Page 1

Nosso dízimo é uma ponte maravilhosa que nos leva aos irmãos e traz os irmãos até nós

242 suplemento especial

CF 2014

Tema: ‘‘Fraternidade e Tráfico Humano’’ Lema: ‘‘É para a liberdade que Deus nos libertou’’ (Gl 5,1)


Dízimo e ofertas segundo Jesus Cristo Jesus não aboliu o dízimo e as ofertas, mas ensinou o verdadeiro espírito e a maneira certa de praticá-los. Ele ensinou a fazer as ofertas de coração limpo e dar o dízimo de boa vontade. O que é que ele disse? Em relação às ofertas: “Se estiveres diante do altar para fazer a tua oferta e te lembrares que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa lá tua oferta e vai primeiro reconciliar-te com ele. Só, então, vem fazer a tua oferta” (Mt 5, 23). Para Jesus, então, fazer ofertas faz parte da vida de todos. Mas para que as ofertas, as doações agradem a Deus, devemos viver de bem com todos, cumprir direito nossos compromissos de família e de sociedade. Em relação ao dízimo e a outras obrigações, os doutores da Lei e os fariseus eram muito finórios. Davam o dízimo até da hortelã, do endro, e de outras ervas. Mas eles faziam isto apenas para estarem em dia com as leis, não por amor a Deus, e deixavam de cumprir a justiça, a misericórdia, a fidelidade. Então Jesus diz claramente: é necessário praticar estas coisas, como o dízimo, sem deixar de praticar as outras coisas (Mt 23, 23-24; Lc11, 42). Portanto, Cristo confirma a prática do dízimo. Mas ele ensina a dá-lo de boa vontade, com generosidade, não para evitar que alguém nos acuse de alguma falta. Seria como o motorista que usa cinto de segurança ou segue qualquer outra lei de trânsito apenas para não ser multado e levar pontos na carteira, quando deveria segui-las para proteger sua vida e a dos outros.

.

A comunidade dos seguidores de Jesus que se organizou depois de sua morte e ressurreição, com a força do Espírito Santo em Pentecostes, viveu uma experiência ideal de comunhão filial com Deus e fraterna entre eles. Aquilo que se diz deles, no Livro dos Atos dos Apóstolos, sobre a vida e as atividades da Igreja de Jesus, serve de modelo para nós. O que o Livro diz? Espaço da Paróquia

– Viviam unidos e tinham tudo em comum... Dividiam seus bens conforme as necessidades de cada um. Não havia necessitados entre eles. Unidos de coração, frequentavam todos os dias o Templo. Partiam o pão nas casas e tomavam a comida com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e cativando a simpatia de todo o povo (At 2, 42-47; At 4, 32-35). Claro, esta situação mudou muito. A comunidade de Jerusalém foi perseguida. Passou necessidade e, por isso, São Paulo exortava outras comunidades a fazerem uma coleta de doações para socorrer a de Jerusalém (II Cor 8,115). Mais tarde, quando esfriou o fervor nas comunidades, a Igreja precisou adotar um sistema de taxas para garantir os recursos para suas atividades. Assim, havia, e em alguns lugares ainda há, taxa para o batismo, a crisma, o casamento... Foram introduzidas mensalidades e/ou anuidades. As festas comunitárias que deviam ser momentos de confraternização passaram a ser promoções quase só em vista de arrumar dinheiro para as despesas paroquiais. Como estas despesas aumentam sempre mais e surgiram tantas outras formas de diversão, recorre-se a bailes, matinés e outras promoções que tenham retorno. Muitas vezes estas iniciativas acabam criando situações que prejudicam o próprio trabalho da Igreja. Ela trabalha pela união da família, pela harmonia de todos, mas o consumo de álcool nas festas favorece a dependência da bebida, leva a brigas e a outros problemas. Por isso, desde 1973, a partir do Concílio Vaticano II, realizado de 1962 a 1965, a Igreja no Brasil vem trabalhando para reintroduzir o verdadeiro sentido do dízimo e das ofertas. Por meio deles, a Igreja pode ter os recursos para sua missão. Então, por exemplo, as festas poderão ser feitas sem bebidas alcoólicas. Padres da Área Pastoral - Diocese de Erexim (RS) Dízimo 2014, nossa revista-calen-

dário, também este ano terá sua edição africana, em Moçambique. Mas também a Guiné-Bissau está querendo introduzir o sistema de dízimo em sua Igreja, e divulgá-lo por intermédio de nossa revista/ calendário. É uma satisfação ver nosso trabalho divulgando a Pastoral do Dízimo e ajudando em sua implantação no mundo da língua portuguesa. Capa: O Dízimo é, realmente, uma maravilhosa ponte que nos leva aos irmãos, e traz os irmãos até nós. Nunca esqueçamos a alegria desse encontro.


Uvas, tantas uvas. Muita uva e pouca parra, contrariando o provérbio; uvas amarelinhas, prontas para serem colhidas, pisadas mosto, vinho – o verdinho, o tinto, o branco e o rosé – alegria das gentes, dos que sabem beber e dos que só sabem embebedar-se, e perder-se nele, dos que ficam alegres e vivem a alegria e dos que só dizem e fazem tolices provocadas, não pelo vinho, inocente, mas pelo seu excesso, pela bebida sem medida.

Vinho que alegrou Noé, inocente na descoberta. Vinho do primeiro milagre de Jesus num casamento, vinho bom e abundante, - seiscentos litros para que não faltasse alegria na festa. Vinho que, no altar da missa, se torna alimento espiritual para quem tem fé; nos leva à Ceia de Jesus convidando-nos (ou mandando-nos!) “Fazei isto em memória de mim”, para nunca esquecermos quem tanto nos amou. Tanto? Totalmente. Até ao fim.

2014

JANEIRO

D S

T

5 6 7 12 13 14 19 20 21 26 27 28

Q 1 8 15 22 29

Q 2 9 16 23 30

S 3 10 17 24 31

S D 4 11 2 18 9 25 16 23

Lc 2, 16-21

Jo 1, 19-28

Jo 1, 29-34

Jo 1, 35-42

É honra e dever para os cristãos retribuir a Deus parte dos bens que Dele receberam (Concílio Vaticano II) FEVEREIRO

