__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

13 de setembro de 2012 N.º 388 ano 10 | 0,50 euros | Semanário

Diretor Hermano Martins

PUB

Polícia pág. 3

Homem esfaqueado em rixa de café Polícia pág. 3

Roubaram 50 mil euros em material e foram apanhados

Educação pág. 13

Desporto pág. 18

Associação de Pais Direito oferece material de resposta escolar a alunos ACRVigorosa


2 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

Meninos Cantores promovem concurso de anedotas “Concurso de Anedotas, Arreganha a Taxa” é o nome da iniciativa organizada pelos Meninos Cantores do Município da Trofa, que vai decorrer no dia 15 de setembro, sábado, pelas 19.30 horas, no edifício da Associação de Solidariedade Social do Coronado (ASCOR), em S. Romão do Coronado.

Lago Discount acolhe 1ª Loja dos Cachecóis do Norte do país

Uma iniciativa com o intuito de angariar verbas para a viagem do grupo coral ao Brasil. Para participar basta aparecer no dia e inscrever-se no concurso. Além disso, a organização terá à disposição da comunidade rojões, caldo verde, canja ou papas. P.P.

Hotel Cidnay organiza workshop de Apicultura “Venha conhecer um pouco da vida da abelha, a sua anatomia, como funciona e o que faz. Saiba o que se pode retirar de uma colmeia e quais as suas aplicações”. Este é o convite lançado pelo Hotel Cidnay que convida a comunidade a participar no workshop de apicultura, que decorre no dia 22 de setembro, sábado, entre as 15 e as 19.30 horas. Além da parte teórica, o workshop inclui uma prova de

méis e uma demonstração de produtos. O custo por pessoa é de 30 euros, que devem ser pagos, na totalidade, no ato da inscrição. Os participantes terão direito a uma oferta de um kit de produtos “Mel Tradicional”. Para mais informações ou reservas pode contactar o estabelecimento através do número 252 859 300 e do email reservas@h otel-cidnay.pt.

Idosa roubada em S. Mamede Uma senhora de 74 anos foi vítima de roubo por esticão, em S. Mamede do Coronado, no dia 9 de setembro. Cerca das 14 horas, quatro indivíduos, que seguiam numa viatura ligeira preta,

13 de setembro de 2012

A Loja dos Cachecóis, sediada em Lisboa, é uma empresa especializada na personalização de cachecóis. Além disso, a loja também personaliza outro tipo de artigos tais como bandeiras e camisolas. Considerando o setor da personalização de cachecóis um negócio em crescimento em Portugal, a empresa planeia a expansão da rede de lojas em território nacional. Para começar, decidiu abrir a primeira loja do Norte do País no Lago Discount,

em Vila Nova de Famalicão. A segunda loja do grupo, com 84,70 metros quadrados de área total, foi inaugurada no dia 3 de setembro, segunda-feira. As principais razões que levaram à escolha do Lago Discount para a abertura do novo espaço foram “a grande centralidade da região e os acessos às principais autoestradas”. A Loja dos Cachecóis dispõe de uma loja online, onde é possível visualizar os produtos existentes e efetuar encomenda.P.P.

Assembleia de Freguesia de Santiago de Bougado

Edital MANUEL PEREIRA CARNEIRO, Presidente da Assembleia de Freguesia de Santiago de Bougado, concelho da Trofa, vem, ao abrigo do artigo 19.º, alínea b) da Lei n.º 5-a/2002 de 11 de Janeiro, convocar a V.ª Ex.ª para a sessão ordinária, a qual terá lugar no Auditório desta autarquia, no próximo dia17 de Setembro de 2012, pelas 21:30 horas, com a seguinte ordem de trabalhos: PERÍODO DE ANTES DA ORDEM DO DIA 1. Votação da ACTA da reunião anterior. 2. Assuntos de interesse geral para a freguesia.

terão arrancado a bolsa da idosa, que continha cerca de 50 euros em dinheiro e documentos. A GNR da Trofa tomou conta da ocorrência. H.M.

PERÍODO DA ORDEM DO DIA 1. Apreciação da informação escrita do Sr. Presidente da Junta, acerca da actividade da Freguesia e da sua situação financeira. PERÍODO DE INTERVENÇÃO DO PÚBLICO Em conformidade com o regimento desta Assembleia, uma vez encerrada a Ordem do Dia, será aberto ao público um período de tempo até 30 minutos, para eventuais intervenções e solicitações de esclarecimentos. ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE SANTIAGO DE BOUGADO, 10 de Setembro de 2012 O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA, (MANUEL PEREIRA CARNEIRO)

Ficha Técnica Fundadora: Magda Araújo Diretor: Hermano Martins (T.E.774) Sub-diretora: Cátia Veloso (T.P. 1639) Editor: O Notícias da Trofa, Publicações Periódicas Lda. Publicidade: Maria dos Anjos Azevedo Redação: Patrícia Pereira (T.P. 1637), Cátia Veloso Setor desportivo: Diana Azevedo, Marco Monteiro (C.O. 744), Miguel Mascarenhas (C.O. 741) Colaboradores: Atanagildo Lobo, Jaime Toga, José Moreira da Silva (C.O. 864),

Tiago Vasconcelos, Valdemar Silva Fotografia: A.Costa, Miguel Trofa Pereira (C.O. 865) Composição: Magda Araújo, Cátia Veloso, Ana Assunção (T.P.E 155) Impressão: Gráfica do Diário do Minho, Lda, Assinatura anual: Continente: 22,50 euros; Extra europa: 59,30 euros; Europa: 42,40 euros; Assinatura em formato digital PDF: 15 euros NIB: 0007 0605 0039952000684 Avulso: 0,50 Euros

E-mail: jornal@onoticiasdatrofa.pt Sede e Redação:Rua das Aldeias de Cima, 280 r/c - 4785 - 699 Trofa Telf. e Fax: 252 414 714 Propriedade: O Notícias da Trofa Publicações Periódicas, Lda. NIF.: 506 529 002 Registo ICS: 124105 Nº Exemplares: 5000 Depósito legal: 324719/11 Detentores de 50 % do capital ou mais: Magda Araújo

Nota de redação Os artigos publicados nesta edição do jornal “O Notícias da Trofa” são da inteira responsabilidade dos seus subscritores e não veiculam obrigatoriamente a opinião da direção. O Notícias da Trofa respeita a opinião dos seus leitores e não pretende de modo algum ferir suscetibilidades. Todos os textos e anúncios publicados neste jornal estão escritos ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

Agenda Dia 14 21 horas: Sessão Ordinária da Assembleia de Freguesia de Covelas, no auditório da Junta de Freguesia Dia 15 16 horas: Festa Medieval Solidária, na Quinta dos Carriços, em Valdeirigo, S. Martinho de Bougado 21.30 horas: Espetáculo musical com o grupo Xistema, seguido de fogo de artifício, nas festas de Santa Eufémia, em Alvarelhos Dia 16 Romaria de Santa Eufémia, em Alvarelhos 16 horas: Trofense-Vitória Guimarães B, no estádio Clube Desportivo Trofense 17 horas: Custóias-Bougadense, no estádio Custóias Futebol Clube, em Matosinhos Dia 17 14 horas: Atuação da Banda de Música da Trofa e da de Vila Nova de Famalicão, nas festas de Santa Eufémia, em Alvarelhos 21.30 horas: Sessão Ordinária da Assembleia de Freguesia de Santiago de Bougado, no auditório da Junta de Freguesia

Farmácias de Serviço Dia 13 Farmácia Nova Dia 14 Farmácia Moreira Padrão Dia 15 Farmácia Sanches Dia 16 Farmácia Trofense Dia 17 Farmácia Barreto Dia 18 Farmácia Nova Dia 19 Farmácia Moreira Padrão Dia 20 Farmácia Sanches

Telefones úteis Bombeiros Voluntários da Trofa 252 400 700 GNR da Trofa 252 499 180 Polícia Municipal da Trofa 252 428 109/10


www.onoticiasdatrofa.pt

13 de setembro de 2012

Polícia 3

Cerca de 50 mil euros em material furtados da Nafcargo Patrícia Pereira Hermano Martins

A empresa Nafcargo, situada em Santiago de Bougado, foi assaltada, na madrugada do dia 6 de setembro. Assaltantes terão furtado cerca de 50 mil euros em materiais. A empresa Nafcargo, situada na Rua da Ribeira, em Santiago de Bougado, foi assaltada, tendo sido furtado diverso material avaliado em cerca de 50 mil euros. Tudo terá acontecido na madrugada do dia 6 de setembro, quinta-feira. Os assaltantes terão entrado pelo telhado e furtado diverso material, como máquinas e estantes metálicas.

Uma máquina, avaliada em cerca de 39 mil euros, foi vendida a um sucateiro, situado perto das instalações da empresa, por 70 euros. Já o restante material, entre estantes metálicas, pilhas e relógios, avaliado em cerca de 13 mil euros, foi vendido a um sucateiro, situado na Rua Infante D. Henrique, S. Martinho de Bougado, por 94 euros. Os proprietários da empresa foram alertados, pelas 13 horas do mesmo dia, por um funcionário de uma empresa vizinha que viu três indivíduos a carregarem o material da empresa para uma viatura. Os proprietários e seus familiares terão percorrido algumas ruas do concelho à procura

Detidos por condução ilegal sob efeito de álcool Um condutor foi detido, no dia 8 de setembro, pelas 18.30 horas, em S. Mamede do Coronado com uma taxa de alcoolemia de 2.18 gramas de álcool por litro de sangue. O detido, morador naquela freguesia, foi notificado para comparecer no tribunal na manhã do dia 9 de setembro. O caso baixou a inquérito. Também no dia 9 de setembro, um condutor que seguia na Rua Almirante Gago Coutinho, em

Mais um Renault Mégane furtado Uma viatura, Renault Mégane, foi furtada, na noite de sexta-feira, dia 7 de setembro, na zona industrial Ibacoc, situada em Santiago de Bougado. No interior do veículo estaria, alegadamente, um telemóvel, um computador portátil e vestuário desportivo. O proprietário do carro, um professor do ginásio BodyTone, deu pela falta da viatura pelas 22.30 horas, tendo alertado os militares da Guarda Republicana da Trofa, que tomou conta da ocorrência. P.P.

do veículo do qual os assaltantes se faziam deslocar. A viatura foi posteriormente vista numa bomba de gasolina na freguesia do Muro. Os proprietários seguiram em perseguição até conseguirem parar o veículo, atravessando os carros, perto de uma bomba de gasolina à entrada do concelho da Maia. Entretanto a Guarda Nacional da Trofa, que já tinha sido alertada, contactou a Polícia de Segurança Pública da Maia, que foi ao encontro dos assaltantes. Estes foram identificados e aguardam julgamento em liberdade. Não foram presentes a tribunal, porque não foram apanhados em Assaltantes foram apanhados pelos proprietários da empresa flagrante pelas autoridades

Homem esfaqueado em rixa de café

S. Martinho de Bougado, foi intercetado pelos militares da Guarda Nacional Republicana da Trofa. O homem, de 55 anos, foi sujeito a um teste de alcoolemia, tendo registado 1.74 gramas de álcool por litro de sangue. O condutor foi notificado para comparecer na manhã do dia 10 de setembro no Tribunal, contudo o homem não apareceu. P.P. Homem foi esfaqueado numa rixa no Café Cruzeiro anos, foi ferida na zona abdomiCátia Veloso Hermano Martins nal, no estômago, e apresentava uma hemorragia abundante quando foi assistida pelos BomUm homem foi esfaqueado no estômago numa rixa de beiros Voluntários da Trofa. O hoOs militares da Guarda Na- café, na Lagoa, Santiago de mem foi transportado para a unicional Republicana (GNR) da Bougado. Tribunal fez baixar dade de Vila Nova de Famalicão Trofa apreenderam, no dia 9 de o caso a inquérito e agressor do Centro Hospitalar do Médio setembro, domingo, 72 DVD e foi libertado. Ave depois de ser estabilizado 136 CD, nas festas da Santa pela equipa da viatura médica de Eufémia. Na manhã de segunda-feira, emergência e reanimação de FaO material, que se encona pacatez que se vivia no Café malicão. O agressor, com 55 trava numa banca de venda ile- Cruzeiro, na Lagoa, freguesia de anos, foi detido pela Guarda Nagal, foi apreendido por usurSantiago de Bougado, não fazia cional Republicana da Trofa e foi pação de direitos de autor e di- crer que na noite anterior se vi- levado para os calabouços do posreitos conexos. veram momentos de aflição. Cer- to, mas durante a madrugada, Como o vendedor do mate- ca das 23.20 horas de domingo, também acabou por ser transporrial não se encontrava presen- um homem foi esfaqueado por tado para a mesma unidade de te, não foi possível identificá-lo. outro, na sequência de uma rixa. saúde, por sofrer de claustrofobia. P.P. A vítima, com cerca de 40 Na manhã seguinte, foi pre-

DVD e CD apreendidos na Santa Eufémia

sente ao Tribunal de Santo Tirso, e o caso baixou a inquérito. Agressão com recurso a arma branca é crime e pode ser punível até quatro anos de prisão. O NT tentou saber as motivações que levaram à agressão, mas nenhuma testemunha, no café, quis prestar declarações. No entanto, o NT conseguiu apurar junto de fonte policial que tudo terá começado por causa de um desentendimento entre dois homens, um dos quais terá ido buscar a arma a casa e regressado para o ajuste de contas, mas o que acabou ferido nada teria a ver com o caso e estava a penas a tentar acalmar os ânimos.


