nuno Costa

expressou que a Junta “que cada vez se aproxima mais das pessoas, tem hoje um desígnio que é a transformação desta freguesia numa freguesia inclusiva, humanizada e solidária”. O Presidente adianta que “cada vez mais as pessoas percebem essa vontade de transformação da freguesia e cada vez mais têm colaborado com o nosso projecto que participado e

que tem cumprido o seu maior objectivo que é fazer face às legítimas aspirações das pessoas, em qualquer das suas vertentes”. O autarca falou ainda da história de S. Sebastião que “foi paróquia, depois na República passou a ser freguesia mas não nesta perspectiva de poder local democrático e agora, desde há 40 anos com esta matriz que conhecemos”.

ao vivo dinamizadas por um ginásio da freguesia. Vamos criar animações descentralizadas para que as pessoas possam perceber as potencialidades que esses espaços têm e começar a utilizá-los devidamente. Temos um atractivo muito grande nesta freguesia que é a sua riqueza cultural e um movimento associativo pujante, com tudo o que isso implica.

as freguesias não estão vocacionadas para obras faraónicas, mas sim para obras de proximidade. Desenvolvemos centenas e centenas de obras de requalificação do espaço público, no que respeita à construção de passeios e de espaços verdes, contribuindo para a mobilidade e acessibilidade da freguesia e essa é uma das nossas maiores obras. Temos tido uma intensa

assim como o lançamento de caminhadas pela Serra.

ter cá esses jovens. Quais são, para si, os principais atractivos desta freguesia e o que é que a Junta tem feito e pretende fazer para potenciá-los? Esta freguesia tem excelentes espaços de lazer, que infelizmente às vezes não são bem aproveitados pela população. Temos um projecto que visa a dinamização desses parques, nomeadamente o Parque Verde da Bela Vista que é lindíssimo e tem um enorme potencial; os espaços verdes em Vale de Cobro; o espaço verde em Monte Belo. Vamos ter actividades, a partir de Maio/ Junho, com jogos tradicionais e aulas [ RUI MINDERICO 

Nuno Costa considera que os bairros sociais são um desafio e uma riqueza

“O primeiro e mais forte compromisso é para com as pessoas da freguesia. Nada irá ficar preterido na Junta de Freguesia de S. Sebastião a favor das minhas funções na ANAFRE. No entanto, considero que é um bom complemento.” Que projectos tem para os próximos anos? Em Abril vai ser retomada a iniciativa “Ouvir a população, Construir o futuro”, que vai começar por S. Sebastião; “Setúbal Mais Bonita” também conhecerá a sua próxima edição em Junho. Temos um projecto que pretendemos inaugurar no 25 de Abril, o Centro Sociocultural Elmano Sadino, onde estão sediadas algumas instituições e associações como o Teatro do Elefante, a Cruz Vermelha, o Clube de Poesia, que visa criar um espaço, no antigo Centro de Saúde da Terroa, no Bairro 2 de Abril, para dar algumas respostas à população sobretudo mais carenciada. Estamos também a converter o antigo Mercado Humberto Delgado em estaleiro, para inaugurar, se tudo correr bem, no dia 15 de Setembro. De qualquer das formas,

obra nas escolas que estão praticamente requalificadas, para além do apoio que damos a todas as actividades escolares. Esta é a única freguesia que oferece transporte quer para as escolas, quer para a s associações. Há outros projectos pelos quais temos muito carinho, nomeadamente a Oficina Tradições, que promove várias actividades como ateliers de pintura, música, aulas de informática, de natação, etc. Destaco também a reedição do projecto “Autarquias ao Vivo” que consiste na simulação, por alunos do 3º e 4º anos do Ensino Básico, de uma Assembleia de Freguesia. As crianças fazem também uma visita às instalações da Junta e a algumas obras realizadas por nós. As noites de fado ao ar livre nos bairros é outro projecto que vamos pôr em prática em Junho,

O Presidente foi eleito recentemente como coordenador da delegação distrital da ANAFRE. De que forma este novo cargo se vai harmonizar com a presidência da Junta? O primeiro e mais forte compromisso é para com as pessoas da freguesia. Nada irá ficar preterido na Junta de Freguesia de S. Sebastião a favor das minhas funções na ANAFRE. No entanto, considero que é um bom complemento. O facto de eu ter acesso imediato a alguma informação, as reuniões que irei ter com alguns pares de outros concelhos, poderão ser uma mais valia para mim, no exercício das minhas funções. Na tomada de posse mostrou a vontade de reformular a aglomeração de freguesias que resultou da reforma administrativa. De que forma pensa alcançar esse objectivo? O compromisso é de apoiar todas as freguesias associadas à ANAFRE na dinamização das acções de luta pela reposição das freguesias, sobretudo nos locais onde a população e os autarcas estavam contra. Setúbal achou que as oito freguesias serviam bem os 120 mil habitantes e essa era a proposta da Assembleia Municipal. As freguesias onde houve união estão hoje pior preparadas para servir a população e temos muito menos eleitos a discutir os problemas dos seus concidadãos. A nossa democracia participativa e representativa ficou muito mais pobre e sobretudo atacou-se o ente público onde há menos dinheiro, onde há eleitos a título voluntário e onde não há dívidas nem défice.


10 |

CULTURA

SEGUNDA-FEIRA 24.MARÇO.2014

[ DR 

Espelho Mágico aos domingos no Charlot

João Pateta e outras histórias

[ DR 

J Actor Carlos César vai ser homenageado pelo Teatro Animação de Setúbal

TAS homenageia Carlos César

O

TAS – Teatro Animação de Setúbal homenageia na próxima quinta-feira, Dia Mundial do Teatro, o actor e encenador Carlos César, fundador da emblemática companhia teatral setubalense. A homenagem será feita durante uma sessão com literatura e cinema a realizar a partir das 21h30, no Teatro de Bolso. A iniciativa, de entrada livre, organizada pelo TAS no âmbito do programa municipal comemorativo do Dia Mundial do Teatro, começa com o lançamento e a leitura de um livro de poesia de Carlos César, obra que reúne os poemas do actor, escritos durante o exílio em Paris, antes do 25 de Abril de 1974. Segue-se a exibição da longa-metragem “Afirma Pereira”, filme de Roberto

Carlos César foi um dos fundadores do TAS, companhia setubalense em actividade desde 1975 Faenza, de 1995, baseado no livro homónimo de Antonio Tabucchi, cujo elenco conta com a participação do actor e encenador, numa produção tripla entre Portugal, França e Itália. “Afirma Pereira” é a história de um jovem revolucionário que, em pleno regime de Salazar, é contratado para escrever óbitos antecipados por um jornal. Além de ter sido um dos últimos grandes trabalhos de Marcello Mastroianni, "Afirma Pereira" foi também um dos mais reconhecidos fil-

mes do malogrado actor Carlos César. Carlos César, natural de Coimbra, foi um dos fundadores do TAS, companhia setubalense em actividade desde 1975 na qual exerceu as funções de director até à sua morte, a 10 de Janeiro de 2001. Como actor e encenador deixou a sua marca em produções como “Arsénico e Rendas Velhas” (1990), “Falar Verdade a Mentir” (1999) e “Quem Tem Medo de Virgínia Woolf?” (2000). Participou em séries televisivas como “Gente Fina É Outra Coisa” (1982) e em telenovelas como “Vidas de Sal” (1996), “Os Lobos” (1998) e “Jardins Proibidos” (2001). No cinema, conta com participações em filmes como “O Barão de Altamira” (1986), “Aqui d'El Rei” (1992) e “Afirma Pereira” (1995).

