Page 1

Opiniões www.RevistaOpinioes.com.br

Opiniões

ISSN: 2177-6504

2015 anuário de sustentabilidade do sistema sucroenergético Guia de Compras das empresas fornecedoras


A ilustração completa desta obra foi realizada pelo fotógrafo Tadeu Fessel


2015

AnuĂĄrio de Sustentabilidade do sistema sucroenergĂŠtico e Guia de Compras das empresas fornecedoras


Patrocinadores e participantes


apresentação O renomado cientista químico David King, representante inglês na Conferência Climática de Paris, em dezembro próximo, tem vindo ao Brasil para subsidiar estudos oficiais sobre como reverter a crise climática provocada pelo aquecimento global. Numa entrevista recente, disse textualmente que, para evitar a catástrofe que se avizinha, é preciso tomar duas medidas fundamentais: diminuir gradativamente o uso dos combustíveis fósseis e reflorestar o que for possível de áreas desmatadas. Indiscutivelmente, os dois grandes vilões da poluição global. São duas medidas que levam tempo para dar resultado, pois muitos países no mundo dependem fortemente do carvão mineral, como Estados Unidos, China e países da Europa. Mas King adverte que nenhum país estará livre de tomar iniciativas em prol do equilíbrio ambiental da Terra. Aliás, o presidente da maior fabricante de automóveis do mundo sentenciou que, até 2050, os motores a combustão de gasolina e diesel devem acabar. Essas manifestações me animam a acreditar que, ao buscar saídas para a crise climática, o Brasil pode reencontrar o caminho da autossuficiência energética. Como empresário da mesma geração de David King, desde criança acredito que o Brasil não sabe aproveitar sua fantástica biodiversidade. Hoje em dia, penso que poderíamos fazer disso uma exemplar fonte de renda, no sentido de custear a manutenção, a fiscalização e as pesquisas sobre nossos recursos naturais. Não me refiro apenas à Amazônia – o principal acervo –, mas a todas as nossas reservas de vegetação nativa, às florestas plantadas, aos canaviais, aos cafezais, aos laranjais, aos seringais e a tantas outras culturas, como abacate, manga, etc. São milhões de hectares de superfícies verdes efetuando fotossíntese de forma perene, como em nenhum outro país do mundo. Nós já deveríamos ter submetido essa proposta aos organismos internacionais, alicerçado num estudo sério, com números reais e amparados por um planejamento estratégico de longo prazo. Pela forma como se fazem as coisas, seria muito improvável que fôssemos atendidos. Mas, se estivermos, de fato, bem embasados, poderemos pleitear uma compensação dos demais países, que têm muito menos possibilidade do que nós para reverter a situação alarmante em que nos encontramos. Isso para tentarmos evitar de sermos explorados, pelo simples fato de termos a maior floresta nativa preservada, a maior biodiversidade, os maiores recursos hídricos, etc. Para lograrmos sucesso, precisamos tão somente compilar os estudos já existentes e apresentá-los de uma forma inteligente, visando alcançar metas exequíveis em diversas áreas, como na de energia eólica, que saiu recentemente da estaca zero, e na fotovoltaica, que tardiamente está começando a crescer. Sem grande esforço, poderemos chegar ao patamar de 65% renovável. No momento, caímos para quase 40%, depois de termos chegado a quase 50%. Infelizmente, a síndrome da abundância alimentou o vício do desperdício. Por falta de sensibilidade política, má-fé ou burrice, desprezamos o ideal da independência energética ao negligenciar oportunidades construídas por várias gerações de brasileiros. Nos últimos anos, por exemplo, o governo desmanchou o sistema energético brasileiro por meio de um duplo equívoco: 1. uma política errática de recursos hídricos, comprometendo a eficiência da Eletrobras com a subversão das tarifas de eletricidade e a construção de usinas hidrelétricas sem reservatórios de água, o que aumentou dramaticamente nossa vulnerabilidade em face das mudanças climáticas; 2. uma gestão temerária dos combustíveis líquidos, onerando a Petrobras com a aposta no pré-sal e lançando o setor sucroenergético a um beco sem saída. Numa contradição gritante, enquanto a maior parte do mundo se empenha em reduzir a emissão de gases poluentes, o Brasil deu marcha a ré no maior programa mundial de produção e consumo de um combustível renovável – o Proálcool, criado em 1975. Das 420 destilarias existentes em 2010, uma centena fechou ou está na UTI. Depois de associar-se a diversos projetos de biodiesel e a três ou quatro de etanol, a Petrobras está pronta para deixar o setor, sem consideração aos seus notórios benefícios sociais, ambientais e econômicos. Não custa listá-los: • redução da emissão de gases poluentes; • sequestro de carbono, mais do que qualquer floresta; • combustível neutro em emissões; • substituição de importações de petróleo, gerando uma fantástica economia de divisas; • produção de energia elétrica complementar, com a queima de bagaço; • evolução trabalhista graças à eliminação do corte manual de cana; • avanço ecológico, com o fim da queima da cana na véspera da colheita. A lista poderia ser acrescida de itens específicos, como os US$ 320 bilhões economizados pela não importação de petróleo e gasolina, desde sua implementação, ou de itens gerais, como a geração de empregos, o desenvolvimento de tecnologia agrícola e industrial, a exportação de equipamentos e serviços, entre outros, que provam o quanto o etanol é sustentável. Menos para o governo, que jogou fora a criança com a água do banho. Na primeira quinzena de outubro passado, discursando na Assembleia Geral da ONU, em Nova York, a presidente do Brasil prometeu reflorestar 12 milhões de hectares na Amazônia. Muito bem e mãos à obra. Sem esquecer que sustentabilidade não se faz com discursos.

6


Maurilio Biagi Filho Presidente da Maubisa


CĂĄssio da Silva Cardoso Teixeira Gerente de Marketing da Basf para a AmĂŠrica Latina


da teoria à prática A agricultura produz atualmente alimento para 7,3 bilhões de pessoas. Alimentar um planeta com 9 bilhões de habitantes demandará uma nova configuração produtiva. À parte da discussão de distribuição de renda versus acesso a alimentos, a agricultura será responsável pelo crescimento sustentável, sendo a renda marginal revertida à sua respectiva sociedade através da amplitude e da qualidade de sua cadeia de valor. O setor sucroenergético brasileiro não se exime de planejar e implementar a construção de seu próprio futuro sustentável. Neste texto, eu percorro a lógica de implantação de uma agricultura sustentável como fator de vantagem competitiva do setor, na ótica da produção agrícola vinda da unidade mínima produtiva. Chame-a de fornecedor ou usina. Eis o desafio: a sustentabilidade da produção é uma tarefa coletiva. Erroneamente, enfocamos a unidade produtiva como soberana sobre os resultados advindos de suas decisões. Não é. Seu resultado econômico depende da construção de um ambiente sustentável, que, por sua vez, depende de uma intrincada relação entre diversos elos de uma cadeia produtiva que a abastece e que distribui sua produção. O seu produto final, convertido em saca de açúcar, absorve a totalidade das decisões individuais ao longo de seu ciclo de vida, e essas decisões embutem o preço infinitamente inelástico no contrato #11 da CBOT, porém destacando que preço de mercado é diferente do valor do produto. Uma agricultura pautada pelo desenvolvimento sustentável tem o resultado de sua produção traduzido em valor à operação e à sociedade. É de se esperar que a decisão racional do agricultor seja a de investir naturalmente no tema, porém a dúvida ou a negativa decorrem, em grande parte, das ineficiências operacionais da cadeia produtiva que acabam competindo no curto prazo com uma dinâmica de difícil harmonia entre seus elos. Dessa assimetria, surge a oportunidade. O crescimento sustentável do setor sucroenergético está na capacidade da cadeia de valor em suportar a ação dos agricultores em proteger e em desenvolver a rentabilidade de suas áreas agrícolas, acrescentando valor à firma e à sociedade. Finda essa reflexão macroeconômica, delineio um projeto de adoção de ferramentas que possibilitem ao agricultor cultivar melhor a cana, assegurando sua eficiência técnica e financeira. A partir de uma cultura agrícola rentável, o agricultor é capaz de melhorar a vida de sua própria comunidade, abrangendo, assim, a melhoria de sua própria vida e mantendo a cadeia de valor à frente de seu custo de oportunidade. Esse é o ponto de inflexão que transforma essa teoria em prática. Na base da pirâmide das práticas sustentáveis, está a atuação responsável, sendo a ética empresarial o embasamento de toda política de implementação de atividades cujo objetivo é o bem maior da coletividade. Ela é inerente ao agricultor e aos seus parceiros. Estes devem pautar suas atividades exemplarmente frente à sociedade, cumprindo a legislação aplicável e os padrões de conformidade. Seus funcionários, parte integrante de sua esfera coletiva, devem seguir protocolos estritos de operação, nunca colocando em risco sua segurança e a biologia da terra onde trabalham. Ela ainda busca coibir práticas que levem a conflitos de interesse e à concorrência desleal em todos os pontos da cadeia agrícola. A implementação requer indicadores, em que vale a máxima que “não se pode gerenciar aquilo que não se pode medir”. Logicamente, o sistema de monitoramento possui um custo intrínseco de inicialização, porém com um resultado percebido através de redução do custo operacional e eliminação de redundâncias. A sinergia das duas etapas anteriores constrói um “ciclo virtuoso de gestão sustentável”. Nesse cenário operacional, ético e monitorado, a sustentabilidade se inicia como uma jornada. Qualquer produto pode ser monitorado e ter o seu ciclo de vida gerido através de seus indicadores. Isso se dá de uma forma holística, balanceando os aspectos econômicos, sociais e ambientais. Mensurar a matéria-prima utilizada para a produção de 1 hectare de cana é tão relevante quanto mensurar a água economizada na indústria. Nesse exemplo, o balanço de final é incorporado como atributo no ciclo de vida do produto seguindo adiante em sua cadeia de valor. No ponto máximo desse “ciclo”, eu destaco uma estratégia de marketing consistente, suportada por um exercício de planejamento e ação mercadológica cujo objetivo é a influência positiva sobre o fluxo de informação da cadeia de valor. A estratégia de marketing remunera o acionista no momento em que a empresa é capaz de identificar o valor intrínseco de seu processo sustentável. Quiçá uma saca de açúcar contenha o uso racional da terra, a geração de empregos qualificados, o treinamento como educação para a sociedade que a circunda, o balanço positivo de água, a preservação de áreas nativas, etc. Por trás dessa articulação, há uma marca com uma nova dimensão: a do compromisso com um futuro sustentável.

9


Rui Chammas Diretor-presidente da Biosev


a sustentabilidade sucroeneregética O setor sucroenergético é, com frequência, analisado sob a óptica ambiental, em reflexões sobre sustentabilidade. Não é para menos. Envolvendo uma ampla cadeia produtiva, o setor tem promovido avanços importantes ao longo dos últimos anos, com a adoção de novas tecnologias e processos – como a utilização do etanol na qualidade de combustível – que aprimoraram a gestão do negócio, ao mesmo tempo que contribuíram para a preservação ambiental, o uso racional da água e a redução da emissão de gases do efeito estufa. Encarar a sustentabilidade a partir de aspectos ambientais é bastante comum. Mas, de fato, a sustentabilidade ocorre com o equilíbrio de três dimensões integradas: ambiental, econômica e social. Considerando que as questões econômicas sempre foram amplamente discutidas, proponho refletir sobre um aspecto pouco abordado em boa parte dos textos e das falas ligados ao setor no Brasil: o social. Um estudo publicado pela Universidade de São Paulo, sob a coordenação do professor Marcos Fava Neves, mostra como são impressionantes os números da cadeia de fornecimento do setor. No cultivo da cana-de-açúcar e na produção de açúcar e etanol, por exemplo, estima-se que a geração de empregos diretos seja de, aproximadamente, 613 mil pessoas e pode chegar a quase 1 milhão de trabalhadores, se considerados os empregos sazonais gerados no pico da colheita. Se levarmos em conta os empregos informais, diretos e indiretos, alcançaremos a marca de 3,56 milhões de trabalhadores. Para se ter uma ideia da relevância desse número, somente na safra 2013/2014, o setor movimentou uma massa salarial de cerca de US$ 4,13 bilhões. Somada a esses importantes valores, uma característica única do setor é a sua dispersão no território nacional, diferente de outros segmentos, que se desenvolvem de forma concentrada, levando à migração da mão de obra e à convergência de trabalhadores em busca de oportunidade para algumas poucas cidades. Atualmente, existem cerca de 400 unidades produtoras de açúcar e etanol distribuídas nas regiões Centro-Sul e Nordeste e milhares de fazendas de cana-de-açúcar, em quase 1.200 municípios do Brasil, o que permite a geração de riqueza de forma descentralizada. O desenvolvimento social promovido pelo setor sucroenergético é ainda mais perceptível quando se acompanha a evolução de municípios que tenham recebido instalação de usinas. A transformação e o progresso são comprovados pelo crescimento de arrecadações de impostos municipais. Em Rio Brilhante, Mato Grosso do Sul, onde a Biosev tem instaladas duas de suas unidades, a arrecadação de ISS (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) deu um salto de 800% entre 2005 e 2012. Em outro estudo, foi constatado que, após uma década da chegada de uma usina em um município de Goiás, o número de empregos formais aumentou de quatro para quase 11 mil. Além disso, o salário médio triplicou, juntamente com o PIB (Produto Interno Bruto) per capita, a frota de veículos e a arrecadação de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Já o número de empresas quase dobrou em cinco anos. Todos os indicadores econômicos analisados tiveram um crescimento superior ao da população, que foi de 18%. Esses exemplos não são fatos isolados, afinal, melhorias semelhantes aconteceram em outras regiões que igualmente receberam investimentos do setor sucroenergético, ao longo dos últimos anos.Todos os dados mencionados se somam ao fato de que o setor tem hoje uma série de caraterísticas que o diferenciam ainda mais. No início desta década, começaram dois processos relevantes: a mecanização das práticas agrícolas e o início da consolidação do setor, com a formação de alguns grandes grupos responsáveis pela gestão de usinas em várias partes do País. Com o advento da mecanização, a mão de obra agrícola, que era, em sua grande parte, formada por trabalhadores migrantes, temporários e de baixa formação, deu espaço a uma nova população de trabalhadores treinados para operar equipamentos de alta tecnologia, como colhedoras e plantadoras dotadas de pilotos automáticos e GPS. Além disso, esses funcionários passaram a fazer parte do quadro efetivo de empregados das empresas. Hoje, cerca de 95% das operações de colheita já são mecanizadas no Brasil. Os grandes grupos também contribuíram para esse processo com sua capacidade de investimento, papel socioeconômico e repertório de valores ligados à sustentabilidade. Em muitos casos, a usina é a principal fonte pagadora de impostos e geradora de empregos na cidade. Suas atividades relacionadas à educação e à saúde ultrapassam a esfera corporativa e alcançam a população, colaborando para o desenvolvimento dessas regiões. A Biosev, por exemplo, está realizando um Diagnóstico Social Participativo em todas as suas unidades, que permitirá elaborar um mapa de impactos sociais, ambientais e econômicos das atividades da empresa. E, a partir dessas informações, deve caminhar em uma direção que contribua para tornar suas relações ainda mais sólidas e construtivas com a sociedade. O papel das empresas do setor sucroenergético é fundamental para fortalecer os conceitos de sustentabilidade e a sociedade como um todo. Sob esse aspecto, as atenções podem e devem ir além das questões financeiras e ambientais.

11


Daniel Pereira Lobo Gerente de Sustentabilidade da BonSucro Better Sugarcane Ltd.


a busca do "socialmente justo" Por conceito, estabelece-se que, para uma atividade ser classificada como sustentável, deve ser economicamente viável, socialmente justa e ecologicamente correta. No que se refere às questões sociais, a caminhada foi contínua, nunca fácil, com muitos percalços, criando, às vezes, uma profunda sensação de desesperança – típica das longas jornadas. Porém, as dificuldades nunca foram motivos para se desistir. Tem sido assim que o setor sucroenergético brasileiro tem vencido suas batalhas para se consolidar como um setor socialmente justo. Muitas conquistas foram realizadas, contudo, não nos deixemos enganar que novos desafios não surgirão ou que tenhamos conseguido extinguir por completo práticas seculares que, como pesadelos recorrentes, voltam a atormentar o sonho da bioenergia, ambientalmente responsável e socialmente justa. Inegável dizer, entretanto, que o setor de cana-de-açúcar brasileiro evoluiu e, hoje, se tornou referência de boas práticas sociais, servindo de inspiração para outras culturas agrícolas brasileiras. Dos grandes males que assolam a relação de trabalho na área agrícola, o setor de cana talvez tenha sido um dos poucos a ter enfrentado a maioria deles. No âmbito social, o maior desafio se dá na esfera da transparência nas relações de trabalho, a forma como o setor lida com os seus colaboradores, fornecedores e a comunidade. No início da década de 1990, talvez sem saber, o setor de cana-de-açúcar dava início à sua caminhada rumo à responsabilidade social. Com a desregulamentação dos preços pelo governo, o setor precisaria encontrar uma maneira de remunerar seus fornecedores, de forma transparente e justa. O Consecana surge em 1999 como resposta a esse desafio e envolve, de modo participativo, representantes dos produtores e da indústria da cana-de-açúcar. O que isso tem a ver com responsabilidade social? Muita coisa. A transparência na relação comercial entre produtores agrícolas e a indústria é a base da responsabilidade social e deve ser entendida com a mesma importância da relação de trabalho entre a empresa e seus colaboradores. O Consecana pode não ser ainda um mecanismo perfeito, mas representa uma evolução considerável nas relações comerciais entre produtores e indústria. Sete anos depois, em 2007, o setor sucroenergético paulista sinaliza uma drástica mudança nas suas relações de trabalho com a assinatura do Protocolo Agroambiental. Como a atividade de corte manual de cana-de-açúcar é entendida como degradante, o compromisso de mecanização foi colocado nesse Protocolo como um de seus três pilares. A corrida para a mecanização dá início a um dos maiores programas de requalificação privado de mão de obra, transformando cortadores de cana em operadores de máquinas agrícolas. Em 2009, o Governo Federal, por meio da mesa de diálogo com o setor, propõe a criação do Compromisso Nacional. São dezoito requisitos sociais que excedem as exigências legais, representando um marco social nunca antes visto no setor do agronegócio. Entre as principais condições desse compromisso voluntário, estão a contratação do migrante em sua região de origem – a contratação responsável garante os direitos dos trabalhadores migrantes antes da saída de sua cidade natal. Além disso, não permite a contratação de “gatos” ou terceiros para atividades manuais – todos devem ter registros em carteira. E, para evitar a exploração, os chefes de turma não podem receber por produção, evitando que ele pressione seus colaboradores para produzirem mais ou os segurem no campo até que metas de produção sejam alcançadas. Uma grande conquista do Compromisso Nacional foi a implantação de métodos transparentes de pagamentos aos cortadores de cana. Antes do compromisso, eram comuns as reclamações dos empregados, que não compreendiam a forma como eram remunerados e que, muitas vezes, se sentiam enganados ou passados para trás. Pelo Compromisso Nacional, as usinas deveriam adotar métodos claros de pagamento, que permitissem ao empregado calcular o quanto receberiam no final do dia ou do mês. O teste de fogo estaria ainda por vir, em junho de 2011, quando ONGs internacionais desembarcam no Brasil, munidas com que havia de mais moderno para a avaliação corporativa de responsabilidade social e ambiental para o setor de cana-de-açúcar. Não havia no mundo sequer uma indústria que houvesse, na história dessas entidades, passado nessas inspeções. O Brasil, pela sua expressão mundial na produção de cana, era candidato natural, mas, mais do que isso, o setor se sentia forte e capaz de sobrepor mais esse desafio. E, naquele mesmo mês, o mundo se curva para prestar reverências à primeira usina de cana-de-açúcar certificada com selo de sustentabilidade. Não um selo nacional, nem uma iniciativa local, mas uma certificação de responsabilidade social e ambiental, criada pelas entidades e ONGs mais criteriosas do planeta. Agora, o setor de cana-de-açúcar brasileiro não é mais apenas uma expressão nacional para o agronegócio, mas uma referência internacional de como enfrentar as adversidades impostas pela nova economia globalizada, ambientalmente responsável e socialmente justa.

