Page 25

A direita desenvolveu uma criminosa ofensiva contra os direitos dos trabalhadores da Administração Local, produziu um conjunto de leis que visam desvirtuar as autarquias e as suas funções, assim como asfixiaram financeiramente o Poder Local, tanto pela via dos PEC’s no tempo do PS, a nova leia das finanças locais, diversas medidas contidas nos sucessivos Orçamentos do Estado e o roubo às populações de mais de 1000 Freguesias, das quais 22 no distrito de Évora. Em parte desta ofensiva direita contou com o apoio ou o silêncio do PS. 6.5

Extinção de Freguesias

Os eleitos da CDU desenvolveram uma intensa actividade contra esta sinistra lei, que contribuiu para aumentar o isolamento das populações do distrito e afastar o poder das pessoas. A intervenção dos eleitos da CDU é ainda mais dificultada porque no distrito de Évora quem tem expressão eleitoral nas autarquias é a CDU e o PS, como o PS nas questões essenciais da ofensiva faz o frete à direita, a luta mostra-se bem mais complexa. A esta ofensiva responderam os trabalhadores com a luta, para a qual contaram sempre com os eleitos comunistas e dos seus aliados no quadro da CDU. Também as autarquias realizaram diversas acções no distrito contra o roubo das freguesias, contra os ataques ao poder local, encerraram as autarquias, participaram massivamente nas acções nacionais junto á Assembleia da Republica e junto á Presidência da Republica, em todas as lutas em defesa do Poder Local teve no distrito de Évora uma participação massiva. As populações, os trabalhadores, os eleitos das autarquias sempre contaram nestas acções de massas com o apoio do PCP e dos eleitos da CDU, sem o seu esforço e empenho as lutas não teriam tido a dimensão que tiveram. O PCP não se limitou ao protesto, avançou na Assembleia da Republica e nos diversos órgãos autárquicos com propostas, propostas que sempre tiveram o voto contra da direita e em muitos momentos o do PS. Contudo nunca desistimos e foi assim que em 2013 por iniciativa dos eleitos da CDU todos os trabalhadores das autarquias receberam em, Junho o subsidio de ferias quando o governo se preparava para deslocalizar o mesmo para Novembro, foi por iniciativa dos eleitos da CDU que se encontrou um caminho para evitar a aplicação das 40 horas e lutar pela manutenção das 35 horas. Estamos perante uma continuada ofensiva ideológica muito forte, um anticomunismo primário, que por vezes tem criado ilusões em alguns sectores e tem dificultado um crescimento eleitoral ao PCP e CDU que contribua de forma mais célere para ruptura e mudança, por uma politica patriótica e de esquerda.

O DISTRITO DE ÉVORA HOJE

25

Resolução Política  

8ª Assembleia da Organização Regional de Évora do PCP

Resolução Política  

8ª Assembleia da Organização Regional de Évora do PCP

Advertisement