Issuu on Google+

DIRECTOR: RUI ALAS PEREIRA |SÉRIE II ANO XI N.º 823

21-12-2012 | SEMANÁRIO | PREÇO: 1,50 EUROS IVA INCLUÍDO Taxa paga | Devesas - 4400 V.N. Gaia | Autorizado a circular em invólucro de plástico fechado | Autorização n.º 26 de 2026/00

www.motor.online.pt

ALEMANHA VENCE TAÇA DAS NAÇÕES PELA SEXTA VEZ CONSECUTIVA

C AMPEÃO DOS CAMPEÕES Francês Romain Grosjean bate forte concorrência

NA HONDA DO TÍTULO

ÁFRICA ECO RACE Elisabete Jacinto corre para o pódio

DAKAR 2013 HÉLDER RODRIGUES PROMETE LUTAR PELA VITÓRIA NAS MOTOS


2

21 de Dezembro de 2012

Corrida dos Campeões 2012

Lenda de Le Mans batida na final de Banguecoque

Grosjean supera forte concorrência O francês Romain Grosjean, que este chegou a brilhar nas pistas da Fórmula 1, foi o grande vencedor da Corrida dos Campeões 2012, 25ª edição da prova que teve lugar no passado fimde-semana em Banguecoque, capital da Tailândia. Depois de eliminar Vettel e Schumacher, o segundo piloto da Lotus bateu na grande final a lenda de Le Mans, Tom Kristensen. “Tive de enfrentar Vettel nos quartos-de-final e depois Michael Schumacher na semi-final, os dois pilotos alemães que me bateram na final da Corrida das Nações. Na final, com Tom, como tinha corrido com ele antes, já sabia o que me esperava. Tive um pouco de sorte extra para estar no carro certo no momento certo, mas senti-me muito bem”, explicou o novo Campeão dos Campeões.

O piloto francês de Fórmula 1, Romain Grosjean, teve um desempenho impressionante para eclipsar 15 superestrelas e assim garantir a vitória na Corrida dos Campeões, uma noite de grandes emoçoes no Estádio Rajamangala de Banguecoque. Após a vitória da equipa alemã sobre a França na Taça das Nações, precisamente contra Romain Grosjean, o piloto francês da Lotus conseguiu uma prestação assinalável, batendo grandes nomes do automobilismo mundial e numa variedade de carros diferentes. Na grande final, Grosjean venceu uma das lendas de Le Mans, Tom Kristensen, à melhor de três, e assim tornou-se Campeão dos Campeões pela primeira vez. Kristensen, que também realizou uma excelente prova, corria atrás do seu primeiro título dos Campeões, mas acabaria por ser derrotado pelo jovem francês, que venceu ambas as mangas e festejou uma vitória inédita. “Isto é o que eu chamaria de um

dia louco! Ficou um pouco difícil na fase de grupos, mas lá consegui passar por isso. Então, depois tive que enfrentar Sebastian Vettel nos quartos-de-final e depois Michael Schumacher na semi-final, precisamente os pilotos alemães que me tinham batido na final da Taça das Nações. Na final, com o Tom, como tinha corrido com ele antes, já sabia o que me esperava... Tive um pouco de sorte extra para estar no carro certo no momento certo, mas senti-me muito bem”, começou por explicar o novo Campeão dos Campeões. “Tive um final de temporada algo difícil na Fórmula 1, mas finalmente consegui voltar ao pódio ontem (sábado), e agora isto! É ótimo obter esta vitória e quero agradecer a todos na Tailândia, porque o acolhimento foi sempre fantástico”, concluiu Romain Grosjean. Batido na grande final, Kristensen já vai na sua 12ª Corrida dos Campeões, mais do que qualquer outro piloto em pista.

