Issuu on Google+

Peregrino – Jornal da Associação Pachamama | jan/fev/mar 2017

Editorial Aqui, neste e em outros movimentos de Ativismo, anda gritando Tupac, Bartolina Sosa e outros irmãos libertários, que lutaram pela Mãe Terra. Há tanta esperança dançando entre os corações que não envelheceram no cinismo e no consumismo. Os povos andam tentando curar tanta ferida social e planetária, e nós, pequenos índios urbanos, temos que ajudar a esta resposta-cura da sociedade confusa e alienada, e de uma Pachamama desequilibrada e injustamente abusada pelos governos e comerciantes que não entendem ou não querem entender que o que fazemos a Mãe Terra, o fazemos a nossas famílias presentes e futuras. Somos habitantes comuns destes pampas, e andamos sonhando e criando com inteligência e respeito, ações de serviço a todos os seres vivos, para aprender o que nossos avós sabiam: que tudo está vivo, e que tudo é de todos. Nós sentimos essa responsabilidade fraternal. Sentimos como grupo em movimento que temos que aprender tanto de outros movimentos e que também temos algumas reflexões para compartilhar. Esta jornada não começa em nós, nem terminará em nós e somos conscientes que só somos um sintoma da Alma coletiva, que intenta salvar a espécie humana de sua própria ignorância e soberba.

Se teremos sucesso ou não, o futuro o dirá, mas com certeza estamos apaixonados no intento grupal de parir uma nova Nação, a Nación Pachamama.


2 Peregrino – Jornal da Associação Pachamama | jan/fev/mar 2017

Nación Pachamama

Violeta Molina Em sua aventura cósmica, a humanidade e o Planeta Terra correm o risco de ficar à deriva, na imensidão do Universo, com a possibilidade de nossa autodestruição como espécie, se continuarmos desligados do sentimento de unidade de todos os seres e permanecermos presos na ilusão da separatividade. Essa ilusão, reflexo do desamor, tem máscaras. A competição, plantada nos lares, e, nas ruas regada com cercas, muros e fronteiras, visíveis e invisíveis, levam às guerras… Com a máscara do ideal de progresso material infinito, a ilusão da separatividade promove a desarmonia entre o reino humano e os demais reinos, fertilizando doenças e males decorrentes da desvinculação entre os seres humanos e a natureza...

Sob a inspiração de arquétipos como o da Grande Mãe, o do Pai Sol e aquele da re-união entre essas forças cósmicas, desvela-se pouco a pouco uma renovada visão dos cosmos, inspirada na tradição mística e mítica dos Andes, a qual se somam também matizes do cristianismo primitivo, da espiritualidade do Himalaia e de outras tradições capazes de liberar a nós seres humanos da ilusão da separatividade, para retomarmos o sentimento primordial de unidade e continuarmos a viver neste paraíso terrestre chamado Pachamama e a deleitar-nos nesta nossa aventura cósmica com Harmonia.

Nossa condição humana de seres conscientes não nos permite estar inertes diante desse quadro. Pachamama é UNA. Naturalmente, não existem nem o “eu” nem o “outro”. Somos um. Tampouco existem fronteiras... Pachamama é uma só nação: Nación Pachamama. Por isso, na América Latina, concebemos juntos o movimento Nación Pachamama, fruto liberado e não proibido do sonho, do esforço criativo e do delírio grupal da Mística Andina, que surgiu aos pés da cordilheira dos Andes, sob a inspiração de Lucidor Flores... Nación Pachamama, coletivo de coletivos, nasceu e nutre-se no seio da Escola Espiritual Mística Andina como um intento grupal de mobilizar a consciência humana, individualmente e da humanidade como um todo, a serviço da perpetuação no Planeta Terra da vida dos seres humanos e dos demais seres que conosco aqui convivem.

