Page 1

Plano de Atividades e Orçamento para 2018

Vem a Direção propor à Assembleia-Geral que sejam aprovados o Plano de Atividades e Orçamento para o Exercício de 2018, bem como o respetivo Parecer do Conselho Fiscal.

OBRA GAY ASSOCIAÇÃO 2018


Car@s Sóci@s, amigos, colaboradores e simpatizantes, Sempre com a positividade e o entusiasmo que se pretende para reger a vida da nossa associação – IPSS, vimos deste modo apresentar a proposta de Plano de Atividades e Orçamento para 2018. A Obra Gay Associação, comumente conhecida como Opus Gay, publicamente-podemos ainda tentar registar este nome, pois há 20 anos tal não nos foi permitido, é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, sob a forma de Associação de Solidariedade Social, nos termos dos Estatutos das IPSS, sendo ainda também uma organização não-governamental sem fins lucrativos. A Obra Gay Associação - Opus Gay é apartidária de toda e qualquer forma de controlo partidário, ideológico ou religioso e tem por objetivos o apoio e defesa dos direitos humanos, a nível individual e coletivo, das minorias sexuais, étnicas deficientes e de intervenção social, laboral, política, ecológica e da saúde, nomeadamente através da prestação de cuidados e informação de medicina preventiva mais orientada para os domínio das Infeções Sexualmente Transmissíveis e do envelhecimento, sobre os problemas que afetam em geral a Sociedade e especificamente os que dizem respeito às minorias em especial as referidas, bem como a integração social da população LGBT, através de programas de apoio particularmente social garantindo, assim, a qualidade de vida na luta contra a Discriminação em função da orientação sexual e da identidade de género e pela promoção da Cidadania, dos Direitos Humanos e da Igualdade de género. Queremos propor um plano de atividade simples e direto ao ponto, mas sempre com o foco da Opus Gay, tal como tem vindo a fazer ao longo das suas duas décadas de existência. Vindo na sequência do anterior plano de atividades que se prevê estender-se ainda até 2019, sendo um plano de continuidade, já que nada é estanque no tempo, o método de gestão talvez a ser repensado e ajustado às sempre novas exigências com que nos deparamos e que se relevam autênticos desafios, a constante reavaliação a todos os níveis, deverá tornar mais eficaz e eficiente a gestão dos recursos próprios e dos recursos externos por via de candidaturas e projetos eventualmente aprovados. O mecenato e a divulgação e publicitação de um modo mais “agressivo”, com o objetivo de alcançar outras metas, com uma maior aposta nos meios audiovisuais, é uma estratégia já pensada anteriormente, mas que tem de ser cabalmente realizada – sente-se que nos tempos modernos há que recorrer cada vez mais à visibilidade para que o trabalho realizado possa chegar a mais pessoas e ser mais reconhecido. Como parte dessa estratégia a continuação da promoção dos projetos e temáticas abordadas pela Opus Gay, no âmbito da sua atuação no terreno e junto dos diversos agentes sociais, educativos, políticos, etc., a utilização das plataformas digitais continuarão a ser melhoradas, com o intuito de melhor chegar aos diversos públicos, pois a informação é crucial e globalizante nos dias de hoje e já de há alguns bons anos a esta parte. Incluímos, desde já, o organigrama da nossa Associação, dado acharmos ser importante que se compreenda como as diversas funções internas estão interligadas. O presente organigrama, surgiu pelo facto de ser necessário espelhar as funções diversificadas necessárias ao bom funcionamento da nossa Associação, mas que carece de melhorias nos mais diversos aspetos, incluindo a motivação adequada dos diversos órgãos sociais, Página 1 Obra Gay Associação, Rua da Ilha Terceira, 34-2º - 1000-173 LISBOA www.opusgay.org | opusgay@opusgay.org tel.: 96 240 00 17


colaboradores pagos ou não pagos, incluindo o trabalho tão premente e necessário ao nível do voluntariado, que é parte relevante ao nível do Terceiro Setor. O organigrama foi estruturado quando da Formação em Qualidade e Gestão, na Fundação Manuel Violante, que foi aliás um ótimo requisito em sede do contrato programa firmado com a CML.