Teatro do Elefante inaugura novas instalações no Dia Mundial do Teatro

A

s novas instalações do Teatro do Elefante, no centro histórico de Setúbal, são inauguradas no dia 27 de Março, Dia Mundial do Teatro, numa cerimónia que inclui a realização de um debate cultural. A “Casa do Elefante”, localizada no segundo piso do número 35 da Rua Luís de Camões, na Baixa, abre portas a partir das 17h30. As novas instalações da companhia setubalense incluem uma sala de produção, uma área

de acolhimento para artistas convidados e um espaço destinado à realização de pequenas iniciativas culturais. De acordo com a Câmara de Setúbal, a “Casa do Elefante”, que funciona como um centro cultural, aberto a toda a comunidade, “reforça igualmente as condições de trabalho da companhia, que dinamiza várias produções, nomeadamente no âmbito de um protocolo de colaboração” com a autarquia sadina. Segue-se, meia-hora depois, um encontro

com debate, de entrada livre, intitulado “Como (sobre)vive o teatro no contexto político e cultural português actual, marcado pela austeridade”. A iniciativa é organizada pelo Manifesto em Defesa da Cultura e conta com a presença de Jorge Feliciano, Pedro Penilo e Fernando Casaca, dos núcleos de Almada, Lisboa e Setúbal, Pedro Pina, vereador da autarquia, e Clementina Henriques, vice-presidente da Confederação Portuguesa das Colectividades.

oão Pateta é um menino que faz tudo ao contrário. Desastrado, pateta, divertido faz as delícias da criançada no final de um espectáculo que é um convite à magia e à alegria servido pelo Grupo de Animação Teatral Espelho Mágico, aos domingos, às 11 horas, no Auditório Charlot. “João Pateta e outras histórias” transporta-nos aos contos tradicionais recriados de uma forma simples e decorativa por um grupo com provas dadas e vencedor de vários prémios de teatro. Céu Campos, Isabel Ganilho e Jessica Ricardo dão expressão aos personagens que compõem cada uma das histórias com textos adaptados de forma livre por Céu Campos, das histórias “A cigarra e a formiga”, “A lebre e a tartaruga”, “O leão e o rato”, “O corvo e a raposa” e “João Pateta”. Há muita fantasia nesta peça, muita imaginação e o convite à alegria subjacente no sorver de cada história contada delicio-

samente ao pormenor e recorrendo á técnica do teatro de fantoches que continua a despertar atenções e fantasia. Depois diga-se que em cena estão actrizes com provas dadas como Céu Campos e Isabel Ganilho, cujo saber se nota e para quem a arte de recriar a imaginação e a fantasia são ponto a ter em conta. São actrizes experientes que sabem captar as atenções do público infantil sempre ávido de magia, brincadeira e muita fantasia. Jessica Ricardo, ainda jovem mostra-se segura no seu personagem narrando a história e contrapondo com os per-

sonagens numa viagem que nos leva ao longo de quase uma hora pelos terrenos da imaginação fértil como são os dos contos tradicionais infantis de Esopo e la Fontaine. Céu Campos explica que “esta é uma peça itinerante, pronta para se deslocar a qualquer sala e acontece numa altura que antecede a estreia de “Rom Rom e Fofoca”, de Fernando Guerreiro, que acontecerá em Abril, próximo”. Fica o convite para a próxima quinta-feira, dia 27, altura em que o João Pateta volta a cometer os seus disparates e a prometer muita risada aos mais pequenos. Joaquim Gouveia

Setúbal já prepara a quarta edição do Festival de Música

O

s preparativos para a quarta edição do Festival de Música de Setúbal já estão a decorrer, com o maestro Tony Haynes a realizar ensaios com grupos locais de jovens músicos. De acordo com a Câmara de Setúbal, o certame, organizado pela A7M – Associação Festival de Música de Setúbal, “mantém-se fiel aos princípios com que foi criado, ou seja, de envolver toda a população do concelho, dos mais novos aos mais velhos, com ou sem limitações físicas e de todos os quadrantes sociais, na participação activa em

manifestações culturais ligadas à arte da música”. A grande maioria dos espectáculos desenvolvidos com músicos amadores conta ainda com o envolvimento de profissionais da música. É neste contexto que o experiente maestro britânico participa, pelo segundo ano consecutivo, num concerto do Festival de Música de Setúbal. Tony Haynes encontra-se em Setúbal a conduzir ensaios com alunos do Conservatório Regional de Setúbal, da Academia de Música e Belas-Artes Luísa Todi e do grupo de percussão BelaBatuke. Alguns [ CMS 

destes encontros contam, igualmente, com a colaboração do maestro Fernando Molina, ligado à realização do Festival de Música de Setúbal desde a primeira edição. Segundo a autarquia, o objectivo é que estes grupos de jovens partilhem o palco juntamente com a Grand Union Orchestra, de cariz multicultural e dirigida precisamente por Tony Haynes. O espectáculo, produzido com o apoio de fundos da União Europeia, “inspira-se nos oceanos Atlântico, Índico e Pacífico para percorrer um mundo de descobertas, migrações, conquistas humanas e desastres naturais”. O Festival de Música de Setúbal é um projecto financiado pela Câmara Municipal, The Helen Hamlyn Trust e a Fundação Calouste Gulbenkian e realiza-se entre 29 de Maio e 1 de Junho, em vários locais de Setúbal.


REGIÃO

SEGUNDAFEIRA 24.MARÇO.2014

| 11

Palmela na defesa do ambiente com edifícios emblemáticos “às escuras” [ DR 

Vários locais emblemáticos do concelho de Palmela vão, num gesto simbólico, apagar as luzes durante uma hora na próxima sexta-feira à noite.

A

“Hora do Planeta” vai ser assinalada em Palmela com alguns do edifícios mais emblemáticos as escuras, no dia 29 de Março, entre as 20h30 e as 21h30. A iniciativa insere-se num convite da Associação Nacional de Municípios e da World Wildlife Foundation (WWF), que, num gesto simbólico, apresentará acções de sensibilização para medidas de eficiência energética. A “Hora do Planeta” contemplará edifícios e locais emblemáticos de Palmela, como o Castelo, o Pelourinho, a Câmara, o Cine-Teatro S. João e Igrejas, que irão ficar as escuras durante uma hora.