Nación Pachamama esteve no Palácio das Nações Unidas em Genebra, Suíça, em dezembro de 2016. Fomos a voz da Madre Tierra na Conferência Internacional dos direitos da Natureza pela Paz e Desenvolvimento Sustentável, tecendo redes

internacionais

de

Consciência Pachamama.

semeadura

da


Peregrino – Jornal da Associação Pachamama | jan/fev/mar 2017 3

Comunidades Campesinas: um sonho coletivo

Rama Flores Faz uns anos que no Movimento Nación Pachamama sentimos a necessidade de desenvolver um projeto coletivo ligado a terra, educativo e desafiador. Assim nasceram, aos poucos e sem muita estratégia, as comunidades campesinas espirituais. Hoje são 7 espaços distribuídos entre Argentina e Brasil, em diferentes estágios de crescimento. Nestas comunidades intencionais desenvolvemos um trabalho espiritual intensivo, individual e coletivo. Estamos aprendendo a ler os padrões naturais da vida, desde a perspectiva da

Cosmovisão Andina. Tudo está vivo e esperando nossa atenção. Nos demos conta que a natureza não precisa que a descrevamos, senão que a amemos: a devoção é a maneira de vincular-nos com tudo o que nos rodeia. Usamos técnicas de permacultura, agrofloresta, bioconstrução, medicina natural, economia solidária e, sobretudo, novas formas de tomar decisões. Entendemos que a alegria e o desfrute que temos por viver assim só servem se pudermos compartilhá-las e é por isso que temos ativas áreas de serviço. Existe, finalmente, uma profunda busca pela beleza, esse caminito de aumentar nossa percepção da realidade através da arte em todas as suas formas. Somos famílias de crianças, adultos, cachorros, cavalos e galinhas, que buscam redescobrir o Jardim de Pachamama dentro e fora.


4 Peregrino – Jornal da Associação Pachamama | jan/fev/mar 2017

O Paradoxo do Controle

Lucidor Flores Desfrutar é parte do fluxo inteligente. Geralmente temos associado desfrutar com jogos, esportes e atividades de ócio, onde a pessoa não necessita preocuparse se perde. Porém, na vida “real” se não sabes manejar bem um trabalho ou um vínculo podes “perder”. Assim a sensação consciente do fluxo, que implica perder o controle, ou seja, a falta de preocupação por perder o controle e entregar-te inteiro à atividade ou ação não ocorre na vida normal. O fluir relaxado e presente destinamos ao jogo e ao esporte como única possibilidade. Mesmo nos esportes de alto risco há uma situação de controle, de habilidade e ao mesmo tempo de entrega ao fluxo inteligente, hábil em controlar forças potencialmente perigosas. Qualquer atividade pode ser enfrentada e vivida como um jogo, em que o controle deixa de ser angustiante e se transforma em algo agradável, e a consciência deixa de pensar no si mesmo superficial, então sucede o extraordinário: perdese o controle definitivo e a liberdade de determinar o estado de consciência surge como um broto milagroso. De modo que ocorre uma sensação espiritual total, se percebe o fluxo inteligente, criativo e gozoso. Quando te entregas totalmente ao jogo de uma atividade que monopoliza a consciência, a atenção não divaga para o futuro, para o passado ou outro estímulo desconexo e caótico. Deixas de pensar em círculo sobre a própria personalidade, surgem a precisão e o esquecimento desse si mesmo confuso e fragmentado. Com frequência, este fluxo criativo e inteligente traz uma sensação ou sentimento claro de união com o entorno, formando

