Page 1

Estabelecer um olhar novo do tema – JULGAR É o momento de envolver o coração no projeto. Esta parte pode ser feita de muitas maneiras: podemos escolher um texto da Bíblia relacionado com o tema. Um cântico ou algum texto, oração, poesia, sempre relacionados com o tema. Pode ser uma reflexão feita por um dos membros. Ou um testemunho falando da alegria na experiência de ser dizimista. Compromisso pessoal – AGIR A partir da exposição e reflexão do tema, quais são as conclusões concretas que temos? A partir delas, quais são as tarefas que devemos executar, conjunta ou individualmente, para atingir o objetivo que é implantar o dízimo?

Lema da equipe missionária da Pastoral do Dízimo: O que fazemos para nós mesmos, acaba com nossa morte. O que fazemos para os outros se eterniza.

Em cada reunião, na hora de assumir compromissos, lembrar o lema. Entrega do material Fazer a entrega dos materiais a cada pessoa, para que se prepare para a próxima reunião. Para o primeiro encontro, o coordenador deve preparar com antecedência, juntamente com o padre, os materiais necessários para todo período de preparação da equipe missionária. A entrega dos materiais deve ser feito de forma solene, com uma oração de envio e entregando a cada um o Kit, (as ferramentas/os subsídios) para executar as tarefas.

6


Materiais que devem constar do Kit de preparação da equipe missionária do dízimo: a) Pastoral do Dízimo - Projeto de Amor; b) Dízimo Expressão Forte de Comunidade; c) Dízimo, Ministério da Partilha; d) Dízimo e Oferta na Comunidade.

O coordenador deve ter em mãos o seu Kit pessoal composto por: a) Pastoral do Dízimo - Projeto de Amor. b) Dízimo Expressão Forte de Comunidade. c) Dízimo, Ministério da Partilha. d) Dízimo e Oferta na Comunidade. e) Plano de Amor. f) Dízimo Semente de Prosperidade. g) Outros livros sobre o dízimo. h) DVD: Dízimo um Acontecimento Feliz. i) CD Cantando a Partilha. j) CD Dízimo Semente de Prosperidade. k) Livro de Atas (Pastoral do Dízimo; ver pág. 78). Oração final É sempre um momento de agradecer. Certa vez, o Cardeal Arns esteve num encontro de uma Comunidade da periferia de São Paulo. Quando terminou o encontro, tarde da noite, ele disse. “Hoje, após um dia de muitos trabalhos, ao sair de casa pensei: mais uma reunião! Agora digo: que bom que participei. O que eu teria perdido se não estivesse estado aqui! Obrigado, Senhor!” Nós também devemos sempre agradecer. Pedir a Nossa Senhora e São José, eles que compreenderam bem e aceitaram a vontade de Deus, que nos ajudem a discernir qual é a melhor forma para realizarmos as tarefas que serão definidas em nossas reuniões. Certos de que Jesus estará presente nestas reuniões, agradecemos em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

7


1ª PARTE

AUTOSSUSTENTAÇÃO DA PARÓQUIA

Objetivo Geral VER Sabedores que somos das reais necessidades que a Igreja tem para realizar seu trabalho de evangelização, assumimos o compromisso de aprofundar nossos conhecimentos sobre a pastoral do dízimo, por estarmos certos de que sua aplicação trará para nossa paróquia os recursos necessários, de acordo com os princípios da Palavra de Deus e as orientações da Igreja. JULGAR Queremos comprometer-nos diante da realidade da Igreja; sentimo-nos chamados a assumi-la, de coração, como nossa realidade, para fortalecer cada vez mais nossa identidade com ela. AGIR Queremos fazer acontecer a Pastoral do Dízimo como meio concreto para solucionar os problemas financeiros enfrentados por nossa Paróquia.

Metodologia: uma reunião

8


TEMA 1

Apresentação do Projeto Reunião

1. Oração Inicial Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém. Senhor Jesus, nós Te agradecemos por permitir que nos reunamos em Teu nome para tratar das necessidades de Tua e nossa Igreja. Pedimos que nos ajudes a aprofundar o tema dízimo, sua importância e eficácia para suprir estas necessidades. Amém. Pedimos também a intercessão de Nossa Senhora para sermos dóceis e fiéis ao chamado de Deus para esta reunião. Ave Maria...

2. Explicação do Tema – VER a) Necessidades de nossa paróquia Conhecemos as necessidades financeiras de nossa Igreja no Brasil e, de modo especial, os problemas enfrentados pela nossa Diocese e nossa Paróquia. Sabemos que muita gente não conhece essa realidade. Esta falta de conhecimento provoca muitas vezes reações negativas contra a Igreja, com comentários maldosos, que não correspondem à verdade. São mais uma forma de se justificar e não contribuir, não se envolver e coparticipar da responsabilidade pela missão evangelizadora da Igreja. Durante longas décadas nossas igrejas dependeram de recursos vindos do exterior que, aos poucos, diminuíram por diversas razões. Devido à falta de recursos, muitos sacerdotes se veem obrigados a desempenhar funções extra paroquiais para cobrir suas despesas pessoais, em prejuízo dos trabalhos pastorais da