13


Luiz Carlos CorrĂŞa Carvalho Presidente da ABAG


inovação e sustentabilidade Neste final de ano de 2015, dezembro, haverá a Conferência do Clima em Paris (COP21), com uma clara meta de buscar um acordo entre os grandes emissores dos gases responsáveis pelas mudanças climáticas. Os EUA, a China e a União Europeia, juntos, respondem por 54% das emissões totais. Cada um desses gigantes veio empurrando com a barriga posições mais claras nesse campo, principalmente os EUA – embora tenha melhorado com o Presidente Obama – e a China – até com o apoio do Brasil –, que deverão ter outro comportamento na reunião de Paris. E o Brasil? Demorou, também, para assumir as responsabilidades ou os compromissos que se esperava dele. Afinal, é um país com bom grau de urbanização e de industrialização, chamado ou convocado pela ONU e OCDE para responder pela maior contribuição à produção de biomassa e alimentos neste século XXI. A queda da taxa de desmatamento da Amazônia, positiva, contrastava com a perda de participação das energias renováveis na matriz energética brasileira, muito negativa. Houve uma leve melhora no campo da energia renovável que, se espera, seja efetiva nos próximos anos, fator fundamental para o atingimento das metas apresentadas pelo Brasil para a COP21. Olhado sob o prisma da economia e da política, o Brasil perdeu sua imagem duramente construída desde 1993, em função de vários fatores, que se sintetizam pela sua aventura heterodoxa na economia, uma perturbadora realidade da corrupção entre figuras fundamentais do Executivo e do Legislativo e o desequilíbrio pela manutenção do poder a qualquer custo. Separando o desafio de corrigir esse rumo, monumental, o Brasil segue mostrando, no seu agronegócio, as esperanças por dias melhores ou, pelo menos, manter-se como a ponte que pode unir a demanda global ao elevado nível de oferta de alimentos e de energia renovável sustentável, que são reconhecidos mundialmente. Em 1992, o Brasil assumiu uma posição de liderança na reunião do Rio de Janeiro, na conferência mundial, que acabou adotando as Convenções do Clima e a da Biodiversidade. De lá para cá, o País passou por amplo desenvolvimento e relevante melhoria de imagem internacional, até passar pela desventura de nova matriz econômica, de uma articulação política ridícula e de um comportamento infeliz e retrógrado. O que dá para fazer em dez/15, na COP21? 1. Caracterizar, de forma competente, o grande processo de mudança no Brasil com o Código Florestal e como o resto do mundo deveria agir nessa linha; 2. Demonstrar a importância da chamada agricultura de baixo carbono, sua complexidade e a necessidade de seu reconhecimento para o crescimento da oferta de alimentos no mundo tropical no século XXI; 3. Caracterizar a formidável descarbonização gerada no Brasil através da produção e do uso em alta escala do etanol da cana-de-açúcar e o seu potencial de expansão no Brasil e no mundo tropical. Explorando o terceiro item, a desorganização da política pública no setor da biomassa energética fragilizou imensamente a capacidade de produzir e de acreditar em sua evolução produtiva. Esse é um componente essencial para que se possa levar, até dezembro deste ano, uma posição de mudança do governo brasileiro. Afinal, a partir de 2004, foi o capital internacional o maior investidor no setor do etanol e da cogeração de energia elétrica, o que os coloca na posição de principais críticos do comportamento governamental do Brasil desde 2006. Se, de fato, como salienta o professor José Goldemberg, a nova posição do governo brasileiro é uma mudança de paradigma, vale o olhar de proa: • Se, por um lado, a não queima da cana para fins de colheita reduz sensivelmente as emissões de carbono, o mesmo se diz pelo uso da biomassa para produzir energia elétrica; • O etanol anidro em maior proporção na gasolina (27%) reduz emissões e melhora a poluição local; • Se a frota de veículos flexíveis segue crescendo e o etanol volta a ter maior peso no ciclo Otto, face suas maiores oferta e uso, há uma nova esperança. O Brasil pode inovar ainda muito mais nesse setor do agronegócio canavieiro, seja pela redução no consumo do diesel, através do desenvolvimento ampliado no plantio da chamada cana-energia, com produtividades muito maiores que as atuais da cana-de-açúcar, seja pela expansão do volume de açúcares e fibras totais produzidas, reduzindo as impurezas vegetais e minerais – enfim, por efetiva redução dos custos de produção do etanol e da energia cogerada. Também é preciso um rápido olhar de popa, quando o Brasil dançava ao ritmo de sua música. O governo brasileiro deve dançar o ritmo que o País faz e encanta o mundo. O que faz o Brasil sustentar-se é o agronegócio, que tem ritmo brasileiro. Esse ritmo foi criado aqui, com o nome de tecnologia tropical. Esse é o nosso ritmo, que certamente será copiado pelos países que vivem nos trópicos, onde o sol ilumina mais.

15


anuĂĄrio sobre a sustentabilidade do sistema sucroenergĂŠtico

2015


Jalles Machado

Energia para a vida O respeito ao meio ambiente e a valorização do ser humano são princípios da Jalles Machado, que já nasceu com uma função social: gerar mais empregos para o município de Goianésia. Assim, a história da Jalles Machado também faz parte da história de muitas pessoas que, através da empresa, tiveram a oportunidade de crescer, ter uma profissão, estudar e melhorar a sua renda. Ao longo dos anos, a Jalles Machado tem reforçado o seu compromisso com a sustentabilidade, valorizando os colaboradores, adotando práticas para mitigar os impactos negativos da atividade econômica, investindo em tecnologias sustentáveis, promovendo ações que garantem a preservação dos recursos naturais para as gerações futuras e contribuindo para o desenvolvimento das comunidades onde atua.

Educação A educação é um instrumento transformador, que pode mudar a vida das pessoas, e é primordial para uma comunidade que quer se desenvolver. Por isso, investimos em projetos educacionais para colaboradores e pessoas da comunidade. Criamos, em 1996, a Fundação Jalles Machado, que promove ações educativas e culturais. A instituição mantém a Escola Luiz César de Siqueira Melo, que possui capacidade para 400 alunos e oferece Ensino Fundamental (do Jardim ao 9º ano). Além da grade curricular tradicional, disponibiliza aulas de dança, teatro, música e esportes, como futebol, vôlei, basquete, natação e karatê. Com o propósito de levar informação e conteúdo de qualidade, a Fundação Jalles Machado mantém a Rádio Itajá FM, uma emissora educativa.


A Fundação também promove todos os anos, o Concurso de Redação Dr. Otávio, Construtor de Sonhos para incentivar a leitura e a escrita. O concurso oferece vários prêmios para estudantes e professores e uma bolsa de 20 mil reais para o ganhador. A Jalles Machado, em parceria com o Serviço Social da Indústria (SESI), mantém o programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA). O projeto denominado “Educação para o Trabalhador” tem como objetivo proporcionar que os colaboradores da empresa possam estudar e oferece desde a alfabetização até a conclusão do Ensino Médio. O programa já possibilitou que inúmeras pessoas, de diferentes idades e funções, pudessem concluir os estudos e entrar para a faculdade. Para promover o desenvolvimento profissional dos colaboradores, a empresa possui parcerias com instituições de ensino profissionalizante e oferece bolsas de estudos de graduação e pós-graduação aos colaboradores.

Lazer

mantém, desde 1997, uma escolinha de futebol, com cerca de 300 alunos, de 7 a 15 anos de idade, que disputam campeonatos locais e regionais.

É um projeto social que não tem como finalidade formar grandes atletas, mas mesmo assim vários talentos já foram descobertos. Já saíram da escolinha jogadores para diversas equipes profissionais, como Goianésia Esporte Clube, Vila Nova, Goiás, Atlético Goiano e Grêmio. Patrocinamos o Goianésia Esporte Clube, time profissional da cidade, que disputa o Campeonato Goiano Série A e outros campeonatos nacionais, como a Série D e a Copa do Brasil.

Comunidade

Para proporcionar mais qualidade de vida para seus colaboradores e familiares, temos dois clubes recreativos. A Associação Esportiva Jalles Machado, localizada em Goianésia-GO e o Clube Recanto do Lago fica às margens do Lago Serra da Mesa-GO. Além disso, também realizamos eventos corporativos para integrar e proporcionar momentos de diversão aos colaboradores e familiares.

Esporte Acreditamos na transformação por meio do esporte, incentivamos a prática esportiva e hábitos mais saudáveis, além da descobrirmos novos talentos. A Associação Esportiva Jalles Machado mantém equipes que disputam campeonatos de futebol amador em Goianésia e região e promove também campeonatos internos para os colaboradores da empresa. A Associação Esportiva Jalles Machado

Promover o desenvolvimento sustentável, deixando um legado positivo nas comunidades onde atuamos, é um dos nossos compromissos. Apoiamos instituições filantrópicas e iniciativas socioambientais da comunidade, como o Sabores da Terra. Formado por integrantes da Associação de Mulheres de Souzalândia, próximo à Jalles Machado, o projeto fabrica derivados da cana, como rapadura, melaço, açúcar mascavo e garapa. Fornecemos a matéria-prima e fizemos doação de uma moenda elétrica e equipamentos para incentivar a Associação.


C

M

Y

Saúde O Departamento de Responsabilidade e Assistência Social, em Goianésia, possui uma ampla estrutura, com consultórios médicos e odontológicos, sala de curativos e exames, farmácia e uma equipe treinada para prestar atendimento aos colaboradores e seus familiares. Além disso, também oferecemos plano de saúde.

Meio Ambiente A Jalles Machado realiza suas atividades respeitando o meio ambiente. São inúmeras práticas que garantem uma produção sustentável, dentre as quais se destacam: gestão de recursos hídricos, produção orgânica, reserva extrapropriedade com mais de 16 mil hectares de cerrado preservados em Cavalcante-GO, viveiro de mudas e reflorestamento de nascentes e matas ciliares totalizando mais de 4 milhões de árvores plantadas, controle biológico de pragas, geração de energia elétrica limpa e renovável por meio da palha e do bagaço da cana, plantio de seringueiras para extração de borracha natural, fertirrigação com vinhaça, geração de créditos de carbono, gerenciamento de resíduos, colheita mecanizada evitando as queimadas, rotação de culturas, adubação verde e ações de educação ambiental.

CM

MY

CY

CMY

K


Respeito à vida e ao meio ambiente A política de responsabilidade socioambiental adotada pela Usina Coruripe destaca-se pela sua constância e amplitude. Para o público externo, um bom exemplo é a Oficina de Papel Artesanal, um criativo projeto desenvolvido em Alagoas e Minas Gerais que melhora a renda familiar de jovens por meio da venda de artesanato feito a partir da mistura do bagaço da cana com o papel de sacos de cimento. Também são relevantes os produtos fabricados com a palha do Ouricuri e da Taboa, plantas da região, que possibilitam trabalho e renda para mais de 100 famílias, iniciativas realizadas em parceria com as prefeituras de Feliz Deserto e Coruripe, AL. Com ênfase na formação e educação das crianças, a Coruripe mantém creches-escolas em todas as suas unidades. Em Minas Gerais se destaca o projeto Florescer, que oferece educação e cultura para centenas de crianças e jovens do município de Campo Florido. Um dos programas de maior alcance social praticado em Alagoas é o Basquete Cidadão, promovido com a Federação de Basketball de Alagoas. Ele atende a mais de 300 crianças, inserindo-as socialmente pela prática do esporte. O respeito à natureza levou a Coruripe destinar 17 mil hectares de terra própria à preservação. Mais de 9 mil já foram transformados em RPPN - Reservas Particulares do Patrimônio Natural –, que é uma forma irreversível de manter essa área permanentemente preservada. É o caso de Porto Cajueiro no município de Januária, no norte mineiro e de Pereira em Feliz Deserto, no litoral de Alagoas. Além disso, a Coruripe vem recuperando matas ciliares e substituindo a cana plantada nas áreas de encostas por reflorestamento.

A empresa também implantou uma ,ira de árvores da Mata Atlântica que produz anualmente mais de 80 mil mudas de espécies nativas. Com o objetivo de expandir os seus investimentos socioambientais, a empresa fundou em abril de 2005 o Idese – Instituto para o Desenvolvimento Social e Ecológico –, uma instituição que tem como objetivo promover a preservação da natureza e o progresso da comunidade, através da promoção de ações voltadas para o desenvolvimento sustentável. É mais uma maneira de contribuir para o futuro das próximas gerações. Todas as unidades da Usina Coruripe são certificadas pela Fundação Abrinq como “Empresa Amiga da Criança”.

Ações Ambientais: Recuperação de Áreas de Preservações Permanentes (APPs): As matas ciliares são verdadeiros berçários de águas. A manutenção deste recurso é fundamental à humanidade, seja para sua sobrevivência ou para suas atividades produtivas. Os blocos de matas nativas representam um importante nicho ecológico imprescindível à sobrevivência de inúmeras espécies animais e vegetais, além de servirem de proteção aos recursos hídricos e ao próprio clima, local e global. Desta forma, a Usina Coruripe implantou um programa de Recuperação de APPs junto àquelas propriedades que passaram a integrar a sua rede de fornecimento de matéria-prima própria e que apresentavam alguma intervenção anterior à implantação da cultura canavieira.


Por ano são recuperados em média 15 hectares de Área de Preservação Permanente através de reflorestamentos ou condução da regeneração natural. Manutenção da RPPN de Porto Cajueiro: Outro projeto realizado pela Usina Coruripe de Iturama, é a manutenção da RPPN de Porto Cajueiro, localizada em Januária/MG, possuindo uma área de 6.190 ha destinados a compensar as áreas de Reserva Legal das propriedades da empresa. Programa de coleta seletiva e Educação Ambiental: O programa de coleta seletiva é instrumento essencial uma vez que coletar os resíduos separadamente propicia a efetivação dos processos de reciclagem de cada material de acordo com sua natureza, bem como aqueles resíduos contaminados. A educação ambiental abre um estimulante espaço para se repensar práticas sociais e o papel de empresas, sociedade e estado, como mediadores e transmissores de um conhecimento necessário para que as comunidades adquiram uma base adequada de compreensão do meio ambiente global e local, e da responsabilidade de cada um para construir uma sociedade planetária mais equitativa e ambientalmente sustentável.

Projetos sociais: APAE - Associação dos pais e amigos dos excepcionais de Iturama/MG: O objetivo principal deste projeto é o desenvolvimento global da criança com deficiência intelectual, sua emancipação e inclusão social, direcionando-a a construir um ambiente provedor, ao mesmo tempo, oferece experiências prazerosas, exigindo assim que ela reaja às solicitações ambientais e responda aos desafios do desenvolvimento de seus potenciais. Atualmente estão matriculadas 155 crianças (sem limite de faixa etária), onde são apoiadas por psicólogas, assistente social, fonoaudiólogo, pedagogas e fisioterapeuta. A empresa juntamente com a equipe técnica da APAE, realiza seleção dos estagiários de acordo com a vaga existente, sempre com medidas de acompanhamento, perfil ao atendimento das necessidades de cada estagiário, sociabilidade dos alunos, mudanças no comportamento e a disponibilidade do público da entidade. Casa da criança em Iturama/MG: A principal finalidade deste projeto social é apoiar crianças carentes com renda familiar inferior a dois salários mínimos mensais, que se encontram vulneráveis a influência nas drogas, prostituição, roubos etc. Atualmente há 220 crianças matriculadas, na faixa etária de 05 a 14 anos, nos horários inversos ao da rede escolar pública. Os recursos adotados nos projetos são aulas de informática, esportes, reforço escolar, curso de confeiteiro, manutenção de uma horta com hortaliças para o consumo próprio e aulas de natação. Todo este trabalho é realizado com intuito maior de, mesmo com o alto índice de desarranjos existentes no contexto familiar, se tornem adultos de valores e com uma vida social, cultural, psicológica aceita por todos.

A Associação Ituramense de Handebol, também representada pela sigla ASSIHA, é uma sociedade civil sem fins lucrativo, livre de quaisquer preconceitos ou discriminações, seja de etnia, sexuais, credo religioso ou ideologia, quer em suas atividades e objetivos sociais, quer entre os componentes de seu quadro de diretoria e parcerias. A entidade é rígida com a legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, economicidade e da eficiência. A ASSIHA objetiva através da prática do esporte, proporcionar ao jovem Ituramense a oportunidade de desenvolvimento bio-psico-social, retirando das ruas, crianças e adolescentes, através da prática de uma atividade esportiva. A Associação visa construir um centro de desenvolvimento humano, que através da prática de Handebol forme além de atletas, cidadãos plenamente adaptáveis ao novo cenário social, conscientes não só de seus direitos, mas também dos seus deveres. Em Iturama, como em todo Brasil, faltam opções para o crescimento dos jovens como pessoa e cidadão, tornando essas pessoas vulneráveis às drogas e à violência de um modo geral. Esta deficiência se torna mais acentuada nas classes menos favorecidas cujas famílias não apresentam condições financeiras e psicológicas de proporcionar uma infância e adolescência mais digna. Este projeto visa criar uma opção para as crianças e adolescentes preencherem suas horas vagas com uma atividade saudável. A prática do esporte é uma forma real de proporcionar uma vida saudável para os jovens, podendo inclusive abrir novos horizontes sócio profissional, criando uma oportunidade de um futuro mais digno como pessoa e cidadão. Atualmente estão matriculadas 70 crianças/adolescentes, na faixa etária de 07 a 18 anos, todas as aulas são ministradas no Ginásio Poliesportivo de Iturama, em horários inversos aos escolares (todos os alunos matriculados, tem que apresentar o boletim de notas semestralmente e uma autorização dos pais autorizando a participação), após os treinos são servidos lanches a todos os alunos. Associação Mineira de Equoterapia e Centro de Equoterapia de Iturama: A equoterapia é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo na busca do desenvolvimento bio-pscio-social e neuro motor de pessoas com deficiência e necessidades especiais, com isso conseguimos melhorias no vocabulário, no comportamento, maior responsabilidade, autoestima, postura e a cada dia novos aprendizados. Nosso público-alvo neste projeto são pessoas (sem limite de faixa etária) com necessidades especiais, provindas de famílias de baixa inclusão social. O atendimento ocorre no Parque de Exposição Edilson Lamartine Mendes, em Iturama, e são ministradas com auxílio de profissionais como fisioterapeuta, fonoaudiólogo e psicólogo, a equitação neste caso, é o principal agente e propiciador de melhorias para estas pessoas. Atualmente são realizados onze atendimentos, sendo dois encaminhados pela APAE, e o restante é particular.


Sustentabilidade está presente em todas as ações da Guarani A sustentabilidade está presente em todas as etapas dos negócios da Guarani. A empresa considera toda a abrangência desse conceito, integrando os pilares social, ambiental e econômico em suas relações e procura disseminar a política sustentável em todos os elos de sua cadeia produtiva, desde o fornecedor até o cliente, o colaborador, o acionista e a comunidade. A visão de sustentabilidade da Guarani envolve a produção de matérias-primas, o gerenciamento dos processos industriais, administrativos e comerciais, a qualidade de seus produtos, o relacionamento com a comunidade, a preservação ambiental e a satisfação dos clientes. A palavra-chave para que esse conceito seja colocado em prática de maneira eficaz é integração. Integração entre áreas, normas, regras, processos e pessoas. Tudo regido pelos mesmos princípios. A proposta da Guarani é se tornar referência em disseminação do processo de sustentabilidade no setor. No âmbito social, a empresa mantém programas de formação direcionados aos jovens das regiões onde atua. O Jovem Aprendiz é um deles, direcionado a adolescentes com idade entre 14 e 24 anos, o programa oferece benefícios como bolsa aprendizagem, seguro de vida, vale-alimentação e transporte. Outra oportunidade oferecida pela companhia é o Projeto Pescar, para

jovens com idades entre 16 e 19 anos, e a cada edição contempla um curso de iniciação profissional e vivência nas áreas da empresa para preparar os participantes para o mercado de trabalho. A Guarani possui parceria com o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), de São José do Rio Preto, para a realização do SENAI - Aprendiz, projeto que oferece gratuitamente os cursos profissionalizantes para jovens, com idade entre 14 e 24 anos. “Essas iniciativas fazem parte da política de responsabilidade do Grupo e têm como foco formar jovens e prepará-los para o mercado de trabalho”, afirma Rui de Carvalho, gerente de Desenvolvimento Humano e Organizacional. Com o intuito de auxiliar na preservação de recursos naturais nas regiões onde suas unidades estão instaladas, a Guarani possui um Plano de Gestão Ambiental. A iniciativa inclui ações específicas para a redução e controle de impactos ambientais relacionados ao ar, água, solo e resíduos. Segundo Edilberto Bannwart, superintendente de Sustentabilidade na Guarani, todas as operações administrativas, industriais e agrícolas da companhia são monitoradas em todos os aspectos, sobretudo no aspecto ambiental.


Entre as ações contempladas pelo Plano, estão Gestão de resíduos (todas as classes); Viveiro Central de Mudas Nativas (Biodiversidade, Serviços Ecossistêmicos e Mudanças Climáticas); Proteção, monitoramento e recuperação de APPs, Fragmentos Florestais e Reserva Legal (Biodiversidade, Serviços Ecossistêmicos e Mudanças Climáticas); Certificado Etanol Verde (Água, Mudanças Climáticas, Queima de Cana); Monitoramento das Águas Superficiais e Subterrâneas (Recursos Hídricos); Efluentes Líquidos (Serviços Ecossistêmicos, Água e Resíduos); Emissões Atmosféricas (Serviços Ecossistêmicos, Ar e Mudanças Climáticas) e Práticas agrícolas (Solo, Uso de Agroquímicos, Uso de Fertilizantes minerais e orgânicos).

Além disso, a empresa possui certificações que atestam a sustentabilidade, como Bonsucro (unidades Cruz Alta, Severínia e Usina Vertente) e ISO 14001 (Usina Vertente). Recentemente, a companhia firmou convênio com o Hospital de Câncer de Barretos para a doação de 1 mil MWh de energia cogerada em suas unidades industriais a partir da queima do bagaço da cana-de-açúcar. A doação será durante dez meses e vai contemplar o seguinte período: de setembro a novembro de 2015 e de maio a novembro de 2016. A energia elétrica abastecerá o pavilhão Sandy & Junior, destinado à Internação Pediátrica.


Guaíra

Manter o meio ecologicamente equilibrado Responsabilidade Ambiental: A situação do meio ambiente no mundo nos desafia a preservar os recursos naturais e, ao mesmo tempo possibilitar um desenvolvimento social e econômico justo. Tem-se observado que a degradação ambiental através da contaminação e degradação dos ecossistemas vem crescendo em ritmo acelerado, motivo pelo qual se torna necessário reduzir o impacto ambiental para obter um desenvolvimento ecologicamente equilibrado. A Usina Açucareira Guaíra, preocupada com a preservação do meio ambiente, possui em sua área agrícola e industrial, o Programa de Gestão Ambiental Integrada (PGAI). O Programa, através das ações de gerenciamento ambiental, possui como premissa básica o desenvolvimento sustentável, apresentando uma nova forma de desenvolvimento econômico e social, onde os recursos naturais de hoje são utilizados de maneira racionais, de modo que as futuras gerações também possam ter acesso a eles. O Programa de Gestão Ambiental Integrada tem como objetivo estabelecer e manter procedimentos que permitam monitorar, avaliar, e melhorar os aspectos ambientais da empresa, especialmente no que diz respeito à preservação dos recursos naturais, cumprimento das legislações e normas ambientais vigentes, uso racional de matérias-primas e insumos agrícolas e redução na geração de resíduos.