A autarquia apela a participação da população na iniciativa e a desligar as luzes das suas casas. A Câmara de Palmela considera que este gesto simbólico “surge como sequência natural do trabalho que o Município tem vindo a realizar, em prol da eficiência energética e da sustentabilidade”. Também realça a importância na defesa do ambiente com “medidas de eficiência energética nos edifícios e equipamentos municipais e na iluminação pública, ou as acções de sensibilização como as recentes oficinas do PAESP – Plano de Ação para a Energia Sustentável de Palmela”. De resto uma das medidas na defesa do ambien-

Cine-Teatro S. João vai ficar "às escuras" entre as 20h30 e as 21h30

te, conforme solicitação dos promotores da “Hora do Planeta”, em que os participantes se devem

ais de cem proprietários de lotes sem capacidade construtiva na Quinta do Conde participaram, num acto público que lhes possibilitou a permuta por um terreno no Loteamento Municipal da Ribeira do Marchante. Durante a apresentação do projecto o presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, Augusto Pólvora informou que “se tudo correr como esperado, no início de 2016 poderemos ter as obras de urbanização todas concluídas e fazer a entrega formal dos lotes aos proprietários” esperando que “esta primeira fase seja bem-sucedida” e que

permita que “as pessoas que agora não quiseram aderir a esta solução possam participar mais tarde e completar a 1.ª e 2.ª fase do loteamento, resolvendo ainda mais problemas desta natureza”. O Loteamento Municipal da Ribeira do Marchante inclui lotes de moradias em banda com 7,5 e 5 metros de frente. “Recorremos à solução das moradias em banda por razões de economia de espaço e para tentar resolver o máximo de problemas, para além de que o custo das infraestruturas é muito menor”, justificou Augusto Pólvora. A proposta apresentada pela

já no próximo dia 3 de Abril que vai ter lugar o I Festival de Bandas Escolares. A iniciativa decorre entre as 10 e as 16h00

horas, na Escola Básica Integrada da Quinta do Conde. O evento que conta com o apoio da Junta de Freguesia da Quinta

neta” assinala a 8ª edição e conta com a participação de mais de 150 países de todos os continentes.

O carro não sabia nadar! autarquia de Sesimbra implica que os proprietários paguem uma parte da verba no dia da assinatura do contrato e a restante no final do processo. Este pagamento inicial vai ser utilizado pela Câmara Municipal para realizar as obras de urbanização. Segundo o edil se “não fosse este modelo e tendo em conta a conjuntura actual seria muito difícil à autarquia disponibilizar todo o dinheiro para avançar com as obras” acrescentando que “é óbvio que este modelo também afastou muitas pessoas por não terem neste momento esta verba disponível”.

I Festival de Bandas Escolares

É

lar equipamentos de fluxo luminoso em locais de grande consumo”. Este ano a “hora do Pla-

As linhas com que o repórter se cose…

Permuta de Lotes em Quinta do Conde M

comprometer com uma acção a realizar até ao final do ano, em que Palmela “comprometeu-se a insta-

do Conde e a participação dos três Agrupamentos de Escolas locais e da Escola Básica 2,3+S D. Paio Peres Correia, de Tavira.

A

s linhas com que o repórter se cose… O carro não sabia nadar! No outro dia ao ler alguns jornais de época de setenta acabei por me lembrar de uma notícia curiosa, que teve como protagonistas dois antigos colegas. Eles tinham um “caso”, que procuravam esconder a todo o custo, pois ela era viúva, mas ele continuava casado com uma funcionária, que trabalhava na mesma empresa. Os encontros de amor eram marcados no maior sigilo, para evitar que a informação pudesse chegar à mulher traída. Um dia à hora do almoço foram fazer a sua escapadela, no antigo pontão do porto de Setúbal. Mas a coisa não correu muito bem, porque

absorvidos pela troca de carícias, não repararam e destravaram o carro, que embalado pela descida mergulhou no rio Sado. Os dois conseguiram chegar à margem e o amante expedito telefonou para a fábrica para um colega o vir buscar. A protagonista de tão fogoso amor fez o mesmo e telefonou para uma colega para a vir buscar. No entanto, atarantados pela aflição que tinham vivido, esqueceram-se de combinar uma versão do que lhes acontecera. Ela contou à colega, que ia a passear pela muralha e como era coxa tinha escorregado. Ele, talvez para justificar a falta do carro, disse que estava a “passar pelas brasas” e, involuntariamente, tinha carregado no travão de

mão, sem se aperceber e o carro caiu ao rio. A história acabou por se saber e começaram a circular uns papéis na fábrica, que diziam o seguinte “tenha cuidado de não adormecer no seu carro se estiver junto da muralha…pois pode apanhar uma coxa e cair ao rio!” Toda a gente percebeu a piada, apenas a mulher do garanhão ficou a leste do que se passava e até gracejou “esta malta é terrível, pois já parti a perna há tanto tempo e nem sequer estava dentro do carro com o meu marido”. Tal como diz o povo “olhos que não vêem, coração que não sente!”

Coordenação Região:

Fátima Brinca


12 |

REGIÃO

SEGUNDA-FEIRA 24.MARÇO.2014

Palmela tem cinco empresas de Excelência Álvaro Amaro, presidente da Câmara de Palmela congratulou-se pela distinção e anunciou que “vão ser implementadas medidas de incentivo a fixação de empresas, com redução de taxas para a construção e ampliação”. [ DR 

O

IAPMEI distinguiu 1103 empresas com o Estatuto PME Excelência 2013, cinco são do concelho de Palmela. O Estatuto PME Excelência, é um instrumento de reputação criado pelo IAPMEI, que visa sinalizar as pequenas e médias empresas com perfis de desempenho superiores. No seu conjunto, estas empresas são responsáveis por mais de 43 mil postos de trabalho directo e geraram um volume de negócios superior a 5,8 mil milhões de euros em 2012, que representou um crescimento médio de 9%, face ao exercício anterior. São empresas que obtiveram

os melhores desempenhos económico-financeiros e de gestão no exercício de 2012, e que conseguiram manter-se competitivas num contexto económico exigente, com crescimento e consolidação de resultados. O contributo destas empresas para as exportações foi de 1,7 mil milhões de euros em 2012, valor que representou um crescimento de 27% relativamente ao ano anterior. A selecção destas PME é feita anualmente a partir de um universo das pequenas e médias empresas Leader criando um instrumento de visibilidade acrescida quando este grupo de empresas a cada ano se destaca pe-

los melhores resultado e o concelho de Palmela já tem 30 pequenas e médias empresas Leader em 2013 e de entre as quais foram seleccionadas cinco empresas de Excelência São elas: A Casa Ermelinda Freitas, que repete a distinção obtida em 2012; RG Gestão de Restaurantes que gere o Mcdonald’s em Aires; Metalomecânica Três Triângulos, em Pinhal Novo, que obtém o galardão pelo terceiro ano consecutivo; a Sogmip - Sociedade Geral de Manutenção Industrial Portuguesa, Lda. e Vítor Ganchinho Ilumina que também é seleccionada pelo quarto ano consecutivo. A Câmara Munici-