4 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

13 de setembro de 2012

Diretora do Agrupamento dos Centros de Saúde de Santo Tirso/Trofa demitida Casa da Cultura acolhe exposição de Moisés Oliveira

Cátia Veloso catia@onoticasdatrofa.pt

Administração Regional de Saúde do Norte demitiu a recém-empossada diretora do Agrupamento de Centros de Saúde do Grande Porto I – Santo Tirso/Trofa.

fonte: facebook.com

Custódia Magalhães mal aqueceu o lugar de diretora executiva do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Grande Porto I – Santo Tirso/Trofa. Quase um mês depois da nomeação ter sido publicada em Diário da República (8 de agosto), Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte resolveu demiti-la por descobrir “inexatidões profissionais relevantes” no currículo, esta sexta-feira, 7 de setembro. Até assumir este cargo, Custódia Magalhães, era funcionária da Câmara Municipal de Esposende, e acabou por ser denunciada pelo presidente dessa autarquia eleito pelas listas do PSD, João Cepa, que em carta enviada ao Ministério da Saúde, no dia 3 de setembro, alegou que, ao contrário do que consta do currículo apresentado no despacho de nomeação, “a nomeada não exerceu as funções de Coordenadora da Divisão de Assuntos Jurídicos de 2004 a 2012, mas sim durante um curto período de tempo, tendo sido exonerada em 2008 por incompetência” e por “faltar demasiado ao serviço”. Em jeito de ironia, o edil aproveitou para “felicitar o Ministério

Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

Custódia Magalhães foi demitida, um mês depois de tomar posse

da Saúde pela escolha efetuada”, porque “uma pessoa que nos últimos quatro anos apresentou mais de 50 atestados médicos e esteve ausente do serviço mais de 600 dias, tem o perfil adequado para dirigir um agrupamento de Centros de Saúde”. Em declarações ao Expresso, Custódia Magalhães defendeu-se, justificando que o currículo “não tem lapsos” e que se licenciou “numa universidade de reconhecida qualidade” sem “nunca” usar títulos académicos “a que não tivesse direito”. As faltas ao serviço, explicou, são justificados pelos “atestados médicos na posse do município, bem como as notas de comunicação da Junta Médica a que foi submetida, por mais do que uma vez” e os problemas de saúde advieram do “máximo de zelo, dedicação e empenho pessoal” colocados no trabalho feito na autarquia. Custódia acusa João Cepa de “incoerência na atitude”, já que, sublinha, foi “nomeada coordenadora de um pro-

jeto inovador no município”, quando regressou do período de baixa. João Cepa também criticou o facto de só ter tido conhecimento da nomeação quando Custódia Magalhães já tinha tomado posse. “O município pode não ser merecedor de qualquer tipo de consideração por parte dos organismos do Estado, mas tem de ser merecedor de respeito", acrescentou. Em declarações ao Expresso, o autarca afirmou que só recebeu uma mensagem escrita de telemóvel “um dia após a tomada de posse”, com a indicação de que regressaria à Câmara Municipal dentro de três anos”. “É inadmissível que ninguém tenha tido a preocupação de questionar previamente a autarquia se a nomeação em causa iria criar algum problema de funcionamento interno”, criticou. Por seu lado, Custódia Magalhães garante que informou o executivo, em abril, através do vice-presidente, pois não conseguiu contactar o presidente, que estava “sempre ausente”. Custódia é vice-presidente da Comissão Política Concelhia do PSD de Cabeceira de Basto e deputada municipal no mesmo concelho. A ARS Norte vai fazer uma nova proposta de nomeação para a direção executiva do ACESGrande Porto 1. Na quarta-feira, 5 de setembro, também a Federação Nacional dos Médicos tinha acusado alguns dos novos diretores executivos dos ACES da ARS do Norte de terem apresentado currículos com títulos académicos falsos.

A Casa da Cultura da Trofa acolhe uma exposição de Moisés Oliveira. “Pintura e Artes decorativas” foi inaugurada no sábado e estará patente até ao final do mês de setembro. “Pintura e Artes decorativas” é o nome da exposição de Moisés Oliveira, que estará patente na Casa da Cultura da Trofa, até ao final do mês de setembro. Uma iniciativa da Câmara Municipal da Trofa, com o intuito de dinamizar a Casa da Cultura, bem como apostar na oferta cultural do concelho. A Casa da Cultura da Trofa abriu as suas portas para a inauguração de uma nova exposição, que decorreu no sábado, dia 8

de setembro, tendo contado com a presença do artista, que fez uma visita guiada pelos trabalhos expostos. Moisés Oliveira é de Vila Nova de Famalicão e desde muito novo que demonstrou o seu gosto para as artes, tendose dedicado, nos anos 50, à pintura decorativa. Mestre Moisés, como é conhecido, gosta de reproduzir quadros de grandes pintores da Renascença tendo-se revelado, também, um retratista. Identifica-se com o artista François Bouchier, pela sua sensibilidade e personalidade, transpondo para as pinturas o encanto e sedução de ninfas em cenas mitológicas e alegóricas. A autarquia trofense “convida” toda a comunidade a visitar esta exposição, que estará patente na Casa da Cultura até ao dia 29 de setembro, de segunda a sábado entre as 10 e as 18 horas.

Colheita de sangue em S. Martinho

Centenas de pessoas participaram nas colheitas de sangue

O calor que se sentia no interior do pavilhão dos Bombeiros Voluntários da Trofa não afastou as quase duas centenas de pessoas que quiseram contribuir para aumentar as reservas de sangue do Hospital de S. João. Das 195 pessoas que compareceram, 171 doaram sangue na colheita promovida pelo Lions Club da Trofa. A coletividade vai continuar a promover mais brigadas e apela “à participação de todos”, porque “há doentes que precisam de si”.

“A associação pede a todos o gesto solidário da dádiva de sangue, especialmente àqueles que tendo pensado doar sangue não o fizeram até agora, aos dadores que não efetuam a sua dádiva há algum tempo e aos jovens, que colaborem, dando esse passo que salva vidas. Para além desta iniciativa, a associação tem já agendadas novas colheitas que, oportunamente, serão divulgadas”, afirma fonte do Lions Club da Trofa. C.V.


Atualidade 5

www.onoticiasdatrofa.pt

13 de setembro de 2012

Milhares esperados para a festa de Santa Eufémia Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Festa de Santa Eufémia é uma das mais emblemáticas do concelho. São esperadas milhares de pessoas no monte, em Alvarelhos, para participar nas celebrações religiosas e na romaria. Desde março que a comissão de festas de Santa Eufémia prepara a romaria. A crise obriga a esforço redobrado na angariação de fundos que sustentam uma das mais tradicionais festividades do concelho. No domingo, são esperados cerca de 200 autocarros oriundos de vários pontos do país, como Póvoa de Varzim, Vila do Conde, Esposende, Ovar, Estarreja e Figueira da Foz. “Vem mais pessoas de fora do que da Trofa”, frisou Nelson Moreira, membro da comissão de festas. O grupo de oito homens tem trabalhado afincadamente para manter a qualidade da romaria. A “venda de cera” e as “esmolas dos peregrinos” são a principal fonte de receita, ao contrário da venda de artigos religiosos, como imagens e terços, que “caiu 90 por cento, para não dizer cem”. Mesmo nas esmolas, moedas de euro que enchiam as caixas, por vezes, dão lugar “a moedas pretas”. Sinais da crise, que também trouxe mais pessoas à capela, as que Nelson Moreira chama de “peregrinos de circunstância”, que “vêm num momento e

Festas de Santa Eufémia uma das mais emblemáticas do concelho

depois a gente nunca mais os vê”. Nem a devoção é manifestada da mesma forma do que no passado. Pessoas a cumprir promessas de joelhos à volta da capela já se contam pelos dedos. Outras, “com mais idade”, che-

gam nos autocarros e “nem chegam a entrar no santuário”. “Já só vêm pela romaria”, explicou, pela experiência de três anos que tem na comissão de festas. O programa das festas deste ano já começou no início do mês, mas o fim de semana “gran-

de” da festa é a 15 e 16 de setembro. No sábado, logo pela manhã, a fanfarra de Santa Maria de Alvarelhos sai à rua para anunciar as festividades e para as 9 e 11 horas estão marcadas duas eucaristias. À noite, às 21.30 horas sobe ao palco o grupo musical “Xistema”. O dia termina com uma sessão de fogo de artifício. No domingo, estão agendadas três missas, às 7, 9 e 11 horas. Às 8 horas, haverá uma encenação das rusgas de antigamente. Ao longo do recinto, haverá locais para reconfortar o estômago e a habitual feira. Na segunda-feira, pelas 14 horas, entram em cena as bandas de música da Trofa e Vila Nova de Famalicão, que prometem atrair muitos curiosos ao monte de Santa Eufémia. O programa da festa termina no fim de semana seguinte, com o 37º Festival de Folclore, no domingo, dia 23, com a participação dos ranchos de Alvarelhos, Mira-Serra de Louções (Alcobaça), das Caxinas e Poça da Barca, “Os Camponeses da Beira-Ria” e de Calheiros (Ponte de Lima). Santa Eufémia tem uma elevada importância junto dos fiéis, pois é invocada em muitos momentos de dor, sobretudo os que são relacionados com doenças do coração, pulmões, estômago, fígado e rins e as mulheres pedem a ajuda da santa para partos perigosos e doenças femininas.

Autarquia organiza Festival de Concertinas e Cantares ao Desafio Centenas de concertinistas e cantadores ao desafio vão “invadir” o monte de Santa Eufémia, em Alvarelhos, para participar no Festival de Concertinas e Cantares ao Desafio, que decorre no sábado, dia 22, pelas 15 horas. Uma iniciativa desenvolvida pela Câmara Municipal da Trofa com o intuito de divulgar a concertina como instrumento tradicional e símbolo de património imaterial do concelho, da região e também do País. O “Maior Festival de Concertinas e Cantares ao Desafio do Norte” já se tornou “num dos

grandes festivais do género, a nível nacional”, reunindo, ano após ano, intérpretes de concertina de todas as idades e de diversos pontos do País, e, por essa razão, atraindo milhares e milhares de visitantes ao concelho. Recorde-se que a tradição dos cantares ao desafio é comum em várias regiões e países do mundo. No século XX, no Norte Litoral português, este modo musical e poético de improvisação, começou a ser acompanhado com concertinas, tornando-se um ícone da musicalidade tradicional da região. P.P.

Festival de Concertinas decorre no dia 22 de setembro


6 Cultura

www.onoticiasdatrofa.pt

13 de setembro de 2012

Trofa foi “capital de folclore” Patrícia Pereira A.Costa

Durante o fim de semana, a Trofa foi a “capital do folclore”. Os grupos do concelho e seus convidados atraíram milhares de pessoas ao Parque Nossa Senhora das Dores. A 14ª edição do Festival de Folclore da Trofa trouxe a tradição popular ao coração do concelho, nos dias 8 e 9 de setembro. O Parque Nossa Senhora das Dores foi o local escolhido pela Câmara Municipal da Trofa para acolher esta iniciativa, que pretendia promover a cultura e a etnografia do folclore concelhio e nacional e, ao mesmo tempo, proporcionar animação a todos os presentes. O Festival começou na noite de sábado com a atuação do Rancho Folclórico do Divino Espírito Santo, o Grupo de Danças e Cantares de Santiago de Bougado, o Rancho Folclórico

de Quintã (Marco de Canaveses), o Rancho Folclórico de Alvarelhos e o Rancho Folclórico da Trofa. Já no domingo, o palco recebeu a atuação do Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado, do Grupo Folclórico “As Ceifeiras de S. Martinho de Fajões” (Oliveira de Azeméis), do Rancho das Lavradeiras da Trofa, do Rancho Folclórico e Etnográfico de Vale de Açores (Mortágua), do Grupo Folclórico de São Salvador de Grijó e do Rancho Folclórico de S. Romão. Segundo Assis Serra Neves, vereador do pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Trofa, durante este fim de semana, a Trofa assumiu-se como “a capital de folclore, da festa popular e da memória”. “O nosso concelho já se habituou a estes dias de festa, de cor e de vida, em que todas as atenções são vocacionadas para a tradição, para a qualidade artística e para a recolha etnográfica. Este ano não é exceção”, asseverou.

Rancho Folclórico de Quintã foi um dos grupos convidados

O vereador do pelouro da Cultura acredita que este festival proporcionou “bons momentos”, onde a “música, a dança e a animação” estiveram em destaque. Uma iniciativa que, segundo o mesmo autarca, é encarada pela comunidade como “uma grande

mais-valia local”. Assis Serra Neves deixou ainda “uma palavra de grande apreço a todos os que colaboraram neste grande acontecimento cultural que muito concorre para a afirmação da riqueza e do potencial cultural e turístico da Trofa”.

No final e dado, uma vez mais, o sucesso desta iniciativa, ficou a promessa de uma nova edição em 2013, onde não faltarão os grupos folclórico do concelho bem como os grupos convidados que abrilhantam este Festival ano após ano.

Futuro da Memória discutido na Casa da Cultura Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

A Casa da Cultura da Trofa recebe, nos dias 28 e 29 de setembro, as Jornadas Europeias do Património. Iniciativa conta com uma palestra com Armando Malheiro e um Raid Fotográfico. Sensibilizar os cidadãos para a importância da salvaguarda do património é o objetivo do Concelho da Europa e da União Europeia ao promover, anualmente, as Jornadas Europeias do Patri-

mónio, envolvendo cerca de 50 países. A Câmara Municipal da Trofa vai participar nesta ação ao organizar, no dia 28, a palestra “O Futuro da Memória”, pelas 21.15 horas, na Casa da Cultura da Trofa, ao mesmo tempo que assinala o Dia Mundial do Turismo no Município. Durante o evento serão abordados os temas “A Memória do Futuro ou a antevisão difusa dos desafios da Informação no séc. XXI”, com a presença de Armando Malheiro, da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, a “Preservação de

Fotografias”, com o contributo de Sónia Silva do Centro Português de Fotografia e o “Centro Digital de Informação Local”, com Graciete Morais, da Câmara Municipal da Trofa/Arquivo Municipal. Este ano, a Trofa alia a preservação da memória à descoberta das potencialidades turísticas do concelho, com a dinamização de dois momentos dedicados à questão base desta edição: “O Futuro da Memória”. A Câmara Municipal da Trofa alia-se, uma vez mais, a esta atividade com “a intenção de aproximar o público do património cultu-

ral local, realçando a sua importância enquanto memória e testemunho da história, salientando ainda o seu papel fulcral para a construção do futuro”. Autarquia organiza Raid fotográfico pelo concelho Para marcar estas jornadas e assinalar o Dia Mundial do Turismo, a autarquia realiza um Raid fotográfico pelo património do concelho. “É na Trofa” é o nome da iniciativa, com o objetivo de incentivar a prática do pedestrianismo aliada à fotografia, partilhando experiências e conhecimentos num ambiente descontraído e bem-disposto, dando ênfase ao património histórico, cultural e paisagístico dos locais emblemáticos do concelho, apostando, em simultâneo, na sua promoção turística. O desafio fotográfico está aberto a todos os entusiastas da fotografia, quer sejam profissionais ou amadores. O ponto de encontro é na Casa da Cultura, pelas 9 horas, do dia 29 de setembro, onde será efetuada a credenciação dos participantes. A participação requer inscrição obrigatória, que deve ser efetuada até ao dia 21 de setem-

bro, podendo ser realizada na Casa da Cultura da Trofa, presencialmente, ou através do email patrimoniocultural@mun-trofa.pt. No momento da credenciação as máquinas serão obrigatoriamente formatadas com a mesma data. O itinerário é efetuado através de autocarro disponibilizado pela autarquia, sendo que para cada local de paragem são atribuídos 20 minutos para a captação fotográfica. Regressados à Casa da Cultura, cuja chegada está prevista pelas 12.30 horas, os participantes deverão selecionar duas fotografias de cada local do itinerário que serão, de seguida, descarregadas num computador da organização. A Câmara Municipal da Trofa ficará detentora dos direitos de utilização sobre as imagens descarregadas, podendo usá-las para fins de divulgação, reprodução e publicação. As melhores e mais representativas fotografias que resultarem deste Raid pelo concelho, serão depois reunidas numa Exposição, a organizar pela Câmara Municipal, com a intenção de apresentar o concelho sob várias perspetivas.