O programa possibilita o diagnóstico dos aspectos ambientais envolvido durante os processos e seus respectivos impactos, e realiza: controle de poluição atmosférica; coleta seletiva; 7R’s (Repensar, Reduzir, Reutilizar, Reaproveitar, Reciclar, Recusar e Recuperar); gerenciamento de resíduos; gestão dos recursos hídricos; protocolo agroambiental; é responsável pela obtenção e renovação de licenças ambientais. Possui também ações de monitoramento, proteção e conscientização ao aumento da biodiversidade. A Usina Açucareira Guaíra está pelo 7° ano consecutivo com 100% do corte de cana-de-açúcar mecanizado em cana crua, de forma limpa e eficiente. O emprego desta atividade traz consigo o melhoramento das áreas agrícola, através da matéria orgânica incorporada ao solo, aumentando a infiltração e diminuindo a evaporação. A empresa também é responsável pela cogeração de energia através do bagaço resultante da moagem da cana-de-açúcar, fonte renovável para a cogeração de energia elétrica, contribuindo para o suprimento energético do país além de trazer reconhecido ganho ambiental pela geração de crédito de carbono e a produção de energia limpa. Ações Socioambientais: A empresa acredita que através de práticas de responsabilidade socioambiental é possível alcançar um desenvolvimento sustentável, com menos danos ao meio ambiente e mais igualdade social. Destacando algumas das ações realizadas:


VOCÊ NOS AJUDOU A DESENVOLVER AS COLHEDORAS DE CANA CH570 E CH670. CHEGOU A HORA DE RETRIBUIR.

%

MAIS EFICIENTE, PARA MAIOR CAPACIDADE DE COLHEITA E ECONOMIA DE COMBUSTÍVEL.

A John Deere ouviu seus clientes para desenvolver as colhedoras mais eficientes do mercado: • Eficiência: 8% maior com o exclusivo Econoflow. • Simplicidade Operacional: cabine 30% maior, com comandos intuitivos e ergonômicos. • Servicibilidade: mais de 30 pontos de melhoria pra inspeções e manutenções simples e seguras.

JohnDeere.com.br

0800 891 4031


• Reflorestamento e Conservação de Matas Ciliares: a empresa desenvolve projetos de reflorestamento, sendo já plantadas aproximadamente 400 mil mudas de árvores de espécies nativas, que fazem a proteção de nascentes, represas e matas ciliares; todas as propriedades atentem a legislação ambiental; a conservação das matas ciliares reduz os efeitos de possíveis enchentes, mantém a qualidade e a quantidade da água e auxilia a manutenção da fauna local; caça e pesca predatória são proibidas; são respeitadas as faixas de preservação de acordo com normas legais vigentes, além de participação efetiva de campanhas em prol do meio ambiente realizadas na região.

A empresa já realizou o Cadastro Ambiental Rural (CAR) de todas as suas áreas próprias e está em fase final de adequação ambiental das reservas legais. • Ações de fomento florestal: incentivo para o aumento da cobertura vegetal nas áreas de produtores de cana (parceiros e fornecedores); apoio técnico quanto à inscrição no CAR (Cadastro Ambiental Rural), averbação de reserva legal e ao comprimento das legislações ambientais vigentes. • Ações de Educação Ambiental: voltadas aos colaboradores da empresa e a comunidade da região, levando ao conhecimento do público a conscientização ambiental, atitudes sustentáveis, comemoração de datas ambientais e dicas para a preservação do meio ambiente.

• Ações Sociais: Consciente de suas responsabilidades junta à sociedade, a empresa apoia diversos trabalhos desenvolvidos por entidades sociais nos municípios de Guaíra, Ipuã e Barretos, no interior de São Paulo.

Há 12 anos a Usina Açucareira Guaíra realiza as confraternizações natalinas em todas as entidades do município de Guaíra e também na Casa André Luiz, de Barretos. Durante o ano, a empresa avalia todas as solicitações de doação enviadas pelas entidades sociais e pelos clubes de serviços. Dessa forma, contribui com projetos de caráter social. A empresa mantém grandes investimentos em sistemas operacionais de Gestão de Segurança, Saúde do Trabalho, programas de prevenção e riscos ambientais, controle médico da saúde do trabalhador, treinamentos e aquisição de equipamentos de segurança da melhor qualidade. Atualmente a empresa conta com aproximadamente 2.600 colaboradores diretos, e a todos são oferecidos convênio médico e odontológico extensivo à família, totalizando 6.000 usuários inseridos no plano médico e 4.300 usuários inseridos no convênio odontológico. As ações realizadas garantem como resultado a sustentabilidade da Usina Açucareira Guaíra, onde os recursos naturais de hoje são utilizados de maneira racionais, de modo que as futuras gerações também possam ter acesso a eles.


SGS - SOLUÇÕES PARA O SETOR SUCROENERGÉTICO SGS, líder em certificação, testes e comissionamento, garante sua produção através de soluções integradas, pensadas para o setor sucroenergético. Conheça alguns dos nossos serviços: NR 13 Ensaios Não Destrutivos Calibração e Manutenção em Válvulas Soldagem Inspeção e Acompanhamento de Montagem Industrial

¡ ¡ ¡ ¡ ¡

Conheça todos os nossos escopos através do site: www.sgsgroup.com.br Se preferir verifique abaixo a unidade mais próxima da sua empresa: Piracicaba - SP - Tel.: 19 3917-1670 Serra - ES - Tel.: 27 3338-3320 Cabo de Santo Agostinho - PE - Tel.: 81 2129-3266 Esteio - RS - Tel.: 51 3458-5900 Rio Grande - RS - Tel.: 53 2125-6200 MATRIZ SGS INDUSTRIAL

Av. Sagitário, 743 – Cj. 11 Barueri – SP 06473-073 tel.: 11 3883-8800 sgs.brasil@sgs.com www.sgsgroup.com.br


Conheça o Relatório de Sustentabilidade da Biosev da safra 2014/2015 O Relatório de Sustentabilidade 2014/2015 da Biosev apresenta informações sobre o desempenho econômico, social e ambiental da companhia, com foco em 11 temas considerados prioritários para a sustentabilidade do negócio. Na safra 2014/2015, a Biosev realizou consulta às suas partes interessadas, resultando na priorização dos temas de maior impacto dentro e fora da organização. Confira quais são os temas e respectivos destaques do período. Para saber mais, acesse www.biosev.com

Implementação de melhorias no reaproveitamento de água condensada do processo, otimização de caldeiras, adequações nas moendas, instalação de torres de resfriamento e lavagem industrial com água de reúso

Engajamento de fornecedores sobre o novo Código Florestal e Cadastro Ambiental Rural (CAR)

Moagem de

28,3 milhões

de toneladas na safra

Receita Líquida

R$ 4,5 BILHÕES R$16 milhões Fluxo de Caixa Livre (FCL)

Certificação NBR ISO 22000:2006 para a Unidade Estivas

Aumento de

3,1%

no ATR* cana (128,7 kg/t) *ATR: Açúcar Total Recuperável

Crescimento de

16,7%

na receita de energia

0800 940 9199 www.biosev.com linkedin.com/company/biosev


Resiliência a variações climáticas Gestão dos recursos hídricos

Gestão de emissões Gestão de riscos socioambientais da cadeia de fornecedores

Presença estratégica em quatro polos agroindustriais com distribuição geográfica que permite mitigar os riscos relacionados ao clima

Emissões de fontes renováveis representaram 87% do total, atingindo 0,24 tCO2e por tonelada de cana produzida, em comparação a 0,23 tCO2 e na safra anterior

Capacitação, saúde e segurança dos trabalhadores Desempenho econômico

Investimento de

R$ 13,7 milhões

em saúde e segurança

Retração de

Queda de

na Taxa de Frequência de Acidentes de Trabalho

na Taxa de Gravidade de Acidentes de Trablaho

3,6%

Impactos socioambientais do transporte e logística Qualidade e responsabilidade sobre os produtos

16,0%

Início do Diagnóstico Social Participativo, que será condensado em um mapa de impactos sociais, ambientais e econômicos das operações

Investimento de

R$ 448,5 mil

em ações nas comunidades

Compromissos setoriais e certificações

GOVERNANÇA E GESTÃO DE RISCOS SOCIOAMBIENTAIS permeia todo o negócio e é o fio condutor de cada aspecto e das atividades da companhia

Impactos socioeconômicos: desenvolvimento local e relacionamento com as partes interessadas

Investimento de

R$ 9,9 milhões

em gestão e preservação ambiental Ingresso da International Finance Corporation (IFC), do Banco Mundial, como acionista da Biosev


Itapecuru: compromisso com a sustentabilidade A Itapecuru Bioenergia respeitando às leis florestais, tem o cuidado de preservar águas e nascentes e afastar o plantio de cana-de-açúcar da mata ciliar, plantando no local, mudas de árvores nativas, com o objetivo de recuperar essas áreas. Possuímos um viveiro para a produção de mudas de árvores nativas podemos destacar o Burutir, Bacurí, Sabiá dentre outras, cuja a capacidade de produção atual é de 15.000 mudas, sendo 7.000 para cerca viva. Temos um projeto de doações de mudas para a população do município incentivando o reflorestamento, através de atividades educativas nas escolas. Deste trabalho, já resultaram milhares de árvores frutificando e semeando, fornecendo alimento à fauna e promovendo o repovoamento florestal de áreas próximas, pela disseminação de sementes. Fazemos vistorias periódicas e constantes no leito do Rio Itapecuru que banha várias fazendas de produção de cana-de-açúcar a fim de eliminar qualquer risco de contaminação por resíduos industriais. Com essa preocupação o departamento de Gestão Ambiental da companhia adotou recentemente um procedimento padrão de coletas e análises periódicas de amostras de água a cada 30 dias com o objetivo de monitorar qualquer tipo de alteração na qualidade da água do Rio. Atividade em Comemoração ao Dia da Árvore: Em comemoração a semana da Árvore, a Itapecuru Bioenergia realizou uma atividade com as crianças da Escola Alice Barreto da Costa Pinto, onde as mesmas participaram de palestra sobre a importância

da árvore e sobre reflorestamento, fizeram plantio de mudas nativas da região produzida no viveiro de mudas da empresa, seguida de um delicioso lanche, onde todas se divertiram e interagiram. Participação em Feiras de Literaturas e Ciências: Projeto que promove e apoia Feiras de Literatura e Ciências Exatas visando desenvolver aptidões de crianças, jovens e adolescentes do Município, realizada anualmente com temas variados envolvendo alunos das escolas municipais e Estaduais, objetivando estimular a formação de alunos leitores e escritores; valorizando a história local; disseminar a leitura no ambiente escolar; incentivar a comunicação e a interação social de alunos, professores e comunidade escolar através da leitura e estimular o conhecimento cientifico no campo das ciências naturais e exatas, incentivando a sustentabilidade com o foco na busca da sustentabilidade local.


:Recauchutagem de Pneus

de caminhões e máquinas agrícolas

Serviços: P Análise de Pneus: os pneus passam por cuidadosa análise para serem aprovados para recauchutagem P Conserto e Duplagem: a linha de consertos e reparos conta com os melhores materiais e profissionais P Recauchutagem de pneus rodoviários, agrícolas e OTRs: processo moderno, aprovado pelos orgãos de inspeção, com matéria prima de qualidade P Inspeção na aprovação: setor de qualidade atento a todo pneu produzido pela GDA

A GDA possui uma das mais completas linhas de desenhos e medidas de pneus do Brasil.

GDA Comercio de Pneus e Serviços Ltda. Rua Francisco Raya Madrid, 701 - Polo Coml e Indl 15803-305 - Catanduva - SP Fone: 17 3521-2713

www.gdapneus.com.br


Projetos: Atualmente a empresa conta com os seguintes projetos para qualificação e crescimento profissional de seus colaboradores: • Jovem aprendiz: Programa voltado à qualificação de jovens na faixa etária entre 14 e 21 anos, preparando-os para o mercado de trabalho. Desse projeto já resultaram formação de 70 profissionais em Técnico em Eletromecânica. • Programa de alfabetização: uma oportunidade àqueles colaboradores que não são alfabetizados, sendo uma porta de acesso à cidadania e ao despertar do interesse pela elevação da escolaridade. • Cursos profissionalizantes: tem como meta a melhoria da mão de obra dos seus colaboradores em suas respectivas áreas de atuação. • Estágios: Pensando no futuro, proporciona ao acadêmico a oportunidade de preparar-se para enfrentar os desafios de uma carreira promissora no competitivo mercado de trabalho. Incentivo ao Esporte/Lazer - Comemoração Dia do Trabalhador: No dia 1º de Maio, a Itapecuru Bioenergia reuniu seus colaboradores em um evento para comemorar o dia do Trabalhador, na programação atividades esportivas e interativas como competição de sinuca e futsal. Incentivo ao Esporte: Para contribuir com a prática de esportes nas unidades escolares e a identificação de talentos esportivos, a Itapecuru Bioenergia tem a satisfação em contribuir com a realização dos Jogos Escolares de Aldeias Altas - MA, com a participação de aproximadamente 600 alunos das escolas municipais e estaduais, participando nas modalidades: mirim, infantil e infanto-juvenil, realizado anualmente. Programa Atleta do Futuro: Em parceria com o Sesi a empresa implantou o Programa Atleta do Futuro na Escola Alice Barreto da Costa Pinto. O programa visa promover através do esporte a educação e a inclusão social de crianças e adolescentes em aulas de iniciação motora e prática esportiva, ensinando valores como ética, trabalho em equipe, superação, respeito, autoestima e saúde. Contando com a participação de 60 crianças apresentados como Atleta do Futuro. Responsabilidade Social Festa da Páscoa na Escola Alice Barreto da Costa Pinto: A Itapecuru Bioenergia apoia e incentiva projetos que beneficiam o público interno e a comunidade em geral através de varias ações sociais. Com o objetivo de promover alegria e brilho no olhar das crianças, a empresa contribuiu para a realização da festinha de páscoa da Escola Alice Barreto da Costa Pinto, realizada dia 31 de Março de 2015. Incentivo a Cultura Projeto de Capoeira “Ginga Aldeias”: Pensando no bem estar social, a Itapecuru Bioenergia apoia o Projeto de Capoeira Ginga

Aldeias, coordenado pelo capoeirista Diego Leonardo de Sousa. O projeto visa estimular e desenvolver aptidões físicas naturais, através dos movimentos espontâneos, favorecer a socialização e despertar o interesse da sociedade quanto á importância das manifestações culturais, como o resgate dos valores sócio culturais de crianças, adolescentes e jovens de Aldeias Altas - MA. Distribuição de Kits Escolares: Pensando em um bom desenvolvimento educacional e de qualidade para o município, a Itapecuru Bioenergia presenteia todo ano os dependentes de seus colaboradores com kits escolares. Para recebimento dos mesmos os dependentes precisam estar devidamente matriculados e cursando da 1ª a 5ª série, nas escolas municipais e estaduais. Saúde Ocupacinal: Pensando na qualidade de vida do colaborador a Itapecuru Bioenergia em Parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, promove trimestralmente a Blitz da Saúde do Trabalhador, que inclui uma série de oficinas sobre hipertensão e diabetes, doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), ergonomia e outros temas relacionados à saúde ocupacional. Além disso, os funcionários tem acesso a aferição de pressão arterial, alongamentos e atualização de cartão vacinal. Com uma equipe de profissionais da saúde tais como; Médico, Enfermeiros, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Assistente Social, Psicóloga e Nutricionista. Ginástica Laboral: Buscando promover a qualidade de vida do colaborador, a empresa investe no programa de Ginástica Laboral com a prática de exercícios físicos realizados coletivamente durante a jornada de trabalho, essa prática tem por finalidade prevenir doenças ocupacionais, bem-estar através da consciência corporal. Acreditamos que na era da Qualidade Total onde o homem passa a maior parte do seu tempo no trabalho, é imprescindível a identificação e correção dos fatores de risco que possam promover a ocorrência de lesões no ambiente ocupacional, permitindo assim ao trabalhador um estado de bem-estar físico e mental necessários para sua produção ativa no processo produtivo.


Você deseja 2 minutos de atenção dos executivos que decidem as compras no setor?

Fácil,

anuncie na revista Opiniões Inclua a revista Opiniões no seu plano de Marketing de 2016. Os planos fechados neste ano seguirão a tabela de 2015. Fale conosco: 16 3965-4600

Opiniões


Dessulfuração de biogás oriundo de vinhaça para a produção de eletricidade Atualmente o Brasil é o maior produtor de cana-de-açúcar do mundo e líder nas soluções tecnológicas para produção do etanol. De acordo com a UNICA (União da Indústria de Cana de Açúcar), na safra de 2013/2014 foram produzidos no país 27,5 bilhões de litros de etanol. Para cada litro de etanol produzido foram gerados 13 litros de vinhaça, totalizando, nesta safra, 357,5 bilhões de litros deste efluente. Além da massiva produção, a vinhaça possui elevada concentração de matéria orgânica e potássio, sendo um efluente de difícil manejo e disposição. A metanização, além de oferecer uma alternativa de tratamento deste efluente, possibilita a geração de biogás, produto com poder calorífico de 24,93 MJ/ m3, e a coprodução de biofertilizante líquido, o segundo maior grupo de custos de insumos para a cultura da cana-de-açúcar. Entretanto, a produção de eletricidade a partir do biogás oriunda da metanização da vinhaça depende de tecnologia que possibilite a remoção do sulfeto de hidrogênio (10.000 a 30.000 ppmV) do biogás, derivado do processo de sulfitação na produção de açúcar ou pela adição de ácido sulfúrico nas dornas de fermentação. O sulfeto de hidrogênio (H2S) deve ser removido por

causar corrosão de componentes metálicos, acidificação do óleo dos motores de cogeração e se converter em óxidos de enxofre após a queima. Para produção de eletricidade, faz-se necessária a remoção do H2S a níveis inferiores a 500 ppmV. Com este objetivo, foi projetada e executada uma unidade de dessulfuração para a purificação do biogás com altas concentrações de H2S, de forma a viabilizar a produção de energia elétrica a partir de plantas de metanização da vinhaça. A tecnologia proposta utiliza-se de processos químicos e biológicos combinados que atingem resultados satisfatórios quanto à remoção do H2S e regeneração de enxofre elementar (S0). Desenvolvimento da Pesquisa Este desenvolvimento foi realizado dentro do Projeto de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) Cemig GT453 no âmbito do Programa de P&D ANEEL, resultante da parceria entre Cemig, Methanum Engenharia Ambiental Ltda e Efficientia. O projeto desenvolveu de um sistema de purificação de biogás foi implantado na Usina de Monte Alegre, em Monte Belo/MG, onde a Methanum possui uma


Figura 1: Unidade piloto de metanização.

Figura 2: Sistema de Purificação Construído.

Unidade Piloto de Metanização, desenvolvida em parceria com a Efficientia e Adecoagro, em funcionamento como mostra a Figura 1. A originalidade do projeto está na forma de regenerar o insumo químico pela via biológica, contribuindo para a viabilidade técnica e econômica do sistema.

aderidas ao meio. As bactérias empregadas no sistema utilizam o H2S como fonte de energia química. O Sistema de Purificação construído pode ser observado na Figura 2. Na Figura 3 pode-se verificar a eficiência do sistema durante a operação experimental e realização de testes de operação do sistema.

Figura 3: Eficiência de remoção de H2S durante testes experimentais.

A Unidade de Dessulfuração é subdividida em dois subsistemas: • Sistema químico para remoção do H2S: o processo químico se inicia em uma Torre de absorção do tipo lavador Venturi, que promove o contato gás/líquido e a solubilização do H2S em uma solução de lavagem constituída de hidróxido de sódio (NaOH) e/ou quelato férrico (Fe3+EDTA4-). Posteriormente uma Torre de desabsorção do tipo borbulhamento realiza a recuperação/reativação do solvente. • Sistema biológico para oxidação de sulfetos: o sistema biológico para oxidação de sulfetos, ou torre biológica, é constituído por um biofiltro com meio suporte, possui um sistema de recirculação de líquidos e a operação ocorre em contracorrente, visando promover o contato contínuo do biogás com as bactérias

Conclusões A tecnologia de dessulfuração desenvolvida se mostrou eficiente e possibilitou eficiências de remoção de H2S entre 99,3 e 99,9% e com baixo custo para os insumos químicos utilizados. Este sistema poderá contribuir para a ampliação da produção de energia a partir da cana, aplicável ao uso da vinhaça, além de contribui na redução das emissões anuais dos gases de efeito estufa, se constituindo em um vetor de desenvolvimento industrial para o desenvolvimento de novos negócios em energia. Autores: L. F. de D.B. Colturato1; C. H. F. da Silva2 - chomero@cemig.com.br; L. C. de Souza3.


Compromisso com a Sustentabilidade Localizada em Santa Vitória, cidade do Pontal do Triângulo Mineiro, a SVAA é considerada uma das mais modernas e automatizadas indústrias do setor sucroalcooleiro no país. Com cerca de 36 mil hectares de plantação e um Parque Industrial que ocupa aproximadamente 210 hectares, a unidade tem capacidade de processamento de 2,7 milhões de toneladas de cana-de-açúcar e produção de até 240 milhões de litros de etanol por safra. O etanol produzido é do tipo hidratado, utilizado como combustível. Com um quadro de mais de 1.100 colaboradores diretos, chegando a 1.500 no período de safra, a empresa é uma das maiores empregadoras da região e tem transformado a vida de muita gente por meio de oportunidade de crescimento e desenvolvimento profissional. “Como parte das ações de sustentabilidade em prol do desenvolvimento econômico e social regional, no processo de recrutamento, nossa prioridade é a contratação da mão-de-obra local e dos municípios do entorno. Atualmente, mais de 80% dos funcionários contratados são da região”, explica Eide Garcia, gerente geral da SVAA.

