Page 1

Ano 29 | Nº 1493| De 6 a 12 de janeiro de 2021| Diretor: João Fernandes | Gratuito | www.opiniaopublica.pt

pub

pub

Tinha 22 anos e era natural de Joane

Jovem morre atropelado quando prestava auxílio a acidente na A3 p. 3

Nos centros de saúde já foram vacinados 96 profissionais

Investimento

VACINA CHEGA AOS LARES DE FAMALICÃO NA PRÓXIMA SEMANA A vacinação contra a Covid 19 nos lares de Famalicão deve avançar diminuição no número de novos casos, arrancou também a vacinação na próxima semana e vai dar prioridade às instituições onde nunca dos profissionais dos centros de saúde. São 96 no total, entre médiexistiram surtos. Numa altura em que o concelho volta a registar uma cos, enfermeiros e auxiliares. p. 3

Vai nascer um novo hotel junto ao Estádio Municipal p. 4

Castelões Junta dá subsídio de 250 euros a cada bebé da freguesia p. 7

Homem que matou a mulher em Fradelos condenado a 20 anos de prisão Futebol Feminino conquista 1º lugar da Série Norte só com vitórias

FC Famalicão perde em Tondela e complica classificação

Arquivo

p. 4

Av. 9 Julho Jorge Paulo Oliveira diz que Governo falhou promessa p. 7

Câmara já colocou iluminação LED em 20 recintos desportivos pub


02

CIDADE

opiniãopública: 6 de janeiro de 2021

Paulo Cunha deixa mensagem de esperança para 2021

O presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, dirigiu aos famalicenses uma mensagem de Ano Novo nas redes sociais, na qual não esqueceu os efeitos provocados pela pandemia, no ano que terminou, mas onde também procurou deixar uma mensagem de esperança e alento para 2021. “Talvez nunca tivéssemos desejado tanto, como desta vez, que o ano anterior terminasse e que um novo ano começasse, sob o signo da esperança, com o propósito de que se ultrapasse circunstâncias que vivemos que não desejamos”, começou por dizer o edil. Desse modo, Paulo Cunha disse esperar que cada famalicense tenha um ano fantástico, um ano que merece”. “Somos uma comunidade que se dedica ás suas causas, que se compromete com o seu futuro”, referiu ainda o autarca, assegurando que é esse o seu propósito: “ajudar cada um e cada uma a construir o seu futuro”.

Cineclube exibe “O Ninho” na Casa das Artes

A primeira decorre a 30 de janeiro e é sobre empreendedorismo criativo

Casa da Juventude arranca 2021 com novas formações A Casa da Juventude de Famalicão vai promover um novo ciclo formativo com o objetivo de ajudar os jovens do concelho na procura de novas oportunidades de emprego e na gestão das suas carreiras profissionais. A sessão de arranque da iniciativa, promovida no âmbito do programa “Viveiro de Ideias Gerador”, decorre já este mês. O primeiro workshop está agendado para o dia 30 de janeiro, entre as 9h00 e as 13h00, é dedicado ao tema “Empreendedorismo criativo para jovens” e é dinamizado pela Academia das Emoções. Nesta primeira sessão serão abordados novos caminhos de mudança para o empreendedorismo, de forma a estimular o jovem empreendedor a assumir mudanças necessárias à concretização dos seus planos de ação, bem como a introdução ao intraempreendedorismo e inter-empreendedorismo, a carta da vida relacional do empreendedor, a criatividade do empreendedor e os seus “seis novos sentidos”. A inscrição na ação é obrigatória e poderá ser submetida entre os dias 18 e 28 de janeiro no Portal da Juventude, em www.juventudefamalicao.org. Refira-se ainda que este pri-

meiro ciclo formativo do “Viveiro de Ideias Gerador” vai decorrer até junho, com um total de seis ações de formação, workshops, oficinas e encontros onde serão abordadas temáticas como o empreendedorismo, a comunicação corporal e o marketing intra e interpessoal. “O mundo do trabalho está cada vez mais exigente e a aquisição de competências técnicas

já não é suficiente para garantir um lugar de relevo no mercado de trabalho e as organizações e empresas começam a procurar, cada vez mais, profissionais que apresentem atitudes, comportamentos e competências transversais que os distingam uns dos outros, as denominadas softskills”, pode ler-se no texto de apresentação desta ação de capacitação.

Arcipreste de Famalicão apela à união e à capacidade de sonhar

O Cineclube de Joane abre a sua programação semanal de cinema de 2021, esta quinta-feira, dia 7, com a exibição do filme “O Ninho”, um "thriller" psicológico escrito, produzido e realizado por Sean Durkin. A ação passa-se no ano de 1984. Depois de muito tempo a viver nos EUA, Rory O'Hara (Jude Law) regressa à sua Inglaterra natal com Allison (Carrie Coon), a mulher, e os dois filhos de ambos. A ideia é aproveitar a conjuntura económica favorável. Apesar da beleza da mansão que se tornou a sua casa e de toda a elegância que os rodeia, a mudança faz Allison sentir-se desamparada e só. Isso vai dar origem a um distanciamento entre eles, abrindo fissuras na relação, e criar um clima de hostilidade crescente entre todos os elementos da família. A sessão começa às 19 horas, no pequeno auditório da Casa das Artes de Famalicão.

FICHA TÉCNICA

CONSELHO EDITORIAL: Alexandrino Cosme, António Cândido Oliveira, António Jorge Pinto Couto, Artur Sá da Costa, Cristina Azevedo, Feliz Manuel Pereira, João Fernandes, Manuel Afonso e Almeida Pinto. ESTATUTO EDITORIAL: disponível em www.opiniaopublica.pt

DIRETOR: João Fernandes (CIEJ TE-95) jfernandes@opiniaopublica.pt

CHEFE DE REDACÇÃO: Cristina Azevedo (CPJ 5611) cristina@opiniaopublica.pt

REDACÇÃO: informacao@opiniaopublica.pt Carla Alexandra Soares (CICR-248), Cristina Azevedo (CPJ 5611).

DESPORTO: José Clemente (CNID 297) e Paulo Couto.

O arcipreste de Famalicão, padre Francisco Carreira, dirigiu-se, no início deste ano, aos fiéis com uma mensagem de esperança e apelo à união global para a superação desta fase tão inesperada na humanidade. “Não tenhamos medo do inesperado nem do incerto. Estes sempre nos acompanharão! Se formos juntos, as pedras do caminho serão alicerce da cidade que vamos construir”, começa por dizer o sacerdote, na mensagem de Ano Novo, que fez chegar à imprensa. Para o arcipreste, um novo ano é sinónimo de “uma nova esperança… a possibilidade de novos sonhos”, considerando que “ninguém nos pode tirar a ousadia de caminhar com os nossos sonhos, de sonhar grande, de sonharmos juntos”. Quanto ao ano que passou., o padre Carreira entende que “não deixou só a tristeza de uma pandemia que mata e que nos obriga ao distanciamento uns dos outros”. “Não podemos esquecer que diante deste mal maior, não faltou a omnipotência do bem, a resiliência de muitos face às dificuldades, a generosidade e a alegria de tantos em partilhar o pouco que se tem, o altruísmo e a solicitude para com os mais necessitados e a criatividade de tantas pessoas”, acrescenta, para concluir que “o sonho

GRAFISMO: Carla Alexandra Soares

OPINIÃO: Adelino Mota, Barbosa da Silva, Domingos Peixoto, Mário Teixeira, José Luís Araújo, Sílvio Sousa, Vítor Pereira.

GERÊNCIA: João Fernandes

CAPITAL SOCIAL: 350.000,00 Euros.

DETENTORES DE MAIS DE 5% DO CAPITAL

António Jorge Pinto Couto João Fernado da Silva Fernandes Voz On, Lda.

TÉCNICOS DE VENDAS: comercial@opiniaopublica.pt Maria Fernanda Costa e Sónia Alexandra

PROPRIEDADE E EDITOR: EDITAVE Multimédia, Lda. NIPC 502 575 387

de que tudo pode ser diferente quando não somos indiferentes, tornou-se realidade”. Por isso, e pegando nas palavras do papa Francisco – “Esse é o momento para sonhar grande” –, o arcipreste famalicense deixa um apelo Se temos a coragem de sonhar em grande, teremos também a coragem de mudar”.

SEDE, REDACÇÃO E PUBLICIDADE: Rua 8 de Dezembro, 214 Antas S. Tiago - 4760-016 VN de Famalicão

IMPRESSÃO: Celta de Artes Gráficas, S.L. Gárcia Barbón, 87 Bajo - Vigo

INTERNET - www.opiniaopublica.pt

DISTRIBUIÇÃO: Editave Multimédia, Lda.

Serviços Administrativos: Tel.: 252 308146 / 252 308147 • Fax: 252 308149

NÚMERO DE REGISTO: 115673 DEPÓSITO LEGAL: 48925/91

CONTACTOS Redacção: Tel.: 252 308145 • Fax: 252 30814

TIRAGEM DESTE NÚMERO: 20.000 exemplares, nº 1493


opiniãopública: 6 de janeiro de 2021

CIDADE

03

Nos centros de saúde, a vacinação dos profissionais arrancou na semana passada

Famalicão começa a vacinar utentes e funcionários dos lares na próxima semana Cristina Azevedo A vacinação contra a Covid 19 nos lares de Famalicão deve avançar na próxima semana. A informação foi adiantada ao OPINIÃO PUBLICA pelo diretor do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) de Famalicão, Ivo Sá Machado. O processo de vacinação nos lares da região Norte já arrancou esta terça-feira, mas apesar de Famalicão estar entre os concelhos com maior número de casos, foram, nesta primeira fase, privilegiados os concelhos onde os lares estavam mais distantes das unidades de saúde, ou seja, “os concelhos do interior do país”, diz Sá Machado. O responsável espera que na próxima semana as vacinas cheguem aos concelhos do litoral e que o processo de vacinação se possa iniciar nas 26 instituições do concelho de Famalicão que acolhem idosos. O diretor do ACES Famalicão diz que já foi feita uma estimativa de quantos utentes e funcionários dos lares serão vacinados, mas não quis avançar números “porque tudo dependerá da situação na altura”. É que nos lares onde existem surtos ativos a vacina não será administrada, dando-se primazia às instituições onde nunca existiram surtos. “Esses serão

O médico Rui Sá foi o primeiro profissional do ACES a receber a vacina

os primeiros a ser vacinados”, refere Ivo Sá Machado adiantando que existem ainda “os lares que já tiveram surtos e que agora não têm, sendo que, desses, só vão ser vacinados os utentes e profissionais que testaram negativo. Os que testaram positivo, ou seja, que já tiveram a doença ficarão para uma terceira fase”.