Álvaro Amaro promete incentivo às empresas

Verdes questionam Governo sobre redução de transportes

Plantação de árvores [ DR 

A

deputada Heloísa Apolónia entregou na Assembleia da República a questão para que o Governo responda sobre o corte de carreiras da empresa de transportes dos TST, no concelho de Palmela. Para “Os Verdes” a supressão de carreiras dos TST “origina longos períodos sem serviço na ligação das populações da vila de Palmela e à estação de comboios e no sentido inverso”. A comunidade escolar, garante Heloísa Apolónia, “está a ser afectada, pois os alunos da Escola EB 2,3 Hermenegildo Capelo e da Escola Secundária de Palmela, ficam privados de ligação a casa durante longos períodos, prejudicando gravemente a sua qualidade de vida”. Para a deputada a mobilidade e o transporte público “são um direito e um serviço essencial, não podendo, por isso, estar condicionados pelos objectivos do lucro dos operadores privados”. Heloísa Apolónia não deixa de lamentar que

pal de Palmela, pela voz do seu presidente, Álvaro Amaro, já se congratulou com estas distinções a estes agentes do “nosso tecido empresarial sobretudo acreditando que um conjunto de medidas que já foram aprovadas nesta autarquia e que irão ser certamente validadas pela Assembleia Municipal no mês de Abril, medidas de incentivo à fixação de empresas, redução de taxas para a construção e ampliação de algumas também empresas. Esperamos que estas medidas venham a contribuir para no futuro potenciar a obtenção de idênticas distinções a mais empresas do nosso concelho”.

Q

uinta do Conde tem novas árvores. No Dia Mundial da Árvore, que se celebrou no passado dia 21 de Março, proporcionou este ano, mais uma vez, o pretexto para a plantação de significativo número de árvores na Quinta do Conde. Alunos, professores e voluntários estiveram envolvidos na plantação de mais de cem árvores autóctones. Sobreiros, pinheiros mansos e salgueiros são algumas das espécies que vão reflorestar o espaço público desta freguesia, numa iniciativa

dinamizada pela Câmara Municipal de Sesimbra, Junta de Freguesia da Quinta do Conde, e ANIME – Projectos de Animação e Formação, e que envolve escolas e movimento associativo local. Importa referir que a Quinta do Conde recebeu nos últimos anos diversas acções deste género, como as iniciativas Bosques do Centenário, a Festa da Árvore, ou o Reflorestar Portugal, que se traduziram na plantação mais 500 de árvores na freguesia. Dado o adiantado estado da florestação [ DR 

Supressão de carreiras dos TST preocupa " Os Verdes"

a empresa “tenha colocado em vigor as novas medidas”, mesmo antes do parecer da Câmara de Palmela, solicitado pela Autoridade Metropolitana de Transportes. A deputada alerta, que para além dos anuncia-

dos cortes de carreiras, “assiste-se também a um aumento dos preços dos passes e dos bilhetes, praticados pelos TST, os quais foram superiores ao 1% anunciado em Janeiro de 2014”. O Partido Ecologista

quer saber se o Governo “pretende diligenciar junto da operadora para garantir o cumprimento efectivo do serviço público de transporte e o direito à mobilidade das populações”.

Mais de uma centena de árvores plantadas na Quinta do Conde

que nesta época do ano já se observa e para que a operação obtenha sucesso optou-se por plantas

envazadas. Plantações de raiz nua são aconselháveis nos meses de Novembro a Fevereiro.


DESPORTO

SEGUNDA-FEIRA 24.MARÇO.2014

| 13

“Vai ser um jogo interessante” Antevisão José Couceiro reparte o favoritismo para o embate com o Estoril, esta noite, às 20 horas, no Bonfim POR JOAQUIM GUERRA

O

treinador do Vitória não vai com a mesma equipa que construiu os últimos triunfos. Todavia, José Couceiro garante motivação para conseguir mais três pontos. No lançamento para o jogo de hoje, que fecha a jornada 24, o técnico, em discurso directo, refreou ambições europeias e abordou o pós-eleições vitorianas. Conseguir o 5.º lugar da classificação, com a permanência na Liga garantida, é um sonho, ou acredita que a equipa pode chegar lá? José Couceiro - Não há ninguém que passe rapidamente de uma situação estruturalmente delicada, como é a do Vitória, para uma em que a equipa não tem esse tipo de problemas e que os consegue resolver. Isso não é possível. Não vamos tentar tapar o Sol com a peneira. Uma coisa, é matematicamente ser possível chegar a uma posição melhor. E é. E lutaremos por isso? Obviamente, que sim. Agora, dizer que somos candidatos a… Não, não somos. E, depois não é só pela diferença pontual, é pelo número de equipas que existem. Este campeonato é muito equilibrado. Não se pode mudar rapidamente de objectivos. Nós

Classificação Liga - Jornada 24 Rio Ave-Braga 1-1 Guimarães -Gil Vicente 0-0 Marítimo- Sporting 1-3 Olhanense - Nacional 1-1 Paços Ferreira - Arouca 3-1 Benfica - Académica 3-0 FC Porto - Belenenses 1-0 VITÓRIA-Estoril Hoje, às 20h00 J V E D M-S P Benfica 24 19 4 1 47-15 61 Sporting 24 16 6 2 46-17 54 FC Porto 24 15 4 5 44-18 49 Estoril 23 12 6 5 35-22 42 Nacional 24 8 11 5 33-27 35 Braga 24 9 5 10 34-30 32 Guimarães 24 9 4 11 25-25 31 Marítimo 24 8 6 10 33-39 30 VITÓRIA 23 8 5 10 31-35 29 Académica 24 7 8 9 16-25 29 Rio Ave 24 7 7 10 19-25 28 Gil Vicente 24 7 5 12 21-32 26 P. Ferreira 24 6 4 14 24-45 22 Arouca 24 5 7 12 23-36 22 Olhanense 24 4 6 14 15-38 18 Belenenses 24 3 8 13 12-29 17 Próxima jornada - 30 Março Belenenses-P. Ferreira (sexta-feira, às 20h00); Sporting - Guimarães (sábado, às 20h15); Arouca - VITÓRIA (16h00); Académica-Olhanense (16h00); Estoril-Rio Ave (16h00); Gil Vicente-Marítimo (16h00); Braga-Benfica (17h00); Nacional-FC Porto (19h15).