9


paróquia. Conheci um padre que dependia do trabalho na roça para manter-se. Tinha as mãos calejadas pelo trabalho. Nem por isso o encontrei menos zeloso nos seus cuidados com a comunidade, mas senti-me mal em vê-lo naquelas condições, devido à falta de recursos. Outro padre fora do Brasil dizia ao povo durante a missa de Celebração da Partilha que realizávamos: “De hoje em diante, depois de ver qual é o verdadeiro sentido do dízimo na comunidade cristã, jamais irei me dedicar a trabalhos externos, como venho fazendo nesses anos todos, para prover minhas necessidades, meu sustento. Prefiro celebrar no escuro, sem luz por falta de pagamento da conta, mas estarei aqui para atender meu povo em suas necessidades espirituais. Não estranhem, portanto, se um dia chegarem aqui e as luzes estiverem apagadas; eu estarei aqui à espera para atendê-los, e a razão das luzes apagadas será a falta de recursos”. Felizmente, aquele povo compreendeu a preocupação do padre e não faltaram mais os recursos necessários. Não podemos deixar de considerar, também, a crise que se estende já há muito nos países mais pobres, o que vem agravar ainda mais o problema de nossas comunidades. Diante da falta de recursos, devemos buscar fontes alternativas para termos o suficiente, e de forma permanente, para as necessidades básicas e os investimentos de nossas paróquias e dioceses. Para isto, este projeto, com o objetivo de despertar a comunidade, despertando cada pessoa para a responsabilidade no processo de evangelização, começando pela manutenção de sua igreja. b) O que é a Pastoral do Dízimo? É o processo pelo qual, graças a uma catequese sistemática sobre a importância da oferta durante as celebrações eucarísticas, e o compromisso mensal com Deus e a comunidade pelo dízimo, se cria o compromisso de cada pessoa entregar, como reconhecimento e gratidão pelos benefícios recebidos, parte de seus bens, seu tempo e dons, colocados a serviço da Igreja, tornando-nos partícipes de sua missão de evangelizar.

10


Dízimo deve ser entendido, em termos bíblicos, como parte de toda renda recebida por uma pessoa e entregue na comunidade de que participa, onde celebra sua fé (Deut.12,1114;14,28). Costuma-se, por força da origem da palavra dízimo, estabelecer como norma 10% dos ganhos. Mas a Igreja, consciente da situação da maioria de nosso povo, privado muitas vezes de poder satisfazer as necessidades básicas, estabelece que cada um contribua, de forma consciente e livre, conforme o seu coração, como diz São Paulo na segunda carta aos Coríntios 9,7. Para isto é necessário formar bem os corações das pessoas, ajudando-as a darem conforme o coração, mas um coração generoso, aberto, consciente e agradecido. Este trabalho deve ser feito pela equipe da Pastoral do Dízimo, conscientizando cada pessoa e, ao mesmo tempo, prestandolhe as devidas contas, mostrando com transparência a aplicação dos recursos nas dimensões Religiosa, Social e Missionária da Paróquia. c) Objetivo principal Fortalecer a identificação e o compromisso cristão dos leigos, convidando-os a uma maior participação na vida da igreja. Fazer com que a paróquia, através da catequese permanente sobre a generosidade, leve cada pessoa a descobrir que o desprendimento de parte dos bens é elemento essencial da vida cristã, que seu dízimo a leva a participar concretamente na missão da igreja. A catequese deve conscientizar cada pessoa de que, os bens que temos, foi de Deus que os recebemos. Entregar parte desses bens a Deus, através da comunidade, é caminhar na alegria, na liberdade e na graça de Deus. d) Outros objetivos Conseguir, através do dízimo e da oferta, o necessário para realizar toda obra de evangelização, promoção humana e projetos missionários de cada paróquia. Dar melhores condições administrativas à paróquia, informando as pessoas da comunidade com balancetes mensais sobre

11


o destino de tudo que foi arrecadado, visando, além da informação, o aumento da corresponsabilidade dos católicos com as necessidades de sua paróquia. e) Como implantar o dízimo na paróquia? Em primeiro lugar, precisamos desenvolver um trabalho de animação missionária junto a todas as lideranças. (Ver páginas, 55 a 59 do livro “Dízimo - Ministério da Partilha”). Formar um grupo de 15 a 20 pessoas para assumir a Pastoral do Dízimo, tendo o Pároco como orientador. Estas pessoas devem ser escolhidas entre as convidadas e as que se apresentarem, conforme orientações nas páginas de 31 a 34 do livro “Plano de Amor”. É importante que haja pessoas com experiência em administração, contabilidade. Essas pessoas devem se preparar estudando juntas os livros “Dízimo Expressão Forte de Comunidade”, manual-guia, e “Dízimo e Oferta na Comunidade”, livro de formação básica sobre o Dízimo. A equipe da Pastoral do Dízimo se apresenta à comunidade na Celebração da Partilha, quando, normalmente, os missionários do Meac estão presentes animando missionariamente a missa, despertando o povo para a importância do dízimo e da oferta na comunidade, ocasião em que é entregue às famílias o livro “Dízimo e Oferta na Comunidade” para aprofundamento do tema em casa; na última página encontrarão uma ficha para inscrição como dizimistas na comunidade. Esta Celebração da Partilha se desenrola durante as missas dominicais, com algumas mudanças na liturgia por motivos catequéticos. (Veja no livro “Dízimo Ministério da Partilha” páginas 59 a 61). No Domingo seguinte à Celebração da Partilha, a paróquia entrega a todos os fiéis o Plano Pastoral, onde mostra os trabalhos que são realizados na Paróquia, todas as pastorais organizadas e tudo o que está à disposição do povo, com o expediente e horários da Paróquia. Apresenta também o Plano Financeiro, onde constam todas as necessidades que devem ser cobertas com as entradas dos

. .