Grupos da Corrida dos Campeões Grupo A

Sébastien Ogier, estrela do WRC estrela e ‘Campeão dos Campeões’ ROC Jamie Whincup, Campeão de Supercar V8 em 2012, 2011, 2009 e 2008 David Coulthard, Campeão de Fórmula 1 e 13 vitórias em Grandes Prémios Benito Guerra, Campeão do Mundial de Ralis Produção 2012 Grupo B

Tom Kristensen, oito vezes vencedor das 24 Horas de Le Mans Andy Priaulx, três vezes Campeão do Mundo de Carros de Turismo Ho-Pin Tung, o mais rápido qualificador da ROC Ásia Nattavude Charoensukawattana, vencedor da ROC Tailândia Grupo C

Sebastian Vettel, Campeão do Mundo de Fórmula 1 de 2012, 2011 e 2010 Jorge Lorenzo, Campeão do Mundo de MotoGP de 2012 e 2010 Mick Doohan, cinco vezes Campeão do Mundo de 500cc e MotoGP Tin SRITRAI, vice-campeão da ROC Tailândia Grupo D

Michael Schumacher, sete vezes campeão mundial de Fórmula 1 Ryan Hunter-Reay, IndyCar Series Champion 2012 Kazuya Ohshima, o segundo mais rápido da qualificação ROC Ásia Romain Grosjean, três pódios da Fórmula 1 em 2012


Corrida dos Campeões 2012

O piloto francês de Fórmula 1, Romain Grosjean, teve um desempenho impressionante para eclipsar 15 superestrelas e assim garantir a vitória na Corrida dos Campeões, uma noite de grandes emoçoes no Estádio Rajamangala de Banguecoque. Após a vitória da equipa alemã sobre a França na Taça das Nações, precisamente contra Romain Grosjean, o piloto francês da Lotus conseguiu uma prestação assinalável, batendo grandes nomes do automobilismo mundial e numa variedade de carros diferentes. Na grande final, Grosjean venceu uma das lendas de Le Mans, Tom Kristensen, à melhor de três, e assim tornou-se Campeão dos Campeões pela primeira vez. Kristensen, que também realizou uma excelente prova, corria atrás do seu primeiro título dos Campeões, mas acabaria por ser derrotado pelo jovem francês, que venceu ambas as mangas e festejou uma vitória inédita. “Isto é o que eu chamaria de um dia louco! Ficou um pouco difícil na fase de grupos, mas lá consegui passar por isso. Então, depois tive que enfrentar Sebastian Vettel nos quartos-de-final e depois Michael Schumacher na semi-final, precisamente os pilotos alemães que me tinham batido na final da Taça das Nações. Na final, com o Tom, como tinha corrido com ele antes, já sabia o que me esperava... Tive um pouco de sorte extra para estar no carro certo no momento cer to, mas senti-me muito bem”, começou por explicar o novo Campeão dos Campeões. “Tive um final de temporada algo difícil na Fórmula 1, mas

finalmente consegui voltar ao pódio ontem (sábado), e agora isto! É ótimo obter esta vitória e quero agradecer a todos na Tailândia, porque o acolhimento foi sempre fantástico”, concluiu Romain Grosjean. Batido na grande final, Kristensen já vai na sua 12ª Corrida dos Campeões, mais do que qualquer outro piloto em pista. Apesar disso, o dinamarquês de 45 anos de idade, que continua a brilhar nos palcos de Le Mans, espera estar de volta para mais. “Este foi o 25º ano desta corrida e Romain é um vencedor digno”, disse Kristensen, acrescentando: “ El e t e v e u m d o mingo muito bom. E eu estou chegando mais perto cada ano que passa! Foi um pequeno espaço entre nós em cada uma das eliminatórias e apenas cometi pequenos erros, mas esse é o desafio da Corrida dos Campeões: a saltar em carros diferentes. No começo, tive uma corrida muito divertida no Audi contra Ogier. Creio que foi a volta mais rápida do fim de semana e é isso que eu vou levar daqui. Mesmo que eu tenha um pouco mais de 25 anos de idade que Romain, isso mostra que ainda sou muito rápido se tiver um bom carro. Este foi o ano mais quente da Corrida dos Campeões em que já competi, graças também às pessoas que nos acolheram e que adoram ter-nos aqui. Ainda sou um jovem... por isso talvez um dia tenha a chance de ganhar”. Nas meias-finais, Schumacher parecia imparável na corrida pela final, mas deparou-se com um Grosjean inspirado na busca do seu primeiro título, enquanto na

outra meia-final o veterano David Coulthard era “espancado” por Tom Kristensen. Depois de partilhar o sucesso com Schumacher na noite passada, o tricampeão mundial de F1, Sebastian Vettel, foi eliminado nos quartos-de-final, pelo segundo ano consecutivo, também por Grosjean. Face a uma batalha apertada, Vettel cometeu um erro e deu um toque fatal numa barreira. O campeão dos campeões do ano passado, Sébastien Ogier, foi afastado por Kristensen, numa inversão do resultado do ano passado da grande final. Coulthard venceu Ho-Pin Tung da China, enquanto Schumacher vencia a lenda dos 500cc e MotoGP Mick Doohan.