só temos o Bonfim para treinar e jogar. Não conheço nenhuma equipa que possa jogar para níveis mais elevados com as condições de treinos que temos neste momento. Vamos ter bom senso, equilíbrio. Todos queremos mais, mas não podemos fazer de conta que tudo se revolveu de um dia para o outro. O presidente tem a sua ambição como todos os vitorianos. Uma coisa é nós querermos, de facto, sempre mais, outra é dizer que,

funciona. Sabemos que vai ser um jogo difícil. O Estoril tem sete vitórias fora de casa. O que é fantástico. Neste momento, tem muito mérito pela posição que ocupa e esperamos dificuldades. Mas temos o direito de assumir que repartimos o favoritismo. Acredito que vai ser um jogo interessante. Um bom jogo, porque são duas equipas que jogam para marcar. O Estoril e nós temos mostrado isso. É pena que seja um jogo

"Acredito que vai ser um jogo interessante. Um bom jogo, porque são duas equipas que jogam para marcar. O Estoril e nós temos mostrado isso. neste momento, tempos condições para… E nada tem a ver com a qualidade dos jogadores. Portanto, acho que sim, que deve haver o sonho. Mas tenho que fazer este ponto de equilíbrio, porque o Vitória quando começar o próximo campeonato vai lutar pela manutenção, como primeiro objectivo. Não muda. Como antevê a recepção ao Estoril? Vamos ter dificuldades. Lá está! O Estoril é toda uma estrutura que foi bem montada e estão de parabéns pelo que tem feito. É evidente que quem tem mais destaque são os jogadores, treinadores, mas é toda uma estrutura que

Classificação II Distrital - 2ª Fase -Jornada 3 AD Qtª Conde-V. Gama 2-1 Ch. Caparica-Est. Faralhão 5-3 Ol. Montijo-Moitense 1-0

Ol. Montijo C. Caparica AD Qtª Conde V. Gama Est. Faralhão Moitense

J 3 3 3 3 3 3

V 3 3 2 2 0 0

E D M-S P 0 0 6-1 25 0 2 7-8 21 0 1 7-4 17 0 1 4-3 15 0 2 4-7 11 0 3 2-7 10

Próxima jornada - 30 Março Vasco da Gama-Moitense; Estrelas do Faralhão-AD Quinta do Conde; Ch. Caparica -Ol. Montijo.

realizado a uma segunda feira, à noite. Preferia que fosse domingo, a tarde. Como temos visto, ao domingo, no Bonfim, há outra envolvência. Como encara o futuro, findo o período eleitoral? Espero que haja alguma unidade para que se possa, de facto, independentemente de mim, pensar e trabalhar em corrigir aqueles problemas que o Vitória tem e que não se corrigem de uma ano para o outro. Algumas vezes são necessários anos, mas para isso é preciso que haja alguma união. Em relação à equipa peço que nos apoiem como têm feito e caso haja criticas que façam no final do jogo.

Classificação C.N.S. Subida Sul - Jornada 6 Ferreiras-Pinhalnovense 1-0 Mafra-Sertanense 0-0 Loures-Oriental 0-4 Benfica C.Branco-U. Leiria 5-0

Oriental Sertanense Mafra U. Leiria Benfica C.B. Ferreiras Loures Pinhalnovense

J 6 6 6 6 6 6 6 6

V 4 2 2 3 2 2 2 1

E D M-S P 2 0 10-3 14 3 1 6-4 9 3 1 5-3 9 0 3 8-11 9 2 2 13-5 8 1 3 8-12 7 0 4 6-14 6 1 4 6-10 4

Próxima jornada - 30 Março Sertanense-Loures; U. Leiria-Mafra; Oriental-Ferreiras; Pinhalnovense-Benfica Castelo Branco.

Pinhalnovense cai para último

A

derrota pinhalnovense, registada este domingo, na ronda seis do campeonato, no reduto do Ferreiras, atirou os 'azuis e brancos' para o fundo da classificação do Nacional de Seniores.

Perante este desfecho, o conjunto pinhalnovense, orientado por Luís Manuel, vê cada vez mais longe a ambição de discutir a subida ao segundo patamar do futebol profissional.

[ FOTOS: a-gosto.com

O público ajudou-nos a ter melhor rendimento no Bonfim e precisamos do apoio dos adeptos sempre. O presidente anunciou vontade de criar um centro de treinos. Como encara essa possibilidade? O presidente disse que o centro de treinos não se constrói num ano. Mas temos de melhorar os nossos campos. O da Várzea, provavelmente será dotado de um novo campo sintético a implementar pela autarquia, para a formação, porque o actual já não tem as condições ideais. O Vitoria terá de ser sempre um clube formador. Não há solução. Portanto, é necessário campos para treinar. Se a nossa equipa quer jogar um bom futebol tem de ter um bom campo para jogar e não pode estar todos os dias a pisar o Bonfim. Mas, é evidente que não se faz um centro de treinos de um dia para o outro. Há dificuldades. Há um passivo acumulado muito grande. Há responsabilidades assumidas. O ter conseguido a aprovação do PER é importante e há uma série de situações que não vão permitir que as coisas se resolvam de um dia para o outro. Quem estiver à espera disso vai esperar sentado. Agora, é verdade que o presidente está empenhado em criar essas condições, porque todos percebemos que o Vitória tem de ser um clube formador.

Classificação I Distrital - Jornada 19 Paio Pires- Sesimbra Fabril -M. Caparica Grandolense -U. Banheirense Pescadores - Alcochetense U. Santiago - Arrentela C. Indústria - Amora Almada - Palmelense Alfarim - B. M. Almada J Fabril 19 Alcochetense 19 Amora 19 Almada 19 Grandolense 19 U. Banheirense 19 M. Caparica 19 U. Santiago 19 Alfarim 19 BM Almada 19 Palmelense 19 C. Indústria 19 Arrentela 19 Sesimbra 19 Paio Pires 19 Pescadores 19

V 15 13 13 9 10 9 7 7 6 6 6 5 4 4 3 1

E 1 4 2 9 3 6 6 5 5 5 5 5 3 4 2 3

D 3 2 4 1 6 4 6 7 8 8 8 9 12 12 13 15

M-S 37-13 40-12 42-16 25-14 31-24 27-15 22-23 27-25 20-21 27-30 23-26 22-29 19-44 17-35 21-43 14-44

1-2 3-1 2-2 0-5 1-1 2-3 2-1 1-1 P 46 43 41 36 33 33 27 26 23 23 23 20 15 14 13 6

Próxima jornada - 30 Março M. Caparica-Sesimbra; U. BanheirenseFabril; Alcochetense-Grandolense; Arrentela-Pescadores; Amora-U. Santiago; Palmelense-C. Indústria; BM AlmadaAlmada; Alfarim-Paio Pires.

Duas certezas e um par de dúvidas J

osé Couceiro garantiu que não vai poder contar com o contributo do extremo Zequinha, a contas com uma micro-rotura, na coxa), para o jogo desta noite, a que se junta o avançado Cardozo, a recuperar da lesão no joelho.