.

.

12


.

dízimos e ofertas dos fiéis. O Plano Financeiro representa as necessidades reais para realizar plenamente o Plano Pastoral. Mensalmente a paróquia apresenta ao povo o resultado, através de balancetes onde devem constar, detalhadamente, as entradas e saídas do mês anterior. Ver modelo na pág. 39 do livro “Dízimo Expressão Forte de Comunidade”. A partir disso, as pessoas, à medida que vão lendo o livro “Dízimo e Oferta na Comunidade”, fazem suas inscrições e passam a entregar mensalmente o dízimo na comunidade.

f) Finalidade do projeto

. Motivar os leigos para uma participação mais ativa e comprometida na missão da igreja. . Ajudar a dinamizar mais e melhor as atividades da paróquia. . Despertar nos fiéis a alegria de dar com generosidade. . Permitir o sustento integral das obras de evangelização da paróquia com o aumento das entradas. . Garantir entradas suficientes, mensalmente, permitindo . . .

planejamentos com antecedência por parte do Conselho Paroquial de Pastoral. Permitir melhor planejamento e melhor atendimento aos pobres através da Pastoral de Promoção Social. Permitir melhorar o desempenho da paróquia na contribuição com a Diocese, o Seminário, a formação de lideranças e outros projetos missionários. Organizar melhor a administração paroquial, permitindo melhorar a transparência de todos seus atos junto ao povo e no zelo das coisas de Deus.

3. Dízimo e as necessidades da Igreja Você sabia que a nossa paróquia não tem recursos suficientes para cumprir sua missão? Você sabia que a Igreja Católica não tem fontes suficientes de recursos para todas as necessidades de sua missão?

13


O código canônico diz: É uma honra e um dever de todos os fiéis contribuir com seus bens materiais para a manutenção da igreja.

P - Quais os frutos para a Igreja, de uma fonte permanente de entradas, como o Dízimo? R - Permite saber qual o valor aproximado que vai entrar, podendo ser feito um plano financeiro segundo as necessidades da paróquia nas Dimensões Religiosa, Social e Missionária, bem como pensar a curto, médio e longo prazo em melhores estruturas para melhor desempenhar sua missão.

4. Dízimo é corresponsabilidade com a missão Evangelizadora da paróquia Dízimo é fruto de fé e é semente. Por quê? Dízimo é a expressão da fé de muita gente. Mas dízimo também é semente porque, quando plantado em terra boa, dá muitos e bons frutos. Cada pessoa que testemunha sua fé, é semente em terra fértil, que atrai mais e mais pessoas para a comunidade. Qual o significado do dízimo para a ação evangelizadora da Igreja? O dízimo, como dissemos, permite recursos para que a Igreja realize sua missão de evangelizar. Permite fazer chegar a todos os lugares do mundo a verdade sobre Jesus. Ao mesmo tempo é uma Pastoral que educa para a grandeza de coração.

Até que ponto nos sentimos responsáveis pelas necessidades da Igreja? (Resposta pessoal)

14


Você acha que o dízimo pode fortalecer a identidade e o compromisso cristão dos leigos? Certamente o dízimo permite criar laços e fortalecer a identidade cristã de cada um de nós, levando-nos a maior participação nas atividades da Igreja. Leva-nos a compreender que “Igreja somos todos e suas necessidades são nossas”, como diz Dom Irizar, bispo de Callau-Peru. Assumir compromissos Converse sobre as expectativas, inseguranças e dúvidas em relação a esta Pastoral do Dízimo a ser implantada na Paróquia.

.

Conceitos importantes Algumas definições que podem clarear mais e melhor o que tratamos neste tema.

Momento de assumir: - JULGAR Todas as questões colocadas, a realidade que agora conhecemos mais e melhor, devem ser confrontadas com a Palavra de Deus e com as reflexões feitas. Qual será minha resposta? Canto: A Barca. Tarefa – AGIR Ler o Livro “Dízimo e Oferta na Comunidade” págs.de 1 a 41. Oração Final Obrigado, Senhor, por ter-nos chamado para esta importante tarefa de evangelizar, graças aos recursos que virão pelo dízimo de nossa paróquia. É uma honra estarmos envolvidos em tão importante projeto. Estamos prontos, Senhor, mas necessitamos da Vossa graça para correspondermos plenamente com a Vossa vontade. Para que possamos realizar as tarefas que assumimos, abençoai-nos em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