Homem detido por desrespeitar recolher obrigatório A PSP deteve, no passado domingo, um homem em Famalicão por violar o dever de recolhimento obrigatório e a proibição de circular na via pública. Tudo aconteceu pelas 18h45, num posto de abastecimento de combustíveis, com o homem, de 55 anos, a manifestar resistência em ir para casa, acabando por ser detido pelos agentes. Em comunicado, a PSP explica que recebeu uma chamada telefónica a dar conta de que se encontrava um cidadão a causar distúrbios junto a um posto de abastecimento de combustível, na cidade de Famalicão. “Quando os agentes chegaram ao local, foram informados pela funcionária do estabelecimento que o suspeito queria que lhe fosse servido um café, tendo-lhe sido recusado por impossibilidade referente às normas estabelecidas no âmbito do estado de emergência, tendo de seguida tido uma atitude agressiva”, relata o mesmo comunicado. Questionado sobre a sua permanência na via pública, o homem referiu que “estava ali porque queria estar e que não saía”. Os agentes informaram o indivíduo que se encontrava a faltar à obediência relativa ao dever de proibição de circulação na via pública e que se não regressasse à sua residência incorreria num crime de desobediência. Mesmo com estas recomendações, a PSP conta que o homem não acatou a ordem dos elementos policiais, pelo que foi detido e notificado para comparecer no Tribunal de Famalicão.

profissionais que trabalham nos centros de saúde do ACES Famalicão. O médico de medicina geral e familiar, Rui Sá, foi o primeiro a receber a vacina encarada como “a grande esperança 96 profissionais dos centros para 2021”. de saúde vacinados Nesta primeira fase serão 96 Entretanto, a semana pas- os profissionais a ser vacinados, sada começou também a vacina- de um total de 350, todos eles ção contra a Covid 19 dos considerados de primeira linha Essa ação de vacinação será levada a cabo pelas Unidades de Cuidados na Comunidade (UCC D. Maria II e UCC Terras de Camilo).

no âmbito da resposta à pandemia e que integra assistentes operacionais, enfermeiros e médicos. Segundo Sá Machado, a inoculação da vacina tem decorrido “com normalidade, sem qualquer episódio anormal”. Aliás, o diretor do ACES Famalicão diz que a implementação deste processo “não foi nada difícil” porque “há todo um know-how já instalado, fruto da nossa rede do Plano Nacional de Vacinação, que é um dos cinco melhores do mundo, e que foi só aplicar para esta situação”. “Os centros de saúde têm toda uma prática e experimentação de longos anos, que permite uma operacionalização rápida e eficaz. E só não está a ser mais porque a quantia de vacinas que nos foi fornecida pela Pfizer é ainda diminuta”, acrescenta o responsável. De resto, Sá Machado acredita que, neste primeiro trimestre, serão ainda vacinados os utentes identificados com patologia grave, como os diabéticos, os hipertensos ou pessoas com insuficiência cardíaca e respiratória, além de outros que possam ser considerados de risco, adiantando que “as equipas já estiveram a fazer uma primeira avaliação de quais são os utentes que estarão em condições de ser vacinados nessa fase”.

Novos casos de Covid 19 voltam a descer em Famalicão O concelho de Famalicão registou, pela quinta semana consecutiva, uma descida de novos casos de infeção por Covid 19. Segundo boletim de segundafeira da DGS, o concelho registou uma incidência acumulativa a 14 dias (de 14 a 27 de dezembro) de 649 casos por 100 mil habitantes. São menos 248 casos face ao registo da semana passada, quando Famalicão registava 897 casos por 10m mil habitantes. Apesar desta descida, o concelho ainda permanece no grupo de concelhos com “risco muito elevado”. Questionado pelo OPINIÃO PÚBLICA sobre esta diminuição dos casos, o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, referiu que “é sempre uma boa notícia quando dos colocam no grupo daqueles que já saíram do grau mais alto na contingên-

cia que vivemos”, mas alerta que o concelho “ainda está num grau de grande preocupação”. Paulo Cunha entende ainda que esta descida das infeções é consequência de “muitas medi-

das que têm sido implementadas, restritivas para direitos, liberdade se garantias, mas que têm um efeito útil e positivo na comunidade”. O autarca espera agora que estes resultados se mantenham.


04

CIDADE

opiniãopública: 6 de janeiro de 2021

Em causa estão as obras não realizadas na Avenida 9 de Julho

Jorge Paulo Oliveira acusa Governo de falhar promessa O deputado famalicense à Assembleia da República, Jorge Paulo Oliveira, veio esta semana acusar o Governo de faltar à promessa que fez para a Avenida 9 de Julho. Diz o deputado que foi apontada a conclusão das obras até ao final de 2020, mas estas não chegaram a avançar e, por isso, pede explicações. Jorge Paulo Oliveira recorda que, em resposta a uma anterior interpelação, datada de fevereiro de 2020, o ministro das Infraestruturas e Habitação garantia que a Infraestruturas de Portugal(IP) tinha prevista uma intervenção na conservação do pavimento e nos equipamentos de sinalização e segurança da Avenida 9 de Julho, que liga as Rotundas do Marco e de Santo António, “obra esta que deverá estar concluída no final do 2º semestre do corrente ano”, pode ler-se na missiva daquele membro do Governo. Assim não aconteceu. “O ano de 2020 chegou ao seu término e a dita obra de intervenção na conservação do pavimento e nos equipamentos de sinalização e segurança tão pouco teve seu início” assinala Jorge Paulo Oliveira, para quem “a garantia oferecida pelo Senhor Ministro das Infraestruturas e Habitação não passou, à data, de uma boa noticia”. “Se há dez meses, o estado desta via

Assim, Jorge Paulo Oliveira quer saber que a IP desistiu de levar a efeito a intervenção e, admitindo que a resposta seja negativa, quer que o Governo justifique o não avanço da obra. E pergunta ao ministro das Infraestruturas se não houve “disponibilidade financeira para esta intervenção ou se esta disponibilidade foi desviada para outra ou outras intervenções”. O deputado do PSD quer ainda saber quando pensa a IP intervencionar a Avenida 9 de Julho, cujo “piso está muito degradado, tem vários buracos ao longo da sua extensão, as marcações no piso estão a desaparecer, a iluminação pública está inativa em partes da via, as passadeiras não são percetíveis, sobretudo à noite, e a sinalização rodoviária vertical está deteriorada”. Aproveita ainda para lembrar o Governo que esta avenida, inserida na Nacional 204, regista “uma elevada sinistralidade, com inúmeras colisões de viaturas, atropelamentos de peões e abalroamento de ciclistas, dos quais resultaram perda de vidas humanas e vários O deputado famalicense aponta, mais uma vez, a degradação da via feridos graves”, algo que se mantém “há era lastimável, a situação hoje é obvia- messa não cumprida por parte do Go- vários anos, mesmo perante o clamor das mente pior desconhecendo as populações, verno”, continua o social democrata na in- populações e dos sucessivos alertas e soem absoluto, a razão ou razões que pos- terpelação escrita dirigida ao ministro licitações de intervenção por parte dos autarcas”. sam justificar, objetivamente, uma pro- Pedro Nuno Santos.

Obra arrancou a semana passada

Eleições Presidenciais

Famalicão vai ter novo hotel junto ao estádio Municipal Foi lançada, a semana passada, a primeira pedra de um novo empreendimento hoteleiro da cidade de Famalicão. Trata-se ddo B&B Hotel Famalicão, uma obra da cadeia hoteleira francesa B&B Hotels, que elegeu a construtora Garcia Garcia para a execução do projeto. O novo hotel, de três estrelas, que vai ser construído junto ao Estádio Municipal, vai ter oito pisos, 98 quartos e tem conclusão prevista para o primeiro semestre de 2021. A cerimónia de lançamento da primeira pedra, que assinalou o início dos trabalhos, contou com a presença dos responsáveis da cadeia hoteleira B&B, da Garcia Garcia e do presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, que não escondeu a satisfação pela aposta da cadeia hoteleira francesa no concelho. “Famalicão precisa de mais respostas como esta para que possa ser um concelho capacitado também ao nível da hotelaria”, referiu Paulo

Momento do lançamento da primeira pedra

Maquete do novo hotel

Cunha, que se fez acompanhar pelo vereador da Economia e Turismo, Augusto Lima. Já o representante da cadeia hoteleira em Portugal, Torcato Faria, agradeceu a confiança demonstrada pela Câmara Municipal e espera que este novo investimento venha ajudar a alavancar ainda mais o concelho. A B&B Hotels é uma cadeia de hotéis que nasceu em França em 1990 e conta com cerca de 600 hotéis repartidos por países como Portugal, França, Alemanha, Itália, Espanha, Bélgica, Suíça, Áustria, Eslovénia, Polónia e Brasil. Presente em Portugal desde 2018, o grupo hoteleiro conta com quatro hotéis em funcionamento em Lisboa, Braga, Felgueiras e Cantanhede.