21 de Dezembro de 2012

3


4

Corrida dos Campeões 2012

14 de Dezembro de 2012

Taça das Nações ROC

Alemanha soma sexta vitória consecutiva Michael Schumacher e Sebastian Vettel somaram, em Banguecoque, o sexto titulo consecutivo na Taça das Nações ROC. A dupla alemã bateu, na grande final por 2-0, o par francês, formado por Romain Grosjean e Sébastien Ogier. A equipa All Stars (Jorge Lorenzo e Tom Kristensen) e o Team Australia (Jamie Whincup e Mick Doohan) atingiram as meias-finais.

Em mais uma noite quente na capital tailandesa, várias lendas mundiais do desporto automóvel uniram-se em pares para a batalha de orgulho nacional. Todos os pilotos correram com uma mistura de carros, incluindo o Audi R8 LMS, VW Scirocco, Lamborghini Gallardo Super Trofeo e o Toyota GT86, numa pista especialmente construída no Estádio Rajamangala. Para coroar uma noite de grande ação, no duelo franco-alemão, Schumacher e Vettel levaram a melhor na Grande Final sobre Sébastien Ogier e Romain Grosjean. Primeiro Schumacher derrotou Grosjean e depois Vettel venceu

Ogier na ‘batalha dos SEBS’. O resultado fez com que a dupla alemã conseguisse numa noite dez vitórias em outras tantas corridas. “Este é um dia histórico. Já era muito especial ganhar cinco vezes seguidas, mas este novo recorde só nos dá ainda mais alegria. A Corrida dos Campeões é um evento muito agradável, com um bom set-up, há sempre grandes pilotos e a concorrência é muito apertada. Nós estávamos com algum receio da equipa francesa, mas na grande final eles perderam algum e nós tivémos a sorte de ser consistentes em todo o percurso”, referiu Michael Schumacher.


Corrida dos Campeões 2012 “Para o Michael conseguir seis títulos consecutivos é algo muito especial. Seis anos é muito tempo e agora nós, equipa alemã, podemos olhar para trás e saber que ganhámos nestes últimos seis anos. Todos nós adorámos vir aqui, pois é um evento fantástico. É um privilégio e uma honra correr com pilotos desta qualidade. Há uma coisa que nos liga a todos, que é o gosto pelas corridas, e espero permanecer na competição o maior tempo possível”, frisou Vettel. Apesar de batida na grande final, a formação francesa, de Ogier e Grosjean, também teve uma boa noite, superando o seu grupo e depois ao derrotar a equipa All Stars (Tom Kristensen e Jorge Lorenzo) por duas baterias a zero na semi-final. “Nós sabíamos que correr contra a Alemanha seria o momento mais difícil da noite. Mas nós lutámos como podíamos com o que tínhamos em nossas mãos. No ano passado, chegámos à semi-final e este ano à final. Agora, o próximo passo é saltar para o topo do estrado do pódio. Eles querem chegar aos sete títulos consecutivos, mas nós vamos querer alcançar o nosso primeiro triunfo na Taça. Por agora, já foi ótimo ter trazido a nossa bandeira para a final”, admitiu Grosjean. “Primeiro quero dar os parabéns à equipa alemã, porque seis vitórias consecutivas é um grande feito. Nós tentámos o nosso melhor, mas eles estiveram muito fortes. Vamos tentar fazer melhor da próxima vez. Agora vou tentar fazer o meu melhor amanhã (domingo) para manter o título na Corrida dos Campeões, mas sei que vai ser difícil”, disse Ogier, ainda antes de iniciar a defesa do título de Campeão dos Campeões 2011.

21 de Dezembro de 2012

5


6

noticiário

21 de Dezembro de 2012

Piloto oficial da Honda eleva a fasquia para o rali mais duro do Mundo

Motociclismo

Hélder Rodrigues quer ser o primeiro português a conquistar o Dakar

Federação aprova redução e 17% no orçamento A Federação de Motociclismo

O piloto Hélder Rodrigues reforçou-se de ambição e quer tornar-se no primeiro português a conquistar em motos o mítico rali de todo-o-terreno, garantindo que vai competir na 34.ª edição da prova, no início de 2013, na sua “melhor forma”. O piloto de 33 anos e campeão do mundo da categoria em 2011 assumiu o objetivo de lutar pelo título nos desertos do Peru, Argentina e Chile e gravar o seu nome na lista de vencedores na maior competição de todo-o-terreno do mundo. “Quero fazer o melhor do que o ano passado e melhor do que no ano passado é lutar pela vitória e pelo título”, frisou Hélder Rodrigues, quando está a dias de partir a América do Sul, onde vai somar a sua sétima presença do Dakar. Depois do terceiro lugar na última edição, com uma equipa que foi composta por “quatro ou cinco pessoas”, o lisboeta regressa ao Dakar desta vez como o primeiro piloto oficial da

Honda, uma marca que “assinalou” a sua carreira. “Fui campeão de juniores com a Honda. Foi a marca que lançou a minha carreira. Regressar passado 10 anos é fantástico. Este ano tenho uma equipa com 40, 50 pessoas a trabalhar e no Dakar vou ter 30 com uma logística completamente diferente. Tenho condições para manter o treino e a preparação”, explica o piloto português. Com o construtor japonês, que regressa ao Dakar após mais de 20 anos de ausência, a proteger as suas costas, Hélder Rodrigues contou que se sente “bem mais preparado em tudo” e que esteve a trabalhar todo o ano com o objetivo de ser o primeiro “motard” a cruzar a

meta em Santiago do Chile, a 20 de janeiro. “A preparação tem decorrido durante todo o ano em várias provas, em que tivemos a possibilidade de testar a moto. Faço exercício físico todos os dias acompanhado de um preparador físico e também com um psicólogo que me ajuda bastante”, disse o motard. Mesmo assim, Hélder Rodrigues reconhece que “não basta querer e trabalhar o melhor possível” para conquistar um Dakar, uma prova de 14 dias “em que tudo pode acontecer”.

“Basta um problema num parafuso, num fusível, um furo para deitar tudo a perder. Podem acontecer mil coisas. Sinto-me mais experiente, mas em cada Dakar que participo aprendo qualquer coisa. Gosto bastante do deserto e o facto de a prova começar na areia e nas dunas pode ajudar-me muito”, conclui Hélder Rodrigues. A 34.ª edição do Dakar arranca a 05 de janeiro de 2013, em Lima, e termina a 20 do mesmo mês, em Santiago do Chile, tendo pelo meio uma passagem pela Argentina.

Elisabete Jacinto pronta para lutar pelo pódio no Rali África Eco Race

“Eles vão precisar de suar muito para me ganhar” Durante a apresentação da equipa, a piloto Elisabete Jacinto garantiu que vai “lutar por alcançar um lugar no pódio” na quinta edição do rali de todo-o-terreno. O rali África Eco Race é uma prova organizada pelo expiloto René Metge e vai ser disputada, de 27 de dezembro a 9 de janeiro, passando por Marrocos e Mauritânia, antes de terminar no Lago Rosa, no Senegal. Aos comandos do camião MAN TGS, a piloto lusa, acompanhada por uma equipa “100 por cento portuguesa”, prometeu “fazer suar os adversários” e admitiu que “esta prova é o culminar de um ano de desenvolvimento do camião e da evolução da equipa”. “Especializámo-nos nas provas africanas, porque têm componentes que jogam a nosso favor. Não é só a

condução que conta, mas também a parte da navegação, que é um desafio enorme. Além disso, temos outra componente que é a parte da mecânica e da resistência do veículo”, referiu. Elisabete Jacinto esclareceu que “o camião sofreu algumas alterações ao longo deste ano, que poderão torná-lo mais competitivo”. “Uma das minhas grandes apostas foi a subida dos depósitos, com isso neste

rali de Marrocos não fiquei pendurada em nenhuma das dunas. Além disso, tenho o privilégio de ter mais 100 cavalos no camião. E vamos ainda levar um brinquedo, que é um sistema que se põe nas jantes para evitar que os pneus saltem. É algo que as equipas de ponta já usam e eu vou experimentar agora”, explicou. Elisabete Jacinto garantiu que já tem “as malas prontas para o rali Áfri-

ca Eco Race” e prometeu “o mesmo espírito” com que sempre partiu para o Dakar, lutando “pelos três primeiros lugares”. “A minha promessa é que eles vão precisar de suar muito para me ganhar”, concluiu. Para 2013, Elisabete Jacinto já tem planeado competir no Rali de Marrocos e no Rali da Tunísia, terminando o ano novamente com o Africa Eco Race.

de Portugal (FMP) aprovou em Assembleia-Geral um orçamento de 1,25 milhões de euros para 2013, com uma redução de 17 por cento (cerca de 250 000 euros) em relação ao ano anterior. A informação, facultada pela assessoria da FMP, salienta a aprovação por unanimidade da proposta apresentada pela direção, tendo em conta o tempo de crise que se vive e com “cortes na maioria das rubricas”. “Foi um ano extremamente difícil. Estamos a atravessar um período em que temos de sobreviver”, disse o presidente da FMP, Jorge Viegas, acrescentando que o organismo tem todas as contas saldadas, mas é credor de clubes, autarquias e empresas, em cerca de 250 000 euros. Segundo o mesmo dirigente, a perda do Grande Prémio de Portugal, válido para o Mundial de Velocidade, constitui um dos fatores adversos para 2013. “Quanto ao MotoGP, não sei se morreu ou entrou em coma, mas será difícil voltar a trazer o evento para o nosso país,” afirmou. Jorge Viegas disse existir dinheiro para a sua organização, através das contrapartidas do jogo do Estoril, que por lei têm que ser aplicadas no concelho de Cascais. “Acontece que essa autarquia entende que outros concelhos também beneficiam do evento e, por isso, o Instituto do Turismo de Portugal deveria contribuir com uma verba adicional. Por sua vez, o Instituto acha que a verba até aqui disponibilizada é mais do que suficiente para o efeito”, explicou. Em março haverá eleições para a FMP, com vista ao próximo quadriénio, tendo ficado definido que o ato eleitoral deverá acontecer na sede da FMP, em Lisboa, possivelmente a 16 de março. Na AG, ficou igualmente definido o calendário dos sete eventos pontuáveis para Campeonatos do Mundo ou da Europa a disputarem em Portugal no próximo ano, com a novidade da integração de uma prova de Motocrosse nas classes de MX3 e femininos, bem como o Europeu das Nações de Enduro. Provas internacionais a realizar em 2013: 04-05 mai, Mundial de Motocrosse MX1-MX2 (Águeda); 18-19 mai, Mundial de Enduro (Torres Vedras); 07-09 jun, Mundial de Superbike (Portimão); 21-22 set, Mundial de Motocrosse MX3 e Senhora (Fronteira); 28-29 set, Europeu de Bajas (Idanha-a-Nova); 18-20 out, Europeu das Nações de Enduro (Ourém); 31-02 nov, Taça do Mundo de Bajas (Portalegre).


comércio & indústria

21 de Dezembro de 2012

7

Seis novos concessionários em Portugal

Mazda reforça representação A Mazda Motor de Portugal tem vindo a reforçar a Rede de Concessionários e Reparadores Autorizados em Por tugal, para oferecer um serviço mais completo e focalizado quer em termos de divulgação dos novos modelos quer para a satisfação dos clientes em termos de assistência pós-venda. Em 2013, ano que se prevê particularmente adverso para mercado automóvel, a representação da Mazda vai surgir mais forte, de modo a contrariar a tendência, por ser um ano muito importante

devido ao lançamento comercial do novo Mazda6, no final do primeiro trimestre. “As grandes adversidades enfrentam-se com novas apostas, por vezes arrojadas, mas que se forem estrategicamente bem definidas, no final levam a que se alcancem os resultados pretendidos”, explica Luís Morais, Director Geral da Mazda Motor de Portugal. É por isso que a Mazda reforçou a representação no nosso país ao longo dos últimos meses, definindo seis novos espaços de venda de automóveis novos e de

serviço pós-venda: Antero Rego (Ponta Delgada); Auto Júlio (Caldas da Rainha/Torres Vedras; Auto S. Cristóvão (Évora); C. Serrano (Portalegre/Castelo Branco); Irmãos Luzias (Beja); e Mitauto (Viseu). A Rede de Concessionários Mazda passa a contar com 24 entidades, enquanto o ser viço pós-venda é assegurado por 28 Reparadores Autorizados (alguns deles comuns), abrangendo a quase totalidade de Portugal continental e regiões autónomas dos Açores e da Madeira.