15


TEMA 2

Capacitação Objetivo Geral VER Que os membros de cada equipe da Pastoral do Dízimo estejam certos de sua missão nesta Pastoral que é maior e diferente das funções financeiras e administrativas da paróquia. É um chamado de Deus feito a quem deseja ser instrumento de evangelização. Que cada membro desta equipe se prepare, para melhor realizar esta missão, estudando profundamente o livro “Dízimo e Oferta na Comunidade”. Que cada membro tenha claras as diferenças entre Dízimo, Oferta, Donativo e Caridade. JULGAR Que cada membro experimente a alegria da generosidade na doação e entrega como dizimista, sentindo o dízimo como canal extraordinário de graças para a comunidade e para a sua vida. Que saiba que, para falar de dízimo, deve antes ter aderido ao dízimo, dar testemunho concreto de dizimista fiel. É a maneira concreta para manifestar seu compromisso de corresponsabilidade na missão da Igreja. AGIR Para o bom funcionamento da Pastoral do Dízimo, cada membro deve assumir concretamente suas funções e responsabilidades conforme seus dons e a disponibilidade de seu tempo. Esteja capacitado, bem preparado, para realizar bem suas funções. A partir do conhecimento do tema dízimo, pessoalmente e em equipe, possa dar testemunho em sua paróquia e

16


esteja preparado para a catequese necessária aos fiéis após o dia da Celebração da Partilha. Metodologia neste tema: três reuniões Reunião 1 - “Dízimo e Oferta na Comunidade” (Debate e aprofundamento da primeira parte do livro); Reunião 2 – “Dízimo e Oferta na Comunidade” (Debate e aprofundamento da segunda parte do livro); Reunião 3 – Distribuição das tarefas a cada membro

Reunião 1

1. Oração Inicial Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém. Jesus, agradecemos por estarmos reunidos em Teu nome. Concede-nos a graça de aprofundar o tema Dízimo e a Oferta e sermos fiéis ao chamado que recebemos de viver e anunciar o dízimo em nossa comunidade. Pai nosso..... Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

2. Revisão da reunião anterior Como foi a leitura do livro “Dízimo e Oferta na Comunidade”, páginas de 1 a 41?

3. Exposição do tema – VER Atividade: Dinâmica das perguntas Após conversar sobre o livro “Dízimo e Oferta na Comunidade”, páginas de 1 a 41, dividir o grupo em duas partes, A e B. O grupo A faz três perguntas para o grupo B. O grupo B responde e faz três perguntas para o grupo A responder.

17


Outras perguntas a) O que é dízimo? b) Dízimo é 10%? c) Para que serve o dízimo? d) Quais os benefícios na implantação da Pastoral do Dízimo? e) Qual a diferença entre dízimo e oferta? f) Como era o dízimo no Antigo e Novo Testamento? g) Podemos administrar nosso dízimo? h) O dízimo é obrigatório? Conceitos importantes Dízimo: É uma contribuição mensal, realizada com amor, fruto do compromisso pessoal com Deus, como reconhecimento por tudo que foi recebido tanto em bens materiais como espirituais. É uma parte de tudo o que se ganha. O dízimo tem o dom de formar comunidade. É, portanto, tudo o que entrego na comunidade e que ajuda a formá-la de forma madura. Pode representar mais ou menos de 10%, dependendo das possibilidades e da consciência de cada um. Oferta: Durante as Missas, na hora do ofertório, entregamos nossa oferta. Simboliza nossa adesão a Cristo por meio da comunidade, nossa entrega a Deus. O que colocamos nas cestas, nossas ofertas, unem-se às ofertas de pão e vinho que o sacerdote oferece a Deus e são consagradas. Representam a entrega de nós mesmos. A oferta não deve ser improvisada, deixada para última hora, na hora do ofertório vejo o que oferto. A oferta deve ser pensada durante a semana, para ser algo significativo, desejado e por amor. São Paulo orienta dizendo: “No primeiro dia da semana (domingo), cada um de vós ponha de lado o que tiver podido poupar...” (I Cor.16,2). Metodologia A metodologia utilizada pelos Missionários do Meac, que desde 1982 a vêm usando na implantação da Pastoral do

18


Dízimo, tornou essa Pastoral uma realidade em mais de 2.600 paróquias, com resultados surpreendentes na maioria absoluta dos lugares, tanto no Brasil como no exterior, alcançando nos primeiros 60/90 dias os objetivos estabelecidos no Plano Financeiro. O princípio fundamental da metodologia está nas Sagradas Escrituras. O dízimo no Antigo Testamento No Antigo Testamento o dízimo aparece muito como uma obrigação para atender determinadas necessidades e era determinado pelas autoridades religiosas, como se fosse um imposto. (Ver mais sobre isso nas páginas de 23 a 31 do livro “Dízimo, Ministério da Partilha”). Posso administrar meu dízimo? Não, o dízimo deve ser entrega na comunidade de que participamos, onde celebramos e aprofundamos nossa fé. Ver Deut.12,11-14. Só é dízimo o que entregamos na paróquia ou comunidade onde o padre é o responsável pela administração dos bens temporais; o padre deve administrá-los conforme as normas do Código de Direito Canônico, número 532. (Ver livro “Plano de Amor” pg.47). 4. Momento de assumir o compromisso – JULGAR Com os conhecimentos adquiridos até este momento, conhecendo agora a realidade e após tudo o que foi aqui apresentado, como e onde posso colocar meus dons a serviço do Reino de Deus nesta Pastoral? Cântico à escolha do coordenador.