Assim, na sequência do Relatório de Atividades referente a 2017, destacamos a continuação da implementação do projeto LGBT Seniores: Contrariar Tendências, Eliminar Estigmas, com o Apoio da Câmara Municipal de Lisboa. A maior parte das ações ainda se encontra por realizar no início de 2018, por razões diversificadas, dado que num projeto com a duração de 12 meses, entre a estruturação do mesmo, os contactos a efetuar, agendamentos de reuniões externas e as respetivas ações previstas, incluindo o trabalho de investigação sobre os LGBT Seniores na região de Lisboa, tudo tem o seu tempo, os eventuais atrasos, mas que estamos confiantes que tudo será conseguido dentro do prazo estipulado, ou seja até 31 maio 2018; se bem que estamos a ponderar solicitar à CML um prolongamento de 2 meses para poder concluir o projeto, dado o atrasado verificado no pagamento da 1ª tranche por parte da CML, de cerca de 3 meses, e que causou alguns transtornos, que esperamos ultrapassar sem sobressaltos de maior. Para tal, temos planificadas reuniões de trabalho com algumas entidades relevantes, incluindo a J. F. Arroios, a Universidade Lusófona, a CML, entre outras, que culminem na prática na realização de Sessões, Palestras ou Workshops. Os resultados destas ações serão apresentadas em sede própria. Página 2 Obra Gay Associação, Rua da Ilha Terceira, 34-2º - 1000-173 LISBOA www.opusgay.org | opusgay@opusgay.org tel.: 96 240 00 17


Ainda em contexto do projeto LGBT Seniores, e no que toca à produção de vídeo, para cumprimento cabal do indicador 1, já que os restantes itens do indicador em referência foram devidamente cumpridos, pretende-se parceria com escolas de comunicação ou outras, na sequência de algumas das diligências levadas a cabo nesse sentido, ainda em 2017. Dado que temos algumas parcerias firmadas com a APF, Associação dos Amigos da Grande Idade, a própria J. F. Arroios, a Associação Entre Idades, a ANIMAR, etc., pretendemos alargar o espetro de parcerias, para além das parcerias históricas que não vamos indicar na totalidade, mas que destacamos: GAT, Espaço In Mouraria, Associação Abraço, Liga Portuguesa Contra a SIDA, etc. Quanto ao estudo sociológico, o mesmo está à responsabilidade do sociólogo contratado expressamente para tal, pelo que contamos ter as respetivas conclusões por ocasião da término do projeto, para que se possa submeter o Relatório Final do projeto. As ações de apresentação e divulgação, sensibilização, tertúlias, palestras, serão agendadas de acordo com as disponibilidades das variadas entidades com quem temos vindo a contactar e que só se confirmará mais tarde, no decurso dos primeiros meses do ano de 2018 e de que daremos conta no próximo Relatório de Atividades e Contas referente a 2018; De qualquer forma, temos agendada intervenção em colóquio, denominado Homofobia “Turn-Off”, no Colégio Atlântico, em que se irá apresentar o projeto LGBT Seniores, a OPUS GAY e abordar as questões da homofobia. Ações diversas, contemplando a Universidade Lusófona, o ISPA, diversas Juntas de Freguesia e e escolas, vão estar em estudo para ulterior consecução. Também no âmbito do projeto, há que nos focarmos na realização de vídeo sobre as questões do envelhecimento e da homossexualidade – sabemos que irá demorar um pouco, mas será realizado, já que é um dos requisitos do indicador 1, constante do contrato programa assinado com a CML. Para além das atividades e ações do projeto, teremos o quotidiano da associação, nas suas mais diversas vertentes de atuação, incluindo o Apoio Psicossocial, os reencaminhamentos para serviços relevantes, de acordo com as situações mais ou menos difíceis com que as pessoas que nos procuram se debatem, tais como, por exemplo, LGBTfobia, discriminações diversas, bullying, etc. É intenção dos órgãos sociais, nomeadamente, via Direção da Opus Gay e Direção Técnica, a submissão de candidaturas à CML, mas não só. Há que não estar dependente apenas de uma entidade, caso projetos não venham aprovados, pois as IPSS sobrevivem devido aos diversos financiamentos de projetos que vão tendo em fase de implementação no terreno. Candidaturas a nível nacional e internacional impõem-se, pelo que será de envidar esforços para que tal se concretize: CML, Alto Comissariado (Refugiados, Imigrantes, etc), EEA Grants, Comissão Europeia, entre outras entidades financiadoras. Página 3 Obra Gay Associação, Rua da Ilha Terceira, 34-2º - 1000-173 LISBOA www.opusgay.org | opusgay@opusgay.org tel.: 96 240 00 17


