Page 2

EDITORIAL

Apoios políticos para o desenvolvimento regional Nunca é demais lembrar que a representação política do Sudoeste é supervalorizada em relação ao contingente populacional. Para 5% de paranaenses sudoestinos — população de 587,5 mil pessoas, sendo 70% em centros urbanos e 30% na área rural —, as cadeiras na Assembleia e na Câmara Federal ultrapassam esse percentual. Isto já vem há certo tempo, motivando inclusive um orgulho — “o Sudoeste já pratica o voto distrital, vota majoritariamente nos seus” — que é reconhecido pelas lideranças de outras regiões que testemunham essa politização repetidas vezes. Esse apoio político que os eleitores dão aos candidatos da região é devolvido com trabalho. Todo mês são marcados eventos que simbolizam o repasse de A melhora da inmaterial para a região. fraestrutura, increAo mesmo tempo, a mento do parque formação de comitivas políticas, para audiênindustrial, incenticias em Curitiba e Brasília, tem sempre o vo para educação e apoio institucional e saúde em todas as prático dos parlamentasuas instâncias, res. Por fim, os qualificação e sudoestinas exercem, ou exerceram, funções acesso aos serviços de relevância política mais diversos, etc. como liderança de são sempre itens bancada, liderança partidária, liderança permanentes de dentro de comissões mobilização sobre temas específicos. Tudo isso contribui para o crescimento regional, a despeito de alguns índices ainda estarem aquém. A rigor, a melhora da infraestrutura, incremento do parque industrial, incentivo para educação e saúde em todas as suas instâncias, qualificação e acesso aos serviços mais diversos, etc. são sempre itens permanentes de mobilização e estão no bojo do levantamento coordenado pela Agência de desenvolvimento Regional, o Plano de Desenvolvimento Regional Integrado. Um trabalho de fôlego, e que não é incompatível com a representação política do Sudoeste. Antes pelo contrário: são forças de luta de uma mesma causa: o bem-estar regional em todos os aspectos da vida.

EXPEDIENTE: JORNAL DE BELTRÃO (Diário de terça a domingo) Fundação: 1° de maio de 1989. Propriedade: Editora Jornal de Beltrão Sociedade Anônima. CNPJ 95420188/ 0001-33 -Rua Mato Grosso, 55 CEP 85.605-280 - Francisco Beltrão - PR. Fonefax: (46) 3520-4000 Conselho Editorial (º) e Conselho de Administração (*): Badger Vicari*º, Celso Albino Reichert*º, Claudiney Del Cieloº, Domingos Rafagnin*º, Flávio Cesar Pedron*º, Itamar M. Pereira*, Ivo A. Pegoraro*º (presidente), Luciano André Trevisan*º, Luiz Carlos Bággioº, Marcos Kuchinski*º e Quintino Girardi*º. Diretor de Redação: Jornalista Ivo A. Pegoraro - ivo@jornaldebeltrao.com.br Chefe de Reportagem: Jornalista Flávio Cesar Pedron flavio@jornaldebeltrao.com.br Diretor Administrativo-Financeiro: Celso A. Reichert - celso@jornaldebeltrao.com.br Diretor de Produção: Quintino Girardi quintino@jornaldebeltrao.com.br Gerente de vendas: Marcos Kuchinski comercial@jornaldebeltrao.com.br Impressão própria As matérias assinadas não representam, necessariamente, a opinião do jornal. Notícias nacionais e internacionais Agência Estado e Agência Brasil Representantes Dois Vizinhos: 3536-2929 (Sucursal) Pato Branco: 3025-2970 Curitiba: Merconeti (041) 3079-4666 Brasília: Central de Comunicação - (061) 3323-4701 O Jornal de Beltrão é associado à ADI-PR (Associação dos Jornais Diários do Interior do Paraná) Endereço eletrônico: jornaldebeltrao@gmail.com assinaturas@jornaldebeltrao.com.br

www.jornaldebeltrao.com.br e www.guiaparanasudoeste.com.br

Tabela de assinaturas: Anual nova: R$ 421,15 - à vista R$ 213,73 - 1+1 R$ 144,62 - 1+2 R$ 110,09 - 1+3 R$ 89,39 - 1+4 R$ 75,61 - 1+5 R$ 427,47 - 30 dias Anual renovação: R$ 404,73 - à vista R$ 205,39 - 1+1 R$ 138,99 - 1+2 R$ 105,80 - 1+3 R$ 85,90 - 1+4 R$ 72,66 -1+5 R$ 410,80 - 30 dias Semestral nova: R$ 215,70 - à vista R$ 109,47 - 1+1 R$ 74,07 - 1+2 R$ 56,39 - 1+3 R$ 45,78 - 1+4 R$ 38,72 - 1+5 R$ 218,83 - 30 dias Semestral renovação: R$ 207,50 - à vista R$ 105,29 - 1+1 R$ 71,25 - 1+2 R$ 55,04 -1+3 R$ 43,97 - 1+4 R$ 37,19 - 1+5 R$ 210,61 - 30 dias Mensal: R$ 38,72 Jornal de domingo: Anual: R$ 129,79 R$ 65,85 - 1+1 Semestral: R$ 65,85 R$ 33,43 - 1+1 Por Correios: R$ 652,28 - anual R$ 326,65 - semestral Tabela válida de janeiro a dezembro de 2013.

Cartas e e-mails: O Jornal de Beltrão faz questão de publicar as cartas e/ou e-mails dos leitores mas, por problema de espaço, quando forem muito longas, ou se for resposta a outra opinião ou a algo publicado no jornal, e sempre que fogem do tema em debate, reserva-se o direito de sintetizá-las.

2 JORNAL DE BELTRÃO

Opinião

Domingo, 9.6.2013

Umas e Outras Uma curiosidade: a maior palavra do alfabeto alemão, com 64 letras, será extinta. Ei-la: Rindfleischetikettierungsüberwachungsaufgabenübertragungsgesetz — que significa “lei que delega as tarefas de fiscalização da rotulagem da carne bovina”. A mais longa palavra foi introduzida no fim do século passado, dentro do contexto do combate à “doença da vaca louca”, que infectou cerca de 180 mil animais na Europa nos anos 80 e 90 e matou dezenas de pessoas. Recentemente, porém, a União Europeia decidiu acabar com os testes em gado saudável nos abatedouros europeus. Assim, a “lei que delega a fiscalização da rotulagem da carne bovina” (e a palavra que a designava) perdeu a razão de ser. “Termos como esse, de uso raro, dificilmente entram nos dicionários, dizem especialistas”, de acordo com notícia na Folha de S. Paulo de quarta-feira. E a maior palavra da língua portuguesa? Tem 46 letras: pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiótico — pessoa que sofre de doença pulmonar causada pela aspiração de cinzas vulcânicas. O vereador de Francisco Beltrão Cleber Fontana (PSDB) apresentou um projeto propondo a concessão de título de Cidadão Honorário para Jorge Baleeiro de Lacerda. Baleeiro nasceu em Belém do Pará, no dia 3 de março de 1950. É casado com a professora Sueli Bevilacqua Baleeiro de Lacerda.

A chefe da 8ª Regional de Saúde de Francisco Beltrão, Cíntia Ramos, reuniu-se com o deputado federal Nelson Meurer (PP) para discutir sobre o trabalho que vem sendo desenvolvido, pela regional de saúde, no atendimento aos municípios da microrregião de Francisco Beltrão. O casal tem dois filhos, Lígia e Afonso Henrique. Baleeiro é colunista do jornal Folha do Sudoeste desde 1975 e no Jornal de Beltrão atua desde 2000. Também proferiu inúmeras conferências e palestras para acadêmicos e professores. Durante os 40 anos que viajou por todo o Brasil sempre divulgou o nome de Francisco Beltrão. Inclusive no programa Jô Soares (Globo). Uma coisa curiosa vai acontecer a partir de hoje no Brasil. O vicegovernador de São Paulo e ministro da Micro e Pequena Empresa no governo federal, Guilherme Afif Domingos (PSD), assumirá a chefia do Executivo paulista. Ele deve ficar no cargo de governador até quarta-feira, período em que Geraldo Alckmin (PSDB) estará na França como integrante da comitiva que representa a candidatura da capital paulista a cidade-sede da Expo 2020. A dupla função — ministro e vice — motivou a abertura de um processo na Assembleia Legislativa de São Paulo. O Ministério Público Estadual e a Comissão Geral de Ética do governo paulis-

ta emitiram pareceres contrários à permanência de Afif no cargo de vice-governador. Além disso, há a questão política. Afif integrou a chapa de Alckmin, ambos adversarios do PT. De repente, ele aceita ser minsitro, e quer continaur como vice, causando um evidente mal-estar político com o governador. O deputado Cauê Macris (PSDB) relatou o pedido para que Afif deixe o cargo. Seu parecer será analisado na Assembleia na próxima terçafeira, dia 11. Já o deputado Carlos Giannazi (PSOL) questiona diretamente o acúmulo da função de vicegovernador com a de ministro. No começo do mês, a procuradoria da Assembleia opinou pela “incompatibilidade funcional pelo fato de o senhor vice-governador ter assumido outro cargo na administração federal, em desrespeito à Constituição Federal e à Constituição Estadual”. Para se manter na dupla função, Afif se baseia em parecer da Advocacia-Geral da União. Segundo o órgão federal, não há impedimento para que ele assuma o governo temporariamente, bastando pedir licença do ministério.