5. Tarefas – AGIR Terminar de ler o livro “Dízimo e Oferta na Comunidade”.

19


6. Oração Final Senhor, Deus e Pai querido, nesta reunião tivemos a oportunidade de compreender melhor o que significa fazer vossa vontade, correspondendo fielmente com nosso dízimo e oferta. Abençoai-nos, ó Pai, para podermos partilhar com nossos irmãos na comunidade estes conhecimentos, para que a nossa paróquia possa, com a participação de todos, manifestar ao mundo o Vosso Reino de amor. Nós vos pedimos em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Reunião 2

1. Oração Inicial Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém. Senhor Jesus, nós Te agradecemos por estar no meio de nós nesta reunião, e Te pedimos que nos concedas um coração generoso para podermos responder com fidelidade à missão a que nos chamaste. A Nossa Senhora, pedimos que nos acompanhe em todo este tempo de preparação e nos ajude a estar sempre com o coração disposto para servir a Deus e aos irmãos. Salve Rainha...

2. Revisão das tarefas anteriores Término da leitura do livro “Dízimo e Oferta na Comunidade”.

3. Exposição do Tema – VER Perguntas para dialogar: a) Quais são as três dimensões do dízimo? b) Porque você acha que o dízimo é fruto/semente de fé para a Igreja?

20


c) Qual a diferença entre dízimo e caridade? d) Quem deve receber o dízimo? Conceitos importantes A Igreja nos ensina que o dízimo tem três grandes dimensões. A dimensão Religiosa, a Dimensão Social e a Dimensão Missionária. Breve explicação sobre cada uma delas: Dimensão Religiosa: O dízimo deve ser uma opção que liberta. Representa os gastos para a manutenção do templo e as atividades desenvolvidas na comunidade, nas liturgias e nas diversas pastorais, para levar a comunidade a viver melhor, aprofundar e anunciar sua experiência de fé. Dimensão Social: O dízimo deve ser criador do espírito comunitário, da família da Deus. Com o dízimo podemos atender melhor às pessoas pobres de nossa comunidade. Através da comunidade, exerceremos o verdadeiro trabalho de promoção social, a verdadeira solidariedade e a melhor forma de fazer caridade, pois, ao entregar nossa contribuição, não sabemos a quem vai se destinar, como diz a Bíblia: “Que a mão esquerda não saiba o que deu a direita.” Pelo dízimo somos convidados a viver afetiva e efetivamente o compromisso social e cristão com os irmãos mais necessitados. A solidariedade com os mais carentes não pode ter limites. O limite está na erradicação total da situação de miséria vivida por estes irmãos. Nosso dízimo na comunidade tem um destino especial ao atingir os mais pobres, o coração de Deus. Dimensão Missionária: O dízimo deve me levar, e à comunidade, a ser sinal de salvação. No Concílio Vaticano II a Igreja declara: “Todo batizado é missionário”. Devemos então exercer a missionariedade de nossa vocação cristã a qualquer custo. Muitas vezes, a maioria de nós não pode sair para evangelizar. Se não podemos ir, podemos enviar. Com o dízimo, cada dizimista participa da missão evangelizadora da igreja, permitindo que ela prepare e envie missionários, de modo especial contribuindo para a

21


formação de sacerdotes nos seminários, e ajudando as obras missionárias da diocese. Com o dízimo e a oferta nossa comunidade faz melhor o trabalho de evangelização, desenvolve melhor a catequese, nos dá a melhor formação cristã. Neste ambiente favorável o Espírito Santo suscitará as vocações religiosas e sacerdotais necessárias para levar o Evangelho a todo mundo. Onde estiver um desses missionários, a comunidade que o preparou e enviou estará também presente. Diferença entre Dízimo, Oferta, Donativo e Caridade Já vimos que o dízimo é contribuição mensal, um compromisso fixo e permanente com Deus, entregue na comunidade cristã da qual participo. Só na Comunidade devo entregá-lo, pois não me pertence, pertence a Deus. Vimos também que na oferta ofereço o que é meu, tiro da parte que me pertence, que Deus me concedeu, e após ter entregue o dízimo. Oferto por gratidão, ou pelo simples prazer de amar a Deus. Pode ser levada no momento do ofertório, com a totalidade da vida, alegrias, sofrimentos, as preocupações do dia-a-dia, o desejo sincero de comprometer-se com a missão da Igreja;de maneira especial, para estar presente no altar, sendo oferecido pelo sacerdote juntamente com o Pão e o Vinho. Donativo é tudo que dou, da parte que é minha, para entidades sérias, que fazem bem feito o que eu gostaria ou deveria fazer, mas por uma razão ou outra não posso fazer, ou não tenho jeito, ou não tenho a capacidade técnica ou conhecimento necessário. A caridade, por sua vez, representa a solidariedade cristã com o sofrimento dos irmãos necessitados que, sem nossa ajuda concreta, teriam dificuldade de viver com dignidade. Também aqui só podemos fazer caridade oferecendo o que é nosso e nunca parte do dízimo.