S

T

Q

Q

S

S 1 7 8 14 15 21 22 28 Mc 4, 35-41

3 4 5 6 10 11 12 13 17 18 19 20 24 25 26 27

Mt 2, 1-12

Mt 4,12-17.23

Mc 6, 34-44

Mc 6, 45-52

Lc 4, 14-22a

Lc 5, 12-16

Jo 3, 22-30

Lc 2, 22-40

Mc 5, 1-20

Mc 5, 21-43

Mc 6, 1-6

Mc 6, 7-13

Mc 6, 14-29

Mc 6, 30-34

Mt 3, 13-17

Mc 1, 14-20

Mc 1, 21-28

Mc 1, 29-39

Mc 1, 40-45

Mc 2, 1-12

Mc 2, 13-17

Mt 5, 13-16

Mc 6, 53-56

Mc 7, 1-13

Mc 7, 14-23

Mc 7, 24-30

Mc 7, 31-37

Mc 8, 1-10

Jo 1, 29-34

Mc 2, 18-22

Mc 2, 23-28

Mc 3, 1-6

Mc 3, 7-12

Mc 3, 13-19

Mc 16, 15-18

Mt 5, 17-37

Mc 8, 11-13

Mc 8, 14-21

Mc 8, 22-26

Mc 8, 27-33

Mc 8, 34.9, 1

Mt 6, 1-6.16-18

Mt 4, 12-23

Mc 3, 22-30

Mc 3, 31-35

Mc 4, 1-20

Mc 4, 21-25

Mc 4, 26-34

Mt 5, 38-48

Mc 9, 14-29

Mc 9, 30-37

Mc 9, 38-40

Mc 9, 41-50

Mc 10, 1-12

01 - 08:14h lua nova 08 - 00:39h crescente 16 - 01:52h lua cheia 24 - 02:19h minguante 30 - 18:39h lua nova

1 - Confraternização Universal 5 - Epifania Lembretes do mês .................................................... ................................................................................... ................................................................................... ...................................................................................

11 - N. Senhora de Lourdes

Lembretes do mês .................................................... ................................................................................... ................................................................................... ...................................................................................

06 - 16:22h crescente 14 - 20:53h lua cheia 22 - 14:15h minguante


Janeiro/Fevereiro

Os mais lindos cumprimentos entre os povos

Pôr do sol no mar de Angra O adeus de todos os dias com retorno de todos os dias: o sol que cai de um lado e se levanta do outro lado para iluminar e aquecer todo o ser vivo da outra face da terra. Eles já esperam, sabem que chega, e com ele a luz, o calor, a vida. E nós também lhe dizemos, apenas, até amanhã, amigo! Trarás mais um dia de vida e felicidade. Sol, sempre se pondo de um lado, sempre nascendo de outro. Sol, vida para a vida criado pelo Senhor da Vida.

Índios Tupi = “Anauê!” ou seja, “você é meu irmão” Índios Maia = “Eu sou outro você” Indianos = “Namasté!” ou seja, “O Deus que está em mim saúda o Deus que está em ti” Africanos = “Axé!” ou seja, “Paz e felicidade” Hebreus = “Shalon!” ou seja, “Paz” Turcos = “Que tua sombra não diminua” Chineses = “Já comeste o teu arroz? Fez-te bem?”

“Obrigado Sol, que todos os dias me lembras que os homens de todo o mundo são meus irmãos”. (Fernando Pessoa) O DÍZIMO AJUDA A FORMAÇÃO DA COMUNIDADE Os bispos do Brasil, em sua 51ª Assembleia Geral, estudaram o futuro das nossas paróquias, falando da paróquia como “comunidade de comunidades”. A paróquia é uma “rede de comunidades”. A Igreja é a grande comunidade dos seguidores de Jesus Cristo. É a comunidade dos fiéis. O próprio Jesus formou a primeira comunidade com os doze que caminhavam com ele. Após Pentecostes, aparece a comunidade de Jerusalém, da qual o livro dos Atos nos apresenta vários retratos. Aparece em seguida a comunidade de Antioquia, e tantas outras que vão se formando ao redor de cada apóstolo e missionário. Hoje, a palavra comunidade é a que mais recorre quando se fala de Igreja, a partir das numerosíssimas comunidades de base. Cada um de nós, membro da Igreja, está inserido numa comunidade. Mas o que é uma comunidade? O que faz com que um grupo de pessoas ou de famílias seja uma comunidade?

Comunidade é vida em comum. As primeiras comunidades cristãs colocavam tudo em comum, até os seus bens materiais. Exageraram. Não deu certo. As nossas comunidades de Igreja, logicamente, existem quando os seus membros colocam em comum pelo menos parte de si, dos seus talentos, do seu tempo e dos seus bens. Não existe comunidade quando não se coloca nada em comum, nem que seja a mínima parte dos nossos bens. As comunidades religiosas – congregações – existem em função da vida comunitária dos seus membros, mas desligados de outra família particular. Dízimo para o cristão significa colocar parte dos seus bens a serviço da comunidade, como sinal de pertença e de compromisso com a mesma. É neste sentido que o dízimo é fundamental para a comunidade cristã acontecer.

Domenico Rossi - MEAC - Dias d’Ávila - BA

É dízimo de verdade a partilha que coloca Cristo na vida de sua comunidade Ria de graça!

A TURMA DO ZEZINHO 100% Dupla personalidade

O Dízimo explicado às crianças em 32 páginas, com uma história em quadrinhos. Fácil de ler e entender. É fácil também de explicar, especialmente se a catequista tiver em mãos o livrinho “100% Zezinho, partilhando a vida”. Prevê um mês de catequese sobre Dízimo. É de pequenino que o cristão se conscientiza da importância do dízimo e da partilha na comunidade.

– Doutor, agradeço por me ter curado da dupla personalidade, mas continuo sofrendo. – Mas de quê, agora? – Sinto muita solidão...

Marido bom e franco

. .

– Querido, está gostando do meu espaguete? Fiz com todo o carinho. – Benzinho, seu eu lhe disser que estou gostando, promete nunca mais fazer?

Coisas de televisão

O apresentador, entrevistando um velhinho de 100 anos ainda em forma: – A que o senhor deve o fato de ter chegado aos 100 anos? – Ao fato de ter nascido em 1914.

É verdade Os muros dos cemitérios são uma despesa inútil já que, quem está dentro não pode sair, e quem está fora não quer entrar (Mark Twain)


Um rosto para Cristo Um rosto de Cristo diferente, pouco familiar, uma original aposta no rosto de Cristo, crucificado, mas de olhos bem abertos, sério, mas terno, sem marcas de sangue mas manifestando toda a dor. O escultor do Crucificado assim o concebeu na parede dourada do painel atrás do altar do novo templo da Santíssima Trindade, em Fátima. Podemos não gostar, mas é original, talvez mais próximo de Jesus de Nazaré, como sugere a arte bizantina. É Jesus, o Salvador, decidido a cumprir a vontade do Pai, comprometido com a salvação de todos os homens, submetido a Deus até a morte. Homem de ação, de jeito forte, que grita “Pai, em tuas mãos...” E como é bom, mesmo nos sofrimentos, estar nas mãos do Pai! Sublime lição!

Antes de falar escute antes de escrever pense antes de gastar ganhe antes de julgar espere antes de orar peça perdão antes de desistir tente mais um a vez.

.

Sejamos senhores de nossa língua para não sermos escravos de nossas palavras.