No sábado, o treinador admitiu ainda que o central François (entorse) e Tiago Terroso (contratura), poderão estar igualmente de fora do embate com o Estoril, que será arbitrado por Jorge Ferreira, da AF Braga.


14 |

DESPORTO

SEGUNDA-FEIRA 24.MARÇO.2014

Vitória renova com Fernando Oliveira

[ FOTOS: a-gosto.com

Eleições Presidente foi eleito com quase 60 por cento dos votos em noite atribulada. Júlio Adrião trava nova intenção de lutar pelo cargo POR JOAQUIM GUERRA

A noite de sexta-feira renovou a continuidade de Fernando Oliveira como presidente da Direcção do Vitória Futebol Clube. A maioria dos sócios vitorianos, que depositaram os votos nas urnas, confiaram mais três anos de mandato ao dirigente para continuar o seu projecto de gestão. Júlio Adrião, o candidato opositor que foi a votos em nome do Vitória, confessou-se frustrado com o desfecho eleitoral e garantiu que não voltará a lutar pela liderança do clube. Faltavam dois minutos para as 23 horas, quando no pavilhão Antoine Velge, perante mais de meio milhar de associados, quando o presidente da Assembleia-Geral, Frederico Nascimento, depois de felicitar as duas candidaturas e elogiar o comportamento da massa associativa, anunciou os resultados finais do escrutínio. “Num universo de 5785 eleitores, votaram 1989, foram registados 15 votos em branco e quatro nulos. A Lista A obteve 1156 votos e a Lista B 812”. “Honra para todos, vencidos e vencedores”, declarou o dirigente, poucos segundos antes de se ouvir um petardo no in-

terior do pavilhão, rapidamente desvalorizado por Frederico Nascimento. Um sinal de que o prolongamento da noite eleitoral vitoriana não seria tão tranquila quanto o desejado. Júlio Adrião desiludido deixa alerta O candidato da lista opositora, Júlio Adrião, ladeado por elementos da sua candidatura, na bancada do pavilhão, ao contrário do seu adversário, aguardou serenamente pelo anúncio dos resultados. Instado a analisar o desfecho desfavorável, Júlio Adrião confessou-se desiludido. “É uma derrota inesperada e sinto-me frustrado. Depois da campanha que fizemos pensei ter muito mais votos, mas

os sócios são soberanos. Fernando Oliveira é o presidente e desejo boa sorte e que realmente seja um presidente credível. Sou vitoriano e aceito a derrota”, começou por declarar. Júlio Adrião assumiu que há muitas coisas a separá-lo de Fernando Oliveira e lembrou que tinha “um projeto de futuro, mas parece não ter conseguido passar essa mensagem”. “Fernando Oliveira está de parabéns pois consegue manter o clube como quer. O Vitória é que perde e o seu futuro fica comprometido”. Apontou. Ainda antes de sair do local, Júlio Adrião criticou a ausência de Fernando Oliveira. “É inadmissível Fernando Oliveira não ter estado presente no anúncio dos resultados. Não acreditava na sua vitória e

Brancos

Lista B Lista A Nulos

E

Adrião aos órgãos sociais do Vitória Futebol Clube, vem agradecer a todos os associados que acreditaram no nosso projecto, manifestando desde já, que a luta pela transparência e verdade no nosso Clube, só terminará quando alcançados e mantidos

Meio milhar esperou pelo resultado no pavilhão

Fernando Oliveira garante bom caminho O presidente reeleito demorou a aparecer no pavilhão para falar aos sócios. Eram 23h28 quando Fernando Oliveira sur-

Num total de 22093 sócios, o universo de eleitores para estas eleições foi de 5785, mas apenas votaram 1989 vitorianos. A Lista A venceu com 58,1 %. A Lista B recolheu 40,8 %.

Candidatura de Adrião agradece apoios m comunicado, o movimento de apoio à candidatura de Júlio Adrião agradece o apoio demonstrado pelos sócios e garante manter-se atenta à vida do Vitória. Eis a declaração: “O movimento de apoio á candidatura de Júlio

revelou falta de consideração pelos sócios.” Terminada a jornada eleitoral, o médico sadino colocou um travão a nova candidatura. “A minha atividade como sócio do Vitória resume-se, a partir de agora, à condição de adepto. Abdico completamente de voltar a concorrer a qualquer cargo de dirigente. Os sócios não aceitaram o meu projeto e daqui a dois anos, ou menos, terão a verdade e serão confrontados com os problemas para os quais sempre alertei”.

esses objectivos, independentemente das pessoas que o dirigem. Estaremos atentos. O Vitória estará sempre acima de qualquer um de nós. Viva o Vitória”. O movimento de apoio á candidatura de Júlio Adrião

Júlio Adrião pediu liderança vitoriana credível

Fernando Oliveira é presidente do Vitória para mais três anos

giu perante os associados, numa recepção entre vaias e apupos que não foi a melhor demonstração de unidade vitoriana. Visivelmente incomodado com o cenário, o presidente ainda tentou libertar algumas palavras de agradecimento a quem confiou no seu projecto, mas foi aos jornalistas que comentou o momento atribulado e teceu o discurso de vitória. “Estou habituado a estas manifestações, pois já fui jogador. Sabia que isto ia acontecer. Isto foi orquestrado.” Começou por reagir. No que respeita ao triunfo eleitoral, Fernando Oliveira disse que ganhou “com transparência

e seriedade”, e que “esperava uma diferença muito maior”. “É a garantia que estamos no bom caminho e que vamos continuar com o nosso projecto, porque não prometo mais do que consigo cumprir”. Fernando Oliveira não saiu do pavilhão antes de deixar mais uma crítica à oposição. “Percebo a desilusão. Vão ter de esperar mais uma dúzia de anos”. Face ao clima de perturbação instalado, o presidente, que saiu do pavilhão entre um misto de aplausos e vaias, não tomou posse do cargo, evento que será realizado esta terça-feira, às 18 horas, no salão nobre da Câmara Municipal.

Mandatários trocam elogios e alertas

F

ernando Pedrosa (Lista A) e Orlando Barrocas (Lista B) foram os mandatários das duas candidaturas que se apresentaram às eleições. Depois de divulgados os resultados, os dois conhecidos vitorianos trocaram um caloroso cumprimento e algumas palavras, registadas por O Setubalense.

“Felicito-o por esta vitória, que é muito sua. No entanto, não o vou perdoar se as coisas não correrem pelo melhor para o Vitória. Já se enganou uma vez e gostaria que não voltasse a ser enganado”. Disse, envolto num sentimento de respeito e amizade, Orlando Barrocas a Fernando Pedrosa. Mais tarde, e ainda an-

tes de Fernando Oliveira ter surgido no pavilhão, Fernando Pedrosa, reagiu aos resultados. “Tenho para mim que os sócios souberam escolher. Fiquei satisfeito, mas não me congratulo com a derrota de Júlio Adrião, a quem daria todo o apoio se vencesse. Desejo que Fernando Oliveira leve o Vitória pelos bons caminhos”.