parte de uma equipe integral de totalidade de seres vivos. Este chegar a ser uno com tudo é um aspecto real da experiência de fluxo. É um alívio imenso que podes desfrutar se estás atento, entregue ao jogo. A preocupação com a própria personalidade consome energia psíquica, necessária para que a consciência possa transformar as obrigações em jogo criativo. A sensação de ameaça, de perda de controle, a vulnerabilidade se apresentam e a energia psíquica se perde tratando de recuperar a ordem da consciência. Porém no fluxo não há espaço para revisar se estás ameaçado ou se não está correta tua vestimenta, porque tua meta está clara, tua habilidade está totalmente entregue a realizar o que estás fazendo, não há oportunidade para pensar superficialmente acerca do si mesmo ameaçador. Estás totalmente absorvido no presente. És 100% Presença, não há maneira que algo ou alguém te faça apresentar alguma dúvida ou pensamento. Não importa se tua cara não está limpa, se teus sapatos não combinam com a roupa ou se tua personalidade se recorda da dor emocional de criança. A vivência do fluxo presencial não tem nada que ver com levar-se pela corrente ou esses paradigmas atuais que escondem passividade ou fuga. Ao contrário, estar no fluxo inteligente é um papel ativo para a personalidade. Um exímio violinista deve ser sumamente consciente de cada movimento de seus dedos, da pressão sobre as cordas, assim como do som que entra por seus ouvidos, e da forma total da peça que está tocando, tanto analiticamente, como nota por nota, e sentindo a totalidade entre ele, o instrumento, os ouvintes e o fenômeno extraordinário da música. A perda da consciência superficial da mente não significa uma perda de personalidade e, desde logo, não é uma perda da consciência, senão que tão somente é um esquecimento do si mesmo


Peregrino – Jornal da Associação Pachamama | jan/fev/mar 2017 5

caótico e superficial. Essa informação que utilizamos por baixo do umbral da consciência para dizer-nos quem somos, para autoafirmar-nos em um papel social desaparece e é muito agradável, é um fluxo de gozo criativo. Produz-se um fluxo no qual se expande a consciência de quem somos, se ultrapassa os limites do “eu” e a identidade é um fluxo, não uma história pessoal baseada em informação da memória.

Poderíamos cair na tentação da metáfora poética e deixar que o leitor fique aí. Porém é importante que nos demos conta que este fluxo criativo, leve e total é tão real como ter sono ou como perder o celular. Ainda sendo uma experiência mística é absolutamente real.

Este sentimento não é uma fantasia, senão que está baseado em uma experiência muito real de interação, de um encontro com o OUTRO, que produz uma vivência do sentimento de unidade que nos rodeia por dentro e por fora.

Se a atenção consciente se entrega ao jogo de operar, subir uma montanha ou resolver um desafio durante o dia, chega a ser parte de um sistema de ações maiores ao si mesmo superficial e sente o Universo fluir a partir de todas as coisas e dele mesmo, expandindo as fronteiras psíquicas e convertendo-se em um ser grupal de um desfrute e provocador de inspiração inteligente não trivial.

Parece que entras em um campo de força único em que se sente como se formasse parte da “harmonia das esferas”. Há um parentesco com o Todo, uma dança com a dificuldade ou desafio que estás cruzando, e todo o entorno te é familiar.

A transcendência da personalidade superficial e egocêntrica dá uma extensão à consciência, uma transcendência fluida e cristalina. Ao sair desta vivência, a consciência emerge com mais força após beber da fonte da Unidade.

Faz pouco falei com um eminente cirurgião que me contou de sua sensação de plena entrega ao fluxo de uma complexa operação, onde sentia como se toda a equipe concentrada e focada no propósito era como um só organismo movido pelo saber, como um balé em que o indivíduo desaparece no grupo e que toda ação implica um sentimento de clara harmonia e alegria.

O porquê nos foi ensinado para negarnos estas vivências de forma ocasional, e buscar no prazer carente do desfrute é algo realmente provocante para uma inteligência ativa, e deixo a vocês averiguarem o que ganha a sociedade com prazer sem desfrute de vivências de fluxo criativo. No fluxo, uma pessoa sente o desafio de fazer tudo com precisão e o melhor possível, e o desejo de desenvolver suas habilidades. Neste momento não há ego de perfeição, senão um fluxo de impecabilidade, de exercício de habilidades, de controle desapegado de si mesmo e um claro propósito. O paradoxo de fluir é uma consciência abandonada com toda sua habilidade fazendo algo totalmente presente e ao mesmo tempo sem ansiedade do eu superficial, esta ambígua maneira de controle somente é conhecida pelos jogadores totalmente entregues a aprender, melhorar e fluir no secreto jogo entre a Deusa e o jardineiro.