Leite garantido às crianças, e sem fraudes! Neivo Beraldin Leite, frio, morno e quente, assim como as notícias abertos. É de conhecimento público que o leite destinado recentes, as quais mostram que um produto tão benéfi- ao programa é comprado de pequenos produtores, usico para o desenvolvimento das crianças passa por frau- nas familiares e cooperativas. O alerta é que está tudo des neste país. Mais uma vez fazendo jus ao famoso registrado e amparado pela lei. Nossas crianças merecem leite puro! Fico aliviado ao "jeitinho brasileiro". O que falar quando chegamos neste ponto de atuação saber que o produto destinado ao programa continua tão negativo no Brasil? Um bem de consumo como o cumprindo as exigências legais da instrução normativa 62 do Ministério da Agricultura, Peleite, voltado a gerar benefícios para cuária e do Abastecimento — a qual a saúde, conseguiu ser "deteriorado" dispõe sobre a produção do leite, aspor pessoas de má índole. Tentar luVamos aos números: sim como a contagem bacteriana, hicrar ou tirar proveito em cima do leite investimento mensal do gienização das ordenhas, refrigeração. de todo dia, uma fonte de energia tão Programa Leite das É obrigação dos agricultores e usisaudável para o desenvolvimento das crianças, que lastimável estampar os Crianças no Paraná é de nas se adequarem ao que é correto. Sei que quem está antenado para o jornais desta maneira. R$ 5,9 milhões. A somaque acontece no Estado pode indaAssim me questiono, como é que tória equivale a aproxigar sobre os investimentos desse proestas pessoas — pois não consigo E, como homem público, afirnem dizer seres humanos — são tão madamente quase R$ 71 grama. mo que os valores são irrisórios se insensíveis a ponto de contaminar o milhões ao ano. É com comparados às melhorias na saúde leite pela mistura de água e ureia? Ato de milhares de crianças. O programa que choca e horroriza a população orgulho que falo sobre tem ajudado a diminuir a desnutrição ao ler a cada dia: "dono da empresa este programa que tanto e outras deficiências, fatos estes que de transporte X ou Y está sendo inse dedica às crianças. estão reduzindo significativamente os vestigado por adulteração no leite". índices de morbidade e mortalidade. Insano pensar nesta prática... Sim, vamos aos números para os que adoram cálcuModestamente, em minha opinião, trata-se de um ato inadmissível e tiro o chapéu para a mídia quando mostra los: investimento mensal do Programa Leite das Crianças a realidade nua e crua, pois é só assim para não "cair no no Paraná é de R$ 5,9 milhões. A somatória equivale a esquecimento". O tempo passou, mas ainda bem que em aproximadamente quase R$ 71 milhões ao ano. É com um dos mandatos que exerci como deputado estadual, orgulho que falo sobre este programa que tanto se dedigaranti pela Lei nº 16.385 (de 25 de janeiro de 2010), o ca às crianças. Vale ressaltar que são elas que vão nos leite para as nossas crianças. Que alívio! Com sapiência representar no futuro. Nossa, quantas mil atribuições um programa consegue foi criado o Programa Leite das Crianças do Paraná, sem interferências políticas e partidárias. Atualmente, encon- ter se for tão bem aplicado e direcionado? Faço um apetra-se sob a coordenação da Secretaria de Estado do Tra- lo para a sociedade: procure sempre saber sobre assuntos diversos, aja, questione, cobre, vá atrás dos seus dibalho, Emprego e Economia Solidária. Graças a Deus, e ao cumprimento da lei, o programa reitos. Vamos nos unir em busca do que está correto e vingou e atende em média 146 mil crianças por dia no chega de fraudes! Estado. O programa atinge a faixa etária de seis a 36 Neivo Beraldin meses, de famílias com renda mensal inferior a meio Deputado estadual por seis legislaturas (1987 a salário mínimo regional. O leite é distribuído gratuita2010) e atual superintendente regional do Ministério mente, e sem fraudes no procedimento. É fresco e tem Trabalho e Emprego um teor mínimo de gordura (3%), além de ser enriquecido com as vitaminas necessárias. Não é novidade que temos que estar sempre de olhos

JornaldeBeltrão-5069_9-6-13.pdf  

JornaldeBeltrão-5069_9-6-13.pdf

Advertisement