22


4. Momento do compromisso – AGIR Ler e meditar os textos abaixo “A conversão conduz à comunhão fraterna, porque ajuda a compreender que Cristo é a cabeça da Igreja, seu corpo místico, move-nos a solidariedade, porque nos conscientiza que o que fazemos para os mais necessitados, o fazemos ao próprio Cristo”. (João Paulo II, em a Igreja na América) “Não havia entre eles nenhum necessitado, porque todos os que possuíam terras ou casas vendiam-nas, e traziam o preço do que tinham vendido e depositavam-no aos pés dos Apóstolos. Repartia-se então a cada um deles conforme a sua necessidade”. (Atos 4,34-35)

5. Compromissos Ler o livro “Dízimo, Ministério da Partilha”, páginas de 32 a 41.

6. Oração final Obrigado, Senhor, por nos reunires mais uma vez em Teu nome para compreendermos melhor o dízimo como algo bom, importante e necessário para nossa vida, para a vida da Igreja e dos irmãos mais necessitados. Queremos continuar neste processo de aprofundamento e compreensão para melhor servir-Vos. Para isto, pedimos a Vossa bênção, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém. Reunião 3 1. Oração Inicial Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém. “Temos dons diferentes, conforme a graça que nos foi conferida. Aquele que tem o Dom da profecia, exerça-a conforme a fé.

23


Aquele que é chamado ao ministério, dedique-se ao ministério. Se tem o Dom de ensinar, que ensine; o Dom de exortar, que exorte; aquele que distribui as esmolas, faça-o com simplicidade; aquele que preside, presida com zelo; aquele que exerce a misericórdia, que o faça com afabilidade”. Rom. 12,6-8. Deus nos chama para colocarmos nossos dons a serviço da nossa comunidade. Peçamos a Nossa Senhora que nos ajude a responder com generosidade e alegria. Salve Rainha...

2. Revisão das tarefas assumidas na reunião anterior Leitura do livro “Dízimo, Ministério da Partilha”, págs. de 32 a 41.

3. Exposição do Tema - VER É importante que o grupo tenha presente que pertencer à equipe missionária do dízimo é um dom de Deus. Somos convidados para formar esta equipe missionária, partilhando bens, dons e tempo, para colaborar com a missão evangelizadora da Igreja, levar os corações de cada pessoa a comprometer-se também com esta causa. Sabemos que não é uma missão fácil. Por isso mesmo queremos, sinceramente, preparar-nos bem para vencer o desafio que nos é proposto Daremos o melhor de nós mesmos para alcançarmos o objetivo traçado e desejado por nossa paróquia. (Ver páginas de 17 a 19 do livro “Dízimo Expressão Forte de Comunidade”).

Distribuição das responsabilidades Para o bom andamento da Pastoral do Dízimo, é bom determinar funções e responsabilidades específicas para cada membro da equipe, segundo os talentos e o tempo disponível de cada pessoa. Cada um poderá oferecer-se para a função que lhe parece mais adequada, aquela que julga ser capaz

24


de exercer melhor. Esta disponibilidade deve ser colocada à disposição do padre, para que possa formar a melhor equipe missionária do dízimo. O padre, por sua vez, ao analisar cada um de acordo com as funções necessárias, dará posse a esta equipe em ato solene na comunidade, apresentando os missionários do dízimo que se colocaram a serviço da comunidade. Algumas funções importantes para a formação da equipe missionária do dízimo (ver livro “Dízimo Expressão Forte de Comunidade” páginas de 17 número 3, e itens “a” até “d” da página 20): a) Coordenador Características pessoais Deve ser uma pessoa responsável, disponível, dinâmica, capaz de manter unida a equipe e inspirar confiança. Procurar entre Administradores de empresas, Contadores, Comerciantes, Técnicos em informática. É seu dever pelo bom andamento dos trabalhos de cada membro da equipe da Pastoral do Dízimo. . Junto com o padre deve assumir a liderança do sistema e zelar pela fidelidade à metodologia. . Representar a paróquia nas reuniões diocesanas da Pastoral do Dízimo.

. Zelar

b) Animadores Características pessoais Devem ser pessoas entusiasmadas, comunicativas, dinâmicas, extrovertidas, capazes de transmitir ao povo a essência, a razão de ser do dízimo na vida de cada um como algo realmente bom, positivo e necessário para a comunidade.

25


Deveres . Zelar pela fidelidade das pessoas em relação ao dízimo, mantendo o compromisso assumido com a comunidade. . Preocupar-se pela formação permanente dos fiéis no processo de conscientização sobre a importância do dízimo. . Promover diferentes atividades na paróquia que permitam promoção e aprofundamento sobre o dízimo. c) Administradores Características pessoais Devem ser pessoas pacientes, discretas e com bom senso prático. Pessoas com boa lógica e com conhecimento de administração e contabilidade. Deveres . Elaborar, junto com o Conselho da paróquia e o padre, o Plano Financeiro e o Plano Pastoral. . Preparar os balancetes mensais para serem entregues a todos os fiéis, com detalhamento de todas as entradas e saídas da paróquia. . Cuidar para manter atualizados os dados informativos no Painel do Dízimo. . Preparar os balancetes e demais informações que devem ser enviadas para a diocese. . Participar, representando a Paróquia na diocese, quando convocada para tratar de assuntos financeiros, de acordo com o pároco. d) Comunicadores Características pessoais Devem ser pessoas com capacidade para envolver e unir, com liderança, boa comunicação para transmitir bem as mensagens sobre o dízimo.