Paulo Cunha declara apoio a Marcelo Rebelo de Sousa A cerca de duas semanas das eleições presidenciais, o presidente da Comissão Política Concelhia do PSD de Famalicão, Paulo Cunha, decidiu escrever uma carta aberta aos famalicenses com o principal objetivo de incentivar ao voto lembrando que “votar é um dever cívico”. “São as pessoas que têm o poder de escolher os seus representantes para os órgãos de soberania e qualquer demissão desta responsabilidade enfraquece a nossa saúde democrática. Por isso, no dia 24, não podemos faltar” começa por referir o responsável. Paulo Cunha que é também presidente da distrital do PSD de Braga aproveita a missiva para apelar à consciência dos famalicenses, salientando que “numa altura em que se adensam posturas extremistas à boleia de populismos sonantes, mas ocos e perigosos, é importante uma reflexão sobre os va-

lores que nos moldaram como uma sociedade coesa, solidária e democrata.” O responsável político salienta ainda os valores da Social Democracia que “o Partido Social Democrata defende desde a sua instituição” e aponta Marcelo Rebelo de Sousa como “um dos seus mais ilustres precursores”. “Nos últimos cinco anos, com Marcelo Rebelo de Sousa, tivemos o bom exemplo de uma Presidência exercida com equilíbrio, com compromisso, com proximidade, com tolerância e sensibilidade. Estas são marcas fortes do Professor Marcelo Rebelo de Sousa que engradeceram Portugal e os portugueses. São estas também as marcas do PSD”, afirma. A carta aberta que começará a ser distribuída ao longo dos próximos dias tem ainda informação sobre o recenseamento eleitoral.


opiniãopública: 6 de janeiro de 2021

Secretário de Estado da Mobilidade visitou o Hospital de Famalicão

“Adesão dos profissionais de saúde à vacina é um bom exemplo”

Momento da visita à sala de vacinação do hospital

O secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro, visitou, na quartafeira da semana passada, o Hospital de Famalicão e manifestou-se satisfeito pela grande adesão dos profissionais de saúde à vacinação contra a Covid 19. O governante, que é também o coordenador da região Norte para a Covid 19, considera que aqueles profissionais estão a dar um bom sinal à comunidade. “É natural que tenhamos dúvidas sobre tudo o que é novo, mas é determinante que as pessoas sejam

vacinadas para que possamos cuidar, não só de nós próprios como dos outros, e com esta adesão à vacina os profissionais de saúde dão um sinal muito importante à população”, afirmou. Eduardo Pinheiro quis ver in loco como estava a decorrer primeira fase de vacinação no Hospital, tendo visitado a sala onde o processo estava a decorrer e falado com alguns profissionais, sempre acompanhado do presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Médio Ave (CHMA), Antó-

nio Barbosa e do presidente da Câmara de Famalicão, Paulo Cunha, que também se associou à visita. No final, o secretário de Estado aproveitou para deixar uma mensagem de reconhecimento a todos aqueles que, no último ano, estiveram na linha da frente no combate à pandemia. “Quisemos estar em alguns dos locais onde as taxas de incidência foram mais elevadas e reconhecer o trabalho de todos aqueles que intervêm neste processo”, afirmou, considerando que a vacina “permite iniciar 2021 com outro ânimo, sabendo nós que teremos ainda muitos meses difíceis pela frente”. Para o presidente da Câmara de Famalicão a chegada da vacina “é o melhor que nos podia acontecer num ano muito marcado pela pandemia, em que no mesmo ano em que apareceu também se atalha o caminho para a sua solução”. Paulo Cunha regozija-se, assim, pelo facto “da solução mais segura para erradicar a causa de tantos problemas que nos tem afetado estar a chegar ao mundo, à Europa, a Portugal e a Famalicão”. Refira-se que nesta primeira fase, o CHMA vacinou cerca de 300 profissionais de saúde distribuídos pelos hospitais de Famalicão e Santo Tirso. C.A. pub

CIDADE

05

Victor de Sousa lidera partido Chega em Famalicão

Victor de Sousa com o líder nacional André Ventura

O partido Chega já tem Comissão Política em Famalicão, liderada por Victor Meira de Sousa. A tomada de posse da Comissão Politica Concelhia, bem como da Mesa da Assembleia, que é presidia por João Moreira de Sousa, realizou-se no passado mês de dezembro, sendo que o mandato é por dois anos. No ato marcaram presença os órgãos da Comissão Política Distrital de Braga do Chega, bem como representantes das várias concelhias e de militantes e de simpatizantes do partido.

pub


06

FREGUESIAS

opiniãopública: 6 de janeiro de 2021

Dois homens detidos em Landim por tráfico de droga

A GNR de Riba d’Ave deteve, no passado domingo, 3 de janeiro, dois homens de 23 e 34 anos por tráfico de estupefacientes na freguesia de Landim, Em comunicado, a GNR conta que “no âmbito de uma fiscalização rodoviária, “os militares abordaram os ocupantes de um veículo que, perante o nervosismo demonstrado, levantaram suspeitas”. Foi, então, realizada uma busca ao veículo, tendo sido apreendidas várias doses de estupefacientes, concretamente: 42 doses de cocaína, 21 doses de heroína, 21 doses de haxixe e dois gramas de liamba. Os detidos foram constituídos arguidos, e os factos remetidos ao Tribunal de Famalicão.

Pandemia não parou projetos Erasmus + na Forave Apesar da situação pandémica, o trabalho desenvolvido pela Escola Profissional Forave, de Lousado, no âmbito dos projetos Erasmus + não parou. A Covid 19 obrigou, durante o primeiro período do ano letivo, ao adiamento de intercâmbios com diversas escolas europeias, de estágios de alunos finalistas, de ações de formação e de participações em conferências, mas os alunos da Forave partilharam online os seus trabalhos e boas práticas. Entre as várias ações realizadas, destaca-se a organização pela Forave de um webinar que convidou escolas profissionais da Grécia, Itália e Finlândia a partilharem as suas boas práticas relativamente ao desenvolvimento de aulas e estágios e à realização de projetos técnicos em tempos de pandemia. A Forave realizou ainda um vídeo sobre o impacto da pandemia na escola, que partilhou partilhado durante a Semana Europeia das Competências Vocacionais 2020. Já no mês de novembro, a escola viu aprovado um novo projeto, que lhe permitirá trabalhar com escolas profissionais de Espanha, Grécia, Itália e França com o objetivo de desenvolver estratégias pedagógicas inovadoras e competências como a criatividade, o empreendedorismo, o pensamento crítico e o trabalho de equipa. Os trabalhos realizados para os projetos Erasmus + podem ser consultados na página do Facebook “Forave Projetos Europeus” e no site da Forave.

A rede viária foi outro dos assuntos abordados

Paulo Cunha visita Brufe e analisa projeto para uma nova escola

A freguesia de Brufe está a projetar a construção de uma nova escola que venha a reunir toda a oferta educativa do 1º Ciclo do Ensino Básico da localidade. Este foi um dos assuntos abordados na visita que o presidente da Câmara de Famalicão, Paulo Cunha, realizou, a semana passada, à freguesia. “Neste momento está a ser desenhado o projeto curricular para que Brufe possa ter uma escola diferenciadora. O terreno já foi adquirido pelo Município, fica localizado junto à Junta de Freguesia e ao Jardim de Infância e esperamos conseguir apresentar o projeto à comunidade já no próximo ano”, referiu Carlos Gomes, presidente

da Junta de Freguesia, acompanhou o presidente da Câmara. Outra ambição para o futuro, elencada pelo autarca brufense, foi o alargamento do cemitério, intervenção apontada como prioritária na freguesia. No decorrer da visita, Paulo Cunha teve ainda a oportunidade de visitar algumas obras em curso e outras já concluídas ao nível das acessibilidades. Foram os casos da Rua Fernando Mendes Pinto, recentemente alargada e pavimentada e que contou com um apoio municipal na ordem dos 25 mil euros, e da Travessa Manuel Moreira Maia, cujas obras ainda decorrem e contaram com um apoio da Câmara de

75 mil euros. Paulo Cunha visitou ainda as instalações desportivas do Futebol Clube Brufense, que em breve contará com um novo relvado e balneários renovados, tendo passado também pelo recinto da Associação Cultural e Desportiva de S. Martinho de Brufe que, com o apoio da autarquia, vai passar a contar com um novo sistema de iluminação LED. Recorde-se que, desde junho, o presidente da Câmara está a realizar visitas de trabalho pelas freguesias do concelho, reunindo com os presidentes de junta, para verificar os investimentos realizados e quais as necessidades futuras.

Junta de Castelões dá 250 euros a cada bebé da freguesia A Junta de Castelões vai atribuir um subsídio de 250 euros a cada recém-nascido registado como natural da freguesia. A medida de incentivo à natalidade foi aprovada, na quarta-feira da semana passada, em reunião da Assembleia de Freguesia por proposta do executivo castelonense. Em comunicado, a Junta de Castelões explica que, com esta medida, “pretende-se apoiar as famílias jovens de uma forma direta, aumentando o seu orçamento familiar numa altura de despesas avultadas, como é o nascimento de um filho”. E acrescenta: “No contexto atual da nossa economia e sociedade, entendemos que esta medida ganha ainda maior relevância”.

