Page 5

Sexta-feira, 23 de maio 2014

MANDIRITUBA

5

Câmara de Mandirituba precisa de reforma Da Redação

D

e muito tempo, a Câmara de Vereadores de Mandirituba precisa ser reformada, já que o prédio apresenta rachaduras nas paredes, infiltrações no forro, banheiros interditados. O plenário vive lotado nas sessões e a maioria do público assiste as reuniões em pé ou fica do lado de fora. Além destes problemas, o deficiente não tem acesso aos encontros

dos vereadores, já que a sala fica no segundo pavimento e não existe uma rampa de acesso ou elevador. “A reforma se tornou uma necessidade”, defende o presidente Celso Luiz Machado, o Celso Batata, acrescentando sobre a possibilidade de executar uma reforma no prédio da Câmara tendo em vista que, em algumas sessões, o Plenário tem ficado superlotado e o público presente tem que acompanhar

as sessões do lado de fora, de forma improvisada, por falta de espaço. A reportagem de O Repórter procurou o presidente Celso Batata para saber mais detalhes sobre o assunto. Questionado sobre suas idéias em relação à reforma, o vereador disse que essa é uma questão que já vem sendo discutida há algum tempo. “Desde o início desse mandato nós, da Mesa Diretora,

já tínhamos cogitado a reforma desse prédio, que não é nosso, é da população. Eu sempre digo que a reforma do prédio da Câmara é urgente, uma construção antiga, um patrimônio da cidade e, como nós estamos usando, nada mais justo que darmos a devida manutenção, tanto na parte externa quanto na parte interna, uma vez que temos dificuldade na questão da acessibilidade. Hoje, uma pessoa

com deficiência de mobilidade não tem acesso ao Plenário já que não temos elevadores nem rampas para cadeirantes”. O vereador levantou um outro assunto pertinente: “O que nós da Mesa Diretora sempre defendemos é que façamos a construção do novo espaço para a Câmara Municipal, que é a Casa do povo, temos visto que em várias sessões, onde tem um número maior de participantes, o povo

fica do lado de fora porque o espaço do plenário cabe cerca de 30 pessoas. Já temos um orçamento para a reforma, que vai custar aproximadamente R$ 190 mil. Entretanto, antes de iniciarmos o processo de restauração, temos que encontrar um outro local para promovermos as reuniões semanais”, defende Celso, afirmando que a reforma deve durar aproximadamente 3 meses.

O Reporter nº190  

O Reporter nº190

Advertisement