Mercedes entrega novo Papamóvel a Bento XVI A Mercedes-Benz entregou o novo Papamóvel a Bento XVI, uma nova e melhorada versão do Classe M, mantendo-se assim uma tradição com mais de 80 anos a servir e transportar Sua Santidade o Papa. O primeiro Mercedes-Benz foi entregue ao Vaticano em 1930, um Nurburg 460 Pullman, entregue ao Papa Pio XI. Desde então, têm sido vários os modelos que têm servido os diversos Papas, tendo inclusive esta viatura sido apelidada de Papamóvel no início dos anos 1980, com o Papa João Paulo II. O líder da Igreja católica faz uso da viatura em todas as

Volkswagen recebe troféu de sustentabilidade A Volkswagen recebeu o troféu internacional de sustentabilidade atribuído pelo World Forum for Ethics in Business (Fórum Mundial para a Ética Empresarial) pela sua acção responsável nos campos ambiental e da responsabilidade social. O Grupo Volkswagen recebeu o troféu (Ethics in Business Award 2012) na categoria “Outstanding Corporation”. O Fórum premiou os esforços sustentados da Volkswagen nas áreas de administração ambiental e da responsabilidade so-

cial e corporativa, mas também levou em consideração a inclusão da Volkswagen no renomado índice Dow Jones Sustainability World e o seu terceiro lugar no rating Sustainalytics DAX 30. O prémio Ethics in Business Award é apresentado pelo World Forum for Ethics in Business de dois em dois anos para agraciar personalidades e empresas que representam os valores e ética empresariais. Foi entregue pela primeira vez em 2006.

aparições públicas no Vaticano, bem como em deslocações ao estrangeiro. A viatura agora entregue é totalmente blindada, apresentando a típica pintura em branco diamante, tendo sido desenvolvida pela Mercedes-Benz em apenas nove meses. O novo Papamóvel dispõe da última tecnologia em termos de segurança e conforto, bem como de um design interior muito exclusivo, ostentando inclusive o brasão de Sua Santidade o Papa. Comparando este modelo com o antecessor, o novo Classe M tem mais espaço interior, painéis de vidros maiores e uma altura de tejadilho superior.


8

comércio & indústria

21 de Dezembro de 2012

Novo Mercedes-Benz Classe E

Renovação mais abrangente de sempre Novos motores mais eficientes, novos sistemas de assistência à condução e uma nova linguagem de design são as novidades que a MercedesBenz aplicou no Classe E. A renovação de toda a gama tem como objetivo reforçar o estatuto de liderança na classe dos automóveis de luxo. O Mercedes-Benz Classe E estreia a mais recente tecnologia em termos de assistência à condução, que estará disponível na futura geração Classe S: onze sistemas de assistência totalmente novos ou amplamente otimizados. No seu conjunto, combinam excepcionais características de conforto e de segurança designadas pela Mercedes-Benz como Condução Inteligente, tais como sistemas que, pela primeira vez, são capazes de evitar acidentes com veículos ou peões. Com estes dispositivos, a marca reforça a posição de liderança e pioneirismo em sistemas de segurança. O novo Classe E também protagoniza significativos progressos no que respeita à eficiência e à ecologia, que se ficam a dever aos novos e potentes motores de quatro cilindros

a gasolina BlueDIRECT, dotados de tecnologia de injecção dirceta. A renovação agora operada apresentase como a mais abrangente e extensa de sempre. Duas novas frentes O novo Classe E tem a frente profundamente renovada e novas proporções graças a alterações estéticas inteligentes, fruto de uma nova linguagem de design que reinterpreta os valores tradicionais da marca com base nos conceitos actuais. Tem novos grupos ópticos, que agrupam todas as funções num único elemento. O arranjo dos elementos no interior dos grupos ópticos contribui para manter bem visível o grafismo «quatro olhos» tão característico do modelo. Em termos de iluminação e de visibilidade, estabelece novas referências: de série, as luzes de médios e as luzes diurnas recorrem parcialmente à tecnologia LED e, pela primeira vez no modelo, estão disponíveis, como opção, luzes dianteiras integralmente em LED. E também pela primeira vez, o Classe E permite a escolha entre dois tipos de design para a secção dianteira: nas linhas de equipa-

mento mais acessíveis (versão base e versão ELEGANCE), a frente é combinada com a grelha tradicional do modelo, composta por três lâminas horizontais e a característica estrela no capô. Na linha AVANTGARDE, o visual é vincadamente mais desport-

ivo, com a estrela incorporada ao centro da grelha. Também o capô e o pára-choques foram integralmente redesenhados. Graças à fluidez das linhas, o capô interpreta a nova linguagem de design de uma forma muito suave e

progressiva. E com um novo formato e desprovido de quaisquer dispositivos de iluminação, o pára-choques ostenta uma aparência mais moderna e, juntamente com o spoiler inferior em forma de asa, sublinha as credencias desportivas.


comércio & indústria

Dinâmico e elegante Uma nova linha lateral e uma faixa tridimensional reposicionada conferem novas proporções à Limousine e à Station. A linha lateral estende-se abaixo da linha estrutural, desde a porta traseira até à ótica traseira. No geral, o Classe E apresenta-se mais alongado e elegante mas, simultaneamente, mais dinâmico e compacto. Na seção traseira, os grupos óticos e o pára-choques foram redesenhados. As novas óticas traseiras estruturadas horizontalmente e com LED e grafismo de dois tons dão mais ênfase à largura da carroçaria. E o interior foi também alvo de uma extensa renovação. Os materiais de elevada qualidade e as diversas secções do habitáculo apresentam

junções perfeitas. O design acentuadamente curvilíneo acentua a impressão geral de grande qualidade do generoso habitáculo. Novidade é a adopção do revestimento em duas partes ao longo de todo o tablier, e igualmente novos são o painel de instrumentos, com três grandes mostradores alojados numa consola de elevado brilho e formato trapezoidal plano, o design das saídas da ventilação e um relógio analógico entre as duas saídas de ventilação centrais. A consola central foi igualmente redesenhada, sem o tradicional selector da caixa de velocidades. Mais desempenho com maior economia O novo Classe E é proposto

numa ampla gama de motores potentes e económicos, a gasolina e diesel. Todas as unidades estão equipadas com o sistema ECO start/ stop e são altamente eficientes. Foi introduzido um novo bloco a gasolina BlueDIRECT de quatro cilindros e injecão directa, baseado na mesma tecnologia de referência utilizada na mais recente geração de motores de seis e oito cilindros da Mercedes-Benz. A gama de motores a gasolina BlueDIRECT fica completa com os blocos V6 e V8, em que a novidade reside no propulsor de seis cilindros, está disponível pela primeira vez na versão designada E 400, com sobrealimentação por duplo turbo, cumprindo a norma EU6.

21 de Dezembro de 2012

Algumas das motorizações diesel do novo Classe E estão disponíveis nas versões BlueTEC com tecnologia de redução catalítica seletiva SCR (selective catalytic reduction), cumprindo também a norma EU6 de controlo de emissões. A gama foi incrementada com a versão E 300 BlueTEC HYBRID, que combina o motor Diesel de quatro cilindros com um motor elétrico, totalizando uma potência máxima de 231 cv e um binário máximo de 750 Nm, para um consumo médio de 4.1 l/100 km e emissões de CO2 de 107 g/km. Futuramente, a Mercedes-Benz disponibilizará dois tipos de transmissão para o Classe E: uma caixa manual de 6 velocidades, com uma

9

seleção suave e curta, e a caixa automática 7G-TRONIC PLUS, com comando DIRECT SELECT e patilhas DIRECT SELECT integradas no volante. E as condições de tracção e de estabilidade podem ser incrementadas com a adopção do sistema de tração integral 4MATIC. O equipamento de série do novo Classe E contempla já um extenso número de soluções e detalhes de elevada qualidade, como o HANDSFREE ACCESS, que permite abrir a tampa do compartimento de bagagem sem qualquer contacto físico, bastando, para tal, posicionar o pé sob o pára-choques. Os preços de comercialização do novo Mercedes-Benz Classe E serão divulgados brevemente.


10

21 de Dezembro de 2012

comércio & indústria

Nova edição do Porsche 911 GT3 Cup

O mais bem sucedido do mundo Foram produzidas 2.395 unidades do Porsche 911 GT3 Cup desde 1998, o que torna este modelo que é concebido de forma muito idêntica às unidades de série no automóvel de corridas com mais sucesso no mundo. Esta nova edição vai correr exclusivamente na Porsche Mobil 1 Supercup, em 2013.

A nova edição do Porsche 911 GT3 Cup é a versão de competição do futuro 911 GT3 e, como tal, é a primeira unidade de competição a ter por base a sétima geração do icónico desportivo de Zuffenhausen. Vai correr só na Porsche Supercup, em 2013, mas a estreia está marcada para festa de encerramento da actual temporada, a “Noite dos Campeões”, no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento, em Weissach, Alemanha. O novo Porsche 911 GT3 Cup utiliza um motor de seis cilindros opostos com 3,8 litros e debita 460 cv às 7600 rpm, superando o antecessor em 10 cv. A caixa de seis velocidades, que transmite a potência às rodas traseiras, foi desenvolvida pela Porsche Motorsport e é, pela primeira vez em modelos de competição de troféu da marca, comandada por patilhas colocadas no volante. As novas jantes

de peça única têm aperto central e foram redesenhadas pela Porsche Motorsport. A largura dos pneus de competição Michelin foi incrementada em dois centímetros à frente, chegando agora aos 27 centímetros, e em um centímetro atrás, passando para os 31 centímetros. O sistema de travagem de com-

petição é totalmente novo, tendo sido incrementada a resistência à solicitação de travagem. Os discos de aço ranhurados e ventilados de 380 milímetros sofrem a desaceleração por pinças em alumínio com seis êmbolos. Atrás, com discos das mesmas dimensões, as pinças são de quatro êmbolos.


comércio & indústria

Durante o desenvolvimento do novo veículo foi dado particular ênfase à segurança do piloto. Uma nova estrutura de segurança protege agora o piloto de forma mais eficaz em caso de capotamento ou de colisão, tal como a nova bacquet, que é moldada à volta da cabeça e dos ombros e pode ser ajustada individualmente com a ajuda do forro. Uma escotilha de resgate no tejadilho permite um mais rápido e fácil acesso para prestar primeiros socorros ou para a extracção do piloto em caso de encarceramento. “O novo 911 GT3 Cup é muito mais fácil de conduzir no limite”, diz o piloto profissional da Porsche Timo Bernhard, que esteve envolvido no desenvolvimento do novo automóvel. “O carro é muito equilibrado e a nova geometria da suspensão é extremamente positiva para a dinâmica. Para além disso, o novo 911 Cup é muito divertido de conduzir”. Tal como o predecessor, o novo Porsche 911 GT3 Cup é produzido em Estugarda-Zuffenhausen, na mesma linha de montagem das versões para estrada. No Centro de competição, em Weissach, recebe as afinações gerais para circuito e é testado por um piloto profissional antes de ser entregue ao cliente. Disponível única e exclusivamente em branco, o preço base é de 181.200 euros, mais as taxas aplicadas em cada país.

21 de Dezembro de 2012

11


12

21 de Dezembro de 2012

comércio & indústria

Iveco e FTP Industrial no Dakar 2013

A Iveco e a FPT Industrial vão participar do Dakar 2013 como patrocinadores oficiais da equipa Petronas De Rooy Iveco. Depois de terem ganho a última edição da competição com a equipa holandesa, este ano, as duas empresas voltam a fornecer veículos, motores e peças de substituição. Dois Novos Trakker 4x4 (Evolution 3), dois Novos Trakker 4x4 (Evolution 2) e um Iveco Powerstar constituem a «frota» que vai atravessar a América do Sul desde Lima, capital do Peru, para onde está agendada a partida a 5 de janeiro, até Santiago, a maior cidade e também capital do Chile, onde a corrida terminará a 20 do mesmo mês. Todos os veículos Iveco que participam na edição 2013 do Dakar estão equipados com o motor Cursor 13 da FPT Industrial. Ao volante vão estar os pilotos Gerard de Rooy, Miki Biasion, Hans Stacey, René Kuipers e Jo Adua.

Chevrolet com pista de testes na Florida Já abriu ao público a novíssima pista de testes com da Chevrolet na Walt Disney World Resort, o famoso parque de diversões situado em Lake Buena Vista, Florida, EUA. A pista é o resultado dos esforços desenvolvidos pelas duas empresas norteamericanas para oferecer a primeira experiência virtual multi-sensorial do seu género no campo do design automóvel. A Chevrolet e a Disney envolveram para o efeito os seus mais talentosos profissionais em áreas tão diversas como o design automóvel e industrial, arquitectura e animação. A colaboração teve início há 18 meses com alguns pressupostos simples – criar uma experiência pessoal, orientada para o futuro e baseada no optimismo.


motor 21-12-2012