26


Deveres . Preparar as mensagens para os avisos, tais como citações bíblicas, testemunhos e outros textos que possam ajudar no processo de conscientização permanente. . Organizar as visitas às casas dos dizimistas. e) Organizadores Características pessoais Devem ser pessoas organizadas, atentas a detalhes e que garantam o bom andamento do trabalho. Deveres

. Preparar as fichas de inscrição. . Receber dos animadores as fichas de inscrição. . Cadastrar no computador as informações das fichas de inscrição dos dizimistas. . Cuidar do cadastro de dizimistas. . Preparar as cartas para serem entregues ou enviadas aos dizimistas. . Elaborar a lista dos aniversariantes do mês para ser exposta em lugar visível na comunidade. . Preparar as mensagens para serem entregues aos dizimistas aniversariantes. . Elaborar listagem com relatório dos dizimistas que não mantêm suas contribuições regulares, para entregar aos comunicadores, que farão uma visita às famílias. . Elaborar informações para os administradores sobre o andamento dos recursos conseguidos com o dízimo.

Conceitos importantes “Como bons dispensadores das diversas graças de Deus, cada um de vós ponha à disposição dos outros o Dom que recebeu” (1 Pedro, 4,10). Quando se fala de dons, de talentos, não estamos falando de

27


títulos profissionais, e sim de toda a capacidade de realizar coisas e tarefas boas para o bem de todos. Devemos oferecer, não só nossos conhecimentos, mas acima de tudo o que somos. É necessário, sem dúvida, um esforço pessoal. É necessário estarmos convencidos de que vale a pena, que é Deus que nos chama, e por isso mesmo fazemos com alegria, pois não é nenhum peso colocado às nossas costas. Tempo, já se dizia nos Cursilhos de Cristandade, é questão de preferência. É algo muito precioso, é um dom de Deus que deve ser colocado a serviço dos nossos irmãos. Ninguém vive e nem morre só para si, diz São Paulo. Talentos: São dons que Deus nos dá, qualidades que cada um tem. Podem ser qualidades natas, carismas pessoais ou qualidades desenvolvidas com esforços pessoais e estudos ao longo dos tempos.

4. Momento de assumir compromissos - JULGAR Cântico: Vai, vai missionário do Senhor....

5. Compromissos pessoais – AGIR a) Trazer para a próxima reunião a relação dos membros da equipe missionária do dízimo, conforme as funções e responsabilidades apresentadas nesta reunião. b) O padre deve proceder à eleição do coordenador, e com ele preparar para a próxima reunião a proposta de trabalho. c) Leitura do livro “Dízimo Expressão Forte de Comunidade”, páginas de 1 a 33: Organização e Celebração. Oração final Senhor Deus e Pai querido, nesta reunião compreendemos que pertencer à Pastoral do Dízimo, como equipe missionária do dízimo, significa estarmos atentos aos dons que de Vós recebemos, e colocar esses dons a serviço da comunidade, serviço alegre e gratuito aos irmãos e irmãs. Que bela missão

28


nos destes, Senhor! Nós Vos agradecemos, e pedimos Vossa bênção para realizá-la com amor, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

TEMA 3

A Celebração da Partilha Objetivo Geral VER Estudar o método da implantação da Pastoral do Dízimo, estudando o livro “Dízimo Expressão Forte de Comunidade”. JULGAR Que a equipe se identifique com o projeto, assumindo-o como seu, descobrindo a importância de todos serem fiéis à metodologia, conforme o livro, para o bom desempenho do método e a garantia dos resultados com o passar do tempo. AGIR Que a partir do conhecimento da metodologia da implantação, a equipe possa ter os meios necessários para o lançamento da Pastoral na paróquia, realizando a Celebração da Partilha.

Metodologia: três reuniões Reunião 1 – “Dízimo Expressão Forte de Comunidade” (Debate e aprofundamento da primeira parte do livro) Reunião 2 – “Dízimo Expressão Forte de Comunidade” (Debate e aprofundamento da segunda parte do livro) Reunião 3 – Preparação para a Celebração da Partilha

29


Reunião 1 1. Oração Inicial Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém. Deus Pai Todo Poderoso, nós Te agradecemos por mais esta reunião e pedimos que nos ajudes a abrir nossas mentes e nossos corações para compreendermos e assumirmos o Teu plano de amor para cada um de nós. Pai Nosso... Ave Maria... Glória ao Pai,... Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

2. Revisão da reunião anterior a) Funções e deveres dos membros da equipe; b) Apresentação do coordenador à equipe pelo padre; c) Leitura do livro “Dízimo, Expressão Forte de Comunidade” pág. de 1 a 34: Organização e Celebração.

3. Exposição do Tema – VER Atividade: Assistir odvd Dízimo um Acontecimento Feliz. Nosso tema consta de quatro etapas, nas quais se dão todas as informações e se oferecem condições para que todos entendam o dízimo. É entregue o material catequético de conscientização e se lança o tema numa “Celebração da Partilha”, durante uma missa. Estas etapas são: a) Organização É todo o processo de preparação de uma equipe missionária do dízimo para o lançamento ou fortalecimento da Pastoral do Dízimo, equipe de no mínimo quatro pessoas para cada missa de um final de semana, porém nunca inferior a 15 pessoas no total, que serão as responsáveis para preparar