Tecnologia e Segurança A SVAA é uma indústria de alto padrão tecnológico e de segurança, proporcionando um ambiente de trabalho seguro em relação ao meio ambiente, seus funcionários e à comunidade. “Utilizamos os mesmos padrões de segurança adotados pela indústria química, que é referência neste assunto. Sendo assim, temos a usina com o maior nível de automação e segurança do setor. Quase todas as operações são automatizadas, feitas por meio do Centro de Operações Industriais (COI), o que confere ainda maior segurança, eficiência e produtividade à planta. Para garantir a segurança das operações e dos nossos funcionários, ainda contamos com um completo sistema contra incêndios em todos os setores do Parque Industrial”, ressalta Eide Garcia.

Sustentabilidade Ambiental A preocupação da SVAA com o meio ambiente e sua preservação é levada em conta desde o início do processo de produção do etanol, ainda no campo.


Todos os procedimentos para a implantação dos canaviais são realizados de forma sustentável e alinhados às exigências legais ambientais. Uma das ações é o Programa de Reflorestamento, que prevê que a cada árvore suprimida, outras 10 mudas sejam plantadas nas Áreas de Preservação Permanente (APP). Até o momento, a SVAA já plantou mais de 1 milhão de mudas de árvores na região. Até 2019, serão plantadas ao todo 2 milhões. A colheita é 100% mecanizada, sem queima de canavial, fator que contribui para uma boa qualidade do ar. Para otimizar o uso e preservar os recursos naturais, toda água destinada ao abastecimento do Parque Industrial é tratada e reutilizada para a fertirrigação no campo. A energia fornecida que abastece todo Parque Industrial é gerada através do bagaço da cana. Já no final do processo, um dos principais diferenciais da SVAA está na tecnologia de armazenamento de Etanol que é feita em um tanque com membrana flutuante, o que reduz a emissão de vapores do Etanol estocado, eliminando possíveis impactos ao meio ambiente.

Compromisso Social Desde 2012, existe também, dentro da área operacional da SVAA, um viveiro de mudas nativas da região para fomentar tanto a proliferação de espécies de cana mais saudáveis quanto o reflorestamento local. O ambiente conta com capacidade para produção média de 500 mil mudas/ano. Periodicamente, a SVAA realiza palestras nas escolas e atividades de educação ambiental, incluindo passeios à uma trilha ecológica localizada dentro da área de reserva legal da empresa. Durante o ano, vários projetos e campanhas são realizados envolvendo o público interno e a comunidade local, tais como: • Painel Consultivo Comunitário, • Semana do Meio Ambiente, • Dia do Voluntariado, • Semana do Trânsito, • Dia da Árvore, entre outros.


Odebrecht Agroindustrial: compromisso com o desenvolvimento sustentável

Área de Preservação Permanente

Jardim Sensorial da Apae, em Mineiros (GO)

Ampliação da escola municipal Pedro Ludovico, em Cachoeira Alta (GO)

A Odebrecht Agroindustrial gera energia limpa e renovável, com preservação ambiental, contribuindo para o desenvolvimento e a qualidade de vida das comunidades próximas à sua operação, além de oferecer o melhor ambiente de trabalho para seus integrantes. Em total sintonia com o seu negócio, sustentabilidade para a empresa é o compromisso de atuar empresarialmente com equilíbrio entre as responsabilidades: econômico-financeira, social e ambiental, através de processos e iniciativas estruturadas que geram valor e reduzem riscos. Este direcionamento estratégico é reflexo da Política sobre Sustentabilidade da Organização Odebrecht, que têm como objetivos garantir solidez operacional e financeira, disciplina no uso do capital e respeito a critérios éticos, legais e socioambientais, influenciando a relação da empresa com os públicos interno e externo. A partir desse referencial interno, a empresa busca ainda manter a competitividade no setor e nos mercados em que atua, com as melhores práticas socioambientais e de governança corporativa, seguindo as tendências mundiais, adequadas aos cenários locais e às perspectivas de resultados a curto, médio e longo prazos. Para manter os aspectos de sustentabilidade atrelados à estratégia, temas essenciais foram elencados com os públicos de interesse, tornando-se norteadores para identificar desafios e oportunidades da sua atuação empresarial. São estes os seis temas prioritários que demandam de todas as áreas acompanhamento e metas para aprimorar seu desempenho: • Minimização do impacto ambiental, • Uso eficiente dos recursos naturais (água, energia e reciclagem), • Desempenho do negócio (resultado financeiro), • Condições de saúde e segurança dos integrantes, • Ética, transparência e integridade nos negócios e • Contribuição para a economia /desenvolvimento local. Destacam-se dentre estes aspectos, a contribuição da empresa em relação às mudanças climáticas. Reduzir as emissões globais de gases de efeito estufa (GEE) representa um diferencial da Odebrecht Agroindustrial no desafio global de construir um novo modelo de desenvolvimento, baseado numa economia de baixo carbono. Para acompanhar e potencializar o impacto positivo gerado pelas suas atividades e produtos, a empresa realiza o inventário de emissões de GEE. Este estudo avalia as emissões anuais associadas à produção de açúcar, etanol (anidro e hidratado) e energia excedente, produzidos pela empresa, levando-se em consideração o ciclo de vida de cada produto. Assim, é possível verificar a magnitude da mitigação proporcionada pelos produtos e pelo sequestro


de carbono nos estoques de biomassa, dimensionar as emissões líquidas e o potencial para reduzir as emissões (ou aumentar a mitigação), considerando modificações/ melhorias nas diversas etapas. No último inventário de emissões da empresa (safra 14-15), verificou-se um efeito de mitigação líquido de 3,9 Mt CO 2eq. Ou seja, a operação e produtos da Odebrecht Agroindustrial, considerando todas as suas unidades agroindustriais, capturam um volume significativo de CO2 da atmosfera. Já em relação ao desenvolvimento local nas comunidades em que está presente, a empresa estruturou um modelo inovador para direcionamento do seu investimento social privado tratado de forma estratégica, na esfera das lideranças de cada pequena empresa. O Programa Energia Social para Sustentabilidade Local tem como objetivo contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos municípios em que atua. Lançado em 2009, o programa trabalha com um modelo de governança participativa em que a comunidade, a prefeitura e a Odebrecht Agroindustrial decidem, em conjunto, quais prioridades e projetos socioambientais serão realizados. As principais diretrizes do programa são: o processo participativo, o desenvolvimento de projetos autossustentáveis, que promovam a qualidade de vida local e a gestão por indicadores. A estrutura básica de governança conta com um Conselho Comunitário e quatro Comissões Temáticas para cada município. Os temas são: cultura; educação; atividades produtivas e saúde, segurança e preservação ambiental. O modelo de gestão participativa requer a capacitação das pessoas para que elas entendam o seu funcionamento, a realidade local, o que são projetos autossustentáveis e o papel da comunidade na gestão local. Isso busca trazer um maior protagonismo na construção do seu futuro. Os resultados do programa são monitorados por meio de indicadores que consideram, entre outros fatores, as diretrizes para investimento social privado da International Finance Corporation (IFC), instituição do Banco Mundial que apoia os investimentos privados nos países em desenvolvimento. Até a Safra 14-15, a empresa já investiu mais de R$ 18 milhões no desenvolvimento de 68 projetos, que beneficiaram diretamente mais de 113 mil pessoas, dos nove municípios onde estão suas unidades. Outras iniciativas e compromissos garantem a atuação empresarial em linha com os desafios do desenvolvimento sustentável, considerando a perpetuidade da empresa e sua interação com o meio ambiente e comunidades onde está inserida.

Núcleo de Corte, Costura e Artesanato, em Perolândia (GO)

Projeto Florestinha, em Costa Rica (MS)

Projeto Revelando Mirante, em Mirante do Paranapanema (SP)


Etanol de segunda geração, uma solução sustentável na matriz energética de combustíveis O uso de fontes de energia renovável e com baixo teor de carbono é uma das estratégias para reduzir a emissão de gases causadores do efeito estufa, que tem provocado o aquecimento do planeta. O impacto positivo do setor sucroenergetico é substancial. O etanol de primeira geração derivado da cana-de-açúcar é uma alternativa de combustível proveniente de fonte limpa e renovável, que proporciona ganhos à saúde pública. Um estudo desenvolvido pela equipe de médicos e especialistas da Universidade de São Paulo (USP), liderado pelo médico e professor Paulo Saldiva, concluiu que o uso do biocombustível nas oito principais regiões metropolitanas do Brasil foi responsável pela redução de quase 1.400 mortes e mais de 9.000 internações anuais ocasionadas por problemas respiratórios e cardiovasculares associados somente ao uso de combustíveis fósseis. Trata-se de uma economia de R$ 430 milhões por ano para o sistema de saúde pública e privada. Globalmente o etanol pode ser uma importante solução para os combustíveis do setor de transporte uma vez que misturas de até 10% com a gasolina podem ser feitas sem modificações nos motores atuais. Neste cenário, a demanda global para o etanol equivaleria a aproximadamente 250 bilhões de litros em 2025. O etanol de segunda geração – ou celulósico – produzido aproveitando açúcares existentes na fibra da cana, ou seja, a partir do bagaço e da palha (resíduos) amplia ainda mais a oportunidade de desenvolvimento sustentável, uma vez que reduz em até 90% a emissão de gases de efeito estufa em comparação aos combustíveis fósseis. Considerando o crescimento global das emissões de gases de efeito estufa pelo setor de transporte, o etanol de segunda geração certamente ocupará um papel decisivo no combate às mudanças climáticas, entretanto assim como outras tecnologias disruptivas, a evolução do etanol de segunda geração depende da implementação de políticas públicas robustas e consistentes. O Brasil precisa reconhecer que tecnologias como esta podem ser a nova fronteira do desenvolvimento nacional, fundamentada nas incontáveis


possibilidades oferecidas ao incorporar a competitividade da agroindústria nacional à maior biodiversidade do planeta. A estimativa é de que em 2025 o Brasil produza mais de 5 bilhões de litros de etanol de segunda geração e, se novos incentivos forem criados, este número pode ser ainda maior. Com base nisso, o CTC vem investindo no desenvolvimento das tecnologias tanto de etanol celulósico quanto de recolhimento e processamento da palha da cana-de-açúcar.

Hoje, o CTC conta com mais de 50 pesquisadores e engenheiros dedicados a esses projetos em laboratórios localizados em sua sede em Piracicaba e nas instalações de uma Planta de Demonstração, no município de São Manuel. Nos últimos anos, o CTC quadruplicou o valor de seus investimentos, acreditando que a inovação é a resposta para o salto de produtividade e sustentabilidade que o setor sucroenergético tanto almeja.

Planta de Recolhimento e Processamento de Palha da cana-de-açúcar do CTC


A Tonon tem agregado ações socioambientais em seus processos A empresa Tonon Bioenergia S/A - (Unidade Santa Cândida), foi constituída em 25/07/1962 na forma de Sociedade Solidária ou em Nome Coletivo, tendo como atividade a exploração agrícola de cereais, pecuária e engenho de aguardente de cana com secção de engarrafamento. A partir de 1996, a sociedade passou a denominar-se Santa Cândida Açúcar e Álcool Ltda, alterando seu objeto social para as atividades de fabricação de açúcar e álcool, comércio, importação e exportação, inclusive de derivados. Assim na nova geração de empreendimentos passando a se denominar Tonon Bioenergia S/A, vem há mais de 4 décadas desde o início aos negócios na área de cereais, pecuária e engenho de aguardente de cana de açúcar e que após o ano 2005, com direto objetivo de crescimento, o grupo evoluiu para mais 2 unidades que ficam nos municípios de Brotas/SP - (Unidade Paraiso) e Maracaju/MS - (Unidade Vista Alegre), sendo a unidade do MS um greenfield, em operação desde 2009, juntos o grupo tem estimativa de moagem safra 15/16 de 7.500.000 ton/cana.

A Tonon tem como meta a melhoria contínua de seus processos produtivos e produtos, através da agregação de valores socioambientais. Utilizando-se das mais modernas práticas de conservação de solos e com equipamentos modernos em todas as operações agrícolas, tanto em áreas próprias quanto de terceiros, respeitando todos os Recursos Naturais dos Imóveis Rurais, quanto as Áreas de Preservação Permanente (APPs) e as Áreas de Reserva Legal, a não queima da cana-de-açúcar em 100% das áreas, sempre de acordo com a legislação vigente e cumprindo como forma de controle os monitoramentos ambientais. Possuímos também modernos equipamentos na área de produção industrial, para produção de açúcar, etanol, levedura e geração de energia, cercado de todo cuidado na visão ambiental e segurança do trabalho. Deste processo temos a vinhaça (resíduo do processo de destilação do álcool) como subproduto onde as unidades utilizam para fertirrigação, destinada a ser utilizada como fertilizante orgânico em 100% de aproveitamento na lavoura, fazendo com que possíveis resíduos industriais que até pouco


tempo atrás eram considerados problemas, tornem-se alternativas ambientalmente adequadas, tornando os seus processos produtivos economicamente eficientes, ambientalmente corretos e socialmente justos.

Socioambiental: A Tonon Bioenergia tem como um de seus principais compromissos desenvolver suas atividades prezando sempre pela preservação da natureza, atitude que resulta em um ambiente de trabalho saudável, característica imprescindível para a melhoria contínua de todo o seu processo produtivo, conta com alguns programas evolutivos: Programa Vida em Ação: A empresa contempla também o programa “Vida em Ação”, a qual tem como objetivo firmar compromissos éticos por meio de um programa com diversos seguimentos de gestão de práticas ambientais, sociais, de educação, saúde, segurança, cultura e lazer a todos os colaboradores e comunidade local.

Responsabilidade Social: A preocupação com o bem-estar das pessoas ultrapassa os limites das unidades da Tonon. Nossos funcionários têm um forte envolvimento com as comunidades e instituições beneficentes das áreas em que atuam, para que as ações não fiquem restritas ao assistencialismo - doação de dinheiro ou alimentos. A empresa mantém, em parceria com a Prefeitura de Brotas (SP), o Centro de Educação Infantil (CEI) Zilda Francini Pinheiro, que abriga cerca de 70 crianças, com idades entre zero e seis anos. Graças ao apoio da Tonon, a CEI é, atualmente, uma das únicas creches que oferecem atividades educacionais em tempo integral, sendo referência em sua região.

Meio Ambiente: Certificações de Sustentabilidade e Qualidade: As unidades da Tonon Bioenergia passam por processo de auditoria para obterem mais duas certificações internacionais, que impulsionarão sua comercialização externa de biocombustíveis e açúcar em 2014. O reconhecimento e o compromisso socioambiental da Tonon Bioenergia são comprovados por meio das certificações que possui: • Certificação Internacional de Sustentabilidade RTFO "Bioethanol Sustainability Programme" • Certificação da EPA (United State Environmental Protection Agency) • Certificação Carb (Agência Internacional da Califórnia) • Certificado Agroambiental do Estado de São Paulo (Protocolo Etanol Verde) • Certificação de Qualidade HALAL • Certificação de Qualidade KOSHER. • Certificação IS0-22.000 (Qualidade em Segurança Alimentar) Programas Ambientais de Monitoramento: O respeito ao meio ambiente constitui o pilar da política ambiental de nossa empresa. Acreditamos que as preservações ambientais juntamente com a eficiência econômica resultam na sustentabilidade do nosso empreendimento e da comunidade na qual estamos inseridos. Uma empresa como a nossa que usa os recursos naturais na viabilização da sua produção, entende que este patrimônio natural deve ser protegido e preservado. Viveiro de Mudas - Parceiros da Natureza: Tendo como forte aliado ao meio ambiente, a Tonon conta com seu próprio viveiro de mudas, e com parceria ativa com a Prefeitura de Brotas, que produz anualmente entre 20 e 30 mil mudas de espécies nativas e frutíferas da região. Dentre as atividades ambientais, nas datas comemorativas como o dia da árvore, a empresa direciona seus conhecimentos técnicos voltados à sociedade na doação de mudas, e plantio em APP e RL com alunos de escolas da comunidade. Participando de Feiras escolares, a Tonon cria através destas, formas de reflorestar em meio a parceria da sociedade tornando possível que isso aconteça. Assim, visualiza um futuro promissor para gerações futuras, com intuito também de melhorar a cada etapa a qualidade de vida dessas pessoas.


Escala comercial do etanol 2G É sabido que o etanol celulósico apresenta-se como uma boa alternativa para incremento da capacidade produtiva, sem os pesados investimentos agrícolas para aumento das áreas de plantio, ponto nevrálgico para um ramo que, atualmente, vive momentos conturbados. O etanol de segunda geração consiste em converter as frações de hemicelulose e celulose contidas na biomassa, tal como a palha e o bagaço de cana, em açúcares, para posterior fermentação em etanol ou químicos, sendo o pré-tratamento uma das etapas primordiais dessa conversão. O pré-tratamento nada mais é que a solubilização e a separação de um ou mais componentes da biomassa, como uma etapa de preparação para a hidrólise enzimática. Os objetivos são aumentar a área superficial da celulose e da hemicelulose, reduzir ao máximo a obstrução do acesso das enzimas pela presença de lignina e reduzir a formação de produtos de degradação que são inibidores aos micro-organismos responsáveis pela fermentação. Na conversão bioquímica da biomassa em biocombustíveis, pode existir o emprego de ácidos e/ou de enzimas, devido à característica heterogênea das partículas. Fatores como cristalinidade da celulose, falta de sítios de acesso para as enzimas e a presença da lignina impedem um tratamento direto e eficiente. Devido a essas razões, o pré-tratamento é necessário para atingir rendimentos maiores e condizentes com uma operação de escala comercial. Em termos de configuração de equipamento, tipicamente, uma operação de pré-tratamento consiste na selagem do sistema pressurizado, no aquecimento da biomassa, na reação, na descompressão, no incremento da área superficial, na lavagem e na separação do material hidrolisado (líquido) da fração sólida. Essa configuração é variável em função do tipo de rota e pré-tratamento adotados. O tipo mais simples de pré-tratamento é aquele feito em estágio simples, sem emprego de catalisador, utilizando o vapor para realizar a reação de auto-hidrólise. A biomassa é aquecida utilizando vapor saturado, o que provoca a elevação da temperatura no interior do reator. A reação, então, é interrompida por uma explosiva e rápida descompressão, resultando na hidrólise das hemiceluloses, na redistribuição da lignina, no aumento da área superficial da celulose, melhorando o acesso das enzimas. Em um processo que utiliza um ácido diluído, por exemplo, pode incorrer também na remoção parcial da lignina. Devido à hidrólise das hemiceluloses, esse tipo de processo sugere um melhor uso naquelas rotas em que a intenção é converter apenas fração de celulose em açúcares e, então, em etanol.

Dessa forma, comparativamente, sistemas em estágio simples atingem menores rendimentos, mas, ao mesmo tempo, requerem um menor investimento, por possuir uma configuração de equipamentos mais simples. Um dos desafios para os processos bioquímicos é que as hemiceluloses (carboidratos de 5 carbonos) e a celulose (carboidratos de 6 carbonos) nem sempre podem ser processadas conjuntamente. Isso se dá pela diferença estrutural da celulose e das hemiceluloses. A celulose possui uma estrutura cristalina, o que dificulta sua hidrólise, porém a glucose resultante é facilmente fermentada a etanol.

1

Ao mesmo tempo, as hemiceluloses possuem uma estrutura amorfa, fato que contribui para a sua fácil hidrólise, entretanto essas moléculas necessitam de micro-organismos especiais para serem convertidos em etanol. Devido a essa diferença de comportamento, pode ser benéfico separar essas diferentes correntes e otimizar o pré-tratamento de cada uma delas. Esse é o objetivo do pré-tratamento em estágio duplo apresentado na Figura 1. O primeiro reator promove a hidrólise de uma maior porcentagem das hemiceluloses em condições mais brandas, com efeitos mínimos sobre a fração de celulose. Depois de extraídas as hemiceluloses hidrolisadas, a biomassa é alimentada no segundo reator, cujas condições são mais severas. Uma etapa de explosão a vapor pode ser adicionada, caso seja necessário partículas de menor tamanho ou um incremento de área superficial ainda maior.


Informe Técnico Esse tipo de pré-tratamento sugere um melhor emprego naquelas rotas em que tanto a fração de celulose quanto a de hemicelulose serão convertidas em açúcar e, então, em etanol. O resultado é uma maior conversão, devido à separação dos açúcares de 5 e 6 carbonos para uma melhor conversão de ambas as frações. Contudo, devido à configuração de equipamento mais sofisticada, esse processo tende a ter um investimento maior quando comparado ao estágio simples. Principais equipamentos para pré-tratamento: • Sistema de alimentação: Os sistemas de alimentação mais comuns incluem o plug-screw, os dispositivos modulares e as válvulas rotativas. Cada um deles possui determinadas vantagens, dependendo do tipo de biomassa e das condições de processo aplicadas. Equipamentos como as válvulas rotativas (Figura 2) possuem um excelente desempenho quando usadas com bagaço ou palha de cana-de-açúcar. • Reatores: O reator é o coração da etapa de pré-tratamento. Condições reacionais adequadas não apenas afetarão a qualidade dos produtos gerados e os rendimentos, mas também as reações laterais, que têm impacto nos produtos de degradação formados. Cada combinação biomassa-produto final está correlacionada a condições únicas e ótimas de reação. Pensando em operações de escala comercial contínuas, atender a essas condições ótimas resulta em um impacto direto no melhor retorno econômico do projeto. Plantas de escala comercial já existentes utilizam reatores verticais, tais quais mostrados na figura 3. Esses reatores têm sido fornecidos pela nossa empresa há muitas décadas e agora também para os projetos de etanol celulósico e outros tipos de biorrefinarias. Outro tipo de reator é o de explosão a vapor ou SteamEx. Ele funciona com o aumento da pressão em seu interior e uma posterior descompressão rápida. A figura 4 mostra um desses reatores. • Sistemas de descarga: Os sistemas de descarga dos reatores têm duas funções principais: interromper a reação e descomprimir o sistema reacional. Diferentes dispositivos de descarga contínua têm sido utilizados com reatores verticais e de explosão a vapor. Temos atingido bons resultados fornecendo aos projetos de biorrefinaria equipamentos já utilizados na indústria de celulose e papel. Há vários anos fornecendo equipamentos para plantas de grande escala na área de celulose e papel, tem beneficiado os projetos de escala comercial para as indústrias de biorrefinaria. Não obstante, dedicamos os últimos 11 anos para juntar as experiências já existentes com as necessidades da indústria de etanol de segunda geração, com o intuito de minimizar o risco do escalonamento, fornecendo equipamentos e sistemas customizados.

Esses sistemas podem ser aperfeiçoados para minimizar o consumo energético, o consumo de químicos e o custo do investimento. Portanto essa é uma etapa sensível e requer uma otimização cuidadosa. Aspectos como tipo de pré-tratamento são de grande relevância, tanto no aspecto operacional quanto em seu design, por refletir diretamente no Capex e no Opex de um projeto. Cada projeto possui uma abordagem diferente, dependendo da rota adotada e do seu produto final desejado. Além disso, considerando a atual realidade brasileira, o etanol de segunda geração é uma saída inteligente para o mercado sucroalcooleiro, pois, utilizando uma biomassa já existente e que hoje é tratada como resíduo, pode-se aumentar a capacidade produtiva com a mesma área plantada. A beleza do etanol celulósico está justamente aí, agregar valor a algo que vem sendo tratado como resíduo, sem empregar um maior uso de áreas plantadas. Alguns anos atrás, o etanol celulósico parecia uma realidade distante, do ponto de vista econômico. Todas as tecnologias aqui mencionadas possuem esforços P&D e estão embasadas em casos reais de projetos de larga escala, tornando o que era distante uma coisa presente e viva, fato este justificado pelos recentes projetos em andamento e as referências comerciais da ANDRITZ. Para mais informações: pulpandpaper.br@andritz.com

2

3

4


Energia renovรกvel para um mundo melhor


Usina Batatais S/A A Usina Batatais, fundada em 1º de março de 1985, atua no mercado sucroenergético, buscando aprimorar constantemente a qualidade de seus processos produtivos, a excelência de sua equipe e a implantação de ações ambientais e sociais. Em 10 de março de 2007, inaugurou na cidade de Lins-SP a primeira filial da Usina Batatais, a Usina Lins.

Programa de Adequação Ambiental O Programa de Adequação Ambiental das Usinas Batatais e Lins iniciado em 2006, já plantou mais de 2 milhões de mudas de árvores nativas nas APP´s (Área de Preservação Permanente) em locais onde a empresa realiza o manejo da cana-de-açúcar, que contemplam áreas próprias, de parcerias e de fornecedores. O trabalho é realizado em parceria com o Laboratório de Ecologia e Restauração Florestal – LERF da Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" (Esalq/USP). A empresa é responsável por todo o processo, incluindo o levantamento, preparo, plantio e cuidados das áreas reflorestadas, que é acompanhando por técnicos da usina e da universidade. Das 200 mil mudas plantadas anualmente em Batatais, 150 mil são de viveiro próprio e 50 mil são compradas de instituições beneficentes do município. Em Lins, as cerca de 200 mil mudas plantadas anualmente são adquiridas.

www.usinabatatais.com.br


Zilor

Estratégia de diversificação e investimento em inovação mantêm Zilor competitiva no mercado Transformar a cana-de-açúcar em alimentos e energia limpa, com respeito ao meio ambiente e às comunidades onde atua. É assim que a Zilor vem construindo sua história, produzindo, gerando produtos, empregos, impostos, conhecimento, oportunidades e bem-estar da sociedade. Em 2016, a Zilor completa 70 anos e confirma que a estratégia de diversificação adotada pela empresa e os investimentos em inovação foram essenciais para manter a empresa competitiva no mercado sucroenergético. Tradicional produtora de açúcar e etanol, a Zilor investiu na modernização de suas indústrias para a geração de energia elétrica limpa e renovável e criou a Biorigin, unidade de negócios que produz e comercializa ingredientes naturais para atender os mercados de alimentação humana, nutrição animal, fermentação industrial e enológico para alimentação humana e nutrição animal. Zilor em números Produção da safra 2014/2015 Cana-de-açúcar moída 10.126.798 ton Açúcar 11.492.960 sc Etanol 447.200 m³ Energia elétrica exportada* 594,669 MWh/ano * Suficiente para abastecer uma cidade com mais de 594 mil habitantes, considerando o consumo per capita de 1MWh/ano.

É uma multinacional brasileira que tem unidades industriais. A Biorigin tem produção também nos Estados Unidos e unidades de comercialização nos Estados Unidos,

França, Bélgica, Noruega, Alemanha e Itália, além de uma rede de distribuidores em todo o mundo. “Soubemos identificar oportunidades e encontrar soluções para os desafios, mantendo a empresa em um patamar competitivo, buscando sempre o aumento da produtividade e a eficiência na gestão de custos e nas operações. Esse é o nosso forte: a capacidade de fazer os negócios crescerem respeitando as pessoas e preservando o meio ambiente”, explica Antonio José Zillo, diretor-presidente da Zilor. Biotecnologia Dando continuidade na estratégia de diversificação dos negócios, a empresa está finalizando um plano de investimento de aproximadamente R$ 200 milhões na expansão produtiva da Biorigin. “Estamos na vanguarda também de diversos estudos voltados para a inovação, realizados no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Biorigin. Com essa unidade de negócios, que comercializa 90% da produção para o mercado externo, temos a possibilidade de oferecer ingredientes saudáveis para indústrias de fermentação e alimentícias de diferentes segmentos”, explica Antonio José Zillo, diretor-presidente da Zilor. Parceria agrícola É pelo pioneiro modelo de Parceria Agrícola adotado pela Zilor, na região de Lençóis Paulista, que as unidades Barra Grande e São José são abastecidas de matéria-prima por 27 parceiros agrícolas.


O modelo consiste na cessão de posse das propriedades rurais da Zilor para parceiros, que fazem o cultivo da cana-de-açúcar. A Zilor se compromete a comprar toda a produção, a preço de mercado e em contratos de longo prazo. Os parceiros, por sua vez, devem produzir de acordo com o Compromisso de Conduta e Desempenho assinado com a Zilor. O Compromisso de Conduta e Desempenho Socioambiental prevê a avaliação dos parceiros na auditoria anual, realizada por consultoria externa, que mede a aderência a questões como performance, legislação trabalhista e responsabilidade ambiental. O resultado é chamado de Índice do Compromisso de Conduta (ICC) e a Zilor paga uma remuneração adicional por tonelada de cana-de-açúcar produzida aos que atendem pelo menos 85% das exigências, como forma de incentivo ao desenvolvimento da cadeia de valor da empresa. Reconhecimento internacional A Zilor foi uma das primeiras empresas no mundo a conquistar a certificação Bonsucro, selo internacional que promove a produção sustentável de cana-de-açúcar e seus derivados, estabelecendo um padrão de produção de melhores práticas sociais, ambientais e econômicas. As três unidades da Zilor, em Lençóis Paulista, Macatuba e Quatá, receberam a certificação no processo industrial e na área agrícola, o que atesta que a empresa e os Parceiros Agrícolas cumprem rigorosamente os quesitos avaliados: legislação; direitos humanos e trabalhistas; biodiversidade e ecossistemas; sustentabilidade e melhoria contínua.

Em Lençóis Paulista e Macatuba, as empresas parceiras agrícolas PHD e Agrodoce, responsáveis por parte do abastecimento das unidades industriais Barra Grande e São José, também foram auditadas e apoiaram a renovação da certificação da Zilor, comprovando a importância do engajamento da cadeia de valor para processos cada vez mais sustentáveis. Educação para o desenvolvimento local A Zilor sempre teve atuação social nas comunidades onde está presente e tem investido principalmente para a educação de crianças e jovens, com projetos próprios, incentivados e também com apoio a ações da comunidade. “A educação transforma indivíduos e os indivíduos transformam a sociedade para melhor. Acreditamos nessa força do bem que desenvolve a comunidade”, explica Maria Elvira Sogayar Scapol, diretora de Gestão de Pessoas e Socioempresarial. Na safra 2015/2016, a empresa lançou um programa de educação para a cultura nas comunidades de Macatuba e Quatá, onde tem unidades, contemplando ações de teatro, audiovisual e música por meio do ProAc Programa de Ação Cultural, da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, e em parcerias com as prefeituras municipais. Foram investidos mais de R$ 500 mil em ações que atenderão mais de mil crianças. “Para a Zilor, sustentabilidade é um princípio, que deve estar incorporado à Empresa. Além de orientar metas, faz parte da análise de investimentos e norteia todos os projetos quanto aos aspectos de impactos ambientais, saúde e segurança, capacitação profissional, remuneração e relação com a comunidade, sempre conciliando a perenidade do negócio e sustentabilidade para toda a cadeia”, finaliza Antonio José Zillo.


guia de compras do sistema sucroenergĂŠtico

2015


Guia de Compras Abastecimento Equipamentos Ionics

48 3333-8666

Abastecimento Tanque

Bombas Andrade

17 3321-5811

Emco Wheaton

19 3765-8000

Gascom

16 2105-3622

LDA

19 3838-9595

Mepel

54 3337-3700

Sage Oil Vac Brasil

11 2631-6343

Sollus

18 3421-1100

Aço em geral Açobril

11 2207-6700

Grupo Usiminas

11 2133-1089

Jatinox

11 2060-0405

Roster

54 3332-4885

São Joaquim

16 3810-1444

Tubos Oliveira

11 3186-8000

Uniweld

11 4035-8877

Aço forjado Forjados Alfa

84 3206-5213

Aço Inox Açotubo

11 2413-2000

Aperam

11 3818-1700

Arinox

11 2797-8000

Coppermetal

11 5547-8337

Elinox

11 2065-1400

Metalinox

11 2101-9000

Roster

54 3332-4885

Uniweld

11 4035-8877

Vallourec

31 3328-2121

Villares

19 3303-8000

Acoplamento

60

Acoplast

31 2566-5900

Alvenius

11 4613-6266

Antares

54 3218-6800


Opiniões Combel

17 3223-1282

Coremal

11 4615-8142

Copabo

11 3741-6650

Fuchs

11 4789-2311

DPE

16 3627-3529

Hennings

47 3036-5555

Emco Wheaton

19 3765-8000

Iorga

11 4617-8555

Geremia

54 2105-3211

Ipiranga

0800 025-3805

John Crane

11 3371-2500

ITW Chemical

11 4785-2630

Lamiflex Couplings

11 4615-6300

Klüber

11 4166-9000

Mademil

48 3436-6404

Mobil

0300 789-3996

Martin Sprocket

19 3877-9400

Muchiutt

16 2111-8800

Muchiutt

16 2111-8800

Petronas

0800 883-3200

Rexnord Brasil

51 3579-8080

Platinum

11 3665-4000

Rezenflex

19 3412-1144

Sil

11 4433-3753

RS Comercial

16 3945-5699

Texaco

0800 704-2230

Santarém

11 3908-9210

Torkflex

16 3211-2181

Vedacert

16 3947-4732

Visão

11 2602-6533

Vulkan do Brasil

11 4894-7300

Weg-Cestari

16 3244-1000

Acumulador de pressão Eaton

11 2465-8822

Hydac

11 4393-6600

Adesivo industrial Armo

16 3797-8900

11 3205-8955 Henkel

www.henkel.com.br

Hennings

47 3036-5555

Muchiutt

16 2111-8800

Aditivo e lubrificante

Aditivo e lubrificante Tanque

Bombas Andrade

17 3321-5811

Gascom

16 2105-3622

LDA

19 3838-9595

Sage Oil Vac Brasil

11 2631-6343

Agricultura de precisão Agrosure

16 3877-5675

Agrosystem

16 3434-3800

Falker

51 3092-6200

Geo Agri

16 3965-8220

Herbicat

17 3524-9797

Hexagon

48 4009-2704

Teejet

11 4612-0049

Trimble

19 3113-7000

Verion

11 2093-4956

Alimentação empresarial Alinutri

19 3844-1100

Apetit

43 3374-1500

Gran Sapore

19 3738-4000

GRSA

11 2135-3000

Nutrisaude

14 2106-9600

Agecom

11 2149-8922

Armo

16 3797-8900

Bardahl

11 4898-8600

BR Petrobras

0800 728-9001

Castrol

0800 704-0720

Chemlub

19 3881-8644

Alimentador vibratório

Chesterton

11 3382-4900

Inbras

11 4056-6644

Cobra

16 3603-3333

Mavi

11 3577-6200

Comanbor

16 2133-5500

MVL

11 4606-4114

61


Guia de Compras Alternadores Bambozzi

16 3383-3801

Análise do solo e água 11 3883-8800 SGS Brasil

www.sgsgroup.com.br

Análise química 11 3883-8800 SGS Brasil

www.sgsgroup.com.br

Análise química ambiental Mérieux NutriSciences

19 3417-4700

11 3883-8800 SGS Brasil

www.sgsgroup.com.br

Anticorrosão Alvenius

11 4613-6266

Rust

11 3140-1500

Travi

0800 979-2550

Aplicação de insumos Monitoramento Hexagon

48 4009-2704

Koppert

19 3124-3677

Verion

11 2093-4956

Arame

62

Armo

16 3797-8900

Belgo Bekaert

0800 727-2000

Comaso

16 3513-5230

Uniweld

11 4035-8877


Opiniões Voestalpine Böhler Welding

11 5694-8377

www.voestalpine.com/welding

Área de vivência Alfatek

17 3531-1075

Rodotrem

18 3623-1146

Armazenagem Metalúrgica Rio Grande

16 3173-8100

Stolthaven

13 3295-9000

Ultracargo

11 3177-6215

Vopak

13 3295-1000

Armazenagem de biomassa

Compex

11 3900-9333

CS Compusoftware

18 3636-3800

Danaher

11 3616-0150

Danfoss

11 2135-5400

Dimensional

19 3446-7400

DLG

16 3513-7400

Endress+Hauser

11 5033-4333

Fertron

16 3946-5899

GAtec

19 2106-0888

GE Intelligent Platforms

11 3614-1812

Helmut Mauell

11 2117-5353

Lander

18 3323-7613

www.landerhidraulica.com.br

Mectrol

14 4009-0507

Metaltex

11 5683-5700

Metso

15 2102-1700

E.M.G.

41 3641-7200

Novus

51 3323-3600

Vantec

49 3441-5200

Outotec

31 3228-0700

Zanella

41 2111-2300

Pepperl+Fuchs

11 4007-1448

Peu

19 3437-3030

Ram

14 3604-8000

Run Time

16 2105-6600

Salvi Casagrande

11 3327-0033

Saturno

51 3462-7415

Schneider

11 4501-3434

Servitel

16 2105-6464

Servserth

16 3945-5964

Artefato de borracha Anhembi

11 2601-3311

Armo

16 3797-8900

Muchiutt

16 2111-8800

Plant Rubber

16 3969-9777

Automação ABB

0800 014-9111

Ahitech

16 3524-3900

Anton Paar

11 5906-9000

APS

11 2870-1000

Authomathika

16 3513-4000

Automatronic

47 3370-1403

Ayrestech

19 3256-2864

Beckhoff

11 4126-3232

BMA Brasil

11 3097-9328

www.bma-worldwide.com

0800 770-0496 SEW-EURODRIVE

www.sew-eurodrive.com.br

Siembra

19 3826-2599

Sindustrial

14 3366-5200

Smar

16 3946-3599

SRS

16 3513-2500

TGM

16 2105-2600

TMSA

51 2131-3333

Unidata

31 3528-9900

Valmet

41 3341-4444

Bortolot

16 2105-0101

Vantec

49 3441-5200

Bosch Rexroth

11 2119-5600

Yaskawa

11 3585-1100

CNA

16 3965-1500

Yokogawa

11 3513-1300

63


Guia de Compras Guia de Compras Aviação executiva Lider Aviação

Embraer

Bomba e motobomba 31 3490-4500 12 3927-1000

Ajel Service

62 3295-3188

Alfa Laval

11 5188-6000

Anauger

11 4591-1661

www.embraer.com.br

Andritz

Avião agrícola

www.andritz.com

Comercialização

Embraer Agrícola

0800 772-8426

www.embraer.com.br

Balança Além Mar

11 3229-8344

Balanças Jundiaí

11 4606-8400

Digi-Tron

41 3377-1577

Mettler Toledo

11 4166-7400

Rinnert

47 3547-9100

Saturno

51 3462-7415

Toledo do Brasil

0800 554-122

Banco de fomento Banco do Brasil

16 3434-1200

BNDES

21 2172-7447

Bradesco

11 3684-3099

Itau BBA

11 3708-8227

Banco de microorganismos e leveduras Fermentec

41 2103-7611

19 2105-6100

Big-Bag Conteflex

75 2102-2660

Topack

19 3478-9900

Biocida

Astefa

16 3942-5511

Atlas Copco

11 3478-8883

Betta

16 2104-5522

Bombas Andrade

17 3321-5811

Bosch Rexroth

11 2119-5600

Branco

41 3211-4040

Combel

17 3223-1282

Eaton

11 2465-8822

Equipe

19 3417-4848

Gardner Denver Nash

19 3765-8000

Germek

19 3682-7070

Grundfos

11 4393-5533

Helibombas

16 3333-5252

Herbicat

17 3524-9797

Higra

51 3778-2929

Hydac

11 4393-6600

Imbil

19 3843-9833

Irrigabrás

11 2842-6464

Jaguar

19 3455-0155

Jotaflex

11 3308-6600

KSB

11 4596-8500

Lemasa

19 3936-8555

LNF

54 2521-3124

Mausa

19 3124-3030

Mega Flux

11 5575-4160

Mepel

54 3337-3700

Metso

15 2102-1700

Multisteel

19 3546 9878

Netzsch

47 3387-8222

Petroserv

11 2940-1955

Prominas

16 3375-9119

ProMinent

11 4176-0722

PSV Solutions

11 2979-8955

Alcolina

16 3951-5080

Rezenflex

19 3412-1144

Coremal

11 4615-8142

Santarém

11 3908-9210

DND

16 3943-5283

SPX Flow

11 2127-8278

64


Opiniões Stemac

0800 723-3800

Sulzer

41 2108-8100

Tectrol - Dínamo

43 3305-2500

Tetralon

11 4081-7000

Vallair

11 2696-3411

Vibropac

11 2108-5600

Weatherford

51 3579-8444

Cabine

Climatizador Resfri Ar

54 3511-1111

Cabine e capota Agroleite

17 3551-9090

Cabo de aço Siva

11 4646-4646

Cabo elétrico Aluga Asolda

11 4617-9696

Belden

11 4092-9000

Condumax

17 3279-3700

Cordeiro

11 4674-7400

Dimensional

19 3446-7400

IPCE

11 2065-1100

Nambei

11 5056-8900

Peu

19 3437-3030

Phelps Dodge

11 3457-0300

Soluçoes

16 3818-2305

Wirex Cable

11 2191-9400

O resultadO dessa qualidade aparece na sua prOdutividade.

Cal Caltec

41 3603-8000

Gecal

37 3323-5010

Calcário Itaú. Mais fino, mais puro, mais eficiente, mais econômico.