Cultura 7

www.onoticiasdatrofa.pt

13 de setembro de 2012

Escultor abandona arte devido a furtos Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

Manuel Bajão, residente na Trofa, dedicava-se a fazer esculturas em pedra, e assinou várias obras entre elas a do Cristo Rei, situado em Santiago de Bougado. Uma arte que foi desenvolvendo desde os seis anos de idade e que terá que abandonar devido aos furtos dos últimos anos. Foi com apenas seis anos que Manuel Bajão começou a descobrir a arte de canteiro. Desde muito cedo, começou a trabalhar com o seu pai. Por exemplo, “ia tocar à ventoinha”, para que o pai conseguisse afiar as ferramentas, entre picos e ponteiros para cerca de 20 canteiros, e também ia-lhes buscar água. Com este contacto desde tenra idade, aprendeu a “arte de saber trabalhar a pedra”, o que é “muito difícil”, pois, para isso, tem que se “conhecer a febra da pedra, desde o troço, o correr e o levante”. Contudo, Manuel Bajão frisa que “no que respeita à arte, esta não se aprende”, é “um dom adquirido”. A primeira obra foi “uma carranca”, elaborada quando tinha cerca de sete anos, com o intuito de trocá-la por um quadro de Henrique Medina. “Eu gostei do quadro que ele estava a pintar, que era o pastor. Eu disse-lhe que também fazia uma peça, em troca do quadro. Ele disse-me que não, mas deu-me uma réplica”, contou. Natural de Marinhas, Esposende, o escultor decidiu morar na Trofa depois de se ter casado. Como não tinha trabalho e para sobreviver, decidiu “trabalhar a pedra” e começou a fazer “grandes peças”, para entidades privadas, empresas e câmaras municipais. Diz que o seu “azar foi ter vindo para aqui (Trofa)”, porque “vivia melhor lá (Marinhas) ou no Algarve”. Sempre trabalhou sozinho, pois não acredita que haja “artistas ou alguém que sobreviva na arte trabalhando acompanhado”. Já perdeu a conta ao número de peças por si elaboradas, tanto as de grande como as de pequeno porte, visto que já trabalha nesta área há cerca de 30 anos. A obra que demorou mais tempo a concretizar e de “maior tonelagem” foi a do Cristo Rei, que

Imagem do Senhor dos Passos escapou aos furtos

está implantada em Lantemil, Santiago de Bougado, tendo trabalhado nela durante cerca de dez meses. Uma imagem feita em granito e com cerca de cinco metros de altura. Tirando a escultura de um espanhol com seis metros de altura, esta é uma das maiores imagens em granito. Um pedido do padre Armindo Gomes, para a paróquia de Santiago de Bougado. A única exposição em que participou foi na ExpoTrofa, pois é “muito complicado movimentar as grandes peças para outros lados”, visto que os “custos são muito elevados”. A sua participação consistiu na exposição do seu trabalho, pois já sabe que nestes eventos “poucas compras há”. Para ganhar “algum dinheiro” para conseguir “fazer mais peças”, visto que esta arte implica alguns custos com o material, Manuel Bajão percorreu “vários países do mundo da refinaria”, desde Inglaterra, França e Holanda. Aproveitando a sua ausência, os amigos do alheio decidiram visitar o seu local de trabalho, situado na Rua Peça Má, em Santiago de Bougado, e roubaramlhe algumas das suas peças e toda a ferramenta que tinha e que era “necessária para continuar a trabalhar”. Quando regressou a Portugal é que reparou que tinha sido assaltado. “Foi um exagero. Roubaram-me mesmo tudo, só não me cortaram as mãos. Só em ferramenta foi mais de três mil euros”, lamentou. Manuel Bajão não apresentou queixa nas autoridades, pois, segundo a sua experiência, fazêla “não adianta”. “Só se perde tempo. A polícia perde tempo a escrever, perde dinheiro nas fotocópias, o papel que gastam, para, dali a uns oito dias, chegar

uma carta a casa a dizer 'foi arquivado o seu processo por falta de provas'. Desisti de ir fazer queixa à polícia só para perder tempo”, afirmou, explicando que nas vezes que foi assaltado “ao longo dos anos”, de nada adiantou apresentar queixa. Apenas algumas peças “sobreviveram” aos assaltos e que o cantoneiro teria “muito gosto” em vendê-las ou então de as mudar para um outro terreno. Como não o tem, é obrigado a parar e, em setembro, tentar arranjar um trabalho fora de Portugal. Manuel Bajão não tem possibilidade de voltar a “trabalhar numa área sem proteção”. Para que pudesse continuar a desenvolver a sua arte, necessitava que alguém o ajudasse na cedência de um “terreno mais seguro, que não fosse muito explorado”, e que o proprietário fosse benevolente consigo. Manuel Bajão aproveitou para agradecer à sua esposa, todo o apoio que lhe tem prestado, ao longo da vida conjunta. Imagem do Senhor dos Passos foi uma das que escapou Uma das imagens que ainda se mantém no terreno situado na Rua Peça Má, “cedido pelo arquiteto Paulo”, foi o Senhor dos Passos. Três meses foi o tempo necessário para construir a imponente imagem feita em granito, que veio da pedreira de Mondim de Basto. Uma obra que lhe traz alguma mágoa. “Uma aberração que caí na esparrela de fazer, porque uns miúdos de uma comissão de Abelheira pediram-me e deramme liberdade para fazer e depois contactaram outro escultor de Esposende, que por acaso é meu amigo, e esqueceram-se de me

avisar que já não seria eu a fazêla”, explicou. Só quando a obra estava quase terminada é que soube por Bernardino Vasconcelos, ex-presidente da Câmara Municipal da Trofa, que o serviço tinha sido entregue a outro profissional. “Antes de estar pronta eu perguntei ao presidente de altura, quando é que era para colocar a imagem no local. Ele ficou muito admirado por não me terem avisado que era outro escultor a fazer o serviço. A peça ainda está na posse de Manuel Bajão, que está disponível em vender todas as peças que ainda tem. O que é um canteiro? Canteiro é o profissional que trabalha e esculpe a pedra, com o intuito de lhe dar formas. Manuel Bajão afirmou ser “muito difícil” explicar como é trabalhar a pedra, referindo que para começar “a descascar uma pedra” é preciso “conhecer bem a pedra”. Um conhecimento que se adquire ao longo dos anos e com pessoas que tenham conhecimento, especialmente “os cortadores de pedras”, que são “os que têm mais conhecimento na área”. O escultor trabalha com todo o tipo de pedras, especialmente com o granito e mármore. No entanto, como está longe das pedreiras de mármore, tem trabalhado mais com granito, pois tem “mais acesso à pedra de Mondim de Basto”. Manuel Bajão já fez todo o tipo de peças, desde abstratas, realistas a criações, tudo dependia da sua imaginação e da pedra que tivesse. “Perante a pedra que tinha, era o trabalho que fazia, porque a pedra diz o trabalho que se quer e o que se pretende”, referiu.


8 Cultura

www.onoticiasdatrofa.pt

13 de setembro de 2012

Pintor trofense representa país na Alemanha

Pintar realidades da realidade Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Martinho Dias nasceu, cresceu e vive em Covelas. É aí que concebe os seus trabalhos na pintura, que lhe valeram um convite para expor na Alemanha. Mas já passou por vários países do mundo. No seio da complexidade do mundo global é possível criar novas realidades a partir de uma que construímos no momento em que nos deparamos com ela. Cada momento, gesto ou sentimento terá múltiplas perceções, suscitará emoções e levar-nos-á para campos tão antagónicos como o senso comum ou o pensamento filosófico. Este é o fundamento que Martinho Dias adota sempre que mistura as tintas e pega no pincel. É em casa, o seu local de culto, entre alguns trabalhos e criações da pequena Laura, que segue as pisadas do pai, que Martinho Dias concebe a sua arte. Trabalha “com alguma ironia e crítica política”, mas não pretende “dizer nada do que deve ser feito, apenas apontar algumas questões ou ideias”. Se isso for uma contribuição para melhorar a sociedade “tudo bem”. A partir de modelos que encontra nas revistas ou na rua, onde fotografa, Martinho Dias pinta emoções. “A parte expressiva e o movimento são coisas de que gosto, tanto na forma como as figuras se representam como nos próprios enquadramentos”, contou em entrevista ao NT e TrofaTv. Na quietude de Covelas, mora um artista que está a representar o país na Alemanha, no 10º Simpósio Internacional de Arte, até 16 de setembro, em que visitantes interagem com artistas,

Martinho Dias nasceu, cresceu e vive em Covelas

que trabalham em ateliês abertos. A organização do evento convidou-o para representar Portugal depois de ter acesso ao portfolio publicado em várias plataformas online, normalmente, utilizadas pelos artistas. “Não quer dizer que sou o melhor (artista português), mas o pior não sou de certeza”, afirmou, manifestando-se “orgulhoso” pelo convite. Neste momento, tem vários trabalhos espalhados pelo país e na Europa, como na Dinamarca (até dia 16), onde está uma exposição itinerante que passou pela França e Holanda. Mas, os quadros de Martinho Dias também já passaram pelo Brasil, Colômbia, Inglaterra, Suécia, Eslováquia e Áustria. Licenciado em Pintura pela Faculdade de Belas Artes do Porto, Martinho Dias trocou a segurança da carreira de docente pelo risco de viver das suas criações. “O meu trabalho é, essencialmente, figurativo, trata de situações paradoxais, pois não há só uma realidade e tem sempre a parte humana como uma referência. Nunca tenho o dilema de chegar à tela em branco e não saber o que fazer, porque faço sempre vários esboços e montagens.

É um processo de trabalho parecido com outros que, aparentemente, não têm nada a ver com a pintura”, explicou. Não pretende ilustrar nenhuma personagem que pinta, por isso, ultimamente tem preferido excluir a cabeça dos retratados: “Uma vez, um quadro foi comprado por um senhor, porque tinha o Helton, guarda-redes do Porto, mas aquilo não tinha nada a ver com o futebol”. Mas há exceções, como um conjunto de quadros onde retratou o Papa, a pedido da Galeria António Prates e do Centro Português de Serigrafia, na altura em que Bento XVI veio a Portugal. Outro exemplo foi um quadro pedido por um dinamarquês em que figuravam Hitler e Churchill. O pensamento que a pintura se confina à tela, tinta e pincel é redutor. Muitas vezes, as diferentes demonstrações artísticas misturam-se e complementam-

nas que se retiram, porque há uma obsessão pela matemática e pelo português, sem querer desvalorizar as vantagens de as dominar bem, mas todas as outras parecem apêndices. Quando as coisas apertam a eliminação começa pelas áreas que muitas vezes formam as pessoas com espírito crítico que, mais tarde, podem ter interesse em visitar museus, ir a exposições, concertos, comprar livros. A indústria cultural pode ser autossubsistente e não subsídiodependente”, asseverou. Martinho Dias está representado em vários ateliês do país, se, como retratam alguns dos tra- mas na Trofa mantém-se como balhos do artista. A obra “Pintu- um ilustre desconhecido. Os loras Escritas” é um fiel testemu- cais mais próximos em que exnho disso, onde músicos foram pôs nos últimos dez anos foram desafiados a “escreverem em Santo Tirso e Vila Nova de Famatexto uma pintura, que funciona- licão. ria como uma espécie de partitura, e a partir dele pintar o que eles imaginaram”. Onze músiMartinho Dias nasceu em cos anuíram à chamada, entre 1968, em Covelas. Foi aí que eles António Victorino d’Almeida. despertou para a Arte, ainda no ventre da mãe. “Sempre quis Cultura pode ser pintor, arquiteto, desenhaser subsistente dor. Também quis ser músico, artista de circo, mas a pintura Martinho Dias não consegue foi sempre aquela que permacolocar nenhum quadro no topo neceu”, contou. das preferências nem tem um A estreia de Martinho no esídolo na pintura. Sabe que vive trangeiro aconteceu quando tinuma época ingrata para a culnha 13 anos e participou num tura, na qual não se arrisca nem concurso na Índia. Ao receber se cultiva o espírito crítico: “Em uma menção honrosa pelos quatermos culturais não há muito indros pintados inspirados nos teresse, se calhar por culpa da Descobrimentos, o artista ficou Educação, pois não há qualquer celebrizado e até foi entrevistainvestimento nas áreas das ardo pela RTP. tes, pelo contrário, são discipli-

O artista

Passeio anual leva trofenses à Capital Europeia da Cultura 2012 A Câmara Municipal da Trofa organiza, no dia 19 de setembro, o Passeio Sénior 2012, com destino a Guimarães, no ano em que a cidade berço é a Capital Europeia da Cultura. A Câmara Municipal da Trofa realiza a edição 2012 do Passeio Sénior, este ano com destino à Capital Europeia da Cultura, Guimarães. Uma iniciativa que conta com a “forte participação dos seniores trofenses”, estando já inscritos cerca de mil trofenses de todas as oito freguesias.

A partida rumo a Guimarães será pelas 8 horas, enquanto o regresso está marcado para as 17.30 horas. Ao longo de todo o dia, os seniores vão poder assistir à Missa no Santuário da Penha, às 11.30 horas, seguindose o almoço piquenique. Já durante a tarde, a partir das 14.30 horas, os seniores, sempre acompanhados pelo executivo municipal trofense, terão a oportunidade de usufruir de um espetáculo musical. Para permitir que os seniores trofenses possam visitar a zona, a Câmara Municipal da Trofa diligenciou junto do teleférico a

possibilidade de desconto no tarifário (desconto para grupos) e vai também disponibilizar autocarro para visitas à cidade (com hora agendada). Consciente da importância que este tipo de eventos tem junto da população mais idosa, a autarquia promove, anualmente, o Passeio Sénior, integrado no plano anual de políticas e valências destinadas à terceira idade. Com mais esta ação, a autarquia visa proporcionar momentos de lazer, bem-estar e convívio à população sénior do concelho, contribuindo para uma vida mais ativa e uma melhor qualidade de vida.


PS Trofa contra a agregação de freguesias na Trofa

Correio do Leitor

Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

A Comissão Política Concelhia do Partido Socialista da Trofa fez saber, em nota de imprensa enviada para a comunicação social, que é contra a agregação de freguesias no concelho da Trofa.

