Page 1

As propostas da nova gestão do DCE Viração

Companhia Teatral Aurora é exemplo de coletividade

PÁGINA 4

Datas importantes do novo calendário acadêmico PÁGINA 3

Meteorologia da UFPel é a única do país a participar do Programa de Educação Tutorial da CAPES PÁGINA 10 PÁGINA 12


TWEETANDO @EduardoCosta1

UFPEL - O 1º semestre vai de 6 de maio até 31 de agosto. O 2º semestre começa em 7 de outubro e termina 17 de fevereiro de 2014. Que fase. - 15.02

@RafaelPecce Site do DRA da ufpel fora do ar, pq não estou surpreso? - 14.02

@Juusales Esperando ansiosamente pela chamada oral da UFPel! Louca louquinha pra conhecer mais bixos *-* VINGANÇA IS COMING HUHU 13.02

@mlpilla E lá se foi a luz no Campus Porto #ufpel 13.02

@sheronhonorato Não sei se eu estudo pra tentar medicina ufsc/ ufrgs/ufpel ou se eu viro uma hippie logo, não sei mesmo! - 12.02

@thayane_gb Acabou o carnaval, acabou a mordomia. De volta a realidade chamada UFPel ): - 12.02

O jornal impresso “O Projeto” surgiu a partir de um trabalho para a cadeira de jornalismo comunitário, do 4º semestre de jornalismo da UFPel. A criação deste projeto veio da necessidade de um meio de comunicação que pudesse informar os alunos sobre eventos e atividades que acontecem em cada curso da universidade.


/Pág. 3

COCEPE aprova novo calendário acadêmico Raphaela Suzin O Conselho Coordenador do Ensino, da Pesquisa e da Extensão (COCEPE) aprovou no dia 14 desse mês o Calendário Acadêmico de 2013. O primeiro semestre inicia em 6 de maio, terminando em 31 de agosto. O segundo semestre começa em 7 de outubro, sendo o último dia letivo 17 de fevereiro de 2014.

meses que a UFPel aderiu a greve,

ocorrendo ao mesmo tempo, os cursos da Universidade vão entrar em uma sincronia, já que depois da greve ficou tudo bem perdido”, afirma o aluno do 1º semestre de Design Digital, Marcel Farias. O estudante Gerson Dantas – 3º semestre de Engenharia Eletrônica – acredita ser indiferente para os alunos a coincidência das datas do evento.

genharia Civil, Alisson Giaretta não gostou das novas datas. “Os 45 dias de férias só atrasarão o nosso ano letivo”, comenta o aluno se referindo ao recesso que irá do dia 25 de mar-

OUTRAS DATAS

semestre de Engenharia Eletrônica aprovou o novo calendário. Para ele,

Confirmação de Matrícula por alunos ingressantes De 13 a 17 de maio Nos colegiados do respectivos cursos

A novidade para o ano letivo de 2013 é a reserva de períodos específicos para a realização das semanas

Trancamento Geral de Matrícula 1º de março de 2013

agosto. O CIC (Congresso de Iniciação Científica), Enpos (Encontro de Pós-Graduação) e Salão de Extensão também tem data pré-definida, de 18 a 23 de novembro.

UFPel tem mudado a rotina das festas promovidas pelos cursos da Uniideia sustentável para a diminuição

Murilo Assis, 21 anos, estudante do oitavo semestre de Engenharia Civil conta que a ideia surgiu ao organizar uma festa e perceber os gastos tidos com copos descartáveis, junto com a quantidade de lixo gerado. lizáveis são vendidos por dois reais. “Você deixa dois reais e vai curtir a festa com o seu copo. No final da noite, se não tiver interesse de ficar com o copo, você devolve ele na bancada

Aproveitamentos de disciplinas pelos ingressantes 29 de abril de 2013

e nós devolvemos o dinheiro. É bem simples”, explica Murilo. A ideia vem sendo colocada em prática desde novembro de 2012.

acadêmicas de todos os cursos da Universidade, de 29 de julho a 3 de

nos do curso de Engenharia Civil da

Na entrada da festa os copos reuti-

não tinha como o Conselho organizar as datas de outra maneira.

A iniciativa de um grupo de alu-

do lixo nas festas de Pelotas.

