Page 1

Ano 29 | Nº 1491| De 23 a 29 de dezembro de 2020| Diretor: João Fernandes | Gratuito | www.opiniaopublica.pt

pub

pub

Candidatura foi apresentada pelo Município

União Europeia financia criação de ETAR biológica em Famalicão p. 5

Autarquia vai assumir os custos com a atualização dos preços

TARIFAS DA ÁGUA, SANEAMENTO E RESÍDUOS NÃO AUMENTAM EM 2021 A Câmara de Famalicão não vai aumentar as tarifas da água, sa- deverá rondar o valor global de 200 mil euros. O objetivo é libertar neamento e resíduos aos munícipes, no próximo ano. Ao contrário as famílias desta despesa num ano que se avizinha difícil, devido do habitual, a autarquia vai assumir a atualização dos preços, que à pandemia. p. 3

Especial Natal em Famalicão CADERNO

FC Famalicão: Mário Branco é o novo diretor desportivo

Hóquei: RAHC segue para os 16 avos de final da Taça de Portugal Medida Concurso Casa ao Lado vence Programar em Rede Câmara cria Bolsas de Investigação com projeto para o hospital p. 4 no valor de 5 mil euros p. 7

Joane Criança de dois anos morre afogada em piscina p. 9 pub


02

CIDADE

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

Publicação já está a ser distribuída

Jorge Faria reeleito na direção da AML

Novo Boletim Municipal dá destaque às obras em curso no concelho

Momento em que Jorge Faria exerceu o seu direito de voto

Realizou-se a semana passada, nas instalações do Centro Social das Lameiras, a eleição dos corpos gerentes para o quadriénio 2021-2024 das Associação de Moradores das Lameiras (AML). Asseguradas todas as medidas de segurança, devido à Covid 19, os associados participaram, segundo a instituição, de forma ativa, tendo elegido a Lista A, presidida por Jorge Faria, que é assim reconduzido na liderança da AML por mais quatro anos. Após a divulgação dos resultados, Jorge Faria reconheceu que os próximos quatro anos “prometem ser desafiantes para a nova direção”. O presidente reeleito relembrou o trabalho realizado desde o primeiro dia em que nasceu a AML, deixando uma palavra de “apreço e gratidão a todos os que fizeram parte das diferentes direções” e que “trouxeram a instituição até ao patamar de excelência onde de se encontra atualmente”. Jorge Faria salientou também que, sendo um mandato de continuidade, a sua equipa “tem de trilhar um caminho de liderança focado cada vez mais nas pessoas, na comunidade, na diversificação de serviços, levando a uma harmonia entre esses três fatores, transformando em oportunidades os desafios e dificuldades que vão surgindo no dia-a-dia”. A tomada de posse dos novos corpos gerentes ficou agendada para o dia 11 de janeiro de 2021.

GNR apreende 15 mil cigarros em operação que passou por Famalicão A GNR apreendeu 15 mil cigarros durante uma operação de combate à evasão e fraude tributária na zona do Grande Porto e do distrito de Braga, anunciou a Unidade de Ação Fiscal daquela força policial. Em comunicado, a GNR indica que a operação foi realizada na terça-feira da semana passada, em quatro concelhos do distrito do Porto (Gondomar, Penafiel Valongo e Vila Nova de Gaia) e três de Braga (Famalicão, Braga e Guimarães), permitindo ainda a apreensão de 1.650 gramas de folha de tabaco e de 36 litros de bebidas alcoólicas. O Estado teria perdido em impostos (Imposto Sobre o Tabaco e Imposto Sobre o Álcool e as Bebidas Alcoólicas) cerca de três mil euros se os artigos de contrabando apreendidos chegassem ao consumidor, calculou a GNR, que desenvolveu esta ação através do Destacamento de Ação Fiscal do Porto. O trabalho policial “incidiu sobre circuitos marginais de venda ao público, através de estabelecimentos comerciais, de produtos sujeitos a Imposto Especial Sobre o Consumo, especialmente tabaco e bebidas alcoólicas, sem pagamento dos impostos incidentes e em violação das normas de selagem e estampilhagem” estabelecidas pelo regime jurídico dos Impostos Especiais de Consumo (IEC), lê-se no comunicado.

FICHA TÉCNICA

CONSELHO EDITORIAL: Alexandrino Cosme, António Cândido Oliveira, António Jorge Pinto Couto, Artur Sá da Costa, Cristina Azevedo, Feliz Manuel Pereira, João Fernandes, Manuel Afonso e Almeida Pinto. ESTATUTO EDITORIAL: disponível em www.opiniaopublica.pt

DIRETOR: João Fernandes (CIEJ TE-95) jfernandes@opiniaopublica.pt

CHEFE DE REDACÇÃO: Cristina Azevedo (CPJ 5611) cristina@opiniaopublica.pt

REDACÇÃO: informacao@opiniaopublica.pt Carla Alexandra Soares (CICR-248), Cristina Azevedo (CPJ 5611).

DESPORTO: Jorge Humberto, José Clemente (CNID 297) e Paulo Couto.

As principais obras estruturantes que atualmente decorrem no concelho é o tema de destaque da nova edição do Boletim Municipal de Famalicão que começou a ser distribuído gratuitamente, na semana passada, e que está também disponível para consulta através das plataformas de comunicação do município. A reabilitação do Mercado Municipal, do Centro Urbano, do Teatro Narciso Ferreira, da Estação Rodoviária, da rede viária municipal, e a construção de mais rede de saneamento básico, da rede de ciclovias urbanas, da via ciclopedonal Póvoa-Famalicão e da Loja do Cidadão são algumas das intervenções em curso que merecem destaque nesta nova edição da publicação municipal. Obras que rasgam “o caminho do futuro em Famalicão, um futuro mais amigo do ambiente, da sustentabilidade, da economia local e das pessoas, com

mais qualidade de vida”, refere o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, na mensagem editorial que assina. À semelhança das últimas edições, este boletim conta também com um suplemento especial, desta vez dedicado aos Selos Famalicão Visão’25. Ao

longo das 20 páginas da separata são apresentados, de forma sucinta, os 34 projetos inspiradores que este ano foram reconhecidos com a chancela municipal. Economia, desporto, educação, cultura e ambiente são outros dos temas que merecem abordagem ao longo das 58 páginas da publicação. O Boletim Municipal tem uma tiragem de 25 mil exemplares e é distribuído gratuitamente, de forma não endereçada, no território concelhio. Quem não o receber em casa, pode levantar um exemplar nos diversos organismos municipais dispersos pelas freguesias do concelho e inclusivamente nas próprias Juntas de Freguesia. Outra opção de leitura é através do formato digital, disponível para consulta e download a partir do portal do município em www.famalicao.pt.

“Devesa sobre Asas” dá a conhecer aves avistadas no parque “Devesa Sobre Asas” é o título na nova exposição do Parque da Devesa, em Famalicão, que dá a conhecer as espécies da avifauna que “habitam” este espaço ou permanecem somente em determinados períodos do ano. São 54 fotografias de 54 espécies de aves, organizadas em dois painéis com 12 imagens referentes aos temas “Zonas Arborizadas” e “A Sobrevoar”, um painel com 14 imagens dedicadas ao “Parque”, e um painel com16 referentes a aves no “Lago e Rio”. A mostra surge na sequência do projeto “Devesa Sobre Asas” lançado em junho passado e dirigido aos vários amantes de fotografia que têm Mocho-galego encontrado no Parque da Devesa uma fonte de inspiração para o seu trabalho fotográfico, sobretudo devido à vasta variedade de aves que ali podem encontrar. O projeto convida exatamente os fotógrafos a registar, através da objetiva, a avifauna do parque, contando com a ajuda de uma voluntária com formação ambiental. As fotografias agora expostas pertencem a onze participantes do projeto e o resultado é uma exposição repleta de imagens de grande beleza, que estão disponíveis para visita ao longo do Parque. Refira-se que no total, há registos de pelo menos 109 espécies de aves que foram avistadas no Parque da Devesa. Na exposição estão patentes Cartaxo comum cerca de metade. A divulgação das imagens será feita também instagram) com a apresentação de várias imagens através das redes sociais do parque (facebook e acompanhadas de informação sobre a ave.

GRAFISMO: Carla Alexandra Soares

OPINIÃO: Adelino Mota, Barbosa da Silva, Domingos Peixoto, Gouveia Ferreira, J. Mário Teixeira, José Luís Araújo, Sílvio Sousa, Vítor Pereira. GERÊNCIA: João Fernandes

CAPITAL SOCIAL: 350.000,00 Euros.

DETENTORES DE MAIS DE 5% DO CAPITAL António Jorge Pinto Couto

TÉCNICOS DE VENDAS: comercial@opiniaopublica.pt Maria Fernanda Costa e Sónia Alexandra

PROPRIEDADE E EDITOR: EDITAVE Multimédia, Lda. NIPC 502 575 387

SEDE, REDACÇÃO E PUBLICIDADE: Rua 8 de Dezembro, 214 Antas S. Tiago - 4760-016 VN de Famalicão

IMPRESSÃO: Celta de Artes Gráficas, S.L. Gárcia Barbón, 87 Bajo - Vigo

INTERNET - www.opiniaopublica.pt

DISTRIBUIÇÃO: Editave Multimédia, Lda.

Serviços Administrativos: Tel.: 252 308146 / 252 308147 • Fax: 252 308149

NÚMERO DE REGISTO: 115673 DEPÓSITO LEGAL: 48925/91

CONTACTOS Redacção: Tel.: 252 308145 • Fax: 252 30814

TIRAGEM DESTE NÚMERO: 20.000 exemplares, nº 1491


opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

Custos com a atualização dos preços serão assumidos pela autarquia em 2021

responsável pela gestão dos resíduos, fazem a atualização dos seus preços, o que resulta habitualmente num aumento das faturas dos utilizadores. Este ano, dado o contexto de pandemia, decidimos assumir esses aumentos”, adiantou o edil. A única parcela que sofrerá alteração na fatura ambiental que todos os meses chega a casa dos famalicenses relaciona-se com a Taxa de Gestão de Resíduos (TGR) que é definida pelo Governo e que sofreu este ano uma atualização de 100% (passando e 11 para 22 euros por tonelada).

A decisão tomada pelo Governo relativamente a esta taxa foi, na altura, contestada por vários municípios, entre os quais Famalicão. Paulo Cunha revelou que escreveu uma carta ao ministro do Ambiente dando conta da sua discordância face à medida que considera de “extrema insensibilidade face ao período que atravessamos”. “O Governo baixa o IRS e outros impostos, mas depois aumenta taxas e taxinhas, os chamados impostos indiretos, indo por outras fontes ao bolso dos portugueses”, atira. C.A

03

Ex-aluno da D Sancho selecionado para evento internacional em Nova Iorque

Câmara não aumenta tarifas de água, saneamento e resíduos A Câmara de Famalicão não vai aumentar a fatura da água em 2021 aos seus munícipes. A autarquia vai assumir todos os custos com a atualização das tarifas de água, saneamento e resíduos, libertando as famílias famalicenses dessa despesa. A atualização das tarifas relativas à agua, saneamento e resíduos para 2021 foi aprovada em reunião do executivo camarário, realizada a semana passada. Apesar das empresas Águas do Norte e Resinorte terem decido aumentar entre 1 a 3% o serviço que prestam ao Município, a autarquia decidiu não refletir esses aumentos na fatura dos munícipes, ao contrário do que tem acontecido em anos anteriores. “São cerca de 200 mil euros que serão aliviados dos bolsos dos famalicenses e que a Câmara Municipal vai suportar, atendendo à difícil situação social e económica por que passam muitas famílias, devido à pandemia”, adiantou o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, aos jornalistas, no final da reunião. “Todos os anos, a empresa nacional Águas do Norte, responsável pelo fornecimento da água e tratamento do saneamento ao município, e a empresas Resinorte,

CIDADE

O antigo aluno da Escola Secundária D Sancho I, Gonçalo Ribeiro, recémdiplomado, foi um dos selecionados para participar na edição deste ano do evento “Change The World MUN”, em Nova Iorque, tendo ganho para o efeito uma bolsa para custear parte das despesas de deslocação. No entanto, e face ao cenário de pandemia, o jovem famalicense decidiu usar a possibilidade de adiar um ano a sua participação na iniciativa, esperando que, até lá, a situação esteja já controlada e o objetivo de reunir a restante quantia monetária necessária seja alcançado. O “Change The World MUN”, é organizado pela Association Diplomatici, uma ONG com estatuto consultivo especial junto do Conselho Económico e Social das Nações Unidas, que tem como objetivo permitir que os jovens se concentrem na defesa dos valores da democracia, estudando e simulando o trabalho das grandes organizações internacionais, entendendo o que significa respeito, tolerância e convivência entre cidadãos de um mundo de diferentes culturas, religiões ou etnias. O evento segue o modelo das Nações Unidas e no próximo ano contará, então, com um embaixador famalicense que viu despertar o “bichinho” dos debates na Escola Secundária D. Sancho I, através da participação no projeto Erasmus +.

Serviço criado para responder à pandemia vai permanecer

Associação de Restaurantes avança com plataforma de entrega de refeições A Associação de Restaurantes de Famalicão é fundada por proprietários de nove restaurantes do concelho e o objetivo é chegar, até ao final do ano, a uma centena de associados, sendo que o concelho terá à volta de 200 restaurantes.

Cristina Azevedo* O serviço de entrega gratuita de jantares, criado em Famalicão para dar resposta às medidas restritivas do Estado de Emergência devido à pandemia, veio para ficar e poderá integrar, muito em breve, uma plataforma digital para entrega de refeições ao domicílio. Este é o objetivo mais imediato na recém-criada Associação de Restaurantes (AR) de Famalicão, que realizou a sua primeira Assembleia Geral, na passada semana, numa sessão que serviu também para se apresentar pubicamente. “O nosso objetivo imediato é pensar em soluções para combater a pandemia e a falta de pessoas nos restaurantes, mas também começar já a delinear projetos para o pós Covid”, começou por dizer ao OPINIÃO PUBLICA o presidente da AR Famalicão, Pedro Mesquita, adiantado que o foco principal será a constituição da plataforma “LEVA”. “Neste momento, estamos a fazer uma junção de restaurantes e de estafetas, sem um mecanismo web, mas daqui a umas semanas isto irá ser transformado numa plataforma só de restaurantes de Famalicão e com estafetas próprios para levar a comida a casa dos

A Associação de Restaurantes já realizou a sua primeira assembleia geral

famalicenses”, explica o empresário. Pedro Mesquita salienta também o apoio da Câmara de Famalicão neste processo, que, nos últimos fins de semana, tem assumido os custos com os estafetas que entregam as refeições. Até ao momento foram já entregues

mais de 7.200 refeições que representam, segundo Pedro Mesquita, uma receita global de cerca de 150 mil euros para os 70 restaurantes aderentes. “É uma receita que não seria possível se não houvesse este serviço de entrega”, afirma.

Perdas rondam os 40% Pedro Mesquita reconhece que o setor atravessa “um momento muito difícil” com perdas que rondarão os 40%, mas entende que a pandemia também trouxe algumas oportunidades, como “uma maior união entre os empresários da restauração, que até aqui praticamente não existia”, e a possibilidade de explorar novas formas de negócio, “como é o caso da entrega de refeições ao domicílio, que acreditamos veio para ficar”. Nesta primeira assembleia geral da AR esteve também o vereador da Economia na Câmara de Famalicão, Augusto Lima, se congratulou com o nascimento da associação. “É nos momentos difíceis que a comunidade se deve juntar, no caso em concreto, os restaurantes, para poder ultrapassar esta fase bastante difícil”, argumentou, manifestando o apoio da autarquia em futuras ações. *com José Barbosa


04

CIDADE

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

Famalicão recebe bandeira verde pelo 4º ano consecutivo O município de Famalicão foi distinguido, esta quarta-feira, com o galardão Bandeira Verde ECOXXI, pela quarta vez consecutiva, numa cerimónia que decorreu online. O ECOXXI é um programa implementado pela Associação Bandeira Azul da Europa, que visa reconhecer as melhores práticas de sustentabilidade ao nível municipal, através da avaliação, por um conjunto de peritos de 21 indicadores e 71 subindicadores nas áreas ambiental, social e económica. Este ano, o ECOXXI incluiu, pela primeira vez, indicadores específicos no âmbito das alterações climáticas e saúde e bem-estar. Foram ainda considerados outros temas como: A Educação para a Sustentabilidade; Cidadania, Participação e Governança; Transparência, Digitalização e Conectividade: Emprego; Cooperação com a Sociedade Civil; Certificação de Sistemas de Gestão; Ordenamento do Território; Conservação da Natureza ; Gestão e Conservação da Floresta; Qualidade do Ar e Ambiente Sonoro; Água Segura e Qualidade dos Serviços de Águas Prestados aos Utilizadores; Produção e Recolha Seletiva de Resíduos Urbanos; Valorização do Papel da Energia na Gestão Municipal; Mobilidade Sustentável; Agricultura e Desenvolvimento Rural Sustentável; Turismo Sustentável. Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha “a atribuição deste galardão representa um reconhecimento público a Famalicão pelo trabalho desenvolvido em prol de um ambiente saudável”. “É um orgulho, mas é também uma responsabilidade que nos motiva para continuarmos a trabalhar em prol de um território mais amigo do ambiente, mais verde e com mais qualidade de vida para todos, principalmente para as gerações vindouras”, acrescenta. Uma das iniciativas municipais transversal aos vários indicadores é a plantação de 25 mil árvores até 2025. Trata-se de um projeto que envolve toda a sociedade, em ações de sensibilização e participação cívica, para a promoção da floresta autóctone. Neste momento, já foram plantadas quase 21.500 árvores no âmbito deste projeto. Refira-se que em 2020 foram apresentadas 62 candidaturas provenientes de todas as regiões do país. pub

Concurso promovido pela Câmara de Famalicão

Casa ao Lado vence “Programar em Rede” com projeto dirigido ao Hospital O projeto do centro artístico A Casa ao Lado para a requalificação e decoração dos espaços do Hospital de Famalicão venceu a edição deste ano do concurso “Programar em Rede”, promovido pela Câmara Municipal para apoiar um projeto cultural que seja promovido em conjunto por várias associações e instituições do concelho. A Casa ao Lado vai agora receber uma verba que poderá chegar aos dez mil euros para a concretização do projeto, promovido em parceria com o Centro Hospitalar do Médio Ave (CHMA) e a empresa famalicense Arga Tintas. A realização destas intervenções artísticas terá a duração de seis meses, decorrendo entre janeiro a julho do próximo ano, passando por vários serviços da unidade hospitalar, nomeadamente pela área pediátrica e pelo serviço de Patologia Clínica, entre outros espaços. O projeto, que tem como objetivo homenagear quem cuida e quem é cuidado, assenta na ideia de que a arte e a pintura mural num espaço hospitalar podem atuar como uma ferramenta poderosa de conforto e esperança a pa-

Projeto que levar a arte e a pintura mural aos espaços do hospital

cientes, famílias, equipas médicas e voluntários. A instituição promotora acredita que, através da requalificação e decoração dos espaços, pode-se “ajudar a criar um ambiente harmonioso, agradável e tranquilo em espaços conotados a dor, stress e doença”. Refira-se que A Casa ao Lado venceu esta quinta edição do projeto municipal com 10 votos. Em segundo lugar, ficou o Grupo Recreativo e Cultural de Lemenhe, com o projeto “Da Serra ao Mar –

Culturas”. A votação decorreu no último Conselho Municipal da Cultura. Esta é a segunda vez que A Casa ao Lado vence este concurso, depois de ter arrecadado em prémio me 2017. No primeiro ano do concurso, em 2016, a vencedora foi a Fundação Cupertino de Miranda. Associação Dar as Mãos e Associação de Moradores das Lameiras foram as outras instituições que já conquistaram o prémio.

Criada há um mês pela clínica famalicense Oldcare

Linha de apoio a profissionais de saúde recebe relatos de desgaste emocional Dúvidas e preocupações relacionadas com o tempo dedicado ao trabalho e à família estão no topo dos relatos que chegam à linha de apoio psicológico criada há cerca de um mês pela clínica de Famalicão Oldcare para os profissionais de saúde. “Os profissionais relatam sobre o forte impacto emocional que estão a sentir. Entre os principais desabafos estão os turnos muito longos e o peso e desconforto dos equipamentos de proteção individual. Com o passar do tempo, o desgaste emocional e físico aumenta e vários profissionais admitem estar a pensar em recorrer ao afastamento temporário do trabalho por baixa médica”, refere a clínica, em nota à imprensa. Susana Dias, diretora clínica da Oldcare, faz um balanço “muito positivo do primeiro mês de funcionamento daquela linha de apoio psicológico, sublinhando que “o objetivo é proporcionar apoio a quem tem estado na linha de frente ao combate a pandemia”. Os profissionais de saúde estão “sobrecarregados e sob forte pressão desde a primeira vaga da pandemia e a situação tem piorado com o agravamento do número de casos da doença”, acrescenta. Por outro lado, e ao contrário do que estava inicialmente planeado, a linha de apoio psicoló-

gico recebeu também, segundo a Oldcare, “uma enorme procura por parte da população”. Mais do dobro das chamadas foi realizada por pessoas que não são profissionais de saúde. A maior parte das chamadas recebidas foi de pessoas infetadas que são cuidadoras e que não tinham ninguém para cuidar dos seus familiares doentes. “Muitas das chamadas foram efetuadas por pessoas que estiveram em contacto próximo com doentes com Covid 19 e que tinham muitas dúvidas sobre quais os procedimentos recomendados pela Direção Geral da Saúde (isolamento, realização de teste, etc.) e que não conseguiam estabelecer contacto com a Linha Saúde 24”, pode ler-se no comunicado. Nestes casos, a Clínica Oldcare, que está a seguir as recomendações e orientações da Ordem dos Psicólogos Portugueses, procedeu ao encaminhamento das situações para outras entidades de saúde, nomeadamente o SNS 24 e instituições do concelho. Também foram registadas muitas chamadas feitas por pessoas com crise de ansiedade devido ao isolamento social e contactos feitos por pessoas que estão a viver momentos emocionalmente difíceis devido à perda de familiares próximos com Covid 19.


opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

Candidatura apresentada pelo Município vai ser financiada com 1 milhão de euros

União Europeia aprova projeto de Famalicão para criar ETAR biológica

A criação de uma Fito ETAR em Fradelos é a principal novidade

que representa 45% do orçamento do projeto, está prevista a recuperação dos sistemas de rega tradicionais, nomeadamente levadas, poças e tanques, que antigamente seguravam a água em pontos altos e depois a distribuíam no verão, sem custos energéticos. “Esses sistemas que têm sido abandonados tinham não só a função de regar, mas da própria gestão da água, evitando cheias e permitindo, por exemplo, que os bombeiros pudessem abastecer-se de água no combate aos fogos”, explica um dos responsáveis do projeto. Outra das ações previstas é a recuperação de habitats naturais que têm a capacidade de reter a água e infiltrá-la nos lençóis freáticos, evitando assim o efeito das cheias a montante e aumentando a quantidade de água nos lençóis para utilização durante o verão, em períodos de seca. Esta ação diz essencialmente respeito à recuperação de dois ecossistemas, um na Ribeira de Fradelos e outro nas Charcas-Pateiras. Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, a aprovação desta candidatura “é uma excelente notícia para o município que vê assim apoiada a sua ambição de contribuir para um futuro mais sustentável e amigo do planeta”. “Uma das nossas principais preocupações politicas tem a ver com proteção do meio ambiente e a redução da pegada ecológica, salvaguardando o planeta para as novas gerações e é precisamente aqui que se insere este novo projeto”, acrescenta. Refira-se que em regiões propensas a secas, como é o território português, as alterações climáticas incidem sobre a gestão da água e o seu impacto na qualidade de vida das sociedades e das atividades económicas. O Município de Famalicão e as Águas do Norte têm responsabilidades Sistemas de rega tradicionais dentro da gestão da água pública na Bacia serão recuperados Hidrográfica da Ribeira de Fradelos, que é Para além da criação de uma Fito ETAR, a área do projeto.

A recuperação de um tanque de grandes dimensões na ETAR de Agra, nas águas do Rio Ave, e a sua transformação numa Fito ETAR – isto é, uma espécie de ilha flutuante em cortiça onde crescem plantas que ao se desenvolverem absorvem uma quantidade muito grande de nutrientes poluentes, permitindo a reutilização das águas residuais na agricultura – é uma das ações mais inovadoras do projeto “Life Pateiras - Natural Adapt 4 Rural Areas”, que acaba de ser aprovado ao programa Life da União Europeia, dedicado ao Ambiente e Ação Climática. A candidatura apresentada pelo município de Famalicão em parceria com as Águas do Norte foi um dos cerca de 15 projetos europeus aprovados para as alterações climáticas. Com um custo elegível de 1,8 milhão de euros, o projeto, que viu aprovado um apoio na ordem de 1 milhão de euros, vai desenvolver-se no território da Paisagem Protegida Local das Pateiras do Ave, situado na freguesia de Fradelos e estendendo-se até às freguesias vizinhas de Ribeirão e Vilarinho das Cambas. O projeto será implementado entre 1 de janeiro de 2021 e 31 de dezembro de 2025. A criação de uma Fito ETAR é, de resto, a grande inovação da candidatura, tratando-se de um projeto-piloto, único na sua dimensão a ser implementado em Portugal. De acordo com os responsáveis pelo projeto “através deste sistema vai ser possível tratar cerca de 5% ou 6% do efluente da ETAR de Agra, que é uma das maiores deste género no país, sem a utilização de nenhum tipo de energia, nem químicos, de uma forma totalmente natural, através das plantas certas e das bactérias existentes no tanque, que vão fazer uma purificação da água, que permitirá a sua utilização para rega”.

CIDADE

05 pub

Costas & Oliveira abre garrafeira única no país

A empresa distribuidora de bebidas Costas & Oliveira surgiu em Famalicão há 42 anos. Foi em maio de 1979, em pleno período do pós-revolução, que três amigos se iniciaram numa aventura de vender bebidas, adquirindo uma empresa local. Hoje, como no primeiro dia em que começou a trabalhar, a Costas & Oliveira continua a querer ser a melhor das melhores. E a comemorar 42 anos de atividade, esta empresa famalicense é líder na comercialização de bebidas na região Norte e uma referência a nível nacional. Este ano, a Costas & Oliveira efetuou uma “reformulação profunda” das suas instalações, localizadas em Calendário, e a 9 de dezembro abriu uma nova garrafeira. “É um espaço enorme, com mais de 200 lugares de estacionamento e preparado até para a realização de eventos”, aponta Vicente Costa, sócio-gerente da empresa, sublinhando, porém, que o objetivo “não é tornar-nos aos maiores, mas sim tornar-nos os melhores no comércio de bebidas, através do nosso portfólio de produtos”. Esta nova garrafeira, para além de dar a conhecer aos clientes os produtos que a empresa coloca no mercado, está também aberta ao público em geral, oferecendo “as melhores condições para que esse público possa cá vir e não tenha pressa de ir embora”, refere o sócio-gerente Pedro Costa. Apesar de ter sido recentemente inaugurada, a nova garrafeira já parece ter conquistado os clientes. “O feedback que nos têm dado é muito bom, porque,

de facto, este é um espaço único no país”, conta Pedro Costa. E acrescenta: “Temos pessoas que conhecem garrafeiras pelo país fora e que nos dizem que esta é a melhor. São pessoas de vários sítios, de várias empresas, e é isso que nos satisfaz e que nos leva a dizer que o objetivo está alcançado”. A gerência da Costas & Oliveira não quer, porém, que o novo espaço seja apenas uma mera garrafeira. “Queremos que seja um espaço diferenciador, que pode ser, por exemplo, aproveitado para formação ou para demonstração e lançamento de novos produtos”, adianta Pedro Costa. Na garrafeira pode-se encontrar mais de 1500 marcas de vinho e 3.500 referências de bebidas. Existe ainda uma secção de produtos complementares, como queijos, presunto e enchidos. Este investimento “de alguns milhões de euros” foi realizado num ano atípico, marcado por uma pandemia que, Vicente Costa reconhece, trouxe dificuldades ao setor. “Sentimos bastante as consequências, sobretudo no mercado Eureka, que engloba restaurantes, café, bares e discotecas”. Já o mercado alimentar “vai trabalhando razoavelmente bem, inclusive há casos de supermercados que estão a trabalhar melhor do que no período antes da pandemia”. Apesar destas adversidades, a Costas & Oliveira não sentiu necessidade de mexer na sua estrutura e continua a trabalhar com a mesma equipa de cerca de 65 colaboradores.


06

CIDADE

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

Deputado famalicenses questionou a tutela sobre as implicações para o concelho

pub

Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Famalicão

Eleições Quadriénio 2021/2024

Realizou-se no passado sábado, dia 19 de dezembro, o ato eleitoral para a eleição dos órgãos sociais para o quadriénio 2021/2024 da Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Famalicão. Reeleito o Provedor Dr. Rui Maia, que para este quadriénio contará novamente com o Presidente da Assembleia Geral Dr. José Machado Nogueira e dará as boas vindas ao Presidente do Conselho Fiscal Dr. Joaquim Costa Correia Araújo. Informamos também que a tomada de posse dos novos Corpos Gerentes se realiza no dia 9 de janeiro de 2020, pelas 10h30. A Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Famalicão dará continuidade à sua missão de promoção do bem-estar das pessoas a nível biológico, social, psicológico, espiritual. Pretende manter-se como Instituição de referência no concelho, na oferta de respostas e de soluções integradas no âmbito da solidariedade social, nas áreas da infância e na terceira idade. A Instituição assenta os seus valores na Solidariedade (apoio aos mais desprotegidos), na Competência (atuação multidisciplinar e dinâmica em várias áreas de apoio social com equipas de trabalho estruturadas e distribuídas por diferentes áreas de atuação), na Modernidade (aposta na reorganização e na reestruturação dos espaços e na formação das pessoas pensando no presente e projetando o futuro). A equipa Santa Casa tem de ter bondade, empatia, amor ao próximo. É esse o espírito da nossa Instituição: fazer o bem sem esperar nada em troca, apoiar os outros pelo simples prazer de ajudar, prestigiando e respeitando a Instituição. Aos Provedores e aos Órgãos Sociais, que contribuíram pro ativamente para a história e para evolução da nossa Instituição, o nosso muito obrigado. Uma saudação especial aos utentes, aos funcionários e às famílias que nesta fase difícil da pandemia se têm revelado resilientes e excepcionais. Bem hajam pela compreensão, pelas palavras de incentivo, pela união. Que este Natal seja de Saúde e Paz e que o Novo Ano promova a positividade e a amizade.

TGV Porto-Vigo não passa de uma intenção, diz Jorge Paulo Oliveira O projeto apresentado recentemente pelo Governo para ligar o Norte de Portugal e a Galiza em comboio de alta velocidade (TGV), e que no distrito, além de Braga atravessará previsivelmente os municípios de Famalicão e Vila Verde, uma obra inserida no Programa Nacional de Investimentos 2030, “não passa de um simples anúncio”. Esta é a interpretação do deputado famalicense do PSD, Jorge Paulo Oliveira, em face dos esclarecimentos do Governo. “Não temos nenhum projeto, nem anteprojeto, não temos nada. Subsiste apenas a expressão de uma vontade. Não temos, nem vamos ter alta velocidade, mas sim velocidade alta. Estamos no mesmo ponto em que ficamos em 2009, quando pela última vez este assunto mereceu ampla discussão pública”, afirma o deputado, em nota à imprensa. Jorge Paulo Oliveira, questionou diretamente o ministro das Infraestruturas, sobre o anúncio do projeto da construção de uma nova linha ferroviária ligando Porto-Valença-Vigo. “O Governo refere a construção de uma nova linha, de via dupla e de alta velocidade, para passageiros, entre Porto Campanhã, Aeroporto Francisco Sá Carneiro, Braga, Valença e Vigo” e diz que “esta ligação será feita de forma faseada, dando prioridade ao troço Braga e Valença”, mas nada diz “sobre uma ou outras fases subsequentes, com vista à construção do troço entre Porto e Braga”, começou por dizer Jorge Paulo Oliveira. Neste contexto, o parlamentar social-democrata questionou Pedro Nuno Santos no sentido de saber se, enquanto não fosse construído este

Jorge Paulo Oliveira

segundo troço, seria utilizada a atual Linha do Minho até à Estação de Nine, em Famalicão, e a partir daí o Ramal até Braga. Jorge Paulo Oliveira, perguntou, ainda, se existia “algum anteprojeto, algum esboço mais desenvolvido sobre o futuro trajeto entre Porto e Braga”, quais as freguesias e municípios que o mesmo irá atravessar. As respostas de Pedro Nuno Santos revelaram que tudo está numa fase muito embrionária, pelo que Jorge Paulo Oliveira considerou que “se recomenda ao Governo que seja contido nos seus anúncios e nas suas proclamações”.

Trofa avança com construção de via que vai “aliviar” trânsito na EN14

Já está no terreno a empreitada da Rede Ciclável e Pedonal da Trofa – Distribuidora Principal 21. A nova via, que ligará a rotunda

do bombeiro à zona do Hospital da Trofa, será fundamental no descongestionamento do trânsito na EN14 e NA EN104 e no

acesso ao centro da cidade da Trofa, avançou, em comunicado, a Câmara Municipal trofense. Pensada no âmbito do Plano Rodoviário Municipal, como “uma via estruturante e diferenciadora, que vai proporcionar a reorganização profunda do trânsito no centro da cidade da Trofa”, o novo eixo vai também facilitar a mobilidade entre o concelho da Trofa e o concelho de Famalicão, dada a carga crescente de tráfego entre as duas cidades, e a A3. A obra, a cargo da Câmara Municipal da Trofa representa o investimento de cerca de 1,2 milhões de euros e tem financiamento de fundos europeus a 85%. Este projeto contemplará igualmente a construção de uma ciclovia e ainda zonas de circulação pedonal.


opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

Iniciativa da autarquia pretende incentivar a inovação no concelho

Famalicão cria bolsas de investigaçã com o valor de 5 mil euros

A Câmara Municipal de Famalicão, através do programa Famalicão Made IN, vai apoiar investigadores ou bolseiros que pretendam desenvolver os seus projetos de investigação no concelho, com um prémio financeiro no valor de 5 mil euros. “O grande objetivo é, por um lado, impulsionar a inovação científica e tecnológica, no concelho. E, por outro lado, sermos capazes de atrair investigadores e bolseiros que queiram desenvolver projetos de investigação em Famalicão”, explica o vereador do Empreendedorismo, Augusto Lima. O projeto de regulamento do novo Programa Municipal de Apoio Financeiro a Bolsas de Investigação foi aprovado na reunião do executivo da semana passada e vai estar em consulta pública, pelo período de 30 dias,

depois de publicado em Diário da República, no portal online do Município em www.famalicao.pt. Este novo programa, cujas candidaturas deverão arrancar no início do segundo trimestre de 2021, é transversal a toda a investigação científica e atividade económica. Destina-se a investigadores ou bolseiros nacionais ou estrangeiros com projetos de investigação aprovados pelas entidades oficiais e que queiram desenvolver a sua atividade em empresas, universidades ou centros de investigação sediados ou com estabelecimento em Famalicão, pretendendo-se que esses projetos possam depois ter aplicação na indústria. Cada projeto aprovado terá um financiamento de 5 mil euros. A ideia é que se possam desenvolver, em território famalicense,

produtos, equipamentos, instrumentos, utensílios, tecnologias e metodologias que satisfaçam necessidades concretas do mercado. Deste modo, segundo Augusto Lima, incentiva-se também a inovação tecnológica e a competitividade do tecido empresarial famalicense. “Para que, cada vez mais, possamos contribuir com mais patentes, com mais produtos de elevada incorporação tecnológica e de valor acrescentado”, afirma. Refira-se ainda que o Programa Municipal de Apoio Financeiro a Bolsas de Investigação é desenvolvido em colaboração com a COTEC Portugal (Associação Empresarial para a Inovação) e com a Agência Nacional de Inovação, que vão ser os júris na atribuição e validação dos projetos apoiados. C.A.

Covid 19: Famalicão com 1.164 casos por 100 mil habitantes O número de novos casos de Covid 19 desceu em Famalicão, pela terceira semana consecutiva. Segundo o boletim epidemiológico da última segunda-feira da Direção Geral da Saúde, o concelho registou uma incidência acumulativa a 14 dias (de 4 a 17 de dezembro) de 1.164 novos casos por 100 mil habitantes. São menos 360 infeções, face ao balanço da semana passada. Contudo, Famalicão continua com mais de 960 casos por 100 mil habitantes pelo que permanece entre os concelhos de “risco extremamente elevado”, ou seja, na zona vermelha, sujeita às medidas mais situação os municípios de Barcelos, Esposende, Guimarães, Póvoa de Lanhoso e restritivas do Estado de Emergência. No distrito de Braga estão na mesma Vieira do Minho.

CIDADE

07 pub

26 anos de IPCA: o politécnico que prima pelo crescimento e inovação

O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) celebrou no passado dia 19 de dezembro o seu 26º aniversário. Todos os anos, o mês de dezembro é altura para balanços e no IPCA não é exceção. O número de estudantes do IPCA não para de aumentar, passando de 4100 estudantes em 2016 para mais de 5600 em 2020, o que equivale a uma taxa de crescimento superior a 30% em menos de 4 anos - um aumento que se deve também à forte expansão dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP). Mas, não podemos ficar por aqui. Devemos sim, lembrar que o IPCA foi o 2º Politécnico no país com a maior taxa de entrada no Concurso Nacional de Acesso (CNA), tendo recebido cinco vezes mais candidaturas do que as vagas existentes. A forte aposta no regime póslaboral é também uma forma de potenciar aos jovens trabalhadores uma aposta contínua na formação. O IPCA aposta numa formação prática, semelhante ao ambiente que se vive em empresas daí a estreita relação com as mesmas. O politécnico público de ensino superior, com sede em Barcelos, tem uma

ampla oferta educativa em áreas tão distintas como o Design, a Gestão, a Tecnologia, a Hotelaria e o Turismo. A frequente organização de projetos, formações, seminários e conferências, de caráter nacional e internacional, prepara os estudantes com todas as competências necessárias para superarem os desafios das profissões que terão de desempenhar no futuro. Isto acontece, claro, em todos os cursos do IPCA, que se dividem em 14 cursos de licenciaturas, 26 cursos de mestrados e cursos de pós-graduação, 24 cursos técnicos superiores profissionais (CTeSP) e outros cursos que não conferem grau. As cinco escolas superiores do IPCA — Escola Superior de Gestão (ESG), Escola Superior de Tecnologia (EST), Escola Superior de Design (ESD), Escola Superior de Hotelaria e Turismo (ESHT) e Escola Técnica Superior Profissional (ETeSP)— estão distribuídas pelo quatro concelhos do quadrilátero. O Campus do IPCA está situado em Barcelos, com instalações modernas e altamente equipadas, e os Polos, onde predomina oferta de CTeSP, localizam-se nos concelhos de Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão.


08

FREGUESIAS

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020 pub

Autarca de Riba d’Ave faz balanço positivo do mandato

“Finalmente vamos ter o Teatro Narciso Ferreira a servir a freguesia”

Susana Pereira

pub

A requalificação do Teatro Narciso Ferreira e da escola do 1º ciclo da vila são as obras que a presidente da Junta de Riba d’Ave elege como as mais importantes do atual mandato. Em entrevista à Fama Rádio e Televisão, Susana Pereira, confessa que a reabilitação da escola, terminada há um ano, é das obras que mais lhe “enche o coração”. “Está aqui um recreio e uma escola com todas as condições que as nossas crianças merecem. Uma escola moderna, com quadros interativos, confortável”, afirma autarca. Quanto à intervenção no Teatro Narciso Ferreira, que está a decorrer, Susana Pereira salienta que “era

uma obra que estava sempre na memória das pessoas”. “Finalmente, vamos ter este espaço requalificado e a servir a freguesia e localidades vizinhas. Um espaço que vai oferecer, sobretudo cultura, mas que será também um espaço polivalente onde vão poder acontecer diferentes tipos de eventos, desde cinema ao teatro, passando por congressos.”. A menos de um ano de terminar o seu segundo mandato à frente da autarquia ribadavense, Susana Pereira espera terminar a requalificação da Rua Conde de Riba d’Ave, que é “uma zona de entrada na freguesia”. A autarca mostra-se também preocupada com as consequências que a pandemia poderá trazer no próximo ano, sobretudo, ao nível secio-económico. “Neste momento, não posso dizer que se sinta uma grande tragédia, mas já se sentem alguns efeitos negativos e temos que se agravem em 2021”. De resto, a atividade económica da vila, sobretudo ao nível do comércio e serviços, já estava fragilizada devido ao encerramento do Externato Delfim Ferreira e ao fim dos contratos de associação com a Didáxis, que se manteve em Riba d’Ave, “mas não ao mesmo nível”. “Foi um golpe muito forte para a vila porque diminuiu muito o movimento e, com isso, o número de pessoas a frequentar os espaços comerciais e a procurarem casas em Riba de Ave”. Em 2021 haverá eleições autárquicas e Susana Pereira, eleita pela coligação PSD/CDS-PP, confessa que ainda não decidiu se se irá recandidatar. “Ainda é um assunto a pensar”, afirmou. C.A./C.A.S.

Sindicato promoveu ação de protesto junto à fábrica

Empresa Leica acusada de assédio e discriminação salarial O Sindicato das Indústrias Transformadoras do Norte (SITE Norte), afeto à CGTP, acusou, a semana passada, os responsáveis da Leica, multinacional alemã com fábrica em Lousado, de assédio laboral e discriminação salarial. Na tarde da passada quintafeira, alguns trabalhadores, dirigentes, delegados e ativistas sindicais concentraram-se em frente à empresa, numa “ação de denúncia” daquelas situações e também para reivindicar aumento salarial mínimo de 90 euros para todos os funcionários. Henrique Fernandes, trabalhador e delegado sindical da Leica, explicou ao OPINIÃO PÚBLICA que “as atitudes de assédio moral e laboral acontecem sempre que um trabalhador quer fazer valer os seus direitos junto do sindicato ou até mesmo junto de outras instâncias”, acrescentando que estão já a decorrer nos tribunais cinco processos movidos por trabalhadores contra a administração da empresa, sendo que um deles “já foi ganho pelo trabalhador”. “Fazem uma pressão imensa sobre esses trabalhadores, exigindo índices de produção incomportáveis, e depois tentam passar

Na quinta-feira o sindicato promoveu uma ação à porta da empresa

a ideia de que são incompetentes, incapazes e inúteis”, referiu. O delegado sindical acusa ainda a Leica de discriminação salarial entre trabalhadores que exercem as mesmas funções. “São diferença que vão dos 70 aos 100 euros mensais, sem razões que o justifiquem”, afirma. Ana Paula, trabalha na Leica há 25 anos. Está sindicalizada e, por esse motivo, acusa a administração de “nunca lhe ter dado o aumento” que julga merecer. “Faço o meu trabalho, dou o meu melhor, e vejo colegas a fazer o mesmo trabalho e com salários

bem mais altos”, relata. O SITE Norte exige ainda da administração a aplicação dos direitos constantes no contrato coletivo de trabalho subscrito pela Federação Intersindical das Indústrias Metalúrgicas, Químicas, Elétricas, Farmacêutica, Celulose, Papel, Gráfica, Imprensa, Energia e Minas (Fiequimetal) e a valorização da contratação coletiva. O OPINIÃO PUBLICA tentou obter uma reação da administração da Leica, mas esta não se manifestou disponível para prestar declarações. C.A.


opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

Número avançado por Paulo Cunha em visita à freguesia

Câmara investiu 900 mil euros no melhoramento de ruas em Ribeirão

Paulo Cunha visitou obras concluídas e outras em curso

As vias de comunicação foram o tema central da visita de trabalho do presidente da Câmara de Famalicão, Paulo Cunha, à vila de Ribeirão, a semana passada. O edil entende que os principais problemas estruturais da vila com as acessibilidades começam a ficar ultrapassados, salientando que “nos últimos anos, foi canalizado um investimento de mais de 900 mil euros para obras em quase duas dezenas de ruas, travessas e avenidas na freguesia”. “É uma aposta gigantesca no crescimento e progresso desta vila”, assumiu Paulo Cunha. As acessibilidades foram ao longo de vários anos a principal reivindicação da Junta de Freguesia. Além da intervenção programada para a Estrada Nacional 14, numa parceria estabelecida entra a autarquia e a administração central, destacam-se a renovação da rua de S. Mamede, que implicou um investimento superior a 300 mil euros; a ligação à Rua do Sol Poente que foi adjudicada por cerca de 290 mil euros; a comparticipação na execução das

obras na Rua D. Dinis e Travessa da Antiga Escola, mediante celebração de um contrato de cooperação no valor de 45 mil euros, entre outras. Acompanhado pelo presidente da Junta de Freguesia, Adelino Oliveira e pelo vereador das freguesias, Mário Passos, o presidente da Câmara Municipal percorreu várias ruas ainda em obras e outras já concluídas. A criação do Parque de Lazer junto à Avenida Rio Veirão é outra das ambições da Junta de Freguesia, cuja a concretização está para breve. De acordo com o projeto elaborado pela autarquia, o parque terá múltiplas funções. Para além de um percurso pedonal, terá ainda uma zona para espetáculos ao ar livre, um parque de merendas, uma área fitness e vário mobiliário urbano que convida ao relaxamento e convívio. A comitiva analisou ainda o investimento do município no movimento associativo da freguesia, donde sobressai o apoio ao Agrupamento de Escuteiros para o desenvolvimento de diversas obras.

Engenho recebe viatura adaptada oferecida pela Fundação Montepio A Engenho – Associação de Desenvolvimento Local do Vale do Este, de Famalicão, recebeu, na passada semana, uma viatura adaptada, oferecida pela Fundação Montepio, no âmbito da 13ª edição do projeto social “Frota Solidária”. “Esta carrinha de transporte de nove lugares é um velho anseio da Associação pois será colocada à disposição dos utentes das diferentes respostas sociais, nomeadamente dos idosos, com mobilidade reduzida ou condicionada”, afirmou o presidente da direção, Manuel Augusto de Araújo. Dado tratar-se da única viatura do género existente nas freguesias da zona norte do concelho, aquele responsável admite a possibilidade de a disponibilizar, “sempre que possível e de forma programada, ao serviço de pessoas em situação de necessidade

FREGUESIAS

09

Criança de dois anos morre afogada numa piscina em Joane Um menino de dois anos morreu afogado, ao início da tarde do passado sábado, depois de ter caído a uma piscina, numa residência na vila de Joane. O acidente terá acontecido em casa de familiares, tendo o alerta sido dado por volta das 12h40. Ao que o OPINIÃO PUBLICA conseguiu apurar terá sido a mãe da criança a aperceber-se da situação, dando com o filho inanimado na piscina. Para o local foram acionados os Bombeiros Voluntários Famalicenses e uma equipa médica da VMER, bem como a GNR. Segundo fonte dos bombeiros, quando os meios de socorro chegaram ao local a criança estava já “fora da piscina”. Ainda recebeu manobras de reanimação durante cerca de uma hora, mas o óbito acabaria por ser declarado no local. O corpo do pequeno Gonçalo foi transportado para a morgue de Famalicão. O funeral realiza-se esta quarta-feira, dia 23, na Igreja Paroquial de Joane, indo a sepultar no cemitério desta vila. Segundo informação da Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI), “o afogamento em Portugal continua a ser a segunda causa de morte acidental nas crianças”. Os dados mais recentes (até 2018), publicados pela APSI mostram que nos últimos oito anos, em média, por ano, nove crianças morreram na sequência de um afogamento, e 26 foram internadas, sendo que o maior número de afogamentos ocorre até aos quatro anos.

Associação de Dadores de Sangue premeia dador de Ribeirão

Associação de Dadores de Sangue de Famalicão presenteou, este sábado, dador Vítor Ribeiro, residente em Ribeirão, com um televisor LCD. Este sorteio foi feito incluindo todos os dadores que durante o ano de 2020 disponibilizaram o seu sangue quer tenha sido para o IPST ou para o Hospital de Famalicão. A entrega do LCD foi feita por Joaquim Vilarinho, presidente desta Associação e a dádiva deste dador foi realizada a 17 de setembro, no Salão do Centro Pastoral de Santo Adrião.

Homem de 40 anos detido em Bairro por tráfico de droga e com problemas de mobilidade e acessibilidade”, pois, acrescenta, “os bens e equipamentos das instituições devem ser partilhados a favor de todos e ao serviço da comunidade”. Esta iniciativa da Fundação Montepio destina-se a IPSS que

trabalham com públicos vulneráveis e população económica e socialmente desfavorecida e resulta de uma seleção de candidaturas, que procura uma distribuição geográfica adequada, mas também o reconhecimento do mérito e da qualidade da intervenção.

A GNR, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Barcelos, deteve, a semana passada, em flagrante, um homem de 40 anos por tráfico de estupefacientes na freguesia de Bairro, em Famalicão. No âmbito de uma investigação que decorria há cerca de dez meses, os militares detiveram o suspeito em flagrante com sete doses de heroína. O detido, com antecedentes criminais por furto, roubo, posse ilegal de arma de fogo e tráfico de estupefacientes, foi presente ao Tribunal Judicial de Guimarães, tendo ficado sujeito à medida de coação de prisão preventiva.


10

PUBLICIDADE

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

José Pedro Costa Seara

Missa Natalícia

A família vem por este meio comunicar às pessoas de suas relações e

amizade, que será celebrada uma Missa em sufrágio da sua alma (que se fos-

se vivo completaria 30 anos), quinta, dia 24 de Dezembro pelas 16:30 horas,

na Igreja Paroquial de S. Martinho do Vale.

Igualmente aqui deixam o seu agradecimento a todos aqueles que participa-

rem neste piedoso acto, pelo seu eterno descanso.

Vale S. Martinho, 23 de Dezembro de 2020

Desde já, antecipadamente agradece A Família

Falecimentos Ilídio Gomes de Castro, no dia 20 de dezembro, com 90 anos, viúvo de Maria Oliveira Faria, de Arnoso Santa Maria.

Rui Alexandre Campos Dias, no dia 19 de dezembro, com 27 anos, de Rebordões (Santo Tirso).

António de Sousa e Silva, no dia 15 de dezembro, com 88 anos, viúvo de Maria da Conceição da Costa e Silva, de Arentim (Braga).

Maria Cecília Borges Guedes, no dia 15 de dezembro, com 87 anos, viúva de Joaquim Gomes de Azevedo, de Santo Tirso.

António de Sousa, no dia 14 de dezembro, com 97 anos, viúva de Júlia Maria Oliveira Pereira, de Ruílhe (Braga).

Luciano Barbosa dos Santos, no dia 15 de dezembro, com 81 anos, casado com Maria Carlinda Oliveira da Silva, de Água Longa (Santo Tirso).

Agência Funerária Arnoso - José Daniel Pereira Arnoso Santa Eulália - Telf. 91 724 67 03

Luís Jesus Fernandes, no dia 16 de dezembro, com 75 anos, casado com Joaquina Filomena Pereira Gouveia, de Bairro.

Alcina Sousa Fernandes, no dia 15 de dezembro, com 85 anos, viúva de Joaquim Pereira Monteiro, de Bairro. Agência Funerária de Burgães Sede.: Burgães / Filial.: Delães Telf. 252 852 325

Joaquim Machado, no dia 16 de dezembro, com 86 anos, casado com Glória da Costa Pereira, de Oliveira S. Mateus.

Rosa Marques de Castro, no dia 14 de dezembro, com 55 anos, casada com Melchior Silva de Castro, de Vermoim.

António Abreu Rodrigues, no dia 18 de dezembro, com 82 anos, viúvo de Joaquina Celeste Fernandes de Abreu, de Mogege.

Deolinda de Sousa Areias, no dia 14 de dezembro, com 86 anos, viúva de Armando Augusto da Silva de Landim.

Rosa da Silva Barbosa, no dia 20 de dezembro, com 74 anos, casada com Horácio Fernandes, de Delães.

José Ângelo Ferreira, no dia 15 de dezembro, com 80 anos, casado com Clementina Machado Ferreira, de Ruivães.

Agência Funerária Carneiro & Gomes Oliveira S. Mateus – Telm. 91 755 32 05

Maria Alice Pinto da Silva, no dia 14 dezembro, com 77 anos, de Antas S. Tiago. Maria Teresa Ferreira Rebelo, no dia 15 de dezembro, com 85 anos, viúva de António Alves Peliteiro, de S. Tiago da Cruz. Ana Martins da Costa, no dia 15 de dezembro, com 90 anos, viúva de José Leitão de Araújo Macedo, de Vila Nova de Famalicão. Maria Edite Correia da Silva Barros, no dia 19 de dezembro, com 90 anos, viúva de Mário Alberto Dias de Oliveira, de Vila Nova de Famalicão. Avelino Correia de Azevedo, no dia 20 de dezembro, com 78 anos, casado com Maria Arménia Gomes Enxurreira, de Mouquim. Maria Isabel Ferreira Teixeira, no dia 20 de dezembro, com 83 anos, viúva de António Leite Teixeira, de Gavião. Eva de Oliveira e Silva, no dia 20 de dezembro, com 93 anos, viúva de José da Silva Castro, de Vila Nova de Famalicão. Agência Funerária Rodrigo Silva, Lda Vila Nova de Famalicão – Tel.: 252 323 176

Felicidade Dias da Fonseca, no dia 15 de dezembro, com 96 anos, casado com Firmino Martins Fernandes, de Calendário. Carlos Fernando de Almeida Lima, no dia 20 de dezembro, com 84 anos, casado com Arminda Fernandes Correia Lima, de Calendário. Agência Funerária do Calendário Calendário – Tel.: 252 377 207

Menino Gonçalo Mota Carvalho, no dia 19 de dezembro, com 2 anos, filho de João Paulo Marques Carvalho e Cláudia Patrícia Meireles Mota, de Joane. Agência Funerária da Portela Portela (Santa Marinha)– Tel.: 252 911 495

António Pereira de Carvalho, no dia 16 de dezembro, com 89 anos, viúvo de Deolinda de Araújo Ferreira, de Pousada de Saramagos. Maria Amélia de Carvalho, no dia 15 de dezembro, com 88 anos, víuva de José Dias de Campos, de Brufe. Avelino de Oliveira Ferreira, no dia 15 de dezembro, com 80 anos, casado com Maria Joaquina da Silva Cunha, de Pousada de Saramagos. Manuel de Matos Serrano, no dia 18 de dezembro, com 83 anos, casado com Balsemina Carvalho Faria Serrano, de Esmeriz. Joaquim Carvalho de Sousa, no dia 19 de dezembro, com 67 anos, casado com Maria Filomena da Silva Azevedo, da Carreira. Artur Soares Mendes, no dia 20 de dezembro, com 86 anos, viúvo de Adélia de Jesus Martins, de Pousada de Saramagos. Agência Funerária da Lagoa Lagoa – Telf. 252 321 594

José Rodrigues de Oliveira, no dia 15 de dezembro, com 80 anos, casado com Maria da Conceição da Silva Ferreira, de Gondifelos. Maria Odete de Azevedo Costa Lemos, no dia 15 de dezembro, com 88 anos, casada com José Ferreira da Costa Lemos, de Fradelos. Maria Irene da Conceição Exposta, no dia 18 de dezembro, com 83 anos, viúva de António Oliveira Campos, de Cavalões. Mário da Costa e Silva, no dia 18 de dezembro, com 61 anos, casado, de Vilarinho das Cambas. Maria do Carmo Novais de Amorim, no dia 20 de dezembro, com 93 anos, viúva, de Fradelos. Agência Funerária Palhares Balazar– Tel.: 252 951 147


opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

PUBLICIDADE

11


FC Famalicão pontua no Algarve

Mário Branco é o novo diretor desportivo do FC Famalicão

Ninguém marcou e também ninguém mereceu mais que o ponto 0-0 Portimão Estádio Árbitro: Hugo Miguel (AF Lisboa) Assistentes: Bruno Jesus, Ricardo Santos

Samuel Portugal Moufi Lucas Maurício Anzai, Willyan, Denner Luquinha (Fernando 90′) Aylton Boa Morte (Júlio César 75′) Fabrício (Beto 82′) Anderson (Welington Júnior 82′)

Luiz Júnior Dani Morer (Herrera 45′) Diogo Queirós Babic Gil Dias Joaquín Pereyra Guga (João Neto 79′) Bruno Jordão (Riccieli 87′) Rúben Lameiras (J. Robert 67′) Del Campo Iván Jaime (P. William 67′)

Treinadores Paulo Sérgio

João Pedro Sousa

Cartões Amarelos: (Dani 26’) (Dener 56’) (Willyan 59’) (Guga 60’) Joaquin Pereyra 62’) (Aylton Boa Morte 75’)

José Carlos Fernandes Os dois técnicos conseguiram o que tinham pedido na antevisão da partida: Paulo Sérgio, evitar erros individuais, que têm dado em derrotas dos algarvios e João Pedro Sousa, o crescimento da equipa e não sofrer golos, o que ainda não tinha acontecido esta época. Os algarvios provavelmente saem do jogo mais “aziados”, apesar de terem sido ligeiramente superiores, não foram capazes de marcar um golo, que os podia retirar da zona de despromoção, por outro lado o Famalicão, conseguiu cumprir o tal desejo de não sofrer golos, mas a verdade é que também esteve bastante longe de os conseguir.

FC Famalicão

Portimonense FC Famalicão

O jogo foi intenso, mas pouco atrativo, a necessidade de pontos provavelmente tirou discernimento às duas equipas, o coração pesou mais que a cabeça. Com a bola a ser jogada muitas vezes pelo ar e para fora, bastantes faltas e poucas oportunidades de golo. O portimonense como já referimos foi ligeiramente superior, mas só por três vezes obrigou Luiz Júnior a defesas apertadas, uma na primeira parte e duas na segunda. O Famalicão apenas teve um lance de golo, a remate de Diogo Queiroz que obrigou o guarda-redes caseiro a defesa apertada. Se ao intervalo o nulo se ajustava, na segunda parte foi mais de mesmo, um Portimonense mais afoito, mas sem nunca conseguir o desejado golo. O Famalicão começou a demonstrar satisfação com o empate e o tal objetivo de manter invicta a baliza. As alterações efetuadas foram nesse sentido, o empate surgiu sem ninguém marcar e a distribuição de pontos acabou até por se ajustar, premiando mais a equipa de João Pedro Sousa, que a época

passada apesar do excelente campeonato que realizou tinha perdido os dois jogos frente ao Portimonense. Paulo Sérgio demonstrou inconformismo, mas a verdade é que a equipa não cometeu os tais erros defensivos que têm sido prejudiciais, mas também não consegui introduzir a bola na baliza de Luiz Junior.

Mário Branco foi designado diretor desportivo do Futebol Clube de Famalicão. O dirigente, de 45 anos, está de regresso ao futebol português depois de uma passagem de sucesso pelo PAOK Salónica. Em Portugal, Mário Branco destacou-se ao serviço do Grupo Desportivo Estoril Praia, clube no qual alcançou duas qualificações para a Liga Europa em épocas consecutivas. Seguiu-se uma experiência de duas temporadas nos croatas do Hajduk Split, onde voltou a apurar-se para as competições europeias. O maior feito da carreira viria a ser alcançado ao serviço do PAOK Salónica equipa que se sagrou campeã grega em 2018/19, algo que não acontecia há mais de 34 anos, título ao qual juntou ainda a conquista da Taça da Grécia. “Propusemo-nos a levar o Futebol Clube de Famalicão ao topo do futebol português e,

como tal, surgem sempre novos desafios e necessidades. Entendemos que a contratação de um diretor desportivo seria um passo em frente e ficamos felizes por contratar um profissional de excelência que nos ajudará a guindar o clube para o topo do futebol português”, afirmou o presidente da SAD do Futebol Clube de Famalicão, Miguel Ribeiro. Já Mário Branco aceitou o desafio porque “entusiasmoume a capacidade de crescimento de um projeto já de si de excelência. Para regressar ao futebol português teria de ser para um clube desta dimensão”. O diretor desportivo acrescentou ainda que o clube (FC Famalicão) “tem os ingredientes necessários para chegar ao topo do futebol português e para ser visto como um exemplo de como se pode trabalhar bem em termos de sustentabilidade financeira e de sucesso desportivo”. pub


opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

RAHC segue para os 16 avos de final da Taça de Portugal O Riba D’Ave Hóquei Clube (RAHC) venceu sábado passado o ED Viana (3ª Divisão) por 2-7, em jogo dos 32 avos de final da Taça de Portugal de hóquei em patins. A partida começou equilibrada, mas com ambas as formações a falharem na finalização. Foi Dinis Abreu que abriu o ativo aos nove minutos e lançou o domínio do jogo para os ribadavenses. A diferença aumentou aos dez minutos por Gustavo Pato que bisou segundos depois para fazer a diferença no marcador de 0-3, que chegou ao intervalo. Na segunda parte o marcador mexeu aos quatro minutos por intermédio de Miguel Fortunato, que ampliou a vantagem para o 04, mas logo no minuto seguinte e Daniel Pinheiro atirava para a “chapa cinco”. Os vianenses foram à procura do tento, mas foi outra vez o RAHC a aumentar a vantagem com Dinis Abreu a bisar na partida e a fazer o sexto. Só no minuto seguinte, o Viana acabaria por concretizar por Tiago Dias. Com tudo a seu favor a equipa famalicense ainda fez o sétimo tendo, num “triplete” de Gustavo Pato. A equipa da casa foi

sexta-feira mais uma jornada da Zona Norte do Campeonato Nacional, e conquistaram uma importante vitória no reduto do Clube Infante de Sagres por 4-5. Os jovens de Raúl Meca entraram mal na partida e logo nos primeiros minutos de jogo já iam com uma desvantagem de 3-0. Ao intervalo registava-se uma vantagem portuense de 4-2. No segundo tempo tudo seria diferente e o RAHC opeSub-23 do RAHC vencem fora rou uma assinalável reviravolta no Os jovens Sub-23 do Riba marcador e trouxe 3 para o Parque d’Ave HC jogaram na passada das Tílias 3 pontos importantes.

sempre persistente e, como recompensa, conseguiu, no minuto final da partida, marcar novamente por Tiago Dias, fechando o marcador em 2-7. Este foi o último jogo oficial de 2020 para a equipa de Riba de Ave que volta às competições com a receção da AD Sanjoanense, para o campeonato, no dia 9 de janeiro.

DESPORTO

13

Desportivo São Cosme empata com UD São Veríssimo Naquele que era um “bom jogo em perspetiva” para a 5ª jornada campeonato distrital da 1ª divisão, série A, colocando frente a frente os líderes da tabela, as equipas acabaram por se anular e terminar empatadas a zero, com nota evidente de equilíbrio e sem grande história. As equipas debateram-se de argumentos numa primeira parte nem sempre bem jogada, mas com maior controlo de jogo para o lado dos famalicenses. A única situação de registo foi um golo invalidado aos visitados, na passagem pela meia hora de encontro, após falta ofensiva cometida por Carlos Tiago, que na conversão de pontapé livre junto da área contrária impediu a ação de um defensor. Na segunda etapa a toada de equilíbrio mantinha-se e nenhuma das formações conseguia aproximar-se com relativo perigo da baliza adversária, exceção feita num único lance para os lados azul grená, que volvidos 80 minutos de jogo aproveitavam a atrapalhação defensiva por parte dos da casa para deixarem Jeff Silva na cara de João Rodrigues que resolveu com “defesa de classe” e manteve a sua baliza inviolável. Famalicenses e Barcelenses continuam, desta forma, na liderança conjunta deste campeonato e seguem na perspetiva de alcançarem os seus objetivos.

FamaBasket perde frente ao GD André Soares de Braga

Hugo Barata reforça o RAHC O Riba d'Ave Hóquei Clube (RAHC) firmou acordo com o hoquista Hugo Barata (ex-AD Valongo) para reforçar a equipa sénior na prossecução dos objetivos delineados para a presente época. O jovem avançado de 22 anos efetuou toda a sua formação na Associação Desportiva de Valongo, tendo na época passada alinhado no Clube Hóquei dos Carvalhos, onde apontou 30 golos em 19 jogos.

Hóquei do FAC vence em Valongo O Famalicense AC conseguiu arrancar uma excelente vitória por 2-4 no difícil reduto da AD Valongo, em jogo em atraso da 11ª jornada do Campeonato Nacional da primeira divisão, sendo o 3º triunfo consecutivo e que coloca a equipa no 8º lugar da classificação geral, com 15 pontos. Num jogo de elevado grau de dificuldade, a equipa famalicense soube gerir da melhor forma os di-

ferentes momentos do jogo tirando partido de uma boa entrada concretizada à passagem dos 12 minutos por Pedro Mendes, que abriu o ativo. Renato Castanheira, aos 23 minutos aumentou a diferença para dois golos levada até ao intervalo. Na segunda parte, Gabi aumentou aos 13 minutos e só nos quatro minutos finais subiram as emoções com a redução do marcador pela equipa da casa, mas com resposta

pronta do FAC por Juan Lopez, que aproveitou da melhor forma o único livre direto da partida fruto da 10ª falta dos locais. O Valongo viria ainda a reduzir, mas o vencedor estava já encontrado. Os hoquistas do FAC realizam sábado, pelas 17h00, o último jogo de 2020 com a deslocação a Gondomar para defrontar o GDC Fânzeres, em partida a contar para a Taça de Portugal.

Badminton: FAC no encerramento do Nacional não sénior O Famalicense Atlético Clube (FAC) esteve representado por sete atletas no encerramento da temporada não sénior de badminton, que decorreu no passado fim de semana, no Centro de Alto Rendimento (CAR) das Caldas da Rainha. No escalão de sub-13, Beatriz Araújo destacou-se na prova de singulares tendo apenas sido derrotada na meia-final pela vencedora do torneio. Leonor Silva também participou na prova de singulares senhoras. Beatriz e Leonor participaram ainda na prova de pares senhoras. No escalão de sub-17, nos singulares senhoras, participaram três atletas do FAC, Beatriz Campos, Carolina Veloso e Inês Silva. Já na prova de pares senhoras, Beatriz e Inês, após derrotarem Carolina Veloso e a sua parceira do CDP, atingiram a meia-final da prova. Ainda no escalão de sub-19 participaram 2 atletas do FAC, Mafalda Morais e Tiago Araújo.

A partida em atraso do Campeonato Nacional da II Divisão de basquetebol não foi feliz para a equipa do FamaBasket na sua deslocação ao GD André Soares de onde saiu perdedor por 6552. Com um início pouco assertivo nos lançamentos de curta distância, com 6 posses de bola seguidas sem conseguir converter, aliada a uma defesa bastante permissiva, os Famalicenses terminam o 1º quarto com um parcial negativo de 17-21. No regresso para o 2º quarto a equipa manteve a apatia e foi penalizada com um parcial de 13-1, com vantagem clara dos visitados na luta das tabelas, sendo-lhes permitido 3 e 4 ressaltos seguidos o que deixou clara a passividade defensiva do Fama. Mesmo assim a formação “não baixou os braços” e os últimos 4 minutos conseguiu um parcial de 9-0, onde imperou a velocidade e o empenho defensivo sobre os jogadores exteriores do GDAS. Após a pausa, tudo parecia correr melhor já que foi possível uma aproximação no resultado para os 2 cestos de diferença, mas, de novo uma série seguida de 9 posses de bola sem qualquer concretização e outra de 8, voltaram a permitir a fuga da equipa da casa que consegue terminar com uma diferença de 18 pontos. No derradeiro 4º o FamaBasket ainda conseguiu reduzir para 10 pontos a 4 minutos do termo, mas mais uma vez, 7 posses seguidas sem concretizar, acabaram por ser fatais para o conjunto de Famalicão.


14

DESPORTO

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

Infantis do GD de Natação voltam a competir após 10 meses O Grupo Desportivo de Natação de Famalicão, voltou a competir após 10 meses, no escalão de infantis, com a participação no Torneio do Mar, que decorreu no passado domingo, nas piscinas municipais da Senhora da Hora, em Matosinhos. A equipa de Famalicão teve a participação de cerca de 18 nadadores infantis, entre os 3 clubes (Clube Natação de Felgueiras, Grupo Desportivo de Natação de Famalicão e Leixões Sport Club) convidados a participar neste prestigiado evento, sujeito ao cumprimento das restrições impostas pela DGS. Para o técnico Jorge Maia, “os nadadores Famalicenses voltaram a competir e a serem felizes”. Segundo aquele responsável técnico “ficou demonstrado que a prática da natação é segura e que há confiança no seu desenvolvimento. A Natação e a sua prática é uma modalidade segura e com reflexos positivos na saúde física e mental dos atletas que temos de promover”, adiantou. Do ponto de vista do clube “as marcas registadas geram boas expectativas para os objetivos a alcançar na presente época desportiva”. pub

Basquetebol Sub 21: FAC vence em Ribeirão A equipa Sub-21 de Basquetebol do Famalicense Atlético Clube (FAC) deslocou-se ao terreno do Ribeirão FC e venceu o jogo por 37-78, em partida relativa à segunda jornada do Campeonato Distrital da Associação de Basquetebol de Braga. O FAC foi superior e conseguiu levar a melhor em todos os períodos do encontro (11-24, 12-20, 7-23, 7-11). As próximas partidas de ambas as formações estão marcadas para o início de janeiro com o Ribeirão a deslocar-se ao pavilhão do GD André Soares, no dia 9 e o FAC a receber o Braga, no dia 10, no Pavilhão Municipal de Famalicão.

Segundo Ave Chess Xmas fechou 1º período letivo

O Clube de Xadrez A2D organizou no dia 18 de dezembro o 2nd Ave Chess Xmas, integrado no Programa das Atividades do Encerramento do 1º Período. Este Torneio dirigia-se a alunos do Colégio do Ave inscritos no CX A2D com o objetivo de promover “o jogo das 64 casas” entre a comunidade escolar e o convívio entre os xadrezistas mais novos, preparando-os para competições internas e extraescolares. O grande vencedor na categoria Benjamim foi Manuel Ribeiro (2ºA) que obteve 13 pontos (12 vitórias e 1 empate). Com 9 pontos, Francisco Ferreira (2ºB) e Duarte Pereira (2ºA) classificaram-se em 2º e 3º lugares, respetivamente, de acordo com os critérios de desempate. O grande vencedor na categoria Infantil foi José João Pinto (6º B) que alcançou 28 pontos (14 vitórias e 2 derrotas). Com 22 pontos, João Cotter (3ºA) e Duarte Abreu (7ºA) classificaram-se em 2º e 3º lugares, respetivamente, de acordo com os critérios de desempate.


opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

Pelos quatro cantos da ca(u)sa

António Cândido Oliveira

Boletim Municipal sobre a Covid 19

Melancolias de Natal apetecida consoada. Era o dia 5 de dezembro. Levanteime mais cedo que o costume e lá parti para ir buscar um grande amigo, reformado, mais entradote na idade, camarada de grandes lutas, desde a greve de 74 – do século passado, à comissão sindical e, por fim da comissão de trabalhadores. Um profissional exemplar, um camarada de se lhe tirar o chapéu, um amigo nas boas e nas más horas. Nunca arreou pé. A saúde agora deixao um pouco abalado… Fruto também dos anos de labor intenso a criado de servir, na fábrica e no amanho de uma terrinha para a casa, não se esquecendo nunca dos amigos, o que ainda hoje faz! Antes das 10 horas já estávamos no destino, meia dúzia de tretas com alguns – poucos – camaradas presentes quase todos mais novos que nós e ala que se faz tarde. Ver a fábrica por fora. As ruas e as casas da freguesia são todas conhecidas – o Duarte Pinto veio de Barcelos e no início da década de 60 do século XX ficou instalado ao pé de uma família amiga, o marido também oriundo de terras de Faria. Espaço da Sotex. Tudo pouco menos que abandonado, algumas partes destruídas. Aos nossos pés “a nossa fábrica”. Bem, a antiga, de 1965, com arruamentos, espaços verdes, um edifício retangular, com o Social em destaque é uma miragem… agora várias vezes maior. Vamos dar a volta, contornamos o campo de futebol, há ali um parque com semáforos, com a tabuleta de alerta para os cuidados anti covid. Subimos para o lado da urbanização da Mabor, vamos ao pé do atual armazém de produtos acabados: uma revolução na terra negra. Descemos para o lado da CHENOP, as traseiras da fábrica (ou a frente?) continua a revolução, a obra imensa, e já não se pode voltar aí para Lousado Bem clama a administração, o Eng.º Carreira: acessos precisam-se. O poder civil não pode olhar para trás. Mas há problemas e muito boa gente dizendo que éramos “uns vendidos ao patronato”! Bom Natal para todos e que a covid nos deixe no Novo Ano…

SENHORA

pub

FAZ ACOMPANHAMENTO DE IDOSOS AO DOMICILIO. DIA OU NOITE. (com transporte próprio e experiência)

Contacto: 910 126 365

RESIDÊNCIA SÉNIOR EM FAMALICÃO ADMITE (M/F) - Enfermeiros - Auxiliares de Geriatria

Condição Principal: Gostar de Cuidar de Idosos Entrada Imediata

Boas Condições Bom Salário Contacto: 912 471 325

15

Diário famalicense

Domingos Peixoto

Uma pessoa afeiçoa-se a algo e ganha um carinho especial, um amor assolapado. Foi assim com Barradas, o meu lugar de habitação por eleição. Também com Timor e suas gentes, onde passei cerca de 25 meses de ultramar. Percorri quase toda a província em serviço de “rendição da Polícia de Fronteira”, inclusive o enclave de Oécusse. As viagens neste serviço foram muito penosas nas velhinhas GMCs, em Unimog, na Barcaça ou no Arbiru, pequeno navio que terá sido pirateado e afundado já depois da minha saída de Dili, no início de janeiro de 1973. Esta foi uma experiência inesquecível. Aconteceu com Lousado e, sobretudo, com a “minha empresa”, a Mabor, tendo participado de forma muito especial na “JVC que a transformou na atual Continental Mabor. Ultimamente passou-se algo idêntico com a união de freguesias de Lemenhe, Mouquim e Jesufrei, onde fui candidato autárquico pelo PS, percorri e conheci com algum pormenor as três freguesias que deram origem à atual União de Freguesias, tendo feito um bom conjunto de amigos na Assembleia de Freguesia e na Junta, reconhecendo todos na pessoa do seu presidente, o senhor Alberto Fernandes. Sempre que posso, ou vou para os lados da Trofa, procuro fazer uma passagem por Lousado à “procura” da Continental Mabor. Fico embevecido e pasmado com a dimensão que as instalações atingiram, não me cansando de ir apreciar. Um lugar especial de onde se desfruta uma panorâmica geral é o logradouro da ex Sotex – dizia-se há muitos anos um trocadilho com as 4 empresas (Sotex, DAP, ITA e Mabor) que laboravam na freguesia: "Sotex dap’itá Mabor"." A Tribor, outra histórica, terá nascido mais tarde, não sei. A covid19 não permitiu que se realizasse o tradicional almoço de Natal dos “Reformados da Mabor e Continental Mabor” mas a administração, superiormente dirigida pelo senhor Eng.º Pedro Carreira, num ato de carinho, lealdade e fidelidade aos bons usos e costumes tradicionais não deixou de proporcionar a tradicional e

PRAÇA PÚBLICA

O Município de Famalicão acaba de distribuir uma edição, graficamente muito bem cuidada, de “O Boletim Municipal de Vila Nova de Famalicão” com a data de dezembro de 2020 (nº 02/20) que nada tem a ver com o facto de o nosso concelho se encontrar neste momento em “risco extremo” no que respeita à doença Covid 19. O Boletim, com 60 páginas, com uma ficha técnica envergonhada (quase passa despercebida), dá boas notícias e só boas notícias sobre obras da cidade (“Praça da Cidadania”); obras Ciclovia Famalicão – Póvoa; obras Ciclovia Urbana; obras Mercado-Praça; obras Canil Municipal; e obras Central de Camionagem. Seguem-se, de acordo com o sumário, notícias várias sobre Habitação, CIIES, Famalicão Made In, Desporto, Casa de Camilo, Torre Literária, Teatro Narciso Ferreira e outras, sempre com enorme profusão de fotografias. Abre com palavras do presidente da câmara municipal e fecha com palavras do presidente da assembleia municipal. Os eleitos locais da oposição não têm espaço no Boletim como deviam e é próprio dos municípios que praticam a democracia. Mal dos eleitos famalicenses se silenciarem este facto, pois também eles demonstrarão que não prezam a democracia. Mas, como dissemos, não é de

um boletim de obras, com uma edição de 25.000 exemplares, que precisávamos neste momento. Do que precisávamos era de um boletim informativo simples, mas bem elaborado, com a finalidade de mobilizar os famalicenses para fazer sair o nosso município da indesejável situação sanitária de “risco extremo”, em que se encontra, para um nível menos grave. Um boletim que começasse por dar informação detalhada sobre a situação a esta data do município quanto ao número de infetados, de internados, de óbitos e de recuperados. Ainda que não desse números rigorosos, que os desse o mais detalhada e aproximadamente que fosse possível. Um boletim, sem utilizar papel caro, que nos dissesse como estavam os lares (e já agora quantos são no concelho e quantos utentes têm), pois muitos famalicenses não sabem; que nos dissesse também quais são, para além dos lares, os outros locais (freguesias, empresas, escolas, instituições, associações, etc.) onde se têm registado mais casos. Um boletim que nos desse instruções concretas sobre o modo de proceder neste tempo de pandemia aqui, no nosso concelho. Temos, é verdade, informação a nível nacional, mas precisamos de mais informação a nível local e o município em articulação

Chão Autárquico

com as autoridades de saúde pode e deve dá-la. Outros municípios assim têm feito. Precisamos de saber também como estão neste momento os nossos dois hospitais em termos de ocupação; quando e onde se podem fazer testes e quanto custam; onde estão máscaras à venda devidamente certificadas e o respetivo preço. Tanta informação que poderia e deveria ser dada e assim teríamos um boletim informativo de muita utilidade e que bem poderia até ter palavras de ânimo dos principais responsáveis, desde que bem fundadas. A saúde no nosso concelho depende de todos nós e quem representa “todos nós” é o município, atuando em coordenação com os serviços de saúde do Governo e bem sabendo que nesta altura não é hora de luta partidária (sem prejuízo das críticas que devam ser feitas), mas de luta comum pelo bem dos famalicenses. E como seria bom dentro de seis meses editar um boletim informativo do município, mostrando que valeu a pena lutar e que o nosso município está muito melhor, longe de “risco extremo” não só no contexto do país, mas também da nossa região e dos concelhos vizinhos. Com essa finalidade, sim, valia a pena editar um Boletim. E houve tanto tempo para o fazer!

Chegou o Natal

Vieira Pinto

O Natal é a festa gigante que o mundo inteiro celebra no dia 25 de dezembro de cada ano. Muito se vai dizendo, por todo o lado, que o Natal é, sobretudo, para as crianças. Convenhamos que, a sua magia e tando da sua simbologia estão, de facto, viradas para o mundo infantil. De facto, esta Festa do Menino da Nazaré chega-nos pelo colo da Maria, anunciado, pelo anjo Gabriel da seguinte forma: “Angelus domini nunciavit, Maria”, o anjo do Senhor anunciou a Maria, dizendo: “conceberás e darás á luz um Filho”. Ao que disse Maria: “Ecce serva domini, fiat secundum verbum tuum”, eis a escrava do Senhor façase segundo a tua palavra, (a tua vontade). Et incarnatus est de spiritus Sancto, et Homo factus est” E encarnou pelo Espírito e se fez Homem. Tudo, assim, tal como nos diz o evangelho de S. Lucas, na liturgia do domingo passado. Esta pregação da igreja, nesta festividade natalícia, será, em nossa modesta opinião, o momento mais alto do mistério da Encarnação que a Igreja católica ensina aos cristãos. O Deus, connosco, proveniente do Alto, para peregrinar com o homem na caminhada árdua dos homens

de boa vontade, enquanto vida terrena. E que, de mão estendida e fraterna a todos, prega, assim, entre outros, o amor, a liberdade e a solidariedade, como condutas primeiras para o caminho da Verdade, da justiça e da paz, entre os homens. São com certeza, grosso modo, estes os magnos ensinamentos da igreja católica e demais igrejas, aos seus fiéis, nesta época natalícia. Porém, a este sentido de espiritualidade, constatamos, no dia a dia, desde longínquos tempos, uma verdade profana que, à primeira vista, poderia colidir com aquele fundamento religioso. Ora, esta realidade consiste no crescimento das sociedades de consumo em que vivemos. E, quando chega esta época, o consumismo, através das catedrais do comércio, atinge níveis desmesurados que, em condições normais, muito engordam os fatores económicos. Em face de tais realidades, aos crentes compete convocar as âncoras dos saberes destas realidades, pelas veredas da solidariedade. É Natal! Bom Natal, a todos os prezados leitores e famalicenses.

pub

Famalicão

Barbosa: Rua Santo António, Tel. 252 302 120 Calendário: Rua da Liberdade, Tel. 252 378 400/1 Cameira: C. Mouzinho Albuquerque, Tel. 252 323 819 Central: Praça D. Maria II, Tel. 252 323 214 Nogueira: Av. Marechal H. Delgado, Tel. 252 310 607 Valongo: Rua Adriano Pinto Basto, Tel. 252 323 294 Gavião - Av. Eng. Pinheiro Braga, 72 - Telef. 252 317 301 Marinho: Edif. S. José - Estalagem - Telf. 252 921 182 Martins Ventura: R. C. Cerejeira - Lousado - Telf. 252 493 142 Estação: Largo da Estação - Nine - Telf. 252 961 118 Ribeirão: Rua Quinta Igreja 9 - Ribeirão - Telf. 252 416 482 Joane: Rua S. Bento, nº 217 - Telf. 252 996 300 Landim: Estrada Nacional 204/5, nº 693 - 252321765

Famalicão Quarta, 23

Serviço Valongo/Ribeirão

Quinta, 24

Gavião

Sexta, 25

Cameira

Sábado, 26

Central

Domingo, 27

Calendário

Segunda, 28

Nogueira/Ribeirão

Terça, 29

Valongo

Vale do Ave

Almeida e Sousa: Covas - Oliv. Stª Maria - Telf. 252 931 365 Bairro: Av. Silva Pereira, Telf. 252 932 678 Delães: Portela - Delães - Telf. 252 931 216 Riba de Ave: Av. Narciso Ferreira, Telf. 252 982 124

Vale do Ave

Serviço

Quarta, 23 Quinta, 24 Sexta, 25 Sábado, 26 Domingo, 27 Segunda, 28 Terça, 29

Delães Almeida e Sousa Bairro Riba de Ave Delães Almeida e Sousa

Serviço de disponibilidade

Paula Reis: R. José Elisio Gonçalves Cerejeira, nº 629 Calendário - Tel. 252 378 057 Maceiras: Louro - Telf. 252 310 425 Marques: Largo da Igreja - Fradelos - Telf. 252 458 440 Oliveira Monteiro: Largo Igreja - Cabeçudos - Telf. 252 331 885 Pedome: Av. S. Pedro, 1139 - Pedome - Telf. 252 900 930 Pratinha: Largo do Cruzeiro - Cavalões - Telf. 252 375 423 S. Cosme: Vale S. Cosme - Telf. 252 911 123 Arnoso: Av. Joaq. Azevedo - Arnoso Sta. Maria - Telf. 252 916 612


16

PUBLICIDADE

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020


pub


II

PUBLICIDADE

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020


As dez recomendações da DGS para evitar contágios no Natal

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

Para garantir que o alívio das restrições na quadra do Natal não descambe “numa curva de contágios novamente ascendente”, com repercussões na capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde, o subdirector-geral da Saúde, Rui Portugal, partilhou, na habitual conferência de imprensa sobre a situação epidemiológica no país, um conjunto de dez “recomendações práticas” a adoptar pelas famílias: 1-Cumprir todas as regras que estejam em vigor nesta quadra em cada um dos concelhos, não só em termos de mobilidade, mas também quanto a aglomerações e ajuntamentos. 2-Se estiver doente ou algum dos familiares estiver doente, ou se o isolamento profiláctico tiver sido determinado, “estas pessoas têm o dever e a obrigação de se manterem isolados e afastados de todos os outros”. 3-Reduzir os contactos antes do início da quadra festiva e durante esse mesmo período. “Em vez de estabelecermos os nossos contactos e sociabilizarmos com um número vasto de pessoas, devemos reduzir esse número substancialmente. Em vez do grupo normal de contactos de dez ou 15 pessoas, passar a ter, durante esta temporada, contactos com apenas quatro ou cinco pessoas, além do agregado”. 4-Reduzir o tempo de exposição em todos os contactos. “Em vez de estarmos juntos três ou quatro ou cinco horas, vamos tentar estar juntos e presentes mas num tempo mais limitado de uma, duas ou

três horas e optando por usar os espaços exteriores”. 5-Reduzir os contactos em termos de núcleo familiar. “A família que conta aqui é a dos coabitantes, aqueles que residem no mesmo espaço físico. Nesse sentido, devemos reduzir o máximo que pudermos os contactos com familiares não-coabitantes, os nossos irmãos, pais, tios, sobrinhos”. 6-Preferencialmente, limitar todas as

celebrações e contactos ao agregado com quem se coabita, tendo o contacto com outros membros pelos meios digitais, como computadores e telefonemas, “ou optando por visitas rápidas nos quintais de uns e de outros, no patamar das escadas dos prédios de uns e de outros, com uma troca simbólica de uma compota ou de algo que seja aprazível no contacto humano e de proximidade, mas sempre com distanciamento físico”.

ESPECIAL

III

7-Manter distanciamento físico na preparação das refeições. “As cozinhas nesta altura serão locais de alto risco, visto que são os grandes espaços de convívio entre pessoas e familiares, e o distanciamento físico dever-se-á sempre considerar de 1,5 metros a dois metros, mesmo que seja entre familiares, desde que não-coabitantes”. E obviamente evitar os cumprimentos tradicionais. 8-Arejar espaços e garantir a circulação de ar. “Os espaços de maior volume são espaços de maior protecção, mas não significa que sejam espaços de eliminação de risco. E, nessa perspectiva, esses espaços devem ser repetidamente desinfectados nas suas superfícies e nos objectos de maior partilha. 9-Lavar e desinfectar as mãos frequentemente, respeitar a etiqueta respiratória, utilizar a máscara adequadamente em espaços fechados. “Se não conseguirmos garantir o distanciamento seguro, devemos sempre lembrar-nos que não é por serem nossos familiares que as pessoas representam menor risco relativamente ao que possa ser uma co-infecção nas nossas próprias casas”. 10-Evitar partilhar objectos comuns. “Atenção às partilhas de copos, talheres, etc.”, alertou ainda o responsável da DGS, para pedir igualmente contenção na ingestão de bebidas alcoólicas: “Escusado será dizer que se pretende nestes convívios uma utilização ‘moderada e racional’ de tudo o que possam ser substâncias que possam trazer maiores afectividades.” pub


IV

PUBLICIDADE

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020


Câmara de Famalicão oferece bacalhau, azeite e aletria às famílias carenciadas “Num ano tão atípico, marcado pela pandemia da Covid 19, o município não poderia deixar de apoiar as famílias famalicenses mais carenciadas, oferecendolhes bens essenciais de Natal

como o bacalhau, o azeite e a aletria”. Foi desta forma que o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, entregou na semana passada, num gesto simbólico, os cabazes de

Autarcas de Landim e Vale S. Martinho receberam, simbolicamente, os cabazes

Natal preparados pela autarquia aos autarcas das freguesias de Vale S. Martinho, Manuel Oliveira, e de Landim, Avelino Silva, para serem distribuídos pela população. A medida que já é uma tradição no concelho vai chegar, este ano, a mais quase mil famílias do que em 2019, tendo passado de 3600 cabazes para 4500, envolvendo um investimento municipal de 71 mil euros. A estes três produtos natalícios, serão agora acrescentados outros, atribuídos por diversos agentes sociais do concelho. Recorde-se ainda que o município tem a decorrer a campanha solidária Todos por Todos, com a ajuda das Juntas de Freguesia e das Comissões Sociais Inter Freguesia. Através desta campanha, os cidadãos podem entregar donativos em género, mas podem igualmente adquirir nos estabelecimentos aderentes vales que serão depois distribuídos pelas famílias identificadas como beneficiárias, pelas várias CSIF’s e que podem ser trocados por bens nesses mesmo comerciantes aderentes.

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

Natal com afeto

V

ESPECIAL

O Natal é e sempre será uma época do ano muito especial, repleta de magia e comunhão familiar. Neste ano, particularmente difícil e atípico devido à pandemia que assola o mundo, o Natal será, seguramente, vivido de forma diferente por todos. A pandemia da Covid 19 condicionou as nossas vidas, fez adiar projetos, criou ansiedade e até muita tristeza. Tirou-nos o calor dos afetos. Por isso, será um Natal diferente, mas não podemos deixar que isso nos esmoreça. Temos que viver a vida possível, desfrutar do que é possível desfrutar, com responsabilidade e respeito pelos outros. Sabemos que há muitas famílias que estão a viver momentos de incerteza e preocupação. Mas o Natal é uma oportunidade para celebrarmos a vida, para redobrarmos a esperança num futuro melhor, para reforçarmos o nosso sentido de responsabilidade de compromisso connosco e com os outros. Vamos acreditar num amanhã melhor e, sobretudo, vamos fazer o que está ao nosso alcance para que isso aconteça. E ainda que com limitações e condicionamentos, o Natal será sempre a festa da família! Um motivo de união comunitária, de partilha e de valorização do que nos está próximo. Deixemo-nos abraçar pelo Natal! Um Santo e um Feliz Natal e um Ano Novo com saúde, paz e felicidade. Paulo Cunha Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão pub


VI

PUBLICIDADE

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020


Natal, a festa do nascimento de Jesus

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

O significado do Natal é o nascimento de Jesus Cristo e sua comemoração anual, que acontece há mais de 1600 anos no dia 25 de dezembro. Natal (com inicial maiúscula) é o nome da festa religiosa cristã que celebra nascimento de Jesus Cristo, a figura central do Cristianismo. O dia de Natal, 25 de dezembro, foi estipulado pela Igreja Católica no ano de 350 através do Papa Júlio I, sendo mais tarde oficializado como feriado. A Bíblia não diz nada sobre o dia exato em que Jesus nasceu e por isso a comemoração do Natal não fazia parte das tradições cristãs. As comemorações de Natal incluem a presença de diversos símbolos tradicionais como a ceia de Natal, árvore de Natal, o Pai Natal, as músicas, a troca de presentes, o presépio, a iluminação e outras decorações natalícias. O Natal é uma festa comemorada no mundo todo. Não importa o idioma, a raça, a condição económica, a idade ou o clima. Cor, alegria, esperança, amor, presentes, música, criam o clima festivo desse evento universal e cada país segue uma tradição, respeitando na linha evolutiva do tempo as lendas e os costumes elaborados pelos antepassados. Embora a essência da festa de Natal seja a mesma em todo o mundo, cada país tem as suas tradições, que ao longo dos anos vai passando de geração em geração.

ESPECIAL

VII

Estados Unidos: o Natal americano é rico em cor e brilho. Esqueçamos que vivemos uma pandemia, e semanas antes do Natal, milhões de pessoas percorrem as ruas das cidades em busca dos presentes para a família. As decorações são conhecidas no mundo todo. Nas casas, a decoração com lâmpadas coloridas, bonecos de neve, velas vermelhas e coras feitas de plantas verdes completam o clima natalino. O prato típico americano é o peru recheado acompanhado de frutas tropicais. India: os cristãos na Índia decoram pés de manga e bananeiras no Natal. Algumas pessoas decoram suas casas com folhas de manga. Em partes da Índia, pequenas lâmpadas de argila são acesas com óleo e servem também para decorar as casas. China: as casas são enfeitadas com lanternas e árvores de Natal com correntes e flores de papel. As crianças penduram meias e esperam pelo Pai Natal. Já que a grande maioria dos chineses não é cristã, a maior celebração do inverno é o Ano Novo chinês, no fim de janeiro. Nessa data as crianças recebem roupas e brinquedos novos e são servidos pratos especiais.

de pedidos, que São Nicolau troca por um saquinho de bolos ou nozes. Os presentes chegam no dia 25. Na noite de Natal, a filha mais velha veste-se de branco com uma faixa vermelha amarrada na cintura e uma grinalda de folhas verdes com sete Suécia: as festas de Natal co- velas acesas na cabeça. meçam no dia 6 de dezembro, Belém: na cidade onde Jesus dia de São Nicolau. Nesse dia as Itália: a principal entrega de crianças escrevem as suas cartas nasceu, o Natal é comemorado presentes é no dia 6 de janeiro, para marcar o dia da visita dos Reis Magos ao menino Jesus. As crianças esperam a visita da Befana que traz presentes para os bons e castigo para os maus meninos.

com peregrinos e tribos árabes da região, que se ajoelham na cripta da capela dos franciscanos para adorar um berço. Segundo a tradição, este é o berço de Jesus, que é conservado na igreja e apenas montado na noite de 24 para 25 de dezembro. Depois de terminada a missa, os franciscanos oferecem uma ceia aos peregrinos: apenas pão preto acompanhado de vinho. pub


VIII

ESPECIAL

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020 pub

pub

Recuperar a amabilidade

Este Natal passará à história como um Natal diferente. Sentimos tristeza por não fazer o que sempre fizemos. Não experimentámos os afectos habituais. Lamentamos o isolamento a que nos vemos obrigados. Parece que nos falta alguma coisa. Com tantos condicionalismos, devemos encontrar alguma coisa que mostre que o Natal não perdeu a sua beleza. Menos coisas exteriores, mas algo de novo a nascer para ficar. Com esta intenção, recupero um pensamento da encíclica Fratelli tutti. O Papa afirmou que para construirmos uma fraternidade universal, através de uma amizade comprometida, teremos de recuperar a amabilidade. Recuperar a amabilidade porque se trata de uma atitude que resplandecia nas relações e que hoje, fruto de muitas situações, nomeadamente a pressa e o anonimato em que se vive, está a ficar esquecida e, quem sabe, para algumas pessoas a desaparecer. O Santo Padre defende o que deve caracterizar o relacionamento: não tolerar atitudes ásperas, rudes, duras mas também, de um modo positivo, cuidar dos comportamentos benignos, suaves, capazes de confortar e apoiar em todos os momentos. Quando nos preocupamos com a amabilidade para com os outros, somos capazes de os ajudar para que a sua vida se torne mais serena, sempre mas sobretudo quando se encontram envolvidos por problemas, angústias, interrogações. Devemos ser capazes de ter amabilidade no trato, cuidado para não magoar com as palavras ou os gestos, aliviar os pesos que incomodam. Ao mesmo tempo, reconhecer que a amizade, toda ela mas sobretudo a familiar, “exige palavras de incentivo, que reconfortam, consolam, fortalecem, estimulam, angustiam, irritam, desprezam”. Pensando um pouco, não teremos de rever a nossa linguagem, o que é que comunicamos com as nossas palavras? Alegria? Tranquilidade? Serenidade? Tristeza? Sofrimento? Inquietações? Noites sem dormir? Feridas que marcarão para sempre a vida? Pensamos sempre no que dizemos e no modo como o fazemos? Para que a amabilidade aconteça e resplandeça no quotidiano das nossas vidas, necessitamos de encontrar tempo e energias para nos demorarmos com os outros e tratar serenamente com eles. Sabemo-nos muito ansiosos e sem disponibilidade para pensar no próximo e vizinhos, temos muitas urgências na vida que não permitem a alegria de ajudar os outros a serem felizes. O Papa reconhece que, de vez em quando, “verifica-se o milagre de uma pessoa amável, que deixa de lado as suas preocupações e urgências para prestar atenção, oferecer um sorriso, dizer uma palavra de estímulo, possibilitar um espaço de escuta no meio de tanta indiferença.” A coragem de recuperar a amabilidade é tarefa para todas as relações sociais, a exigir uma verdadeira mudança do estilo de vida, mas encontra espaço de um modo especial na família. É aqui, em primeiro lugar, que te-

remos de ser amáveis, com tudo o que isto significa, uns para com os outros. Sugiro-o nesta noite de Natal, mas como apelo a comportamentos novos a extrair da anormalidade do que estamos a viver. Como atitudes concretas, o Santo Padre volta a lembrar a trilogia de palavras a usar nos contextos diferentes da vida mas com uma incidência especial no ambiente familiar. “Com licença”, “Desculpe”, “Obrigada”. Usando-as oportunamente daremos uma qualidade diferente aos nossos relacionamentos. A nós que queremos caminhar juntos, aponto um lugar onde esta doutrina deve ser particularmente vivida. Somos família e a família deve ser trabalhada todos os dias. Não é suficiente juntar pessoas com um número grande ou pequeno. Ela existe quando vivemos intensamente o amor entre todos e o concretizamos através de pequenos gestos, alguns escondidos e outros bem visíveis em determinados momentos. Somos família de sangue mas também na Igreja que nos ensina e mostra que o baptismo nos uniu numa comunhão que deveremos experimentar sempre mais. Precisamos de estar juntos nas nossas igrejas. Mesmo fora delas, existe entre nós uma corrente que imana e nos torna único corpo. Ainda não acreditamos suficientemente nesta doutrina. Renovemos, também, neste natal, a certeza de estarmos interligados na fé, no amor e na esperança. É nesta certeza que quero abraçar cada um, com muito afecto e carinho. Olho para as pessoas que se encontram sozinhas. Recordo os idosos que se encontram nos lares longe do ambiente familiar. Alargo o coração aos doentes nos nossos hospitais. Manifesto amor e estima a todos quantos trabalham, nestes dias e sempre, para garantir qualidade de vida: médicos, enfermeiros, operacionais da saúde, bombeiros, voluntários. Olho, com muito reconhecimento, para todas as IPSS, carregando com as direcções e trabalhadores a vontade de sacrificadamente servir mesmo à custa de noites sem dormir. Uno-me, particularmente, a todos quantos se comprometem, abnegada e sacrificadamente, para que as nossas paróquias cresçam quotidianamente na lógica do amor e do testemunho do bom Samaritano. Aos sacerdotes e consagrados não receio em afirmar que quero bem a todos e a cada um. Aos seminaristas e a quem procura o sentido para a vida lembro que nada há melhor do que o Amor de Deus. A todos os empenhados nas paróquias, em qualquer área e sector, recordo que o caminho a percorrer é longo mas recompensador. Aos políticos, em qualquer serviço institucional, ofereço a vontade de caminharmos juntos para uma fraternidade onde os direitos são para todos. Abraço, particularmente, os pobres, nos diversos rostos da pobreza, e asseguro que continuaremos a fazer o melhor para que vivam felizes. Sinto-me próximo de todos os reclusos na esperança de que aproveitem o tempo de prisão para estruturar uma verdadeira reintegração na sociedade. Asseguro um carinho especial aos sem abrigo a quem gostaria de oferecer a vontade séria de voltarem ao convívio com os seus. Estou com aqueles que não se puderam juntar aos seus para passar as festas juntos e asseguro-lhes que amanhã voltarão os encontros familiares. A todos, sem excluir ninguém, católicos e não só, conhecidos ou desconhecidos, quantos vivem no território da Arquidiocese de Braga, digo: pertenceis à minha família. Vivo para vós. Aceitai a certeza do meu amor. Que o Deus Menino nos liberte da pandemia e conceda o dom de dias tranquilos e sem medos. D. Jorge Ortiga Arcebispo Primaz de Braga


opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

PUBLICIDADE

IX


X

PUBLICIDADE

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020


opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

pub

pub

ESPECIAL

A minha avó tem 100 Natais...

A minha avó faz 100 anos no dia de Natal. Sim, a avó Maria Alice chega ao seu mais admirável Natal. Um século de vida! De uma vida de grandes sacrifícios, mas cheia de emoções. Nascida na freguesia do Louro no dia 24 de dezembro de 1920, num meio rural, a minha avó cedo começou a trabalhar nas lides do campo. Num tempo em que tudo era manual, o arado rasgava a terra pela força do gado e pela destreza de quem o seguia, ainda o dia se avizinhava tímido. Quando a árdua tarefa terminava já noite dentro, era tempo dos cuidados à volta da cozinha. A minha avó teve seis filhos. Era costume ter-se muitos filhos nesses tempos difíceis, para que houvesse mais ajuda nos campos. Mas isso também acrescentava mais dificuldades com tantas bocas para alimentar. Mas há outras dificuldades na vida da avó Alice, que atravessou uma ditadura e uma guerra mundial. Tempos que a privaram de tanto, mas que também a tornaram a mulher corajosa e resiliente que todos conhecemos. Não havia a fartura que hoje não sabemos valorizar. Passava-se mesmo mal quando a comida era condicionada pela escassez. Curiosamente, estas privações tinham um momento de pausa quando ela, no recobro de um mês após cada parto, era o centro de todos os cuidados familiares. Continuava a cozinhar para todos, mas só ela tinha o direito a comer uma galinha por dia... durante um mês! Um cuidado, no mínimo peculiar e um mimo raro para aquela época. Porém, a minha avó provou bem a sabor agridoce da maternidade. Ser mãe é ter o coração de um filho a bater no próprio peito. Não imagino a dor que sentiu ao ver o seu filho mais velho partir para Angola, para uma guerra que não dava certezas de regresso. Felizmente, mantém hoje esse invulgar privilégio de gozar da presença dos seus seis filhos. A avó Alice, a natalícia Alice, sempre foi uma mulher forte. Em 1999 foi atropelada com gravidade a caminho da missa, que praticava com religiosa devoção. Esteve em coma mais de um mês. Com a

XI

idade já avançada que tinha, ninguém acreditava que resistiria. Mas resistiu! A minha avó, que hoje está ao cuidado da Maria José, a filha mais nova, está lúcida, embora já não tenha o dom da visão. Sabe que anda por aí uma coisa estranha chamada pandemia, mas ignora todo o drama inerente à mesma. Curiosamente, ou não, quando nasceu, no Natal de 1920, o mundo estava a sair de uma outra pandemia. Estranha ironia ou sinal de esperança para os tempos que se seguem. A certeza que tenho é que estes não foram cem anos de solidão. Foram anos duros, mas repletos de vida e esperança. Por certo, a avó Alice é a única famalicense a fazer cem anos no dia de Natal. Formidável comemoração. Parabéns, avó! Parabéns de todos nós, os seus seis filhos, sete netos e cinco bisnetos. Obrigado por teres sido a mãe e a avó coragem de todos os tempos.

Projeto Solidário de Antas entrega cabazes de Natal

Agostinho Costa

O Projeto Solidário de Antas entregou aos Vicentinos da freguesia 42 cabazes de Natal. A intenção é distribui-los pelas famílias carenciadas de S. Tiago de Antas. Tal como é referido na nota enviada à imprensa, para além de dez cabazes oferecidos pela equipa da imobiliária Remax, foram vendidas rifas, feita recolha de alimentos e prémios para

sorteios. A missão do Projeto Solidário de Antas incluiu muitos famalicenses, que conseguiu vender a totalidade das rifas. Assim, com este valor foram comprados diversos bens alimentares, nomeadamente legumes e brinquedos “que irão alegrar o Natal das crianças carenciadas”.


XII

PUBLICIDADE

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020


Afinal quem é o Pai Natal?

Estamos a chegar ao Natal, e se há uma figura emblemática para esta época é o Pai Natal, o cativante e barbudo senhor vestido de vermelho que dá presentes às crianças. Existem alguns mitos urbanos sobre a sua criação e sobre o papel desempenhado pela Coca-Cola, no entanto poucos sabem a verdadeira história do Pai Natal. O Pai Natal é uma personagem mitológica que já tinha aparecido em ilustrações desde meados do século XIX. No entanto, até aos anos 30 a imagem desta re-

chonchuda personagem variava constantemente de acordo com o artista ou a ocasião que representava: podia ser um pequeno duende ou um homem alto e magro, com todo o tipo de vestimentas, tais como túnicas e casacos de pele. Curiosamente, muitos pensam que o Pai Natal veste vermelho para o relacionarmos com a Coca-Cola, no entanto já havia sido retratado com vestimentas dessa cor em diversas ocasiões. Em 1920 o Pai Natal apareceu pela primeira vez num anúncio da Coca-Cola publi-

cado no The Saturday Evening Post. Com um ar sério, este primeiro Pai Natal foi criado pelo ilustrador Thomas Nast e, durante alguns anos, a Coca-Cola utilizou na sua publicidade diferentes desenhos desta personagem realizados por outros ilustradores. No entanto, o Pai Natal, tal como todos o conhecemos atualmente, nasceu em 1931, encomendado pela agência de publicidade da Coca-Cola ao artista Haddon Sundblom. O objetivo era criar uma personagem que estivesse entre o real e o imaginário, a personificação do espírito natalício e “a felicidade da Coca-Cola”. Com base no São Nicolau, criou uma personagem afetuosa, acolhedora e simpática que rapidamente cativou o público e contribuiu para a criação de uma imagem definitiva do Pai Natal. Na verdade, o primeiro Pai Natal surgiu há já 80 anos e já várias gerações cresceram com essa figura paternal, vestida de vermelho, que vive numa casinha de madeira no meio da neve. Tem renas e na noite de Natal, de forma mágica, consegue distribuir presentes a todas as crianças do mundo, especialmente às que se portam bem. pub

Centro Escolar Luís de Camões une esforços para um Natal especial opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

ESPECIAL

XIII

Apesar dos tempos difíceis que vivemos, a comunidade escolar do Centro Escolar Luís de Camões não quis deixar de trazer a magia do Natal aos seus alunos. “Porque vale a pena acreditar e confiar num mundo melhor”, a coordenadora da escola, professora Conceição Sousa, os professores e funcionários uniram esforços com a associação de pais e realizaram uma série de ações relacionadas com esta época festiva: desde decorações natalícias em toda a escola, visita do Pai Natal com direito a distribuição de presentes a todos os alunos, recolha de bens alimentares e de higiene para a elaboração de cabazes para famílias mais carenciadas, até à elaboração de um “fantástico e alegre” vídeo onde participaram todos os alunos, professores e funcionários da escola. “A escola Luís de Camões orgulha-se de ter alunos e pais fantásticos, que confiam nela como sendo um ambiente feliz e seguro de aprendizagem e crescimento pessoal, acreditando que ambientes felizes e seguros moldam pessoas realizadas e empáticas com e no mundo”, diz a nota enviada à redação, acrescentando que “não deixando de ter receio e respeito pelo que estamos a viver, o amor prevaleceu e o espírito de Natal venceu!” pub


Bombeiros Famalicenses celebram o Natal a partilhar

XIV

ESPECIAL

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

Escolha o bacalhau perfeito

Em Portugal, Natal não é Natal sem um elemento à mesa. Vindo de terras longínquas, mas que faz parte da nossa tradição há mais de 500 anos, falamos do bacalhau que, nesta época, se quer que seja o melhor exemplar possível. Sabe o que procurar para ter um bom bacalhau na noite de consoada? Siga estas dicas e encontre o melhor bacalhau. Bacalhau salgado seco Nesta quadra, opte por bacalhau salgado seco. Existem opções congeladas bastante práticas, mas para uma refeição tão importante como a consoada vale a pena dedicar algum tempo para obter o melhor bacalhau.

Os Bombeiros Voluntários Famalicenses celebraram, no sábado passado, o seu Natal. Num ano claramente atípico, salvaguardando as medidas de segurança necessárias, esta corporação levou as prendas às crianças, filhos e filhas dos bombeiros e também Infantes da Associação. Já ao final da tarde, a direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Famalicenses deu as prendas à corporação: dois novos veículos, uma ambulância de transporte de doentes e um veículo ligeiro de combate a incêndios. Tal como se pode ler em nota enviada à imprensa, “foi o reconhecimento da direção para o gigante esforço dos nossos bombeiros para superar este período pandémico”. No final, foram entregues os tradicionais cabazes de natal aos bombeiros sorteados. Foi também entregue o Prémio de Reconhecimento ao Bombeiro 115, que foi o que mais se destacou em 2020. Por outro lado, este voluntário esteve internado durante longo período devido ao Covid-19.

está bem seco. Esta tonalidade origens, onde o bacalhau é tamtende a desaparecer durante a co- bém de grande qualidade: a Islânzedura. dia e as Ilhas Faroé.

Espécie e Origem Entre os peixes comercializados como bacalhau, existem dois mais comuns: o gadus morhua que vive no Atlântico Norte e o gadus macrocelfalus, que vive no oceano Pacífico no Alasca. O mais tradicional e presente à mesa dos portugueses é o pescado no Atlântico. A origem principal do bacalhau que encontra no mercado com a cura portuguesa é a Noruega, mas há ainda outras duas

Calibre O bacalhau varia de peso e, consoante o peso e tamanho, é classificado por calibres. Quanto mais pesado e de maior calibre, maiores e mais altas serão as suas postas. Dependerá de quantas pessoas tem à mesa, mas para mesas grandes escolha um bacalhau especial. Conheça as diferentes designações do bacalhau e respetivos pesos para que não restem dúvidas no momento de compra.

Cura do bacalhau Quanto maior o tempo de cura, melhor o sabor e o lascar do bacalhau. Será também preciso mais tempo de demolha e cuidado no processo de preparação, mas valerá a pena. Para ter um bacalhau de superior qualidade escolha um com pelo menos 4 meses de cura. Cor e Aparência Dê preferência ao bacalhau que apresente uma aparência uniforme, com o sal na quantidade certa, livre de fendas profundas e aspeto pegajoso. Um bom bacalhau deve ter uma cor amarelo palha. Isto significa que o sal está bem entranhado e o bacalhau pub

pub


Mesa de Natal pede, este ano, um regresso às origens opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

pub

pub

Não deixe para a última hora a sua decoração e organização da mesa de Natal. Na impossibilidade de juntar toda a família, uma mesa aconchegante vai fortalecer os sentimentos de união e amor desta quadra. Se já está atarefada a pensar nos presentes, na decoração da árvore de Natal, da casa e, para os mais festivos, até na decoração de janelas e portas, não se esqueça que a mesa é local principal da noite de consoada e dia de Natal. As tendências de pesquisas mostram que, este ano, há um anseio por tradição como nunca antes. E não é difícil explicar porquê. Com tudo o que estamos a viver, queremos lembrar-nos de uma época em que a vida estava mais fácil. E a nossa mesa de Natal pode ser isso e muito mais. Se pretende trazer um pouco de nostalgia para o centro da sua casa, veja algumas das ideias tradicionais que pode replicar na sua mesa e envolver toda a família. - Muitos de nós crescemos a apanhar pinhas para decorar no Natal. Traga algumas dessas memórias e crie novas com as crianças. É também uma forma de decorar sem gastar muito dinheiro e de dar um toque de natureza à sua mesa.

ESPECIAL

XV

- O Natal em Portugal sempre foi sinónimo de musgo e azevinho. A viagem natalícia da nossa infância começava com a procura do melhor musgo para criar o chão de veludo dos nossos presépios. E que tal, este ano, incorporar um pouco dessa nostalgia na sua mesa? - As coroas e as grinaldas são provavelmente a decoração mais tradicional. Nas janelas, nas portas, nas paredes. E porque não na sua mesa? - Luzes e velas sempre deram um toque especial a todas as decorações de Natal. Mesmo que seja, este ano, uma mesa de pequena, dê-lhe um toque de magia e brilho. - As decorações em xadrez são uma das tendências deste ano para criar um ambiente tradicional, quente e acolhedor. - E a paleta de cores mais clássica será sempre o verde e o vermelho. Se preferir mesas mais simples, pode usar pequenos detalhes elegantes. Mas se gosta de uma mesa decorada em grande, incluir o dourado vai criar um efeito arrojado e festivo. - O pinheirinho vai ser sempre a memória mais tradicional. Este ano pode trazê-la para o seu centro de mesa.

Teatro e música animaram Natal da Gerações

Como todas as instituições, a Associação Gerações vive também um tempo diferente que implicou e continua a implicar a sua constante adaptação. Mesmo assim, a Gerações manteve para as suas crianças uma prenda especial, materializada num momento cultural, que aconteceu nas suas instalações, e que foi concretizado pela Associação “Fértil Cultural” (para as crianças do Pré – Escolar), com o espetáculo “Eu é que conto”, enquanto que as crianças da creche deliraram com o espetáculo musical dinamizado pela empresa “Música 100 idade”. As crianças do centro educativo tiveram a oportunidade de assistir ao concerto do David Fonseca, que se realizou na Casa das Artes, no dia 9 de dezembro. Os nossos seniores não ficaram esquecidos: para além de uma lembrança simbólica distribuída a todos, as crianças das diferentes salas fizeram questão de desejar a todos um Santo Natal, através de desenho, pintura ou escrita coletivos, que foram colocados nas salas onde decorrem as atividades do Clube Sénior; uma das salas de pré-escolar organizou um “encontro” através das novas tecnologias, para atenuar as saudades que todos sentem das atividades internacionais, que são um ex-libris do trabalho que realizámos na Gerações.


XVI

PUBLICIDADE

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020


“Neste Natal, coloca a reciclagem no sapatinho” na Escola de Bairro

Curiosidades (divertidas) sobre esta data festiva opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

ESPECIAL

XVII

A meia do gigante Que se saiba a maior meia de Natal do mundo foi feita em 2007 pela Sociedade de Crianças em Londres. Ela media 32,56 metros de comprimento, 14,97 metros de largura e pesava mais do que 5 renas. Tinha ao todo quase 1.000 presentes. Falta agora bater este recorde. O famoso nariz vermelho Alguns cientistas noruegueses defendem que o nariz vermelho de Rudolph (a rena) é, provavelmente, uma infeção parasitária do seu sistema respiratório. A sério?

Os alunos da EB Bairro participaram no concurso da Resinorte. Este concurso tem como objetivo a criação de um sapatinho de Natal, para divulgação das redes socais da Resinorte na quadra natalícia que vivemos. Para o efeito, os alunos foram desafiados a criar sapatinhos reciclados, resultantes da utilização obrigatória de três materiais que têm como destino o e c o p o n t o (papel/cartão, embalagens de plástico/metal e pacotes de bebida e ainda embalagens de vidro). Os alunos criaram verdadeiras peças de arte, com a colaboração da família.

Ainda não passou de moda… Todos os anos, só nos Estados Unidos, são enviados mais de 3 bilhões de postais de Natal. Deve ser o stress… De acordo com dados analisados a partir de comentários no Facebook (portanto muito fidedigno), as duas semanas que antecedem o Natal são alguns dos momentos mais populares para a separação de casais. E o próprio dia comemorativo, dia 25, é o menos favorito para as separações. Até as cores desta época têm significado! As três cores tradicionais do Natal são, vermelho, verde e o ouro. O vermelho representa o sangue de Cristo, o verde, o símbolo da vida e do renascimento, e o ouro, a luz e as riquezas.

Sorria, seja feliz… As taxas de suicídio são mais altas durante a primavera, e não no Natal, como dizem algumas crenças populares.

car uma Árvore de Natal na Casa Branca. Alguns estudiosos dizem que foi o presidente Franklin Pierce em 1856, já outros dizem que foi Benjamin Harrison em 1889. O que é certo é Excelente ideia que o presidente ambientalista Teddy A primeira pessoa a decorar uma árvore Roosevelt proibiu, em 1901, árvores de de Natal foi o protestante Martinho Lu- Natal na Casa Branca. tero (1483-1546). Segundo conta a lenda ele ficou tão emocionado com a Nunca nos fartamos de ouvir… beleza de algumas estrelas no céu, Estima-se, atualmente, que o single que trouxe uma árvore perene para “White Christmas” da Irving Berlin é o casa e a decorou com velas para com- mais vendido da história, com mais de 100 milhões de vendas em todo o partilhar a imagem com seus filhos. mundo. Mas há outros clássicos inSó na América… temporais. Por cá, temos o eterno Coro Existe duas reivindicações para saber Infantil de Santo Amaro de Oeiras com qual foi o primeiro presidente a colo- “A todos um bom Natal”. pub


XVIII

PUBLICIDADE

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020


opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

pub

pub

Um Conto de Natal

Há muitos anos, estava eu a cumprir o serviço militar em Lisboa, e conheci com um senhor que esteve em Belém, onde tinha nascido o Menino Jesus. Numa das nossas conversas, contoume que tinha encontrado lá, em Belém, uma figura histórica, muito velhinha, que tinha uma história sobre o nascimento do menino Jesus, que lhe foi transmitida por um pastor. Este pastor ofereceu-lhe uma fotografia muito antiga do Presépio, que tinha sido passada de mão em mão desde tempos idos pela sua família. E para explicar a fotografia, contou-lhe uma história muito bonita, que não resisto de vos contar: “Quando José chegou a Belém para o recenseamento a que era obrigado, tinha chegado a hora de Maria dar à Luz. José procurou uma hospedaria, mas estava tudo cheio. O estalajadeiro disse-lhe que poderia ficar no estábulo onde guardava os animais, pois era um lugar muito quentinho e tinha muita palha para se aconchegarem. José aceitou e agradeceu a ajuda. Viu uma manjedoura, mas verificou que não era lá muito segura, pois tinha uma tábua partida. Disse a Maria para ficar ali enquanto ele ia ver se conseguia arranjar madeira (ele era carpinteiro) para concertar a manjedoura. José viu um pastor à porta do curral e pediu-lhe para vigiar enquanto ele saía para arranjar madeira. Entretanto uma vaquinha e um burrinho, curiosos, aproxi-

ESPECIAL

XIX

maram-se de Maria. Quando voltou Maria já tinha dado à Luz e viu o Seu Menino embrulhado nuns panos. Mas não viu o burrinho. Perguntou ao pastor e ele disse que ouviu o burro a dizer à vaca que ia dar uma volta, pois não gostava de ouvir as crianças a chorar. E esta é a razão porque na fotografia só aparece Maria, o Menino e a vaquinha”. Se por acaso os meus queridos meninos virem o burrinho digam-me, pois, o Menino Jesus gostava muito dele. Toca a procurar pois o Menino Jesus Dá uma prenda muito bonita ao menino ou menina que seja o primeiro a encontrar o animal. Um Santo e Feliz Natal com muitas prendinhas para todos vocês e, o que é muito importante, não se esqueçam dos outros meninos e meninas, e são muitos, que estão doentes nos hospitais e, de todos os outros meninos e meninas que há em todo o Mundo que não sabem o que é o Natal, porque nunca ninguém lhes falou que há um Menino Jesus que nasceu também para eles. E façam uma pequenina oração por todos eles e que são muitos, mas muitos milhões! E digam assim: “Ó Menino Jesus, nasce todos os dias nos corações dos meninos e meninas que vivem por esse Mundo fora e que não têm quem se lembre deles”. Joaquim Pinto Machado

Concerto de Natal Solidário na União de Freguesias de Esmeriz e Cabeçudos

A época festiva do Natal é, há muitos anos, celebrada em Esmeriz e Cabeçudos com o tradicional Concerto de Natal Solidário. Este ano o espetáculo realiza-se no próximo sábado, dia 26 de dezembro. De modo a garantir todas as regras de segurança, o Concerto de Natal tem lugares limitados, devendo os interessados deixar os seus bens alimentares solidários e levantar os seus bilhetes na Casa de Esmeriz. A data limite para o fazer é esta quarta-feira. Este ano, o espetáculo realiza-se, uma vez mais, no Salão Paroquial de Esmeriz e conta com a interpretação do grupo musical Casa de Esmeriz Ensemble e outros convidados. Os músicos vão apresentar um programa eclético, desde peças cinematográficas, a clássicos internacionais, até músicas tradicionais portuguesas, como Natal de Elvas. O Concerto tem início marcado para as 18 horas.


XX

PUBLICIDADE

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020


Natal em segurança

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

Árvore de Natal: coloque-a em local desimpedido, longe de lareiras e aquecedores ou de quaisquer outras fontes de calor. Procure mantê-la estável, bem fixa, de forma a não cair.

ESPECIAL

EB de Riba de Ave promove “Vamos salvar o Natal!”

XXI

A Associação de Pais da EB de Riba de Ave tomou a iniciativa de montar uma árvore de Natal na escola. Para tal foram usados materiais reutilizáveis, desta feita, guarda-chuvas de todas as cores e feitios. Desafiou, ainda, os alunos de cada turma a fazerem a decoração de uma coroa natalícia, segundo os ideais do Projeto Eco-escolas, ou seja, com materiais reutilizáveis. A decoração da escola fala por si!

Luzes: antes de colocar as luzes, certifique-se que se encontram em boas condições, ou seja, que os fios não estão gastos ou descarnados e que não há lâmpadas partidas ou rachadas. É importante também não deixar as luzes acesas por períodos prolongados. Antes de sair de casa ou de se deitar, desligue as iluminações. Decorações: enfeites e objetos decorativos devem ser mantidos fora do alcance das crianças para evitar o perigo de asfixia. Velas: caso utilize velas acesas, não as coloque perto da árvore de Natal ou de outros produtos inflamáveis. À semelhança das iluminações elétricas, não deixe as velas acesas por períodos prolongados, quando sair de casa ou depois de se deitar. Lareiras e aquecedores: evite ter a lareira acesa na presença de crianças. Caso necessite de acender a lareira, certifique-se que tem uma proteção estável e que a ventilação é eficaz. No caso dos aquecedores, tenha-os em locais desimpedidos, afastando-os de sofás, almofadas e cortinados.

prazo de 14 dias, sem necessidade de justificação nem ter de pagar algum valor extra. No que diz respeito ao pagamento, caso seja necessário pagar algum valor extra, essa informação deve ser clara e visível antes de o consumidor finalizar a encomenda. Leia sempre com atenção toda a informação, mesmo aquela que esteja em letras mais pequenas. Procure informação sobre o sítio da Compras online: nas compras pela Inter- internet onde pretende efetuar a sua net, saiba que em caso de arrependi- compra, a fim de verificar a fiabilidade mento, pode resolver o contrato no do mesmo.

Donativos e lotaria: surgem muitos pedidos de ajuda a instituições de solidariedade social, nem todas elas verdadeiras, por isso, antes de fazer o seu donativo verifique se a instituição é real. Tenha cuidado também na compra de bilhetes da lotaria, adquira-os apenas nos locais habituais. Casa e redes sociais: procure não deixar sinais visíveis de que a sua casa está desocupada e, nas redes sociais, não divulgue a sua ausência. pub


XXII

ESPECIAL

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020 pub

Faça bolachinhas de Natal... Ingredientes

 Sal q.b. 4 ovos 300 gr farinha com fermento

150 gr manteiga 1 c. de chá essência de baunilha 200 gr açucar

Preparação: Misturar o açúcar, o sal e o ovo com o batedor de varas até a mistura ficar branca. Adicione a farinha, a manteiga e a baunilha, misture tudo. Continue a amassar misturando com as mãos, até obter uma massa consistente. Forme uma bola, tape e leve ao frigorífico durante 30 minutos. Ligue o forno a 180 ºC. Polvilhe a mesa com um pouco de farinha, em seguida, prepare o rolo e as formas com motivos natalicios. Polvilhar com um pouco de farinha para que não pegue ao rolo e estenda. Quando a massa estiver estendida, polvilhe com açúcar em pó, assim as formas das bolachas não vão pegar, corte as bolachas com as formas à sua escolha. Disponha-as no tabuleiro em cima de papel vegetal. Leve ao forno 9 a 10 minutos, depois deixe arrefecer 5 minutos, retire do tabuleiro e sirva. Nota: Pode decorar as suas Bolachas de Natal com bolinhas coloridas, raspas de amêndoa, raspas de chocolate ou o sabor que mais apreciar. pub


O presente de Natal ideal para cada signo

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020

Carneiro: este signo não gosta de acumular tralhas, por isso escolha alguma coisa útil, como malas, sapatilhas, gadgets práticos, uma camisola, qualquer coisa para o carro ou uma bicicleta. Ofereça uma máquina fotográfica, um novo modelo de telemóvel ou algo que seja uma novidade no mercado.

Caranguejo: este é um dos signos a quem é mais fácil agradar. Não importa o preço do seu presente, quanto mais pessoal for, melhor. Tudo o que sirva para embelezar o seu lar ou suscite memórias é muito bem-vindo: álbuns de fotografias, joias antigas, uma má-

XXIII

suas poupanças e ofereça-lhe um bilhete de avião para uma viagem. Procure que seja algo de marca, bom, exclusivo, de que ele se possa gabar e que possa mostrar a toda a gente. Capricórnio: ao contrário de outros signos que apreciam o que é vistoso, para Capricórnio deve sempre haver sobriedade e discrição. As cores mais escuras, como castanhos, preto, tons de cinza, são as que mais lhes agradam nos acessórios e peças de roupa. O presente deve ser útil e duradouro.

Touro: é um dos signos que mais valoriza a qualidade. Aposte em roupa de boa marca, em perfumes, produtos de beleza como cremes hidratantes ou maquilhagem para as mulheres e, claro, um vinho de reserva especial ou produtos gourmet. Também pode oferecer uma joia cara, clássica, ou um cachecol. Gémeos: curiosos, divertidos e distraídos, os nativos deste signo são ávidos por novidades. Ofereça livros, cds com músicas que ele não conheça, uma agenda ou um caderno onde ele possa anotar as suas ideias. Pode também oferecer um ipad, um telemóvel intuitivo, bilhetes para concertos, exposições ou espetáculos que sejam do seu agrado e, se puder, uma viagem.

ESPECIAL

quina fotográfica ou alguma coisa que ele possa usar de imediato. Este é também o signo que aprecia prática. os pormenores, portanto os puzzLeão: aqui a qualidade faz toda a les, os livros de mistério, os kits diferença. Este signo adora cuidar "faça você mesmo” são sempre de si, por isso uma massagem, boas apostas. Os livros, as agenuma sessão no spa, uma ida ao ca- das, as caixas de arrumação, beleireiro, um bom perfume, cre- guarda-joias, relógios e marcadomes de qualidade são boas res de livros são algumas das mesugestões de presentes. Bons lhores ofertas. acessórios em tons de dourados, vistosos, que atraiam as atenções, Balança: é vaidoso e o seu sentido estético governa a sua vida. também são do seu agrado. Evite excessos. Pense nos ideais Virgem: para este signo opte por clássicos da beleza e terá enconpresentes úteis, práticos, simples e trado o presente certo, como rou-

pas bonitas, em cores suaves, perfumes delicados, carteiras em pele, malas, lenços, gravatas, joias elegantes, além de um fim de semana romântico.

Aquário: adora a originalidade e a inovação. Por isso, o último gadget do mercado pode ser um bom presente. Aquário aprecia sobretudo os presentes que estimulem a sua imaginação. O ideal são jogos, livros de ação, uma viagem, um workshop ou uma máquina fotográfica que lhe permita interagir com os amigos.

Peixes: para o sensível nativo de peixes, os presentes mais românticos são os melhores, como cds, livros de ficção ou de fantasia, DVDs com os clássicos do cinema, cadernos para ele escrever, bilhetes para concertos, teatro, para exposições e idas a um museu. Gosta também de velas, cristais, Sagitário: Quer agradar a um na- pêndulos, óleos aromáticos e outivo de Sagitário? Então junte as tros objetos místicos. Escorpião: este nativo despreza a vulgaridade, por isso nem pense em dar-lhe algo banal. Óculos escuros, cachecóis, DVDs e livros de séries policiais, ou qualquer outro objeto esotérico fazem as suas delícias.

pub


XXIV

PUBLICIDADE

opiniãopública: 23 de dezembro de 2020


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.