Famalicão

Barbosa: Rua Santo António, Tel. 252 302 120 Calendário: Rua da Liberdade, Tel. 252 378 400/1 Cameira: C. Mouzinho Albuquerque, Tel. 252 323 819 Central: Praça D. Maria II, Tel. 252 323 214 Nogueira: Av. Marechal H. Delgado, Tel. 252 310 607 Valongo: Rua Adriano Pinto Basto, Tel. 252 323 294 Gavião - Av. Eng. Pinheiro Braga, 72 - Telef. 252 317 301 Marinho: Edif. S. José - Estalagem - Telf. 252 921 182 Martins Ventura: R. C. Cerejeira - Lousado - Telf. 252 493 142 Estação: Largo da Estação - Nine - Telf. 252 961 118 Ribeirão: Rua Quinta Igreja 9 - Ribeirão - Telf. 252 416 482 Joane: Rua S. Bento, nº 217 - Telf. 252 996 300 Landim: Estrada Nacional 204/5, nº 693 - 252321765

Por outro lado, tendo em conta a baixa natalidade na região e no país, a autarquia entende que este incentivo à natalidade “procurará contrariar esta tendência, e contribuir para a fixação de população jovem na freguesia”. Assim, segundo o regulamento agora aprovado, a cada família residente em Castelões será atribuído um subsídio no valor de 250 euros por cada recém nascido registado como natural da freguesia. Esta medida aplica-se ao primeiro filho e seguintes. O Regulamento está disponível na Junta de Freguesia para consulta e será brevemente entregue um exemplar em casa de cada castelonense.

Famalicão Quarta, 6

Serviço Barbosa

Quinta, 7

Cameira/Ribeirão

Sexta, 8

Calendário

Sábado, 9

Nogueira

Domingo, 10

Valongo

Segunda, 11

Gavião

Terça, 12

Barbosa/Ribeirão

Vale do Ave

Almeida e Sousa: Covas - Oliv. Stª Maria - Telf. 252 931 365 Bairro: Av. Silva Pereira, Telf. 252 932 678 Delães: Portela - Delães - Telf. 252 931 216 Riba de Ave: Av. Narciso Ferreira, Telf. 252 982 124

Vale do Ave Quarta, 6 Quinta, 7 Sexta, 8 Sábado, 9 Domingo, 10 Segunda, 11 Terça, 12

Serviço Almeida e Sousa Riba de Ave Bairro Delães

Serviço de disponibilidade

Paula Reis: R. José Elisio Gonçalves Cerejeira, nº 629 Calendário - Tel. 252 378 057 Maceiras: Louro - Telf. 252 310 425 Marques: Largo da Igreja - Fradelos - Telf. 252 458 440 Oliveira Monteiro: Largo Igreja - Cabeçudos - Telf. 252 331 885 Pedome: Av. S. Pedro, 1139 - Pedome - Telf. 252 900 930 Pratinha: Largo do Cruzeiro - Cavalões - Telf. 252 375 423 S. Cosme: Vale S. Cosme - Telf. 252 911 123 Arnoso: Av. Joaq. Azevedo - Arnoso Sta. Maria - Telf. 252 916 612


opiniãopública: 6 de janeiro de 2021

O Tribunal e Guimarães condenou, na quarta-feira da semana passada, a 20 anos de prisão o homem de 44 anos, acusado de ter matado a mulher, em março último, na freguesia de Fradelos. O tribunal deu como provado que o arguido

planeou matar a mulher e desmembrar o corpo, o que só não fez por não ter tido tempo, pelo que o condenou pelo crime de homicídio qualificado. Recorde-se que, a 23 de março, Jorge Branco começou por atacar a mulher, Carla, de 36 anos,

com um garrote na garagem do apartamento onde viviam, em Ribeirão. Depois, meteu-a na mala do carro e seguiu até à casa de uns amigos, na Urbanização do Engenho, em Fradelos, onde a asfixiou até à morte. Os vizinhos ouviram a vítima a gritar por socorro, enquanto ainda estava viva, e alertaram as autoridades. Jorge Branco ainda tentou fugir, mas foi apanhado pela GNR de Famalicão quando saía da casa. O arguido não poderá receber qualquer herança da mulher e terá ainda de pagar uma indemnização à filha, de 15 anos, por danos morais e pela morte da mãe. Refira-se que o homicida era operário da construção civil e a mulher teria pedido o divórcio, pouco tempo antes de ter sido assassinada.

07

Jovem de Joane morre atropelado quando prestava auxílio a acidente na A3 Um jovem de 22 anos, natural de Joane, morreu, na manhã do passado domingo, na autoestrada A3, na zona de Cruz, quando tentava prestar auxílio às vítimas de um acidente de viação, Tudo aconteceu por volta das 9h30, quando uma viatura se despistou na A3, entre a freguesia de Cruz, em Famalicão, e a zona de Guisande, em Braga. O jovem joanenses, Luís Meira, que circulava na mesma via, ao aperceber-se do sinistro parou a sua viatura para prestar auxílio e terá sido nessa altura que foi colhido por um terceiro veículo, que também circulava na A3. Segundo os Bombeiros Voluntários (BV) Famalicenses, uma das corporações que foi acionada para o socorro, “apesar dos esforços das equipas no local, não foi possível reanimar a vítima tendo sido o óbito declarado no local”. Estudante de Tecnologia e Gestão no Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Luís Meira estava com a namorada quando tudo aconteceu, estando a mesma a receber apoio psicológico por parte de uma equipa especializada. Do acidente resultaram ainda três feridos ligeiros, ocupantes da viatura que se despistou, que foram transportados para o Hospital de Braga. Para local, além dos BV Famalicenses, foram também acionados os Bombeiros Sapadores de Braga, a VMER de Braga, uma equipa de psicólogos do INEM e a GNR, num total de sete veículos e 20 operacionais.

BV Famalicenses

Homem que matou a mulher em Fradelos condenado a 20 anos de prisão

FREGUESIAS

pub

GNR apreende armas a homem suspeito de agredir namorada de 16 anos A GNR de Riba d’Ave apreendeu, a semana passada, um conjunto de armas no âmbito de um processo de violência doméstica, no concelho de Famalicão. Em comunicado, a GNR conta que, no âmbito da investigação, os militares da Guarda apuraram que o suspeito, de 34 anos, agrediu a vítima, sua namorada, de 16 anos. Nesse sentido, foram realizadas duas buscas, uma domiciliária e uma em veículo, que culminaram na apreensão de vário material. A saber: uma arma de fogo transformada, 100 munições, três sabres, uma faca de cozinha e um tubo de ferro em forma de bastão. Os factos foram remetidos ao Tribunal de Famalicão.

Dádiva de Sangue em Riba d’Ave Na próxima sexta-feira, dia 8, a Associação de Dadores de Sangue de Famalicão promove uma “Colheita de Sangue” no Salão Paroquial da de Riba d’Ave, com o apoio dos Escuteiros, das Guias e Grupo de Jovens desta localidade. A colheita será realizada entre as 15h00 e as 19h00, pelo Instituto Português do Sangue e do Transplantação, e é aberta à população.


08

PUBLICIDADE opiniãopública: 6 de janeiro de 2021

Maria Inês da Silva Gonçalves, no dia 31 de dezembro, com 80 anos, casada com José Luís Freitas da Cunha, de Roriz (Santo Tirso). América Ferreira de Abreu, no dia 31 de dezembro, com 84 anos, viúva de Luís de Abreu Oliveira, de Vila Nova do Campo (Santo Tirso). Maria de Lourdes Alves da Silva, no dia 2 de janeiro, com 78 anos, viúva de Agostinho Francisco de Faria, de Gondar (Guimarães).

Deolinda Carneiro de Sousa, no dia 1 de janeiro, com 83 anos, casada com Manuel Fernandes Coelho, de S. Tomé de Negrelos (Santo Tirso). Agência Funerária Santos Godinho Bairro– Tel.: 252 872 140

José Luís Freitas da Cunha, no dia 3 de janeiro, com 81 anos, viúvo de Maria Inês da Silva Gonçalves, de Campo (S. Martinho).

Joaquina de Oliveira Mesquita, no dia 29 de dezembro, com 88 anos, viúva de Jasmim Anjos Carvalho, de Requião.

Ana Brito de Matos, no dia 4 de janeiro, com 84 anos, viúva de Joaquim da Costa, de S. Mamede de Negrelos (Santo Tirso).

Deolinda Rodrigues de Matos, no dia 30 de dezembro, com 87 anos, casada com Manuel Rocha Fernandes, de Telhado.

Agência Funerária Riba D’Ave Riba D’Ave – 917 586 874

Agência Funerária das Quintães Vale S. Cosme – Tel.: 252 911 290

Maria Cândida Cruz da Costa Araújo Novo, no dia 31 de dezembro, com 71 anos, casada com José de Araújo Novo, de S. Martinho de Bougado (Trofa). Agência Funerária Trofense, Lda (S. Martinho de Bougado) Trofa – Tel.: 252 412 727

Falecimentos

Maria Azevedo Freitas, no dia 29 de dezembro, com 82 anos, viúva de Diamantino Banza Angelino, de Vila das Aves.

António Pereira de Carvalho, no dia 2 de janeiro, com 89 anos, viúvo de Luísa Barbosa Ferreira, de Arnoso Santa Maria. Agência Funerária Arnoso - José Daniel Pereira Arnoso Santa Eulália - Telf. 91 724 67 03

Maria Fernanda Sousa Alves Martins, no dia 29 de dezembro, com 57 anos, casada com Belmiro Viana Martins, de S. Miguel do Couto (Santo Tirso). Maria Madalena Ferreira de Sousa Moreira, no dia 30 de dezembro, com 75 anos, viúva de Serafim Augusto da Costa Moreira, de Burgães (Santo Tirso).

Joaquim Manuel Ferreira Freitas, no dia 27 de dezembro, com 56 anos, casado com Maria da Conceição Antunes Oliveira, de Esmeriz.

Manuel da Silva Barbosa, no dia 30 de dezembro, com 63 anos, divorciado, de Delães.

Cândido dos Santos Teixeira, no dia 30 de dezembro, com 90 anos, viúvo de Adelina Lopes da Fonseca, de Calendário.

António Pereira Vítor, no dia 31 de dezembro, com 94 anos, casado com Rosa Lopes da Costa, de Monte Córdova (Santo Tirso).

Idalina Martins Simões, no dia 30 de dezembro, com 91 anos, viúva de Manuel da Silva, de Gavião.

Américo Martins Coelho, no dia 1 de janeiro, com 85 anos, casado com Dulce Moreira de Magalhães, de Santa Cristina do Couto (Santo Tirso).

Maria da Conceição Gomes de Sousa, no dia 30 de dezembro, com 86 anos, viúva de António José da Silva Morais, de Avidos. Maria Olinda Ribeiro Ferreira Maia, no dia 30 de dezembro, com 87 anos, viúva de Justino Rodrigues, de Telhado. Maria Margarida da Silva Pinheiro, no dia 31 de dezembro, com 80 anos, viúva de Adelino Pinto Osório, de Landim. Maria da Conceição da Silva Oliveira, no dia 1 de janeiro, com 74 anos, casada com Manuel Carneiro da Silva, da Lagoa. Abílio Fernando Oliveira Gomes, no dia 1 de dezembro, com 62 anos, de Landim. Manuel Gonçalves, no dia 3 de janeiro, com 98 anos, viúvo de Virgínia de Magalhães Domingues, de Pousada de Saramagos. José Oliveira Leal, no dia 4 de janeiro, com 78 anos, da Carreira.

Agência Funerária de Burgães Sede.: Burgães / Filial.: Delães Telf. 252 852 325

Joaquina Fernandes de Araújo, no dia 29 de dezembro, com 90 anos, viúva de António Bento Moreira, de Famalicão. Maria Moreira de Macedo, no dia 29 de dezembro, com 96 anos, viúva de Clemente de Oliveira, do Louro. Lúcia da Conceição Garcia de Carvalho Araújo, no dia 31 de dezembro, com 74 anos, solteira, de Mouquim. Manuel Pereira da Costa, no dia 1 de janeiro, com 81 anos, casado com Maria Cândida Bouças Granja de Sousa, de Famalicão. Isaura Lima Marques, no dia 2 de janeiro, com 83 anos, casada com Carlos Teixeira, de Calendário.

Agência Funerária da Lagoa Lagoa – Telf. 252 321 594

Zélia Maria Gonçalves Abreu Monteiro (professora), no dia 3 de janeiro, com 60 anos, casada com António José Ferreira da Costa, de Landim.

Avelino Martins Coelho, no dia 23 de dezembro, com 88 anos, casado com Ana de Azevedo de Castro, de Gondar (Guimarães).

Manuel Leite Pereira, no dia 4 de janeiro, com 93 anos, viúvo de Maria Laurinda da Silva Leitão, do Louro.

Madalena Maria rocha, no dia 23 de dezembro, com 93 anos, viúva de Francisco Correia da Rocha, de Pevidém (Guimarães).

Agência Funerária Rodrigo Silva, Lda Vila Nova de Famalicão – Tel.: 252 323 176

Francisco José Marques Pinto, no dia 24 de dezembro, com 93 anos, viúvo de Maria de Jesus da Rosa Pinto Marinho, de Braga. Florinda Mendes da Silva, no dia 25 de dezembro, com 67 anos, viúva de Eduardo de Abreu Antunes, de Pevidém (Guimarães). José de Almeida, no dia 1 de janeiro, com 92 anos, viúvo de Aurora Ribeiro de Araújo, de S. Martinho de Candoso (Guimarães). Belarmino Gonçalves, no dia 1 de janeiro, com 101 anos, viúvo de Maria da Conceição Barbosa Leite, de Ronfe (Guimarães). Agência Funerária S. Jorge Pevidém– Tel.: 253 533 396

Manuel de Oliveira Costa, no dia 29 de dezembro, com 85 anos, viúvo do D. Maria Alice da Silva Pereira, de Santiago de Bougado (Trofa). Joaquim da costa Amorim, no dia 4 de janeiro, com 86 anos, viúvo de Maria Alice Moreira da Costa, de Ribeirão. Funerária Ribeirense Paiva & Irmão Lda Ribeirão – Telf. 252 491 433

Arminda de Oliveira Machado, no dia 1 de janeiro, com 82 anos, viúva de Alcino Mesquita de Carvalho, de Calendário. Manuel Gil Pereira, no dia 3 de janeiro, com 64 anos, divorciado, de Palmeira (Santo Tirso) (faleceu na Alemanha). Agência Funerária do Calendário Calendário – Tel.: 252 377 207

Maria Idalina da Silva Ilhão, no dia 29 de dezembro, com 68 anos, solteira, de Vilarinho das Cambas. Jorge Manuel Machado Pereira Palha, no dia 30 de dezembro, com 55 anos, casado com Maria Aurora da Silva Miranda, de Outiz. David Correia Vilas Boas, no dia 4 de janeiro, com 73 anos, casado com Maria Amélia Maia Pereira Vilas Boas, de Lemenhe. Agência Funerária Palhares Balazar– Tel.: 252 951 147


Formação famalicense fica em situação complicada na tabela classificativa

FC Famalicão falha objetivo em Tondela távamos, numa fase em que o Famalicão assumiu totalmente o controlo do jogo, encostava a equipa caseira junto à sua baliza. Babacar Niasse era um muro, foi o que valeu à equipa beirã, que segurou e negou o golo ao Famalicão Nos últimos instantes o Famalicão esteve muito perto do golo da igualdade, já com Babacar Niasse batido, valeu ao Tondela Ricardo Alves, que cortou a bola mesmo em cima da linha de golo, a mais um remate de Anderson. O Tondela sofreu, mas aguentou até ao final e soma três preciosos pontos, na luta pela manutenção, deixando o Famalicão numa posição mais complicada. Apesar da derrota foi talvez um dos melhores jogos realizados esta temporada pelos Famalicenses que mereciam muito mais neste encontro.

1-0 Estádio João Cardoso (Tondela) Árbitro: Miguel Nogueira (AF Lisboa) Assistentes: José Luzia, Hugo Coimbra

CD Tondela FC Famalicão Niasse Tiago Almeida Yohan Tavares Enzo Martínez Filipe Ferreira (Ricardo Alves 83′) Pedro Augusto (Jaquité 73′) João Pedro (Jota 84′) Jaume Grau Jhon Murillo Mario Gonzalez (Tomislav Strkalj 89′) Salvador Agra

Vaná Edwin Herrera (Dani Morer 45′) Diogo Queirós Babic (Trevisan 81′) Gil Dias, Gustavo Assunção Andrija Lukovic (J. Pereyra 72′) Iván Jaime (Leonardo Campana 59′) Rúben Lameiras (F. Valenzuela 59′) Anderson Jhonata Robert

Treinadores Ricardo Soares

Golos: 1-0 Mário Gonzalez 52’ Cartões Amarelos: (12’ Jaume Gru); (42’Iván Jaime) (44’ Enzo Martinez) (60’ Andrija Lukovic) (72’ Leonardo Campana) (79’ Jhon Murillo) (94’ Gustavo Assunção) (97’ João Jaquité)

José Carlos Fernandes A derrota em Tondela atira o Famalicão para uma posição complicada na tabela classificativa. À semelhança do jogo frente ao Gil Vicente, este confronto com o Tondela, permitiu também, que a formação beirã, ultrapasse o Famalicão na classificação, agudizando ainda mais a crise de resultados da equipa famalicense que já leva 6 jogos consecutivos sem vencer. João Pedro Sousa, operou uma

série de alterações no onze inicial, e num campo difícil e gelado, a equipa Famalicense entrou bem, começou por cima e entrou melhor no jogo. Logo no primeiro minuto, chegou à baliza de Babacar Niasse. Era a tentativa, desta forma de poder aproveitar algumas fraquezas apresentadas pelo Tondela nos últimos jogos, onde tem sofrido nos primeiros minutos. Não conseguiu de imediato, mas na segunda tentativa Anderson, que foi titular e deu outra alma ao setor ofensivo, esteve perto de inaugurar o marcador, mas estava em posição irregular. Não desarmava a formação de João Pedro Sousa e aos 13 minutos, uma boa jogada ofensiva deixou Anderson novamente isolado para o golo, só com Babacar

Futebol: Pró-Nacional está de regresso

Niasse pela frente, mas o remate saiu ao lado. O Tondela demorava a responder ao caudal ofensivo Famalicenses e só aos 37 minutos, Salvador Agra, depois de uma bela jogada individual, rematou de fora da área com bastante perigo para a baliza defendida por Vaná. Pouco tempo depois, Felipe Ferreira voltou a ameaçar a baliza do Famalicão, obrigando Vaná a uma defesa apertada. Já muito perto do intervalo, o Famalicão beneficiou de uma grande penalidade. Contudo, Lameiras escorregou quando rematou e, mandou à barra, desperdiçando a melhor hipótese do encontro, para colocar o Famalicão na frente do

Depois da paragem, o Campeonato Pró-Nacional está de regresso no próximo fim-desemana com todas as partidas agendadas para domingo, dia dez, às 10h30, segundo comunicado da Associação de Futebol de Braga. Assim, na Série A, os jogos são os seguintes: Dumiense - Vila Chã, Santa Maria – Prado, Pousa – Cabreiros, Ninense – Mar-

marcador Na segunda parte o Tondela entrou mais espevito, e aos sete minutos da segunda parte chegou ao golo: Mario Gonzalez, aproveitou um cruzamento de Murillo e colocou o Tondela na frente do marcador, com algumas facilidades da defensiva Famalicense O Famalicão reagiu bem. Pouco tempo depois, Anderson quase aproveitou um erro da defesa Tondelense, mas o remate embateu no poste da baliza de Babacar Niasse, em mais uma excelente oportunidade desperdiçada pelo conjunto famalicense, que não conseguia marcar. Os Famalicenses não tiravam o pé do acelerador, carregavam com tudo e o Tondela aguentava. Es-

FC Famalicão

Pako Ayestarán

tim, SP de Arcos – Marinha e Amares – Forjães. Já na série B, disputam-se os encontros Ponte – Serzedelo, Santa Eulália – Joane, Taipas-Sandinenses, Porto D’Ave-Vieira, Torcatense- Ronfe e Ribeirão-Arões, partida que pode acompanhar em direto no Facebook da FamaTV (www.facebook.com/famatv.famalicao). pub


10

DESPORTO

opiniãopública: 6 de janeiro de 2021

Câmara colocou iluminação LED em 20 recintos desportivos A aposta na sustentabilidade e na eficiência energética já levou a Câmara Municipal de Famalicão a substituir e a melhorar os sistemas de iluminação de 20 recintos desportivos do concelho, num investimento municipal que já ultrapassa os 350 mil euros, informou a autarquia, em nota à imprensa. O trabalho de substituição dos projetores de halogéneo para sistemas de iluminação LED, que arrancou no início de 2019, contempla campos de associações desportivas federadas e dos clubes que competem no Campeonato Concelhio Amador de Famalicão. Para além de ser uma tecnologia mais amiga do ambiente e de proporcionar uma poupança mensal substancial na fatura energética dos clubes, a nova iluminação LED trouxe também melhores condições para

a prática desportiva, aumentando a qualidade da rotina de treinos dos atletas e, em alguns casos, permitindo a realização de jogos oficiais noturnos. “É um investimento que tem um impacto imediato naquela que é a atividade dos clubes e dos seus atletas, mas que a longo prazo vai também ter outras repercussões não só no futuro destas coletividades, como também no futuro de todos nós”, diz a propósito o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, lembrando que esta solução contribui para uma redução de cerca de 8 toneladas de dióxido carbono por ano e uma redução do consumo energético mínimo dos clubes em cerca de 8 mil euros anuais. A União Desportiva de Calendário, o Grupo Desportivo de Joane, o Bairro Futebol Clube, o Clube Desportivo pub

de Lousado, o Grupo Desportivo de Cavalões, a Associação Desportiva Ninense e o Sporting Clube Cabeçudense foram alguns dos clubes que já beneficiaram desta medida. Refira-se que a eficiência energética também tem contemplado as piscinas do concelho. No último ano, o executivo avançou com projetos de sustentabilidade para as piscinas de Joane, Oliveira de São Mateus e, mais recentemente, de Ribeirão, num investimento superior a um milhão de euros.

Francisco Silva (EARO) bate recorde regional no Torneio de Ano Novo Francisco Silva, da Escola Atletismo Rosa Oliveira, bateu o recorde regional de Juvenis nos 2000 metros do Torneio de Ano Novo, prova que decorreu, no passado dia 30, na Pista Coberta no Altice Fórum, em Braga. O atleta da formação de Joane realizou o tempo de 05:38.33m e alcançou o sexto lugar da classificação geral (dos Juvenis a Seniores), atrás do seu colega Nuno Fernandes (Sénior), que realizou o mesmo tempo. Na prova, organizada pela Associação Atletismo de Braga, cumprindo as medidas recomendadas pela DGS, os atletas da EARO conseguiram, além do recorde regional, outros bons resultados. Assim, nos 100 metros de Infantis a Iniciados participaram as atletas: Mariana Maciel Inf 3,11.04; Bruna Pereira Ini 3,25.40; Inês Almeida Ini 3,30.30; Maria Machado 3,33.20; Maria Baltar Ini 3,36.03; Matilde Torres Ini 3,45.16 e Ana Silva Inf 3,52.69; e os atletas Gonçalo Rodrigues Ini 3,13.63; Tiago Silva Inf 3,19.85 e Francisco Barros Inf 3,26.28. Já nos 2000 metros de Juvenis a Seniores alinharam: Beatriz Fernandes Jun 6,46.24; Cátia Silva Jun 7,19.89 e Ana Faria Juv 7,26.47, e ainda Nuno Fernandes Sen 5,38.33; Francisco Silva Juv 5,38.33 (recorde regional); João Rodrigues 5,57.99; Rui Oliveira 6,10.37; Leandro Gonçalves 6,16.83; Rafael Silva 6,24.86 e João Azevedo 6,44.62. Nos 300 metros esteve Luís Ribeiro Juv 40.56; e nos 400 metros: Rafael Castro Jun 56.62.


opiniãopública: 6 de janeiro de 2021

DESPORTO

11

Futebol Feminino

FC de Famalicão faz o pleno na 1ª fase da Liga BPI O Futebol Clube Famalicão somou, no passado domingo, mais três pontos na Liga BPI, frente ao Gil Vicente FC, no Campo de Futebol de Carapeços em Barcelos. Três golos para a equipa famalicense e um golo para as gilistas foi o resultado final da 9ª jornada e última desta primeira fase da Liga BPI. Durante os 90 minutos de jogo o FC Famalicão controlou e dominou a partida com várias oportunidades de golo. Solange Carvalhas foi quem estreou o marcador com um golo de cabeça aos 21 minutos, na sequência de um livre batido por Gabi Morais. O segundo golo, ainda na primeira parte, surgiu aos 44 minutos, após um canto em que Mariana Azevedo surge no segundo poste para, ao segundo toque, fazer o 0-2 para a equipa

liderada por João Marques. Logo após o intervalo a vitória consolidou-se com o terceiro golo de Solange Carvalhas, aos 48 minutos, que pontapeou para dentro da

baliza na sequência de um canto assinalado à equipa famalicense. Antes do apito final, um livre é concedido ao Gil Vicente FC que, marcado a longa distância, permi-

tiu que Lea Pires marcasse o tento de honra para sua equipa e fechasse o resultado em Barcelos. O FC de Famalicão encerra assim a primeira fase da Liga BPI na liderança da tabela da Série Norte fazendo o pleno com um total de nove vitórias em nove jogos disputados. Segue-se agora a fase de apuramento de campeão a ser disputada pelas 4 equipas líderes da Série Norte e da Série Sul. FC Famalicão: Laura Gallego (GR), Maurine, Mariana, Gi (Mirón 61’), Sara, Gaby M. (Miller 73’), Negrão (Leandra 61’), Solange, Cris (Dani 61’), Mylena (Cristina 73’), Vitória. Gil Vicente FC: Daniela Araújo (GR), Paula Ferreira, Sara Alves (Márcia Vieira 69’), Catarina Machado, Catarina Gomes (Tatiana Valentim 69’), Telma Pereira (Fi-

lipa Mendes 72’), Diva Meira, Leandra Pereira, Ana Paula Silva (Cláudia Brás 57’), Vera Martins, Lea Pires. FC Famalicão vai disputar a segunda fase do campeonato O FC Famalicão conquistou o primeiro lugar da Série Norte com um total de nove vitórias em nove jogos disputados, somou 27 pontos, marcou 34 golos e sofreu quatro. Segue-se agora a fase de apuramento de campeão a ser disputada pelas 4 equipas líderes das séries Norte e Sul. Segundo o sorteio realizado na Cidade do Futebol, nesta terçafeira, na primeira jornada da segunda fase, a disputar no dia 17 de janeiro, o FC Famalicão desloca-se ao terro do Sporting CP, líder da Série Sul, na primeira fase do campeonato.

V Torneio de Rápidas de Xadrez decorreu com música online

Mariana Silva e Ivo Dias em destaque no Xadrez

Decorreu no passado dia 30 de dezembro, pelo quinto ano consecutivo, o V Torneio de Rápidas Xadrez com Música, com um prémio pecuniário de 100 euros, contando com o apoio da Federação Portuguesa de Xadrez, Associação Académica da Didáxis, Colégio do Ave, Associação de Pais e Encarregados de Educação do Colégio do Ave e Festival internacional de Guitarra de Guimarães. Face ao crescente desenvolvimento do surto de COVID-19 e perante a ausência de certezas quanto ao seu controlo e duração, a organização decidiu que a solução mais segura e adequada fosse a realização do evento online. Este torneio contou com a realização de 9 sessões “Blitz” em sistema suíço (3 minutos para cada jogador com acréscimo de 2 segundos por cada lance efetuado) na plataforma www.lichess.org, com arbitragem e coordenação informática a cargo do Árbitro Internacional Paulo Rocha e com a direção de prova a cargo de Mário Oliveira,

coordenador do CX A2D. Este Torneio, pioneiro em Portugal, continuou a aliar a Música ao Xadrez. Mantendo a tradição das edições anteriores foi partilhado com todos os participantes o link oficial do CD de guitarra clássica Eurostrings Artists - the 2019 players, com os guitarristas jovens mais promissores de 2019. Durante duas horas, com início às 21h15, juntaram-se 104 atletas provenientes de 29 clubes filiados na FPX, mostrando a dinâmica crescente do Xadrez Online em Portugal. O torneio contou pelo segundo ano consecutivo com a participação dos Campeões Nacionais Absoluto e Feminino da época 2019/2020. Destaque, também, para a participação do Grande Mestre António Fernandes, recordista de títulos nacionais absolutos, e dos Mestres FIDE (Federação Internacional de Xadrez) Francisco Veiga e José Padeiro. O Bicampeão Nacional Absoluto, Mes-

tre Internacional André Sousa (Profigaia), fez valer o seu favoritismo renovando o título conquistado na edição anterior deste evento singular alcançando 7,5 pontos em 9 pontos possíveis e arrecadou um prémio monetário de 60 euros. António Caramez Pereira (Escola de Xadrez do Porto, 30 euros de prémio monetário) e João Cordeiro (AXAT – Montemor-o-Novo, 10 euros de prémio monetário) completaram o pódio absoluto, classificando-se em 2º e 3º lugares, respetivamente. Sara Soares (Escola de Xadrez do Porto), a nova rainha do xadrez português, marcou presença pela primeira vez neste Torneio e obteve 5 pontos, classificando-se em 41º lugar (2º lugar feminino). O 1º lugar feminino ficou “em casa” e foi alcançado, pelo terceiro ano consecutivo, pela WCM (Candidata a Mestre Feminina) Mariana Silva (CX A2D) com 6 pontos (16º lugar). O atleta melhor classificado do jovem

clube famalicense CX A2D foi o Mestre Nacional Ivo Dias que lutou até aos últimos instantes por um lugar no pódio absoluto, mas com uma derrota na derradeira sessão teve que se contentar com 10º lugar (6,5 pontos). Integrados na delegação do CX A2D, clube mais representativo com 21 atletas, participaram 8 alunos do Colégio do Ave (José João Pinto, 6ºB; Duarte Abreu, 7ºA; João Cotter, 3ºA; João Diogo Pereira, 4ºA; Henrique Fernandes, 3ºA; Ivo Costa, 3ºA; Luís Ribeiro, 6ºB e Matias Mota, 4ºA) sendo que José João Pinto foi o melhor classificado (36º lugar, 5 pontos). No final, todos foram unânimes ao considerarem que esta edição manteve a dimensão nacional e sensibilizou a comunidade xadrezista para a “pertinência da importância da Música no Xadrez, e vice-versa, no livre, harmonioso e integral desenvolvimento da personalidade do ser humano e, consequentemente, no desenvolvimento da sociedade”.


12

PRAÇA PÚBLICA

opiniãopública: 6 de janeiro de 2021

Diário famalicense

Opinião Liberal

António Cândido Oliveira

João Pedro Silva

O Presidente e as circunstâncias que (não) o desculpam Se há opinião que encarna rapidamente em facto, nem que o seja por força do ano que findou, é que o Mandato Presidencial que termina no final do mês, sofreu de mais percalços e dificuldades do que é normalmente expectável. No entanto, parece que esse facto serve, não para avaliar rigorosamente a prestação do detentor do cargo mais importante da nação, mas para o escusar dessa mesma avaliação, ou no melhor das hipóteses, atenuar as falhas denotadas no exercício dessa mesma função. Um Presidente terá que ser sempre avaliado pelas decisões que tomou, a contextualização desse mandato pode guiar esse julgamento, nunca o poderá absolver. A função de Chefe de Estado, a primordial de qualquer sistema político, é exercida permanentemente até cessar, não estando contingente a cenários ou situações mais ou menos complexas. Sendo assim, o incumbente dos últimos 5 anos, deverá ser avaliado por todas as decisões que tomou, ou não tomou, pelo que disse, ou omitiu e por o que promulgou, ou o que vetou. Em toda a extensão e dimensões que marcaram o mandato. Menos que isso seria uma decisão coxa, carregada de preconceitos e sentimentalismos, e não informada por uma avaliação justa e racional, a que todos os candidatos devem estar sujeitos.

Se for percetível ao juízo do eleitor, que de facto essa atuação esteve aquém do exigido pela situação, tal servirá como condenação da sua conduta política, não como atenuante. A escolha de Chefe de Estado, privilégio que muitas nações não possuem, serve precisamente para que o povo tenha a possibilidade de avaliar condignamente o político em causa e punir a sua atuação caso se tenha provado a ocorrência de falhas ou omissões graves no exercício da mesma. E não é que os próximos 5 anos sejam mais fáceis, caberá ao próximo Presidente da República manter o equilíbrio institucional num país cada vez mais pobre, em crise, atrasado perante os seus pares na Europa e com um sistema partidário mais instável e ativo. Ainda não é conhecido o fim da pandemia, ou a dimensão dos estragos que esta causou, certamente um Presidente que foi incapaz no passado dificilmente o será no futuro, com este cenário. A incapacidade em analisar friamente uma atuação política não pode ser encorajada, um pilar da Democracia é exatamente a capacidade de os eleitores serem capazes de escolher de forma capaz os seus líderes, não o fazer por simpatias ou levantando bodes expiatórios circunstanciais é oposto da função democrática que cabe a cada um de nós.

Psicologicamente falando Marta Pamol*

Anotações de 2020 para 2021 O ano de 2020 foi para nós um ano duro, desafiante, que tirou e teimou em não devolver, que abalou a nossa estrutura e forçou a nossa fé. Ainda assim, deixou um caderno de apontamentos que nos pode ser muito útil para que 2021 seja um ano melhor. Neste caderno constam anotações com ensinamentos valiosos. Sem cair na tentação de deitar fora o ano de 2020, aproveite para passar os olhos por esses seus apontamentos com atenção. Ao longo dos rabiscos de 2020 verá que a palavra Gratidão ganhou forma. Por baixo dela acrescentámos pontos, coisas pelas quais estamos gratos. Em frente vemos riscadas algumas palavras supérfluas, substituídas por outras essenciais. Parece que hoje sabemos fazer esta distinção de forma bem mais acertada. Da palavra Incerteza, bem destacada e sublinhada, vemos sair uma seta que diz "aqui e agora". Se antes estas duas palavras tinham pouco valor, agora estão tão carregadas que ganham relevo no verso da folha. Aprendemos pois que não as devemos tomar por garantidas, que o presente é tudo o que temos e que o resto são meras distrações. Por fim, uns cadernos terão mais asteriscos do que outros. Cada um representa alguém que partiu e deixou saudade, mas que ocupará sempre um lugar especial nos livros das nossas vidas. É verdade, também reparou que ainda há muitas páginas em branco? Continue a tirar notas. Aproveito para lhe desejar um ano de 2021 repleto de saúde, física e mental. Um excelente Ano Novo! Psicóloga Clínica e da Saúde

2021: Eleições locais em Famalicão Não há democracia sem oposição. A razão é simples: numa comunidade vasta seja ela um Estado ou um município, para não falarmos em freguesias, nem toda a gente está de acordo e daí que se formem correntes de opinião diferentes sobre o bom governo da comunidade. Por outro lado, quem governa comete erros e os erros devem ser combatidos e corrigidos se possível. É um dos mais importantes papéis da oposição. Vila Nova de Famalicão é um grande município e desde sempre houve oposição. Os dois grandes partidos têm sido o PS e o PSD (desde 2001 em coligação com o CDS), mas também contam a CDU e mais recentemente o Bloco de Es-

querda (BE). A oposição, ao longo dos mais de 40 anos de democracia, não se tem evidenciado como devia e quando ganha eleições tem sido mais por demérito de quem governa do que por mérito próprio. Assim sucedeu em 1982 quando o PS ganhou ao PSD/CDS e em 2001 quando a coligação PSD/CDS ganhou as eleições ao PS. Como vai ser este ano? Vamos ter uma oposição débil, facilitando a vida à coligação PSD/CDS que governa há 20 anos, ou vamos ter uma oposição forte que tenta conquistar o município por mérito próprio? A tarefa da oposição não vai ser fácil, pois não é previsível a existência de conflitos in-

ternos na maioria. Terá de ser mesmo uma oposição forte e que não pode perder tempo. Tentaremos acompanhar e bem gostaríamos que ganhasse quem tem mais mérito para governar o município numas eleições animadas e bem disputadas. O tempo o dirá. PS – O nosso município passou em termos de Covid 19 de “risco extremo” para “risco elevado”. É bom, mas não é satisfatório. “Risco moderado”, ou melhor ainda, deve ser a meta, quanto antes. A página oficial do município que agora aparece, felizmente, à frente da do F.C. de Famalicão na minha pesquisa não dá o relevo que devia à situação de pandemia, informando e mobilizando os famalicenses na luta contra ela.

Pelos quatro cantos da ca(u)sa Domingos Peixoto

Ubiquidade Há pessoas assim, têm uma capacidade inata para estar em vários sítios ao mesmo tempo, desempenhar funções distintas e geograficamente dispersas em simultâneo, exercer uma função subordinada em conjunto com a da autofiscalização! Trata-se sempre de pessoas sobredotadas, coisa que só acontece, que tenhamos conhecimento por divulgação da comunicação social, nos altos cargos de direção e gestão de empresas públicas e privadas, por vezes em funções do próprio Estado, seja na administração central, descentralizada ou desconcentrada! É uma “virtude” que nunca, mas por nunca ser, é capaz de ter um varredor, um trolha, um empregado de escritório, um operário fabril, apesar de haver quem “goste” de dizer que, a estes níveis profissionais, há pessoas que estão a trabalhar e no café ao mesmo tempo; pelo menos em tempos relativamente recentes glosavam-se esses epítetos acerca de “funcionalismo público”! O que acontece com frequência é que as pessoas ubíquas são-no apenas no recebimento de vários salários (por vezes chorudos), como forma de compensar remunerações baixas que, por esta forma, acabam compensadas pela sua “dedicação”! Espécie de ubiquidade é o que acontece com a gestão de várias empresas em cadeia, do/s mesmo/s proprietário/s

controladas por uma “holding”. Empresas, aquelas, que muitas vezes só têm a gestão e, ou dão muito lucro, ou justificam as “perdas”, como forma de fugir aos impostos devidos normalmente. Um exemplo apenas de propaganda, tirado “ao calhas” de uma rede social: “Aproveite o regime fiscal mais atrativo da Europa, em Malta. Contacte-nos! Investimentos. Madeira. Malta. Serviços: Investimento, Trading, Holding, Registo de Navios.” Claro, tudo legal nos “paraísos fiscais”, não há governo nem União Europeia que “mexa” nisto, porque vigoram as “democráticas” leis de mercado! Um exemplo concreto muito recente passa-se entre nós que, aliás, tem vindo a provocar um grande escândalo, pelo menos na comunicação social e na oposição ao governo, tem a ver com aumentos extravagantes a alguns gestores da TAP, quando sabemos que está em curso um profundo plano de reestruturação da companhia aérea, que implica milhares de despedimentos e redução significativa de vencimentos! Eu “sei que a luta” é sobretudo política, a não ser isso havia partidos que só abririam a “boca para pedir mais sangue”! Os aumentos são indecorosos, diz-se… O governo justifica que se trata da assunção, por acumulação, de novas funções das pessoas contempladas. E vai mais longe: fica,

ainda, mais barato do que se não substituísse as pessoas que deixam a empresa! Também sei que há sempre razões pró e contra cada uma das decisões, disso não tenho dúvidas, mas, “caraças”, as pessoas vão estar em duas funções ao mesmo tempo, vão aumentar ao número de horas de trabalho? Ou passam agora a cumprir o horário completo? De outra coisa tenho a certeza, esses diretores e gestores sobrenaturais não são, logo não há nenhuma hipótese de serem ubíquos. Acresce que o estatuto social a que se alcandoraram enquanto gestores, nomeadamente da TAP, em nada ficaria beliscado, bem pelo contrário, se viessem a “sofrer” de alguma alteração remuneratória apenas para quando a reestruturação estivesse a produzir efeitos em pleno e Portugal e os portugueses soubessem que, afinal não iam ser chamados a “dar mais uns tostões” para suprir as necessidades da empresa de bandeira e esta pudesse ser vendida a privados com lucro… Uma coisa sabem os portugueses: isto continua e vai estar muito mau para os “trabalhadores”, nunca para os gestores, que também são trabalhadores (especiais); vejase o caso dos prémios aos gestores do Novo Banco quando o Estado continua a ser chamado a supri prejuízos de milhões! Ubiquidade, os portugueses pagam que se fartam!


A Esela de Belém também brilha em casa

Como manda a tradição, as festividades do Natal só acabam no dia 6 de janeiro. No entanto, atendendo ao contexto que atravessamos, o Dia de Reis de 2021 terá de ser um pouco diferente. O que não quer dizer, como é evidente, que esta data não seja devidamente vivida em família, num formato mais “caseiro” e, apenas, com o seu núcleo familiar. Num ano excecional, em que nos é exigido que mantenhamos o isolamento social sempre que possível, é crucial encontrar estratégias que nos permitam assinalar as datas simbólicas em casa com a mesma

magia. Pois bem, este dia não deve ser diferente. A primeira sugestão que lhe trazemos é que faça uma viagem em família até Porto Rico. Mas não se preocupe, não terá de sair de casa. Neste país, as crianças cumprem todos os anos um ritual muito especial. Na noite de reis, ou seja, de 5 para 6 de janeiro, colocam ao lado da cama uma caixa com erva e folhas. Segundo a lenda, os camelos dos três reis magos podem, então, fazer ali uma paragem para comer. Em troca, deixam um presente simbólico. Uma das melhores formas de viver esta efeméride

em família é, claro, juntar miúdos e graúdos na cozinha. Por isso, divirtam-se a preparar uma deliciosa receita do tradicional bolo-rei ou do bolo-rainha. Mas também podem aventurar-se noutras receitas da época, como os sonhos de cenoura ou esta reconfortante coroa de nozes. Depois, enquanto se deliciam com as iguarias que prepararam, podem cumprir a tradição de desmontar a árvore de Natal e retirar os enfeites espalhados pela casa. Tudo isto, claro, acompanhado de música com um toque de alegria natalícia.

pub


14

Dia de Reis: origem e adição

ESPECIAL

opiniãopública: 6 de janeiro de 2021

E hoje celebra-se o Dia de Reis. De acordo com a cultura católica, o Dia Reis é lembrado como o momento em que o recémnascido Jesus Cristo recebe a visita dos Três Reis Magos, Gaspar, Belchior e Baltazar, que partiram do Oriente Médio e, guiados pela Estrela de Belém, encontraram-se com Maria, José e seu filho. O caminho foi percorrido a pé e demorou cerca de 12 dias até conhecerem o menino Jesus, daí o Dia de Reis ser celebrado 12 dias após o nascimento de Jesus. Cada um dos Reis Magos levou um presente especial para o filho de Deus. Gaspar presentou Jesus com um incenso, que representa a espiritualidade. Já Belchior levou ouro de origem europeia, que simbolizava a riqueza e a realeza. Por último, Baltazar ofereceu a mirra, cujo óleo extraído da planta servia como base para preparar medicamentos. Em Portugal, esta data fica marcada pelo consumo de uma iguaria especifica: o Bolo Rei. Esta doce iguaria, que já conta com 2000 anos de existência,

representa os presentes que os três Reis Magos deram ao Menino Jesus aquando do seu nascimento. Se atentarmos na sua simbologia observamos que a côdea simboliza o ouro; as frutas, cristalizadas e secas representam a mirra; e o aroma do bolo assinala o incenso. Mas também a fava tem o seu propósito. Reza a lenda que, quando os Reis Magos viram a estrela que anunciava o nascimento de Jesus, disputaram entre si qual dos três teria a honra de ser o primeiro a brindar o Menino. Com vista a acabar com aquela discussão, um padeiro confecionou um bolo escondendo no seu interior uma fava. O Rei Mago a quem calhasse a fatia de bolo contendo a fava seria o primeiro a entregar o presente. O dilema ficou solucionado, embora não se saiba se foi Gaspar, Baltazar ou Belchior o feliz contemplado. As tradições que marcam a história do Bolo-Rei são muitas. Antigamente, no seio da Igreja Católica, dizia-se ainda que os cristãos deveriam comer 12 bolos-reis, entre o Natal e

os Reis, festa que muito cedo começou a ser celebrada na corte dos reis de França. O bolo rei terá, aliás, surgido neste país, no tempo de Luís XIV, para as festas do Ano Novo e do Dia de Reis. Com a Revolução Francesa, em 1789, a iguaria foi proibida, mas, como bom negócio que era, os pasteleiros continuaram a confecioná-lo sob o nome de “gâteau des san-cullottes”. Só na segunda metade do século XVIII é que o Bolo-Rei foi importado para Portugal, inspirado na receita produzida no sul de Loire. Em 1910, aquando da implantação da República em Portugal, o BoloRei ficou em risco por conter a palavra "rei" no nome. Ainda assim, os confeiteiros e pasteleiros nacionais decidiram continuar a fabricar o bolo sob outras designações. "BoloPresidente", "Bolo-Arriaga", "Ex-Bolo-Rei" ou "Bolo de Ano Novo". No entanto, nunca nenhum agradou aos ouvidos dos portugueses, que continuaram a chamar o bolo pelo nome de Bolo-Rei, até hoje. pub


O Dia de Reis pelo Mundo

opiniãopública: 6 de janeiro de 2021

Tradição de Reis em Portugal Em Portugal o tradicional bolo-rei faz parte da celebração de Reis. Embora mais habitual em determinadas zonas do país, o bolo-rei traz uma fava e, a quem calhar a fatia com a fava deverá providenciar o bolo no ano seguinte. Existe ainda a variação a este bolo, que é o bolo-rainha, por sua vez sem as tradicionais frutas cristalizadas. Algumas zonas do país, principalmente nos meios mais pequenos, continuam ainda com o hábito de cantar as Janeiras. Isto é, a partir do 1 de janeiro até ao dia 6, grupos de pessoas vão para a rua a cantar de porta em porta. Como agradecimento recebem comida e bebida.

15

França Neste país come-se o bolo “Galette des Rois” à base de amêndoa ou maçã. Tal como em Portugal, o bolo também tem um brinde no seu interior e quem o encontrar será o rei, pelo menos por uma noite. Irlanda O Dia de Reis na Irlanda é considerado o Natal das Mulheres. Neste dia as mulheres tiram o dia para descansar, depois do trabalho que tiveram entre o Natal e o Ano Novo. Neste dia, grupos de mulheres juntam-se e partilham uma refeição. Países Baixos Na Holanda, Bélgica e Luxemburgo é habitual que grupos de três crianças andem de porta em porta a entoar canções e, em troca, recebem dinheiro ou doces.

Itália Em Itália a tradição mais conhecida no Dia de Reis é a da “Befana”. Aqui, no lugar do Pai Natal, uma senhora já com alguma idade toma o seu lugar a distribuir prendas às crianças.

Arquivo

Argentina e Uruguai Semelhante a Portugal, aqui têm o hábito de comer um bolo conhecido como “Rosca de Reyes”, muito parecido ao bolo-rei. É ainda habitual as crianças deixarem um sapato junto à porta com erva e água para os camelos dos Reis Magos. Finlândia Para comemorar o “Loppiainen”, têm a tradição de fazer bolachas de gengibre em forma de estrela, as “Piparkakut”, ao mesmo tempo que pedem desejos. A tradição dita que a bolacha seja partida em três pedaços, na palma da mão e que seja comida em silêncio para o que o desejo se realize.

ESPECIAL

Estados Unidos No Estado do Louisiana, o Dia de Reis marca o início das preparações do Carnaval. Aqui também é habitual comer o “King Cake”, semelhante ao bolo-rei de Portugal, até à celebração do “Mardi Gras” (terçafeira Gorda). pub

Brasil Aqui grupos de pessoas juntam-se a tocar diversos instrumentos, seguindo as ordens do Mestre de Folia, da Folia dos Reis, uma manifestação religiosa praticada pelos católicos. Nesta data comemora-se com festas onde se servem doces e comidas típicas das diversas regiões.

Espanha Aqui comem a “Rosca de Reyes”, semelhante ao bolo-rei. É no Dia de Reis que os espanhóis têm a tradição de trocar presentes. Em algumas cidades organiza-se o cortejo dos Reis Magos, a que chamam de “Cabalgata de Reyes”. Os Reis Magos desfilam em carros bem decorados, acompanhados de muitos cavaleiros e lançam doces à assistência. É ainda comum oferecer “carvão de azúcar” às crianças. Cuba Este dia em Cuba é conhecido como a “Páscoa dos Negros”, pois desde o tempo da colonização espanhola que se dava folga aos escravos nesta data. Estes saíam à rua para dançar ao som dos tambores. pub


16

PUBLICIDADE

opiniãopública: 6 de janeiro de 2021


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.