Banda de Música da Trofa em Valinhas No passado domingo, 9 de setembro, a Banda de Música da Trofa atuou juntamente com a Banda de Lousada, para abrilhantar as Festas da Natividade de Nossa Senhora, Mãe de Jesus, em Valinhas, Santo Tirso. Bastante público esteve presente durante a manhã e tarde; de assinalar também uma missa campal, pelas 11 horas dessa manhã! O local, abençoado por Deus, lindíssimo e bem tratado “PARQUE DAS MERENDAS”, muito pitoresco, dada as suas características naturais, abundando um arvoredo ímpar, que proporciona umas belas e frescas sombras! A nossa Banda teve, mais uma vez, nota muito alta na sua atuação, dado os aplausos sempre incansáveis da maravilhosa plateia presente, até cerca das 20 horas. Depois das habituais despedidas por ambas as filarmónicas, foram executadas várias marchas populares junto à Capela das Festas (esta Capela é muito antiga, pois é de estilo Românico), bem como obras de música ligeira que muito agradaram a todos os presentes, fechando assim, as suas atuações com “Chave de ouro”. É digno de se salientar o mega e saborosíssimo churrasco, servido a todos os músicos, direção e familiares, à hora do

Atualidade 9

www.onoticiasdatrofa.pt

13 de setembro de 2012

almoço e lanche. Este churrasco, oferecido pela Direção da Banda, teve como principal figura o “chef” Bino (Garageiro) e, como patrocinadores principais Carneiro Salgueirinho e as Frutas Ramalho, ambas de Santiago de Bougado, além de muitas outras pessoas a quem a nossa querida Banda muito deve. Ficará para o historial da Banda de Música da Trofa tão inédito acontecimento, que mais não foi do que um fortalecimento de uma já muito grande união entre toda a “Família” da mesma. Este facto foi, aliás, ressalvado num discurso de improviso para todos os presentes, pelo presidente da Direção, Luís Lima. Uma palavra de muito agradecimento para com a Comissão destas Festas, pela maneira afável e amistosa como recebeu e colaborou com toda a comitiva da nossa Banda, sendo um verdadeiro exemplo a seguir. Como nota final, informamos de que o próximo concerto da nossa Banda será no dia 17 nas Festas em honra de Santa Eufémia – Carriça – Trofa, das 14 às 20 horas. Devido a este concerto se realizar dentro de portas, apelamos a todos os trofenses em geral para que compareçam a apoiar a nossa Banda. Faça-se sócio da mesma. Valdemar Silva

“O Partido Socialista (PS) da Trofa entende que qualquer fusão de freguesias no concelho da Trofa é prejudicial para a harmonia e desenvolvimento do concelho”. Esta é a opinião da Comissão Política Concelhia (CPC) do PS da Trofa que fez saber, através de nota de imprensa enviada à comunicação social, a sua posição acerca da reforma administrativa, onde afirma que o concelho e as freguesias “em nada beneficiariam com um qualquer mapa de agregação”. A Comissão Política Concelhia também promoveu “o seu caminho de reflexão e debate internos”, ao ter organizado conferências e palestras com os especialistas, que tiveram como base “a importância de melhorar a gestão autárquica, modernizando-a e tornando-a mais transparente, eficiente e eficaz”, bem como conhecer “as características próprias de um dos mais jovens concelhos do país: a Trofa”. Depois destas ações e atendendo aos critérios estipulados pelo governo e aos pareceres emanados pelas assembleias de freguesia, o PS Trofa mostrou a sua oposição a esta reforma administrativa, pois “não concorda com uma reforma imposta, feita a 'régua e esquadro'” e que não “respeita a Identidade, a Cultura, a História do povo e do País”. “Esta reforma deveria ter sido feita 'da base para o topo', auscultando as populações e em cooperação estreita com os autarcas das freguesias e dos municípios”, pode ler-se no comunicado. A Comissão Política Concelhia avança ainda que “não existe nenhuma vantagem para o cidadão trofense em ter a sua freguesia extinta ou agregada, pois a agregação não conduziria a novos nem a melhores serviços”, mas a sua quebra “conduziria à perda insubstituível de um serviço de proximidade”. “Nenhum estudo feito pelo governo aponta para claros benefícios financeiros e económicos na extinção de

freguesias. Aliás, no caso contrário da Trofa, é de esperar um possível aumento dos custos dada a constituição de freguesias de maior dimensão”, aponta. Na nota de imprensa pode ainda ler-se que sendo a Trofa “um jovem concelho”, já apresenta “uma estrutura de freguesias harmoniosa e ajustada à sua realidade demográfica e identitária”. Sendo que extinguir uma das 8 freguesias do concelho é, por si só, “extinguir uma parte da nossa identidade concelhia”. O PS Trofa avança ainda que “não participa num caminho de desvalorização da identidade cultural e histórica das freguesias”, uma vez que esta identidade é “um factor de galvanização dos trofenses ao longo dos séculos e não há razões sólidas que sustentem a retirada desta particularidade”. “O PS Trofa entende que uma reforma desta dimensão não pode estar dissociada do processo de instituição da regionalização em Portugal”, refere. Desta forma, o PS Trofa estará “ao lado das populações das freguesias do concelho da Trofa na defesa das Freguesias” e “nunca fará parte do caminho de amputação de algumas das marcas identitárias, culturais e históricas mais importantes do concelho”. “Tal como refere o nosso hino 'Suas oito lindas freguesias, em forma de um coração' são um dos mais importantes patrimónios da nossa Trofa e o PS não está disposto a participar na delapidação deste património”, pode ler-se.

A proposta do governo para a reforma administrativa, assente na agregação, extinção e fusão de freguesias, tem conhecido diversos desenvolvimentos, estando agora em vias de estipulação dos trâmites finais, nomeadamente no que concerne ao envio, por parte das assembleias municipais, dos seus pareceres relativamente às freguesias a agregar. Estes desenvolvimentos fizeram-se também ao nível da reflexão promovida no âmbito das assembleias de freguesia que, como no caso da Trofa, se pronunciaram sobre as possíveis soluções de agregação. Também a nível do estado central foram difundidos os critérios para extinguir ou agregar freguesias nos concelhos do país. Com a Lei n.º 22/2012, da fusão e agregação de freguesias, “o governo impôs uma solução que colide com os interesse das populações e em desrespeito pelos autarcas que as representam”. “Em consequência, o PS, a associação nacional de municípios e a associação nacional de freguesias não indicaram qualquer nome para integrar a Unidade Técnica para a Reorganização Administrativa do Território, instalada no Parlamento, e que tem a cargo a definição do novo mapa de freguesias”, assevera, frisando que “as decisões tomadas por esta unidade, nomeadamente as extinções de freguesia a apontar ao concelho da Trofa serão da exclusiva responsabilidade do PSD, do CDS e do seu governo”.


10 Educação

www.onoticiasdatrofa.pt

13 de setembro de 2012

Preparar o regresso à escola Cátia Veloso catia@onoticasdatrofa.pt

da criança na escola, no qual o professor dará uma lista do que é, realmente, necessário. Daí, em caso de não ser o ano de estreia na escola, faça a triagem dos materiais que estão em boas condições do ano letivo anterior e assim poderá poupar alguns euros. De seguida, passe à

compra do restante material que, por seu lado, fará com que a criança se entusiasme. Como se sabe, é importante escolher uma boa mochila, que não ponha em causa a integridade física do seu filho. Ela deve ser ergonómica e não deverá levar mais do que o essencial para o dia. A preparação do material e vestuário para o dia seguinte deve ser uma tarefa realizada pelos pais em conjunto com a criança. No primeiro dia de aulas, como efeito de motivação extra, deixe-a escolher a roupa. Durante a semana, deve escolher vestuário confortável e prático para que o seu filho possa brincar à vontade. Ao longo do ano letivo esteja atento a todas as alterações comportamentais que podem surgir, pois assim poderá resolver o problema com tempo e, se necessário, conversar com os educadores a fim de consertarem as medidas para o bem-estar da criança.

crianças. “Porque transportar uma criança num automóvel sem o respetivo sistema de retenção é um comportamento irresponsável que, em caso de acidente ou travagem brusca, pode ter consequências fatais, e porque é também uma contraordenação grave punida por lei com coima e sanção acessória de inibição de conduzir”, asseverou. Deste modo, nas datas definidas, os agentes da Polícia Municipal vão abordar os pais sobre como transportar corretamente as crianças num automóvel, focando os sistemas de retenção, bem como as consequências do transporte incorreto de crianças. A par destas ações de sensibilização No seio de uma escola há alunos cuja serão, igualmente, distribuídos desdobráhiperatividade se distingue pela forma de veis com informações e regras sobre esta estar no recreio, na sala de aula ou mestemática do transporte das crianças. mo em casa. Os alunos “traquinas” são P.P. aqueles que não estão atentos nas aulas, na realização dos trabalhos de casa e até a ver televisão. Nestes casos, em que há falta de concentração por parte do aluno, os pais, educadores e professores têm que se unir para delinear uma estratégia para ultrapassar as dificuldades. As crianças com falta de concentração raramente seguem as orientações dadas pelos professores, porque estão distraídos com outras questões irrelevantes. Em casa, ao realizar os trabalhos de casa, o facto de estar diante do livro e do caderno não lhe dá a garantia de que o seu filho está ou acabará por os realizar com a atenção devida. É importante que saiba que as condições externas influenciam na amplitude

da concentração, como o espaço, a temperatura, o ruído e a presença de elementos distratores. Na realização de uma tarefa, não o pressione e dê-lhe mais tempo, mas nunca sem permitir que ele a abandone a meio. Por exemplo, nos trabalhos de casa, comprometa-se que só o deixará ver televisão ou brincar depois de os realizar com a devida dedicação. Ajude-o a estimular o raciocínio a partir de jogos, como puzzles, enigmas ou questionários. Não o repreenda em frente dos amigos. Resolva as questões comportamentais em casa, com um diálogo sereno, valorizando os seus comportamentos positivos e explicando as consequências das atitudes negativas. Se, depois de implementar estas medidas, a criança não mostrar nenhuma evolução positiva, o ideal é recorrer a um especialista, como por exemplo um psicólogo. C.V.

Nos dias que antecedem o início das aulas, a criança deve ser motivada e tranquilizada. Atente aos conselhos de uma psicóloga para fazer o melhor acompanhamento ao seu filho. O mês de setembro tem quase tanta simbologia como janeiro. É neste mês, depois das férias, que normalmente começam novos projetos e percursos escolares. Para as crianças que iniciam o ensino básico pode ser uma data importante, que lhe trará muitas mudanças na rotina diária. Para que possa fazer o melhor acompanhamento do seu filho nesta fase importante da vida, o NT relata alguns conselhos da psicóloga Catarina Leal, que podem ser vistos no portal do Sapo, na internet. Antes do início das aulas, os pais devem garantir a tranquilidade à criança,

Compra de material escolar entusiasma crianças

enunciando-lhe as mais-valias de frequentar a escola, onde, para além de aprender, terá um recreio para brincar e conhecer muitos amigos. Do ponto de vista financeiro, saiba que, antes de comprar o material escolar, o ideal é esperar pelo dia da apresentação

Polícia Municipal alerta automobilistas A Polícia Municipal da Trofa protagoniza uma campanha de sensibilização, de forma a alertar os automobilistas para o correto transporte das crianças em automóveis. O início de mais um ano letivo provoca um maior transporte de crianças para a escola. Por essa razão, a Câmara Municipal da Trofa, através da Polícia Municipal, decidiu desenvolver uma campanha de sensibilização, de forma a alertar os automobilistas. A campanha, que vai incidir sobre o correto transporte de crianças em automóveis, vai desenvolver-se, entre os dias 20 e 24 de setembro, junto dos estabelecimentos de ensino do concelho. A Polícia Municipal aproveita este recomeço escolar para alertar os pais para as normas de segurança no transporte das

Medidas para combater a falta de concentração da criança


13 de setembro de 2012

Educação 11

www.onoticiasdatrofa.pt

Forave continua a formar para as empresas O posicionamento da Forave face às grandes indústrias do Concelho de Vila Nova de Famalicão e da região, ditou as linhas orientadoras desta escola profissional que, desde sempre, investiu em áreas de empregabilidade e de desenvolvimento, contribuindo para a qualificação dos recursos humanos das empresas. As opções formativas da Forave e a consolidação dos cursos ministrados, têm valido à escola a especialização nas áreas da eletricidade e eletrónica; mecânica; energias renováveis e gestão da produção e processamento e controlo da qualidade alimentar. O investimento ao nível dos recursos humanos, equipamentos, práticas laboratoriais e projetos tem permitido o desenvolvimento e melhoria da qualidade da formação. Esta maturidade conquistou a credibilidade da FORAVE junto das empresas, que veem na escola uma parceira para o seu desenvolvimento. A reforçar a proposta formativa da escola, as linhas orientadoras do Ministério da Educação e do Ministério da Economia e do Emprego vão no sentido de dar prioridade às áreas de formação que fazem parte do Projeto Educativo da FORAVE. Este ano letivo faz todo o sentido que a escola mantenha os Cursos de Técnico de Gestão; Técnico de Processamento e Controlo da Qualidade

Alimentar; Técnico de Manutenção Industrial e Eletromecânica de Equipamentos Industriais, com início das aulas, no próximo dia 14 de Setembro. Num total de onze turmas de jovens, duzentos e quarenta e oito alunos e um Curso de Educação e Formação de Adultos, a Forave aguarda a aprovação de novas candidaturas para adultos e para os Cursos de Especialização Tecnológica. Apesar do downsizing da Instituição ser iminente devido ao encerramento dos centros novas oportunidades e do decréscimo do número de ações para adultos e jovens, a Forave conseguiu minimizar o impacto nos colaboradores. Outra preocupação da Forave é a situação social e económica dos alunos que frequentam a escola e que apesar de terem formação gratuita, alguns vivem situações graves de carência a todos os níveis. Apraz-nos manter a parceria com as empresas Continental Mabor e ITA, onde os alunos vão almoçar e usufruem diariamente, de uma refeição com qualidade. Ao nível do bar da escola, sendo uma concessão externa, a Forave comparticipa o custo de alguns géneros básicos. O técnico de SPO, os professores, diretores de turma e funcionários também estão sensibilizados para esta questão e mantêm-se atentos a todas as situações. Neste momento não se prevê altera-

Forave investe em áreas com elevada empregabilidade

ção nas instalações escolares. O RUMOS, a Incubadora de Empresas STARTBusiness e a Action Coach são projetos a continuar. O grande investimento será nas empresas, através da criação e implementação de programas e ações de aproximação da escola à empresa, à semelhança do programa estabelecido, em 2011/2012 com a Continental Mabor, com o objetivo de integrar um plano de

estratégias de melhoria da formação nos cursos profissionais de Eletrónica, Automação e Comando e de Manutenção Industrial e adequar o perfil técnico dos formandos às necessidades da empresa através da partilha de saberes, experiências, estágios e projetos. Manuela Guimarães Diretora pedagógica FORAVE

Importância da leitura

Leitura é importante para o desenvolvimento intelectual da criança

Aprender a ler é um dos maiores desafios com que as crianças se deparam quando iniciam o ensino básico. Assim como o professor deve incutir-lhes o gosto pela leitura, também os pais e a família têm um papel preponderante para este processo de aprendizagem. Só quando a escrita e a leitura são utilizadas para comunicar é que as crianças se consciencializam do verdeiro sentido dessa mesma aprendizagem. A família ganha importância neste processo na intervenção que tem no incentivo às práticas culturais da criança. Contribua para que o seu filho encare a leitura e a escrita como um momento de lazer e de crescimento e não só apenas como veículo de comunicação. Co-

mece por lhe oferecer livros infantis ou mesmo bandas desenhadas para que lhe desperte o gosto pela leitura, que estará associada às imagens. Se em criança também teve livros infantis, descubra-os no baú de recordações e dê-lhes uma nova vida, apoiando simultaneamente o seu filho no processo de enriquecimento intelectual. É certo que quanto mais contacto a criança tiver com situações de escrita de qualidade, maior será o interesse dele por aprender. Organize serões em casa, em que para além da criança também os outros membros da família são leitores, servindo-lhes como exemplo a seguir. C.V.