6 Peregrino – Jornal da Associação Pachamama | jan/fev/mar 2017

Prática dos 21 dias

Mística Andina Ah… corações amigos, sintam que simples resulta para o desperto e aberto o Fluxo do Espírito Santo da Vida. Me chama, estou aqui, convocando tua presença para que retornemos todos ao fluxo bondoso da Consciência Pachamama. Deixemos sair o riso do coração por esta surpresa de um novo dia. As noites de chuva triste passaram, se foram os dias de caos, aqui dizemos unidos no claro propósito:

no período dos 21 dias e que podem ser incorporadas na tua vida: reflexões, exercícios, kriyas, recomendações alimentares, limpezas energéticas e emocionais, trabalho com os egos, com as formas mentais e com as crenças. A prática é individual e, ao mesmo tempo, grupal; centenas de pessoas por todo o mundo a fazem simultaneamente, o que cria uma dinâmica energética que impulsiona a aprofundar.

Atividades • •

Vivemos e fluimos na corrente alegre e ensolarada de Pachamama. Lucidor Flores

A prática

Ocorre duas vezes ao ano, antecedendo os equinócios de outono e primavera (1 a 21 de março e 1 a 21 de setembro).

É uma jornada de autoconhecimento que realizas em teu dia a dia, onde quer que estejas, polindo aspectos ainda rígidos do caráter e despertando à sensibilidade da Vida, à Consciência Pachamama. A guia da prática é um manual impresso ou virtual que receberás após a inscrição. Contém lições diárias e orientações claras das atividades a serem desenvolvidas

Leitura Diária Prática de meditação a ser realizada duas vezes ao dia. Recomenda-se uma alimentação diferenciada e mais natural, sendo apenas uma sugestão para que os corpos se desintoxiquem. Uma lista de músicas para acompanhar a prática, incluindo uma meditação conduzida. Acompanhamento pessoal a cada 7 dias, via email. Nas cidades onde temos centros de meditação ou comunidades encontros semanais abertos.

E os 21 dias de março estão chegando!

inscrições abertas, não perca! Informações e inscrições misticaandina21dias@yahoo.com.br www.nacionpachamama.com


Ativismo Sagrado

Peregrino – Jornal da Associação Pachamama | jan/fev/mar 2017 7

Adelante Revolución Que é um homem sem paixão? Que é uma mulher sem heroísmo? Sem a garra enlouquecida de sonhar o impossível? Este Movimento tem como missão devolver a flama de tua vida, o espírito de peregrino, de aventureiro cósmico. É tempo de Amar, de Amar o impossível e lembrar que podemos ser revolucionários sem importar a idade, ser portadores dessa alegria sem limites, a que dá milagres e a que prende fogo à mediocridade.

mudas e hortas); na luta pelo TIBET; na participação ativa em Fóruns Sociais, com falas e palestras em congressos e encontros, incluindo nossa participação na defesa da Consciência Pachamama na ONU, em Genebra; em intervenções artísticas e literárias; produção de materiais de mídia independentes; cines revolucionários; e outras ações urbanas ou em nossas comunidades campesinas. Ser a própria experiência de revolução, de mudanças profundas nos hábitos e de entrega à Unidade, enfrentando nossos próprios ditadores internos… esse é o convite que te faz Nación Pachamama.