Calcário Calcário Itaú

16 3019-8110

www.vcimentos.com.br

Calpar

42 3232-8700

Caltec

41 3603-8000

Gecal

37 3323-5010

Geocal

11 4156-8999

www.vcimentos.com.br | SAC: 0800 701 9895 F: (16) 3019 8110 | vendas@calcarioitau.com.br

VOT-0071-15D-Anuncio-Calcario-Itau-102x242mm-Af.indd 1

9/2/15


Guia de Compras Caldeira Alfa Laval

Andritz

11 5188-6000

41 2103-7611

www.andritz.com

Arauterm

51 3406-6979

Caldema

16 3946-2701

CBC

11 4431-3900

Engecass

47 3520-2500

Engetubo

19 3434-3433

Engevap

16 3513-8800

Equipalcool

16 3513-8000

Exgen

16 2105-3440

Fimaco do Brasil

47 3525-1000

HPB Energia

16 3513-4600

Inmar

11 4023-0555

Marc-Fil

18 3905-6156

Metalúrgica Rio Grande

16 3173-8100

Mitre

16 3623-4021

Outotec

31 3228-0700

Uttam

19 3302-8958

Valmet

41 3341-4444

Zanini

16 2105-4422

Caldeira

Peças de reposição Caldema

16 3946-2701

HPB Energia

16 3513-4600

TKS

16 3942-2022

Caldeira

Visor de nível Durcon

11 4447-7600

Caldeiraria

66

Arxo

47 2104-6700

Citrotec

16 3303-9796

Equipalcool

16 3513-8000

Grundfos

11 4393-5533

Krieger

47 3231-1311

Perenne

11 3022-6989


Opiniões TKS

16 3942-2022

Zanini

16 2105-4422

ZBN

18 2102-9000

Caminhão, veículo e utilitário

Carroceria

Tanque e RPVC LDA Tanques

19 3838-9595

Centrífuga Big Tecnologia

19 3414-3836

DAF

42 3122-8400

Fiat

0800 707-1000

Ford

0800 703-3673

Foton

11 4606-1001

General Motors

11 4234-7700

Brumazi

16 3946-8777

Iveco

31 3888-7100

EBS

45 3279-1122

MAN Latin America

11 5582-5333

GEA Westfalia

19 3725-3100

Mercedes-Benz

0800 970-9090

Mausa

19 3124-3030

Mitsubishi

11 5694-2700

Multisteel

19 3546-9878

Scania

11 4344-7239

Silver Weibull

16 3202-8614

Sinotruk

41 3012-5700

Texas

82 2121-2000

Toyota

0800 703-0260

Volkswagen

0800 770-1936

Volvo

41 3317-8111

Carregador de cana Implanor

81 3637-5900

Motocana

19 3412-1234

BMA Brasil

11 3097-9328

www.bma-worldwide.com

Certificação 11 3883-8800 SGS Brasil

www.sgsgroup.com.br

Vanzolini

11 3145-3700

Carregadora de fardos

Chapa de aço

Motocana

Açobril

11 2207-6700

Elinox

11 2065-1400

Esco

31 3539-1200

Intersteel

11 2067-3536

Jatinox

11 2060-0405

19 3412-1234

Carreta

Piso móvel Hyva

54 3209-3400

Chapa, chave e chuveiro

Carreta

Pulverizadora Agrimec

55 3222-7710

Coagril

35 3292-3931

Carroceria

Reboque e semirreboque

InoxPira

19 3432-9838

Permetal

11 2823-9200

Ciclone AFC do Brasil

11 2152-7100

Travi

0800 979-2550

Empresas Icon

48 3431-1800

Implanor

81 3637-5900

Cinta de poliéster

Usicamp

44 3264-8500

Okubo

16 3514-9966

67


Guia de Compras Guia de Compras Clarificante

Colhedora de cana

Alcolina

16 3951-5080

Peças e serviços

Caltec

41 3603-8000

Agricorte

16 3363-4373

Coremal

11 4615-8142

Comanbor

16 2133-5500

DND

16 3943-5283

Estradeiro

16 3995-9899

Serquímica

16 2105-8222 0800 891-4031

Coletor de dados Compex

11 3900-9333

Creare

51 3094-9090

Hexagon Agriculture

48 4009-2704

16 3941-3367 Markanti

www.markanti.com.br

Coletor de dados Locação Compex

11 3900-9333

16 3941-3367

John Deere

www.johndeere.com.br

Lopes Material Rodante

16 3628-6622

Parker

12 4009-3500

Parkits

16 3969-4092

Plant Rubber

16 3969-9777

RLX

16 3101-1414

Tracan

16 3456-5400

Unimil

19 2105-0800

Comercialização e exportação Interunion

16 2102-9200

Compactador

Markanti

Volvo

41 3317-8111

Colhedora de biomassa

Complemento alimentar e isotônico

www.markanti.com.br

0800 891-4031 John Deere

www.johndeere.com.br

Colhedora de cana FCN

19 3035-0921

Nutraer

18 3361-6270

Componente elétrico ABB

0800 014-9111

APS

11 2870-1000

Meggitt Brasil

12 3911-9496

THS

11 5667-7014

Zanini

16 2105-4422

Compostagem 0800 891-4031 John Deere

68

11 3963-6500

Compressor

www.johndeere.com.br

Tracan

Tera

16 3456-5400

Atlas Copco

11 3478-8883


Opiniões Gardner Denver Nash

19 3765-8000

Martineli Agrícola

16 2105-8000

Solaris

11 2173-8685

Vibropac

11 2108-5600

Computador de bordo Herbicat

17 3524-9797

Hexagon Agriculture

48 4009-2704

16 3941-3367 Markanti

www.markanti.com.br

Solinftec

18 3622-2270

Construção industrial Construtec

17 3343-1123

49 3566-9800 Fetz

www.fetz.com.br

Consultoria açúcar e etanol Engsugar

14 3316-6260

Etha

11 2379-9022

Fermentec

19 2105-6100

Iprosucar

19 3402-1100

MBF Agribusiness

16 3946-6474

Moex

19 3417-6850

Pöyry

11 3472-6955

Sucrana

16 3209-2727

Consultoria agrícola Agrotools

11 3045-6636

Bionova

49 3025-6690

Geopixel

12 3949-1991

MBF Agribusiness

16 3946-6474

Consultoria ambiental Bionova

49 3025-6690

Ecomax

11 4602-3900

Fundag

19 3739-8035


Guia de Compras Geoklock

11 5501-3777

Geopixel

12 3949-1991

Key Associados

11 4890-4111

KRAV

11 3661-9656

Pert Brasil

41 3319-0827

Pöyry

11 3472-6955

Proamb

54 3055-8700

11 3883-8800 SGS Brasil

www.sgsgroup.com.br

Wasserlink

11 5581-0076

Consultoria de comercialização de energia Federal Energia

11 3178 7090

Koblitz

81 3221-2623

Nova Energia

11 3124-4141

Trader

81 3198-9850

Woodward

19 3708-4800

Consultoria de negócios Agile Solutions

11 5501-6555

Bionova

49 3025-6690

Claritas Investimentos

11 2131-4900

Engsugar

14 3316-6260

Fundag

19 3739-8035

Geopixel

12 3949-1991

Globaldox

16 3913-5656

Markestrat

16 3456-5555

MBF Agribusiness

16 3946-6474

Pöyry

11 3472-6955

PWC

11 3674-2000

Vilage Marcas e Patentes

0800 703-9009

Wiabiliza

11 5584-8570

Consultoria industrial

70

Alkaiós

16 3945-5499

Catena

41 3336-1737

De Smet Empral

16 3209-1999

Engsugar

14 3316-6260

Markestrat

16 3456-5555


Opiniões MBF Agribusiness

16 3946-6474

Cofaco

19 3026-8888

PAC

11 4728-3120

Continental ContiTech

0800 011-1572

Pert Brasil

41 3319-0827

Copabo

11 3741-6650

Pöyry

11 3472-6955

Correias Mercúrio

11 4588-6600

Demuth

51 3562-8484

Kota Brasil

11 4186-9244

Link Steel

19 3493-9600

Metso

15 2102-1700

RS Comercial

16 3945-5699

Controle de praga BioControl

16 3945-0384

Koppert

19 3124-3677

Conversor de energia ABB

0800 014-9111

Conversor de frequência ABB

11 4414-1515 Techmaster Equipamentos www.techmaster.ind.br

0800 014 9111

Valmet

41 3341-4444

Vulcatec

16 2133-8900

0800 770-0496

Correia transportadora

SEW-EURODRIVE

Peças e serviços Continental ContiTech

www.sew-eurodrive.com.br

Corda Okubo

0800 011-1572

19 3709-7200

16 3514-9966 Martin Engineering www.martin-eng.com.br

Correia Abrascort

41 2169-9999

CBV

11 4418-8080

Cobra

16 3603-3333

Comanbor

16 2133-5500

Continental ContiTech

0800 011-1572

Copabo

11 3741-6650

Durão

16 3993-9300

Gates

11 5105-8100

Habasit

11 4789-9022

Link Steel

19 3493-9600

Molyplast

16 3963-9000

Muchiutt

16 2111-8800

Rezenflex

19 3412-1144

Suprir

16 2102-6500

Correia transportadora Cicab

19 3464-9292

Corrente Abrascort

41 2169-9999

Comanbor

16 2133-5500

Durão

16 3993-9300

General Chains

19 3417-2800

KMC - Sudamérica

11 5548-4226

Link Steel

19 3493-9600

Prolink

19 3423-4000

Rexnord Brasil

51 3579-8080

RUD

11 4723-4944

Siva

11 4646-4646

Cozedores BMA Brasil

11 3097-9328

www.bma-worldwide.com

71


Guia de Compras GBA

16 3251-9900

Planusi

16 3513-9900

Crédito de carbono Bionova

49 3025-6690

Curso de pós graduação Feituverava

16 3729-9000

Fundace

16 3601-2700

IBE-FGV

19 3739-6420

Unaerp

16 3603-6861

Universidade Federal do PR 41 3350-5787 Vanzolini

11 3145-3700

Decantador Andritz

41 2103-7611

www.andritz.com

Defensivo Tanque

Bombas Andrade

17 3321-5811

FMCopling

16 3324-2223

Gascom

16 2105-3622

LDA

19 3838-9595

Defensivo agrícola

72

Adama Brasil

43 3371-9000

Apoiotec

14 3262-2480

Arysta Lifescience

11 3054-5000

Basf

0800 019-2500

Bayer CropScience

0800 011-5560

Bio Soja

16 3810-8000

Defensive & Agrovant

16 3204-1176

Dow Agrosciences

11 5188-9000

FMC

19 3115-4400

Ihara

15 3235-7700

Koppert

19 3124-3677

Monsanto

11 3383-8000

Nufarm

0800 725-4011

Ourofino Agrociência

0800 941-2000


Opiniões Sipcam Nichino

34 3319-5550

Syngenta

11 5643-3322

UPL do Brasil

19 3794-5600

Defensivo agrícola Matéria-prima

11 5683-7424 Clariant

www.clariant.com/crop-solutions

Eixo ADR

16 3965-3946

Estradeiro

16 3995-9899

Fazanaro

19 3493-9430

General Chains

19 3417-2800

Link Steel

19 3493-9600

Prolink

19 3423-4000

Santarém

11 3908-9210

Tec Tor

11 4428-2888

Eletrodo Comaso

Desfibrador Brumazi

16 3946-8777

Dedini

19 3403-3222

Eutectic

16 3521-2350

Fernavan

16 3945-5231

Metso

15 2102-1700

Moreno

16 3946-5000

Texas

82 2121-2000

Deslignificação com oxigênio 41 2103-7611 Andritz

16 3513-5230

11 5694-8377 Voestalpine Böhler Welding www.voestalpine.com/welding

Elevador Brumazi

16 3946-8777

HMBL

19 3444-7763

Link Steel

19 3493-9600

Martin Sprocket

19 3877-9400

Mavi

11 3577-6200

MVL Vibradores

11 4606-4114

www.andritz.com

Detector de metais Brapenta

11 3123-2853

Inbras

11 4056-6644

Mettler Toledo

11 4166-7400

11 4414-1515 Techmaster Equipamentos www.techmaster.ind.br

Embalagem

Difusor 11 4443-1000 11 3097-9328 BMA Brasil

Neoplastic

www.neoplastic.com.br

SR Embalagens

www.bma-worldwide.com

17 3321-2222

Brumazi

16 3946-8777

Dedini

19 3403-3222

Empilhadeira

Uni-Systems

16 3513-9808

Auxter

11 3602-6000

Zanini

16 2105-4422

BMC - Hyundai

11 3036-4000

73


Guia de Compras JCB

15 3330-0400

11 4414-1515 Techmaster Equipamentos www.techmaster.ind.br

Terex

0800 031-0100

Vantec

49 3441-5200

Yale

11 4134-4700

Energia

Comercialização Areva Renewables

Cemig www.cemig.com.br

17 3216-8226 0800 721-0116

Comerc

11 3039-3955

CPFL Brasil

19 3795-3900

Diferencial

21 2169-5900

Federal Energia

11 3178-7090

Koblitz

81 3221-2623

NC Energia

21 3235-8900

Nova Energia

11 3124-4141

Tractebel

48 3221-7000

Trader

81 3198-9850

Energia

Equipamentos Aggreko

0800 437-2367

ATP Soluções

81 2122-2300

Grameyer

47 3374-6300

Sanardi

17 3228-2555

SEL

19 3515-2000

Sindustrial

14 3366-5200

Siner

11 4181-6999

Stemac

0800 723-3800

Energia Gerador

74

ABB

0800 014-9111

Aggreko

0800 437-2367

Ajel Service

62 3295-3188


Opiniões ATP Soluções

81 2122-2300

0800 286-6467 Cummins

www.cummins.com.br

Germek

19 3682-7070

Grameyer

47 3374-6300

Rodotrem

18 3623-1146

Sanardi

17 3228-2555

Solaris

11 2173-8685

Sotreq

0800 084-8585

Stemac

0800 723-3800

Energia

Linha de transmissão ABB

0800 014-9111

ATP

81 2122-2300

Sanardi

17 3228-2555

Energia

Sistema de controle e gerenciamento ABB

0800 014-9111

ATP

81 2122-2300

Pöyry

11 3472-6955

Sanardi

17 3228-2555

Yokogawa

11 3513-1300

Energia

Torre de iluminação Aggreko

0800 437-2367

Atlas Copco

11 3478-8883

Rodotrem

18 3623-1146

Solaris

11 2173-8685

Engenharia e projeto BMA Brasil

Energia

11 3097-9328

www.bma-worldwide.com

Projetos

Areva Renewables

17 3216-8226

ATP

81 2122-2300

Diferencial

21 2169-5900

Engevix

11 2106-0100

Nova Energia

11 3124-4141

Pöyry

11 3472-6955

Sanardi

17 3228-2555

Sucrana

16 3209-2727

Energia

Recuperação de Atlas Copco

11 3478-8883

Bonfiglioli

11 4344-2323

Clyde Bergemann

19 3811-8080

Pöyry

11 3472-6955

Energia

Bortolot

16 2105-0101

Bosch

19 3301-8101

Citrotec

16 3303-9796

De Smet Empral

16 3209-1999

DSJ

16 3947-9830

Engenovo

21 2223-0899

Engsugar

14 3316-6260

Etec

34 3334-6400

Etha

11 2379-9022

Exgen

16 2105-3440

Fermentec

19 2105-6100

Fives Lille

16 3947-9029

Iprosucar

19 3402-1100

Irriga

62 3088-3881

Moex

19 3417-6850

Pöyry

11 3472-6955

Sucrana

16 3209-2727

Welding

16 3513-8600

Engrenagem

Rede de distribuição ABB

0800 014-9111

ADDN

16 3946-3826

Siner

11 4181-6999

Fazanaro

19 3493-9430

75


Guia de Compras General Chains

19 3417-2800

Jotafavi

16 3942-6619

Link Steel

19 3493-9600

Martin Sprocket

19 3877-9400

Prolink

19 3423-4000

Travi

0800 979-2550

Ensaio de material 11 3883-8800 SGS Brasil

www.sgsgroup.com.br

Enzima e levedura DND

16 3943-5283

LNF

54 2521-3124

Novozymes

41 3641-1048

Prozyn

11 3732-0000

EPI Aluga Asolda

11 4617 9696

Ansell

11 3356-3100

Armo

16 3797-8900

BSB

14 3533-2200

Dimensional

19 3446-7400

Gigatudo by Distrinox

16 3969-8080

Ideal Work

11 2188-0500

Iris Safety

11 2613-7506

Martineli Agrícola

16 2105-8000

Nexus

16 3945-5572

Parafusolândia

62 3209-5300

Unibrasil

17 3421-1780

Uniweld

11 4035-8877

X-5

11 3586-8700

Equipamento eletromagnético Alphamag

19 3324-5094

Inbras

11 4056-6644

Equipamento hidráulico Hydac

76

11 4393-6600


Opiniões Estufa agrícola 18 3323-7613

Flórida

19 3937-5229

Lander

www.landerhidraulica.com.br

Rezenflex

19 3412-1144

Salvi Casagrande

11 3327-0033

Tectrol - Dínamo

43 3305-2500

Unimil

19 2105-0800

Etanol celulósico Processos

Andritz

41 2103-7611

www.andritz.com

Escavadeira Auxter

11 3602-6000

BMC - Hyundai

11 3036-4000

Caterpillar

11 2109-2000

Êxito

81 3464-1111

JCB

15 3330-0400

Sotreq

0800 084-8585

Tracbel

0800 200-1000

Volvo

41 3317-8111

Estabilizante de solo Base Forte

41 3359-3880

Oxnix

19 3838-8989

Clariant

www.clariant.com/crop-solutions

Novozymes

41 3641-1048

Valmet

41 3341-4444

Evaporação Equipamento

Andritz

41 2103-7611

www.andritz.com

BMA Brasil

Esteira

11 5683-7424

11 3097-9328

www.bma-worldwide.com

Antractor

19 3129-5150

Citrotec

16 3303-9796

Brumazi

16 3946-8777

Dedini

19 3403-3222

Fragmaq

11 4056-8057

GBA

16 3251-9900

General Chains

19 3417-2800

JW

16 3513-2000

HMBL

19 3444-7763

Metalúrgica Rio Grande

16 3173-8100

Metso

15 2102-1700

NG Metalurgica

19 3429-7272

Moreno

16 3946-5000

Planusi

16 3513-9900

Prolink

19 3423-4000

Rexnord Brasil

51 3579-8080

Siembra

19 3826-2599

19 4042-0732 Solid Designer

www.soliddesigner.com.br

11 4414-1515 Techmaster Equipamentos

TJA

16 3953-9696

Fábrica de açúcar

www.techmaster.ind.br

Tecnometal

31 2122-2724

Manuseio, estocagem e moagem

Vantec

49 3441-5200

Metalúrgica Rio Grande

16 3173-8100

77


Guia de Compras Faca Demuth

51 3562-8484

Eutectic

16 3521-2350

Fermentação Agrária

16 3690-2200

Alcolina

16 3951-5080

Betabio

11 3848-2900

Dedini

19 3403-3222

Fermentec

19 2105-6100

JW

16 3513-2000

LNF

54 2521-3124

Metalúrgica Rio Grande

16 3173-8100

Química Real

31 3057-2000

Ferramenta de corte Fuzil

19 3641-5900

Gigatudo by Distrinox

16 3969-8080

Rolimac

16 3979-7009

Ferramenta elétrica Aluga Asolda

11 4617-9696

Fuzil

19 3641-5900

Gigatudo by Distrinox

16 3969-8080

Rolimac

16 3979-7009

Ferramenta manual Apex Tool Group

15 3238-3925

Belenus

19 3826-7000

Especifer

19 3936-9797

Fuzil

19 3641-5900

Gigatudo by Distrinox

16 3969-8080

Rolimac

16 3979-7009

Fertilizante e corretivo

78

Agrária

16 3690-2200

Agrolatino

16 3395-7222

Agronelli

0800 940-0013

Agroplanta

16 3660-6500

Arysta Lifescience

11 3054-5000

Binova

16 3615-8011


Opiniões Bio Soja

Calcário Itaú

16 3810-8000

16 3019-8110

www.vcimentos.com.br

Caltec

41 3603-8000

0800 646-5584

Filtro Açofiltro

15 3225-3005

Acqua

11 3628-1982

AFC do Brasil

11 2152-7100

Astefa

16 3942-5511

Astral

41 3346-2200

Bariontec

16 3368-1949

Comanbor

16 2133-5500

Catafós

www.catafos.com.br

Defensive & Agrovant

16 3204-1176

Embrafós

17 3323-6201

Fertec

17 3324-1112

Follyfertil

16 2138-8777

Gecal

37 3323-5010

Heringer S/A

19 3322-2200

Microgeo

19 3404-6581

Mosaic

11 4950-2600

Multifós

13 3822-3738

0800 941-9228 Nutrion

www.nutrion.com.br

Produquímica

11 3016-9600

Samaritá

19 3827-9100

Santa Clara Agrociência

16 3620-3320

Timac

51 3382-8700

UBYSOL

34 3319-9500

Valagro

11 5054-4222

Vale

13 3369-9000

YARA Brasil

51 3230-1300

Yoorin

35 3729-1840

Fertirrigação

0800 286-6467 Cummins

www.cummins.com.br

Dedini

19 3403-3222

Eaton

11 2465-8822

Equilíbrio

16 3946-2433

Grupo Veco

19 3787-3700

Hidro-Ambiental

19 3572-9999

Hydac

11 4393-6600

Imporcate

0800 721-3811

Jotaflex

11 3308-6600

Laffi

11 4438-4040

LNF

54 2521-3124

Marc-Fil

18 3905-6156

Mausa

19 3124-3030

MCFIL

19 3826-8398

Mecat

62 3503-1155

Neolíder

11 4393-6000

Parker

12 4009-3500

Petroserv

11 2940-1955

Prominas

16 3375-9119

ProMinent

11 4176-0722

RP3X Cientifica

16 3635-3485

SPX Flow

11 2127-8278

Stauff

11 4772-7200

TMSA

51 2131-3333

Construtec

17 3343-1123

Ventiladores Bernauer

11 2666-3909

Irriga

62 3088-3881

VLC

19 3812-9119

Fio elétrico

Filtragem Sistema

Cordeiro

11 4674-7400

Laffi

11 4438-4040

IPCE

11 2065-1100

Mecat

62 3503-1155

Nambei

11 5056-8900

79


Guia de Compras Fotógrafo

Especializado em cana e floresta Ary Diesendruck

11 99604-5244

Duzzek Alves

16 98117-3471

Paulo Altafin

19 98111-8887

Tadeu Fessel

11 95606-9777

Freio industrial Caldema

16 3946-2701

Freios Brunacci

11 3797-7777

Tec Tor

11 4428-2888

Vulkan do Brasil

11 4894-7300

Fundição AmstedMaxion

12 2122-1400

Euroair

54 3227-2753

Ferrusi

16 3946-4766

Fundição Água Vermelha

16 3513-2300

Metalcury

16 3969-8100

Metalúrgica Pérola

43 3532-3411

Moreno

16 3946-5000

Uniweld

11 4035-8877

ZBN

18 2102-9000

Fundição Bronze

Italbronze

11 2436-2900

Galpão Rentank Macrogalpões

11 4138-9266

Gás natural GasBrasiliano

0800 773-6099

Gaxeta

80

Anhembi

11 2601-3311

Armo

16 3797-8900

CBV

11 4418-8080

Chesterton

11 3382-4900

Cofaco

19 3026-8888

John Crane

11 3371-2500


Opiniões Luciane

11 4414-1700

Muchiutt

16 2111-8800

Parkits

16 3969-4092

Rolimac

16 3979-7009

Real

19 3444-6737

Rezenflex

19 3412-1144

Teadit

21 2132-2500

Travi

0800 979-2550

VedaRib

16 3329-7146

Geomembrana Maccaferri

Guindaste Bauma

15 3242-8080

Êxito

81 3464-1111

Hyva

54 3209-3400

TKA

54 3202-3000

Usicamp

44 3264-8500

11 4525-5000

Hidrólise Biomassa 11 4443-1000 Neoplastic

www.neoplastic.com.br

Andritz

Georreferenciamento e topografia

Hotel e resort

41 2103-7611

www.andritz.com

Agrotools

11 3045-6636

Alezi Teodolini

11 3868-0822

Campo Moderno

16 3625-7341

Engesat

41 3023-1617

Geopixel

12 3949-1991

Imagem - Inteligência Geo12 3946-8907 gráfica

Bourbon

45 3521-3900

Casa Grande Hotel

13 3389-4000

Grand Oca

82 3296-9112

Hotel Deville

0800 703-1866

Iberostar

71 3676-4200

Monreale

35 2101-7777

Royal Palm

19 2117-8002

RC-Task

16 3513-6000

Salinas

82 4020-3296

Soft Mapping

41 3276-2004

Sleep Inn Ribeirão Preto

16 3019-8300

Trimble

19 3113-7000

Taiwan Hotel

16 4009-8899

Tietê Resort

18 2103-9000

Vila Galé

71 3263-9999

Georreferenciamento e topografia - Equipamentos Imagem - Inteligência Geo12 3946-8907 gráfica

Mapeamento Geopixel

Granel sólido

Sistema de manuseio Metso

Imagem de satélite

15 2102-1700

Graxa industrial

12 3949-1991

Implemento agrícola Agrimec

55 3222-7710

Agromatão

16 3382-7192

Antoniosi

16 3384-8000

Durão

16 3993-9300

Baldan

16 3221-6575

ITW Chemical

11 4785-2630

BM Dumont

16 3944-1397

Klüber Lubrication

11 4166-9000

Bouwman

42 3234-1108

81


Guia de Compras Guia de Compras Budny

48 3432-0096

Civemasa

16 3382 8222

Coagril

35 3292-3931

DMB

16 3946-1800

Dria

16 3946-4300

Eco Agro

17 3567-9500

FH Equipamentos Especiais 19 3551-2090 Gihal Indústria

54 3331-4044

GTS do Brasil

49 3241-7100

Implanor

81 3637-5900

Inspeção industrial Açúcar e etanol DSJ

16 3947-9830

Hydac

11 4393-6600

JW

16 3513-2000

Perticarari

16 3235-9837

SoldaDura

16 3524-4801

TransmiService

16 3946-4600

Welding

16 3513-8600

Instalação industrial Açúcar e etanol 0800 891-4031 John Deere

www.johndeere.com.br

Kuhn do Brasil

54 3316-6200

LS Mtron

47 3085-8101

Maksolo

16 3384-6003

Mecmaq

19 3417-4090

Mepel

54 3337-3700

Pinheiro

19 3843-9250

Sollus Agrícola

18 3421-1100

Usicamp

44 3264-8500

Implemento rodoviário Carmetal

54 3329-8500

Empresas Icon

48 3431-1800

Facchini

17 3426-2000

Guerra

54 3218-3500

Impacto

14 3623-9444

LDA Tanques

19 3838-9595

Librelato

48 3466-6000

Mepel

54 3337-3700

Randon

54 3239-2000

Rodofort

19 3322-2000

16 3513-2600 Sergomel

www.sergomel.com.br

Usicamp

82

44 3264-8500

Dedini

19 3403-3222

Ecomax

11 4602-3900

GBA

16 3251-9900

Metalúrgica Rio Grande

16 3173-8100

Planusi

16 3513-9900

Instrumento de medição Apoiotec

14 3262-2480

Ayrestech

19 3256-2864

Contech

11 5035-0920

Endress+Hauser

11 5033-4333

Homis

11 2799-7999

Marrrari

41 3332-9393

Metroval

19 2127-9400

Nivetec

11 2627-6600

Peu

19 3437-3030

ProMinent

11 4176-0722

Salvi Casagrande

11 3327-0033

Wika

15 3459-9700

Inversor de frequência Bonfiglioli

11 4344-2323

Metaltex

11 5683-5700

Nord Drivesystems

11 2402-8855

Tectrol - Dínamo

43 3305-2500

Yaskawa

11 3585-1100

Irrigação Hidro Sistemas

11 3744-4467

Irrigabrás

11 2842-6464


Opiniões NaandanJain

19 3573-7676

Netafim

16 2111-8001

ProFibra

16 3343-1788

Valley

34 3318-9000

Irrigação

Equipamentos Asperbras

18 3654-7000

Bermad

19 3573-8888

Gascom

16 2105-3622

Germek

19 3682-7070

Irrigabrás

11 2842-6464

Krebsfer

19 3119-4000

Lindsay

19 3814-1100

NaandanJain

19 3573-7676

Netafim

16 2111-8001

ProFibra

16 3343-1788

Valley

34 3318-9000

Isca

Lançador Roster

54 3332-4885

Isca formicida Bio Soja

16 3810-8000

16 3629-1110 Dinagro

www.dinagro.com.br

Mirex-s

0800 556-422

Isolante térmico Menphis

19 3272-4420

Unifrax

19 99837-8823

Junta de expansão Dinatécnica

11 4785-2230

Kota Brasil

11 4186-9244

Nicsa

11 5525-4122

Senior

11 4136-4514

Teadit

21 2132-2500


Guia de Compras Laboratório

Equipamentos Além Mar

11 3229-8344

Anton Paar

11 5906-9000

Cetec

16 3993-9400

Cotergavi

11 3673-5020

Marconi

19 3412-1010

Metrohm

11 3868-6599

Mettler Toledo

11 4166-7400

Presys

11 3056-1900

Quimis

11 4055 9900

Rezenflex

19 3412-1144

RP3X Cientifica

16 3635-3485

Salvi Casagrande

11 3327-0033

11 3883-8800 SGS Brasil

www.sgsgroup.com.br

Tecnal

19 2105-6161

Leasing e locação JSL

11 2377-7000

Rodobens

11 2139-3000

Leilão eletrônico Superbid

11 4950-9400

Limitador de torque Tec Tor

11 4428-2888

Limpeza Biomassa

Andritz

41 2103-7611

www.andritz.com

Limpeza industrial 19 3709-7200 Martin Engineering www.martin-eng.com.br

84


Opiniões Liquefação de biomassa Andritz

41 2103-7611

www.andritz.com

Locomotiva

Visão

11 2602-6533

Mangueira Alvenius

11 4613-6266

Armo

16 3797-8900

Comanbor

16 2133-5500

Coneman

16 3456-3111

AmstedMaxion

12 2122-1400

Continental ContiTech

0800 011-1572

GE Transportation

31 2103-5337

Contuflex

11 3070-0300

Copabo

11 3741-6650

Gates

11 5105-8100

Hennings

47 3036-5555

Hidramave

41 3051-9900

Kota Brasil

11 4186-9244

Muchiutt

16 2111-8800

Parker

12 4009 3500

Petroserv

11 2940 1955

Rezenflex

19 3412-1144

Specma

41 3669-6569

Tetralon

11 4081-7000

Logística e transporte Aguetoni

17 3330-2455

Gafor

11 2107-3100

JSL

11 2377-7000

MSC

13 3211-9500

Nepomuceno

35 3694-9900

Raça

18 2104-5555

Rodobens

11 2139-3000

Stolthaven

13 3295-9000

Transespecialista

16 2105-7870

Transvalco

16 3954-8400

Vopak

13 3295-1000

Lona e manta 11 4443-1000 Neoplastic

www.neoplastic.com.br

Sansuy

Manutenção Vibração

Ajel Service

62 3295-3188

Vibrosert

16 3942-7200

Manutenção elétrica ABB

0800 014-9111

Obo Bettermann

15 3335-1382

11 2139-2888 11 3883-8800

Mancal Bürger

19 2114-7200

Cobra

16 3603-3333

Durão

16 3993-9300

Fazanaro

19 3493-9430

General Chains

19 3417-2800

Link Steel

19 3493-9600

Prolink

19 3423-4000

Rexnord Brasil

51 3579-8080

Rolimac

16 3979-7009

SNR

41 3627-8000

Travi

0800 979-2550

SGS Brasil

www.sgsgroup.com.br

Manutenção em transformador de potência ABB

0800 014-9111

Ajel Service

62 3295-3188

Manutenção hidráulica Lander

18 3323-7613

www.landerhidraulica.com.br

85


Guia de Compras Manutenção industrial ABB

0800 014-9111

Açotubo

11 2413-2000

Ajel Service

62 3295-3188

Bambozzi

16 3383-3801

Big Tecnologia

19 3414-3836

Catena

41 3336-1737

CPFL Serviços

19 3795-3900

Dourados

16 3513-8500

Engetubo

19 3434-3433

Fertron

16 3946-5899

Hydac

11 4393-6600

ICP Latin América

11 4496-4320

Intacta

11 3085-8003

Intecnial

54 2107-8000

Irmãos Passaúra

41 2141-7000

www.passaura.com.br

Labor

16 3947-8915

Marc-Fil

18 3905-6156

19 3709-7200 Martin Engineering www.martin-eng.com.br

Mettler Toledo

11 4166-7400

NSK

11 2169-3595

Plant Rubber

16 3969-9777

PSV Solutions

11 2979-8955

Santarém

11 3908-9210

Servitel

16 2105-6464

11 3883-8800 SGS Brasil

www.sgsgroup.com.br

86

Siemens

0800 119-484

SKF

11 4448-8200

Sulcromo

51 2112-2600

Tec Tor

11 4428-2888

Texas

82 2121-2000

TransmiService

16 3946-4600

Valmet

41 3341-4444


Opiniões VedaRib

16 3329-7146

Flowmaster

11 4013-8855

Vivante

11 4083-0011

Iope

11 3959-3959

Welding

16 3513-8600

Marrari

41 3332-9393

Wórtice

16 3285-1223

Metroval

19 2127-9400

Mettler Toledo

11 4166-7400

Nivetec

11 2627-6600

Presys

11 3056-1900

Rezenflex

19 3412-1144

Salvi Casagrande

11 3327-0033

Manutenção preditiva e preventiva Ajel Service

62 3295-3188

11 3883-8800 SGS Brasil

www.sgsgroup.com.br

Wasserlink

11 5581-0076

Máquina agrícola Agrimec

55 3222-7710

Antoniosi

16 3384-8000

Máquina agrícola Locação FCN

19 3035-0921

Ouro Verde

41 3239-7031

Rodobens

11 2139-3000

Material elétrico

Medidor, transmissor de vazão e nível Anton Paar

11 5906-9000

Contech

11 5035-0920

Cotergavi

11 3673-5020

Dwyler

11 2682-6633

Endress+Hauser

11 5033-4333

Iope

11 3959-3959

Metroval

19 2127-9400

Nivetec

11 2627-6600

Petroserv

11 2940-1955

Smar

16 3946-3599

Willtec

11 4035-7500

Melhoramento genético CanaVialis

Everest

19 3772-4500

Unimil

19 2105-0800

19 3512-4000

19 3429 8199 CTC

Material rodante

www.ctc.com.br

Antractor

19 3129-5150

Imporcate

0800 721-3811

ITM

11 4417-7772

ITR

11 3340-7555

Lopes

16 3628-6622

Maktractor

62 3596-2624

Mesa alimentadora GBA

16 3251-9900

Link Steel

19 3493-9600

Mesa elevadora E.M.G.