12 Educação

www.onoticiasdatrofa.pt

ESAP: Três décadas a formar com rigor A Escola Superior Artística do Porto é uma instituição de ensino superior universitário cuja vocação primordial é formar com rigor científico e consciência pedagógica, os futuros intervenientes nas diferentes áreas artísticas em Portugal. Com cerca de trinta anos de experiência de ensino, a ESAP assume-se como uma referência em Portugal em geral e na região norte em particular, na formação de Arquitetos, Cineastas, Profissionais de Televisão, Fotógrafos, Animadores e Gestores Culturais, Atores, Designers Multimédia e Artistas Plásticos. Para além de rigorosa formação técnica e artística nas diferentes áreas do saber, o ensino na ESAP pauta-se por uma grande liberdade criativa e empreendedora, sempre com a preocupação de que as necessárias exigências pedagógicas e científicas não coartem um dos patrimónios mais fecundos do ser humano: a sua criatividade e a sua natural vocação para a produção artística. Ao aluno que ingresse na ESAP, prometemos rigor e qualidade na formação, mas também uma grande liberdade cria-

tiva e um acompanhamento na produção e promoção das suas obras artísticas através de eventos extra-curriculares, como exposições em várias galerias e outros espaços da cidade, um festival internacional de escolas de cinema, um festival de escolas de teatro, um encontro internacional de fotografia, entre outros eventos. Assumindo a nossa vocação universalista, temos aprofundado nos últimos anos a internacionalização da ESAP com novos Protocolos Erasmus com várias universidades europeias e com acordos de cooperação com outras universidades, nomeadamente brasileiras, reforçando os laços de cooperação institucional e proporcionando aos nossos alunos experiências com outras pedagogias e outras formas de ensino das artes que têm sido extraordinariamente importantes no desenvolvimento da sua formação académica e artística. Será um prazer receber os novos alunos para os diferentes ciclos de estudos que a Escola Superior Artística do Porto oferece. Prometemos dedicação, atenção, rigor e exigência. Só assim se faz um ensino de qualidade e se forma as futuras gerações.

ESAP forma nas diferentes áreas artísticas

13 de setembro de 2012


Educação 13

www.onoticiasdatrofa.pt

13 de setembro de 2012

Associação de Pais EB1 Esprela

Material escolar oferecido a todos os alunos Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

À semelhança do ano passado, a Associação de Pais da Esprela vai oferecer a todos os 155 alunos que frequentaram a escola da Esprela em 2011/12, todo o material escolar necessário para este novo ano letivo. “Um dos objetivos desta associação é certificar-se de que os alunos vão ter todo o material necessário para um bom acompanhamento e desenvolvimento escolar, assim como ajudar muitos encarregados de educação neste período do ano”. Foi assim que Olga Campos, presidente da Associação de Pais da Escola Básica da Esprela, começou por contar a razão que levou a associação a oferecer um kit com material escolar a todos os 155 alunos que frequentaram a escola em 2011/12. Para isso, a associação contou com o apoio dos professores, que selecionaram o material necessário para este ano, disponibilizando uma “lista para cada ano letivo”. Depois das compras feitas, num valor de cerca de três mil e 700 euros, os elementos da Associação de Pais têm passado os “sábados e domingos a separar o material por sacos, onde é colocado o nome da criança”. Cada aluno da EB1 de Esprela vai receber, material escolar necessário para usar durante o ano. Por exemplo, uma criança

155 alunos vão receber material escolar necessário para este ano letivo

do jardim de infância poderá encontrar no seu kit “plasticinas, cola branca, muita cartolina, muito papel crepe e de seda”, já os do 1º, 2º e 4º ano vão receber material escolar “básico”, tal como, lápis, esferográficas, colas, réguas, cadernos de capa preta, cadernos de música, lápis de cera e de cor, marcadores, entre outros. Os alunos do 3º ano, além do material já mencionado, vão receber um dicionário. Também os alunos da escola que passaram para o 5º ano não foram esquecidos. Como os pais “colaboraram sempre com a associação”, esta decidiu não os “colocar de parte”. Cada um vai receber cadernos de capa preta, pautados e quadriculados, compassos, réguas, transferidores, esquadros, micas, portefólios e caderno para a disciplina de música.

“Uma vez que a Câmara (Municipal da Trofa) oferece os livros, que é uma grande ajuda para todos os pais, nós achamos também que o facto de termos verba para podermos oferecer o material escolar seria uma grande ajuda para os pais, porque os que têm mais que um filho não está fácil”, asseverou Olga Campos, frisando que “o lema é estar aqui e ajudar”. Uma ajuda que foi possível graças à “organizada e controlada” gestão financeira da associação, permitindo, uma vez mais, “ajudar todos os pais com a entrega de material de qualidade e adequado às necessidades do aluno, incluindo para os que foram para o 5º ano”. “Conseguimos tudo e com muito trabalho nosso, muita dedicação de alguns elementos. Esta Associação de Pais pode orgulhar-se de ser a única do concelho a ter este

gesto nobre que requer muitas horas de trabalho e organização na compra e distribuição do material em sacos devidamente identificados com o nome de cada aluno”, referiu. A entrega de todo este material aos encarregados de educação está marcada para o dia 14 de setembro, sexta-feira, pelas 21 horas, na EB1 da Esprela 2. Associação apoia pais durante o ano letivo

Nestes últimos dois anos, a Associação de Pais da Esprela tem focado “toda a sua atenção e apoio” nas crianças e encarregados de educação, proporcionando-lhes “várias ajudas”, tais como “acolhimento e prolongamento fora dos horários obrigatórios escolares por um preço simbólico mensal de três euros”. Além disso, com este valor a as-

sociação paga “os transporte em saídas organizadas e entradas de cinema ou teatro, ofertas de lembranças no Natal, Páscoa e Dia da Criança, bem como todo o material que seja fundamental à escola para que os professores e alunos tenham melhores condições de trabalho.” A associação é constituída por “alguns pais ativos e preocupados com a educação, o bemestar das crianças”, que têm dispensado, ao longo do ano escolar e férias, “inúmeras horas de trabalho em reuniões e organização de certas actividades, passando pela organização de OTL (Ocupação de Tempos Livres) em períodos de pausas letivas ao preço muito reduzido de 7,50 euros por semana”. Sendo Olga Campos também funcionária da escola, tem “uma perceção mais real das dificuldades que lá surgem”, alertando a associação para “os casos de carências mais acentuados”. Por exemplo, quando os encarregados de educação estão a passar por momentos económicos mais complicados, a associação oferece o lanche às crianças. Para isso, a associação costuma ter na escola, sumos, iogurtes, bolachas, manteiga e tulicreme, para estes casos. “É o nosso trabalho, temos que deixar uma marca positiva neles”, afiançou, realçando que “se eles colaboram conosco, nós temos a obrigação de colaborar com eles nestas alturas em que eles mais precisam”.

CIOR - Uma marca de qualidade No presente ano letivo, a Escola irá ser frequentada por, aproximadamente, 400 alunos, distribuídos por 15 turmas dos cursos profissionais e cursos de educação e formação de adultos, funcionando em regime diurno e noturno. Mantemos a oferta formativa, de acordo com as necessidades do tecido económico, social e empresarial da região e interesses vocacionais dos alunos que nos procuram, a par da nossa capacidade humana e técnica instalada, ministrando os seguintes cursos: Animador Sociocultural; Energias Renováveis; Instalações Elétricas; Eletrónica Automação e Comando; Mecatrónica Automóvel e Higiene, Seguran-

ça e Trabalho no Ambiente. Por outro lado e dirigido a um público específico, como desempregados e pessoas à procura do primeiro emprego, no âmbito dos cursos EFA, vão funcionar os cursos de: Mecânico de Automóveis Ligeiros; Mecânico de Motociclos; Refrigeração, Ar Condicionado e Climatização; e Acompanhante de Crianças no Domicílio. A toda esta oferta, é de acrescentar ainda uma grande diversidade de formação específica, numa lógica de qualificação de recursos humanos, através de formações modulares certificadas, em diferentes áreas formativas. Os principais objetivos da Cior é continuar a desenvolver e a consolidar um projeto educativo e for-

mativo, centrado no sucesso dos nossos formandos, assegurando elevadas taxas de conclusão de curso e de empregabilidade. O nosso lema continua a ser 'Identificamos o futuro'. Queremos continuar a formar técnicos altamente qualificados, e sobretudo homens e mulheres que assumam e vivam a sua cidadania plena, cientes de que o conhecimento faz-nos melhores e ajuda-nos a transformar o mundo… para melhor. De forma permanente e sistemática, a escola tem-se apetrechado com meios, equipamentos e recursos técnicos, a nível de salas de aula, laboratórios e oficinas que asseguram um processo de ensino-aprendizagem,

consolidado nas boas práticas pedagógicas, sempre dirigidas para o saber ser e saber fazer, com qualidade, inovação e elevado profissionalismo, que a Cior quer para todos os formandos. Temos ao serviço desta instituição 30 professores e 33 funcionários, que vivem a escola com forte sentido de pertença. A Cior continua fiel aos seus princípios e valores. Tanto ou mais que uma Escola Profissional, a Cior é um agente e um parceiro ativo no desenvolvimento da Comunidade Local e Regional, onde se insere e quer servir, respondendo aos desafios da qualificação dos recursos humanos, da modernização e da competitividade do tecido sócio-económi-

co e empresarial como fatores de progresso, coesão social e bemestar. Somos uma escola com identidade forte. Sempre foi nossa preocupação ter um olhar e um sentir para os problemas que afetam famílias e alunos, nomeadamente as mais carenciadas. No momento de emergência social, que o País vive, redobramos a nossa atenção, assegurando meios e condições para que nenhum aluno deixe de frequentar a nossa escola. Temos uma forte relação e uma relação de proximidade com os alunos, pais e encarregados de educação. Direção Cior


14 Desporto

www.onoticiasdatrofa.pt

13 de setembro de 2012

Penhoras do Trofense suspensas

Trofense recorre a Processo Especial de Revitalização Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Clube Desportivo Trofense recorreu ao Processo Especial de Revitalização. Enquanto plano vigorar, todas as execuções e penhoras estão suspensas. No dia 6 de setembro terminou o prazo para a entrega de propostas para a aquisição do estádio do Clube Desportivo Trofense. O lote, assim como o complexo desportivo de Paradela, esteve em hasta pública, mas a execução acabou suspensa. Isto porque a comissão administrativa do clube, liderada por José Leitão, recorreu ao Processo Especial de Revitalização (PER) económica, um mecanismo judicial que entrou em vigor recentemente. Joaquim Ferreira, contabilista do clube, explicou que era necessário “suster todos os processos que existiam contra o

Trofense”, de forma “a receber as receitas que estavam previstas, mas penhoradas”, por isso os dirigentes recorreram ao PER, cujo despacho do Tribunal de Santo Tirso foi publicado na última quinta-feira, 6 de setembro. Foi nomeado um administrador judicial provisório, a quem competirá participar nas negociações entre o devedor e os credores. “Agora, há uma série de etapas que têm que ser concretizadas de forma a levar o PER até ao objetivo que pretendemos, que é negociar com todos os credores de forma a termos um clube sustentável nas próximas épocas”, explicou. Lançado o despacho, o clube e credores têm que encetar várias negociações para chegar a um acordo financeiro. Cabe ao clube “enviar uma carta a todos os credores a dar conhecimento sobre o PER e convidá-los a negociar”. Nos 20 dias seguintes, “os credores têm que vir reclamar os seus créditos” e, depois, haverá outro período de dois me-

Estádio não recebeu propostas de aquisição

ses para os negociar, com acordo de plano de pagamento, para que “os credores vejam os seus direitos satisfeitos e não se coloque em causa as finanças do clube”. Para recorrer ao PER, o clube necessitou da disponibilidade de um credor para negociar.

Foi Rui Silva, ex-presidente do clube, a título individual e em nome da empresa Quinta dos Miguéis, que viabilizou o pedido. “Até hoje, (Rui Silva) mostrou-se completamente disponível para viabilizar o futuro do Clube Desportivo Trofense”, adiantou Joaquim Ferreira.

Rui Silva e a Quinta dos Miguéis são credores do Trofense em cerca de 4,5 milhões de euros. Os restantes, sobretudo fornecedores, têm a haver cerca de um milhão e meio de euros. Segundo a lei que sustenta o PER, o plano de recuperação do devedor será aprovado quando recolher os votos dos credores que possuírem mais de dois terços dos créditos do clube. Assim como a penhora do estádio e do complexo desportivo, todos os outros pedidos de execução estão suspensos enquanto durar este processo. O NT sabe que, no prazo em que esteve em hasta pública, nem o estádio nem o complexo desportivo receberam propostas de aquisição. Assim como o Trofense, outros clubes nacionais recorreram ao PER, como o Vitória de Guimarães e a União de Leiria.Se o plano não for viabilizado, o clube entra em insolvência.