ço ao dia 6 de maio. Em contrapartida, Guilherme Terribele Leme do 3º

Karine Gobbi

versidade. O copo Eco_Lógico: uma

dividiu as opiniões entre os alunos. O estudante do 4º semestre de En-

da

“Com as Semanas Acadêmicas

O Calendário, que teve de ser adaptado devido aos quase três

Na onda ecologia

“Além disso, trabalhamos com isola-

Trancamento de Disciplinas A partir de 03 de junho de 2013

mento térmico nos copos, o que diminui o desperdício de bebida e é bom também”, brincou Murilo. Mais informações: facebook.com/copo.eco.logico


/Pág. 4

O DCE do diálogo Camila Feijó

a todas elas, somos formados de diferentes pensamentos e grupos, A chapa “Viração” é a nova podemos olhar as questões com mais representante dos alunos da de um ponto de vista, e quem ganha Universidade Federal de Pelotas é o estudante da UFPel”, garante. desde o início deste ano. Vencedora das últimas eleições com uma larga Dentre as suas propostas o vantagem de votos, a chapa conta DCE está defendendo a criação com projetos e ideias novas para de um centro de integração para despertar nos estudantes o desejo que os alunos de diferentes cursos de participar da construção da sua possam conviver entre si. Segundo universidade. o Coordenador de Esportes e Políticas Sociais Andrew Valadão, Há alguns anos os alunos da UFPel estudante do curso de Economia, “é enfrentam problemas repetitivos na importante que os cursos conheçam sua rotina: falta ou superlotação de as necessidades uns dos outros, ônibus para os campus, demora na conversem entre si, principalmente entrega da carteira estudantil, falta de aqueles que estão em locais mais interação entre os cursos, entre outros. isolados”. Para auxiliar na ideia, o Para Tony Sechi, Coordenador Geral novo prédio do diretório está aberto da atual gestão e aluno do curso de a todos. “Temos salas de estudos, Agronomia, embora tais problemas um local para reuniões e estamos pareçam pequenos, “acabam fazendo tentando ao máximo promover aqui a diferença”. encontros e integração entre todos”, A chapa, que surgiu apenas como afirma Valadão. um projeto que buscava integrar os O DCE diz estar ciente das atuais acadêmicos com a comunidade local reivindicações dos estudantes. contribuindo a partir de projetos de “Temos algumas propostas para extensão, promete olhar para todos levar à reitoria que não surgiram as direções. “Começos com um da noite para o dia, são estudos projeto chamado “Vira Ação”, que nossos, e queremos resolver o nos levou a pensar mais adiante e máximo possível”, diz Sechi. Sobre foi crescendo, até que resolvemos o transporte, principalmente para o concorrer para fazermos ainda mais”, campus Capão do Leão, uma das conta o coordenador, ressaltando que maiores das reclamações, Sechi o projeto segue existindo, buscando traz algumas ideias. “O ideal seria verificar as necessidades da cidade que esse transporte fosse uma de Pelotas e levar alunos da UFPel responsabilidade da UFPel e não de para trabalhar nelas. empresas particulares que visam o Para melhor auxiliar os estudantes lucro, pesquisamos muito para mostrar a nova palavra de ordem no DCE que isso é viável, mas depende de é o diálogo. Segundo Sechi, as outras burocrácias também.” Além reuniões agora contam com mais de disso, é exposta a ideia de interligar 30 participantes. “O envolvimento de os campus através do transporte.

foi lançada uma importante ação, o “DCE Itinerante”. A partir dele é possível, por exemplo, retirar a carteira estudantil, realizar reclamações, deixar sugestões e consultar as atividades do calendário. Dessa forma, o DCE quer visitar todos os prédios da universidade e levar mais comodidade. E a carteirinha estudantil já conta com uma novidade: pode ser retirada na hora. O DCE pretende ainda realizar um antigo sonho de trocá-la por um cartão magnético e realizar um convêncio com um maior número de lojas. Ainda em fevereiro o DCE pretende divulgar seu calendário completo de atividades, que inclui campeonatos esportivos, comemorações de datas importantes, como o Dia Internacional da Mulher, e demais eventos e festividades promovidos. Sechi e Valadão enfatizam que o atendimento na sede da entidade está sendo priorizado. “Há sempre alguém disponível para receber os alunos e dar orientações sobre as suas dúvidas, essa é uma das nossas prioridades”. O novo prédio conquistado pela gestão é localizado na Rua Gonçalves Chaves, nº 660, e está aberto à comunidade de segunda à sexta, das 9h30min às 19h30min, sem fechar ao meio-dia. O contato também pode ser feito pelo telefone (53) 39211325, ou então pelo site www.dceufpel.org

tantas pessoas permite uma maior

Para facilitar a vida dos estudantes diversidade de ideias e respeito e deixá-los mais próximos à entidade,

facebook.com/dceufpel2011


/Pág. 5

Um ano de parceria entre A burocracia Faculdade de Odontologia dos containers de atendimento e Prefeitura

Apoiado pelo governo federal, a fa-

culdade de odontologia recebeu dois containers, que são os chamados consultórios itinerantes. Eles têm por objetivo viabilizar uma maior facilidade de atendimento as comunidades. Os containers vieram para a faculdade, porém estão sob custódia do Hospital. Fazem parte de um programa do governo federal junto aos Hospitais-Escola, parceria do Ministério de Saúde com o Ministério da Educação. O entrave do início dos atendimenAlunos promovem consultas odontológicas para a comunidade pelo SUS. Foto: Gabriel Bresque

Gabriel Bresque A prefeitura de Pelotas e a faculdade de odontologia criaram um projeto para que houvesse atendimento

ficuldade no acerto dos detalhes que Destaque para a faculdade

um grande programa do Governo Fe-

de próteses dentárias nos pacientes. Pronto Socorro Há também atendimento no pronto socorro da cidade, onde todo o serviço de cirurgia e traumatologia, que

Hospital Escola realiza brechó solidário Nos dias 14 e 15 desse mês o hos-

deral, o “Brasil Sorridente”, que dispo-

de é a disponibilização da colocação

restam para que os consultórios co-

A faculdade ainda se destaca por mecem a funcionar.

faculdade. O trabalho está dentro de especial, seja ela física ou mental.

os postos de saúde, onde a novida-

ção do Hospital, troca de reitores da

as cirurgias de bucomaxilofacial são Universidade e pela posse do novo realizadas pelos próprios alunos. prefeito, Eduardo Leite. Isso traz di-

gratuito ao cidadão, tanto nos postos ser o único centro de atendimento para de saúde, quanto no próprio prédio da portadores de qualquer necessidade

nibiliza dentistas e ortodentistas para

tos passa pelas trocas da administra-

pital escola ofereceu para a sociedade

PRONTO SOCORRO DE PELOTAS

mais um brechó solidário. A renda do

Rua Barão de Santa Tecla, 834, centro.

sórios de decoração a preços acessí-

brechó, que ofertou calçados e acesveis, foi diretamente para o fundo de melhorias das unidades que atendem

CAMPUS DA FACULDADE DE ODONTOLOGIA Gonçalves Chaves, 457, centro.

pacientes do SUS de toda a cidade. A

comunidade

participou

do

evento retribuindo o trabalho que

é feito pela faculdade. É um serviço

os médicos e enfermeiros do hos-

que disponibiliza de plantão, onde

pital escola prestam à sociedade.


/Pág. 6

Projeto busca unir atividade física com a prevenção de doenças Raphaela Suzin Contribuir com o Sistema Único de Saúde em Pelotas. Este é o objetivo principal do projeto GEEAF-AB – Grupo de Estudos em Epidemiologia da Atividade Física com foco na Atenção Básica da Saúde.

Boscolo Del Vecchio - está se de- vidade física e na mudança de alguns dicando ao mapeamento geoespa- hábitos é um dos nossos desafios.”, cial das Unidades Básicas de Saú- conta o participante do projeto e estude (UBS) da cidade, à participação dante de Educação Física, Cristiano nas reuniões do Conselho Municipal Dall’Agnol. de Saúde e à atuação na UBS Areal Fundos. “Em cada encontro são elencados tópicos de discussão e as

O grupo especializado nas Atenções Básicas trabalha desde 2010.

E de acordo com o seu coordenador, O grupo se reúne semanalmente frentes de ação, além da apresentanão há uma prévia para que ele seja para estudar a coletividade social e ção de artigos da área, para o apriconcluído, muito pelo contrário, o obcomo ela se relaciona com a ativida- moramento acadêmico-científico dos jetivo é dar continuidade. “Temos a de física. A partir do resultado desse membros”, explica o professor Fabríideia de não se vincular a nenhum objeto estudado, pretende-se estimu- cio. projeto de pós-graduação específico, lar a prática do exercício, como forma O trabalho do grupo são se limita para que o nosso projeto não termine de saúde e proteção contra agravos ao estudo científico. “Informar e cons- com uma tese ou dissertação”, diz o de doenças. cientizar as pessoas que estão nas professor. No momento, o projeto - que é co- UBS quanto aos benefícios que elas ordenado Professor Doutor Fabrício podem obter a partir da prática de ati-

Professor da UFPel auxilia vítimas de Santa Maria Mateus Bunde O professor do curso de psicologia Ney Bruck, doutor em Psicologia das Emergências e docente em cursos de primeiros auxílios psicológicos na área da Saúde (SAMU) e da Segurança Pública, foi a Santa Maria dar auxilio as famílias e amigos do incêndio na boate Kiss, permanecendo por 10 dias na cidade. Sua principal ação na foi trabalhar pela união dos quase 3oo alunos de medicina veterinária da UFSM, um dos cursos que mais perdeu alunos

na boate.

Jornal SINAPSE chega a sexta edição O Jornal Acadêmico SINAPSE, lançado pelos graduandos do curso de medicina, destaca em sua sexta

Bruck também participou como pa- edição o Centro de Pesquisas Epilestrante no curso de Formação Inicial demiológicas e entrevista o professor do Pacto Nacional pela Alfabetização de educação física Pedro Hallal. na Idade Certa, com sua palestra intitulada “A psicologia das emergências

É o terceiro ano da publicação,

com crianças”, que aconteceu no dia que é vinculada ao comitê local da 6 de fevereiro e contou com a partici- Educação Médica da IFMSA-Brazil pação de 400 professores.

(International Federation of Medical Student´s Association - Brazil), ONG

#FORÇA SANTA MARIA

que reune estudantes da área médica de todo o mundo. Mais informações: facebook.com/jornalsinapse


/Pág. 7

Curso de economia cria associação atlética acadêmica Mayara Fernades O curso de economia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) criou no dia 9 de fevereiro de 2013 a Associação Atlética Acadêmica Mário Henrique Simonsen (AAAMHS). “A ideia surgiu em função da demanda dos alunos pelo esporte universitário”, explicou Laercio Darley Lopes, presidente da atlética do curso de economia.

incentivar a pratica de esportes pelos alunos, e promover a interação entre os cursos da universidade já que as competições e jogos amistosos, são feitos entre cursos, “grande parte dos discentes da UFPel praticam ou praticavam algum esporte, ou até mesmo querem começar a praticar, as atléticas tem como função principal unir e integrar todos esses alunos,tanto com eventos internos ou externos”, explicou Laercio.

Há necessidade de criações de atléticas nos cursos da UFPel, e esse foi também um dos motivos que incentivou os alunos da economia à desenvolverem uma associação atlética acadêmica da economia. Além de instituir a atlética do curso, os alunos esperam também estar incentivando os outros cursos na construção de suas próprias atléticas.

A atlética da economia já tem alguns eventos agendados para o mês de março: um jogo de futsal amistoso masculino e feminino com a atlética do curso de relações internacionais, e um jogo amistoso de basquete masculino com a atlética do curso de direito. Laercio também conta sobre o Universipraia, que é um evento esportivo entre universitários As associações atléticas nas da região sul do páis. “o cronograma universidades têm como objetivo ainda não está pronto, mas o evento

costuma ser realizado em outubro, são jogos universitários de praia, ano passado o evento foi realizado em Santa Catarina”, comentou Laercio. “O maior problema está na falta de estrutura da UFPEL para a prática esportiva, se mostrarmos essa demanda, vamos conseguir melhorar a estrutura da UFPEL e levar o nome da nossa universidade em eventos externos, isso sem falar no desenvolvimento do esporte em Pelotas e na integração com os alunos”, comenta Laercio sobre os problemas que as atléticas enfrentam na UFPel, mas se os cursos mostrarem demanda, ou seja, se cada curso criar a sua atlética, ficará mais fácil de ir atrás de incentivos que a universidade possa proporcionar para as praticas de esportes entre os alunos.

Estudantes aprofundam conhecimento nas Ciências Políticas Raphaela Suzin Estudantes de diferentes cursos da UFPel buscam na política um aprofundamento profissional, acadêmico e pessoal. São alunos de 15 cursos diferentes que se matricularam na cadeira optativa de Ciências Políticas para ampliar seus conhecimentos. O aluno de Jornalismo, Henrique Barum, busca uma especialização da sua área. “É necessário para a minha profissão conhecer um pouco de tudo. Acho que o jornalista tem o dever de entender o contexto político que vivemos hoje”, comenta o estudante.

O interesse pessoal também foi uma das motivações dos alunos. Cursando o 4º semestre de Jornalismo, Luiz Ricardo Hüttner conta que a curiosidade pela política veio de família: “Minha mãe sempre gostou e praticou política, mas sem receber nada em troca, o que sempre me fez crer que a política pode mudar a vida das pessoas.”. Cursar uma cadeira de uma área diferente pode ser muitas vezes desafiador para o estudante. Mas não apenas para eles. O professor responsável por ministrar a aula, o cientista político Cristiano Engelke, conta sua experiência: “Eu não

sabia os interesses, formações, posicionamentos dos alunos. Acredito que esteja sendo uma boa experiência não apenas para mim, mas para os estudantes também.”. A aula é enriquecida com o conhecimento das áreas de cada aluno. E as discussões políticas, muitas vezes, se focam em algum assunto específico dos cursos dos estudantes: filosofia, jornalismo, psicologia, turismo, engenharia sanitária ambiental, letras, música, administração, dança, teatro, geografia, antropologia, enfermagem, terapia ocupacional e pedagogia.


/Pág. 8

UFPel aposta no crescimento energético brasileiro Karine Gobbi O curso de Engenharia de Petróleo foi criado na Universidade Federal de Pelotas (UFPel) em 2009, com o objetivo de integrar a região ao mapa do desenvolvimento das geociências, tecnologias e da engenharia no Rio Grande do Sul. O curso possui cinco turmas matriculadas e a primeira se forma com a conclusão do semestre 2013/2. A área abre a possibilidade de es-

Turma do quarto semestre de Engenharia do Petróleo em saída de campo. Foto: divulgação

tudos, pesquisa e extensão comple- tróleo de alta qualidade.

Brasil, o Encontro de Engenharia de

mentares a demais cursos, como,

Exploração e Produção de Petróleo

por exemplo, engenharia geológica, geoprocessamento e engenharia de materiais. A implantação de tal curso de graduação preenche a carência de estudos sobre recursos naturais energéticos, como óleo e gás nas bacias sedimentares brasileiras, com ênfase na Bacia de Pelotas, além de outras bacias sedimentares com recursos energéticos fósseis.

O reduzido número de cursos de graduação em Engenharia de Petróleo no país e o crescimento da demanda por profissionais desta área no mercado petroleiro marcou a importância da implementação de um curso desse porte no sul do estado. Atualmente em todo país são oferecidos 20 cursos de Engenharia do Petróleo e somente oito deles já foram aprovados pelo MEC. Na UFPel, a

O aluno Otávio Neves, estudante vistoria para validação do curso está do quarto semestre de Engenharia marcada para esse ano. do Petróleo, explica um pouco da necessidade de cursos de graduação

O curso é divido em 10 semes-

(X ENGEP). Os trabalhos apresentados foram considerados como destaque do Encontro, obtendo o segundo e o terceiro lugares, o que certifica a qualidade acadêmica. Ainda em 2012, o curso passou a ser membro da The Society of Petroleum Engineers (SPE), a principal sociedade de Engenheiros de Petróleo que reúne profissionais de vários segmentos da indústria de petróleo e gás, cientistas e estudantes de diversos países. Além disso, o Programa Ciência

tres, 55 cadeiras ofertadas e três op- sem Fronteiras gratificou nove alunos que estudem recursos energéticos “o tativas. Além das aulas presenciais, com bolsas de estudos em diferencenário atual do mercado energético são feitas saídas de campo para as tes países, como Canadá, Inglaterra, brasileiro prevê um déficit de 200 mil cadeiras de Paleontologia, Sedimen- Austrália e Portugal. A Engenharia profissionais até 2015 para as áreas tologia, Petrologia Ígnea e Estratigra- de Petróleo vem tomando grandes de produção, exploração e refino do fia. São oferecidas 50 vagas em dois proporções, Otávio diz que escolheu petróleo. A Petrobras investirá cerca o curso “pelo mercado de trabalho ingressos de 25 alunos cada. de 70 bilhões de dólares na área até promissor crescente no Brasil, vasta Em 2012 os alunos da Engenha2016”. Além disso, empresas muloportunidade de trabalho em diversas tinacionais têm focado e apostado ria de Petróleo da UFPel se destaáreas e a possibilidade e facilidade caram em um dos maiores eventos cada vez mais no Pré-Sal por aprede trabalhar em outros países, além de acadêmicos e profissionais do sentar grandes reservatórios de pedos salários bastante atrativos”.


/Pág. 9

Meteorologia da UFPel é a única do país a participar do Programa de Educação Tutorial da CAPES Mayara Fernandes

os ensinamentos adiante”, explicou meteorologia”, explica Juliana.

O Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de meteorologia da UFPel existe desde 1991, e é o único PET de meteorologia do país.

Juliana

Suleiman,

aluna

do

semestre de meteorologia, e bolsista do PET meteorologia.

O PET meteorologia da Ufpel realizará mini cursos nas próximas semanas. No dia 21 de fevereiro no

Cada um dos 12 alunos do Mercosul às 19:30h, a professora Aline

Formado por um professor tutor e 12 PET meteorologia realiza iniciação Bilhalva, mestranda em Meteorologia alunos/bolsistas, o PET é um grupo de cientifica

com

um

professor.

O no Instituto Nacional de pesquisa

estudos para a melhoria do ensino da objetivo é a inserção do aluno no meio Espaciais (INPE) irá ministrar o graduação e financiado pela CAPES científico, com o estudo elaborado seminário

sobre

“Influencias

dos

(Coordenação de Aperfeiçoamento do aluno contribuindo para o mundo fluxos de calor em superfície no de Pessoal de Nível Superior).

cientifico acadêmico. Ao longo do inicio e no final da estação chuvosa

O projeto visa o desenvolvimento de pesquisas na área de meteorologia, e também, a integração entre os alunos. Há cooperação em grupos de estudo,

projeto cada aluno deve publicar um sobre

a

região

centro-oeste

do

artigo sobre a pesquisa realizada no Brasil”. O professor Gustavo Rasera, ano junto com o professor orientador. mestrando na área de Meteorologia Além da elaboração de pesquisa

com o intuito da melhoria das notas. e artigos, os bolsistas do PET dão No PET são feitas também atividades monitorias para todos os alunos de fora do âmbito da universidade, graduação da UFPel, “como no nosso

de Mesoescala na UFPel, ministrará às 21:20h o

seminário sobre “A

técnica ForTrACC e suas aplicações”. No dia 3 de março o professor

visando à integração do curso com no curso de meteorologia a carga das do curso de meteorologia da UFPel, a comunidade de Pelotas, por meio disciplinas de física e matemática é Paulo Roberto Foster, doutor em de atividades como o “PET na rua” e muito grande, oferecemos monitorias Física da Atmosfera pela Université “PET Ação”, onde os alunos levam os para os alunos que necessitem de de Toulouse III na França e pós-doutor ensinamentos da meteorologia para ajuda nessas matérias, e também pela Universidade de São Paulo (USP), os cidadãos pelotenses. “É

muito

importante

oferecemos mini cursos para toda a irá ministrar o seminário “Distribuição essa

integração entre a comunidade e o meio acadêmico, eu participei do PET Ação, é um projeto em que visa

comunidade acadêmica, com temas granulométrica variados.

Também

da

precipitação:

organizamos análise e processamento dos dados”.

palestras, idas à congressos e visitas às 8h o seminário no CLAF (Centro técnicas a centros operacionais de de Lazer e Atividade Física).

à aproximação de crianças carentes com a universidade. Cada PET de uma área especifica mostrava o que seu curso realizava. Nós da meteorologia mostramos como é feita a previsão do tempo, como que o tempo pode influenciar a vida das pessoas e maneiras de se proteger no caso de tempestade elétrica. Foi um aprendizado para eles, e para nós. Esses projetos são uma forma de colocarmos em pratica tudo que aprendemos na sala de aula e passar

Bolsitas do PET Meteorologia em visita técnica do grupo pet no instituto tecnológico simepa. Foto: divulgação


Fevereiro de 2013/Pรกg. 10

XALASSA FIM DO MUNDO - 08.12.2012


Pรกg. 11

NEM TUDO QUE ร‰ BOM ENGORDA - 30.11.2012

BETONADA DA CIVIL - 24.11.2012


/Pág. 12

Criatividade e Coletividade trabalhando juntas Luiza Sperrhake Inspirada na criação coletiva, com mais de 40 atores na mesma cena, da companhia teatral francesa Le Théâtre du Soleil, surge em Pelotas a Companhia Teatral Aurora. Formada em 2012, a Cia completou em fevereiro um ano de existência. O grupo formou-se durante um projeto de Encenação I, que se trata de uma cadeira onde o aluno desenvolve o papel de direto, coordenado pela professora Martha Grill. Martha, que se apaixonou pelo complexo sistema criativo dos franceses, reuniu 11 pessoas das áreas de dança, música, teatro e filosofia dando assim inicio a Aurora.

lho de 2012. Intitulado Cabaré Aurora, a apresentação aconteceu no tablado do curso de teatro da UFPel. A peça contou ainda com mais duas apresentações, uma no João Gilberto Bar em agosto do mesmo ano como programação do I Festival de Inverno de Pelotas e outra em novembro na Biblioteca Publica Pelotense. Em 2012 os estudantes do grupo participaram de algumas oficinas do IV Festival de Teatro de Rua e do Porto Alegre em Cena e a partir dar percepções obtidas desenvolveram o projeto Outubro

A oportunidade de participar

Teatral. Este projeto consistiu em de uma companhia de teatro prouma semana de oficinas ministra- porciona aos alunos experiências das pelos integrantes da Cia. Tea- e troca de saberes. Para Arthur tral Aurora. A partir deste proposta Malaspina, estudante do quarto

O espetáculo de estreia da Com- surgiu a Dionisia Urbana, evento semestre de teatro e participante panhia Teatral foi realizado em ju- que acontece no primeiro domingo da Aurora, a produção coletiva é de cada mês e reúne várias lingua- o principal ponto a ser trabalhado gens artes (dança, música, teatro e “Participar de uma companhia de artes visuais). O ano também foi de conquistas para a Aurora. O grupo foi contemplado com o Pró Cultura, que será executado ao longo de 2013. A proposta será realizar aproximadamente 15 apresentações gratuitas por diversos locais de Pelotas, desde o centro até a periferia, levando o teatro para toda a comunidade. Em 2013 o grupo também produzira um espetáculo infantil, com data de estreia prevista para Março.

teatro é algo fantástico, pois a criação é totalmente coletiva, desde a cena até os figurinos e maquiagens” relata o estudante. Para ele, o teatro é um encontro e o trabalho coletivo permite uma grande formação para o ator.


/Pág. 13

Quentin Tarantino incentiva o debate entre alunos Vicente Pardo O que se pode fazer quando não existe o debate necessário entre os alunos para que o conteúdo discutido na sala de aula seja compartilhado? Foi percebendo essa carência que nasceu a ideia do estudante de Design Digital da UFPel, Renan

Exportifólio: design e integração

ciclo é a “facilidade” de observar em seus filmes os temas propostos para o debate. “Não digo relativamente fácil de analisar, mas existem muitos elementos recorrentes dentro da direção de arte que podíamos usar”, comenta Lunardello. Observar a direção de arte da

Humberto Lunardello Fonseca, de película é o grande diferencial do criar um ciclo de cinema cujo alvo clico em relação a outros tantos maior das discussões fosse ligado à projetos, que envolvem o cinema,

Reinaugurar o centro acadêmico, antes inativo e promover a integração dos cursos de design foram as motivações para a criação do Exportfólio. Com duas edições por ano, uma em cada semestre, a exposição ajuda na divulgação dos trabalhos acadêmicos dos alunos e reúne os cursos de design da UFPel.

O Exportfólio foi criado em 2011 direção de arte. Diferentemente de feitos dentro do Centro. Enquanto os como intuito de divulgar trabalhos outros inúmeros projetos voltados à cursos de cinema debatem roteiros, produzidos pelos estudantes dos sétima arte já existentes no Instituto personagens e outros cursos de cursos de design gráfico e digital. A idealizadora do projeto é a estudante de Arte e Design da Universidade. arte debatem o que se é mostrado do sexto semestre de design gráfico, na tela, o ciclo realizado pelo design Karen Radünz, 25 anos. “O pesso“A ideia do ciclo de debate é visa debater o que está por trás das al entra pro curso e não sabe direito porque o pessoal do design não tem escolhas sobre o que foi mostrado no como funciona. A intenção é mostrar o costume de debater. É um pessoal o trabalho dos veteranos pra todos filme. Como, por exemplo, o porquê conhecerem”, relata o estudante e muito quieto”, afirma Lunardello. A do uso de certo contraste de cores coordenador de Ensino, Pesquisa e pouca troca de pontos de vista e Extensão do Centro Academico de em uma cena específica. argumentações dos alunos também Design (CADE) , Felipe Rommel. serviu de combustível para que o O ciclo acontece toda terça-feira, a O projeto também promove a inteestudante de 22 anos tirasse os partir das 19h no auditório do Centro gração dos cursos de design gráfico e planos de criação do ciclo do papel. de Artes da UFPel. A participação é digital “a gente reparava que o design Ana Paula Penkala, orientadora gratuita e aberta à comunidade. Para digital e o design gráfico eram muito separados, o pessoal nem se conhede Renan e professora que atua a comunidade acadêmica, aqueles cia.” comenta Bruna Gugliano, aluna tanto nos cursos de design como que se inscreverem no projeto e do sétimo semestre de design digital cinema, sentiu-se atraída pela ideia tiverem 75% de presença garantem e coordenadora geral do CADE. A mostra de trabalhos ajuda na comue aproveitou o interesse em comum um certificado. nicação e proporciona aos alunos o pelo tema para ajudar na criação do conhecimento das disciplinas exisCiclo de Cinema e tentes em ambos os cursos. “Assim, projeto. Debates em Design de a gente sabe o que acontece, quem A escolha por Quentin Tarantino Produção – Vol. 1 [Tarantino] é do digital sabe o que tem no gráfico e vice versa. Quando a pessoa quer deu-se, primeiramente, pela fazer uma disciplina nova, ela acaba popularidade do diretor que já conhecendo na exposição” completa Toda terça-feira ganhou prêmios importantes do Bruna. A partir das 19h cinema, aspecto que com certeza O coquetel da mostra ocorrerá dia No Auditório do Centro de Artes chamaria muita atenção do público. 22 de fevereiro as 19h 30min, no esda UFPel – Rua Cel. Alberto paço de convivência dos centros acaOutro ponto que pesou para escolha dêmicos, entre os prédios do CA e da Rosa, 62 do diretor de “Pulp Fiction” como FAUrb. A exposição é gratuita e aberEntrada franca o primeiro tema a ser debatido no ta a comunidade.


/Pág. 14

A moda no calor das salas de aula Jéssica Barz e Raiza Medina Esse ano os alunos da Universidade Federal de Pelotas se depararam com uma situação diferente. A greve que começou no mês de agosto durou até outubro de 2012, forçando os alunos a estudar no verão, época que não combina com salas de aula, trabalhos e afazeres escolares. Assim, os alunos tiveram que se habituar e encontrar um modo de enfrentarem o calor, optando assim por roupas mais fresquinhas e confortáveis, mas sem perder o estilo. Uma das tendências deste verão são as camisas, tanto masculinas como femininas, neon ou transparentes, básicas ou customizadas: é o estilo summer 2013. Os estudantes abusaram dessa tendência, já que o tecido leve é perfeito para os dias de calor. Durante o dia combinam com acessórios que deixam o look arrumadinho, mas não exagerado, perfeito para ir à aula. À noite também podem ser usadas e é permitido abusar das pedrarias para compôr o visual e atrair todos os olhares. Falando em pedrarias e acessórios, estes não podem faltar no gurdaroupa. Os maxi colares estão em alta e podem ser usados em qualquer ocasião, dos coloridos aos mais neutros combinando com todas as situações. As pulseiras que nunca saem de moda, este verão estão no ápice. Uma, duas, três ou até mais podem e devem se fazer presentes. Vestidos e saias são necessários nesta estação, mas nenhum substitui o short, peça de roupa nunca sai de moda. As estudantes da UFPel amam os shorts coloridos, com tachas e customizados. Os meninos da UFPel também vem seguindo tendências. Entre

eles o mais usado foi o chapéu. Este acessório, além de ser importante por proteger contra os raios solares, tem o seu valor quando a questão é estilo. O mais usado foi o modelo Fedora. Clássico, elegante e estiloso o chapéu que de aba média e inclinada é ótimo para os dias de sol. Vale arriscar o acessório!

AGENDA Exposição Pons Dulcis Sulinas Local: Galeria do Centro De Artes Das 9h as 12h e das 14h as 18h De 13/12/2012 a 21/ 02/2013

Inscrições para o Prémio Satolep Universitário de Artes Visuais Local: Câmara de extensão do CA/UFPel Das 14h as 17h De 06 a 20 de fevereiro

Núcleo de desenho e quadrinhos – Aula aberta sobre quadrinhos com Sandro Andrade Local: Auditório do Centro de Artes O estudante de artes visuais, Giovanni

Às17 horas

Bosica, 22 anos, não deixou de lado o seu

Dia 18 de fevereiro

chapéu, que além de super despojado caiu muito bem com a escolha da roupa.

Cores e estampas Desde o ano passado a moda é não combinar as peças de roupas entre si e com acessórios, e agora não é diferente. A inovação são as estampas. Sejam florais ou geométricas, elas estão presentes em tudo, são tendência e ficam lindas quando combinadas com peças lisas de cores vibrantes. Não tenha medo de abusar! E já que o destino é ficar dentro das salas de aula até março vamos colorir e deixar que o espírito summer tome conta.

Ciclo de Cinema e Debates em Design de Produção – Sin City Local: Auditório do Centro de Artes Às19 horas Dia 19 de fevereiro

Ciclo de Cinema e Historia da arte – Em busca da terra do Nunca Local: Auditório do CEARTES Às 19 horas Dia 22 de fevereiro

Jornal O Projeto  

Jornal universitário do curso de jornalismo da UFPel

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you