Mandatários, Orlando Barrocas e Fernando Pedrosa Decisão eleitoral não evitou contestação


ÚTEIS/ LAZER

SEGUNDA-FEIRA 24.MARÇO.2014

| 15

PASSATEMPOS - SUDOKU Soluções

Cinema FÓRUM MUNICIPAL LUÍSA TODI

1 O CREPÚSCULO DOS DEUSES (SUNSET BOULEVARD) Dia 24 de Março – 21h00

Sinopse:

U

m filme de Billy Wilder, de 1950, exibida no âmbito do ciclo “Lauro António Masterclass”, organizado pela Câmara de Setúbal. A ex-estrela de filmes mudos Norma Desmond vive solitária com o seu fiel empregado Max von Mayerling na sua mansão na famosa Sunset Blvd. A sua vida ganha um novo alento quando o fracassa-

do argumentista Joe Gillis se refugia em sua casa fugindo de dívidas por pagar. Quando Norma descobre que Gillis é um argumentista, resolve mostrar-lhe o rascunho de uma história, pedindo-lhe que a melhore para que Cecil B. DeMille a dirija no papel principal. Com Erich von Stroheim, Gloria Swanson, Nancy Olson e William Holden

Teatro TEATRO DAS BEIRAS

1 “A NOITE ANTES DA FLORESTA”

O

Teatro Estúdio Fontenova apresenta a peça “A noite antes da floresta”, no Teatro das Beiras, na Covilhã, na próxima quinta-feira, espectáculo integrado na digressão 2014 da companhia setubalense. A peça de Bernard-Marie Koltés, apresenta o encontro de dois seres que vagueiam na noite, estrangeiros e marginalizados. Numa esquina de

uma cidade qualquer, um homem que, sem ter para onde ir e completamente ensopado pela chuva, tenta comunicar com outro homem na rua, estabelecer um contacto humano em condições desumanas de sobrevivência. Quem será esse interlocutor? Pode ser o próprio espectador ou ainda um duplo do personagem, um espectro? A interpretação está a cargo de Eduardo Dias.

Travessa Gaspar Agostinho, n.º 1 - 1º andar • 2900-389 Setúbal Redacção Tel. 265 092 633 Serv. Adm. Tel. 265 094 354 • 265 048 405 - Telem. 912 277 601 e-mail: geral@osetubalense.com

TOTOLOTO

EUROMILHÕES

7•30•37•39•42 + 5•7

10•17•25•28•29 + 11

Telefones Úteis

Tempo HOJE

Câmara Municipal de Setúbal 265 541 500

Protecção Civil de Setúbal 800 212 216

Capitania Porto de Setúbal 265 548 270

Protecção à Floresta 177 Táxis 913 201 015 935 910 222 962 012 727

AMANHÃ

CP de Setúbal 265 526 845

TST Setúbal 265 009 721

Céu limpo com poucas nuvens

GNR de Setúbal 265 540 287 Cruz Vermelha Portuguesa 265 522 578 Intoxicações 808 250 143 Piquete Águas do Sado 265 529 800 Piquete EDP 800 506 506 Polícia de Segurança Pública 265 522 022 Polícia Marítima 265 548 275

15º 8º

Céu limpo com algumas nuvens e aguaceiros

17º 11º

Marés LINHA DE EMERGÊNCIA Bombeiros Sapadores de Setúbal 265 522 122 Bombeiros Voluntários 265 523 523 Protecção Civil 265 523 223 Cruz Vermelha Portuguesa 965 394 3910

HOJE Hora

Altura (m)

Hora

Altura (m)

02:00 1.15 08:27 2.74 14:34 1.28 21:03 2.84 AMANHÃ 03:28 09:56 16:06 22:29

1.18 2.73 1.26 2.92

Baixa-Mar Preia-Mar Baixa-Mar Preia-Mar Baixa-Mar Preia-Mar Baixa-Mar Preia-Mar

Título registado na ERC sob o n.º 107552; Propriedade: Carlos Bordallo-Pinheiro; Director: João Abreu - director@osetubalense.com; N.º Registo Legal 8/84; Jornalistas: (Cf. n.º 3 do art.º 14.º do Dec.-Lei n.º 56/2001 de 19/2); Redacção: Tel: 265 092 633; redaccao@osetubalense.com - Vera Mariano - C.P.J. n.º 5213 - vera.mariano@osetubalense.com; Vera Gomes - vera.gomes@osetubalense.com; Colaboradores: Joaquim Guerra (Desporto) C.P.J. 9461 - joaquim.guerra@osetubalanse.com; Fátima Brinca (Região) - C.P.J. n.º 2574 - fatimabrinca@gmail.com; Joaquim Gouveia (Cultura e Reportagem) - C.P.J.TE n.º 644 - quim.gouveia@sapo.pt; Rogério Matos - matosrogerio@ live.com.pt Brissos Lino; Giovanni Licciardello; Departamento Comercial: Mauro Sérgio - mauro.sergio@osetubalense.com; Departamento Administrativo: Tel: 265 094 354 • 912 277 601; Ana Almeida - ana.almeida@ osetubalense.com; Branca Belchior - branca.belchior@osetubalense.com; Cessionário e Editor: Setupress - Soc. Editora, Lda. - Pessoa Colectiva com o n.º 510 965 423 com domicílio na Travessa Gaspar Agostinho n.º 1 - 1º Andar - 2900-389 Setúbal; Gerentes: Carlos Bordallo-Pinheiro; Maria Luisa Bordallo-Pinheiro; José Araujo; Proprietário com mais 10% do capital social: Bordalo Pinheiro, Lda; Tiragem: 5000 ex.; - Fotocomposição e Arte Final: Setupress - Soc. Editora, Lda. - Travessa Gaspar Agostinho n.º 1 - 1º Andar - 2900-389 Setúbal; Impressão: Tipografia Rápida de Setúbal - Travessa Jorge D'Aquino, 7 - 2900-427 Setubal - trapida@bpl.pt


16 |

ÚLTIMA HORA

SEGUNDA-FEIRA 24.MARÇO.2014

LATI comemora 35 anos com desejos de crescimento A

Artur Jordão e Bruno Frazão

Dupla setubalense vence Grande Marcha de Lisboa 2014

[ ROGÉRIO MATOS 

POR ROGÉRIO MATOS

A

Liga dos Amigos da Terceira Idade (LATI) comemorou no passado sábado, os 35 anos “pelos outros”, lema que espelha a missão desta instituição de solidariedade social na comunidade. Sertório Herrera, presidente da direcção da LATI, demonstra orgulho pelo marco histórico atingido e pelo bom encaminhamento do sonho das fundadoras desta IPSS. “A dimensão que a LATI tomou ao longo dos 35 anos de existência faz desta uma das poucas instituições no país com as valências que oferece à população e o trabalho executado no terreno”. Para Ana Clara Birrento, directora do Centro Distrital da Segurança Social a LATI espelha a função ideal duma IPSS, devido ao seu trabalho na comunidade, juntamente com o esforço de todas as pessoas

