Issuu on Google+

8

noticiário

13 de setembro de 2013

Mundial de motocrosse

Rui Gonçalves termina campeonato no 13.º lugar Rui Gonçalves (KTM) concluiu o Campeonato Mundial de motocrosse, na classe de MX1, na 13.ª posição, após ter ficado longe dos lugares cimeiros no Grande Prémio da Europa, 17.ª e última ronda da competição.

Após mais de um mês em convalescença de uma lesão, Rui Gonçalves voltou a activo para a derradeira jornada do “Mundial” de Motocross. O lusitano foi 13.º na primeira manga da classe MX1 – posição em que também fechou o Campeonato - e desistiu na restante, lesionado num tornozelo. Rui Gonçalves estava fora de combate desde finais de Julho, para recuperar da lesão sofrida por queda na Alemanha. Regressou agora no G.P. do Benelux, disputado em Lierop, uma pista de areia que o nosso piloto aprecia bastante, mas a chuva

caída durante a manhã deixou o piso muito pesado. Além da natural falta de ritmo decorrente da paragem, na semana anterior à prova Gonçalves lesionou o tornozelo esquerdo em treinos privados, e como tal não estava nas melhores condições físicas para este jornada. Na primeira manga obteve o 13.º lugar, e na segunda teve de desistir à oitava volta, devido a uma torção no tornozelo direito. Este “Mundial” de Motocross foi constituído por 17 jornadas, e Rui Gonçalves não marcou pontos em cinco delas, ele que ocupava o

sétimo posto do Campeonato antes da arreliadora lesão. Ainda assim, terminou esta campanha de 2013 no 13.º lugar final, sendo que o campeão do mundo é mais uma vez (quinta) o italiano Antonio Cairoli, que venceu a segunda corrida dis-

putada em Lierop. Campeonato: 1.º Antonio Cairoli (KTM) 761 pontos; 2.º Clement Desalle (Suzuki) 671; 3.º Ken de Dycker (KTM) 607; 4.º Kevin Strijbos (Suzuki) 553; 5.º Gautier Paulin (Kawasaki) 539; 6.º Tommy

Searle (Kawasaki)487; (…) 13.º Rui Gonçalves (KTM) 240; etc. Esta foi a última aparição de Rui Gonçalves pela equipa Ice One Racing, que já anunciou que não conta com o antigo vice-campeão de MX2 na próxima época.

uma área mais rápida, idêntica aos ralis, e outra mais lenta, ao estilo do trial”, explicou a organização. A prova envolve mais de 360 pessoas, que vão desde pilotos a mecânicos ou comissários de prova, sendo organizada pelo “King of Portugal”, com o apoio da Câmara de Vimioso e do Motoclube “Os Furões”. “A imprensa internacional tem seguido com bastante interesse a prova, já que é primeira vez que mesma se desloca para fora dos Estados Unidos e vai tentar perceber as diferenças ou semelhanças com a prova mítica americana”, frisou

José Santos. “Não está a afastada” a ideia de se realizar um campeonato europeu dentro deste modelo de competição, envolvendo competidores de países como Portugal, Reino Unido, Alemanha e Itália. Os carros “ultra race” que vão participar na corrida podem chegar aos 650 cavalos de potência. O vereador do município de Vimioso, António Torrão, sublinhou o retorno económico que esta prova dará ao concelho e destacou os diminutos encargos que o município assumiu, já que “praticamente só apoia com a logística”.

Vimioso recebe primeira prova do género

“King of Portugal” Vimioso, em Trás-os-Montes, acolhe até amanhã (sábado) a “King of Portugal”, a primeira prova automobilística “off-road” realizada na Europa continental segundo o modelo da “mítica” competição norteamericana “King of Hammers”. “A prova é um conceito que nasceu nos Estados Unidos juntando as competições rápidas que decorriam no deserto com as provas trial. Assim, conseguiu-se misturar os

adeptos do trial e da velocidade e criar uma corrida única do mundo, que tem no Estados Unidos 55 mil pessoas a assistir, em média, a cada competição”, explicou José Santos,

da King of Road. Na competição europeia que se realiza no nordeste transmontano vão marcar presença 33 equipas oriundas de países como os Estados Unidos, Holanda, Bélgica, França, Espanha, Itália e Portugal. Está já confirmada a presença de Luky Dog, “jovem promessa” da modalidade nos Estados Unidos. A organização espera juntar milhares de pessoas no circuito traçado para o efeito em Vimioso e promete o mesmo espetáculo e a mesma dureza da competição praticada nos Estados Unidos. “O circuito é composto por duas zonas distintas,

Piloto algarvio dominou as cinco especiais do Rali Flor do Alentejo

Ricardo Teodósio vence em Serpa Ricardo Teodósio, aos comandos de um Mitsubishi Lancer Evo, foi o grande vencedor da edição de 2013 do Rali Flor do Alentejo Cidade de Serpa, competição pontuável para o Campeonato Regional de Ralis Sul (VSH). Depois de, na véspera, ter sido o mais rápido na super especial noturna, o piloto algarvio esteve imparável tendo triunfado em ambas as passagens pelos dois troços de terra escolhidos pela secção de motorismo da Sociedade Artística Reguenguense para esta prova: Aldeia do Pinto e Santa Iria. Num total cronometrado de 45,62 km, Ricardo Teodósio realizou

o tempo total de 35m36s, menos 1m17,65s que Márcio Marreiros e menos 1m27,68s que João Pedro Ribeiro Correia, ambos em Mitsubishi Lancer Evo VI. José Prego, da Comissão organizadora, comentou assim a prova: “O rali decorreu de uma forma muito interessante, sem qualquer tipo de problemas. Os pilotos manifestaramnos o seu agrado pelo figurino da prova e o vencedor, Ricardo Teodósio louvou em particular a especial da Aldeia do Pinto pela variedade de situações que proporcionava, para além de ter uma quilometragem de uma dezena de quilómetros”.


13motor08