Nosso dízimo é prova de nossa fé e de nosso amor a Deus e ao próximo

D S

T

ABRIL

2014

MARÇO

Q

Q

S

S D S T 1 1 8 6 7 8 15 13 14 15 22 20 21 22 29 27 28 29

Mt 10, 13-16

2 3 4 5 6 7 9 10 11 12 13 14 16 17 18 19 20 21 23 24 30 31 25 26 27 28

Q 2 9 16 23 30

Q 3 10 17 24

S 4 11 18 25

S 5 12 19 26

Jo 5, 1-16

Jo 5, 17-30

Jo 5, 31-47

Jo 7, 1-2.10.25

Jo 7, 40-53

Jo 8, 31-42

Jo 8, 51-59

Jo 10, 31-42

Jo 11, 45-56

Mt 6, 24-34

Mc 10, 17-27

Mc 10, 28-31

Mt 6, 1-6.16-18

Lc 9, 22-25

Mt 9, 14-15

Lc 5, 27-32

Jo 11, 1-45

Jo 8, 1-11

Jo 8, 21-30

Mc 4, 1-11

Mt 25, 31-46

Mt 6, 7-15

Lc 11, 29-32

Mt 7, 7-12

Mt 5, 20-26

Mt 5, 43-48

Mt 26,14-27

Jo 12, 1-11

Jo 13, 21-33.36 Mt 26, 14-25

Jo 13, 1-15

Jo 8, 1-19.42

Mt 28, 1-10

Mt 17, 1-9

Lc 6, 36-38

Mt 23, 1-12

Mt 1,16.18-21.24a Lc 16, 19-31

Mt 16, 13-19

Lc 15, 1-3.11-32

Jo 20, 1-9

Mt 28, 8-15

Jo 20, 11-18

Lc 24, 13-35

Lc 24, 35-48

Mc 16, 15-20

Mc 16, 9-15

Jo 4, 5-42

Lc 4, 24-30

Lc 1, 26-38

Mt 5, 17-19

Mc 12, 28b-34

Lc 18, 9-14

Jo 20, 19-31

Jo 3, 1-8

Jo 3, 7b-15

Jo 3, 16-21

01 - 05:00h lua nova 08 - 10:27h crescente 16 - 14:08h lua cheia 23 - 22:46h minguante 30 - 15:45h lua nova

Lc 11, 14-23

5 - Cinzas 19 - São José Lembretes do mês .................................................... ................................................................................... ............................................................... 30 - Jo 9, 1-41 31 - Jo 4, 43-54 ...............................................................

13 - Ramos 20 - Páscoa 18 - Sexta-feira Santa 21 - Tiradentes Lembretes do mês .................................................... ................................................................................... ................................................................................... ...................................................................................

07 - 05:31h crescente 15 - 04:42h lua cheia 22 - 04:52h minguante 29 - 03:14h lua nova


Março/Abril Vocês chamam-me de Redentor e não me deixam remir-vos;

A poesia da paz

Vocês chamam-me de Luz e não querem ver-me;

O prado, o lago, as aves na grama, o sol aquecendo o ar e a terra, dando vida ao parque, as conversas baixinhas dos namorados, o chilrear dos passarinhos, o cicio das folhas levemente agitadas por uma brisa mansa.

Vocês chamam-me de Caminho e não me seguem; Vocês chamam-me de Vida e não me procuram; Vocês chamam-me de Senhor e não me servem; Vocês chamam-me de Sabedoria e não me perguntam; Vocês chamam-me de Mestre e não creem no que digo; Vocês chamam-me de Onipotente e não confiam em mim;

Podemos reviver o Éden que Deus deu ao homem se levantarmos os olhos ao céu e abrirmos o coração aos irmãos todos da terra.

Se um dia não vos reconhecer, não se admirem! (Inscrição na Catedral de Lubeca = Lublin, na Polônia)

DÍZIMO É ABRIR O CORAÇÃO AO SENHOR Lembramos uma bela palavra do Papa João Paulo II, na sua primeira carta dirigida a toda a humanidade, bem no começo do seu ministério: “ABRI AS PORTAS AO SALVADOR”. São palavras sempre atuais. Precisamos abrir as portas do coração para acolher Jesus, que quer entrar e estar em nós, que quer nos transformar com a força da sua Palavra e a ação do Espírito Santo. Dízimo não é questão de dinheiro: medir quanto devemos dar, perguntar qual a finalidade do dinheiro arrecadado pela Igreja. Dízimo é questão de conversão, é mudança de coração, é deixar-se penetrar pelo espírito de Deus, para podermos entender o que é ser cristão, o que significa ser

Igreja e qual o meu compromisso com a comunidade a que pertenço, qual a minha vocação e a minha missão dentro da Igreja. Abrir a porta do coração para Jesus Cristo significa entender a ordem do Senhor, quando diz: “Buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça, e tudo o mais vos será dado, por acréscimo”. (...) O meu dízimo é colocar minha vida, meus talentos, meu tempo e meus bens a serviço de Deus em primeiro lugar. Dentro desta visão evangélica, seremos capazes de compreender a dimensão religiosa, social e missionária da Igreja, e do nosso dízimo também. Marilene Rossi - MEAC - Dias d’Ávila - BA

Vamos ajudar nossa Igreja a eliminar as taxas ligadas a alguns sacramentos, tornando-nos dizimistas conscientes e generosos frente

verso

Ria de graça!

R$ 15,00 o pacote com 100 ex. Lembrança, estímulo para o mês do dízimo

Casal exemplar – Estamos casados há cinco anos e o Osvaldo e eu nunca brigamos: sempre que estou com a razão ele aceita minha decisão. – E quando é ele que está com a razão? – Não sei, isso nunca aconteceu!

. .

Impondo respeito desde o início – Senhorita, de quem herdou esses seus lindos olhos azuis, de sua mãe? – Não, de meu pai, que é campeão de luta livre! – Por que a mulher do viúvo não pode casar com o cunhado? – Porque ela está morta.

Se alguém me ofender, procurarei erguer tão alto a minha alma que a ofensa não me atingirá. (Charles Dickens)

.

Quem não compreende um olhar, tampouco compreenderá uma longa explicação (Mário Quintana)


Nossa Senhora na arte barroca Roupas de dama da nobreza, filho com ares de príncipe, ao colo da senhora mãe. É a Senhora medieval, em que a honra estava na beleza, na ostentação, na “casta social”: coroa na cabeça – rainha do céu e da terra – colocada em palácio, senhora de poder e majestade. Os cristãos daquele tempo também sabiam que Maria de Nazaré era mulher humilde, de hábitos simples de roupas modestas - cozinheira, lavadeira, arrumadeira, costureira – com dois homens para cuidar, para lhe dar trabalho, preocupação, com temor pelo futuro. O cristão medieval prestava-lhe homenagem tratando-a como rainha – que deveras era – mas rainha de bondade, ternura, apoio, mas serva do Senhor, mulher de fé, virgem das dores. Mãe amorosa, próxima, sem trono nem coroa, que continuamente nos mostra Jesus, pequenino e grande irmão.