Sertório Herrera mostrou-se orgulhoso do trabalho da LATI

envolvidas com o objectivo claro de solidariedade social. O papel destas instituições no distrito é salientado pela forma como interagem com a população, mas não só, uma vez que “cerca de 15 mil pessoas são empregadas por IPSS, o que fortalece a coesão social”. Por seu lado, Maria das Dores Meira, presidente da Câmara Municipal de Setúbal, destaca o papel que o Centro Comunitário du Bocage desempenhou para a melhoria das con-

dições sociais do Bairro da Camarinha e envolventes. “Esta instituição de Abril foi criada por gente com uma visão de resolução dos problemas dos outros e implantou-se num espaço outrora degradado e problemático”, esclarece a edil. Para o futuro desta IPSS, dois objectivos são delineados como primordiais para Sertório Herrera, o aumento de valências nos cuidados continuados e a implementação do projecto “Queremos saber de si”. “A unidade de cuidados

continuados é um serviço importantíssimo para a população e no futuro queremos ter participação em todas as valências”, frisa o presidente da direcção do LATI. O projecto “Queremos saber de si” consiste numa prevenção ativa de proximidade dirigida aos idosos na freguesia de São Sebastião. “É necessário saber em que situação se encontra a população mais idosa no local através do contacto directo porta a porta para evitar aquelas notícias de idosos encontrados mortos em casa”, frisa Sertório Herrera. Toda a actividade da LATI é desenvolvida por 146 trabalhadores, com vínculo à Instituição, sendo 130 efectivos e 12 contratados a termo, dos quais 32 são técnicos licenciados, 20 são especializados e 90 são auxiliares diversos. A IPSS conta ainda com 70 prestadores de serviços, entre eles 6 médicos, 14 enfermeiros e 29 professores de Educação Física.

Mil pessoas participaram na caminhada solidária da LATI [ DR 

N

o âmbito das comemorações do 35º aniversário da LATI, a instituição organizou uma caminhada solidária, na qual participaram

Viatura mal travada destrói muro

U

m cidadão romeno terá travado mal a sua viatura tendo esta embatido com violência num muro, na madrugada de domingo, na Rua General Amílcar Mota, em Palmela. O proprietário do veículo, com cerca de 30 anos, reside perto do local onde se deu o acidente e foi presente a tribunal, ficando com termo de identidade e residência. Apesar de ninguém ter ficado ferido, os prejuízos são elevados.

[ DR 

cerca de mil pessoas, entre funcionários, utentes e familiares, além da participação activa da Presidente da Câmara Municipal de Setúbal. Com concentra-

[ DR 

[ DR 

ção junto ao Coreto, às 9h30, os mil participantes percorreram a Baixa da cidade e a Avenida Luísa Todi, até chegarem ao Parque Urbano de Albarquel

local de chegada da caminhada, que terminou pelas 11h00, e onde os caminhantes praticaram uma Aula de Zumba pelo Complexo Desportivo.

Empresário de Palmela morre em acidente

O

empresário Fernando Manuel Gomes Fidalgo, de 51 anos, responsável por uma oficina na Volta da Pedra, em Palmela, foi a vítima mortal do choque em cadeia que envolveu, na passada quinta-feira de manhã, dois veículos pesados e duas viaturas ligeiras, ao quilómetro 626 do IC1, junto à Mimosa, em Santiago do Cacém. O mecânico de Palmela ia a caminho do Algarve, quando a sua viatura ficou esmagada entre os dois veículos pesados. Do aci-

[ DR 

dente resultou ainda um ferido. Fernando Fidalgo, pai da vítima, residente na Baixa de Palmela, profundamente consternado com o que aconteceu, revelou “foi

sempre um condutor muito cauteloso e com muita experiência, pois desloca-se de norte a sul do país para dar assistência a clientes. Esta deslocação a Albufeira foi para dar assistência a um cliente nosso”. Fernando Manuel Gomes Fidalgo deixa órfão um filho de 28 anos e a mulher é uma pessoa com grandes problemas de visão. O corpo de Fernando Manuel Fidalgo foi cremado na tarde de sexta-feira, no Crematório de Quinta do Conde.

dupla setubalense Artur Jordão/Bruno Frazão venceu o grande prémio da Marcha de Lisboa, 2014, com o tema “Lisboa de Fernão”. Não é a primeira vez que autores da nossa cidade vencem na grande capital. Aliás, é a segunda vez que o músico Artur Jordão, conquista tal prémio uma vez que tinha saído vencedor em 2011, em parceria com a poetisa Alexandrina Pereira. Também a dupla Carlos Pinto/José Raposo já haviam arrecadado tal distinção. Por isso estão de parabéns músicos e letristas de Setúbal, que vão dando mostras da sua arte em Lisboa, naquela que será, por ventura, a maior manifestação de marchas populares do país. Daí que este prémio tenha um sabor especial. Para Artur Jordão” é um grande orgulho vencer a marcha de Lisboa. Para além do prestígio é o mérito que fica enaltecido. Não é a primeira vez que venço este concurso. Para mim será sempre uma enorme vitória e o Bruno Frazão, também já merecia este prémio. Ele é um excelente letrista”. O concurso deste ano versava o tema “A peregrinação de Fernão Mendes Pinto” e as composições tinham que respeitar a temática. A letra de Bruno Frazão foi ao encontro das pretensões do município lisboeta e, servida pela hilariante composição musical de Artur Jordão recebeu o voto favorável da maioria do júri. Fica pois esta dupla de autores da nossa cidade de parabéns. É que este ano Lisboa vai voltar a marchar ao ritmo da inspiração de dois setubalenses. Lisboa de Fernão (1º Prémio da G.M. de Lisboa 2014) I Nos mares agitados de uma vida Um “viageiro” de letras universais Faz de Lisboa, cidade vivida Sempre airosa e florida Quando chega aos arraiais Entre Naus, Galeotas viajando Em busca de um mundo encantado Na Índia lá foi deambulando No Oriente encontrando Mais angústias do passado

Refrão: Lisboa de Fernão Será ternura, paixão Que vai na rua a passar Cidade coração Que s’enfeita com um balão Numa marcha Popular Lisboa de Fernão É história é tradição Que ao povo se vai contar Cidade tradição És “Peregrinação” Que Fernão nos quis deixar II Um Tejo que te abraça com ternura És realeza que nos dá tanta paixão São quatrocentos anos de cultura Com mais brio e mais frescura De arquinho e balão E ao passar, o nosso Stº António Cantava com amor e com vaidade A todos deixou seu património Ao som d’um velho harmónio Recordado com saudade Bruno Frazão / Artur Jordão

Jornal O Setubalense  

Edição n.º 12 - 22 de Março de 2014

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you