O ativismo sagrado é formado por jovens revolucionários (jovens de coração e não idade), que estudam, se posicionam e criam soluções frente às injustiças do mundo e à degradação de Pachamama em todas as suas formas. Ser um ativista é ser um defensor da vida e um semeador de uma compreensão profunda da realidade para criar novas possibilidades. Nossas ações se baseiam na semeadura da Consciência Pachamama, como por exemplo, acontece no projeto MUDA TUDO (intervenções urbanas usando

A Sadhana Grupal Meditar é um gesto, uma compreensão sutil e leve, simples e amorosa que acontece no silencioso coração. Mergulhar no silencioso vazio da alma e estar no aqui e agora, permitindo que os pensamentos voem como folhas ao vento, que não os contém. Se praticas e persistes em meditar profundamente, se vibras no alento do agora, se agradeces com teu ser cada instante, teu coração se abrirá, e sairás do infantil desejo pessoal até o sonho luminoso e grupal. A prática da meditação em grupo nos fortalece e ajuda a aprofundar nessa senda que tem como alvo fazer espaço em nosso interior para que se experimente Deus, ou seja, ao AMOR.

Onde? Porto Alegre/RS Campina Grande Pelotas/RS do Sul/PR Nova Petrópolis/RS Piraquara/PR Jaguarão/RS São Paulo/SP Caxias/RS Piraju/SP Santa Cruz/RS Niterói/RJ Arroio Grande/RS Brasília/DF Vacaria/RS Fortaleza/CE São Lourenço/RS Jericoacoara/CE Montenegro/RS Aracaju/SE Rio Grande/RS Florianópolis/SC Argentina: Ilha do Mel/PR Buenos Aires Curitiba/PR San Marcos Sierras/CBA Mais informações:

nacionpachamama2015@gmail.com


8 Peregrino – Jornal da Associação Pachamama | jan/fev/mar 2017

ONG Pachamama Q’eros: A Mística Andina nasce daí,

desse povo que vive entre 3.000 e 4.000 metros de altitude, na Cordilheira dos Andes-Peru. São nossa família e mantemos uma aliança de amor, serviço e cuidado, nutrindo o vínculo profundo; também ajudamos estruturalmente com painéis solares, fogões com chaminés, estufas para cultivo de alimento, entre outros suportes nas áreas da saúde, alimentação, educação e permacultura.

África: A aliança ancestral com a

Mama África começou há três anos, e estamos junto à comunidade de Keur Baba Alima, localizada na cidade de TivaouaneSenegal, prestando auxílios para a construção de uma Escola para meninas, compra de medicamentos ao Centro de Saúde e, nesta missão de janeiro de 2017, estamos comprando uma ambulância que ajudará a salvar muitas vidas de gestantes, crianças e idosos. Estamos com projetos de arte e ações junto as mulheres das comunidades também em Cabo Verde.

“Por entre

ensinamentos

de uma mística viva, um caminho sagrado para despertar”

Nepal: Assumimos a Escola Secundária

Saraswati há 4 anos e estamos ajudando a melhorar as condições de ensino com materiais de apoio e com palestras sobre Consciência Pachamama, além da valorização da gruta sagrada onde o Mestre Milarepa meditou e ensinou, que está localizada junto à escola.

Índia: Aos pés da montanha sagrada de

Arunachala na cidade de Tiruvanamalai, apoiamos a manutenção e melhorias de um hospital que atende aos sadhus (sábios renunciantes) que serviram durante anos e agora estão velhinhos e precisam de cuidados especiais, atenção e carinho.

Ajude a ONG Pachamama:

Associação Pachamama CNPJ 08.080.387/0001-45 Banco do Brasil Agência 2942-4 Conta corrente 34.971-2

Cursos • Peregrino do Coração • • • • •

DEvi Yoga

Sacerdotisa Andina

Buen Morir

Desenvolvendo a Genialidade

Semeadores de Milagres

• Abundância Criativa

• Ayllu: Voltando para casa Informações no email: escolaespiritual.ma@gmail.com


Peregrino | Português