D S

JUNHO

2014

MAIO

T Q

4 5 6 7 11 12 13 14 18 19 20 21 25 26 27 28

Q 1 8 15 22 29

S 2 9 16 23 30

Dízimo é consagrado a Deus é oferecido a Deus para a manutenção de seu culto, de seus ministros, de seus filhos necessitados. É para o crescimento de seu Reino no mundo, no coração dos homens

S D S 3 1 2 10 8 9 17 15 16 24 22 23 31 29 30

T 3 10 17 24

Q 4 11 18 25

Q 5 12 19 26

S 6 13 20 27

S 7 14 21 28

Jo 20, 19-31

Jo 6, 1-15

Jo 14, 6-14

Mt 28, 16-20 Jo 16, 29-33

Jo 17, 1-11a

Jo 17, 11b-19

Jo 17, 20-26

Jo 21, 15-19

Jo 21, 20-25

Lc 24, 13-35

Jo 6, 22-29

Jo 6, 30-35

Jo 6, 35-40

Jo 6, 44-51

Jo 6, 52-59

Jo 6, 60-69

Jo 20, 19-23

Lc 7, 11-17

Mc 8, 14-21

Mc 10, 7-13

Mc 8, 27-33

Mc 8, 34.9,1

Mc 9, 2-13

Jo 10, 1-10

Jo 10, 1-10

Jo 10, 22-30

Jo 15, 9-17

Jo 13, 16-20

Jo 14, 1-6

Jo 14, 7-14

Jo 3, 16-18

Mc 9, 14-29

Mc 9, 30-37

Mc 9, 38-40

Jo 6, 51-58

Mc 10, 1-12

Mc 10, 13-16

Jo 14, 1-12

Jo 14, 21-26

Jo 14, 27-31a

Jo 15, 1-8

Jo 15, 9-11

Jo 15, 12-17

Jo 15, 18-21

Mt 10, 26-33 Mt 7, 1-5

Lc 1, 57-66.80 Mt 7, 15-20

Mt 7, 21-29

Mt 11, 25-30

Mt 5, 33-37

Jo 14, 15-21

Jo 15, 26.16, 4a Jo 16, 5-11

Jo 16, 12-15

Jo 16, 16-20

Jo 16, 20-23a

Lc 1, 39-56

Mt 16, 13-19

07 - 00:15h crescente 14 - 16:16h lua cheia 21 - 09:59h minguante 28 - 15:40h lua nova

1 - Dia do Trabalho 11 - Dia das Mães Lembretes do mês .................................................... ................................................................................... ................................................................................... ...................................................................................

Mt 8, 18-22

1 - Cel. Ascensão 19 - Corpus Christi 8 - Pentecostes 27 - Coração de Jesus Lembretes do mês .................................................... ................................................................................... ................................................................................... ...................................................................................

05 - 17:39h crescente 13 - 01:11h lua cheia 19 - 15:39h minguante 27 - 05:08h lua nova


Maio/Junho Mãe para sempre Porque Deus permite que as mães vão embora? Mãe não tem limite, é tempo sem hora, luz que não apaga quando sopra o vento e a chuva desaba. Veludo escondido na pele enrugada. Água pura, ar puro puro pensamento. Morrer, acontece com o que é breve e passa sem deixar vestígio. Mãe, na sua graça é a eternidade. Por que Deus se lembra – mistério profundo – de tirá-las um dia? Fosse eu Rei do Mundo, baixava uma lei: “Mãe não morre nunca”! Mãe ficará para sempre junto a seu filho, e ele, velho embora, será sempre pequenino, feito grão de milho. Carlos Drumond de Andrade

Contribuir com o Dízimo na comunidade, alegremente, é uma maneira de manifestarmos a Deus Pai nossa gratidão de filhos

Bênção O Senhor Deus te conceda a serenidade das montanhas, o frescor das águas, a leveza da brisa, a luminosidade do sol, a ternura da lua e a Paz do infinito. O Senhor esteja atrás de ti para te proteger, ao teu lado para te acompanhar, dentro de ti para te consolar, à tua frente para te guiar, e acima de ti para te abençoar. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém

DÍZIMO É COMPROMISSO Muitos se dizem cristãos ou católicos só porque frequentam a Missa aos domingos ou em algumas ocasiões, alimentam algumas devoções, participam de alguns eventos promovidos pela paróquia, vez ou outra colaboram com alguma atividade da comunidade. Tudo isto é bom, mas só isto é pouco para justificar o nome de cristão, membro da Igreja de Jesus Cristo. É preciso comprometer-se com a Igreja, com a paróquia ou a comunidade da qual se participa. É preciso sentirse responsável por ela e sentir como próprias as necessidades da Igreja. Pouco importa o nome que damos. Em lugar de “dízimo” poderíamos usar centésimo ou outro nome, outra ex-

pressão de linguagem. O importante é o cristão se comprometer com a sua Igreja, para que a sua fé não permaneça vazia, abstrata. A Igreja prefere usar a palavra “dízimo” porque é uma palavra consagrada pela Bíblia, pela experiência do povo de Deus. Mas poderíamos também chamar de partilha, solidariedade ou até de tributo sagrado. O que importa é que o cristão seja comprometido. É isto o que o dízimo faz. Por isso dízimo é uma pastoral: pastoral que leva o cristão a comprometer-se com a sua Igreja.

Manual Mínimo do Católico Consciente

Domenico Rossi - MEAC - Dias d’Ávila - BA

Ria de graça! O jornalista, de nariz empinado, chega à localidade rural e pergunta ao primeiro capiau que encontra: – Senhor, já nasceu algum homem grande neste lugar? – Não, meu senhor, aqui nascemos todos pequeninos!

Em 48 páginas, o Prof. Marques colocou os conhecimentos mínimos que o católico deve possuir para ter consciência de seu batismo, de sua vida espiritual, de sua vida na comunidade cristã. Publicação bastante sintética: extrai o mais importante, o essencial da doutrina cristã, de modo que todos possam captar e incorporar seu conteúdo.

. .

O senhor entra em casa e vê a empregada tomando seu licor. – Que surpresa a minha, dona Josefa, você... – Surpresa a minha também. A esta hora o senhor sempre está no trabalho! O médico ginecologista com o resultado de um exame na mão: – Senhora, tenho boas notícias... – Senhora, não, senhorita... – Nesse caso, senhorita, não tenho boas notícias...

Bem dito!

R$ 3,00

“A prosperidade de alguns homens públicos do Brasil é uma prova evidente de que eles vêm lutando pelo progresso de nosso subdesenvolvimento”. (Stanislaw Ponte Preta)


9

Lava-me por inteiro Lava-me, não só os pés, mas todo o corpo, lava-me por inteiro, lava-me primeiro a alma, como lavaste a da samaritana à beira do poço com água viva – que és tu – Eu sei que devo servir porque tu serviste, eu sei que devo lavar os pés do próximo cansado, faminto, roto. Eu vou tentar, mas não sou água viva que mata a sede de Deus, que nos sacia de Deus, que nos faz esquecer tudo para gritar: “Eu vi o Messias... Eu sinto a salvação que ele me ofereceu e trago dentro de mim”. Eu quero ser a samaritana à beira do poço, eu quero beber a água viva, eu quero sair gritando que encontrei o Salvador. Tu, só tu operas a conversão, de todos os samaritanos da vida.

Lava-me os pés e não só os pés

O amor a Deus e o amor ao próximo são a alma do Dízimo, sua razão de ser JULHO AGOSTO 2014

D S 6 7 13 14 20 21 27 28 Mt 11, 25-30 Mt 9, 18-26

T 1 8 15 22 29

S 4 11 18 25

S D S 5 12 3 4 19 10 11 26 17 18 24 31 25

T

Q

Q

S 1 8 15 22 29

S 2 9 16 23 30

Mt 8, 28-34

Jo 20, 24-29

Mt 9, 9-13

Mt 9, 14-17

Mt 9, 32-38

Mt 10, 1-7

Mt 10, 7-15

Mt 10, 16-23

Mt 10, 24-33

Mt 14, 13-21 Mt 14, 22-36

Mt 15, 1-2.10-14 Mt 17, 1-9

Mt 16, 13-23

Mt 12, 46-50

Mt 11, 28-30

Mt 12, 1-8

Mt 12, 14-21

Mt 14, 22-33 Mt 17, 22-27

Mt 18, 1-5.10

Mt 18, 15-20

Mt 18, 21; 19,1 Mt 19, 3-12

Mt 19, 13-15

Jo 20,1-2.11-18 Mt 13, 1-9

Mt 13, 10-17

Mt 20, 20-28

Mt 13, 16-17

Lc 1, 39-56

Mt 19, 16-22

Mt 19, 23-30

Mt 20, 1-16a

Mt 22, 1-14

Lc 1, 26-38

Mt 13, 44-46

Jo 11, 19-27

Mt 13, 47-53

Mt 16, 13-20

Mt 23, 13-22

Mt 23, 23-26

Mt 23, 27-32

Mt 24, 42-51

Mc 6, 17-29

Mt 25, 14-30

Mt 10, 34-11,1 Mt 11, 20-24

Mt 13, 24-43

Mt 12, 38-42

05 - 08:59h crescente 12 - 08:25h lua cheia 18 - 23:08h minguante 26 - 19:42h lua nova

Q 3 10 17 24 31

Mt 8, 23-27

Mt 13, 1-23

Mt 13, 44-52 Mt 13, 31-35

Q 2 9 16 23 30

Mt 13, 44-46

17 - Beato Inácio de Azevedo e Companheiros 26 - Dia dos Avós Lembretes do mês .................................................... ................................................................................... ................................................................................... ...................................................................................

5 6 7 12 13 14 19 20 21 26 27 28

Mt 13, 54-58

Mt 14, 1-12

Mt 16, 24-28

Mt 17, 14-20

10 - Dia dos Pais 15 - Assunção de Nossa Senhora ao Céu Lembretes do mês .................................................... ................................................................................... ................................................................................... 31 - Mt 16, 21-27 ...............................................................

03 - 21:50h crescente 10 - 15:09h lua cheia 17 - 09:26h minguante 25 - 11:13h lua nova


Desafiando as formas A caverna, a oca, o iglu; o casebre, o palácio, a cabana, o castelo; de madeira, de pedra, de metal, de vidro... é a casa do homem, é o lar da família; retangular, quadrada, redonda, oval... arranha-céus, de vinte ou próxima aos mil metros; para morar, só para dormir ou trabalhar, residência ou escritório, comércio, espetáculo. O homem e sua casa, a família e seu lar. Invioláveis. Respeitáveis. Sagrados. Amáveis, amados. Que assim seja. Cada casa um lar.

Dízimo e Oferta

somos mais felizes quando damos um pouco de nós e do que é nosso As crianças são grandes consumidoras.Devem ser alertadas para que não se deixem “manipular”, não sejam “usadas”, não gastem o dinheiro de seus pais em coisas inúteis (ou quase!), vaidades. Discuta, em seu grupo de catequese, o tema do livrinho “100% Zezinho”.

Dízimo = partilha e solidariedade na família cristã”

1 – Não dê muita importância a certos números: sua idade, amigos, cabelos brancos, rugas. 2 – Ande mais com os amigos alegres, que o fazem rir. 3 – Leia muito e aprenda sempre. Não deixe seu cérebro em paz, desocupado, para que não venha um alemão chamado Alzheimer tomar conta. 4 – Aprecie as pequenas coisas, bem poéticas, como o pôr do sol, crianças brincando, música de todo o tipo, o cantar dos passarinhos. 5 – Fique perto de quem o deixa feliz, despreocupado. 6 – Se tiver vontade de chorar, chore para valer. 7 – Viva com quem ama: família, animais, plantas, espaços. 8 – Veja como está de saúde. 9 – Não sinta culpas: o que passou... passou. Pense no futuro. 10 – Ame todos a seu redor, e diga-lhes que os ama.

DÍZIMO =

Dízimo Mirim

.

Dez lembretes para a terceira idade

Diz o Pe. Domingos Nandi, de Florianópolis – SC: “É inconcebível o dízimo descontado na conta de luz, cobrado de casa em casa, ou entregue na secretaria. Esses são procedimentos que enfatizam, ainda mais, a ideia de que o dízimo é pagamento. (...) Na Bíblia, a oferenda do dízimo é feita no templo e tem um ritual próprio, revelando seu sentido, profundamente religioso, que acabamos perdendo.”

O dizimista assumiu sua comunidade de forma concreta e responsável. É membro vivo, ativo, e assim deve ser visto

Ria de graça! Homem bem sucedido Aquele que consegue ganhar mais dinheiro do que sua mulher consegue gastar.

Mulher bem sucedida

Aquela que achou esse homem!

. .

Uma de Vinícius de Moraes: Mulher é coisa linda, divina e foi tirada da costela. Imagine se fosse de filé! – Muitas mulheres hoje preferem ser bonitas a ser inteligentes. – Têm razão, pois os homens hoje têm mais olhos que cérebro.

Verdade dita há milhares de anos! “Qualquer pessoa pode zangar-se, isso é fácil. Mas zangar-se com a pessoa certa, na hora certa, pelo motivo certo, da maneira certa, isso não é fácil!”(Aristóteles)


11

O Dízimo só será evangélico se nascer do amor, do zelo pela casa de Deus e dos irmãos”

O SONHO DE ÍCARO

Andas pelos ares. Dominas os céus brincas nos céus. Voar! Ser passarinho com asas emprestadas ao sabor dos ventos, ou controlando os ventos. Um pulo no vazio no precipício confiando na engenhoca, na força e resistência do parapente que proporciona a beleza do horizonte, a leveza de nosso corpo; desafiando a lei da gravidade: o homem sai do chão sem as asas das aves, sem as asas coladas de Ícaro, sem um pai implorando: “Volta, meu filho, nosso lugar é na terra!” É o sonho da aventura é a sede da liberdade, é a conquista do alto, do difícil, é a superação, é a vitória.

Pensa! “Se produzes algo, é porque Deus te dá vida e saúde”

Nosso Dízimo dá especial suporte financeiro às pastorais sociais, permitindo que “o pobre, o órfão, o doente, a viúva, o estrangeiro, a criança...” se sintam amados 2014

SETEMBRO

D S 1 7 8 14 15 21 22 28 29 Lc 4, 16-30

T 2 9 16 23 30

Q 3 10 17 24

Q 4 11 18 25

S 5 12 19 26

OUTUBRO

S D S 6 13 5 6 20 12 13 27 19 20 26 27

S 3 10 17 24 31

S 4 11 18 25

Mt 18, 1-6.10

Lc 10, 13-16

Lc 10, 17-27

Lc 10, 38-42

Lc 11, 1-4

Lc 11, 5-13

Lc 11, 15-26

Lc 11, 27-28

Lc 11, 37-41

Lc 11, 42-46

Lc 11, 47-54

Lc 12, 1-7

Lc 10, 1-9

Mt 22, 15-21 Lc 12, 13-21

Lc 12, 35-38

Lc 12, 39-48

Lc 12, 49-53

Lc 12, 54-59

Lc 13, 1-9

Mt 22, 34-40 Lc 13, 10-17

Mc 10, 46-52

Lc 13, 22-30

Lc 13, 31-35

Lc 14, 1-6

Lc 4, 38-44

Lc 5, 1-11

Lc 5, 33-39

Lc 6, 1-5

Mt 18, 15-20

Mt 1,1-16.18-23 Lc 6, 12-19

Lc 6, 20-26

Lc 6, 27-38

Lc 7, 1-10

Lc 6, 43-49

Mt 21, 33-43 Lc 10, 25-37

Jo 3, 13-17

Jo 19, 25-27

Lc 7, 11-17

Lc 7, 31-35

Lc 7, 36-50

Lc 8, 1-3

Lc 8, 4-15

Jo 2, 1-11

Mt 20, 1-16a Lc 8, 16-18

Lc 8, 19-21

Lc 9, 1-6

Lc 9. 7-9

Lc 9, 18-22

Lc 9, 43b-45

Mt 21, 28-32 Jo 1, 47-51

Lc 9, 51-56

7 - Independência do Brasil 30 - Dia da Bíblia 8 - Natividade de N. Senhora Lembretes do mês .................................................... ................................................................................... ................................................................................... ...................................................................................

Q 2 9 16 23 30

Lc 9, 57-62

Lc 4, 31-37

02 - 08:11h crescente 08 - 22:38h lua cheia 15 - 23:05h minguante 24 - 03:14h lua nova

T Q 1 7 8 14 15 21 22 28 29

Lc 11, 29-32

12 - N. Senhora Aparecida 19 - Dia das Missões 12 - Dia da Criança Lembretes do mês .................................................... ................................................................................... ................................................................................... ...................................................................................

01 - 16:33h crescente 08 - 07:51h lua cheia 15 - 16:12h minguante 23 - 18:57h lua nova 30 - 23:48h crescente


Setembro/Outubro DA GUINÉ BISSAU (testemunho)

O senhor Antoninho Tatto veio à Guiné Bissau e ficou conosco sete dias, uma semana, para ajudar-nos na implantação do Dízimo na Diocese de Bissau e na de Bafatá, a uns 100 km. O Dízimo era bem desconhecido no seio dos católicos da Guiné. A Igreja Católica de nosso país tem muitos missionários estrangeiros que conseguem ajudas e donativos de suas paróquias de origem, de familiares, amigos e conhecidos. Mas atualmente cresce o número de bispos, sacerdotes e religiosos locais; aos bispos chegam pedidos para abrir novas comunidades em aldeias distantes. Estamos em um país com muitas carências. Refletimos juntos sobre a situação, e nossa conclusão desembocou na necessidade de implementar o sistema de Dízimo. Com um bom grupo de leigos, com o incentivo de nossos três bispos, vamos implantar o Dízimo, construir novas comunidades e levar nosso povo a se aproximar de Deus e a amálo nos irmãos. Só me resta dar graças a Deus por me ter permitido ver com meus olhos e tocar com minhas próprias mãos esta nobre pastoral que é o Dízimo, que está transformando a consciência e a vida de muitos cristãos católicos da Guiné Bissau. “Agora é que vamos ser Igreja, dizem alguns, porque vamos poder tomar conta das nossas coisas: nossas estruturas religiosas, nossos pobres, órfãos, viúvas, doentes... vamos poder caminhar com nossos próprios pés enquanto Igreja/Família”. Pe. Antônio Imbombo 1º Coordenador da Pastoral do Dízimo

A MAÇÃ DA TENTAÇÃO A Bíblia não diz que a tentação de Eva foi uma maçã. Diz que a tentação foi a serpente, e que para Adão a tentadora foi Eva. Mas quem introduziu a maçã na estorinha do Éden, pode ter sido levado pela cor, pelo perfume, pelo sabor. Lindas maçãs, apetecíveis, Perfumadas maçãs cativadoras. E benfazejas. E saudáveis.

Cruas, cozidas, assadas são remédio antigo e novo: “casa onde entra a maçã, sai o médico”, diz o ditado em múltiplas línguas. Maçã da tentação? A tentação está no orgulho, no querer mais, ser mais, ter mais, poder mais. A tentação está na cegueira espiritual, longe do Pai da Luz.

Segredo do Dízimo: confiança plena no coração de Deus Ria de graça!

Recadinhos de Deus

Na marinha, o tenente dá sua lição ao grumete da Escola Naval.

São 200 versículos, refletidos e comentados, seguidos de breve oração para nos ajudar a crescer na fé e no amor a Deus. Uma reflexão ao dia: chuva miudinha todos os dias em nossas vidas. Cada dia um recadinho de Deus para você. R$ 6,00 cada 208 páginas 9x13 cm

– – – – – – – –

Estamos em alto mar e surge uma tempestade a estibordo. Que faz você? Lanço uma âncora. E se vier outra tempestade a ré? Lanço uma âncora a ré, tenente. E se outra tempestade aparece na proa? Lanço uma âncora na proa. Espera aí, garoto, e onde você vai arranjar tanta âncora? No mesmo lugar onde o tenente acha tanta tempestade!

Na penitenciária a assistente social pergunta ao detento: – Seus irmãos nunca o visitam? – Não, eles são dos meus; se vierem nunca mais saem.

Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe. (Oscar Wilde) volume II

.

Depois dos 30, nada passa mais depressa que os anos.


É NATAL

Algo de bom pode sair de Nazaré? Pois saiu a Sagrada Família, o que de melhor passou por este mundo, Jesus, Maria, José. Ainda e sempre presentes. E nós celebramos os três da Anunciação ao Natal, à vida pública, à pregação, à dor, à Ressurreição. “Bendito, o Filho de Davi”, o rei, de um Reino eterno, exatamente porque “não é deste mundo”. Um pai com sangue real, José, mas com a enxó na mão, aparelhando madeira,

fazendo mesas, catres, bancos de sentar, carrinhos para as crianças brincarem. Uma mãe linda, santa, cuidadosa para que nada falte. Deu à luz em lugar humilde, aquecido por animais, o Filho de Deus, mas envolveu-o em paninhos fofos, preparados com infinito amor maternal. Família real, verdadeira, que se ama e vence unida. Na fuga para o Egito, no desencontro em Jerusalém, no entendimento em Caná da Galileia, no caminho do Calvário; no Cenáculo para receber o Espírito Santo. Família santa, sagrada família, exemplo de família.

Sempre que duas pessoas se perdoam reciprocamente, é Natal. Sempre que tu mostras compreensão pelos teus filhos, é Natal. Sempre que tu ajudas alguém, é Natal. Sempre que alguém decide viver honestamente, é Natal. Sempre que nasce uma criança, é Natal. Sempre que procuras dar a tua vida um novo sentido, é Natal. Sempre que enxergas com os olhos de teu “coração” e com o sorriso nos lábios, é Natal pois nasceu o Amor, nasceu a Paz, nasceu a Justiça, nasceu a Esperança nasceu a Alegria... pois nasceu Cristo, nosso Senhor! Guiomar

Dízimo, expressão de nosso amor a nosso Deus, a nossa Igreja, a nossos irmãos na comunidade 2014 DEZEMBRO NOVEMBRO

D S

T

Q

Q

S

S D S T 1 2 1 8 7 8 9 15 14 15 16 22 21 22 23 29 28 29 30

Mt 5, 1-12a

2 3 4 5 6 7 9 10 11 12 13 14 16 17 18 19 20 21 23 30 24 25 26 27 28

Q 3 10 17 24 31

Q 4 11 18 25

S 5 12 19 26

S 6 13 20 27

Mt 8, 5-11

Lc 10, 21-24

Mt 15, 29-37

Mt 7, 21.24-27

Mt 9, 27-31

Mt 9, 35; 10.6-8

Mt 11, 25-30

Lc 14, 12-14

Lc 14, 15-24

Lc 14, 25-33

Lc 15, 1-10

Lc 16, 1-8

Lc 16, 9-15

Mc 1, 1-8

Lc 1, 26-38

Mt 18, 12-14

Mt 11, 28-30

Mt 11, 11-15

Lc 1, 39-47

Mt 17, 10-13

Jo 2, 13-22

Lc 17, 1-6

Lc 17, 7-10

Lc 17, 11-19

Lc 17, 20-25

Lc 17, 26-37

Lc 18, 1-8

Jo 1,6-8.19

Mt 21, 23-27

Mt 21, 28-32

Mt 1, 1-17

Mt 1, 18-24

Lc 1, 5-25

Lc 1, 26-38

Mt 25, 14-30 Lc 18, 35-43

Mc 13, 24-32

Lc 19, 11-28

Lc 19, 41-44

Mt 12, 46-50

Lc 20, 27-40

Lc 1, 26-38

Lc 1, 46-56

Lc 1, 57-66

Lc 1, 67-79

Lc 2, 1-14

Mt 10, 17-22

Jo 20, 2-8

Mt 25, 31-46

Lc 21, 5-11

Lc 21, 12-19

Lc 21, 20-28

Lc 21, 29-33

Lc 21, 34-36

Lc 2, 22-40

Lc 2, 22-35

Lc 2, 36-40

Jo 1, 1-18

Lc 21, 1-4

06 - 19:23h lua cheia 14 - 12:15h minguante 22 - 09:32h lua nova 29 - 07:06h crescente

1 - Todos os Santos 15 - Procl. da República 2 - Finados 20 - D. Ação de Graças Lembretes do mês .................................................... ................................................................................... ................................................................................... 30 - Mc 13, 33-37 ...............................................................

8 - Imaculada Conceição 30 - Sg. Família 25 - Natal 31 - S. Silvestre Lembretes do mês .................................................... ................................................................................... ................................................................................... ...................................................................................

06 - 09:27h lua cheia 14 - 09:51h minguante 21 - 22:36h lua nova 28 - 15:31h crescente


NOSSA SENHORA DO DÍZIMO Os milhares de títulos dados a Maria são as numerosíssimas maneiras do povo de Deus saudar e venerar a Mãe de Deus. Apareceu mais um título de Nossa Senhora: Nossa Senhora do Dízimo. Poderia ser Nossa Senhora da Providência, Nossa Senhora do Amparo, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, ou qualquer outro existente que manifesta a solicitude de Maria em relação aos seus filhos, como Mãe amorosa da Igreja. Mas não. Consciente do papel e da importância do dízimo na vida das comunidades cristãs, o povo de Deus, a partir de Moçambique, quis chamar carinhosamente Maria de “Nossa Senhora do Dízimo”. À luz do Evangelho de João (Jo 2, 1-12) que narra o primeiro milagre de Jesus, realizado em Caná da Galileia, descobrimos a razão e a veracidade deste título de Nossa Senhora. Maria, atenta a tudo o que se passa numa festa de família, percebe que algo importante, e até necessário naquela circunstância, está faltando. Busca logo a solução. Ela se dirige a Jesus, pedindo a sua intervenção e, aos serventes da festa, diz: “Façam tudo o que ele vos disser”. Jesus mandou que enchessem de água os potes que estavam à disposição, e eles os trouxeram cheios até a boca. O milagre aconteceu: a água se transformou no melhor vinho, para a alegria de todos. A família do jovem casal de Caná é a imagem de nossas comunidades cristãs reunidas para a festa. Muitas vezes a alegria dos convidados é ameaçada pela falta do necessário, enchendo de tristeza e de preocupação os promotores da festa: os padres, os animadores da comunidade, os agentes das pastorais e os membros da comunidade em geral. Maria, como mãe atenta, se dirige a Jesus, intercedendo junto a Ele, mas convida todos os responsáveis a fazer o que Ele já disse e continua pedindo. Então, obedecendo ao seu ensinamento, todos são convidados a fazer a sua parte: encher os potes e trazê-los aos pés do Senhor para que o milagre da transformação se realize e a festa continue para alegria e edificação de todos. Um fato histórico, lembrado como o primeiro dos sinais de Jesus, passa a ser símbolo do que acontece na Igreja, família de Deus, e em cada uma das comunidades, células desta grande família. O dízimo do povo de Deus representa estes potes cheios de água colocados aos pés de Jesus e transformados por ele em vinho abundante e delicioso para alegria de todos e a manifestação da glória de Deus na vida da comunidade e no cumprimento de sua missão evangelizadora. Como em Caná da Galiléia tudo começou a partir da iniciativa da Mãe de Jesus, hoje também Maria, Mãe da Igreja, continua realizando a sua missão. Por isto nada mais justo acrescentar aos seus milhares de títulos também este, bem merecido, de “Nossa Senhora do Dízimo”. Domenico Rossi - MEAC - Dias d’Ávila - BA

Reze assim, ao longo do dia:

Meu Deus, Senhor e Pai eu vos adoro, louvo e amo

NOSSA SENHORA DO DÍZIMO Africana, preta retinta, de madeira nobre, única, – ébano – o miolo de um tronco de árvore. Universal – preto é a soma de todas as cores – de mãos erguidas ensinando os homens a rezar e a confiar

Acabamos sempre no Amor

Vida = amor que existe Razão = amor que pesa prós e contras Estudo = amor que conhece Ciência = amor que investiga Filosofia = amor que pensa Religião = amor que nos liga a Deus Verdade = amor em busca da eternidade Ideal = amor que eleva Fé = amor que transcende Esperança = amor que sonha Caridade = amor a serviço Fraternidade = amor que se estende Sacrifício = amor de quem se entrega Renúncia = amor que se sacrifica Simpatia = amor que sorri Trabalho = amor que constrói Indiferença = amor que se esconde Paixão = amor que desespera Ciúme = amor que enlouquece Ódio = amor que ficou doente


2015 Janeiro

Fevereiro

D S T Q Q S S D S T Q Q S S 1 2 3 1 2 3 4 5 6 7 4 5 6 7 8 9 10 8 9 10 11 12 13 14 11 12 13 14 15 16 17 15 16 17 18 19 20 21 18 19 20 21 22 23 24 22 23 24 25 26 27 28 25 26 27 28 29 30 31

Abril

Maio

D S T Q Q S S D S T Q Q S S 1 2 3 4 1 2 5 6 7 8 9 10 11 3 4 5 6 7 8 9 12 13 14 15 16 17 18 10 11 12 13 14 15 16 19 20 21 22 23 24 25 17 18 19 20 21 22 23 24 26 27 28 29 30 3 1 25 26 27 28 29 30

Julho

Agosto

D S T Q Q S S D 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 2 12 13 14 15 16 17 18 9 19 20 21 22 23 24 25 16 23 26 27 28 29 30 31 30

S T Q Q S S 1 3 4 5 6 7 8 10 11 12 13 14 15 17 18 19 20 21 22 24 3 1 25 26 27 28 29

Março D 1 8 15 22 29

S T Q Q S S 2 3 4 5 6 7 9 10 11 12 13 14 16 17 18 19 20 21 23 24 25 26 27 28 30 31

Junho D S T Q Q S S 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30

Setembro D S T Q Q S S 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30

Outubro

Novembro

Dezembro

D S T Q Q S S 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31

D S T Q Q S S 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30

D S T Q Q S S 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31

* Cinzas - 18 de fevereiro * Páscoa - 5 de abril

O senhor tem em mãos a revista-calendário Dízimo 2014. É o fruto de nosso melhor esforço para lhe oferecermos uma revista útil, rica em conteúdo, bonita e leve na apresentação. E mais esperada de ano a ano. E bem recebida. Completa 23 anos, com aumento sensível de tiragem de ano a ano. Agora também com divulgação em outros países: além de Estados Unidos e Inglaterra (comunidades luso-brasileiras), Moçambique há vários anos com edição local, e, este ano, também na Guiné-Bissau, para ajudar na implantação e divulgação da Pastoral do Dízimo. São fatos que nos deixam animados. Jornalismo católico também é missão, aquém e além fronteiras. É a semente do Dízimo no Brasil que se espalha entre os brasileiros que vivem distantes, e outros povos que falam nossa língua, além da língua do amor cristão. Feliz Natal! Feliz Ano Novo, Vida Nova em Jesus! O Editor

O RECADO REVISTA DE PROBLEMAS HUMANO-CRISTÃOS Proprietário e Editor O RECADO EDITORA LTDA. CNPJ: 50.679.059/0001-26 I.E.: 110.143.668-115

Diretor - M. Rouxinol Administração - A. Tatto Difusão - Missionários do MEAC Arte - Nelson de Moura Nosso endereço O RECADO EDITORA LTDA. Rua Antônio das Chagas, 93 04714-000 - São Paulo-SP Fone/Fax: (11) 5181-4242 e-mail: orecado@orecado.com.br homepage:www.orecado.com.br Registro no Departamento de Polícia Federal, na DCDP nº 2043-P 203/73 Diretor Responsável: Dra. M. Alice Marques Rouxinol MTB- nº 14.460 Composição: O Recado Editora Impressão: Lis Gráfica

* Corpus Christi - 04 de junho * Natal - sexta-feira

DÍZIMO: OPÇÃO PASTORAL Todos os que abraçaram a fé eram unidos e colocavam em comum todas as coisas (At 2,44). Cada um dê conforme decidir em seu coração, sem pena ou constrangimento, porque Deus ama quem dá com alegria (2Cor 9,7). No Código de Direito Canônico, 204, § 1º consta que fiéis são os que, incorporados a Cristo pelo batismo, foram constituídos como povo de Deus e assim, feitos participantes, a seu modo, do múnus sacerdotal, profético e régio de Cristo, são chamados a exercer (...) a missão que Deus confiou à Igreja. O Código de Direito Canônico nº 1262 diz que os fiéis concorram para as necessidades da Igreja. Legislação Complementar da CNBB quanto ao cânon 1262: Cabe à Província Eclesiástica dar normas pelas quais se determine a obrigação de os fiéis socorrerem às necessidades da Igreja, conforme o cânon 222, § 1º. Busquem-se, contudo, outros sistemas que – fomentando a participação responsável dos fiéis – tornem superada para a manutenção da Igreja a cobrança de taxas e espórtulas. As decisões finais da XIV Assembleia Geral da CNBB de 1974 em alguns pontos: 1. Todas as Igrejas Particulares no Brasil devem ter como meta a implantação do dízimo como sistema de contribuição sistemática e periódica, que substitua progressivamente o sistema de taxas;

2. Haja um intenso trabalho de conscientização do povo e dos agentes de pastoral e de progressiva organização do sistema ao nível diocesano, paroquial e de base; 3. Por certo, a existência do dízimo não exime a comunidade de planejar e executar eventos para aumentar seus recursos em vista à obra evangelizadora. Características comuns às comunidades dizimistas bem sucedidas: 1. Grupo pastoral com mais de 15 membros. 2. Pároco envolvido no processo, apoiando a pastoral e incentivando o dizimo na comunidade. 3. Ação social junto aos dizimistas (natalício e datas importantes). 4. Campanhas anuais (pelo menos duas). 5. Domingo do dízimo celebrado mensalmente. 6. Prestação de contas dos dízimos recebidos mensalmente, balancete de receitas e investimentos do dízimo, transparência com os dizimistas (onde são feitas as aplicações). O Dízimo é sinal de maturidade cristã, compromisso de fidelidade com Deus, com a Igreja e com os pobres. A Pastoral do Dízimo nas Dioceses e Paróquias tem a finalidade de levar a Igreja à autossustentação, utilizando estratégias próprias, com o objetivo de "levar todos os fiéis a uma participação concreta na construção do Reino de Deus". “O Santuário” - Santa Maria - RS”

Contra-Capa: Papa Francisco nos sorri e nos convida à partilha fraterna da paz, da alegria, da vida, dos dons. Ele não esquece os pobres. E o bom dizimista também não!

FICHA DO DIZIMISTA Em nossa família, reconhecemos que tudo recebemos de Deus. Como agradecimento e ato de amor a Deus, queremos contribuir mensalmente, a título de Dízimo, com R$ ..................... atendendo à dimensão religiosa, social e missionária de nossa comunidade. Nome ................................................................. Endereço .............................................................................................................. Telefone e e-mail ...................................................................................................


calendario2014  

Revista calendário Dízimo 2014

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you