Medição

Equipamentos

41 3641-7200

Contech

11 5035-0920

Mesa vibratória

Cotergavi

11 3673-5020

Mavi

11 3577-6200

Endress+Hauser

11 5033-4333

MVL

11 4606-4114

87


Guia de Compras Misturador e agitador Higra

51 3778-2929

Mega Flux

11 5575-4160

SPX Flow

11 2127-8278

Sulzer

41 2108-8100

Tetralon

11 4081-7000

Torkflex

16 3211-2181

Moenda

Acionamento Moreno

16 3946-5000

Dedini

19 3403-3222

Dourados

16 3513-8500

Eutectic

16 3521-2350

Moreno

16 3946-5000

Simisa

16 2105-1200

Tecnometal

31 2122-2724

Thermic

14 3283-8283

Uttam

19 3302-8958

Monitoramento Equipamentos AGR

65 3023-0083

Meggitt Brasil

12 3911-9496

Presys

11 3056-1900

TMSA

51 2131-3333

Montagem industrial Andritz

41 2103-7611

www.andritz.com

Citrotec

16 3303-9796

Engevix

11 2106-0100

IrmĂŁos PassaĂşra

41 2141-7000

www.passaura.com.br

Mafer

62 3353-7386

Marc-Fil

18 3905-6156

11 3883-8800 SGS Brasil

www.sgsgroup.com.br

88


Opiniões Sindustrial

14 3366-5200

Zanini

16 2105-4422

TMSA

51 2131-3333

Multiplicador

Motoniveladora

Geremia Redutores

Caterpillar

11 2109-2000

Êxito

81 3464-1111

Nutriente

Sotreq

0800 084-8585

Stoller

Volvo

41 3317-8111

54 2105-3211

19 3707-1200

Pá carregadeira

Motor

BMC - Hyundai

11 3036-4000

ABB

0800 014-9111

JCB

15 3330-0400

Acoplast

31 2566-5900

Maksolo

16 3384-6003

Ajel Service

62 3295-3188

Motocana

19 3412-1234

Bonfiglioli

11 4344 2323

Tracbel

0800 200-1000

0800 286-6467 Cummins

www.cummins.com.br

Dimensional

19 3446-7400

Eaton

11 2465-8822

GE Transportation

31 2103-5337

Imporcate

0800 721-3811

Jotaflex

11 3308-6600

MWM

11 3882-3200

Nord Drivesystems

11 2402-8855

Santarém

11 3908-9210

0800 770-0496 SEW-EURODRIVE

www.sew-eurodrive.com.br

Stemac

0800 723-3800

Tectrol - Dínamo

43 3305-2500

WEG

47 3276-4000

Movimentação industrial Auxter

11 3602-6000

11 4414-1515 Techmaster Equipamentos www.techmaster.ind.br

Painel de comando Controle Germek

19 3682-7070

Stemac

0800 723-3800

TMSA

51 2131-3333

Verion

11 2093-4956

Willtec

11 4035-7500

Yaskawa

11 3585-1100

Yokogawa

11 3513-1300

Parafuso, porca, arruela e bucha Belenus

19 3826-7000

Cobra

16 3603 3333

Rolimac

16 3979-7009

Peça de reposição BRN Brasil

19 3543-2255

Cobra

16 3603-3333

Corfal

16 3810-2100

Germek

19 3682-7070

HMBL

19 3444-7763

Martineli Agrícola

16 2105-8000

Neolíder

11 4393-6000

Romi

19 3455-9000

SNR

41 3627-8000

Stauff

11 4772-7200

TMSA

51 2131-3333

89


Guia de Compras Peletizadora de biomassa Gell

49 3253-1100

Peneira Açofiltro

15 3225-3005

Brumazi

16 3946-8777

Dedini

19 3403-3222

Demuth

51 3562-8484

Equilíbrio

16 3946-2433

Fernavan

16 3945-5231

INBRAS

11 4056-6644

JW

16 3513-2000

MVL

11 4606-4114

Prominas

16 3375-9119

Vantec

49 3441-5200

Perfil Voestalpine Meincol

54 3220-9000

Perfuração

Peças e serviços América

19 3282-3095

Picador e triturador Brumazi

16 3946-8777

Bruno

49 3541-3100

Dedini

19 3403-3222

Demuth

51 3562-8484

Fragmaq

11 4056-8057

Metso

15 2102-1700

Moreno

16 3946-5000

Pinheiro

19 3843-9250

Tecnometal

31 2122-2724

Vantec

49 3441-5200

Vermeer

19 3517-9400

Zanella

41 2111-2300

Picador e triturador Peças

Embremaq

19 3825-1873

Pintura industrial Pint Aplicadora

90

44 3264-4725


Opiniões Plano de saúde

Pneu

São Francisco

0800 777-9070

Corrente

Sermed

16 3942-3752

RUD

Plantadora de cana Antoniosi

16 3384-8000

DMB

16 3946-1800

Implanor

81 3637-5900

Roster

54 3332-4885

Sivemasa

16 3382-8222

Sollus Agrícola

18 3421-1100

Plantio

Monitoramento AGR

65 3023-0083

11 4723-4944

Pneu

Reforma

GDA Pneus

17 3521-2713

www.gdapneus.com.br

Pneu Forte

16 3202-8604

Tecpolimer

11 3032-6480

Tipler

51 3097-2101

Vipal

54 3242-1666

Pneu

Revenda

Pneumático Acessório

Bray Controls

19 3517-6161

Continental ContiTech

0800 011-1572

Cotergavi

11 3673-5020

Tectrol - Dínamo

43 3305-2500

Pneumático

Alphapneus

16 3622-7300

ATX Pneus

16 3505-3200

Comercial Rodrigues

11 2093-8004

Copabo

11 3741-6650

Marchini do Brasil

16 2133-4949

Marini

54 3316-4100

Polia

Equipamento Ascoval

11 4208-1700

Tectrol - Dínamo

43 3305-2500

Pneu

Combel

17 3223-1282

Copabo

11 3741-6650

Durão

16 3993-9300

Mademil

48 3436-6404

Martin Sprocket

19 3877-9400

Bridgestone Firestone

11 3636-1666

RLX

16 3101-1414

Continental

11 4583-6161

Travi

0800 979-2550

D'Paschoal

0800 770-5053

Goodyear

0800 725-7638

Michelin

21 3621-4711

Artefatos

Pirelli

0800 728-7638

Plant Rubber

16 3969-9777

Rodmais

16 3383-4200

Riberman

16 4009-5399

Titan

0800 723-2476

RLX

16 3101-1414

Trelleborg

11 2802-9266

Pneu

Câmara de ar Tortuga

0800 411-919

Poliuretano

Ponte rolante Bauma

15 3242-8080

Mausa

19 3124-3030

Terex

0800 031-0100

91


Guia de Compras Pré-aquecedor Citrotec

16 3303-9796

Pré-tratamento Biomassa

Andritz

41 2103-7611

www.andritz.com

Precipitador eletrostático AFC do Brasil

11 2152-7100

CBC

11 4431-3900

Clyde Bergemann

19 3811-8080

Prensa Fragmaq

11 4056-8057

LNF

54 2521-3124

Prensa enfardadeira Caldema

16 3946-2701

Produção de vapor Combio

11 3030-0040

Engecass

47 3520-2500

Mitre

16 3623-4021

Produto químico

92

Amonex

11 4789-8989

Aratrop

16 3690-1100

Base Química

16 2101-1200

Boraquímica

11 3838-4444

Buckman

19 3864-5000

Caltec

41 3603-8000

DND

16 3943-5283

DuPont

11 4166-8000

Engclarian

16 3946-9300

Fosbrasil

11 2187-0777

GE Water

11 2139-1000

Homy

16 3690-1000

Kemira

11 2189-4900


Opiniões Kurita

19 3827-8388

Lanxess

11 3741-2500

Miracema-Nuodex

19 3728-1000

Nalco

11 5644-6500

Produquímica

11 3016-9600

Rezenflex

19 3412-1144

RP3X Cientifica

16 3635-3485

Sabará

19 3455-8900

Serquímica

16 2105-8222

Solenis

11 3089-9225

SuperQuímica

51 2103-4200

Unipar Carbocloro

11 3704-4200

Produto químico Antibiótico Buckman

19 3864-5000

Coremal

11 4615-8142

DND

16 3943-5283

Phibro EPG

0800 722-8011

Química Real

31 3057-2000

Produto químico Anticorrosivo Armo

16 3797-8900

Bardahl

11 4898-8600

ITW Chemical

11 4785-2630

Nalco

11 5644-6500

Rust

11 3140-1500

WEG

47 3276-4000

Produto químico

Antiespumante e anti-incrustante

Produto químico Corante Rezenflex

19 3412-1144

Produto químico Descolorante DND

16 3943-5283

Produto químico

Desengraxante e desincrustante Armo

16 3797-8900

DND

16 3943-5283

Homy

16 3690-1000

ITW Chemical

11 4785-2630

Klüber Lubrication

11 4166-9000

Produto químico Dispersante Alcolina

16 3951-5080

Buckman

19 3864-5000

Coremal

11 4615-8142

DND

16 3943-5283

Produto químico Polímero Buckman

19 3864-5000

Coremal

11 4615-8142

DND

16 3943-5283

GE Water

11 2139-1000

Lanxess

11 3741-2500

Nalco

11 5644-6500

Skills

14 3652-5156

Solenis

11 3089-9225

Alcolina

16 3951-5080

Aratrop

16 3690-1100

Buckman

19 3864-5000

Coremal

11 4615-8142

Degani-Vaduz

11 2085-7777

DND

16 3943-5283

GE Water

11 2139-1000

Resina

Miracema-Nuodex

19 3728-1000

Armo

16 3797-8900

Nalco

11 5644-6500

Coremal

11 4615-8142

Quimatec

16 3311-1800

Nalco

11 5644-6500

Serquímica

16 2105-8222

Perfortex

19 3526-1100

Solenis

11 3089-9225

Solenis

11 3089-9225

Produto químico

93


Guia de Compras Guia de Compras Projeto industrial

Proteção contra incêndio

Alkaiós

16 3945-5499

Kit para combate

Asperbras

18 3654-7000

Alvenius

Brumazi

16 3946-8777

Catena

41 3336-1737

De Smet Empral

16 3209-1999

Empresas Icon

48 3431-1800

Engenovo

21 2223-0899

Engevix

11 2106-0100

Engsugar

14 3316-6260

Etec

34 3334-6400

EXAL

19 3411 2171

Intecnial

54 2107-8000

Markestrat

16 3456-5555

Mectrol

14 4009-0507

Metalúrgica Rio Grande

16 3173-8100

NG Metalurgica

19 3429-7272

NT Engenharia

16 99715-0670

Procknor

11 3898-1511

Reunion

11 4156-6688

19 4042-0732 Solid Designer

www.soliddesigner.com.br

Proteção contra incêndio Alvenius

Argus Engenharia

11 4613-6266

19 3826-6670

Bombas Andrade

17 3321-5811

CF Sistemas

16 3516-3800

Construtec

17 3343-1123

Gascom

16 2105-3622

Mepel

54 3337-3700

Proteção contra incêndio Corta chamas

94

19 3826-6670

www.argus-engenharia.com.br

Germek

19 3682-7070

Proteção contra incêndio Líquido gerador de espuma Alvenius

Argus Engenharia

11 4613-6266 19 3826-6670

www.argus-engenharia.com.br

Miracema-Nuodex

19 3728-1000

Proteção contra incêndio Máquinas e veículos

Argus Engenharia

19 3826-6670

www.argus-engenharia.com.br

Estradeiro

16 3995-9899

Sysmak

17 3011-7414

Proteção contra incêndio Monitoramento Alvenius

Argus Engenharia

11 4613-6266 19 3826-6670

www.argus-engenharia.com.br

www.argus-engenharia.com.br

Protego

Argus Engenharia

11 4613-6266

21 2112-5700

Contech

11 5035-0920

Pulverização Serviços Spraytech

19 3451-1360

Pulverizador FMCopling

16 3324-2223

Gascom

16 2105-3622


Opiniões Herbicat

17 3524-9797

Martineli Agrícola

16 2105-8000

Matabi

11 5524-1663

Mepel

54 3337-3700

Metalfor

42 3228-3100

Spraying

11 2124-9500

Tracan

16 3456-5400

Verion

11 2093-4956

Pulverizador Bico

Spraying

11 2124-9500

Pulverizador

Peças e acessórios Apoiotec

14 3262-2480

FMCopling

16 3324-2223

Herbicat

17 3524-9797

Matabi

11 5524-1663

Teejet

11 4612-0049

Pulverizador

Tanque de polietileno Apoiotec

14 3262-2480

FMCopling

16 3324-2223

LDA

19 3838-9595

Pulverizador costal Apoiotec

14 3262-2480

Herbicat

17 3524-9797

Jacto

14 3405-2100

Pulverizador estacionário Mini

Herbicat

17 3524-9797

Pulverizador mecanizado Apoiotec

14 3262-2480

Herbicat

17 3524-9797

Makita

0800 018-2680


Guia de Compras Purgador Neolíder

11 4393-6000

Radiocomunicação Avanzi

11 2101-4080

Bird - Motorola

16 3623-6893

11 5182-8800 StockTotal

www.stocktotal.com.br

Tecnord

19 3412-1890

Rastreamento Autotrac

61 3307-7000

OnixSat

43 3374-3822

Panorama

12 3204-4686

Tracker

11 3506-5700

Reator pressurizado Andritz

41 2103-7611

www.andritz.com

Redutor e motorredutor Acoplast

31 2566-5900

ADDN

16 3946-3826

Ajel Service

62 3295-3188

Bonfiglioli

11 4344 2323

Brevini

19 3446-8600

Geremia

54 2105-3211

Habasit

11 4789-9022

Jotafavi

16 3942-6619

Nord Drivesystems

11 2402-8855

Rexnord Brasil

51 3579-8080

Santasalo

15 3031-5300

0800 770-0496 SEW-EURODRIVE

www.sew-eurodrive.com.br

96


Opiniões Sumitomo

11 4403-9292

TGM

16 2105-2600

Torkflex

16 3211-2181

TransmiService

16 3946-4600

Weg-Cestari

16 3244-1000

Zanini Renk

16 3518-9000

Refratário Menphis Engenharia

19 3272-4420

Mercosul

16 2105-8987

Regulador de tensão Grameyer

47 3374-6300

Resfriador de açúcar Solex

11 3044-4961

Resíduo

Armazenagem Metagreen

19 3628-0362

Resíduo

Transporte Brumazi

16 3946-8777

Proamb

54 3055-8700

Stolthaven

13 3295-9000

Resíduo

Tratamento Servatis

11 3205-8955 Henkel

www.henkel.com.br

Hennings

47 3036-5555

RLX

16 3101-1414

Rust

11 3140-1500

Travi

0800 979-2550

Uniweld

11 4035-8877

Rolamento Abrascort

41 2169-9999

Cobra

16 3603-3333

Copabo

11 3741-6650

Durão

16 3993-9300

Irusa

11 3619-1000

JDF

19 2108-5013

Muchiutt

16 2111-8800

Nachi

11 3284-9844

NSK

11 2169-3595

Platinum

11 3665-4000

Rolimac

16 3979-7009

Schaeffler

15 3335-1500

SKF

11 4448-8200

SNR

41 3627-8000

Timken

11 5187-9200

Visão

11 2602-6533

Rolamento 24 3358-1000

Recuperação Intacta

11 3085-8003

Retentor Cobra

16 3603-3333

Durão

16 3993-9300

Zanini Renk

16 3518-9000

Revestimento

Rolo e cilindro CBC

11 4431-3900

Cofaco

19 3026-8888

Eaton

11 2465-8822

Hydac

11 4393-6600

Alvenius

11 4613-6266

Rezenflex

19 3412-1144

Armo

16 3797-8900

RLX

16 3101-1414

Chesterton

11 3382-4900

Sulcromo

51 2112-2600

97


Guia de Compras 11 4414-1515 Techmaster Equipamentos www.techmaster.ind.br

Tectrol - Dínamo

43 3305-2500

Sacaria de açúcar SR Embalagens

17 3321-2222

Secador BMA Brasil

11 3097-9328

www.bma-worldwide.com

Brumazi

16 3946-8777

GBA

16 3251-9900

Mausa

19 3124-3030

19 4042-0732 Solid Designer

www.soliddesigner.com.br

Secagem

de Resíduos

Andritz

41 2103-7611

www.andritz.com

Secagem Sistemas Brumazi

16 3946-8777

Planusi

16 3513-9900

Segurança patrimonial e Limpeza Gocil

11 2678-0600

Souza Lima

0800 774-0042

Seguro AD Corretora

98

11 3074-5000


Opiniões Allianz

11 3171-6811

Generali

0800 707-0211

Mapfre

0800 775-4545

Selante

Software Design

Agile Solutions

11 5501-6555

Autodesk

11 5501-2500

Software

Designer de sistemas 11 3205-8955

Comlink

16 2101-4000

Henkel

www.henkel.com.br

Software

ERP, gestão e processos

Selo mecânico

Agile Solutions

11 5501-6555

John Crane

11 3371-2500

BlueCielo

11 3587-1224

Vedacert

16 3947-4732

Creare

51 3094-9090

CS Compusoftware

18 3636-3800

GAtec

19 2106-0888

Grupo ERRP

16 3623-0998

Hexagon Agriculture

48 4009-2704

Procenge

81 4009-2877

SAP

0800 888-9988

Simova

12 3904-4343

Solinftec

18 3622-2270

Semente Nexsteppe

19 3324 5007

Syngenta

11 5643-3322

Semente Sorgo

CanaVialis

19 3512-4000

Toledo do Brasil

0800-554122

Ceres

19 3211-0800

Totvs

0800 709-8100

Fermentec

19 2105-6100

Verion

11 2093-4956

Nexsteppe

19 3324-5007

Software

Gestão agrícola

Sensor Meggitt Brasil

12 3911-9496

Mettler Toledo

11 4166-7400

Tecnord

19 3412-1890

Separador GEA Westfalia

19 3725-3100

Silo Demuth

51 3562-8484

Engecass

47 3520-2500

Slasher Caterpillar

11 2109-2000

Agile Solutions

11 5501-6555

AGRO

16 3514-1866

CHB Sistemas

16 3713-0200

Creare

51 3094-9090

CS Compusoftware

18 3636-3800

Enalta

16 3411-6060

GAtec

19 2106-0888

Hexagon Agriculture

48 4009-2704

TI Agro

11 4225-4091

Solda Aluga Asolda

11 4617-9696

Bambozzi

16 3383-3801

Eutectic

16 3521-2350

99


Guia de Compras Martineli Agrícola

16 2105-8000

Serflex

16 2105-0404

11 3883-8800 SGS Brasil

www.sgsgroup.com.br

Uniweld

Voestalpine Böhler Welding

11 4035-8877

11 5694-8377

www.voestalpine.com/welding

Solda

Consumíveis Comaso

16 3513-5230

Serflex

16 2105-0404

Uniweld

11 4035-8877

Voestalpine Böhler Welding

11 5694-8377

www.voestalpine.com/welding

Sonda oblíqua Motocana

19 3412-1234

Soprador de fuligem Clyde Bergemann

19 3811-8080

Herom

16 2105-7200

Promoen

16 3513-2900

Tanque Andritz

41 2103-7611

www.andritz.com

100

Dedini

19 3403-3222

Fimaco

47 3525-1000

GBA

16 3251-9900

LDA

19 3838-9595

Mega Flux

11 5575-4160

Metalfor

42 3228-3100

Sage Oil Vac Brasil

11 2631-6343

Unifibra

16 3663-8002


Opiniões Tela

CQI

16 3324-2874

Tecniplas

11 4528-0090

Vettor

11 4409-0310

Açofiltro

15 3225-3005

Elof Hansson

11 3101-5257

Equilíbrio

16 3946-2433

Expametal

16 3797-5100

Transbordo

Intertelas

19 3421-8975

Metso

15 2102-1700

Antoniosi

16 3384-8000

Permetal

11 2823-9200

Civemasa

16 3382-8222

Prominas

16 3375-9119

Motocana

19 3412-1234

Solpack

19 3493-9900

Teston

44 3351-3500

SPGPrints

19 3437-1300

Terminal hidráulico Comanbor

16 2133-5500

Tinta industrial Menphis

19 3272-4420

Perfortex

19 3526-1100

Sherwin Williams - Sumaré

19 2122-8802

Transformador ABB

0800 014-9111

Adelco

11 4199-7500

Ajel Service

62 3295-3188

Romagnole

44 3233-8500

Soltran

11 2813-6222

Transmissor de vazão Hydac

11 4393-6600

Smar

16 3946-3599

Toalete portátil Ativa

0800 183-161

Ecotec

0800 774-7500

PolyJohn

14 3814-3914

Torno Romi

19 3455-9000

Transportador Brumazi

16 3946-8777

Demuth

51 3562-8484

HMBL

19 3444-7763

Link Steel

19 3493-9600

Moreno

16 3946-5000

Torre de destilação

11 4414-1515

Peças e serviços Clark Solutions

11 3472-3333

JW

16 3513-2000

Metalúrgica Rio Grande

16 3173-8100

TKS

16 3942-2022

Torre de resfriamento Alfaterm

Alpina

www.alpinaequipamentos.com.br

11 4156-8930 11 4397-9133

Techmaster Equipamentos www.techmaster.ind.br

Tecnometal

31 2122-2724

TMSA

51 2131-3333

Transportador Componentes General Chains

19 3417-2800

Imepel

48 3433-4211

Prolink

19 3423-4000

TMSA

51 2131-3333

101


Guia de Compras Transportador

de Caneca e de correia E.M.G.

41 3641-7200

Link Steel

19 3493-9600

Martin Sprocket

19 3877-9400

TMSA

51 2131-3333

Zanella

41 2111-2300

Transportador de Correntes E.M.G.

41 3641-7200

Link Steel

19 3493-9600

Martin Sprocket

19 3877-9400

TMSA

51 2131-3333

Transportador Pneumático Astral

41 3346-2200

Dynamic Air

11 4597-8000

Ventiladores Bernauer

11 2666-3909

Transportador Ressonância MVL Vibradores

11 4606-4114

Tratamento

de Água e efluentes

102

Acqua

11 3628-1982

Alcolina

16 3951-5080

Base Química

16 2101-1200

Buckman

19 3864-5000

Degani-Vaduz

11 2085-7777

Engenovo

21 2223-0899

EP

11 2463-7700

GE Water

11 2139-1000

Grundfos

11 4393-5533

Kemira

11 2189-4900

Krieger

47 3231-1311

Kurita

19 3827-8388

Mann+Hummel

11 3378-7500

Nalco

11 5644-6500

Outotec

31 3228-0700


Opiniões Paques

19 3429-0600

Nalco

11 5644-6500

Perenne

11 3022-6989

Produquímica

11 3016-9600

Samaritá

19 3827-9100

Serquímica

16 2105-8222

Servatis

24 3358-1000

Suez Environnement

11 2166-3600

Suez Environnement

11 2166-3600

Tera

11 3963-6500

Vibropac

11 2108-5600

Wasserlink

11 5581-0076

Tratamento

de Água e efluentes - Produtos Acquaquímica

51 3205-2233

Base Química

16 2101-1200

GE Water

11 2139-1000

Kurita

19 3827-8388

Nalco

11 5644-6500

Quimatec

16 3311-1800

Sabará

19 3455-8900

Veolia

11 3888-8800

Tratamento biológico

Tratamento térmico SoldaDura

16 3524-4801

Thermix

19 3881-5040

Trator Budny

48 3432-0096

Caterpillar

11 2109-2000

0800 891-4031 John Deere

www.johndeere.com.br

LS Mtron

47 3085-8101

Mahindra

11 3060-5700

Metalfor

42 3228-3100

New Holland

Farroupilha

34 3822-9907

Tracan

16 3456-5400

Mizumo

14 3405-3000

Valtra

11 4795-2000

Trator

Tratamento

de Esteira

Equipamentos GE Water

11 2139-1000

BMC - Hyundai

11 3036-4000

KSB

11 4596-8500

ITR

11 3340-7555

Kurita

19 3827-8388

Maktractor

62 3596-2624

Metalúrgica Rio Grande

16 3173-8100

Sotreq

0800 084-8585

Outotec

31 3228-0700

Pert Brasil

41 3319-0827

ProMinent

11 4176-0722

Tratamento

Trator

Peças e serviços AGS

16 3952-1683

ITR

11 3340-7555

Produtos

Acquaquímica

51 3205-2233

Coremal

11 4615-8142

DND

16 3943-5283

Estrela das Águas

18 3301-2105

Hoffman & Lamson

19 3765-8000

Lopes Material Rodante

16 3628-6622

Kurita

19 3827-8388

Marini

54 3316-4100

0800 891-4031 John Deere

www.johndeere.com.br

103


Guia de Compras Panegossi

16 3383-2000

Tracan

16 3456-5400

Trocador de calor Agapito

16 3946-2130

Alfa Laval

11 5188-6000

Ártica

19 3878-4800

Barriquand

16 99112-3263

Caldema

16 3946-2701

CBC

11 4431-3900

Evacon

11 4059-0059

GEA Westfalia

19 3725-3100

Hydac

11 4393-6600

ICP Latin América

11 4496-4320

JDF

19 2108-5013

SPX Flow

11 2127-8278

Tetralon

11 4081-7000

Torfer

11 5058-6118

Tranter

11 4617-6550

Tubal

11 4606-8800

Tubo e conexão

104

Aços Motta

11 3385-8778

Açotubo

11 2413-2000

Alvenius

11 4613-6266

Aperam

11 3818-1700

Atlas Copco

11 3478-8883

Brasil Cana e Água

81 3114-4000

Carbinox

11 4795-9000

Comega

16 3969-9660

Complastec

34 3232-3212

Coneman

16 3456-3111

Contuflex

11 3070-0300

Dinatécnica

11 4785-2230

Dover

51 3590-7100

Edra

19 3576-9300

Elinox

11 2065-1400

Embras

11 2461-6161

Fluxo Control

11 2436-3888

Franpar

16 2133-4383

Golin

11 2147-6500

Grupo Usiminas

11 2133-1089


Opiniões Inox Consult

11 2301-1909

InoxPira

19 3432-9838

Intersteel

11 2067-3536

Irrigabrás

11 2842-6464

J.Y.

15 3238-2610

Jatinox

11 2060-0405

Metalfit

11 2183-8000

Neolíder

11 4393-6000

Omega

16 2138-4500

Petrofisa

41 3626 8800

Protubo

21 3461-4700

Senior

11 4136-4514

SR Tubos

16 3946-4770

Suprir

16 2102-6500

TCA

11 2065-6565

Tecniplas

11 4528-0090

Termomecânica

11 4366-9777

Tigre

47 3441-5000

Tubexpress

11 3488-5655

Tubos Ipiranga

11 4391-6000

Tubos Oliveira

11 3186-8000

Tubos Verola

16 3456-0404

Tuper

47 3631-5000

Unifibra

16 3663-8002

Vetro

16 3343-1556

Voestalpine Meincol

54 3220-9000

Turbina

Umidade

Instrumentos Contech

11 5035-0920

Marrari

41 3332-9393

Usinagem

e Retífica de precisão Estradeiro

16 3995-9899

Fundição Água Vermelha

16 3513-2300

Jotafavi

16 3942-6619

TransmiService

16 3946-4600

Ushidrau

19 3414-3366

ZBN

18 2102-9000

Válvula Aços Motta

11 3385-8778

AFC do Brasil

11 2152-7100

Alfa Laval

11 5188-6000

Alvenius

11 4613-6266

Argus Engenharia

19 3826-6670

www.argus-engenharia.com.br

Ascoval

11 4208-1700

Bermad

19 3573-8888

Brasil Cana e Água

81 3114-4000

Bray Controls

19 3517-6161

Circor

19 3124-3124

Contech

11 5035-0920 11 2135-5400

Engecass

47 3520-2500

Danfoss

Gevisa

19 2102-8811

Dover

51 3590-7100

Metalfor

42 3228-3100

Durcon

11 4447-7600

NG Metalurgica

19 3429-7272

Eaton

11 2465-8822

Siemens

0800 119-484

Elof Hansson

11 3101-5257

Texas

82 2121-2000

Embras

11 2461-6161

TGM

16 2105-2600

Empresas Icon

48 3431-1800

Turbimaq

19 3437-5700

Engeval

19 3543-8854

Wórtice

16 3285-1223

EXAL

19 3411-2171

Fluxo Control

11 2436-3888

Fopil

19 3709-9277

Foxwall

11 4612-8202

Turbogerador ABB

0800 014-9111

Franpar

16 2133-4383

Texas

82 2121-2000

Herbicat

17 3524-9797

105


Guia de Compras Guia de Compras Opiniões Herom

16 2105-7200

Hidro-Ambiental

19 3572-9999

Hydac

11 4393-6600

Hyva

54 3209-3400

Interativa

15 3235-9500

Iope

11 3959-3959

J.Y.

15 3238-2610

KSB

11 4596-8500

Leser

21 3195-5350

Mavi

11 3577-6200

Metso

15 2102-1700

Moreno

16 3946-5000

Neolíder

11 4393-6000

Nicsa

11 5525-4122

Parker

12 4009-3500

Planusi

16 3513-9900

Promoen

16 3513-2900

Protego

21 2112-5700

RTS

11 2423-7322

SMV

19 2105-1266

SPX Flow

11 2127-8278

Stauff

11 4772-7200

Suprir

16 2102-6500

Tecnord

19 3412-1890

Tectrol - Dínamo

43 3305-2500

TJA

16 3953-9696

TMSA

51 2131-3333

Unival

11 2858-9000

Valeq

21 3101-1224

Vallair

11 2696-3411

Valmec

11 3186-5700

Valvugás

11 3604-8833

Verion

11 2093-4956

W.Burger

11 5525-4355

Zanardo

18 3117-1195

41 2103-7611

www.andritz.com

Caldema

16 3946-2701

CBC

11 4431-3900

Evacon

11 4059-0059

106

Bürger

19 2114-7200

CBV

11 4418-8080

Chesterton

11 3382-4900

Cobra

16 3603-3333

Hennings

47 3036-5555

Hidramave

41 3051-9900

Luciane

11 4414-1700

Parker

12 4009-3500

Parkits

16 3969-4092

Real

19 3444-6737

Rezenflex

19 3412-1144

Sotequi

11 3831-9858

Travi

0800 979-2550

Unimil

19 2105-0800

VedaRib

16 3329-7146

Ventilação e exaustão AFC do Brasil

11 2152-7100

Alfaterm

11 4156-8930

Astral

41 3346-2200

Equilíbrio

16 3946-2433

Euroair

54 3227-2753

Krieger

47 3231-1311

Roster

54 3332-4885

Tecnovento

11 4497-0671

VEC

11 4523-0787

Ventec

19 3801-8800

Ventiladores Bernauer

11 2666-3909

Vinhaça

Concentração Alpina

11 4397-9133

www.alpinaequipamentos.com.br

Vaso de pressão Andritz

Vedação

Citrotec

16 3303-9796

Dedini

19 3403-3222

JW

16 3513-2000

Valmet

41 3341-4444


0800 7700496 | sew-eurodrive.com.br

A SEW-EURODRIVE investe de forma constante no desenvolvimento de soluções que otimizam o setor sucroalcooleiro. Foi assim que ela se tornou a líder mundial em acionamentos. São 80 anos de tecnologia e inovação, presentes nas 15 fábricas e nos 77 centros de tecnologia, distribuídos Nova unidade SEW-EURODRIVE BRASIL Indaiatuba/SP

por 49 países, movimentando mais de 15 mil colaboradores em todo o mundo. Agora, a história da SEW-EURODRIVE BRASIL dá um salto tecnológico com a nova unidade em Indaiatuba/SP, uma das mais modernas do grupo. São 300 mil metros quadrados de terreno, espaço ideal para

´ A INDUSTRIA SUCROALCOOLEIRA ~ E´ MOVIDA A SOLUCOES ´ INOVADORAS.

gerar maior capacidade tecnológica e produtiva, com uma planta que tem como filosofia a sustentabilidade e o máximo aproveitamento dos recursos empregados. Na nova unidade, estão em operação os mais avançados processos, máquinas e equipamentos para fabricação e montagem nacional de acionamentos industriais, que atendem o mercado mundial. Para isso, os departamentos de desenvolvimento de produtos e serviços trabalham em absoluta sintonia com as demandas reais dos mercados. Tudo isso para acompanhar sua empresa no seu principal movimento: o da EXPANSÃO.

REDUTORES DE ALTO TORQUE - SÉRIE XP® Produção e montagem inteiramente nacional dos componentes, melhor aproveitamento da energia gerada, prazos de entrega reduzidos e disponibilidade imediata de peças de reposição e serviços – faixa de torque de 10 a 3.000 kNm.


Profile for Revista Opiniões

Anuário de Sustentabilidade e Guia de Compras - 2015 - AsAA15  

Esta é a edição de lançamento do Anuário de Sustentabilidade do sistema sucroenergético e do Guia de Compras das empresas fornecedoras. No p...

Anuário de Sustentabilidade e Guia de Compras - 2015 - AsAA15  

Esta é a edição de lançamento do Anuário de Sustentabilidade do sistema sucroenergético e do Guia de Compras das empresas fornecedoras. No p...

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded