Page 1

TESTE PARA RONALDO VER JOGO DE HOJE COM REP. IRLANDA ENCERRA ESTÁGIO NOS EUA

Há 145 anos, sempre consigo. 1868

Continente - 0,60 € (iva incluido) – Ilhas - S. Miguel e Madeira - 0,75 € (iva incluido) – Porto Santo 0,80 € (iva incluido)

Director: Angela Amorim | Distribuição Gratuita | www.edvsemanario.pt |

|

Diretor: Rui Alas Pereira | ISSN 0873-170 X |

DIÁRIO NACIONAL

Ano CXLVI | N.º 139

Terça-feira, 10 de junho de 2014

PASSOS REAFIRMA CONDIÇÕES PARA GOVERNAR PORTUGAL COM CONFIANÇA

B A!XAR ORDENADOS n Reafirmando ter condições para continuar a governar Portugal com “previsibilidade e confiança”, o primeiro-ministro diz que o Governo quer, “tão rapidamente quanto possível”, encontrar uma solução para as questões que envolvem a redução de ordenados. “Já tínhamos decidido que a partir de 2015 iríamos desfazer o corte dos salários que veio vigorando. Uma vez que esse corte foi agora suprimido na totalidade pelo Tribunal Constitucional nós temos de reanalisar essa situação”, destacou Passos Coelho em Santarém...

CANTINAS

Greve dos trabalhadores paralisou refeitórios e bares em todo o país

DIA DE PORTUGAL Presidente diz que “todos os portugueses ambicionam viver num país melhor”

PRISÕES

Greve dos guardas teve adesão superior a 90 por cento


local porto

2 | O Primeiro de Janeiro

Terça-feira, 10 de Junho de 2014

Trabalhadores das cantinas e refeitórios pararam em todo o país

Greve registou “elevada adesão” A greve nacional dos trabalhadores das cantinas, refeitórios, áreas de serviço e bares concessionados registou uma adesão “elevada” em todo o país, sentindo-se “particularmente” nos hospitais, centros de formação profissional e escolas. O protesto foi convocado pela Federação dos Sindicatos de Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal (FESAHT) contra o congelamento salarial no setor das cantinas que se regista há quatro anos. Segundo o coordenador do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Norte, Francisco Figueiredo, “há várias cantinas hospitalares em que estão apenas a ser assegurados os serviços mínimos, como é o caso dos hospitais de Ponte de Lima, Famalicão e Penafiel, do Hospital Pedro Hispano (Matosi-

“Martelinhos de S. João” recebeu 191 propostas

A 3.ª edição do concurso “Martelinhos de S. João”, iniciativa da Fundação da Juventude organizada em parceria com a Câmara do Porto, recebeu 191 propostas. Contando com o apoio da Fundação Millennium BCP, este concurso tem por objetivo “reinventar o tradicional martelo” da festa do S. João, que se assinala no dia 24. O vencedor do concurso será anunciado na quarta-feira, no âmbito da abertura da exposição que mostrará todos os trabalhos recebidos, que estará patente até ao dia 03 de julho no Palácio das Artes. O 1.º classificado em cada uma das três categorias – 2D, 3D e vídeo - receberá um prémio de mil euros, enquanto ao 2.º será atribuído a quantia de 500 euros. Neste concurso foram recebidas 36 propostas 3D, nove propostas em vídeo e 146 em 2D.

CANTINAS. Greve fez-se sentir no Porto, onde pelo menos 20 escolas ficaram sem refeições nhos), do Hospital da Prelada (Porto) e de vários outros hospitais em Coimbra, Tomar, Abrantes e Elvas”. De acordo com o dirigente sindical, “verifica-se também uma grande adesão nos centros de formação” do Instituto do Emprego e da Formação Profissional (IEFP), que “estão praticamente todos encerrados a nível nacional”. “É o caso, na região Norte, de Bragança e Braga”, salientou, acrescentando que no centro de formação do Porto do IEFP “só está uma pessoa a trabalhar”. As cantinas escolares são outro setor de atividade onde Francisco Figueiredo garante haver “uma grande adesão” ao protesto, afirmando que existem em todo o país várias escolas, quer EB 2/3,

quer primárias, “em que não está a ser assegurado o serviço de refeições”. “No Porto, soube há pouco que iam encerrar as cantinas das escolas do Viso e de Augusto Lessa, que fornecem refeições para 20 escolas da cidade, e há algumas cantinas onde os conselhos escolares estão a oferecer bolos e sandes aos alunos, o que, do nosso ponto de vista, não deviam fazer porque representa uma violação à lei da greve”, afirmou o sindicalista. Para Francisco Figueiredo, “faltando os cozinheiros as cantinas não deviam estar abertas, mas há algumas que estão a funcionar com as empregadas de refeitório a garantir a confeção das refeições, numa situação em que pode

estar em causa a segurança alimentar das crianças e da comunidade escolar”. Dado o elevado número e dispersão de escolas, hospitais e fábricas a nível nacional, cujas cantinas empregam um total de 12 mil trabalhadores, o sindicato ressalva ser “muito difícil avançar números relativos à adesão à greve” no próprio dia da paralisação. “Mas tenho uma ideia muito clara e segura de que há uma grande adesão no setor hospitalar, nos centros de formação e nas escolas. A adesão menor é nas fábricas, apesar do grande impacto na Autoeuropa e de, no centro de produção do Porto da RTP, a cantina estar mesmo “encerrada”, sustentou o coordenador sindical.

Estudo apresentado no Porto revela

Mortalidade por AVC baixa 46 por cento

A prevalência da hipertensão na população adulta portuguesa é de 42,2%, mantendo-se em níveis idênticos aos de há dez anos, mas a mortalidade por AVC baixou 46% na última década, revela um estudo apresentado no Porto. A redução do consumo de sal nos doentes hipertensos, a redução da pressão arterial, a mudança do tipo de medicação anti hipertensora, a melhoria da acessibilidade dos doentes ao Serviço Nacional de Saúde e o maior conhecimento da doença pela população explicam a redução da taxa de mortalidade por Acidente Vascular Cerebral. Coordenado por Jorge Polónia, docente e investigador da Faculdade de Medicina do Porto, o PHYSA é considerado o “maior e mais completo” trabalho alguma vez realizado em Por-

tugal sobre prevalência e controlo de hipertensão, consumo de sal e padrões genéticos relacionados com hipertensão, por registos efetuados em dois momentos diferentes, com dez anos de distância. Na apresentação das conclusões do estudo, Jorge Polónia manifestou alguns receios de que a crise possa inverter alguns dos bons resultados obtidos nos últimos dez anos, apelando por isso ao Ministério da Saúde para que continue a investir no controlo desta doença. Portugal continua no topo da tabela dos países europeus em que a mortalidade por AVC é maior do que a por enfarte do miocárdio, por isso, o especialista defendeu “uma maior ou total comparticipação dos medicamentos” anti hipertensores à semelhança do que acontece com a diabetes e a sida. “Porque é que a doença que mais mata

em Portugal não tem o mesmo tipo de tratamento?”, questionou o especialista, sublinhando também a necessidade de investir nos rastreios à população, desde criança. No PHYSA foi avaliada uma amostra representativa da população portuguesa, constituída por 3.720 pessoas, com idades entre os 18 e os 90 anos, recrutadas nos centros de saúde. Os dados revelam que a prevalência da HTA em Portugal é de 42%, sendo ligeira mas significativamente mais elevada nos homens (44,4%) por comparação às mulheres (40,2%) e nos mais velhos por comparação aos mais novos. A pesquisa demonstrou, ainda, que a taxa de obesidade na população portuguesa é de 20,4%, tendo aumentado cerca de 8% nos últimos dez anos, sobretudo nas mulheres, neste estudo a obesidade está associada ao aumento

BREVES

da prevalência de hipertensão, consumo de sal, doenças cardiovasculares e escolaridade mais baixa. O estudo revelou que a ingestão média diária de sal, na população portuguesa, é de 10,7 gramas. As recomendações internacionais estabelecem um limite máximo de 5,8 gramas de sal/ dia. O THYSA demonstrou que, comparativamente aos resultados obtidos em 2003, em 2012 a taxa de conhecimento e tratamento da hipertensão arterial quase duplicou. A prevalência da hipertensão continua elevada, mas a taxa de controlo aumento 3,8 vezes neste intervalo. Contudo, só 42,6% dos doentes hipertensos estão devidamente controlados. Este estudo foi realizado em colaboração e com financiamento da Sociedade Portuguesa de Hipertensão.

Bispo do Porto preside a missa do Bom Jesus

O bispo do Porto, António Francisco dos Santos, preside hoje, pelas 11h00, à missa do Bom Jesus de Matosinhos, assinalando o feriado municipal “com um momento de fé e celebração”. Também no feriado municipal e ainda no âmbito das festas do Senhor de Matosinhos, está previsto um programa lúdico, com fados, uma tarde dançante e o tradicional fogo de bonecos no jardim do Parque 25 de abril. As três semanas de festa ao Senhor de Matosinhos terminam no domingo, com um festival de folclore.

“Pequenos deputados, grandes ideias”

A Câmara de Lousada promove no sábado a iniciativa “Pequenos Deputados, grandes ideias”, tendo como protagonistas os alunos do 4.º ano das escolas básicas do concelho. O objetivo é a constituição de uma Assembleia Municipal, onde vão ser discutidos os problemas do concelho que mais preocupam os alunos. “Pretende-se com este evento envolver os mais novos, um aluno por escola, educando para a cidadania e estimulando o gosto pela participação cívica e política”, sublinha o comunicado da autarquia.


Terça-feira, 10 de Junho de 2014

regiões

O Primeiro de Janeiro |

Juntas da Covilhã protestam contra encerramento de escolas em 10 localidades

“Temos de lhes dizer que chega, basta” Presidentes das Juntas da Covilhã «barricaramse» nas instalações contra encerramento de escolas com menos de 21 alunos.

Incêndio em prédio na Almirante Reis

Quatro realojados

Quatro pessoas foram, ontem, realojadas na Santa Casa da Misericórdia de Lisboa na sequência de um incêndio que deflagrou de madrugada num prédio perto da Avenida Almirante Reis. Uma fonte do departamento de Proteção Civil da Câmara Municipal de Lisboa explicou que o incêndio, que obrigou à evacuação do edifício de quatro andares na Rua Maria, perto da Avenida Almirante Reis, deflagrou às 00h05. “Quatro pessoas foram retiradas do edifício e realojados às 02h30 na Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, onde vão ficar por tempo indeterminado”, disse. O incêndio, que não causou vítimas, foi dado como extinto às 00h45, tendo os bombeiros estado no local até às 03h00 para proceder ao rescaldo. “Estamos a usar um aspirador para retirar a água acumulada no prédio, mas o incêndio está extinto e não se registaram feridos”, explicaram os bombeiros. As autoridades vão realizar uma vistoria ao edifício e analisar as consequências do incêndio no prédio. Uma fonte do Regimento de Sapadores de Bombeiros disse à Lusa que o fogo foi combatido por cerca de 30 bombeiros, apoiados por oito viaturas dos Sapadores e dos Voluntários da Ajuda.

Juntas de freguesia do concelho da Covilhã estiveram, ontem, encerradas e os presidentes “barricados” no interior das instalações em protesto contra o fecho de escolas. Pedro Leitão, presidente da União de Freguesias de Cantar Galo e Vila do Carvalho, explicou que o protesto foi organizado “pelas 10 localidades que têm escolas com menos de 21 alunos”, mas que “todos os eleitos das restantes juntas estão solidários e aderiram imediatamente”. “Temos estado a confirmar com todos os presidentes e, efetivamente, as juntas não estão a prestar serviços. A única exceção prende-se com as juntas que têm lá a funcionar as extensões de saúde e que dão uma resposta a problemas inadiáveis, tendo, por esse motivo, aberto a porta, sem, contudo, estarem a prestar outros serviços”, afiançou o porta-voz dos autarcas, minutos antes de uma conferência de imprensa na qual estiveram presentes 11 eleitos. Pedro Leitão acrescentou que esta tomada de posição, que é assinalada nos edifícios com a colocação de uma faixa negra na qual se pode ler “fechado no interior”, foi marcada para ontem para coincidir com a visita do ministro da Educação, Nuno Crato, à cidade. “Temos de lhes dizer que chega. Basta. O interior, a população do interior e os eleitos do interior não vão continuar a permitir este flagelo. Estamos preparados para a luta e se o Governo quer avançar com os encerramentos, então nós começamos já, mas para lhes mostrar que não ficaremos de braços cruzados. É por isso que hoje [ontem] nos barricamos dentro de cada junta”, apontou. Pedro Leitão, que foi eleito pelo PS mas garantiu estar a falar também em nome dos presidentes de junta eleitos por diferentes

forças partidárias e movimentos, assumiu que no concelho “há o receio generalizado” de que os encerramentos abranjam outras áreas, além da educação. “Hoje são as escolas, amanhã serão as extensões e centros de saúde e depois os postos de correio e tudo o que ainda estiver a funcionar o que dizimará por completo as populações do interior”, apontou, pedindo ainda a imediata “demissão do ministro e do Governo. Na Covilhã, há dez estabelecimentos de ensino (jardins de infância e escolas de primeiro ciclo) em risco de encerrar, designadamente nas localidades de Barco, Cortes do Meio, Coutada, Erada, Orjais, Ourondo, Paul, S. Jorge da Beira, Vila do Carvalho e Verdelhos. O presidente da autarquia também já tomou posição pública contra o eventual fecho das escolas e prometeu que irá tentar sensibilizar o ministro Nuno Crato para a questão. PCP de Bragança crítico

Covilhã. “O interior, a população do interior e os eleitos do interior não vão continuar a permitir este flagelo”, dizem os líderes locais

Santo António em Tires

Jovem detido por esfaquear homem até à morte

Um jovem de 19 anos foi detido depois de ter esfaqueado até à morte um homem, no domingo à noite, nas festas de Santo António, em Tires. De acordo com a PJ, o homicídio ocorreu no domingo à noite, “no recinto de festas de Santo António, em Tires, onde, no decurso de uma altercação, o detido esfaqueou por diversas vezes a vítima, provocando-lhe a morte”. A po-

lícia recuperou a faca utilizada pelo detido, que vai agora ser sujeito a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação. Numa nota, a PJ anunciou ainda a detenção de um homem de 31 anos por homicídio na forma tentada na Amadora. Este crime ocorreu no passado dia a 31 de maio, num beco do Bairro 6 de Maio, onde, no decurso de uma discussão, o detido disparou uma arma de fogo, atingindo a vítima. Este detido foi interrogado no sábado, tendo ficado em prisão preventiva.

Também a Direção Regional de Bragança do PCP se manifestou, ontem, contra ao encerramento de mais escolas na região e apela à população para que ajude a travar a intenção do Governo de fechar estabelecimentos com menos de 21 alunos. Os comunistas de Bragança consideram que “nenhuma escola deve encerrar sem o acordo dos pais, dos órgãos autárquicos e dos representantes dos profissionais de educação” e, como tal, apelam “à indignação dos pais e da população em geral”, defendendo que a união “em defesa das escolas pode travar este processo”. “O encerramento de escolas, tal como os cortes nos salários e pensões ou os aumentos de imposto, são uma opção política dos governos que não querem cortar nas PPP, nos ‘swap’ e nos benefícios fiscais que dão à banca e aos grupos económicos”, apontam, em comunicado. O número concreto de escolas que podem encerrar no Distrito de Bragança ainda não é conhecido. O PCP adianta que em causa estão escolas dos concelhos de Bragança, Macedo de Cavaleiros, Miranda do Douro, Vila Flor, Vinhais e Mirandela.


4 | O Primeiro de Janeiro

nacional

Terça-feira, 10 de Junho de 2014

Passos garante que “programa está encerrado”, mas…

Sérgio Monteiro apresenta amanhã programa

Última ‘tranche’ continua em causa O primeiroministro garante que o programa de assistência está encerrado, estando a ser negociada com a ‘troika’ a forma de ultrapassar a alteração ditada pelo acórdão do Tribunal Constitucional, para que seja entregue a última ‘tranche’ da ajuda financeira. Passos Coelho assegurou, em Santarém, que o Governo não tenciona reabrir o programa de assistência económica e financeira, que ficou concluído a 17 de maio, estando sim em causa o pagamento da última ‘tranche’. “O que se passa é que há uma última ‘tranche’ de empréstimos que deveriam ter sido canalizados para Portugal na sequência da 12.ª avaliação, mas houve uma alteração que resultou do acórdão do Tribunal Constitucional que impede es-

“Portugal Porta a Porta”

PASSOS. O primeiro-ministro diz que o Governo só poderá saber se tomou todas as medidas necessárias quando o TC disser se o orçamento para este ano se pode realizar ou não tas instituições de poderem proceder a estas transferências, a menos que o Governo encontre uma forma de substituir as medidas em tempo útil”, afirmou. Passos Coelho disse ainda que a leitura que o Governo faz do acórdão do Tribunal Constitucional deixa “dúvidas sobre outras decisões que o Tribunal possa vir a tomar, nomeadamente relativamente ao orçamento retificativo”, que está ainda em apreciação pelo TC, e que “tem implicações quanto ao que foi o resultado” do acordo com as instituições da ‘troika’ na 12.ª avaliação. Questionado sobre se há um horizonte temporal para a conclusão dessas medidas, afirmou que isso depende de quando o TC “clarificar” a sua posição quanto ao orçamento deste ano. “Nós só podemos saber qual é o problema orçamental que temos para este ano quando

conhecermos todas as decisões do Tribunal Constitucional sobre o orçamento deste ano, e isso ainda não é conhecido. Quando for então saberemos qual é a extensão do problema orçamental que vamos ter para resolver, mas iremos resolvê-lo”, declarou. O primeiro-ministro afirmou que o Governo tem por objetivo garantir que a meta do défice não ultrapassa os 4% este ano e os 2,5% no próximo ano, pelo que se as medidas acordadas em Conselho de Ministros em acordo com os credores “não podem ser adotadas em razão da interpretação que juízes do TC fazem da Constituição” então têm de ser substituídas por outras. Passos disse ainda, em Santarém, que o Governo quer, “tão rapidamente quanto possível”, encontrar uma solução para as questões que envolvem a re-

dução de salários. “Já tínhamos decidido que a partir de 2015 iríamos desfazer o corte dos salários que veio vigorando. Uma vez que esse corte foi agora suprimido na totalidade pelo Tribunal Constitucional nós temos de reanalisar essa situação”, afirmou, sublinhando que isso deverá acontecer “tão rapidamente quanto possível”. O primeiro-ministro afirmou que o Governo só poderá saber se tomou todas as medidas necessárias quando o TC disser se o que o orçamento previa para este ano se pode realizar ou não. Questionado sobre se tem condições para governar, Passos Coelho afirmou que a “coisa mais importante que um país pode ter é previsibilidade e confiança”, precisando de ter um Governo em funções, “a resolver problemas” e não a ser “ator de instabilidade e incerteza”.

Cavaco Silva quer mais desenvolvimento para Portugal

Cavaco Silva quer mais desenvolvimento para Portugal O Presidente da República apela às comunidades portuguesas no estrangeiro para que contribuam para o desenvolvimento do país, reconhecendo que apesar do caminho feito os portugueses continuam insatisfeitos. “Apesar do caminho que fizemos, continuamos insatisfeitos. É saudável que assim seja. É sinal de que não nos resignamos, que ambicionamos viver num país melhor. Num país que atraia o regresso dos que partiram e onde os nossos filhos e netos possam usufruir de maiores níveis de bem-estar”, disse o chefe de Estado, numa mensagem às comunidades portuguesas no estrangeiro, por ocasião do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

Dirigindo-se àqueles que são os “embaixadores de Portugal” nos países onde vivem e trabalham, Cavaco Silva reiterou que o seu exemplo, determinação e a forma como representam o país são “motivo de orgulho e de esperança”. “Este ano, celebramos os 40 anos do 25 de Abril. Aproveitei a data para promover uma reflexão sobre o aprofundamento da cidadania democrática, a cultura do compromisso e a importância do conhecimento e da inovação para o desenvolvimento económico e social do nosso país”, recordou o chefe de Estado, considerando que os portugueses que vivem e trabalham no estrangeiro têm, também eles, “o dever cívico de projetar no futuro as ambições desse Abril de

1974 e de manter vivo este legado”. Na mensagem o chefe de Estado fez ainda alusão às visitas que tem realizado ao estrangeiro, onde encontrou “portugueses notáveis”, comunidades de portugueses e luso-descendentes com uma “extraordinária vitalidade” e “que gozam de grande prestígio junto dos países de acolhimento”. “Milhares de portugueses, apesar de viverem longe, querem cultivar e reforçar os laços com a sua terra de origem. Com elevado espírito de patriotismo, as comunidades portuguesas no estrangeiro têm-me transmitido, em múltiplas ocasiões, o seu interesse em contribuir para o desenvolvimento do país. É esse, precisamente, o apelo que vos dirijo”, sublinhou Cavaco

Silva, agradecendo “pelo muito que fazem” pelo nosso país… E “Portugal agradece”, acrescentou o Presidente da República. Por seu turno, o presidente da Câmara Municipal da Guarda pediu ao Presidente da República que seja impulsionador de um “projeto de esperança” para o país e chamou a atenção para a desertificação do interior. “Hoje quase não se fala de esperança em Portugal. Fala-se de défice, de credores, de dívida, de impostos, de investimento e de exportações. Tudo isso é importante. Mas decisivo mesmo é falar de esperança”, afirmou Álvaro Amaro, na sessão de boas vindas a Cavaco Silva, realizada na sala da Assembleia Municipal da Guarda.

O secretário de Estado dos Transportes vai apresentar amanhã o programa “Portugal Porta a Porta” no Sardoal, concelho de Santarém, que a par de Mação são as localidades onde esta iniciativa já está implementada. Este programa foi criado por Sérgio Monteiro em junho de 2012, consta do Plano Estratégico dos Transportes (PET) e pretende aumentar a mobilidade de quem vive em zonas pouco povoadas através de um serviço de transporte público a pedido. Para isso, o “Governo quer concertar parcerias entre os transportes públicos privados existentes, as misericórdias e as Instituições particulares de solidariedade social (IPSS)”. Porta-voz do PSD nega “mini-memorando”

“PS está a tentar criar ficção”

Marco António Costa negou ontem a existência de qualquer negociação de um “mini-memorando” com o Fundo Monetário Internacional (FMI) e acusou o PS de estar “a tentar criar ficção”. “Não há nenhuma negociação. Isso é o PS a tentar criar ficção e a arranjar fantasmas onde eles não existem”, afirmou o portavoz do PSD, à margem de uma visita ao distrito de Viana do Castelo. O dirigente social-democrata reagia desta forma à exigência feita pelo PS de que o Governo deve esclarecer “se está ou não” a negociar um “minimemorando” com o FMI. “Não há nenhuma renegociação, reabertura ou prolongamento do programa de assistência. Trata-se apenas de um formalismo natural”, frisou, garantido que o programa de assistência está encerrado, sendo apenas negociada com a ´troika’ a forma de ultrapassar a alteração ditada pelo acórdão do Tribunal Constitucional, para que seja entregue a última ´tranche’ da ajuda financeira.


Terça-feira, 10 de Junho de 2014

economia

O Primeiro de Janeiro | 5

Pires de Lima quer clarificação de “conjunto de incertezas constitucionais”

“Saber o que se pode fazer” Privatização da EGF

Governo seguro sobre questões jurídicas

“Para construir não chega recebermos uma série de nãos, precisamos de saber aquilo que se pode fazer”, afirmou.

O ministro do Ambiente, Jorge Moreira da Silva, disse que está seguro quanto às questões jurídicas em torno da privatização da EGF (Empresa Geral de Fomento), sublinhando que a comprová-lo está o elevado número de candidaturas apresentadas. “O trabalho de casa foi feito de forma tão segura que proporcionou a apresentação de sete candidaturas de diversas origens geográficas e com forte competição. Esse é o melhor sintoma que podemos ter de uma privatização que foi lançada”, disse Moreira da Silva, que esta semana viaja para os EUA.

O ministro da Economia, António Pires de Lima, defendeu, ontem, que o País precisa da clarificação de “um conjunto de incertezas constitucionais” para prosseguir com a recuperação económica e financeira. “Para construir não chega recebermos uma série de nãos, precisamos de saber aquilo que se pode fazer”, afirmou Pires de Lima, em resposta à situação criada com os chumbos do Tribunal Constitucional a três medidas do Orçamento do Estado. O ministro considerou “particularmente relevante que um conjunto de incertezas constitucionais possa ser clarificado durante os próximos tempos, de forma a que Portugal possa prosseguir com previsibilidade o caminho da recuperação económica”. António Pires de Lima visitou ao final da manhã, juntamente com o secretário de Estado da Inovação, Investimento e Competitividade, Pedro Gonçalves, a Kemin Pharma, multinacional farmacêutica norte-americana que decidiu deslocar a sua sede para Oeiras. O ministro reiterou que a clari-

Em linha com a Europa

PS comenta queda do PIB e das exportações

Bolsa de Lisboa fecha sessão a valorizar

O principal índice da bolsa portuguesa encerrou a sessão a ganhar 0,58% para 7.390,11 pontos, acompanhando a tendência positiva das principais praças europeias, com a Mota-Engil a liderar as subidas. Das 20 cotadas no índice de referência português, 13 valorizaram e sete fecharam o dia em terreno negativo. A Mota-Engil voltou a liderar as subidas ao progredir 5,88% para 6,25 euros, valor que não era alcançado desde agosto de 2007, beneficiando ainda do anúncio da assinatura de um contrato avaliado em 2,5 mil milhões de euros nos Camarões.

Clarificação. “Para construir não chega recebermos uma série de nãos, precisamos de saber aquilo que se pode fazer”, afirmou ficação do acórdão do Tribunal Constitucional pedida pelo Governo “é essencial para que Portugal possa continuar a ser um destino confiável de investimento”. “Sem investimento o País não cresce e se queremos continuar a merecer a confiança dos investidores, dos agentes económicos, é fundamental limpar as incertezas que são colocadas neste momento do ponto de vista institucional”, reforçou Pires de Lima. O ministro não quis comentar o prolongamento do programa de assistência económica e fi-

nanceira, preferindo salientar a prioridade do Governo e do seu ministério em “continuar a dar visibilidade a projetos de investimento que estão a concretizar-se” e que “dão nota da confiança crescente que os investidores internacionais têm relativamente ao percurso que Portugal está a fazer”. O governante visitou as instalações da Kemin Pharma em Barcarena, no concelho de Oeiras, multinacional norte-americana com presença em 60 países e que deslocou a sede da divisão farmacêutica para Portugal,

em 2013, após decidir fechar as suas instalações no Brasil. Diogo Sousa Martins, presidente da Kemin Pharma, explicou que a localização da nova sede europeia foi determinada por um levantamento das condições do País, quando se previa que a escolha recaísse na Bélgica, onde a empresa se encontrava estabelecida há mais tempo. A empresa construiu laboratórios perto da antiga Fábrica da Pólvora de Barcarena e projeta expandir as instalações para terrenos na envolvente.

“Dados são confirmação do caminho errado” O PS considera que os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística atestam o “caminho errado” que o Governo traçou para o País nos últimos três anos. “Os dados que hoje [ontem] foram apresentados pelo INE são a confirmação do caminho errado que este país tem levado nos últimos três anos”, declarou Eurico Brilhante Dias, membro do Secretariado Nacional do PS, em declarações aos jornalistas na sede do partido, em Lisboa. “Vamos continuar por este caminho de empobrecimento? Vamos continuar por este caminho em

INE. PIB registou, em termos homólogos, um aumento de 1,3% no primeiro trimestre e uma queda de 0,6% face ao trimestre anterior

que a balança de bens e serviços começa a dar notas de saturação ? Vamos continuar a cortar salários e pensões para construir que país, um país mais pobre, um país em que se vive pior ?”, questionou o dirigente socialista. O PIB registou, em termos homólogos, um aumento de 1,3% no primeiro trimestre e uma queda de 0,6% face ao trimestre anterior, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística. A primeira estimativa do INE, divulgada em maio, apontava para uma queda de 0,7% no primeiro trimestre face ao trimestre anterior e um cresci-

mento homólogo de 1,2% face ao mesmo trimestre do ano passado. As exportações portuguesas diminuíram 0,8% e as importações 0,1% no trimestre terminado em abril, face ao período homólogo, o que provocou uma deterioração do défice comercial em 81,3 milhões de euros. Segundo o INE, entre fevereiro e abril a taxa de cobertura registou uma quebra homóloga de 0,6 pontos percentuais (p.p.), para 84,1%. Considerando apenas o mês de abril de 2014, as exportações de bens diminuíram 4,9% e as importações de bens 6,6% face ao mês homólogo.


6 | O Norte Desportivo

desporto

Terça-feira, 10 de Junho de 2014

Estágio de preparação nos EUA termina com particular frente à Irlanda

Ronaldo pode ter minutos no último jogo É possível que «capitão» de Portugal jogue alguns minutos, hoje, frente à Irlanda. Depois do jogo, partida para o Brasil.

tes estiveram Cristiano Ronaldo e o médio Raul Meireles, que entretanto já trabalham com o grupo, mantendo-se a incerteza quando à sua utilização neste jogo, enquanto Pepe continua a treinar à parte e o guardião Beto não tem saído do ginásio. O jogo com a República da Irlanda pode ajudar a perceber a relação de forças entre a seleção portuguesa e a germânica, que venceu de forma incontestada o grupo C de qualificação, no qual os irlandeses foram quartos classificados, tendo perdido por 6-1 em Dublin e por 3-0 em Colónia.

A seleção portuguesa de futebol vai encerrar, hoje, o estágio de preparação para o Mundial2014, monopolizado pela incerteza sobre a recuperação de Cristiano Ronaldo, ao defrontar a República da Irlanda, num jogo particular marcado para New Jersey. O avançado, melhor marcador da história da equipa lusa, com 49 golos, passou ao lado dos relvados durante a preparação realizada em Portugal, devido a dores musculares na coxa esquerda e uma tendinose rotuliana, começando por treinar de forma condicionada nos EUA antes de passar ao trabalho sem limitações aparentes. Ronaldo poderá fazer frente à Irlanda os seus primeiros minutos na preparação para o Mundial, mas se Paulo Bento não quiser arriscar, a seleção nacional pode partir para o Brasil, o que acontecerá imediatamente após o encontro do estádio MetLife, em New Jersey, sem que e melhor futebolista do Mundo em 2013 tenha jogado nos três desafios de ensaio para a fase final do Campeonato do Mundo. Irlanda defrontou Alemanha

A «equipa das quinas» procura manter-se na senda das vitórias, depois do «nulo» frente à Grécia, treinada por Fernando Santos, em Lisboa, e do triunfo por 1-0 sobre o México, na sexta-feira, já nos Estados Unidos, em Boston. Se no confronto com os gregos, Paulo Bento apresentou um «onze» sem seis jogadores que foram titulares durante a fase europeia de apuramento e um sistema tático pouco habitual (4-4-2), na partida com os mexicanos, o selecionador nacional regressou ao 4-3-3, já com Fábio Coentrão e Moutinho, embora testando o lateral como médio interior esquerdo. Eduardo voltou a receber a preferência na baliza em detrimento de Rui Patrício. Ausen-

Depois do jogo… Brasil

Mundial2014. A seleção portuguesa viaja logo após o jogo para o Brasil, estando a chagada prevista para as 10h00 horas (14h00 em Lisboa) de amanhã

Inscrições contornam leis

Treinadores pedem medidas contra “ilegalidades”

A Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF) pediu, ontem, à Secretaria de Estado do Desporto, à Federação Portuguesa de Futebol e à Liga que tomem medidas que impeçam as ilegalidades nas inscrições dos treinadores. Segundo a ANTF, existe a intenção de contornar a legislação, com “a inscrição como treinadores

principais de treinadores adjuntos com habilitação exigida àqueles, por forma a colmatar a falta de habilitação legal do treinador principal”, como tem acontecido nas épocas anteriores. “Além de estarmos perante uma fraude à legislação em vigor, tal prática contribui ainda para descredibilizar as instituições desportivas responsáveis pela fiscalização e aplicação da Lei e, mais grave ainda, atenta os interesses que esta Associação representa”, acrescenta a Associação, presidida por José Pereira.

Portugal vai defrontar pela 13.ª vez a República da Irlanda e, apesar de ter um saldo positivo de seis triunfos, contra quatro derrotas e dois empates, não ganhou nenhum dos últimos três jogos, entre os quais os dois da fase de apuramento para o Mundial2002, ainda que isso não tenha impedido a qualificação para a fase final. O último êxito da equipa lusa remonta a 1996, num jogo particular realizado em Dublin, seis meses depois de ter carimbado o “passaporte” para o Euro1996 em grande estilo, com uma robusta vitória por 3-0 na receção aos irlandeses, num Estádio da Luz a «rebentar pelas costuras». O encontro entre Portugal e República da Irlanda, o último teste da equipa nacional antes do arranque do Mundial2014, tem início marcado para as 19h00 (meia-noite, em Lisboa), no estádio MetLife, em New Jersey, cidade onde a comitiva lusa ficou instalada durante o estágio nos Estados Unidos. A seleção portuguesa viaja logo após o jogo para o Brasil, estando a chagada prevista para as 10h00 horas (14h00 em Lisboa) de amanhã, em Campinas, no estado de São Paulo, local escolhido para funcionar como quartel-general durante o torneio, que se vai realizar naquele país sul-americano entre 12 de junho e 13 de julho. Portugal integra o grupo G da fase final, em conjunto com a Alemanha, frente à qual se vai estrear, a 16 de junho, em Salvador, os Estados Unidos, que defrontará a 22, em Manaus, e o Gana, último adversário na primeira fase de prova, a 26, em Brasília.

Miami Heat vencem segundo jogo por 98-96

Final empatada Os Miami Heat, liderados por um inspirado LeBron James, derrotaram os San Antonio Spurs no domingo, por 98-96, e empataram a final da Liga Norte-americana de Basquetebol (NBA) no segundo jogo (1-1). James, que no primeiro duelo foi obrigado a abandonar a partida com cãibras devido à alta temperatura que se fez sentir no pavilhão dos Spurs (33.º), respondeu às críticas liderando a sua equipa com 35 pontos e 10 ressaltos, com 14 lançamentos de campo marcados em 22 tentativas, incluindo 3-3 nos triplos. A estrela do Heat foi auxiliada por Chris Bosh, que contribuiu com 18 pontos e com um triplo que deixou a sua equipa em vantagem no marcador a um minuto do fim (95-93), depois de um erro do argentino Manu Ginobili, num momento crucial do encontro. Dwayne Wade e Rashard Lewis também foram importantes no primeiro triunfo dos atuais bicampeões da NBA na final, com 14 pontos cada. Do lado dos San Antonio Spurs, que chegou ao intervalo empatado (43-43) e ao final do terceiro período em vantagem (77-78), de nada valeram os 18 pontos e 15 ressaltos de Tim Duncan. O terceiro jogo da final da NBA está agendado para hoje, desta vez na Arena American Airlines, em Miami.


Terรงa-feira, 10 de Junho de 2014

publicidade

O Primeiro de Janeiro | 7

MUDAMOS DE INSTALAร‡OES: ESTAMOS AGORA NA: Rua de Vilar 235, 3ยบ - Sala12 - 4050-626 Porto Tlfs: 22 405 331 91 282 06 79


1868

Há 144 anos, todos os dias consigo.

Director: Angela Amorim | Distribuição Gratuita | www.edvsemanario.pt |

|

Diretor: Rui Alas Pereira (CP-2017). E-mail: ruialas@oprimeirodejaneiro.pt Publicidade: Conceição Carvalho E-mail: conceicao.carvalho@oprimeirodejaneiro.pt Morada: Rua do Vilar, n.º 235, 3.º, Sala 12, 4050-626 PORTO E-mail: geral.cloverpress@oprimeirodejaneiro.pt - Publicidade - Telefone: 22 096 78 46/ tlm: 912820679 Propriedade: Globinóplia, Unipessoal Lda. Edição: Cloverpress, Lda. NIF: 509 229 921 Depósito legal nº 1388/82

O PRIMEIRO DE JANEIRO, está on line e sempre atualizado em: www.oprimeirodejaneiro.pt

A CADEIA ALIMENTAR PARTIDÁRIA Olho em redor e questiono-me não apenas sobre as atitudes de quem governa, mas também sobre o que fazem algumas figuras de quem deveria partir o exemplo. Olho e identifico: os que não aprenderam com as experiências de vida, inclusive, políticas; os que fazem do exercício da política a sua profissão e não um serviço à comunidade; os André Escórcio* que arregimentam votos que permitem alcandorar “amigos” de circunstância a posições de destaque; os que na “cadeia alimentar” partidária vendem a sua consciência a troco de qualquer coisita; os que funcionam como eminências pardas, que estão mas não estão, que trabalham longe e na sombra, que contactam, influenciam, tipo escoteiros “sempre alerta”; os que alinham na lógica do “agora somos nós” e que se danem os outros; os que não têm sensibilidade para perceber que lhes falta cultura política, alicerçada no conhecimento da História, da Sociologia, da Economia, das Finanças, entre um vasto leque que deve constituir a base dos posicionamentos. Olho e apercebo-me da mentira todos os dias passada como verdade. Olho e leio, com desagrado, textos que narram o basfond das ruelas e dos cordões umbilicais. Tantas vezes que me apetece fechar a participação, porque aprendi que o Homem não tem sentidos, apenas é sensível. E eu sou sensível ao que vejo por aí de poderes com pés de barro, de gente que não consegue perceber que lhes falta competência política e idoneidade social e que, por isso mesmo, deveria assumir que uma coisa é sentar-se em uma qualquer cadeira, outra, ser reconhecida para um dado desempenho. É o egoismo a prevalecer que atravessa desde aqueles que nunca fizeram outra coisa se não exercer o poder, até aos aspirantes a tais funções. E assim os vejo em jogos de poder, tentando afastar quem eles pensam fazer-lhes sombra, reunidos, segundo os seus interesses, conhecedores das cartas dos outros, mas jogando tudo por uma liderança, fragmentando o seu próprio partido, numa luta pela sobrevivência que ultrapassa o quadro político. Uns, habituados à grandeza do “negócio político”, outros, que se contentam com as migalhas caídas do grande banquete das misérias políticas. Uns mostrando-se sempre esfaimados por mais e mais; outros, contentando-se, apenas, com um lugar atrás de uma pequena mesa e de uma cadeira no parlamento. Ficam-se por aí, esquecendo-se que o objecto da acção política está muito para além de meia-dúzia de palavras ditas, em encontros, jantares ou em comícios de circunstância. Arrastam-se na vida e acabam por infernizar a vida dos outros, que olham e acabam por se sentir em um labirinto de interesses e no meio de um ninho de vespas. Tal como no “Lago dos Tubarões”: i’m out! www.comqueentao.blogspot.com

Greve dos guardas prisionais

Adesão superior aos 90 por cento A greve do Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional ao período noturno e de fim de semana, iniciada a 17 de Abril e que ontem terminou, teve uma adesão cuja média foi superior a 90 por cento, informou o presidente do SNCGP. “A greve teve uma adesão muito boa, apesar do desânimo dos guardas que acreditam cada vez menos no sistema e na Direção-Geral dos Serviços Prisionais”, comentou Jorge Alves, observando que a greve dos guardas abrangeu o período da noite (19h00 às 8h00 nos dias de semana) e fins de semana (sexta-feira a segunda-feira das 19h00 às 8h00)

por falta de pagamento do subsídio de turno. Outras razões que motivaram a greve prendem-se com a sobrelotação das cadeias com pessoas cada vez mais jovens e com a recusa pelo Governo de considerar a profissão de guarda prisional como de “risco e desgaste rápido”, o que permitiria antecipar o pedido de reforma. O sindicato pretende ainda a integração na remuneração base de dois suplementos - “serviço na guarda prisional” e “segurança prisional” - e o pagamento de subsídio aos guardas que prestam serviço durante a noite. “Neste momento só pagam

subsídio de turno aos guardas de Alcoentre e do Hospital de Caxias porque têm uma escala diferente de 12 horas, quando os restantes guardas fazem escalas de 24 horas”, indicou. Outra das reivindicações do maior sindicato do setor, é a aplicação aos da nova tabela remuneratória que já abrange a PSP e GNR desde 2010. Jorge Alves criticou o Ministério da Justiça por não se “dignar” a dar resposta aos pedidos de reunião do sindicato. Segundo dados recentes, existiam 14 418 reclusos em Portugal, espalhados por cerca de meia centena de estabelecimentos prisionais.

Sociedade Portuguesa de Nefrologia alerta para cuidados a ter no Verão

Aumento do número de cálculos renais Os meses de Verão são mais propensos ao desenvolvimento de cálculos renais, as chamadas pedras nos rins, devido ao calor que mais facilmente provoca períodos de desidratação, tornando a urina mais concentrada, alerta a Sociedade Portuguesa de Nefrologia (SPN). Nos meses de Verão, o número de cálculos renais tende a aumentar em cerca de 20%. No Verão, o índice de transpiração é maior, o corpo perde líquidos mais facilmente e a quantidade de água filtrada pelos rins é menor, levando a uma maior concentração de sais minerais na urina. São esses sais minerais que formam as pedras. “A ingestão de dois litros de água por dia pode ajudar a evitar a formação de cálculos renais”, lembra Fernando Nolasco, Presidente da SPN. “Qualquer pessoa pode ter uma crise provocada por cálculos renais, mas há indivíduos que têm maior predisposição genética para o problema e, por isso, devem ter cuidados redobrados”, acrescenta. O Verão é um período muito pro-

penso a excessos alimentares, porque as rotinas quebram-se e os horários das refeições tornam-se mais irregulares A ingestão de água é fundamental, assim como os sumos naturais de citrinos, que não devem substituir a água, mas são uma boa fonte de hidratação e contribuem para o bom funcionamento renal. Os horários das refeições devem ser regulares e a prática de exercício físico também ajuda a manter o bom funcionamento renal. “Com a alteração de pequenos hábitos é possível minimizar um conjunto de complicações associadas à doença renal”, refere Fernanda Carvalho, nefrologista e vice-presidente da SPN. O consumo de alimentos ricos em proteína deve também ser moderado. Carnes vermelhas e marisco devem ser consumidos com moderação, assim como alimentos com excesso de sal. Mas, no verão, beber muita água, é a melhor forma de prevenir a formação de cálculos renais. Em Portugal, estima-se que cerca de 800 mil pessoas deverão sofrer de

doença renal crónica, considerando qualquer uma das suas cinco fases ou estádios de evolução. A progressão da doença é muitas vezes silenciosa, isto é, sem grandes sintomas, o que leva o doente a recorrer ao médico tardiamente, já sem possibilidade de qualquer recuperação. Neste âmbito, os cálculos renais, uma das causas de insuficiência renal, dão uma sintomatologia dolorosa exuberante que alerta a pessoa e a leva ao médico. Contudo, frequentemente, passada a fase aguda, pode passar-se muito tempo sem sintomatologia e acaba por se descorar as regras básicas de alimentação, nas quais está implícita a abundante ingestão de água, ao longo de toda a vida. A Sociedade Portuguesa de Nefrologia é uma organização de utilidade pública, sem fins lucrativos, fundada em 1978 que tem por missão prevenir e curar as doenças renais e melhorar a qualidade de vida de todas as pessoas afetadas de doença renal através do desenvolvimento da atividade científica dentro da área da nefrologia.

Bairros sociais do Porto

Moradores aderem ao plano de incentivo Mais de 80% dos moradores de bairros sociais do Porto com rendas em atraso aderiram ao plano de incentivos à regularização de débitos, que terminou no final de maio. Em comunicado, a Câmara do Porto afirma que a adesão superou as expectativas, sendo o resultado “considerado do ponto de vista político como exemplar”. “Dos 1402 devedores sinalizados, 1.145 escolheram regularizar a sua situação”, adianta a autarquia, especificando que 240 inquilinos “liquidaram todo o débito e 905 estabeleceram um plano de pagamentos” com a em-

presa municipal DomusSocial. Este resultado representa “a resolução de uma boa parte de um problema pendente para a DomusSocial e uma pequena ajuda no drama social com que muitas famílias se estão a confrontar”, sublinha a Câmara. Dos resultados obtidos, foi na freguesia de Campanhã, a que registava o maior número de inquilinos devedores (475), que a adesão atingiu os 83%, acima da média do município (81,67%). A criação de um plano de incentivos à regularização de dívidas relacionadas rendas de habitação social e a fatura da água

foi aprovada em reunião do executivo, a 18 de fevereiro. Foi na União de freguesias de Lordelo e Massarelos que se registou a maior taxa de adesão (86,1%), tendo 212 dos 246 inquilinos devedores aderido ao programa. No comunicado, a autarquia diz ainda que o vereador da Habitação da Câmara do Porto, Manuel Pizarro, classifica como “extraordinário” este nível de adesão ao programa, que demonstra “o equilíbrio da proposta e uma admirável vontade dos inquilinos do Porto para cumprirem com a autarquia”.

10 06 2014