Issuu on Google+

Especialidade: Acarologia Fabrício Augusto Miranda Graciano1; Miguel Michereff Filho2; Manoel Guedes Corrêa Gondim Jr.3; Denise Navia Magalhães Ferreira4; Ana Maria Resende Junqueira1; Ronaldo Setti de Liz2; Elenice Alves Barboza1; Micaela Souza Ferreira1

1 FAV-Agronomia (UnB) 2 Embrapa Hortaliças (CNPH) 3 Depto. Agronomia (UFRPE) 4 Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (CENARGEN)

ÁCAROS PHYTOSEIIDAE (ACARI: MESOSTIGMATA) CULTURA DO MORANGUEIRO NO DISTRITO FEDERAL

ASSOCIADOS

À

Os ácaros predadores, especialmente aqueles da família Phytoseiidae, desempenham importante papel no controle biológico de ácaros fitófagos em diversos agroecossistemas. Entretanto, existem relativamente poucos estudos relacionados com fitoseídeos no Cerrado brasileiro. Este trabalho teve como objetivos identificar as espécies de ácaros predadores da família Phytoseiidae e estudar sua flutuação populacional em morangueiros no Distrito Federal. O estudo foi realizado entre abril e dezembro de 2009, envolvendo 10 áreas comerciais de morangueiro sob diferentes condições de manejo. Foram coletados aleatoriamente 2.000 folíolos por cultivo e a extração dos ácaros foi efetuada sob microscópio estereoscópico com aumento de 40x. Foram examinados 1.936 exemplares e identificadas sete espécies, sendo <i>Euseius citrifolius</i>, <i>E. concordis</i>, <i>Euseius sibelius</i>, <i>Metaseiulus</i> sp., <i>Neoseiulus californicus</i>, <i>N. idaeus</i> e <i>Phytoseiulus macropilis</i>. Os predadores mais abundantes foram <i>N. californicus</i> (81,5% dos indivíduos) e <i>P. macropilis</i> (13,0%), os quais ocorreram em 60% e 40% das áreas amostradas, respectivamente. O cultivo orgânico apresentou a maior riqueza de espécies (5 spp.), porém, os predadores ocorreram em baixas densidades populacionais. Constatou-se situação oposta nos cultivos convencionais, onde foram encontradas no máximo duas espécies de predadores coexistindo, sendo mais frequentes e abundantes em áreas com uso menos intensivo de acaricidas. Os picos populacionais dos ácaros predadores ocorreram entre os meses de julho e outubro, com 0,1 a 0,6 ácaros/folíolo. A densidade populacional dos fitoseídeos foi correlacionada positivamente com infestação do ácaro rajado, <i>Tetranychus urticae</i>; entretanto, os resultados não evidenciaram a eficiência desses ácaros predadores no controle da praga em cultivos de morangueiro nas condições do Cerrado. Palavras-chave: Controle biológico, ácaros predadores, Cerrado Apoio financeiro: CDTOrg/CNPq; Embrapa (Macroprograma 1-Orgânicos)


Ácaros phytoseiidae associados à cultura do morangueiro no distrito federal