Arraial da ACRABE para promover convívio Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

ACRABE promoveu arraial anual e organizou uma caminhada que contou com cem participantes. Presidente da coletividade vai recandidatarse. A sede da Associação Cultural e Recreativa da Abelheira (ACRABE), em S. Martinho de Bougado, encheu-se de pessoas, que participaram no arraial anual promovido no sábado, 8 de setembro. O dia esteve preenchido com várias atividades e, para

além da festa, a caminhada foi uma das mais concorridas, com cerca de “cem participantes”. Carlos Silva, presidente da associação, estava satisfeito com a adesão à iniciativa preparada em conjunto com a secção de pedestrianismo do Clube de Campismo da Trofa, afirmando que até o vice-presidente da autarquia, Magalhães Moreira, marcou presença: “Ele participa em muitas caminhadas, mas disse que esta lhe ficará marcada. Fizemos questão de ir de encontro à tradição, visitando locais que, se calhar, muitos não conheciam, como o museu ferroviá-

rio de Lousado, o moinho e a Quinta dos Rebelos, onde se viu como é feito o vinho”. Esta iniciativa vai de encontro ao rumo traçado pela direção da ACRABE, que pretende “desenvolver o associativismo e incentivar os jovens ao convívio”. Quando tomou posse, em 2011, Carlos Silva teve em mãos a tarefa de regularizar a situação financeira da associação, facto que explica o pouco investimento no desporto na época passada. “Tínhamos despesas correntes para pagar. A direção anterior, infelizmente, deixou-nos um pouco a abanar, pelo que tentamos liquidar as dívidas e só depois olhar para nós. Neste mo-

mento, a associação está bem e já está a tirar dividendos”, garantiu o presidente que anunciou, “em primeira mão”, que se vai recandidatar ao próximo mandato, cujas eleições decorrem em janeiro. “Tenho orgulho do que fiz e quero continuar o trabalho para depois entregar a associação a outras pessoas”, frisou, enumerando algumas aquisições para a sede como “frigorífico, mesas e exaustores”. Até ao fim do ano, a ACRABE tem agendadas outras iniciativas como romagem ao cemitério e entrega de uma coroa de flores aos sócios falecidos, uma desfolhada à moda antiga, no início de outubro, e a ceia de Natal, que

Muitos foram aqueles que quiseram participar no arraial da Abelheira

no ano passado atraiu mais de cem pessoas à sede. A nível desportivo, Carlos Silva prefere esperar para perceber qual será a disponibilidade financeira da coletividade e os apoios que poderão surgir. O arraial da ACRABE realiza-se todos os anos pela mesma altura e não na data de aniversário da associação, que se assinala a 30 de maio. Isto porque as direções aproveitam o fogo de artifício da Romaria Nova, em Lousado, para brindar os participantes na festa, que contou com a atuação do Conjunto Típico de S. Miguel do Couto e do Rancho das Lavradeiras da Trofa.


13 de setembro de 2012

Trofense joga com Guimarães B

Desporto 15

www.onoticiasdatrofa.pt

Aquaplace com novidades para próximo ano letivo

Ao contrário do que estava agendado, o Clube Desportivo Trofense não vai jogar com o Arouca para a Taça de Portugal, no domingo, 16 setembro. A pedido do Arouca, e com a anuência do emblema da Trofa, o jogo foi adiado para 14 de outubro. Por outro lado, para as 17 horas de domingo está agora marca- Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt do o jogo do Trofense diante do Vitória de Guimarães B, em partida antecipada da 6ª jornada da 2ª Liga. A Academia Aquaplace O preço dos bilhetes variam entre dois euros e 7,5 euros. C.V. abriu portas, no dia 1 de setembro, com muitas novidades, mais modalidades, mais horários e novos espaços.

Resultados Camadas Jovens CD Trofense

Depois de uma pausa para manutenção, a Academia MuniJuniores sub-19 cipal da Trofa – Aquaplace abriu CD Trofense 2-2 Padroense portas para mais um ano letivo Próx. jornada de atividades para todas as idaCD Trofense-Infesta des. O ano de trabalho que começa agora, e se estende até ao Juniores sub-17 dia 31 de julho de 2013, traz muitas novidades e novas propostas Sp. Braga 3-0 CD Trofense adaptadas às necessidades das Próxima jornada Aquaplace apresenta novos horários famílias trofenses. CD Trofense-Merelinense No sentido de melhorar a sua quatro vezes por semana. nomeadamente a Hidro Sénior e oferta desportiva, a Academia Com o intuito de abranger to- também a Ginástica de ManutenJuniores sub-15 tem disponível mais uma sala de dos os escalões etários, todos ção Sénior, projetos que decorCD Trofense 0-2 Leixões aulas de grupo, com “mais caparem no âmbito dos programas da os níveis de aprendizagem, bem Próxima Jornada cidade” e “capaz de ir ao enconDivisão de Ação Social da Câcomo os horários mais favoráveis Abambres-CD Trofense tro das necessidades dos uten- à população estudantil, também mara Municipal da Trofa. tes”, afirmou fonte da administra- foram melhoradas e reformuladas Reforçando todas estas oferção. Desta forma, este ano, o as aulas da Escola de Natação. tas desportivas, o Aquaplace disAquaplace passa a dispor de Para além dos Parques Aquáti- ponibiliza ainda os serviços de quatro salas de aulas de grupo, cos para Bebés (1ª Fase dos 6 Avaliação Física e Aconselhanomeadamente o Estúdio 1 meses aos dois anos e 2ª Fase mento Técnico, que são hoje, pe(Spinning/Mix), Estúdio 2 (Pi-la- dos 3 e 4 anos), o Aquaplace dis- la sua importância na prescrição tes/Body Combat/Jumo/Ritmos ponibiliza aulas de natação, com do exercício físico, uma ajuda Calientes/Yoga/Dance Kids 1 e diferentes níveis de aprendiza- preciosa para todos os que fre2), Estúdio 3 (Karaté, Kickgem, para os escalões etários de quentam e procuram a Academia Municipal da Trofa. Boxing e Judo) e Estúdio 4 (Killer crianças, dos 4 aos 7 anos de O Aquaplace continua a deKilos/Body Vive/Body Pump/Lo- idade e dos 8 aos 12 anos de calizada/Step (Iniciação e Avan- idade, jovens, dos 12 aos 17 anos senvolver o projeto “Empresas em Movimento”, destinado às çado)/Danças de Salão (Inicia- e para adultos, a partir dos 18 ção e Avançado)/Master Class). anos, além da Natação Adapta- empresas do concelho da Trofa CONTRATAÇÃO DE TÉCNICOS PARA ACTIVIDADES DE ENe concelhos limítrofes, disponiDevido a estas alterações foi da (Ensino Especial). RIQUECIMENTO CURRICULAR NAS ÁREAS DO ENSINO DE possível melhorar os horários de No Fitness Aquático, o bilizando, mediante protocolo, as INGLÊS, ACTIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA E ATIVIDADES algumas atividades, colocando- Aquaplace disponibiliza aulas de atividades de Ginástica Laboral LÚDICO-EXPRESSIVAS (EXPRESSÃO MUSICAL) as “em horas mais favoráveis”, Hidroginástica, Hidro Local, Hidro (na empresa) e descontos concom reforço das aulas de grupo Step e Deep Water (Hidroginás- sideráveis para frequência das atividades da Academia no períPara os devidos efeitos e no cumprimento do n.º 5, do artigo no período da manhã e aos sába- tica de profundidade). odo entre as 7.30 (abertura) e as Em paralelo, para este ano 6.º do Decreto-Lei n.º 212/2009, de 03 de setembro, torna-se pú- dos, para além de se ter impleblico que a Câmara Municipal da Trofa irá proceder à abertura de mentado uma nova aula (Killer 2012/2013, o Aquaplace mante- 17 horas. procedimento concursal para a contratação por tempo determina- Kilos), com uma frequência de rá os projetos para os seniores, do, na modalidade de contrato de trabalho a termo resolutivo cerVolta a Portugal do Futuro Liberty Seguros to, a tempo parcial, de técnicos especialmente habilitados para a realização de actividades de enriquecimento curricular nas áreas do ensino de inglês, actividade física e desportiva e atividades lúdico-expressivas (expressão musical). O referido procedimento concursal estará disponível no sítio da internet da Câmara Municipal da Trofa em www.mun-trofa.pt, Durante cinco dias, a 20ª edi- Martins sofreu uma queda graAtletas trofenses no Prémio no dia 14 de setembro de 2012, onde constarão todos os requisi- ção da Volta a Portugal do Futu- ve, no dia 13 de julho, que o pôs Onda-Boavista tos e condições de admissão ao procedimento concursal. ro Liberty Seguros esteve na es- em coma durante dois dias, Entre os dias 14 a 16 de seAs candidaturas deverão ser formalizadas mediante preenchi- trada e contou com um ciclista quando participava no Prémio tembro, vai decorrer o 1º Prémio mento obrigatório de formulário electrónico na aplicação para apre- trofense. Pedro Martins, da Joaquim Agostinho, tendo-se Onda-Boavista, que reúne ciclissentação de candidaturas às Actividades de Enriquecimento Maganha, Santiago de Bougado, seguido um longo período de re- tas profissionais e sub-23, que Curricular (AEC’s) no sítio da Internet da Direcção Geral dos Re- foi um dos atletas da ASC-KTM- cuperação. será disputada por terras cursos Humanos da Educação, www.dgae.min-edu.pt. Vitória que participou na prova, Quando contactado pelo minhotas e Douro Litoral. A pro-

Câmara Municipal da Trofa

AVISO

Pedro Martins eliminado na última etapa

Município da Trofa, 12 de setembro de 2012 A PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL, (Joana Lima)

que terminou no domingo, 9 de setembro. O atleta foi eliminado na última etapa, pois chegou 16 segundos fora do tempo. Recorde-se que Pedro

NT, Pedro Martins afirmou que o objetivo seria “acabar” a competição, visto não ter a preparação dos seus adversários e colegas.

va, inscrita no calendário nacional da Federação Portuguesa de Ciclismo, contará com a participação dos ciclistas trofenses Daniel Silva e Pedro Martins.P.P.


16 Desporto

www.onoticiasdatrofa.pt

13 de setembro de 2012

Covelas quer melhor classificação possível Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Equipa sénior feminina de futsal do Grupo Desportivo Covelas inicia temporada com o objetivo de fazer a melhor classificação possível na 1ª Divisão distrital. “Fazer a melhor classificação possível” é o objetivo da equipa sénior feminina do Grupo Desportivo Covelas para a temporada 2012/2013 na 1ª Divisão da Associação de Futebol do Porto (AFP). A cereja no topo do bolo seria melhorar a posição obtida na época transata, o 7º lugar. Sérgio Monteiro lidera a equipa técnica do grupo, que se apresentou aos simpatizantes no sábado, 8 de setembro, em jogo amigável diante do Priscos, no pavilhão desportivo da EB 2/3 de S. Romão do Coronado. “Estamos na fase final para a preparação para este ano

Equipa disputa a 1ª Divisão de futsal da Associação de Futebol do Porto

desportivo. O nosso objetivo é fazer vários jogos de preparação em conjunto com os outros treinos para chegarmos ao campeonato na melhor forma possível e tentar ganhar um maior número de jogos possível”, afirmou o técnico. A ligação de Sérgio Monteiro com o Grupo Desportivo Covelas surgiu em março, que depois de ter recusado o primeiro convite do presidente David Ferreira, re-

solveu aceitar numa nova investida do dirigente: “Não tinha como fugir, porque o projeto era muito interessante e com um grupo de jogadoras que conhecia. Estou contente com a opção que tomei e por este grupo que tenho neste momento”. O plantel foi reforçado com quatro novos elementos para atacar um campeonato distrital que “está muito equilibrado”, disse Sérgio Monteiro. “Temos um

Fase final do Master da Trofa no Clube Slotcar Trofa/GMLUX

supercandidato, o Avintenses, e um grupo de sérios candidatos. Vai ser interessante, mas teremos muito trabalho, muita luta e bom futsal”, garantiu. O treinador, da Trofa, gostaria de ver o pavilhão de S. Romão cheio nos jogos do Covelas: “Apelo aos mais novos e menos novos que venham assistir, porque temos meninas que jogam muito bem futsal”. Clara Castro, guarda-redes e

Rali

Vitória “fácil” de Nunes Miguel Mascarenhas Marco Monteiro

Com a realização do Rali Oliveira do Hospital no sábado, 8 de setembro, deu-se início à fase de terra do Campeonato Open de Ralis.

Hugo Oliveira esteve em grande nível na terceira prova

Realizou-se na sede do Clube Slotcar da Trofa/ GMLUX no passado fim de semana a terceira de quatro provas que compõem o campeonato da edição de 2012 do Masters de Bilhares da Trofa, que visa apurar o campeão concelhio.

Hugo Oliveira esteve em grande destaque nesta prova, com um elevado índice de competitividade e que apresenta vencedores diferentes nas três provas já disputadas. Desta feita, o vencedor não permitiu qualquer derrota em nenhum dos cinco confrontos que

Classificação geral 1º Hugo Oliveira – 192 Pts. 2º Pedro Forte – 192 Pts. 3º João Paulo – 185 Pts. 4º Rogério Oliveira – 177 Pts. 5º Aníbal Manuel - 164 Pts. 6º Rafael Sampaio - 153 Pts. 7º Briguel - 143 Pts. 8º Rui Pinho - 130 Pts.

9º Ricardo Dias - 120 Pts. 10º Pedro Pontes - 120 Pts. 11º Miguel Alexandre - 120 Pts. 12º Manuel Faia - 116 Pts. 13º Polux - 116 Pts. 14º Carlos Correia - 116 Pts. 15º Mário Costa - 112 Pts. 16º Victor Andrade - 112 Pts.

manteve, numa competição disputada em sistema de duplo KO com 16 atletas. No jogo da final, venceu o seu opositor Pedro Forte, por 4-3. Para a última e derradeira prova da competição a ser disputada ainda este mês, entre os dias 27 e 29, quatro atletas têm fortes possibilidades de arrecadar as faixas de campeão concelhio, dependendo apenas do seu próprio desempenho: Hugo Oliveira, Pedro Forte, João Paulo e Rogério Oliveira. Nos lugares de despromoção também muito há para decidir, com oito atletas a procurar fugir dos quatro lugares de despromoção.

uma das capitãs de equipa, está pela quarta temporada a vestir a camisola do clube de Covelas. Justifica a fidelidade com a “união da equipa” e a bondade da direção, porque “o senhor David apoia-nos e dá-nos tudo o que precisamos”. A conquista da manutenção já era motivo de regozijo para David Ferreira, que tem feito “o possível e o impossível” para manter a associação viva. Para esse esforço em muito contribuiu a empresa Savinor, que aceitou patrocinar a equipa. “Mais uma vez, este tipo de iniciativas faz parte da nossa responsabilidade social no momento em que estamos inseridos nesta comunidade, Covelas e S. Romão. Isto promove o desporto, a cidadania e o gosto pela comunidade local, já para não falar que as jogadoras representam muito bem a empresa, porque têm muito talento”, explicou Inês Nabais, diretora de marketing da Savinor.

Daniel Nunes não teve grandes dificuldades em vencer a prova do Clube Automóvel do Centro, enquanto Diogo Gago e o trofense Jorge Carvalho continuam na senda dos bons resultados ao terminarem em 2º o Desafio Modelstand. Foi uma vitória tranquila de Daniel Nunes nos míticos, mas muito duros troços de Oliveira de Hospital que outrora já foram utilizados no mundial de ralis quando o Rali de Portugal se disputava mais a norte. Sem qualquer problema no seu Mitsubishi Evo 6, Nunes passeou a sua classe e obteve uma tripla vitória, já que o piloto de Sintra também disputa o Regional Centro bem como o Campeonato Júnior. O veterano Fernando Peres nunca teve o seu Mitsubushi Evo 7 a funcionar na perfeição e não mais lhe restou do que “assistir”

à vitória de Nunes e segurar atrás de si Luís Mota que em carro idêntico fechou o pódio. Boa prestação para Luís Bastos que na estreia de uma viatura de tração integral terminou num excelente 4º lugar. Depois do grande equilíbrio na fase de asfalto no Desafio Modelstand entre Gil Antunes e Diogo Gago esperava-se que na fase de terra, Antunes devido à sua enorme experiência neste tipo de piso fosse demonstrar a sua superioridade. Venceu, é certo, mas teve atrás de si Diogo Gago / Jorge Carvalho que não lhe deram um minuto de descanso. No final foram apenas seis segundos a separar os dois pilotos e não fosse uma saída de estrada de Gago logo na 2ª especial, que deixou o Peugeot 206 GTI desalinhado, talvez a surpresa acontecesse. Gil Antunes foi 5º da geral, enquanto Diogo Gago terminou em 6º. Por fim, no Troféu Fastbravo a vitória sorriu a Herculano Antas que dominou a prova do início ao fim. A próxima prova do Campeonato Open de Ralis é o Rali de Loulé /Casino de Vilamoura, que se disputa a 6 e 7 de outubro.


www.onoticiasdatrofa.pt

13 de setembro de 2012

Publicidade 17

5 Dolentes cartas com destino à eternidade ao meu pai, António P. da Costa Reis < QUARTA CARTA > IV

E aqui estamos de novo, meu Pai, prosseguindo o nosso interrompido diálogo: Também algo de novo para ti, meu Pai: Já fecundam humanos em provetas! É inconcebível! Que não sabes o que isso é? Eu te explico: Recordas-te das incubadoras de ovos de galinhas e cordonizes? Pois é quase a mesma coisa: conseguem da mulher os óvulos e do homem o esperma, fecundam isso fora num recipiente em ambiente adequado; depois de alguns dias, os colocam em qualquer mulher, ou madres artificiais! A intenção, e provas que têm dado resultado, é de futuro criá-los fora, a tempo completo, em Provetas-incubadoras, um ou aos centos, como codornizes ou soldaditos para as guerras! Tudo é possível já nesta mal encaminhada dimensão desumana! Já há muito filho da P’roveta neste mundo; esses engendrarão outros filhos da P’roveta também. (Alguns há que, se o não são, parecem)! = Assim, lentamente se acentua a degeneração. Estes inventos começaram sendo praticados na inseminação de animais. É degradante usar idêntico nos humanos! E Deus? Onde estão os deuses para orientar e corrigir o homem? Nada Lhes importa? De seguirem aperfeiçoando a criação dessa aberrante maneira, a mulher do futuro apenas portaria os óvulos sem criar os filhos! Quais as relações sentimentais de pais e filhos do amanhã, se ninguém sabe ao certo quem é quem? Certas damas me confirmaram: “Pois isso nem está tão mal! Se der resultado, se livrará assim a mulher da incomodidade de portar a criatura durante nove meses”!!! Degeneração evolutiva, ou degradação? Descansa em paz, meu pai. Sei que não trocarias a paz desse silêncio eterno por regressar de novo a este Vale de Lágrimas, como estas que agora deslizam por minha face, aqui, tristemente sozinho neste tranquilizante refúgio no Restaurante Braguinhas, cujas lágrimas já não conseguem apagar este braseiro de ódios, falsas impugnações, imposturas, desentendimento, demência frenética, destruição e degradação. Não creio em profecias, porque ninguém é capaz de ver ou acertar um só minuto nem um palmo no futuro; parecendo coincidência aquela profecia do Anti-Cristo que prognosticavam, seria o filho duma hiena com o Diabo, podendo mais bem vir a ser um filho da P’roveta! Desculpa, meu Pai, o longo destas cartas, que não voltarei a repetir, mas me senti tão bem conversando contigo, meu querido e tão sofrido Pai. Me escutavas tão paciente, parecia ver-te tão triste a olhares para mim, para o que escrevia, para as minhas dúvidas, temores, tristezas, inconformidades. Tu sabes que mataram o teu neto, o meu querido filho Carlos. Quase nula a moral ajuda! Por ele tudo perdi! Já o sol para mim não brilha, o mar e as flores perderam o seu encanto. Nunca em vida pude dialogar tanto e continuado contigo! Não te escrevi em 60 anos, desde a tua partida à Eternidade, sendo esta a primeira e última vez. Desde a tua ausência, sempre uma amargura, um pesar, me acompanhou. Se pudesses ver, em todo o tempo que empreguei escrevendo-te, silenciosas lágrimas rodavam pela minha face continuamente, como estas que agora sinto escaldantes deslizar, são, meu pai, a melhor oração, a mais sincera prece que posso oferecer-te no tempo transcorrido desde a tua morte, que é o dobro que Cristo teve de vida! “Não há melhor oração que secar uma lágrima ou acalmar uma dor”. O meu cepticismo não me permite aceitar com plena convicção a eficácia das orações, missas, sufrágios pagos, materialismo, pois, desse modo, até nos céus os ricos teriam grande supremacia sobre os pobres! O nascer e morrer, e atenções post-mortem, deveriam ser igual para todos, sem distinção! Sabias bem, meu Pai, que se usava há cem, duzentos anos, colocar nos testamentos a obrigação dos herdeiros de mandarem celebrar cinquenta, cem, duzentas missas pelo defunto! Hoje, como em qualquer época, ainda observamos sumptuosos ofícios fúnebres de sufrágio pela alma, com seis padres, ou meio ofício, ou nada se for pobre. Acaso o dinheiro que pagou esses sufrágios materialistas influenciará Deus a mudar de ideia ou sentença, a perdoar os pecados, a obter melhor posição no céu, a livrar do fogo do infernal purgatório, que o homem possivelmente inventou em épocas obscurantistas? Como livre-pensador, agnóstico, humanista, realista, custa-me e lamento dizer-te, meu Pai, que na Bíblia não se observam os ritos da missa, tal como o homem à posteriori confecionou, “apenas simbólica recordação de uma refeição”, possível despedida de amigos; nem ali aparece o pretenso “pecado mortal” pela não assistência, como nos mentalizaram na infância! Por mera coincidência recordei, e te recordarás, meu Pai, daquele dito popular do antigamente, quando um jovem sacerdote foi para uma aldeia da província substituir um outro padre já velhinho. Logo este orientou-o sobre os seus deveres na paróquia, remunerações pelos serviços: Batizados, a três escudos; Casamentos, a cinco; Missa, a dez escudos; e... Como? Retorquiu o jovem, eu colocarei já as missas a vinte escudos! “Olha meu filho, melhor não o faças, diz-lhe o velhinho padre. Olha que se os fiéis reacionam e se soubessem o que isso vale, nem os dez escudos te pagariam”... Desde remota época é conhecido este facto que me leva a crer na experiência dos anos como na sinceridade do padre velhinho. No entanto não deixo de admitir, que a missa é um ato de união importante para manter viva a chama da espiritual religiosidade.

cONTINENTAL

Na Bíblia aparece muitas vezes a insólita menção do Inferno! Tais fornalhas de suplício são incompatíveis com o Deus-Bondade que nos apresentam!

Que conceito, no amor, dedicada veneração, pode ter uma criança a quem se lhe afirme que seu Pai teria a diabólica coragem de a queimar no fogo à perpetuidade? Tenho todo o direito a dissentir, que tenha Deus criado tão horrendo suplício! O Inferno terá sido concebido e imprimido pelos Bibliógrafos maniacos, com finalidades atemorizantes, para melhor dominação dos pobres de espírito! Somente os inventores ali terão cabido no seu Inferno pelo terror exposto... Desculpa, meu Pai, também tu, minha Mãe, por estas tristes divagações. Não tenham por mim temor. Pela esmerada educação que me transmitiram, por minha sentimental condição, não me permite prevaricar em nenhum sentido. (Creio sinceramente que meus escritos são apenas divagações sentimentais, dúvidas, não pecados)! Com frequência, recordo as vossas instruções: “Cumpre, meu filho; Não deixes de assistir à missa; se de nada servir, nada terás perdido; se de algo servir, bem valeu a pena e terás a recompensa”... Obrigado, meus pais, assim será e sempre vos terei presentes. No Templo e missas, <com a minha fé em um Deus diferente>, participo com elevação e paz espiritual. Ali sinto uma atmosfera supra-humana, ensinamentos de fraternidade, tolerância, amor ao próximo, sublime a saudação de paz, (a paz esteja contigo), sincera, sem exceções: esta manifestação de bondade, comove o mais duro coração! <mas há, sim, corações de pedernal que tão injustamente ferem ofendendo o seu próximo!> Pesar sinto na alma, observar alguns Sacerdotes que estragam a religião com visível preocupação materialista, deslizes, desacatos e desamor ao próximo; violentas as expressões contraditórias à sua missão! “O meu quebrantamento na fé foi originado por uns religiosos clericais conflituosos”! Apesar do exposto, amáveis leitores destes escritos, frequentem Templos e missas, sejam perseverantes na fé (mas sem cair no fanatismo negativo) = É sentimentalmente lindo ali estender a mão saudando e desejando a paz ao seu próximo! Isto é o mais belo e sublime das missas. Apesar de não podermos entender o eterno silêncio e desígnios dos Deuses Criadores, creio valer a pena prevenir com uma prudente moralidade e práticas religiosas que os “bons sacerdotes” só para o bem induzem... Não se mortifiquem, meus pais. Eu não sinto rebeldia contra nada nem ninguém... No entanto, aí mesmo nos céus, sei que estareis tristes, porque observais tanto o sofrimento que aqui padecemos: familiares, tragédias, odiosas impugnações, desarmoniosas as humanas relações!!! Estas “realidades mensageiras” apenas visam incentivar à meditação para uma atuação mais cônsona com a dignidade humana, porque me mortifica tanto obscurantismo, suposição, divergências, confusão reinante em todo o aspeto, nesta humanidade que sonhei e pretendia menos sofrida, mais harmoniosa, “menos sacripanta e falaciosa”... Recordas, meu Pai, aquele frio de dezembro de 1950, quando com apenas dezoito anos emigrei! Estavas sentado à lareira, triste, olhando a chão sem o ver, estático, pensativo; eu fui a ti para te dar o abraço de despedida, não te pudestes conter; escondeste o rosto com as duas mãos, soluçando; e com trémula voz apenas disseste: “Vai, meu filho, vai, assim é a vida”. Não descobriste o rosto, a tua chorosa face, que depois jamais vi. Essas tuas lágrimas eram de pressentimento por um último Adeus que a minha juventude não pôde captar. <<E agora que já não te tenho: como doi a dor da saudade!>> Várias foram as vezes que me escreveste recordando-me o jovem que era, o perigo que corria de perder-me, o digno que deveria ser por mim e pela família, além de certos lamentos que agora mais que nunca me doem: “Não te esqueças do teu pai, dizias! Manda algo ao teu pai, se puderes ou quando puderes, para os meus cigarritos. Já as terras não são nossas. Está muito frio por aqui, precisava de um sobretudo. Ajuda o teu pai que está velhinho e enfermo”. Vês, meu pai, o porquê da minha tristeza e amargura que ainda agora não me posso conter, por não te ter atendido como merecias! Facto pelo que ainda agora sinto <uma dor cheia de dores>, por querer reparar um mal que já não é possível. Oh, meu pai, como é triste e abandonada de Deus esta vida! Até parece que os deuses nunca existiriam <!> Comend. Eduardo Reis


18 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

Autarquia organiza Mobipaper A Câmara Municipal da Trofa assinala a Semana Europeia da Mobilidade, com um Mobipaper Intermunicipal. A Câmara Municipal da Trofa associa-se, uma vez mais, às comemorações da Semana Europeia da Mobilidade 2012, promovidas pela Agência de Energia do Porto, e à qual estão também associados os municípios de Gondomar, Maia, Matosinhos, Porto, Póvoa de Varzim, Santo Tirso e Vila do Conde. No concelho das Trofa as atividades, enquadradas na Semana da Mobilidade 2012, vão decorrer no dia 22 de setembro, pelas 10 horas, com a iniciativa Mobipaper Intermunicipal, na Academia Municipal da Trofa –

Aquaplace. O Mobipaper é uma prova de mobilidade, orientação e aventura, que decorrerá entre as 10 e as 13 horas, estando aberta a toda a população. Em termos de mobilidade os meios permitidos neste Mobipaper, são os transportes coletivos públicos, transporte individual não motorizado, bicicleta, trotinete, patins, skate, entre outros. Esta prova agrega três componentes; mobilidade, conhecimento e tempo de prova, sendo que o objetivo passa por percorrer os trajetos de modo saudável e sustentável, passando obrigatoriamente pelos postos de controlo definidos, respondendo a perguntas de conhecimento geral sobre mobilidade alternativa e sustentabilidade ambiental.

13 de setembro de 2012

Direito de Resposta

A inscrição é gratuita e pode ser feita pelo email sem@adep orto.eu, indicando nome, número de identificação (BI ou CC), morada, telefone ou e-mail de contacto e idade dos participantes. Além desta iniciativa, a Trofa associa-se ainda à Semana Europeia da Mobilidade com a atividade “Aprender a viajar de comboio”, direcionada para os alunos do 4º ano dos estabelecimentos de ensino de 1º ciclo. Deste modo, de 16 a 22 de setembro serão várias as atividades que vão decorrer nos municípios associados, desde ações, que passam por caminhadas e passeios de bicicleta, percursos pedonais e diversas atividades desportivas. P.P.

Necrologia Ribeirão

Santos. Faleceu no dia 6 de se- Celeste Augusta Dias de Azevetembro, com 53 anos. Casada do Laura de Jesus Gonçalves da com Francisco Cardoso Fernandes Silva. Faleceu no dia 2 de seJacinto Silva Dias. Faleceu no tembro, com 50 anos. Casada Lousado dia 6 de setembro, com 79 anos com Manuel Fernando Dias da Casado com Maria Beatriz Silva Silva Joaquim Francisco da Silva Ferreira Funerais realizados por Oliveira. Faleceu no dia 5 de seFunerária Ribeirense, Maria Teresa Amorim dos tembro, com 95 anos. Viúvo de Paiva e Irmão, Lda.

“Falta de espaços compromete época de basquete”

1. Desenvolve a A C R Vigorosa, com muito esforço e evidente mais-valia, um serviço de dinamização da prática desportiva claramente reconhecido pelos pais dos atletas e pela comunidade trofense em geral, espelhada na participação e nos resultados dos eventos promovidos e no Desenvolvimento Humano, Físico e Académico de todos os jovens envolvidos. 2. A Direção e os responsáveis técnicos da A. C. R. Vigorosa lamentam profundamente a falta de sensibilidade e a forma pouco clara das declarações da Exma. Senhora Vereadora do Pelouro do Desporto à última edição do “N.T.”. 3. Apesar de enjeitarmos qualquer dose de má fé, pois reconhecemos que no passado recente tem havido gestos de boavontade da Senhora Vereadora, solicitamos a clarificação total e cabal dos factos. 4.Temos que deixar aqui bem claro que os valores apresentados não foram efetivamente recebidos, isto é, não deram entrada na Tesouraria da A. C. R. Vigorosa. 5. Deste modo, cremos tratarem-se de valores fixados unilateralmente pela Câmara Municipal para a ocupação dos espaços de treino e de jogo e dos autocarros para transporte dos atletas. 6.Queremos acreditar que os critérios aplicados para a A. C. R. Vigorosa sejam rigorosamente os mesmos para todos os Clubes e Associações do Concelho da Trofa quando usufruem dos mesmos serviços. Reafirmamos perentoriamente que os referidos valores não foram entregues à Tesouraria da Associação Cultural e Recreativa Vigorosa, pelo que solicitamos à Exma. Senhora Vereadora o pleno esclarecimento da situação aludindo às quantias efetivamente entregues ou atribuídas, pagas ou em débito, evitando interpretações que possam pôr em causa o bom nome desta Associação. A Direção da A. C. R. Vigorosa


Opinião 19

www.onoticiasdatrofa.pt

13 de setembro de 2012

Correio do Leitor A Música Litúrgica e O Coro de São Martinho de Bougado

« A economia tem que estar ao serviço das pessoas, do desenvolvimento do país, dos nossos jovens, do nosso povo! » Jerónimo de Sousa

Um ilustre sacerdote, Anselmo Borges, escreveu há dias na comunicação social que a música é a “transcendência e a paz”. Na verdade, nada há de mais místico e ao mesmo tempo tão material como a música: a voz, o órgão, os instrumentos de cordas, percussão e de sopro e “disso tudo resulta o que nos enleva, nos coloca lá donde viemos e lá para onde queremos ir habitar”. Diz aquele sacerdote que “feita de tempo a música pára o tempo, transcende o tempo e tange o eterno. Ali onde quereríamos estar sempre e já não há morte”. “Ela é o divino no mundo ou, pelo menos, o que nos abre à transcendência do divino. Aí está a beleza que salvará o mundo. O belo abre a porta do que normalmente se não vê nem ouve. Mas quando se viu o invisível e se ouviu o inaudível tudo se transfigura e reconcilia”. O canto e a música são indissociáveis do culto e da fé. Fazem parte da vida dos crentes e de muitos que recusam qualquer crença formal. Toda a boa música – como a Sacra e Litúrgica – tem o condão de nos conduzir até à vizinhança do divino. Todavia, a música nasce da inspiração humana do compositor e realiza-se graças ao empenho do maestro e de cada músico individualmente. Um empenho paciente, trabalhoso que requer tempo e sacrifícios no esforço da escuta recíproca, evitando protagonismos excessivos e privilegiando sempre o melhor resultado do conjunto. Vem este intróito a propósito de duas belíssimas celebrações litúrgicas a que tivemos oportunidade de assistir, nos passados dias 15 de Julho e 19 de Agosto, aquando da “missa nova” de dois novéis presbíteros e da festa de “Nossa Senhora das Dores”, com a participação do coro (sénior) de São Martinho de Bougado. Sob a direcção do jovem maestro Pe. Bruno Ferreira, a música, instrumentos e coro, elevou-nos a vizinhos imediatos do transcendente. Assim, verdadeiramente, o canto e a música, “tangem o eterno”. Apresentando cânticos de autores consagrados e outros de sua própria autoria, o Pe. Bruno Ferreira transformou estas solenidades num encantamento de indizível louvor ao Senhor. Estamos, sem dúvida, na presença de um talentoso sacerdote dotado para a música e que vem desenvolvendo um excelente trabalho na liturgia do nosso concelho, nomeadamente, na direcção do coro (sénior) de São Martinho de Bougado, na coordenação geral dos restantes coros da paróquia e ainda na colaboração e apoio que vem prestando ao coro de Santiago. Uma dádiva que nos veio do céu! Esperemos que os paroquianos da Trofa saibam aproveitá-la, valorizá-la e merecê-la, para juntos podermos enriquecer as nossas cerimónias litúrgicas. Certamente que teremos de fazer muito - mas mesmo muito ! - para assegurar e prolongar a sua permanência entre nós. Oxalá fique connosco por muitos e longos anos. Parabéns, pois, ao Pe. Bruno Ferreira; continue a semear entre os fieis a fé e, entre todos, a esperança da paz através da linguagem universal da Música. Bem haja José Maria Areal

Que se lixem Que se lixem…… Jovens sem futuro, velhos sem esperança. Que se lixem. Redução de ordenados, cortes de subsídios. Que se lixem Desempregados; aumento de 10% num ano de governo PSD/CDS. Que se lixem. Insolvências, falências triplicaram num ano. Que se lixem. Investidores e investimentos fogem. Que se lixem. Combustíveis; aumentos insuportáveis. Que se lixem. Bens de primeira necessidade; aumento da taxa máxima de imposto. Que se lixem. Apoios e bolsas de estudo cortados. Que se lixem. Aumento de lista de espera na saúde, falta de médicos. Que se lixem. Aumento do défice. Má governabilidade profere os peritos. Que se lixem. Eleições? . Que se lixem, até as próximas dá tempo para enchermos os bolsos com os milhões da troika. Que se lixem, que se lixem, que se lixem, os Portugueses pobres e trabalhadores. Joaquim Soares

A intervenção de Jerónimo de Sousa, secretário-geral do PCP, no comício da festa do Avante é notável, merecendo profunda reflexão. Contém forte conteúdo ideológico, demonstrativo da razão do posicionamento político comunista ao longo das últimas décadas. É um « descaramento inacreditável… ultrapassando tudo o que era imaginável e todos os limites da desfaçatez e do cinismo … ver o primeiro-ministro Passos Coelho com ar pungente a anunciar um descarado roubo nos salários dos trabalhadores e reformados, em nome do combate ao desemprego! », brada Jerónimo de Sousa de forma contundente, com lucidez, objectividade e clarividência para os perigos da manutenção da actual política. Estas políticas, não são realizadas por incompetentes e impreparados. São oriundas de mestres na arte da exploração dos trabalhadores e dos povos, para servir os senhores do dinheiro, que fizeram o «tirocínio nas escolas do pensamento neoliberal, nos alcatifados da União Europeia e nas mais afamadas administrações dos grupos económicos e das grandes instituições financeiras, cujas portas estão sempre abertas a um regresso, depois de uma “sacrificada comissão de serviço público”. Eles são peritos na arte da mistificação. Eles nunca se enganam na receita e o feitiço nunca se vira contra eles, nem contra os interesses que servem, mas contra os trabalhadores, contra o povo.» Assim, para 2013, segundo o seu pensar, matutam um novo plano com as mesmas soluções, que apenas promovem o empobrecimento dos portugueses, o enriquecimento dos senhores dos grandes interesses económico-financeiros, conduzindo o país à ruína e à capitulação. A perpetuação do roubo de dois salários para os trabalhadores da administração pública e para os reformados, e de um salário para o sector privado, anunciados pelo primeiro-ministro, é uma atitude inclassificável, revoltante. Obrigar quem apenas vive do seu trabalho a pagar mais sete pontos percentuais do seu salário para a segurança social é sobrecarregar a carga fiscal de quem trabalha com um novo imposto e contribuir para mais exploração e desemprego e para um cada vez maior empobrecimento dos portugueses em geral. O discurso de Jerónimo de Sousa é de facto extraordinário desmascarando totalmente esta União Europeia do grande capital, «…cada vez mais neoliberal, militarista e federalista, que dá razão a todos os que como o PCP sempre afirmaram que os sonantes discursos da coesão social e económica e da solidariedade não passavam de chavões vazios de conteúdo…» assim como o constante bombardeio de « horas e horas de notícias sobre esta e aquela negociação, sobre a necessidade de salvar o Euro, sobre esta e aquela medida que o BCE pode ou não adoptar, como o engodo dos Eurobonds, ou ainda sobre a importância da unidade da Europa, da solidariedade, da coesão, contra os nacionalismos. Pura hipocrisia! É que tudo o que se está a discutir nos corredores de Bruxelas visa apenas uma coisa: criar as condições para aprofundar as políticas de exploração dos trabalhadores, para se poder continuar a alimentar os mega bancos, para se manter o Euro como instrumento de domínio económico dos mais fortes sobre os mais fracos, no fundo para reforçar ainda mais o carácter neoliberal e federalista da União Europeia.» A saída da crise já há muito é apontada pelo PCP que, no plano internacional, passará pelo fim das imposições supranacionais do Pacto de Estabilidade, por uma cooperação entre Estados soberanos iguais em direitos, pelo direito dos povos de decidirem dos seus próprios destinos e exercerem plenamente a soberania que neles reside, e no plano nacional, por um processo de renegociação da dívida pública; pela nacionalização da banca recuperando para as mãos do Estado um instrumento essencial para a dinamização económica e o apoio às pequenas e médias empresas; pelo apoio à produção nacional, à produção agrícola, ao mar e suas actividades; pela reposição dos direitos e rendimentos espoliados e o aumento dos salários e das pensões de reforma, indispensável à dinamização do mercado interno; por uma mais justa repartição da riqueza com a valorização do trabalho, a protecção social e a justiça social; pela efectiva taxação da banca, da especulação financeira, do património de luxo e pelo fim dos paraísos fiscais para onde vão milhões de euros da riqueza produzida no nosso país; pelo reforço dos serviços públicos e das funções sociais do Estado e pela defesa da Constituição da República. É de realçar no discurso de Jerónimo de Sousa a efectiva e real possibilidade de dar vida a uma alternativa. O avanço da luta traduziu-se no alargamento da convergência de acção e criou condições para construir uma alternativa política e realizar uma política alternativa, sendo o alargamento da influência do PCP um factor incontornável na criação das condições da sua concretização. Conclui assim Jerónimo : «Por isso, nos dirigimos aos portugueses que aspiram à viragem e à mudança na vida nacional, dizendo-lhes: apoiem o PCP! Dêem força ao PCP e a alternativa surgirá!» E, reforçando o apelo, clama o secretário-geral do PCP de que o país precisa de travar o passo a esta política suicida e de saque aos trabalhadores e ao povo! Pelo que « a economia tem que estar ao serviço das pessoas, do desenvolvimento do país, dos nossos jovens, do nosso povo! »


20 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

Festa Medieval Solidária

Paulo Portas inaugura nova unidade industrial do Grupo Frezite

Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

A Muro d’Abrigo foi a instituição escolhida pela organização da Festa Medieval Solidária para beneficiar dos lucros desta iniciativa, que se realiza no sábado, dia 15 de setembro. Conhecendo mais instituições na Trofa a precisar de apoio, a organização decidiu “convidar algumas, tais como a ASAS, APPACDM e a Misericórdia da Trofa”, para estarem numa tenda a vender “produtos feitos pelas pessoas das associações”, tais como compotas, chás e artigos de madeira, sendo que cada uma ficará com os lucros das suas vendas. Desta forma, a Quinta dos Carriços, em Valdeirigo, transforma-se num reino medieval, onde os “súbditos” têm a missão de ajudar as várias instituições trofenses que vão marcar presença.

O Ministro de Estado e dos convidados, seguida de uma viNegócios Estrangeiros, Paulo sita por grupos às instalações da Portas, vai presidir à inauguração divisão madeira da Frezite. Pedas novas instalações da divisão las 19 horas, está prevista a inaumetal do Grupo Frezite, que terá guração das instalações da lugar nesta sexta-feira, dia 14 de Frezite da divisão metal, sob a setembro. presidência de Paulo Portas, Causa solidária pretende ajudar instituições trofenses O programa tem início pelas seguida de uma visita às novas A Feira abre portas pelas 16 ção, realçando a participação de 17.45 horas com a receção dos instalações. P.P. horas, onde a comunidade pode um grupo de seniores da Muro assistir a um cortejo medieval que d’Abrigo que vai dar o seu contributo na animação. dará entrada ao rei D. Afonso A organização está otimista Henriques, que já confirmou a quanto à iniciativa, pois as “pessua presença neste evento. Durante a feira vai haver ani- soas têm mostrado interesse em mações medievais e alguns jo- vir ajudar um pouco” e acharam gos tradicionais para entreter as “interessante a ideia”. Cada um dos 450 bilhetes pessoas, pois “não é só chegar, comer o porco assado e vir em- que foram postos à venda por cinbora”. “Vamos ter atividades para co euros, no Quiosque da Tina, entreter as pessoas e para que na PetShop Moisés e na Muro permaneçam na feira para que d’Abrigo “dá direito a uma sande e uma bebida”. Os bilhetes estapossam ajudar as instituições que vão estar presentes através rão à venda até esgotarem. da compra de algum artigo. Há No final, Ricardo Santos deique ajudar também na causa, xou um apelo à comunidade: pois trata-se de um convívio com “Participem nesta feira e passem uma causa solidária, para ajudar uma tarde diferente, com a aleuma instituição”, contou Ricardo gria e o ser solidário, deste povo Paulo Portas preside inauguração das novas instalações Santos, membro da organizaque é trofense”. DR

Quinta dos Carriços, em Valdeirigo, S. Martinho de Bougado, acolhe Festa Medieval Solidária, que decorre já neste sábado. Iniciativa pretende ajudar instituições trofenses.

13 de setembro de 2012

Profile for O Notícias  da  Trofa

Edição 388  

Jornal de 13 de setembro de 2012

Edição 388  

Jornal de 13 de setembro de 2012

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded