Page 1

MAU TEMPO

PÓS-TROIKA

PS defende articulação de ministérios para fazer face a prejuízos avultadíssimos

Durão Barroso diz que um Programa Cautelar seria bom para Portugal

Há 145 anos, sempre consigo. 1868

ENSINO Professores

e investigadores alertam Governo para tempestade nas universidades

Continente - 0,60 € (iva incluido) – Ilhas - S. Miguel e Madeira - 0,75 € (iva incluido) – Porto Santo 0,80 € (iva incluido)

Director: Angela Amorim | Distribuição Gratuita | www.edvsemanario.pt |

Diretor: Rui Alas Pereira | ISSN 0873-170 X |

|

DIÁRIO NACIONAL

Ano CXLVI | N.º 29

Terça-feira, 14 de janeiro de 2014

CRISTIANO RONALDO CONQUISTA

SEGUNDA BOLA DE OURO

ORGULHO n O internacional português do Real Madrid é de novo o Melhor Jogador do Mundo

para a FIFA e a France Football. Cristiano Ronaldo obteve 27,99 por cento dos votos, contra 24,72 de Lionel Messi e 23,36 de Franck Ribéry. Visivelmente emocionado com esta distinção mundial, o craque madeirense fez questão de afirmar: “É um orgulho enorme. Quem me conhece sabe o sacrifício que foi ganhar esta Bola de Ouro”...


2 | O Primeiro de Janeiro

local porto

Terça-feira, 14 de Janeiro de 2014

PS defende articulação entre os ministérios do Ambiente, Economia e Solidariedade

Prejuízos “avultadíssimos” devido ao mau tempo em causa O PS defende a articulação entre os ministérios do Ambiente, Economia e Solidariedade Social para fazer face aos prejuízos “avultadíssimos” causados pelo mau tempo que assolou vários concelhos do distrito do Porto. “Os prejuízos são avultadíssimos e os valores anunciados pelo ministro [do Ambiente] são absolutamente insuficientes para resolver os problemas”, afirmou Renato Sampaio. Um grupo de deputados do PS eleitos pelo Porto reuniu-se, ontem de manhã, com o presidente da Câmara de Matosinhos, depois de no sábado ter visitado Paredes e o Porto, para se inteirar dos locais mais afetados pelo mau tempo e pela forte ondulação marítima nas últimas semanas. Segundo Renato Sampaio, os deputados “estão empenhados em contribuir para fazer o le-

PAREDES. Segundo a proteção civil municipal, os prejuízos provocados pelo tornado ascendem a 5,5 milhões de euros vantamento [dos estragos], falar com as entidades responsáveis pela Proteção Civil, mas também ver o que é possível fazer a montante e encontrar mecanismos que possam ajudar a resolver os problemas”. “Tem de haver um envolvimento global do Governo” para solucionar “de forma rápida e urgente” os problemas causados, que não só de ordem material, disse. “Pessoas e empresas, e os próprios municípios, vão precisar dessa ajuda”, sustentou o socialista. Relativamente aos prejuízos provocados na orla costeira pela forte ondulação marítima, o deputado

afirmou que “é preciso resolver o problema a montante, que tem a ver com a gestão do território”, considerando que “há entidades a mais para gerir um território”. O presidente da Câmara de Matosinhos adiantou ter pedido aos deputados que reflitam exatamente sobre o facto de existirem várias entidades responsáveis pelo território na orla costeira. “Não faz sentido nenhum” que em Matosinhos existam “três planos de emergência, um da autarquia, outro do Porto de Leixões e outro da autoridade marítima”, frisou Guilherme Pinto. O autarca adiantou ainda que vai tentar perceber se no Porto e em

Gaia “existe o mesmo constrangimento”, para que a Frente Atlântica possa depois “forçar o Governo a alterar essa gestão”. Os prejuízos provocados pelo tornado da madrugada do dia 04, em Paredes, ascendem a 5,5 milhões de euros, segundo da proteção civil municipal. O tornado afetou uma centena de edifícios nas freguesias de Lordelo, Vilela, Duas Igrejas e Sobrosa, numa extensão de cerca de cinco quilómetros, deixando 60 pessoas desalojadas. A forte ondulação marítima registada no dia 13 provocou avultados prejuízos nos concelhos de Gaia, Porto e Matosinhos.

Abertura da discussão publicada em Diário da República

Propostas de alteração dos planos de pormenor das Antas e do centro comercial Dallas A abertura dos períodos de discussão pública das propostas de alteração dos planos de pormenor das Antas e do centro comercial Dallas, no Porto, foi ontem publicada em Diário da República (DR). O executivo da Câmara do Porto aprovou no dia 23 de dezembro, por unanimidade, a abertura destes períodos de discussão pública. O Dallas abriu em 1984, não foi legalizado e fechou em 1999, pretendendo agora a Câmara do Porto requalificar o empreendimento, que inclui habitação, escritórios e um centro comercial. O plano de

pormenor, que deverá estar concluído em abril, abrange uma área total de 9000 metros quadrados, estando previstos ajustamentos tanto no edificado como no largo Engenheiro António Almeida. A intervenção aprovada prevê o “redimensionamento” do centro comercial e restantes edifícios, sendo que o plano contempla a “redução da área bruta locável” dos atuais 16 777 metros quadrados para um máximo de 15 000 metros quadrados. O vereador do Urbanismo, Correia Fernandes, disse que “três pisos do centro comercial vão ser transforma-

dos em dois, para conquistar pé direito”. Relativamente ao Plano de Pormenor das Antas, uma técnica do serviço municipal de Urbanismo explicou tratar-se de uma alteração que não vai deturpar o plano, prevendo, nomeadamente, “pequenos acertos na volumetria”. “Estas alterações não abrangem a área do estádio”, afirmou, então, Rui Moreira, acrescentando que “não há nenhuma alteração substantiva”. Foi também publicado ontem em DR a abertura do período de discussão pública de “alteração

simplificada do Plano de Pormenor do Plano Diretor Municipal” do Porto, também aprovada na mesma reunião do executivo. Esta alteração visa integrar um imóvel na rua de Santa Catarina, números 258-268, “nas regras do plano aplicáveis às parcelas confinantes, alterando a qualificação do solo de Área de Equipamento Existente para Área de Frente Urbana Contínua Consolidada, por se ter verificado a desafetação do imóvel da utilidade pública que estava adstrita e integração do mesmo património disponível do Estado”.

Casino da Póvoa

STIHRSN entrega queixa-crime O Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Hotelaria, Restaurantes e Similares do Norte (STIHRSN) entregou ontem no Tribunal da Póvoa de Varzim uma queixa-crime a propósito do despedimento coletivo de 21 trabalhadores do casino deste concelho. “No essencial, a queixa visa dizer que se a lei do jogo, a lei de branqueamento de capitais e o contrato de concessão celebrado entre a empresa gestora do Casino da Póvoa e o Estado fossem cumpridos, os 21 trabalhadores que estão a ser algo de um despedimento ilegal não eram despedidos e eram necessários muitos mais para assegurar o bom funcionamento deste estabelecimento”, explicou o responsável do STIHRSN, Francisco Figueiredo. Business School

Fundador do Wikipedia vem ao Porto

A Porto Business School vai acolher, no próximo dia 27, uma conferência sobre liderança sob o tema ‘Winning Together’ (vencendo juntos), que vai contar com a presença do fundador da Wikipedia, Jimmy Wales. A quinta edição da Porto Business School Leadership Grand Conference vai decorrer na Casa da Música e tenciona reunir cerca de mil executivos, à semelhança das edições anteriores, segundo comunicado da instituição. Para além do fundador da Wikipedia, o evento vai também receber a participação de Andrea Jung, antiga presidente da AVON, bem como do consultor empresarial Ram Charan.


regiões

Terça-feira, 14 de Janeiro de 2014

O Primeiro de Janeiro | 3

Banco Alimentar revela números de quem precisa de apoio alimentar no Algarve

25 mil com necessidades Marido tenta suicidar-se

Idosa morta a tiro em casa em Alcanena

Uma idosa foi, ontem, morta a tiro na sua residência, em Alcanena, alegadamente pelo marido, que terá tentado depois suicidar-se, estando internado em estado grave no Hospital de Torres Novas, revelaram fontes policiais e da proteção civil. Fonte da PJ confirmou que a Polícia Judiciária de Leiria está a investigar o crime, escusando-se a adiantar mais pormenores. Fonte da GNR de Santarém apenas adiantou que os idosos têm idades na casa dos 80 anos e que o crime foi cometido cerca das 10h30 de ontem com uma arma de fogo.

Região do Alto Tâmega

Municípios acordam 50 milhões com Iberdrola Os municípios do Alto Tâmega acordaram com a espanhola Iberdrola um plano de ação de 50 milhões de euros para investimentos e compensações resultantes da construção de três barragens neste território,.O presidente da Associação de Municípios do Alto Tâmega (e da Câmara de Vila Pouca de Aguiar, Alberto Machado, disse que o acordo com a concessionária do empreendimento hidroelétrico foi alcançado sexta-feira, depois de várias reuniões, algumas das quais contaram com a presença do ministro do Ambiente, Jorge Moreira da Silva.

“Houve uma altura do ano em que chegámos a ter aqui à porta pedidos de ajuda semanais”, diz presidente do BA na região. Existem entre 22 a 25 mil pessoas com necessidades de apoio alimentar no Algarve, estimou, ontem, o presidente do Banco Alimentar Contra a Fome na região, que já apoia 16 mil, através de 70 instituições. Nuno Alves precisou que, em 2013, o Banco Alimentar apoiou 22 mil pessoas, através de 128 instituições, mas apenas porque às 16 mil identificadas pela organização se somaram 6 mil que estavam integradas no programa comunitário de apoio a carenciados, que entretanto terminou. “Agora tem estado calmo, porque nós não trabalhamos com as famílias diretamente, mas houve uma altura do ano em que chegámos a ter aqui à porta pedidos de ajuda semanais”, contou aquele responsável, sublinhando que os pedidos dispararam no último semestre de 2013. Nos últimos dois anos houve um aumento de duas pessoas apoiadas pelo Banco Alimentar no Algarve, embora o número de instituições abrangidas se tenha

ALGARVE. Banco Alimentar avisa que existem mil crianças sem acesso a alimentos lácteos fundamentais na idade mantido nas 70, acrescentou. Os produtos secos - como o leite, a farinha, o arroz ou o azeite - são aqueles que o Banco Alimentar tem maior dificuldade em garantir, porque as quantidades que ali chegam, sobretudo através das duas campanhas anuais, não são suficientes. Em contrapartida, a organização está a conseguir crescer no apoio de produtos frescos, sobretudo fruta, iniciou recentemente a distribuição de pescado e pão e quer arrancar este ano com verduras e carne.

De acordo com Nuno Alves, um dos objetivos para 2014 é atingir mil toneladas de alimentos por ano, duplicando o trabalho do Banco Alimentar do Algarve, criado em 2007, que habitualmente trabalha com 500 toneladas por ano. O presidente do Banco Alimentar contra a Fome no Algarve alertou, ainda, para a dificuldade em obter alimentos lácteos, produtos caros e que raramente são doados à instituição, para distribuir às famílias com recémnascidos e crianças. “Há famílias

com crianças e sem capacidade financeira para comprar esse tipo de produtos”, alertou, sublinhando que a situação é preocupante em concelhos como Faro, Olhão, Loulé e Portimão e estimando que poderão haver no distrito mil crianças, até aos 3 anos, com esta carência. Para tentar colmatar essa carência, foi lançado no final do ano passado o projeto «Separar para alimentar», que prevê que, por cada tonelada de embalagens encaminhadas para reciclagem, sejam adquiridos bens alimentares para crianças.

Agressões a alunos no Colégio Militar

Advogados pedem absolvição para cinco Os advogados de cinco dos oito ex-alunos do Colégio Militar, acusados de maus tratos contra outros três estudantes, pediram, ontem, a absolvição dos seus constituintes, tendo elogiado e corroborado as alegações finais do Ministério Público (MP). A magistrada do MP considerou, há uma semana, terem ficado provados os três episódios de violência constantes no despacho de pronúncia, mas defendeu a alteração da qualificação jurídica do crime para ofensas corporais simples. A procuradora, porém, pediu a absolvição destes cinco ex-alunos, já que o crime de

Colégio Militar. Os seis advogados defenderam a inexistência de maus tratos por parte dos agressores

ofensas à integridade física simples é semipúblico, e a queixa só foi apresentada seis meses após o episódio que envolveu os cinco arguidos. Na segunda sessão de alegações finais, que decorreu na 6.ª Vara Criminal de Lisboa, os advogados deram os “parabéns” e “elogiaram a coragem” da magistrada do MP, acrescentando que corroboravam as suas alegações “livres e independentes”, e pediram igualmente a absolvição dos cinco arguidos. Além dos advogados destes cinco ex-alunos, alegou também o advogado do único arguido que falou em julgamento para con-

fessar e pedir desculpa à vítima. A procuradora pediu que este e outros dois arguidos fossem condenados a pena suspensa, pelo crime de ofensas à integridade física simples, e não por maus tratos. Paulo Braga Malheiro concordou com as alegações do MP, ressalvando que o seu cliente “mostrou arrependimento”, além de não ter “a completa consciência” de toda a situação, que era “aceite” pelo Colégio Militar, que nada fez para parar os castigos corporais. Os seis advogados defenderam a inexistência de maus tratos, uma vez que não há “vingança, insensibilidade ou crueldade”.


nacional

4 | O Primeiro de Janeiro

Terça-feira, 14 de Janeiro de 2014

Professores e investigadores universitários criticam Governo

BE e o “caos” no SNS

“Falta de respeito constitucional” Cerca de meia centena de professores e investigadores universitários juntouse no Ministério da Educação contra o que apelidou de “falta de respeito constitucional” e alertando para a “tempestade” nas Universidades que se aproxima. UNIVERSIDADES. Professores e investigadores lançam alerta para a “situação que se está a criar é a médio prazo de tempestade perfeita” “A situação que se está a criar é a médio prazo de tempestade perfeita. Cortes de financiamento elevadíssimos neste momento, envelhecimento da população científica portuguesa, fuga de parte de investigadores estrangeiros porque não veem futuro neste país, emigração de alguns quadros que não encontram emprego científico em Portugal. Isto não serve a ninguém, não serve a Portugal”, alertou o professor José Emílio Ribeiro. José Emílio Ribeiro pertence ao conselho geral da Universidade de Lisboa e é investigador-coordenador do Instituto Superior Técnico. Ele e outros docentes deixaram no Ministério uma oferta para o ministro Nuno Crato, uma calculadora, para ajudar o Governo a fazer contas e rever os cortes orçamentais no en-

sino superior. E com a calculadora (simbólica, em cartão, mas dentro da qual estava uma real máquina de calcular) foi entregue também uma carta. “A carta é de alerta, ao ministro e ao Governo, de que deve de tratar a Universidade portuguesa de forma a permitir que cumpra o seu papel constitucional”, que neste momento é difícil de cumprir, disse José Emílio Ribeiro. De acordo com o responsável pela ação, ela não é contra ninguém, mas apenas um apelo ao bom senso e um alerta. Para a situação difícil das Universidades, para um excesso de cortes que se eleva a 42 milhões de euros, depois de uma “via sacra” de outros cortes, para consequências que não são benéficas a médio prazo.

É o abaixamento da produtividade científica, é uma diminuição da inserção de Portugal no mundo internacional da ciência e tecnologia, é o desencanto e a saída de pessoas para o estrangeiro, nas palavras de José Emílio Ribeiro, para quem assim a Universidade não consegue ajudar o país a sair do “estado de soberania exígua” em que está. Numa carta entregue com a calculadora os docentes e investigadores salientam mesmo que quando se procura “ganhar a batalha das exportações”, o que passa pela melhoria da competitividade tecnológica das empresas, e quando se procura fortalecer a ciência na cultura e a internacionalização do ensino superior, “não se percebe que se desca-

pitalize a Universidade ao ponto do não funcionamento”. A carta foi assinada por cinco centenas de professores e investigadores e a calculadora é muito simples, para que Nuno Crato possa comprovar que “o corte foi o dobro do expectável”, como disse João Cunha Serra, outro professor também do Instituto Superior Técnico. A somar a isso uma única faixa, assim escrita: “Sr. Ministro: Faça bem as contas! Corrija um erro de matemática”. E um aviso solene: “A Universidade proclama que a continuar-se este caminho deixará de ter condições objetivas para contribuir para o desenvolvimento da investigação e desenvolvimento do país”.

PS desafia maioria parlamentar a rever posição

CNE recomenda ensino obrigatório do inglês no 1.º ciclo O PS desafia o Governo e a maioria parlamentar PSD/CDSPP a rever a sua posição sobre o ensino do inglês no 1.º ciclo após o parecer do Conselho Nacional de Educação (CNE). “Face a este parecer, a pergunta que se coloca é qual é agora a opinião do PSD e do CDS-PP, que há uns meses votaram contra uma proposta do PS”, lembrou a deputada socialista Odete João. A parlamentar referia-se a um projeto de resolução do PS, discutido e votado em outubro, no qual se recomendava ao Governo o ensino obrigatório do inglês no 1.º ciclo e a introdução de uma segunda língua estrangeira. O CNE, por seu turno, pronunciou-se a favor do ensino do inglês

a partir do 3.º ano de escolaridade com uma periodicidade de pelo menos duas horas por semana. O PS, diz Odete João, tem uma “posição clara” sobre a matéria, que passa obrigatoriedade da oferta de inglês a todas as crianças do 1.º do ensino básico no âmbito das Atividades de Enriquecimento Curricular, passando a integrar o currículo obrigatório deste nível de ensino a partir do ano letivo de 2014-2015. A posição do CNE sobre a introdução da língua inglesa no currículo do 1.º Ciclo foi apresentada pelo presidente deste órgão consultivo do Ministério da Educação e Ciência (MEC), David Justino, em Lisboa. Segundo David Justino, mesmo que o ministério adote

a recomendação do CNE, a medida não será para o próximo ano letivo. O parecer foi elaborado com base num relatório técnico, na sequência de um repto lançado pelo ministro da Educação, Nuno Crato, para o CNE se pronunciar sobre o ensino de uma segunda língua no 1.º Ciclo, em resultado de uma alteração ao funcionamento das Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC) recordou David Justino. Os conselheiros defendem que, para ensinar inglês, deve ser contratado um professor com habilitações próprias, científicas e pedagógicas, em regime de coadjuvação do professor titular. De acordo com David Justino, os custos não terão um grande impacto, mas a medida implicará uma

reorganização das atividades. Também os currículos terão de ser reajustados, até ao ensino secundário. No parecer refere-se que os docentes devem ser especialistas no domínio do “ensino precoce da língua”, o que envolve “formação científica e pedagógica, devidamente certificada”. Sobre o programa do Ensino Básico, sugere-se que seja “objeto de ajustamento horizontal, em ordem a uma integração harmoniosa da área da língua inglesa no conjunto das outras áreas”. O CNE optou por recomendar a lecionação do inglês apenas a partir do 3.º ano, para não comprometer a aprendizagem da língua e outros “saberes básicos” nos primeiros anos, explicou.

“Sem capacidade de resposta” Catarina Martins, coordenadora do Bloco de Esquerda, acusou ontem o Governo de instalar o caos, com os cortes nos centros de saúde e hospitais, e de favorecer os negócios privados na saúde. "Quem trabalha e paga impostos está a fazer a sua parte, mas o Governo não está. Está a deixar que os recursos dos portugueses alimentem interesses financeiros e negócios privados da saúde e a deixar o Serviço nacional de Saúde cada vez com menos capacidade de resposta", disse. Catarina Martins falava em Aveiro, onde reuniu com a administração hospitalar, para se inteirar das razões que levam à falta recorrente de macas na Urgência. "As urgências no Hospital de Aveiro começaram o ano da pior maneira. No início do ano tivemos situações, que se têm vindo a repetir, de ambulâncias paradas, sem poderem deixar os seus doentes porque faltam macas nos hospitais. Temos pedido explicações no parlamento ao Ministério da Saúde sobre esta situação, mas quisemos também falar com a administração do Hospital", justificou. A coordenadora do BE salientou que "o que se vive no Hospital de Aveiro não é muito diferente do que se vive nas urgências um pouco por todo o país", uma situação recorrente que se tem vindo a agravar. "Durante dois anos, o ministro da Saúde andou a dizer que era possível cortar no Serviço Nacional de Saúde sem com isso causar dano aos utentes e vemos que isso não é verdade. Os portugueses sentem bem na pele, quando não há macas, quando não há camas para internamento, com todo o caos nas urgências, e com os casos verdadeiramente trágicos como o atraso nos exames de colonoscopias, que foram recentemente notícia", criticou. Segundo Catarina Martins, "os cortes no Orçamento da Saúde provocaram uma incapacidade de resposta dos Centros de Saúde e uma diminuição das consultas especializadas, pelo que as pessoas não têm mais nada a que recorrer, se não as urgências, pelo que, com os cortes também nas urgências o caos era inevitável". A dirigente do Bloco realçou que "quem trabalha em Portugal faz um esforço muito grande com os seus impostos, para que o país possa dar a todos as condições que precisam, quando estão doentes", o que não se está a verificar. "Os portugueses nunca pagaram tantos impostos na vida e têm tão pouco pelos impostos que pagam e os cortes no Serviço Nacional de Saúde são um espelho disso", concluiu.


Terça-feira, 14 de Janeiro de 2014

economia

O Primeiro de Janeiro | 5

Durão diz que é “um bocado cedo para decidir” mas antevê futuro de Portugal

“Programa cautelar será a melhor opção” Dados sobre automóveis produzidos no País

Dezembro «esconde» 2013

O número de automóveis produzidos em Portugal totalizou 9440 em dezembro de 2013, uma subida homóloga de 92,3%, mas no conjunto do ano recuou 5,8% e ficou 3,1% abaixo da média dos últimos cinco anos. Segundo dados divulgados pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP), a produção automóvel totalizou 154.016 veículos em 2013, menos 5,8% do que no ano anterior, uma descida determinada “pela quebra da produção acumulada de todos os tipos de veículos”. A produção de veículos ligeiros de passageiros baixou 5,2% em 2013 em relação ao ano anterior, a de comerciais ligeiros caiu 6,6%, a de veículos pesados recuou 14,9% e a de veículos comerciais cedeu 7,3%. A ACAP refere que, em 2013, a produção automóvel “ficou 15,4% abaixo da média dos últimos dez anos e 3,1% abaixo da média dos últimos cinco anos”. No entanto, no que respeita a dezembro de 2013, o número de automóveis produzidos em Portugal totalizou 9.440 veículos, uma subida de 92,3% em comparação com igual mês do ano anterior. Do número total de veículos produzidos em dezembro de 2013, 8.881 foram exportados, o equivalente a 94,1% da produção nacional. O número de veículos exportados no último mês de 2013 aumentou 107,3% relativamente ao mesmo período do ano anterior.

“Programa cautelar com certeza que garante mais confiança, mais segurança. À partida, será a melhor opção”, disse em Bruxelas. O presidente da Comissão Europeia considerou, ontem que, embora ainda seja “um bocado cedo” para decidir a melhor forma de Portugal sair do seu programa de ajustamento, o recurso a um programa cautelar será, à partida, “a melhor opção”. “O programa cautelar com certeza que garante mais confiança, mais segurança. À partida, será a melhor opção. Mas é ainda um bocado cedo para nos pronunciarmos sobre isso agora, não estamos ainda aí. O que é importante é continuar a executar o programa com determinação e conseguirmos verificar, do ponto de vista da confiança dos investidores internacionais, se há ou não condições para Portugal sair com êxito deste programa de ajustamento”, afirmou Durão Barroso, em Bruxelas. Em declarações a jornalistas portugueses, na sede da Comissão Europeia, à margem de uma atuação do grupo «Cantorias», que se deslocou a Bruxelas para «Cantar as Janeiras» ao presidente do executivo comunitário, Durão Barroso ressalvou todavia que “se há um programa cautelar ou não, francamente essa não é a questão neste momento” e “essa questão terá de ser avaliada na altura, em função da confiança dos investidores, e de modo a garantir a maior segurança a Portugal”. “O que interessa é saber qual é a melhor solução: se Portugal conseguir voltar a financiar-se autonomamente, se é melhor fazer com ou sem um programa cautelar”, disse, admitindo então depois que, “à partida”, a primeira opção será melhor, dado conferir “mais segurança”. “Os sinais são positivos”

Questionado sobre se acredita que 2014 será o ano do fim da crise em Portugal, José Manuel Durão Barroso disse crer que sim, embora

Crise. “Espero que Portugal não desperdice agora todos os sacrifícios que os portugueses tiveram que suportar”, defendeu Durão Barroso

Europa em dia positivo

Bolsa de Lisboa fecha sessão a valorizar

O principal índice da bolsa portuguesa, o PSI20, encerrou a sessão de, ontem, a crescer 0,70% para 7.142,73 pontos, acompanhando o sentimento positivo das praças acionistas de referência na Europa. Das 20 cotadas no PSI20, 16 valorizaram, uma ficou estável face à cotação de sexta-feira e três fecharam o dia no vermelho. No resto da Europa, os ganhos

variaram entre os 0,26% de Londres e os 0,73% de Madrid. Por outro lado, as vendas da Jerónimo Martins subiram 11% no ano passado, face a igual período de 2012, para 11,8 mil milhões de euros, de acordo com dados preliminares do grupo que detém o Pingo Doce. Em Portugal, as vendas do Pingo Doce subiram 3,9% para 3,1 mil milhões de euros “em resultado do reforço continuado da sua competitividade de preço e das atrativas promoções para o consumidor”.

alertando que os efeitos “na vida concreta das pessoas” demoram sempre algum tempo a fazer-se sentir. “Esperemos que sim, eu acho que os sinais são positivos. Os sinais macroeconómicos vão todos no bom sentido. Não apenas o crescimento, mas sobretudo a redução do desemprego e, muito importante, a confiança dos investidores”, disse, apontando designadamente o sucesso da emissão de dívida a cinco anos realizada na passada quinta-feira. “Esta emissão de dívida foi um sucesso. Esperemos que seja confirmada a tendência noutras emissões de dívida. A verdade é que Portugal hoje está a ser visto pelos investidores internacionais de uma forma muito mais positiva do que aquela que sabíamos existir há alguns anos”, disse, acrescentando que essa sempre foi a convicção da Comissão, desde que Portugal “mantivesse o seu compromisso com o programa de ajustamento”. Durão Barroso sublinhou que a conclusão bem-sucedida do programa de ajustamento – prevista para maio próximo – será, acima de tudo, “uma vitória” para o País e “será muito bom para Portugal e para os portugueses”. “Não nos esqueçamos que há poucos meses atrás as pessoas diziam o contrário. Portugal estava a ser cada vez mais desvalorizado nos mercados, as pessoas diziam que Portugal não era capaz de conseguir. E agora o sentimento geral é que Portugal vai conseguir. Eu espero que Portugal não perca esta oportunidade, que Portugal não desperdice agora todos os esforços extraordinários que foram feitos, os sacrifícios que os portugueses tiveram que suportar”, disse. Por fim, o presidente do executivo comunitário admitiu que “no plano da vida concreta das pessoas, ainda não se estão a sentir esses resultados, mas é sempre assim”. “Há uma distância no tempo entre a mudança dos indicadores económicos, nomeadamente em termos de confiança, quer dos investidores, quer dos consumidores, e os resultados, nomeadamente em termos do emprego”, justificou.


desporto

6 | O Norte Desportivo

Terça-feira, 14 de Janeiro de 2014

Leonardo Jardim acredita que Sporting pode corrigir problemas na finalização

“Patamar constante” “É fundamental o Sporting vencer este jogo, que tem um caráter decisivo”, disse sobre a partida com o Marítimo, hoje. O treinador d do Sporting, Leonardo Jardim, assume que o jogo com o Marítimo é decisivo para as ambições de seguir em frente na Taça da Liga, anunciando algumas alterações no onze titular. “É fundamental o Sporting vencer este jogo, que tem um caráter decisivo, pois se não o fizermos vamos ter dificuldades em passar à segunda fase. Se ganharmos vamos deixar para a última jornada a decisão”, disse o técnico na conferência de imprensa de antevisão ao jogo da segunda ronda do Grupo B da Taça da Liga Hoje, em Alvalade, Leonardo Jardim espera um Marítimo a procurar explorar as transições rápidas e a velocidade dos seus atacantes, com ambição de discutir o resultado. Para o jogo com os madeirenses, o técnico anunciou algumas alterações na equipa, uma delas na baliza, onde Marcelo Boeck vai ser titular. “Vamos jogar com a equipa na máxima força, mas tendo em conta que nesta competição fazemos sempre alterações. Existem jogadores que

FCP prepara Penafiel

Plantel reunido depois da derrota na Luz

Taça da Liga. Se ganharmos vamos deixar para a última jornada a decisão”, disse Leonardo Jardim, sobre jogo contra o Marítimo jogam com menos assiduidade e têm que ter a sua oportunidade, porque vão ser necessários para a segunda volta do campeonato”, explicou. Nos últimos três jogos, a equipa do Sporting não sofreu golos mas também não marcou, algo que deixa o treinador do Sporting insatisfeito. “O Sporting está num patamar constante em termos de época desportiva. Ao longo destes seis meses houve fases em que alguns atributos da equipa estiveram bem e outros menos bem. É uma fase menos boa da concre-

tização, mas acredito que vamos corrigir neste jogo e procurar a vitória, num grupo em que todos estão empatados”, salientou. Leonardo Jardim recusou depois comentar a vitória do Benfica sobre o FC Porto (2-0), na 15.ª e última jornada da primeira volta da I Liga, referindo que o Sporting “não se pode preocupar com resultados das outras equipas”. Sobre a saída de Rinaudo, que foi emprestado aos italianos do Catania, o técnico afirmou que é uma lacuna no plantel e é preciso haver capacidade para a colmatar.

“É um jogador que perdeu espaço na equipa pelo crescimento do William [Carvalho]. Foi um profissional a 100 por cento e era um atleta que queria competir. Nesta vertente achamos por bem que ele se valorizasse noutro clube”, concluiu. O Sporting recebe, hoje, o Marítimo na segunda jornada do Grupo B da Taça da Liga, num jogo marcado para as 19h45. O árbitro Nuno Almeida (Algarve) dirige este encontro, segundo nota publicada no site da Liga de futebol (LPFP).

Mourinho não pensa sair de Londres em breve

“Vou-me embora quando o Chelsea decidir” O português José Mourinho, treinador do Chelsea, assumiu que está no clube inglês de futebol para ficar e não pensa em mudar. “Estou aqui para ficar. Pertenço ao Chelsea e o Chelsea pertenceme. Dei muito ao Chelsea no passado, mas o Chelsea também me deu muito a mim. É uma relação profissional diferente”, explicou o português, numa entrevista ao jornal britânico Evening Standard. Depois de ter orientado o Inter de Milão (2008-2010) e o Real Madrid (2010-2013), Mourinho regressou ao Chelsea no verão de 2013, seis anos após a sua saída,

Inglaterra. “Estou aqui para ficar. Pertenço ao Chelsea e o Chelsea pertence-me”, Diz Mourinho

para assinar um contrato válido por três temporadas. “Não estou a pensar na minha próxima mudança, porque não quero que haja uma mudança. Vou-me embora quando o Chelsea decidir que é o momento certo de o fazer”, assinalou o «special one». Mourinho também comentou que, quando saiu do clube em 2007, decidiu manter a casa na capital inglesa e que muitas vezes visitou a cidade, realçando assim o vínculo que o une a um lugar onde fez história e se tornou um mito para os adeptos locais. “O êxito que alcancei durante a minha carreira deu-me a possibili-

dade de escolher o meu destino. Quando tomei a decisão (de regressar) não sabia se o Chelsea estaria disponível ou se aporta continuaria aberta, mas quando o fiz foi perfeito para mim”, salientou o português, que quando ingressou pela primeira vez nos «blues» venceu todas as competições internas. No plano desportivo, o Chelsea encontra-se no segundo lugar da Liga Inglesa, a dois pontos do líder Manchester City e qualificou-se para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões, onde vai defrontar o Galatasaray da Turquia.

O FC Porto iniciou, ontem, a preparação para a receção de amanhã ao Penafiel, da segunda jornada do Grupo B Taça da Liga em futebol, com praticamente todo o plantel à disposição. No dia seguinte à derrota frente ao Benfica, no estádio da Luz, por 2-0, na 15.ª e última jornada da primeira volta a I Liga, Paulo Fonseca contou com 23 atletas, à exceção do guarda-redes angolano Kadu, que jogou domingo pela equipa B. Os «dragões» regressam ao trabalho hoje, de novo no Olival, às 10h00, o último ensaio antes da receção ao Penafiel.

Campeonato alemão de turismo

Félix da Costa colega de Timo Glock

O piloto português António Félix da Costa vai fazer dupla com o alemão Timo Glock para correr esta temporada do campeonato alemão de turismo (DTM), na equipa MTEK, anunciou a BMW Motorsport. Félix da Costa vai estrear-se no DTM como piloto oficial da BMW, acumulando com as funções de piloto de testes e reserva da escuderia de Fórmula 1 Red Bull, onde corre o campeão do Mundo Sebastian Vettel. O campeonato alemão de turismo arranca a 4 de maio, no circuito alemão de Hockenheim, disputando ao longo do ano dez corridas.


Terça-feira, 14 de Janeiro de 2014

«O PRIMEIRO DE JANEIRO» 14/01/2014

Procedimento concursal comum de recrutamento para constituição de relação de emprego público por tempo Indeterminado de um técnico superior Para os devidos efeitos se torna público que se encontra aberto procedimento concursal comum de recrutamento por tempo indeterminado, na modalidade de contrato de trabalho em funções públicas, de um técnico superior (Engenharia Civil). Os requisitos e condições de admissão ao procedimento concursal são os definidos no artigo 8.° e 52.° da LVCR e constam da oferta publicitada no Diário da República, 2a Série - n.° 6, de 9 de janeiro de 2014, Aviso n.° 406/2014, bem como na Bolsa de Emprego Público (www.bep.gov.pt) e no sitio do Município (www.cm-boticas.pt). As candidaturas devem ser apresentadas no prazo de 10 dias úteis a contar da data da publicação do Aviso no Diário da República. Município de Boticas, 9 de janeiro de 2014 O Presidente da Câmara Fernando Queiroga

«O PRIMEIRO DE JANEIRO», 14 /201 4 14//01 01/201 /2014

«O PRIMEIRO DE JANEIRO», 14 /201 4 14//01 01/201 /2014

Juízos Cíveis do Porto

Juízos Cíveis do Porto

1.a Juízo Cível

1.a Juízo Cível

Processo: 1584/13.9TJPRT Interdição / habilitação N/Referência: 11824456 Data: 18-12-2013 Requerente: Ministério Público Requerido: Maria Emília Queirós Lima de Almeida Branco Romão

Processo: 1973/13.9TJPRT Interdição / Inabilitação N/Referência: 11824847 Data: 18-12-2013 Requerente: Ministério Público Requerido: Fernanda Sousa Gonçalves e outro(s)...

ANÚNCIO Faz-se saber que foi distribuída neste tribunal,a ação de Interdição/Inabilitação em que é requerido Maria Emília Queirós Lima de Almeida Branco Romão, separada, NIF 150562101, nascida 02/ 03/1944, natural da freguesia de Valença do Douro, Tabuaço, com residência em domicílio: Rua de Vilar, N° 210, 4 C, Massarelos, 4050-625 Porto, para efeito de ser decretada a sua interdição por ANOMALIA PSÍQUICA. O Juiz de Direito, Dr(a). Mónica Alexandra da Silva Oliveira O Oficial de Justiça, Helena Barquinha

«O PRIMEIRO DE JANEIRO», 14 /201 4 14//01 01/201 /2014

ANÚNCIO Faz-se saber que foi distribuída neste tribunal, a ação de Interdição/lnabilitação em que é requerido Adelina Sousa Gonçalves, com residência em domicílio: Lar Residencial das Fontainhas, Alameda das Fontainhas, N.º 1, 4000-225 Porto, e Fernanda de Souza Gonçalves com residência em domicílio: Lar Residencial das Fontainhas, Alameda das Fontainhas, Nº 1, 4000-220 Porto para efeito de ser decretada a sua interdição por anomalia psíquica. O Juiz de Direito, Dra. Susana Raquel Sousa Pereira A Oficial de Justiça, Angélica Cordeiro

«O PRIMEIRO DE JANEIRO», 14 /201 4 14//01 01/201 /2014

Juízos Cíveis do Porto

Tribunal Judicial de Gondomar

1.a Juízo Cível

3.a Juízo Cível

Processo: 1999/13.2TJPRT Interdição / Inabilitação N/Referência: 11827869 Data: 20-12-2013 Requerente: Ministério Público Requerido: Maria Helena de Jesus Saraiva

Processo Interdição: 4344/13.3TBGDM Requerente: Ministério Púbico Requerido: Isaura Vieira Faria Referencia: 10575739 Date: 06-01-2014

ANÚNCIO

ANÚNCIO

Faz-se saber que foi distribuída neste tribunal, a ação de Interdição em que é requerido Maria Helena de Jesus Saraiva, com residência em domicílio: Rua Dom António Barros, 149 - R/ch., 4050-060 Porto, para efeito de ser decretada a sua interdição por anomalia psíquica.

Faz-se saber que foi distribuída neste tribunal, a ação de Interdição em que é requerida, Isaura Vieira Faria, nascida aos 24-121942, B.l. 2650238. natural de Paranhos (Porto), com residência em domicilio: Urbanização Mãos À Obra, lote 7, casa 156,4435-318 Rio Tinto, para efeito de ser decretada a sua interdiçio por anomalia psíquica.

O Juiz de Direito, Dr(a). Mónica Alexandra da Silva Oliveira A Oficial de Justiça, Sandra Cruz

A Juiz de Direito. Dra. Fernando Wilson O Oficial de Justiça, Francisca Valente

DEPARTAMENTO DE PUBLICIDADE Telefone: 22 096 78 46

Fax: 22 096 78 45

publicidade

O Primeiro de Janeiro | 7


1868

Há 144 anos, todos os dias consigo.

Director: Angela Amorim | Distribuição Gratuita | www.edvsemanario.pt |

|

DEPUTADOS DA MADEIRA EM JULGAMENTO

André Escórcio*

Julgados porquê? Resposta: por um conflito institucional entre o Tribunal de Contas e o Tribunal Constitucional. No essencial, quem fiscaliza o quê e quem? É a única possível. Porque os deputados em causa não roubaram, não desviaram, não aplicaram qualquer verba fora da sua actividade política. Por partes e

em síntese: 1º A Assembleia Legislativa da Madeira, através do seu Conselho Administrativo, transfere, todos os meses, verbas para os partidos políticos visando o seu funcionamento. 2º Os grupos parlamentares não têm personalidade jurídica, tampouco número fiscal. O número fiscal é o do partido, sendo este o mesmo do partido nacional. 3º Os Grupos parlamentares constituem um órgão de um partido político, sujeito às orientações da sua Comissão Política. 4º Não existem partidos regionais. 5º As poucas despesas dos grupos parlamentares regionais integram as contas dos partidos regionais que, por sua vez, integram as contas dos partidos ao nível nacional. 6º Os deputados não lidam com dinheiro, não fazem pagamentos, nem assumem gastos decididos pelos partidos. 7º Os partidos nacionais são rigorosamente fiscalizados e auditados e têm as suas contas aprovadas. De sublinhar, no caso concreto das contas de 2006, do Partido Socialista da Madeira, que as mesmas estão aprovadas pelo Tribunal Constitucional, através do Acórdão nº 515/2009, onde as referidas subvenções transferidas pela Assembleia para o PS-Madeira estão assumidas sem que tivesse sido apontada qualquer irregularidade e ou desconformidade na matéria. Daí que me custe, enquanto cidadão, aceitar uma situação que coloca pessoas sob desconfiança pública por responsabilidades que, nem do ponto de vista funcional, tiveram ou têm. Os dinheiros públicos têm de ser fiscalizados até ao último cêntimo e, neste aspecto, todos os documentos de despesa devem ser solicitados aos partidos políticos e nunca aos deputados que exercem funções marcadamente políticas. Outra coisa é o valor das transferências. O conhecido “jackpot” é uma vergonha regional. Tem de ser posto um travão ao cálculo que define o montante das transferências mensais. É obsceno num tempo de grandes carências sociais. Só o PSD-M se opõe! Mas isto nada tem a ver com alegados “crimes”, como alega o Tribunal de Contas, por (...) cada um dos demandados ter cometido uma infracção dolosa de natureza reintegratória por desvio de dinheiro (...) e uma infracção dolosa de natureza sancionatória (...). Eu diria, repito, que os Deputados em causa estão a ser vítimas de um conflito institucional entre o Tribunal de Contas e o Tribunal Constitucional e por uma alegada brecha de natureza legislativa. Que se entendam e que a Assembleia da República clarifique, porque é o bom nome e a dignidade de muitas pessoas que está a ser lançado na lama. *Professor www.comqueentao.blogspot.com

Diretor: Rui Alas Pereira (CP-2017). E-mail: ruialas@oprimeirodejaneiro.pt Redatores: Joaquim Sousa (CP-5632), Andreia Cavaleiro (CP-6983), Cátia Costa (Lisboa) e Vasco Samouco. Fotografia: Ivo Pereira (CP-3916) Secretariado de Direção: Sandra Pereira. Secretariado de Redação: Elisabete Cairrão. Publicidade: Conceição Carvalho (chefe), Elsa Novais (Lisboa, 918 520 111) e Fátima Pinto. E-mail: conceicao.carvalho@oprimeirodejaneiro.pt Morada: Rua de Santa Catarina, 489 2º - 4000-452 Porto. Contactos: redação - Tel. 22 096 78 47 - Tm: 912 820 510 E-mail: geral.cloverpress@oprimeirodejaneiro.pt - Publicidade - Telefone: 22 096 78 46, Fax: 22 096 78 45 Propriedade: Globinóplia, Unipessoal Lda. Edição: Cloverpress, Lda. NIF: 509 229 921 Depósito legal nº 1388/82 Impressão: Coraze, Telefs.910252676 / 910253116 / 914602969, Oliveira de Azeméis. Distribuição: Vasp. Tiragem: 20 000

Internacional português do Real Madrid conquista segunda Bola de Ouro

Cristiano Ronaldo de novo o Melhor do Mundo O futebolista português Cristiano Ronaldo venceu a Bola de Ouro da FIFA, para melhor jogador do Mundo em 2013, conquistando o galardão pela segunda vez. “Não há palavras para descrever este momento”, começou por dizer um emocionado Cristiano Ronaldo, antes de interromper o discurso devido às lágrimas que lhe caíam do rosto e à subida ao palco do filho. Na votação, cujo resultado final foi apresentado pelo antigo futebolista Pelé, na Gala da FIFA, em Zurique, na Suíça, o português do Real Madrid bateu o argentino Lionel Messi, do FC Barcelona, e o francês Franck Ribery, do Bayern de Munique. Apesar de não ter vencido qualquer título coletivo, Cristiano Ronaldo bateu o recorde pessoal de golos num ano civil, ao apontar 69 tentos em 59 jogos oficiais. Cristiano Ronaldo obteve 27,99 por cento dos votos, contra 24,72 de Lionel Messi e 23,36 de Franck Ribéry, anunciou o France Football. Uma margem um pouco superior a três por cento acabou por separar o internacional luso do seu mais direto rival, o argentino Messi, nas escolhas dos treinadores e capitães das seleções nacionais de todo o Mundo, valendo-lhe o prémio atribuído em Zurique, na Suíça, enquanto o fracês Ribery foi terceiro. Cinco anos após o seu primeiro título de “Melhor Jogador do Mundo”, atribuído pela FIFA e pelo órgão de comunicação francês, o avançado luso transformou-se ainda no décimo futebolista a erguer o troféu, pelo menos, duas vezes durante a sua carreira. Além de Cristiano Ronaldo (Real Madrid) e de Lionel Messi (Barcelona), o “bis” aconteceu com Johan Cruyff (HOL), Michel Platini (FRA), Marco van Basten (HOL) - três vitórias cada -, Alfredo Di Stefano (ARG), Franz Beckenbauer (ALE), Kevin Keegan (ING), Karl-Heinz Rummenige (ALE) e Ronaldo (BRA). Apesar de não ter vencido qualquer título coletivo em 2013, Cristiano Ronaldo bateu o recorde pessoal de golos num ano civil, ao apontar 69 tentos em 59 jogos oficiais. “ORGULHO ENORME” Cristiano Ronaldo reconheceu, em lágrimas e com o filho pela mão, o “orgulho enorme” que representa vencer a Bola de Ouro da FIFA, hoje entregue em Zurique, na Suíça. “Não há palavras para descrever este momento”, começou por dizer um emocionado Cristiano Ronaldo, antes de interromper o discurso devido às lágrimas que lhe caíam do rosto e à subida ao palco do filho. O português agradeceu a todos os companheiros do Real Madrid e da seleção portuguesa e da sua família, admitindo que a distinção é “um orgulho enorme”. “Quem me conhece sabe o sacrifício que foi ganhar esta Bola de Ouro”, prosseguiu, antes de deixar uma palavra a Eusébio e Nélson Mandela, duas pessoas muito importantes na sua carreira. Depois de agradecer à namorada e à mãe,

Ronaldo dedicou o prémio ao filho, “que é a primeira vez que vê o pai vencer a Bola de Ouro”. “Se me esqueci de alguém peço desculpa”, terminou. O futebolista português Cristiano Ronaldo venceu a Bola de Ouro da FIFA, para melhor jogador do Mundo em 2013, conquistando o galardão pela segunda vez. Na votação, cujo resultado final foi apresentado pelo antigo futebolista Pelé, na Gala da FIFA, em Zurique, na Suíça, o português do Real Madrid bateu o argentino Lionel Messi, do FC Barcelona, e o francês Franck Ribery, do Bayern de Munique. Apesar de não ter vencido qualquer título coletivo, Cristiano Ronaldo bateu o recorde pessoal de golos num ano civil, ao apontar 69 tentos em 59 jogos oficiais. “RECONHECIMENTO PELO EXCECIONAL NÍVEL DESPORTIVO” O Presidente da República português felicitou Cristiano Ronaldo, que venceu a Bola de Ouro da FIFA para melhor jogador do Mundo em 2013, pelo “excecional nível desportivo” do futebolista. “É o primeiro português a receber por duas vezes esta distinção. Este galardão é o reconhecimento do seu excecional nível desportivo, do empenho e dedicação que tem colocado em todo o seu percurso como futebolista”, diz Cavaco Silva em mensagem divulgada na página Internet da Presidência da República. Felicitando Cristiano Ronaldo em seu nome e em nome “de todos os portugueses”, Cavaco Silva diz ainda que a distinção da FIFA “significa também a valorização do desporto em Portugal e é um estímulo para os jovens desportistas, dando um contributo muito relevante para a projeção internacional do nosso país”. “Aceite as minhas felicitações e os desejos de muitos sucessos pessoais e desportivos”, escreve o Presidente da República no final da mensagem endereçada ao atleta. “MAGNÍFICA CONQUISTA” O primeiro-ministro português congratulou Cristiano Ronaldo, que venceu a Bola de Ouro da FIFA para melhor jogador do Mundo em 2013, por “mais uma magnífica conquista na sua carreira”. “Congratulo calorosamente Cristiano Ronaldo, o capitão da seleção nacional, por mais uma magnífica conquista na sua carreira. Com este prémio, Cristiano Ronaldo prestigia a seleção nacional e o nosso país”, diz Pedro Passos Coelho em nota endereçada às redações após a vitória de Ronaldo na gala da FIFA. Cristiano Ronaldo, diz o primeiro-ministro, “não precisaria de mais um galardão

para ter o reconhecimento e a admiração de todos os portugueses e de muitos milhões de adeptos do futebol de inúmeras nacionalidades”, mas a distinção de hoje, a segunda de melhor do mundo, após uma primeira em 2008, “regista com inteira justiça um ano notável e recompensa o seu talento, trabalho, profissionalismo e determinação”. O prémio, diz o governante, “reforça também o sucesso com que Cristiano Ronaldo tem levado as cores nacionais e o orgulho português a todas as partes do mundo”. “Este é, sem dúvida, um bom auspício para o Campeonato do Mundo de futebol no Brasil que se avizinha”, escreve também Passos Coelho. “SEMEIA ESTADOS DE ALMA” O secretário-geral do PS felicitou o futebolista Cristiano Ronaldo, que recebeu a sua segunda Bola de Ouro de melhor do Mundo, pelo seu “trabalho e entrega” que “superaram fronteiras do futebol”. “Há muito que a sua capacidade de trabalho e a entrega que coloca no que faz, superaram as fronteiras do futebol. O futebol de Cristiano Ronaldo é hoje um dos maiores e melhores exemplos de projeção do nome de Portugal”, lê-se na página de António José Seguro na rede social Facebook, que também contém uma fotografia do ídolo português com o equipamento da “seleção das quinas”. O líder do maior partido da oposição refere tratar-se de “um justo reconhecimento pelo trabalho realizado e pela magia que (Cristiano Ronaldo) coloca em muitas das jogadas que terminam em golo ou em assistência para golo”. “Se o golo é a alma do futebol, Cristiano Ronaldo é um jogador que semeia estados de alma e que a todos nos enche de orgulho”, afirmou o líder socialista. “TEMOS O MELHOR DO MUNDO” O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) destacou o facto de a seleção ter no seu plantel o melhor jogador de 2013, distinção atribuída a Cristiano Ronaldo, que venceu a Bola de Ouro da FIFA. “Acima de tudo, para nós, representa que temos um jogador que em 2013 foi considerado como melhor do Mundo. Foi obtido, sobretudo, nos jogos da seleção, em que fez exibições fantásticas”, considerou Fernando Gomes. O presidente da FPF tinha “muita confiança” que Cristiano Ronaldo ganhasse e não estranhou que o português não conseguisse conter as emoções depois de “um longo período” em que “desenvolveu as suas capacidades”, mas que viu outro receber a Bola de Ouro.

14 01 2014  
Advertisement