30


os materiais necessários para fazer do dízimo uma realidade concreta e satisfatória. Acima de tudo, através do seu compromisso pessoal, esta equipe deve estar capacitada para transmitir, de forma sistemática e organizada, a mensagem sobre as necessidades de se viver a partilha generosamente dentro da comunidade. b) Celebração da Partilha É o momento da apresentação do projeto para a comunidade. Acontece num final de semana, durante todas as missas. Com a presença, normalmente, de uma dupla de missionários do Meac que, com uma pedagogia própria, utilizando-se de textos bíblicos sobre dízimo e oferta, expõe sua experiência e vivência do dízimo. São pessoas que, além de darem testemunho de dizimistas convictos, estão muito bem preparadas para expor o tema e para levarem a comunidade a descobrir o dízimo dentro dos princípios bíblicos e conforme a orientação da Igreja. É o momento de apresentar o dízimo como algo bom, importante, necessário e que dá uma resposta interior a todo cristão coerente. É apresentado de forma muito positiva, sem perder a mística própria do dízimo que sempre acompanhou o povo de Deus no Antigo Testamento e, de modo especial, na forma como foi vivido pelas primeiras comunidades, modelo para nossas comunidades de hoje. Durante esta missa, na hora do ofertório, é entregue, de presente, como investimento carinhoso, amoroso, ato de fé do pároco e sua equipe, para cada família, o livro “Dízimo e Oferta na Comunidade” que contém todos os textos bíblicos sobre o dízimo e a oferta, com pequenas reflexões sobre cada texto, onde o autor também coloca sua experiência de conversão ao dízimo, mas sobretudo estabelece os critérios sobre a participação e importância de cada fiel viver esta experiência de amor a Deus. c) Implantação Após a “Celebração da Partilha”, o povo tem as orientações necessárias e a motivação para ler o livro e, a partir das

31


motivações, pela Palavra de Deus, passa a se inscrever, conscientemente, por opção própria, como dizimista. A equipe, por sua vez, está preparada para atender e orientar sobre possíveis dúvidas dos dizimistas. Estão também orientados para a conscientização permanente dos dizimistas com novos materiais e a “missa do dízimo” que deve acontecer num determinado domingo do mês, celebrando a vida dos dizimistas: comemoração de aniversários ou datas especiais. No primeiro Domingo após a Celebração da Partilha, é entregue a todas as famílias o Plano Financeiro, (página 34 do livro “Dízimo Expressão Forte de Comunidade”) onde devem constar todas as necessidades financeiras, para cada uma das três dimensões do dízimo do mês. Juntamente com o Plano Financeiro é apresentado o Plano Pastoral (página 35 do livro “Dízimo Expressão Forte de Comunidade”),que mostra tudo o que se faz e acontece na vida da comunidade, com todas as pessoa envolvidas. É para estas necessidades do Plano Financeiro que devemos contribuir, cada um conforme as próprias possibilidades, para podermos juntos nos sentir participantes reais na realização do Plano Pastoral. Na medida em que as famílias fazem sua opção, inscrevendose como dizimistas, a equipe vai apresentando os resultados no “Painel do Dízimo” (página 31 do livro “Dízimo Expressão Forte de Comunidade”) bem como prestação de contas no balancete mensal publicado no Boletim da paróquia. d) Manutenção Uma vez implantado ou reforçado o dízimo, e atingido o objetivo necessário e planejado, deve-se manter o sistema em pleno funcionamento e com os resultados conseguidos. Isto deve acontecer com o trabalho realizado pela equipe missionária do dízimo, informando a comunidade sobre as atividades desenvolvidas na paróquia, sobre as entradas, gastos e investimentos feitos. A comunidade tem o direito de saber onde e como o dinheiro de seu dízimo e oferta está sendo aplicado. Neste sentido temos a recomendação dos Bispos que dizem: “A instituição do dízimo vai exigir, em contrapartida, uma

32


correspondência de vida dos ministros, ou de pessoas a serviço da comunidade (equipe missionária do dízimo), expressa na sobriedade perante o uso dos bens. Caso contrário, pode se fazer surgir a suspeita de que se está dando um fim desvirtuado ao que é fruto do suor comum. É neste sentido também, que se faz imperiosa uma prestação de contas do que é arrecadado, quanto um minucioso e elaborado levantamento das necessidades atendidas”. (Estudo nº 8 da CNBB, pág.48). (Ver resumo de todos estes assuntos no livro “Dízimo Expressão Forte de Comunidade”, página 11).

4. Passos importantes Planejamento, Plano Financeiro A equipe, o padre e o conselho paroquial devem fazer um levantamento detalhado de todas as necessidades da paróquia. A meta a ser atingida será atender plenamente estas necessidades, realizando assim a missão da Igreja nas três dimensões, Religiosa, Social e Missionária. Planejamento, Plano Pastoral A equipe, o padre e a coordenação de pastoral devem relacionar todas as atividades da paróquia, as diversas pastorais organizadas em funcionamento, bem como as que se deseja realizar. Além das pastorais, é importante destacar os diversos movimentos de Igreja que estão funcionando na paróquia. Tanto das pastorais como dos movimentos, é importante destacar quem são os responsáveis, como se pode entrar em contato com essas pessoas; nome, endereço, telefone, e-mail. A equipe, por meio desses responsáveis, lideranças fortes da comunidade, deve buscar outras pessoas para que se envolvam e assumam atividades nas pastorais, reforçando as diversas equipes. Devem ainda providenciar momentos de formação para despertar lideranças.

33


Dízimo, projeto de amor  

dízimo, projeto

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you