A MAC AIDS FUND, é uma organização financiadora americana, que também apoia a nível internacional, no âmbito do VIH/SIDA, pelo que seria oportuno submeter candidatura para prevenção nas escolas, com a componente acrescida no tocante às populações LGBTI, das mais variadas faixas etárias. Caso os mesmos fracassem, por motivos alheios à associação, além dos donativos mensais, poder-se-á recorrer aos fundos de socorro e emergência, da CML e da Segurança Social. O crescimento desejável de sócios para 2017 seria atingir os 75 sócios, o que continua a parecer-nos um número razoável sendo que, estrategicamente, nos deveríamos esforçar por sensibilizar e levar os sócios atuais a cumprirem a quotização regular, e, paralelamente, continuar a ser criativos, com o fito de angariar novos sócios – achamos que teremos de ser mais dinâmicos e convincentes nesta parte. Seria também importante ter um voluntário que trabalhasse estas questões de angariação de sócios, e, consequentemente, de quotas para ajudar à sustentabilidade da própria organização, tendo em mente que apenas com um número razoável de sócios pagantes, financiamentos aprovados para projeto, donativos e, a breve trecho, serviços a terceiros, em molde de formação, ou outro tipo de formato de sessões, o que seria desejável e alcançável para o corrente ano de 2018 e subsequentes. Uma sede cedida para a Opus ou sala de operações, que possa ser multifuncional são também prioridade que, mais do que nunca, se terá de conseguir para a homogeneização, eficiência e resultados práticos, tanto ao nível das diversas valências da Opus Gay (apoio psicossocial, aconselhamento sobre VIH/SIDA e outras IST, reencaminhamentos diversos para as mais variadas organizações. Para a nossa delegação do Funchal – Madeira, seria também desejável que um espaço adequado ao seu funcionamento, mais pleno e eficaz fosse conseguido, preferivelmente em termos de cedência. O seu coordenador, Paulo Spínola, deverá eventualmente efetuar os contactos tidos por adequados, estabelecer parcerias, sendo que a APF do Funchal é uma dessas parcerias. Seria entretanto oportuno a parceria com a Associação Abraço – Delegação do Funchal, cujo coordenador é o atual presidente da Abraço, Gonçalo Lobo O estabelecimento de novas parcerias chave estão em pauta também, para que o trabalho em rede, com a multiplicidade de técnicos e pares dos públicos-alvo com quem e para quem trabalhamos, possa chegar a bom porto e projetar a Opus Gay para mais além, no que tem sido o seu trabalho histórico.

Página 4 Obra Gay Associação, Rua da Ilha Terceira, 34-2º - 1000-173 LISBOA www.opusgay.org | opusgay@opusgay.org tel.: 96 240 00 17


Orçamento para 2017 Receitas Donativos Total Receitas Despesas Rendas e Alugueres Telecomunicações Electricidade Água Custos com projeto (previstos em 2018) Total Despesas

€ 22.038,00 6.600,00 28.038,00 3.884,40 520,00 920,00 650,00 20.576,00 26.550,00

A Direção, _________________ António Serzedelo (Presidente)

________________

_________________

Luís Gonçalo

Sandro Matos

(Vice-Presidente)

(Tesoureiro)

Página 5 Obra Gay Associação, Rua da Ilha Terceira, 34-2º - 1000-173 LISBOA www.opusgay.org | opusgay@opusgay.org tel.: 96 240 00 17

Plano de atividades e orçamento 2018  
Plano de atividades e orçamento 2018  
Advertisement